segunda-feira, 30 de março de 2015

"EU TAMBÉM VOU SER BENEFICIADO COM A QUEDA DO MACHISMO"

Lauro deixou este comentário bastante lúcido (e também cheio de dúvidas). Ele parece ter boas intenções e merece ser ajudado, a meu ver:

Primeiramente queria pedir desculpa por falar em lutar pelo direito dos homens em pleno dia da mulher, mas enfim...
O machismo cria um ideal para ambos os sexos, e por isso ele é problemático para ambos os sexos, entretanto, o ideal masculino no machismo tem o papel de opressor e o ideal feminino (machista) de oprimido.
Dito isso, espero ter deixado claro que no machismo, a mulher é quem mais sofre, indiscutivelmente.
Mas se é para falar dos direitos dos homens vamos ver como o machismo fere os homens, e para isso, vamos pensar em sua lógica no ideal de homem.
O homem deve ser:
Forte e independente e nunca frágil e dependente;
Racional e nunca sentimental;
Ser o pegador e nunca o pega-ninguém;
Gostar de comer a mulher e nunca gostar da mulher;
Todas as mulheres que ele vê ou são da sua família ou são do seu harém, se não são do seu harém é porque ele é um incompetente;
Outros homens são seus rivais no âmbito profissional e na questão de ameaçar o seu harém;
Os amigos homens (bros) vem antes das mulheres (hoes);
Acha que homens e mulheres não conseguem ser apenas amigos;
Escolhe "mulheres de família" para casar, e as outras para trair, afinal homem que é homem não se contenta só com uma;
Tem o DEVER de sustentar sua família, sua mulher não precisa trabalhar, porque ele dá conta;
Se ele é "frouxo" e precisa que sua mulher trabalhe, ela NUNCA deve ganhar mais que ele;
Deve proteger a sua família contra qualquer ameaça.
E como isso tudo se reflete no homem?
Se esse ideal não for seguido, em qualquer desses pontos, o homem é tido como mulher(zinha), e com isso é alvo de chacota e em alguns casos até agressão e morte (exemplo: vide os gays).
Além disso, ao seguir esse padrão, corremos mais riscos, tais como: mortes violentas (não por motivação de gênero), nos preocupamos menos com a saúde (afinal somos fortes sqn), temos uma cultura que diz que é normal o homem ser OBRIGADO a se alistar, enfim, temos de agir como se fossemos indestrutíveis. 
Temos que ter condições para sustentar a família, afinal ela "é nossa posse" (vide o código civil vigente até 2002). Devemos (todos os homens) ser sempre o macho alfa, e a forma de se provar isso é a partir da conquista de mulheres, e nossa capacidade de "trazer a caça" (leia dinheiro) para casa.
Bom, com todo o respeito as mulheres, eu também quero que isso tudo acabe. Eu sei que vocês têm motivos mais sérios que eu, afinal sofrem com estupros, agressões, cantadas, são assassinadas (por motivos ligados ao gênero), e ainda são o lado oprimido... Mas eu também vou ser beneficiado com a queda do machismo, além de ficar mais feliz num lugar onde as mulheres estão bem, porque afinal sinto empatia.
Eu acredito que nós, homens que queremos a queda do machismo, devemos apoiar as mudanças dos movimentos feministas, e no que diz respeito a algum direito delas, nunca querer ser protagonista, apenas apoiar. E ser protagonistas nas nossas lutas, como por exemplo, ser contra o alistamento obrigatório (com todo respeito à instituição do exercito, que tem a importante função de proteger o país, não é essa a questão).
Não sei se isso me faz um feminista, ou talvez um "mascu-pró feminismo" (já que um homem não pode ser feminista). Estudei muito pouco sobre o assunto, se alguém puder me falar onde me encaixo, eu agradeço.
Caso eu tenha falado alguma coisa que chateou/ofendeu alguém, me desculpem, é só minha opinião e se puderem me apontar meus erros eu também sempre agradeço pois estariam me ajudando a melhorar.

Meu breve comentário: Bom, Lauro, primeiro as boas notícias: mascu você não é. Mascu não é de maneira alguma sinônimo de homem. Mascu é uma abreviação que criei de masculinista, que são nada mais nada menos que misóginos organizados que dizem lutar por direitos dos homens, mas que, na verdade, vivem atacando mulheres em geral e feministas em particular. 
Algumas correntes feministas acreditam que homem não pode ser feminista, apenas pró-feminista (também creem que mulheres não podem ser machistas). Eu discordo disso e digo com todas as letras: homens podem -- aliás, devem -- ser feministas. Como você apontou bem, e como pode ser facilmente constatado por qualquer ser pensante, o machismo é péssimo para os homens também
Sim, homens têm uma série de privilégios, mas precisam pagar pedágio para manter esses privilégios. É um preço alto demais. 
Imagine poder ser homem sem todas essas camisas de força impostas. Imagine poder ser livre.

83 comentários:

Anônimo disse...

Se mais homens tivessem esse pensamento, muitas mulheres não os veriam como "o inimigo". Infelizmente, me sinto seguindo o mesmo rumo das radicais.
Mesmo assim, é ótimo ver alguém que poderia ser só mais um e escolheu pensar e ter empatia pelos outros. Que ele sirva de exemplo para os demais.

Mallagueta Pepper disse...

O problema é que os mascus veem todos esses problemas e colocam a culpa nas mulheres e/ou no feminismo. Eles não enxergam que o machismo é culpado por tudo isso.

E mesmo quando enxergam alguma coisa, não querem abrir mão do machismo (e dos privilégios que ele traz) mesmo que isso signifique viver com esses problemas por toda vida. Sem falar que se esses problemas desaparecerem algum dia, (tipo o alistamento obrigatório), é capaz de os mascus cometerem suicídio em massa porque vai acabar com um dos principais mimimi's deles contra o feminismo.

Anônimo disse...

O problema dos homens, devem serem discutidos entre homens. Assim como homens não devem dar palpites no feminismo, mulheres também não tem que se meter em questões maaculinas

Anônimo disse...

Iozomi?

Anônimo disse...

Também acho que homem acaba sofrendo com o machismo (mesmo que muitos homens E mulheres não reconheçam), e fico feliz em ver um cara preocupado com os problemas dos homens sem desmerecer o feminismo.

Mila disse...

O machismo separa os homens, classificando-os como os "alfas" e os "betas", como os mascus adoram falar; assim como separa as mulheres (belasxfeias; gordasxmagras; putasxsantas etc)

O machismo atribui valor às mulheres pela beleza e aos homens, a necessidade de ser bem sucedido e rico. Mulheres belas são vistas como troféus a homens bem-sucedidos, símbolos de status. Esse sistema nos agride à medida de que quem não for bela (mulheres) ou rico (homens) sempre será um pária na sociedade, nos instigando a correr atrás desse ideal de felicidade. Felizmente, existem os pontos fora da reta.
O autor do texto já citou situações instituídas pelo machismo, não cabe à nós mulheres apontarmos e direcionarmos a luta deles. O problema é que eles não querem se mobilizar, preferem culpar as mulheres que lutam por seus direitos.

Jonas Klein disse...

Olá Lauro.

Sabe quando você fez aquele comentário eu li ele, e quase te respondi ali mesmo, mas eu deixem isso para as feministas de plantão aqui fazerem os devidos esclarecimento que você quer.

Antes de qualquer coisa e importante que você entenda que não necessário, ser feminista para lutar contra o machismo, eu mesmo nunca me considerei um feminista, e mesmo assim isso não me impede de lutar diariamente contra o machismo estrutural que existe na sociedade.

Agora acho que você deveria estudar mais sobre feminismo para ver se você e só anti-machismo (igual a mim) ou tem perfil para ser um feminista.

Eu sugiro que você leia este artigo para adquirir um conhecimento mais aprofundado do feminismo.

http://www.papodehomem.com.br/feminismo/

O ideal e que você leia e releia este artigo com calma algumas vezes, para compreender bem tudo que o autor quer dizer, e o que ele não quer dizer.

E sempre tenha em mente que uma coisa e o feminismo, e outra são algumas "feministas" que se vê por ai, por isso você deve separar bem o conjunto de ideias do feminismo, do que certas pessoas que fazem parte do movimento feminista dizem e fazem.

Só para comparação, eu já cansei de dizer aqui que eu sou de direita, só que dentro da direita eu admito que tem muita gente idiota, tanto que se eu fosse dar importância ao que estas pessoa idiotas dizem, eu jamais conseguiria ser de direita, o que para mim não difícil ser, pois eu separo bem a direita como ideologia, de qualquer outra coisa.

Claro que também não e com todas as ideias da direita que concordo, mas com a grande maioria eu concordo sim.

Um abraço

Anônimo disse...

Estão perdendo seus tempos, a guerra social e cultural já esta declarada, o futuro e a segregação, e não finjam que vocês não vão gostar.
"Imaginem uma sociedade sem a presença nefasta dozomis?"

Carol F. disse...

É interessante ver que muitos homens tem preocupações do tipo, mas é muito difícil que eles ajam na prática para mudar alguma coisa. Estou pensando em pequenas e médias coisas mesmo, como espaços-família onde homens possam entrar para trocar filhos pequenos, maior participação na criação dos filhos e fim do alistamento militar obrigatório, por exemplo. Não estou falando de mascus que acham que tudo é culpa das feministas, mas de homens normais que até acham bom quando alguma coisa desse tipo muda, mas nunca são agentes da mudança. Fica realmente a impressão de que manter os privilégios ainda é mais importante. Ou é uma barreira cultural forte demais?

Mirella disse...

acho assim, qualquer homem que queira participar do feminismo deveria se ocupar em acabar com o machismo e a misoginia de outros homens.
no fim do dia, para mim não faz a menor diferença qual o tipo de discurso o cara tem, importa o que ele faz.
usa sua carteirinha feminista pra se aproximar de mulheres e assediá-las? faz discursinho bonito no twitter, mas depois humilha uma mina porque ela é feia e depois a expulsa de casa de madrugada?
posa de cultão, mas assedia as minas no particular e diz que homem é assim mesmo?
eu quero é saber como é que esses homens feministas agem de verdade, não seus discursos. se for pra ouvir alguém, vou ouvir mulheres que tenham vivência no assunto.
quero saber se acompanham uma amiga na delegacia da mulher ou se chamam a atenção pra piada misógina do amigo. ou se realmente lutam pelo fim do alistamento militar obrigatório ou pela licença paternidade.
meu resumo é: no final do dia, o que é que você fez? não é porque umas minas na internet dizem o que você pode ser ou não que te impede de lutar pelo que você acha certo.

infelizmente, o que vejo aos baldes é homem que não ganhou biscoito feminista se revoltando e fazendo pirraça e dizendo que é por isso que ninguém gosta do feminismo, que então ele não vai fazer mais nada, etc etc etc. ou homem que ganhou o biscoito feminista e usou isso pra se safar de assédios e outras babaquices.
no fim, se resume ao que de fato você está comprometido. e é nessa hora que o calo aperta pros tais "homens feministas".

Anônimo disse...

Qual seria sua proposta para o fim do alistamento militar obrigatório?
Como ficaria o Brasil geopoliticamente, sem forcas armadas, com o tanto que nossas riquezas naturais geram cobiça?
Vc Savé exatamente docque está falando, conhece o preceito social de direitos e deveres?

Raven Deschain disse...

Eu tb sigo o caminho das rad as vezes e nisso tudo concordo muito com a Mirella. Massa vc vir num espaço feminista e dizer que tb luta pelo direito das mulheres.

Mas quando seu amigo chama sua amiga de rodada, vc faz oq?

Quando seu pai põe a cara pra fora da janela do carro e manda aquele 'gostosa' aos 4 ventos, oq vc faz?

Quando tua mulher, namorada, irmã, prima tá atolada de coisa acumulada, por causa de neném, casa, trabalho, comida, louça, vc ajuda ou só pensa: uau, ainda bem que não sou mulher, elas só se ferram, neh?

Acho mesmo que mais homens devem ser feministas, pró feminismo, ou o que quer que seja, mas que tal aproveitarem pra falar de feminismo aonde as nossas vozes não alcançam? Tipo a mesa de bar, o almoço no domingo com a família (existe coisa pior?)?

Só que tem horas que é desanimador. Que nem esse mascu aí encima, na boa, ele tem razão (!). Mulheres concordando com mascuzice me fazem esquecer que homens sequer existem. É desanimador, desmotivante falar de feminismo às vezes. Aliás, na maioria das vezes, nem precisa falar a palavra. Às vezes é só falar: amiga, para de chamar a moça de vagaba, ela só é livre. Pra pronto, causar um hecatombe. Credo, tou desanimada.

Raven Deschain disse...

Alias, ajuda o cacete. Manter a casa limpa é obrigação de todos que morem nela. Não é 'ajuda', como se a responsabilidade fosse de outro.

B. disse...

Raven melhor pessoa.

Anônimo disse...

O feminismo vai ajudar homens como,se vocês só se importam com problemas q afetam as mulheres?
O apoio moral que vcs dão no estilo male tears,vai resolver problemas masculinos?
Hipocrisia braba,trouxa é quem acredita em vcs.

Raven Deschain disse...

Eu não odeio meu pai. Ele não é babaca pra ficar mexendo com mulher na rua. Odeio é anônimos que presumem coisas por causa de duas linhas de comentário. Dumbass.

Raven Deschain disse...

Oi B. Dae meu? =D

Anônimo disse...

Vão lá no DCM verem a esquerdalhada chamando mulher de rodada e 'passadinha' porque uma revista convidou pra posar nua e ela aceitou.

Homem de esquerda me dá mais nojo que homem de direita. Esses últimos, pelo menos não simulam um respeito que não têm.

O feminismo PRECISA se descolar da esquerda.

A esquerda só queima o filme do feminismo.

Anônimo disse...

Não é questão de só se importar com os problemas das mulheres, anon da 13:34; mas de colocá-los em prioridade. É difícil conseguir com que mulheres se unam em prol delas mesmas, também replicamos o machismo.
Mas pense que a maioria de "male tears" que chegam aqui são de homens chorando de como as mulheres são malvadas, desmerecendo a conquista de mulheres (vide o assunto feminicídio) ou julgando se elas merecem se sentir ofendidas.
Homens tb têm seus problemas pontuais causados pelo machismo. Mas são vcs que têm a vivência e precisam lutar. Não nós. As mulheres já têm dificuldade para protagonizar o feminismo e lutarem por elas e pelas outras que acreditam não precisar do movimento (mas que são beneficiadas com as conquistas do feminismo) e agora têm que se preocupar também em liderar direitos dos homens, dizendo pelo que eles devem lutar?

Anônimo disse...

Raven, deixa o babaca pra lá. Ele odeia a mãe e transfere esse sentimento para os outros. Manda se foder e pronto.

Anônimo disse...


Vou dar minha opinião :

a) Primeiro não vamos alimentar os trolls.

b) Tenho amigos homens e quando eles vêm conversar comigo, e falam de suas angústias, como ser obrigado a ser pegador, ser o pilar da casa, demonstro a eles que o culpado disso é o machismo, é ótimo pois consigo que eles reflitam sobre o mal que o machismo provoca.

c) Sinceramente eu analiso as mulheres do meu círculo social, o que eu vejo são todas lutando pelo seu espaço do mercado de trabalho e estudando, não vejo nenhuma querendo viver em torno de um saco. Claro tenho consciência que existem mulheres que querem.

d) Conversando com uma amiga ela terminou com o seu namorado, porque ela passou para o mestrado, e o cara cismou que ela deveria engravidar este ano, ela fez valer a sua vontade e disse não.

Anônimo disse...

Homem não tem problema. O único problema masculino é que as mulheres não aceitam mais as babaquices masculinas e pedem o divórcio. Só isso.

Anônimo disse...

Lauro, já imaginou que maravilha, ser livre? Todos nós, as mulheres sem precisar ter medo dos homens, e os homens sem precisar seguir esse modelo de masculinidade falido, violento e até desumano? Pois é, esse mundo pode ser assim mas os homens também terão que se esforçar pra que isso aconteça. É uma coisa que eu sempre digo, se os homens querem mudança eles tem que ir atrás, lutar, correr, não podem ficar esperando que os outros resolvam as coisas pra eles. Você deveria ser um exemplo pra esses caras que só choramingam e na hora do vamos ver não fazem nada, nem ao menos se informar e pensar.

Anon das 11:38 e das 13:06: KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!

Ai, ai, respira, respira, KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!

Mascus são uma piada ambulante. É como eu disse em outro post, não dá pra levar eles a sério. Quando um mascu abre a boca só o que se pode fazer é morrer de rir! Um achando que a masculinidade construída pelo machismo é natural e o outro inventando uma legião de seguidores que não existem pra ver se convencem alguém de que são outra coisa além de perdedores chorões. Não dá nem pra ter pena, rsrsrsrs.

Anônimo disse...

Anon das 13:10 você acha que o exército brasileiro realmente impediria que outros países viessem aqui se apropriar do que quiserem? Meu caro, isso já acontece e o exército não impede, porque os figurões estão alegremente vendendo pra fora tudo que os gringos quiserem comprar. Se até gente os figurões brasileiros vendem pros gringos, crianças inclusive, você acha que o exército (que ganha seu dinheirinho desses mesmos figurões) vai impedir qualquer coisa? Pfff, vão é fazer a segurança do comboio que leva o que os gringos compraram

E se formos falar de ação bélica, você acha que esse exército meia boca daqui poderia fazer frente ao poderia militar da China ou dos EUA? Na hora que a primeira bomba explodisse aqui, os militares brazucas iam é sair todos correndo com uma bacia na cabeça e mandar o povo e as riquezas se lascarem. Exército brasileiro e nada é quase a mesma coisa. O alistamento obrigatório simplesmente não muda essa realidade.

Marcia Baratto disse...

Raven, acho que temos que ter a consciência de que ainda temos muito chão pela frente.

Nas últimas férias, sentei para conversar com minha mãe (63 anos) e uma das irmãs dela (81 anos) e perguntei o que foi que mudou na condição de mulher delas ao longo da vida.

Minha tia respondeu que embora ainda ache que a mulher é muito inferiozada, via com otimismo a passagem do tempo. Quando ela se casou, começo da ditadura militar, se casar ou ser freira eram as duas únicas opções que a maioria esmagadora da geração dela tinha.

Não haviam escolas no interior, nem hospitais. Segundo ela, você se casava e sabia que alguns dos seus filhos morreriam por alguma doença, ou no parto, que a maioria talvez não aprendesse a ler, e que eles viveriam na mesma terra que seu marido, com sorte, herdou.

Casar as filhas era uma necessidade, pois assim seria possível alimentar os filhos que ficavam com os pais.

Nos anos difíceis, e eles vinham para todos, você mandaria suas filhas trabalhar para comer na casa de alguém mais rico, se, 'benza a deus', elas fossem 'bonitinhas' e 'educadas'.
Casamento só terminava com a morte natural ou provocada... Ser traída era a regra, trair era como assinar uma autorização de homicídio. Nenhum delegado aceitaria a denúncia de que um marido matou uma mulher adúltera, pais e irmãos estavam igualmente 'autorizados' a assassinar mulheres grávidas solteiras também.

E as outras mulheres eram educadas a se calar sobre isso. O silenciamento sobre qualquer violência era a regra.
Trabalhar era constante, caso contrário, você não sustentaria seus filhos (ela foi agricultora) e tarefas domésticas sequer eram chamadas de trabalho... eram 'só' obrigação da mulher mesmo, a serem cumpridas no sábado, único dia em que as agricultoras não trabalhavam na roça.
Domingo, homens descansavam, mulheres terminavam de fazer o que não conseguiram no sábado... Do tipo, passar roupa. Com sorte, sobrava meio domingo para descansar.


Também me disse que viu isso mudar. Que ela vê as netas hoje escolherem fazer faculdade, se casar ou não, terminar o casamento, ter ou não filhos e acha essa liberdade ótima. Algo impensável, literalmente, para a geração dela.

Minha mãe, que se casou já no começo da redemocratização, vê essa passagem de forma menos entusiasta. Acha que entre aquilo que se diz que as mulheres podem fazer, e aquilo que eram se acham no direito de fazer, há muitos abismos. E que se a repressão é menos oficial, ela continua, de forma mais sutil, a ser muito eficaz.

Mas que não tem jeito não, do céu só cai chuva, quando vem... Então é por 'as garras de fora', 'afiar o fio da enxada' como elas dizem, e continuar lutando. A expectativa é que as bisnetas da família possam se sentar a mesa do café da tarde com as mães, as avós e as bisas e contar as novas liberdades para as mulheres daqui a 20 anos. Quem lutar, verá.

Raven Deschain disse...

T.T

Pois é Marcia, mas as vezes é tão cansativo, nossa.

Mas tamos aí! \o/

Anônimo disse...

Anon de 13:55,pelo que eu já vi não se importam mesmo com os problemas dos homens,já que não há campanha nenhuma pelos nossos problemas e está tudo bem,não são obrigadas,mas a hipocrisia é que muitas dizem q se importam sim com nossos problemas,que o feminismo vai ajudar homens como diz nesse texto e n é verdade.
Eu também acho que nós é q devemos lutar para melhorar nossas vidas.

Anônimo disse...

Mas anon da 15h20, como podemos apoiar um movimento que nem se organiza?
Eu já vi uns textos de movimento em prol de direitos dos homens, mas o que eu vejo são masculinistas chorando e colocando toda a culpa na liberação das mulheres. Conseguimos obter diálogo com homens quando estes estão dispostos a sair dos pedestais e expor seus argumentos de maneira racional, enriquecendo o debate. Agora veja se uma mulher terá a mesma liberdade lá nos mascus (que se auto intitulam os paladinos dos direitos masculinos).

Mas já que vc falou em hipocrisia, também há muita nos homens que dizem apoiar o feminismo. Usam como forma de "pegar mulher" ou para parecem politicamente corretos, muito corriqueiro na esquerda.
Embora eu encontre inúmeras provas que não interessa lutar pelos direitos das mulheres (consequentemente abrir mão dos privilégios masculinos), eu ainda sou ingênua em acreditar que acabar com a opressão do machismo deve ser uma luta de todos os que são oprimidos por eles, incluindo, homens.

Anônimo disse...

Anon das 15h50, vc fala para suas amigas (se é que tem alguma, pq deve ser do tipo que acha que mulheres e homens não podem ser amigos) para não se casarem com homens promíscuos que tb é roubada? Ou isso só vale para mulheres?

Bizzys disse...

"será que realmente são os homens o problema??"

Você tem a cara-de-pau de vir aqui no blog dizer que fica "plantando sementinha" contra o feminismo e ainda pergunta se os homens é que são o problema? Puxa vida, hein, imagina se não fossem.

E não duvido nem um pouco de que, nesse seu ~vasto círculo de amizades~, você não seja conhecido como "o chato que gosta de falar mal de mulher". risos

Lu disse...

Se tem mascu "plantando a sementinha" contra o feminismo significa que estamos no caminho certo.

Samantha disse...

Gente linda,

A Lola me deixou na moderação nos próximos dias.

Estou avisando porque eu tendo a dar uma passada de olhos nos comentários algumas vezes por dia e de vez em quando posso deletar sem querer comentário de gente bacana apenas por não ter entendido o contexto.

Em tempo: os trolls estou deletando sem dó nem piedade, porque olha... haja gente detestável nesse mundo.

Anônimo disse...

Essa caixa de comentários é só a prova da misandria no feminismo.

O cara não falou absolutamente de absurdo, não pediu nada pra feminista nenhuma (inclusive publicou um comentário, não solicitou a publicação à Lola). Ele só expôs como funciona as pressões e as relações masculinas (coisa que o feminismo adora tentar enfiar goela abaixo de homens) e reconheceu que ainda é brando em relação ao que as mulheres sofrem, etc. Recebeu basicamente um monte de patada e descrédito sobre a vida pessoal dele que, muito provavelmente, ninguém aqui tem conhecimento.
Quando uma mulher fala sobre a própria condição feminina ninguém fica perguntando se ele briga com o próprio pai pra acabar com o machismo.

Parabéns a todos os envolvidos.

D Stoffel disse...

Se falar isso a um homem ele vai distorcer tudo, eu não estou preocupada com os homens eles sabem os problemas que o machismo os afeta, eles querem mesmo é a parte benéfica e humilhar mulheres. No final eles vão atribuir a culpa nas mulheres é muito mais fácil pra eles.

Lu disse...

"Quando uma mulher fala sobre a própria condição feminina ninguém fica perguntando se ele briga com o próprio pai pra acabar com o machismo."

Role a caixa de mensagem um pouquinho para cima, anônimo da 16h58 e veja o comentário da Raven de 13h52. Esse é só um exemplo, é claro.
Incrível como vcs adoram falar de feministas que odeiam homens. Isso já rendeu discussão aqui no blog. Mas é claro, vcs continuam insistindo que o ódio parte de mulheres.
Quando todo mundo tá aqui discutindo numa boa, sempre tem troll mascu para desvirtuar a conversa e semear a discórdia aqui. Se o feminismo fosse um movimento misândrico, não estaríamos nem vendo os comentários de vcs. Algo me diz que em sites masculinos, não teríamos a oportunidade.

Carol F. disse...

Só podia ser anônimo para dar uma respostinha idiota desse tipo. Qual é a proposta? Dã, que não seja obrigatório. O país tem uma população enorme e muita gente interessada na carreira militar. Assim como nos EUA e maioria dos países europeus, só entra quem quer ser profissional do exército, marinha ou aeronáutica. Achei que até crianças sabiam disso. Entendi porque tem tanto anônimo aqui, como tem comentário idiota.

Anônimo disse...

Ahahahha que ridícula.
Sabe pq na Europa ou EUA o pessoal se alista? Pq lá, na carreira militar, eles ganham DINHEIRO!
Querer comparar EUA e Europa com o Brasil, um pais que, em caso de guerra, o exército só teria munição para guerrear por DUAS HORAScom EUA e Europa é demais kkkkkkk

Anônimo disse...

Então ta, os homens são o problema, fique longe de todos eles, resolvido.

Death disse...

Os homens devem:

1º Não atrapalhar o feminismo
2º Ouvir com muito cuidado o que o feminismo tem a dizer.
3º Replicar o conhecimento para outras pessoas, inclusive para outros homens para que eles cheguem a:


1º Não atrapalhar o feminismo
2º Ouvir com muito cuidado o que o feminismo tem a dizer.
3º Replicar o conhecimento para outras pessoas, inclusive para outros homens para que eles cheguem a (...)

e por ai.

Anônimo disse...

Anon das 16:58 de que jeito os comentários em resposta ao post do rapaz são "um monte de patada e descrédito sobre a vida pessoal dele"? Só porque algumas comentaristas perguntaram se e o quê ele faz pra combater o machismo no dia a dia, ou sugeriram algumas coisas que ele pode fazer pra isso? Colega, se você é tão sensível ao ponto de não poder ouvir uma pergunta válida sobre como suas ideias se relacionam com suas ações, ou sugestões sobre como agir, se muda pra dentro de uma bolha no fundo de uma caverna.

Anônimo disse...

14:30, o Vietnã, com um exercito muito inferior em tecnologia e equipamento, conseguiu expulsar o maior exercito do mundo, dos EUA, o exercito do Afeganistão idem xin os russos. O exercito brasileiro tem hoje, reconhecido mundialmente, a mulher escola de guerra de selva do mundo, o Cigs.
E não e só em relação as grandes potências, devemos ter como um strar para nossos vizinhos regionais, que temos como nos defender, caso eles se tornem hostis, como ja o fizeram no passado.

Anônimo disse...

*Melhor escola de guerra na selva
Smartphone ruim de digitar, desculpe

Anônimo disse...

1° brasil é piada em qualquer sentido. tudo que faz dá merda.

2° alistamento é inútil num país que não tem guerra. nos EUA é indispensável, aqui é bobagem, até porque o brasil não defende nada do que tem.

3° parem de falar misandria, não consigo levar a serio um homem que escreve isso. é muito tosco. ISSO, é coisa de chorão sim.

4° a lola defende o fim do exercito pelo partido dela, que não gosta de arma, pois tem medo de fogo militar, mas como já disse, o brasil é uma piada que não se defende de ninguém. então exercito aqui é só de enfeite...

Anônimo disse...

17:56 Vá no Haiti, ou Congo, onde atua a tropa do general Santos Cruz, e veja se o exercito brasileiro e piada por lá.
Ou então pegue um livro de historia, e veja os comandantes alemães na Itália, se rendendo ao general Zenóbio, quando os praças combateram nazistas e fascistas em Monte Castelo.
E gracas ao exercito brasileiro, o sul do Brasil ainda e brasileiro, e não paraguaio.

Anônimo disse...

Matéria sobre assédio contra mulheres policiais que passou ontem no Fantástico


"Pesquisa inédita mostra que 40% das policiais já foram assediadas no trabalho"

http://globotv.globo.com/rede-globo/fantastico/t/edicoes/v/pesquisa-mostra-de-40-das-policiais-ja-foram-assediadas-no-trabalho/4071659/

Anônimo disse...

Eu assisti essa matéria no fantástico. é chocante ver que até mulheres policiais armadas sofrem assédio, mas foi bom saber que elas não se calaram e delataram os assediadores. Espero que outras mulheres sigam esse exemplo.

Renata

Anônimo disse...

As mulheres são oprimidas pelos homens , os homens são oprimidos pelas mulheres por questão de moral , se ambos os llados são afetados , então quem é o inimigo ?

Anônimo disse...

17:52 o Vietnã tem algo que o Brasil não tem: gente corajosa, consciente da sua própria cultura e identidade, sem o complexo de vira-lata brasileiro e provavelmente MUITO menos corruptos ganaciosos que vendem seu próprio país por trocados. E a menos que os EUA invadissem pela selva a escola de guerra brasileira não serve pra quase nada-e nunca vi os americanos invadirem através do interior ou da área silvestre, eles sempre bombardeiam as cidades principais antes do ataque de infantaria. Ah, e o Afeganistão usou muito de terrorismo contra os EUA. Eu pessoalmente me envergonharia muito de ser membro de um país que considera matar inocentes uma táticade guerra legítima.

Carol F. disse...

Anônimos tendem a ser ridículos e ignorantes. Eu tenho parentes na marinha. Eles ganham muito bem e escolheram essa carreira. Trabalharam em salvamento no mar, já foram para o Haiti e fazem muita coisa útil. Não fale sobre o que desconhece, ser burro que nem tem coragem de inventar um apelido para passar vergonha. Patético. Aposto que tentou entrar e foi recusado por incapacidade física e mental.

Anônimo disse...

Anon das 18:24 no Haiti é fácil, meu filho. Quero ver toda essa coragem e habildade bélica é contra gente que sabe brigar e que tenha armamentos decentes. EUA ou China entram na briga? Brasileiros saem correndo com a bacia na cabeça. É isso.

Quanto à 2° guerra, um professor de história meu conheceu um oficial da FAB, um sargento. O sargento contou umas histórias legais... por exemplo, que um dia 300 soldados brazucas estavam fazendo uma explroação qdo mil alemães saíram do mato. os brasileiros se renderam, claro, mas aí os alemães disseram que ELES é que queriam se render aos brasileiros. Sabe por quê? Porque os brasileiros não executavam os prisioneiros. Se um alemão se rendesse a um americano, levava bala. Quando eles se renderam aos brasileiros, em uma hora já estavam jogando futebol e namorando as enfermeiras.

A Guerra do Paraguai. Exércitos eliminaram meninos de 9 a 15 anos numa batalha totalmente injusta, umas centenas de paraguaios contra milhares de brasileiros, argentinos e uruguaios; soldados degolavam crianças de 6 a 8 anos que imploravam pra que eles não as matassem; terminada essa última batalha desnecessária e covarde, o conde D'Eu manda incendiar o campo de batalha antes que as mulheres consigam resgatar os feridos; crianças tentam fugir no meio do incêndio mas várias caem e são consumidas pelo fogo. A população paraguiai foi tão reduzida que o governo emitiu uma lei que obrigava mulheres a fazer sexo com quem desejasse transar pra repor a população; se elas se recusassem, eram presas por crime de lesa pátria. E você diz que devemos nos orgulhar dessa merda? Pois te garanto que isso é, pra mim, motivo de muita vergonha e mais nada.

Mas aí, a guerra do Paraguai é um ótimo exemplo de como o exército brasileiro é uma instituição que não faria lá muita falta.

Anônimo disse...

É, anon das 20:32 o machismo tanto protege as mulheres que causa estupros, violência doméstica, pedofilia, infanticídio de meninas, mutilação genital, tráfico humano, feminicídios, e a maioria das mortes de mulheres sendo culpa dos companheiros. Por que você não vai tomar bem naquele lugar?

Nati-Nati disse...

Achei extremamente sensato o post. Já vi vidas de homens serem destruídas pelo machismo, famílias se reduzirem a nada por conta da ideia de superioridade masculina. Outro dia ouvi um homem extremamente machista da família contar que quando era mais novo estava com os amigos em um rio, e quando se viu afogando-se, não teve coragem de pedir socorro com vergonha do deboche dos "bro" que estavam junto. Quase morre por conta da limitação absurda que o machismo impõe sobre os homens.
Certamente que eles seriam muito beneficiados com o fim do machismo e patriarcado, isso sem dúvidas. Fora que a convivência com as mulheres seria muito mais pacífica e veriam realmente as demais como iguais.
Porém, não adianta nós querermos que eles vejam tudo de errado e ruim que o machismo impera em nossas vidas como mulheres, pois, no máximo, eles entenderiam mas nunca saberiam exatamente o que passamos, pois, adivinhem? Eles não passam pelas mesmas coisas, então nunca saberão.
Da mesma forma, nós, mulheres, nunca saberíamos todos os problemas que o machismo impõe sobre a vida masculina, pois não passamos por isso. Mas como somos o lado mais prejudicado da cadeia (vide os número de mortes por feminicídio e estupros), cabe a nós fazermos eles abrirem os olhos para verem o quanto a desigualdade de gêneros prejudica ambos os lados.

Jonas Klein disse...

Eu não ia mais comentar neste post, mas eu resolvi mudar de ideia mediante um comentário aqui, ate tem outro que merecia uma boa resposta também, mas vou deixa quieto.

Anon 20:32


"As mulheres são privilegiadas pelo Machismo."

Isso e uma grande mentira, pois e só uma mulher contrariar um cara machista que todo o mundo aqui já sabe no que da.

homens machistas alguns ate podem proteger suas parceira (geralmente vistas como propriedades suas), mas isso a que custo para mulher?

A menos que você não entenda nada de machismo, você sabe muito bem que na pratica mulheres para serem protegidas por machistas, precisa se enquadrar num estilo de vida do qual ela vai precisar abrir por completo mão de todas as suas liberdades, e ainda sim ela vai precisar contar muito com sorte, para nunca sofrer qualquer tipo de agressão de quem a protegeria.

E qualquer coisa que seja dita em contrario e mentira ou desconhecimento da realidade (uma coisa e discurso na teórica, outra e a vida na pratica).


Esse comentário e só um complemento, do comentário da Anon das 20:39


Julia disse...

Anon 20:33, tem prova do que você está falando ou só veio aqui achando que vai causar?

"Quando eles se renderam aos brasileiros, em uma hora já estavam jogando futebol e namorando as enfermeiras."

Essa informação você tirou da sua bunda.

Sim, a guerra do Paraguai foi uma covardia mas cadê prova que os soldados brasileiros degolaram crianças?

A pessoa tem um complexo de vira-lata tão aflorado que inventa histórias escabrosas.
Prove o que está falando ou pare de trollar, palhaço.

Anônimo disse...

É preciso amaaaarrr as pessoas como se não houvesse amanhã....

Carlos

Rodrigo disse...

Pelo que eu vejo, é tão difícil encontrar um homem que realmente faça alguma coisa contra o machismo, que ao ver esse tipo de comentário, as mulheres só conseguem é ficar desconfiadas. Infelizmente é assim, e vai ser por muito tempo. Mas no fim uns comentários ali em cima são os mais certos, "não é porque umas mulheres na internet dizem alguma coisa que isso te impede de fazer o que é certo", é só o que precisamos fazer, a coisa certa.

Fora de contexto: Lola sua linda, recebi um convite seu pra entrar na sua rede do linkedin, como isso é possível? Eu não sei direito como aquilo funciona...

Jéssica disse...

"A população paraguiai foi tão reduzida que o governo emitiu uma lei que obrigava mulheres a fazer sexo com quem desejasse transar pra repor a população; se elas se recusassem, eram presas por crime de lesa pátria."

Mais uma informação tirada da bunda, não há nada sobre isso na internet. E sendo uma lei, com certeza haveria.

Anônimo disse...

Esse omi da primeira foto, que que isso hem? Boi magia total O-O

Anônimo disse...

Lola, nao é possivel que tu nao enxergue que o feminismo é um machismo elitista!

Anônimo disse...

O professor de história do anonimo anti Brasil ai (Complexo de vira latas) não deve ter citado, a batalha de Monte Castelo, na Itália, onde um grupo de combatentes da FEB, em menor numero, segurou sozinho, durante dias, tropas fascistas e nazistas, ate a chegada de reforço aliado.

E sim, o exercito brasileiro cometeu atrocidades no final da guerra contra o Paraguai, mas guerras são assim, por isso devem serem evitadas, e ponha na conta do louco ditador paraguaio, Solano Lopéz, que começo a guerra invadindo o Mato Grosso do Sul, onde suas tropas matavam e estupravam colonos brasileiros a rodo, e tinha o interesse de nos tomar a maior parte do Sul do Brasil.
Talvez se o Brasil tivesse perdido a guerra e os estados do sul, o anonimo ficaria mais feliz hoje;

E quanto aos estadunidenses, não acredite em tudo o que vê nos filmes de Hollywood, rambos e Bradocks da vida, eles podem bombardear o quanto quiserem, mas para ganhar uma guerra, uma hora tem que botar os coturnos e as bundas brancas em terra, e com o tamanho do Brasil e população, vão ver a cobrar fumar aqui.

Lauro disse...

Gente, fiquei muito honrado pela Lola ter se dado ao trabalho de colocar meu comentário como postagem.
Queria agradecer de forma geral a todas as pessoas as quais responderam de forma bem intencionada ao meu texto no intuito de responder as minhas questões.
Concordo plenamente com as seguintes afirmações:
- O que vale é o que se faz na vida prática, no dia a dia. Não adianta eu ter uma teoria e não colocá-la em prática quando se vê uma injustiça. Tento sempre empoderar as mulheres que conheço, incluindo minha mãe e irmã (minha namorada já é feminista então não precisa XD). Com homens, tento fazer eles perceberem a construção social que envolve a masculinidade. E concordo que o pior lugar pra se conversar sobre feminismo é no jantar de família.
- Que o homem tem que parar de esperar as mulheres feministas lutem pelos direitos dele. Do mesmo jeito que não é legitimo um homem protagonizar uma luta de um direito da mulher, não é legítimo a mulher lutar por um direito do homem.
E eu entendi que vocês apontando isso, não foi uma crítica à minha pessoa, mas uma resposta na questão que deixei em aberto para me falarem como posso melhorar. Vou tentar ficar mais atento a esses pontos, afinal eu me considero sempre em processo de melhorar.
Quanto ao comentário do Jonas, acho que sou bem pró-feminista mesmo, mas obrigado por expor sua opinião de que existem formas de lutar contra o machismo estrutural fora do feminismo. Eu pessoalmente não fui convencido disso, mas pode ser um equivoco de minha parte.
Aproveitando aqui pergunto as mulheres feministas sobre um caso que ocorreu comigo:
Duas amigas estavam conversando comigo e falaram que na antiga escola delas tinha uma menina que era uma "puta" (querendo dizer que era promíscua). Então num reflexo incontrolado eu falei: "não fala isso" e acabei explicando o porque não é legal julgar a menina pela vida sexual dela...
Aí perguntei a elas: "Se fosse um homem que um dia ficou com uma moça, e no outro ficou com outra, deixando claro que não queria nada sério, teria algum problema?" elas falaram que não.
Então citei o mesmo exemplo trocando os gêneros e perguntei se teria algum problema. A resposta delas é que a sociedade não a veria com bons olhos.
Então argumentei:"A sociedade quebra lâmpada nas costas dos gays, a sociedade está sempre certa? será que o problema está na sociedade ou na menina, que deixou claro que não queria nada sério?" Então elas concordaram comigo.
Porém percebi o que estava acontecendo a partir de uma visão de fora. Eu ainda era um homem falando como a mulher deveria ou não agir... Eis ai minha grande dúvida...
O que vocês, mulheres feministas acham? fiz certo? fiz errado? Pergunto para poder agir de uma forma melhor numa próxima ocasião.

Anônimo disse...

Lauro, você é um lindo.

E claro que fez certo. Quae morro quando alguém fala " a sociedade isso". Quem é a sociedade, caralho? A sociedade, é eu, vc,ele e ela. So acho que quandoa pessoa tem uma opinião machista-homofobida-racista, que seja adulto e fale " EU ACHO ISSO" não venha encher o saco com desculpas " a sociedade, os valores morais, a familia braileira". Isso para mim é o cumulo da hipocrisia.

Yara

Raven Deschain disse...

Eu tb concordo que tu fez certo. A sociedade é feita de pessoas, que por um acaso somos nozes. Se eu, elas, todo mundo continuarmos a perpetuar preconceito, vai permanecer tudo uma bosta. Haha

Anônimo disse...

Mas eu percebi um outro incomodo no Lauro.....elas só começaram a concordar com ele porque ele era um homem falando!
É estranho mesmo! O discurso dele era no sentido delas se desvencilharem da visão machista e elas concordaram porque era um homem falando!!!!!!
Elza

Wasp Salander disse...

Raven melhor pessoa (2)

Kittsu disse...

As mulheres são privilegiadas pelo Machismo.
O Machismo protege e cuida das mulheres.

Tipo aquele maluco que matou a mulher grávida e guardou a cabeça porquê DESCONFIOU de uma traição. Mega proteção master plus advanced.




Rafael, tem algum link à mão de algum site onde eu possa ler sobre essas atuações do Brasil na segunda guerra? Até hoje só me falaram da batalha das toninhas... rs

B. disse...

Pois é gente, eu me lembro uma vez um cara chegou num grupo feminista e fez uma pergunta semelhante a do Lauro, ou seja, de mulheres falando coisa machista e o cara intervindo. Nuossa, as feministas caíram em cima dele "Não tem que dizer o que mulher tem que fazer ou não, seu machista" E ele se defendeu "ah, eu não sou assim, só intervi pq elas foram machistas"
"Seu escroto, não existe mulher machista, existe aquele que ainda não se empoderou, ela deve se empoderar sozinha" aham, esperando sentada. (isso pra mim, é um feminismo meio inócuo, sabe, que fica fechado em si mesmo.)

A atitude do Lauro foi nota 10, fez a coisa certa. Notou o preconceito e o combateu. Atitude errada, pra mim e muitas aqui, seria se tivesse concordado...ficado quieto, conivente.

E outra, meio off-topic: o post do cara pra melhorar no feminismo, várias boas dicas aqui e os comentários são sobre as forças armadas. Até achei o assunto interessante, podem sugerir um guest! Mas aqui a caixa "floodou" com comentários nada relacionados.

Raven Deschain disse...

Pois é, B. Eu ia sugerir que a Lola transformasse o assunto num post de domingo. Bacana mesmo.

Anônimo disse...

Julia e Rafel, eu sou uma mulher e não estou trollando ninguém. Essa história que o professor me contou ele ouviu de um SARGENTO DA FAB aposentado que estava lá. Se em outras situações não foi isso e os soldados brasileiros lutaram mesmo, ok, mas por que eu duvidaria de uma história que o professor ouviu em primeira mão? Tanta coisa boa no Brasil e vão defender logo o Exército?

Quanto ao Haiti sei muito bem do trabalho humanitário de alguns membros do exército brasileiro lá e ahco isso ótimo, mas como a discussão era a respeito de habilidade militar e potencial bélico, não tinha porque eu mencionar o trabalho humanitário, oras. E a verdade é que não há, no Haiti, nenhuma milícia cujo potencial bélico se iguale a países como EUA e China.

A história da Guerra do Paraguai sobre as crianças degoladas foi um registro de um jornalista brasileiro num livro de História. Se estiver errado, não é comigo que tem que reclamar, é com quem escrevue o livro. E as atitudes do ditador paraguaio também são execraveis e motivo de vergonha, mas mesmo assim não foi justo descontar essa crueldade no povo paraguaio.

Eu não me importo com o Exército, quem é obrigado a prestar o serviço militar que decida se apóia o alistamento obrigatório ou se luta contra ele. Mas achar que um exército tão corrupto e sujo como os políticos brasileiros iriam defender o povo e a pátria na hora que a coisa apertasse...

Death disse...

Eu vejo muitas feministas confundindo empoderar com "tomar conhecimento" e assimilar.

Muitas pessoas tomam conhecimento do feminismo mas não o assimilam, simplesmente ignoram o movimento (no sentido de fazer de conta que não existe, ou não importa mesmo).

Também acho parte desse pensamento contraditório dizer que o machismo é enraizado na sociedade mas não nas mulheres, (oi, as mulheres não fazem parte da sociedade?).

Pra mim tanto homens quanto mulheres podem ser machistas, a diferença do machismo na mulher é que ele só traz prejuízos enquanto no homem não necessariamente. Quando a mulher se empodera do feminismo (aí,sim a palavra se encaixa) ela usa seu novo conhecimento de mundo para se livrar das amarras que ela nem sabia que existiam.

reginaldo nunes de souza disse...

O machismo infelizmente ainda existe, mais com o passar do tempo as coisas estão mudando hoje a mulher trabalhar fora tem seu bom salário,tem muitas que até ganham mais que muitos homens e estão se tornando cada vez mais independentes nos dias atuais as tarefas já são divididas, não só a mulher faz as tarefas de casa mais ambos já participam juntos e até as contas são compartilhadas em conjunto.

Anônimo disse...

É muito estúpido afirmar que só mulheres morrem por questões de gênero. Vai ser difícil provar que uma relação de 1 pra 9 nas estatísticas não tem relação com isso.

Anônimo disse...

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2306200814.htm

http://www.cartacapital.com.br/revista/811/ha-dez-anos-no-haiti-brasil-vive-impasse-8874.html

http://retiradatropashaiti.blogspot.com.br/2011/12/denuncias-de-abusos-cometidos-por.html

“As principais reclamações são de abusos da polícia nacional do Haiti. São agressões, desaparecimentos de pessoas, casos que não foram ainda elucidados, muita violência na entrada dos bairros populares, muitas denúncias de espancamentos”,

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/mundo/2011/12/17/interna_mundo,283221/soldados-brasileiros-sao-alvo-de-denuncias-de-abuso-de-conduta-no-haiti.shtml

http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2007/09/070903_haitistockebc.shtml

camila santos disse...

Não poder chorar, ter que agir como homem, quanto sofrimento os homens sofrem tanto kkkkkkk depois as mulheres que são frouxas! Não sério eu conheço homens do bem por isso acho que os meninos desde pequenos devem receber uma educação diferenciada porque educar grande é bem difícil não é atoa que vários tem essa mentalidade machista e ainda acham que tão certo e se você questiona é exagerada, na verdade o que eles querem é que você "finga" que isso não existe só falta falar que é coisa da nossa cabeça :x

Anônimo disse...

quanta empatia, camila santos, parabéns.
fico feliz que você ofereça aquilo que cobra dos outros. SQN.

Anônimo disse...

Sim. O machismo desumaniza a mulher de tal forma que homens em grupo e em total concordância as vendem como mercadoria e as mantém em cárcere privado, como no caso do tráfico de mulheres. Somente uma sociedade doente pode produzir um tipo de crime que precisa contar com a conivência de tantas pessoas

camila santos disse...

anônimo 10:08 se doeu com meu comentário pq? Engraçado tem tanto homem fazendo piada de estupro a merda toda é ninguém fala nada, é claro estupro não é problema deles então não tem porque se ofender né? eu tenho que falar bonitinho porque os homens vão se ofender? me poupe né! Eu fiz uma piada apenas e só to falando na mesma linguagem que os homens usam pra falar com as mulheres, o que há de errado nisso? Pensei que os homens fossem os seres mais engraçados do planeta terra...

Anônimo disse...

"Eu fiz uma piada apenas e só to falando na mesma linguagem que os homens usam pra falar com as mulheres, o que há de errado nisso?"

Você se ofende e reclama quando os outros fazem essas piadas? Chuto que sim, do contrário não estaria aqui. Pois bem, hipocrisia define.

Anônimo disse...

Anonimo de 12:1, hipocrisia são os homens que fazem piadas sobre estupro,assediam mulheres e falam que são é sexualmente incontroláveis ficarem ofendidos quando são chamados de estupradores. Camila Santos,você falou apenas a verdade, concordo totalmente contigo.

Anônimo disse...

A maioria dos nossos "honestos" deputados e senadores são homens. Porque os homens não presionam ou peçam ajuda para a maioria masculina do legislativo para tirar o alistamento obrigatório?

Anônimo disse...

Meu professor de historia falou que era a favor a alistamento obrigatorio para mulheres....

Todos os meninos começaram a aplaudir

...E o professor terminou de falar que no exercito as mulheres aprenderiam a se defender e não aceitariam qualquer coisa que o marido fizesse...

Todos os meninos se calaram

camila santos disse...

Anônimo 12:17 Sim eu me ofendo com homens fazendo "piada" de estupro (qualquer pessoal normal deveria ficar ofendida) Você sabe a diferença de uma "piada" de estupro e uma piada boba que não rir de homens que são estuprados ou zoa com mortes de homens? eu acho esse papo de homem não poder chorar uma besteira enquanto os homens "não" podem chorar as mulheres são mortas por babacas que se acham deuses e por motivos fúteis(sempre).

Julia disse...

Concordo com vc, Camila. E homens geralmente de acham muito engraçados mesmo. Alguém tem que avisá-los que não são.