terça-feira, 27 de janeiro de 2015

OSCAR, POR QUE TÃO BRANCO?

Saíram as indicações ao Oscar 2015 enquanto eu estava viajando, e bastante gente perguntou: "Não vai falar sobre elas? Não haverá bolão este ano?"
Pois é, estou devendo um post sobre isso. Pra começar, ainda não vi quase nenhum dos filmes. Lamento dizer que não fui ao cinema uma única vez em 2014. É que não dá tempo mesmo! Mas vamos ver se até a cerimônia de entrega, no dia 22 de fevereiro, eu consiga ver alguns ilegalmente. 
Menos Foxcatcher, porque é sobre luta greco-romana e, apesar de eu adorar o Steve Carell, minha religião não permite. E espero que vocês não fiquem muito zangadxs comigo se eu disser que eu acho o Wes Anderson um baita de um pretensioso (mas farei um grande esforço pra ver Grande Hotel Budapeste). 
Indicados a atores e atrizes
coadjuvantes, Oscar 2015
Vi que as indicações foram decepcionantes e geraram um tuitaço, o #OscarsSoWhite (Oscar Tão Branco). Porque realmente é ridículo que, nas vinte vagas de atores e atrizes (principais e coadjuvantes), não haja uma mísera pessoa que não seja branca. A última vez que isso aconteceu foi em 2011, mas, antes disso, havia sido em 1998. 
Oyelowo, esquecido
Ou seja, mesmo que o Oscar seja indubitavelmente uma festa branca (e masculina, já vou falar nisso), de vez em quando um ou outro negro é premiado, geralmente na categoria de coadjuvante. 
Selma, um filme sobre Martin Luther King, teve várias indicações no Globo de Ouro, considerado um termômetro do Oscar. Mas agora foi nomeado para apenas duas estatuetas: melhor filme e melhor canção. Só. David Oyelowo, que interpreta King, foi esquecido na disputa de melhor ator. 
O Oscar impediu a linda Ava
de fazer história
Mas o que eu acho ainda pior é terem deixado de fora a diretora do filme, Ava DuVernay, que teria sido a primeira negra a ser indicada a melhor diretora (e a quinta mulher na história a ser indicada, ponto. Calculem: esta será a 87a cerimônia do Oscar, e a cada ano são indicados cinco diretores. Entre 435 indicados, apenas 4 foram mulheres. E apenas uma ganhou. E apenas 3 desses 435 foram negros; nenhum ganhou).
Quem vota na indústria é gente que já foi indicada ao Oscar em qualquer uma das categorias, umas 6 mil pessoas. Acontece que 94% delas são brancas.
A indústria não é apenas branca, como também muito masculina. É só pensar: mulheres só costumam ser indicadas nas categorias de atriz, figurino, e, às vezes, direção de arte (agora chamado de design de produção, que inclui decoração de cenários). Roteiristas, é raro mulheres ganharem
A editora Sandra Odair
Mesmo que existam grandes editoras (perguntem a Martin Scorsese e Quentin Tarantino o que fariam sem Thelma Schoonmaker e Sally Menke), esta ainda é uma categoria dominada por homens. Este ano, uma editora, Sandra Adair, foi lembrada, por Boyhood: Da Infância à Juventude
Sei que é difícil acreditar que um ambiente tido como liberal seja logo a indústria que mais exclui mulheres (e negros) nos EUA. Até mineração de carvão, que até pouco tinha apenas 5% de mulheres empregadas, depois de ações contra discriminação por gênero, hoje já conta com 9%. Já na direção do cinemão americano, mulheres não passam de 4%. Metade dos estudantes de cinema hoje nos EUA são mulheres, mas, depois de formadas, grande parte não consegue emprego nem na TV.
O resultado dessa total falta de representatividade feminina é que a maioria dos filmes que vemos são feitos por homens e para homens. São histórias com homens como protagonistas, com uma visão masculina. E o Oscar e demais premiações são um bom indicador desta ausência de diversidade, que só prejudica a todo mundo. 
Ainda assim, eu organizo um tradicional bolão do Oscar desde 1989. É mais forte que eu! No primeiro ano foi só com a família, mas o negócio foi crescendo, e tem gente que participa há mais de quinze anos, como Vitor, Claudemir, Júlio César e Alessandra (que é quem vocês têm que derrotar, porque ela já ganhou montes de vezes), o maridão (desde 91), e minha mãe (desde que comecei o bolão). 
Nos últimos anos um cinéfilo e leitor antigo, Júlio César, de Maceió, passou a organizar tudo, com maestria. Então farei o convite que faço todo ano: participe do nosso tradicional bolão do Oscar!
Temos duas versões, o bolão pago e o não pago. Vocês podem, e devem, se quiserem, participar dos dois. É fácil, basta fazer suas apostas nas vinte principais categorias (deixamos de fora categorias mais difíceis para encontrar os filmes, como documentários e curtas). 
Parte da tabela do bolão pago 2014
Eu não ganho o bolão há anos, e ano passado, pra piorar minha humilhação, um monte de participantes do bolão bateu o meu recorde de acertos, que era de 17 em 20. Nada menos que dez pessoas (três no bolão pago e sete no não pago) acertaram todas as vinte categorias! Pode isso? 
Mas eu continuo tentando. Pra participar do bolão totalmente grátis, é só fazer suas apostas e, no formulário, incluir seu nome e email, e clicar em "enviar". Só isso, mais nada! Aí é só esperar que, no dia 21 de fevereiro, na véspera do Oscar, a gente manda por email uma tabela completa com as apostas de todos os participantes (eu coloco um link aqui no blog também), pra você poder conferir enquanto assiste à cerimônia. Por isso que a gente fecha as apostas às 11:59 do dia 20/2, pra que dê tempo de enviar as listas.
Pra participar do bolão pago, também não é nenhum bicho de sete cabeças. É só fazer as apostas neste formulário (olha que lindo o layout do Júlio) e clicar em "enviar". E pagar os R$ 20. Decidi aumentar de 15 pra 20 reais por pessoa porque o valor já estava congelado em 15 há anos. Você transfere esses R$ 20 pra uma das minhas duas contas -- Banco do Brasil, agência 3653-6, cc 32853-7, ou Santander, agência 3508, cc 010772760 (ou paga pessoalmente, se você mora em Fortaleza).
Este ano, temos uma novidade: incluí uma conta no PayPal para doações. Até agora não deu muito certo (recebi dez reais em um mês). Mas vai ajudar quem quiser participar do bolão pago, porque dá pra pagar os R$ 20 com cartão de crédito. 
De todo modo, independente de como você pagar os R$ 20, peço que me envie o comprovante por email (lolaescreva@gmail.com), com cópia pro Júlio (jcaoalves@gmail.com). Tem que pagar até o dia 20/2 se quiser entrar no bolão pago, sem fiado!
Reese Witherspoon em Livre
Ano passado, em que o Oscar caiu bem no domingo de carnaval, tivemos 247 participantes no não pago e 16 no pago. Perguntem a quem já entrou como é divertido participar. Porque assim a gente tem sempre alguém por quem torcer (na dúvida, contra a Alexandra, sempre).
Vi agora que o apresentador da cerimônia será Neil Patrick Harris, alguém que eu praticamente nunca ouvi falar porque não vi How I Met Your Mother (mas o vi, meio sem sal, em Garota Exemplar). Dizem que ele fez um bom trabalho nos Tony (o Oscar do teatro americano). Ellen DeGeneres esteve muito bem ano passado, pra fazer a gente esquecer quiçá o pior apresentador de todos os tempos, Seth MacFarlane (concorrendo com David Letterman).
Fico aqui torcendo pra que vocês entrem no bolão rapidamente, porque falta pouco pro Oscar, menos de um mês. Mas sei que todo mundo vai deixar pra depois do carnaval...

50 comentários:

Anônimo disse...

"Até mineração de carvão, que até pouco tinha apenas 5% de mulheres empregadas, depois de ações contra discriminação por gênero, hoje já conta com 9%"
_
Putsa desigualdade, temos que lutar para que o divertido trabalho em minas de carvão ,seja dividido meio a meio com as mulheres, tamo junto.

Anônimo disse...

Ano passado a melhor atris foi a negra Lupita, e o melhor diretor o fantástico
Steve McQueen, também negro.
Então se liga Lola,cota para Oscar não dá.

Selina disse...

Acho saco hein, mimimi racismo.
E o como seria um filme feito para mulheres?

Anônimo disse...

"mimimi racismo"?????
"cota para Oscar"????
Alguém aponta o racismo e machismo no cinema mundial que, de tão óbvios, são quase uma piada (de mau gosto), e a pessoa sai com essa acusação (sim, porque é uma acusação) de "mimimi"?
Não tem ninguém chorando por conta do racismo no Oscar, não, querida.
Só estão lembrando que o racismo ainda existe e o combate continua. Só isso.
Fica de "mimimi" por isso, não, tá? Continua aí curtindo seus privilégios.

B. disse...

Lola, concordo com isso de existir uma carência de filmes feitos por e/ou para mulheres, mas de que modo?

De que adianta termos vários filmes para mulheres se forem só comédias românticas, ou futilidades?

Anônimo disse...

Em qual universo paralelo vive o anônimo das 13:44? O Alfonso Cuarón foi o diretor vencedor.

Anônimo disse...

Quando a quantidade de mulheres nas funções de produtoras, diretoras e roteiristas for bem maior que os atuais 4%, talvez aí possamos ver uma mudança que leve os filmes para além das "comédias românticas, ou futilidades".

Anônimo disse...

Fora o excelente Selma, meu favorito, e azarão na disputa(como disse a Lola, o racismo pesa no Oscar) que retrada a monumental luta pelos direitos civis dos negros norte americanos. Os demais filmes indicados este ano, são todos umas porcarias na minha opinião, Eu vi quase todos, e digo, puro "iuzomismo"
Boyhood: Da infância à juventude, iuzomismo tosco puro, Birdman então chega a dar "pena" dos tadinhos do zomis, fracassados(Se tivessem que suportar um decimo,da opressão patriarcal que mulheres enfrentam,se matariam em um dia) Sniper americano, nem vi ate o fim, de tão chato, e achei um nojo, tentar tornar heroi um assassino nojento de mulheres e crianças, para mim todos os exercitos compostos por homens deveriam serem extintos, e os homens medicados para conter seu instinto assassino em forma de masculinidade.A teoria de tudo e Whiplash eu não vi, mas disseram que o primeiro e muito bom, enquanto o segundo e iuzomismo puro também. Ou seja fica aqui minha torcida para o lindo Selma, e concordo com a Lola, Oscar e em maior parte filmes de homens, feitos por homens para homens.

pp disse...

Lolinha, esse ano vou participar do pago com certeza! Pena que não moro em Fortaleza para te pagar pessoalmente e te conhecer (venha fazer palestra em BH!)

Faça um esforço pra ver O Grande Hotel Budapeste sim, pq é muito legal!

Raven Deschain disse...

Querem uma história de mulheres para mulheres que não seja futilidades? Jogos Vorazes. Divergente. Ahhhhhh mas é infanto juvenil neh? Não é coisa séria. Sorry.


Lola, veja sim o Budapeste. Tem uma fotografia, cenários e figurinos lindos. E o Ralph Fiennes *-* coisa linda.

Anônimo disse...

Amiguinho de 13:44,

Acho que vc não viu o Oscar ano passado, McQueen não ganhou como melhor diretor, foi o Cuaron...

Anônimo disse...

Anon 15:27, concordo bastante com vc, mas sobre Boyhood, gostei bastante da personagem "mãe", principalmente na cena final. Agora, o A Teoria de Tudo achei uma decepção, mto superficial e num mundo cor-de-rosa, fez parecer fácil demais, tirando que o Hawking é retratado como o cara perfeito, que tirando a cena em que descobre a doença, nunca mais ficou mal-humorado na vida...

Anônimo disse...

Oscar é um prêmio privado, eles escolhem quem quiser, não vejo problema nisto. Quem não gosta desta festa simplesmente não deveria prestigiar tanto e se lançar para festivais que premiam filmes mais inclusivos, ou mesmo fomentar a criação de um prêmio em que haja representatividade da sociedade.

O que eu acho graça é reclamar, criticar, e ao mesmo tempo prestigiar tanto.

Bizzys disse...

B, você acha que mulheres só sabem fazer "comédias românticas e futilidades"? A Raven já deu vários exemplos bons, mas permita-me acrescentar que:

1 - Comédias românticas também são feitas por homens, que aproveitam para usar os mesmos estereótipos imbecis de sempre sobre mulheres

2 - Homem não faz filme sobre "futilidades", então? Centopeia Humana deve ser muito útil mesmo, Os Mercenários (1,2,3), filmes de Heróis - que eu adoro, confesso, mas só servem para divertir - e mais uma lista infinita...

Não acho que todos os filmes do mundo tem que ser cult/passar uma mensagem ou lição de vida, mas seu raciocínio de que 'histórias de mulheres = futilidades' está MUITO equivocado.

bucaneira disse...

Vou tentar participar do bolão desse ano! Do grátis, porque não tenho dinheiros.

Até agora já assisti alguns. Meu favorito é Boyhood, lindo demais. Birdman achei engraçadinho e odiei Jogo da imitação, transformaram o Turing em um Sherlock. Me recuso também a ver Foxcatcher e Snipper americano.

Uma coisa triste dos filmes que vi até agora é que poucos passam sequer no teste de bechdel (que é ridiculamente pouco, né?). É uma pena isso, a gente avança um pouquinho e logo já recua de novo =/

Anônimo disse...

"(Se tivessem que suportar um decimo,da opressão patriarcal que mulheres enfrentam,se matariam em um dia)"
_
Não e necessário, segundo dados governamentais, em diversos países ocidentais, de cada 10 suicidios, 7 são cometidos por homens.

Anônimo disse...

o mundo deve girar em torno das feministas,se vcs acham que algum negro merece o oscar tem que ganhar,se não for assim é racismo kkkkkkkkk
tem uma novela portuguesa que passa na tv e só tem negros,bando de racistas né? ai não,é normal,mimimi contexto histórico.

Jéssica disse...

E mulheres tentam suicidio 4 vezes mais que homens[1]. Agradeça ao machismo por eles tentarem se matar com meios mais violentos e por isso terem mais sucesso. Agradeça ao machismo também por a maior parte dos casos do suicida matar a familia ou conhecidos e depois se matar também é ser feito por homens.

[1]http://www.abcdasaude.com.br/psiquiatria/suicidio

Claudia - RJ disse...

Eu achei Grande Hotel Budapeste um saco. Elenco maravilhoso, mas que filme cansativo!

Raven Deschain disse...

Centopéia humana hahaha meu deus, chorei. Que filme ruim.

Anônimo disse...

Jéssica, seu dado só mostra que mulheres tem maior tendencia a querer chamar atenção. Quem quer mesmo se matar se mata e pronto.

Anônimo disse...

Exato, as mulheres vestem a depressão, os homens a engolem seco.
Enquanto mulheres tem mais pré disposição a pedidos de ajuda em forma de tentativa de suicídio, homens querem dar cabo do sofrimento incubado mesmo.

Paulo Avelino disse...

Nos próximos dias na cena mundial duas pessoas se defrontarão.

Uma delas defende que os velhos tenham amparo; as crianças, escola; os adultos, emprego; os jovens, lazer; e todos que tenham oportunidades de viver sua vida sem sofrimentos inúteis.

A outra pessoa quer que os velhos fiquem doentes sem tratamento, que os adultos se apavorem por falta de emprego; que os jovens caiam na prostituição e no tráfico; e que todos vivam sem esperança, para que uma meia dúzia de amigos dela possam ter mais uma fortuna de que não precisam.

A primeira dessas pessoas é um homem, e a segunda é uma mulher. A primeira é o político grego Alexis Tsipras, recente vencedor das eleições. A segunda é Angela Merkel.

Neste momento, esse grego representa o que há de bom e decente no mundo. Espero que ele e seu grupo saibam prevalecer, mas a questão aqui não é essa.

Escrevo para as feministas razoáveis que sei que existem também por aqui.

Sempre que alguém vier com o discurso homem-sempre-mau mulher-sempre-boa por favor lembrem desse confronto no qual a dignidade humana foi representada por um homem e o egoísmo destruidor foi representado por uma mulher.

Não sei o que faz uma pessoa exercer um papel bom ou mau na vida. Mas uma coisa eu sei – não é o gênero.
Abraços.
Paulo Avelino (http://estadoecontrole.blogspot.com)

Anônimo disse...

Simplista e utópico, como todo socialista inocente. A Grécia hoje e um pais de 40℅ aposentados, 30℅ funcionários públicos, e muitos poucos os que efetivamente produzem. A conta não fecha, esta e a verdade, sem ufanismos de ideologias falidas do Sec. Passado.

Anônimo disse...

Jéssica, seu dado só mostra que mulheres tem maior tendencia a querer chamar atenção. Quem quer mesmo se matar se mata e pronto.


E isso só mostra que vc nunca teve depressão e provavelmente acha que é frescura,quem tenta se matar é porque quer morrer e se n conseguiu é porque deu errado,n foi para chamar atenção.

Kittsu disse...

Eu tava mesmo curiosa pra saber quanto tempo demoraria pra algum estúpido vir deslegitimar o sofrimento de quem tenta suicídio ou expressa essa vontade. Na boa? Enfia a mão no seu cu e rasga.

Anônimo disse...

Vc não sabe comentar sem contar, não? Que saco!

Anônimo disse...

Burro, a novela é de ANGOLA! Pesquise antes de cagar pelos dedos.

Anônimo disse...

Idealmente o correto seria esvaziar a importância do Oscar já que essa maioria branca, masculina e velha não tende a mudar por qualquer razão. Mas mesmo quem critica continua a dar audiência, então não vejo muito futuro na coisa.

Death disse...

"Até mineração de carvão, que até pouco tinha apenas 5% de mulheres empregadas, depois de ações contra discriminação por gênero, hoje já conta com 9%"
_
Putsa desigualdade, temos que lutar para que o divertido trabalho em minas de carvão ,seja dividido meio a meio com as mulheres, tamo junto.

-------------------------------

Filhinh@, já pensou que para essas mulheres trabalhar na mineração de carvão ainda sim é melhor do que não ter emprego e fonte de renda algum?

O povo e a sua mania chata de só querer discordar e reclamar por esporte.

--------------------------------

Nunca consegui acompanhar uma cerimônia de entrega do Oscar por completo, aquilo é um saco.

--------------------------------

"Sempre que alguém vier com o discurso homem-sempre-mau mulher-sempre-boa por favor lembrem desse confronto no qual a dignidade humana foi representada por um homem e o egoísmo destruidor foi representado por uma mulher.

Não sei o que faz uma pessoa exercer um papel bom ou mau na vida. Mas uma coisa eu sei – não é o gênero."

O cara além de dividir o mundo entre "bem" e "mal" (que coisa anacrônica), ainda vem dizer que o gênero não define as pessoas, mas claro, a representação do "mau" é uma mulher, com certeza.

Dá um tempo.


------------------------

"feminista moderada"

Quero morrer cada vez que leio essa expressão

Thomas disse...

Lola, deixa de preconceito. Foxcatcher não é sobre luta greco-romana, é um filme sobre personagens. Ou então fica aí com seu preconceito, na verdade eu não tô nem aí, quem estará perdendo a melhor coisa que indicaram pra esse Oscar é você.

E o Oscar já não é grande coisa há muitos e muitos anos. É basicamente o Grammy do mundo do cinema, é uma disputa dos filmes mais populares do Rotten Tomatoes que atraíram a classe média branca que só vai ao cinema assistir esses filmes oscarizáveis promovidos pelos grandes estúdios pra se sentirem mais "cultos".

Agora pensa: quantos filmes com elenco negro são direcionados pra classe média branca preguiçosa que gosta de se sentir inteligente, então vai assistir os filmes indicados ao Oscar? Acertou se disse nenhum. No máximo às vezes aparece um aí do MLK, ou alguma filme sobre negros pobres e fodidos onde o protagonista, apesar de tooodas as dificuldades, não é corrompido pelo mal caminho ou então se redime de seus erros no final. Sabe, história pra branco com grana ver.

Então, Lola. Nem adianta reclamar. O Oscar sempre será assim, porque o público deles não é feminista, não é negro, não é índio, é BRANCO DE CLASSE MÉDIA ALTA PREGUIÇOSO QUE PENSA QUE É INTELIGENTE PORQUE VIU O FILMINHO DA MODA INDICADO AO OSCAR.

Por isso, o correto mesmo era você nem dar audiência pra essa premiação. Você só está contribuindo pra manter o status quo do Oscar ao ficar divulgando esse lixo todo ano. Mas bem, você vai continuar fazendo o tal bolão, afinal pode até ser chato uma diretora negra nunca ter ganhando um Oscar, mas brincar de bolão é mais divertido, então deixa que quem se incomode que boicote, né?

Anônimo disse...

Thomas, eu vou ali arrancar meu braço porque, PQP, pela primeira vez eu tenho que concordar com um comentário seu! Se algum dia o Oscar representou algo que passasse próximo a ser m indicador de um bom filme, deve ter sido entre sua instituição e ali pela década de 40 ou 50, talvez.
Não acho que tenha havido qqr comprometimento da indústria de cinema americana (é uma indústria - isso já deveria dizer muito) com qualquer crítica social ou posicionamento quanto às desigualdades ou qqr similar.
Discutir indicação ao Oscar para mim é como discutir o sexo dos anjos.
Bom, vou ali me mutilar, agora...

B. disse...

Pessoal, vi que meu comentário foi mal-interpretado...isso acontece quando escrevemos sem pensar e sem refletir nas implicações...

Jamais quis dizer que filmes de "mulher" são futilidades. Ou que só mulheres fazem furtilidades, ou que homens não fazem terrores como a tal da Centopeia Humana.

O que quis dizer é de que adianta termos mais mulheres fazendo coisas na industria do cinema se houver filmes que corroboram om estereótipos? Claro que ter mais mulheres nas telas é legal, e se for só em filme machista, em vez dos Jogos Vorazes e tantos outros? Bah, eu não sei se to conseguindo me expressar...mas tão importante quanto a quantidade de mulheres é a qualidade com que somos retratadas (e isso não inclui só filme cult, filme "cabeça")

Anônimo disse...

Pois é, o Oscar é premiação de branco preguiçoso que acha que é inteligente.

Os negros preguiçosos ficam com os festivais de cinema sem importância (ou o GLOBO de Ouro, ou até o "grandioso" EMMY) reclamando dos brancos preguiçosos porque não têm o Oscar. ::)

Essa foi das melhores que li esse ano. O Oscar não é grande coisa. Mas o negro tem que ganhar essa "não grande coisa" . Por que? Porque fez um filme que se encaixasse no que exigem pra um Oscar (um blockbuster meia-boca cheio de ação com um nome "grande" na atuação, p. ex)?
Não, porque é negro e por isso merece prêmio.

Continuem criticando o racismo e o reproduzindo ::)

BLH.

Anônimo disse...

Sempre tem um babaca que nunca teve depressão na vida para fazer pouco caso de quem tem.
Acham mesmo que quem tenta se matar,só está querendo se exibir e chamar atenção dos outros? A pessoa quer se matar de verdade.
Eu tenho depressão mas ainda não tentei me matar,mas penso nisso quase todo dia.

Anônimo disse...

Eu não dou atenção ao Oscar e tendo a concordar com quem critica a premiação.
Aqui tem um link sobre a premiação do Screen Actors Guild Award (http://www.upworthy.com/how-can-you-hate-award-shows-after-seeing-these-3-historic-moments-in-1-night) que vai contra a maré do Oscar deste ano, pelas críticas feitas ao seu embranquecimento. Parece que a TV tem produzido mais programas que valorizam a diversidade e isso é muito positivo. Ainda que Roliudi mande na produção cinematográfica, são as séries de TV que chegam com mais força, eu acho, a um público maior.
Abs.

B. disse...

Acho que hoje vai chover, pq concordei com o Thomas 100%

Firewest disse...

Achei essas indicações umas porcarias, e também não sei quem é o apresentador, sinceramente acho que nem verei. Minha torcida vai pra Hotel Budapeste, sim, a história pra mim é bem ruinzinha, mas o visual ficou lindo e a direção caprichada, logo tem meu favoritismo.

Participarei do bolão gratuito pq me recuso a participar financeiramente de um Oscar ruim. q

Anônimo disse...

Lola, offtopic, mas gostaria de pedir pra vc fazer um posto sobe o caso Edu Goldenberg, um homofóbico que o governo enviou pra falar na ONU contra a homofobia. O twit do sujeito: https://twitter.com/edugoldenberg/status/560130224734883841 ( o ouitro ele apaagou, se vangloriando da palestra q deu na onu, mas pode ser facilmente achado na net)

Anônimo disse...

Pode colocar em prática seu pensamento então. Assim não teremos mais que ler tanto mimimi.

Anônimo disse...

Pessoas pessoas, eu sinceramente penso que a questão não é racismo nem machismo é outra. O Oscar na maioria das vezes não valoriza profissionais realmente talentosos, observem: Hitchcock, Deborah Kerr, Chaplin, Judy Garland, Glenn Close, Jonny Depp e muitos outros.

Senna.

Anônimo disse...

O Thomas está certo. Foxcatcher não é sobre luta greco romana, é sobre toddynho.

Mayara disse...

Neil Patrick Harris é maravilhoso, nos Tonis, pelo menos, ele faz um trabalho magnífico (ele e Hugh Jackman).

Um filme interessante do NPH é Dr. Horrible Sing-A-Long Blog, recomendo.

Anônimo disse...

Eu também terei que concordar com o Thomas. Boicote ao Oscar! Who cares?!

Anônimo disse...

Ixi, agora nem vá poder dizer que feminista não quer trabalhar em mina de carvão. Que chato pro mascu.

Anônimo disse...

Sim, porque se fingimos que o Oscar não existe o problema se resolve..

Anônimo disse...

Foda-se o Thomas.

Anônimo disse...

Tsk, tsk, tsk... Mas Lola, além de ter feito um post mixuruca sobre o oscar, ainda censurou meu comentário. Ele não foi desrespeitoso não, foi objetivamente crítica desse postezinho ruim. Depois, a crítica não aparece. Já vi e já reclamei de você apagar posts legitimamente críticos e educados. Eu sei que você não vai publicar minha crítica, mas é só para dizer que você perdeu o respeito de uma leitora antiga, feminista, de esquerda e cinéfila, que passa a ver você como uma pessoa com o ego maior do que devia e não vou mais perder meu tempo por aqui. Fique aí recebendo incenso de adolescentes deslumbrados.

Henrique Euzebio disse...

Olá, eu sou novo no blog e gostaria de entender o bolão pago, como funciona? Você paga os 20 reais e se vencer todo o dinheiro acumulado vem para você ou só parte dele?

Paola Sánchez disse...

Milhares de surpresas foram experimentadas este ano no Oscar, a lista de filmes de sucesso foi interessante e justa, uma das monimaciones eu mais gostei foi a que ganhou do filme Foxcatcher, é um filme que se destaca não só pela qualidade de sua história, mas para o negócio. Excelente, vale a pena assistir.