quinta-feira, 14 de julho de 2016

"MINHA NAMORADA TEM CIÚME DOS MEUS AMIGOS"

O C. me enviou este email:

"Olá, acompanho o blog há algum tempo, indicação da minha namorada. Gosto da sua narrativa e dos temas que aborda. Tenho 27 anos e levo um relacionamento super tranquilo, gosto da minha namorada (ela tem 26 anos) e acredito que no futuro estaremos juntos e teremos muitos 'barrigudinhos' juntos. 
Estou quase sempre enfrentando uma situação delicada. Sempre que minha namorada sai com as suas colegas eu fico super tranquilo, incentivo ela, falo que é super importante o encontro com as colegas, colocar o papo em dia, quando minha presença é solicitada vou numa boa (é raro, geralmente só pra buscar ou no fim do encontro para lancharmos juntos) e gosto de muitas das colegas dela. 
Sempre que vou encontrar meus amigos de infância, o problema se instala, minha namorada insiste em querer ir junto, mesmo eu explicando que só vai ter papos sobre coisas que aprontamos na adolescência, discussões sobre temas mais, digamos, 'de garotos'. Ela esperneia, grita, se aborrece, me trata mal. Não me considero machista, acredito que sim, ela pode debater sobre os mesmos assuntos, só que ela não entende que se eu a levar, ela será a única mulher e vai ser no mínimo estranho para mim e para meus colegas. Os encontros são raros e por muitas vezes são combinados dois dias antes. Eu trabalho muito e estudo, o que torna difícil a situação, já que ela mora longe e as brechas pra ela vir são poucas. 
Eu tentei buscar uma solução, falando que poderia marcar um jantar ou churrasco no qual todos os amigos poderiam vir e trazer as suas respectivas namoradas; mesmo assim, ela diz que no futuro vai querer ser a única menina a ir na reunião de meninos e que estou tentando escondê-la, o que eu acho estranho, ela é linda super gente boa, só não tive a oportunidade ainda de apresentá-la aos amigos de infância, estes que eu só voltei a ter contato recentemente. 
Esse grande encontro ainda não aconteceu, não por falta de convite e sim das adversidades que os colegas têm em comparecer. 
Lola me ajude, não sou um mau namorado, amo ela. Mas isso sempre atrapalha nossa relação, gostaria de ler uma opinião sua."

Minha resposta: C., não deu pra entender pelo seu relato se sua namorada tem ciúme dos seus amigos ou se ela está se sentindo excluída quando você sai com eles e ela gostaria de se enturmar. Você automaticamente concluiu que é ciúme, mas pode não ser.
De todo jeito, minha primeira impressão é que sua namorada está errada. Namorados têm que ter um espaço pra respirar, pra sair com amigxs. O casal não precisa ficar junto o tempo todo. Isso nem é saudável. Se namorar significa romper contato com velhos amigxs ou não poder fazer novas amizades, ou se significa ter que levar o namoradx a tiracolo a qualquer encontro, então namorar deve ser bem chatinho. E não tem que ser assim.
Moça fez camisa para
namorado usar
Entendo que muita gente é ciumenta. É difícil não ser. Anteontem vi uma palestra sobre literatura e psicanálise e a palestrante, uma psicanalista, lembrou que é comum uma criança ter ciúme do irmãozinho quando ele chega na família, porque a criança deixa de ser a única e percebe que a atenção que recebia antes agora será repartida. Ou seja: ciúme nem sempre vem de um sentimento de posse, mas da frustração em ver quem você ama não dedicar atenção exclusiva a você.
Talvez seja este o caso da sua namorada. Imagina que vocês já se veem pouco, e num dia em que ela quer muito te ver, você reserva para sair com os amigos, sem ela. Realmente é ruim. Mas você disse que não é isso que acontece, que os encontros com amigos são raros.
E olha, se sair com grupo de amigos já levanta suspeitas, imagina se você quiser sair com uma amiga... E você, aceitaria numa boa se sua namorada saísse com um amigo dela? Boa parte dos casais não têm maturidade suficiente pra lidar com isso, o que é bem estranho. Afinal, a gente acredita que pessoas podem ser amigas, sem sexo incluso. Por que então vai desconfiar logo do nosso parceirx?
C., eu sempre acho que comunicação é o melhor caminho. Converse com sua namorada. Veja se é ciúmes mesmo ou se ela está se sentindo excluída ou se ela sente que você não lhe dá atenção. Explique que não tem nada disso de sentir vergonha dela. E marque um jantar ou churrasco pra que os amigos levem as respectivas namoradas e todos se conheçam. Quem sabe assim você e sua namorada consigam viver sem brigas inúteis. Boa sorte! 

82 comentários:

Anônimo disse...

A solução é simples: vá aos encontros que você quiser, independentemente do resultado que tal ação causará ao relacionamento. Não há motivos para um homem adulto se relacionar com alguém que cerceia injustificadamente sua liberdade.

Anônimo disse...

Eu era muito ciumenta. Ainda sou um pouco, mas tento sempre trabalhar isso. Ele tem os jogos com a galera nos fins de semana e as vezes durante a semana. Ele sempre me convida, mais não vou e sempre falo com ele, que acho que ali deve ser o espaço dele com a turma.

Ele também agora faz faculdade e eu fico com muito ciúme das amigas. Só que faço o seguinte, incluo várias coisas na minha vida. Comecei a fazer parte de um grupo que realiza atividades beneficentes, muitas vezes aos domingos enquanto ele está jogando.

Faço caminhada, corro, vou na casa de uma amiga colocar o papo em dia, me inscrevi em um cursinho pela internet, e faço as aulas nos fins de semana enquanto ele não está comigo.
Enfim, ambos trabalhamos e estudamos e só temos os fins de semana juntos, e uma coisa que eu coloquei na minha cabeça é: Como é divertido relembrar as bagunças com minhas amigas, as nossas conversas e baladas sem o namorado, e depois pensei que chato futuramente eu contando isso pra ele e ele ali sem história nenhuma pq eu tinha ciúme demais e não conseguia vê-lo saindo sozinho.

Partindo da premissa que ninguém é propriedade de ninguém, e que sim, relacionamentos podem acabar, eu aplico a lei do desapego. Acho que você deve conversar muito com a sua namorada, apresentá-la aos amigos de infância assim que tiver oportunidade, e procurar demonstrar pra ela sempre que da pra ter uma relação e continuar saindo com amigos sem problemas.



Anônimo disse...

Nossa que história mais importante pro feminismo mundial. Isto realmente é tipo da lista de preocupação para nós depois de violência de gênero, direitos reprodutivos, estupro etc.

Anônimo disse...

Imatura né, simples assim.

Anônimo disse...

Ta na cara que é uma porcaria de namorado que só olha o próprio umbigo. Eu ainda não entendo o que muitas de nós ainda enxergam em relacionamentos abusivos com homens, não ganhamos nada nos relacionando com opresores. E psicologicamente pertubador, socialmente opressivo e emocionalmente insatisfatório se relacionar com homem, além de ser sexualmente insatisfatório ter relações com eles, e sabido que mais de 80% das mulheres que acreditam serem hétero nunca tiveram um orgasmos com seus parceiros, sem contar que a própria mecânica penetrativa do sexo com homens e uma "violência que fora naturalizada" para as mulheres, além da enormidade de doenças que eles nos passam
Então eu pergunto, para que?

Anônimo disse...

Há claro, a culpa não sempre dá menina, nos sempre somos histéricas e ciumentas e não eles machistas e babacas, SQN

Anônimo disse...

Mulher imatura, simples

Anônimo disse...

Homens juntos não dá coisa que presta.
Aliás, homem não dá coisa que presta.

Anônimo disse...

Os 2 comentários acima exemplificam um problema sério do feminismo radical atualmente, colocar a mulher sempre no papel de vítima indefesa e psicologicamente incapaz de agir de forma escrota, e o omi sempre é o vilão que tá errado em todas as situações só de respirar. Porra, esse binarismo desse tipo de feminista me dá uma preguiiiiçazzzzzzz

lola aronovich disse...

Procuram-se: comentários inteligentes para este post! Por favor! Chega de besteiras como "homem não presta" ou "mulher é imatura" ou "isso mudou a história do feminismo" (como se TIVESSE que mudar). Que tal refletir sobre amizades, ciúmes, sentimento de posse, necessidade de atenção num relacionamento, essas coisas? De repente até ajudar o rapaz do email, que mandou a mensagem realmente pedindo ajuda?

Anônimo disse...

Anom 13:22

Considerando que este é o blog pessoal da Lola, os assuntos postados aqui são antes de tudo importantes e interessantes pra ela. O post pode não ser relevante pro feminismo mas ela achou interessante e quis postar. Sites que discutem assuntos relevantes ao feminismo no Brasil e no mundo 24h por dia é o que não falta na internet, na lateral do blog tem ótimas sugestões alias.
Dizer que o rapaz do post é "uma porcaria de namorado" sem nem conhecer é pessoa é absurdo. Se única razão de achar que ele não é pq ele homem, avisa a Lola que ela tá perdendo o tempo com o maridão.
É vdd que só temos o ponto de vista do rapaz e história fica pela metade, mas não custa nada tentar ajudar alguém que pediu ajuda no relacionamento.

Anônimo disse...

Lola, mas sério, essa conversinha aí me parece tanto com relato de cara abusivo que se faz de bonzinho pros outros. E não acho que seja coincidência.v

Não consigo sentir empatia por homem que reclama dizendo que a namorada "esperneia" e tal. Do jeito que ele falou da menina parece que ela é uma completa desequilibrada. Esse papo é bem manjado, hein? Homem chamando mulher de louca (mesmo que de maneira não tão óbvia, como no post), é chance altíssima de ser um canalha abusador.

Não acredito nem por um segundo em homem que se diz vítima inocente e tem mulher/namorada louca de ciúmes. Sério. Não mesmo.

Nesse caso do post, não duvido que ele esteja nesse momento esfregando a tua resposta na cara da namorada e dizendo: "viu? até feminista te acha louca!"

PS: Já conheci um caso de namorada super ciumenta e o cara era bacana, mas ela teve problemas graves de doença, de engordar por isso e ficar depressiva, perder emprego bom que tinha antes, então ela tinha mil motivos pra ser insegura, porque mudou muito depois que os dois se conheceram. Mas ele gostava da guria e nunca o vi se fazendo de vítima pra ninguém não. Eu só soube da história porque ele íamos juntos a um curso de especialização e presenciei várias brigas por telefone. E ele não contou a história como se fosse um coitado infeliz.



Anônimo disse...

Eu acho engraçada essa necessidade que homens tem de ficarem ente si, longe de mulheres. Parece que quando estão entre mulheres é sempre fingimento e entre eles mostram quem verdadeiramente são. Não tem aquela frase machista que diz que se homens pudessem saber o que as mulheres pensam morreriam de rir? Pois eu acho que se as mulheres pudessem saber o que homens pensam vomitariam e nunca mais ia querer nem olhar na cara de um.

Anônimo disse...

já estive dos dois lados (fui ciumenta e sofri ciúmes), e desenvolvi uma tese.

Há dois tipos de ciúmes. Quando a pessoa que está com você realmente dá motivos para você desconfiar é o ciúme da insegurança. Meu ex sumia fins de semanas inteiros, desligava o telefone quando tava comigo e tinha mil outras atitudes suspeitas ao longo dos nossos seis anos de namoro (sim, eu era bobinha). Ele alimentava isso em mim me deixando insegura em duas frentes: quando agia assim, de modo suspeito, e quando minava a minha confiança. Eu fui modelo na minha cidade. Fiz alguns desfiles, tirei fotos para lojas locais, fiz make e penteado para salões de beleza fotografarem, coisa amadora, mas me dava uma graninha pra complementar meu estágio. Ele fazia questão de ir junto em nome da minha segurança (minha mãe sempre me acompanhou, então denecessário). E sempre fazia questão de dizer que poderia ter ficado melhor, pra eu deixar isso pra lá pq eu nunca ia conseguir viver disso (e nem era minha pretenção!). Enfim, esse é o ciúme insegurança.

Hoje, quanto eu sinto ciúme do meu atual é totalmente diferente. Não é algo provocado pelas atitudes dele, que não são nem um pouco suspeitas. E sim porque reconheço nele qualidades que sei que podem ser reconhecidas por outras pessoas. E é claro que quando gostamos muito de alguém temos medo de perder. É um ciúme-elogio. Um reconhecimento de que temos alguém incrível do nosso lado. Tento demonstrar isso pra ele, porque ele as vezes deixa o ciúme interferir na nossa paz e é realmente chato quando você age certo e tem alguém desconfiando que vc age errado, lidar com isso pro vezes é desgastante.

Pergunto ao autor do post, qual ciúme você tem provocado na sua namorada?

Alícia

Anônimo disse...

Tem uns comentários aqui que parecem uma "real feminina", meu Deus do céu.

Anônimo disse...

"Eu acho engraçada essa necessidade que homens tem de ficarem ente si, longe de mulheres. Parece que quando estão entre mulheres é sempre fingimento e entre eles mostram quem verdadeiramente são" 14:39

Sou homem e concordo. Mas, se isso vale para o cara escroto que tem que esconder sua imbecilidade, também se aplica a quem não se enquadra no estereótipo pretendido pela maioria. Essas atuações, que também ocorrem bastante entre as mulheres, tornam as interações sociais cansativas e superficiais para ambas as partes.

Anônimo disse...

"Esse papo é bem manjado, hein? Homem chamando mulher de louca (mesmo que de maneira não tão óbvia, como no post), é chance altíssima de ser um canalha abusador.
Não acredito nem por um segundo em homem que se diz vítima inocente e tem mulher/namorada louca de ciúmes. Sério. Não mesmo." 14:35

Ah claro, porque mulher excessivamente ciumenta e emocionalmente instável é algo raríssimo...
Ops, acabei de entrar no grupo dos "canalhas abusadores" hahaha

Anônimo disse...

A Blogueira é uma adepta descarada da censura. Isso se chama hipocrisia.

Marcia disse...

Olha, infelizmente eu conheço muitas mulheres possessivas em relacionamentos héteros. O que essas mulheres choram, sofrem e muito tentam manipular seus companheiros, como forma de evitar essa dor de ser traída, que elas tanto temem, não é pouca coisa.

Não acho, nem de longe, que o machismo apenas nos coloca no lugar de agredidas, embora esse seja o lugar onde nós somos mais assassinadas, sem sombras de dúvida. É uma questão de sobrevivência, literalmente, denunciar e entender esse 'local social'.

Mas é a única coisa que o machismo faz com a subjetividade das mulheres? Pior que não é. Tem uma coisa com a distinção binária entre os gêneros, é que essa distinção importa até para o 'mal' que as mulheres cometem. Ser a 'guardiã' do relacionamento, a fonte inesgotável de memória da família, a 'eterna cuidadora', aquela que precisa investir e cultivar o relacionamento, não apenas torna as mulheres muito mais suscetíveis a serem vítimas de violência doméstica, mas como também projeta para elas o papel de controladora e chantagista mor. Tá ok ser uma mesquinha controladora, por que isso é que 'segura macho' perto e garante que você vença a competição contra as 'inimigas'.

Paranóia pura, daquelas que a maioria das mulheres é socializada a ver como 'um mal necessário'. Muito me espanta que feministas aqui do blog, frente a essas histórias, prefiram dizer: basta não se relacionar com homem, que tá tudo certo. Você, insegura, paranóica, com medo, ciumenta, pode se livrar disso quanto quiser, basta se 'decidir'. E depois eu é que sou liberal que acredita cegamente em agência individual...

O machismo vai ensinar a todo homem que trair é comum, e a toda mulher que só cabe a ela evitar que isso aconteça. Uma merda de jogo, infelizmente ensinado as meninas desde muito cedo.

Não sei vocês, mas no meio rural onde cresci, era muito comum que se falassem as meninas desde as idades mais novas, que 'mulher que ama cuida', não 'dá espaço para rivais', 'precisa estar atenda aos movimentos dos homens', 'é normal que eles queiram trair, mas se você acompanhar, ele não irá', ter um relacionamento, se casar 'são os maiores BENS (no sentido de propriedade mesmo) que uma mulher pode ter. 'Cuide de seu homem, senão outra cuida'.

Daí que eu vejo como pauta para ser discutida dentro do feminismo esse papel de mesquinhez moral que o machismo projeta como 'ideal de mulher controladora do relacionamento'. Mulher que cuidará da 'virtude de fidelidade do seu homem' (porra, como se eles não fossem capazes dessas escolha moral sozinhos). E todo aquele mito mané da monogamia, que embora mito, é estruturante da maioria esmagadora dos relacionamentos.

Marcia disse...

Para o moço do relato: não vejo vantagem em você acusar a sua namorada de ser machista, ela só vai lhe repetir o que foi socializada a acreditar: todo homem quer trair, se eu não cuidar, também vou ser enganada. E vamos comentar: traição é muito comum, infelizmente.

A questão toda é dizer quem nem você, nem ela, são propriedades um do outro. Que relacionamento monogâmico estabelece exclusividade sexual, mas não exclusividade sentimental. Que sim, você quer seu espaço, mas se é importante para ela te acompanhar, que seja em algumas ocasiões, não em todas.

Eu a levaria para um encontro com os amigos de infância. Assim que ela perceber que é um peixe fora d'gua, vai ser mais fácil de dialogar com ela e explicar que vocês não precisam gostar de todas as mesmas coisas, só precisam gostar um do outro.

Sugiro para começo de conversa, pedir para ela ler os comentários (se bem que os primeiros...) e ver o que ela pensa. E ouvi-lá, de verdade, tentar entender o que é que ela teme (por que ciúmes esconde um medo profundo de perda, ou de ser enganada, ou falta de auto-estima, ou um mix dessas coisas), por que acha que se te 'vigiar' não irá sofrer.

No mais, paciência. Construir um relacionamento saudável é um tremendo desafio.

Boa sorte.

Anônimo disse...

Sera mesmo que sua namorada não faz nada demais quando sai com as amigas? Parece que ela ta projetando o comportamento que ela tem com.as amigas em voce quando sai com amigos.

Anônimo disse...

Alícia:

Ele não fez nada não, a namorada dele que é louca. (contém ironia)

Anom 15:08 -
Eu discordo tanto disso, acho que entre homens também há muita falsidade, já que eles têm que provar um ou outro o tempo todo a própria masculinidade e o desprezo (nem sempre tão real assim) que sentem por mulheres.

O relacionamento hétero é difícil porque os homens não são ensinados a reconhecer nossa subjetividade, e quando o fazem, é num cenário de intimidade - fica meio feio se demonstrarem pros amigos que tratam a namorada/esposa como gente.

Isso torna o relacionamento fácil para eles (porque não precisam sequer fingir que se importam) e um inferno para a gente (porque nos importamos com eles, procuramos ajudar quando precisam, e não entendemos o que estamos fazendo de errado e porque nos sentimos sozinhas).

(claro que estou falando do padrão, não das exceções, que certamente existem).

Mas acho que esse moço do post é um exemplo claro de como, nós, mulheres, caímos fácil na manipulação masculina. Ele chama a namorada de maluca e mulheres se compadecem dele!

Classificar como doida, como irracional (como esse moço faz) é uma forma bem antiga de desconsiderar e também destruir a subjetividade feminina. Se fosse em outros tempos esse cara já tinha mandado a guria pra um manicômio (parece exagero, mas há poucas décadas mulheres eram encarceradas por muito menos que isso).

Por isso, quando um homem relata um agir irracional de uma mulher, nós, que nos consideramos feministas, deveríamos dar uns três passos atrás e, antes de qualquer coisa, ouvir a versão da garota.

Se isso não for possível, acho que simplesmente não devemos ouvir o cara.

Homens já falaram demais de nós e por nós.

Anônimo disse...

Anom das 15:12

"Ah claro, porque mulher excessivamente ciumenta e emocionalmente instável é algo raríssimo.."

Sim.

Se vc usa esse tipo de argumento (mulheres são emocionalmente estáveis por natureza) para deslegitimar um pedido de socorro da parceira (cara, isso é o mais comum de todos os argumentos, vc não está sendo nem original, se toca!), e a manipular para fazer o que vc quer, então, sim, vc é um canalha abusivo.

Melhoras pra vc e que um dia vc consiga superar essa misoginia e perceber mulheres como seres humanos tão racionais e emocionais como qualquer outro .

marix disse...

Acho que ela pode estar se sentindo excluída. Talvez não seja ciúmes dos seus amigos, nem desconfiança. Pode ser que para ela, ser apresentada aos seus amigos de infância é um modo de participar mais da sua vida. Assim como ela parece se sentir bem em apresentar você para as amigas dela, em incluir você - vez ou outra - nas rodas de conversas com as amigas, pode ser que para ela seja importante ser apresentada aos seus amigos, e de algum modo se sentir bem quista por eles.
Minha sugestão: se for possível, combina pra ela ir buscar você no final do encontro, daí ela chega, você apresenta ela para os amigos, ficam aí mais uns minutinhos e vão embora.

Anônimo disse...

15:55

Não falei que são instáveis "por natureza", mas que esse traço temperamental ocorre em um número maior do que seu comentário sugere.

Ademais, o texto traz um relato envolvendo adultos. Se você aceita esse tipo de manipulação emocional barata vinda de um cônjuge, aparentemente você possui critérios extremamente medíocres para seus relacionamentos.

Dificuldades conjugais são resolvidas com diálogo ou com a separação. Se uma pessoa adulta pretende pedir ajuda impedindo que você se encontre com seus amigos de infância, ela deve cair na real e amadurecer. Quem tem que se preocupar em interpretar esse tipo de comportamento birrento é pai, mãe e psicólogo.

Anônimo disse...

Pelo que entendi, ele ainda nem apresentou os tais amigos para ela. Embora já conheça as "colegas" (pois mulher não tem amiga?!) da namorada. Se eu fosse ela caía fora. Claro, isso agora que eu já quebrei a cara de todos jeitos e estou muito atenta. Nem estou falando só de traição do ponto de vista sexual. A questão é que homem hétero, salvo exceções, não "sabem" que é errado trair, machucar, mentir. E se acham tão no direito que até escrevem pra outras mulheres pedindo conselho, sendo que ele nem apresentou a mina para os amigos. Olha, me faça o favor!
Garotas que estão com peninha, conheçam um cara novo e esperem ele não te apresentar pra ninguém, nem pros amigos. Certeza que não é coisa boa.

Anônimo disse...

OFFTOPIC:

http://g1.globo.com/mundo/eleicoes-nos-eua/2016/noticia/2016/07/hillary-e-trump-empatados-em-nova-pesquisa.html


Na pesquisa anterior a Hillary tinha 6 pontos de vantagem. Até pouco a tempo a vitória da democrata era dada como favas contadas. Parece que a onda de direita é de escala global.

Marcia disse...

Olha gente, eu penso que feminista tem que parar é de acreditar em narrativas únicas. O moço pode tá mentindo? Pode. Mas acho difícil negar que há muita mulher insegura em relacionamentos que é desmedidamente ciumenta e isso é, antes de qualquer coisa, um problemão para elas mesmas. Que pode haver manipulação da parte dele, obviamente que pode, mas não parece o caso aqui. Nem todo relacionamento é abusivo, pelo menos, não pra mim.

Mas não li no relato dele as clássicas acusações de: ela é uma louca, só pega no meu pé, ela é um problema. Ao contrário, ele parece ter afeto por ela e querer um relacionamento estável e longo. Há capacidade de reconhecer as qualidades dela, e há a reclamação de que ela não deixa ele fazer coisas sozinho, ter momentos de socialização sem a namorada, me parece uma pauta legítima, especialmente por que ele vê isso também como um direito dela.

Deusa que livre ter que levar meu companheiro para toda e qualquer reunião social em que eu quero me divertir, simplesmente me sufocaria. Gostar de alguém não significa gostar de tudo o que outro gosta. Ter ciúmes é um comportamento auto-destrutivo que merece questionamento. Não dá ignorar uma dor, só por que você acredita que existam outras maiores. Quem sente, sente.



Alexandre disse...

Lola disse:

Procuram-se: comentários inteligentes para este post! Por favor! Chega de besteiras como "homem não presta" ou "mulher é imatura" ou "isso mudou a história do feminismo" (como se TIVESSE que mudar). Que tal refletir sobre amizades, ciúmes, sentimento de posse, necessidade de atenção num relacionamento, essas coisas? De repente até ajudar o rapaz do email, que mandou a mensagem realmente pedindo ajuda?
14 de julho de 2016 14:09

Corroboro totalmente! Parabéns Lola pela lucidez com que encarou o problema deste rapaz.
É interessante como a sociedade ainda tem esta mania de não dar importância às queixas de nós homens. Já pensaram que este rapaz pode estar pedindo conselhos para evitar uma resposta agressiva contra sua namorada? Se o homem agride, está errado se externa seus problemas, está errado! Puxa,penso que o feminismo também advoga em favor disto.

Anônimo disse...

Que burrx!! Dá zero pra elx...
Se liga, mané. É um blog. Ela posta o que quiser.

Alexandre disse...

Anônimo disse...

Que burrx!! Dá zero pra elx...
Se liga, mané. É um blog. Ela posta o que quiser.
14 de julho de 2016 17:00

Oh, poço de inteligência! Eu apenas transcrevi o comentário da própria autora do blog e depois a elogiei. Será que é tão complexo entender isso? rsrsrs

Anônimo disse...

"Essas atuações, que também ocorrem bastante entre as mulheres, tornam as interações sociais cansativas e superficiais para ambas as partes."

Discordo. Eu sou bem diferente quando estou em público e quando estou com pessoas que conhece e tenho confiança, que são basicamente 3 pessoas. Eu ajo diferente porque tenho muito intimidade com essas pessoas e a minha timidez não interfere na minha postura. Não ajo diferente entre mulheres ou homens, mas entre pessoas que tenho intimidade.

Com homem é diferente. Basta achar outro xy que a máscara já cai.

Anônimo disse...

"Já pensaram que este rapaz pode estar pedindo conselhos para evitar uma resposta agressiva contra sua namorada? Se o homem agride, está errado se externa seus problemas, está errado!"

Oh, que rapaz bonzinho. Veio pedir conselhos a feministas antes de agredir a namorada.
Obrigada rapaz! Vamos dizer que vc está certo apesar dos fortes indícios de que vc é apenas mais um babaca só pra vc não bater na sua namorada!

Anônimo disse...

15:55
"(..) esse traço temperamental ocorre em um número maior do que seu comentário sugere.
(...) Se você aceita esse tipo de manipulação emocional barata vinda de um cônjuge, aparentemente você possui critérios extremamente medíocres para seus relacionamentos."

Vc disse que mulheres comumente são instáveis emocionalmente e ciumentas. Vc reafirmou isso agora. Seu comentário foi e continua sendo machista.

Para piorar, agora faz uma afirmação sobre meus critérios pra relacionamentos, para me por na defensiva (bem, não vai rolar).

Não sei se vc é manipulador geralmente, não vou julgar teus relacionamentos por isso, mas nesses comentários bem que vc tentou, né? Para pensar: será que isso não é um padrão na tua vida?

Márcia (16:33)
Vc fala em narrativa única, mas não são feministas que criaram ou acreditam nisso.

Aqui há um relato de um homem descrevendo uma mulher sob o seu ponto de vista. E isso é que é narrativa única, é a única que temos ouvido há milênios. O "outro lado" que nunca é ouvido, é o nosso, é o das mulheres. Um homem reclamando de mulher ciumenta e irracional é a norma.

O problema é que na teoria a gente sabe como homens abusivos agem: eles mentem descaradamente e se fazem de bonzinhos, pintando a namorada/ esposa como louca.

Na prática, quando aparece um homem fazendo isso, e pedindo ajuda (sério?), a gente só acredita piamente. Porque, afinal, mulher é ciumenta e louca mesmo.

Esse relato é padrão de homem abusivo sim. Se ele fosse mais agressivo, se mostrasse ser um maníaco e não um homem compreensivo e incompreendido, vc acha que ele conseguiria convencer todo mundo de que ela é que é a errada?

Eles sabem como agir, não são bobos.

Mas... pode ser que no fim seja um cara bem intencionado?

Ué, pode. Mas, na dúvida, pra que divulgar mais um relato de mulher louca e obsessiva que inferniza a vida de um cara tranquilão e fiel? A gente já não ouviu esse relato vezes demais? E quantas mulheres (de verdade, as nossas amigas, não as ex-namoradas ou mesmo namoradas dos amigos) a gente conhece que agem assim?

Minha opinião apenas é que os homens já tem espaços demais pra nos difamar.

Alexandre:

"Já pensaram que este rapaz pode estar pedindo conselhos para evitar uma resposta agressiva contra sua namorada?"

Concordo com vc. Tenho a impressão, pelo relato, que o próximo passo do rapaz seria justamente uma resposta agressiva. Espero que a namorada leia os comentários (especialmente o seu) e pondere isso.


Anônimo disse...

Achei divertidíssima sua incapacidade de não ver que minha resposta não foi pra você, Alexandre. Novo em blogs, querido?

Claire disse...

Uai, de certo que ela não "deixa" você sair sozinho com os amigos pq alguma vez você já mentiu, sei lá, disse que iria com os amigos e fez algo que deixou chateada.
Acredito que em relacionamentos, não há necessidade de pedir permissão pra nada. Se quer ir, se sabe que não vá acontecer nada de errado (ir pra um puteiro, trair a mulher, levar amiguinhas juntas), vá ué. É o seu jeito. TODO MUNDO precisa respirar, se ela não aceita... tem bilhões de pessoas no mundo.
E não, do mesmo jeito que mulher quando gosta de sair entre amigas não gosta de marido no meio, é totalmente normal homem querer liberdade, ou será que ele é um escroto, machista, abusivo só por isso?! Fala sério né.

Anônimo disse...

Se ela desconfia do namorado, muito provavelmente ela tem razão. Tem um monte de pesquisa mostrando que a grande maioria dos homens brasileiros traem suas esposas, é só procurar na internet. E esse encontro com os amigos deve ser um encontro em um clube de strip tease ou puteiro. A mulher que espera algo bom dos homens é uma eterna iludida, porque a desgraça é regra entre os homens.

Anônimo disse...

17:56
"Vc disse que mulheres comumente são instáveis emocionalmente e ciumentas. Vc reafirmou isso agora. Seu comentário foi e continua sendo machista."

Tenha certeza que minha preocupação não é "não parecer machista". Só lembrar do meu comentário inicial.

E ignore o quanto quiser, mas interpretar como um "pedido de ajuda" as birras e as manipulações praticadas por um adulto contra você é falta de auto-respeito, lamento.

Anônimo disse...

Na real, basta não se relacionar com homem que problema nenhum desses casos acontece. E é bom que as próximas gerações de mulheres já cresçam sabendo disso. As que estão em uma relação ruim, que abram os seus olhos e treinem a si próprias a terem atitude e conseguirem viver sozinhas.

Anônimo disse...

O feminismo é para as mulheres. Se esse homem está com problema,foda-se, que peça ajuda a seus amiguinhos machos, já que chama a própria companheira de louca. Tem muita mulher sendo espancada e estuprada no mundo, não podemos perder tempo com bananas que nem você não.

Anônimo disse...

Só para constar, de boas intenções o inferno está cheio. Os homens de bem são inclusive os melhores amigos do Satã.

Anônimo disse...

Teste hater

Anônimo disse...

19:31, Tem muitos relacionamentos adultos e maduros no qual a mulher acabou com as mãos amputadas. Sabe o que é autorrespeito? Uma mulher desapegar dos homens e colocar a si mesma em um patamar superior. Até porque todo mundo sabe que homens são estupradores e violentos, algo intrínseco na natureza deles.

Anônimo disse...

Caro C.

A palavra ciúme se remete ao medo de perder alguém amado para uma terceira pessoa. O ciúmes em um relacionamento é algo até normal e transitório. O maior desejo é preservar o relacionamento. Preservar ? Sim. De traições - algo que destrói casamentos, abala famílias e namoros que iriam durar para a vida inteira (supostamente)...

Algumas pessoas o encaram como prova de amor ou (super)valorização do parceiro. Outros encaram como uma prova de insegurança e falta de confiança (algo importante para um namoro, na minha opinião)...

Bem, assim como têm o ciúme normal, há tbm o doentio. Neste, há o sentimento inconsciente da ameaça de um(a) rival, gerando um desejo obsessivo de controle total sobre os sentimentos e comportamentos do outro, deixando o ciumento um tremendo controlador e privador da liberdade do outro, procurando impedir a todo e qualquer custo uma atividade que o parceiro queira fazer sem que o ciumento esteja presente.

Isso afeta homens e mulheres. Ambos são acometidos por tal sentimento. O ciumento e o parceiro acabam numa relação complicada e doentia.

Quando o ciúmes ultrapassa do normal, dúvidas se transformam em idéias sombrias, levando a pessoa a ficar até um pouquinho paranoica. Ela passa a checar celulares constantemente, quer saber quem enviou mensagens e por qual motivo, onde o parceiro está e a que horas voltará e se há algum atraso é motivo de brigas e questionamentos intermináveis, permanecendo o mal(dito) sentimento de dúvida e desconfiança exagerada. Enfim, o relacionamento transforma-se num verdadeiro inferno, quando deveria ser um paraíso, um refúgio.

Felizmente, esse não parece ser o seu caso. Mas pode se desenvolver e chegar nesse ponto. Vários casos de ciúmes extremos começa aos pouquinhos, ganhando gigantescas proporções !

Eu, particularmente sugiro que vcs dois reaprendam a se relacionar. Sim. Tipo, conversar com sua parceira e inovar. Construir um novo relacionamento, e desta vez, sem o controle de ambas partes, pois ninguém é de ninguém. E um relacionamento apenas com uma pessoa, sem amigos e amigas íntimos vai ser muito, muito chato ! (Eu acho).

Bem, boa sorte ! E que vocês consigam entrar em um consenso !

~A.A.

Marcia. disse...

17:56,
Não, a narrativa dele não é padrão. Padrão é um homem comentar com os amigos que a mulher é ciumenta, levar um tapa nas costas por ser garanhão com quem uma fêmea se preocupa e receber mais 30 conselhos de como traí-la sem ela saber, por que é isso que uma paranóica no fundo quer, então você tem que dar.

Nos colocar num lugar de vítima é narrativa única. É dizer que o único problema que temos com relacionamentos é que eles são com homens. Como se não houvesse nenhuma outra complicação possível com relacionamentos, é querer um fórmula mágica de reconhecer e resolver problemas.

Para mim, infelizmente, a vida é bem mais complicada que isso.

O cara disse que ela lê o blog. Te juro que basta um post de uma mulher aqui (e trolls, acreditem é mais fácil do que cortar pão identificar suas fan fic) desmentindo esse cara e ela terá o meu total apoio.

Mas é um machismo atroz achar que você precisa desconfiar do seu parceiro para fazer o relacionamento dar certo. Caraca, precisamos debater que se você desconfia do seu parceiro, você não pode continuar nesse relacionamento, pelo menos, não desse jeito.

Ajudar o moço aqui também pode ser um favor para ela. Para ela não ouvir abobrinha machista, por que os conselhos de macho dos amigos dele a gente sabe quais serão, e duvido que algum vá fazer bem a ela.

Anônimo disse...

19:31

Não ignorei o teu comentário, não, só disse que não ia cair nessa de me explicar sobre meus relacionamentos pra um estranho.

Achei na verdade um tanto curioso vc tentar manipular uma pessoa numa caixa de comentários, e fiquei imaginando como vc seria no resto da tua vida hahaha me pareceu meio assustar.

E esse teu último comentário foi pura birra. Eu sou machista sim, e posso dizer que mulheres são instáveis emocionalmente, birrentas e manipuladoras, mas não sou um canalha abusador. Ué.

Ou uma coisa ou outra. Vc não pode se assumir como machista e ao mesmo tempo pretender ser um ser humano decente.

Melhoras. Sério. Bjs de luz pra vc e até nunca.

E cara, vamos parar... esse moço, esse moço do post, ele está sendo ridículo. ele não tem um problema real se ele realmente não se importa em apresentar os amigos pra namorada.

No dia em que ele apresentar essas pessoas (nem precisa juntar todo mundo, chama um casal pra jantar um dia, faz programa com outro em outro dia, sei lá...) o problema acaba, mas ele não quer fazer isso, prefere vir se fazer de coitado num blog feminista enquanto faz a namorada de trouxa. meu deus, vamos parar de ser patetas, gurias? por favor?

Dá até uma tristeza ver como é fácil pra eles, vcs juram que nunca escutaram homem com esse discurso?

Anônimo disse...

Márcia

Guria, ce tá loca? Onde que eu disse que tem que desconfiar do parceiro?

E vc tá me julgando e julgando meus relacionamentos com base no que?

Então é assim, toda a confiança num homem que reclama da mulher louca ciumenta enquanto se apedreja e se julga uma mulher que duvida desse relato-padrão? Julgando inclusive os relacionamentos dessa mulher que vc nem conhece, nem sabe com quem e como se relaciona?

Não me coloquei contra vc, não julguei a tua vida, eu só contradisse os teus argumentos.

Mas que triste ver uma mulher ofendendo a outra pra defender um homem... sério, que coisa mais triste e sórdida na verdade. Uma pena.

Anônimo disse...

Caixa de comentários horrível.
Duas opções:
- pessoas que acreditam piamente num relato contado por um homem sobre uma mulher, no qual ele narra um comportamento infantil e irracional;
- pessoas que dizem que homem simplesmente não presta e ponto final.

Eu não acredito nessa estória porque pra mim ela é bem manjada, já ouvi demais de versões dela, e sempre contadas pelos piores sacanas, que aprontavam com as mulheres de todas as maneiras. Mas também não disse que não dá pra confiar em homem nenhum.

E, para mulheres que ainda não sabem: homens reclamam de suas parceiras para outras mulheres.

E é comum mulheres acolherem homens abusivos enquanto duvidam das mulheres abusadas.

Pode ser que esse cara do relato não seja abusivo, mas ele parece ser. E acho que, se esse é um blog feminista, isso tem que ser problematizado.

O mínimo que eu esperava é que outras mulheres entendessem a necessidade de problematizar isso, até pra não correr o risco de passar a mão na cabeça de abusador. Mas não.

Fiquei triste, sentindo que não deveria ter me manifestado.

Tenho a impressão que a caixa de comentários desse blog está cada vez mais hostil para feministas e mulheres em geral.

Anônimo disse...

Empatia somente para o grupo no qual estamos inseridos não é empatia !!!
Me servindo de uma passagem de um artigo de uma psicologa, empatia é:
"a capacidade de se colocar no lugar do outro que faz com que tenhamos a abertura para ouvir as várias respostas para uma mesma pergunta e entender que não há verdade absoluta. Que a sua necessidade não é menos importante que a minha."
Portanto em um espaço em que vivemos pedindo empatia para diminuição de desigualdades me espanta exatamente a falta desta para um problema que não consideramos nosso !!!!

Anônimo disse...

Sim, tudo isso está certo:

- Há inúmeros homens que aprontam todas na primeira oportunidade e depois se fazem de pobre coitados, vítimas da "louca, histérica, descontrolada".
- O resultado de um relacionamento em que o homem é controlador e possessivo é MUITÍSSIMO mais grave e infinitamente mais frequente. Não raro termina em estupro, mutilação e morte.
- Eu também tenho os dois pés atrás quando um homem vem com uma história assim...

Mas para tornar as coisas produtivas - como a própria Lola sugeriu - vamos falar de relacionamentos em geral.

Eu não sei como alguém consegue viver em um relacionamento em que não pode haver outra possibilidade além do parceiro. É insano!!! Esperar que alguém, seja namoradx/marido/esposa, filhos, cachorro vão preencher algum tipo de vazio existencial, solucionar todos os problemas, curar doenças, te transportar para um mundo onde a felicidade é eterna e plena é ridículo. É o mesmo que acreditar em duendes... isso não existe!!!!

Controlar a vida de outrem, revirar as roupas, o lixo, controlar as ligações, mensagem, e-mail, Facebook, whatever não é um inferno apenas para o controlado é pra controlador também, apesar de não notar ou não admitir...
Pessoas não são propriedades de ninguém e sinceramente, se o cara ou a mulher quiser aprontar, vão dar um jeito, não importa o quanto a marcação seja cerrada...

Então sei lá... que tal rever o conceito de relacionamento e amor?


Jane Doe

Sportano disse...

Ao moço que originou o relato, você não está ajudando sua namorada a ficar mais tranquila se ela nem tem a oportunidade de conhecer as pessoas com quem você convive. Normal cada um ter um espaço, convívios que não sejam só sempre com o namorado ou namorada.Mas, se esses amigos com os quais você gosta tanto de se encontrar são tão importantes para você, por que não apresentá-los à sua namorada? Procure agir de forma que ela enxergue que ela entenda que não há sentido algum ela sentir ciúmes nesse caso. E, procure sempre conversar com ela para resolver qualquer problema que surja entre vocês. Evita muita dor de cabeça assim.

Sobre alguns comentários que não acreditam na história do indivíduo do relato...estranho, pois desde que leio algumas postagens desse blog, já vi várias meninas se queixarem de relacionamentos abusivos, que o cara era isso e aquilo...e essas pessoas que questionam o cara que serviu de mote a essa postagem não disseram que a moça estava mentindo ou "fingindo ser boa moça".

Sobre a qualidade das postagens : não sou autor de bons comentários, nem nada do tipo. Mas sempre agi com respeito e até procuro "assinar" as minhas opiniões para facilitar e evitar que fiquem 500 anônimos por postagem. E, mesmo assim, já tive alguns comentários que não passaram pelo crivo da moderação (por qual motivo eu não sei, já que procuro não desrespeitar ninguém) enquanto outros bem piores estão sendo estampados no blog. Nesse ponto, não entendo a reclamação da Lola já que ela quem decide (salvo quando ela deixa a moderação em aberto) quais virão a público e quais não.

Aliás,é bem possível que,novamente, essa meu comentário não seja aceito.

Marcia disse...

22:20

Não, não é isso. Se você entendeu assim, me desculpe. Usei o 'você' apenas para falar hipoteticamente, esse você serve para qualquer pessoa, não é nada pessoal. Não tem como ser, não te conheço e mesmo que conhecesse, isso seria muito desrespeitoso. Sinto muito mesmo se te ofendi, não era a minha intenção.

Eu queria dizer que, se a história for 'real', essa menina também está sofrendo por conta desse modelo machista de relacionamento que torna/incentiva as mulheres a serem paranoicas por controlar a traição dos homens.

Como eu sei que isso é possível? Tenho no meu círculo social mulheres que sofrem (e sofrem para caramba) com ciúmes excessivos. Aliás, nos casos mais drásticos, elas levam esse comportamento para qualquer relacionamento, inclusive com as amigas.

Aqui, só posso falar do que vivi, esse relato não tem objetivo calar qualquer mulher que é manipulada pelo parceiro homem.

Já presenciei uma mulher bater no rosto da outra amiga, por essa passou um pão da mesa do café para outra pessoa, antes de servir aquela que agrediu. Quando indagamos a agressora, ela começou a chora compulsivamente e disse que não aguentava mais a amiga ficar dando atenção para outras pessoas, que se ela fosse amiga mesmo daria mais atenção para ela.

Nota: era um encontro de amigas de faculdade, fazia 3 anos que ninguém via ninguém.

Tô querendo dizer que esse tipo de comportamento, que quando encontrado nos homens, nos leva, literamente, a morte, também é encontrado em mulheres (que não matam os parceiros, acabam em muitos casos se suicidando).

É outra coisa cruel que modelos de relacionamentos podem fazer com qualquer mulher. É uma questão coletiva, não é 'mera loucura individual de uma mulher ou outra' e acho que valeria a pena debater isso no feminismo, pois tenho para mim que muito da psicologia contemporânea trata disso numa chave para lá de sexista.

Era só isso. Para mim, mais do que 'acreditar piamente no relato de um homem', era dizer que se alguma mulher passar por isso aqui, a 'culpa', a 'loucura', não é uma mera questão individual dela, tem haver sim com machismo e o papel tacanho das mulheres nos relacionamentos.

Marcia disse...

Jane Doe,

Tem haver com monogamia e casamento como contrato de propriedade, não é mesmo? Um clássico jeito de acumular renda, para muitas mulheres, por séculos (especialmente no sistema capitalista) é se casar.

Nesse esquema, para poder 'gerir' a renda da família com exclusividade, não pode haver 'amantes' ou 'outras', senão a mulher perde o controle exclusivo da renda doméstica. Vai vendo que a merda do problema nunca é o sujeito que traí, é na esposa que não tem controle...

O sistema é aquela cilada que o feminismo já denunciou faz séculos, literalmente. Estamos agora debatendo na sociologia, como é que essa ideia de posse migrou do 'regime de casamento como regime de propriedade' para a 'propriedade sentimental'.

Enquanto acreditarmos que a felicidade amorosa está no que o outro me traz, e não em mim mesma, olha... esse modelo de relacionamento, para mim, vai continuar adoecendo mulheres e as expondo ao risco de morte.

Tem algo muito, mais muito errado sobre como imaginamos a felicidade amorosa, infelizmente.

Anônimo disse...

Uma das coisas que fazem um relacionamento ser saudável é o casal ter seus próprios amigos, sair sem o parceiro.
Felizmente meu marido nunca falou nada sobre isso commigo, e eu saio incluisive sozinha com amigos homens.

André disse...

Observando os jovens, me parece que existe uma forte glamourização dos ciúmes, como se fosse algo que as mulheres devessem ostentar. Aí eu fico na dúvida, essas mulheres muito ciumentas tem realmente um sentimento possessivo doentio ou estão, talvez até um pouco inconscientemente, representando um papel?

Anônimo disse...

Cara, se isso é realmente um problema no relacionamento de vocês e você se importa ao ponto de querer ter filhos com ela, o que você está esperando? Apresente seus amigos para ela! É absolutamente natural que ela queira conhecer teus amigos de infância, conhecer tuas histórias e conviver com pessoas importantes pra ti. Quando você fala que não se importa que ela saia com as amigas, como se fosse uma coisa boa, você conhece as meninas e ainda por cima gosta delas. Tua namorada sequer teve essa oportunidade, é muito fácil chamá-la de ciumenta, mas vocês não estão em igualdade de condições.
E olha, por experiência própria, apresentando aos seus amigos e levando-a aos encontros de vocês vez ou outra, você dará a oportunidade a ela, de inclusive ESCOLHER, não querer conviver com teus amigos machistas e babacas e te deixar em paz.
Espero ter ajudado.
Fabi

Mila disse...

Ajuda muito num relacionamento saudável que os casais conheçam os amigos uns dos outros. Boa parte dos ataques de ciúmes das minhas amigas ocorrem porque sempre tem um ou outro amigo machista que não respeita que o amigo está em um relacionamento.
Mas o principal é saber que tipo de pessoa seu parceiro é. Não acho que devemos confiar total e cegamente no parceiro, idealizando-o (senão acabamos por mascarar abusos que podem ocorrer), mas também não achar que seu parceiro é um Comensal da Morte.

Anônimo disse...

Este é o legítimno exemplo de um homem banana.....

donadio disse...

"Não acredito nem por um segundo em homem que se diz vítima inocente e tem mulher/namorada louca de ciúmes"

Olha, ser vítima e ser inocente são duas coisas muitíssimo diferentes. Até por que, como ninguém é completamente inocente (lembra daquele biscoito que sua mãe disse que você não podia comer e você comeu assim mesmo?), esse tipo de raciocínio acaba levando para o vale-tudo. Os rapazes vão se reunir pra contar piada machista e lembrar quem eles comeram ou deixaram de comer no ensino médio? Provavelmente. Isso justifica exatamente o quê? Fim de namoro, proibição de se reunirem, levar um lança-chamas para a reunião e matar todo mundo?

Esse tipo de mentalidade maniqueísta é horrível.

donadio disse...

"Sempre que vou encontrar meus amigos de infância, o problema se instala, minha namorada insiste em querer ir junto, mesmo eu explicando que só vai ter papos sobre coisas que aprontamos na adolescência, discussões sobre temas mais, digamos, 'de garotos'."

Ué, leva ela. Melhor ainda, convida ela pra ir, e deixe-a ver que seus amigos são antes de mais nada uns chatos que só querem conversar sobre memórias da adolescência deles. Se depois disso ela insistir em ir sempre, pode ser que você tenha um problema. Mas, por enquanto, você está reclamando que ela sempre quer ir, quando a verdade é exatamente o oposto: você nunca leva ela, e aparentemente, quer que ela nunca vá.

Anônimo disse...

O cara veio pedir ajuda numa boa e já tem gente chamando ele de abusivo. Infelizmente não temos a versão da mulher, então vamos nos ater ao que ele disse e não ao que ele não disse (que tem vergonha dela, que ela é histérica, que o relacionamento tem que ser do jeito dele).
Bem, eu conversaria com ela, veria se esse comportamento se estende a outros relacionamentos. Se for o caso, procurar ajuda profissional. Em última instância terminar, porque ninguém merece gente controladora.

Dan

Anônimo disse...

As pessoas se indignaram exatamente pelo que ele disse: que ele não presentou ela para os embora conheça as colegas dela e que esperneia e grita. E que ele não entende o que acontece, afinal ele até quer ter barrigudinhos com ela. Ah que fofo, sqn.

Anônimo disse...

As pessoas se indignaram exatamente pelo que ele disse: que ele não apresentou ela para amigos os embora conheça as colegas dela e que ela esperneia e grita. E que ele não entende o que acontece, afinal ele até quer ter barrigudinhos com ela. Ah que fofo, sqn.

Anônimo disse...

Pelo que eu entendi, você vão ter uma re-união, pela primeira vez, com os amigos de infância.
Entendo o fato de vocês estarem marcando um clube do bolinha pra se reencontrarem (e imagino a pressão que você pode sofrer pra não levar a namorada, pra vocês poderem relembrar de videogame, paixonites e falar coisas escatológicas).

Por outro lado, você está manipulando a história (e provavelmente sua namorada) com um papo de 'nunca posso'... Você diz que os amigos de infância ainda não se reuniram porque tá difícil juntar a turma. E ao mesmo tempo você diz que você NUNCA pode sair só com os amigos?? ué, tem coisa estranha aí! Você nunca pode ir num encontro que nunca aconteceu??

E os seus amigos atuais, você sai com eles? Ela os conhece?

Uma sugestão é achar um meio termo pra essa primeira re-união, que você não quer que ela esteja (provavelmente pq essa primeira vez vai ser a mais legal e vcs vão recordar várias porcarias), mas também por ser a primeira, ela ainda não confia a ponto de você ir sozinho... então, combina de ela ir só um pouquinho no início, você apresenta ela pra turma, conversam umas coisas neutras e depois ela vai embora ou vai dar uma volta até o horário de ir te buscar. Marquem um encontro num lugar tranquilo, como a casa de alguém (e não num bar!), e coisas do tipo.

O engraçado é que provavelmente logo esse reencontro esfria, porque vocês vão ver que cresceram e que cada um tomou um rumo na vida, que estão com outra cabeça e que vcs não têm mais nd em comum além de um passado. Quanta briga a toa!

Anônimo disse...

Gente, achei meio bobinho o argumento do C de querer sair com os amigos, coisas de menino etc. O fato é que todos tem direito de ter sua individualidade. E é isso q o encontro de garotos representa. Entretanto esta claro q a namorada fica insegura. Por que? Ja perguntou a ela? Talvez nao seja uma coisa obvia, pode ser algo do passado, de outros relacionamentos ou familiar. Vcs precisam conversar mais. Se gosta mesmo dela e querem ficar ad eternum, o dialogo eh primordial. Sem acusaçoes. Sem busca por culpados. Mas de peito aberto, buscando soluçoes e disposiçao para fazer concessoes. Alias talvez leva-la a um encontto chato de machos seria otimo p ela desencanar de trr uam segunda oportunidade. Espero q se resolvam. Abçs

Anônimo disse...

Para quem ainda não entendeu:

"você está reclamando que ela sempre quer ir, quando a verdade é exatamente o oposto: você nunca leva ela, e aparentemente, quer que ela nunca vá."

Anônimo disse...

Olha, acho os comentários da anom sobre o padrão de discurso de um cara manipulador muito, muito pertinentes. Saiam do discurso e pensem em um cara mostrando o post pra namorada falando "viu? Até no blog que você lê, te acham imatura". Vamos refletir mais antes de dizer que a fulana é imatura, que temos x amigas ciumentas, etc.
Pro cara do post, proponho algumas reflexões pro seu jeito de colocar a história, que a outra anom já tinha apontado: por que você se refere às amigas dela só como "colegas"? Dá a impressão que você acha que ela não tem nenhuma amizade verdadeira, enquanto você sim tem amigos. Por que você diz que ela "esperneia, grita, se aborrece e me trata mal"? "Se aborrece e me trata mal" são coisas bem subjetivas, mas ela de fato já gritou e esperneou por causa disso? Porque caso não, soa uma tentativa de pintá-la como desequilibrada, apesar da palavra não ter sido utilizada.
A impressão que tive é que você não quer que ela vá porque esse é um momento seu e dos seus amigos (e isso não é mal nenhum), e não porque "só vai ter assunto de """""menino"""""" (entre muitas aspas) ou "ela não vai ter histórias em comum e vai se sentir deslocada". Ora, se o problema fosse os últimos dois, a partir do momento que ela fala que vai se divertir mesmo que só escute as histórias, então não deveria ter mais problema ela ir. Sugiro que você coloque a questão com todas as palavras, em vez de tentar contornar com as desculpas acima. Diga que é um encontro entre você e seus antigos amigos, e que levá-la vai destoar do clima nostálgico da reunião (e afinal, a tal reunião já aconteceu ou não?). Se ela insistir que você "tem que levar ela", aí sim, partimos pra uma hipótese de ciúme excessivo, seja por baixa autoestima ou por sentimento de posse.
Alguns outros pontos pra reflexão: e seus amigos "atuais", ela conhece? Você desmarcou algum compromisso com ela em favor da tal reunião? Ela "sempre quer ir", mas ela de fato já te acompanhou em saídas com seus amigos ("atuais" ou "antigos")?

Alana Rios disse...

Meu deus do ceu! Essa caixa de comentarios tá de fazer inveja em qualquer site mascu. O cara veio pedir ajuda e ele já é taxado de machista, abusivo, manipulador e tudo mais.

Já tem gente aqui reclamando que "ah, é a versão dele, não se pode acreditar numa narrativa única", mas quando é uma mulher relatando um relacionamento abusivo ou mesmo só um caso isolado de machismo a tal narrativa única é sempre válida e suficiente.

Ele a namorada precisam conversar, mas não parece que ele quer esconde-la, já que há planos de uma reunião mais "ampla", em que todos poderiam levar acompanhantes, e do mesmo jeito q ele incentiva ela a ter amigos próprios e sair com eles, pq ele não poderia?

Anônimo disse...

Alana, o que me preocupa é a falta de crítica em responder a uma história que se rasga em elogios à namorada, maaas coloca que ela " sempre esperneia" pra ir junto no encontro de amigos (que como muito bem apontado, aparentemente ela nunca foi). Tem duzentos posts no blog sobre gaslitghing - e daí quando aparece um cara dando a entender que "olha, eu sou um cara tão bonzinho que quero até ter filhos com ela e deixo ela sair com as amigas dela, mas ela tem sinais de ser uma louca ciumenta", o pessoal esquece completamente o discurso e responde simplesmente "ah, ela é imatura" ou "ciúme faz mesmo mal, tenho x amigas ciumentas que acabaram com o relacionamento por causa disso"?
Não é questão de "ah, ele é manipulador e abusador só pq é um cara" ou como pessimamente um outro colocou "pode ser um cara pedindo sugestões antes de ser mais agressivo" (oi?). Mas de reconhecer as sutilezas de um possível gaslitghing e dar um fiozinho pra namorada percebê-lo (já que é bem provável que ela esteja lendo isso).
Se o cara não for um manipulador, os comentários não terão importância. Mas se for, podemos estar ajudando uma vítima.
Em tempo, não acho certo simplesmente falar "aaah, seu filho da mãe abusador!". Só pedir esclarecimentos sobre essas partes nebulosas da história, além de tentar ajudá-lo. (Sou a 03:13)

Anônimo disse...

CARA VC TEM QUE SER HOMEM

Anônimo disse...

Tá com medo que homem comece a chorar também ou está reproduzindo machismo de que homem que é homem não chora?

Anônimo disse...

Leia todo o relato.

Ele dá liberdade pra namorada mas ela não dá liberdade a ele.

Anônimo disse...

Vai ser bonzinho, dá nisso.

Pisam mesmo.

Anônimo disse...

Insegurança.

Quando um homem deixa a mulher sair sozinha, é sinal de qualidade.

Já o inverso não ocorre.

A namorada dele é insegura.
Quem pode mudar isso é só ela mesma.

Anônimo disse...

"Sempre que vou encontrar meus amigos de infância, o problema se instala, minha namorada insiste em querer ir junto, mesmo eu explicando que só vai ter papos sobre coisas que aprontamos na adolescência, discussões sobre temas mais, digamos, 'de garotos'. Ela esperneia, grita, se aborrece, me trata mal."

Deveria deixar ela ir. Aí vcs enchem a cara, ficam jogando videogame (jogos de tiro e futebol), fazem concurso de arroto e peido, cospem no chão e gritam feito uns loucos comemorando cada gol ou cada morte nos jogos e problema resolvido, ela nunca mais vai querer ir.

Aí no próximo encontro vocês podem agir normalmente e falar suas coisas de meninos, seja lá deus o que isso significa.

Anônimo disse...

Odeio gente ciumenta, a pessoa projeta a insegurança dela em quem nao tem bosta nenhuma a ver com isso e ainda se sente no direito de cobrar!

Mas é cobrado quem é cobrável. Essas liberdades eu nunca dei.

Terminando a faculdade e enrolada com trabalhos, o meu companheiro começou a dar chilique que eu só vivia com "o povo da faculdade", que ele não sabia quem era, que queria saber... mandei se fuder. Aí dali uns dias ele voltou manso. Depois estressou de novo. Mandei se fuder de novo. Na terceira, eu estava num Starbucks com 3 colegas aproveitando o wifi pra terminar um negócio e o homem se materializou lá. E nesse dia o relacionamento terminou de vez, ali mesmo.

Três semanas depois conheci um cara genial e estamos juntos até hoje, anos depois. Fica a dica: quando você se respeita, sempre aparece coisa melhor na sua vida.

Claudia disse...

Gente grudenta me dá medo e urticária. Um aviso ao namorado: ela não vai mudar e isso vai piorar.

Anônimo disse...

"mesmo assim, ela diz que no futuro vai querer ser a única menina a ir na reunião de meninos "

Amigo, vocês já saíram da quarta série do fundamental ou nem? Que papo heim colega. Toma vergonha na cara.

Hele Silveira disse...

Caro C., não sei se vai te ser útil, mas mesmo assim, vou te dar a minha opinião. Não existe pessoas sem defeitos nem relacionamento sem dificuldades, então, o mais sensato a se fazer é saber exatamente quais defeitos/dificuldades são suportáveis e quais são insuportáveis. Ciúme, para você, é insuportável? Termine o relacionamento. É suportável? Vá em frente sem reclamar, porque reclamação nunca resolveu nada. Desenvolva seus mecanismos para lidar com a questão. Não é apenas uma questão de apontar as limitações da sua namorada, mas de também enxergar e trabalhar as suas.

ANINHA disse...

Olha, não sei se já falaram isso aqui, porque esta caixa de comentários específica está difícil de ler. Mas dá a entender que a namorada nunca foi apresentada aos amigos do cara! Sinceramente, não me parece um caso de ciúmes não. Se eu estivesse com um cara que não me apresenta aos amigos, eu nem consideraria um namoro. E ele não participa dos encontros dela com as amigas, mas vai no final buscar ela, conhece as meninas, passam um tempo juntos e tal.
Não, não me parece ciúmes. Parece um caso de rejeição mesmo.

Jéssica Sousa disse...

E parar de julgar o rapaz ou a moça. Exatamente como você respondeu, de forma educada. Ou seja, as pessoas leem o post, interpretam de qualquer jeito e partem para essas mesmices e generalizações. É pouca responsabilidade na hora de escrever algo na web...

Hele Silveira disse...

Aninha, eu vi de outra forma. Ele disse que vai buscá-la nos encontros com as amigas QUANDO É SOLICITADO e não todas as vezes. Ele também não disse que não a apresentou aos amigos, mas que ela insiste em ir a reuniões dum grupo ESPECÍFICO de amigos de infância. Por que ela não pode retribuir à liberdade que o namorado lhe dá? Toda pessoa que tem um relacionamento tel planos que incluem o outro e planos que não incluem o outro. Deus me livre de viver sem planos que são só meus e sem um tempo que é só meu. Não acho que o rapaz está de todo errado. Acho que ele peca por não decidir se vai ou se fica. Como argumentei, se o ciúme é suportável, pare de reclamar. E se é insuportável, termine. Preservação do espaço pessoal não é rejeição, é um direito que todos tem, independente do estado civil.