quinta-feira, 4 de junho de 2015

GUEST POST: REACIONÁRIOS COMBATEM A IDEOLOGIA DE GÊNERO

A A. me enviou este texto no começo da semana:

Sou mais uma daquelas leitoras que deve grande parte do interesse pelo feminismo a partir da leitura do blog. Sou professora de uma pequena cidade no interior do Paraná, Paranavaí, e tive a oportunidade de assistir uma fala sua em Maringá, no ano passado. Nunca te escrevi, mas ao ler a notícia sobre o caso da adolescente estuprada no banheiro da escola tive a necessidade em dividir com você o que anda acontecendo no meu município que, na verdade, é uma tendência geral. 
Exemplo de arma ideológica
feita para contaminar as
crianças com marxismo
Estamos enfrentando um grupo de conservadores religiosos da cidade que tentam a todo custo que o Plano Municipal de Educação não inclua em seu texto aquilo que eles chamam de "ideologia de gênero", mas que não se encontra escrito no texto que na realidade trata de "Assegurar que a Educação das Relações Étnico-Raciais, a Educação de Gênero e Sexualidade, o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira, Africana e Indígena e o Plano Nacional de Cidadania e Direitos Humanos e idosos sejam contemplados nos currículos da Educação Básica". 
Peça de propaganda conservadora
Entre outras sandices, esses conservadores acusam o plano de promulgar o marxismo cultural, o comunismo, acabar com a família tradicional cristã, ensinar sexo para  crianças, e fazer com que crianças de 4 anos "virem" homossexuais. É muito absurdo junto, como você pode ver nessas imagens que te envio.
É sério, não é gozação. Reaças
realmente fizeram esta peça
Não satisfeitos, eles encaminharam para a Câmara uma proposta do projeto "Escola sem partido" visando combater a "doutrinação ideológica" que os professores (petistas, feminazis, comunistas, gayzistas...) estão ensinando nas escolas. Onde vamos parar com essa onda de conservadorismo, inclusive juvenil? 
Nunca me foi tão real o poder que esses grupos encontram na sociedade. Acredito que o projeto será enviado para a câmara de vereadores da cidade ainda nesta semana e que provavelmente seremos vencidos, mas ainda lutamos. 
Quantas meninas mais terão que ser estupradas para que reconheçam a necessidade de que precisamos de uma escola não machista e que acolha a diversidade? Quantos professores e professoras terão sua orientação sexual e seu trabalho questionado por lutarem por uma sociedade mais igualitária? 
Nos últimos dias tenho sentido o peso em minha saúde física e mental desses embates e lembrei-me de você e das várias ameaças que sofre. O que deu motivação para continuarmos tentando lutar pela educação que queremos. 
Perdemos no nacional, será que perderemos aqui também? Tenho curiosidade de saber a quantas anda o debate em outros Estados. 

79 comentários:

Cão do Mato disse...

Li alguma coisa sobre essas cartilhas e acho muito necessário esse trabalho. Só uma crítica: acho que os materiais pedagógicos deveriam abordar o machismo sob o ponto de vista da opressão que ele exerce desde cedo sobre os meninos. Porque abordar apenas as questões de mulher no futebol, nas profissões "masculinas", e deixar de lado questões como as pressões que os meninos sofrem na área sexual, sentimental ("homem não chora"), e profissional ("homem que é homem tem que ganhar dinheiro!)? Confesso que não vi as cartilhas todas,apenas uma parte em uma reportagem de televisão, mas acredito que esses tópicos não estejam sendo abordados, dado o fato do enfoque dessas questões ser dado quase sempre sob a ótica da mulher.

Maria Fernanda Lamim disse...

Sou professora do Ensino Fundamental do Rio e digo:essas pessoas que veem "doutrinacao de esquerda" na escola delliram. Nada disso faz o menor sentido. Ha professores de todas as orientacoes ideologicas. E a escola enquanto instituicao ainda e muito mais conservadora do quedeveria (ate pq qq avanco e visto com desconfianca pelas familias, como bem observou a autora do post. ) enfim....estamos vivendo retrocessos lamentaveis. :(

lola aronovich disse...

Cão do Mato, quando se aborda GÊNERO, tenta-se desconstruir o que o senso comum entende como "coisas de menino" e "coisas de menina". Não tem como falar de mulher no futebol e de profissões "masculinas" sem falar de profissões "femininas", sem falar de homem na dança, por exemplo. É romper com a doutrinação que o mundo ensina às crianças desde muito cedo, incluindo aí o "homem não chora" e "homem provedor", assim como o "homem pegador". Isso tudo é machismo, e quando falamos de gênero, queremos combater o machismo, homofobia, racismo, transfobia, gordofobia, capacitismo, enfim, todos os tipos de preconceitos. Todo mundo só tem a ganhar. Por isso é difícil entender o ódio que os conservadores têm a um discurso que só busca incluir. Não se trata de maneira alguma de "fazer com que menino vire gay", como pregam os conservadores. É um jeito de discutir o papel de meninas e meninos na sociedade, de prezar tolerância e liberdade.

radscum disse...

"ponto de vista da opressão que o gênero exerce desde cedo sobre os meninos"

Podemos também falar sobre o capitalismo do ponto de vista da opressão que ele exerce sobre os capitalistas, kkkkkkkkk ou quem sabe, podemos falar também da opressão que os brancos sofrem por serem racistas. Os comentários desse blog são piada pronta.

lola aronovich disse...

Como vc pode conferir, Cão, algumas feministas radicais são contra questões de gênero, justamente porque essas questões obviamente levam em consideração também os homens. Para elas, falar disso é tirar o foco das mulheres. Elas querem mudar o mundo sem mudar os homens.
Ser contra aulas de gênero nas escolas: mais um ponto de aproximação entre radfems e reaças.

Mallagueta Pepper disse...

Bem... talvez a gente devesse dar um desconto pra esse pessoal. Quando uma pessoa nasce, a primeira coisa que se fala é seu sexo biológico e todo resto é determinado a partir disso. Acho que é a primeira identidade dada a cada pessoa e o seu papel no mundo.

Desconstruir essa ideia significa tirar muita gente da sua zona de conforto, repensar tudo no que vem acreditando até agora. Mexer com essa ideologia de gênero incomoda porque é como mexer com aquilo que elas entendem como sua identidade principal, não sei. Elas se sentem ameaçadas porque se essa ideologia for desconstruída, elas pensam que não vão mais saber quem são.

Talvez o maior problema seja as pessoas não saberem mais pensar por si mesmas. Acham que precisam de um grupo de regras mastigadas e bem delineadas pra saberem quem são, qual é seu papel, gostos, preferências, sonhos, objetivos, etc. A ideologia de gênero dá tudo isso pronto, mastigado e sem grande esforço.

Anônimo disse...

Acredito que desconstruir a questão de gênero seja uma das principais e mais árduas batalhas que devemos travar...
Mas ainda é difícil colocar dentro da cabeça das pessoas o quanto ela é necessária, meus alunos (todos homens) acham que isso não existe, que mulher gosta mais de curso de manicure do que curso de mecânica (eu sou mulher e prof. de mecânica).
Acham realmente que eles têm sim a a obrigação de gostar daquilo (é nítido que vários não suportam estar ali), e que mulheres não são capazes de desempenhar papéis tradicionalmente masculinos (sim msm eu sendo a prof. alguns acham que eu não sei o que estou fazendo)...
Mesmo sendo prof de mecânica abordo esse tipo de assunto com eles afinal acredito que é dever de quem ensina inserir novas perspectivas...

Haha e me lembrei de vc outro dia Lola... Um me disse que se eu era tão a favor de ser igual aos homens pq eu não lutava pra que servir o exercito não fosse obrigatório...kkkk

Fernanda disse...

Nossa, aqui em Campinas está acontecendo a MESMA situação. Inclusive estão tendo vários protestos na Câmara, e o vereador homofóbico e machista que propôs a lei chegouinclusive a falar aos manifestantes, quando eles viraram de costas, que eles gostam de fazer isso mesmo. Isso na Câmara! Estamos em um processo de retrocesso absurdo, e esses projetos estão piocando por todo lugar! Preocupante!
http://correio.rac.com.br/_conteudo/2015/04/capa/campinas_e_rmc/255436-proibicao-de-ideologia-do-genero-em-escola-cria-polemica.html

Anônimo disse...

Pô que opressão mesmo. Tem que fazer que nem os comunas querem, educação sexual pra crianças, pois elas devem fazer sexo com responsabilidade. XD
Infância pra que? Quanto mais cedo começarem, melhor pros pedófilos que infestam essas instituições.
Transgênero nem dá pra comentar pois é o fundo do poço da perversão sexual...

E assim caminhamos pro abismo. Guiados por gente super-responsável e com a melhor das intenções.

Ao invés de atacar a causa do problema (a hipersexualização na sociedade) vamos deixar a vida nos levar e ensinar às crianças como trepar melhor.

Nojo dessa gente.

BLH


Anônimo disse...

Por essa e por outras que o movimento das radfems não tem futuro.

lola aronovich disse...

Nojo temos de vc, BLH. Não são só os "comunas" que querem educação sexual nas escolas. Educação sexual é inclusive combate à pedofilia. Porque é dar a criança e adolescente o poder sobre seu próprio corpo. É entender que o corpo é só dessa criança ou adolescente, de mais ninguém. Quais instituições estão infestadas por pedófilos? Escolas? É isso que vc está dizendo? Que professores são pedófilos? Fala em voz alta pra todo mundo ouvir. Assine com seu nome. Tenha coragem!

Anônimo disse...

Combater a ideologia de gênero é só a ponta do iceberg, pois os conservadores querem mais é massa de manobra, pessoas que os seguem obedientes como gado. Aprovaram a não identificação nas embalagens de produtos transgênicos, votaram a favor da PL 4330 na câmara, basta ver os nomes é bem simples saber quem é veja só:

http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/CONSUMIDOR/486822-APROVADO-PROJETO-QUE-DISPENSA-SIMBOLO-DA-TRANSGENIA-EM-ROTULOS-DE-PRODUTOS.html

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/quem-votou-a-favor-da-terceirizacao-para-todas-as-atividades/

A inércia das pessoas podem culminar em um breve futuro o Brasil em uma sociedade estamental, caso absurdos como estes continuem a ser aprovados, hoje são reacionários que combatem a ideologia de gênero com discursos de ódio apelativos com um verniz pseudo moralista religioso, mas amanhã pode ser algo mais grave como combater quem é ateu ou não praticante de religiões ditas "corretas" como a católica ou evangélica, principalmente em terreiros de candomblé ou umbanda, tem também o crescente número de racistas no país e que não escondem seu preconceito racial de ninguém, embora seja crime, mas caso continue este caminhar das coisas daqui a pouco racismo no Brasil não será um ato criminoso e repugnante, fora a maioridade penal que tanto querem aprovar para matar quem é o objeto de ódio de quem é classe dominante ou classe mérdia reacionária, ou seja, negros, mulatos, nordestinos, pobres(pode ser branco, mas é pobre entra no pacote) e a tão aclamada pena que morte e quem vai para os corredores da morte caso mais este absurdo que "noticiários" televisivos sensacionalistas berram aos sete ventos? Mais uma vez morrerão pobres(branco também está no pacote), negros, mulheres(pobres para não parir mais pobres e propagar a miséria, pobreza), nordestinos.

Raven Deschain disse...

Pois olha. Não sou contra aulas de gênero (acho aud deviam implantar hoje, agora), mas nessa concordo com a radscum. Ah que chororô do cachorro. "Meninos não podem chorar". Ow baita opressão hein? Enquanto isso meninas são estupradas na escola. Por meninos que não podem chorar. Mas tadinhos neh? Talvez todo esse choro reprimido que faz com eles punam meninas que não tem merda nenhuma a ver com essa proibição babaca de choro.

anon A. (radfem) disse...

Lola, a sua perseguição contra as radfems está bem irracional. Você mesma falou "algumas radfems" para em seguida dar um pulo generalista para "mais um ponto de aproximação entre radfems e reaças".

E mesmo o "algumas" está errado, me mostre uma única radfem que seja contra ensinar sobre opressão de gênero, raça ou sexualidade nas escolas. Uma única.

São os reaças que dizem que só homens podem ser provedores, fortes, dominantes, e mulheres devem ser submissas e enfeites. A ideologia trans concorda com isso, ao ponto de se uma mulher 'agir como homem' ela na verdade ser um homem. Nos EUA vários grupos religiosos são contra homossexuais enquanto são a favor do transgenderismo, é um jeito fácil de 'consertar' homossexuais e pessoas que não se encaixam nos esteriotipos de gênero. Idem para países ultra homofóbicos como o Irã, onde homossexualidade é pena de morte, enquanto cirurgias de mudança de sexo são financiadas pelo governo.

Sobre como machismo afeta homens, radfems reconhecem que isso ocorre, mas como isso é muito mais uma consequencia dos privilegios masculinos do que uma opressão, consideram que isso não deve ser o foco do feminismo radical. Você nunca vai ver uma radfem falando mal de um homem porque ele está chorando ou porque ganha menos que a esposa, mas isso certamente não é o foco.

lola aronovich disse...

Sem tempo nenhum pra responder, Anon A. Mas é isso mesmo que vc disse: vcs são a favor de aulas sobre opressão de gênero. Ou seja, aulas pra ensinar as meninas algo que muitas já sabem -- que elas são oprimidas. Isso é insignificante. Imagino que vcs queiram também aulas separadas. Escolas separadas. Sociedades separadas entre homens e mulheres, assim como querem os mascus da ala Men Going Their Own Way. O que eu vejo toda hora é radfem falando mal de trans, homem, e feminista que não pensa como vcs.


Raven, uma leitora quer urgentemente falar com vc. Mas não tenho o seu email, eu acho. Vc pode escrever pra ela, por favor?

lola aronovich disse...

Tchau, gente, estou viajando! Sam, por favor, dá uma olhada nos comentários aqui e apague os mais raivosinhos! E não deixem que inventem posts pra mim no Twitter pra me caluniar, como fizeram na páscoa.
Até mais! Sábado publico um post pra contar as novidades. Pra amanhã já tem outro agendado.

Raven Deschain disse...

Escrevo sim, Lola.

Prefere que eu deixe meu email pra Samantha?

anon A. (radfem) disse...

"Ou seja, aulas pra ensinar as meninas algo que muitas já sabem -- que elas são oprimidas. Isso é insignificante."
Lola, você recebe tantos emails te agradecendo de mulheres que finalmente perceberam e entenderam o machismo, e assim puderam lutar contra ele, e acha isso insignificante? Você sabe muito bem que a aula não seria "hey, vocês são oprimidas, tchau", mas explicaria como essa opressão funciona, criticaria a sociedade, daria novos pontos de vista. A maioria das mulheres nem sabe que várias das coisas que elas sofreram ou é 'obrigação' delas é opressão, e você sabe disso! Muitas nem sabem que foram estupradas! E você sabe disso, você posta sobre isso. É sério, você está querendo tanto criticar e demonizar as radfems que está se contradizendo.

Sobre o 'separatismo', você claramente não entende de radfems ou está querendo nos demonizar a todo custo, por sermos contra a política de identidade de gênero. Pelo visto sermos críticas de gênero é motivo para criar argumentos bizarros do nada.

Mas ok, fingindo que você realmente quis dizer isso, e não que foi só uma provocação: Radfems consideram que devem haver espaços exclusivos por sexo biológico, como banheiros, abrigos, e se uma escola quiser ser exclusiva de algum sexo, que seja. Mas em nenhum momento somos contra banheiros unisex, escolas unisex, ou uma 'sociedade unisex', apenas consideramos que é importante que existam espaços separados por sexo biológico, para que as pessoas possam se sentir seguras fisicamente e debater problemas que as afetam devido ao seu sexo biologico, principalmente mulheres, que não possuem tais espaços e correm risco de estupro. Isso não exclui espaços unisex.

Eu mesma disse...

Educação sexual para crianças é um absurdo, já n são hiper sexualizadas o bastante? Criança n tem que pensar em sexo, namoro, tem que brincar, mas hj em dia o que vejo é o contrário.
E além do mais, se um pedófilo quiser abusar, ele vai, pois uma criança n tem como se defender. Saber o que é sexo n vai mudar nada, só vai ajudar a criança a ter uma noção maior da merda que fizeram com ela.
Eu acho que eles n entendem que discutir gênero, n vai fazer com que homem vire mulher e vice versa, e sim que n existe coisa de homem e de mulher, vc pode ser homem e gostar de costurar, ser mulher e gostar de mecânica...

"Meninos não podem chorar". Ow baita opressão hein?
Pois é, quando dizem para gente se comportar, ser educada, levar na cara quieta, tb n é opressão, nos mandam engolir os sentimentos, assim como com os homens que n podem demonstrar nada, nem chorar pq é coisa de viado, mas só é opressão com a gente, claro...

Raven Deschain disse...

Eu mesmo. Homens já são privilegiados. Vc não precisa defendê-los.

E sim. Mantenho oq eu disse. Enquanto eles não podem chorar, nós apanhamos. Enquanto eles "devem trazer sustento para a casa", nós somoa impedidas de trabalhar ou recebemos menos pelo nosso trabalho. Enquanto eles tem que "comer todas", nós somos estupradas. Homens sofrem com o machismo? Blz, concordo. Mas sinceramente? Eu trocaria de lugar com qualquer um deles agora.

Raven Deschain disse...

Eu mesma*

Oops

Anônimo disse...

Ser homem é ser cheio de privilégios até pra arrumar mulher é fácil já pra nós mulheres o mercado tá ruim.

Todos me odeiam, rs disse...

Apoio "Escola sem partido" visando combater a "doutrinação ideológica. a esquerda me odeia

E sou a favor de aulas sobre genero, desconstrução do machismo. a direita me odeia

Ariel disse...

"Educação sexual para crianças é um absurdo, já n são hiper sexualizadas o bastante? Criança n tem que pensar em sexo, namoro, tem que brincar, mas hj em dia o que vejo é o contrário."

Educação sexual depois de VELHO que é a maior burrice do mundo. Depois que você já está na ativa, rodando mais que o peão da Casa Própria, só resta política de redução de danos porque o estrago todinho já está feito.

E esse papo de "hoje em dia os jovens são uma calamidade", desculpa migs mas essa é uma conversa antiga.

http://quoteinvestigator.com/2010/05/01/misbehaving-children-in-ancient-times/

The counts of the indictment are luxury, bad manners, contempt for authority, disrespect to elders, and a love for chatter in place of exercise. …

Children began to be the tyrants, not the slaves, of their households. They no longer rose from their seats when an elder entered the room; they contradicted their parents, chattered before company, gobbled up the dainties at table, and committed various offences against Hellenic tastes, such as crossing their legs. They tyrannised over the paidagogoi and schoolmasters.


(Não foi Sócrates e sim um champs chamado Kenneth John Freeman, em 1907).

Quando digo "estrago feito" não falo da execução sexual em si, porque isso uma hora todo mundo acaba fazendo em situações naturais. Mas de já crescer com noções deturpadas sobre consentimento, por exemplo. Viram que gracinha esse mais que instrutivo vídeo sobre o assunto?

http://www.brasilpost.com.br/2015/06/03/cha-assedio-sexual_n_7505046.html

Seria bem bacana já crescer com uma noção LEGAL das coisas, no lugar das merdas que todo mundo aprende em casa e com os amiguinhos.

Deixar esse tipo de coisa exclusivamente na mão da família, como querem os conservadores, tem toda uma história social da humanidade provando que NÃO DÁ CERTO.

Zero disse...

crianças são "hiperssexualizadas" por um erro grave que os pais cometem não só em relação a sexo como a tudo em geral.

quanto mais você "esconder" algo ou mentir pra uma criança mais ela vai querer saber o que se trata. e o pior que muitos adultos são infantis igualmente.

por exemplo, quantos meninos foram saber o que era sexo através de pornô escondido porque os pais se negavam totalmente o assunto?

sexo não é pra ser abordado em escola, tem que ser abordado em casa, pelos pais. na escola é só deboche, nenhuma criança tem coragem pra perguntar algo com medo de ser zoado pelas outras. fato.

se os pais chegassem, sentassem e conversassem franca e abertamente com seus filhos, nenhum ia procurar "saber" sozinho ou através de amigos que também "souberam" sozinhos. no fim você tem diversas crianças sendo "educadas" por outras crianças (as "espertinhas"). ISSO É o absurdo, e não seu filho saber o que é sexo / gênero através dos pais, mas ninguém vê assim.

os pais jogam pra cima do Estado (escola, etc.). prefere que seu filho saiba erradamente por estranhos, do que por ele.

Anônimo disse...

E por que alguém deveria acreditar numa "teoria" que nunca será provada???? É só mais uma imbecilidade criada pelas "ciências" humanas, não tem embasamento científico nenhum e é auto-contraditória.

Anônimo disse...

"Mas ok, fingindo que você realmente quis dizer isso, e não que foi só uma provocação: Radfems consideram que devem haver espaços exclusivos por sexo biológico, como banheiros, abrigos, e se uma escola quiser ser exclusiva de algum sexo, que seja. Mas em nenhum momento somos contra banheiros unisex, escolas unisex, ou uma 'sociedade unisex', apenas consideramos que é importante que existam espaços separados por sexo biológico, para que as pessoas possam se sentir seguras fisicamente e debater problemas que as afetam devido ao seu sexo biologico, principalmente mulheres, que não possuem tais espaços e correm risco de estupro. Isso não exclui espaços unisex."


NOSSA!!! QUE MILAGRE!!! Apareceu mais uma pessoa coerente no blog!!!

No mais: e as meninas do Piauí? Já foram lá oferecer ajuda a elas??

Anônimo disse...

Deixando um brinde pra quem ainda não teve o cérebro totalmente afetado pela "teoria" de gênero:

http://www.zenit.org/pt/articles/a-ideologia-do-genero-o-paradoxo-noruegues

Eu mesma disse...

Ai Raven, aceita que dói menos, eu sou mulher mesmo, esse é o máximo do seu argumento, dizer que sou homem?
Isso aqui já foi melhor.

Donatien Alphonse François disse...

Raven, me desculpe mas dessa vez você disse uma tremenda bobagem, reconhecer que homens e principalmente meninos são oprimidos pelo machismo e ignorância alheia, não implica em desmerecer a luta Histórica feminina contra tudo isso, não sou masculinista e não comungo com esse tipo de gente, penso que vitima é vitima, independente do sexo/gênero do mesmo. Sim, existem privilégios masculinos que as mulheres no geral não tem acesso, isso é inegável, assim como é inegável que meninos também são vitimas de violência doméstica, abusos e abandono, por parte de quem devia ama-los, educa-los e protege-los, seus pais e responsáveis.

No "Bule Voador" - blog oficial da liga humanista secular, tem um relato aterrador, de como o machismo impregnado na sociedade pode ser fatal para os homens também:

http://www.bulevoador.com.br/2012/08/o-estupro-de-homens/

"Violência sexual é uma das mais terríveis armas de guerra, um instrumento de terror utilizado contra mulheres. Contudo, grandes quantidades de homens também são vítimas. Neste relato pungente, Will Storr viaja para Uganda para se encontrar com sobreviventes traumatizados e revela como o estupro de homens é endêmico em muitos outros conflitos do mundo."

_Não digo que isso seja um problema do feminismo, tão pouco que são elas que causam isso, você poderia dizer que são homens machucando homens, o obvio ululante, mas isso em nada difere de dizer que a culpa é da vitima como fazem algumas pessoas em casos de estupro de mulheres. Não gosto de falar sobre isso, mas quando eu era menino sofri uma tentativa de estupro, felizmente não se concretizou, tempos depois ele teve o que merecia, levou um monte de tiros na cara, sei lá de quem, mas queria ter sido eu á fazer isso. Esse fato fez com que eu sentisse empatia por qualquer pessoa que fosse vitima e um ódio visceral por estupradores. Até a minha mãe, uma senhora idosa, escapou por pouco de sofrer um abuso por parte de um velho tarado, não fosse eu ter aberto o portão de casa a tempo e espanta-lo com a minha presença, achei estranho a atitude dele, mas somente muito tempo depois ela me contou o ocorrido com maiores detalhes, fiquei irado, saí pelo bairro procurando ele, não encontrei... Se encontrasse eu arrancaria a cabeça dele com as minhas mãos nuas. Ò-Ó

_Enfim, não pense que estou te criticando, apenas discordo da sua opinião nesse caso, no mais... Um forte abraço! ^_^

Anônimo disse...

Tá, peraí... é impressão minha ou tem gente acredita piamente que educação sexual se trata de trazer atores pornôs pra sala de aula pra "ensinar" sexo pra infantes da pré-escola???

"Cêis" tão de sacanagem, né???

Jane Doe

Anônimo disse...

Alguma coisa mudou profundamente no Brasil de 2014 para cá, e vcs, esquerdistas, ainda não entenderam isso.

Para ser honesto, até eu, de direita, ainda não consegui entender. Mas que mudou, mudou.


Talvez seja o que chamam de zeitgeist.

Anônimo disse...

Querem outros indícios ?

Até dois anos atrás, praticamente não havia nenhum contraditório significativo à esquerda nas redes sociais. (só grupelhos inexpressivos). Hoje está generalizado. Claramente saiu do escopo daquilo que vcs chamam de "extrema direita".

Estão pipocando no youtube videos de reuniões de esquerdistas sendo infernizadas de maneira planejada por grupos de direita. Literalmente, estão acabando com eventos (já que o escândalo toma o espaço da doutrinação)

E, anedótico, mas, sinal dos tempos. Há poucos dias, ouvi da boca de um frentista de posto de gasolina "foro de são paulo". Quase não acreditei, pensei até que era alucinação auditiva. Mas não era (fui falar com ele).

Enfim, parece que vamos ter uma guerra pela frente no Brasil.

Anônimo disse...

Nossa, quanta paranóia com estupro.


De realmente ser uma merda ser mulher e ter que viver com essa paranóia.

Anônimo disse...

Engraçado, se gênero não é uma ideologia por que esses conservadores babacas estão tão preocupados em manter a deles como regra, uhm? Se meninos já nascem "machos" como manda a etiqueta machista, e meninas também já nascem encaixadas nesses estereótipos estúpidos, por que esse desespero todo pra que as crianças não conheçam uma nova visão das coisas? Esses caras são patéticos.

Eles ainda não desistiram desse "ensinar a ser gay"? Ainda creditam que sexualidade se 'aprende" ou se "escolhe"? Acéfalos, eu com 10 anos gostava de meninos; nunca escolhi ser hétero, nunca pensei' Ah, vou gostar de meninos', simplesmente sou desde que me entendo por gente. E o pior é que se você perguntar pra qqer um deles vão dizer o mesmo.

Com 12, eu já sabia o que era sexo e felizmente encontrei fontes responsáveis pra aprender sobre ele, tive boa educação sexual numa escola particular. Mas continuam com a política de avestruz, enfiando a cabeça na terra e fingindo que crianças (alô, Freud manda lembranças) e adolescentes não tem sexualidade ou interesse no sexo o interesse vai desaparecer. Além de ignorantes e babacas, são infantilóides.

Anon das 16:13 as feministas do Piauí já estão fazendo tudo que podem no caso. Não se preocupe quem todo lugar, mas TODO lugar mesmo, tem feminista trabalhando. Pode ficar tranquilo que as meninas do Piauí terão o apoio de que precisam.

André disse...

Talvez as pessoas que escreveram essas diretrizes tenham sido muito ambiciosas. Se ao invés de usarem "Assegurar que a Educação das Relações Étnico-Raciais, a Educação de Gênero e Sexualidade, o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira, Africana e Indígena e o Plano Nacional de Cidadania e Direitos Humanos e idosos sejam contemplados nos currículos da Educação Básica" fosse "Boas Maneiras" (aqui incluso o combate ao racismo, homofobia e machismo) e "História Geral" (aqui inclusa a história africana) não criaria essa celeuma. Soa como covardia e medo de sair do armário, mas essa geração canalha está perdida, temos que tentar melhorar as crianças para ver se dá pra salvar o futuro.

Ana disse...

Me poupe anon 17:43, ter sexualidade n quer dizer bosta nenhuma no caso de crianças, vê se vou ensinar sexo a meu filho de 8 anos? O que ele vai fazer com isso? Provavelmente vai entender tudo e sair por ai pegando as outras crianças da idade dele? Vai começar a sentir tesão, vai ficar louco para transar, vai estar preparado psicologicamente para isso?
Ser acéfalo é querer empurrar coisas para crianças antes do tempo, se meu filho me perguntar qualquer coisa sobre isso, aí eu respondo pq ele tá interessado, n vai ser pq eu quero que ele saiba e q se foda se ele tá preparado ou n.
Adolescentes sim tem que receber educação sexual, por q nessa fase realmente começam se interessar por sexo.

Raven Deschain disse...

Donatien, eu entendi. E não discordo.

Maaaas se sou feminista não vou ficar pensando em como o machismo oprime os homens. Verdade. Mais pura verdade. Mas como a Anon A explicou muito melhor do que eu, não é o foco. Não chego a dar um dane-se pq conheço muito homem bom... mas assim... Ema ema ema, entende?

Agora, quanto as aulas de gênero: urgente! Pra meninos e meninas.

Luiza Original disse...

Sexualidade é diferente de sensualidade e erotismo.

Crianças pequenas percebem desde cedo o próprio corpo. Muitas se tocam - e aqui vem a parte importante - para entenderem seus corpos. Não sabem e nem nunca ouviram falar em erotismo. Mas é nessa idade que percebem as diferenças e geralmente vem as perguntas.
É importantíssimo falar com as crianças desde pequenas sobre seus corpos, o que é apropriado e o que não é. Que quando estiverem no médico junto com a mãe/pai/seja quem for, o médico vai ter que tocar, mas ali pode. Outras pessoas, não. Tocar os amigos e amigas sem permissão não pode.
PRECISA SIM falar com as crianças. Dar poder de dizer não. Dar poder de crescer com confiança.

De novo, repeat after me: sexualidade não é sensualidade.

Luiza Original disse...

E educação sexual não é ensinar sexo. Tirar essa conclusão só prova o ponto de que esses adultos são pais despreparados exatamente porque nunca foram educados sobre todo um conjunto de pensamentos e fatos envolvendo a sexualidade humana.

E, bom, só prova a burrice generalizada em que o Brasil se encontra. As pessoas não pensam mais. "Educação sexual nas escolas? Hmm, o que vai ser ensinado? Como vai ser ensinado? Quem ensinará? Pais podem participar da elaboração e sugerir pautas que nós mesmos temos dificuldade?". Mas não, é só cacarejo que vão ensinar a menina a dar.

Anônimo disse...

"Assegurar que a Educação das Relações Étnico-Raciais, a Educação de Gênero e Sexualidade, o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira, Africana e Indígena e o Plano Nacional de Cidadania e Direitos Humanos e idosos sejam contemplados nos currículos da Educação Básica"

você quis dizer "ensinar coisas irrelevantes"?

Eu mesma disse...

Ah é facinho trocar o A pelo O e eu q sou burra kkkkkk mas tudo bem.
Aqui nunca se sabe, sempre com a paranoia de que todo mundo é mascu.

Anônimo disse...

educação sexual que n fala de sexo, de onde tiraram isso?? n vão falar sobre camisinha, aborto, doenças, responsabilidade no sexo??? para que diabos essa aula?
precisa ter aulas para as crianças saberem que fulano n pode tocar nelas, dizer as diferenças básicas do corpo da menina e do menino, os pais n podem falar isso?

Eu mesma disse...

Raven

Não reclame da desconfiança, você e outras aqui são bem nervosinhas e irônicas, vai dormir, pode ir.

O seu eumesma oops , pareceu irônico.

Cão do Mato disse...

Oi Lola! Concordo com você. É claro que quando se fala de "mulher na engenharia civil", implicitamente está se falando de "homem na dança", por exemplo. Mas na minha opinião, o problema está em geralmente deixar o "homem na dança". Por exemplo, numa dessas cartilhas que eu vi e que estão tentando adotar na Prefeitura de Guarulhos ( e estão enfrentando a mesma reação dos conservadores) mostram a menina que fica de fora do time de futebol dos meninos (depois ela acaba jogando e "detona"). Será que tem alguma ilustração correspondente ao "homem na dança" ou ao "homem não chora"? A minha observação é somente em relação a isso. Acho que muitas vezes esse aspecto acaba ficando implícito demais.

Cão do Mato disse...

Corrigindo: "...o problema está em deixar o "homem na dança" IMPLÍCITO "...

Anônimo disse...

fala "recalque" "aceita que doi menos" e "o choro eh livre" e quer ser levadx a sério

Anônimo disse...

Anon das 18:22 a Luiza Original já lhe respondeu, sexualidade não é sensualidade e é muito importante ensinar sim à criança sobre quem pode tocá-la, onde, a contar pros pais se qualquer coisa do tipo a incomodar.

Anon das 19:20 é, os pais poderiam ensinar isso, mas eles não fazem isso. Não ensinam e nem deixam outros ensinarem. Engraçado, porque todas as outras coisas os pais jogam pra escola ensinar sem pensar duas vezes; educação, bons modos, disciplina, mas não permitem educação sexual. E aí, como fica? Abuso não denunciado, estupro, gravidez precoce.

Anônimo disse...

Feminista adora falar o choro é livre....

Kittsu disse...

""Meninos não podem chorar". Ow baita opressão hein? "
É com essa necessidade de se encaixar em padrões opressores ao sexo masculino que eles acabam sendo induzidos a uma "necessidade" de desumanizarem e abusarem de mulheres, ou serão excluídos desse meio o qual lhe ensinaram ser o "correto", o "unico" no qual eles PRECISAM se encaixar para ter uma vivência social plena.
Se você caga para os meninos que são doutrinados e passam por esse processo de desumanização desta forma desde cedo, você caga para as meninas as quais eles abusarão ali mais tarde.
Se você vê a mulheres E a homens como sendo seres humanos com necessidades bem humanas, você pode ser capaz de quebrar esse círculo vicioso bem cedo, antes de causar danos aos envolvidos.

Anônimo disse...

Eu não canso de me impressionar com a quantidade de conservadorismo estúpido que existe no mundo. Fora os indivíduos que se dão ao trabalho de anunciar que "esquerdistas" estão mortos. Claro, por isso os principais governos do mundo (e o de nosso país) são de... Esquerda! Ou centro-esquerda! Dizer que a Alemanha tem um governo de direita, por exemplo, é uma piada (o que eles cobram do governo alheio é outra história). Fazer o que se eles mantêm um estado de bem estar social com responsabilidade fiscal? Aprender, talvez.

Anônimo disse...

Infelizmente, não é de se esperar nada de diferente vindo de reacionários. O reacionário têm um forte sentimento fascista incrustado dentro de si, e o fascista têm uma visão desumanizante do ser humano, o fascista talvez só se importe com o sofrimento humano quando ele parte de seus pares, e seus pares são aqueles que seguem a moral dos fascistas, geralmente fascistas.
Esse tipo de gente anda e caga pros sofrimentos dos grupos oprimidos; o que
fascistas querem é fazer com que toda a sociedade viva sobre seu controle, sobreviva sobre suas normas, restringindo todo e qualquer liberdade que vá contra sua moral, eles querem poder para que possam decidir o que têm o direito de existir, e o que não. E não se enganem, os fascistas dos dias de hoje são eugenistas; as opressões são as respostas que eles podem dá aos que não se sujeitam aos seus quereres, eles restringem e oprimem pois estão em busca de um homem perfeito, eles vão atacando outros seres humanos na intenção de exterminar o que eles veem como ameaças às suas ambições de busca de uma sociedade perfeita, assim como os fascistas do passado. A opressão é a resposta contra aqueles que vão na direção contrária à "perfeição". A opressão é uma vingança contra o que eles veem como aberrações no comportamento social.

Não falo que TODOS os que vão contra à "ideologia do gênero" são fascistas; digo que existe um forte sentimento fascista em setores reacionários que dá sustentação à esse tipo de posição, e não só opressão, mas ao ódio e desprezo contra grupos oprimidos.

Anônimo disse...

É triste ver tanta bobagem e miopia política.
Esse mimimi só fortalece a política corrupta.
Será que ninguém vê.
É muito mais fácil reprimir uma sociedade dividida, segregada por minorias idiotas.
Busquem por direitos para todos!!!!!
Abram os olhos e parem de pensar no próprio umbigo! Tem gente grande e opressora subliminar por trás disso tudo?
Após 2014... PT...coincidência????
CONTO DE FADAS

Anônimo disse...

Não existe essa de "busquem pelos direitos de todos" anon das 22:28, nós já fazemos isso. E não têm essa de "mimimi sociedade está sendo dividida, PT blá blá blá"; a sociedade É dividida. Existem aqueles que oprimem e há aqueles que são oprimidos. O que vocês querem é que os oprimidos aceitem a opressão.

Marina disse...

http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2015/05/vida-e-os-problemas-das-meninas-infratoras.html

Lola, olha isso, fiquei tão comivida. Isso precisa mudar

Anônimo disse...

Se eu engravidar de um menino, farei de tudo para não lhe dar uma educação machista.
Ensinarei a não esconder suas emoções, a não reprimir o choro, a não ter que a todo momento mostrar ser fisicamente forte e provar que é viril. Ensinarei também a respeitar tudo e todos, especialmente as mulheres, como ser relacionar afetivamente com mulheres(caso seja hétero ou bi), a não ter que provar a sua masculinidade e coisas do tipo. Pra tudo isso? Pra que não seja mais um machista, misógino, mascu de merda no mundo!
Isso por acaso é ignorar a luta feminista ou ajudar?
Como melhorar a vida das mulheres sem educar os homens pra não serem escrotos?

Donatien Alphonse François disse...

Raven

Sim, não é o foco e nem deveria ser, afinal o nome já diz Feminismo, o que me incomoda é que algumas feministas, não todas obviamente, parece que querem disputar quem sofre mais quem sofre menos, num mundo onde o sofrimento é inerente a existência, nesse caso ficam parecendo masculinistas, como disse a Lola. E por ser inerente não estou dizendo que devemos aceita-lo passivamente, ao contrário, é muito importante tentar reduzi-lo ao minimo possivel, para todos nós, cada um fazendo a sua parte.
Com relação as aulas de gênero, penso que mais importante é ensinar as crianças a se respeitarem mutuamente, os pais e os professores, depois que cada um descubra suas aptidões profissionais, sejam elas ditas masculinas ou femininas.

Taty disse...

Pra quê ideologia de gênero?
Querem transformar o Brasil na Suécia onde meninos e meninas são chamados por um mesmo pronome.
Inclusive teve uns pais de uma criança que um dia vestiam como menina, no outro dia como menino,imagina a confusão mental na cabeça dessa criança!
Existem muitas diferenças entre homens e mulheres.
Eu como mãe não acho educativo ensinar sobre sexo a uma criança de 6 anos!
Pra adolescentes sim deve haver educação sexual, prevenção de DSTs,inclusive eu fui educada dessa forma na adolescencia
Acredito que a escola deve ensinar sim o respeito ás diferenças,agora incentivar a homossexualidade em cartilhas como esses professores esquerdistas pagos com meu dinheiro suado de impostos querem impor,é outra história.
Eu entendo que crianças são seres assexuados,na adescencia sim a pessoa tem condições de se declarar bi,hetero,lesbo,trans etc
Todos nascem ou homens ou mulheres até mesmo pelos hormônios que produzem testo ou estrogênio,se depois da infância a pessoa não se identificar com aquele gênero ela pode inclusive fazer cirurgia de sexo.
Agora quem sou eu pra decidir na infância da minha filha que ela não é menina, é menino?
Isso aí quem vai decidir é ela quando tiver idade e entendimento suficiente.

Aline D disse...

Marina,

Não sou a Lola, mas gostei bastante reportagem que você "linkou". Realmente é comovente, principalmente porque até as próprias meninas já perceberam que recebem tratamento diferente dos meninos (as sanções disciplinares são maiores para elas em infrações semelhantes, sem falar que muitas sequer tem atividades de recreação ou estudam). É deprimente.

Muito obrigada por compartilhar.

Anônimo disse...

Antes de discutir genero tem que acabar com a religião na política. Progresso e justiça social vai contra o cristianismo, sempre foi assim desde a idade média.

Raven Deschain disse...

Nossa. Não tou me fazendo entender mesmo hein?

Quando disse que cago pra meninos? Eu tenho um, pombas.

Anônimo disse...

Taty, minha flor:

Discutir gênero é pra que meninas não acreditem que devem se calar quando sofrem abuso.

Que não acreditem quando digam que a culpa do estupro foi delas. Que saibam que não "merecem", não "provocaram" nem "estavam querendo" quando sofrerem alguma violência física e/ou sexual. Que não sofram agressões, preconceitos ou estupros corretivos quando se descobrem lésbicas. Que não tenham medo de se recusar a transar sem camisinha, se proteger de DSTs e gravidez indesejada. Que não precisem morrer abortando. Que não sejam excluídas e humilhadas por terem engravidado.

Educação de gêneros pra que meninos não cresçam violentos. Que não achem que meninas são objetos. Que não estuprem a colega no banheiro. Que não coloquem droga na bebida de uma moça pra estuprá-la. Que não espanquem nem matem gays nas ruas. Que não matem as mulheres porque o relacionamento acabou. Que não façam nem distribuam revenge porn. Que não assediem mulheres nas ruas nem encoxem ninguém no ônibus. Que não queiram se matar caso descubram que são gays. Que compreendam que não é não.

Enfim, educação de gênero pra que sua filha possa viver sem medo de ser estuprada; pra que seu filho não morra por motivos fúteis; pra que seu amigo, irmão, filho, tio, primo gay não seja espancado até a morte na rua; pra que aquela pessoa querida que não se encaixe no padrão homem-branco-hétero-rico não seja prejudicada por uma ideologia estúpida que visa excluir, subjugar, humilhar e segregar por causa do g~enero. Tá bom assim ou quer mais?

Mila disse...

Às vezes penso que estamos regredindo em vez de avançar. Parece que a cada passo que damos, voltamos dois.
Minha esperança é que ao mesmo tempo que vemos muita babaquice, as pessoas estão deixando de aceitar passivamente serem injustiçadas e agredidas em razão de sexo, gênero, orientação sexual ou cor.

Anônimo disse...

Quando se fala em educação sexual para crianças é muito comum ter gente dizendo que vão hiperssexualizar as crianças, que as crianças vão iniciar vida sexual mais cedo... Balela. Existe educação sexual para todas as faixas etárias, o que difere é a abordagem. Por exemplo, para idosos geralmente não se ensina sobre reprodução e concepção (que é uma coisa dâr, eles meio que já souberam pela vida), mas o foco é em qualidade de vida sexual na terceira idade, prevenção de DSTs etc. A educação sexual é um instrumento útil para qualidade de vida da população, políticas públicas e outros.
Creio que a consciência sobre o corpo é muito importante em qualquer fase da vida. Abusadores normalmente se aproveitam da ingenuidade/ vulnerabilidade da vítima para cometerem seus abusos e contar com o silêncio delas. Infelizmente, tem uma galera que acredita que a ignorância é uma benção.

Anônimo disse...

É muita ignorância, pessoalmente, acho que crianças de qualquer idade não deve se expor a genocídio e infanticidio (Exodo), tortura e morte( novo testamento). Só acho.

E quer saber, evangélicos em sua maioria são um povo ignorante e atrasado, do contrário não seriam evangélicos.

E por favor Taty, vai ler alguma coisa.

Anônimo disse...


Sou professora de História quero colocar alguns pontos

a) A direita está delirando ao pensar que todos os professores são de esquerda, eles querem que os professores de História sigam a Historiografia oficial que ensina que os europeus foram levar a civilização a África e que a inconfidência baiana não existiu.

b) A culpa de todo o retrocesso que este país está passando é que a população caiu no papo de um coronel mineiro que inconformado de perder uma eleição espalhou o ódio através da sua meritocracia, elegeu este congresso horrível que organiza marchas para a família mas aceita construir um shopping de 1 bilhão de reais.

c) Nós podemos já escolher nossos candidatos para o ano que vem que sigam a linha progressistas pois este país caminha para o século XVIII. Lola não esqueça de votar no estatuto da família na câmara, existe outros tipos de família e a bancada BBB, quer esquecer

Anônimo disse...

Será que eu sou a única mulher da atualidade que não se sente oprimida?
Quanto mimimi...
Se eu for a única me desculpem pela educação que vcs tiveram...

Aff...

Anônimo disse...

Anônimo 08:40

"Uma feminista incomoda muita gente...
Várias feministas incomodam, incomodam, incomodam muito maaaaaissss"
Tá extressadinhx? Deve ser pq não é comidx a muito tempo né... tanto mal humor assim numa sexta-feira. E outra, por que tu vens aqui se tem tanto ódio assim no coração pelas feministas? Vai lá curtir o Silas Malafaia e deixa a galera aqui em paz.
Não é a toa que dizem que o ódio e o amor nada lado a lado. Essa galera ama a Lola, sério <3

Vai ter feminismo sim. Vai ter aborto sim. Vai ter discussão de gênero sim! E se continuar ameaçando, vai ter B.O. SIM. Criminosx aqui és tu, que nem ter nascido deve... Foi cagadx mesmo.

Anônimo disse...

Gente, sou professora. Tem professores de esquerda, mas tem muito mais professores de direita, quer se reconheçam assim, quer não. E quando o campo é a "moral e os bons costumes", tem muito, mas muito mais gente conservadora. E muitíssima gente sem preparo nenhum pra falar de gênero, sexualidade, relações raciais. Então o que vejo é professores tentando falar sobre isso e vindo com uma enxurrada de lugares comuns e preconceitos dos mais variados sobre os temas. Então falar disso tudo na escola, paradoxalmente, reforça o machismo, a homofobia, o racismo, a coisa toda que já é dominante. Uma m#rda, mas é isso. Então acaba que eu acho que nem é tão ruim parar de falar disso nas escolas, até que se formem professores minimamente preparados pra falar disso sem espalhar mais preconceitos fantasiados de saber escolar.

Juliana

Anônimo disse...

Chora não, neném das 08:40. Aqui, tome sua chupeta e vá pedir pra mamãe trocar sua fraldinha. Depois mamãe vai fazer seu mingauzinho, tá?

Anônimo disse...

Sawl

Pra louco das 08:40

Gente por favor alguém dê um Gardenal pro louco das 08:40?! kk

Querido vc não tinha que estar opinando aqui, vc devia estar na camisa de força em algum sanatório tomando pilhas de remédio!
Coitado do teu filho de ter um doente mental e moral como vc como pai!
Coitada da tua mãe que botou um lixo machista como você no Mundo! Será que tua mãezinha é "vagabunda" pra vc e merecedora de agressão hein covarde?!
Coitado de vc que tem tanto ÓDIO DE MULHER, porque tá faltando uma grande rola na tua vida!

Zero disse...

pra que Islã quando existe evangélico? Islã te explode e deu, evangélico te enche o saco o resto da vida...

mas serio, engraçado que eles tem repulsa de árabe, mas quando este poderia matar um "inimigo" seu, ele passa a ser bom.... interessante isso....

onde estão essa "gente decente"? no BRASIL? hahahahaha

as famílias tradicionais? qual? a dos meio-irmãos do quinto casamento a do pai que sumiu? do pai bêbado e da mãe vagabunda? dos irmãos drogados? do tio presidiário?

ah, religiosos? que é tudo fachada? "homens de deus" que sentem saudade do rabo alheio? são esses?

não existe inocente no Brasil que dirá decente, a linha divisória do Brasil é criminoso / não criminoso, é verdade.

agora, me diga... se alguém pegar esse MESMO texto, der Crtl C Crtl V, mas substituir Lola e feministas por algum pastor e evangélicos? o que será que você diria?

donadio disse...

Só que o título deste post está completamente equivocado. Reacionários não combatem a ideologia de gênero, nunca. Por que ideologia de gênero é o que nós temos: homem gosta de mecânica, mulher de maquiagem, menino de carrinho, menina de boneca, menino usa cabelo curto e calças, menina usa cabelo comprido e vestidinho, homem não chora, lugar de mulher é em casa, prenda suas cabras que vou soltar meu bode, etc., etc., etc.

Isso é que é ideologia, tentar desconstruir isso é que é combater a ideologia de gênero.

Luiza Original disse...

08:40, u mad bro?

Anônimo disse...

É preciso sim uma sólida educação para a sexualidade e também para as questões de gênero no Brasil para evitar que mulheres trans continuem sendo silenciadas, atacadas, excluídas, discriminadas até por feministas e outros companheiros e companheiras LGBT, vejam um exemplo de como a cisgeneridade quer apagar a vivência trans

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/06/1638672-transsexuais-se-dizem-excluidos-da-parada-gay.shtml

Anônimo disse...

"Reacionários não combatem a ideologia de gênero, nunca. Por que ideologia de gênero é o que nós temos: homem gosta de mecânica, mulher de maquiagem, menino de carrinho, menina de boneca, menino usa cabelo curto e calças, menina usa cabelo comprido e vestidinho, homem não chora, lugar de mulher é em casa, prenda suas cabras que vou soltar meu bode, etc., etc., etc.

Isso é que é ideologia, tentar desconstruir isso é que é combater a ideologia de gênero."

Com todo respeito recomendo cautela nesse discurso uma vez que isso pode fomentar ainda mais a transfobia.

Anônimo disse...

O mundo ia ser um lugar muito melhor se esse povo tirasse um dia da vida pra estudar. Ou desenvolver empatia, pq são muuuuito focados nos próprios interesses. Esse tipo de gente não tem nenhum tipo de consciência social. Não pode viver em sociedade, cara, só atrasa o progresso.

Anônimo disse...

Me daria por satisfeita se as escolas ensinassem língua portuguesa e matemática.

Apenas isso, mas com competência e de forma que as crianças e jovens aprendessem de verdade.

Jocimar Da Silva Oliveira disse...

Jocimar Da Silva Oliveira Ideologia do gênero é a mais nova arma, ou devo dizer, armadilha do diabo, nosso adversário contra o povo de DEUS e contra toda a humanidade. Ela cega os olhos das pessoas, confundindo-as e pervertendo os seus princípios morais e éticos mais elementares. Como as crianças vão saber o que é correto sem ter um padrão? Imagine, como vc saberia qual a medida que compõem 1 metro, se não tiver em sua casa, uma fita métrica, régua ou mesmo uma trena, certo? Logo, como os pequenos vão saber o seu papel na sociedade se eles não souberem nem o que são? Logo quando vc aprende a falar, uma das primeiras lições que o pai e a mãe ensinam é ele e ela. Aproximadamente aos 4 anos as crianças já notam diferenças entre elas e começam a fazer perguntas sobre diferenças de gênero. Isto é intuitivo, ninguém precisa influenciar, faz parte da existência humana. Conclusão: não posso roubar de meu filho(a) o direito dele saber o que ele(ela), é e qual o seu papel na sociedade, e o propósito de DEUS para ele(ela) como homem ou mulher. Cabe a vc CRISTÃO, dizer NÃO à esta abominação. "Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é; Levítico 18:22"