segunda-feira, 21 de setembro de 2020

ATAQUE NAS REDES SOCIAIS UM DIA DEPOIS DA FACADA EM BOLSO

Recebi este lindo relato que é também um alerta de algo que pode acontecer com qualquer mulher nas redes sociais.

Recentemente li uma reportagem sua no Intercept sobre os mascus. Acredito que em setembro de 2018 eu sofri um ataque que veio deles. E não faço ideia do porquê.
Era feriado de 7 de setembro, um dia depois do atentado a Bolsonaro, e eu comecei a receber muitas mensagens me ameaçando de morte nas minhas redes sociais. Perguntei a uma das pessoas que me atacavam o que estava acontecendo. E eles me enviaram uma montagem. Extremamente tosca e mal feita. A montagem era um documento com colagens de fotos: uma minha e de diversas outras mulheres que eu não conhecia. Tinha meu nome completo, minhas redes sociais. A montagem me acusava de ter passado a faca para Adélio Diniz, o homem que atentou contra o Bolsonaro. No dia eu estava trabalhando, fazendo estágio, em Minas Gerais, mas bem longe de Juiz de Fora. 
A fake news se espalhou. Primeiro no twitter, Facebook e whatsapp. Muitas invenções. Muitas mensagens de ódio, mensagens misóginas. Muitas querendo "cancelar meu CPF". Depois divulgaram meus dados e dados dos meus familiares. Foi muito assustador. Eu fiquei em pânico, morria de medo de sair de casa. No domingo a polícia federal veio na minha casa "tentar me ajudar". Uma abordagem que me deixou com mais medo ainda. Quando eles chegaram achava que eram apoiadores do Bolsonaro querendo me matar. 
Quando me acalmei e eles provaram serem policiais federais, quis prestar depoimento e levei todos os materiais que tinha de ameaça a mim. Descobri que a primeira pessoa que postou no Twitter era um perfil fake e anônimo e que tinha postado a montagem através de um link do fórum 4chan. 
Eu não conhecia na época esse fórum. Mas levei isso a PF, que parece ter ignorado. Eles diziam apenas que não era competência deles seguir com a investigação por se tratar de crime cibernético contra a honra. E a policia civil dizia ser competência da federal por ter envolvido um presidenciável. Nunca levaram o inquérito a frente. 
Eu procurei o Ministério Público, que também disse que era pra desistir e seguir minha vida. Não iam achar culpados e seria muito difícil tirar as montagens das redes sociais. Cansada e com medo eu segui. Segui com vários medos. Mas segui.  
Hoje faz pouco mais de dois anos do ocorrido e isso tem mexido muito com minha cabeça. Eu sempre pensava: por que eu? E as pessoas também me perguntavam, perguntam até hoje, e isso me deixa mal. Mas não foi só eu. Pelo menos cinco meninas foram apontadas como a "mulher da faca" e ela sequer existiu. Era uma apoiadora do Bolsonaro. Patético. Acredito que todas essas fake news se comprovam agora como um método do governo, de identificação com esses grupos intolerantes e uma forma de desviar a atenção. Tempos horríveis. 
Fico com medo de outras mulheres passarem pela mesma coisa agora que é ano eleitoral. Fico com medo pois parece ser um método e nesses tempos sombrios parece que a misoginia está se entranhado nas instituições políticas. Bom, estou escrevendo, primeiro pois quero dizer que você é uma mulher extremamente forte por ter aguentado toda essa violência durante tantos anos. E para dizer que me inspiro em você. 
Esses dois últimos anos também foram os últimos da minha graduação e me envolvi muito em pesquisa e temática de gênero. Tenho planos para um mestrado e quero seguir estudando feminismos. No início eu achava que essa escolha tinha se dado por que eu estava revoltada que crimes cibernéticos acometem mais mulheres. Depois de ler sobre você e os ataques que sofreu eu entendo que foi, também, um ato de resistência.  Continuarei de cabeça erguida e mais forte que nunca, muito devido a sua força e luta. Eles não vencerão! 
Minha resposta a ela: Muito obrigada pelo seu relato e o seu carinho. Nossa, você começou a ser atacada no dia seguinte ao atentado contra Bolsonaro?! Eles não perdem tempo mesmo...
Também já me associaram ao Adélio Bispo de várias maneiras. Parece que eu falei com ele por telefone no dia da facada. A linha dele devia estar congestionada de tanta gente que falou com ele (Manu, Jean Wyllys, Maria do Rosário etc)...
Deve ser terrível o que vc passou. Eles te escolheram como alvo e fizeram doxxing com vc (por isso conseguiram os seus dados e dos seus familiares). Provavelmente vc nunca vai saber quem foi. Às vezes é um carinha que era apaixonado por vc na escola e vc nem sabia e nem dava bola, e ele guardou esse rancor e viu uma chance de se vingar ao encontrar um grupo misógino. Ou um ex-namorado. Ou alguém em que vc deu um fora. Eles alvejam meninas e mulheres por qualquer motivo fútil nesses chans.
Tão revoltante quanto o que fizeram contigo foi a reação da PF, da polícia civil, do Ministério Público... Impressionante como estamos sozinhas e como não temos a quem recorrer.
Fico feliz que teve um lado bom: vc passou a estudar gênero e vai continuar no mestrado. Que vc continue forte e de cabeça erguida.

domingo, 20 de setembro de 2020

AULAS DE XADREZ COM ALGUÉM QUE OS GATOS AMAM

Ontem de manhã o Silvinho, vulgo maridão, estava dando aula de xadrez (online desde março) a um aluno a quem ele já dá aula particular há 8,5 anos quando um de nossos quatro gatos, o Risqué, Risquinho para os íntimos, se aconchegou em seu braço. 
Eu achei muito foto, talvez mais ainda porque o Risquinho nunca faz isso comigo. Peguei a máquina fotográfica e tirei umas fotos. Tive sorte de pegar o olhar cúmplice de puro amor entre os dois. Detalhe pro Risq acariciando a mão do Silvinho. 
Não dá pra ver direito nas fotos, mas o Risquinho não estava encostado na parede.
Todo o suporte dele era o braço do Silvio. E esse equilíbrio maluco que os gatos têm (clique para ampliar). 
Creio que os gatos sentem falta das aulas presenciais. Esses quatro gatos são jovens, mas o maravilhoso Calvin, que morreu em junho do ano passado, gostava de deitar em cima do tabuleiro durante as aulas. Às vezes ele derrubava algumas peças também. É algo que não dá pra fazer online.
Calvin dormindo em mesa de
xadrez que Silvio construiu
Bom, se alguém quiser ter aula com o Silvinho, que este ano completa meio século de xadrez (ele começou a jogar aos 13), entre em contato com ele, por email (silviocunhapereira@gmail.com) ou no Lichess (o nick dele é Taranta). Infelizmente, não podemos garantir a presença do Risquinho, sabe como é.
Silvinho muito jovem: campeão da sua cidade natal aos 14 anos

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

6 MESES SEM POR MEU PEZINHO PRA FORA DE CASA

Agora é oficial: faz meio ano não saio de casa.
Aqui somos os três no grupo de risco (o maridão e minha mãe, por estarem acima dos 60 anos; eu, por ser obesa). Só o maridão sai, umas duas vezes por semana, pra ir ao supermercado. Pra ele é inadmissível pedir pra alguém entregar as compras ou ir menos vezes, porque ele compra muita fruta. Sempre sai de máscara, antes de se tornar obrigatório. Evita locais cheios. E lava muito as mãos. Por enquanto, tem funcionado. 
Mas em breve terei que romper minha quarentena, porque há pelo menos três coisas que preciso fazer: 1) votar (só em novembro, mas já estou me preparando psicologicamente), 2) ir ao dentista (eu paguei já metade dos implantes e coloquei os pininhos em dezembro. Era pra continuar o tratamento em março. Não vou poder esperar muito mais), e 3) seguir com a reforma da casa, que foi interrompida em fevereiro. Minha casa está um horror, cheia de buracos da reforma. Felizmente nada mais caiu, mas daqui a pouco volta a chover forte e ainda não resolvemos as goteiras.
Tem uma outra coisa também, que me parece meio ultrajante, mas muita gente me assegura que pode ser bom pra minha saúde mental. Em janeiro, quando ninguém imaginava que 2020 nos pregaria esta peça, comprei um pacotinho de 3 noites em Taíba, Ceará. Era pra gente ir no feriado de Corpus Christi, em junho. Claro que adiamos. Agora estou pensando em irmos em novembro, só pra duas noites, e durante a semana, quando (imagino) a praia esteja quase deserta (só os kite surfers, porque duvido que eles liguem pra vírus). Preciso de sol e mar. E em novembro estarei de férias na universidade, já que teremos terminado o primeiro semestre de 2020. O segundo começa em dezembro e vai até abril. Creio que será tudo remoto até chegar a vacina.
E o que preocupa é que a última previsão que vi da Organização Mundial da Saúde é que talvez só tenha vacinação em massa em 2022! Já imaginaram ficar mais um ano e meio confinados?! Quero dizer, parece que é só a gente, os oitoporcenters, como disse um leitor. Nas ruas tem até pessoas andando sem máscara, ou com máscara no pescoço. E a gente vê essas fotos medonhas de bares, restaurantes e praias lotadas. 
Agora o desafio passa a ser também convencer minha mãe de 85 anos a continuar em casa. Ela já não aguenta mais! 
O bacana é conversar com minha timeline no Twitter. Pelo jeito, todo mundo tá que nem a gente. Selecionei algumas das respostas mais interessantes:

















quinta-feira, 17 de setembro de 2020

"O BRASIL ESTÁ DE PARABÉNS"

Essas foram as palavras do mais inútil e nefasto presidente que o país já viu. 
Durante uma cerimônia hoje, enquanto o Pantanal arde em chamas, Bolso conseguiu dizer sem corar:  "O Brasil é o país que mais preserva o meio ambiente e, não entendo como, é o país que mais sofre ataques no tocante ao seu meio ambiente. O Brasil está de parabéns pela maneira como preserva o seu meio ambiente".

O Pantanal já perdeu 19% de toda a sua área (2,9 milhões de hectares) para os incêndios. 
Entre as terras indígenas da região, o fogo já toma conta da metade. Isso não tem recuperação. A destruição do bioma é irreversível e vai comprometer o abastecimento de água em todo o Brasil. 
É o setembro com mais focos de incêndio desde 1998, quando o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) começou a computá-los. O instituto aponta que as queimadas no Pantanal aumentaram 208% entre janeiro e setembro, em comparação ao mesmo período de 2019. Na Amazônia, o aumento é de 12%.
 
Enquanto isso, tudo que este governo
sabe fazer é se autocongratular (pelo quê?! Por ser o governo em que o Ibama multou menos?) e espalhar todo tipo de fake news, culpando índios, ONGs, Leonardo DiCaprio, brigadistas
O ministro contra o meio ambiente realmente está aproveitando para passar a boiada. Bolsonero seguirá destruindo o país até que não sobre mais o que destruir.
 

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

CIDADÃOS DE BEM SEGUEM APRONTANDO: NUNCA FALHA

Ontem fiquei com muita raiva ao ver o vídeo de um homem covarde (adivinha em quem ele votou? #NuncaFalha) surtando numa sorveteria em Campinas.
A dona do estabelecimento (que no vídeo não sabemos se é funcionária ou proprietária, aliás, nem dá pra ver seu rosto, só que ela é muito franzina, parece uma menina) pediu ao cliente que colocasse a máscara, como exige a lei, e como inclusive estava escrito na entrada. Como ele se negou, ela se negou a atendê-lo. E eis que o covarde fez o maior escândalo que, felizmente, foi filmado por um cliente (e também pela câmera de segurança da loja, que foi entregue à polícia, já que a dona vai processá-lo).
Com o dedo em riste, o covarde histérico xingou a mulher sem parar, aos berros, quebrou uma cadeira e um cone do estacionamento, e a ameaçou: "Faz alguma coisa comigo para você ver se eu não meto a mão na sua cara. Fala um 'a' para você ver o que você vai arrumar. Fica olhando aí que você vai ver o que você vai arrumar".
Enquanto isso, uma mulher, provavelmente a esposa dele, fica parada na porta, assistindo tudo sem reação, uma postura de quem já está acostumada à violência. O bolsominion certamente aparenta ter desenvoltura em agredir mulheres. Felizmente ele não estava armado.
Em entrevista à TV e em vídeo no seu Facebook, ele faz o que o seu mito, sua inspiração de vida, faz: mente sem parar e se coloca como vítima. Diz que estava de máscara (nem na entrevista pra TV ele consegue usar a máscara direito, cobrindo o nariz), e que ele só aparece no vídeo sem máscara porque tinha tirado, sabe, porque a dona da sorveteria não conseguia escutar o que ele dizia (ótima desculpa: o cara gritando e quebrando coisas acha que não está sendo ouvido).
Além disso, ele inventa que o vídeo que circulou só pega o final, e que, antes, ele foi agredido com socos, tapas e empurrões... pela mulher que deve pesar uns 40 quilos, se tanto. Ele só reagiu, tadinho! (Atenção: novas imagens provam que ele está mentindo). E, numa fala reveladora, afirma que ela o incitou pra violência física (algo que a maior parte dos agressores alega).
Piorou ainda mais pro cara -- que está sendo merecidamente escrachado nas redes sociais -- que não é sua primeira vez. Ano passado ele deu piti num posto do INSS porque uma médica-perita não lhe concedeu auxílio-doença. Os seguranças tiveram que colocá-lo pra fora. E de fora ele seguiu xingando e ameaçando. 
Seis meses depois, o covarde vingativo pagou uma consulta pro atendimento particular dessa mesma médica pra poder ameaçá-la de novo! Ainda fez um boletim de ocorrência (como diz ter feito contra a sorveteria) contra a médica. Acusou-a de extorsão. Ainda bem que o Ministério Público percebeu o que estava acontecendo e o denunciou. Ele foi condenado em primeira instância.
Está divertido ver que até bolsominions estão chiando porque a gente está chamando o típico bolsominion covarde metido a machão de bolsominion. Nem eles querem a sua companhia! Antes de deletar boa parte de suas redes sociais, ele assinava com "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos". Deve ser petista, não é mesmo?
Confirmado: bolsominion covarde mentiu. Imagens e testemunhas o contradizem. Será processado e vai se dar mal!
Ah, fun fact: ele é empresário, e seu estabelecimento, que tem a ver com impressoras, chama-se 88print. Algumas pessoas notaram que esse número é símbolo pra supremacistas de todo o mundo para "Heil Hitler", já que h é a oitava letra do alfabeto. Mas, eu sei, é injusto sugerir que um bolsominion agressor de mulheres seria também neonazi...
Mas quero focar numa rara boa notícia que me deixou com um sorriso no rosto.
Anteontem um voo da Latam estava taxiando na pista para sair do aeroporto de Guarulhos rumo à Fortaleza. Um comissário de bordo teve que acordar um passageiro para pedir a ele que retornasse a poltrona para a posição de decolagem. O passageiro não gostou e chamou o comissário de "viadinho de bosta". 
O comissário relatou a ofensa homofóbica ao chefe de cabine, que foi chamado pelo passageiro de "outro bosta". O piloto então decidiu adiar a decolagem até que o passageiro fosse posto pra fora do avião pela Polícia Federal. Antes disso, no entanto, o comissário disse ao homofóbico (aposto que ele votou num candidato que disse que prefere ter um filho morto em acidente a um filho gay): "Agora o senhor vai ver como um viado de bosta age".
Parabéns ao comissário e a Latam!
E o Brasil continua mostrando como agem seus cidadãos de bem chancelados pela postura do pior presidente de todos os tempos.