segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

COMO SE NÃO BASTASSE SER ASSALTADA

A G. me enviou essa questão, que eu respondo abaixo:

"Lola, eu gostaria de um comentário seu sob a ótica feminista da situação que aconteceu comigo. Faz 2 semanas que fui assaltada perto de casa (moro em Santo André, SP). Eu voltava pra casa a pé e fui abordada por dois rapazes em uma moto que se levantaram me cercando e pedindo minhas coisas. Por conta disso ando bastante desconfiada ao andar pela rua, principalmente em lugares ermos como o que moro.
O que acontece é que depois desse episódio, quando alguém me aborda em uma rua deserta, principalmente se for homem e se for perto de casa, eu não paro. Até porque diversas vezes no mesmo caminho já levei inúmeras cantadas de homens a pé, de homens em carros, motos e caminhões, sem contar que teve uma época que eu sequer podia passar pela avenida pois certa vez uns entregadores do restaurante que fica no local começaram a me cantar e eu me defendi, e depois disso todas as vezes que eu passava por lá eles me xingavam dos mais diversos nomes.
Agora vamos ao que aconteceu hoje: eu ia a pé, sozinha, para a estação de trem próxima à minha casa. Estava usando fone de ouvido e não ouvi o rapaz chamar, mas percebi que ele me abordava. Não parei. Pois alguns metros depois o mesmo rapaz correu em minha direção, me agarrou forte pelo braço me chacoalhando, me xingou e disse que só queria me pedir uma informação, que eu era uma puta idiota.
"Não sou puta por não responder"
Lola, eu sou a pessoa mais gentil e educada que conheço, mas moro em um lugar tão hostil e machista que não me dou mais ao luxo de testar a sorte. Eu já fui assaltada três vezes na minha cidade, sendo duas próximas à minha casa (uma bem em frente), e quase todas as vezes por homens a pé. E outra: se fosse somente uma informação, por que correr atrás de mim para me agredir fisicamente e com palavras?
E eu tenho uma dúvida: em um caso desses eu devo ir à alguma delegacia fazer BO para pelo menos alertar que o local é passivo de abordagens violentas?
É difícil lidar com essas situações sociais em um país machista e em uma cidade perigosa como a minha. Me entristece pensar que por que sou solteira, ando sozinha e a pé (não gosto de carro), meu direito de ir e vir é tolhido. Já não basta toda a crítica social por conta dessa minha situação aos 30 anos, e agora tem mais essa? Estou bem chateada, Lola, bem chateada."

Meus comentários: G., minha solidariedade. Todo mundo que já foi assaltado sabe o trauma que é (eu fui assaltada três vezes, quando vivia em SP, até 1993. Faz tempo que não sou... ufa!). Acho que é importante sim fazer BO para que a polícia saiba (se é que já não sabe) que sua região é perigosa. 
Porém, a gente sabe que homem na rua tem medo de ser roubado, enquanto pras mulheres o medo está longe de ser apenas o de assalto. Seria um paraíso viver sem esses medos. E parece que muitos homens não têm a menor ideia de que corremos outros riscos. Às vezes eu fico passada com a falta de simancol de alguns caras que andam na rua. Tem uns que mudam de direção e passam a vir pra cima, talvez até sem se dar conta. 
Provavelmente o babaca que te agrediu queria apenas uma informação. Mas você não é obrigada a atendê-lo. Se esse cara soubesse de quantas grosserias você tem que aguentar simplesmente por sair à rua, talvez ele entendesse que você tem boas razões para ignorar o que um estranho te diz. Mas não, ele se acha tão importante, tão merecedor da sua atenção, que, se você não responde, ele se vê no direito de correr atrás de você, te agarrar pelo braço e te chamar de "puta idiota". 
Esses dias li O Quinze, clássico de Rachel de Queiroz, e o que mais me chamou a atenção, fora a descrição desoladora da seca e a narrativa sobre os campos de concentração (eu não sabia que o Ceará teve campos de concentração, também chamados de currais humanos, antes da Alemanha nazista! Nas grandes secas de 1915 e 1932, o governo cearense colocou em campos fechados os milhares de retirantes que chegavam a Fortaleza tentando fugir da miséria. Lá as pessoas morriam de fome e de doenças e eram enterradas em valas comuns), foi que alguns personagens reprovam que uma moça ande sozinha na rua. Para eles, uma mulher deveria sempre sair acompanhada por um homem. 
O conceito por trás disso permanece, um século depois. Primeiro vem a noção de que espaços públicos são masculinos, e espaços domésticos, femininos. Portanto, uma mulher na rua estaria "invadindo" um espaço que não é o dela (é muito mais por causa dessa mentalidade que tantos homens "cantam" mulheres na rua. Eles não querem conquistar ninguém, e sim exercer poder, mostrar que aquele espaço é dele, que é ele quem manda, que ele tem tanta autoridade a ponto de julgar a aparência de uma completa estranha). 
Segundo vem a ideia de que mulher sozinha está à disposição. Se ela não tem um "dono" (um namorado ou o marido, mas, numa sociedade patriarcal, pode também ser o pai ou o irmão), ela não é de ninguém, logo, é de todos, é de quem chegar primeiro.
E terceiro está a noção de que uma mulher precisa ser protegida (de outros homens) por um homem. Tem um monte de cara que adoraria voltar a esses "bons tempos" (que eles disfarçam chamando de "cavalheirismo") de mulher só poder sair acompanhada, de mulher precisar da proteção de um macho. Talvez por isso iniciativas louváveis como a Vamos Juntas? incomodem tanto. Elas questionam: se você, mulher, está numa situação de risco, por que não pedir ajuda à outra mulher?
Todos querem viver num país sem assaltos. Mas parece que nem todos querem viver num país sem assédio na rua. Para tantos homens, chamar uma mulher de "gostosa" na rua nem é um problema. Pelo contrário, é um grande elogio. Eu acho que essa mentalidade está mudando, que a gente está deixando bem claro que dispensamos grosserias. Mas ainda vai levar muito tempo para que esse comportamento seja de fato reprovado socialmente. 

76 comentários:

Dollynho disse...

Nossa Lola, fiquei pasmo com esse negócio de campo de concentração em Fortaleza... Agora me fala, que moral têm os nordestinos prá falar que paulista é preconceituoso?. Só um detalhe: eu sei que você é formada em Letras, mas me corrija se eu estiver errado, mas "pedir ajuda à outra mulher" tem crase?(no sentido de que "a outra" é uma mulher genérica e não alguém específico)

Anônimo disse...

O próprio comportamento do cara já justifica vc não parar para responder. Sei que não é arriscado,mas caberia uma resposta: É por causa babacas como vc, que agridem e ofendem uma mulher gratuitamente, que não paro na rua pra dar informação.

Anônimo disse...

Ups, sei que é arriscado.

Anônimo disse...

"que moral têm os nordestinos prá falar que paulista é preconceituoso?"

impressão minha ou tão tentando cancelar preconceito de um lado com preconceito de outro?
Não vem com essa não, cara. Eu sou nordestina e não vem tentar diminuir o preconceito que a gente sofre no sudeste/sul.

Reformula essa frase aí ou começa outra discussão.

Dollynho disse...

Não estou tentando diminuir o preconceito que nordestinos sofrem no sudeste/sul, amiguinha... Estou dizendo que um povo que repudia ao seu semelhante (no caso, nordestino tratando nordestino como lixo), não tem moral prá falar de ninguém, sacou?

Anônimo disse...

Também todas as vezes que me abordaram agressivamente foram homens, e quando foi uma mulher ela foi bem mais discreta.

Voce está certa em não parar para estranhos, uma vez dois homens ficaram pedindo pra eu ajudar eles a empurrar um carro na ladeira de noite, achei estranho eles pedirem pra uma mulher fazer isso...
Aqui não é Suiça nem Japão que o povo deixa a mala e fica lá na rua sem ninguém mexer.

Anônimo disse...

Você não gosta de andar de carro, corajosa eu sinto medo de andar nesses transportes públicos onde tem assaltos e encoxadores, ocorre no trânsito tbm mas eu me sinto mais confortável, eu queria poder andar de metro pela cidade toda e não precisar de carro mas até por ser mulher e ainda andarmos de bolsa vulneráveis. Detalhe que raramente saiu de bolsa, coloco dinheiro no sutiã.

Anônimo disse...

Teve até uma lei pra parar as mulheres no ponto que elas pedissem depois das 10, e tinha homem reclamando disso, mas eu lembro de um caso que o estuprador abordava a vitima mulher no onibus e obrigava ela a ir no motel com ele fingindo ser namorado.

Anônimo disse...

Meninas eu estou interessada em um rapaz e quero tomar a iniciativa como faço isso?
não tenho medo de levar um fora, minha vida tá muito parada eu só quero fazer isso pra me divertir.

Se alguém tiver uma ideia agradeço, to sem ideia.

Anônimo disse...

E Eu quero dicas de como abordar uma mulher sendo mulher sem saber se a mulher é gay ou não. Quero ter uma experiência homo sem frequentar balada gay mas acho meio impossível encontrar uma sapa zanzando por aí.
Eu faço estilo femme cabelo grande meio aloirado, magra. As poucas que eu vi na rua nunca me deram bola, será que o meu tipo não agrada??
Vocês acham que eu devo me vestir mais alternativa??

Anônimo disse...

Dollynho, o Nordeste possui 9 estados. É grande pra caralho. Você pega uma desgraça que aconteceu em Fortaleza pra falar de mal de Nordestino. Nem precisa disfarçar seu preconceito, querido.

Outra coisa, no Nordeste também tem elite sabia? Quem você acha que criou esses campos de concentração? Agora fica calado e para de desvirtuar a discussão.

E paulistano é um povinho preconceituoso mesmo. Adoraria conhecer SP pena que tem muito paulistano morando lá.

Anônimo disse...

Toda mulher bonita quando é assediada no seguindo que rejeita os "elogios" do nojento vira baranga, feia, gorda (como se fosse ofensa).
Se aprendessem a ficar calados não seriam rejeitados
#Fikdica

Anônimo disse...

Só pelo tinder
mas no não sei se tem a opção gay lá, pras discretas deve ser foda pq eles exigem perfil no FB, aí qqr um pode descobrir que vc é do babado, tipo sua familia, eu sei que no ginder tá cheio de homem casado.

Dollynho disse...

"E paulistano é um povinho preconceituoso mesmo". E qual povo não é?

Anônimo disse...

Aposto que este dolly guaraná aí também acredita em "racismo reverso", "heterofobia" e "cristofobia" (esta última na Brasil, que fique bem claro). Nem percam tempo.

Tati

Anônimo disse...

E G e tenso isso, mas deixa eu citar alguns trechos que chamaram atenção.

"me agarrou forte pelo braço me chacoalhando, me xingou e disse que só queria me pedir uma informação, que eu era uma puta idiota."

Se comigo esse paspalho ia tomar um soco na fuça que ele não ia esquecer nunca mais.

"Eu já fui assaltada três vezes na minha cidade,"

se o porte de arma fosse bem facilitado para mulheres pode ter certeza que isso não acontecia.

"ando sozinha e a pé (não gosto de carro), meu direito de ir e vir é tolhido."

Eu ate gosta de anda em carro, e mesmo se não gostasse, o meu eu não deixava na garagem nunca, o Brasil lamentavelmente não e um pais onde as mulheres podem anda na rua nem usa transporte publico com tranquilidade.

Lola

" Portanto, uma mulher na rua estaria "invadindo" um espaço que não é o dela (é muito mais por causa dessa mentalidade que tantos homens "cantam" mulheres na rua."

eu ate não diária que necessariamente isso, o problema e que independente de onde ele esta, homem(com poucas exceções) tem a péssima mania de se achar no direito de __________, _________, _________, _____________, _____________, ______________, _______________, ____________, _____________,

Merda pra preencher os espaços e o que não falta.

Lamento que isso tudo tenha acontecido contigo, e acredito que as coisas vão melhorar no futuro

Tudo de bom pra você amiga.

Suellen

Anônimo disse...

Infelizmente você mora num lugar perigoso e nada que você faz vai mudar isso. Brasil é violento, interior de SP mais ainda. O errado é achar isso é culpa de machismo, o que não tem nada a ver.

Mulher é fisicamente mais fraca que o homem, e portanto mais vulneravel, e portanto um alvo mais fácil, e portanto deve tomar mais cuidado e ficar mais em casa. Não é machismo, é a natureza.

Anônimo disse...

Dollynho, não sou sua "amiguinha".

"Estou dizendo que um povo que repudia ao seu semelhante (no caso, nordestino tratando nordestino como lixo), não tem moral prá falar de ninguém, sacou?"

E sulista/sudestino repudiando nordestino? São povos diferentes? Pelo visto uns por aí acham até que são mesmo, né? Newsflash: é tudo Brasil. Beijos.

Faz o seguinte: lê o que o anônimo das 15:07 escreveu e reflita bastante.

Ridículo.

pp disse...

Eu concordo com a Lola que isso está melhorando. Quando eu era adolescente ninguém nem falava sobre isso, e hoje já temos um movimento. Claro que está longe de conseguirmos que seja um comportamento reprovável socialmente, mas eu já sinto diferença na minha cidade (BH). Na rua ainda tem muito assédio, principalmente aqueles "oi, linda", mas tenho me sentido mais a vontade em festas na rua, como no carnaval desse ano.

eu tenho uma impressão, que pode ser preconceito, mas eu vejo mais homens mais velhos, tipo a partir dos 40 anos, fazendo essas coisas, e menos meninos mais novos. Será que estou enganada ou as últimas gerações já respeitam mais as mulheres?

Anônimo disse...

Anonimo 15:44

Sabe nada detectec

"Mulher é fisicamente mais fraca que o homem"

E mais isso não nada que uns 2 anos pechando ferro na academia não resolva este problema de força em qq mulher normal.


"e portanto mais vulneravel, e portanto um alvo mais fácil,"

Você já ouvi-o falar de armas e artes márcias?

Com um arma na mão ate uma baixinha de 1,50 faz um marmanjo de 2 metros de altura pesando 100 Kg se ajoelhar na frente dela e pedir clemencia.

A realidade te mando lembranças

Suellen

Anônimo disse...

Os bandidos são vítimas do sistema capitalista opressor! Homem que canta mulher da tua idade deve tá num baita desespero.

Anônimo disse...

"e portanto um alvo mais fácil, e portanto deve tomar mais cuidado e ficar mais em casa"

Engraçado que em casa mulher sofre violência pra caralho também, né? Eta natureza engraçada.

Anônimo disse...

Antes o medo fosse de ser atacada por uma onça pintada. Aí eu aceitava o argumento da natureza. Por agora vc podia enfiar ele no **.

Anônimo disse...

Suelen 15:59

Sabe nada detected

"E mais isso não nada que uns 2 anos pechando ferro na academia não resolva este problema de força em qq mulher normal."

Óbvio que eu estou falando em média, se pegar a Ronda Rousey ela da porrada em praticamente qualquer homem. Tem q comparar um homem médio com mulher média, ou um homem com 2 anos de academia com uma mulher a 2 anos na academia, e portanto o homem é mais forte. Para de tentar distorcer as coisas.

"Com um arma na mão ate uma baixinha de 1,50 faz um marmanjo de 2 metros de altura pesando 100 Kg se ajoelhar na frente dela e pedir clemencia."

Concordo que se mais gente andasse armada ia ser mais díficil pros vagabundos assaltarem. Mas o fato é que a maioria das pessoas incluindo mulheres não anda armada, e mesmo assim muitas vezes o bandido também está armado. Nada disso que você disse contradiz a realidade:

Mulheres são alvos mais faceis de assalto por natureza.

Realidade te manda abraços.

Dollynho disse...

Vai perder a aposta...

Anônimo disse...

Tem como mudar isso sim: vota no PT, igual a Lola fez, que melhora.

Anônimo disse...

(...)mulher deve tomar mais cuidado e ficar mais em casa.

Ahhh... se eu ganhasse uma moeda pra cada vez que eu ouvisse isso quando uma mulher sofre agressão...

Jane Doe

Anônimo disse...

A Lola e o André votaram na Dilma, pessoal.

Anônimo disse...

Anonima das 16:56

"Para de tentar distorcer as coisas."

Eu não distorci nada, você que não entende que eu apenas rebati um argumento pífio com uma resposta objetiva.

De qualquer forma habilidade de luta em um confronto físico, elimina qq desvantagem em função de força e porte físico.

"Mas o fato é que a maioria das pessoas incluindo mulheres não anda armada,"

Sim mas deveriam anda armadas, e o objetivo principal nem e provocar o confronto armado, e aproveita de que bandido quase que só acata quem sabe que e alvo fácil, e com isso prevenir os crimes.

A realidade te mando outro abração

Suellen

Anônimo disse...

(Viviane)
Assim como a autora, eu também não dirijo e ando muito a pé e de ônibus. É também um tema interessante: será que, devido à violência, nós somos "obrigadas" a ter carro? A diferença é que moro em uma cidade do interior, que também tem assaltos, estupros, violência em geral (nada que se compare a Rio ou São Paulo).
Bem, eu acho que a ideia de "ter carro para se proteger" é meio "classe média" demais para meu gosto - nem todo mundo pode comprar e manter um carro. O ideal é lutarmos por respeito nas ruas e nos transportes.

Anônimo disse...

Engraçado que a maioria das vitimas de assassinato nas cidades são de homens feito...por homens! E ninguem dizer para que eles não saiam de casa. Enquanto isso, os numeros de morte de mulheres sao maiores nos ambientes domesticos....por homens tambem!

Anônimo disse...

Enfia sua natureza na bunda, que a gente não aprendeu a usar roupa, comer de talher nem se organizou em um sistema de poder representativo pra vir meia dúzia de puto usar determinismo biológico quando lhes convém. Mulher é mais fraca por natureza? Que se repudie quem ataca mulheres em vez de tentar tolher a liberdade dela com pseudo preocupação de quem se importa com a segurança dela.

Anônimo disse...

17:47 e 17:57 Duas destruidoras em menos de 10 minutos!

Por isso eu amo esse blog!

Anônimo disse...

Pois é. E como se os agressores normalmente não estivessem nas próprias casas...

Anônimo disse...

Pois é, 17:47, se a questão fosse mesmo só "violência generalizada", andar sozinho seria tabu pra todo mundo. Tanto eu quanto meu irmão já fomos assaltados, mas na hora de fazer BO, só eu recebi dicas dos PM de "evitar sair desacompanhada" de noite. Nem acho que eles foram propositalmente discriminatórios, mas reflete que sempre, SEMPRE acredita-se que mulher poderia ter evitado a violência "se comportando de outra maneira".

Anônimo disse...

Pois é. Como se os agressores normalmente não estivessem nas próprias casas das mulheres.
Quanta merda!

Anônimo disse...

Vou nada. Gente do seu tipo eu farejo de longe.

Anônimo disse...

O problema nunca está nos homens que são os maiores agressores tanto de homens quanto de mulheres, o que dizem aos homens estuprados e assaltados?

Eu sempre ouço dizer que o ser humano é ruim quando se trata de violência mas há infinitas generalizações sobre as mulheres, sobre as roupas e seus comportamentos, mas sobre crimes de mais de 80% dos casos serem de homens todos vem faar que isso é do ser humano, e que devemos ter mais cuidado.

Anônimo disse...

Por isso que todo homem é estuprador em potencial, a gente tem que ficar sempre tomando cuidado, das nossas roupas dos nossos corpos, já os homens estão aí livres pra fazer a merda que quiserem e ainda ganhar apoio dos calhordas.

Anônimo disse...

as mulheres não deveriam estar nas ruas sendo assediadas ou os homens não deveriam estar nas ruas assediando?

quem merece ser preso quem bate ou quem apanha???

Até quando vamos ficar presas pagando por um erro que não é nosso, essa é uma das maiores injustiças sociais já vistas no mundo.

Anônimo disse...

Homens tem que ficar em casa não na rua assediando mulheres.

Anônimo disse...

OFF TOPIC:
Alguém viu o vídeo racista de uma moça branca dizendo sobre as vantagens de ter cabelo ruim?

Anônimo disse...

A galera desse blog é muito alheia a realidade.

Mulher é mais fraca -----> mais fácil de assaltar

É muito simples, não existe uma sociedade secreta que visa apenas causar medo em mulheres.

Elas são mais frágeis por natureza. Fim da história.

Anônimo disse...

Anonimo 18:35


"A galera desse blog é muito alheia a realidade."

Você que diga.

"Mulher é mais fraca -----> mais fácil de assaltar"

E dai se mulher mais fraca, quem sabe lutar pode vencer um oponente que não só e mais forte como e mais auto também, isso se você for lutar no muque, depois que inventaram as armas, não existe oponente forte, o que existe mulher desarmada.

Hoje estou afim de massacrar os trolls aqui.

Suellen







Anônimo disse...

18:35, não é questão de ser alheia à realidade; concordo 100% com você, a mulher média tem menos condições de auto-defesa que o homem médio. Mas isso não pode servir de argumento para que se prenda mulheres em casa "pelo bem delas". "Mas eu não estou defendendo nenhuma lei que proíba mulher de sair sozinha à noite, só acho que é mais seguro pra elas", você me diz. Mas entende que aqui você está dizendo que mulheres devem fazer uma escolha entre liberdade pessoal e segurança? E que TODOS deveríamos ter direito a AMBOS? Se você foca seus esforços em cercear a liberdade das vítimas em vez de prever e punir a ação dos criminosos, no fim, você não está defendendo a vítima, entende? Até porque, se TODAS as mulheres seguissem o conselho e ficassem em casa à noite, os criminosos continuariam assaltando, escolhendo as novas "presas mais frágeis" que aparecessem.
E por último, não é somente força física que define a "vítima mais frágil". O assaltante está atento pra um conjunto de características ideais, na verdade. Ele está de olho em uma pessoa sozinha, distraída, previsível, que não conseguiria reagir ao assalto. Penso com meus botões que entre uma mulher que esteja sozinha e atenta em uma rua deserta e um cara que também esteja sozinho nessa rua, mas esteja distraído com o celular, por exemplo, o assaltante vai preferir abordar o cara pelo tempo de reação menor. Ainda mais se o assaltante estiver armado; dane-se então se a vítima é a Selena Gomez ou o Anderson Silva. O cara vai abordar quem tem menos probabilidade de gritar, correr ou chamar qualquer tipo de atenção durante o assalto.

Anônimo disse...

Ajudem a denunciar esse vídeo por apologia à violência à mulher!!!

https://www.youtube.com/watch?v=vXsHQT7x1E0

Anônimo disse...

Ragnar, o que tem de tão irreal no post pra você achar que é conto pra boi dormir? Histórias semelhantes a essa ocorrem TODOS os dias, e é difícil encontrar uma mulher que não se identificou em algum ponto. Mas você é um mascu, a estratégia de vocês é justamente tentar tirar a credibilidade da vítima para ela ser desacreditada. Fazem isso com vítimas de estupro, de violência doméstica e por aí vai. A proposito: vaza daqui, ninguém tem a obrigação de convencer mascu fracassado da real.

Anônimo disse...

23:13, enquanto todo mundo achar melhor "evitar sair" do que cobrar pautas de segurança pública, "gente ruim" vai continuar violenta. Defender que "não quer ser assaltado, não saia de casa" é conformismo.

Odara disse...

O mais inacreditável é a dificuldade de interpretação de texto de alguns com má vontade...
Todos deveriam ter o direito de ir e vir sem medo de assalto, assédio ou estupro! Essa é a questão do post!
Ou o anon de 23:13 acha que um homem teria sido chacoalhado por não dar atenção a outro dizendo que só queria informação? Acha que um homem teria sido assediado por um grupo de entregadores?
Em determinadas situações todos tem medo de assalto. As mulheres tem medo de estupro sempre!

Lola, obrigada por existir e fazer o blog! Voltei hoje de um dos meus períodos sem conexão e ainda estou me atualizando (adorei o post sobre mulheres mais velhas!). Beijo

Anônimo disse...

Anônimo das 15:44

Para de falar merda cara!!
Pqp vc é um completo IMBECIL!!! Que vergonha da tua mãe em ter parido um traste como vc!!
Primeiro seres humanos tem direito se ir e vir, o Mundo não foi feito só para homens. Conforme-se.
Segundo as maiores vítimas de violência estão dentro de casa!!
Beli argumento tosco pra manter as mulheres trancadas em casa em uma pseudo segurança.
Vai se fuder seu lixo.

Anônimo disse...

Anônimo das 18:35

Vai tomar no cu com suas teorias machistas de merda!!
Não é por ser mais frágil fisicamente que mulher tem que voltar à década de 50 pra ser escrava do lar de um lixo como vc!!
Já que diminui tanto as mulheres e exalta tanto os machos, arruma um pra vc e para de encher o saco seu merda!

Anônimo disse...

Isto e comum a vida de todas as mulheres, eu sempre que acordo passo por uma banca de jornal para ler as noticias e tenho que aguentar os homens a minha volta passando a mão em mim, sai rapidamente vou a padaria onde peço 5 pãezinhos e esculto do balconista;
"E pãozinho pra esta chana delicia"
Na volta para casa sempre param de 2 a 3 carros (Todos 1.0) me chamando para ir no motel, ignoro e sigo em frente, tomo meu café me arrumo e vou trabalhar, no ponto de ônibus um velho de 31 anos me pergunta se não quero em vez de ir para o trabalho voltar para casa com ele, respondo educadamente "não obrigada"
No ônibus e no metrô sou assediada e encoxada por todos os homens que ali estão, insuportável dividir o mesmo ambiente, mesmo ônibus, mesmo mundo, mesmo universo que ele que eles.
Ao entrar na rua de minha empresa passo por uma obra tendo que me desviar dos tijolos que os os pedreiros jogam na expectativa de me deixar inconsciente e poderem abusar coletivamente de mim. Quando passo pela portaria de minha empresa não cumprimento o porteiro para não dar falsa expectativa sexual para homem ainda mais um porteiro tarado (todos são), ao entrar no escritório todos os 247 homens ali me comem com os olhos e ficam fazendo psil para mim enquanto sussurram palavras de baixo calão, na volta para casa o mesmo drama de assédios e abusos da ida, quando chego em casa cansada e exausta de tanto absurdo machista, tomo um banho ligo a TV para ver as noticias me depara com o apresentador do telejornal interrompendo as noticias me olhando de cima a baixo e me propondo uma suruba com todo o elenco da redação.
Ate quando isto Lola?

Anônimo disse...

Devemos ensinar aos estupradores a não estuprar, nunca ensinar as mulheres a temer.

Anônimo disse...

"Devemos ensinar aos estupradores a não estuprar"


Legal...mas já passou pela tua cabeça que ele se recuse a aprender? Que ele estupre porque gosta e não porque foi educado para estuprar? Que justamente ofato de estar macucando a vitima e de ela não estar gostando seja o fetiche do desgraçado?
Porque ele pararia simplesmente porque "o ensinamo a não estuprar" e ele ta fazendo algo que gosta?

Anônimo disse...

Sera? Será que ele é tão mau assim? E você tão bonzinho?

Ou será que ele nao teve a oportunidade de estudar nas mesmas escola que vc, ou de ter tudo na mão, e etc?

Anônimo disse...

Você já parou pra pensar que o próprio capitalismo pode te-lo tornado assim? Juntamente com patriarcado?

Anônimo disse...

Achei graça do comentário do fanfarrão das 00:27.
Não posso dizer o mesmo do comentário do 01:17. Tem tudo pra ser deboche mas há muita gente que pensa assim mesmo. Inclusive destaco o fato dele xingar a mulher e não o agressor. Esse daria um "protetor de mulheres" de mão cheia. Sorte da mulher que for protegida por você. Só que não.

Para alguns devemos voltar ao tempo em que mulheres só podiam sair de casa acompanhadas porque o mundo lá fora é muito perigoso. Perigoso por causa de quem mesmo? Quem é perigoso é que deve ter sua liberdade tolhida. Fica a sugestão pra reflexão. Beijas.

Elaine telles disse...

Mascus brasucas se acham os descendentes de europeu. MAl sabem que cultivam a mesma subcultura de países atrasadíssimo como a Índia. Lá também se acha que mulher sozinha merece violência. Parabéns por querer manter nosso país imerso nessa merda.

Anônimo disse...

Tão fofo ver anônimos como os de 00:27 fazendo troça de situações que eles nunca vão passar... Aí a gente fala que homem não tem que dar opinião sobre nossas pautas, pronto, "feminazis misândricas, vadias odiadoras de homens!". Continua com a zueira que são comentários como o seu que servem de argumento pra quando fazem mimimi de "feminismo é desnecessário no Ocidente hoje em dia". Os caricatos como 01:17 eu nem comento.
00:35, aqui cabe uma longa discussão de que sim, ensinamos nossas crianças a estuprar quando compartilhamos vídeos e fotos de sexo/nudez sem permissão, quando comentamos "com uma roupa assim/um comportamento desse/numa hora dessa, tá pedindo pra ser estuprada/depois é estuprada e reclama", quando comentamos aos risinhos que "cu de bêbado não tem dono", quando falamos que "não" de mulher é cu doce, quando tachamos de frescura ou exagero quando mulheres reclamam de assédio (em homenagem ao 00:27 <3 ), quando deixamos de censurar o bróder que contou uma história hilaaaária de como ele chantageou uma mulher pra fazer sexo, quando silenciamos quando uma mulher é assediada na rua... Se você acha que é exagero meu dizer que "ensinamos crianças a estuprar" ao reproduzir esse tipo de comportamento, entenda que por maior que seja a demagogia, damos a elas um exemplo bastante torpe de consentimento, fazendo com que elas sequer considerem determinadas situaçãos assédio sexual ou estupro; ou que justifiquem que jamais fariam isso com "uma mulher direita", a moça andando sozinha de roupa curta (e só Deus sabe qual o comprimento da roupa pode ser universalmente considerado "decente") e a moça bêbada da festa obviamente assumiram o risco de serem estupradas quando tomaram a decisão de sair com aquela roupa ou de beber.
Quando pedimos que se ensine o estuprador a não estuprar, e não as mulheres a temer, estamos justamente querendo derrubar essa mentalidade podre que mulher sem companhia de homem é patrimônio público, "se não quisesse, teria evitado". Porque na boa, há menos estupradores que são de fato sociopatas irremediáveis que atacam qualquer mulher na calada da noite do que estuprador "mas fulano é tão gente boa" que acha o estupro justificável ou "nem-foi-estupro-que-palavra-forte" por motivo torto qualquer.
Mas enfim, entrando na esfera dos sociopatas irremediáveis. Primeiro, nem sempre a vítima ideal de assalto é mulher.O discurso de "evite andar sozinho em lugares ermos" cabe a qualquer um. Arma de fogo é um puta equalizador de força, então pro assaltante armado, foda-se se é a Selena Gomez ou o Anderson Silva [2]. O problema é que quanto mais a rua se esvazia pelo medo, mais perigosa ela fica e mais banalizamos quem sofre violência. Uma coisa é aconselhar seu filho a não andar sozinho no horário x ou y, ou combinar de levar e buscar sua esposa de carro se ela tiver que sair no horário x. Outra é jogar num comentário que "mulheres deveriam evitar sair sozinhas de noite, pelo bem delas mesmas". De fato, eu e, julgo que a maioria das moças do blog, evito sair sozinha depois de umas 21 horas, bem como evito certos lugares a qualquer hora do dia (evito: tem vez que não tem jeito, ou a gente acaba se limitando demais). Mas naturalizar isso não pode, porque é justamente com essa naturalização que banalizamos a violência. Quando creditamos à vítima o dever de se resguardar e "evitar situações perigosas", estamos assumindo que independentemente dos esforços, a violência é inevitável. Acabamos caindo no comodismo de que "não vai mudar mesmo". E é esse pensamento que ajuda a estagnar as políticas de segurança.

Anônimo disse...

Numa cultura machista estupradores são homens que tem aval pra estuprar enquanto outros tem aval pra oprimir mulheres em troca de "proteção".

Anônimo disse...

Vi. E depois, não sei se nesse vídeo ou outro, ela (que tem cabelos lisos) fala que "cabelo ruim" não tem nada a ver com ser crespo, liso, ondulado, etc. Tem a ver com não ser cuidado, hidratado e tal, como o dela na ocasião.

Anônimo disse...

Verdade. Parece também com os países islâmicos. Tenho lido sobre eles e os mascus tem pensamentos que os islâmicos também tem. Deus nos livre deles

Anônimo disse...

Estranho os mascus ligarem as "piranhas " com o discurso feminista. Normalmente essas mulheres, digamos, vulgares são normalmente anti-feministas por acharem que sua unica função no mundo seria chamar a atenção dos homens pelo seu corpo e roupas escandalozas. E nunca ouvi reclamação de homem nenhum por elas se portarem assim, somente quando o assunto é violencia contra as mulheres no meio publico que parece que para eles todas automaticamente se transformam em "piranhas ". Não somos "piranhas ", não queremos atenção de homem nenhum, seria até melhor se nos ignorassemos e deixassem de assediar.

Anônimo disse...

07:41 se você que trollar seja mais original. Li seu comentário e só morri de tédizzzzzzzzzzzzz...

Uh, como é? Ah, lembrei.

A polícia não só é mal preparada e uma instituição extremamente machista e violenta como está cheia de bandidos. Uma professora me contou umas histórias de policial plantando cocaína no carro de um senhor de 70 anos pra extorqui-lo, o idoso teve que pagar 500 reais, foi ameaçado pra não denunciar na corregedoria e teve um derrame. Li uma reportagem sobre prostituição de menores relacionada ao vício no crack, os policiais ao invés de prender os clientes das menores estupram as meninas e tiram o dinheiro delas. Tem gente boa na polícia? Tem. Mas tem muito lixo também e, infelizmente, como não tem escrúpulos em atropelar os outros e fazer negociatas o lixo acaba chegando nos cargos mais altos primeiro.

Anônimo disse...

A policia militar esta cheia de psicopatas que procuram a corporação para dar vazão aos seus desejos diabolicos

Jovem feminista disse...

Amigas não deem trela para mascu, logo a Lola vem deleta os comentários deles todos.

quanto que foi dito no post, só com uma mudança muito grande na educação e leis mais inteligentes e duras para mudar esta realidade.

Rafael Cherem disse...

Se tem uma coisa que me irrita é confundir PT e esquerda. Minto, tem uma coisa que me irrita mais, é dizer que é da esquerda os problemas de segurança pública, pois a mesma NUNCA governou o país.

Anônimo disse...

09:19 vocês homens morrem porque querem, tá ligado? Porque tudo vocês tem que resolver na porrada, na facada, no tiro, na agressão, na violência. E pior, vocês sabem disso mas não querem mudar, preferem continuar morrendo encaixados nesse modelinho ridículo e violento de masculinidade que só os prejudica. Quer saber? Foda-se. Foda-se você com seu mimimi e fodam-se os machistas morrendo porque querem enquanto as mulheres morrem por terminarem um relacionamento, pedirem divórcio, não quererem namorar um psicopata mimadinho, disserem 'não' pra filhinho de papai ou denunciarem os estupros que sofreram. Foda-se você que não liga pros homens, só quer o direito de agredir, estuprar e matar mulheres sem ser punido. Foda-se mascu idiota e insignificante, e Foda-se com F maiúsculo sua corja também. Foda-se, foda-se e foda-se.

Anônimo disse...

Mascu anônimo IMBECIL das 07:41

Ninguém tá falando que homem não "serve pra nada" seu analfabeto!

Fala pra Anne Hathaway, pra Kristen Dunst, pra Sandra Bullock, Beyoncé, etc, que elas são "balzaquianas velhas" seu viadinho!!
Pra achar mulher acima de 30 "velha descartada que ficou ora titia" tá mostrando que é um grande viadão isso sim! Quem gosta de adolescente é pedófilo, homem seguro de si gosta de mulher da mesma faixa etária.
Aliás este esteriótipo da mulher rejeitada depiis dos 30 é FALSA! Vejo muita mulher acima de 40, namorando, casando e trepando, o que mais vejo é mascu misógino e preconceituoso morrendo de solidão e rejeição.
Vocês são um bando de velho mal amado, rejeitado, descartado,fracassado de porão que corre atrás de adolescentes, e vem julgar as mulheres? Vai tomar no cu vc(por seu comentário misógino, aposto que deve gostar muito disso!)

Só falou merda por ser burro demais!!
Ninguém tá descartando homens (de verdade, não um pseudo, um moleque como vc), só deixamos claro que em pleno século XXI devemos ser respeitadas e ternos nossos direitos civis respeitados.
Concordar com a máxima "espaços públicos nasculinos e espaços domésticos femininos" é mostrar o quentão é BURRO, IMBECIL, misógino e odiador de mulheres!!
As maiores vítimas de violência estão dentro de casa!! São mulheres e meninas que são agredidas, estupradas e mortas por "defensores de escrava do lar" como vc!!
Prender mulheres não é solução! Vide países miseráveis onde professor passa longe devido só desrespeitoso com as mulheres!
Você pode chorar, ironizar, alegar que mulheres fora de casa são as "sem marido'(eu trabalho em arquitetura e sou casada) mas vc é um sem mulher, um rejeitado, amargo, cheio de ódio e nojo de mulher! Vc sim e tipos como vc são um CÂNCER nesta sociedade. Para de iduar mulheres, casa com outro mascu e deixa de ter tanto ÓDIO de mulher, seu fracassado!

Anônimo disse...

Moça, eu sei o que é tudo isso, é brabo ser desrespeitada só por ser mulher, mas sobre o balconista safado, se eu tivesse na sua pele faria um escândalo e chamava o gerente, e se ele fosse demitido foda-se, ele que né desrespeitou primeiro.

Dollynho disse...

Só gostaria de lembrar aos amiguinhos e amiguinhas que estão defendendo porte de arma para mulheres, que a polícia não recomenda reagir, mesmo com arma. O bandido está em vantagem porque tem o fator surpresa ao seu lado.

Jovem feminista disse...

Dollynho

So uma colocação, se você sabe usar arma não tem problema se o bandido tem o surpresa ao seu lado, você pode reverter o fator surpresa a seu favor, e só saber fazer as coisa direito, além disso na rua você nuca deve andar distraída, ai você evita ou pelo menos dificulta que usem o fator contra você.

Anônimo disse...

Taylor Swift ganhou Grammy em álbum e cantora!!
Tapa na cara educado e elegante na cara do idiota do Kanye West.
Ela falou algo que acho que encaixa no post.
"As mulheres seja jovens ou não,crescem e progridem graças só seu próprio talento e a ajuda dos conhecidos, parentes e amigos".
O mesmo digo sobre assunto do post.
Os mascus imbecis e misóginos não entendem que não estamos rejeitando os homens, não queremos guerra com eles, ao contrário dos imaturos mascus que querem guerra com as mulheres.
Se uma mulher tiver precisando de ajuda não há mal de um homem ajuda-la, como não é errado uma mulher salvar um homem como(um dos milhares de exemplos) foi o caso que uma mulher impediu de um homem se jogar de um prédio.
Como não é errado uma mulher salvar outra mulher, ou um homem salvar outro homem, ou um adulto(homem ou mulher) salvar uma criança ou um idoso.
A cara de pau e falta de caráter é vir com argumento baixo, barato, misógino de que mulher tem que ficar dentro de casa pra não se vítima de assédio e violência.
Aliás mascu é o bicho mais burro e contraditório do Mundo. Se homem é quem mais sofre violência, então tecnicamente NINGUÉM devia sair se casa né? Já que o risco de abuso sexual é menor, mas de agressões, roubos e mortes são maiores pros homens, então eles tb não deveriam sair de casa, se seguirmos este ridículo argumento.
E veio um completo acéfalo, escroto e filho de chocadeira dizer que "mulher sem marido" é que mais sofre violência porque "vai pra rua, porwue é ambiente masculino" como se somente mulheres solteiras, viúvas ou divorciadas trabalhassem e as casadas só fossem "escravas do lar"(sou um exemplo, sou casada e trabalho como chef de cozinha, meu salário é maior do que meu marido); e como se o Mundo só fosse permitido pros homens viverem e as mulheres não; e como se o ambiente doméstico fosse " proteção" em vista de que o maior índice de violência física, sexual e homicídios contra mulheres (incluindo meninas e adolescentes) não fosse DENRRO DE CASA cometido por maridos,paus, irmãos, tios e conhecidos, enfim, os "protetores de mulheres" como se fossem os bichos de estimação e não seres humanos com sonhos, vontades, objetivos, talento e importância na sociedade.
Ou esses misóginos só tem MERDA no cérebro ou são completos enrustidos que querem trancar, oprimir evtratsr mulheres como inferiores pra se sentirem mais "machos".
Se dependesse dessa corja, o Brasil seria igual Índia, Congo, Afeganistão, entre outros países misóginos e miseráveis.
Se dependesse desses covardes, chorões, bebedores de Todynho da mamãe(a única mulhet que atura esses trastes), fracassados de porão, odiadores de mulheres, ainda estaríamos no tempo das cavernas!

Ana disse...

Acho exagero ela pensar que ia ser agredida/estuprada/assaltada porque o cara pegou no braço dela. Isso já é uma agressão, se ele quisesse ir além e fazer uma das três coisas com ela, aproveitava e já fazia. A triste explicação é essa: mesmo quando não querem nos machucar, acabam nos machucando. Porque vivemos numa sociedade em que o machismo ainda impera e homens não entendem que encostar numa mulher já é um abuso. Fora que a falta de educação também conta, afinal, não se pega em ninguém na rua, pelo motivo que for, ainda mais gritando com a pessoa.

Queria dizer pra moça não ficar traumatizada, mas eu própria sou e sei como é. Talez seja melhor ela ser assim e se proteger mais.

Anônimo disse...

Elaine telles,

Machismo não é exclusividade de 3º mundo, países como Suécia e outros "loiros lindos modernos ricos" também tem suas doses. A internet vende muita coisa bonita, mas não é sempre assim. Minha família vem do norte da Itália, fazendo fronteira com a Suíça, e eu te garanto que não é uma região bacana pra ser mulher.

Anônimo disse...

Eu levo o meu canivete sempre comigo... não é lá grande coisa, mas homens às vezes nem usam nada contra nós porque somos mulheres e sofremos o terror de viver com medo todo dia, então...