terça-feira, 21 de março de 2017

MENININHA INDOMÁVEL ENFRENTA TOURO

Ok, de cara quero dizer que este post não tem a menor importância, principalmente se consideramos que estão querendo aprovar a terceirização (você conhece algum trabalhador que defende a terceirização? Eu nunca conheci!), o fim da aposentadoria e de direitos trabalhistas. Aliás, por favor, se alguém quiser escrever guest posts sobre esses temas, é só mandar que eu publico.
Mas a história das estátuas em Wall Street é muito interessante. Quase todo mundo conhece a icônica estátua do touro na frente da bolsa de valores. É uma estátua incrível (vamos admitir), e a segunda mais visitada pelos turistas em Nova York (eu também posei ao lado do touro quando estive em NY em 2008, mas não faço a menor ideia onde o maridão arquiva as fotos). 
Só perde pra Estátua da Liberdade. Eu pensava que o touro estivesse fincado lá há muitas décadas, mas não, é relativamente recente. 
Foi um presente do escultor italiano Arturo Di Modica. Dez dias antes do Natal de 1989 (e dois anos depois de uma das piores quedas financeiras da história), ele deixou a estátua de bronze de 3 toneladas e meia lá, no meio da madrugada. 
Custou 350 mil dólares do seu próprio bolso. Os executivos da Bolsa não acharam tão bacana, e contrataram um caminhão para levar a estátua pra um outro bairro, Queens. Só depois de uma campanha é que a administração da cidade encontrou um lugar pra ela próximo à Bolsa. 
E Di Modica, que já era rico (afinal, você teria 350 mil dólares pra moldar uma estátua e dá-la de presente pra Bolsa? O italiano já tinha um estúdio em Manhattan e uma Ferrari na época), ficou mais rico ainda, reproduzindo sua criação para várias outras cidades e comercializando miniaturas.
É inacreditável o número de pessoas que posam tocando nas bolas do touro
Este ano, na véspera do Dia Internacional da Mulher, Wall Street amanheceu com outra surpresa: a estátua de uma menina corajosa encarando o touro. A estátua da "Fearless Girl" (Garota Destemida) foi automaticamente aprovada por quase todos que viram as fotos. É uma imagem realmente brilhante -- uma menina enfrenta um touro furioso, símbolo do capitalismo. 
Na verdade a imagem (sempre cheia
de turistas) deve estar mais assim
Infelizmente, a estátua da menina, esculpida por Kristen Visbal, também faz parte de uma ação capitalista. É uma campanha publicitária de uma grande empresa de investimentos sediada em Boston. A intenção, claro, é boa: chamar a atenção para a desiguldade de gênero no mundo dos negócios. Nos pés da estátua, uma plaquinha diz: "Conheça o poder das mulheres na liderança. Elas fazem a diferença". A menina tem permissão pra ficar até o dia 2 de abril. Depois disso, vai depender da vontade popular (que, pelo jeito, quer que ela se mantenha lá, firme). 
O escultor do touro não gostou. Pra ele, ter uma garota desafiando sua criação faz do touro um vilão, e não o que ele tinha pensado originalmente (prosperidade e força da América). 
Ele não é o único a não gostar da estátua da menininha. Uma colunista do site mais à esquerda Slate escreveu (minha tradução): 
"A menina supostamente está encarando destemidamente o touro, mas ninguém precisa ser um matador profissional para saber que numa competição entre um touro gigante e um ser humano minúsculo, o touro vai ganhar. (E por que ela está contra o touro, se ele representa capitalismo e sucesso?). 'Vamos só mandar essa menina lutar contra um touro e ver o que acontece' é o que as figuras de Wall Street chamam de investimento de alto risco. Encarar um touro quando você é uma menina de 38 quilos no ensino fundamental não é corajoso; representa um fracasso sistemático da sociedade. Dê a essa menina recursos para combater o touro em vez de mandá-la lá sozinha: uma capa vermelha, um time de assistentes com noções de combate a touros, autonomia corporal e uma chance de salário igual. Caso contrário, o touro vai esmagá-la todas as vezes". 
Um colunista de outro veículo disse o óbvio -- que uma estátua não é suficiente pra acabar com a desigualdade de gênero, e mesmo que todos os líderes homens fossem substituídos por líderes mulheres, a opressão capitalista não iria acabar. E completou: "A imagem de uma criança prestes a ser destruída por uma criatura gigante e descontrolada, que ninguém pode domar, é uma imagem mais verdadeira da relação de Wall Street com o resto de nós do que qualquer outra". 
Tem razão, mas eu gostei do simbolismo. E, pelo menos no meu mundo idealista, eu ainda apostaria na menininha. 

16 comentários:

Anônimo disse...

http://www.huffpostbrasil.com/entry/man-humps-fearless-girl-statue_us_58c4a268e4b0d1078ca72c93

Mas ninguém precisa de feminismo, não.

Anônimo disse...

amo metrópoles cosmopolitas <3

alícia

Anônimo disse...

aff, q colunista chata essa do slate, problematizando da forma mais cínica possível

é só uma brincadeira gente, será q ninguém nunca ouviu falar de surrealismo?

Anônimo disse...

Tenho que informar que há lugares onde a opressão capitalista foi abolida há décadas: Cuba e Coréia do Norte.

Só não entendo por que ninguém quer ir pra lá. Esse povo deve gostar de opressão.

Anônimo disse...

Feminismo, polititicamente correto, inversão de valores, etc... Tudo isso andam de mãos dadas. Por isso o fracasso atual da sociedade "moderna". Vcs são culpadas SIM das merdas que acontecem no mundo e deveriam estar presas.

Anônimo disse...

Engraçado que se fosse a estátua de uma mulher pelada a choradeira seria nula, né non? Mas como a representação de uma criança do sexo feminino corajosa e bem vestida não serve ao interesse dos machos, bora chorar.....

Mas essa palhaçada aí é só na internet. Eu vi ao vivo, tirei foto, um monte de gente estava tirando também e só escutei comentários positivos. A vdd é que todo mundo adorou essa estátua e existe um grande clamor pra ela continuar ali em caráter permanente, menos os babacões de sempre. Uma estátua pequena e poderosa de uma menina idem que conseguiu tirar atenção daquele touro medonho que ninguém pediu pra ser feito (e por isso que o artista ficou se doendo, certamente).

Rafael Cherem disse...

Se fosse no Brasil o Nando Moura ia estar histérico no youtube, o Tio Rei já teria escrito 50 artigos, o Rodrigo Constantino teria infartado (se é que não infartou) a Lola seria ameaçada pelo mascus (mais uma vez)...É o país dos xiliques.

A mãe dos gato tudo disse...

Sinto muita vergonha alheia das pessoas que interpretam a obra de arte de maneira tão rasa.
O filme Sucker Punch (considerado um filme ruim pelos BURROS), tem justamente monstrengos de mais de 3 metros de altura lutando contra uma menina de 1,60m. E ela vence, seja pela estratégia, pela habilidade, ou pela arte mesmo que não tem limites.

Não sei qual a dificuldade disso. Alguém aqui citou até o surrealismo, mas nem é preciso ir tão longe. Pode representar mil coisas: o oprimido se opondo ao opressor, seja em questão de gênero, classe social, raça; pode representar a nova geração se impondo contra o velho método educacional, posição política...

Mas não, é tão bom andar com antolhos. E a preguiça de enxergar além das aparências?

Anônimo disse...

Claramente percebe-se a dificuldade, que vocês feministas tem, para definir o que seria machismo afinal. Pode-se estar tentando combater algo que não existe por si só. Tenta-se caracterizar machismo como um ato violento perpetrado contra alguém do sexo feminino, a guisa de exemplo. Ora! Isso não é machismo, é um ato atentatório à integridade física e tipificado no Código Penal Brasileiro e pronto! Não tem que criar neologismos para caracterizar algo que já esta definido, como acontece no caso de "bullyng". Coloca-se uma desgraça de uma expressão em inglês para se referir a uma mesmíssima merda. O post revela bem isso ao transparecer que o machismo seria um subproduto do capitalismo. Neste diapasão, já não é mais o machismo a ser combatido e sim o capitalismo. Definitivamente, o movimento feminista está mais perdido que que cachorro em dia de mudança!

Anônimo disse...

07:51
Só um recado mano: estamos aí, viemos pra ficar, foder com a porra toda do machismo, patriarcado e todas as merdas que vocês nos empurraram goela abaixo há milênios. E vamos cada vez mais "abrir" os olhos de todas as mulheres porque não é uma questão de convencimento, mas sim de esclarecimento.. e vai ser grande, vai ser épico. Reserve seu lugar, enquanto você AINDA TEM LUGAR... e outra não vai ser televisionado, e não vai "passar" na rede BOSTA de televisão, MAS VAI ACONTECER.. Já começou..
Nós somos maioria, somos mais fortes, naturalmente mais preparadas para a evolução, biológica, inclusive!
Então, aqui e em breve nos lugares mais improváveis possíveis, estaremos também, porque muito breve o mundo eu não sei, mas as mulheres serão, TODAS FEMINISTAS!!
Agora vá se fuder!!

de nada!!

FERNANDA B.

lola aronovich disse...

Ainda bem que vc está aqui para nos orientar, anon das 12:16... Senão, o que seria do nosso movimento revolucionário de 150 anos e uma sólida produção acadêmica?

Anônimo disse...

eu achei essa obra particularmente engraçada

primeiro pq é uma garotinha franzina numa posição imponente contrastando um touro enorme e segundo pq além de tudo, ele se contorce na presença da menina, como se (o bovino bruta-montes) estivesse pensando: "poxa vida, tô lascado"

kkkkkkkk

obs: não tô criticando, eu adorei, achei bem surrealista como já disseram aí

titia disse...

Claro, 07:51, claro. Porque sociedade boa é aquela em que o hominho pode espancar a esposa porque o jantar queimou ou ela esqueceu de passar a cueca preferida dele, estupra-la quando ela não quer sexo, molestar os filhos e tudo ser abafado pra "não envergonhar a família". Bons valores são matar os viados na rua, estuprar as sapatas pra elas aprenderem a gostar de homem e as vadias porque, afinal, elas não "se dão o respeito" e merecem, encher a cara pra provar que é macho e depois sair dirigindo, resolver desentendimento no trânsito com tiro e facada. Boa sociedade é aquela em que um velho de 50 anos força uma menina de 16 a se casar e a estupra. Aquela em que um sujeito leva o filho de 14 anos pra ser estuprado num bordel a fim de que não "vire bicha". Aquela em que um babaca passa AIDS pra esposa porque não quis usar camisinha. Aquela em que o covarde abandona a mulher com um filho e comete até fraude pra não precisar pagar um terço do salário pra criança não morrer de fome.

Por que você não enrola e uma toalha no pescoço e pula do décimo andar?

André disse...

Quanto o comentário do 12:16 tem que melhorar para conseguir ser, pelo menos, imbecil?

Anônimo disse...

Ai, ai, esse feminismo contentão por estar na esfera de consumo (sim, Alicia, estou olhando para você) cansa...

Anônimo disse...

quando vi essa estátua tinha um moooooooooooooonte de mulher tirando foto, meninas imitando a pose o chifrudão lá ficou bem apagadinho kkkkkkk ninguém dando bola, foi quase um flashmob feminista involuntário, espero que mantenham a obra (é temporário, teoricamente)