segunda-feira, 5 de setembro de 2016

OS HOMENS E A VIRGINDADE DAS MULHERES

Uma leitora deixou este comentário num post antigo:

"Sinceramente... Não sei o que pensar.
Tenho 40 anos, sou uma mulher responsável, gerente de banco e bem sucedida.
Quando era mais jovem acreditava que uma mulher que não era virgem não conseguiria um namorado sério. Mas com o tempo vi que não era bem assim. Sempre fui bem ativa sexualmente e namorava um de cada vez, uns sérios e outros nem tanto. Já andei de mãos dadas no shopping, namorei, casei (não virgem), mas percebi que a virgindade circula na cabeça dos homens de forma intensa, e acredito que isso se tornou um preconceito subjetivo que eles não expressam diretamente, assim como o racismo ou a homofobia. Muitos recriminam, criticam e comentam, sem assumir diretamente, afinal, estamos no século XXI. 
Aliás, me divorciei por isso. Meu marido, um pouco mais novo que eu (35) e 'moderno', me disse que não se sentia especial na minha vida e que se via apenas como mais um. Tentei trabalhar isso com ele, mas ele acabou pondo um fim no nosso casamento e saiu atrás desse sonho louco que é a tal da virgindade. Depois dele, tive outros, mas pude perceber que os mais 'liberais' não querem um compromisso 'tão sério' ou quando querem... são 'liberais demais' e querem ter aventuras paralelas, achando isso natural. 
O conceito de virgindade foi criado por
homens que achavam seus pênis tão
importantes que poderiam mudar quem
uma mulher é
Sinceramente, não sei direito o que pensar, mas, para eles, isso ainda é muito importante, só que eles não têm a coragem de assumir. E não é de se assustar que um estudo realizado pela Universidade de Iowa liga perda da virgindade à incidência de divórcios. Desabafo!"

Meus comentários: O estudo da Universidade de Iowa que você cita é de 2011 e, obviamente, muito usado pelos conservadores para tentar convencer jovens mulheres a "esperar", a só fazer sexo quando casar. Mas a pesquisa é um pouco mais complexa que isso. Ela aponta que 31% das americanas que perderam a virgindade antes dos 16 anos de idade se divorciaram dentro de 5 anos de casamento, e 47%, dentro de dez anos. 15% das que se casaram virgens se divorciaram em até 5 anos depois do casamento, e 27% depois de uma década. 
detalhe é que 42% das participantes do estudo afirmaram que sua primeira vez antes dos 18 anos não foi desejada. Ou seja, há um monte de meninas que não queriam deixar de ser virgens, mas foram estupradas. O autor do estudo disse na época: "Se o sexo não foi completamente desejado ou ocorreu num contexto traumático, é fácil imaginar como isso pode ter um impacto negativo em como as mulheres se sentem sobre seus relacionamentos". 
Já há novos estudos apontando as tendências da sociedade (americana). Afinal, tem cada vez menos mulher se casando virgem (21% das americanas nos anos 70 não tiveram experiência sexual antes de casar; hoje o número caiu para 5%). 
Este levantamento da Universidade de Utah, por exemplo, diz que os índices de divórcio diminuíram entre mulheres que não são virgens ao casar. O responsável pelo estudo chama a atenção para um dado curioso: mulheres que transaram com dois caras (não ao mesmo tempo!) antes de casar têm índices de divórcio mais altos que aquelas que tiveram 3 a 9 parceiros. Vai entender.
Perdi minha virgindade mas
ainda tenho a caixa em que
ela veio
E é incrível como esses estudos não são realizados com homens, né? Parece que virgindade só tem importância pras mulheres...
Bom, estatísticas não são definitivas. Mesmo aquela "verdade absoluta" de que metade de todos os casamentos termina em divórcio está batida, pelo menos nos EUA. Dizem que divórcios caíram dos anos 80 pra cá, e que aproximadamente 75% dos casamentos da década passada serão "até que a morte os separe". No Brasil, 56,5% dos casais se separam antes de completar 15 anos de união (dados de 2012); 41,6% não chegam a uma década juntos. 
Eu, que tive bem mais que nove parceiros antes de casar, e que cheguei ao 26o ano de união com meu lindo maridão (mais que o casal Fátima e Bonner), não vejo divórcio como algo negativo. Se o casamento está ruim, por que continuar? O fato é que 70% dos pedidos de divórcio vêm das mulheres (também por isso é que a permissão do divórcio foi uma conquista feminista, e que tantos reaças gostariam de voltar atrás e proibir esse direito).  
Mas é difícil apontar por que divórcios acontecem. Certamente é muito mais por questões financeiras do que pela quantidade de sexo que a mulher fez ou deixou de fazer antes do casamento. Há um outro dado também: em termos de saúde, casamento é mais benéfico pra homens que pra mulheres. 
Sinceramente, creio que só homens extremamente inseguros se preocupam com o fato da moça ser virgem ou não. É o medo da comparação. Eu até posso compreender que um rapaz que quer se casar virgem procure uma moça (ou um outro rapaz) que também queira se casar virgem. Mas se o cara tem experiência, não há motivo algum para "condenar" mulheres que fizeram o mesmo que ele. Aliás, há um motivo: o velho padrão duplo. Vou repetir sempre -- fuja desses sujeitos. 

56 comentários:

Anônimo disse...

Bom, a realidade diz que homens se importam sim com virgindade, infelizmente.

Eu perdi (que palavra péssima, aliás) a minha com 20 anos, com o meu ex namorado, por pressão. Não queria realmente, não sentia tesão. Completamos 2 anos de namoro e eu já não tinha mais desculpas para adiar o momento. Foi horrível, nunca gozei com ele. Ele fazia terrorismo psicológico comigo e acabamos namorando por mais quartro intermináveis anos.

Depois dele passei 1 ano solteira e não consegui transar com ninguém nesse período, por mais que eu tenha tido inumeros pretendentes e até dois pedidos de namoro. Até que me apaixonei pelo meu amigo, atual namorado. Finalmente descobri o motivo pelo qual as pessoas gostam de sexo, com ele é perfeito e descobri o que é gozar. Mas infelizmente nem tudo são flores. Começamos a namorar quando eu tinha 24 pra 25 anos, eu sempre tive um discurso progressista e ele imaginou que eu tivesse dado pra um caminhão de homens antes dele. Vivia inseguro, porque eu me recusava a negar (como se se eu tivesse feito fosse algo ruim). Na verdade até hoje ele é, mesmo após eu ter contado a minha experiência ruim antes dele. O fato é que ele queria ter sido o primeiro, e não se acha especial por não ter sido. O que é uma pena, porque ele é.

Alícia

Kasturba disse...

Meu primeiro namorado era virgem, assim como eu. Perdemos nossa virgindade juntos.
Meu segundo namorado era "praticamente virgem". Tinha transado duas vezes só antes de namorar comigo.
Meu terceiro namorado era "rodado". Já havia feito sexo com tantas mulheres, que nem sabia o número exato. Uma vez perguntei se ele já havia transado com a amiga Fulana, e ele disse que não se lembrava se tinha ou não transado com ela (!!!). Foi com esse meu terceiro namorado que eu me casei.
Ou seja, eu só havia feito sexo com garotos/homens com quem eu tinha um sentimento e confiança profundos, e ele já havia feito sexo com muitas desconhecidas por aí.
E isso me machucava.
Não sei se vou conseguir me explicar direito, e eu nem sei se consigo entender exatamente o que eu sentia; mas pra mim, fazer sexo com alguém é um ato de entrega, de troca de intimidade, de amor... E pra ele, era simplesmente diversão. Não acho que ele estava errado de ter feito muito sexo e aproveitado a sua juventude antes de me conhecer. Mas quando fazíamos sexo, pra mim era uma coisa incompleta. Eu sentia que pra ele a minha presença não era totalmente necessária ali. Tipo, se não fosse eu, e sim outra mulher mais bonita e gostosa, ele poderia estar gostando tanto quanto, ou mais, do que comigo. Eu me sentia meio "usada" mesmo. Eu sentia que enquanto eu estava fazendo algo que expressava meu amor por ele, ele estava apenas se divertindo comigo...
Óbvio que não foi apenas por isso, mas isso também pesou no término do meu casamento. O sexo era realmente ótimo fisicamente, ele sabia me satisfazer, e se preocupava com o meu prazer também. Mas eu não me sentia "conectada" com ele, e meu interesse sexual foi cada vez diminuindo mais... No final, era quase uma obrigação a cumprir.
Hoje to namorando novamente, meu quarto namorado. E assim como eu, ele também teve poucas parceiras sexuais. Assim como eu, ele acredita que o sexo é um ato de intimidade, que exige que os parceiros tenham algo mais entre si além de somente se sentirem atraídos fisicamente um pelo outro.
Com ele, consigo ter essa conexão, e me sentir completa de uma forma que nunca consegui com meu ex-marido...

Não estou defendendo esses machistas escrotos que acham que eles devem ter o máximo de parceiras possíveis, e suas esposas sejam virgens. Não é isso.
Mas, como foi dito na resposta da Lola, acho que se para a pessoa algo é importante (como pra mim é importante essa questão de não encarar o sexo apenas como diversão de uma noite), é normal que ele procure um parceirx que encare desta mesma forma.

Anônimo disse...

Homem age como predador sexual por natureza, sexo para eles não e troca mas mecânica de penetração pura, eles não fazem sexo conosco mas sim se masturbam usando nossos corpos, não são fisicamente atraentes mas sim assustadores e funcionais, a mecânica penetrativa do sexo heterossexual e degradante ao corpo feminino, quase 90% das mulheres que insistem na pressão social da heteronormatividade nuca tiveram um orgasmo e ainda por cima a ideologia machista patriarcal que seguem nos vêem como troféus exclusivos serem exibidas, por isto a neura com a virgindade feminina . Então eu me pergunto qual a vantagem de se relacionar sexualmente com homens?

André disse...

Creio haver uma correlação importante nessas estatísticas que espero que tenha sido considerada, pessoas que valorizam a virgindade tendem a valorizar também o casamento para toda a vida. Isso (além, é claro, dos abusos) não distorceria o resultado?

Anônimo disse...

As ameaças das quais a pessoa se defende podem variar: desde um bandido que deseja ferir ou roubar a pessoa, até um apaixonado que deseja apenas ama-la: todos são repelidos igualmente e acabam sendo tratados, a depender das tensões que envolvem essa pessoa, com a mesma defensividade. E se tudo o que entra nessa teia encontra dificuldade pra entrar, o que sai dela enfrenta os mesmos desafios. Assim é possível que você apresente certa dificuldade de se expressar emocionalmente, de manifestar uma intenção ou se desvencilhar de uma sensação, de uma memória negativa. O que entra fica retido, e o esforço para a purgação emocional envolve uma abertura que fatalmente deixa a pessoa aberta e vulnerável aos estímulos aleatórios do exterior.

Por conta disso, muitas vezes você se sente sozinha, mesmo acompanhada por multidões. É que você demora até conseguir estabelecer com outra pessoa um vínculo de confiança, em que você consiga ser transparente. Mas você tem necessidade desses vínculos e sempre tentam atingir esse ponto. O problema é a outra parte compreender a sua dificuldade de se acomodar a uma nova relação. Uma vez acomodada, ela revela tudo o que ela tem de melhor. É uma pessoa profundamente fiel, dispostas a dividir tudo o que tem e tudo o que é com os outros. Você gosta muito da partilha e tem uma generosidade imensa, desde que aja reciprocidade. E é nisso que reside a sua angústia. Como fazer pra saber se há essa reciprocidade? É aí que entra a fama de ciumenta, possessiva e paranoicas que você adquiriu. É provável que você desenvolva então um comportamento controlador e vigilante no âmbito dos relacionamentos. Além disso anseia por provas de amor ou amizade. Tudo o que você quer é ter certeza se não está jogando fora sua vida ao lado de alguém que é superficial ou egoísta. Essas inseguranças podem produzir reações nos outros, até porque você gosta de precipitar crises em sua relação pra saber o grau de profundidade da ligação. Se o outro suporta a crise, essa é a prova que você precisava. Se o outro não suporta (o que é muito comum) ele acaba se afastando e você acaba no final das contas não sabendo nunca se aquela pessoa não a amava de fato, ou se pegou muito pesado na sua prova de fogo.

Toda essa sensibilidade é ainda associada a muita intuição e uma vontade poderosa, o que faz de você uma pessoa profundamente capaz de ser auto suficiente mas que se coloca voluntariamente em situações de dependência emocional. Na verdade, quanto mais alimentada e nutrida pelos contatos em nível de intimidade, mas eficientemente você consegue administrar sua vida e levar a cabo suas ambições. É uma pessoa repleta de potencial, mas que coloca voluntariamente seu sucesso ou seu fracasso, com muita frequência, nas mãos de outra pessoa. Você é uma das pessoas que mais se alimenta da ideia de amor, seja amizade, amor romântico ou a pura sexualidade. Não é romântica como nos contos de fada, mas é romântica na acepção mais profunda que esse termo pode ter.

André disse...

Alícia,

Seu namorado começa a namorar uma moça de 24 anos e ainda imagina que poderia ter sido o primeiro? Domingo saiu no jornal local que 20% da meninas de 14 anos já fizeram sexo pelo menos uma vez. Ele precisa dar uma atualizada nos conceitos dele.

Anônimo disse...

Eita,

Qta raiva. Pode ser ruim p vc mas não p outras.

Mania de cagar regra.

Anônimo disse...

Ele não esperava que eu fosse virgem, André.
Na verdade ele achava que, por conta do meu discursso feminista, eu era na verdade muito liberada, fazia sexo casual e isso deixava ele inseguro, se sentindo pouco especial.

As conclusões dele estavam erradas, pois só tinha feito sexo com o meu ex, e tinha odiado. O que tentei explicar e ele não entendeu é que, ainda que eu tivesse feito sexo com muitos caras, ele continuaria sendo especial, como eu espero ser pra ele, mesmo ele tendo tido muitos outros relacionamentos antes de mim.

E essas pesquisas, sei lá, são muito distantes da minha realidade. Eu nem tinha beijado na boca aos 14 anos, acho que as coisas mudaram muito desde a minha adolescencia.

O fato é que ele me conheceu ao mesmo tempo que meu ex, quando eu tinha 17 anos. Nós três fizemos faculdade juntos e eu me apaixonei pelo meu atual namorado já naquela época. Ele era mais velho (25), não chegou em mim, segundo ele, pq podia não dar certo e íamos conviver por cinco anos ainda. O meu ex chegou e acabei namorando com ele, e perdido a virgindade com ele, e ele se martiriza até hoje por isso, e eu acho o fim.

Alícia

Anônimo disse...

Lola, você viu que os próprios mascus estão derrubando aquele blogueiro misógino?

lola aronovich disse...

Não, anon das 17:42, não estou sabendo de nada. Descobriram a identidade dele? Por que os próprios mascus estão derrubando o infeliz, se o pensamento dele é idêntico ao deles?

Anônimo disse...

Sim, Lola. Aparentemente os mascus identificaram o autor do blog. Segundo o que eu entendi, trata-se de um homem formado em Ciências Contábeis pela USP e residente da cidade de São Paulo que estaria vendendo 30 mil ações da Eletropaulo em um site de finanças. Não sei o motivo deles estarem o atacando.

Anônimo disse...

Lola, deve ser a velha competitividade masculina totalmente desnecessária, que os torna incapazes de cooperarem, apesar deles serem muito parecidos, terem pensamentos idênticos e os mesmos objetivos. Cão comendo cão, sabe?

Kasturba disse...

"Creio haver uma correlação importante nessas estatísticas que espero que tenha sido considerada, pessoas que valorizam a virgindade tendem a valorizar também o casamento para toda a vida. Isso (além, é claro, dos abusos) não distorceria o resultado?"

É verdade, né, André? Ótima observação!
Pensando por esse lado... Normalmente as pessoas que fazem questão de casar virgem, também fazem questão de manter seus casamentos até o fim da vida. Então podem, muitas vezes, aceitar situações que outras pessoas não suportariam...
Ter menor número de divórcios, não quer dizer obrigatoriamente que elas têm casamentos mais felizes. Pode até querer dizer o contrário: Que mesmo sendo infelizes, optam por se manterem em uma relação ruim, em nome de uma idéia louca de "casar virgem e viver (in)felizes para SEMPRE"

Anônimo disse...

"Anônimo disse...
Lola, deve ser a velha competitividade masculina totalmente desnecessária, que os torna incapazes de cooperarem, apesar deles serem muito parecidos, terem pensamentos idênticos e os mesmos objetivos"

Ué, mas e o discurso de que, no patriarcado, os homens se protegem e se ajudam, enquanto as mulheres são incentivadas a competir entre si?

Anônimo disse...

Rapaz, não se faça de desentendido, você sabe muito bem que homem só se importa de verdade com o próprio umbigo sujo. Vocês protegerem uns aos outros é na maioria das vezes um efeito colateral ou mera conveniência: cada um está protegendo o próprio rabinho imundo. Então, dependendo do que for mais conveniente, você expõe/denuncia/acusa/entrega seu colega com um traseiro muito sujo a fim de desviar as atenções de você mesmo ou quem sabe o seu poderia ser o próximo na reta, então você o acoberta (já que isso não é tão difícil assim nem desprende muito mais energia: você já faz o mesmo há um bom tempo com os seus próprios segredinhos nefastos, né?)

Quem verdadeiramente protege e defende vocês (o sexo masculino como um todo) são as instituições patriarcais e as mulheres que foram ensinadas a verem vocês como as coisas mais necessárias, maravilhosas e preciosas do mundo, as que foram bem treinadas para serem "boas" mamães/esposas e não rejeitaram o condicionamento masculino. Mas eu te pergunto, o que te fez achar que eu digo que os homens se protegem e se ajudam? Ah é, a maldita presunção infinita dos senhores do universo, esses seres de pura sabedoria e onisciência... e o que tem a ver as mulheres serem ensinadas pelo patriarcado a se verem como inimigas/rivais? Apesar de ambas serem desnecessárias, a rivalidade e competição entre as mulheres é artificial e imposta, o contrário da competitividade natural masculina. Respondido?

titia disse...

A verdade é que essa valorização da virgindade sempre vai ter por trás a insegurança de um molecóide machista, inseguro, ruim de cama e que está se lixando para a mulher, que a vê como um brinquedo sexual que só deve existir pra fazê-lo gozar. Uma mulher sem experiência não vai saber que ele é um bosta na cama. Não vai se sentir à vontade pra pedir que ele faça alguma coisa. Vai ser mais fácil de pressionar a fazer o que não quer. Não costuma ter autoconfiança o suficiente pra simplesmente chutar a bunda dele e ir embora procurar coisa melhor.

Pessoas, homem que valoriza a virgindade feminina é fria. Esse tipinho sempre vê mulheres como bonecas infláveis e a virgindade feminina como "selo de garantia" que se estiver violado diminui o valor do "produto". Eles querem virgens porque o sonho desses restos de bosta amassada é a boneca inflável viva, e quanto menos experiência em relacionamentos e sexo a mulher tiver, mais fácil é pra essas abominações machistas manipulá-las pra que se tornem o mais próximo possível desse brinquedo sexual de carne e osso que eles tanto querem. Foge que é cilada, mana.

Quanto aos babacas que se sentem "menos especiais" porque a mulher não é virgem, alguém já disse o que vocês precisam ouvir e acreditar, porque é 100% verdade:

“Escutem aqui, vermes. Vocês não são especiais. Vocês não são um belo ou único floco de neve. Vocês são feitos da mesma matéria orgânica em decomposição como tudo no mundo.” Tyler Durden, Clube da Luta de 1999.

Se você não é adulto o suficiente pra aceitar que mulheres não são brinquedos sexuais vivos que "perdem valor" se não forem comprados novinhos, não se relacione com mulheres. Compre uma boneca inflável ou um vibrador e seja feliz com o seu belo brinquedinho. Deixe as mulheres para quem já saiu da idade mental de 12 anos.

Anônimo disse...

Perfeito! Concordo plenamente com o seu comentário inteiro, titia. Irretocável :)

Anônimo disse...

Interessante seu comentário... Acho que é porque você se sente como eu, mas exceto você, ninguém que conheci se sente da mesma forma.

Anônimo disse...

Lola, permita-me contribuir com as informações que li. Se achar necessário pode divulgar, ao menos resumirei a história para que todos não precisem ler mais de 300 comentários de um blog ;) Não posso comprovar nada, estou apenas resumindo o que li nos comentários do blog que divulgou os dados. O autor do blog misógino por trás do personagem Chaves seria o mesmo autor do personagem Silvio Koerich, não o do site dos mascus que foi fechado, mas o que o originou. Ele envolveu-se em brigas com a dupla dinâmica Emerson/Marcelo e em retaliação teve o personagem, seu site, associado com o site criminoso. Apesar de inocente neste caso ele sumiu da internet. Anos depois voltou com um blog extremamente similar ao atual que não existe mais, não há fotos deste blog, apenas relatos. Depois ele aproveitou e criou a versão atual disfarçada de sites de finanças. Foi nesta parte que conheci sobre ele. Eu e todos interessados em finanças. Quem realmente gosta de finanças acabou acessando aquela porcaria no começo, creio que em 2012. Mas o blog falava de tudo, MENOS de finanças. Sério, conceitos simples como juros compostos ou inflação passavam longe! Ele prosseguiu nesta fachada e os leitores de finanças foram sumindo já que aquilo não agregava nada mas ele arrumou uma rede enorme de leitores (adsense) que por sua vez criavam blogs de "finanças" (entre aspas mesmo) e associavam uns aos outros de modo a ganharem mais e mais acessos. O tempo passou e um anônimo em um fórum de finanças (um de verdade) não ligado aos blogueiros encontrou um usuário questionando sobre uma quantia de ações de determinada empresa que tanto o Silvio no Orkut quanto o blogueiro diziam ter, foram divulgados links destas conversas através do arquivo do Google. Aos poucos outras informações foram levantadas como endereço, nome completo, CPF. Estas informações foram divulgadas em um blog rival ao dele de onde li tudo isto, supostamente de um membro expulso (realmente ele não é bom em fazer amizades). Ninguém sabe se os dados divulgados são dele, mas ele anunciou um possível término do blog. Imagino que mesmo ele não sendo a pessoa identificada, uma hora esta pessoa seria intimada afinal aquele blog tem (tinha?) conteúdo repleto de injúria racial, misoginia, incitação ao ódio, difamação. Oras, automaticamente a suposta pessoa diria não ser dona do blog e então o Google seria obrigado a divulgar as informações à polícia (não sou da área jurídica então não sei o quão simples isto seria). E adsense é associado a uma conta bancária e pela conta bancária chegariam no verdadeiro autor. Autor ou não este blogueiro tinha grupos no Facebook que foram fechados ou mudaram. Muitos perfis foram apagados pois estes "anônimos" estão querendo expor um a um. Ainda em tempo. O suposto autor seria formado em ciências contábeis na USP, e junto com outro ex-aluno são sócios de uma empresa de produtos de beleza. Agora a parte realmente estranha: a empresa está registrada em um flat na Vila Mariana e tem como contador um chinês. Bem, porque dois contadores contratariam um contador para a empresa? Todas estas informações são de domínio público, exceto a com os dados pessoais que foram pegas de um site que divulga informações de IPTU da cidade de São Paulo. Creio que quem derrubou o blogueiro não são mascus mas pessoas ligadas às finanças que bateram de frente com ele e outros "inimigos" deste blogueiro por discordarem da opinião. Ufa, foi isto. Abraços e continue com o blog. Ah, e menos Oscar e mais Cannes, é muito melhor ;)

Anônimo disse...

Concordo com você anônimo, no entanto não me sinto livre para se relacionar com mulheres. Parece que lá no fundo eu digo para mim mesma "você é hétero, você é hétero" numa vã esperança de ser. Feminismo me liberte.

Anônimo disse...

21:27, a que comentário você se refere?

Anônimo disse...

"no entanto não me sinto livre para se relacionar com mulheres. Parece que lá no fundo eu digo para mim mesma "você é hétero, você é hétero" numa vã esperança de ser. Feminismo me liberte."
Procure estudar sobre heterossexualidade compulsaria, o mito do amor romântico patriarcal e como somos condicionadas a acreditar que "sentimos atração" onde há repugnância, e uma engenharia social de milênios pesando sobre nós eu sei que não e fácil se libertar, mas desconstruir e preciso. Abraços.

lola aronovich disse...

Obrigada pelas informações, anon das 21:29. Muitos mascus sempre tiveram certeza que o Pobreta era o Silvio Koerich (o SK antes de ser hackeado pela dupla dinâmica, claro, e que era um babaca de marca maior, misógino e fracassado. Só mesmo mascus pra idolatrarem um cara que simplesmente sumiu sem dar meia explicação). Eu ainda tenho dificuldades de acreditar nessa versão, porque o Pobreta pode ser qualquer mascu semi-analfabeto (ele escreve muito mal, não tem quase nenhuma frase sem erros. Não lembro do SK -- ele era tão analfa assim?). Independente de quem ele seja, duas coisas sempre me chamaram a atenção: 1) ele ter AdSense no blog. Pô, uma vez eu preenchi um formulário pra por AdSense no meu blog, que é e sempre foi muuuuito maior que o dele. E foi negado. Motivo: conteúdo adulto. Porque eu (e a maior parte dos blogs feministas) falo de estupro, aborto, orgasmo, violência doméstica, sei lá. E isso é considerado "conteúdo adulto" pelo Google. Enquanto isso, um blog misógino, que chama mulheres de merdalheres, bostalheres, diabolheres, que proíbe mulheres de comentar, que chama todas as mulheres de vagabundas, e que é racista pracarai, tem AdSense. 2) outros blogueiros de finanças estarem na mesma turma que ele. Não dava vergonha não? Tudo bem que todos esses caras são reaças (parece ser obrigatório pra blogueiro de finanças ser de direita), mas nem todos eram misóginos, racistas, homofóbicos. E aí vc tá numa turminha em que o cara mais popular da turma fica te xingando por vc casar ou namorar. Muito estranha essa tolerância dos outros blogueiros com um sujeito tão preconceituoso.
A parte que eu mais gostei da existência do Pobreta foi quando ele foi expulso de casa pelo pai. Esses mascus acham que vão ser aturados pelos pais pra sempre, mas mesmo os pais cansam. Ninguém é obrigado a suportar gente insuportável.
Abraço!

Ofensor Público disse...

Engraçado que no meu círculo social (evidencia anedotica portanto) a tendência é ninguém querer mais mulher virgem. Parece que depois de uma certa idade os homens não tem mais paciência com essa espécie de "rito de iniciação" que é a perda da virgindade feminina, rodeada de um idealismo meio opressivo e que geralmente resulta num sexo meia boca (já que as virgens geralmente estão muito tensas na hora h e o negócio acaba sendo meio travado, na melhor das hipóteses). Não deixa de ter um certo machismo nessas considerações também, mas sei lá, realmente não imaginava que ainda hoje houvesse tanta idealização das virgens...

Anônimo disse...

Oi, Lola. Você viu essa notícia?

Parece que, finalmente o "Cerra" está criando vergonha na cara e diminuindo o preconceito com países socialistas.
Veja o que ele disse da China:

http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2016/09/05/de-critico-a-entusiasta-veja-como-serra-mudou-em-relacao-a-china.htm

Estamos tendo muitos retrocessos com esse governo aí, mas pelo menos uma única coisinha evoluiu nesses retrógrados.

Milla disse...

Não consegui ler muitos comentários, pq esse assunto mexe profundamente comigo. Mas, resumindo, posso dizer que concordo com a Kasturba, logo nos primeiros comentários. Sou mulher e pra mim é importante o homem não ser rodado. Me sinto só mais uma e perco o interesse por ele - se não perco naturalmente, eu mesma fico encucada com isso e o mato dentro de mim. Então, é questão do quanto isso é importante para cada um. Hoje não vejo mais tanta importáncia em me relacionar com homens (nem com mulheres, é uma forma de dizer que não sinto vontade de me relacionar). Não se trata se cada ato sexual em si seja superestimado, mas que a desilusão de algumas coisas faz a gente ver que está meio sozinha no mundo em algumas questões. E essa é uma delas. Não é um sentimento que quem prega a liberdade e o desapego vá entender.

Anônimo disse...

E lesbianismo compulsório existe? Sempre senti atração por homens( só por sarados), mas nunca fiquei com nenhum, desde meus treze anos(idade que perdi meu bv) hoje sou casada com uma mulher e estou feliz. Mas a uns 8 meses um rapaz que não deve ter nem 21 anos se mudou e virou meu vizinho, quando o vi sem camisa pela primeira vez babei, achei o corpo dele lindo todo sarado, desenhado perfeito, um tempo depois ele começou a ficar com uma amiga minha, e em nossas conversas ela falava, sobre as aventuras sexuais que fazia com o bonitão, ela foi só elogios, falou que ele adora fazer sexo oral nela, gosta de estimular o clitoris e o ponto g, tem uma excelente performance sexual, gosta de inovar na cama e adora swings e menages. Depois de ouvir essas confissões dela posso dizer que meu desejo nele só cresceu, quando vejo ele malhando na academia, ou fazendo treinos funcionais no parque, fico louca, essa atração sexual que sinto por ele cresce cada vez mais acho que ele ja até percebeu. Lola queria um comentário seu a respeito disso, o que acha que devo fazer? Sou lésbica ou bissexual já que também sinto atração por homens? Queria que você me desse uma luz.

Anônimo disse...

Mais duas dúvidas:
1) quais seriam as instituições patriarcais criadas para defender os homens?
2) como surgiram as primeiras mulheres "que foram ensinadas a verem vocês como as coisas mais necessárias, maravilhosas e preciosas do mundo" ?

Anônimo disse...

"ele queria ter sido o primeiro, e não se acha especial por não ter sido. O que é uma pena, porque ele é."

Que bonitinho :)
Ele já leu/ouviu isso?

Anônimo disse...

Lola, pode apagar a trollagem das 16:36 e 16:58? Obrigada!

Anônimo disse...

20:46, que aula! Obrigada pelo esclarecimento.

Anônimo disse...

Só deles serem os maiores homicidas e estupradores já perdem argumentos, deviam não é pensar no próprio umbigo e sim olhar pro próprio umbigo e ver que eles não são melhores são até piores, eu me envergonharia de fazer parte desse gênero e jamais ia querer ser machista.

Anônimo disse...

sobre os homens : "no one cares"

Anônimo disse...

Devo viver num mundo paralelo. Meus ultimo namorados nem perguntaram com quantos eu transei. Meu marido até hoje não me perguntou isso e tudo vai muito muito bem. Não sei onde vocês arranjam tanto homem cretino. Fujam deles, tem muito homem legal nesse mundo.

Anônimo disse...

Eu gostaria de entender a obsessão que algumas pessoas, em especial os homens, tem com o passado sexual de suas/seus parceiros/as!!! Que diferença isso faz??
Digo, alguns homens eu entendo... medinho do pinto dele não ser aquele tesouro que ele pensa que é. E geralmente não é mesmo.

Putz, não se sentir "especial" por que não foi o/a primeiro/a??? O.O
Se o cara/guria está apaixonado/a por você, faz sexo com você como se fosse o último dia na terra, o que importa se fulano/a transou com 0 ou com 100??
Estou há 13 anos com meu marido, ele NUNCA em todo esse tempo perguntou com quantos homens eu estive. Eu NUNCA tive o menor interesse em saber com quantas mulheres ele fez sexo...

Porém eu tive um """namorado""" que vinha com discursinhos de como ele admirava as mulheres virgens (eu já tinha tido outros parceiros), de como era lindo as "boas moças de família que esperavam o graaaaaaaaaaaande dia", como mulheres que cuidavam da casa, pariam e criavam o maior número possível de filhos eram tão superiores ao resto das meras mortais... aí meu pé encontrou o traseiro dele - em mais um menos 40 dias de "relacionamento"
Ah... adivinhem?? O sexo FOI O PIOR que já tive na minha vida... sério... era grotesco, nojento...

Jane Doe

Anônimo disse...

Quanto a essas pesquisas - eu achei interessante, e parece relevante que uma mulher que já tenha sido abusada, em especial quando muito jovem, tenham dificuldades sexuais ou de relacionamentos. Aliás, meio óbvio não (gastaram quanto pra fazer essa graaaaaaaaaaaaande descoberta?? 10 milhões de dólares??)

E tais estudos só procuram entrevistar mulheres, ou levar em consideração o comportamento das mulheres, pois o sucesso ou fracasso de um casamento é SEMPRE responsabilidade EXCLUSIVA da mulher em sociedades altamente misóginas (como a americana, a brasileira e praticamente todas as outras):
Se o cara é um imbecil 'scroto, violento - a função da mulher é calar a boca e suportar para manter o sacrossanto casamento;
Se gosta de sexo, quis muito sexo com o marido é uma puta que assustou o "pobri omi";
Se faz sexo por obrigação, sem gostar é por que não "ousou" e o "pobri omi" teve que procurar fora o que não achou em casa...
Se é virgem, é por que não tem experiência pra deixar o "omi" de pau duro e se já fez sexo com outros é uma puta rodada e "omi" nenhum quer "comer em prato sujo";
Se trabalha fora, não teve tempo pro "omi". Se fica em casa é uma parasita que suga o "omi"...

Enfim...

Como alguém já citou - há ainda todas as questões culturais, religiosas e sociais envolvidas...
Além disso, cada vez menos mulheres estão aceitando relacionamentos infelizes e/ou abusivos.

Por fim, é minha opinião pessoal que é muitíssimo improvável que o número de parceiros sexuais (e sexo desejado, que fique claro) SOMENTE da mulher tenha alguma relação com divórcio...

Acho que deveriam usar aqueles 10 milhões de dólares da "graaaaaaaaaaaande descoberta" pra tentar achar a cura para a estupidez humana.

Jane Doe

Anônimo disse...

Vai alugar outra, babaca cínico. Ninguém aqui é a tua mamãezinha.

Anônimo disse...

"tem muito homem legal nesse mundo"

com base em que vc diz isso? sua realidade pessoal de no máximo uns 30 exemplares?

incrível como sempre aparece alguém que adora alimentar mitos e crenças infundadas que são altamente difundidas pra enganar gente trouxa ou é mais um caso de ingênua incorrigível tentando mais uma vez iludir a si mesma?

Rodrigo Almeida disse...

Sinceramente, do jeito q as coisas são, com aplicativos de paquera e gente não dando a minima pra relações, difícil é uma pessoa não ser virgem hoje em dia. Só acho q devemos aconselhar os mais novos a esperar um pouco mais, pq cada vez parece q a sociedade está hypersexualizando, garotas de 14 anos e até menos engravidando. Acho q ser conservador nesse sentido não é algo ruim.

Anônimo disse...

Acho que isso mudou muito!Tenho 30 anos, me considero nova ainda , mas observo já muitas mudanças na dolescência de hoje para a minha. Quando eu era adolescente era uma coisa de "nosssssssaaa, fulana perdeu a virgindade!!!". Parecia que ou vc casava com a pessoa ou iria ficar solteira o resto da vida. Hoje vejo que isso não tem o menor sentido e que cada vez menos isso tem sido levado em conta. Não vejo nenhum homem esperando que a mulher seja virgem!

Anônimo disse...

Também me sinto num universo paralelo.
me senti super importante quando fiz sexo pela primeira vez e, consequentemente, não era mais virgem. Mas acho que antes, eu não me sentia viiiirgem, só não tinha feito sexo ainda.
E já fiz sexo por amor, pela trepada, por curiosidade, pelo tesão, tudo junto ou não.(Com uma pessoa de cada vez). Achar uma pessoa especial ou me sentir especial pra pessoa não está relacionado em nada a quantos parceiros eu ou o outro tivemos. É qualitativo, não quantitativo.
Acho essa conversa de virgindade tão deslocada, que nem existe espaço pra ela na minha vida. Já casei, namorei, tive casos, e cada história foi totalmente diferente da outra. Em termos da emoção do desejo, cada vez que você faz sexo com alguém é como se fosse a primeira vez, isso que é bacana.

titia disse...

Obrigada, 21:17. :)

Rodrigo também acho melhor que as pessoas não comecem a vida sexual muito cedo. Além da adolescência já ser uma fase naturalmente complicada emocional e socialmente, adolescentes não costumam ter disciplina e responsabilidade suficientes pra se prevenir. É só ver quantas burradas eles fazem, desde gravidez aos 14 anos até perder uma perna pra um tubarão, porque acham que "isso nunca vai acontecer comigo". Mas o correto é orientar e aconselhar, jamais impor alguma conduta sexual na base do terrorismo, da porrada e do machismo.

Anônimo disse...

Rodrigo Almeida,

veja bem,
se você reduz o conhecimento e a descoberta do corpo ao sexo, pode até fazer sentido falar em "esperar um pouco mais".

MAs o desejo e as sensações do corpo existem, desde sempre.

Como os meninos, que sempre fizeram jogos sexuais, né? troca troca, masturbação coletiva e tal.(Parêntese: você considera isso hypersexualização?)

Se os corpos das meninas sempre foram mais vigiados e reprimidos, a saída seria, naturalmente, fazer SEXO com um parceiro. Sexo. Olha que limitado! De todo espectro de descoberta do erotismo e de prazer, sobrava só o sexo, e com um homem.

Felizmente, as coisas estão mudando. Vejo, hoje, as meninas (pré adolescentes e adolescentes) descobrindo seus corpos, sua sexualidade, seu prazer e seu desejo, entre elas. Me parece tão natural! Sempre fui hetero, "precisei" sempre de um namorado pra me apontar sensações do meu corpo que eu não conhecia...
Quando as meninas se descobrem entre elas, o clima predominante é de carinho, e elas se livram do "pacote" meninos, que inclui as palavrinhas fácil, difícil, galinha, puta, rodada e afins...

Melhor que ser conservador, do meu ponto de vista, é ampliar o espectro de possibilidades. E, pra isso, é muito importante educar bem os meninos, pra que a sexualidade deles, também, não fique a vida toda limitada ao pau. E que o exercício de uma sexualidade mais ampla e saudável, pelos meninos não precise mais ser do tipo que converte as meninas em fácil, difícil, galinha, puta, rodada, hypersexualizada e afins...

O machismo faz muito mal pros meninos. por causa do machismo, eles estão perdendo de lavada o universo que as meninas, agora, aprendem a desvendar.


Anônimo disse...

Demorei para perder a virgindade, nunca fui interessada em sexo casual e não tinha sorte com os meus paqueras que poderiam ser namorados, então as coisas foram se prolongando. Meu ex não era virgem, mas ele perdeu numa idade que era considerado ''velho'' para um homem. Eu prefiro homens que não sejam promíscuos, praticantes de sexo casual,etc e prefiram os que sejam sejam mais tímidos e reservados, não machistas.
Agora tem muito homem tímido que vivem sempre procurando mulheres que não tem nada a ver com eles e com o que eles procuram e depois reclamam da vida, entram em sites misóginos e viram esses babacas de sempre.

Anônimo disse...

Eu perdi minha virgindade aos 31 anos de idade porque sofria de vaginismo tardiamente diagnosticado. E antes de me curar nunca consegui ter algum relacionamento por mais de 6 meses, os parceiros sempre queriam terminar. Sexo faz parte do relacionamento. Superei o vaginismo 3 anos atrás e hoje estou em um relacionamento de 2 anos e meio.
Marcia

Anônimo disse...

Pessoa estupida das 10h26, o seu comentario ajuda em que, mesmo? Eu tenho 33 anos e conheço um monte de homem legal. Algumas pessoas nos comentários disseram o mesmo.
Se você é mulher e acha que no mundo não tem cara legal, lamento por você, vai terminar com um fds abusador. Se vc é homem é acha que no mundo não tem homem legal, entendo a estratégia. Eh falar que todos são péssimos, assim você parece menos pior.

Você é uma pessoa agressiva e ridicula. Talvez se não tenha encontrado nenhum homem legal é pq a parte chata da historia, é vc.

Anônimo disse...

Lola, eu acredito que existe sim o impacto da coisa da mulher "rodada". No entanto, virgindade mesmo, sinto que, ao menos nos grandes centros, não é algo importante.

André disse...

08:52

Verdade. Já começa errado se a pessoa fica contabilizando o seu passado.

Anônimo disse...

Oi, me baseio na minha experiência pessoal imediata em um raio de alguns poucos metros para enxergar como é o mundo e quando alguém mostra que a realidade não é bem como eu vejo, eu me sinto em um universo paralelo e começo a falar sobre a minha experiência tão especial, diferente, melhor e mais agradável que essa realidade feia, suja, ruim e estranha sobre a qual outras pessoas estão falando.

Anônimo disse...

Minha mãe se casou virgem. Grande parte das mulheres da geração dela também. E isso não fez com que fossem mais felizes, no geral.
Acho que o maior problema são mulheres ainda se preocupando demais com fantasias e devaneios masculinos.
Eles sonham com a virgindade feminina e você não é virgem? Foda-se. Eu também sonho em fazer um menage com Brad Pitt e Tom Cruise, mas sei que não vai acontecer...
Na vida a gente tem duas escolhas: fica com alguém que seja o mais próximo possível do que a gente quer pra nós ou fica sozinho(a)... Que eles façam isso.
Se um cara enche a paciência da namorada porque ela não era virgem, o problema não é dela, é dele. Ele que se resolva com um bom analista ou procure uma mulher que seja virgem.

Anônimo disse...

Por que elas não vem pra o meu universo paralelo particular? É tudo tão melhor e mais fácil desse lado. Lamento muito por essas pessoas que vivem nesse outro mundo distante e tão terrível. Mas no fim das contas é escolha delas, elas poderiam escolher viver no meu universo paralelo. Quem sabe se eu continuar descrevendo ele talvez elas mudam de ideia...

Anônimo disse...

Entao descreva ai meu lindo

Hele Silveira disse...

O problema de procurar uma mulher que seja virgem é semelhante ao do rei que queria comprar a camisa de um homem feliz, porém, o homem mais feliz que encontrou não tinha camisa. Na boa... O QUE, meu Deus, um homem vai fazer com UM HÍMEN? Kkkkkkkkkkk, só rindo muito. Mais divertido, só mesmo pensar em cada homem que acreditou que se deliciou com uma bundinha virgem, kkkkkkkkkkkk. Quem nunca perdeu a virgindade de lá pela centésima vez? Chupa essa manga, mascuzada histérica, kkkkk.

Anônimo disse...

só o ruim é real?
tem coisa boa no mundo, e o mais bacana é que todos nós estamos ajudando a construir esse bom a partir, por exemplo, de espaços de diálogo como esse.
Ler experiências positivas é bacana, amplia o repertório de um monte de gente que ainda não viveu algumas coisas e que, sabendo que existe, pode passar a querer (é difícil querer o que não se conhece).
E as pessoas que tem experiências positivas e postam aqui, podem ter experiências negativas em outras esferas da vida...
Ou seja,
que bom que a internet possa ser esse espaço múltiplo de troca de experiências e informações.

Anônimo disse...

A virgindade é muito cultuada na sociedade atual. E são dois lados: os conservadores que acham que a mulher deve se manter virgem, e os moderninhos que pressionam a mulher para perder a virgindade logo. Sofremos pressão dos dois lados.
Se tivéssemos orientação na adolescência teríamos mais cuidado nesse momento tão importante na vida de nós mulheres. Eu penso que não existe idade para perder, faz quando se está pronta! Sim, já ouvi muitos comentários machistas, e já briguei muito para defender minha liberdade sexual;não permito que me manipulem ou critiquem pelas escolhas que fiz e faço.
Hoje eu tenho um lema:faço o que quero, quando quero e como quero. Isso vale para tudo e todos na minha vida.

Anônimo disse...

Achei essa parte muito bonitinha mesmo. Seria muito legal se ele soubesse o quanto ele é especial. Acho que, se ele faz você se sentir assim, você também deve ser muito especial para ele!

Miles