segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

A MISOGINIA DEIXA SUAS MARCAS

Um caso tenebroso que aconteceu anteontem no Rio. Mas, claro, podia ter acontecido -- e acontece -- em qualquer lugar.
A empresária e paisagista Elaine Caparróz, ligada à família de jiu-jitsu Gracie, 55 anos, se comunicava havia oito meses com um rapaz de 27, Vinicius Batista Serra, estagiário de Direito. No sábado, eles se encontraram pela primeira vez. Ela o convidou para ir jantar em seu apartamento. Lá, segundo ela, ele pediu para dormir no apê, eles dormiram juntos, e ela acordou de madrugada sendo espancada por ele. 
Elaine foi barbaramente espancada, como se vê nas imagens. Foi tanta selvageria que o apartamento ficou cheio de sangue. Foram quatro horas de tortura, várias fraturas graves, dentes quebrados (ela teve que levar 40 pontos na boca), mordidas, pedidos de ajuda, até que os vizinhos chamaram a polícia. Vinicius foi preso em flagrante, quando tentava sair do prédio. Senão, provavelmente estaria respondendo em liberdade.
Vinicius alegou que teve um surto. Meio que culpou o vinho.
Será julgado por tentativa de feminicídio. A polícia entende que ele atacou Elaine por ela ser mulher.
Três anos atrás, Vinicius foi denunciado pelo próprio pai por agredir o irmão, uma pessoa com deficiência. Vinicius, que é faixa roxa de jiu-jítsu, acusou o irmão de ter roubado dinheiro dele. Ao tentar parar as agressões, o pai também foi golpeado. 
Uma das principais pistas de que não foi um surto que levou Vinicius a quase matar Elaine é que ele deu um nome falso na portaria, ao chegar. Há um registro por escrito de que Vinicius teria dito se chamar Felipe. 
O porteiro falou por interfone para Elaine que "Felipe" queria subir. Segundo o irmão de Elaine, ela estranhou, mas, como já esperava por Vinicius, mandou que ele subisse.
Vinicius tampouco pareceu surtado ao ameaçar funcionários do condomínio quando eles finalmente apareceram para ajudar Elaine. "Entra aqui para você ver o que acontece", ameaçou Vinicius a um deles.
Os comentários nos portais de notícia sobre o caso são, pra variar, os piores possíveis. Para os misóginos de plantão, a culpa é toda de Elaine. Quem mandou ela, uma "coroa", querer algo com um "gatão" com idade pra ser seu filho? Como ela foi convidar um desconhecido para sua casa? Alguma coisa ela deve ter feito ou dito para ele, tadinho, ficar tão zangado. E por aí vai.
Pelo menos a reação geral -- descontando os mascutrolls que talvez sejam robôs que espalham o ódio a cada comentário -- é de horror e repulsa. E o filho de Elaine e a ex-cunhada manifestaram todo apoio a Elaine.
Ainda não sabemos quanto da barbárie de Vinicius foi premeditada. Afinal, foram oito meses de bate-papo pela internet com Elaine. Será que, para ele, espancá-la foi como bater em alguém da família Gracie? Ou será que ele procurava apenas uma mulher para descarregar seu ódio contra as mulheres?
Quando li a primeira notícia, logo pensei que isso pode acontecer com qualquer uma. Elaine não fez nada de errado. Não é que ela havia acabado de conhecê-lo na internet e o chamou (e, óbvio, se fosse esse o caso, nada justifica a violência). Ela procurou conhecê-lo durante meses. Segundo o irmão dela, tinham amigos em comum. Provavelmente tanto Elaine quanto Vinicius votaram no mesmo fascista para presidente -- um fascista que, durante toda a sua carreira e campanha, de certo modo legitimou a violência. 
Foi inevitável pensar também que, se algum dia eu não estiver mais com o maridão, eu me aposento da minha vida afetiva e sexual. Porque tem psicopata demais à solta por aí.
E, lembrando, misoginia não é surto. Misoginia é um comportamento ensinado, premeditado. Li em algum lugar, já faz um tempinho, que mesmo os surtos refletem a cultura onde a pessoa vive. Quando um americano tem um surto, ele quer machucar alguém. Surto em culturas menos bélicas fazem com que a pessoa queira limpar a casa, pro exemplo.  
Que Elaine fique bem logo e que Vinicius fique preso por boa parte de sua vida!

40 comentários:

Anônimo disse...

Eu acho que as mulheres têm que revidar a altura, contrate alguém e mande espancar esse imundo Por quatros horas tb. E a mulher tem que parar de endeusar homem , viver sua vida e deixar esses caras pra lá, não tá valendo a pena ter relacionamento com esses caras não, só se vê casos de horror como esse

Rafael disse...

Olha não sei o que acontece,mas quase toda atrocidade misogina tem um estudante ou profissional dô Direito por tras.

Anônimo disse...

27 anos e nem emprego direito tinha,é tanta a necessidade de pica assim que não consegue nem perceber a roubada.

Felipe Roberto Martins disse...

Li/ vi também que não foi o primeiro caso de agressão realizado por ele, penas mais rígidas devem ser aplicadas..., se tivesse sido, o caso poderia não ter acontecido.

Anônimo disse...

Isso parece ter sido premeditado pelo agressor. Talvez tenha se envolvido antes em confusão com o filho dela, Rayron Gracie, que é lutador, e acabou levando a pior. Pode ter se aproximado da vítima de propósito para cometer o crime com intenção de se vingar do filho dela.

Bem, não importa o motivo. Cadeia nesse filho da p...

Anônimo disse...

Vamos parar de separar as pessoas entre eleitores de Bolsonaro e não eleitores? Foi uma barbaridade o caso dessa moça, mas pq dá ênfase ao candidato escolhido por ela?

Isso acontece e pode acontecer com mulheres eleitoras de Ciro, Marina, Alckimin, Haddad e etc, no fim, isso pode e acontece com MULHERES. Apenas isso!

Unknown disse...

Aposto que pensou que não ia dar em nada. Realmente a gente vive numa cultura machista, levaram 4 horas pra chamar a polícia?

Bii disse...

"Provavelmente tanto Elaine quanto Vinicius votaram no mesmo fascista para presidente -- um fascista que, durante toda a sua carreira e campanha, de certo modo legitimou a violência."

Lola, onde posso me informar sobre isso? Estou escrevendo um ensaio para congresso que vai reunir casos do tipo próximos às eleições. Valeu!

Anônimo disse...

Isso do surto é totalmente verdade. Minha mãe tem um irmão que tem uma deficiência mental grave. Ele teve meningite quando criança - isso nos anos 40 - sobreviveu, mas ficou totalmente prejudicado. Toma uns remédios super fortes e não é capaz de ir ao banheiro sozinho. Mesmo assim, sempre foi um cara grande e forte. No geral, ele é bem calmo, mas às vezes tem uns ataques. Fica bravo, grita, chora, quer sair pelado na rua, mas em 75 anos de vida NUNCA deu um peteleco em ninguém. Mesmo que o cara tenha tido um surto, que eu duvido, ele é só um canalha que odeia mulher.

Anônimo disse...

Elaine Caparróz queria descolar uma coisa, mas acabou descolando outra.

Trágico, trágico.

titia disse...

Terrível. É cada dia pior a situação... me lembra de quando eu comecei a falar em trocar homem por um pet e um vibrador, a princípio fiz isso só pra irritar os mascus, depois comecei a levar a sério. E agora não tenho a menor dúvida de que essa é a melhor solução para as mulheres. A humanidade que se foda, que entre em extinção mesmo, homens são desgraça pras mulheres e devem ser excluídos da vida delas.

Anônimo disse...

Pelo histórico do rapaz eu diria que não foi uma tentativa de feticídio já que ele espancou também o irmão, homem. É apenas um maluco que desde a primeira agressão deveria estar trancafiado, não pode viver em sociedade alguém tão instável assim.

Anônimo disse...

A ênfase em Bolsonaro se faz porque muitos machistas acreditam que com o capitão no poder, poderão agir com impunidade. Bolsonaro é o candidato das pessoas violentas, interessadas em agredir para preservar interesses e convicções.

Carlos Amaro disse...

Para aqueles que estão descendo o malho na atitude de uma mulher de 55 anos em arrumar uma companhia, saibam que a vida das mulheres não acabam aos 30, 40, 50 ... Ela como qualquer pessoa estava na procura da felicidade. E outra quem vê cara, não vê coração. Então, é quase impossível que ele tivesse escrito na sua testa o monstro que ele é ou essa verdadeira covardia que pôde fazer. A culpa não é dela pelo o ocorrido!!!!

Anônimo disse...

Brutalidade, agressividade, degradação e humilhação passadas por esta mulher. Julgamentos haverão aos montes e isso é fato. Geralmente será a culpada, enquanto o agressor? Ouviremos ou leremos coisas do tipo: "Ele estava nervoso", "Foi um surto psicótico(tem um certo Bolsonero que tem isso direto)", "Foi excesso de bebida alcoólica oferecida pela mulher na casa dela", "Quem mandou marcar encontro em casa com homem que conhece pela internet", entre outras coisas mais graves. Conhecer pessoalmente pessoas do meio virtual em sites, redes sociais pela são necessários certos critérios, cuidados, precauções, pois até mesmo homens quando marcam encontros com mulheres são assassinados e não aconteceu apenas uma vez e sim várias, a mulher é cúmplice ou "parça" de algum bandido e marca em locais remotos ou de difícil acesso, por isso é muito complicado localizar a vítima. Sempre em local público e de muito movimento, mesmo que tenham amigos em comum como é o caso da Elaine Caparróz e outros semelhantes ao dela.

Alan Alriga disse...

Por isso qué sempre falo que o país precisa de penas mais severas, acabar com o teto máximo de 30 anos para os casos de feminicídio e tentativa de feminicídio, para esses casos teria que ser de 60 anos e mínima de 30, para ver se assim isso acaba; penas de morte também seriam bem vindas.
Vou me abrir um pouco aqui com vocês: grande maioria das mulheres que conheço já foram agredidas de diversas formas, conheço a dor delas, o sofrimento delas, o medo delas, o pânico delas, o sofrimento da família durante o enterro delas. Por isso que sou sempre a favor de penas e leis severas principalmente a de morte nesses casos, pois quem comete esses crimes não tem medo da pena, porque também sabem que existe militantes e defensores dos direitos humanos que são contra as leis e penas severas.

"Provavelmente tanto Elaine quanto Vinicius votaram no mesmo fascista para presidente -- um fascista que, durante toda a sua carreira e campanha, de certo modo legitimou a violência." Isso não tem nexo nenhum com o ocorrido e nem sequer faz sentido, se sim nesse caso a ex-presidente Dilma seria culpada pelo estupro grupal daquela jovem que foi estuprada por 30, já que ocorreu no mandato dela, da mesma forma que todos os crimes ocorridos no Brasil séria culpa dos governantes (imperadores, ditadores e presidentes) e não de quem cometeu o crime, sem falar que essa sua frase meio que também coloca a culpa na Elaine, se lembre que grande parte da população brasileira não sabe interpretar uma simples frase.

Lola eu tenho um carinho enorme por você e amo o seu blog de coração, mas aquela frase sua foi muito infeliz nesse caso, tem horas para fazer militância contra o presidente e a favor dos seus ideais, mas não nesse caso simplesmente porque isso pode ser usado tanto para afastar mulheres do feminismo, quanto para manipular eleitores contra a esquerda.

Anônimo disse...

O rapaz até que é bonitão.

Tinúviel disse...

Alan Alriga, o Brasil é o terceiro país que mais encarcera no mundo, aumentar as penas só ia agravar o problema. As penas que temos já são suficientes e é necessária uma mudança na cultura.

Carolina Merit disse...

Boa noite Lola. Certamente tais comentários misóginos, principalmente mulheres sem um pingo de empatia, me faz pensar que muito provavelmente nunca foi espancada quase até a morte, e nunca tiveram seus direitos extirpados. Ela foi precavida, teve o primeiro encontro depois de oito meses, mas para essas pessoas hipócritas e doentes, a culpa sempre será da vítima e é essa luta que o feminismo trava todos os dias, para que as mulheres possam sobreviver nesse mundo cão e perverso, que ela possa sair viva de situações de risco, onde o machismo impera. E a justiça não pode permitir que haja impunidade, e que esse monstro possa ser punido com rigor. Somos mulheres, gente que merece respeito e dignidade... E a cada feminicídio, é um pedaço nosso que se vai... Mas vamos lutar com voracidade e orgulho de ser quem somos: MULHERES!

Gratidão pelo seu blog, sempre venho aqui adquiro conhecimento e garra para lutar e ser uma mulher melhor que já sou!

Anônimo disse...

Triste demais os comentarios nos outros sites. Como se ninguem tivesse dormido de primeira com um cara. So os santos e as santas julgando. COmo se isso justificasse.

Fui la ver o facebook dela: https://www.facebook.com/elaine.caparroz
Parece ser alguém muito do bem, mas eleitora do Bozo. Triste demais. Mulheres, na hora que o bicho pega, não são os eleitores do Bozo que defendem vcs. Somos nos, que vamos explicar que ninguém merece apanhar, que o culpado é o agressor, etc...

Fica ai o aviso: vc pode ser rica, branca, linda. Uma hora o machismo vai cair na sua cabeça. E não é o bozo que vai te ajudar.

Y

Sófia disse...

Fiquei indignada quando li a notícia. A impressão que dá é que começa a ser normal né? Todo dia várias mulheres sendo agredidas, mortas, estupradas, você abre os sites de notícia, abre um jornal, compra uma revista, e tenho certeza que pelo menos umas dez notícias parecidas você vai encontrar, todas com o mesmo fundo de violência contra a mulher.

O que mais me chocou nessa notícia, é como uma pessoa passa quatro horas sendo espancada dentro de um apartamento e os vizinhos não fazem nada??? Não movem um dedo?

Eu não consigo compreender como isso acontece, como que uma pessoa grita socorro, eu imagino o barulho, os gritos dela, provavelmente as coisas caindo, mas será que nada disso foi suficiente para as pessoas chamarem a polícia, se manifestarem de alguma forma? Pois mano, quatro horas é muita coisa!

Eu moro em apartamento e aqui, se uma pessoa liga o som muito alto, ou até mesmo está fazendo sexo e começa a fazer muito barulho, não dá nem dez minutos o povo já reclama, manda no grupo, fala com o síndico, bate na porta do vizinho.

E olha, não tem jeito, a gente escuta os barulhos, se alguém arrasta um móvel, levanta pra tomar água de madrugada, da descarga, chega de salto alto, a gente escuta todos os sons, como que as pessoas que moravam ali não escutaram ela gritando??? Como que não ouviram as coisas caindo (provavelmente), a pergunta é, o que afinal leva as pessoas a permanecerem tão inertes quando isso acontece? Estou horrorizada e muito triste pelo que aconteceu. Horrorizada como nós enquanto seres humanos cruzamos os braços e deixamos de agir quando é preciso.

Força para Elaine.

Sófia disse...

Os comentários das pessoas são grotescos.

Não é só nos sites de notícias não. Ontem peguei um ônibus, e o motorista e trocador, falavam da vítima, comentando que mulher tem que tomar cuidado, e que ela foi burra por ter levado um "cara" novinho daquele para casa. Que ela estava procurando. Que mulher "véia" não pode ficar procurando "novinho" mesmo não. Chegou ao cúmulo do trocador lançar a pérola "e onde que tava o marido dela naquela hora? No mínimo tava traindo o cabra enquanto ele estava trabalhando. Mulher é tudo assim mesmo."

Tive que trocar urgente de lugar pra não ficar escutando aquilo.

Até quando as mulheres serão julgadas? Até quando vão ser culpadas por terem sido agredidas? Culpadas por terem sido estupradas? Culpadas por escolherem ter filhos, culpadas por escolherem não ter.

Enfim, somos sempre jogadas na fogueira por qualquer atitude.

Não é fácil ser mulher nesse mundo não.

Tinúviel disse...

Sofia, tá mais do que na hora de começar a retrucar em vez de silenciar. Não dá mais pra ficarmos passando pano pra machista.

Anônimo disse...

Ela foi precavida, teve o primeiro encontro depois de oito meses

N tem como se precaver com gente da net. Nem se fosse se encontrar com ele depois de 10 anos. As pessoas mentem na nossa cara, q dirá pela net. Provavelmente posou de macho honesto. Se fosse ao vivo talvez desse pra notar algo.

Jane Doe disse...

Mas alguma dúvida que alguém iriam culpar a mulher? Todo dia eu abro o noticiário e há de violência contra a mulher e parece que a brutalidade dos crimes vem aumentando exponencialmente. É chicoteamento com cabo de energia elétrica, é golpe de facão, é queimadura com ferro de roupa - e não raro na frente de crianças pequenas. E a culpa é SEMPRE - mesmo que parcialmente - da mulher.

Quanto ao tempo de prisão - não acho o que o medo do tamanho da pena vá desencorajar sujeitos como esse aí. Um aspecto importante entretanto é a quase certeza da impunidade e em caso de feminicídio - sempre vai ter uma multidão de gente incluindo aí policiais, advogados, juízes e membros do juri pra encontrar algum amenizante para o crime (lembram da história do estuprador inocentado por que a menina estava usando calcinha de renda? poisé...). Entretanto penas brandas e um sistema penitenciário falido é pedir para acontecer mais uma centena de vezes e com uma escalada exorbitante no nível de crueldade dos crimes.

E de boa - por mais que o Bolsanoro e muito dos seus seguidores(as) sejam calhordas, DUVIDO MUITO que o país não está INFESTADO de eleitores do Lula/Haddad/PT/esquerda quebrando a cara de alguma mulher, estuprando alguma adolescente ou tendo aliciar alguma menina. A violência de gênero não começou na campanha do Bolsonaro e consegue ser ainda pior em lugares sem Bolsonaro.
E como eu já disse inúmeras vezes - uma das coisas que me afastou definitivamente dos ideais da esquerda e tem feito com que eu desacredite mais e mais no feminismo (e também queira me afastar dele) é que crimes bárbaros como esse, nas "condições ideais" seria amenizado, justificado e vítima seria considerada "violentável" caso isso promovesse a esquerda.
O que mais tem por aí é esquerdomacho e esquerdofeminista salivando pelo canto da boca quando os "intrépidos heróis justiceiros sociais cometem atos de bravura contra sistema" estuprando em grupo mulheres que só estavam festejando com as amigas ou ejaculando no rosto delas dentro do transporte público.

Quando se trata de ódio ao feminino, esse não distingue religião, cor, nacionalidade ou ideologia política.

Anônimo disse...

Cada dia que passa eu sinto mais apatia por homens e relacionamentos.No máximo é melhor ter afeto com mulheres e sexo com homens.Buscar neles a felicidade,o companheirismo e o tal do velhinhos juntos,já era.Eles não são capazes de amar e respeitar genuinamente,pelo menos a esmagadora maioria!

Sófia disse...

Tinúviel

Sofia, tá mais do que na hora de começar a retrucar em vez de silenciar. Não dá mais pra ficarmos passando pano pra machista.

________________________________________________________________________________________________

Concordo, preciso trabalhar isso melhor em mim para que da próxima vez que ocorra eu possa responder, confrontar esse tipo de atitude.

Henrique Paes disse...

Sou homossexual e cresci com um pai machista que agrediu a mim e minha mãe durante anos. Não tenho palavras para descrever como esse tipo de situação me deixa mal. Espero que nós - mulheres e minorias - encontremos formas de nos defender nesses próximos anos. É dever do estado garantir a segurança de todos os cidadãos, mas não podemos contar com o governo Bolsonaro.

Anônimo disse...

Esses enrustidos misóginos estão conseguindo o que queriam , toda essa violência contra a mulher está fazendo as meninas pensarem mil vezes antes de investir em relacionamentos . O melhor mesmo é não contar com homem pra nada, o preço é muito alto, eles não reconhecem o valor de um relacionamento e são na sua esmagadora maioria super violentos ou psicoticamente frios e indiferentes, o que é outra forma de violência.
Talvez as moças tenham que se convencer de que homem só está a fim de relações sexuais, se ela estiver a fim também ótimo, senão estiver esquece esses sonhos românticos, isso tudo é pra melhor iludir as trouxas e botar elas de empregadas domésticas e sexual não remunerado. Aliás, isso é o que a maioria dos caras espera num casamento, infelizmente. Companheirismo e amor só está na cabeça das mulheres , não na deles.

Anônimo disse...

Nossa tô enojada com a reação desses caras, a imensa maioria culpando a mulher por ter convidado o cara pra casa mas principalmente criticando a diferença de idade. Tipo achando no fundo bom que isso tenha acontecido pra mostrar, ensinar pra mulher que ela não tem valor nenhum depois de mais velha.
Você não ouve esses caras tipo horrorizados com a violência sofrida pela mulher, só meio tipo comemorando, meio felizinhos com o acontecido. Asco desses caras

Anônimo disse...

09:31

O pior, é que ten mulheres pensando assim tb. Bizarro.

Anônimo disse...

Que o cara seja processado e preso. Nada além disso.

Anônimo disse...

Anônimo de 21 de fevereiro às 09:27,faço das suas as minhas palavras e complementando o que eu ouvi de uma blogueira outro dia "é melhor ter relacionamento afetivo com mulheres e sexual com homens".Porque tudo que a gente busca num relacionamento eles não estão dispostos a dar,a não ser que seja do jeito deles e só deles!

Anônimo disse...

E enquanto a cultura não muda? Fazemos o que?

Anônimo disse...

Uma vez li em um forum de internet uma conversa de vários caras falando que toda mulher tem uma pedra de gelo no lugar do coração. Todos sem exceção concordavam com isso. Falavam que as mulheres são frias, maquiavélicas e traiçoeiras. Se as mulheres são tudo isso, o que falar dos homens? Homens são responsáveis por 99% de todas as guerras que existem e já existiram na história humana. 95% dos assassinos e psicopatas que existem são homens, sendo eles 50% da população. Homens são responsáveis por 97% dos estupros contra mulheres e crianças. Você liga a TV ou o noticiário e é noticia atrás de noticia de homens espancando, agredindo e matando suas companheiras, e há casos que nem os proprios filhos eles poupam. Saem cometendo chacinas atrás de chacinas. Mas são as mulheres que são as frias, maquiavélicas e traiçoeiras. Os homens sempre projetam os seus piores podres nas mulheres.

A cultura tem que mudar?? Tem, mas essa porcaria de lei penal tem que mudar também. O Brasil prende muito, mas não pune como deve. Que adianta prender e depois soltar 6 meses depois? Como aquele caso do pai que abusou da propria filha, ficou nem 6 meses preso e voltou pra casa pra matar a filha e agora ta foragido. É essa m.... de lei que tem que mudar. Sujeitos como esse lixo, Chimbinha e cia ou qualquer estuprador não merecem viver nem respirar nosso mesmo ar. Tinham que ser fuzilados num paredão ou fritados numa cadeira elétrica sem dó.

Anônimo disse...

Correção: Champinha, não Chimbinha. Errei o nome do infeliz.

Flávio disse...

Os dois, agressor e vítima, são eleitores do presidente que tem inúmeras falas defendendo a inferioridade da mulher. O msm que fez ameaça de estupro em público, sem pudor. Que troca de parceira de tempos em tempos, qdo elas começam a envelhecer. Qdo a gente le notícias assim, é impossível n relacionar os eleitores aos seus políticos criminosos.

Felipe Lobo disse...

Eu vi a reportagem na Record, foi algo patético, a delegada querendo se aparecer, a reportagem repedindo diversas vezes o fato dela ter o conhecido na internet, ser mais novo e ter-lo chamado para casa dela. E ainda teve uma psicóloga dizendo que pessoas que se encontram pela internet são 'transtornadas'. Agora meramente mandar agressores pra cadeia não vai fazer ninguém menos agressor, talvez piore. Parece que as feministas fazem coro aos coxinhas quando dizem que tem que 'matar ali', 'castrar lá' ou por 'aquele outro na cadeira elétrica'.

Anônimo disse...

ACREDITO que o real motivo dessas agressões é que esses caras, além de no fundo serem gays, tem raiva de mulher. Não entendemos como os psicólogos não estudam mais a fundo esse tal de "machismo enrustido" que assola o país. Penso que o Brasil, devido ao número de agressões de certos tipos de homens em suas femeas, quer dizer simplesmente isso - SOMOS GAY E NÃO ACEITAMOS - daí descontamos nas mulheres. Penso, quando essa situação vir a público, deverá diminuir os crimes, esse tipo de crime. Com a palavra os entendidos da área , psicologos

Felipe Lobo disse...

Isso é homofobia. Usando a sua lógica poderia-se dizer que lésbicas e feministas são assim porque tiveram relacionamentos ruins com homens. E eles não são homossexuais, senão não se relacionariam com mulheres, pelo contrário; esse tipo de homem é extremamente homofóbico. Tomemos como exemplo Alain Soral.

Agora esse indivíduo da reportagem era alguém descontrolado, pois já agrediu familiares. Como todos os agressores, o que somando a cultura machista onde o homem é obrigado a se expressar com violência quando se sente acuado (pois assim não fica 'por baixo') e vemos essas e outras tragédias. São indivíduos que precisam de ajuda psicológica, mas também precisam querer ser ajudados.