segunda-feira, 6 de março de 2017

COMUNICAÇÃO DO SENADO PROÍBE USO DO TERMO "FEMINISMO"

Fiquei sabendo hoje, em off (não posso divulgar a fonte porque a pessoa poderia ser processada) que a palavra "feminismo" foi proibida nas mídias sociais do senado.
A diretora da Secom (Secretaria de Comunicação do Senado) passou a determinação pro novo chefe, que a repassou para a equipe. A peça acima, da ativista Malala Yousafzai, ganhadora do prêmio Nobel da Paz,  mundialmente conhecida, foi usada como exemplo do que não pode mais ser divulgado.
A alegação foi que o Senado "não pode obrigar ninguém a ser feminista".
A equipe da Secom estava preparando um post sobre o Dia Internacional da Mulher (depois de amanhã, 8 de março) quando recebeu esta informação. Ou seja, terá que falar de uma data internacional de luta das mulheres sem poder citar o movimento feminista. 
É um absurdo esta proibição, já que a Secom presta um serviço público. São 2,7 milhões de assinantes no Facebook e 500 mil no Twitter. A palavra "feminismo" foi excluída como se fosse um palavrão. 
Um artigo do ano passado publicado na Folha de S. Paulo, assinado pela diretora da Secom, dizia: "A comunicação do Senado reúne veículos de distribuição de informação primária e oficial. Não há disputa por audiência com a mídia privada. Ao contrário. Parte do nosso trabalho é alimentar os jornais, portais e emissoras de rádio e televisão, que escolhem livremente o que e como desejam divulgar". 
Pois bem, decidiu-se (quem decidiu? Por quê?) que essa "alimentação" não pode incluir a palavra "feminismo" ou "feminista". 
Não tenho confirmação se esta proibição se estende até a TV Senado, ou fica "apenas" nas mídias sociais. Mas é mais um exemplo do retrocesso que vivemos. 

UPDATE em 7/3: A assessoria de imprensa do Senado Federal me mandou um email hoje, que publico na íntegra:

Prezada Professora Dolores Aronovich Aguero,
Em relação ao post “Comunicação do Senado proíbe uso do termo ‘feminismo’”, publicado no seu Blog Escreva Lola Escreva, em 6 de março, o Senado Federal tem a esclarecer o seguinte:
Ao contrário do que o Blog afirma, não há proibição à referência sobre feminismo nas redes sociais e veículos de comunicação do Senado Federal. A questão dos direitos e interesses das mulheres, conceitos basilares do movimento feminista, é pauta recorrente em diversos conteúdos produzidos pela Secretaria de Comunicação, repercutindo o trabalho institucional e parlamentar realizado nesse campo. 
São inúmeras matérias sobre o tema veiculadas na TV Senado, na Rádio Senado, no Portal de Notícias e no Jornal do Senado, assim como os posts publicados na página do Senado no Facebook e em seu perfil no Twitter (ver anexos) [publico alguns aqui para ilustrar a nota. Foram enviados sete, entre os quais apenas um tinha a palavra "feminista"].
A defesa da mulher é, inclusive, um valor caro à Secretaria de Comunicação do Senado Federal, que tem trabalhado intensamente em parceria com o Observatório da Mulher e com a Procuradoria da Mulher do Senado, no desenvolvimento de uma pauta afirmativa nesse campo.
Assim a Secretaria de Comunicação reafirma a isenção como uma das principais marcas de seu trabalho realizado no Senado Federal, uma vez que não cabe aos veículos de comunicação da Casa assumirem campanhas ou bandeiras ideológicas, mas sobretudo levar à sociedade as discussões e decisões tomadas pelos senadores, representantes legítimos da população que os elegeu.
Atenciosamente,
Secretaria de Comunicação Social
Senado Federal


Minha observação: Mantenho o que minha fonte disse: houve uma comunicação para que o termo "feminismo" não fosse mais usado nas mídias sociais do Senado, e a peça com Malala foi dada como exemplo. Espero que este episódio, que teve enorme repercussão, impeça a Comunicação do Senado de censurar o termo feminismo. A Secom sempre fez várias publicações sobre os direitos das mulheres, mas agora, sob o argumento de que elas seriam "militância", havia uma intenção de disassociá-las com o movimento feminista. Vamos ver como a Secom se comporta nas suas próximas publicações.

90 comentários:

Bruno Seixas disse...

Lola, sou seu fâ, mas tenho que admitir que essa notícia tem cheiro fortíssimo de fake. Além de você arranjar uma justificativa até que plausível pra não dizer a fonte, NÃO ENCONTREI ESSA NOTÍCIA EM LUGAR NENHUM.
OBS: Me mostre um portal que publicou a notícia(G1,UOL, Etc.).Se o fizer, reconsiderarei.

Anônimo disse...

Caramba, Lola! Vivemos tempos sombrios mesmo, é muito triste enxergar esse retrocesso. Às vezes bate um desânimo de não saber exatamente o que fazer

Anônimo disse...

Essa é uma acusação muito grave que deveria ser embasada por provas materiais.

lola aronovich disse...

Ué, de onde vc acha que veio, Bruno? De gente que trabalha na Secom. Que ouviu essa ordem. Gente que eu conheço e que eu confio. Ainda não tem nada publicado. Por isso é exclusivo. Quando jornalistas publicam notas exclusivas, eles também tem fontes. Eu não sou jornalista, mas de vez em quando publico notícias em primeira mão.

titia disse...

Bom, olha aí a prova de que temos um monte de criancinhas birrentas mandando nesse país. Proibiram o uso da palavra 'feminismo' nos comunicados do Senado (porque todo mundo sabe que o Senado é a única fonte de informação do brasileiro), deram a mais esfarrapada e ridícula desculpa para tal, e eles realmente esperam (e pior, acreditam) que isso faça com que o feminismo e as feministas sumam. Meu Deus, como isso é patético. Como.É.Patético! Desculpa Lola, desculpa gente, eu sei que isso é um indicativo do retrocesso em que vivemos, mas meu cérebro simplesmente não consegue processar esse acontecimento sem focar na infantilidade birrenta dessa gente e em como isso tudo é extremamente patético.

Patético.

Kamugin Khan disse...

Não me surpreenderia se verdade for, afinal o governo golpista tem um pé na ditadura.

Anônimo disse...

isso tem nome: censura

bem vindos de volta a 1964

Kittsu disse...

Eu achava que chegaria a viver em algum cenário social distópico e tal, mas eu confiava tanto que seria um Apocalipse zumbi... Essa ditadura cínica por debaixo dos panos é coisa de gente baixa demais, não tem nem coragem de bater no peito e assumir o que tá fazendo. Ditadura por recadinho via rádio corredor.

Anônimo disse...

Esses senadores são uns imbecis.

@vbfri disse...

Pra quem queria a volta da ditadura, tá aí...

Como dizia uma faixa que vi "pelo direito de não ter direitos" (juro! e estava pedindo pela volta do regime militar).

Triste dia para saber ler.

Rodolfo Abrantes disse...

Até que enfim nossos governantes estão dando os primeiros passos na luta contra o feminismo. É só o começo mais está por vir.


Kamunigin de novo esse papo de governo golpista e bla bla bla isso é tão 2016, voces de esquerda poderiam mudar um pouco o discurso.

titia disse...

Há séculos a reaçada luta contra o feminismo. E nunca conseguiram porra nenhuma. De certa forma é admirável a persistência (inútil) deles em acabar com o feminismo. Pena que não usem essa persistência pra estudar, trabalhar, e se tornarem seres humanos ao invés de restos de bosta amassada; eles conseguiriam alguma coisa, ao invés de passar o dia tentando derrubar o feminismo pra no final voltar pra casa e chorar no colo da mamãe que as mulheres continuam não querendo venerar o pinto dele.

Rodolfurher de novo esse papo de Hurdur meu pinto é o poder, vocês estão ferradas suas feminazis malvadas blábláblá é tããão 0 a.C., vocês reaçada direitista vaginofóbicos poderiam mudar muito o discurso.

Alan Silva disse...

Isso é vergonhoso, espero que sejá somente um boato inventado mas se realmente for verdadeiro, é um total desrespeito às leis de liberdade de expressão sem falar que é totalmente anti-ético.
Mesmo eu não concordando com algumas coisas do movimento, (na verdade é mais opiniões pessoais de algumas feministas que não tem idéia do que estão falando) mas mesmo assim TODAS tem o direito de expressão, na verdade TODOS têm o direito mas agora temos uma nova censura sussurradà que a qualquer momento virará um grito alto e estridente, que espero que dure pouco.
ORGULHO DE SER DE EXTREMA DIREITA MILITARISTA CONSERVADORA.

Anônimo disse...

Mulheres tem que saber apenas três letras do alfabeto .O.B.D.C

Anônimo disse...

A sra. Virginia Malheiros Galvez, diretora da Secretaria de Comunicação do Senado tem perfil ativo no Facebook. Poderíamos enviar a ela muitas mensagens cobrando explicações a respeito, como servidora pública ela deve prestar esclarecimentos quando requisitada.

Ingrid Bezerra disse...

Rodolfo Abrantes, quais são seus motivos para ser contra o feminismo?


Sobre o post, sinceramente a única coisa que me resta é acreditar que esse governo vai cair, que esse mal vai ter fim, porque eu acredito que nada de ruim dura para sempre. Principalmente essa política que além de corrupta ao extremo é arcaica ao extremo.

Eu sei que está doendo em nós progressistas, mas temos que ter fé! temos que acreditar que isso tudo vai mudar.

Samirab disse...

A gente segue o perfil no facebook e comenta com "feminismo" todas as postagens e pronto! Não que não seja grave, mas rede social é isto, eles falam mas tb escutam. É triste o que esta acontecendo no Brasil...

Anônimo disse...

E quem quebrar a regra vai ser mandado para o pau de arara ou pra fogueira?

E garanto que se eles quisessem usar temos como "preto sujo", "mulher puta", "pobre ladrão" não seria problema nenhum...

Mas, o que esperar de gente desesperada em proteger mórulas enquanto o país afunda em violência, pestilências e crise econômica...

Não sei se existe esperança pra nós pelos próximos 20 anos ou mais...


Jane Doe

Anônimo disse...

A muda Thana representa todas as mulheres do mundo que não falam contra os ultrajes diários a que são submetidas pelos homens (patrões, namorados, estranhos): um bombardeio constante de pressões, ordens, insultos, conversas paternalistas. "Eu só queria que eles me deixassem em paz", ela escreve, mas ela não tem a coragem ou a capacidade de dizer aos homens para "Se foderem" ou "Caírem fora", como a valente Laurie. Ela é a mulher submissa - seu trabalho é costurar - que mata um homem com um ferro, símbolo da mulher estereotipicamente não liberta, o que significa que a passividade e a submissão da mulher não são insuperáveis. Ela pega a arma do estuprador (obviamente, um símbolo fálico) - e ela usará sua arma para destruí-los. Thana, que tinha sido a epítome da mulher solitária, desesperada, sem voz e sem rosto em uma cidade gigantesca como Nova York, agora se torna um Anjo da Vingança. Enquanto ela metodicamente, silenciosamente e selvagemente se vinga por seu abuso, ela se torna muito mais intrigante do que outras mulheres do cinema que retaliaram por suas próprias violações.

Ms. 45 a.k.a. Anjo da Vingança ou Anjo da Morte - 1981

Anônimo disse...

Feminismo é sexismo e sexismo é preconceito. Viu como quando a vidraça é vcs o falso discurso de vcs muda completamente? Parabéns ao Senado. Que todo o Brasil siga essa lição e parem com o chato e imbecil "politicamente correto".

Anônimo disse...

é por isso que sempre dizem que revolução não será televisionada...
E agora fica a certeza que essa REVOLTA SERÁ FEMINISTA..
ALGUÉM DUVIDA??

EU ESTOU PRONTA!! e vcs, estão?

te amo LOLA.

FERNANDA B.

Alexandre Costa disse...

Conheço pessoas da comunicação do Senãdo e me confirmaram que isso ocorreu. Aliás basta saber como aquilo tem funcionado que saberão que é verdade.

Anônimo disse...

Kittsu, vc está enganada. É sim o apocalipse zumbi... Lembrem-se, zumbis são mortos que comem os cérebro dos vivos. Conheço vários zumbis, e não são de palmares...

Rafael Cherem disse...

Mais um ato de perseguição à esquerda, simples assim, isso tudo fundamentado em uma teoria da conspiração chamada marxismo cultural.

Bruxa da noite disse...

Rodolfuher (titia, expropriei), se a inquisição e o nazismo não conseguiram acabar conosco, não vai ser um governo frouxo que vai conseguir. Fala a verdade, miguxo, ce tem medinho de mulher, né?
Ich werde Ihren Penis abgeschnitten!

Anônimo disse...

Quando as estatísticas mostram que cada vez mais as mulheres estão vivebdo sozinhas e não querem casar, vejo que possui motivos.

titia disse...

02:38 senta aqui que a titia vai te ensinar como contar, ok?

Primeiro, você aprende os números: 1,2,3,4,5,6,7,8,9,10. Até o dez vai ser o suficiente. Então, você aprende o alfabeto: a, b, c, d, e, f, g, h, i, j, k, l, m, n, o, p, q, w, x, y, z. Depois, você escreve a palavrinha que quer usar. Omissões, erros de gramática, abreviações são por iniciativa própria. Então, você escreve os números num pedacinho de papel; embaixo, você escreve as letrinhas que quer usar. Aí você vai correspondendo cada letrinha com um número; a primeira letrinha fica embaixo do número 1, a segunda do 2 e assim por diante. Aí, quando terminou de ligar as letrinhas aos números, você vê quantos números foram necessários pra ligar às letrinhas. Pra ficar mais fácil vou te dar um exemplo:

Foda-se:

f o d a s e. O hífen (tracinho), não conta, ok? Tá acompanhando até aqui? Agora:
1 2 4 5 6

Pra escrever "foda-se" precisamos escrever seis números. Então, "foda-se" tem seis letrinhas. Tarefa de casa: escrever "Foda-se" mil vezes em 10 sistemas numéricos diferentes.

É um prazer contribuir com a desmoralização mascuzal, Bruxa da noite :)

Luciano Silva disse...

Lola, te mandei um email. Por gentileza, me responde o mais rápido possível que eu to precisando de uma luz para ajudar uma pessoa necessitada aqui. Abraço. Luciano Silva

titia disse...

07:05 se liga, mané: mimimi "esses pretos, viados e vadias politicamente corretos que querem direitos demais e não me deixam mais fazer piada humilhando minorias" já saiu de moda cara! Olha aqui umas piadas bem mais legais que a da bichona purpurina ou da loira burra inventadas pelas comentaristas do blog e com alguns toques meus pra você contar, vem com um saco de gelo escrotal de brinde:

Qual a diferença entre ir a um bar sozinha e ir ao circo?
- Quando você vai ao circo, os palhaços não falam com você.

Qual a diferença entre um cara legal e o chupa-cabra?
- O chupa-cabra já foi visto algumas vezes.

Qual a diferença de uma pilha pra um homem branco, hétero, conservador e cristão?
- É que a pilha tem ao menos um polo positivo.

Por que um homem não consegue ser inteligente e ter bom caráter ao mesmo tempo?
- Porque seria uma mulher! (e olha, tem cada peça na minha família que vive pra transformar essa piada em realidade).

As mulheres tem vários defeitos. Homens conservadores tem apenas dois: tudo que eles dizem e tudo que eles fazem.

As mulheres solteiras dizem que todos os homens que prestam estão casados, e as casadas dizem que os homens delas não prestam. Logo, por dedução lógica, nenhum homem presta.

Aqui sua bolsa de gelo escrotal, vai e não volta.

Anônimo disse...

Estão é mais do que certas.

Anônimo disse...

OMI so escrevendo e desenhando mesmo
VAI SE FUDERRRRRR! Isso se souber ler né? Kkkkkkkkkk

Vsf bjs
FERNANDA B.

Rodolfo Abrantes disse...

Vou responder, os meus principais pontos contra o feminismo.

A forma cinica como vocês lidam com fatos do dia dia, sempre buscando ligar algo como estupro que um crime atípico cometido por um indivíduo miserável e despresivel, com uma suposta cultura que ensina todos os homens a mutilar e violentar mulheres.

Vocês são de esquerda e só isso já pesa muito contra vocês.

Vocês não propõem nada, apenas reclamam e quando finalmente formulam um ideia ela nada mas é que um amontoado de mesmice desconexa com a realidade.

Existem varios mas aí ficaria um texto enorme

Satisfeita?????

lola aronovich disse...

"Estupro é crime atípico", diz mascutroll Rodolfo.
Uma mulher é estuprada no Brasil a cada 11 minutos, diz pesquisa.
Bem atípico esse criminho, né? A gente realmente nem deveria mais falar sobre isso!

Rodolfo Abrantes disse...

Adorei seu nome reflete bem a personalidade de uma feminista.

Não querida, eu não odeio as mulheres, namoro uma e a trato com respeito e dignidade e a recíproca é as mesma.

Por favor a titia e uma perdida, não use esse termo desrespeitoso pois não sou nazista, não compartilho do pensamento nazista. Aliais qual é o seu direcionamento politico, cuidado se você for de esquerda, lembre que nome do partido de Hitler e partido nacional socialista dos trabalhadores alemãs. Viuuuu cuidado .

Anônimo disse...

Estupro é crime atípico?

Estupro é o crime mais subnotificado que existe! O dado "a cada 11 minutos uma mulher denuncia estupro no Brasil" já assusta, mas ele tem que ser acompanhado com o dado de que estimam que somente 35% dos estupros são denunciados e que a gente vive num mundo que ainda considera estupro marital algo inexistente.

Anônimo disse...

Resumindo: você é contra o feminismo porque é contra a esquerda?

Realmente, isso já diz muito: joão-vai-com-os-outros... Opinião própria é realmente uma coisa que você não deve ter. Imagina concordar com uma feminista, que é que os broders direitosos vão dizer?

Anônimo disse...

895 estupros em São Paulo em Janeiro/2017.
895 pessoas: homens, mulheres, crianças....
895 é MUITA GENTE. MUITA.
Isso dá 28,8 estupros por dia
1,2 estupro por HORA.
Vc acorda, já aconteceram 8 estupros no estado.
Vai trabalhar... alguém está sendo estuprado.
Vc dá uma pausa pra almoçar e já são 17 vitimas.
Vc volta pra casa e lá se vão 24 pessoas violentadas.
Vc vai dormir tranquila... e alguém está sendo estuprado.

Fonte: http://www.ssp.sp.gov.br/Estatistica/Pesquisa.aspx

mh disse...

É a NOVILÍNGUA do Orwell.

"Novilíngua ou novafala é um idioma fictício criado pelo governo hiperautoritário na obra literária 1984, de George Orwell. A novilíngua era desenvolvida não pela criação de novas palavras, mas pela "condensação" e "remoção" delas ou de alguns de seus sentidos, com o objetivo de restringir o escopo do pensamento. Uma vez que as pessoas não pudessem se referir a algo, isso passa a não existir. Assim, por meio do controle sobre a linguagem, o governo seria capaz de controlar o pensamento das pessoas, impedindo que ideias indesejáveis viessem a surgir.

Não se deve confundir novilíngua com simples tabu a respeito de palavras. A ideia aqui consiste em restringir as possibilidades de raciocínio, não o simples proibir a menção a coisas, fatos ou pessoas indesejáveis."

(verbete NOVILÍNGUA da Wikipedia)

Anônimo disse...

O macho é tão burro que não consegue nem contar quatro letras pra falar essa merda machista batida e ultrapassada. Só resta mesmo rir de um otário demente desses e mandar se foder.

Anônimo disse...

Honestamente, não vejo motivos para tanto ultraje. Enquanto órgão de uma das casas do Poder Legislativo, me parece que a Secretaria de Comunicação do Senado deve realmente evitar vinculações com ideologias dogmáticas, sejam elas religiosas ou seculares. Não se trata de impedir as pessoas de usarem o termo "feminismo" ou de se associarem a ele (algo que não está de maneira nenhuma implicado na suposta medida), mas de evitar uma vinculação do Estado a essa ideologia, dada a impessoalidade que deve permear a atividade dos órgãos da administração direta (impessoalidade que se traduz em equidistância do Estado com relação às diversas ideologias e religiões). Assim como não seria apropriado ao Senado, por meio de sua Secretaria de Comunicação, vincular-se ao Cristianismo no Natal ou ao Marxismo no Dia Internacional do Trabalho (ainda que essas duas ideologias sejam relevantes historicamente para as respectivas datas comemorativas), não me parece pertinente que ele se vincule ao feminismo, ainda que no Dia Internacional da Mulher. Por mais nobres que sejam os propósitos que o feminismo afirma perseguir, a pretensão de fazer o Estado endossá-lo oficialmente é, a meu ver, injustificada se contrastada aos princípios que devem ordenar a relação da Administração Pública com os administrados (afinal, a nobreza de propósitos aos olhos dos membros pertencentes é algo comum a todos os segmentos ideológicos, logo, não pode servir de parâmetro para se legitimar a adesão do Estado a algum desses segmentos).

Anônimo disse...

Esse Rodolfo cada vez se mostra mais retardado do que eu jamais poderia imaginar. A caixa de comentários fica no mínimo 500% mais burra por causa dos comentários idiotas dele.

Anônimo disse...

"Uma mulher é estuprada no Brasil a cada 11 minutos,diz pesquisa."

Uma mulher no Brasil a cada 11 minutos?!Isso é inacreditável!

Se for assim,quase toda mulher já foi estuprada.

Anônimo disse...

12:39 só bla bla bla, a intenção clara é censurar mesmo

não se distingue ideologia (seja ela qual for) de governo, se poupe

ao passo q ela proíbe uma palavra como "feminismo", automaticamente se alinha com outro tipo de ideologia

Bruxa da noite disse...

Rodolfurher passou longe da escola. Por isso tiraram história, sociologia e filosofia da escola, pra ninguém ler nada, igualzinho rodolfurher.

Ain, o nazismo é de esquerda zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Caro rodolfurher, não vou te dar uma bibliografia que esclareça esse ponto pq sei que vc só entende meme do mbl e texto com menos de dois parágrafos.

Anônimo disse...

Exatamente, 12:39. O Estado não deve endossar ideologias igualitárias. Afinal, o art 1°, inciso V da CF/88 foi revogado, né? E o art. 3°, IV, é pra inglês ver. Nada mais parecido com um fascista que um burguês com medo. Mas no seu caso é lumpemproletariado mesmo.

Anônimo disse...

Vc tratou todas com dignidade msm?! seu aprendiz d coisa pior!MORRE! COISA NOJENTA!

titia disse...

12:39 se fosse o caso, também não poderiam endossar o cristianismo - como fazem explícita e desavergonhadamente, e de forma antiética. Sinto muito, fofo, mas não há nada que justifique essa patética e infantil tentativa de censura. O Senado é antiético, machista, fascista, misógino e quem tenta defender essa postura execrável ou é iludido ou é tão execrável quanto.

Exatamente, 13:10. Enfim você está começando a entender!

Ingrid Bezerra disse...

Rodolfo Abrantes, eu não acredito que você escreveu essas ignorâncias. Sim sim é uma baita ignorância ou má fé seus motivos de ser contra o Feminismo.

De onde você tirou que estupro é um crime atípico? Pelo amor dos Deuses! Atípico em que planeta? Porque aqui no nosso é que não é. Já viu quantas mulheres são estupradas aqui no Brasil? Quantos homens normais (pais, irmãos, primos, amigos, colegas, maridos, namorados, conhecidos, desconhecidos...) já estupraram mulheres e crianças? Não não, de maneira nenhuma é um crime atípico. E os casos de abusos nos trens, ônibus e metrôs? Você acha que não acontece com frequência absurda? Você acha que eu estaria exagerando se eu dissesse que um homem completamente comum e normal pode com muita facilidade se sentir no direito de me tocar se eu estiver andando numa rua deserta de madrugada ou se eu beber até cair numa balada? os casos de universitários que estupram mulheres nesses trotes e festas de faculdade são incomuns? Eu heim... mais empatia aí colega. Se você não é mulher, não passa por nada disso, como é que pode sair afirmando que é incomum?

Quanto ao que chamamos de cultura do estupro, é muitíssimo simples entender isto que dizemos. Só não entende mesmo quem não quer. Essa cultura existe da seguinte forma: A mulher gosta de fazer sexo com incontáveis homens e por causa desse fato quando ela é estuprada a sociedade entende que ela fez por merecer por ser uma "vadia", ou que ela "estava pedindo por isso", ou dizem que o homem é incontrolável em seus "instintos". Você sabe muito bem, que toda vez que aparece alguma mulher dizendo que foi estuprada (seja famosa ou desconhecida) a sociedade escolhe em primeiro plano duvidar do relato dela. Fora isso a gente vê os estupradores sendo raramente punidos pela justiça como se deve (sem essa de estuprar ou linchar estuprador porque barbarismo nunca resolveu nada em sociedade alguma). A cultura de estupro está também quando se é erotizado o estupro e tratado como uma variável do sexo, um fetiche. Então é isso... tem muitas mais coisas que engloba a cultura do estupro. Se você disser que essas coisas todas que eu disse são mentiras, a sua falta de empatia é imensa mesmo aí sei lá...

Ah é? Nós não propomos nada? onde cara pálida? Vejo feministas lutando para estupradores irem para a cadeia, vejo feministas lutando para mudar a mentalidade da sociedade a cerca das desigualdades de gênero, vejo um vasto material muito rico e informativo sobre tudo isso circulando em meios feministas... enfim, isso é ignorância sua porque você prefere ignorar e deixar de buscar a verdade para manter essa sua mentalidade tacanha.

para mim, homens que são contra o feminismo nada mais são do que inseguros que morrem de medo de ter as mulheres como iguais. Em outros casos encaro os anti feministas como possíveis ou prováveis abusadores que querem continuar com essa cultura que que a mulher é culpada dos seus estupros para continuar a ter o caminho livre para abusar sem ser responsabilizado como se deve.

Anônimo disse...

13:52, Concordo, o Estado não poderia jamais estabelecer vínculos oficiais com o Cristianismo, e se você leu integralmente o meu primeiro comentário, certamente pôde ver que fiz referência a isso, "fofa". A composição do Senado também não me agrada, e tampouco a maioria das medidas que têm sido tomadas. Mas neste caso específico, acho que a postura foi acertada (com a condição de que ela valha para todas as demais ideologias).

É curioso que você mesma reconhece o caráter antiético do endosso oficial do Estado ao Cristianismo, pois isso denuncia que, no fundo, você entende a substância do meu argumento (embora prefira fingir que não), no sentido de que o Estado deveria se privar de aderir a segmentos ideológicos específicos.

Demais disso, você é quem me parece iludida a respeito da composição de forças do próprio país. Talvez você não esteja disposta a reconhecer, mas o fato é que o fundamentalismo cristão que avança sobre a Estrutura Administrativa do Estado é muito mais forte do que o feminismo, tanto pela sua ousadia, quanto pelo seu poder de fato. Em um contexto como esse, achar que é uma boa ideia abrir um precedente de adesão Estatal a ideologias dogmáticas só pode ser um delírio.

Anônimo disse...

Esse cara é numa piada, sem graça, mas uma piada. Caras como esse é o anon 02:38 que são responsáveis por algumas mulheres acharem que todos nós somos machistas!

Anônimo disse...

13:20 "Não se distingue ideologia de governo". Belo jogo de palavras. Note que onde você fala em "governo", eu falava de "Estado", sendo que você substituiu um termo pelo outro para criar um espantalho que pudesse atacar, alterando substancialmente o significado do meu argumento.

Um governo específico certamente tem preferências ideológicas, mas o Estado é uma realidade complexa que se perpetua ao final de cada governo específico, acomodando uma enorme variedade de influências oriundas das mais variadas matizes e ideologias. Portanto, o Estado não é redutível a uma única ideologia. E, ainda que um governo possa adotar medidas coerentes com a corrente ideológica vencedora da disputa política, não pode ele pretender vincular oficialmente as entidades ligadas ao Estado a essa ideologia. Por esse motivo, é perfeitamente cabível que o Congresso edite leis que atendam às demandas do movimento feminista (tal como já fez algumas vezes), mas não pode ele e seus respectivos órgãos aderirem oficialmente ao feminismo. Em síntese: podemos ter um Estado que reconhece o movimento feminista e se preocupa com as suas demandas, mas não podemos ter um "Estado feminista" cujos órgãos se associem oficiaumente a esse movimento. Simples assim.

Anônimo disse...

Concordo plenamente 15.11

Catarina,A grande.

Rodolfo Abrantes disse...

Não disse que o partido nazista era de esquerda,so que ele levava esse nome mas não praticava a filosofia socialista, assim como muitos esquerdista que dizem lutam pelo povo é no momento seguinte brigou pelo PT.

Os nazista fizeram exatamente isso, e muitos movimentos ditos sociais a qual você faz parte faz exatamente o mesmo.

Rodolfo Abrantes disse...

Meu bem acho que você precisa urgentemente dá uma olhada na definição de cultura. Ela é a representação dá história de um povo traduzida na música, língua,artes, filosofia tambem aparece nas realizações e descobertas.
Não confunda cultura com senso comum, uma mulher que transa com vários homens e mau vista sim, mas não dá direito a nenhuma homem estupra-la, meu pai não chegou comigo e disse "olha filho se um dia você encontra uma mulher promíscua, ou bêbada ou sozinha na rua pode estupra-la pois ela merece".

Ele falou de respeito as escolhas e principalmente carinho as mulheres.


Outra esse discurso de vocês são a favor ou contra aquilo parece discurso de miss universo.

titia disse...

15:10 o dia em que proibirem a menção ao cristianismo nas comunicações do Senado, aí sim seu argumento vai ser válido. Até lá, é só falta de ética, machismo, facismo e misoginia mesmo. O Senado simplesmente não é nem um pouco melhor que o Rodolfurher ou qualquer outro mascu escroto e um discursinho bonito sobre desapego ideológico que na prática não existe não vai mudar o fato de que estão promovendo uma censura infantilóide e birrenta na esperança de que as mulheres se calem e voltem pra cozinha.

Anônimo disse...

15:32 cala boca idiota

o senado federal é o GOVERNO, senado não é estado, senado é GOVERNO, e aliás, estado é só uma estrutura, ele não subsiste sem ter quem o dirija, no caso, o governo

a sua tentativa de desvincilhar uma coisa da outra é patética

donadio disse...

"Uma mulher no Brasil a cada 11 minutos?!Isso é inacreditável!

Se for assim,quase toda mulher já foi estuprada.
"

Hm, não. Sua matemática anda meio fraquinha.

1 estupro a cada 11 minutos dá cerca de 48.000 por ano. É um número absurdamente grande, mas de forma alguma implicaria que quase toda mulher já foi estuprada.

Anônimo disse...

rodolfo,o que significa discurso de miss
eu,hein

Anônimo disse...

18:25, "O senado federal é o governo" - uma afirmação dessas dispensa qualquer tipo de resposta. Você claramente não faz ideia do que está falando.

"estado é uma estrutura, ele não subsiste sem ter quem o dirija" - questionável, dado que o Estado se mantém durante a transição de um governo para o outro (não há, a cada novo governo, a constituição de um novo Estado). De todo modo, ainda que a assertiva fosse verdadeira, dela não se seguiria a identidade entre "Estado" e "governo". Fosse assim, a sua própria afirmação de que o governo "dirige" o Estado não faria sentido, pois uma coisa não pode ser dirigida por ela mesma.

Faça um favor a si mesmo e vá estudar um pouco.

Anônimo disse...

18:24, o meu posicionamento não é, em nenhum sentido, menos válido do que o seu. Ambos defendemos uma mudança de postura do Estado com relação às ideologias existentes no país: de minha parte, acho que o Estado não deveria promovê-las (mas deve, a meu ver, combater aquelas que são violentas, como o nazismo e o fascismo). Você, por outro lado, acha que o Estado deveria se vincular ao feminismo, e justifica essa opinião enfatizando a promoção indevida que se faz do cristianismo no seio de alguns órgãos públicos.

Em resumo, eu defendo que simplesmente se elimine um problema já existente, ao passo que você defende que se crie um segundo.

Por fim, não vejo como essa ação do Senado pode ajudar a fazer com que "as mulheres se calem". O feminismo não é, até o que eu sei a respeito dele, um movimento de caráter estatal. Certamente haverá, no Dia Internacional da Mulher, grande mobilização feminista, e o impacto dessa posição do Senado será muito provavelmente nulo.

Anônimo disse...

Desonesto como todo troll de direita, Rodolfo Abrantes vulgo "Rodolfurher" segue sua guerra contra o feminismo armado de sofismas e senso comum, repetindo como um papagaio todos os "argumentos", que mais se assemelham a palavras de ordem, típicas de trolls direitistas.
Ele não cometeu o erro de muitos que habitam o facebook: jogar na esquerda o filho chamado nazismo (embora tenha provocado, diga qual a relevância no contexto de citar que o NSDAP tinha socialismo no nome?). Este é um debate que vocês leem na Internet e se julgam no direito de revisar toda a historiografia a respeito. Ao menos, você teve bom senso de nos poupar dessa besteira.
Mas ainda há muitos elementos a lutar, dentre eles o feminismo. O novo troll direitista tem ânsia de se opor a qualquer coisa de esquerda ou que pareça ser, mas ainda se diz aberto ao "debate" (desde que vc concorde com ele). Digo de qualquer coisa que pareça ser de esquerda pois muitos movimentos sociais se pautam, inclusive, em parâmetros facilmente encontrados na direita, como o direito à liberdade individual.
Mas isso não importa ao jovem de direita "internética". Ele junta a misoginia (nada menos que o medo de competir com mulheres de igual para igual) com sua ânsia em odiar a esquerda. Porque sim. Porque está na moda.
Com esses preconceitos arraigados, o troll de direita acha que toda pauta do feminismo deve ser negada ou relativizada. Por ignorância ou desonestida (ou os dois juntos), há o entendimento de que o feminismo acarretará na superioridade da mulher sobre o homem, algo a ser temido pelo jovem da nova direita...

Anônimo disse...

"não faz ideia do que está falando"

sei sim e repito, o senado é GOVERNO

a sua tentativa de desvincilhar uma coisa da outra continua sendo patética

o q estão tentando fazer é CENSURA

"pois uma coisa não pode ser dirigida por ela mesma"

mas é claro q pode, c#ralho, como vc é burro, ZERO noção da realidade ao redor

Faça um favor a si mesmo e vá estudar um pouco

Anônimo disse...

Baseado no ódio ao feminismo, eles contorcem estatísticas, misturam dados numa psicodelia argumentativa muitas vezes baseada em seus viciados senso comum. Num debate normal (onde as pessoas vão dispostas a aprender, trocar ideias), este seria um problema facilmente resolvido. Mas o jovem da direita internética entra num debate para vencer, para não ser refutado, com a arrogância de quem tem a verdade nas mãos.
Com relação à cultura do estupro, o número de estupros e das estimativas de subnotificação, depõem contra quem diz odiar estuprador, mas ser o primeiro a relativizar estupro. Não sejam hipócritas de se dizer contra o estupro quando estão dispostos a duvidar ou relativizar um estupro seja qual for a circunstância. O estupro cometido pelo estranho na rua é tão estupro quanto o da mina bêbada da balada.
Nem mesmo o termo pertence ao feminismo. O feminismo só colocou um nome para um sentimento que todos - mulheres e homens, inclusive - possuem acerca da possibilidade real do estupro.
Se não existisse a cultura do estupro, tantas mulheres não zelariam por suas crianças, deixando até de se relacionar com outras pessoas. Muitas mães evitam que suas crianças tenham contato com parentes próximos homens. Muitos pais não confiariam numa babá ou professor do sexo masculino. Muitos não confiam em ginecologistas homens examinando mulheres de suas famílias.
É pela percepção real de que mulheres e crianças são vítimas de estupro que várias atividades são restritas: andar à noite, carona contra estranhos. Embora em todos esses casos se responsabiliza a vítima por não "se cuidar", essas situações só demonstram que até os machistas são cientes da cultura do estupro, mas enquanto tratarem o estupro como algo exclusivo advindo de "doença mental" (e como tem diente mental e maioria masculina viu?) a culpa continuará sendo da vítima, que não tomou os devidos cuidados, mesmo vivendo numa cultura que relativiza o estupro.

A verdade e a luz disse...

Na boa, galera, deixa esse rodolfo pra lá. Ele é o típico homem que não merece nem mesmo ir à merda de tão estúpido que é. Mandá-lo à merda seria promovê-lo. O nível de tosquice dele é tão alto que não dá nem pra ficar com dó...

Rodolfo Abrantes disse...

Querida feminista de verão, eu não sou contra a esquerda porque está na moda. Eu sou contra a esquerda por ela representa um forma de pensar antiquada, leviana, mortífera e ditatorial.

Sempre fui contra o PT por exemplo e não de agora com o escândalos de corrupção vindo a tona, desde a época de lula é sua primeira turma de assaltantes, já era oposição a essa forma de governa vil e mentirosa, que nós levou a essa situação de caos de hoje. Tenho orgulho de dizer que nunca votei em um petista e prefiro amputar todos os dedos dá mão a votar em alguém de esquerda.

Outro ponto o feminismo e historicamente ligando a esquerda, é só ver a organização dos movimentos, todas as "proposta" modificadoras, sabe aquelas que todo esquerdista tem de fazer a "revolução francesa dos oprimidos". Mas que não passa de um protesto para ganhar poder

Rodolfo Abrantes disse...

Agora vamos falar dá famigerada cultura de estupro.

Vocês é que são desonestas pois pegam a ação de alguns homens e tentam transformar os atos hediondos desde seres infelizes e desagracados em um traço do comportamento masculino.

Eu nunca estuprei uma mulher,nuca cogitei se quer levantar a mão contra uma mulher, e as feministas mesmo assim me joga e classificam no mesma laia de seres imundos e nojentos que são os estupradores.


Precisamos erradicar essas moléstias dá nossa sociedade mas não será culpando todos os homens e os rotulados de estupradores em potencial que iremos conseguir isso.

E sim é isso que vocês fazem quando dizem que existe uma cultura de estupro na nossa sociedade.

Rodolfo Abrantes disse...

E por último, uma mulher não pode sofre violência em nenhuma situação, independe de ela estar bêbada, drogada nem mesmo se ela for promíscua.


E todos os homens de bem(sim eles existem) partem dessa mesma ideia, é só ver o que a população em especial os homens fazem quando pegam um estuprador.

Rodolfo Abrantes disse...

E por último, uma mulher não pode sofre violência em nenhuma situação, independe de ela estar bêbada, drogada nem mesmo se ela for promíscua.


E todos os homens de bem(sim eles existem) partem dessa mesma ideia, é só ver o que a população em especial os homens fazem quando pegam um estuprador.

Luis Capucci disse...

Que absurdo! Espero que a repercussão desse post realmente faça com que a SecCom do Senado volte atrás com essa censura.

Anônimo disse...

21:19,

1-) O Senado não é governo, ele é parte dele. O governo comporta uma realidade mais ampla. Não pode haver identidade entre a parte e o todo (eu realmente preciso esclarecer isso?);

2-) não, uma coisa não pode ser dirigida por ela mesma. Toda relação exige pelo menos dois termos. Chega a ser ridículo que eu tenha que explicar conceitos tão básicos pra alguém;

3-) não estou tentando "desvencilhar" uma coisa da outra. Estou apontando para o fato inegável de que Estado e governo são realidades distintas. Do fato de que duas coisas tenham uma relação de dependência mútua não se segue haja identidade entre elas (Ex. não há vida humana sem coração, e nem por isso esses dois objetos se confundem).

Agora pára, que já está ficando feio.

Anônimo disse...

O nome disso, gostando ou não da medida, é "censura". Não acho legal. Apesar disso, em outros lugares sem muita importância, como Facebook e blogs, acho até mais interessante evitar o termo "Feminismo" mesmo. Muita gente acabou pegando nojo por conta das extremistas que estão no movimento, enquanto outras simplesmente não entendem direito direito até hoje o significado da palavra. Dependendo do caso, se trocar por "igualdade entre homens e mulheres", pode ser até mais efetivo em uma argumentação. É como trocar seis por meia dúzia, mas muitos acham que há alguma diferença.

Bruxa da noite disse...

O legal é que o rodolfurher se acha o farol da humanidade. Se ele não estupra (segundo o próprio, e eu lembro daqueles parangolé de elogio em boca própria, vitupério e tals), então simplismentchy não podi e nem vai acontecer... Ai, rodolfurher, vc deveria ser o garoto propaganda da legalização do aborto. Vai que uma criança nasça igual vc...

Anônimo disse...

"O Senado não é governo"

sim, ele é, senado é GOVERNO sim

"não, uma coisa não pode ser dirigida por ela mesma"

mas é claro q pode, idiota, presta atenção no mundo ao seu redor, anta

Agora pára, que já está ficando feio

Anônimo disse...

10:51, Esta é a última vez que te respondo. Estou supondo que você seja apenas estúpido e, por isso, apenas para torná-lo menos idiota, vou lhe explicar uma última vez. A palavra "governo" tem uma acepção técnica e outra mais vulgar. Em linguajar popular, "governo" designa todo o conjunto de indivíduos que exerce transitoriamente o poder. Nesse sentido impreciso e incorreto do termo, o Senado seria parte do governo.

Contudo, rigorosamente falando, o governo é a cúpula administrativa do Estado, que, no sistema presidencialista, corresponde, no tocante à União, ao presidente e aos ministros de Estado. Por tanto, pela terminologia adequada, o Senado não é sequer parte do governo. E não é preciso recorrer à literatura para se ter essa noção básica, basta ver, por exemplo, que na televisão (provaveomente sua única fonte de informação) se fala em "base aliada do governo" nas casas do Congreço Nacional. Se o Senado fosse o governo, não faria sentido algum falar que este possui uma base aliada no Senado.

Portanto, em nenhum dos sentidos atribuíveis à palavra "governo", a sua afirmação de que "Senado é governo" está correta.

Pode espernear mais.

Anônimo disse...

Rodolfo Abrantes, note que você apenas confirmou o que eu disse sobre você.
Os seus motivos que justificam o seu ódio à esquerda são os mesmos que levam o fenômeno alt right. São caras que estão desiludidos com a esquerda e especialmente com o PT, creditando neles tudo o que há de mais vil. Sim, é o que está na moda.
Pessoas como você não admitem o contraditório à medida que enxergam o mundo binariamente, excluindo assim possibilidades de diálogo.
Você é um pouco egocêntrico hein? Só assim para achar que quando nos referimos à cultura do estupro para acreditar que estamos nos referindo única e exclusivamente à sua pessoa. Desculpe informar mas você não ocupa e nem detém posiçoes de poder suficientemente abrangentes e relevantes para achar que a cultura do estupro se refere ao que VOCÊ age ou deixa de agir.
O fato de você dizer que não agride ou violenta mulheres não é digno de aplausos e parabéns. Você só está cumprindo com seu papel e não praticando atos munidos de valores não condizentes com alguém que tem algum respeito pela vida humana.
O fato de você não praticar diretamente esse crime não invalida as estatísticas de estupro, assédio e violência contra a mulher. Por favor, seja mais maduro e comece a ver as coisas de uma forma ampla. E já que brasileiros como você se dizem tão a favor da punição do estupro, que tal começar a não relativizar os crimes como se fossem casos pontuais? Duvido muito que alguém que realmente acredite que o estupro seja um crime tão grave tenha a pachorra de dizer que é exagero nosso quando elencamos o crime de estupro como um dos mais frequentes entre as mulheres.
Você parece não ter lido o que escrevi sobre cultura de estupro. É só um nome dado pelo feminismo a um comportamento corriqueiro no dia-a-dia inclusive entre homens machistas ou que negam que o estupro seja um crime recorrente. Por favor, já que é invenção de feministas, me explique a razão de que muitas pessoas que nem simpatizam com o feminismo também colocam a figura do homem como potencial estuprador.
Me explique também porque você continua insistindo que o brasileiro médio tem ojeriza ao estupro quando toda e qualquer notícia de estupro, o cara questiona se a vítima tinha ou não um comportamento adequado, se estava na rua em direção a um trabalho ou se estava voltando de uma festa, se a vítima gostava de funk ou música gospel. E por favor, não negue que o brasileiro comum reage de maneiras diferentes a situaçoes de estupro distintas.

Anônimo disse...

Nós sabemos "a verdade e a luz". Mas eu estou morrendo de rir com esse troll pagando de cheios das argumentações provando ser exatamente o que as moças estão falando como ele age.
Adoro ver macho "opressor" pagando mico.

Anônimo disse...

12:38

errado, senado é parte do governo, pois lá são feitas leis q nos governam

e diferente de vc, eu não suponho nada, vc é estúpido mesmo

Agora pode espernear mais

Anônimo disse...

Eu achei a resposta da SECOM muito correta. Seria como dizer "temos que ser todos comunistas" ou "todos feministas" ou "todos não sei o que", o Brasil é um país plural e a diversidade de ideias não pode ser combatida e sim incentivada (ainda que a gente não goste de tais ideias, é bom que se diga).

Anônimo disse...

"Brasil é um país plural e a diversidade de ideias não pode ser combatida e sim incentivada"

mas é exatamente isso o q secom NÃO FEZ ao proibir a palavra "feminismo", como se fosse um crime

isto é, a resposta da secom não foi nada correta e vc se contradisse

João Paulo Ferreira de Assis disse...

É a primeira vez que eu comento aqui. Quero fazer uma homenagem a todas as mulheres pelo seu dia. Mulheres que são mais inteligentes do que nós homens. Exemplifico com uma caso que se passou há 40 anos atrás. Tinham aberto uma porteira na nossa fazenda e o gado escapou para a linha férrea. Uma locomotiva pegou uma vaca. Alguém denunciou o caso à administração da Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima, em Juiz de Fora MG. Lá fomos nós, meu pai, minha mãe e eu. O moço com uma lábia sem precedentes já ia convencendo meu pai a assinar um documento em que ele teria de pagar pesada multa. Minha mãe disse: LEIA PRIMEIRO, assine depois. Falou mais duas vezes, e meu pai resolveu ler, e viu a armadilha em que ia caindo. Não assinou. O moço então disse para minha mãe: a senhora é muito inteligente. O Sr. Antônio teria que indenizar os prejuízos da locomotiva.

Nilo Coelho disse...

Em vez de ficar nessa discussãozinha boba, faltou tentar uma reclamação direta com a tal comunicação do Senado, não é não? A história é bem pior. Lola não é repórter mas podia ir atrás. Falaram que tem um verdadeiro index contra temas como aborto e direitos dos gays. Foi aprovado um projeto a favor do casamento gay - aprovado dentro do Senado por senadores - e houve várias reuniões para discutir SE e COMO a notícia seria dada. O fato de a diretora ser mulher não deveria servir de escudo.

Anônimo disse...

"mas é exatamente isso o q secom NÃO FEZ ao proibir a palavra "feminismo", como se fosse um crime

isto é, a resposta da secom não foi nada correta e vc se contradisse"

Exagero puro isso aí. A SECOM agiu corretamente.

Anônimo disse...

Realmente doloroso, e pensar que tem outros estados que o nível de violência sexual é ainda maior, e até incentivada pelos que lucram pelo tráfico e prostituição de meninas e mulheres.

Anônimo disse...

Levando em conta que várias mulheres poderiam sofrer a violência novamente pelos violadores serem parentes/companheiros e o medo da vítima de denunciar, poderia ser possível.

Anônimo disse...

Foda-se o que seu pai fala. Nenhum anti-feminista possui real respeito as mulheres exatamente por se basearem na misoginia. Agora, toda a sociedade sabe que no fundo os homens são potenciais estupradores, do contrário não culpariam meninas de não tomarem cuidado com seus amigos porque pelo próprio senso comum anizade entre sexos opostos não existe porque o homem sempre vai ter segundas intenções. Já me disseram que a primeira cosa que um homem pena ao ver uma mulher é imagina-lá pelada. Já me disseram para ter cuidado em festas e não aceitar carona de "amigos". Já me disseram que homem ginecologista trabalha nesse ramo para poder ver mulheres peladas. Essas mesmas pessoas disseram que estulradores são doentes e a maioria dos homens não faria nada contra mim e que eu não precisaria me preocupar com nada. Discurso paradoxal não?

Anônimo disse...

Gostaria que a lola deletasse todos os comentários dele. Estou com falta de paciência para gente estúpida, pelo menos em um blog feminista esses merdas poderiam tomar no cu e ficarem calados.

Anônimo disse...

16:32 errado

agiu de forma criminosa e pró-censura

Frei beto disse...

"
Anônimo titia disse...

Há séculos a reaçada luta contra o feminismo. E nunca conseguiram porra nenhuma. De certa forma é admirável a persistência (inútil) deles em acabar com o feminismo. Pena que não usem essa persistência pra estudar, trabalhar, e se tornarem seres humanos ao invés de restos de bosta amassada; eles conseguiriam alguma coisa, ao invés de passar o dia tentando derrubar o feminismo pra no final voltar pra casa e chorar no colo da mamãe que as mulheres continuam não querendo venerar o pinto dele.
"

Voce se confundiu, as feministas é que estão há séculos lutando uma guerra perdida. Aceitem a natureza como ela é e ponto final.

Anônimo disse...

Qual guerra perdida? As mulheres são a maioria nas universidades em quase todos os países do mundo e as jovens já estão ganhando mais que os homens nos EUA. Eu faço ciebcias biológicas e digo: Mulher nem precisaria mais de homem para ter filho segundo a teoria. Pesquise sobre o experimento da rata kaguya no Japão, nascida através da junção de dois óvulos. Espermatozóides artificiais estão sendo feitos em israel também, além da inseminação artificial em que torna o ato sexual com homens dispensável. A natureza possui inúmeras espécies de comportamentos matriarcais, inclusive primatas.

donadio disse...

"as jovens já estão ganhando mais que os homens nos EUA"

Isso simplesmente não é verdade, como demonstra a Lisa Annese:

https://www.theguardian.com/sustainable-business/2016/nov/08/dispelling-the-myths-why-the-gender-pay-gap-does-not-reflect-the-choices-women-make

Do linque:

"there is no country on earth where women make as much as men for the same work."