sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

A MISOGINIA GANHA ADEPTOS

Minha careta pra misoginia

Voltando com os vídeos no canal Fala Lola Fala! Este é o primeiro vídeo de 2020, que coloquei no ar ontem. Veja lá, por favor! Divulgue, se inscreva, comente. Tudo isso pra me motivar a fazer mais vídeos. 
O vídeo é sobre um assunto que me deixou pistola. Nunca tinha ouvido falar em Ricardo Ohara, um youtuber brasileiro de 41 anos descendente de japoneses que mora no Japão. Até que nesta semana li uma matéria da Carta Capital chamada "Sem querer, youtuber nipo-brasileiro vira ídolo dos misóginos na web". 
Sabe como? Espalharam a comovente história de que o youtuber era casado quando foi sozinho pro Japão em 2008 para trabalhar como um condenado pra pagar o curso de medicina da esposa, Laura. Assim que ela se formou, ela pediu o divórcio. Que interesseira nojenta, não é? Essas mulheres! 
Só que é tudo mentira. Pra começar, Laura, a ex-mulher, nunca cursou Medicina. Ela foi sozinha pro Japão, trabalhou como operária em fábricas durante 10 anos, juntou uma boa grana e voltou pro Brasil em 2007, segundo o advogado dela. Ricardo estava casado com ela quando se mudou pro Japão sozinho em 2008, pra recuperar dinheiro mal-investido no Brasil. Não sei quando eles se divorciaram, mas o advogado diz que a iniciativa não partiu dela. Ela tem uma nova família desde 2014. Ou seja, faz tempo. Tempo suficiente pra Ricardo esquecê-la e tocar sua vida, não?
Através de um advogado, Laura abriu um processo contra o Facebook pedindo para que comentários ofensivos contra ela sejam excluídos, e pediu os nomes dos autores das ameaças. Sim, porque ela passou a receber um monte de ameaças de morte. Fizeram doxxing com ela, descobriram seus dados individuais, privados, compartilharam nas redes. Um inquérito policial foi instaurado pra tentar descobrir quem está por trás disso. Ricardo é um dos investigados. Ele disse vagamente num dos vídeos que não tinha raiva da ex-esposa e não odiava mulheres. Mas a perseguição a Laura continua. Agora a nova narrativa dos misóginos é que Laura quer ferrar com Ricardo de novo! O advogado dela desmente, diz que ela não quer reparação financeira, só quer viver tranquilamente.
Essa é a narrativa de sempre dos misóginos: que as mulheres só querem sugar o dinheiro dos homens, que elas são todas vadias, que o mundo é misândrico (odeia homens) e matriarcal. Nesta mesma semana, vi três matérias à toa que desmentem as barbaridades que os misóginos espalham.
Uma das matérias é sobre o relatório deste ano da OXFAM que diz que, se o trabalho doméstico fosse remunerado, ele renderia mais de 10 trilhões de dólares por ano. Quem faz o trabalho doméstico? São justamente as meninas e mulheres que vivem em situação de pobreza, que estão lá na base da pirâmide econômica, que fazem gratuitamente as funções de lavar, cozinhar, limpar, cuidar das crianças, alimentar os homens. Imagina se elas recebessem dinheiro por esse trabalho. Vale a pena pensar também quem decidiu que ele não seria pago, nem valorizado.
Outra matéria -- essa tem a ver com o país onde Ricardo vive. No Japão, fora de casa, as mulheres trabalham tanto quanto os homens, mas ganham salários menores, divulgados abertamente: nas fábricas, por exemplo, mulheres recebem por hora entre 900 e 1.300 ienes (o que equivale a entre R$ 34 e R$ 49); homens, a partir de 1.300 (R$ 49). O Japão é o 3o país com a maior desigualdade salarial entre homens e mulheres, só perde pra Estônia e Coreia do Sul.
Outra matéria: brasileiras pagam mais imposto de renda do que brasileiros. Homens possuem maiores rendimentos isentos, e por isso pagam menos imposto de renda q as mulheres no Brasil. Ou seja: mulheres, além de trabalhar MAIS (pois trabalham fora de casa e fazem o serviço doméstico) e ganhar menos, ainda pagam mais impostos. Bacana, né? E ainda temos que ouvir o velho: feminismo pra quê?! Vocês já conquistaram tudo!
Sabe, esses dados todos não são fake news! Fake news é o que mascus fazem: inventam histórias pra poderem se fazer de pobres explorados do mundo. Cresçam e apareçam!
(Eu falo muito mais no vídeo. Vai lá!)

13 comentários:

Anônimo disse...

Nunca ouviu falar do Ohara? Que mentira deslavada. Ele sempre era postado em diversos chans, desde 2014. Em todos praticamente. Era um dos poucos youtubers que tinha passe livre. Você, como oldfag, sabe disso. Só quer fazer graça.

Lola Aronovich disse...

Troll, se eu disse q nunca ouvi falar é pq nunca ouvi falar, ora. Eu não minto. Mas, se eu mentisse, por que mentiria sobre isso? Nunca fui frequentadora de chans. Só lurkava o Dogolachan pra tirar prints das ameaças de morte, estupro, atentados etc. Isso de faz "oldfag"? Se falaram no Dogola sobre o cara, eu não prestei atenção. Não registrei. Ele deve ser tão memorável como tds os mascus.

Anônimo disse...

Lola, o que vc acha de Max Stirner?

Anônimo disse...

Até porque é a narrativa dela que é verdade inquestionável, já que é mulher.

Anônimo disse...

Cara, cê jura que tá preocupado com isso? Que diferença faz se a Lola conhecia o cara de antes ou só agora?

Lola Aronovich disse...

Ué, anon das 12:05, se eu digo que nunca tinha ouvido falar do cara, e vem um troll me chamar de mentirosa, isso faz diferença, sim. O troll tem todos uns delírios de que eu não sou apenas grande frequentadora de todos os chans, como grande comentarista também. A verdade é o que eu digo sempre, já que não minto: o único chan que lurkei (nunca comentei), entre 2014 e 2018, foi o Dogolachan. E como fiquei sabendo do chan? Porque o Marcelo, autor do chan, hj cumprindo pena de 41 anos, fez questão de me mandar o link várias vezes, pra que eu pudesse acompanhar as ameaças.

Lola Aronovich disse...

Mascutroll, não deve ser tão difícil descobrir se uma pessoa se formou em Medicina ou não. O que vc acha mais provável? Que um grupo de mascu channers anônimos na internet inventem toda uma história falsa pra atacar as mulheres (como eles fazem O TEMPO TODO) ou que uma das mulheres atacadas minta sobre sua própria vida depois de procurar a polícia e pagar advogado?

Anônimo disse...

Acho que você não entendeu meu ponto. Esses sujeitos só dialogam com suas próprias psicoses e com as vozes em suas cabeças. Pra qualquer pessoa minimamente razoável é óbvio que vc não mentiu sobre conhecê-lo de antes ou não já que isso não traz qualquer modificação relevante ara a história. Eu não sou das que acham que trolls tem que ser ignorados, mas também não acho que é possível argumentar com eles. Mas também sei lá. Se fosse eu, vai saber se eu não ficaria puta de ser chamada de mentirosa.

Dan disse...

Por crescer ouvindo histórias do tipo, assim como sofrendo abuso emocional, acabei nunca tendo relacionamento sério e hoje sou um fracassado, sem filhos nem mulher, tudo contra eu mesmo e as leis de Darwin,

Anônimo disse...

O Facebook está muito parecido com o Orkut como o YouTube também, lotado de perfis falsos, robôs, grupos fechados, mas estão certos da impunidade a imperar atualmente, afinal onde começou a formação do eleitorado do Mijair Merdias Bolsoshower? Foi tudo muito bem orquestrado não apenas pelo boca de putrefação cambalacheiro, mas pelos seguidores iniciais de ambos, muitos formados ou especialistas em tecnologia da informação, sabem da falta de caráter, desonestidade de ambos e da prole doentia do Mijair e do cambalacheiro, mas os apoia por sustentarem, oferecerem respaldo a desfechos violentos, perseguições, mas quando o resultado é a morte de alguém, vem a isenção de responsabilidade. Eu não me surpreendo, pois o embuste da falta de educação frequenta fóruns anônimos e tem relação íntima de amizade com channers. Estão a vontade com o atual desgoverno, inclusive o Silvio Koerich e o Doutrinador têm canais no YouTube.

Anônimo disse...

Em cidades próximas à minha, de conhecudis meus, conheço 2 casos de homens que deixaram a família pra trabalhar muito e sustentar essa familia, e a respectiva esposa mulher lhes presenteou com traições, amantes e etc. Um deles tinha ido pro Japao, enquanto era chifrado de todo jeito por aqui, e o outro foi pra Roraima, e quando voltou pra SP, ganhando a metade, pra viver com a família, foi descobrindo as "surpresas" que a esposa fez pra ele, nos 5 anos em que ficou fora. E isso acontece direto, é um caso após o outro...

titia disse...

Ou seja, mais mimimi de machinho mimado e covarde que quer ser tratado como príncipe mesmo não valendo um torrão de bosta.

Dan qual é o seu conceito de fracassado? Porque o que é bom para um não necessariamente é bom para outro. Para mulheres, por exemplo, o padrão de sucesso e´casar e ter filhos, mas eu odiaria ser esposa de um tosco e mãe. Gosto de ser livre, de sair pra onde quiser, quando quiser, não precisar me preocupar se o filho volta, com os gastos de material escolar, nem em chegar em casa na hora pra fazer a janta. E sou feliz sendo assim, "fracassada". Pense bem sobre isso, se você realmente está infeliz com o modo como sua vida é agora ou se é só pressão interiorizada pra se encaixar em padrões que não te fazem bem.

Anônimo disse...

16:21: "você, como oldfag, sabe disso". Frequento o dogola desde 2015 e nunca ninguém explicou quem era esse tal de "Ohara". Vocês colocam fotos dele e já começam a conversar como se todo mundo o conhecesse e provavelmente se alguém perguntar quem ele é ainda diram que é um "newfag". Tenho 5 anos de dogola e precisei vir ao blog da Lola para saber quem ele é.