domingo, 6 de julho de 2014

UM DESLIZE DE BEYONCÉ?

Nos meios feministas a influência de estrelas pop é constantemente analisada, e uma superstar que está sempre em evidência é Beyoncé. Ela é assumidamente feminista, e suas músicas, sua atitude, podem ser empoderadoras para muitas meninas. 
No entanto, é óbvio que nem tudo que uma pessoa feminista fez, faz ou fará é feminista. E a pessoa pode cometer deslizes e erros. Um desses deslizes talvez seja o narrado abaixo por Diogo Bruggemann, professor de inglês e estudante de relações internacionais, que até pouco tempo morava em Nova York, e agora está em Floripa. Alguns de seus textos  podem ser encontrados aqui, e ele recentemente publicou um texto no Brasil Post sobre a Copa. 
Só sei que fiquei com vontade de rever Tina, um filme de 1993 com incríveis interpretações de Angela Bassett e Laurence Fishburne como Tina e Ike Turner. Eu vi na época e gostei apenas mais ou menos. Talvez agora, que me preocupo muito mais com violência doméstica, eu teria um olhar diferente, mais focado. Sempe adorei o título do filme em inglês, no entanto: What's Love Got to Do With It? (O que o amor tem a ver com isso). É uma boa pergunta. 
Com vocês, a reflexão do Diogo:

"Coma o bolo, Anna Mae"
O dia em que Beyoncé e Jay Z tiraram sarro de Tina Turner e da violência doméstica e o mundo pareceu não se importar.
Em 26 de janeiro de 2014 o mundo assistiu ao Grammy, maior premiação da música mundial, onde Beyoncé e Jay Z fizeram o número de abertura cantando "Drunk in Love". A música é do álbum homônimo de Beyoncé, lançado de surpresa, se tornando um sucesso mundo afora. Mas havia algo de errado com a letra da música, e a maioria das pessoas pareceu não perceber.
“I’m Ike Turner, turn up / Baby, no, I don’t play, now eat the cake, Anna Mae / Said eat the cake, Anna Mae!” Em português: "Eu sou como Ike Turner, aumente o som / Querida, eu não estou de brincadeira / Agora coma o bolo, Anna Mae / Eu disse, coma o bolo, Anna Mae".
Ike e Tina Turner
quando jovens
Anna Mae Bullock é o nome de nascimento de Tina Turner. Ike Turner foi seu marido abusivo. Em 1985, numa entrevista à revista Spin, Ike admitiu "Sim, eu batia nela, mas eu não batia mais do que qualquer outro cara bate na sua mulher... Se ela disser que eu abusava dela, talvez eu tenha mesmo abusado".
Tina sofreu abusos de Ike durante muitos anos; ela inclusive tantou se suicidar após uma briga que eles tiveram em 1968. 
No filme What’s Love Got To Do With It?, que no Brasil se chamou Tina, baseado na vida da cantora, há uma cena em que Tina e Ike comem um bolo num restaurante; quando Tina se recusa a comer, Ike insiste e a ataca. Esta é a cena.
"Eat the cake, Anna Mae". É isso que Beyoncé e Jay Z fazem quando vão ao restaurante? Talvez não, mas é isso que muitas mulheres sofrem em suas vidas, se chama abuso doméstico, é um crime terrível e está na letra da música "Drunk in Love", como se não fosse nada de mais.
E todos puderam ver no Grammy. Todos amaram a apresentação e aplaudiram de pé. Deveríamos parar de nos importar com violência doméstica? Com certeza não. Mas parece que Beyoncé, a mulher poderosa "who runs the world" (que manda no mundo), já não se importa.

115 comentários:

José Tarcísio Costa disse...

Eu não concordo totalmente com ele quando ele diz que ninguém pareceu se importar. Eu me lembro de ler muita, mas muita coisa coisa (em jornais, blogs e etc..) sobre esse deslize dela.

Vi inclusive "brigas" de fãs incondicionais, para os quais o ídolo nunca comete erros e outros fãs menos radicais que criticaram sim e muito o mau gosto que foi essa frase nessa música.

Em todo caso, acho importante relembrar isso e informar aqueles que não ficaram sabendo.

Raven~ disse...

Cruzes. Nam sabia dessa música. Como acho a voz dela meio irritante não presto muitos atenção.

E o photoshop comeu brabo naquela capa hein? Daondeeee que a Beyonce é magrela daquele jeito?


Huashua Lola, odeio fazer isso, mas acho que outra questão importante sobre ela é o fato -sim, negue ela o quanto quiser, é um fato- de ela ter clareado a pele. Como mulata me senti pessoalmente afrontada por isso.

José Tarcísio Costa disse...

Teve uma rádio britânica que removeu essas linhas da música antes de tocá-la e muita gente pensou que Beyoncé e Jay-Z fariam o mesmo no apresentação do Grammy O que, infelizmente, não aconteceu.

A rádio justificou o fato dizendo: "[The lyrics] imitate a scene of severe domestic violence... displaying promotion of domestic violence against women. In this light Bang [refuses] to play the song lyrics from henceforth on our station."

Eu sou um fã da Beyoncé e achei que ela pisou na bola legal com essa música, tanto que, no fim das contas, não comprei esse álbum dela.

lola aronovich disse...

Zé querido, em que minuto do link do Drunk in Love que eu coloquei aparece o "Eat the cake"? Porque eu mais ou menos ouvi a música pra poder encontrar o link e colocá-lo no post, mas esse momento me escapou. E achei a música muito ruim. Eu não entendo nada de música pop mesmo. O Jaz Z tem essa voz sem graça? Admito que eu não acompanho muito (ok, nem um pouco) as discussões sobre se diva pop X é feminista ou não.


Raven, a Beyoncé clareou a pele? Esporadicamente vejo algumas críticas a revistas que clarearam a pele dela nas fotos. Mas não sabia que ela tinha clareado. E ela sempre foi tão linda.

lola aronovich disse...

Ah, uma coisa que esqueci de colocar no post foi a discussão sobre a filha da Beyoncé. Umas semanas atrás houve uma discussão (sei porque algumas leitoras mandaram pra mim) sobre o cabelo da menina. Rolou até abaixo-assinado (olha que coisa absurda!) para que Beyonce "penteasse" (alisasse) o cabelo da filha.
Se vcs quiserem falar mais sobre isso, fiquem à vontade.

José Tarcísio Costa disse...

No minuto 3:35 ele fala: I'm Ike, Turner...e aí ele continua e fala eat the cake, Anna Mae..e pra piorar a Beyoncé, logo em seguida, diz junto com ele eat the cake.

Eu sigo bastante a música pop, gosto das performances, gosto de muitas música e, claro, de muitxs cantorxs. Nunca achei a Beyoncé super fenomenal do tipo "sou um fã incondicional" mas ainda assim, gostava bastante. Achei que ela pisou grave na bola com essa música e pior ainda com a apresentação.

Quanto ao Jay-Z, eu nunca gostei das músicas deles porque acho a voz dele irritante também. Sem contar que essa música é ruim mesmo assim. Ainda que não tivesse essa parte, continuaria sendo ruim.

Patty Kirsche disse...

A parte rap começa por volta de 4:50 http://youtu.be/p1JPKLa-Ofc

[Jay Z]
"Hold up
That D'USSÉ is the shit if I do say so myself
If I do say so myself, if I do say so myself
Hold up, stumble all in the house
Tryna backup all that mouth
That you had all in the car
Talking 'bout you the baddest bitch thus far
Talking 'bout you be repping that 3rd
Wanna see all that shit I heard
Know I sling Clint Eastwood
Hope you can handle this curve
Foreplay in a foyer, fucked up my Warhol
Slid the panties right to the side
Ain't got the time to take draws off, on site
Catch a charge I might, beat the box up like Mike
In '97 I bite, I'm Ike, Turner, turn up
Baby no I don't play, now eat the cake, Annie Mae
Said, "Eat the cake, Annie Mae! "
I'm nice, for y'all to reach these heights
We gon' need G3
4, 5, 6 flights, sleep tight
We sex again in the morning
Your breasteses is my breakfast
We going in, we be all night"

lola aronovich disse...

Obrigada por avisar, Zé. Fui direto ao 3:35 e mesmo assim, se não soubesse o que eles falavam, nunca teria ouvido o "eat the cake, anna mae". Êta musiquinha péssima. Concordo contigo: mesmo sem essa parte já seria péssima.

Patty Kirsche disse...

Eu fiquei tentando entender qual é a ideia de colocar essa fala na parte do Jay Z. Parece que a música é sobre uma relação tóxica.

Bom, o Jay Z não é exatamente um exemplo de respeito às mulheres em suas músicas. Em "99 problems" ele diz: "If you're havin girl problems i feel bad for you son
I got 99 problems but a bitch ain't one".

Pra que chamar mulheres de bitch o tempo todo? Fora que o corpo da Beyoncé sempre aparece objetificado, mas o dele, cadê? Bem escondidinho.

O interessante é que sempre ouvi o quanto a Beyoncé e o Jay-Z pareciam a Tina e o Ike porque os homens dos dois casais são "mal encarados". Mas, quando o Chris Brown bateu na Rihanna, o Jay-Z disse que o Chris era um "homem morto". Então não sei o que dizer, precisaria analisar melhor, tanto a música quanto a apresentação.

Anônimo disse...

Ela comete um erro e é (validamente} criticada. Ok. Mas e a Lola no twitter defendendo uma política trans do PT q pregou abertamente a morte do Zuñiga?

thaís macedo disse...

Apesar de não concordar com essa música, achar desnecessário essa parte da letra, acho que mesmo as feministas mais radicais cometem deslizes de vez em quando.

Essa semana li em um blog chamado "Lugar de Mulher" um artigo sobre como, mesmo a blogueira sendo feminista, ela gostava dos filmes Se Beber Não Case (que ão misóginos pra caramba). Ela justifica que, se você souber e aceitar que algo é machista, ao invés de tentar justificar ou defender, tudo bem gostar desde que haja sempre essa consciência.

Acho que os fãs - eu inclusa - devem aceitar que foi um erro, foi besteira e tudo, mas não acho que isso desmoralize a cantora como uma das poucas mulheres negras consideradas 'divas' atualmente e ainda se auto-declara feminista.

Anônimo disse...

Amo o trabalho da Beyonce, acho q alem de talento existe um diferencial na produçao q como leiga nao consigo bem identificar. Mas, nao acho que ela seja um bom exemplo para meninas ou mulheres. As pessoas confundem arrogancia com empoderamento, materialismo com sucesso e culto a aparencia com auto-estima, e e´ basicamente isso que essa cantora ostenta sem parar. Nao quero minhas futuras possiveis filhas se espelhando nisso.

lola aronovich disse...

Que defendendo, cara? Vc leu meus tweets? Os tweets que a Luisa escreveu anteontem foram horríveis, não tem defesa pra isso. Tem que pedir desculpas, e eu escrevi que, na minha opinião, ela não pediu desculpas da forma correta (foi mais do jeito "se ofendi a alguém, peço desculpas"). Mas, pra começar, ela não é política. Ela é candidata a deputada estadual, o que é bem diferente de ser deputada, não acha? (como foi noticiado pelos reaças: "deputada pelo PT"). E não posso concordar mesmo -- e vc também não deveria, whoever you are -- com a transfobia usada por muitos para "criticá-la". No mais, mais do mesmo. Mais do que vem ocorrendo faz muitos meses e que sem dúvida vai se intensificar no período eleitoral: algumas pessoas de uma esquerda anti-PT se unindo com alguns dos piores reaças da internet para tentar destruir reputações. Lembro quando o Olavão (ícone da direita) me atacou, e esse pessoal da esquerda anti-PT ficou do lado dele, porque, né, "inimigo do meu inimigo é meu amigo". Virar BBF (best friend forever) de reaça -- isso eu não faço nem nunca vou fazer. Não se pode falar o mesmo de alguns hipsterzinhos.

Larissa Petra disse...

Adoro a Beyoncé, acho q ela arrasa demais, só que odeio essa música, ela realmente glamouriza a violência doméstica oq é horrível, ainda mais ela que de defini como feminista...
Sobre ela clarear a pele, olha eu não sabia mesmo, eu soube de uma vez que ela processou a revista Elle q deixou ela branca na capa.

Acho que quando o Jay-z disse q o Chris Brown era um "homem morto", ele fez isso pq ele é o produtor da Rihana e como sendo o produtor musical mais importante do mundo ele na raiva pode ter dado a entender q ia acabar com a carreira dele.

Luana disse...

Interessante a discussão levantada sobre violência doméstica em canções de artistas mainstream; outro exemplo q estar por vir é Lana del Rey, que tá lançando um álbum chamado "Ultraviolence" no qual a música que dá nome ao disco tem um trecho q diz "he hit me and it felt like a kiss". Na vdd esse trecho é o título de uma canção dos anos 60, de um grupo só de mulheres chamado The Crystals. A música conta a história de uma mulher que apanha do marido mas acha que isso é a prova q ele a ama foi repudiada pelo público, tamanha a crueza da letra. Outra curiosidade é que a música foi inspirada em uma outra cantora, Little Eva, que em um momento de extrema franqueza disse aos compositores da canção durante uma conversa informal que aguentava as surras do namorado pq ele só a machucava por amor. Há outras regravações desta música, mas a da Lana é a referência mais atual e vem num hipe de glamourização da decadência que se bobear vira tendência na música pop.

Anônimo disse...

Não acho que ela clareou a pele. Sou mulata e fico muito clara ou muito escura dependendo de quanto sol tomo igual a esses tons mais claros e mais escuros de beonce.

Dani disse...

Acho que a Beyoncé pisou na bola mesmo nessa situação específica e acho super válido debater em cima disso... mas acho tb que em outros momentos ela consegue trazer para o mainstream questões importantes dentro do feminismo que abordadas por uma cantora pop tem uma visibilidade maior. Na música "pretty hurts" ,por exemplo, a Beyoncé desconstrói e questiona toda essa pressão que existe em dizer para as meninas desde cedo que o principal na vida delas é ser bonitas, e que se falharem nisso falharam no pricipal...
Tem uma outra música em que ela utiliza no meio um discurso de uma feminista nigeriana, falando sobre igualdade de gêneros... enfim, não sei ao certo o que pensar.

Ana disse...

Sobre a música da Lana:

Acompanho a carreira dela e ela mesma já disse que as pessoas a acusam de sempre falar dos homens em suas canções, quando na verdade ela está se referindo a "ele" como outras coisas.

Neste caso, assim como o cd inteiro, acredito que "ele" seja "o sucesso".

Quando ela surgiu na mídia, ela foi bombardeada de críticas por suas tímidas apresentações e acusada de inúmeras cirurgias e boatos sobre sua aparência.

Em entrevistas recentes, ela contou que algumas letras do álbum são um "grande foda-se" escrito de forma irônica para quem acha que sabe algo sobre ela.

Ela sempre se disse muito feliz pelo sucesso, mas que dói muito ler e ouvir coisas que não são verdade sobre ela.

Nesse sentido, acho que se encaixa o "ele me bateu e foi como um beijo".

tracy ellen disse...

cara posso dizer uma coisa, que bom ter lido isso hoje, cara tava achando q só eu tinha achado isso tudo bizarro, é uma aberração alguém achar normal violência doméstica.

Renata disse...

"I’m Ike Turner" não quer dizer "Eu sou como Ike Turner" e sim "Eu SOU Ike Turner"..

Enfim, por mais que Beyoncé, Valesca e afins se entendam por feministas, eu não as vejo como tal, e sim, eu sei que a forma que eu vejo não faz diferença nenhuma, mas, tenho direito a uma opinião e tenho meus motivos para tal.

Enfim, a letra dessa música é toda esquisita.. Banalizar a violência doméstica e o que a Tina Turner passou, pra mim, foi má fé.
Não é possível que eles não tenham pensado no assunto ao escrever, cantar e gravar essa joça.

Ana disse...

Posso estar sendo muito ingênua, mas a música também poderia ser interpretada como uma crítica, não?

pra exemplificar, um trechinho:

I've been drinking, I've been drinking
I get filthy when that liquor get into me
I've been thinking, I've been thinking
Why can't I keep my fingers off it, baby?

Não sei como as pessoas interpretam a música, mas pra mim parece que ela está criticando, e não incentivando alcoolismo e violência doméstica.

Mas sei lá, só li a letra, posso estar enganada.

Maricota disse...

Lola, pode ser a coisa mais louca q vou falar aqui... mas...
Beyonce tomou uma postura feminista, cantou e teve atitudes bem legais, mas estou pensando sobre seu post juntamente com os boatos que ocorreram ano passado sobre ela ter um caso com Obama. Logo após esses boatos, ela lança um clipe (não me lembro o nome da musica) onde ela seduz Jay-Z dando um show pra ele q fica sentado num sofá como uma espécie de "dono", "cafetão", "privilegiado", sei-lá... bom, ocorre q há uma sucessão de eventos em torno da cantora pós-boato-obama e de lá pra cá Jay-Z parece fazer uma presença muito grande na imagem dela.
E essa música, tem um grau de machismo terrível...
A fala do Jay-Z é quase pró-estupro, afinal, ela prometeu algo dentro do carro e ele não vai aceitar não como resposta. Ele é Clint Eastwood (machão), Mike Tyson (forte, violento e estuprador) e Ike Turner (agressor, violencia psicológica)...
Não sei... parece q o casal (Jay-z) quer dar um recado e optou pela linha do "sou esposa de gangster"...
Estou louca??????? Já não é o primeiro evento onde há uma necessidade do casal demonstrar a virilidade do gangster Jay-Z...

Será q Jay-Z não é realmente Ike Turner????

Anônimo disse...

Ai, gente, "mulata" nãoooooooooo...

http://www.tirodeletra.com.br/etimologias/Mulata.htm

http://aduverbis.blogspot.com.br/2008/12/blog-post_03.html

Claudio disse...

Ela é feminista!?

Ou ela é promíscua (lembram do boato dela com obama?) ou ela é homossexual, já que ela é fisicamente interessante, descarto a possibilidade de ela querer se vingar dos homens por ter sido rejeitada.

Em relação a violência doméstica, por que as mulheres não abandonam o agressor quando ele faz isso pela primeira vez? Sempre quando vejo aqueles programas policias, a mulher registra a ocorrência pela enésima nona vez.

Juliana disse...

AHHHHH,meu comentário se perdeu!
Bom,eu detesto esta associação entre hiper sexualização feminina e violência, pior ainda como algo empoderador para a mulher!
Aliás, não é em Crazy in love que o Jay-Z taca fogo num carro com a Beyoncé dentro? Não quero pagar de moralista, mas glamourizar a violência contra mulher ou o estupro, como muitos clipes e campanhas publicitárias fazem não é cool.Vez ou outra vejo uma cantora pop cutucando a outra e se dizendo feminista. Infelizmente eu vejo que muitas vezes o termo feminismo é usado de forma superficial, apenas para justificar atitudes machistas ou mal educadas, é a mulher que só quer ter liberdades e não responsabilidades. É um pensamento tipo "não falem mal de mim, vcs não me entendem porque sou feminista"

(Danilo) disse...

Quando eu estagiei no centro avançado dos juizados especiais criminais no período da faculdade. Notei que a maioria dos conflitos era em relação a violência doméstica. Em algumas audiências que eu assisti os advogados da vítima sempre pintava o homem como um ser perigoso e violento e ponto final.

Assim, deveria-se fazer leis cada vez mais repressivas e duras, como formas de coibir a violência desse terrível animal feroz e tudo estaria resolvido. Em partes os advogados da vítima tinham razão, mas em outras não. Mas no geral, o problema estaria somente no homem, ou seja, bastaria reprimir seus perigosos impulsos e pronto. Essa é uma visão distorcida e simplista, superficial e equivocada que muito contribui para agravar o problema da violência e pouco para resolvê-lo.


Um dos pressupostos equivocados do qual parte o senso comum é o de que as vítimas da violência doméstica são sempre totalmente isentas de culpa, o que nem sempre é verdade, embora o seja muitas vezes. Quando irritado ou furioso, o homem tende a reagir com agressão física. Quando irritada ou furiosa, a mulher tende a agir com agressão emocional.
A tendência masculina em reagir às provocações com agressões físicas se origina da menor inteligência emocional do homem.

Nessahann Alita disse uma vez no Orkut em 2010, que o homem apaixonado vira um verdadeiro demente com potencialidades para cometer as piores atrocidades com a sua amada, ou por mulheres que eles estão apaixonados.

A dinâmica dessa violência é sempre a mesma: a mulher quer romper, o homem não aceita. O que há por trás disso? Quais são as causas dessa forma de violência? O puro e sentimento de posse que as feministas tanto falam? Por sinal, o real processo da violência doméstica seria algo que eu queria ouvir do The Truth verdadeiro já que ele tem uma percepção fora do comum e nunca neguei isso, mesmo ele tendo virado feminista.

Todos aqueles que incentivam e propagam a paixão estão propagando a violência, pois não há paixão sem violência. Quanto mais intensa for a paixão, mais violento será o estresse da ruptura súbita, principalmente se a ruptura for marcada por explicações mal dadas.

Quanto mais induzirem os homens à paixão amorosa, mais homens loucos estarão andando por aí, livres e soltos. O que querem fazer? Prender todos? Como, se quase todos os homens estão sendo contaminados por essa merda da paixão amorosa ou o romantismo tradicional, veiculada pelos meios de comunicação? Acaso querem criar uma sociedade em que todos os homens sejam encarcerados? As feministas reclamam tanto da violência doméstica mas nunca as vi propondo projeto de políticas especiais em torno disso.


Gabriela V. disse...

Bom... Não conheço a carreira do Jay-Z, mas quando eu era pequena gostava bastante de ouvir as músicas da Beyonce, e eu lembro que algumas músicas tinham uma postura feminista como Me, Myself and I, Independent Women e Survivor, outras não; tinham uma postura mais a ver com o pensamento padrão, como Nasty Girl, que ela diz como uma garota é suja, e desaprova as atitudes dela, dizendo que ela é uma vergonha para a classe feminina, aquela velha historinha de maçã do topo e as maçãs podres, outra é Soldier, em que ela fala que gosta de homens que saibam ganhar dinheiro, lembrando aquele velho estereótipo de mulher interesseira, e que o homem dela precisa ser viril, um soldado, ó, haha. De cabeça, é o que lembro...

Eu vejo a Beyoncé não como uma mulher empoderada, livre de preconceitos, não. Eu ligo mais a figura dela a ostentação, riqueza, soberba. O Jay-z realmente tem cara de mal encarado, assim como Eminem, Chris Brown, 50 Cent e afins.

Agora, creio que a Bey pecou sim e muito, pois até mesmo a mulher mais simples de todas e ignorante no que tange ao feminismo, sabe que violência doméstica não é legal. Isso é inaceitável, e se ela faz apologia a violência desta maneira, será mesmo feminista ela? Acho que ela não é tão empoderada assim...

Gabriela V. disse...

Renata,

Por que você não considera Valesca Popozuda e afins como feministas? Eu sei que a Valesca é um assunto muito controverso no meio feminista, eu não tenho opinião formada...

Gabriela V. disse...

Juliana,

Assisti atentamente o clipe Crazy in love, realmente o Jay-Z ateia fogo no carro em que a Beyonce está. Por qual motivo colocar isso em um vídeo? o.O Engraçado, nunca havia percebido isso quando eu tinha 14 anos.

Raven~ disse...

Então gente ... Eu vi um video, não sei aonde que mostrava a progressão da cor da pele dela, assim como outras negras da cena fonográfica americana e é visível como ela tá mais claraaa.. T.T Quando vi, pensei: Ah, pode ser maquiagem...

Mas fiquei com a pulga atrás da orelha. Sei la...

Anon, ainda não li o link sobre o "mulata". Vou ler e volto pra te dizer o que acho...^^

Anônimo disse...

Ana das 18:21,
Eu penso exatamente como voce. Gosto de algumas musicas da Beyonce, e esta nao esta na minha lista de favoritas, mais por causa da melodia do que pela letra. E quando ouvi pela primeira vez entendi justamente que se trata de uma mulher em uma relacao abusiva e que nao consegue sair, se intoxicando cada vez mais com bebida por, apesar de tudo, estar apaixonada. E a parte do JZ representa justamente esse homem violento que abusa da mulher. Pode ate ser que estao realmente glamorizando a violencia domestica, mas acho que esta que poderiamos entender que a letra talvez tenha outro sentido. Sera que estou tao errada assim?

Maria Lia

Death disse...

Também não acho que a Beyoncé e a Valesca sejam de fato, feministas. Muito das atitudes "empoderadoras" delas podem muito bem ser questionadas, vejo muito do que elas pregam como positivo sob a perspectiva de alguém machista que "acha" q em alguns casos e situações mulheres "mereçam" algo.

Raven~ disse...

Huashuahs li. Legal. Entendi seu ponto.


Mas gente, não sou preta e CERTAMENTE não sou branca. Etimologicamente, devo me chamar de quê? Pq pra mim, na minha cabeça, é uma hipocrisia do cacete me intitular negra. Pq não sou. Tendo a pele mais "aceitavelmente" clara, nunca passei por situações de racismo que o meu irmão, por exemplo. As coisas comigo sempre foram mais "leves", enquanto ele, foi chamado de macaquinho por uma orientadora escolar com dez anos. Então sei lá.. Haha

Em todo o caso concordo com a moça ali em cima que disse que dependendo da luz ou do efeito da foto, saio branquela mesmo.


Hein anon, mas se traduzir como "eu sou Ike", fica pior neh? Traduzindo-se como "sou como Ike", o que eu concordo com vc que está incorreto, dá até pra interpretar como uma crítica. Agora "eu sou Ike", bom, ele esta afirmando, como todo o orgulho, que é um abusador babaca violento.

Raven~ disse...

Sobre a discussão dela ser feminista...bom não saio cassando carteirinhas. Mas é ruim que eu feminista, vou e caso com o Jay-Z, um dos maiores machistas da Terra.

Anônimo disse...

Eu sempre fico com um pé atrás quando uma celebridade diz ser feminista. Lembro de uma entrevista com o Catra em que perguntam à ele se ele era feminista, e a resposta dele foi "eu sou o maior feminista do mundo, mulher é a melhor coisa que existe, quem não gosta de mulher é viado".

Natalie disse...

Não ouço Beyonce porque não escuto música do gênero, mas já tinha visto que ela se considera feminista e só fiquei sabendo dessa letra de música ridícula aqui no blog.

Tem uma coisa que muito fã precisa aprender: Seu ídolo é um ser humano e comete erros, e é importante não endeusá-los e admitir que eles erraram.

(Danilo) disse...

Não existe mulher heterossexual 100% feminista. Ou melhor, mulheres verdadeiramente feministas são raras.

A mulher não mudou os padrões machistas dela. Ela apenas adaptou esses padrões à realidade da sociedade capitalista e consumista de hoje. A promiscuidade feminina, o trabalho da mulher e a escolaridade da mulher apenas camuflam o machismo. As mulheres hoje em dia acham que são menos machistas apenas porque trabalham, estudam e fazem sexo casual.

Muitas mulheres novas ficam achando que são feministas mas quando se tornam balzaquianas começam a desejar a maternidade e a felicidade tradicional do casamento. Logo, quando as mulheres envelhecem, elas começam a valorizar coisas que entram em choques com os valores feministas.

Anônimo disse...

Que tal falar na violência da irmã da beyonce contra o jay-z?

tem videos dela agredindo ele dentro de um elevador,dando chutes nele,empurrando,se fosse o contrário o cara já estaria preso mas como foi mulher metendo a porrada ,n deu em nada.

viva a igualdade.

Anônimo disse...

"eu sou o maior feminista do mundo, mulher é a melhor coisa que existe, quem não gosta de mulher é viado".


kkkkkkkkkkkkkkkk esse cara é muito podre, eu n consigo acreditar que aquelas mulheres estão com ele por amor.
asqueroso.

Larissa Petra disse...

Anon babacão das 22:41
Não caia em falsas simetrias imbecil, olha o tamanho da irmã da Beyoncé, a Solange Knowles, para o do Jay-z.
Se ele começasse a bater nela ele a machucaria muito, mas no video ela começa a bater nele, um segurança a segura e ele consegue se defender com os braços é completamente diferente de um homem que acha que a sua esposa é sua coisa e por isso pode meter a porrada nela

Larissa Petra disse...

Para o Danilo (cara seu c* deve ter inveja da sua boca né...)
Não existe mulher hétero 100% feminista ? Prazer EU.

Anônimo disse...

(Pra quem falou da Lana Del Rey: essa mulher é completamente fabricada, fazendo declarações que erotizam a auto-destruição só pra se promover. Adorei quando ela tomou uma bronca da filha do Kurt Cobain.)

Eu lembro que uma vez falaram no Tumblr "é, olha só como ter uma Beyoncé na sua vida muda uma pessoa" - porque de fato o Jay-Z era machistóide, tinha como maior hit o tal do "If you're having girl problems I feel bad for ya, son / I've got 99 problems but a bitch ain't one" (e o mais legal é que o resto da letra não falava nada sobre mulher, a letra é toda sobre dinheiro), e supostamente o Jay-Z "cresceu" artisticamente, deixando esses clichês escrotos, depois de ficar com a Beyoncé. Mas eu não sei se é verdade porque não acompanho música pop. Queria até que alguém me confirmasse ou negasse isso.


Mas esse lance de glorificar relacionamentos doentios é moda, não é não? Ou eu que vejo coisa onde não tem? Pra mim Rihanna é só isso (tirando eventuais hits dançantes).

Anônimo disse...

Em 2009 um grupo de adolescentes de Boston fizeram um projeto chamado “Sound Relationships Nutrition Label”, que determinava quais músicas tinham letras mais saudáveis e quais eram as piores.

O ano era 2009. Eles consideraram que "Bad Romance" da Lady Gaga era uma das músicas menos saudáveis.

Eu li isso e dei risada, porque se fosse hoje em dia Bad Romance iria soar mais inocente que cantiga de roda.

@dddrocha disse...

Nossa, que cafona tudo isso. Não aguento esse tipo de artista, tanto ela quanto ele e essa música então... a cereja do bolo!!!!

Maria Fernanda Lamim disse...

Gente, eu questiono um pouco o feminismo da Beyonce, sim. "Single Ladies" , una das mais famosas, reforça aquele estereótipo de se sentir "valorizada pelo casamento", o que não me soa nada empoderado....

Anônimo disse...

Não acho a Beyoncé feminista. Como? "If you like it put a ring on it"? Chamar a turnê dela de Mrs. Carter (verdadeiro sobrenome do Jay Z)? Ela se auto-objetifica deliberadamente enquanto busca a empatia de um público mais conservador assumindo e valorizando estereótipos associados a atingir o grande prêmio que é casar-se com um homem.

Anônimo disse...

Bom, a Beyonce errou feio nessa. Ok. E daí? Ela é humana como todos nós, erra, se engana, deixa passar coisas importantes, não pensa em todas as possibilidades, arrota, vomita, flatula (essa palavra me faz rir muito XD). Na boa, por que é só um ídolo famoso cometer um erro e o povo age como se fosse o fim do mundo? Pessoas, ídolos são de barro. Vão cair, rachar e se quebrar como qualquer um. Se você ainda não aprendeu isso, meus pêsames. Vai se ferrar ainda mais no futuro.

E Claudio, o que aconteceu hoje? Tomou purgante em excesso e "produziu" tanto que a saída tradicional não foi o suficiente, e você teve que defecar pela boca? Primeiro, você não tem passe VIP nenhum pra querer vigiar a vagina da Beyonce ou de quem quer que seja. Segundo, se ela é 'promíscua', o marido machista dela deve ser bem mais-só que o Jay-Z você vai elogiar por ser esperto e viril se ele chifrar a mulher adoidado, né? Hi-pó-cri-ta... e mulheres agredidas ficam com os maridos violentos pro vários motivos: educação, que ensina-as a perdoar sempre, que é normal homem bater em mulher, que isso é amor. Algumas não tem emprego e dependem do homem pra se sustentar e aos filhos. Homens ameaçam matá-las se elas o deixarem - e como violência contra mulher não é punida aqui, ela sabe que ele vai cumprir a ameaça e ainda sair impune. E acredite você ou não, tem homem que ameaça matar e mata OS PRÓPRIOS FILHOS pra impedir a mulher de ir embora ou se vingar dela se for deixado. Além disso, a lei é mal aplicada e não adianta fazer a denúncia e pedir proteção contra o agressor, a polícia e o judiciário simplesmente não fazem nada até a mulher ser assassinada e aí já é tarde. Tá bom pra você ou quer mais?

Natalie disse...

Obrigada, professor Danilo. Suas aulas foram muito úteis para mim perceber que a imbecilidade humana não tem fronteiras.

Anônimo disse...

O "ele" também pode ser o álcool, já que a Lana teve vários problemas com isso na adolescência.

E gente, parem de achar que tudo é um ato de "glamourizar". Tem artistas que só estão retratando a situação, é crime agora? Pode até chamar a atenção para o assunto, desde que a música não aprove descaradamente o fato.

Anônimo disse...

E Cruel World, que é da própria Elizabeth (nome real da Lana) para o seu eu artístico (Lana)?
"Share my body and my mind with you, that's all over now, no more I can do, you're so famous now"

Anônimo disse...

Larissa Petra, eu acho que quem não aguenta o revide na mesma moeda, não deveria agredir. Isso é querer o privilégio da agressão simplesmente porque "não é tão forte".

Anna disse...

José, quase ngm reclamou desse ''deslize'', tanto que o coro continua chamado esse um exemplo de álbum feminista e colocando a beyoncé como ícone da causa. Essa notícia já é velha até


Teve outros problemas com esse álbum. Por ex, ela ter usado o terry richardson (q é acusado de vários abusos sexuais, como estupro) pra dirigir um clipe. E tbm teve a polêmica com a NASA quando ela resolveu usar o áudio de uma tragédia espacial q tirou vidas numa faixa da música. E eu tbm não vejo Flawless como hino feminista só porque ela resolveu colocar a definição de feminismo mais pro fim sendo q na mesma música ela berra Bow down bitches.. Pra mim é contraditório ao extremo

Não desgosto da beyoncé, mas esse culto q se forma em volta dela onde vc não pode criticar nada q ela faz é bem irritante. Recentemente teve aquele drama em q ela cantou ''resentment'' colocando umas notas pessoais na música. O povo especulando se o jay-z traiu ela, mas eu só prestei atenção nela chamando a amante de bitch isso, bitch aquilo.. Enfim não vejo muito feminismo em colocar a culpa de uma traição na dita bitch e não no mocinho bonzinho q tá usando o anél

Anônimo disse...

n esperava outra coisa larissa petra,lá vem a falsa simetria,que nada mais é que hipocrisia.

agredir os outros é crime certo? portanto,seja lá quem for,independente de quem é mais forte ou mais fraco,cometeu um crime,tem que pagar.

bela justiça,numa briga qualquer,primeiro de tudo vc avalia quem é o mais fraco e mesmo se esse for agressor,deixa pra lá,o coitadinho é fraquinho e seguindo sua lógica,talvez o agredido,por ser mais forte é que deveria ir em cana?

se fosse o jay-z agredindo,deveria ir preso e ela deveria ter ido para jaula também.

essa que é a "igualdade" que vcs tanto pregam.

Anônimo disse...

Anon, 00:17
Mas os homens quererem o privilégio da agressão pra bater em mulheres porque sabem que não podem revidar tá legal, né?

Ora, vá se foder


Homens agridem, ameaçam, espancam, e o babaca vem dizer que as mulheres é que querem "o privilégio da agressão"

Vá se foder de novo

(Danilo) disse...

"Para o Danilo (cara seu c* deve ter inveja da sua boca né...)
Não existe mulher hétero 100% feminista ? Prazer EU."

Resposta: O que faz você pensar que seja 100% feminista? Há muitos indícios de que a mulher heterossexual não é em absoluto feminista. Como eu disse, mulheres verdadeiramente feministas são raras. Sim, eu acredito numa natureza feminina embora as feministas neguem a existência de uma natureza da mulher. Tal natureza não corresponde por completo a "mentalidade feminista".

A LoLa até poderia fazer um post polêmico sobre isso. Pois o feminismo provou que não dá certo e um destes motivos é que as mulheres heterossexuais jamais serão plenamente feministas. O feminismo não possui o controle sobre si mesmo. Vejo vários embates de feministas x feministas. O feminismo fracassou.


Anna disse...

Não vejo sentindo em defender a lana aqui quando recentemente ela mesma pouco se lixou para o feminismo. Gosto muito das músicas dela mas não tem por que ficar defendendo tudo q ela faz. As músicas dela e sua imagem são todas nesse estilo machista, tanto que nem achei estranho esse he hit me and it felt like a kiss. Ficaria surpresa se ela cantasse algo q fosse contra isso. Numa entrevista q li com ela lhe perguntaram porque ela está frenquentemente sendo estrangulada em seus vídeos e ela responde porque ela gosta de ~hardcore love~.. Lana tem quase 30 anos mas ela vive num universo paralelo onde ela tem 15


Ana de 18:08, se o he hit me fosse sobre sucesso ou algo assim, seria ''it'', ''he'' é usando para homens. Ela já usou de violência em seus vídeos.. Tipo o que é ela morta coberta de sangue com um cara a segurando em 'born to die''? celebridades são assim, raramente se preocupam com a mensagem q passam

Sandra disse...

Nossa,é assim que a lei deve funcionar? Prendam os fortes e libertem os "fracos e oprimidos"?

Quer dizer que se uma mulher matar um homem,ela não deve ir presa,já que é mais fraca? Isso só pode ser piada.
Eu já tinha visto isso,achei um absurdo ela não ter tido punição nenhuma (só disseram que foi um problema familiar e ficou por isso mesmo),porque se fosse o contrário,se Jay-z desse um mero chute igual ao que a Solange deu nele,já estaria preso e sendo esculachado mundo afora(com razão).

Isso para mim é hipocrisa,dois pesos e duas medidas.
É fazer vista grossa para a violência feminina.

Anônimo disse...

Assim que esse cd da Beyonce saiu eu corri pra comprar, coloquei no cd do carro, cheguei na terceira música e...
Eu ouvi isso mesmo? IKE TURNER? Não é possível, deve ser um engano, eu não ouvi isso. Eu já sabia dos abusos sofridos pela Tina Turner pelo seu ex-marido e me recusava a acreditar que o nome desse canalha pudesse ser citado de forma legal em qualquer música.
Mas sim, foi. Foi tratado como um cara normal, que não representa nada de ruim.

Anônimo disse...

Primeiro o cidadão tenta chamar atenção com a citação mais bizzarra que já vi "Nessahann Alita disse uma vez no Orkut em 2010", depois acha que como mascu pode definir quem é feminista dizendo "Não existe mulher heterossexual 100% feminista. Ou melhor, mulheres verdadeiramente feministas são raras".

Danilo, faz uma vaquinha com seus amigos mascus pra ver se te compram um milhão de revistinhas de palavras cruzadas pra vc se ocupar e parar de falar besteira.

Jackie Santana disse...

A música fala de uma mulher que foi num clube(balada)flerta c/ um cara, e ele c ela,e ela está bebendo e pelo q me parece mto.E a pior parte q a Beyoncé canta p/ mim é:"We woke up in the kitchen saying
"How in hell did this shit happen? "Oh baby, drunk in love we be all night
Last thing I remember is our
Beautiful bodies grinding off in that club
Drunk in love"
Quer dizer: ela acorda c/ o cara e a última lembrança dela e de qdo ela estava no clube pois ela tomou todas. Agora sobre a parte q remete a Tina Turner é terrível e vários sites gringos comentaram sobre isso e o pior é q Beyoncé já fez homenagens a Tina, diz q ela é uma de suas inspirações, e bota inspiração,e ela deixa passar isso na música, c/seu marido cantando, logo ela q é super perfeccionista?
Qdo uma artista chama um rapper muitas vezes ele faz um rap q foge do tema da música mas deveriam ter tido mais cuidado.
Sobre o Jay Z numa entrevista c/ a Oprah els concordaram q ñ concordam c/ as letras de rap da forma como a mulher e representada e tratada nelas pois ele ñ acreditava q usar expressões como "bitch" ,"hoe" e referência as mulheres afeta como são tratadas na "vida real" mas após o nascimento da filha ele declarou q ñ usaria mas os termos , agora ñ usa essas palavras e continua fazendo letras machistas ñ muda nada na verdade.

Anônimo disse...

(Danilo) tu é muito bizarro.
Porque não tem mulher hetero 100% feminista? Quero muito que vc me responda.

Vou explicar: ser femiista é querer direitos iguais, só isso.
Se eu tiver 30 anos ( o que de fato tenho), e quiser ter filhos, isso me faz menos femnista. Por que?

Tu é tão doido que nem por onde começar: para ser femnista eu não tenho que fazer sexo casual. EU não preciso ser bem sucedida na carreira; Eu não sou obrigada a abortar; Eu posso sim ser feminsita e ter filhos ( ou não) ser casada ou dar pra 30 na mesma noite. Não tem regra. Somente lutar por direitos iguais.

To aqui muito triste com isso que vc disse, pq mostra o grau de incompreensão que o femnismo tem na sociedade...

Lia 38

Larissa Petra disse...

""" O que faz você pensar que seja 100% feminista?""""""
Danilo, que autoridade vc tem para dizer q eu n sou ???

Vai dar a carteirada intelctual master dos mascus: """mimimi minhas observações pessoais ?"""

Larissa Petra disse...

Claro anon das 00:43 pq a Solange devia ir presa por ter dado uns tapinhas nele, ai como os uzomi sofre com essas mulheres agressoras jamantas...
Ah pelo amor...vc quer comparar uma briga, em que ela dá uns tapinhas com um agressor de mulheres ?!
Não sei se mascu é burro ou mal intencionado, talvez os 2.

Anônimo disse...

Bom, tu não suporto a Beyonce e não entendo porque desse sucesso estrondoso dela, pois acho suas músicas insuportáveis.
Talvez a beleza e a performance dela a tornaram uma superstar.
Já assisti uma reportagem sobre ela, e essa mulher é insuportavelmente arrogante, tal como seu marido.

Adriana A.

Anônimo disse...

Lola, sobre o caso da Luisa no twitter, não sou a favor da transfobia que usaram para ataca-la, só achei estranho sua postura, de dizer que ela não é política, mas só candidata (candidatos são políticos, querendo ou não)e que ela estaria sendo atacada por ser do PT. Não, ela está sendo criticada pq foi racista, ou ao menos extremamente xenófoba , e veio com desculpinhas de " ai gente, não me critiquem, eu tenho história". E não, não sou "reaça", nem " mascu" e nem " anti-PT" ou qqer desses nomes tão comuns usados pra atacar quem é contrario ao que a 'situação' acredita

Anônimo disse...

Em resposta ao anon das 09:11

É que todo mundo no Brasil teoricamente pode me candidatar. O tio da padaria, seu pai, seu primo, sua mãe, sua amiga. Isso não faz deles políticos.

Inclusive, alguns podem até argumentar que, pra ser po-li-ti-co, você precisa se profissionalizar como político, mas aí já é outra discussão e outro fuá, porque político profissional é aquele que vive da política e se identifica como político ao invés de outras profissões. Tipo o médico que deixa de ser médico pra exercer a política integralmente.

Essa tal moça, que eu não conheço, enquanto não trabalha como política, não precisando ser cargo eletivo, uma militância já serve, ela é uma cidadã que está exercendo seu direito a concorrer e só. Ela não tá participando do processo decisório dentro das câmaras, não tá passando projeto de lei, e não tá fazendo parte do diálogo entre bancadas.

Bru disse...

"As pessoas confundem arrogancia com empoderamento, materialismo com sucesso e culto a aparencia com auto-estima". falou tudo!

Anônimo disse...

larissa

teu argumento fica cada vez "melhor".
n falei nada que homens sofrem muito mais agressão do mulheres,mas dentro da lei ,qualquer um que fizer merda deve pagar,as santas mulheres indefesas estão incluidas tb.
engraçado que se um homem der um "tapinha" numa mulher é cana na certa e nem tapinha foi,foi chute e soco mesmo.
vc ta pregando a impunidade feminina com essa conversa fiada de ser mais fraca.
dai mulher pode bater a vontade.
isso aí serve para as mulheres que compensam a fraqueza agredindo com facadas,pedaço de pau?

então para vc ,n é agressão em si que importa e sim o resultado,se machucou pouco,n tem problema nenhum agredir os outros.

essa baboseira tb serve para homens? pq nem todos tem a mesma força física,se um fracote me agredir eu devo deixar para lá e n chamar a polícia?

kkkkkk vcs querem os direitos mas n os deveres.

(Danilo) disse...

"Porque não tem mulher hetero 100% feminista? Quero muito que vc me responda.

Vou explicar: ser femiista é querer direitos iguais, só isso.
Se eu tiver 30 anos ( o que de fato tenho), e quiser ter filhos, isso me faz menos femnista. Por que?"


Resposta: Que direitos iguais são esses que as feministas tanto falam? As mulheres possuem inúmeras vantagens jurídicas sobre os homens. As vantagens jurídicas femininas abrangem principalmente as questões de trabalho, previdência e seguridade social. Se a mulher engravidar acidentalmente, o Estado possui mecanismos de compensação. Um exemplo desse mecanismo compensatório é a pensão alimentícia.

Hoje, as mulheres não tem direitos civis negados assim como no passado. Em suma, a vida da mulher em termos estruturais melhorou radicalmente em comparação ao passado. Existe a violência contra a mulher, mas isso não invalida o argumento. Mas na sociedade contemporânea não existe privações civis e repressão sexual à mulher.

Claro que ter filhos e ser casada te torna menos feminista. Para o feminismo tradicional, a maternidade e o casamento são identidades negativas que precisam ser destruídas. As feministas tradicionalistas acham que a maternidade atrapalha as pretensões femininas de sucesso profissional e financeiro, já o casamento seria uma instituição patriarcal que aprisionaria as mulheres e a liberdade delas.

Obs: Uso o termo feminismo tradicional, porque esse é o verdadeiro feminismo. Eu percebo que as próprias feministas estão tentando desfigurar o sentido real do feminismo inventando coisas que são incompatíveis com o feminismo tradicional. Já vi até mulheres cristãs se dizendo feminista. Ou seja, o feminismo tradicional está sendo deturpado.

Anônimo disse...

Oi, gente

Apesar do Danilo ser mascu, ele tocou num ponto para mim nevrágilco que outra comentarista também falou: por que uma mulher espera até a 99ª vez que toma porrada pra denunciar?
Realmente, tem a ver com relacionamento amoroso e paixão, mas o padrão de relacionamento amoroso e de paixão doentio que nos ensinam desde crianças, ou seja, machista.
A mulher que quer ser princesa encantada ( eu quis muito isso até poouco tempo atrás e já estou velha hein, com 38 anos) acha que o homem vai solucionar todos os problemas dela, quando isto não vai ocorrer nunca, pois ela é um ser humano e cada ser humano é responsável pela própria felicidade.
Em contrapartida, o homem é ensinado que terá uma princesa encantada devido a algum tipo de comportamento, e que esta também será perfeita de acordo com seus critérios e se não , valha-me
Deus!!! Ele pode ser o Ike Turner da vida dela! Ele tem direitos, é o príncipe ! afinal, como alguma garota ousa não concordar.
Com a educação machista e sem a mínima inteligência emocional ( não a do Nessahan Alita, a do Daniel Goleman) é claro que o mini macho se torna agressivo. Não que ele tenha direito a isto. Mas, todos falam que ele tem, até a senhora mãe dele que deveria ser a primeira a dizer não, poi s é mulher também.
Lola, quero a análise e o post sobre relacionamentos que vc me prometeu, logo depois que o bonito David Luiz e o deslumbrante Hulk ganharem de da seleção de futebol de sua terra natal, a Argentina na copa do mundo. kkkkk, bjs
Carol H

Anônimo disse...

Ai meu saquinho! Anon pentelho das 12:05, ninguém está dizendo que uma mulher que agride um homem não deve ser punida. Só que uma mulher em geral não tem força física pra, se quiser, matar um homem só com os punhos-exatamente o contrário quando um homem surra uma mulher. Jay-Z tinha todo o direito de ir na polícia e prestar queixa por agressão contra a cunhada. Mas, aí, 1°: o machismo não admite um homem ser agredido por mulher. Eles são obrigados pela sociedade a calar a boca e fingir que não foi nada. 2° A família mandou o Jay-Z esquecer e calar a boca? Engraçado, fazem isso com mulheres também, e eu nunca vejo vocês mascus reclamando quando a família de uma mulher manda ela deixar pra lá. Só culpam a mulher por não ter ido embora antes mas nunca dizem uma só palavrinha contra a família e a sociedade que ensinam e pressionam a vítima de violência doméstica a "perdoar e esquecer". Então por que você não para de choramingar e vai tomar no seu rabo mesmo, hein? Já que o que você quer é obviamente o direito de bater em mulher e ficar impune, tem mais é que andar pianininho com medo de ir em cana na Maria da Penha mesmo.

Anônimo disse...

É, Larissa, "tapinha"... aquele mesmo tapinha que há alguns posts atrás estava condenando um personagem de novela por revidar um tapa com um tapa.
Isso que tapa é um golpe muito mais moral que de inflição de dor física. Mas né, mulher pode, homem, não.

Anon 00:48
"Mas os homens quererem o privilégio da agressão pra bater em mulheres porque sabem que não podem revidar tá legal, né?"

Por favor, quem disse tal coisa?

Kittsu disse...

Meu dia acabou: o maluco que quer que lutemos por uma lei proibindo os homens de se apaixonar instituiu que não sou feminista, não sou hetero, já leu meu futuro e disse o que eu quero e deixo de querer (assim como i que todas vocês são e querem de verdade, moças) e o pior de tudo: determinou que o feminismo está falido. Cara. Só pode ser o mineirinho maluco stalker da lola! Ai, ai, pela crina de Pégaso: que cavalo.

Anônimo disse...

Oi Danilo, sou eu de novo.
Sou feminista até o ultimo fio de cabelo ( e deus sabe o tanto de cabelo que eu tenho!)

E sou casada - alias, segundo casameno ja!- Meus pais são casados e tem um dos casamentos mais bonitos que ja vi na vida.
De coração, acho que vc está enganado em relação ao feminismo.

Eu sou contra o casamento por imposição, por pressão social, mas se for por amor, por vontade propria, sou super a favor. E acho que a maioria das feministas tb é. E quanto a filhos, eu não quero. Mas minha irmã quer, e eu morro de vontade de ser titia. Puxa, cada um na sua.

O feminismo so defende o direito de vc fazer escolhas na vida.

E qdo vc fala de facildiades sociais para mulheres, espero o dia que não precisaremos delas. Sabe pq mulher trabalha 5 anos a menos? Por causa da tripla jornada.
Sabe pq mulher recebe pensão? Pq até hoje os homens não cuidam dos filhos, e preferem dar dinheiro.

Eh o machismo que da esses "beneficios" para as mulheres. Espero um dia não precisarmos mais...

Lia38

Kittsu disse...

Para o direito penal o resultado vale até mais do que a vontade do agente da lesão. Inclusive a aplicação da pena é relativizada pelo resultado da agressão ou tentativa. Mas ninguém fala de impunidade por um crime. Digo, só a sua laia de malucos justiceiros.

Anônimo disse...

Antes que me chamem de mascu enrustida em 3,2,1, acho que não só no comentário do Danilo, mas em todos os comentários masculinistas há uma ênfase no relacionamento amoroso.
Eles ainda não perceberam que muito dos problemas que eles reclamam da interação entre homens e mulheres e so on,é por causa do machismo e não do feminismo.
Quantas oportunidades perdi, de estudo, trabalho, viagens, amizades por ter que renunciar pelo amor de um homem, que nunca renunciava nada por mim, diga-se de passagem.
Porque ter um homem é um objetivo de vida tão importante mesmo para mulheres bem sucedidas, com filhos, com dinheiro, bonitas, com boa cultura etc?
Tem isto tudo, amizades, mas não tem um namorado, marido, pronto, é uma pária.
Vejo isto acontecendo demais e me Senti uma pária durante muito tempo, agora não mais.Sou feliz graças ao feminismo!
Quero o post sobre relacionamentos , viu dona Lola, logo depois que o belo David Luiz e o estonteante Hulk, ganharem da Argentina, sua terra natal, na grande final, kkk bjs
Carol H

(Danilo) disse...

"...o Cara. Só pode ser o mineirinho maluco stalker da lola! Ai, ai, pela crina de Pégaso: que cavalo."

Resposta: Não sou o Mineirin.Por sinal, desde do término do blog "Questionando o Feminino" nunca mais o vi. Ele sumiu e eu não frequento fóruns masculinistas caso ele esteja nesses fóruns masculinistas.

Anônimo disse...

ninguém está dizendo nada anon de 13:52?
pq será q a larissa ficou revoltada por eu achar que q a tal solange merecia ir em cana?
e vc é mais uma distorcendo o que eu disse e fazendo suposições rídiculas,nem vale a pena responder ao seus delírios.

esse caso e a raivinha de vcs,só mostra que a violência da mulher contra homem é aceita na sociedade e até motivo de piada.

(Danilo) disse...

"Eu sou contra o casamento por imposição, por pressão social, mas se for por amor, por vontade propria, sou super a favor. E acho que a maioria das feministas tb é. E quanto a filhos, eu não quero. Mas minha irmã quer, e eu morro de vontade de ser titia. Puxa, cada um na sua.

O feminismo so defende o direito de vc fazer escolhas na vida."

Resposta: Mas um dos princípios norteadores do Feminismo tradicional possuí o princípio da não submissão ao machismo. Em outras palavras, qualquer coisa que se pareça com restrição sexual é repressão para o feminismo.

O verdadeiro feminismo nega tudo o que representa algum valor mais conservador, porque entendem esse valor como algo machista, que reprime a mulher, que censura a mulher, que impede a liberdade feminina. Neste caso, o casamento é uma instituição patriarcal que impede a liberdade da mulher e ela estaria anulando o desejo dela em prol de um homem. Ou seja, a mulher estaria sendo "escravizada" em prol o homem.

Por fim, acho uma incoerência feministas defenderem a monogamia. Uma vez que, a monogamia é um atentado contra um dos princípios que norteia o Feminismo tradicional.

Anônimo disse...

Beyoncé é feminista? Acho que as pessoas ainda confundem ser mulherão e usar salto com confiança com feminismo. Alguém que canta "garotas, mostrem quem manda na relação cavalgando bem nos seus machos" é feminista? Alguém que mostra toda aquela força no palco pra, fora dele, dizer que aquela não é ela e que ela é recatada e gosta de ir à igreja é feminista? Beyoncé é, como tantas outras artistas, uma imagem bem construída que empodera a mulher quando é conveniente (sexo, beleza, luxo) - mas que está sempre à sombra dos desejos do/pelo seu homem.

Anônimo disse...

Larissa falou "Claro anon das 00:43 pq a Solange devia ir presa por ter dado uns tapinhas nele, ai como os uzomi sofre com essas mulheres agressoras jamantas..."

e o anon das 13:52 ainda diz que ninguem falou nada sobre mulher que agride um homem não deve ser punida

O.o

ThiagoE disse...

Aqui tem algumas feministas que não sabe quem é a Rose Marie Muraro, mas se chocam por a Beyoncé ter uma atitude não feminista. Chega a ser paradoxal.
Como existem feminismos, cada um fique com o seu.

Larissa Petra disse...

Olha gente na boa...
A Solange bateu no Jay-z, isso é errado, nunca bati em homem nenhum, ele podia ter denunciado ela, não fez n sei pq não os conheço.
Mas querer comparar a violência doméstica com uma menina que bateu num cara, um pouco de covardia não acham ?!
Basta começarmos a falar em violência doméstica, que vem um exército de homis falando, "mimimi mas homi também apanha de mulé", "meu amigo tem um primo que conhece um cara que a esposa bateu nele..."enfim, se uma mulher bater em vocês, denunciem é o direito de vocês, agora querer comparar com um problema social gravíssimo, que milhões de mulheres sofrem diariamente, que é ser espancada pelos maridos, namorados, irmãos, por homens que se acham os proprietários delas, é uma covardia, ou é muita burrice mesmo.
Agressão é crime e é errado, mas dizer que homens e mulheres vivem isso na mesma proporção e pelo mesmo motivo é uzomismo barato.

Raven~ disse...

Taí. Resolvido. Não sou mais feminista.

É claro que o Danilo tem razão, Chessus!

Louvem esta criatura do sexo masculino que foi abençoado com um pênes pq ele sabe mais. Amém.

Anônimo disse...

Pentelho chato das 15:47 e mané das 17:04, e daí se a Larissa Petra acha que a Solange Knowles não deve ser presa? A lei não faz distinção, se Jay-Z quisesse ele poderia ter ido à polícia e processado a cunhada. Mas, provavelmente por motivos de machismo, ele não fez isso. Ponto. Você estaria reclamando se fosse o contrário? Se Jay-Z tivesse agredido a cunhada e fosse condenado a pagar umas cestas básicas, você estaria dizendo como é absurdo ele se safar com uma pena mínima? Não, né? O absurdo é vocês compararem a violência de uma mulher contra um homem com a de um homem contra uma mulher. Gente, quando uma mulher parte pra violência com um homem ele em geral consegue se defender só com os braços; sai com a cara arranhada e um olho roxo, no máximo com dor de um chute no saco ou na canela. Se o sujeito resolver revidar, ou um homem decidir surrar uma mulher por qualquer motivo, a mulher não consegue se defender só afastando ou segurando o cara. Ela pode ter hemorragia interna, fraturas, concussão, descolamento de retina, traumatismo craniano. Pô, vai no IML e pede pra ver os registros médicos (imagens e relatórios) de homens agredidos por mulheres e de mulheres agredidas por homens. É absurdo vocês compararem o estrago que uma mulher desarmada faz agredindo um homem com o que a agressão de um homem faz com uma mulher. Tirem a cabeça da bunda, pô.

Anônimo disse...

Nao tem nada de mascu enrustida no seu comentario, muito pelo contrario. Queria q mais pessoas pensassem assim, quantas vezes reencontrei alguem do passado e a primeira pergunta foi: casou? ta namorando?

Anônimo disse...

Motivo de piada por conta do machismo, criatura.

Luana disse...

Danilo, bobinho...
Casamento, filhos, heterossexualidade, monogamia... nada disso "entra em choque" com os valores feministas...rs.
Então, eu não não devo ser nem 1% feminista, porque sou casada (com um homem...rs), tenho filhos, larguei minha carreira para ser mãe em tempo integral, e EU jamais faria um aborto (sim, sou a favor da descriminalização, não é porque eu não faria que acho que todas as mulheres não podem fazer). Para você, nem a Lola é 100% feminista?

Anônimo disse...

(Danilo), o mascuzinho dono do feminismo. Eita cara chato e pedante. Danilo Dolabella : "vc traiu o feminismo vei"... kkkkkkk

(Danilo) disse...

"Luana disse...
Danilo, bobinho...
Casamento, filhos, heterossexualidade, monogamia... nada disso "entra em choque" com os valores feministas...rs."


Resposta: Então que tipo de feminismo é este? A teoria feminista tradicionalista diz muito claramente que a monogamia é uma espécie de escravização da mulher. O casamento é como se fosse um rótulo de anulação feminina, um rótulo de submissão e repressão. E repressão é para as feministas sinônimo de depressão e infelicidade.

A idéia de que as mulheres foram humilhadas pelos os homens enquanto seres humanos autônomos e com desejo dentro do casamento antigamente, fez com que as mulheres passassem a ver o casamento como uma instituição patriarcal malévola.

Erres Errantes disse...

Como artista, a Beyonce é carismática. Mas me irrita essa insistência dela em se dizer feminista, e ,principalmente, o fato de muitas acreditarem nisso.
Pode ser considerada feminista uma mulher cuja boa parte da fama se deve à perpetuação dos velhos padrões de beleza, como a magreza e a negação de seus traços étnicos?
Pode ser considerada feminista uma mulher que é casada com um dos homens mais machistas do showbizz, o Jay-Z?
Essa música que eles cantaram só prova o que eu já sabia há muito tempo.

Anônimo disse...

Larissa Petra e Anônimo das 20:30, eu nunca vi o feminismo fazer distinção entre agressão casual e agressão sistemática. Independente da gravidade e da situação, o feminismo sempre pôs os homens que agridem das mais variadas formas no mesmo patamar. Homem que dá um tapa é capaz de espancamentos, não é mesmo? Por que mulheres não devem entrar nesse mesmo patamar?
Quem falou em surrar uma mulher? só uma defesa mais enfática que a proteção por bloqueio - do tipo imobilização e afins - já seria suficiente pra fazer o Jay-Z passar a noite na cadeia e, com sorte, pagar uma cestas básicas e serviços comunitários.
Se ele tem que aprender a controlar a própria raiva, ela também, oras. Do contrário é privilégio de agressão, sim!

Anônimo disse...

Larissa Petra

aqui é o anon da 17:04, entendo seu ponto de vista, o tom inicial que vc tomou na conversa provavelmente se deve a vc já saber que era algum mascu troll, então acho válido, obrigado pela ultima resposta coerente

anônimo das 20:30

A própria Larissa Petra falou que achava a agressão errada, se eu como homem, bater em uma mulher, mas tendo cuidado pra n colocar muita força, é justificável? acho que n, conheço um amigo que perdeu um testículos por causa de um chute, e conheço mulheres que tem a mesma força que o namorado e que conseguiriam se defender de boa.
e sim, se Jay-Z tivesse agredido a cunhada e saindo livre apenas com cestas básicas, eu reclamaria sim, injustiça é injustiça, e não ha desculpas para injustiças.

Anônimo disse...

"E repressão é para as feministas sinônimo de depressão e infelicidade."

E repressão pra você é sinônimo de coisa positiva tipo o que?
No dos outros é refresco, né?

Hoje em dia as mulheres tem a opção do divórcio, separação. E a independência financeira que possibilita liberdade.

Mas para de cagar regra pra feminista, querido. O que o feminismo é ou deixa de ser NÃO É DA SUA CONTA

"passassem a ver o casamento como uma instituição patriarcal malévola"

Malévola é um ótimo filme feminista. Recomendo!!

Anônimo disse...

O Jay Z deve ter apanhado por um bom motivo.

Quero fotos do Jay Z espancado ou it didn't happen.

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk mas vcs sofrem com algum disturbio,alucinações?

onde que tem alguém comparando a violencia que mulheres sofrem com as dos homens?
vcs estão é distorcendo tudo como sempre,basta criticar qualquer coisa,que para vcs no fundo todos querem que mulheres morram e apanhem bastante,está muito claro,estamos falando da solange,n de todas as mulheres que sofrem violencia,pq nesse caso a mulher é a agressora.
e deveria ter pago,ninguém denunciou ela,se fosse o contrario,até estranhos já teriam denunciado o jay-z e ele estaria fudido.

o problema é esse,tá mais do que óbvio,mulher agredindo n é tão errado assim.

Anônimo disse...

Pentelho que agora tá nas 00:22, você ainda não entendeu mesmo ou só está de má fé? Sabe por que um homem que dá um tapa acaba sendo visto como potencial agressor? Porque é isso que acontece em geral. Um homem que dá um tapa não vê problema em bater em alguém que ele sabe não ter a mesma força física. Aí de um tapa ele vai pra dois, depois um tapa e um soco, depois junta mais um pontapé, e daí pra dar uma surra que pode matar a mulher é mais fácil ainda. Porque a sociedade ensina ao homem que tudo bem, que ele é homem e por isso pode bater, que a mulher é propriedade dele e ele pode fazer o que quiser com ela. Em vários lugares do mundo violência contra a mulher é não só permitido como elogiado. Aqui no Brasil se faz campanha contra, mas ainda se conta piada de mulher apanhando, ainda se diz que mulher "má" merece apanhar, ainda se coloca panos quentes em casos de agressão, ainda ensinam que homem que mata a mulher matou "por amor", ainda acreditam nessa lorota de crime passional (nada a ver com amor, o bandido mata porque a mulher é objeto, posse, e se ele não pode ter não quer q ninguém mais tenha.) Quantos casos de violência doméstica são processados até o fim? Quantos agressores vão realmente pra cadeia e cumprem toda a pena? Quantos são monitorados depois que saem da cadeia e efetivamente impedidos de ter contato com a vítima? Quantas mulheres morrem por ano nas mãos dos companheiros? Pegue os números e estude. Depois descubra quantos casos de homens sofrendo agressão da mulher e quantos homens foram mortos pela companheira com uma surra. Se depois dessa você não entender, então pode ir se lascar mesmo. Ah, e se o cara provar que estava se defendendo quando imobilizou uma mulher que o agredia, não há sanções legais sobre a atitude dele. Mas legítima defesa é um direito de todos; querer bater em mulher sem ir em cana é coisa de bandido, machista e mascu. Em qual dessas categorias você se encaixa? Bom, qualquer que seja, faço questão de te lembrar que a Maria da Penha tá aí e que é bom você andar pianinho mesmo, mascutroll.

Marina disse...

Danilo, de maneira bem simples e sem entrar em detalhes de correntes específicas q acham isso ou aquilo, o feminismo luta pela mulher poder escolher ser o que quiser, quer seja mulher solteira, sem filhos, trabalhando integral fora de casa; ou casada, com filhos, trabalhando integral em casa, ou qualquer combinação desses fatores possíveis e outros. É liberdade de escolha, ter autonomia sobre sua própria vida, sem ser julgada. Agora, é inegável q vc abrir mão da sua independência financeira é um pouco complicado e é justamente por isso q algumas correntes do feminismo defendem que a mulher não abra mão da sua carreira profissional para trabalhar 100% do tempo dentro de casa..Mas isso, em momento nenhum, torna a mulher menos feministas, se a escolha dela foi baseada em sua vontade e etc. E outra, obviamente que existem vááárias feministas que ficam julgando outras mulheres e cassando carteirinha de feminista por aí. Vc já deve ter percebido, o feminismo é um movimento plural, diferenças existirão sempre. Vc não pode querer deslegitimar o movimento inteiro baseado em um ou outra opinião que foi publicada dentro de um CONTEXTO HISTÓRICO ESPECÍFICO e distorcer esse contexto..Isso é exatamente o que mascus fazem..ops..esqueci por um momento com quem eu tava falando!

Anônimo disse...

Queria entender por que monogamia vai contra o feminismo. Quer dizer, não é uma escolha? E não faz parte da natureza, assim como poligamia ou homossexualidade? Restringir qualquer coisa não me parece nada feminista, inclusive restringir as escolhas alheias.

lola aronovich disse...

Anon, sobre monogamia, falei um pouco aqui.

Larissa Petra disse...

Anon das 07:26 vc disse tudo!
Ainda acho q querer q a Solange seja presa é colocar tudo em falsas simetrias, mas sendo o jay-z um cidadão ele pode denunciá-la se quiser.
Mas, oq esses mascus não entendndem (ou não querem entender) é o contexto, quando uma mulher perde o controle e dá um tapa num homem, é errado, mas é um fato isolado, quando um homem faz isso é padrão.
E sim, se um homem dá um tapa na esposa isso é gravíssimo, pois é assim q começa a agressão, um tapa e logo ele está dominado a vida dela, logo ele decide matá-la, isso é tão comum em nossa sociedade que nem causa mais choques.
Fui talvez agressiva no início, mas só pq sei q aquele anon, além de mimizento é um mascu troll, e não faço a mínima questão de ser simpática com esse tipo de gente.
Mas olha, falar de violência contra a mulher é tenso, pq um dos motivos é que chove mascu fazendo mimimi que marido também apanha de esposa e que nós feministas malvadas escondemos isso pq queremos bater em homem, ah vá né, mulher sofre demais com a violência doméstica, e os mascus concordando ou não, existe a Maria da penha e é bom andar pianinho e não bater em mulher nenhuma.
Mas acho q homem q se acha ofendidinho quando se fala em homens agressores de mulheres, ficam assim pq a carapuça lhes serviu, pq homens que acham isso um absurdo, discutem sem temer nada e sem se ofender, nem achar q está sendo oprimidinho...

Anônimo disse...

Obrigada por responder, Lola. Eu entendo o texto em partes (não digo que entendo tudo ou não estaria escrevendo XD)... só achei meio barra-pesada ouvir aquele tipo de coisa porque parece que se desconsidera uma escolha da pessoa. Aliás, assim como você, Lola, nunca esperei ter uma relação monogâmica (no meu caso, nunca achei que teria relação com ninguem), então foi bom ver seu ponto de vista.

Luana disse...

Agora entendi porque o feminismo é tão temido por algumas pessoas... é porque eles pensam igual ao Danilo!! Acham que o feminismo é isso ai que ele chamou de "feminismo tradicional".
Quem diz como uma mulher deve ser, quem acha que pode julgar uma mulher por uma escolha dela... não tem nada de feminista!!

Raven~ disse...

Monogamia? Natureza? Não seja patético.

(Danilo) disse...

"Luana disse...
Agora entendi porque o feminismo é tão temido por algumas pessoas... é porque eles pensam igual ao Danilo!! Acham que o feminismo é isso ai que ele chamou de "feminismo tradicional".
Quem diz como uma mulher deve ser, quem acha que pode julgar uma mulher por uma escolha dela... não tem nada de feminista!!"


Resposta: Pra mim fica evidente que existe problemas de compatibilidade entre a identidade feminista tradicional e as mulheres mulheres heterossexuais, vocês podem falar o que for, mas isso pra mim é sim uma incoerência. O script do feminismo tradicional é incompatível com as pretensões da mulher heterossexual. Como eu disse anteriormente: Não nego a existência de mulheres 100% feministas, mas ela existe em quantidade tão reduzida, que ela tem caráter mítico.

Anônimo disse...

O Danilo podia substituir a Lola em palestras sobre o feminismo, porque ele entende disso mais que ela... aliás, mais que todas aqui... #sqn

Guilherme gonçalves disse...

Voz irritante deve ter você

Unknown disse...

Que bom reencontrar você! Estou eu muito bem lendo Geledés quando vejo um nome e um jeito de escrever inconfundíveis... Que saudades Lola, saudades dos meus tempos de "A Notícia"!
E que bom te ler, ler tua opinião sobre a Beyoncé, Ike, Tina... Ler sobre a Copa... Tudo ótemooooo!
Parabéns Lola, continuas escrevendo como se conversasse... E eu continuo adorando isso...Beijo!

Bruna disse...

"Beyoncé é feminista? Acho que as pessoas ainda confundem ser mulherão e usar salto com confiança com feminismo. Alguém que canta "garotas, mostrem quem manda na relação cavalgando bem nos seus machos" é feminista? Alguém que mostra toda aquela força no palco pra, fora dele, dizer que aquela não é ela e que ela é recatada e gosta de ir à igreja é feminista? Beyoncé é, como tantas outras artistas, uma imagem bem construída que empodera a mulher quando é conveniente (sexo, beleza, luxo) - mas que está sempre à sombra dos desejos do/pelo seu homem."

Aquilo que eu sempre quis falar, mas não encontrava palavras.

"Eu uso salto, uso batom vermelho, sou poderosa, as recalcadas me invejam" esse feminismo butique de Beyonce e Valesca Popozuda NÃO ME DESCE!

Anônimo disse...

Concordo com a Bruna!
Gosto da Beyonce. É otima no palco. Uma artista mesmo, show. me divirto dançando suas músicas. E acho a voz dela bonita!
Mas a verdadeira Beyonce é diferente da artista, e nao acho que seja feminista mesmo...
Mas gente esse negocio de clarear a pele acho que é lenda rsrs acompanho ela desde de Destiny's Child, a cor da pele é a mesma. Até nos videos dela adolescente. E a mãe dela não é preta é amarela, como ela. rs puxou a mãe.

Anônimo disse...

beyonce é supra supra demagoga

mas os passos da maioria das musicas a voz a maioria das apresentaçoes em palco e as melodias é show

mas beyonce é supra supra demagoga

e de demagogos o mundo de entrenimento ta cheio

ta faltando os de coragem,esses os verdadeiros genios q irao perpertuar por uns bons seculos a frente

Anônimo disse...

gente porque vocês estão ligando pra esse danilo? o cara só fala merda.sabia danilo que muitas feministas que eu conheço são heteros? parace que homem não pode ver feminista dizer nada que já ficam putinhos ainda querem que feminista provem que são heteros tadinhos, se todas feministas fossem lesbicas também não mudaria nada afinal elas são lesbicas mas são mulheres.

Anônimo disse...

Acho melhor vc calar sua boca antes de falar de Bey e outra Beyoncé é magra sim agora a voz dela é irritante? Kkk querida limpe os ouvidos viu pq a voz irritante é a sua meu bem kkk beijocas horrorosa kkkk se toca idiota

Anônimo disse...

Como a Beyoncé não se pronunciou oficialmente ainda sobre esse acontecimento e esse “verso”, vai do ponto de interpretação de cada um. Vamos desenvolver: “Drunk In Love” fala sobre as extravagâncias do amor, relacionamentos abusivos. A música faz várias referências, não só ao caso Ike/Tina, mas também a Mike Tyson, em um ano que o lutador foi acusado de estupro. Sofrimento e amor, um relacionamento em que, entre outras palavras, “se apanha mas não quer se separar”. Em acordo com Vinícius Martins, “a música é justamente sobre isso... Sobre amor abusivo.. E o quanto a pessoa fica viciada nele e ele te suga loucamente e os demais vícios que ele traz para você.. A relação de dependência que ele gera.. Motivo pelo qual muitas mulheres, inclusive a Tina, se mantém ou mantiveram embebecidas nestes relacionamentos.. Sendo certo que muitas enxergam o ritual do abuso (espancamento, estupro..) como uma prática que as purifica, por se auto condenarem por simplesmente existir.. A música só mostra como isso se passa na cabeça de uma mulher... ‘I've been drinking, I've been drinking; I get filthy when that liquor gets into me; I've been thinking, I've been thinking; Why can't I keep my fingers off you, baby? I want you, na na’.”

Muitas pessoas estão tirando conclusões precipitadas, sem procurar entender o contexto em que a Beyoncé quis colocar a música. Não se deve analisar somente um verso, mas sim a música toda. MAS O QUE SE PODE ESPERAR DE UM POVO QUE NÃO SABE INTERPRETAR NEM UM TEXTO EM SUA LINGUA E INTERPRETAR DE FORMA EQUIVOCADA NÃO É?

Anônimo disse...

Gata, procure se informar sobre os nomes das músicas antes de comentar algo.

Sobre clareamento de pele, não ela não fez isso. Filtros são utilizados em clipes e se vc notar em fotos mais amadoras, ela continua a negra linda de sempre.