terça-feira, 6 de março de 2012

EU LUTO

Gostei muito desta lista que vi na Riot (infelizmente, não dá pra linkar direto pro post) e decidi traduzi-la. Vamos reagir e lutar sempre contra o que nos oprime, mesmo que não nos oprima diretamente.

Eu luto
Contra uma cultura que primeiro me transforma em vítima e depois me culpa pelo que é feito a mim
Contra políticas feitas unicamente para me controlar ou me humilhar
Contra condicionamento social que diz que feminino é fraco/ruim/sujo/errado
Contra misoginia
Contra a ideia que tudo bem tocar/machucar/estuprar/condenar/controlar meu corpo porque ele é considerado propriedade pública
Contra políticas nocivas disfarçadas de “proteção”
Contra definir as pessoas de acordo a um binário ultrapassado de gênero e/ou seus genitais
Contra uma visão de mundo que não abre espaço para crescimento, mudança, arte, liberdade ou revolução
Você pode pensar que sou “só uma garota”, mas você deveria ter muito, muito medo de mim.

74 comentários:

Anônimo disse...

Contra definir as pessoas de acordo a um binário ultrapassado de gênero e/ou seus genitais ???????

Angélica disse...

AAAAA
É ISSO!

I Fight back!

Nós tod@s devemos reagir!

Chega!

Lorena disse...

Anônimo,

sim, eu também sou contra definir a pessoa pelo genital que carrega, atribuindo valores e papéis sociais baseados no sexo ou no gênero do indivíduo. Ter pênis ou vagina, ser biologicamente homem ou mulher, não define o ser humano social que você é. Nem deve ser uma "caixa", ou uma etiqueta, cheia de precedentes que você deve preencher pra ocupar esse espaço. Lutemos por seres humanos mais livres, por favor!

Muito bom, Lola. Estamos tod@s junt@s nessa luta!

Gabriel Nantes de Abreu disse...

Estamos tod@s junt@s nessa luta!(2)

Anônimo disse...

Lola,dentro das suas lutas,quais são fora da internet e e de passiatas com um monte de gente gritando frases de efeito?

Anônimo disse...

vamos definir pelo que então?

Anônimo disse...

eu luto parece que tem alguém de luto. kkkkkk ficava melhor eu brigo.

Carol disse...

Que tal definir pelo caráter, pela personalidade, por qq outra coisa.

Limitar seres humanos em homens e mulheres, e exigir que eles se portem de acordo com essas opções é muito limitador.
Alguns se encaixam, mas os que não devem ter seus direitos erespeito assegurado.

Lutar sempre! E não menosprezem a luta virtual, ela é uma forma de difundir uma mensagem muito necessária.

Carol M disse...

Gente, atualizei o perfil pra diferenciar das outras caróis, pode deixar q nao foi clonagem.

Bruno S disse...

Cada um lute no campo que se sente mais à vontade.

Tem que se sente à vontade na trincheira virtual.

Tem quem prefira a luta nas ruas em passeatas.

Tem quem se dê melhor na luta institucional, via partidos, sindicatos, ongs, judiciário e órgãos de governo.

Tem quem se dê melhor fazendo o trabalho micro de levar as ideias a amigos e familiares nas conversas do dia a dia.

Todos têm seu papel.

Anônimo disse...

esse gatinho é uma coisa muito fofa.

Lorena disse...

Anônimo,

o importante pra vc é saber do que chamar uma pessoa, se de homem ou mulher? Óbvio que pode chamar de acordo com o sexo ou gênero no qual a pessoa se encontra. Reconhecer o gênero não é definir uma pessoa. Definir passa por conceitos diversos. Dá uma olhada nos verbetes do dicionário e vc entenderá o que é definir algo.

É importante definir homens e mulheres, segundo conceitos pré-estabelecidos? Homens são insensíveis, não choram, são mais agitados, mais brutos... Mulheres são mais sensíveis, são tolas, são delicadas... Isso é necessário? Por que? E todos devem se adequar a essa caixinha já etiquetada? Por que?

sex pistol disse...

Boa tarde Gente,

O problema não é lutar, mas sim como lutar:
-No campo político, através de movimento social?
-Nas ruas, reagindo quem nos agride fisicamente?
Enfim,se trata de lutar como, que o artigo fala?
Abraço

sex pistol disse...

Fear Factory
Música: Transgression

Transgression
One nation, one nation of Gods
Divided by faith, nation divided by faith

Witness deliberate war of attrition
Witness deliberate war of attrition

Judge me not, judge lest you be judged
Eyes are blind, blinded by violation

I hate your contention
I hate your violation
I hate your corruption
I hate your life destruction
I hate your contention
I hate your violation
I hate your corruption
I hate your life destruction

I am your enemy...

Witness deliberate war of attrition
Kill my mind, my mind is the weapon

Words are banned, words meant to enlighten

I hate your contention
I hate your violation
I hate your corruption
I hate your life destruction
I hate your contention
I hate your violation
I hate your corruption
I hate your life destruction

I am your enemy...
I will resist endlessly...
Endlessly...
Endlessly...
Endlessly...

Lorena disse...

Eu acho importante que cada um se encontre na forma de luta que achar mais pertinente, como o Bruno falou.

Um "trabalho" não é mais importante que o outro. Se a gente luta no nosso dia a dia, conscientizando as pessoas que estão a nossa volta com trabalho de formiguinha, estamos também fazendo a nossa parte. Nem todo mundo tem perfil político pra se candidatar a um cargo público; nem todo mundo tem perfil de militante que sai às ruas em passeata (apesar de eu achar essa forma muito efetiva e importantíssima), nem todo mundo gosta de se expôr publicamente num bloog, como a Lola, na TV, nos jornais, enfim... Mas se você faz a sua parte suscitando discussões no meio em que vive, já está na vantagem em relação à maioria, que nada faz, nunca.

Shishiu disse...

Acho essencial sermos ativos na micropolítica cotidiana, sendo duros com as escrotices do dia-a-dia e combatendo a imoralidade vigente com a bandeira da moral sem amarras.

O conhecimento é fundamental para convulsionar - e quebrar! - as tradições. Temos que passar por cima da cultura e das fidelidades sociais. Não devemos prestar homenagem aos mecanismos que nos fazem sentir imersos em algo maior do que nós, tais como patriotismos, nacionalismos, racismos, xenofobismos, tribalismos, fé...

Quebrar os paradigmas da mediocridade e do senso-comum é o meu devir.

Lord Anderson disse...

S.P.

pq não em todos os lugares?

Um não exclui o outro, pelo contrario, o complementa. pq o desafio é multiplo.

Logo as frentes de batalha tb devem ser.

Niemi Hyyrynen disse...

Anonimo

Uma coisa ou alguem não se define pelo que se chama, nome não é essencia e essa "essencia" não é tão "natural" como alguns querem propor, somos seres demasiados completos para sermos presos uma síntese.

Somos seres com um grande potencial e ao longo da nossa vida vários fatores vão influenciar na nossa construção, não nascemos "prontos", nosso corpo e mente se desenvolve até o dia da nossa morte.

Acho que a grande luta, ela é mais silenciosa e demorada do que os imediatistas esperam, ela é travada no dia a dia, não é só a militancia ou a politica feita no congresso e leis que irá mudar as pessoas, pelo contrário, são as pessoas em convivio que vão transformar o modelo de sociedade, a ignorancia é ensinada todo dia através de palavras e gestos e pode ser desconstruida tb da mesma forma, pode e deve ser assim.É o que faremos.

Eu acho que as pessoas no modo geral tem um misto de complexo de Adão com Platão, acham que foi o homem (humano do sexo masculino) que nomeou tudo e a todos, inclusive sua "parceira", a verdade é que a mulher não é uma mera coadjuvante e o homem não é quem detém o conhecimento para atribuir as coisas nomes, nem tão pouco nascemos em forminhas com idéias pré concebidas.

sex pistol disse...

Lord,

Entendi. Toda frente possível e em conjunto.Só assim para mudar algo.Abraço.

Bruno S disse...

Outro ponto interessante, além do onde batalhar, é o como.

Identificar o nível de agressividade ou amabilidade do discurso. O tom certo para desarmar os adversários e para conquistar adeptos.

Um discurso mal colocado pode transformar uma possível adesão numa rejeição à causa.

sex pistol disse...

Bruno S,

Mas e quando a retórica for agressiva? O discurso não deverá ser de enfrentamento?

O discurso não deverá ser apropriado a mentalidade do adeversário e ao campo de batalha em questão?

Abraço

Anônimo disse...

também me pareceu luto. talvez eu batalho ...parece um poema este post.

Bruno S disse...

sex pistol,

isso mesmo.

O discurso de enfrentamento tem lugar certo. Assim como o conciliatório.

Um discurso de enfrentamento no local errado pode colocar pessoas na defensiva assumindo posição reativa.

Assim como um discurso mais amistoso na hora errada pode dar espaço para o adversário se sentir a vontade para crescer.

Raquel Corrêa disse...

Divulgar na internet tb é uma forma de lutar. E muito eficaz, diga-se de passagem. Porque é rápido o negócio.
Em outubro do ano passado, quando a maior organização do Estados Unidos que arrecada fundos para o combate ao câncer de mama, a Susan G. Komen for the Cure, decidiu cortar o suporte financeiro à Planned Parenthood (clínicas de aborto e outros serviços ligados a saúde da mulher), rapidamente esta informação se espalhou pela internet e a repercussão (rápida) foi tão, mas tão negativa que eles tiveram que voltar atrás na decisão. Mas, o estrago já havia sido feito. Muita gente que doa(va) para a fundação de combate ao câncer de mama afirmou que mesmo a fundação tendo voltado atrás, afirmou que não iria mais doar nada a eles.

LisAnaHD disse...

Homens e Mulheres...
Mulheres e Homens...
Somos todos filhos de uma luta...
a Luta dos Sexos.

Sara disse...

Que surpresa grata encontrar comentários seus Niemi, concordo com o q vc disse tb.
Só não achei necessário a ultima frase do texto do blog, porque pra mim é muito obvio que boa parte dos homens tem medo de nós mulheres, e por uma serie de motivos, mas o maior deles sem duvida é porque sabem a mulher não ira retroceder aos papeis que sempre lhes foram impostos.

Eu disse...

Puxa, demorou...

não é de hoje que venho falando que não adianta o discurso de fazer a outra parte se conscientizar e bla bla bla, temos que reagir a cada oportunidade de abuso e rechaçar o abusador. Serve contra marido, contra pai, contra chefe, contra deus e o mundo. E sobretudo, pararmos de nos colocarmos no lugar de vítima. Não é só ficar contra a ideia não, hein, Lola, mas contra as ações concretas.

Lucas disse...

Acho que os caras da "Real" deviam desenvolver um "instinto gramatical" então, porque a coisa tá feia viu...

Beatriz disse...

Luta não precisa ser panfletar, necessariamente. Só sustentar opiniões com firmeza e se posicionar contra o senso comum no dia a dia ajuda muito. Tod@s estão apt@s

André disse...

Bruno S (6 de março de 2012 13:56),

Comentário perfeito!

LisAnaHD disse...

Qto à traduçao título do post...

FIGHT = BRIGAR, LUTAR
BACK = DE VOLTA

"Fight Back" é brigar de volta ( brigar contra), lutar de volta, (lutar contra)... MAS não sei como expressar essa ideia de maneira que não fique uma tradução artificial... se alguém souber, poderá nos ajudar.

A imporância do "back" (de volta) esclarece melhor a luta... é uma luta dando o troco de igual para igual ou até mais forte ainda. E o substantivo "luta" tem conotação menos agressiva do que "briga"... mas ~mas não diminui a importância da ação.

André disse...

Eu revido?

Eu disse...

que tal 'eu dou do troco'?

Eu disse...

eu dou o troco*

"Você pode pensar que sou 'só uma garota', mas você deveria ter muito, muito medo de mim."(POST)

Vejo muitas moças na rua com cara de dar medo sim. :))) pp as gordinhas.

Arthur disse...

http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2012/03/tj-determina-retirada-dos-crucifixos-dos-predios-da-justica-gaucha-3686238.html

Olha isso, Lola. Achei fantástica a decisão. Não tenho intenção de pautar o blog, mas acho q vale um post.
Abraço

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Muito bom o texto, Lola.

E acho que essa nossa luta pra que o corpo da mulher não seja vista como propriedade do homem, ou no mínimo como playground, ainda deve continuar por mais tempo, infelizmente.

Esses dias mesmo assisti uma propaganda de cerveja onde um bando de homens imagina como seria ficar invisível e aí, imagina o que eles saem fazendo... Saem passando a mão nas mulheres, mexendo no biquini delas, entram em um vestiário e aí a camêra não mostra o que acontece, mas segundos depois todas saem correndo assustadas...
E isso tudo mostrado como uma piadinha inofensiva, inocente... Eu só penso nos adolescentes e mesmo homens feitos, assistindo a propagandas como essa e internalizando cada vez mais a ideia de que abusos desse tipo são naturais, tocar no corpo de uma mulher sem o consentimento prévio dela não é algo grave, é só uma brincadeirinha entre homens...

Dá nojo ver coisas assim.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

E quem acha que a Lola ou quem escreve na internet não está lutando, é só lembrar que ela tem um dos blogs escrito por mulher e feminista mais lido do país, são milhares de pessoas de todos os lugares do país, é um post por dia. Pensem no tanto de pessoas que ela já chamou a repensar suas ideias e atitudes.
Não dá pra subestimar o poder atual da internet. A Lola atinge muito mais pessoas com o blog dela, do que muita passeata que tem por aí.

Eu disse...

E quem vai dar o troco nessa agência publicitária sem noção?



"Saem passando a mão nas mulheres, mexendo no biquini delas, entram em um vestiário e aí a camêra não mostra o que acontece, mas segundos depois todas saem correndo assustadas..."(Laurinha)

Eu disse...

Filme criado pela Leo Burnett Tailor Made para Nova Schin, que tem estreia neste sábado (25), durante o intervalo do Jornal Nacional, na Rede Globo. Intitulado “Invisível”, o comercial dá continuidade à campanha de verão da marca.

http://publicidadeecerveja.wordpress.com/2012/02/24/novo-filme-da-nova-schin-um-cervejao-invisivel/

Eu disse...

vamos boicotar o jornal nacional?

Eu disse...

clientes da Leo Burnett Tailor Made:

Acatu, Emirates, Fiat, Limpa Brasil,

Naturella, Nova Schin, Rossi,

Sansung.

Carla disse...

Aí eu gostei heim!!!!!!!!!
se mais mulheres abraçassem a idéia haveria uma revolução no mundo.

carolinapaiva disse...

Laurinha

Onde assino?
O blog da Lola foi praticamente o meu primeiro contato com o feminismo realmente. Eu tinha muitos preconceitos arraigados, e aqui fui vendo que feminismo não era o que eu imaginava. É uma boa porta de entrada.

Ingrid disse...

Lolitcha querida, sempre leio seu blog e conheço muitas pessoas que o acompanham tb. Hoje fiquei muito triste, pois queria muito, muito mesmo participara da sua aula magna, mas foi também meu primeiro dia de trabalho. Quem sabe um dia...

beijos quentinhos do Rio

O Guri disse...

Eu não consigo entender o porque de tanta raiva ao se ler um blog assim. Não entendo o porque de vir aqui todos os dias sem mostrar a cara, coragem é coisa de macho, e ler cada post, cada comentário das mil e uma pessoas que vem aqui todos os dias.

Incomoda tanto tentar lutar pelos seus direitos?

É ruim deixar o outro ser feliz?

Se você tem o direito de vir aqui e dizer a primeira merda que passa na sua cabeça; eu também tenho o direito de vir aqui e debater o assunto que o post do blog traz. Eu tenho o direito de vir aqui e dar a minha opinião sobre um assunto sério que vai muito além da sua mera compreensão. Não tá contente, bebê?

Tá de saco cheio coma vida? Vai tocar punheta por aí, mas não vem atrapalhar o blog dos outros.

Lembre-se, você pode ter conseguido um comentário meu, mas não passa de uma mosca na minha sopa.

Enfim, Lola tô contigo e não abro mão.

O Guri

LisAnaHD disse...

Alguém aqui comentou sobre a força da mídia social... realmente, está sendo uma arma poderosa tanto pro bem qto pro mal... um caso pro bem foi qdo, final de 2011, o Bank of America passou a cobrar uma taxa para movimentação da conta ou algo afim... a taxa em si não ia endividar ninguém, mas o banco ia sim ganhar muito muito dinheiro em cima de um serviço nunca cobrado antes.

Uma jovem americana abriu a boca no trambone, circulou uma crítica e liderou um boicote via mídia social e em menos de dois meses o Bank of America publicou que iria desconsiderar a tal taxa... e muita gente tava querendo seus trocados pagos pela taxa durante um ou dois meses... e aqui, de praxe, quem manda é o cliente... e não me venha ninguém com pedradas e sarcasmo sobre as falcatruas americanas pq seja como for muita gente cai no engodo por pura ganância e outros por não levarem a sério as aulas de finança pessoal ensinadas em escolas públicas americanas já antes do segundo grau.

mudando de assunto...
Qto custa mensalmente a pílula anticoncepcional no Brasil? Estou perguntando pq o assunto está fervilhando nos EUA... e tb gostaria de saber se no Brasil o SUS fornece a pílula anticoncepcional (de graça pras mulheres carentes). Obrigada a quem fizer a gentileza em me responder.

Carol M disse...

Revidar contra as imbecilidades proferidas por homens e mulheres por aí.

LisAnaHD disse...

Gostaria de saber qual é a cooperação social dessa gente que te critica aqui no seu espaço... pelo visto não passa de gente obscura que quer se fazer notar num dos blogs mais visitados do Brasil... se não for o mais visitado.

Jéssica disse...

@O Guri
Gostei do seu comentário, mas tenho que ressaltar que "coragem é coisa de macho" é um comentário bastante infeliz e machista...


@LisAna
Eu gasto cerca de 40 reais por mês com o anticoncepcional Elaine 28 no Brasil. Não sei responder sua pergunta sobre o SUS.

O Guri disse...

Jessica, eu quis ser irônico. Sabemos que não precisa ser homem pra ser macho. Tem mulher mais macho que muito homem, tem gay mais macho que muito homem (e aqui eu uso o conceito do "macho" hétero)... e por aí vai. Não precisa de um saco no meio das pernas pra ser macho.

Acredite, eu sei do que falo.

Camila disse...

Lola, vi esse vídeo e pensei em você: http://acidezfeminina.com.br/videos/o-que-eu-penso-sobre-feminismo/
O engraçado é como as pessoas baseiam-se sempre na licença a maternidade e serviço militar obrigatório como defesa de suas teorias..
O pior é a quantidade de pessoas, principalmente a quantidade de MULHERES, que pensam desse jeito, que acreditam que as feministas planejam dominar o mundo e usar os homens como meros escravos. Me dá uma canseira quando começam com isso.. Morro de preguiça de gente que não tem muita perspectiva.
Consequências de se viver em uma sociedade alienada.

LisAnaHD disse...

Ainda na minha adolescência li um livro, romance do brasileiro (cearense de Sobral), Domingos Olímpio, que me marcou e me impressionou pela bravura de uma mulher do sertão - "Luzia Homem". Recomendo a leitura... é um o livro do Naturalismo (que surgiu após o Realismo).

LisAnaHD disse...

Elaine, nos EUA a pílula custa mais de 100 dólares (mês) e é vendida somente com receita médica. No Brasil tb precisa de receita médica? -- Bem, esse assunto está fervendo na mídia americana, assunto a ser discutido pelo Congresso.

Marina disse...

"Qto custa mensalmente a pílula anticoncepcional no Brasil? Estou perguntando pq o assunto está fervilhando nos EUA... e tb gostaria de saber se no Brasil o SUS fornece a pílula anticoncepcional (de graça pras mulheres carentes). Obrigada a quem fizer a gentileza em me responder."

Você encontra formulações que vão de R$3,00 a R$50 reais. As pílulas genéricas ou similares estão na faixa baixa de preço, enquanto que as "de marca" têm um preço mais elevado. Não confundir preço baixo com altas doses de hormônio ou ineficiência do método.

Elas são distribuídas no SUS, porém cumpre informar que no estado de São Paulo a coisa procede da seguinte forma: vc não vai ao posto e simplesmente pega o contraceptivo hormonal. É necessário um cadastro prévio e assistir a algumas aulas de "educação sexual" básica para daí pegar o comprimido, o que desestimula as mulheres a fazê-lo já que nem todo mundo pode perder dia de serviço. Entretanto, de posse da receita médica aviada pelo serviço público de saúde, a pessoa pode ir a uma Farmácia do Povo pegar medicamentos ou de graça, ou a um custo baixíssimo. Espero ter ajudado.

Marina disse...

Apenas complementando: não é necessária a receita médica para comprar o anticoncepcional, a receita só é necessária para adquirir o medicamento nessa classe especial de farmácias, as chamadas Farmácias do Povo.

lola aronovich disse...

Gente, fiquei um tempão pensando como traduzir "I fight back". Revidar parece muito defensivo, sabe? Na realidade escrevi todo o post colocando "Eu luto contra", aí achei que ficou redundante e troquei (novamente) por "Eu luto". Também tinha tentado "Eu brigo contra". Eu sou muito ruim em tradução! Mas adoro as mensagens desse poster.


Ha ha, LisAna, adorei essa: vc não é amendoim mas torra! Vou adotar.

LisAnaHD disse...

Muito obrigada, Marina. Nos EUA, como eu expliquei anteriormente, pílula anticoncepcional é vendida somente com receita médica. Se o motivo da mulher tomar a pílula for outro que não engravidar, então o Seguro de Saúde (particular) paga boa parte do valor. Caso contrário a mulher tem de pagar 100% que é coisa de 100 dólares.

Bem, Obama quer que o seguro de saúde tb cubra a pílula anticoncepcional como anticoncepcional e, assim, o seguro de saúde pagará o medicamento... não paga 100%, acho que paga 80%. E essa está sendo o assunto político do momento durante essa época de eleição para a escolha do republicano que for disputar as eleições presidenciais ano que vem.

Bem, se eu morasse no Brasil e tivesse empregada doméstica, além dos benefícios exigidos pela lei, sinceramente eu tb forneceria a pílula pra quem trabalha na minha casa... digo isso pq a classe de menor poder aquisitivo é a mais descuidada pelo governo... sempre.

LisAnaHD disse...

LoLa, sua traduçao tá sumpimpa! Apenas há expressões inglesas e americanas que nem sempre dá pra gente traduzir legal... por melhor que façamos, na tradução perde-se o Q da coisa.

ahahahah o "vc não é amendoim mas torra" é ditado popular, o povo é o dono... use e abuse nessa gente que torra... rs...

Anônimo disse...

eu não quero que as pessoas tenham medo de mim. sei lá, só quero que não se metam comigo. é que nem a história da defesa pessoal. eu até posso fazer, mas isso não protege contra homens que também conhecem as técnicas, nem contra pessoas armadas com facas, armas de fogo, etc. já pensei em comprar um taser, mas acaba caindo no mesmo caso. eu prefiro um mundo pacífico do que de lutas. :(

Cacau disse...

To completamente chocada com o valor do anticoncepcional nos EUA, que coisa absurda gente! E ainda falam que se aborta muito por lá... porque será né?

Realmente os EUA não são exemplo pra ninguém.

Cacau disse...

"Bem, se eu morasse no Brasil e tivesse empregada doméstica, além dos benefícios exigidos pela lei, sinceramente eu tb forneceria a pílula pra quem trabalha na minha casa... digo isso pq a classe de menor poder aquisitivo é a mais descuidada pelo governo... sempre."


sabe que essa é uma boa idéia? Mas só dar o ac não adianta nada, tem que ensinar a tomar direitinho e fazer a mulher entender tudo o que pode atrapalhar o funcionamento do remédio, a saber:

- alguns antidepressivos
- doenças que abaixem muito a resistência
- febre, diarréias e vômitos
- antibióticos
- erva de São João
- alguns remédios para o sistema circulatório

e por aí vai.

médico nenhum me explicou isso, mesmo tendo um plano de saúde relativamente caro. Só que eu sou ávida leitora de bulas e é o que me salvou de uma gravidez indesejada todos esses anos.

quando eu trabalhava com um setor especialmente carente da sociedade cansei de ver mulher que tomava a pílula um dia sim e outro não para a cartela "render mais", ou que tomava algumas horas antes de fazer sexo (isso quando não tomava a Pílula do Dia Seguinte de manhã para fazer sexo mais tarde), ou então maridos que "apreendiam" a cartela e davam eles o medicamento antes do sexo para a mulher... é gente a ignorância é braba, não se enganem quanto a isso e para o pobre mesmo, o ferradão da vida, conseguir informações é muito difícil.

Anônimo disse...

fora que ignorância não tem a ver só com pobreza, pq tem muita gente de classe média que não sabe de nada pq foi criado de um jeito "moralista" (não gosto dessa palavra q confunde moral com castidade, mas enfim..)

tem coisas que eu aprendi esse ano ou ano passado, por ex, que camisinha não protege contra HPV e outras dst (não sei se foi aqui ou no blog da letícia que li sobre isso, mas hoje mesmo vi um monte de gente - feminista - que também não sabia)

sexo é um tabu muito grande, tudo ligado a sexo é automaticamente considerado obscuro, sujo, censurável. a gente não aprende nada sobre isso. aprendemos sobre tomar banho, escovar os dentes, até como comer na escola (desde lavar e cozinhar alimentos, até composição nutricional, vitaminas, etc), mas sobre sexo quase nada. a gente fica em dúvida se nossos genitais são normais pq eles não são iguais aos do desenho do livro de biologia. e é uma coisa natural, né, tipo comer, dormir, ir ao banheiro.

Anônimo disse...

marina, mas essa palestra é obrigatória para todos? ou só na primeira vez que a pessoa vai lá? pq eu acho que faz sentido ser obrigatória uma palestra pra quem nunca usou o medicamento. mas se a pessoa afirmar que já sabe como usar (pode ser até um questionário simples, de poucas perguntas, para atestar esse conhecimento), bastaria ela passar no balcão para pegar, não?

Anônimo disse...

Lola, tudo bem?

N é para publicar, mas olha isso:

http://televisao.uol.com.br/noticias/redacao/2012/03/06/novas-panicats-terao-carinha-de-bebe-conta-diretor-do-panico-na-band.htm

Como se já não existisse pedofilia suficiente. Como se a própria existência das panicats (das peladonas de palco)não fosse absurda.

http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2012/03/06/da-cadeia-bruno-agita-mercado-com-rumores-e-gera-reacoes-espantosas-de-possiveis-interessados.htm

E isso aqui, vai ficar impune?!

Alice

Carol M disse...

Putz, não imaginei que acesso à pílula fosse tão complicado nos EUA. Antes do DIU eu chegava na farmácia, pedia e ainda pedia desconto xD. Mas cada corpo é diferente, por isso existem tantas pílulas, cada mulher se adapta a uma dosagem hormonal diferente, e nem todas podem tomar. Muita gente não sabe isso, mas é o tipo de coisa que pode facilitar a falha do AC.

Sara disse...

Assinei uma petição a favor da laicidade constitucional, e interferencia de religiosos na politica e contra o PEC99
Quem quiser assinar é só acessar esse link

http://www.change.org/petitions/irm%C3%A3os-na-discord%C3%A2ncia-rejeitem-a-pec99-em-nome-da-laicidade-constitucional

Eu disse...

Sara, fui ao link e resolvi não assinar, sabe por quê? Por que essa prerrogativa legal será boa ferramenta prá fechar esses estabelecimento que se auto intitulam igrejas mas que não passam de fachada prá constrangir e/ou coagir pessoas a dar muito dinheiro mediante lavagem cerebral bem como possível lavagem de dinheiro proveniente de crime. Não se esqueça que as igrejas no Brasil não pagam imposto.

LisAnaHD disse...

Carol M
E tem mais sobre a pílula anticoncepcional nos EUA... fiquei surpresa sobre o que aprendi sobre o DIU, aqui. A indústria farmacêutica, fabricante da pílula, conseguiu boicotar o uso do DIU. Isso pq sabe Deus em que década, parece-me que houve um caso de infecção que complicou numa mulher e o DIU pagou o pato.

Agora o DIU está retornando, mas tem outro nome e o assunto não é falado na mídia... eu acho o DIU uma maravilha, bem melhor do que a pílula e falo por experiência própria e de muitas outras mulheres que conheci e houve umas que eu convenci a usarem o DIU às escondidas de marido machista que queria encher a mulher de filhos pra eles (os mridos) terem mais liberdade pra praticar adultério.

Sim, há muheres que engravidam com o DIU como há mulheres que engravidam com a pílula... com a camisinha... aqui as mulheres tb usam outro treco que me esqueci o nome... é algo que elas colocam e tiram conforme a conveniência... me esqueci o nome... eu desconhecia isso no Brasil.

LisAnaHD disse...

Cacau, é verdade sim, temos de fornecer e tb ensinar, explicar, dar um follow-up vez ou outra. Aquel@ que mais sabe ou que sabe mais deveria sentir-se MORALMENTE obrigad@ a passar seus conhecimentos pra frente. Sempre tomei em conta que qq subalterno meu poderia chegar ou ir além da minha posição se lhe fosse dada a oportunidade. Assim, preparei o maior número de pessoas que pude e tive a oportunidade. Empregada da minha mãe, qdo me conhecia após eu passar uma temporada em férias na casa dos meus pais, bem a empregada dizia pra minha mãe algo assim: - Se essa sua filha ficar aqui mais um tempo eu saio daqui professora.

"Essa" é pq minha mãe teve outras filhas que obviamente não se importam como eu pelo bem-estar físico, emocional, espiritual, intelectual do semelhante independentemente da classe econômico-social e etnia e tudo o mais que pode ser motivo de discriminação. E obrigada pelo seu comentário, a gente vê que vc é gente boa e bem intencionada e pratica o que prega.

LisAnaHD disse...

Cacau, sobre o preço da pílula nos EUA pra mim tb é um choque... pois eu fiquei somente somente agora qdo vi parte do depoimento de Sandra Fluke diante do Senado americano, semana passada. E nem sabia que o seguro de saúde não cobre... nunca tomei anticoncepcional pq sempre fui adepta do DIU... tomei a pílula por uns 3 meses lá pelos 21 anos e detestei o efeito colateral. -- Se vc entende inglês (ou pra quem entende) vá no www.YouTube.com e busque Sandra Fluke e vai aparecer um bocado de vídeo... ela é estudante de direito numa prestigiada universidade americana... ela e a pílua estão sendo o assunto do momento o dia inteiro na TV seja lá em noticiário ou programa de humor ou programa talk show inclusive no exterior...peguei a notícia na Alemanha e no Japão, imagine!

Anônimo disse...

oq elas colocam e tiram é o diafragma, nao? acho q uma vez num episodio de friends a monica fala em "sponge" (n traduziram como esponja, mas como diafragma)

mas acho q li q esse metodo é ultrapassado pq a margem de erro dele é de 10%, muito maior q a da pilula e da camisinha... nao sei como é com o diu

esse caso da sandra fluke é mais impressionante pq viagra é pago pelo health insurance, mas pilula nao! e esse velho broxa da tal estaçao de radio provavelmente n acha q ele mesmo seja um prostituto.

LisAnaHD disse...

Diafragma! muito usado pela muher americana... pudera, a pílula é caríssima aqui e somente com receita médica... o DIU dá uma margem como a da pílula... em 20 anos de DIU nunca engravidei... minha menstruação sempre foi reguladíssima... recomendei o DIU para muita mulher casada e solteira e todas me agradeceram muito... até mesmo moças de 19 anos... boa naoite, vou fazer naninha!

LisAnaHD disse...

ah sim, Rush Limbaugh é um "desubicado"...

http://en.wikipedia.org/wiki/Limbaugh%E2%80%93Fluke_flap

LisAnaHD disse...

OFF TOPIC - "Canadian BaAcon", 1995

LoLa, hoje à tarde vi o filme na TV e achei que vc e a Niemi, entre outr~s daqui do pedaço, adorariam o filme... uma sátira a um certo presidente americano que se recusou a iniciar uma guerra... Alan Alda faz o papel que podemos associar a George Bush, pai... uma sátira deliciosa, "Canadian Bacon", trilha sonora imperdível... filme escrito/produzido/dirigido por Michael Moore... aquele um... rs...