sexta-feira, 15 de junho de 2018

NOSSAS HERMANAS ARGENTINAS CONQUISTAM VITÓRIA HISTÓRICA

Ontem foi sem dúvida uma data histórica para as mulheres da Argentina e de toda a América Latina.
Depois de muitas negociações, a Câmara de Deputados deu sinal verde ao projeto com o lema “educação sexual para decidir, métodos anticoncepcionais para não abortar e aborto legal para não morrer".
O placar foi apertado (129 votos a favor e 125 contra), mas não deixa de ser uma enorme vitória. A lei ainda precisa ser aprovada no Senado e depois sancionada por um presidente conservador. No entanto, o primeiro desafio foi vencido. As feministas acreditam que passará, e a Argentina será o quarto país da América Latina a legalizar o aborto (os outros são Cuba, Uruguai, Guiana Francesa e Cidade do México -- o resto do México não. Vale lembrar que justamente os dois continentes mais miseráveis do mundo, América Latina e África, são aqueles que mais criminalizam o aborto). 
A criminalização do aborto na Argentina vem de uma lei de quase um século atrás, de 1921, que promete prisão de 1 a 4 anos para a mulher que abortasse. No Brasil nosso Código Penal de 1940 (78 anos atrás) criminaliza o aborto, diz que uma mulher pode ser presa por até 3 anos, ou investigada por até 8 anos após realizar o aborto.
Desde 1983, ano que marca o fim da ditadura na Argentina, o projeto de lei pela descriminalização do aborto foi apresentado sete vezes no Congresso, mas nunca chegou a ser votado. Embora a Argentina tenha sido o primeiro país latino-americano a aprovar o casamento homossexual (em 2010), e a ter uma identidade de gênero 
(em 2012; a lei João Nery, de autoria de Jean Wyllys, tramita no nosso Congresso, o que permitiria aos brasileiros trans o nome e gênero que querem no documento de identidade), Cristina Kirchner era contra a legalização do aborto e, nos treze anos que o kirchnerismo esteve no poder, nunca propôs discutir o aborto (um deputado filho de Cristina votou pelo sim).
O presidente atual, Mauricio Macri, que com sua política neoliberal faz os índices de miséria e desemprego dispararem (ao ponto do país ter que voltar ao famigerado FMI), também é contra a legalização do aborto, mas afirmou que, se o legislativo aprovar o fim da criminalização, ele vai sancionar. 
Se o projeto for aprovado, médicos terão direito a se recusar a realizar aborto por questões de consciência, mas hospitais, não. Em outras palavras: se um médico de um hospital (público ou particular) não quiser praticar o procedimento, tudo bem, mas o hospital precisa ter médicos que o façam (o que não é exatamente um problema, já que a maior parte dos médicos é a favor da legalização). 
Na votação na Câmara, a esquerda foi unânime em favor da legalização (o único deputado socialista que anunciou que votaria pelo não teve que sair do partido), mas a direita se dividiu. 
Talvez o mais importante é que tudo isso trouxe um tema tabu, o aborto, à ordem do dia. Houve um amplo debate. 
Entre abril e maio, mais de 700 oradores a favor e contra o aborto legal falaram no Congresso. O ministro da Saúde, Adolfo Rubinstein, estimou que entre 350 mil e 450 mil mulheres abortam todos os anos na Argentina, e apontou que em todos os países em que o aborto é legalizado, os números caem. A escritora Claudia Piñeiro disse que os "pró-vida" não deveriam ficar com o monopólio da palavra "vida". 
Pra se ter noção do tamanho da conquista de ontem, dois meses atrás, quando o projeto recebeu o apoio de 72 deputados (e por causa disso entrou na agenda), sua aprovação era vista como impossível. Como me disse a jornalista Sofía Benavides (que me telefonou da Argentina para perguntar como a aprovação lá pode afetar os rumos daqui), o Congresso deles é tão conservador como o nosso, mas foram as mulheres na rua que fizeram toda a diferença.
Na Argentina as mulheres são 30% da Câmara, um número muito superior aos nossos pífios 10%, mas nem todas as mulheres votam a favor das mulheres. O consenso é que se não fosse a força das feministas e a mulherada na rua, o projeto não teria sido aprovado. 
O apoio das estudantes foi fundamental. Nas imagens, podemos ver muitas garotas jovens (assim como no Chile). Uma multidão ocupou praças por 23 horas, no meio de frio intenso, para acompanhar a votação na Câmara. Mulheres (e homens também) passaram a noite em frente ao Congresso, entoando gritos de guerra como "Aborto legal, en el hospital!", "Saquen sus doctrinas de nuestras vaginas / saquen sus rosarios de nuestros ovarios!” (tirem suas doutrinas de nossas vaginas, tirem seus rosários de nossos ovários) 
e “Y ya lo ve, y ya lo ve, es para el Papa que lo mira por TV" (é para o Papa que está vendo pela TV). 
Mas não foi só ontem. Antes disso, inspiradas por movimentos como o Ni Una a Menos (Nem uma a Menos), milhares de argentinas fizeram passeatas e marchas. Elas sabem que nosso corpo é um campo de batalha, o primeiro território a ser controlado. 
E aqui no Brasil? Bom, a gente certamente espera que a grande conquista das argentinas nos inspire, que tenhamos debates de verdade (não baseados em mentiras e meras crenças religiosas) sobre o aborto. Porém, com o congresso mais conservador de todos os tempos, é preciso lutar para que as eleições de outubro tragam um legislativo melhor, com mais mulheres, mais negrxs, mais representantes LGBT, mais esquerda. Do jeito que está, a bancada BBB (Bala, Boi e Bíblia) domina. 
Amei este cartaz de uma marcha em 5
de junho: "Nos querem como musas
porque nos temem como artistas"
E só pra dar uma ideia do atraso: em novembro do ano passado, 18 deputados (todos homens de direita), em comissão especial, aprovaram uma PEC que proíbe aborto em todas as situações. Há vários outros projetos no sentido de proibir o aborto em todos os casos (o que inclui gravidez em decorrência de estupro, risco de vida para a mulher, e fetos anencéfalos). Traduzindo: se depender desse Congresso, há mais chances de imitarmos Nicarágua e El Salvador (onde o aborto é criminalizado em todos os casos e mulheres são presas se tiverem aborto espontâneo) do que em legalizarmos, o que pode salvar milhares de mulheres de morrerem todos os anos em abortos clandestinos. 
Há iniciativas tímidas, sem a mesma força da turma do atraso. Jean Wyllys é autor de um projeto de lei em defesa da legalização do aborto, escrito em conjunto com mulheres do Psol. A vereadora Marielle Franco, executada há três meses, era autora do PL "Pra fazer valer", que pedia a garantia ao aborto legal e seguro nos casos em que o aborto é permitido. 
O Psol atua também na esfera jurídica. Junto à ANIS (Instituto de Bioética), protocolou uma Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) argumentando que a criminalização do aborto no Código Penal vai contra a Constituição Federal, pois desrespeita direitos fundamentais das mulheres. Em agosto haverá audiências públicas no Supremo para discutir isso. É mais fácil o judiciário avançar na descriminalização do que o legislativo. Mas o judiciário tem nos decepcionado imensamente nos últimos anos.
De todo modo, a lição que fica da Argentina é uma só: é preciso lutar. Tomar as ruas. Gritar. Exigir nossos direitos. Acabar com essa passividade que vem nos derrotando. 
Vejam os vídeos comoventes de quando o resultado foi anunciado na Argentina. Tentem não se emocionar. E imaginem a gente comemorando isso aqui. 

205 comentários:

1 – 200 de 205   Recentes›   Mais recentes»
Anônimo disse...

Parabéns hermanas, que se espalhe para toda a América do Sul.

titia disse...

É como eu já mencionei, nesse mundo só se anda pra frente. Os conservadores machistas sabem disso e estão apavorados, por isso o retrocesso, o esforço pra passar PECS com cavalos de Tróia, as campanhas pra que as mulheres voltem pra cozinha, a veneração a cuspidores de merda como Bolsonaro, a escrotice machista generalizada, os sites de ódio misógino. Eles sabem que estão perdidos, que é questão de tempo perderem o controle sobre os corpos das mulheres, os dedos apontarem pra eles como os verdadeiros errados da situação, eles serem vistos como os lixos humanos que são. Falta pouco pra que portar um pau, ter pouca melanina na pele, ser hétero e membro da religião cristã deixe de ser salvo-conduto pra tocar o puteiro na vida alheia e esses restos de placenta mal descartada tenham que agir como gente se quiserem ser tratados como tal. É questão de tempo.

E eles estão se cagando de medo.

Anônimo disse...

O Supremo iniciará em agosto audiências públicas para debater uma ação que pede a descriminalização do aborto. Enquanto isso, no Congresso Nacional, avançam propostas que visam restringir ainda mais a possibilidade de interrupção da gravidez. Por que esses dois Poderes parecem pensar e agir diferente quando o tema é aborto?

Anônimo disse...

Acho apenas que há uma falha na representatividade, pois, vejo apenas pessoas não abortadas tomando parte no debate.

Anônimo disse...

O aborto deve ser um direito fundamental da mulher.

Anônimo disse...

Espero que nunca vejamos aqui, como na Argentina, mulheres comemorando a legalização do assassinato de um filho! Não te contaram que inventaram métodos contraceptivos como camisinha, dio, ou simplesmente não transar? Preferem matar uma vida? Faço um desafio! Não mate a pequena vida! Tenha-a e olhe em seus olhinhos... se ainda assim rejeitar.. que encaminhe à adoção... pois muitos pais sonham em poder dar uma vida cheia de amor e carinho à uma criança adotada!

Felipe Roberto Martins disse...

Os tempos são outros. Amém. O mundo precisa evoluir - essencialmente - a América Latina.

Rodolfo abrantes disse...

Bom é uma pena que uma atrocidade dessa tenha passado no congresso argentino, mas é decisão deles e merece ser respeitado e cumprido.

O bom é saber que no nosso país jamais passara, e se um dia esse debate(a qual eu sou a favor) tomar conta da " agenda"como diz a blogueira, eu estarei na linha de frente contra as feministas abortistas. Lutarei até o fim, para que a vida prevaleça em detrimento a promiscuidade, o egoísmo e falta de caráter, porque não tem argumento que me faça mudar de ideia, muito menos mudar o que sinto por essas mulheres que abortam, nojo e desprezo.

* Lógico que isso não se aplica a casos já permitidos pela lei, por isso acredito que nossa legislação e a melhor , pois abrange os únicos casos na qual concordo com aborto.

Anônimo disse...

Que é isso? Quanto mascutroll, abriram a porta do hospício?
Será que o Brasil está se tornando um dos países mais atrasados da América Latina?

Anônimo disse...

Ninguém se importa com vc rodolfo, foda-se com teu nojo e desprezo.

Anônimo disse...

Esse monte de comentário lixo foi feito pelo mesmo pedaço de bosta inútil e desesperado? Hahahahahahaha chora mais, otário... pode espernear à vontade, toletão fedido putrefato. Daqui a pouco a Lola vai limpar toda essa imundície que você fez aqui se debatendo em desespero e sujando toda a caixa de comentários do blog com essa sua demonstração patética de demência e podridão, parasita. Ninguém dá a mínima pra você que é um merda.

Anônimo disse...

Lola, não permita tantos trolls, eles só fazem poluir o blog.

Anônima disse...

Gravidezes não desejadas objetivamente nunca precisariam acontecer. Não é um acidente, como esquecer suas chaves. Não é como pegar um resfriado. É realmente apenas homens não estarem dispostos a manterem seus paus para eles mesmos, e terem inteligência suficiente para contarem com mais do que apenas força bruta. Pois há também coerção, manipulação e muita muita propaganda mesmo. Eu poderia elaborar mais, mas não acho que seja necessário.

Anônimo disse...

Morre, mascu bosta! Apenas morre.

Se mata logo e acaba com essa sua vida de parasita miserável, sem valor e sem sentido.

Você sabe que é o melhor pra você e pra todo mundo, não prolongue mais esse tormento.

Anônimo disse...

Estou contigo, titia!!

Anônimo disse...

Ali embaixo tem um mascu chorão esperneando. Como pode ser tao patético?

Anônimo disse...

Um representa e é votado pelo povo (congresso) e outro é a ditadura do supremo no qual querem descer garganta abaixo o que a sociedade não aprova enquanto soltam corruptos e proíbem a condução coercitiva.

Anônimo disse...

16:41 então todas as mulheres terão direito ao aborto liberado e seguro se forem feministas? que maravilha! são dois coelhinhos alimentados de uma só vez, então, porque assim muito mais mulheres serão feministas! vocês mascus realmente querem que todas as mulheres sejam feministas, não é? eu sabia! não vivem sem as feministas, por isso que passam tanto tempo rondando, farejando atrás da feministas feito cães sarnentos sem dona desesperados por qualquer migalha de atenção com essa sua presença de poços de misoginia ambulantes... é tudo parte do plano de acelerar a conscientização da massa de mulheres pelo fato que vocês são todos piores que vermes, uns bostas completos de pura podridão que não valem a pena pra nada, uns lixos hospitalares radioativos que qualquer uma deveria se distanciar o máximo que ela puder o mais rapidamente possível.

muito que bem, continuem prestando esse serviço torto e ao reverso que é o máximo que vocês podem fazer, estão acelerando seu fim com sucesso. parabéns!

viva a conscientização e a libertação femininas! viva a vitória final das mulheres!

Anônimo disse...

Até a mais antifeminista das mulheres se tornará uma feminista num estalar de dedos para não ter um filho de um masculinista, de um macho escroto qualquer (pleonasmo).

Anônimo disse...

Certamente se esta fazendo um favor ao feto quando ele e abortado. Melhor nao nascer do que nascer pra ser mal cuidado.

Agora por mais que o aborto seja legalizado acho que cada uma deva pagar pela sua cirugia. Nao seria justo fazer com que o dinheiro de quem paga imposto seja usado pra isso. Descriminalizacao sim, incentivo nao.

Aninha disse...

Queria ter esse otimismo!

Aninha disse...

Bom, é cedo para falar nisso, mas será que se for aprovado lá será só pra argentinas ou para estrangeiras também? Porque se for liberado para qualquer uma, vai virar um "turismo" de chilenas, bolivianas, brasileiras... não que eu ache ruim ou errado, so curioso mesmo.

Anônimo disse...

a) Estou muito feliz pelas nossas manas argentinas agora chora mascus.

b) Na verdade estes pro vida sao pro parto porque apos o nascimento eles querem que a mulher e o filho se explodam vejo conservadores serem contra direitos sociais.

c) Agora vamos comemorar mais uma vitoria

Anônimo disse...

Sou masculinista e digo com muito orgulho que isso nunca vai acontecer. Nem no Brasil nem na Argentina.

Não adianta, meninas.. enquanto eu ainda viver, cada gota do meu suor será usada para defender as crianças... Se preciso for, eu entro dentro de uma JAULA CHEIA DE LEÕES para salvar uma única criança que seja. Mesmo que eu saia dessa jaula todo arranhado, mordido e destroçado.

Vocês não vão conseguir matar criança nenhuma, eu lhes garanto. Sempre que o país precisar de mim, cá estarei... A minha vida não é importante, não pensarei 2x antes de sacrificá-la em prol das nossas crianças.

Anônimo disse...

Educação sexual para escolher, contraceptivos para não engravidar, aborto para não morrer (a mulher). Qual foi a parte que você não entendeu.

Anônimo disse...

Que show de horrores, os mascus estão desesperados e descontrolados.
Esse mascu da jaula cheia de leões lembra os mascus da série the handmaid's tale.

Anônimo disse...

No Brasil o buraco é bem mais embaixo. Se nem Lula e Dilma conseguiram isso, agora que a esquerda caiu, só daqui a pelo menos 20 anos vai se pensar em algo assim no Brasil.

Anônimo disse...

Lola, quando fizer posts mais polêmicos como esse, é melhor a opção de moderar e ir aprovando aos poucos, se não isso aqui fica cheio de mascus trolls, tem um até fazendo ameaças.

Anônimo disse...

Se nem na era PT Lula/Dilma isso foi possível, imagine agora com a esquerda em baixa, ainda mais com esses políticos das bancadas mais conservadoras e reacionárias que infelizmente o próprio PT ajudou a instalar através das alianças políticas em nome da tal governabilidade.

Anônimo disse...

O lula está preso e não acho que vá ser liberado tão cedo, a coisa está a cada dia pior.

Anônimo disse...

17;08, os mascus tb não querem fazer vasectomia, deveriam.

Anônimo disse...

Esse projeto ainda precisa da aprovação no senado. Aqui no Brasil, nem assim tem chances.

Anônimo disse...

O Brasil é um país em que até os próprios progressistas são conservadores, em sua maioria. Agora imagine os conservadores...

Anônimo disse...

Não nos importamos nem um pouco com uma criatura asquerosa como você pensa sobre nós, Rodolfo. Recolha-se a sua insignificância. Nojo é o que sentimos por você desses o primeiro comentário aqui. Infelizmente temos que te te aguentar porque a Lola é paciente demais. Mas se quiser some daqui que você não faz falta.

Anônimo disse...

18:05 - kkkkk, q babaca, já há 200 mil abortos por ano no brasil, sua mula

vc não defende nem o seu avô imbecil de apanhar na esquina

se enxerga mascu retardado

Becx disse...

É o mesmo demente fazendo 200 comentários por post! Liga não, deixa chorar. Tem que se estudar uma mente dessas!é realmente impressionante como ele pensa!

Anônimo disse...

14:32 - ô sua anta paralítica necrosada

desde quando feto tem "representatividade"?

esse arjumento inclusive vale pra vc tb, sua mula

pois vejo apenas câncervas não-abortados (infelizmente) tomando parte no debate.

Anônimo disse...

é o q ocorre quando não se aborta fetos anencéteros enquanto há tempo... nascem, crescem e viram essas imundícies:

LIXOmens, étERROs e masCUs

Anônimo disse...

Nem todo petista/lulista é a favor da legalização do aborto no Brasil, vários são contra e acho que até deixariam de votar no PT se o partido insistir nisso. O PT tem eleitores conservadores em algumas questões, tanto que em 13 anos de PT, o aborto nunca chegou nem perto de ser descriminalizado. Os eleitores que mais apoiam são os de partidos como PSOL, PCdoB e outros similares.

Anônimo disse...

Parabéns pra Argentina.

Anônimo disse...

Se o senado argentino for de uma maioria conservadora, talvez nem passe.

Anônimo disse...

Não duvido que essas clínicas de aborto luxuosas sejam bastante cotadas por socialites e famosas.

Anônimo disse...

Toda grávida decide se dá a luz ou não

Essa escolha é indissociável à ela, não é nem mesmo um direito, é um processo biológico exclusivo de toda mulher

O único direito possível é fazer com q esse evento natural de opção automática e inevitável seja respeitado

A vida do embrião depende exclusivamente, insubstituivelmente e não-reciprocamente da vida materna, e é por isso q a mulher tem direito natural sobre a vida do feto (q carrega)

Mas se nós apenas observássemos o (óbvio e escancarado) fato de q TODA MULHER GRÁVIDA DELIBERA sobre sua gravidez, já daríamos conta disso

É natural, é biológico, é visível e é lógico

O q é ilógico é um bando de maxo inútil, no alto de suas arrogâncias, tolher o q é um acontecimento essencial da natureza

Anônimo disse...

Lola, o mascutroll 15:09 fez ameaças. Este blog está uma bagunça pior que de costume.

Anônimo disse...

Por favor se sacrifica agora. Se joga na frente de um carro. A humanidade agradece o seu sacrifício.

Anônimo disse...

As pessoas só nascem por causa da mulher

O nascimento é um domínio feminino há pelo menos 200 milhões de anos

Não gostaram? Reclamem com a senhora Natureza

Anônimo disse...

Não são esses mesmos sujeitinhos que vivem choramingando porque as mulheres fogem da feiura deles? Então, quem iria querer reproduzir com esses lixos? Ninguém!

Anônimo disse...

17:05 - mas quando os grandiosos miniXtros do çupremo agem arbitrariamente contra o pt, aí vc vibra, né, mascu babaca

Anônimo disse...

Olha eu não me importo de que minha amiga católica tenha feito aborto e não me conte nada... até prefiro, assim ela fica na clandestinidade e tem que gerenciar esse problema sozinha. E me tire dessa bagunça, afinal nem tenho nada a ver com isso.

O que não dá é deixar a mulher exercer sua sexualidade sem limites.

titia disse...

17:02 esse festival de mascus chiliquentos, inclusive o rodolfurher e o mascu que pula na jaula dos leões por um feto mas não pode andar duas quadras pra ir faxinar a sala de fisioterapia da AACD do bairro dele, é mais uma prova de que é questão de tempo o pedestal deles caírem.

Anônimo disse...

Desafio a me explicarem porquê não vejo revolta sobre os embriões descartados em clínicas de fertilização?! É um embrião, é uma vida! Esse pode descartar? Ahh, esqueci, é só sobre mulheres essa ira toda, né?

Anônimo disse...

O assunto aqui não é sobre clinicas de fertilização.
O assunto agora é sobre mães que assassinam os próprios filhos.
Deixe as clínicas em paz.

Anônimo disse...

O assassinato é considerado quando a criança está no corpo da mãe e isso não tem nada a ver com embriões congelados em tubos de ensaio.

Anônimo disse...

Ah entendi! Então pela sua lógica de jumento estaria tudo bem o 'assassinato' de embriões em clinica de fertilização afinal magicamente os embriões de clínicas de fertilização não são vida, mas os fetos no corpo da mãe passam a ser vida assim do nada. Hipócrita! Você não está preocupada com vida do embrião/feto coisa nenhuma. O que você quer é cruelmente punir a mulher por ter o poder de escolher ou você não passa de um jumenta de dois neurônios.

Anônimo disse...

Não é que não dá, idiota. É que elas exercem a sexualidade sem limites inclusive a tua miga catolica e a tua prima evangélica. Chora mais.

Anônimo disse...

Sobrou agora para os jumentos que não tem nada a ver com isso tudo, coitados.

Anônimo disse...

Vocês já tentaram controlar de todas as formas a sexualidade feminina e só fracassaram e continuar a fracassar pra todo o sempre. Elas vão continuar dando a xana pra quem tiverem vontade de dar, menos pra você porque por você ninguém sente tesão. E quando for preciso vão fazer o aborto, legal ou não.

Anônimo disse...

Como uma pessoa pode ser tão burra? O embrião é estágio da vida humana. Se tá ok o descarte de embrião logicamente está ok o aborto também.

Anônimo disse...

Nem sei porque esse estardalhaço todo, tanto dos mascus quanto das feministas. O aborto nem se quer foi legalizado ainda na Argentina, talvez nem seja. Quanto ao Brasil, menos ainda e nem contem com o PT pra isso.

Anônimo disse...

nao sei pq vc acha que eu estou revoltado ahahha... e elas podem sentir tesão à vontade, desde que depois paguem caro por isso, mais uma vez ahhahaha.. igual a mulher ali em cima que abortou 2x e acha que isso é vantagem! ahuuhauhahuauha

"genteeee que delicia! eu abortei 2x e o mpf não me pegou! como eu sou experta!" ahahhahahaha

adoro vcs, meninas! :)

Anônimo disse...

Aproveitar o tesão e não tomar precauções não tendo intenções de engravidar, é irresponsabilidade sim.

Anônimo disse...

Verdade não posso continuar xingando os jumento comparando-os aos mascus.

Anônimo disse...

babaca, mulher nenhuma pagou e nem pagará por nada, seu lixo imundo

e se a mulher acha "vantagem" ou não é problema dela, seu bosta mole

vc vai fazer o q? otário

mascu imbecil de merda, poço de ebola ambulante

ng liga pra sua opinião, seu encosto

Anônimo disse...

claro q a é vantagem

a mulher faz o q lhe é bom, caga e anda pra lei machista, e ainda não sofre um tipo de retaliação sequer

mais vantagem q isso só a sua morte, TROUXA

kkkkkkkk

Anônimo disse...

ahhahaha ela perdeu a paciencia de novo e agora voltaram os xingamentos contra mim! ahhaha, calma gente... eu não tenho culpa de nada, viu? Não fui eu que fiquei grávido.

Anônimo disse...

Também te adoramos, trollzinho. Chora mais. Elas não pagam caro. Elas abortam e continuaram abortando você goste disso ou nao. :)

Anônimo disse...

Assim como os búfalos tbm não tem culpa de terem seu nome e imagem apropriados por uma dessas facções de mascus.

Anônimo disse...

também já abortei

há dois anos, só que não foi em clínica, fiz sozinha tomando o "remedinho", rsrs

ooooooh juiz sérgio moro, vem cá botar um cadeado na minha buceta, kkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Eu já abortei fumando maconha, foi uma delícia!

Anônimo disse...

E as irresponsáveis vão continuar abortando. Você gostando ou não.

Anônimo disse...

eu vou pagar é uma agulha pra ser enfiada na sua uretra necrosada, mascu

Anônimo disse...

Agora são as feministas que estão trollando kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Fico imaginando aqui essas feministas quem nunca abortaram na vida querendo pagar de fodonas que fazem 1 aborto por ano ahahhaha.... Como se isso foi a coisa mais simples do mundo! kkkkk "peraí, vou ali fazer um abortinho e já volto pra papearmos mais! HHAHAAHAHAH

Meninas vcs são ótimas! Eu já disse que adolo vocês?

Anônimo disse...

"pagar" o quê? otário

eu vou pagar é um crackudo pra meter 30 bala no seu coco, é esse pagamento q vc quer? seu trouxa

Anônimo disse...

Como se alguém quisesse casar com um mascu, eles vivem sendo chutados e corneados.

Anônimo disse...

Eu não perdi minha paciência nenhum pouquinho tô calmissima aqui. A pessoa que xinga é outra. Lamento pelo seu engano.

Anônimo disse...

ai ministro luiz fux, vem me processar

me bota na cadeia gilmar mendes

tô aqui, "assassina" de bebês, com todo o prazer

Anônimo disse...

Abortei e não fui presa

peguem o marco infeliciânus e enfiem no cu

Anônimo disse...

vcs conhecem alguma mulher no brasil presa por aborto?

eu não

e olha q são mais de 200 mil abortos por ano no brasil

oooooooooh dalagnol, pq vc não me prendeu?

Anônimo disse...

Nem dá pra dizer ''se tudo der errado, eu caso com um mascu'', pois casar com esses lixos já é tudo errado, é o fim, a última decadência, é cavar o fundo de um poço sem mola e lá ficar.

Anônimo disse...

ABORTEI

E

NÃO

IREI

PARA

A

CADEIA

Anônimo disse...

No Brasil, a mulher que faz aborto é igual ao noia que só fuma os baseados, nenhum vai preso. Quem vai preso é o dono da clínica de aborto e/ou o médico que realiza o procedimento se forem flagrados e o traficante pego com um determinada quantidade de droga.

Anônimo disse...

"nenhum vai preso" - ÓTIMO

Anônimo disse...

Isso é fato!

Anônimo disse...

Sim nós também te adolamos. Não eu nunca abortei, mas se eu precisar vou abortar sim.

Anônimo disse...

Nenhum é 100%, mas é quase isso, o erro seria para poucos casos.

Anônimo disse...

parabéns argentina

Anônimo disse...

O aborto nem foi legalizado na Argentina.

Anônimo disse...

Sabemos disso e eu não acredito que sera, mas só ter sido descriminalizado no parlamento já foi a vitória da porra. E legalizando ou não as muié vão continuar abortando.

Anônimo disse...

Fico imaginando como seria o aborto na antiguidade até o início do séc xx. Deveria ser suicídio.

Anônimo disse...

Ervas indutoras de aborto.

Anônimo disse...

é tão inócua essas ~leis~ q criminalizam o aborto

a taxa (de aborto) é 4 vezes maior q a de homicídio e ainda assim absolutamente NENHUMA

N-E-N-H-U-M-A

das "assassinas" sequer são indiciadas

tem é q dar risada dos crentelhos cagando moral à toa, kkkkkk

Anônimo disse...

Não eram só ervas, muitas mulheres enfiavam coisas de metal cortantes, isso era muito pior. Coitadas!

Anônimo disse...

A lei em si que eu saiba, acho que só pune mesmo as clínicas e médicos ou pessoas que fazem o procedimento na mulher. Isso de punir a mulher é mais coisa de gente conservadora, fanática religiosa e falso-moralista.

Anônimo disse...

Tem um filme nacional dos anos 70, em plena ditadura militar chamado Pensionato de Mulheres, é meio no estilo pornochanchada. Tem uma personagem chamada Clara que veio do Sul para estudar em SP, ela engravida de um cara com quem ela saiu algumas vezes e vai procurar uma mulher que faz aborto, a personagem morre por causa das complicações do aborto e a mulher que realizou o aborto vai presa, é muito triste a cena da personagem morta no caixão. Eu entendi isso como se no filme, ela tivesse sido punida com a morte por ter ido abortar.

Anônimo disse...

Pra você ver. Quem quer fazer usa até metal cortante. Algumas ainda usam metal hoje. Não lei que impeça o aborto.

Anônimo disse...

Falando sério, ninguém vai fazer aborto rindo ou como se fosse arrancar unha encravada. Na maioria das vezes quando uma mulher decide fazer aborto é pq está muito desesperada e só ela sabe pelo que está passando, por isso não julgo, as pessoas gostam muito de julgar, mas ninguém quer estar no lugar de quem julga.Todo mundo tem teto de vidro, então cuidado tb para não tropeçar e escorregar do seu pedestal de juiz.

Anônimo disse...

"Fico imaginando aqui essas feministas quem nunca abortaram na vida querendo pagar de fodonas que fazem 1 aborto por ano ahahhaha.... "


Que besteira. Nunca abortei e espero nunca ter que abortar na vida. O que quero é se por algum motivo eu acabar engravidando quando eu não queria (estupro, falha em contraceptivo, ou o que porra ocorrer) ter o direito e o amparo legal ao controle do meu próprio corpo. Se escolheria abortar ou não, aí caberia a MIM decidir.

Anônimo disse...

Os mascus falam ''não faça sexo'', mas são os primeiros a pressionarem mulheres para fazer sexo, até incentivam as mulheres a consumir álcool para se aproveitar delas, fazem todo tipo de chantagem para as mulheres cederem pra eles e depois tiram o corpo fora e as acusam de vadias e assassinas. Nem todas as mulheres engravidam de bandidos e vagabundos, muitas vezes engravidam justamente de ''homens de bem'' hipócritas, mentirosos, racistas, que as vezes enganam duas ou mais mulheres ao mesmo tempo, fanáticos religiosos e falso-moralistas. Quando a amante engravida, eles apoiam o aborto na hora.

Anônimo disse...

Até no caso de estupro e riscos na gravidez, a mulher não é amparada e precisa provar o tempo todo que foi estuprada e levar vários relatórios médicos para convencer que precisa fazer o aborto. E ainda tem gente que aconselha mulher a ter filho de estuprador para depois entregar para a adoção e quando vai entregar querem convence-la a ficar com o filho do estuprador, sempre com aquela mesma conversa de ''a criança não tem culpa''. Até quando a mulher sofre um aborto natural, muitas vezes é acusada de ter tentado abortar. É terrível!

Anônimo disse...

é verdade

embriões em clínicas de reprodução assistida são "assassinados" sem ver a quem

isso pode

mas o mesmo tipo de "assassinato" quando ocorre dentro de um útero, aí não pode

o cuzil é um país extremamente HIPÓCRITA

Anônimo disse...

Um dos melhores comentários aqui.

Davy Lima disse...

Sabem porque os trolls lotaram o blog hj com spam de ódio?
É porque eles estão desesperados!!!
A lola tem mais é que excluir estes comentários mesmo que não agregam valor nenhum.
E parabéns garotas, a conquista de vcs irá salvar muitas vidas.

lola aronovich disse...

Desculpem pelos trolls, mas hoje estive no trabalho, longe da internet, das 14h às 22h. Era tempo demais pra deixar os comentários fechados (8 horas). Então achei melhor deixar os comentários abertos e apagar os trolls depois. Sei que normalmente é preciso ter moderação de comentários, e que posts sobre aborto atraem todo tipo de troll. Mas achei melhor correr esse risco do que deixar a caixa de comentários parada durante 8 horas.

Anônimo disse...

Acreditar que as pessoas nascem com uma identidade de gênero é que nem acreditar em religião. Estudo de identidades de gênero se aproximam bem mais de teologia do que da ciência. Proibição do aborto é uma opressão totalmente baseada no sexo biológico, e mesmo assim o povo dá um jeito de falar dessa merda atrasada de gênero. Aprovar aborto e casamento gay é progresso, agora, lei de merda queer/trans gender é regresso

Anônimo disse...

É aborto descriminalizado, mas tem gente que acha que é compulsório. Não, ninguém será obrigada a abortar.
Só o fato de descriminalizar já amplia o debate e impulsiona o planejamento familiar, a prevenção.
Enfim, cuidemos apenas dos nossos úteros - aquelxs que tiverem um.

Anônimo disse...

Que delirado e mentiroso esse mascu da jaula de leões kkkkkkkkk

Cadê ele salvando as criancinhas em vez de ficar bostejando em sites feministas?

Ele não salva nem a própria barriga da fome e precisa da mamãe pra trazer o leitinho com biscoitos, tranquilizar e impulsionar o ego de merda dele. Mas ele é um grande herói na imaginação dele, tão irracional, sem lógica e cheio de devaneios...

Esses caras não saem da infância nunca, são eternos moleques sujos, catarrentos e delirantes com a cara gorda e peluda e o corpo deformado e asqueroso de homem. A personalidade deles todos é a de pirralhos mimados, birrentos, mentirosos, covardes, delirados, traiçoeiros, odiosos, egocêntricos, egoístas... loucos por qualquer gratificação imediata que apele aos seus desejos plásticos e imaturos; desesperados por qualquer tapinha nas costas, qualquer afago na cabeça ou mesmo um reconhecimento negativo que seja, contanto que sirva para confortar, amaciar e alimentar o seu ego faminto, sedento, aflito, alucinado.

Anônimo disse...

Entendam: mascus têm INVEJA de abortos bem-sucedidos porque eles mesmos são os restos que sobraram de abortos naturais malsucedidos. Por isso que eles sonham em vão em impedir abortos, é uma tentativa patética e desesperada de sufocar a profunda inveja que eles sentem dos abortos que deram certo.

Mascus, trago aqui pra vocês uma solução muito fácil, prática e totalmente realizável por vocês mesmos que vai resolver esse problema e muitos outros que os afligem: COMETAM SUICÍDIO. Repetindo de uma forma melhor para os retardados que ainda não entenderam: SE MATEM.

De nada.

Anônimo disse...

"Enfim, cuidemos apenas dos nossos úteros - aquelxs que tiverem um."

Quem tem útero é mulher, somente pessoas do sexo feminino têm útero.

E essa língua do x ou da arroba, além de horrível, falha, ilegível em voz alta, também é completamente sem sentido e sem valor, pois nem é útil ou inclusiva de fato, dificulta a leitura e compreensão das pessoas disléxicas e das pessoas com deficiência visual.

Existem métodos alternativos muito mais eficientes em incluir as mulheres na linguagem e nos discursos em vez de usar o "masculino padrão", "universal", machista, ou em vez de camuflar muito mal esse machismo desse jeito horroroso, mentalmente preguiçoso, desleixado e completamente falho, colocando de forma indistinta e errática esses "x", "@", "e" ou sei lá mais o que, no final das palavras, por cima de "a" ou "o", que indicam as flexões de gênero.

Anônimo disse...

Um dia desses no facebook, um sujeito horroroso estava comentando que não queria que homens usassem anticoncepcionais masculinos pq isso teria muitos efeitos colaterais sobre a saúde e fertilidade do macho, mas daí, para os trogloditas como esse sujeito, as mulheres poderiam sofrer os efeitos colaterais a vontade e inclusive até prejudicar a sua fertilidade com os efeitos colaterais dos inúmeros anticoncepcionais que elas consomem durante anos. Tendo sempre a possibilidade de uma possível gravidez sendo carregada exclusivamente em suas costas e ainda de serem descartadas por esses brutamontes se não servirem mais de incubadoras para esses horrorosos. Que nojo desses trogloditas cínicos, egoístas e misóginos.

Anônimo disse...

Machos, uma solução bem simples para evitar abortos: se comam entre si e deixem as mulheres pra lá em paz, que tal?

Anônimo disse...

Não sei se as brasileiras irão para a Argentina abortar caso o aborto seja legalizado por lá, isso é comum no Uruguai? Desde que o aborto foi legalizado neste país, é comum brasileiras de classe média e outras hermanas irem para o Uruguai abortar com mais segurança?

Anônimo disse...

Muitos casos de mulheres que abortam são consequências de estupros que não "parecem" estupros, que são perpetuados pelos parceiros, dentro de uma relação estável... e em alguns desses casos, o parceiro NÃO QUER o filho, e tudo sobra pra mulher de qualquer modo.

Anônimo disse...

Se as mulheres realmente quisessem aborto legalizado no Brasil isso já teria acontecido. Mas não acontece porque primeiro, falta organização dos movimentos que ficam brigando aí se homem vestido de mulher pode entrar em banheiro feminino ou se ser branca ou preta valida ou não seu discurso pelas mulheres, segundo, gostando ou não nossa grande massa é conservadora (uns conservadores safados, convenhamos, porque entre 4 paredes cada um faz o que bem entende mas na hora de votar, na hora de agir em grupo, o lado conservador da sociedade é muito mais unido), terceiro que homens ainda são a maioria nas casas legislativas (sendo que ninguém impede de mulheres votarem em outras mulheres mas cadê?) e como boa parte deles tem afinidade com grupos religiosos, esse é o único "não passarão" que realmente vale ainda (o resto passou tudo, reparem). E se tivesse plebiscito, o povo decidiria contra também, já cansaram de fazer todo tipo de pesquisa a respeito. Não adianta espernear, fazer draminha ou chorar pitanga, o que precisa ser feito requer organização, estratégia e ação em bloco, 3 coisas que o movimento feminista, de tão fragmentado e beligerante entre as suas vertentes, não consegue fazer.

Tem muitos argumentos bons para a legalização do aborto, como o custo do procedimento por exemplo, que feito dentro da janela temporal correta sai bem mais em conta do que as milhares de curetagens que o SUS faz todos os anos e já pagamos por elas, acarretando em internações desnecessárias, ocupando leitos sem necessidade também já que o processo medicamentoso pode ser feito todo em casa, tal qual Portugal por exemplo. Agora, tem os argumentos ruins também, como o tal do "amontoado de células", possibilidade ou não de sofrimento fetal (dor) e o tal do meu corpo minhas regras que, como qualquer outro direito no ordenamento jurídico, nem de longe é um valor absoluto (nem a vida, em si, o é) gostemos ou não desta realidade no Direito. No fundo, o que vejo é um debate absolutamente fraco, com argumentos manjados e facções que se odeiam patinando numa lama sem fim, sem avanços, só um solavanco aqui ou ali. Pra isso mudar, a sociedade precisa mudar também e até a própria mentalidade do ativismo em torno da causa. Do contrário fica aí essa guerrinha, a opinião anti-aborto prevalecendo na prática e um monte de mulher morrendo ou em vias de morrer por coisas completamente evitáveis.

Anônimo disse...

Soube do caso de uma filha adolescente de um jogador rico e famoso que ficou grávida, e o pai a sugeriu viajar para a França para abortar lá com segurança e todo luxo. Agora imagina quantos casos de mulheres ricas e famosas daqui, que viajam para a Europa para abortar? E muitas delas são dessas celebridades midiáticas e popularescas idolatradas pelo público conservador, acima de qualquer suspeita, do tipo que vivem falando em ''deus e família'' em programas popularescos da TV aberta para esse público conservador. Por isso o Brasil é um dos países mais hipócritas do mundo, se não o mais.

Anônimo disse...

Se houver um plebiscito ou um referendo popular ou qualquer coisa do tipo, muitas mulheres votariam sim pela legalização do aborto, mas essa maioria mentiria p/ muita gente dizendo que votaram não, pode ter certeza.

Anônimo disse...

Olhem aí o comentário do mascu das 7:44, exemplo ao vivo das macacadas delirantes e birras ególatras deles, sempre tão desesperados por atenção, provando mais uma vez que nunca amadurecem, nunca evoluem e deixam o próprio umbiguismo imundo de lado por nada NUNCA. Que existência espúria, indigna, profundamente podre, repulsiva e desprezível.

Anônimo disse...

O gasto para o Estado é muito menor se o aborto for descriminalizado, em que as mulheres poderão abortar apenas com pílulas. Imagina o quanto de gastos públicos deixariam de ocorrer com essa mudança? Em vez de ficarem aumentando os impostos, é só descriminalizarem o aborto.

Anônimo disse...

aborto sim.

Anônimo disse...

descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação SIM

masculinismo NÃO

Anônimo disse...

A maioria das mulheres no fundo, sinceramente são sim a favor da legalização do aborto, pois só uma mulher sabe o que se passa com ela nesta situação, mas mentem que são contra pq tem medo de represálias, seja da sociedade, família ou até mesmo do namorado ou marido que posa de ''cidadão de bem''. Mesmo com camisinha, pílula, diu etc...quando dá merda, a bomba sempre estoura na mão da mulher. Muita mulher que diz que é contra a legalização já fez aborto e faria numa situação dessas. Tem mulheres que até escondem que já tomaram pílulas do dia seguinte com medo de serem chamadas de assassinas e vadias, agora imagine sobre o que é considerado oficialmente como o aborto em si? Muitas mulheres negam que já fizeram e dizem que são contra pensando nelas mesmas, mas votariam sim a favor da legalização, caso houvesse uma possibilidade de voto secreto.

Anônimo disse...

Eu seria uma dessas que votaria sim para a descriminalização e diria que votei não, me julguem.

Anônimo disse...

Soube uma conversa de uma parente que é machista, católica e conservadora e inclusive casou virgem, em que ela falou pra minha tia que fez um aborto quando estava grávida do 3º filho e não queria te-lo pq não tinha condições financeiras. E essa parente é do tipo que nunca defende a legalização do aborto.

Anônimo disse...

07:44 - você é demente

Anônimo disse...

meu corpo minha regra SIM

o q as pessoas precisam entender sobre o aborto é simples, mas nem a maior parte da militância ainda entende, pelo contrário, preferem ir pela lógica "sexo dos anjos": "questão de saúde pública", "estupro", etc.

é muito mais anterior do q isso

o aborto é um direito da mulher, pq ela, a mulher, DE TODAS AS FORMAS decide sobre a continuidade da gravidez, a gestação só depende da mulher; se ela, a gravidez, se concluiu ou não, foi por decisão da mulher (exceto, claro, nos casos de aborto espontâneo)

Toda mulher q dá a luz, o faz pq escolhe dar a luz, logo, é ridículo tentar proibir sua escolha de não fazê-lo, A MULHER DOMINA A GRAVIDEZ, e só ela

E por fim, pra q entendem logo de uma vez: A grávida tem direito natural sobre o feto q carrega, pois o embrião é INTEIRAMENTE dependente da mulher para sobreviver, INTEIRAMENTE. Se para viver, repetindo: VIVER, uma coisa é completamente, repetindo: COMPLETAMENTE, dependente de outra, isso significa q essa coisa é, naturalmente, submetida ao poder da outra, é uma coisa absolutamente LÓGICA

E é simplesmente por esses dois motivos profundamente materiais, lógicos e naturalistas q o aborto deve ser legalizado

1 - pq a mulher, de qualquer forma, é responsável pela sua gravidez
2 - pq ela tem direito natural e alienável sobre o embrião, as razões já foram descritas acima

Se todos soubessem disso, não seria necessário clicarem eternamente na tecla do "questão de saúde pública" - SEJAM MAIS INTELIGENTES

Anônimo disse...

Quanto custa um aborto? Falaram em tomar um remédio e ficar em casa, economizando leito em hospital. Se for assim, acho que muitas mulheres iam preferir até pegar dinheiro emprestado pra pagar em vez de sofrer 9 meses e ter que cuidar de um filho (geralmente sozinhas) a vida toda, ia ser um bem pro SUS.

Anônimo disse...

Esse post gerou mais trollagens agressivas e desesperadas de mascus que o post da Irlanda, talvez por se tratar de uma possibilidade maior da descriminalização ao ter sido aprovado pela câmara de deputados e encaminhado para o senado e tbm por se tratar de uma país vizinho ao Brasil. Espero que o aborto seja legalizado mesmo na Argentina, assim como foi no Uruguai.

Anônimo disse...

Esses mascus que são contra a legalização do aborto são os mesmos que discriminam as mães solteiras e que tb querem que até mesmo as mulheres casadas sejam sobrecarregadas na criação e cuidado dos filhos.

Anônimo disse...

Homens criaram leis idiotas, inventaram religiões, tudo, mas NUNCA conseguiram impedir as mulheres de fazerem aborto. Rasguem o cu com as unhas, mascus.

Anônimo disse...

Quanto ao custo, tipo de aborto, se é com algum tipo de pílula p/ tomar em ficar em casa ou em observação, acho que cada caso é um caso, depende do tempo de gravidez e situação da paciente. Acho que em alguns casos pode voltar logo p/ casa e repousar por 1 ou 2 dias no máximo, e outros casos, pode precisar ficar algumas horas em observação no hospital ou clínica, e tudo isso pode influenciar no custo do procedimento, acho que é preciso checar algo como aferir a pressão, etc... antes do procedimento p/ saber se a paciente pode ter alguma complicação.

Anônimo disse...

O que mais tem é mascu que namora e casa com ''princesa encantada cristã virginal interesseira'' ou então alguma ''loira bombada c* rosa interesseira'' que já fizeram abortos e o idiota nem faz ideia. Bem feito!

Anônimo disse...

O motivo pra se manter o aborto crime no Brasil não é econômico, é só a moralidade da nossa cultura que não tolera. Só que na ponta do lápis e falando do que interessa, que é dinheiro mesmo, essa proibição não se sustentaria.

Anônimo disse...

A falsa-moralidade, na verdade. A grande maioria desse povo metido a ''moralista'' são um bando de hipócritas.

Anônimo disse...

Sim.

Anônimo disse...

Há uma ideia a flutuar, quer na literatura feminista, quer na anti-feminista, segundo a qual as mulheres e os homens vivem numa relação de parasitismo, um parasitismo do homem sobre a mulher... que é, regra geral, a força, energia, inspiração e apoio psíquico das mulheres que mantém os homens em atividade, e não a força, agressão, espiritualidade e caça dos homens que mantêm as mulheres em atividade.

Por vezes diz-se que o parasitismo é contrário, que a mulher é a parasita. Mas só se consegue imaginar a aparência da mulher como parasita se se tiver uma visão muito estreita da vivência humana — historicamente provinciana, estreita em relação à classe e à raça, e limitada na concepção daquilo que são os bens necessários. Geralmente, o contributo da mulher para o seu bem estar material é e sempre foi substancial; em muitas épocas e lugares tem sido independentemente suficiente. Podemos e devemos distinguir entre uma dependência material parcial e contingente criada por uma certa economia de dinheiro e estrutura de classe, e a quase ubíqua dependência espiritual, emocional e material dos homens face às mulheres.

Presentemente, os homens providenciam, umas vezes sim outras vezes não, uma parcela do apoio material das mulheres, em circunstâncias aparentemente feitas para tornar difícil às mulheres o providenciar por si próprias. Mas as mulheres providenciam e geralmente têm providenciado aos homens a energia e o espírito necessários à vida; os homens são apoiados psiquicamente pelas mulheres. E isto é algo que os homens, ao que parece, não podem fazer por si próprios, nem parcialmente. O parasitismo dos homens face às mulheres é demonstrado pelo pânico, raiva e histeria gerados em tantos deles só de pensarem que vão ser abandonados pelas mulheres....

Se é verdade que um aspecto fundamental das relações entre os sexos é o parasitismo masculino, tal poderá ajudar a explicar por que é que certas questões são particularmente excitantes para os supremacistas patriarcais. Por exemplo, dadas as óbvias vantagens do aborto facilitado para o controle populacional e diminuição dos custos da segurança social, e para assegurar o acesso sexual dos homens às mulheres, é um pouco surpreendente que os supremacistas se lhe oponham tão inabalavelmente. Mas vejamos...

O feto vive parasiticamente. É um animal distinto que vive da vida (o sangue) de outra criatura animal. É incapaz de sobreviver por si próprio, de nutrição independente; é incapaz mesmo de simbiose. Se é verdade que os homens vivem parasiticamente das mulheres, parece razoável supor que muitos deles e daquelas que lhes são leais são de alguma forma sensíveis ao paralelo entre a sua situação e a do feto. Poderiam facilmente identificar-se com o feto. A mulher que se sente livre para ver o feto como um parasita poder-se-á sentir livre para ver o homem como parasita. A vontade da mulher em cortar a linha-de-vida a um parasita sugere uma vontade de cortar a linha-de-vida a outro parasita. A mulher que é capaz (legal, psicológica e fisicamente) de rejeitar um dos parasitas decisivamente, no seu próprio interesse, independentemente, é capaz de rejeitar, com a mesma decisão e independência, o fardo semelhante do outro parasita.

Aos olhos do outro parasita, a imagem do aborto inteiramente decidido pela mulher, sem sequer uma submissão ritual ao poder masculino do veto, é a imagem especular da morte....

Anônimo disse...



Há outros motivos que levam os supremacistas patriarcais a sentirem-se perturbados pelo aborto segundo a decisão da mulher, sendo um dos principais que tal se tornaria um modo significativo de controle das mulheres sobre a reprodução, e pelo menos visto de certos ângulos, parece que o progresso do patriarcado é o progresso em direção ao controle masculino da reprodução, começando com a propriedade de mulheres e continuando através da invenção da obstetrícia e a tecnologia de gestação extra-uterina. Desistir desse controle seria desistir do patriarcado. A histeria em torno do aborto explica-se em termos de um pressentimento muito imediato e pessoal de rejeição do útero-mulher.

Estou a discutir o aborto porque me parece ser o campo mais publicamente emocional e mais fisicamente dramático onde atualmente se joga o tema da separação e do parasitismo masculino. Mas há outros campos. Por exemplo, as mulheres que recentemente assumiram uma nova visão da sua realidade tendem a deixar casamentos e famílias, quer completamente através do divórcio, quer parcialmente, negando os seus serviços domésticos e sexuais. Muitas mulheres que estão a acordar tornam-se celibatárias ou lésbicas, e as outras tornam-se muito mais exigentes na escolha de quando, onde e em que relacionamentos terão sexo com homens. E os homens afetados por estas separações geralmente reagem com hostilidade defensiva, ansiedade, e culpabilização da mulher, para não falar quando descem ao nível de argumentos ilógicos que equivalem e excedem as suas próprias imagens fantasiosas da irracionalidade das mulheres. O meu argumento é que eles têm muito medo porque dependem em demasia dos bens que recebem das mulheres, e estas separações negam-lhes acesso a esses bens.

O parasitismo masculino significa que os homens têm de ter acesso às mulheres; é o Imperativo Patriarcal. Mas o dizer-não feminista é mais do que uma remoção (re-direção, re-colocação) substancial de bens e serviços porque o Acesso é uma das faces do Poder. A negação das mulheres ao acesso masculino às mulheres corta substancialmente uma série de benefícios, mas tem também a forma e o pleno portento do assumir do poder.

— Marilyn Frye (Algumas Reflexões sobre Separatismo e Poder)

Anônimo disse...

Entendi o texto e achei algumas partes interessantes. No meu caso não cheguei a me tornar celibatária, só que muito mais exigente no sentido de escolher quando, onde e em que tipo de relacionamento haverá sexo com homens, incluindo que tipo de homem e as circunstâncias, e como as boas opções são muito baixas, então acabo por levar fama de ''celibatária'', ''assexual'', ''freira'' e rótulos do tipo, e nem me importo mais com isso e com o que as pessoas pensam, incluindo essas mulheres viciadas e dependentes emocionais e sexuais de homens e que até colocam sua auto-estima sob a aprovação de homens. Muitas dessas mulheres que se acham ''liberais'' e/ou ''empoderadas'', não passam de joguetes do machismo recreativo, que é pura ilusão.

Anônimo disse...

Muitas mulheres sentem mais orgasmo se masturbando que tendo relações sexuais com homens. Mas a masturbação, principalmente a feminina ainda é um tabu até mesmo entre as mulheres que se acham tão ''liberais'' e tão ''empoderadas'' que saem com um homem diferente a cada semana. As vezes parece que continuamos em uma idade média disfarçada.

Anônimo disse...

As diferenças de poder manifestam-se sempre em acesso assimétrico. O presidente da república tem acesso a quase todos para qualquer coisa que possa querer deles, e quase ninguém tem acesso a ele. Os super-ricos têm acesso a quase todos; quase ninguém tem acesso a eles. Os recursos do empregado estão à disposição do patrão de uma forma que os recursos do patrão não são acessíveis ao empregado. O pai e a mãe têm incondicional acesso ao quarto da criança; a criança não tem esse acesso ao quarto dos pais. A criança não tem licença para mentir; o pai e a mãe têm a liberdade de excluir a criança com as mentiras que lhes apetecer. O escravo é incondicionalmente acessíveis ao senhor. O poder total é o acesso incondicional; a impotência total é ser incondicionalmente acessível. A criação e manipulação do poder constitui-se pela manipulação e controle do acesso.

Os grupos, encontros, projetos exclusivamente de mulheres parecem feitos para causar controvérsia e confrontos. Muitas mulheres ofendem-se com eles; muitas têm medo de ser aquela que anuncia a exclusão dos homens; é visto com um instrumento cuja utilização carece de muita justificação complicada. Penso que isto é porque a exclusão consciente e deliberada dos homens pelas mulheres, seja do que for, é insubordinação aberta, e gera nas mulheres um medo do castigo e da represália (medo frequentemente justificado). A nossa própria timidez e desejo de evitar confrontos geralmente impede-nos de ter muito a ver com grupo e encontros exclusivamente para mulheres....

O encontro para mulheres exclusivamente é um desafio fundamental à estrutura do poder. É sempre privilégio do senhor entrar na cabana do escravo. O escravo que resolve excluir o senhor da sua cabana está a declarar-se não-escravo. A exclusão dos homens do encontro de mulheres não só lhes retira certos benefícios (sem os quais poderiam sobreviver); é um controle pelo acesso, daí um assumir de poder. Não é apenas mesquinho, é arrogante.

Torna-se agora claro porque há sempre uma aura de negatividade em torno do separatismo — uma aura que ofende a Pollyanna em cada uma de nós e que soa a uma atitude puramente defensiva àquilo que há de teórica política que há em nós. É o seguinte:

Primeiro: quando aqueles que controlam o acesso nos tornaram totalmente acessíveis, o nosso primeiro ato de tomada de controle tem de ser a negação do acesso, ou tem de ter como um dos seus aspectos a negação do acesso. Isto não se dá porque estamos carregadas de negatividade (não-feminina ou politicamente incorreta); trata-se da lógica da situação. Quando começamos de uma posição de total acessibilidade tem de haver um aspecto de dizer-não, que é o princípio do controle, em cada ato ou estratégia efetiva, sendo os atos e as estratégias efetivos precisamente aqueles que deslocam o poder, isto é, atos e estratégias que envolvem a manipulação e o controle do acesso.

Segundo: quer digamos "não" ou não, ou negamos ou rejeitamos, nesta ou noutra ocasião, a capacidade de dizer "não" (efetivamente) é logicamente necessária ao controle. Quando estamos em controle do acesso a nós próprias haverá algum dizer-não, e quando estivermos mais acostumadas, quando for mais comum, uma parte vulgar da vida, não parecerá tão óbvio ou esforçado... não pareceremos a nós próprias ou aos outros como sendo particularmente negativas. Neste aspecto de nós próprias e das nossas vidas, parecermos aos nossos próprios olhos agradavelmente, como seres ativos com movimento próprio, com suficiente forma e estrutura, com suficiente integridade para gerar fricção. A nossa experiência de dizer-não será um aspecto da nossa experiência, da nossa definição.

Quando os nossos atos ou práticas feministas têm um aspecto de separação estamos a adquirir poder por meio do controle do acesso, e simultaneamente por meio da aquisição da definição. A escrava que exclui o senhor da sua cabana está por esse meio a declarar-se não-escrava. E a definição é uma outra face do poder.

— Marilyn Frye (Algumas Reflexões sobre Separatismo e Poder)

Anônimo disse...

"As vezes parece que continuamos em uma idade média disfarçada."

Também percebo isso.

Anônimo disse...

Se precisasse pagar já tava de bom tamanho, o direito precisa existir. Mas a mulher que aborta também paga impostos não é?

Anônimo disse...

Elas já exercem, você querendo ou não

Anônimo disse...

Sim.

Anônimo disse...

É na barriga da mãe que se desenvolve o feto, então é a mãe quem decide.

A opinião de um homem não vale perante a decisão da mulher. Caso ela quiser abortar, ela fará. Caso ela não quiser, assim será. Cada vez mais o Brasil dá passos a favor do aborto, seguindo o exemplo dos países de primeiro mundo. Com a crise, descriminalixar o aborto seria uma grande economia estatal, além de que quanto mais a população feminina se educar, mais vão ser a favor do aborto.

Anônimo disse...

No llores por mí Argentina

Anônimo disse...

O que os mascus não querem entender é que, se uma mulher quer abortar, ela vai abortar e se ela quiser, ninguém nunca irá saber.

Anônimo disse...

"Homens criaram leis idiotas, inventaram religiões, tudo, mas NUNCA conseguiram impedir as mulheres de fazerem aborto. Rasguem o cu com as unhas, mascus."

Isso aí!


************


E vocês homens com certeza conhecem alguém que fez ou vai fazer um aborto.

Talvez vocês já até saibam disso, por isso odeiam tanto as mulheres... porque nós sempre faremos nossas escolhas, mesmo que vocês continuem centrados no pau sem uso de vocês.

Anônimo disse...

Não fof@. Você tá enganada. Mascul não casa com ninguém porque ninguém quer dar pra eles. Princesas existem poucas no mundo. Encantadas só existe em cabeças sequelada, não no mundo real. Cristãs também não querem mascul. Virginal é algo que quase não existe, nem mesmo entre as cristãs que só fingem ser virginais pra enganar os idiotas. Interesseiras procuram homens com dinheiro. Loura bombada com cu rosa idem, além disso, geralmente só existem em filme pornô, não no mundo real. Então você tá muito enganada, mascul não transa com ninguém. Essa é a frustração da vida deles.

Anônimo disse...

Não viu as " ? Olha, ''princesa encantada'' estava assim, entre '', justamente pq não existem. Acho que vc não prestou atenção nessas partes das ".
Por mais que esses sujeitos sejam rejeitados, as vezes namoram e se casam, tanto que já levaram corno e fora de ex's. Quando isso acontece geralmente é com mulheres de baixa auto-estima, ou intere$$eiras quando eles posam de ''ricos'' e ostentam alguma coisa que pagaram em pelo menos umas 100 prestações.

Anônimo disse...

Mascus só transam quando vão em prostíbulos, eles passam o mês inteiro juntando a mesada pra isso, se não for assim, nem...

Anônimo disse...

Realmente muitas dessas mulheres metidas 'conservadoras' mentem bastante para esses misóginos, racistas, fanáticos religiosos, etc e acho bem feito pra eles, gente assim só atrai seus iguais e se merecem.

Anônimo disse...

Essas mulheres que são espancadas, estupradas e assassinadas em feminicídios pelos namorados, maridos e ex's por exemplo, esses homens são todos mascus, mesmo que não façam parte de nenhum grupo, eles são mascus.

Anônimo disse...

Aquela velha máxima: Antes só do que mal acompanhada vale em todas as situações, especialmente em se relacionar com homem.

Anônimo disse...

A verdade é que o aborto é uma questão meramente moral, vide os argumentos dos contrários. Praticamente todos defendem a maternidade como medida punitiva para a mulher que fez sexo sem proteção ou mesmo com proteção (mas no qual os métodos contraceptivos falharam). Não há preocupação com bebês (afinal, depois que o sujeito nasce e é juridicamente dotado de direitos, essa mesma turma faz de tudo para emperrar o bom desenvolvimento da criança sob a desculpa de "não sustentar vagabundo"), não existe preocupação com o homem que abandona o filho, não existe preocupação com início da vida (do contrário clinicas que armazenam embriões também seriam criticadas). A verdade é que eles acreditam que o aborto legalizado será a porta de entrada para que mulheres e homens possam fazer sexo a esmo sem a "consequência" do filho.

Anônimo disse...

Aborto legal pleno e a disposição e uma pauta feminista, mas mais feminista para mim neste momento histórico e para de se relacionar com homens.

Anônimo disse...

Eu acredito que o limite deveria ser ate a segurança para mulher no procedimento, e não somente ate 12° semana.

Anônimo disse...

Luta linda das argentinas...pelo direito de trepar sem consequências e matar sem remorso.
Muito amor feminista envolvido.

Anônimo disse...

Após o Uruguai ter legalizado, acredito que as chances serão grandes na Argentina.

Anônimo disse...

Estes textos de Marilyn Frye são muito bons.

Anônimo disse...

Não fique ressentida. Trepe muito também. Muitas mais muitas mulheres - e não, elas não eram feministas - já fizeram aborto. Se você trepar com o uso de contraceptivos dificilmente vai engravidar, mas pode acontecer um acidente. Então você pode recorrer ao aborto também se não estiver em condições de ser mãe. Veja o benefício também pode ser seu. É só viajar pra Argentina e fazer o aborto. Isso se você for mulher porque tá mais para um troll. Então para de ficar falando merda como um/uma idiota. E é claro que tem consequências para acidentes sexuais: aborto. Ah, lá continua ilegal e elas continuam fazendo aborto sem consequências nenhuma. =)

Anônimo disse...

Querer punir mulheres obrigando-as a ter um filho porque elas ousaram trepar. Muito amor conservador envolvido.

TIRA TUAS DOUTRINAS DAS NOSSAS VAGINAS!
TIRA TEUS ROSÁRIOS DOS NOSSOS OVÁRIOS!

Anônimo disse...

O que mais tem é mulher casada fazendo aborto por aí, as vezes com o conhecikento do marido e as vezes não, e elas nem trepam tanto assim, as que trepam muito e solteiras até que são bem mais precavidas.

Anônimo disse...

Tem muita brasileira que vai para o Uruguai abortar?

Anônimo disse...

Sim claro, e a relativização da barbárie mesmo. E querem ainda dizer que o coração de um filho batendo dentro da gente não e vida e uma coisa qualquer como um cravo ou uma espinha. A Biologia diz que avida de um novo ser único e com DNA próprio começa na concepção, mas a loucura ideológica diz assim; "Ate a 12° semana não e vida, dai com 12 semanas e 1 segundo vem uma fada madrinha e plift plaft plum...vida"
E ainda querem ensinar isto para nossos filhos em escolas e que nós fiquemos quietos, e muita canalhice. Vão verificar como e feita a violência contra a vida do aborto, nos estagio embrionário da vida humana (Que vocês insistem e desumanizar) e feito via queima química,com 11,12 semanas já formado e apicado uma injeção de potássio no coraçãozinho e depois desmembramento e coleta via instrumentos cirúrgicos.

Sexo deve ser praticado pro adultos conscientes e responsareis pois sexo gera vida, e se você não quer gerar vida se previna, se mesmo assim engravidar assuma as consequências pelos seus atos. Vida humana não e brinquedo ideológico.

Anônimo disse...

Os dois maiores calcanhares de Aquiles do feminismo chamam-se maternidade e heterossexualidade.

Anônimo disse...

18:39 - sua anta

feminista nenhuma diz q embrião não é vida

vc leu o comentário das 09:16? Pq ela explica pra vc direitinho

O feto é uma vida sim, mas é um vida exclusivamente, insubstituivelmente e não-reciprocamente dependente da vida de sua anfitriã

Portanto, seu direito à vida está sob custódia NATURAL da mulher q o hospeda

E pra concluir, sua mula, não importa nada do q vc falou, pois toda grávida tem q escolher se irá parir ou não, mais uma evidência de como a mulher tem absoluto domínio sobre sua gestação e o embrião

É como a natureza determinou, seu burro, pode espernear a vontade

leis anti-aborto são mais do q machistas, são anti-naturais

Anônimo disse...

Sua jumenta ou jumento de dois neurônios quando você vai entender que mulheres não fazem aborto por ideologia, imbecil? Já dissemos mil vezes que feto e embrião são vida desde a concepção e se é pra proibir o aborto deve-se proibir as clínicas de fertilização. Só um/uma imbecil sem capacidade mental não consegue entender isso. No entanto por está dentro da mãe só ela pode decidir se o feto vive ou morre. E é isso que elas estão fazendo. E nem a sua ideologia nem as leis estão impedindo nada. Porque quando elas querem elas fazem.

Anônimo disse...

Assassinos quando querem matar matam mesmo.E, vez de recriminar o assassinato vamos relativizar o assassinato. "Jênial"

Anônimo disse...

20:12 - não há nenhum "assassinato" fora a do seu cérebro, sua mula acéfala retardada

Anônimo disse...

Primeiro a criatura educada ai de cima diz que sim! há vida no embrião e feto humano. Depois a criatura diz que tirar tal vida não e assassinato.
Como se chamar tirar a vida de alguém vivo?peeling?
A coerência esta no mesmo nível de educação parece.

Anônimo disse...

assassinato é matar alguém q já nasceu, sua anta paralítica maldita

os laboratórios estão aí, "matando" embriões de proveta adoidado, e vc nem tchum, seu hipócrita porco, pq a sua preocupação não é com a "vida" de ng, seu lixo, é cagar regra em cima das mulheres

mas disso vc jamais será capaz

pq o direito à vida do feto está sob custódia NATURAL da mulher q o hospeda

E pra concluir, sua mula, não importa nada do q vc falou, pois toda grávida tem q escolher se irá parir ou não, mais uma evidência de como a mulher tem absoluto domínio sobre sua gestação e o embrião

É como a natureza determinou, seu burro, pode espernear a vontade

Anônimo disse...

Sim claro e perfeitamente natural usar de queima química e e esquartejamento via instrumentos mecânicos invasivos para matar nossas crias (SQN)

Anônimo disse...

mas vc é uma anta mesmo

o que é natural é o direito da mulher sobre o seu feto, sua ANTA

mas se vc mata as suas "crias" desse jeito o problema é seu, lamento muito por vc pelas suas "crias", sua anencefalia humana de quatro patas

Google disse...

Você quis dizer: "infanticídio".

Anônimo disse...

E agora o Kyo se matou. É muita notícia boa em sequência!!!

Zidane disse...

Bom, para quem acredita que a vida começa na concepção, é um momento triste para a Argentina.

Para quem não tem certeza e aceita a ideia de aborto, é brincar de roleta russa com a própria consciência.

Anônimo disse...

não interessa se a vida começa na ~cUnSsePçÃum~

o direito à vida do feto sempre estará sob custódia NATURAL da mulher q o hospeda

Anônimo disse...

Todas essas pessoas contra o aborto porque se dizem "contra o assassinato de uma vida" são veganas radicais praticantes e totalmente contrárias ao assassinato de qualquer animal não-humano? Se não forem não passam de hipócritas delirantes se fingindo de pessoas honradas, dignas e justas, sonhando que são "heróis da moral". Porque a vida de animais não-humanos também é vida, sabiam?

Anônimo disse...

E claro que não, somos canibais matamos nossa própria especie para comer dãããããh....

Anônimo disse...

Alfaces são vegetais vivos.

Anônimo disse...

22:07 - claro q não, seu burro

essa ocasião por acaso ocorreu por vias naturais e inatas? Não, então a minha vida não está sob "sua custódia", sua anta

E o adjetivo 'natural' é usado e reforçado para q mulas feito vc não digam coisas como essa

mas nem assim, a burrice é tanta q um merda feito vc ainda dá uma dessa, mas tudo bem, não tem importância, eu desenho pra vc se for necessário

Anônimo disse...

Acho muito engraçado esses bostas que vivem em uma civilização capitalista que destrói inúmeros ecossistemas e incontáveis números de vidas, uns merdas que defendem e apoiam esse tipo de sociedade terem a cara-de-pau de se proclamarem "defensores da vida" kkkkkkkkkkk Patéticos palhaços ridículos...

Anônimo disse...

Os hipócritas não querem aborto mas o único tipo de sexo que as pessoas podem e devem praticar, segundo o que eles mesmos dizem, é o sexo reprodutivo. TÁ SERTO!!!1!1!!1!onze

Anônimo disse...

Fiquei muito feliz pelas argentinas, vibrando mesmo. Mas lamento que quando ao descriminalização do aborto passar lá, será com o aval de um homem, o Macri. Um homem de direita.

A Cristina Kirchner poderia ter feito isso mas não fez assim como a Dilma poderia ter feito aqui e não fez.

Vergonhoso.


Fico pensando nas nossas opções de voto para as próximas eleições. A Marina é a mulher com mais chances de chegar a um 2ª turno e é também contra a descriminalização. Difícil.

Anônimo disse...

estive pensando, se em exames no pré natal forem detectadas anomalias genéticas no feto ( síndrome de down, má formação em algum ou mais membros, cegueira etc.) seria correto abortar? Afinal a família e esta criança vão sofre com estas condições não?

Anônimo disse...

Fico triste quando vejo as feministas xingarem tantos outras espécies de animais quando querem contestar os mascus, por mais que vcs não queiram, mascus são seres humanos sim, são um grande defeito de nossa espécie mesmo, mas são humanos. Então deixem os jumentos, as mulas, as antas e os burros em paz.

titia disse...

Lola, quando fizer a faxina nessa caixa de comentários, por favor não apague o das 19:53. Foi nesse comentário que o mascu FINALMENTE admitiu que ele e sua corja estão cagando e andando pra vida, pras crianças e pra tudo mais, e só querem mesmo punir a mulher por fazer sexo. Vou dar print e colar na caixa de comentários cada vez que um pró-morte-pra-vadia-que-transa, inclusive o mascu dos leões, vier aqui com mimimi "Ai suas vadias irresponsáveis assassinas de bebês, A VIDINHA! A VIDINHA!". Só pra sacanear a mascuzada, aliás, vou copiar o comentário do puto aqui mesmo:

Anônimo disse...
Olha eu não me importo de que minha amiga católica tenha feito aborto e não me conte nada... até prefiro, assim ela fica na clandestinidade e tem que gerenciar esse problema sozinha. E me tire dessa bagunça, afinal nem tenho nada a ver com isso.

O que não dá é deixar a mulher exercer sua sexualidade sem limites.

15 de junho de 2018 19:53


Se afundem em lágrimas, mascus, machistas, moralistas e pró-morte-pra-vadia-que-transa. Seu companheiro acabou de desmascarar vocês oficialmente pra todo mundo ver.

Anônimo disse...

Neste caso também acho que cabe a mãe decidir se pode lidar com isso ou não

Anônimo disse...

Ainda assim, prefiro a Marina ao Bolsonaro. É nao porta que seja um homem de direita. O que importa é a aprovação. Uma coisa que pouca gente sabe é que Margareth Thatcher uma mulher conservadora que disse odiar o feminismo , embora ela na verdade fosse bastante feminista,
votou a favor do aborto. Devo ignorar essa condição só porque ela era uma feminista com uma posição política diferente da minha?

Anônimo disse...

Jenia de dois neurônios. Entenda uma coisinha: as mulheres vão continuar abortando quando quiserem fazer isso independente do seu julgamento e sua ideologia. Vai cuidar da sua vida e deixa a vagina e o útero dos outros em paz.

Anônimo disse...

Não seja idiota! Jenia de dois neurônios. Só pode existir assassinato de alguém que já nasceu. Se não nasceu é aborto porque o feto não sobrevive fora do útero materno. Seus dois neurônios conseguem entender isso ou tá difícil?

Anônimo disse...

É claro que a vida começa na concepção imbecil. Só um anencéfalo tem dúvida sobre isso.

Anônimo disse...

Daaaaah é o ué dizemos com mulas sem inteligencia como você.

titia disse...

Sim, seria, 04:07, porque ter um filho com necessidades especiais e não estar preparado para cuidar dele resultaria apenas em uma vida difícil e dolorosa pra todo mundo, e quem mais sofreria seria o portador da anomalia. Além da falta de preparo ou incapacidade dos pais (algumas pessoas simplesmente não são cuidadoras, e isso é absolutamente normal), do desprezo da família e do isolamento, a sociedade não aceita essas pessoas, esconde-as debaixo do tapete, empurram-nas para um canto escuro e deixam lá na esperança de que elas sumam e não atrapalhem o funcionamento 'perfeito' dos sistemas. E os que mais esperneiam que isso seria eugenia são justamente os que reclamam de gastarem o dinheiro dos impostos deles dando "privilégios" pra "retardado", ou que nem mesmo admitem ter um portador de necessidades especiais na família, que mais fingem que essas pessoas não existem. Então sim, se a mãe/pai não se sente capaz de cuidar do futuro filho com necessidades especiais, deve sim poder abortar, porque a outra opção é muito pior.

Aparecido Rosario disse...

Lola, esse monte de comentários idiotas vem de anônimos que não são machos o bastante para se mostrarem. É só desativar a opção, assim essa poluição conservadorista acaba ou pelo menos diminui.

Zidane disse...

Natural ou não, a 'custódia' leva a uma responsabilidade. Essa responsabilidade é preservar a vida.

Anônimo disse...

Olha, se nem a mãe te quer é melhor não nascer . Depois que nasce todas as pessoas/ instituições que ficam gritando contra o aborto deixam a criança pra lá, aos cuidados de ninguém. Então ninguém tem que se meter nas decisões das mulheres, simples assim.

Anônimo disse...

Falou e disse. Apenas.

Anônimo disse...

"Essa responsabilidade é preservar a vida."

Realizar um aborto seguro muitas vezes é uma maneira da mulher preservar a própria vida.

Anônimo disse...

Mesmo pra adoção ou orfanato que eu saiba há um limite de 18 anos. E depois como eles ficam?

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 205   Recentes› Mais recentes»