terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

GUEST POST: A HISTÓRIA DO MEU "CONSENTIMENTO"

A R. me enviou este relato ontem, mostrando como é tênue o "consentimento" de muitas adolescentes que namoram homens muito mais velhos, e como boa parte da sociedade aceita esses relacionamentos numa boa.

Durante a minha pré adolescência tive que lidar com muitos problemas familiares e psicológicos.  A minha depressão crônica (que hoje trato) teve início aos 11 anos; fiquei meus 11 e 12 anos praticamente sem levantar da cama, meus pais também sofriam do mesmo problema. Meu pai descontava no álcool, se transformava, ficava agressivo, agredia a minha mãe, desenvolvia  pensamentos paranoicos e me acusava de estar dando cobertura para minha mãe se encontrar com um amante imaginário. Minhas relações com a minha família eram praticamente inexistentes nessa época. Morava num sitio afastado, sem amigos por perto. Me sentia extremamente sozinha.
Meu único contato com pessoas se dava na escola, e praticamente não tinha amigos por causa da depressão. Havia um professor de quem eu gostava muito. Alguém que eu idealizava porque era culto, viajado, divertido, apresentava uma realidade diferente da minha. Esse mesmo professor sempre perguntava como eu estava e demonstrava se preocupar comigo. Eu era extremamente carente e logo me apaixonei por ele. 
Quando completei 14 anos e ele já não dava mais aula para minha turma, passou a conversar muito mais comigo. Até que ele disse que notou que eu era apaixonada por ele e que também estava apaixonado por mim. Mas disse que eu era muito nova e que não ia poder ficar comigo. Eu queria muito estar com ele, tinha depositado a salvação para toda ausência que marcava a minha vida numa única pessoa. Na minha mentalidade de 14 anos ele era minha alma gêmea, a pessoa que ia me salvar de toda a minha solidão como nos contos de fadas. Insisti que valia a pena a gente passar por cima de tudo pra ficar junto. E ele um dia marcou um encontro comigo.
No dia do encontro eu percebi que nunca tinha me imaginado ficando com ele, na verdade eu só queria muito ter alguém que me amasse e cuidasse de mim, só pensava nisso e esqueci o que namorar significava. Nunca tinha ficado com ninguém, minha única experiência amorosa foi com um namorado da minha idade que tive três anos antes e que eu tinha terminado indignada quando ele tentou me beijar. 
Meu ex-professor tinha 40 anos, era casado e tinha dois filhos. Pensei com muito nervosismo que eu poderia beijar ele, porque afinal eu o amava muito. Mas estava insegura porque não sabia nem fazer isso.
Chegando no lugar que ele marcou ele me beijou e já foi tirando o pau pra fora. Permiti, porque o amava e não seria capaz de impedi-lo de nada. E porque ele era um adulto e eu não era capaz de confrontá-lo. Se fosse um menino da minha idade, eu teria gritado e saído correndo. Mas ele não, ele era melhor que eu. 
Durante todos os nossos encontros deixei que ele transasse comigo, porque queria que ele me amasse. Mas nunca senti nenhum prazer, achava sexo algo muito estranho e desconfortável. Um desses sacrifícios que se faz por amor. Saí com ele escondido durante meses, ele dizia que estava esperando um momento propício para me assumir, queria que eu completasse pelo menos 15 anos.
Durante esse período eu menti muito para a minha família, tinha que inventar desculpas para encontrá-lo e isso era algo que me destruía. Nunca fui de mentir. Mas um homem de 40 anos achava muito normal fazer uma menina de 14 anos mentir para os pais e chorar todos os dias de remorso. Sexo sem camisinha, porque ele dizia que se acontecesse algo e eu engravidasse, ele pagaria o meu aborto.
Para ele era mais fácil que eu passasse pelo trauma de uma clínica clandestina e um aborto no início da adolescência do que ele transar com uma camisinha que poderia alterar um milímetro da sensibilidade dele durante o sexo depois fiquei sabendo que as duas ex-mulheres dele fizeram abortos).
Um dia não aguentei a pressão. Mais ou menos seis meses da gente se encontrando escondido e um mês depois do meu aniversario de 15 anos (no qual ele compareceu como amigo da família), desabei de chorar e contei tudo pra minha mãe.
Minha mãe foi conversar com ele e ele negou tudo. Depois, vendo que não tinha saída, que eu já tinha aberto o jogo, ele resolveu me assumir como namorada. Meu pai que era alcoólatra e tinha problemas psiquiátricos aceitou, minha mãe ficou contrariada mas sem forças pra lidar com a situação sozinha, e também não fez nada.
Assumiu aos 41 anos, já divorciado novamente, uma menina de 15 anos, ainda com histórico de problemas psiquiátricos e de fragilidade familiar, e muita gente achou normal. A escola que ele trabalhava não o despediu, os amigos e familiares não criticaram. 
Fiquei com ele anos numa relação doente e injusta pautada na minha fragilidade. Em achar que sexo era algo que se faz pra outra pessoa por amor e que a minha vontade não importava. De aceitar alguém que nunca participou da minha vida em nada, que fazia comentários nojentos sobre as minhas amigas e me acusava por cada homem pra que eu desse bom dia.
Ele foi o meu vínculo familiar suprido de forma torta e dolorosa. Inúmeras vezes eu fantasiava que ele era meu pai ou irmão e eu o teria por perto me dando atenção sem precisar transar em troca. Invejava todas as meninas que tinham atenção de adultos da família, porque elas não precisavam se prostituir por isso.  
Depois demorei muito pra conseguir romper definitivamente com ele por causa da dependência psicológica, era como se ele fosse tudo pra mim. Quando consegui ainda demorei pra ir assimilando essa merda toda, lembrando de coisas que bloqueei pra protegê-lo, de como eu me sentia durante o sexo, do quanto tudo aquilo foi agressivo e de como ele se aproveitou da minha fragilidade e da minha falta de estrutura familiar para realizar o fetiche de namorar uma adolescente manipulável.
Hoje sinto nojo extremo dele e muita mágoa de todos que achavam bonito quando ele estava comigo. Eu era uma adolescente com fobia social que mal conseguia conversar com as pessoas. Era tão óbvio o quanto aquela era uma relação injusta e escrota! 
Ele até hoje dá aula nas mesmas escolas e é um cara que muita gente adora, acham super gente boa. Agora tem 53 anos, namora uma menina de 19 anos (outra ex-aluna), e todo mundo acha lindo de novo.

95 comentários:

Anônimo disse...

Relacionamento abusivo é muito comum com mulheres, normalmente homens mais velhos gostam da possibilidade de manipular uma virgem, eu quase caí nessa tinha 16 anos com um de 30, que queria me manipular sexualmente, mas por mim mesma caí fora.

Não sei se com 14 teria essa "esperteza", talvez pra nós criadas a aceitar tudo até mesmo quando mais velhas isso seja normal, pois também já vi mulheres mais velhas com homens da mesma idade mas com os mesmos problemas. Talvez seja uma questão profunda do machismo muito mais que uma ingenuidade de idade, estamos vulneráveis a sermos manipuladas? somos frágeis demais? fazemos tudo por um possível amor?, e porque isso é tão importante pra nós.

Anônimo disse...

O mais estranho é que minha irmã de 20 gostava de um de 15, mas nesse caso era ele quem se dava de bem e se cartava pros amigos. O fato é que quando é mulher tudo se torna diferente, parece que a balança negativa sempre está do nosso lado.

Um homem pode ser iludido e manipulado como uma mulher sexualmente... duvido

Anônimo disse...

Nós somos assediadas desde os 9 anos em média, a algo de errado nisso.

Ao longo da vida nós somos sempre o lado que se sacrifica, quem deve sentir dor por amor, quem deve fazer o que a outra fazia, quem deve suportar a traição pela família.

Dizem que as novinhas sabem o que fazem as mais velhas também, e parece que as duas fazem de tudo por eles. No fim novinha vira uma questão só de aparência de pedofilia até de virgindade, mas na minha opinião as duas se sacrificam, as duas fazem de tudo.

Essas revistas femininas são um exemplo, Das revistas teen direcionada as meninas e das revista para mulher adulta, as duas tem o mesmo objetivo, focar no que o homem quer.

Jovem Feminista disse...

Amiga, na vdd você e só mais uma órfã de pais vivos, e o teu professor só mais um escroto igual a tantos outros, eu não vou me alongar pois nem tenho mais o que dizer.

Espero que você ainda consiga uma vida muito feliz, Beijos

Mila disse...

A história da R. é muito parecida com o perfil das meninas casadas no Brasil, embora a R não tenha se casado com o professor. Nesta reportagem, conta um pouco mais sobre: http://mdemulher.abril.com.br/estilo-de-vida/claudia/noivas-meninas-o-casamento-precoce-e-mais-comum-do-que-voce-imagina.

Como a R., as meninas que se casaram ainda adolescentes fugir dos abusos físicos e/ou psicológicos e principalmente amparo num contexto social que pouco lhe favorecia. É interessante notar que várias dessas uniões ocorrem com o consentimento da família. A família e as próprias meninas enxergam em homens mais velhos estabilidade e a possibilidade de buscar uma família.
Não vou generalizar, mas desconfio que estes homens buscam nessas meninas um relacionamento cuja manipulação é muito mais fácil, garotas novas e bonitas; e principalmente, dependentes deles, já que muitas abandonam os estudos depois que os filhos nascem.

Anônimo disse...


Sobre Laércio
Eu to tentando ficar quieta sobre o assunto, mas é aquela parada de que quando vc não toma posição acaba ficando do lado do mais forte, então vamos lá. É oficialmente um alerta de textão™.
Eu passei boa parte do fim de semana tentando entender porque páginas que eu sigo estavam fazendo inúmeras postagens do participante de 53 anos do BBB (sim, 2016 e a gente tá tendo que discutir BBB). Fui atrás da vida do cara pra saber quem ele era, e pra quem não sabe, o próprio site da globo linka as redes sociais dos participantes, no caso dele, dava acesso ao facebook e instagram. O instagram não tem nenhuma postagem, mas surpreendentemente, o cara segue mais de 1600 pessoas. E vocês não vão ficar surpresos quando eu disser que a maioria é menina. Não mulher, menina. Cliquei nos 5 primeiros perfis que apareceram, um deles não tinha idade da garota na descrição, os outros quatro sim, e eram respectivamente 16, 16, 13 e 15. Essa é a parte que vocês provavelmente vão perguntar que que tem de errado nisso, ja que ele SÓ ta seguindo elas. Vou separar em alguns pontos.
1. Antes da estreia do programa, 3 meninas relataram que já foram abusadas por ele. As três eram menores de idade na época.
2. Em uma conversa com outros participantes, o cara afirmou que usa bebida alcoolica pra FACILITAR (não é estuprar não viu, é só pra dar uma ajudinha) as coisas com meninas de 16, 17 anos.
3. Também em conversa com outros três participantes, ele e um outro moço ironizaram um caso de estupro que aconteceu no programa em 2012. Pra quem estupra mina é bem facinho ironizar isso, né?
4. Voltando as redes sociais, no facebook ele curte a página da Valentina, ex-participante do Masterchef Junior. Aquela mesma que foi o motivo da ‪#‎meuprimeiroassedio‬. Estranho ele curtir a página da menina e não a do programa e de outros participantes, não?
5. A maioria das postagens dele no facebook envolvem mulheres sem roupa. Ah, claro. Mulheres que de alguma forma estão "infantilizadas".
6. O cara é poligamico e disse que tem muitas namoradas, inclusive uma de 16 e outra de 17 (será que são as mesmas que ele usou alcool pra ~facilitar?) Segundo Tiago Leifert, aquele que apresenta The Voice KIDS, isso não é crime.
E é exatamente aí que tá o problema. Vocês naturalizam coisa que claramente não é natural. Quando um amigo antigo da família te olha de um jeito diferente e você contesta isso, é você quem tá errada. Em primeiro lugar por questionar, afinal, onde já se viu mulher ter opinião? Em segundo porque VOCÊ tá desrespeitando ele. Ele é um homem com muita moral e valores pra fazer isso com vc.
Vocês naturalizam professor questionando vida sexual de aluna dentro da sala de aula, com a classe cheia. Vocês naturalizam professor passando a mão no corpo de aluna quando ela tá em uma situação ~vulnerável~.
Vocês naturalizam comportamento de pedófilo por acharem que uma criança de 16 anos tem mais responsabilidade que um velho de 53.
Vocês naturalizam pedofilia quando a busca mais feita em sites pornô é por "novinha".
Vocês naturalizam comportamento de homem abusador se ele tava bêbado porque é muito difícil de se controlar. Naturalizam abuso por causa do tamanho da roupa da vítima.
Vocês naturalizam estupro todo dia quando veem um caso acontecendo, mas preferem não falar nada pra não destruir a carreira e o nome do cara. Porque ele demorou muito tempo pra construir tudo aquilo, e você só ta alterada. Porque caso ainda não tenha ficado claro, sinônimo de ser mulher é ser louca.
Vocês naturalizam assédio, e quando a gente tem coragem de abrir a boca e expor o abusador, é porque a gente quer chamar a atenção. Porque é coisa de dizer na delegacia. E vocês não tem ideia do tamanho do abuso psicológico que a gente tá sujeita quando senta na mesa de um delegado, não tem ideia do tamanho da cena que eles fazem pra te desmotivar a denunciar. Porque é coisa de mulher. Coisa da sua cabeça. Porque é você quem ta errada, e não o cara que te colocou nessa situação.

Créditos Evelyn Nogueira: by Facebook

Anônimo disse...

Um incompetente incapaz de satisfazer uma mulher experiente, por isso corre atrás de meninas. Nem pra foder esses vermes prestam.

Anônimo disse...

14 anos com professor de 40, está certo? não não está, de acordo com a lei é estupro de vulneravel, mas não pedofilia.

Anônimo disse...

Falando especificamente do caso da guria do Guestpost: Foi um relacionamento abusivo por "n" motivos e a diferença de idade foi mais um agravante. Ela era uma menina insegura, doente, vinda de um ambiente familiar destrutivo. Ele, pelo jeito, mais um machinho de merda inseguro que adora predar meninas e jovens mulheres para massagear seu ego. Se tivesse sido um guri mais os menos da mesma idade, nas mesmas circunstâncias o relacionamento teria sido igualmente abusivo.

Em situações assim deveria caber ao adulto o discernimento. Me da náusea quando se fala "ah... mas as novinhas tem fogo no rabo". Sim, adolescentes - meninos e meninas - tem "fogo no rabo". É uma fase de muito hormônio e pouco raciocínio. É uma fase em que NATURALMENTE as pessoas descobrem, vivenciam e testam os limites da sua sexualidade. E não tem absolutamente nada de errado nisso. Errado é um imbecil desses tirar proveito dessa situação de fragilidade e a sociedade ainda bater palma...

Jane Doe

Vicky_ disse...

E ainda vai vir um jumento comentar "Que nada, as novinha faz os homens de burro".
Quase toda mulher desse país começou a ter os primeiros assédios aos 9~11 anos, mas claro, nos estamos exagerando.
Quero que a Globo se foda (os homens da família Marinho), e esse Laercinho e o Stalker também.
Num comentário anterior falei sobre as páginas do Facebook que o Laercinho segue, agora há mais um comentário sobre o Instagram dele. E ainda assim nos chamaram de loucas.

A Lola não o chamou de pedófilo, eu não o chamei de pedófilo, o chamei de abusador/assediador/desgraçado, não fiquem defendendo um desgraçado só por que ainda não há um diagnóstico de parafilia x.


R., depressão é algo bravo, mas espero que desabafar possa lhe fazer sentir melhor!
Não sei sobre sua situação, mas saiba que desejamos o melhor.

Anônimo disse...

Que lixo de história sobre uma menina problemática e perturbada com um professor psicopata. Isso que da a pessoa ser criada sem uma estrutura familiar decente, por isso que os pais são tão importantes na criação dos filhos.

Neste caso o pai era um pinguço imprestável só podia criar uma filha perturbada que tentou suprir sua falta de figura paterna com um psicopata pedófilo.

Anônimo disse...

Anônima 17 e 47

"14 anos com professor de 40, está certo? não não está, de acordo com a lei é estupro de vulneravel, mas não pedofilia."

O que caracteriza o estupro de vulnerável não diferença de idade, mas sim o contexto da relação sexual, desde que as pessoas já tenha 14 anos.


Anônimo 18 e 22

O problema e que ela não tinha ninguém para apoiar ela direito, se mãe dela tivesse estrutura(o que muitas tem), para fazer a parte dela bem e a do pai, provavelmente tudo teria corrido bem.

Anônimo disse...

18:28
Errado. Ela poderia ser a melhor mãe do mundo, mas uma mãe JAMAIS será capaz de fazer papel de pai, cada um tem seu papel. Não que filhos criados só pela mãe vão ser problemáticos, mas sempre vai ficar uma lacuna na formação da pessoa.

Anônimo disse...

Ai homens chatos do cacete nos comentários, aff homem é chato pra caralhoooo

Anônimo disse...

Anônimo das 18:26

Viado recalcado. Pedófilo tb!!
Quero ver vc apoiar pedófilo quanto tiver uma filha seu lixo.

Anônimo disse...

esses caras velhos querem chamar os outros de balzaca, velhos rodados, brochas, e cheio que queijo no pau. E ainda fodem mal

Anônimo disse...

19:00
Cala boca, ninguém apoiou pedófilo não sua babaca. Só tirou sarro da balzaca recalcada.

Anônimo disse...

Bando de lixo mascus que estão invadindo post tão importante!!

Primeiro quem são esses babacas pra dizer que mulheres adultas são "balzacas recalcadas" com inveja de "novinhas" se estes fracassados de porão são tudo uns balzacos, quarentoes, velhos pra caralho que ou vivem nas casas dos papais ou vivem de favor?!!
Bando de fracassado de porão velho querer alegar que mulheres adultas protegerem meninas e adolescentes vulneráveis é "inveja"!! Inveja de que?!! De um bando de velho filho da puta xexelento, pinto sujo, cheios de dst, misóginos e pervertidos? Nossa que "inveja"!!

Segundo, queria que todo mascus-misogino fracassado de porão tivesse uma filha invés de filho, porque aí invés de ficarem orgulhosos do "filho comedor" teriam pavor de ter suas filhas desejadas por velhos pervertidos e tachadas de "novinhas". Quero ver ser defensor de pedófilos tendo filha!!

Quanto à menina do post que ela consiga se reerguer e ter uma vida bela e próspera e que esse LIXO pedófilo e psicopata em forma de professor se foda um dia!!

Anônimo disse...

19:08

Não posso calar boca, pq to escrevendo o babaca!
Pq se doeu pelo outro comentarista? Pq vc gosta de atacar mulher e defender machos?
Vc não sabe a idade da moça, mas se ela for "balzaca" qual problema?! Beyoncé, Anne Hathaway, Charlize Theron e um monte de mulher linda e bem sucedida são "balzacas" e com certeza não iriam querer uma MERDA como vc!
E quem disse que a moça tem "recalque" de velho oervertido em forma de professor.
Quero ver vc ter uma filha pra ver se vc tb continuará sendo defensor de pedófilos. Tchau fracassado.

Anônimo disse...

Espero que casos como esse sejam raros, senão terei que dar razão as feministas! Mas saibam que é difícil interferir. Na minha familia teve o caso da irmã caçula que se envolveu com um bandido perigoso. Descobrimos e tentamos abrir os olhos dela, mas só conseguimos a raiva da maninha que nos acusou de tudo para defender seu "amor". O caso terminou quando meu velho, doente, descobriu que sua filha estava sendo abusada e violentada em cárcere privado! Foi lá, invadiu, apanhou do FDP mas levou sua filha de volta para casa, machucada mas salva!

Anônimo disse...

Sou homem e fico envergonhado com alguns comentários postados aqui por rapazes! Novinha, babão, gostosa, mascus, um monte de barbaridades! Pra que serve isso? a dona do blog acha importante expor esses comentários? Talvez pelo efeito didático da exposição do ridiculo? Sinceramente esses comentários abusados e abusadores só mostram que o respeito entre as pessoas se perdeu muito!

Anônimo disse...

Anônimo das 19:24

Eu já sou casada com um homem maravilhoso ao contrário de vc que é casado com tua mão.
"Mulheres pra marmitar", " mulheres ora casar"!! Kk
Nossa, essas mulheres lindas e ricas estão tão chateada pq um fracassado que elas nem conhecem as estão julgando, kkk.
Pq não admite que não gosta de mulher, que curte mesmo é um belo macho, vai casar com algum mascu amigo seu e seja feliz, enrustido do caralho! Kkk

Alessandra disse...

Durante muito tempo frequentei uma igreja perto de minha casa. Aos 14 anos era constantemente assediada por um sujeito de 31 anos, frequentador assíduo dos cultos, que dizia em alto e bom som que tinha direito de se casar com uma virgem. Eu era uma adolescente tímida, inexperiente e depressiva, que só teve um namorado aos 19 anos de idade. Em nenhum momento o comportamento do sujeito foi questionado. Pelo contrário, sempre foi muito querido por toda a membresia, que achava suas declarações apenas engraçadas. Por sorte nunca me envolvi com aquela criatura, porém mais tarde sofri abuso de um conhecido pastor.

R., espero que você consiga superar toda esta dor. E que sempre tenha ao seu lado pessoas com quem possa contar e compartilhar.
Até hoje sinto falta do apoio que não tive.

Anônimo disse...

Francamente, tenho vergonha de alguns caras que comentam não só aqui, como também em grandes portais. Eu adoraria falar para esses caras "pare, que tá feio", mas tenho certeza que o cara não vai escutar.

E, para mim, isso não é nem tanto questão de feminismo, mas sim de bom senso. Defender estuprador, abusador ou pedófilo? Por favor, pare que tá feio. Tá muito feio, aliás. Tão feio que morro de vergonha alheia. Aliás, tão feio que não consigo sequer deixar de reconhecer que o ódio das radfems mais misândricas tem sim razão de existir.

Anônimo disse...

Quem defendeu abusador pedófilo?

Anônimo disse...

R. todo meu apoio pra você e que sua vida melhore cada vez mais. Você é forte e corajosa, sei que vai vencer no final. Um abraço.


19:17 quando mulher sai com menino de 15 anos É abuso também. Mas sabe a porra do machismo? Ele diz que menino tem que ser o garanhão comedor e não pode negar sexo mesmo que ainda seja uma criança. O machismo faz com que homens levem seus filhos de 13, 14 anos pra serem estuprados num bordel e acham uma coisa linda, maravilhosa, que vai impedir que o filho vire gay. Quando sai notícia de que a professora abusou do aluno de 15 anos dão os parabéns ao garoto, dizem que ele se deu bem e se o menino disser que foi ruim chamam de viado e agridem. Essa porra dessa conduta você bota na conta do machismo, colega, porque feminismo NUNCA que aprovou uma barbaridade dessas.

Anônimo disse...

Eu tenho 19 e meu namorado tem 34 e estaria com ele mesmo se ele tivesse 44/54 etc., quando nos conhecemos e começamos a nos relacionar eu tinha 17, ele sempre me respeitou e respeitou meu espaço, na verdade quem tentou me agarrar foi um de 19 e ai? Como fica a teoria de vocês agora?
Eu sempre gostei de homens mais velhos, e muitas amigas minhas também, portanto esta nova modalidade de ativismo com finalidade de cagar regra no consentimento(Eu com 17 sabia exatamente o que estava fazendo e o que queria) e no gosto pessoal de cada uma não vai pegar.

Anônimo disse...

Na opinião de vocês qual seria a diferença de idade ideal em um relacionamento?

Anônimo disse...

19:36 é difícil mesmo, adolescente é muito vulnerável e desde pequenas as meninas são ensinadas que o macho deve ser mais importante que tudo, que elas tem que abandonar sua vida pessoal e profissional, a família e os amigos pra seguir o homem e toda essa baboseira de romantismo. É tipo uma lavagem cerebral feita na gente desde que somos pequenas pra que a gente ache isso bonito e natural. Eu também sofri disso e só posso agradecer pela Lola e outras feministas terem me aberto os olhos. Tem muito homem que usa um "eu te amo" pra poder controlar a mulher, isolar dos amigos e da família e manipular a coitada. É assustador.

Frida disse...

A gente confia em homem mais velho, tem segurança. Não te julgo, nem um pouco.
E inclusive eu pensava o mesmo, que sexo era algo que a mulher dá em troca de uma relação - olha que absurdo.
Isso me faz refletir um pouco sobre como somos educados diferente. Menino/menina. Menino é sempre impulsionado para o sexo, sempre esclarecido. Sabem o que têm que fazer, só ir la, é tudo tão simples como descascar uma banana.
Pra menina, é tudo tão absurdamente diferente... o sexo é muito mais invasivo e parece que significa tão mais do que apenas prazer ou duas pessoas dividindo prazeres com seus corpos.
Outro dia, em uma conversa, alguém comentou que mulher também pode cometer estupro, pelo teor do art. 213 do Codigo Penal. Fiquei pensando em como, mesmo sendo possível, nunca poderia ser a mesma coisa, que um homem ser induzido a praticar ato libidinoso com alguém vai ser sempre diferente do que alguém entrar em uma mulher (sei que o conceito é bem mais aberto, mas eu tinha internalizado que estuprar é como "entrar sem ser chamado", algo assim).
Voltando ao assunto, é muito ruim essa dependência.
Espero que você esteja bem agora.
Um beijo.

Anônimo disse...

21:37 então aos 17 você era madura, tinha total discernimento e nenhuma carência ou problema emocional te empurrando pra ficar com um cara de 30 anos. Ok, problema seu. Mas esse caso do post É um caso de abuso, "relacionamentos" de meninas de 13, 14 anos com homens de 30 ou 40 é abusivo e ponto. Agora, me diz, custava você respeitar a dor das vítimas (R e comentaristas) e não vir aqui pagar de exceção e dizer que quem denuncia os abusos que sofreu aos 12, 13 nas mãos de velhos tarados é uma vitimista chorona? Custava não usar a sua régua pra medir a dor dos outros? Custava não menosprezar a dor dessas mulheres que já sofrem tanto descrédito e agressão só por se atrever a falar? Custava, porra?

Anônimo disse...

Pra mim não tem coisa mais machista que homem velho, eu reparo que quanto mais velhos ficam mais machistas se tornam, quando novos a gente tem esperança de serem mente mais aberta, de poder ir mudando a forma de pensar deles e tal, mas passou dos trinta e poucos a unica coisa que despertam em mim e em muitas de minhas amigas e nojo mesmo.

Anônimo disse...

E menina de 16 com carinha de 26 pode?

Anônimo disse...

Eu quero ver você convencerem as gurias de 16/17/18 a só se relacionarem com garotos de no máximo 20 kkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Minha amiga se casou com um cara mais velho para fugir de um pai escroto.
Quando o cara foi "pedir a mão dela" para o pai, o velho disse:
"Mulher é como carro, depois que passar para o seu nome você pode bater, fazer o que quiser. Pode levar."
Felizmente, ela não apanha do marido, mas a história foi bem assim. :/

Anônimo disse...

"Eu com 17 sabia exatamente o que estava fazendo e o que queria"

Nossa como você é

PRECOCE
MADURA
MELHOR QUE AS OUTRAS
MULHER EXCEÇÃO
ADORADORA DE MACHOS VELHOS
DIFERENTONA


Anônimo disse...

"E menina de 16 com carinha de 26 pode?"

Claro que não. Por que poderia?

Anônimo disse...

"Eu quero ver você convencerem as gurias de 16/17/18 a só se relacionarem com garotos de no máximo 20"

Por que convencer balzaquianos a ter vergonha na cara e não querer "namorar" adolescente é tarefa impossível, né?

Anônimo disse...

Então, EU SOU A MENINA DO DEPOIMENTO.
Vi muitas pessoas me desejando coisas boas e agradeço.
Hj estou com 28 anos, terminei definitivamente esse relacionamento há 8 anos.
Nesse tempo fiz anos de terapia, me formei, conquistei uma situação financeira confortável e estou num relacionamento saudável com alguém que me faz muito feliz.
Minha vida floresceu depois que eu consegui me livrar desse relacionamento, apesar de ter sido muito difícil o rompimento. Me lembro exatamente o dia que eu disse chega (18 de outubro), todo ano vou na igreja nessa data agredecer a Deus por ter me dado coragem de reassumir a minha vida.
Quis compartilhar minha historia pq nunca contei a minha versão dela pra ninguém e tb pra alertar as pessoas o quanto a noção de consentimento pode ser problemática. Hj não falo com ele, pq tenho realmente nojo da pessoa que ele é, mas não tenho nenhum plano de vingança , minha vida esta muito boa e tranquila e não quero traze-lo para o meu presente de novo. Como diria a música " o que é teu já ta guardado. Não sou eu quem vou-lhe dár"
Sobre os caras que falaram um bando de asneira, desejo a vocês uma alma maior. As minhas limitações eu tenho superado magistralmente ao longo dos anos, vcs tb podem.

E sobre eu ser uma "velha" recalcada. Gente, tenho amado a maturidade. cada dia eu sou mais minha e o meu corpo tb. Minha vida sexual passou a ser algo que me da prazer e to achando ótimo.

Luiza disse...

AUTONOMIA À MARGEM

https://m.facebook.com/autonomiafeminista/posts/799726823434941:0

Esse texto é sobre o assunto que o texto trata e é excelente. Um texto muito importante. Tenho certeza que ajudará meninas que por ventura caírem aqui.

LEIAM.

Anônimo disse...

Parabeeens, eu tenho certeza que se você continuar amando e valorizando a si mesma você tera muito mais felicidade.Pra quem já aprendeu a viver, a idade e a maturidade so tendem a trazer coisas boas.Continue forte linda, abraço.

Anônimo disse...

Te entendo, eu.tinha depressão na adolescência e era gótica, eu me cortava de tão triste, passava os dias em baixo da cama, no escuro, quando não estava na internet com amigos tão depressivos quanto eu.
O meu blog tinha mais de 20.000 vizualizações, eram poesias tristes sobre suicídio e ninguém percebia o quão doente eu estava, nem minha mãe que é assistente social e travalhava com isto.
Pq eu tive depressão?Fui abusada sexualmente com 4 anos algumas vezes, mais tarde colocaram droga em uma bebida no Paraguai e fui abusada 1 ano depois estuprada por um amigo.
Nesta historia toda, com 16 anos conheci um organizador de eventos góticos e ele tinha 42 anos!Ele me mandava cartas, me controlava e quando eu terminei com ele ele ne destruiu verbalmente o de sempre, soub e e depois que ele era viciado em cocaina e tinha outras namoradas adolescentes.
Sempre fui muito inteligente e por isto homens mais velhos se achavam e ainda acham que sou "madura demais" quando era da cena underground ouvia "as outras são pirigóticas, vc é diferente" eu conhecia as bandas realmente góticas e antigas, mas o que está em jogo é o quanto a gente sofre por ter problemas familiares.
Meu pai é um machista, bateu na minha mãe algumas vezes, temos reflexo de violência psicológica até hoje.
Enfim, por trás de uma garota em um relacionamento abusitvo existe uma familia negligente, carência emocional, abusos e etc.
Não é bonito, n é certo, é só um lobo mau no meio da floresta.

Fabianaaaa disse...

Vocês que tão perguntando que diferença de idade pode ou não pode são um bando de trouxas. O que não pode é um relacionamento abusivo porra. O cara usava uma menina de 14 anos pra fazer sexo aproveitando-se da insegurança dela. Isso é coisa de estirpe mais baixa possível.

Fabianaaaa disse...

Não tem relação com o post mas achei esse texto que li no blog sexismo e misoginia muito pertinente e gostaria de compartilhar com vocês

 Nos inúmeros crimes em que mulheres são assassinadas pelos companheiros, maridos, amantes ou namorados, é extremamente frequente ignorar-se completamente a dimensão sexista e machista, para só se chamar a atenção para a dimensão passional, claro que esta tem sempre também uma componente machista mas é devidamente escamoteada pelos órgãos de comunicação social.

O modo como a comunicação social trata este tipo de acontecimentos parece resultar, pelo menos em parte, do facto de se continuar a encarar com enorme naturalidade a violência contras as mulheres.

Em primeiro lugar, estes crimes são interpretados como crimes passionais, uma espécie de crimes de amor, de muito amor, de amor exagerado ou mal colocado, mas, em qualquer dos casos, de amor. Ocorre lembrar que os media deveriam denunciar que o sentimento de posse do homem e a redução da “amada” a um objeto que, como não lhe pode pertencer, também não irá pertencer a mais ninguém, definem claramente uma mentalidade sexista e misógina, mas não o fazem.
Em segundo lugar, a tendência, mesmo que sub-reptícia, é para culpabilizar a própria vítima; são sempre as mulheres que enlouquecem os homens e dão aso ao seu furor assassino, coitados deles que não conseguem resistir-lhes. São sempre elas as responsáveis pelo “ato tresloucado” que sofrem. Os homens ou estão deprimidos por terem perdido o emprego, ou são desculpabilizados porque, coitados, não suportam a rejeição feminina.

Considerar que a mulher assassinada tem culpas no cartório e que afinal mereceu o destino que o “amador” lhe reservou faz parte do imaginário patriarcal e de toda a cultura machista e sexista que lhe subjaz. Culpabilizar a vítima é um estereótipo tão antigo quanto a própria história bíblica do pecado original de Eva, a eterna tentadora, ajuramentada com o próprio diabo, encarnado na serpente.  Ora é exatamente este caldo cultural que devia ser denunciado e que é completamente escamoteado pelos órgãos de comunicação social.
Em terceiro lugar, nunca este tipo de crime é reconhecido como crime de violência de género, violência contra as mulheres pelo facto de serem mulheres. Assim os media em vez de aproveitarem a oportunidade para educar as pessoas, agem em sentido contrário, dando uma explicação falsa ou no mínimo enviesada, desculpando os criminosos e contribuindo para que se mantenha esta monstruosa realidade.

Anônimo disse...

Anônimo 18:34

Desculpe eu me meter na conversa

" Errado. Ela poderia ser a melhor mãe do mundo, mas uma mãe JAMAIS será capaz de fazer papel de pai, cada um tem seu papel."

Errado digo eu, a jovem mais inteligente, bem resolvida em todos os aspectos que você possa imaginar. Que eu conheço, se quer conviveu o pai dela, pq ele morreu quando ela tinha só dois anos, e a mãe dela a criou tão bem que, a figura paterna quase não fez falta, e conheço mais algumas que também tiveram falta do pai, e hoje estão por cima carne seca, como se diz.

Anônimo disse...

Anônimo 18:34

Desculpe eu me meter na conversa

" Errado. Ela poderia ser a melhor mãe do mundo, mas uma mãe JAMAIS será capaz de fazer papel de pai, cada um tem seu papel."

Errado digo eu, a jovem mais inteligente, bem resolvida em todos os aspectos que você possa imaginar. Que eu conheço, se quer conviveu o pai dela, pq ele morreu quando ela tinha só dois anos, e a mãe dela a criou tão bem que, a figura paterna quase não fez falta, e conheço mais algumas que também tiveram falta do pai, e hoje estão por cima carne seca, como se diz.

Flá disse...

Conheço um cara, professor também, idade parecida e que fez EXATAMENTE a mesma coisa com outras meninas, inclusive amiga minha. Sei que não é o mesmo cara porque tem algumas pequenas diferenças nos detalhes (tipo ter ex mulher etc) mas de resto é igual, transar sem camisinha, só pegar moça nova, adorar aluna e ex aluna e ter completa incapacidade de querer uma mulher que possa tratá-lo como igual e não como um deus/chefe/líder/ídolo. Ou seja, a pessoa muda,mas a história e o rastro de destruição que um ser desse causa permanece. Nojo nojo nojo nojo

donadio disse...

"levem seus filhos de 13, 14 anos pra serem estuprados num bordel"

Olha aí a trivialização do estupro de novo.

Rafael Cherem disse...

Que relato forte,que falta te fez uma família estruturada,mas que bom ter superado.Outras não tem tanta sorte, e não raro com final trágico.

donadio disse...

"Eu com 17 sabia exatamente o que estava fazendo e o que queria"

Você e muita gente mais.

Maturidade é algo extremamente individual. E eu não duvido que existam meninas de menos de 14 anos que saibam o que estão fazendo e o que querem. Mas a legislação não pode ser individual; não dá pra ter uma idade de consentimento diferente para cada pessoa. Então a legislação vai ser necessariamente injusta com alguém. Ou algumas pessoas que já sabem o que querem e o que estão fazendo serão consideradas incapazes só por serem jovens demais, ou algumas pessoas que não sabem o que querem nem o que estão fazendo vão ser prejudicadas, só por que a idade cronológica é maior do que a idade emocional.

O que não ajuda é a maneira como sexo é encarado pela sociedade. Incluído aí o abuso sexual. É evidente que abuso sexual traumatiza; mas algumas posições teoricamente "contrárias ao abuso" na verdade reforçam esses traumas. Tem algumas pessoas que parecem praticamente estar perguntando à vítima por que ela não se suicida, por que o trauma do abuso é algo tão inimaginável que não dá para viver com ele. E outras que parecem exigir que as pessoas se sintam traumatizadas por coisas que não são percebidas como traumáticas pelas supostas "vítimas" (como, por exemplo, esta trivialização completa do conceito de "estupro": "O machismo faz com que homens levem seus filhos de 13, 14 anos pra serem estuprados num bordel".

Anônimo disse...

Sylvie

Querida, fico muito feliz que vc esteja bem. :)
Sobre o professor canalha, como vc disse o que é dele tá guardado!
Quanto ao bando de fracassado de porão que falaram besteira e algum te chamou de "velha recalcada" (onde uma moça de 28 anos é "velha recalcada"?!! Nem minha linda mãe de 49 anos pode ser considerada assim!) não ligue!
São um bando de misóginos velhos, fracassados de porão que nem garotas de programa querem eles! Um bando de babaca inútil casados com a própria mão kkk
Um grande abraço e continue com alegria de viver. Td de bom pra vc querida.

Anônimo disse...

Nossa anônimo (a) das 23:41

Que pai misógino e imbecil!!
Ainda bem que a moça mesmo casando com um cara mais velho, pelo menos não casou com um misógino como o pai dela.

Fantomas disse...

Foçar ou induzir um menino de 13 anos a transar com uma mulher adulta não é "trivialização do estupro". É estupro.

Anônimo disse...

Puts depois do clássico da ficção "racismo reverso" ou "misandria assassina" agora vem também o "estupro de homens por mulheres"

Ragnar disse...

Concordo com tudo, mas não se esqueçam que dos caras (geralmente jovens) que são induzidos a crer que essas meninas são mais velhas, justamente pela estrutura corporal dessa molecada. Hoje meninos e meninas parecem ter idades bem superiores às quais estávamos acostumados a acreditar. Ninguém inicia uma conversa ou uma aproximação de uma pessoa e solicita sua Carteira de Identidade. Apenas imaginam a idade da pessoa ou ela mesmo o diz. Muitas mentem porque curtem ficar com caras mais velhos. Meninas amadurecem mais rápido do que meninos e, por este motivo, não gostam de ficar com moleques novinhos, pois são bastante infantis. Existem esses casos também. Não há como negar.

Agora, com relação a velhos tarados, sim, são pessoas de baixa estirpe, homens fracassados que não conseguem conquistar uma mulher e apelam para meninas novas, pois, tecnicamente, conseguem ter "papo" com uma pré-adolescente. Não se sente envergonhados e pressionados, pois a idade é, disparadamente, desproporcional.

Alexandre disse...

Os comentários aqui cada vez mais cheio de ódio. Sou quarentão e com muito orgulho! É estranha as opiniões acerca da ingenuidade das adolescentes e a execração de homens mais velhos. Não só uma vez, mesmo estando eu acompanhando de minha esposa, já testemunhei garotas me "comendo com os olhos". No mês passado num supermercado havia uma garota de uns 16 anos olhando-me. Mas é claro que as revoltadas aqui vão dizer que estou inventando isto( só acreditam na história da R.). Somente homens mais velhos é quem são calhordas? Observem como estes homens jovens de hoje são desprovidos de valores comezinhos. Talvez, as mulheres mais jovens enxerguem no homem mais velho, maior responsabilidade e estabilidade do que nos homens mais novos.

Leila disse...

Eu não lembro em que país europeu o consentimento está ligado à diferença de idade até os 18 anos. A partir de então, não há mais restrições.
Eu acho perfeitamente coerente. Já fui uma menina de 14 anos, minha família era perfeitamente estruturada, e ainda assim, eu era cheia de ilusões bobas, carências, inseguranças. Faz parte da idade, a adolescência é uma fase de formação, estamos ainda estruturando nossa personalidade. Não acho digno nem aceitável um homem adulto experiente se relacionar com uma menina de 14 anos. O que ele está buscando? Carne fresca? Inexperiência? Vulnerabilidade?
Por que não se relacionar com alguém que se possa tratar em pé de igualdade?
Pra mim, há sempre algo de manipulador e perverso em homens adultos quererem se relacionar com meninas recém saídas da infância.

Anônimo disse...

Alexandre entenda, mulheres desde a infância são ensinadas que o "príncipe encantado" irá resolver seus problemas, e meninas são ensinadas SIM que homens mais velhos são melhores pra ter estabilidade financeira e social, mas esse ensinamento é perigoso pq tem muito pedófilo que se aproveita desse fato.
NÃO estou dizendo que vc é pedófilo, mas apenas que o fato das meninas estarem te olhando se deve à está educação machista e falida.
Homems são ensinados a serem o que quiserem, mulheres ensinadas a serem "propriedade" de alguém e aí que homens velhos de pouco caráter envolvem adolescentes em relações abusivas e destrutivas.

Anônimo disse...

donadio como levar um menino de 13 anos a um bordel e pressioná-lo, ameaça-lo ou manipulá-lo pra que ele transe com uma prostituta não é estupro? Ou você acha que esses meninos tinham condições de consentir? Tem um post no ckacked sobre meninos levados a bordéis e obrigados a transar com prostitutas, ele se chama " I Lost My Virginity to a Prostitute: 6 Terrible Realities" e estão lá todos os efeitos de abuso sexual. Aqui as falas do garoto no artigo:

"I was afraid of what might have happened if everyone realized I didn't want to do it"

"I had trouble putting it in, and she helped me with that with her hand. I had trouble finding a comfortable way to position myself ... During the whole thing, she told [me] to touch her on the butt and breast so I would enjoy it more. I didn't want to touch her much because it felt awkward. I had trouble keeping an erection, and when she suggested changing positions, I just went with it. Then, after some time when I felt I could maintain an erection for long, I just [told] her, 'I'm done,' which she took to mean I had orgasmed. Which was a relief, because I hadn't."

E depois o garoto ainda entrou em conflito, porque todos diziam que ele tinha que gostar da experiência enquanto ele se sentia mal e violado. Não estou fazendo "mimimi iuszómi" aqui, donadio, tô falando de uma violência sexual cometida contra crianças e adolescentes que são pressionados e ameaçados a um ato sexual que não queriam.

Anônimo disse...

Me relacionei com homens mais velhos duas vezes. Quando eu tinha 16-17 namorei com um rapaz de 30. O relacionamento acabou pela diferença de vibe. Eu estava com cabeça em vestibular, faculdade enquanto ele já era formado e planejava comprar um apê próprio. A diferença de mentalidade era muito grande, estávamos em fases completamente diferentes.
Quando eu tinha 21, namorei com um homem de 40 e poucos anos, era meu colega de escritório. Ele era recém separado, dois filhos adolescentes. Caras como eles exercem atração em mulheres jovens e eles sabem como usar isso. Fazem questão de mostrar que podem gastar o dinheiro que a gente ganhava de estágio numa noite e terem sucesso profissional. Idade da loba. A maioria dos amigos dele estava na fase de "trocar uma de 40 por duas de 20". Arrumar novinhas para mostrar aos amigos que ainda dão no couro. Também terminamos por diferenças de mentalidade, além do fato de eu estar me sentindo usada como um troféu, como um lastro de sucesso.
Não falando que todos os relacionamentos com diferenças de idade estejam fadados ao fracasso, afinal cada um sabe o que quer para seus relacionamentos. Mas tem alguns momentos que você gostaria que as pessoas ao seu redor passem pelas mesmas fases, angústias, alegrias...

Anna

Anônimo disse...

" Errado. Ela poderia ser a melhor mãe do mundo, mas uma mãe JAMAIS será capaz de fazer papel de pai, cada um tem seu papel."

Se o pai abandona a criança para a mãe cuidar e cai no mundo, a mulher deve fazer o que? Jogar a criança fora pq JAMAIS fará o papel de pai e o filho vai virar um adulto perturbado?

Rafael Cherem disse...

Fico um pouco curioso com caras que gostam de meninas mais novas,pessoalmente eu só converso com adolescentes praticamente obrigado,não consigo ter a mínima atração sexual por gente em formação, gosto de experiência, sempre gostei, desde que tinha a inteligência de um chimpanzé, ou seja, quando era adolescente. Hoje, olho para casais de faixas etárias diferentes e me questiono sob a maturidade da pessoa mais velha.

Rafael Cherem disse...

Ah sim, ainda se leva meninos a bordéis?

Anônimo disse...

Rafael Cherem essa reportagem do cracked foi do ano passado, 2015. Não duvido nada que ainda façam isso.

Anônimo disse...

Duvido muito que uma mãe solteira seja capaz de criar um filho heterossexual mentalmente saudável. Infelizmente a masculinidade tem certos jogos sutis que dificilmente uma mulher poderá ensinar ao seu filho. Se alguém tiver contraexemplos...

Não há nada de errado em levar um filho ao prostíbulo, contanto que ele queira. Se eu um dia tiver um filho e ele for tímido, não teria problemas em levá-lo em alguma data especial a um prostíbulo e pagar a ele uma moça que faça o estilo "namoradinha". Aqui em Porto Alegre, os cabarés são até que bem civilizados, tive uma namorada que contava que tinha até uma mãe que levava o filho, portador de síndrome de down, uma vez por semana para dar uma trepadinha, ele curtia. É uma profissão que tem uma função social, inclusive o puteiro lá tinha quartos preferenciais para idosos e portadores de necessidades especiais nos dias que tinha fila.


A grande maioria dos homens mais velhos que se relacionam com moças novas o fazem por ser mais fácil de controlar. É fato que se ouve em qualquer mesa de bar. Alguns querem abusar mesmo, outros apenas "lapidar".

Anônimo disse...

12:57 então qual a solução que vc propõe para mães que tiveram seus filhos abandonados pelo pai?



Pelo menos seu comentário foi honesto. A maioria dos homens quere mesmo controlar as meninas mais novas, vc não ficou inventando desculpinhas.

Jovem Feminista disse...

Anonimo das 12:57

O que eu duvido que você seja capaz, criar um filho homem que não seja um abusador de mulheres.

" Se eu um dia tiver um filho e ele for tímido, não teria problemas em levá-lo em alguma data especial a um prostíbulo e pagar a ele uma moça que faça o estilo "namoradinha"."

E se você tivesse uma filha assim você ia levar ela num prostibulo e paga um moço ao estilo "namoradinho" para por jeito nela?

Estes machistas a cada dia ficam mais ridículos.

Anônimo disse...

Quem frequenta certos grupos de apoio para co-dependência, transtornos afetivos e grupos do modelo de "mulheres que amam demais" ouve histórias assim o tempo todo, só que de mulheres adultas mesmo. Então daí a gente poderia extrapolar muito e dizer que qualquer relação é insegura para as mulheres porque elas são naturalmente incapazes de consentir, o que tá bem longe de ser verdade. Vamos colocar os pezinhos no chão, gente.

Anônimo disse...

Cada comentário aqui meio idiota, mas vemos várias questões que foram levantadas aqui...
Como homem, no qual trabalhei por curto período como professor na escola de ensino médio, sei de casos de colegas que se relacionaram com alunos, no qual além de achar anti ético, acho esse envolvimento sexual uma forma abusiva, pois o professor exerce uma relação de poder com a aluna, isso é, ele é o dominante. Isso demonstra uma insegurança desse abusador.
Quanto ao fato de um homem possa ou não ser estrupado ou abusado sexualmente, digo que sim, é verdade. Mas nós homens somos educados a ser disponíveis ao sexo sempre, com medo de que uma negativa possa ser uma justificativa de nos chamarem de viados;
O menino ou não querer ter relações com 12, 13 ou 14 ou 18 anos, é questão de escolha dele e de sua maturidade. Eu por exemplo, iniciei minha vida sexual aos 13 anos com uma menina de 16 e não foi traumático, pois eu era apaixonado por essa menina, então cada um tem sua maturidade e sabe a hora de ter relações
Quanto a ir bordeis, acho que é ignorância um pai levar um menino de 12, 13 ou 14 anos para puteiro para aprender ser homem. Como eu disse, cada um tem seu tempo, alguns meninos podem estar prontos psicologicamente a ter sua primeira relação sexual aos 12 anos, outros aos 20 anos, cada um tem seu tempo próprio. Fui a um casa dessas somente após aos 18 anos com colegas de trabalho e por vontade própria e não foi o meu pai que me levou.

Ps.: Atualmente tenho 34 anos e uma namorada de 36 anos e nos damos muito bem, uma relação de igual para igual, sem dominante.

Ezco Musaos disse...

"Mas nós homens somos educados a ser disponíveis ao sexo sempre, com medo de que uma negativa possa ser uma justificativa de nos chamarem de viados"

---> O que você não sabe ou finge não saber (o que é mais provável) é que essa "educação" masculina típica é só mais uma das inúmeras facetas do machismo a ser combatida e não uma justificativa para abuso de menores. Mas sair da zona de conforto é muito difícil. Como sempre nada além de machismo nos "argumentos" em defesa de abusadores.

Anônimo disse...

Ezco Musaos, eu interpretei o comentário do cara das 13:51 de uma forma que as situações de abuso de homens são "normais" por causa do machismo. Uma mulher adulta que abuse de um menino de 13 anos... se ele reclamar é "viadinho", não gosta de mulher, está reclamando por ser um sortudo que "comeu" a mulher mais velha etc. Homens são socializados a sempre gostarem e estarem prontos para o sexo, então quando ocorrem essas situações, os próprios homens desacreditam e ridicularizam as vítimas. Daí vem meia dúzia de idiotas convenientemente jogando a culpa em cima do feminismo.

Anônimo disse...

Anônimo metido à dono da verdade das 12:57

Não acho que seja correto enfiar um filho mesmo sendo filho homem em prostíbulo pq ele sempre terá conceitos equivocados sobre mulher.
Mas se vc tiver uma filha tímida arrumara um "namoradinho" pra ela, ou vc é só um babaca, burro, machista e hipócrita mesmo?

Homens mais velhos não sr relacionam com moças mais novas e até mesmo adolescentes que acabaram de sair da infância, não pra "lapidar" mas pra abusar mesmo.
Mas quem sabe se um dia tiver uma filha, vc não deixa de ser um pseudo macho burro e machista e vira gente de verdade.

Anônimo disse...

Anônimo das 12:57

Lamento te informar, vc não tá criando filho macho e fodao, tá criando um futuro estuprador e pedófilo.

Ps: qual sua solução pras mulheres que são abandonadas com seus filhos e filhas quando o covarde do pai abandona a família?
Quero ver sua resposta sr"cagador de regras, dono da verdade".

Anônimo disse...

12:57 se a masculinidade que você fala que um pai deve ensinar ao filho for essa bosta que nós temos agora, falida, baseada na violência e no abuso contra o feminino, então o menino e as meninas que conviverem com ele estão bem melhor sem um pai, acredite.

Anônimo disse...

Tenho 27 anos e acabei de sair de um relacionamento abusivo e tóxico com um cara que é 14 anos mais velho.
Quando conheci ele achei que tivesse uns 30 e ele achou que eu tivesse 20.
Ficou bem claro que se aproximou de mim por eu ser mais nova(aparentar ser super nova)e daí abusar melhor. Mt gente tem certeza que a idade pesou, pois eu que fosse um pouco mais velho que eu e ele já sabia que sou bem mais nova sabendo a idade que ele tem. Logo não se aproximou de mim por acaso.
E já no final do relacionamento vi ele de olho de outras moças da mesma faixa etária que minha.
Qual é a conclusão que cheguei com isso? Que não basta se adolescente para ser manipulada, abusada e agredida. Basta apenas ser bem mais nova que o agressor, mas de preferência entre os 10 e 30 anos de idade.

Anônimo disse...

É difícil relacionamento com diferença de idade grande dar certo, acontece mas as chances de dar merda são grandes, e sempre o mais velho que abusa. Agora não pensa que é só homem não pq mulher mais velha que pega muleke novo é pra manipular e controlar.

Anônimo disse...

17:27, mas "lapidar" também é um tipo de abuso. Manipular alguém jovem e mais facilmente influenciável para agir de acordo com o seu gosto é abuso também.

Erres Errantes disse...

"Rafael Cherem disse...
Ah sim, ainda se leva meninos a bordéis?"

Quando meu sobrinho fez 18 anos, o avô dele falou em levá-lo para o bordel. Minha irmã ficou indignada com razão. Imagine, em pleno século XXI, as pessoas terem ideias atrasadas como essa.



Anônimo disse...

Seja velho ou seja novo qualquer relacionamento com homem na sociedade patriarcal e desigual e em algum gral será abusivo cedo ou tarde, quando vocês vão despertar do entorpecente do mito amor romântico e do veneno do apaixonamento e ver isto com clareza?

Anônimo disse...

Anônima das 09:06

E via de regra e assim mesmo, mas isso só existe homens que abusam das mulheres em grande quantidade, porque quase todas as mulheres em algum grau são tolerantes com abusos e manipulações masculinas, e aqui onde entra o empoderamento que feminismo tem como objetivo.


Rafael Cherem disse...

Erres Errantes

Pois é, uma falta de respeito com o tempo do rapaz, na verdade acho que essa atitude visa a uma espécie de "vacinação" contra a homosexualidade.

Fidel disse...

"Erres Errantes

Pois é, uma falta de respeito com o tempo do rapaz, na verdade acho que essa atitude visa a uma espécie de "vacinação" contra a homosexualidade."

Você considera a homosexualidade uma doença?

Rafael Cherem disse...

Fidel,

De forma alguma. Mas algumas pessoas pensam que forçando o rapazinho a transar cedo, com putas, este não terá relação homo, o que é uma grande bobagem.

Anônimo disse...

Em pleno sec XXI ainda existe bordel?

Anônimo disse...

Sua história é muito parecida com a minha, de certa forma. Eu tinha 14 anos e cursava a 8° série e me apaixonei pelo professor de biologia acessível aos alunos, engraçado e brincalhão. Ele terminava o curso numa universidade e dava aulas simultaneamente na escola em que eu estudava. Na época eu tinha muitos problemas com os meninos da escola porque eu sempre entrava em briga mesmo com quem eu gostava, era como se os garotos com quem eu convivia jogassem esse jogo onde quem se apaixona perde. O professor entrou na minha vida como uma salvação. Eu com 14 ele com 26. Na época nos encontramos algumas vezes próximo a minha casa e alguns vizinhos viram e contaram para a minha mãe que foi incisiva e mandou que o cara assumisse o namoro da forma "certa". Ele foi na minha casa, conquistou a minha mãe e ela permitiu tudo aquilo tranquilamente, desde que eu não viajasse com ele, namorasse em casa e andássemos com meu irmão para todos os lugares. O namoro atravessou a minha fase de entrada no ensino médio e durou por volta de 1 ano e meio. Ele nunca me forçou a nada, mas tinha esse ar de me "ensinar", me "iniciar" sexualmente. Ele me cercava e me mostrava um mundo que eu poderia ter acesso com ele, consumo, viagens, restaurantes etc. Ele traçava meu destino, meu futuro. E isso foi me perturbando de uma forma que foi ficando cada vez mais aparente. Houve uma situação onde chorei até soluçar porque estávamos discutindo se eu poderia ou não morar perto da minha mãe, no futuro! Ele me presenteava com caras metade para ficar pendurado no pescoço e anéis de "compromisso". Eu já não gostava dele a algum tempo e preferia ficar com minhas amigas, ou mentir que estava ocupada estudando para evitar vê-lo. Como ele estava planejando me pedir em noivado acabei com ele, entreguei o anel e fui viver minha adolescência. Lembro como hoje, num domingo à noite, ele chorou muito eu me expliquei que não gostava de sentir minha vida toda já planejada. Foi uma sensação muito boa de liberdade e no outro dia fui para a escola me sentindo feliz, livre. Depois desse namoro eu tive um outro namorado na fase escolar, colega de turma que não era um bom namorado. Ele era bastante egocêntrico e também brincava esse jogo de quem se apaixona perde, ele costumava manter várias meninas relacionadas a ele e as desprezava. Na época todo mundo o considerava um garoto problema e a minha mãe moveu mundos e fundos para me afastar deste namorado. Ela fez coisas inimagináveis, me trancou em casa, colocava pessoas para me vigiar, criou uma situação em que meu pai me agrediu, fez a escola me mudar de turma. E nada disso funcionou, apenas me deixou cada vez mais próxima e ligada a ele. Nesses dois casos o que mais me indignou e ainda me revolta bastante foi a atitude da minha mãe. Ela foi negligente ao permitir um homem mais velho se aproximar de mim com apenas 14 anos, mas criou um inferno na minha fase escolar porque eu namorava o "bad boy da escola". Em ambas as situações eu tive que sozinha adquirir resiliência e enfrentar a situação, porque nem com o professor eu tive apoio para terminar, e com o bad boy eu tive que depois de muito tempo entender a situação em que estava e que não me fazia bem, especialmente porque minha mãe praticamente me privou de viver minha adolescência e meus amigos, contexto que me aproximava mais ainda do bad boy. Hoje, depois de muitos anos a mágoa que tenho da minha mãe é imensa. Já relativizei muita coisa depois que entendi melhor o contexto dela de mãe solteira numa cidade pequena. Mas percebi que durante minha vida eu tive que sozinha e com o apoio de poucos amigos superar os problemas que encontrei durante meu processo de amadurecimento. Hoje, namoro uma pessoa que me respeita, me ama e temos uma relação plena. Na época lembro bem de olhar no espelho e dizer para mim mesma: você merece e você vai ter uma pessoa melhor. No começo do nosso namoro minha mãe quis dizer o que era certo e errado e eu a impedi. Hoje ela gosta dele, mas não pelos motivos que eu gosto.

Anônimo disse...

Falando de envolvimentos de adolescentes com homens adultos lembro de dois filmes ótimos: Tabu e Educação.

Ambos questionam o tal "consentimento" das jovens.
O primeiro é mais pungente e doloroso pois a história trata de uma menina de 13 anos(praticamente uma criança ainda!) que é seduzida pelo vizinho e patrão (ela é babá dos filhos desse cara). Vi alguns comentários machistas em sites de filmes alegando que a menina era "assanhadinha" e teria provocado a situação de abuso, mas fica claro e NÃO ambíguo no filme que ali se trata de uma garota que tá crescendo e descobrindo o corpo e os hormônios em NENHUM momento o filme justifica o abuso desse sujeito um aparentemente simpático vizinho de 40 e tantos anos que é experiente e sabe que o errado na situação é ELE.
O segundo, Educação, não é tão pungente e a personagem é uma garota um pouco mais velha entre 17 a 18 anos que se apaixona por um homem de quase 40 anos.
E embora seja "consensual" o envolvimento deles, fica claro que ele a manipula o tempo todo.
Ela é uma garota romântica sem experiência de vida e ele ao contrário é um homem muito vivido. E vc acaba vendo no final que ele não era o "príncipe" que ela envergava nele.
Dois ótimos filmes que questionam o suposto consentimento de adolescentes com homens mais velhos.

Marcos Sousa disse...

A Madonna, desde os anos 80 se relaciona com homens "novinhos" e meses depois os abandonava. Dizem que até hoje o Jesus Luz corre atrás dela e ela o manda pastar em tom de deboche... "Dois pesos, duas medidas". Mas, ah, o texto fala de uma menina que foi encantada por um homem mais velho! Certo, mas nos comentários, aqui já se citou casos de mulheres adultas de 20 e poucos anos encantadas e abandonas por homens bem mais velhos... Jesus Luz tinha 21 anos quando foi encantado pela Madonna e abandonado logo depois...

Anônimo disse...

E eu quero saber porque que se chora tanto por pedofilia com ídolos pedófilos sendo exaltados aos quatro ventos. Caetano Veloso começou a se relacionar com a Paula Lavigne quando ela tinha 13 anos, Woody Allen estuprou a própria filha, David Bowie fazia sexo com prostitutas de 14 anos, e aí cadê a comoção?

Anônimo disse...

16:10 existe sim. Disfarçado, mas existe.

Marcos Sousa faça o favor de não esquecer que Jesus Luz já era um adulto quando conheceu a Madonna, um adulto com plena capacidade de consentir e que deu seu consentimento. Não um menino de 13, 14 anos que estava começando a descobrir o próprio corpo e sexualidade e foi aliciado por uma mulher mais velha que queria abusar e manipular. Sem contar que a chance de um relacionamento de mulher mais velha com homem mais novo ser abusivo é infinitamente menor do que um homem mais velho com uma mulher mais nova. O ponto aqui é que: a autora tinha 14 anos, o homem tinha 40. Não há a menor possibilidade de ela ter dado consentimento com plena capacidade e essa "relação" obviamente foi um abuso. Cuidado, viu? Defender abusador costuma ser indício de que o "defensor dos pobres zómis abusadores" é doido pra fazer o mesmo mas tem muito medo de ser descoberto.

Anônimo disse...

Não precisa usar a sua régua pra medir a dor dos outros.
Diferentona
Precoce

Anônimo disse...

Não

Anônimo disse...

E daí se o menino for tímido? Isso não é anormal. Prostibulo não é solução de suas burrices como pai

Anônimo disse...

Ele era maior de idade. Não era um menino carente de 14 anos de idade. Mas se ele foi abandonado ou não, foda-se, não é relevante

Anônimo disse...

Lembrei do Anthony Kiedis, vocalista do Red hot. Sua ultima namorada tinha 19 anos e ele 51 quando começaram. Ele me parece ser um otimo cara, mesmo assim é meio estranho

Anônimo disse...

Esse post é uma das provas que eu tenho que amar mais ainda os meus pais (Se bem que pra minha idade eu era bem sensata) Mesmo assim eles JAMAIS permitiriam que um homem de 40 chegasse perto de mim com essr tipo de interesse