sexta-feira, 1 de julho de 2016

SOLIDARIEDADE A LUIZA BRUNET, VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Esta manhã foi divulgado na coluna de Ancelmo Góis que a modelo, atriz e empresária Luiza Brunet, 54 anos, foi agredida pelo companheiro (agora ex) Lírio Parisotto, de 62. 
A notícia vem tendo grande repercussão, já que Luiza é um ícone da beleza (na década de 80, quando modelos eram citadas, só se falava dela, Xuxa, Monique Evans e Roberta Close) e muito, muito famosa. Além disso, Lírio, que é segundo suplente do senador Eduardo Braga (PMDB-AM), é bilionário e o político mais rico do Brasil, além de ser um dos sócios da RBS SC.  
Maneira típica de noticiar
violência contra mulher:
"diz ter sido", "teria"
Conforme o que Luiza relatou a Ancelmo, a violência aconteceu no dia 21 de maio, quando ela estava no apartamento de Lírio, em Nova York, para acompanhá-lo ao evento de "Homem do Ano" (pasmem). Quando ela o convidou para ir a uma exposição, durante um jantar com amigos, ele se exaltou e disse que não aguentava mais ser confundido com o ex-marido de Luiza, com quem ela foi casada 25 anos. No apê, já de roupão, ele passou a agredi-la, primeiro verbalmente, e depois com um soco no olho e chutes que lhe quebraram quatro costelas. Luiza conseguiu trancar-se no quarto e, no dia seguinte, voltou para o Brasil. Fez um exame de corpo de delito no IML e prestou queixa ao Ministério Público de São Paulo. 
Alguns dias depois, Luiza publicou em sua página no FB uma foto com metade do rosto encoberto e escreveu: "A maquiagem forte esconde o hematoma da alma". Como embaixadora do Instituto Avon, que faz campanha contra a violência doméstica, Luiza postou outra imagem pedindo para que as mulheres denunciassem as agressões pelo Disque 180. 
Agora, ela disse: "Eu criei coragem, perdi o medo e a vergonha por causa da situação que nós, mulheres, vivemos no Brasil. É um desrespeito em relação à gente. O que mais nos inibe é a vergonha. Há mulheres com necessidade de ficar ao lado do agressor por questões econômicas, porque está acostumada ou mesmo por achar que a relação vai melhorar".
Na versão de Lírio, ele apenas se defendeu "através da imobilização" e lamentou aos jornalistas da distorção de um "episódio ocorrido na intimidade". 
A "justificativa" de Lírio é clichê, assim como são os comentários misóginos deixados nas notícias. Incrível que pra imobilizar alguém você tenha que quebrar quatro costelas! Incrível que, em 2016, com tantas campanhas para desconstruir o ditado "em briga de marido e mulher não se mete a colher", ainda tenha gente que fale em "episódio da intimidade". 
Meritocracia
Incrível que o conceito de masculinidade seja algo tão frágil que mesmo um bilionário casado com uma Luiza Brunet precise "provar" ser homem através da violência ao ser confundido com outro homem. 
Lírio será enquadrado na Lei Maria da Penha, que em agosto completa dez anos. Não vai dar pra acompanhar direito, porque o caso está em segredo de justiça, mas será interessante ver o que acontece quando o réu é um bilionário. 
Toda solidariedade a Luiza. É ótimo que ela, que sempre foi discreta em sua vida pessoal, tenha denunciado. Isso encoraja muitas outras mulheres a denunciarem também. E mostra que violência doméstica acontece em todas as classes sociais.
Lembrar que mulheres negras, jovens e pobres são as maiores vítimas da violência doméstica é sempre necessário, mas é diferente de dizer que a violência apenas aflige essas mulheres em situação de maior vulnerabilidade social. É preciso que todas denunciem.
Só pra terminar este rápido post, ontem dividi uma mesa sobre cultura do estupro com três palestrantes notáveis. Uma delas, uma delegada da Polícia Federal, contou duas experiências fascinantes que quero compartilhar com vocês. Uma foi que, ao fazer o concurso, ela teve que fazer flexão em barra, teste que, naquela época, doze anos atrás, eliminava 89% das candidatas mulheres e 5% dos candidatos homens. "Como um teste desses, que elimina 89% das mulheres contra 5% dos homens, não é visto como uma questão de gênero?", perguntou ela. 
Antes da delegada entrar na PF, ela estava na Delegacia da Mulher, na Paraíba, quando ainda não existia a Lei Maria da Penha. E ela narra que não havia o que fazer. Não podia prender o agressor. O máximo que ela podia fazer era dar um "chá de cadeira" no acusado, fazendo com que ele ficasse esperando na delegacia durante duas horas, para que enquanto isso a vítima pudesse entrar na casa para pegar "as roupas e as crianças". Se a situação das mulheres ainda está desesperadora hoje, imagine como era antes da lei.
E se a situação para uma mulher rica e famosa como Luiza Brunet já é difícil, imagina o que é para uma mulher pobre, que não tem pra onde ir. Mas o lado bom da atitude corajosa de Luiza é que ela afeta inclusive as mulheres pobres. Não se calem, guerreiras!
UPDATE: Luiza mostrou o rosto! "Só tentei imobilizá-la" uma ova!
UPDATE 2: O empresário depôs na polícia em meados de julho, disse que Luiza era descontrolada e o agredia e que jogou uma taça nele. Ahã. A foto divulgada por Luiza já põe por terra qualquer argumento de "só estava me defendendo". 

55 comentários:

Anônimo disse...

Fiquei muito chocada quando soube disso, minha solidariedade a Luíza e muito apoio para ela. Gosto muito da filha dela a Yasmin, é uma garota muita legal tbm. Muita força para todas! Que seja feita justiça mesmo esse criminoso sendo um bilionário, já não basta ter cometido o crime e ainda foi cínico.

Anônimo disse...

A violência contra a mulher é silenciosa tanto na classe baixa quanto na elite. Pois na classe baixa muitas mulheres se calam por medo, dependência financeira, falta de apoio e de informação e ainda passam por constrangimentos nas delegacias e hospitais.

Mas na classe alta e entre famosos a situação tbm acontece e muitos preferem viver de aparências, tbm ocorre dependência financeira, advogados mau caráter, juízes e delegados que aceitam suborno.

Ambos dos casos tem a culpabilização da vítima. Eu já vi até uma psicóloga falando "quem vai saber onde se meteu?'' sobre a Luíza, imagine o que essa psicóloga diria para uma mulher mais pobre e que nem pode se defender como a Luíza? O mesmo foi o caso da Amber Heard.

Mesmo a vítima sendo famosa e popular passa por descrédito, constrangimento e humilhações, imagine as mulheres mais humildes. Por isso que devemos lutar todas independente de classe social ou fama. Solidariedade e sororidade a todas as mulheres vítimas de violência doméstica!

Tania Pescarini disse...

Lola,

Descobri o blog a pouco tempo e, desde então, leio sempre. Sobre esse caso, fiquei chocada com a quantidade de gente acusando a Luiza Brunet de ser interesseira. Falácia, pois os dois nem mesmo eram casados. Mesmo assim, esse tipo de comentário, na minha opinião, serve somente para confirmar do que realmente se trata o contrato tradicional (patriarcal) entre homem e mulher: em troca de migalhas (mulheres casadas com caras ricos nunca são realmente donas do que vestem e comem) a mulher se sujeito à privação de sua autonomia, entrega o controle de seu próprio corpo a outra pessoa (homem), que muitas vezes acaba se tornando seu carrasco. Quem faz os comentários misóginos nas notícias entrega que sabe muito bem o quanto esse contrato é vantajoso para os homens. E desvantajoso para as mulheres ditas "interesseiras" - o que não é o caso da Luiza, uma mulher rica e independente.

Anônimo disse...

Os misóginos acusam as mulheres de serem interesseiras, mas esse fenômeno do homem ser mais rico e mais velho enquanto a mulher é mais jovem e bonita é justamente um dos frutos do machismo.
Sendo que isso nem seria o caso da Luíza ser uma ''interesseira'' (e mesmo que fosse nada disso justificaria o crime em hipótese alguma) até porque ela foi uma das manequins mais bem pagas do Brasil nos anos 80, sempre teve grandes contratos com marcas e grifes famosas.
Esse tipo de homem costuma se aproximar de mulheres para iniciar relacionamento e depois exibir uma mulher linda e deslumbrante para os outros.
Que esse covarde vá para a cadeia logo junto com todos os misóginos.

Anônimo disse...

Muito triste isso. Independentemente da classe social, essa violencia só irá acabar quando esses imbecis perceberem que mulher, sendo namorada, ficante, amante, prostituta, NÃO É SUA PROPRIEDADE.
Aprendam: A mulher só fica com você, só permanece ao seu lado, PQ ELA DESEJA, NÃO pq você é o dono, NÃO pq passou a ser sua propriedade. Se ela não quiser você mais, se vc for constrangido em algum lugar, se descobrir traição, só termina, não bata, não mate, não ameace, não xingue.
MULHER NÃO É PROPRIEDADE DE HOMEM!!!

Anônimo disse...

Lola: essa lei Maria da Penha é uma piada. Sabe qual e pena máxima pra esse caso da Luiza, ser for comprovado? Três anos de reclusão! Essa lei a pra pobre e mesmo assim quando é acionada a mulher já apanhou, Um bilionário destes jamais será punido. Detalhe: ele já entrou numa rede social e disse que se defendeu de tapas e unhadas dela e aí a imobilizou; pode até ser verdade, mas e a superioridade física dele? A covardia não conta? Ela disse que quebrou quatro costelas, ou seja, foi uma imobilização aos níveis do MMA.

Cesc Biavati disse...

Não vai dar absolutamente nada. Essa mulher deveria ter feito a denúncia nos Estados Unidos. Além de dar uma briga insana por competência territorial, ela o denunciou aqui no Brasil para conseguir holofotes e aparecer na Globo. Desaprovo a conduto total desse velho, mas convenhamos, pensem....pensem.

Se fosse a Dona Maria esposa do Zé do buteco da esquina, rs...

Anônimo disse...

Depois os misóginos acusam as mulheres de não quererem ser policiais.

Anônimo disse...

Estranho esse cara ter o nome de uma flor, tem um ditado que diz que em mulher não se bate nem com uma flor. O lírio brigou com a rosa que saiu despedaçada.

Anônimo disse...

As imobilizações de MMA não são para quebrar costelas e ele quebrou as costelas dela.

Anônimo disse...

Já estava com medo de não ter aparecido ninguém pra acusar a Luiza de interesseira/exibicionista. Que bom que enfim apareceram os advogados pessoas de bem pra acusar a vadia e defender o machinho vítima da sociedade matriarcal. (ironia mode on)

Marcia disse...

Ah Cesc, vá catar coquinho com esse machismo em outra freguesia. Ela não precisa de holofotes coisa nenhuma, precisa de justiça, como qualquer vítima. Uma coisa que alguém como argumentos imbecis e rancorosos como os seus, é incapaz de entender.

Não vamos nos calar, nem a Luiza, nem a dona Maria (que não precisa ser 'qualificada' pelo seu Zé, para mim é ser humano autônoma e independente, ainda que você diga o contrário). Pensar, já pensei e a minha conclusão continua a mesma: para argumentos como os seus, toda vítima mulher de agressão é culpada de ter sobrevivido.

Nem em 1 milhão de anos serei tão tacanha com qualquer vítima, seja ela mulher ou homem. Vá defender agressão em outro lugar...

Anônimo disse...

ELA VEIO AO BRASIL PRA FAZER A DENUNCIA DE UM CRIME QUE TERIA OCORRIDO NOS ESTADOS UNIDOS! QUE BURRAAAAAAAA

AGORA VAMOS VER O QUE NOSSAS FROUXAS LEIS VAO FAZER KKKKK

Anônimo disse...

Anon 17:03 pense você: aqui a Luiza é famosa, atriz da novela das nove na Globo e com tudo isso a chance dela lutar e vencer a luta contra um bilionário poderosíssimo aumenta. Em Nova York, qual chance ela teria? Ou você acha que lá nos EUA não há machistas?

Anônimo disse...

Corrigindo: aonde pus Anon !7:03 o correto é Cesc Bavati

Anônimo disse...

Ela o denunciou aqui porque mora aqui. É aqui que tem residência e amigos. Ela voltou imediatamente para casa, onde encontraria apoio e conforto de pessoas que a amam de fato. Mas esperar que um homem pense algo neste sentido é impossível. A misoginia desse Cesc fica cada vez mais evidente. Para o homem não há qualquer humanidade na mulher (e não faço distinção, pra mim todo homem é misógino, ocorre que alguns ainda não tiveram oportunidade de demonstrar. Basta dar tempo ao tempo que TODOS se revelam).

Anônimo disse...

Minha total admiração pela atitude da Luiza.

Primeiro pela coragem em denunciar, trazer a público uma situação sobre a qual ela sabia que, a partir do momento em que divulgasse, seria julgada de todas as formas possíveis, teria desacreditada a sua palavra.

Em segundo lugar por ter consciência de que, na sua posição, servirá de exemplo para muitas outras mulheres. Foi uma atitude responsável e altruísta sob esse ponto de vista.

Em terceiro por ter tido força de expor a dor da humilhação e da vergonha, em um mundo onde todos querem exibir relacionamentos perfeitos e vidas maravilhosas.

Parabéns a ela.

Nessas poucas horas corridas desde a divulgação do fato, já vi Luiza sendo xingada de tudo: interesseira, mentirosa. Já vi gente questionando a versão dela "por que não denunciou nos EUA?" "Por que não foi na polícia?" "cadê as fotos dos machucados?" "Por que demorou tanto para falar".
Já vi gente duvidando das intenções dela. "Quer mídia" "quer indenização".

Ou seja: o foco do julgamento é todo dela, como já sabíamos que seria.

Enquanto isso ele se defende de forma totalmente clichê, e apela para a privacidade.
Assuntos de casal só dizem respeito ao casal até o momento em que esses assuntos não se enquadrem como crime, o que não é o caso.

Luiza agiu corretamente. Procurou, em primeiro lugar, sua "casa", onde encontraria pessoas acolhedoras, amigas, no brasil. Depois foi direto ao Ministério Público. Não, ela não precisa prestar queixa na polícia, pode ir direto no MP. Passou por exame físico. Os hematomas não interessam para os curiosos, e sim para quem irá atuar no processo.

Alícia

titia disse...

Massagem cardíaca precisa quebrar costelas pra funcionar. Imobilização não.

Covardia, misoginia, entitlement, babaquice, se os machistas que vivem com uma mão na frente e outra atrás sem ter onde cair morto já se acham no direito de tratar mulheres como coisa e saco de pancada, imagine um bilionário mimado desde bebê e que sempre se livrou das consequências das merdas que fez usando o dinheiro. Pelo menos Luiza Brunet é rica e famosa, e foi direto denunciar, um ótimo exemplo pras mulheres. Quanto mais covarde agressor em cana melhor. Esse tipo de lixo não faz falta nenhuma, deviam todos ser trancados num foguete e mandados pra Marte sem bilhete de volta.

Cesc, vá se foder seu troll babaca.

Noooossa, 17:22, que engraçado...

Anônimo disse...

Ela deveria ter feito a denúncia lá nos EUA, não sei porque não fez.

Anônimo disse...

Anônimo

17:08

Flexão de Barra é um exercício que qualquer ser humano consegue fazer com treino, então venha me dizer que exigir flexão de barra para mulher seja algo "discriminatório"

Quanto a denuncia, concordo com o Cesc Biavati, o crime foi realizado no E.U.A então seria competência da policia dos E.U.A realizar o inquérito, então não vai dar em nada essa denuncia e ele vai sair impune.

Agora o que a Luiza Brunet pode pedir é indenização tanto nos E.U.A quanto no Brasil, principalmente por se tratar de lesão corporal e dano estético, haja vista que ele agrediu o meio de vida dela, que é o modelismo com tamanha agressão


Att. Malévolo

Anônimo disse...

A unica solução para isto e mulheres se afastarem definitivamente dos homens.

Anônimo disse...

Força para a Luiza, parabéns por denunciar. Juntas podemos mostrar ao mundo que podemos fazer grandes realizações, parabéns Luiza Brunet, Dilma Roussef e outras.

Anônimo disse...

Ah não enche troll ds 21:53

Anônimo disse...

Não é querer culpar a vítima, mas todas sabem que casamento por interesse tem seus riscos, por não haver amor.

Claro que isso não justifica a agressão, mas explica. Aliás, o que está meio mal explicado é porque ela demorou tanto para denunciar.


Mas de qualquer forma, se realmente ele tiver sido agredida, fica aqui minha soliddariedade.

Anônimo disse...

a) Força e coragem a Luiza Brunet neste momento delicado de sua vida.

b) Mas em uma sociedade machista como a nossa somos obrigadas a ler babaquices.

c) Luiza Brunet é uma empresária de 54 anos ela já tem dinheiro e casou com um homem que a idade regula com a dela. Mesmo se ela fosse mais jovem não justifica a violência.

c) Após a agressão ela voltou para casa para a família e amigos é compreensivel

Anônimo disse...

10:41, e desde quando homem ama mulher, seu imbecil? Mulher casada com homem pobre não apanha, seu idiota? Esse seu comentário explicaria o tapa que daria na sua fuça se eu tivesse chance. Não justificaria, mas explicaria.

Anônimo disse...

Nossa gente, que nojo.
É INCRÍVEL o tanto que as pessoas ainda falam isso
" se for comprovado, solidariedade..."
Quando é assalto, ou sei la q merda, se abrir o bico todo mundo acredita, mas quando eh estupro, agressão contra mulher, NINGUÉM acredita.
Não consigo pensar em outra coisa, ninguém respeita mulher não, mulher não tem voz, nem rica, nem pode, nem preta, branca, loira, ninguem tem respeito com nada não, e se tivesse, não ficaria esse alvoroço todo contra a vítima, falando que quer aparecer, que quer fama, quer indenização.
Misogenos, vão todos tomar no cu

Anônimo disse...

Tem muitas mulheres se casando apaixonadas com caras nem se quer são ricos, alguns ainda por cima machistas que se dizem ''homens bonzinhos, românticos e honrados'' e advinha? Várias delas estão apanhando desses sujeito assim mesmo.
Só para constar, a Luíza já era muito rica antes de conhecer este sujeito.

Anônimo disse...

E é mesmo, mulher pode ser a Eva ou e Maria.
No final ambas apanham.
Quando o cara odeia mulher, não tem jeito, infelizmente a mulher vai apanhar SIM.

Anônimo disse...

Parisotto ficou furioso quando algumas pessoas o confundiram com o ex-marido de Luíza. Isso incomodou o ego do típico machista que se acha proprietário da mulher. O caso de Luíza Brunet chamou a atenção para esse machismo terrível dos homens poderosos que se sentem proprietários das mulheres consideradas lindas e desejadas e ainda as agridem, isso quando não as exterminam. E depois esses mesmos homens bancam os coitadinhos, fazem pose cabisbaixa e, quando deixam de ser punidos, ainda olham para nós como se quisessem nos convidar para um cafezinho.

Luíza Brunet foi símbolo sexual, mas buscava ser sempre elegante e nunca foi vulgar. Ela é uma excelente profissional e sabe lidar com a fama. Foi uma coragem de Luíza denunciar a violência que sofreu, aproveitando a visibilidade para chamar a atenção de um drama que muitas mulheres sofrem há séculos ou indo mais longe até milênios, sem que alguma justiça seja feita.

Vários homens milionários atuais estão preferindo namorar e casar com mulheres independentes e interessantes por causa de um novo fetiche mais sofisticado do que as antigas "sinhás recatadas do lar". O novo machista de classe alta quer uma mulher bonita, mas que também tenha ''algo mais''. O machismo da classe alta tenta se adaptar aos novos tempos.

É nesse cenário que Luíza Brunet denuncia o machismo do ''High Society'', expondo que ser machista não depende de ter muito dinheiro ou da falta de dinheiro, mas da arrogância narcisista de homens super poderosos mais preocupados com seus "membros centrais" do que com qualquer outro assunto. Este caso se soma a muitos tantos no Brasil.

A agressão de Lírio Parisotto mostra que a crise não é só econômica. A crise envolve caráter também, já que dinheiro é o que não falta nesse poderoso empresário. Agora é mais do que evidente que a misoginia está em todas as classes sociais.




Anônimo disse...

Mascu das 10:41, mulher casada com homem pobre tbm sofre de violência doméstica e não são poucos os casos. Inclusive tem casos de mulheres espancadas por homens que tem renda até menor do que a delas.

Anônimo disse...

Sabe o que é curioso? Ninguém acha estranha a justificativa pra bater nela. Bater na mulher porque foi confundido com outro. Ninguém questiona isso tipo "que absurdo!! nenhum homem bateria numa mulher por causa disso!" Ninguém fala. Só dizem que ela está mentindo pra aparecer e ganhar dinheiro. Ou seja, no fundo as pessoas não duvidam que um homem bateria numa mulher por causa disso porque sabem bem do que essa raça é capaz.

Anônimo disse...

'"Como um teste desses, que elimina 89% das mulheres contra 5% dos homens, não é visto como uma questão de gênero?", perguntou ela. '

A policial feminina em serviço será submetida às mesmas condições que o profissional do sexo masculino. O equipamento terá o mesmo peso, os criminosos resistirão às prisões com a mesma intensidade, etc. Logo, para cargos que exijam preparo e força física, nada mais justo que estipular teste objetivos, sem diferenciação por gênero. Agente de polícia não é profissão para se fazer "justiça social"; em razão da responsabilidade do cargo, devem ser eleitos apenas os mais aptos.

Anônimo disse...

Fui ler os comentários no G1 pra nunca mais, tive que voltar aqui pros olhos pararem de arder. Tem de tudo, desde homem dizendo que ela mereceu pq "é interesseira" até poeta ensinando que devemos nos casar por amor, pois com o tempo "a mulher passa, e a pessoa fica"... Pqp, pra esses merdas mulher não é gente.
Eu não tenho esperança nenhuma em relação a homens dessa geração. O dano já foi feito, agora nos resta investir nos meninos e socializá-los a serem gente no futuro. E foda-se o "not all men", prefiro não arriscar, só tenho uma vida.

Dan

Anônimo disse...

Nossa, concordo com o anon das 18:04, fui olhar esses comentários.
Impressionante, ninguém da valor no que uma mulher fala, ou não apanhou, ou apanhou por algum motivo( interesseira ou quer aparecer na midia).
Esses homens são tão inuteis, despreziveis, que até reconhecem, pq PRA TUDO , dizem que mulher só estão com eles por interesse financeiro, bom que já sabem que não servem pra nada, só pra prover mesmo, pq o resto... pqp

Anônimo disse...

20:06, nem pra prover servem. Como disse a anon acima eles oferecem migalhas e acham que estão comprando a mulher assim. Nem os filhos esses trastes proveêm direito.

Anônimo disse...

Quem ta precisando pensar aqui é vc cesc. Pense, pense...
Leia sobre violência doméstica e sobre os vários casos que acontecem com mulheres de todas as classes sociais. Pense, pense

Anônimo disse...

Na sua cabecinha se uma mulher como a luiza brunet está com um milionário é só por interesse, certo?
Então se o cara é rico, é impossível se apaixonar? Se eu me apaixonar de verdade por ele ainda assim estatei sendo interesseira?
É, então gente rica tem q ficar só, pois pelo visto não adianta, mesmo estando com alguem que também tem muita grana, sempre vai ser interesse.
Se vc é a pessoa que tem mais grana, esquece. Vc pode ser legal, bonito, divertido, interessante, que sempre vai ser única e exclusivamente pelo seu dinheiro.
Me pergunto que desculpa mais usam em casos assim em que ambos são pobres. Acho que mesmo quando tem acordo pré-nupcial, sempre vai ser visto como interesse. Da mulher, claro. Especialmente se for com diferença gritante de idade.
Se fosse o contrário acredito que o cara também seria tachado de interesseiro, mas a culpa seria da mulher rica que fica pagando caras mais novos pra fazerem compania pra uma "velha acabada"

Anônimo disse...

Desculpa mas assim: mulheres tb mentem! O mal de muitas feministas eh essa credulidade sem questionamento.

Anônimo disse...

Caguei pro not all men. Sei que não são todos assim. Não sou radical de sair pregando que mulheres "virem" lésbicas (até por que não se vira, ja se é) ou que pratiquem o celibato. Mas homestamente, pra MIM não dá. Hoje em dia se envolver com homem, e que nem brincar de roleta russa e eu nao estou disposta a correr o risco, se eu tiver que botar em cheque a minha vida, e dependendo do caso, a da minha família também.

Anônimo disse...

No G1 tem comentários misóginos inclusive vindo de mulheres. Eu vi no facebook até uma psicóloga falando que a Luiza ''sabe-se lá onde estava se metendo para merecer isso''. Realmente, gostando ou não a verdade é que nem todos os homens são misóginos e nem todas as mulheres são solidárias a outras mulheres.

Anônimo disse...

É ridiculo falar que se ela estava com homem mais velho, foi por interesse. Os dois tem quase mesma idade, ela também é rica, ela é capaz de se manter sozinha. Agora quando é mulher pobre, inventam outras desculpas, sabe se lá do que.
|Francamente, mulher não tem voz =( sofre o tanto que for, muito dificil alguém ter empatia.

Anônimo disse...

Acho uma estupidez sempre julgarem que a pessoa com menos dinheiro (principalmente se for atraente e bem mais jovem) é obrigatoriamente interesseira. Coisa mais ridícula.

Hele Silveira disse...

Só para constar: casamento por amor é muito mais arriscado que casamento por interesse. Interesse, cada um tem o seu e isso já é o que se espera. Mas do amor... quem sabe o que esperar? Coração dos outros é terra onde ninguém pisa. Se existe maior risco, desconheço.

Anônimo disse...

Minha esposa faz flexao de braço melhor do que eu.
Não misogenia nos testes da Policia não. pelo menos em minha opinião

Anônimo disse...

Eu achei esse caso bem emblemático sobre violência doméstica (link abaixo). Em especial a justificativa do marido (um sargento do exército) de que tinha quebrado o nariz da esposa com um soco, para se defender de uma mordida. Ele diz: "olhem a foto e digam se foi um espancamento". Sério gente... olhem a foto!! Mesmo o cara tendo admitido publicamente que agrediu a esposa, ainda tomou alguns dias até ele ser preso.

Outra coisa que eu li é que a lei hoje não prevê prisão imediata. Parece que a polícia tem que esperar 24h pra receber um documento que permite a prisão. A gente sabe que esse tempo é hiper crucial, porque as vítimas correm muito mais risco de serem mortas quando denunciam. O delegado estava falando que tem uma outra lei, já tramitando, que vai melhorar isso e permitir a prisão imediata.

http://oglobo.globo.com/rio/menino-usa-internet-para-denunciar-agressao-mae-19590162

Anônimo disse...

Não acho que seja sexismo pedir flexão no teste da polícia, uma vez que o condicionamento físico é muito relevante para o trabalho.

O que acho sexismo é a nossa cultura de que 'mulher forte é feio', 'mulher forte parece homem', 'mulher tem que ser delicada e frágil' e por aí vai.

Sou super a favor que as mulheres treinem artes marciais (recomendo Krav Maga), esportes de contato (tipo handbol), e malhem membros superiores. E façam um belo de um 'banana', com seus bíceps musculosos, pros machistas que acharem que elas estão 'muito masculinas'.

Anônimo disse...

Pra quem tá falando aí que golpe de MMA de imobilização quebra costela, deixo um vídeo aqui...

https://www.youtube.com/watch?v=Tew8aa-Pc74
(Mulher imobiliza marido com golpe de jiu-jítsu em saída de boate no Pará)

Anônimo disse...

Também não acho sexismo a cobrança do mesmo teste físico pra homens e mulheres nos trabalhos militares. Concordo com cada palavra de 12:12.
A gente sabe que mulheres também mentem. O problema é quando acham que mulher sempre mente, como no caso de agressões e estupro. Suspeita-se que o sujeito roubou a porra de uma lojinha? Prende no poste e espanca. Notícia de filhos agredindo os pais? Essa geração tá perdida, um absurdo. Notícia de pais agredindo os filhos (desde que não tenha matado/quebrado braço)? Isso aí, senão vira delinquente. Se matou/quebrou braço? Um monstro, pena de morte pra esses pais. Qualquer denúncia de assalto/furto? Esse país é uma merda mesmo, brasileiro é lixo. Agora, denúncia de mulher agredida/estuprada? CALMA AÍ, não é bem assim, não sabemos os fatos, interesseira, mas fez por merecer, quer aparecer na mídia, quer estragar a vida do pobre ômi que não fez nada.
Aí realmente tem que vir feminista bater o pé que a mulher pode sim estar falando a verdade e o pobre, coitado, injustiçado ômi é perfeitamente capaz de mentir pra tirar o dele da reta. Tem.muito pouca feminista que defende coisa na linha "a palavra da mulher deve ser usada como prova substancial", mas todas ficam putas com essa história da moça denunciar o crime e a vida DELA ser esmiuçada na mídia. Vai em QUALQUER portal de notícia online que suporte comentários (até mesmo os tidos como "de esquerda") pra ver essa tendência.

donadio disse...

Olha, a Luiza Brunet fez um exame de corpo de delito. Acho muito improvável que ela afirmasse em público que foi agredida se soubesse que o exame iria desmentir essa afirmativa.

Já vi loucuras de todo tipo, inclusive uma teoria da conspiração a respeito do agressor ser segundo suplente do senador Eduardo Braga, que parece estar indeciso sobre o impeachment da Dilma. De que jeito acusar o segundo suplente de agressão iria modificar o voto do titular, não sei, mas desde que seja pra livrar a cara do congênere (pessoa do mesmo gênero) parece que vale tudo.

Mulheres mentem? Mentem, é claro. Mas a questão não é se mulheres mentem, nesse nível de generalidade. É se esta mulher específica mentiu ao denunciar esta agressão específica. E aí o fato de outras mulheres mentirem, seja em contextos similares ou completamente diferentes, não tem o menor peso.

Anônimo disse...

Eu fico de cara como sempre tem ômi (sem h mesmo) querendo justificar o injustificável. Cesc, pode ser a Hilary Clinton, a Luiza Brunet ou a dona Maria. Todas devem ser amparadas pela lei e ter seus agressores punidos. Inclusive, provável até que o bilionário em questão se safe com o exército de advogados.
Tem que expor sim. Ninguém gosta de aparecer com olho roxo não meu querido. Mulher que apanha do marido não recebe flores, recebe é mais porrada de gente como você que está sempre disposto a defender bandido.

Anônimo disse...

Anon de 23:10.
Sinto a mesma coisa. Not all men, not all men, not all men em todos os lugares, mas nada dos homens refletirem do porquê de seus congêneres agirem assim e do porquê desse modelo de masculinidade violenta.
Tem muito homem que, numa situação de violência e desumanidade na qual a vítima é uma mulher, deixa seus valores como ser humano de lado para defender o agressor. Fica difícil a gente pensar que algum deles possa nos tratar como seres humanos.
Na dúvida, acho bom rezar para não topar com uma situação em que a gente precise da ajude de machos como o Cesc e outros que trolam por aqui. O antifeminismo desse povo é tão forte que é capaz deles deixarem uma mulher morrer,pq né, é mulher.

Laura disse...

Os homens estão com um problema sério em assumir que EXISTEM crimes como estupro, espancamento de mulheres e outros grupos (homossexuais). Sempre tentam relativizar para dar a impressão que esse caso, não foi bem assim, não foi aquela "violência contra mulher" que até apoio e faço campanha. Nem esse, nem estupro coletivo, não existem na cabeça deles. Tudo para não admitir que mulheres morrem, são estupradas e espancadas por HOMENS todos os dias. E não vejo isso como um 'corporativismo' masculino. É pessoal: muitos homens se identificam com o agressor. Porque com um caso assim sendo repudiado o que ele pode pensar sobre ele mesmo? e dos seus amigos? e da relação entre seu pai e sua mãe?
Homens defensores da violência, nós não vamos nos calar! Vai ter denúncia, exposição dos agressores até que haja consciência e evolução da sociedade para o melhor bem viver.

Anônimo disse...

Eu acho que ela quer dar o golpe, o histórico dela é terrível ela sempre foi agressiva com os maridos anteriores... e esse não aguentou.

Em minha família meu pai sempre foi calmo e apanhava das agressões constantes de minha mãe, ela batia nele até com tampa de panela de pressão e ele não reagia.

Enfim meu pai morreu e depois minha mãe tentou outro namoro e com o tempo ela foi para cima desse namorado e o atacou e ele revisou com um soco e empurrou ela, pois, ela estava com uma faca.

Sei que muitas apanham, mas temos que ouvir o outro lado.

Genésia.

titia disse...

Esquece, mascu Genésia. Você não convence ninguém com esse papo furado.