sábado, 17 de janeiro de 2015

"ME PERDOE, MEU AMIGO"

Não costumo publicar emails deste tipo por aqui, mas hoje vai. É da C.:

Desculpa incomodar com meu email, sei que tem milhares de coisas mais importantes para resolver.
Antes de qualquer coisa gostaria de demonstrar meu apoio por toda essa violência online que está ocorrendo, você é uma mulher muito forte, leio sempre seu blog e me inspiro em você, como mulher, para encontrar a força que nós mulheres não somos ensinadas a ter.
O motivo deste email é a falta que sinto de um amigo. Conheci ele na faculdade, começamos a nos aproximar no ano passado, terceiro semestre, mas a gente sempre brigou muito. Eu gostava muito dele, pois me apresentou muitas coisas que até então eu não tinha contato, me explicava sobre politica e me apresentou ao feminismo e ao seu blog, que mudou muito minha vida, tive a possibilidade de me entender como mulher e entender o contexto em que vivo e consequentemente me culpar menos.
O motivo das nossas brigas era um pouco minha falta de conhecimento e o jeito de ser dele. Ele me corrigia bastante, uma forma de me mostrar uma nova visão sobre o mundo e criticar meu ponto de vista, que muitas vezes era machista e preconceituoso. Mudei muito de lá para cá, me tornei ateia, a favor do aborto, com mais conhecimento sobre o feminismo. Sei que realmente eu tinha uma visão da vida bem padrão. Como cresci em uma família católica tinha alguns pensamentos bem fechados e dogmáticos. 
Embora ele tivesse um jeito crítico, os amigos dele aceitavam e conseguiam conviver com isso, mas eu não conseguia, e existe um motivo para isso. Sou a única filha mulher, tenho três irmãos homens e mais velhos, então sempre fui ensinada a estar errada, sempre fui criticada por qualquer opinião que eu tivesse dentro de casa, a única opção que sempre tive era calar, pois eu mesma acabava me sentindo errada. 
As atitudes dele eram bem parecidas com as da minha mãe comigo, me corrigir sempre, criticar meus erros, e isso me fazia muito mal a ponto de eu ficar muito angustiada, ir embora da faculdade chorando durante todo caminho. Tudo isso me fez ter uma atitude um pouco infantil, o que levou ao final da nossa amizade. A única forma que consegui me defender foi xingando ele pelo face. Falei coisas muito ofensivas, enviando várias indiretas como se eu estivesse o tempo todo sendo agredida por ele, briguei também com uma amiga dele e finalmente consegui com que ele se afastasse. 
Mas nossa amizade tinha o lado bom e eu sinto muita falta dele. Já enviei algumas mensagens no face e emails pedindo para conversar com ele, de preferência pessoalmente, não sei se o magoei ele ou se fui insignificante, ficar com essa dúvida me faz muito mal. Só sei que dói muito não ser desculpada, reconheço meus erros, não quero me justificar, gostaria apenas de poder pedir desculpas e oferecer um abraço em troca, nem que seja a última coisa que eu possa oferecer. 
Bom, a única forma que encontrei foi recorrer ao seu blog, já que foi ele quem me apresentou, não sei se ainda acompanha, mas foi a forma que encontrei para desabafar. 

44 comentários:

Júlio Cézar disse...

Essa imagem de League of Legends logo de cara, achei que tinham trocado ela pelo jogo.

Raven Deschain disse...

Kkk neh Júlio? Eu tb pensei: mas uai, deixa o cara jogar! Daí não era nada disso.

Anônimo disse...

Eu como toda mulher enfrento machismo em casa no auge dos 22 anos mal posso sair de casa nunca fui a uma balada nem nada minha mãe nunca deixou, ela não deixa nada diz que não é coisa de mulher direita eu sempre me calo pois estou no mesmo teto que ela já brigamos já fugi nada adiantou, continua na mesma e eu querendo sair daqui eu quero um dia ser de mim mesma não dos outros.

Anônimo disse...



é triste quando fazem isso com nós mulheres sempre nos colocando na posição de inferior submissa,sempre nos calando, já saiu até uma pesquisa sobre isso que prova que isso provoca uma baixa auto estima na mulher.

Anônimo disse...

Eu queria poder ser mulher pra mim e não pros outros, eu não sou a mulher que os outros querem que eu seja, por isso eu sofro cada dia da minha vida só pelo fato de ser mulher.

Anônimo disse...

Entendo o sofrimento da moça, pois não é fácil perder um amigo. No entanto, acho esse cara mais um machista disfarçado, do tipo que existe aos montes no meio acadêmico. Onde já se viu querer impor a uma mulher uma ideia de feminismo com a qual ela não concorda, ao ponto de fazê-la chorar por causa disso? O feminismo serve pra acabar com a opressão, não pra criar uma nova. É um absurdo esse tipo de cara que, sob pretexto de tratar da "emancipação feminina", impõe códigos de conduta e diz que a mulher que não os segue é reprimida, atrasada ou sei lá o quê. Até porque muitas vezes esses "códigos" na verdade são a mera transposição de comportamentos estereotipados masculinos (ex.: ser "pegador", se o homem pode ser assim, a mulher não só pode, como deve) do que a observação da reais necessidades e dos reais desejos que a mulher tem. Sinceramente, esse feminismo que esquece de consultar as mulheres e não as convida a participar dele é coisa de machista que está no armário e quer ficar bem na fita na universidade. Aliás, Lola, gostaria muito de ver um post seu sobre os falsos feministas que existem por aí. Beijos.

Anônimo disse...

Qnto mimimi, vá ocupar sua mente com outra coisa mulher! Ficar chorando por "amiguinho" e que fez vc chorar várias vezes. Q nojo.

Anônimo disse...

afff seudade de feminixxxxto.

Anônimo disse...

Terminei uma amizade de anos por causa de um cara assim, ele era machista, arrogante, prepotente e vivia me fazendo críticas e impondo sua opinião machista sobre mim. Eu sabia q ele foi interessado por mim, mas eu não quis nada além de amizade, mas após alguns anos não consegui mais tolerar esse comportamento. Deixei pra lá e cortei o contato de todas as formas. Hoje ele vive perguntando por mim, manda mensagens em redes sociais e fica me stalkeando procurando voltar a amizade, só q eu não vejo motivos para reatar contato c uma pessoa q me fazia mal.
Deixa pra lá moça, arranja uma amiga, vai te valer mais do que 10 amigos machos.

Mallagueta Pepper disse...

Na boa, é um tremendo saco a pessoa ficar nos corrigindo o tempo inteiro, como se nada do que fazemos fosse bom o suficiente pra ela.

Esse sujeito deveria ter parado um pouco pra entender sua história ao invés de tentar empurrar tudo pela sua goela abaixo. Se ele fosse feminista de verdade, saberia entender que nem toda mulher é empoderada e que nossa educação ainda nos prejudica muito. Ele devia ter tido a sensibilidade de parar, ouvir e entender, mas parece que estava mais interessado em te doutrinar, em te fazer seguir as idéias dele, fazer as coisas do jeito dele.

E aposto que o jeito dele de falar influenciou muito. Era bem provável que ele te corrigia passando a mensagem de que você era burra, não estava fazendo direito, aquela coisa bem depreciativa mesmo. Já lidei com pessoas assim e seu como é. Elas te jogam pra baixo e depois falam que é pro seu bem. Que nada! Elas não passam de vampiros emocionais, isso sim!

Cada pessoa muda no seu ritmo e ninguém pode querer impor um ritmo diferente. Você tem seu tempo e pronto. Ele não tinha nada que tentar te apressar porque acabou foi te fazendo mal.

Pense bem se a amizade desse cara te faz tanta falta assim. O problema é que você passou a vida inteira sendo depreciada dentro de casa, como se tudo fosse culpa sua e no caso dessa amizade acabou internalizando esse sentimento a ponto de se colocar como vilã e ele como vítima. Não caia nessa armadilha. Você fez o que estava ao seu alcance. Mesmo que tenha errado, paciência. A vida segue. Você não vai morrer só porque ele não quer mais sua amizade.

Anônimo disse...

Bem ou mal foi o cara que propiciou a ela o primeiro contato com o feminismo. Muitas vezes nós precisamos de um tranco para entrar em contato com outras realidades.

Esse cara parece agir assim com todo mundo e parece ser do temperamento dele com todos. Não vejo como um simples machista não.

Anônimo disse...

Só eu que achei o amigo um babaca? E para a autora, segue em frente. Para de correr atrás desse garoto.

Ana Torres disse...

Sinceramente, colega, se esse seu "amigo" está vendo o seu post hoje (como vc provavelmente quer) aposto como a primeira coisa que ele fez foi dar umas gargalhadas (bem ao estilo LOL). Não gosto muito do termo, mas, feministO do cacete.

Claudio disse...

Amigo ou amor platônico!? Sei não hein...

Beatriz Correa disse...

Querida, não se martirize.

Pelas coisas que você falou dele, não há dúvidas q foi bem melhor pra você se distanciar eqto podia. Como a Pepper já disse aí em cima, se ele fosse realmente feminista ele entenderia a sua história de vida e iria com calma.
Digo isso pq tbm estou passando por um problema similar, mas no caso os papéis estão invertidos.

Pode acreditar em mim qnd digo isso, amiga: nenhuma pessoa que quer realmente o nosso bem vai enfiar goela abaixo seus dogmas e modos de vida. Não se deixe cair nessa armadilha.
Não só aqui mas tbm na sua faculdade tenho certeza de q vc vai encontrar mtas pessoas q vão te acolher e aceitá-la assim como és. Não mude pelos outros, mude por si.

Maicon Vieira disse...

A mulher quase não falou do amigo, nem contou direito como ele a criticava e o povo já caiu matando dizendo que é machista, feministo, que não presta e não sei mais o que. Pode ser o caso dela também, atitude desproporcional aos comentários do sujeito.

Anônimo disse...

Falsos feministas, especialmente aqueles que dão aula sobre feminismo, mas na verdade, é machista bem disfarçado...

Luiza Mit disse...

Achei que fosse caso de briga por causa do League of Legends com essa imagem da Leona Valquíria huahua. Logo pensei: vou me identificar!!! (já briguei muito por causa do LoL)
Piadas à parte, boa sorte, colega! Espero que tudo se resolva, e que vocês voltem a ser amigos SE for benéfico e construtivo para os dois, principalmente pra você. Como já comentaram aqui, é meio esquisito um homem te pressionando tanto com ideias, por mais que sejam feministas e inovadoras pra você, te fazer chorar com isso é realmente muito complicado.

Anônimo disse...

Feministo? Machista?
Please, me poupem!
Como podem tirar tantas conclusões em poucas linhas. Esse joguinho determinista em cima de seres humanos é complicado. A moça, que não conhecemos, está pedindo para reatar uma amizade com alguém que não fazemos ideia de quem seja.
Não vejo o porque julgar e dizer o que ela pode e não pode fazer. Que ser empoderada sendo criticada e julgada por uma vontade pessoal e consciente? Recusar relações com pessoas com base em distinções de pensamento e personalidade é um maniqueísmo digno de Malhação.
Todos temos defeitos. A moça reconhece as atitudes do moço que a incomodou, mas sente que esses fatores são menores que a amizade dos dois. Não sabemos mais nada além disso. Desconhecemos suas histórias, motivações, onde estudam, o que fazem da vida ou mesmo onde moram. Como podem tirar conclusões em cima de uma premissa tão evasiva de concretude?
Eu fico chateado com esse jeito maniqueísta/sexista/binarista de levar se classificar a vida, as pessoas e quem elas são. O Feminismo me libertou, mostrou que ser gay é tão normal quanto heterossexual. Fez uma diferença fundamental na minha vida, assim como fez e faz na vida de tantos outros, independente do que há entre minhas pernas. Hoje sou feliz por causa desse Feminismo interseccional e não vou corroborar com quem "caga regra" (expressão que detesto) em cima da minha ideologia, de como eu devo atuar nas minhas relações sociais para mudar o presente paradigma.

Julia disse...

Pelo menos agora eu sei o que quer dizer a expressão "jogar LOL".

Anônimo disse...

Boa sorte, moça do post. Infelizmente rompimentos são pessoalmente difíceis e podem levar alguns anos para cicatrizar. Se ele ainda não responder, segure firme e deixe ele processar um pouco mais. Pode ser que um dia vocês se encontrem pessoalmente e, se ainda isso estiver te incomodando, estejam numa situação mais bem resolvida para conversarem sobre o que aconteceu.

Anônimo disse...

Mulher alguma deve pedir desculpas a omi algum.

Anônimo disse...

"Esse sujeito deveria ter parado um pouco pra entender sua história ao invés de tentar empurrar tudo pela sua goela abaixo"
_
Da mesma forma que ele deve ter uma história também, e uma versão para o fato narrado. Mas e mesmo, esqueci. Na nova ordem social feminista, Homem algum tem sentimentos, tem suas razões internas, apenas a culpa por existir em uma sociedade machista, e ele deve carregar esta culpa, se sentar em um cantinho, e ficar a remoendo. Afinal ver os dois lados da história, sendo que em um dos lados esta um Homem, não empodera não e verdade?! Afinal de contas, "iuzomi'

Anônimo disse...

Moço das 09:48, seu male tears esta encharcando o carpete. E sim ,vocês tem uma divida histórica quase impagável, então sente-se no cantinho, e comece a refletir sobre ela.

Anônimo disse...

A Leona está ali como "mulher forte".

Débora disse...

Pietro, meu filho de 6 anos disse algo lindo outro dia: -mãe, seja a mulher q VC é e não a q os outros querem q VC seja...
Querida, perdi um amigo recentemente e morro de saudade, mas descobri nesse afastamento q só eu era amiga. Siga firme e continue se incomodando qd quiserem te calar ou te corrigirem vezes demais.

Anônimo disse...

A Lola deve estar sem assunto para publicar...

Anônimo disse...

O feminismo serve pra acabar com a opressão, não pra criar uma nova.


kkkkkkkkkk grande piada do dia,to cansada de ver gente cassando a carteirinha de feminista dos outros por pensar diferente,pq a pessoa sim,é feminista fodona de verdade.

Anônimo disse...

Lola, por que vc está pedindo doações em dinheiro no site? Tem algum motivo?

Anônimo disse...

Tem feminista aqui que divide o mundo entre mulheres-boazinhas-oprimidas-vitimas e uzômi-opressor-machistóide-vilão da disney. A questão é um pouquinho mais complexa que isso, fia.

Mallagueta Pepper disse...

Meldels, tantas maletears nos comentários que tá até vazando no meu teclado. Ô choradeira!

Anônimo disse...

''Tudo isso me fez ter uma atitude um pouco infantil, o que levou ao final da nossa amizade. A única forma que consegui me defender foi xingando ele pelo face. Falei coisas muito ofensivas, enviando várias indiretas como se eu estivesse o tempo todo sendo agredida por ele, briguei também com uma amiga dele e finalmente consegui com que ele se afastasse.''
Gente, ás vezes vocês parecem que ignoram o que leem só pra vilanizar o homem.
Pelo que entendi o cara tem sim uma personalidade crítica, difícil, mas que os outros amigos(e amigA, como ela colocou ali)lidavam bem.
Acho que a garota ainda era imatura, tanto por ser machista como por não lidar bem com críticas, visto o histórico familiar dela. Então os dois tem problemas, não é só ele o ''machista mau disfarçado de feministo''.
E sem male tears aqui, sou mulher.

Anônimo disse...

Me vejo obrigada a concordar um pouco com a anon do dia 18.01 21:50.

Não sei se é da minha cabeça, mas algo que muito tem me irritado no atual feminismo dazinternet é esse desagenciamento da mulher. Somos menininhas dignas de proteção delicadas e os omi faz a gente chorar, esses brutos, buá. Af, por favor.

Sobre o depoimento da moça: o ex-amigo fez bem ao apresentar o feminismo a ela, mas parece ser também um chato de galochas, tomara que ao ler isso aqui ponha a mão na consciência.
Por outro lado, eu o entendo um pouco. Só a Deusa sabe o quanto já me estressei com garotas falando merdas machistas de outras... e eu lá pacientemente apontando o quanto aquilo era cavar a própria cova só pra mina concordar e 5 minutos depois voltar a falar merda. Aja paciência. ( Com homem falando merda machista nem paciência eu tenho, se eu abrir a boca pra falar algo já dou canelada verbal mesmo).

E realmente, todas aqui ignoram que a própria moça admitiu ofender o cara via facebook, provavelmente em público.

Bom, moça do post, torço que vcs façam as pazes. Se não acontecer, bola pra frente. Que tanto você quanto ele possam crescer a partir disso.

Boa sorte e não se martirize, que atire a primeira pedra quem nunca pisou na bola.


Patela.

Anônimo disse...

Sinceramente, tá na hora de você conhecer mais gente na vida. E gente mais interessante. E não esquece de se amar em primeiro lugar.

Cris disse...

Tenho uma história bem parecida com a desse mail, tirando o machismo do amigo dela, a data, e as mudanças que ele causou nela... gostaria também que um amigo muito querido me perdoasse :/

Anônimo disse...

Também tenho uma história parecida. Eu dizia coisas meio idiotas e sem noção, e no final ele começou a me tratar mal :\ Me criticar e ser meio irônico...Tenho saudades, mas que fazer, ele também foi idiota comigo, vivendo e aprendendo a lidar.
Desejo que a moça do post reate com o amigo, mas se não acontecer, deixa pra lá, e tenta ser diferente nas próximas amizade, é como eu faço, aprendi com meus erros.

Anônimo disse...

Não é o que a pessoa diz, mas como ela o faz. Talvez o cara estivesse certo em tudo (ou na maioria das coisas), mas ele não teve sensibilidade pra perceber o quanto magoava a amiga. Ainda que ela fosse a imatura da história, q não soube lidar com críticas, faltou discernimento por parte dele. Acho que ele também deve desculpas.

Marcia Baratto disse...

Oi moça, poxa vida que coisa mais chata. Mas olha, lidar com sentimentos é sempre algo complexo, entendo a falta que você sente do seu amigo, mas pelo seu relato, esse não era um relacionamento muito bom para você e teve, certamente, seus custos.

Eu sou uma pessoa hiper crítica (nome legal para descrever uma chata de galocha) e levei um bom tempo para aprender a não ser desagradável com os outros, afastava muitas pessoas, briguei com tantas outras... No fim, as amizades mais importantes conservei, apesar dos conflitos.

Acho que seu amigo ainda não está maduro o suficiente para entender que a forma como age e expressa seus pensamentos, por mais 'emancipatórios que eles sejam', soam autoritários e magoam outras pessoas.

Sabe como é, de boas intenções o inferno está cheio... Será que realmente vale a pena reaver esse relacionamento agora?

Moedas tem dois lados, assim como relações entre duas pessoas. Se você realmente precisou de 'uns trancos' para 'se ligar na vida', ele também precisa aprender que senso crítico é, obrigatoriamente, uma via de mão dupla, e que ele também precisa aprender a lidar bem com os sentimentos alheios quando expressa suas opiniões, caso contrário acabará não uma pessoa crítica e questionadora, mas apenas mais um arrogante bacana, tipo mesquinho e intragável, infelizmente muito comum na vida universitária.

Talvez seja a hora de dar um tempo e deixar essa história descansar. O mundo é cheio de outras pessoas interessantes, guarde o que você aprendeu desse relacionamento, se seu amigo gostar de você, vocês acabam convivendo novamente sem grandes traumas.



Um abraço e dois beijos carinhosos.

B. disse...

"Tem feminista aqui que divide o mundo entre mulheres-boazinhas-oprimidas-vitimas e uzômi-opressor-machistóide-vilão da disney. A questão é um pouquinho mais complexa que isso, fia." (anon)

"Não sei se é da minha cabeça, mas algo que muito tem me irritado no atual feminismo dazinternet é esse desagenciamento da mulher." (outro anon)

Concordo com esses comentários. Uma coisa que me tira um pouco do sério no feminismo "da internet" é esse desagenciamento. Por exemplo, no caso de mulheres dizendo ou tomando atitudes machistas. O que dizem? "Ah, não existe mulher machista, e sim mulher cooptada pelo patriarcado".

ah para né.

Anônimo disse...

Eu concordo com x anonimx do dia 17 às 14:54. O feminismo é um movimento de inclusão, é completamente errado culpar alguém que faz parte de um grupo oprimido pela opressão que sofre. Ainda mais vindo de alguém que deveria se posicionar como um aliado, ao invés de querer falar em nome do feminismo e sair doutrinando outras mulheres por aí.
À autora do post, você pode irrelevar a completa falta de noção (pra usar um eufemismo) do seu amigo porque gosta dele e porque sente que no fim acha que ele fez bem a você, mas isso não significa que o modo de agir dele esteja certo.

Ana Kairalla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Kairalla disse...

Pelo que eu entendi, o amigo tentou mostrar a ela ideias feministas, mas usando o "modus operandi" do machismo. Os fins justificam os meios?
Pode ser também que a aversão dela não seja exatamente ao amigo, mas à repressão da mãe. Ela confundiu as coisas e direcionou toda a sua revolta pra ele.
São só algumas conjecturas, não tem como saber. Mesmo com toda a informação, mesmo se tivéssemos presenciado cada discussão, não daria pra saber o que a outra pessoa sentiu.

Renata disse...

"Sou a única filha mulher, tenho três irmãos homens e mais velhos, então sempre fui ensinada a estar errada, sempre fui criticada por qualquer opinião que eu tivesse dentro de casa, a única opção que sempre tive era calar, pois eu mesma acabava me sentindo errada."

Opa, eu escrevi isso e não lembro?

Verô! disse...

Oi moça. Supere, não se humilhe mais. Pronto, acabou. Se uma pessoa não quer mais falar com você levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima.