quarta-feira, 23 de julho de 2014

O FUNDAMENTALISMO RELIGIOSO APRONTA MAIS UMA

Enquanto isso, no Uruguai...

Eu sempre achei que falar sobre aborto em caso de estupro fosse um bom argumento a favor da legalização do aborto de modo geral. Afinal, o aborto em caso de estupro é permitido na maior parte dos países do mundo (inclusive no Brasil, desde 1940), e mesmo muitas das pessoas que são contra o aborto em outros casos apoiam que uma mulher que engravide após ter sido estuprada possa abortar.
Sem falar que todo o discurso de "a vida é sagrada" desmorona um pouquinho quando a gravidez ocorre através de um estupro. É só ver como os conservadores americanos se embaralham para responder como podem ser intransigentemente contra o aborto e negar a uma mulher que tenha sido estuprada a escolha de abortar. Então eles inventam hipóteses mirabolantes que demonstram o quanto não conhecem nada do corpo feminino e dizem que mulher estuprada não engravida, já que o corpo mata o espermatozoide indesejado (ahn, só nos EUA, mais de 32 mil gravidezes decorrentes de estupro ocorrem a cada ano). 
Homens religiosos de extrema direita
protestam contra aborto de
fetos anencéfalos em 2012
Mas ultimamente os reaças daqui do Brasil decidiram que são contra o aborto em todos os casos, mesmo naqueles permitidos por lei (gravidez por estupro, risco de vida pra gestante, e fetos anencéfalos). Pois é, é isso mesmo: ainda que uma mulher esteja passando por uma gravidez de alto risco, que pode custar-lhe a própria vida, a vida do embrião ou feto (que também acabará se a vida de sua mãe acabar) é mais importante. Vamos deixar nas mãos de Deus, que ele sabe o que faz. Ciência? Leis? Pra quê, né? 
Vamos aos fatos: a mulher deve ter o direito ao aborto se for estuprada e engravidar. Isso é lei há 74 anos. Na prática, a mulher que opta por fazer um aborto em caso de estupro não consegue ser atendida. Há pouquíssimos hospitais no país que se habilitam a isso, e ninguém sabe quais são. Em agosto do ano passado, a presidenta Dilma sancionou um projeto aprovado no Senado regulamentando que mulheres vítimas de violência sexual pudessem ser atendidas na rede pública. Ora, isso é apenas permitir que a lei de aborto em caso de estupro pudesse ser cumprida. Mas os evangélicos encararam a sanção como a legalização do aborto no país.
Mas só a regulamentação não quer dizer grande coisa. Portanto, em maio último, a portaria 415 -- que disponibilizava verba para que o aborto nos três casos previstos por lei pudessem ser realizados -- foi aprovada. A gritaria dos religiosos foi tamanha, e o medo do governo, tão grande, que, poucos dias depois, o Ministério da Saúde voltou atrás. Porém, só descumprir as leis não é suficiente para os conservadores. O Estatuto do Nascituro continua rondando a Câmara. A última agora é proibir a pílula do dia seguinte. Mais ainda: proibir qualquer informação sobre o direito ao aborto às vítimas de estupro. 
Reproduzo aqui a nota da CFEMEA, para que vocês possam se dar conta da ameça de mais este retrocesso: 

"Há algum tempo o deputado Eduardo Cunha se articula para tentar votar já no Plenário da Câmara, o PL 6033/2013, cuja intenção é revogar integralmente a Lei nº 12.845, de 1º de agosto de 2013, que dispõe sobre o atendimento obrigatório e integral de pessoas em situação de violência sexual. Sim, a bancada conservadora e fundamentalista quer acabar com o procedimento que cuida e orienta as mulheres e meninas que são estupradas. Eles não querem que essas vítimas tenham acesso à pílula do dia seguinte, que pode evitar a gravidez fruto de estupro, e também não aceitam o procedimento e o acesso à informação de que essas mulheres e meninas têm direito ao aborto legal. Há também o PL 6061/2013, que propõe alterações no texto da Lei nº 12.845. 
Os projetos encontram-se na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara, e representam o principal alvo de ataque da bancada conservadora neste ano. A questão central é a ação corretiva do governo com outro PL 6022/13, que qualifica 'violência sexual como todas as formas de estupro sem prejuízo de outras condutas previstas em legislação específica' e ainda a 'medicação com eficiência precoce para prevenir gravidez resultante de estupro', o que na compreensão dos deputados da bancada fundamentalista seria a legalização do aborto no Brasil. É importante salientar dois pontos importantes da estratégia da bancada fundamentalista para a aprovação deste tipo de projeto:
1) A argumentação utilizada por eles é a de que a pílula do dia seguinte seria 'abortiva', o que NÃO CORRESPONDE ÀS EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS DISPONÍVEIS, e mesmo que fosse 'abortiva', lembramos que a interrupção voluntária da gravidez resultante de estupro é permitida por lei desde 1940. Portanto, utiliza-se da já prevista desonestidade intelectual da politicagem que manipula o conhecimento em favor dos retrocessos. É importante que a grande mídia se dedique a esclarecer as falsas informações que têm sido ostensivamente propagadas por sites, blogs e fan pages religiosos, que se aproveitam da ignorância e fé de nossa população para a disseminação de informações falsas.
2) A principal mudança proposta pelo PL 6061/2013 restabelece o que chamamos de rota crítica da revitimização das mulheres, a via crúcis das mulheres vítimas desse tipo de violência que se traduz no constrangimento físico e psicológico de prestar queixa em delegacias, fazer exames de corpo de delito e inúmeras vezes serem maltratadas nas delegacias e Institutos Médicos Legais por falta de preparo e dos funcionários. Assim, fica muito mais difícil para qualquer mulher atingir a plenitude de seus direitos. 
VAMOS LUTAR PARA QUE O FUNDAMENTALISMO NÃO ROUBE NOSSOS DIREITOS!"

Faz poucos dias, foi lançado um abaixo-assinado exigindo que o presidente da Câmara impeça que a Lei nº 12.845 seja votada. Porque, se for, com a Câmara conservadora que temos, será aprovado. Por favor, assinem a petição "Não estuprem uma mulher duas vezes". E peçam para que amigxs, conhecidxs e parentes assinem também. 
O principal nome por trás desta lei é o do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Da bancada evangélica, líder do PMDB na Câmara, Cunha não é capaz de separar igreja e estado, e quer que seus dogmas religiosos sejam a lei da sociedade. Mas ele sempre vai um passo além: não basta ser contra a união estável homoafetiva, popularmente conhecida como casamento gay -- Cunha tem que apresentar um projeto para criminalizar a heterofobia (é, porque héteros são muito discriminados, e dezenas de brasileiros são mortos todos os anos por serem hétero). Não basta ser contra a legalização do aborto -- ele tem que impedir que o aborto seja proibido em todos os casos, mesmo naquele em que é permitido desde 1940. 
Em março, a revista IstoÉ dedicou a ele uma matéria. O nome era "O sabotador da República", uma espécie de chantagista profissional. Desde janeiro, Cunha diz a interlocutores sobre a presidenta: "Se ela não sabe o que é respeito, vai aprender da pior maneira". O jornal Zero Hora o aponta como o deputado mais poderoso do Brasil. A candidatura à presidência do pastor Everaldo Pereira (PSC, partido de Marco Feliciano e de outros 16 deputados, pasmem!) é obra dele. O apoio de Pereira no segundo turno será usado como moeda de troca para o candidato que pagar mais.
Infelizmente, homens como esses têm enorme poder. Se depender deles, o Brasil vira uma teocracia.
Ontem participei de um hangout muito interessante, organizado pela ONU Mulheres, com o tema Pequim + 20: Mulheres no poder e na tomada de decisões (vídeo inteiro aqui). A cientista política Lúcia Avelar lembrou algo que me deu alguma esperança: que "nossos" representantes no Congresso são muitíssimo mais conservadores que a média do povo brasileiro. 
E é verdade. Temos apenas 8,6% de mulheres na Câmara. A bancada evangélica é o dobro (e calcula-se que vai crescer nas eleições deste ano). E isso sem contar os deputados retrógrados de outras religiões. Essa gente obviamente não nos representa. Mas tem poder pra mandar no corpo de todas as brasileiras.
Não vamos nos render.

101 comentários:

Gle disse...

Lola, se você me permite, segue o blog que uma amiga, feminista, que luta pela legalização do aborto (e as vias de fato para tal), apoia a diversidade e o direito dos animais. http://geofaust.wordpress.com/
Ela é candidata à Deputada Estadual e gostaria que ao menos os CATARINENSES que gostam do seu blog, assim como eu, conhecessem o seu projeto de lei que está sendo constituído com a ajuda de toda a população que pensa como nós.
Vamos tirar do governo essa centralização do poder e lutar por gente da gente!
Obrigada.

Patty Kirsche disse...

Ai, que medo... Eu não quero viver numa teocracia... Não aguento mais essa bancada cristã tentando impor seus valores através da política. :(

Junior disse...

Hoje mesmo vi esse post no tumblr da Feminista Cansada: http://www.feministacansada.com/post/92541229130


Não consigo entender a necessidade patológica desses senhores de querer dizer como todas as pessoas devem viver suas vidas. Deixando de fora a questão LGBT (o motivador desses senhores), ainda temos muitos tipos diferentes de famílias. Limitar a definição de família a pai/mãe/filho? E casais sem filhos, não são família? E mães solteiras e seus filhos, não são famílias? Pais solteiros e seus filhos? Casais onde um dos cônjuges faleceu, deixam de ser família? Casais separados não são famílias? Adultos que dividem casa ou apartamento, 2, 3 ou mais que decidem compartilhar suas vidas com aquelas pessoas que estão sob seu teto, sem relação de sangue ou amorosa, não são família?
Eu se cristão fosse, teria vergonha de ser representado por esse tipo de pessoa.

Anônimo disse...

Sawl

Eu particularmente sou contra o aborto mas totalmente a favor da escolha e aposto que se tivesse nascido homem eu teria A MESMA OPINIÃO!
O que estes velhacos moralistas e machistas querem é IMPOR seus dogmas religiosos sobre a vida de TODAS AS MULHERES!
Claro, é só reparar que estes trastes são HOMENS e portanto NÃO sabem e NUNCA vão saber da situação de uma mulher que engravida acidentalmente e ainda mais uma que engravida em uma situação de extrema e covarde violência ou que carrega um ser morto dentro do ventre!
Porque estes mesmos beatos NÃO condenam o vagabundo do prefeito do Amazonas que com certeza deve ter engravidado várias menores de idade?! Porque estuprar e engravidar é certo pra eles isso sim, mas, uma mulher ou até mesmo menina abortar pra não se ver OBRIGADA a levar adiante 9 meses de um ser criado através de uma violência hedionda e cruel aí tá errado?! cambada de rato de esgoto(ratos de esgoto, me desculpem!).
Canalhas que vomitam seu moralismo de merda e só fazem com que este país seja cada vez mais atrasado!
Que deixem suas crenças do lado de fora pra que não interfiram na vida da metade da população brasileira!! Não foram eleitos pra cagar regras em cima das cidadãs brasileiras!
Somos mulheres, NÃO somos incubadoras ambulantes!!
Não esqueçam de anotar os nomes destes trastes para não votarem neles!


Sawl - Always the rebel

Mauricio disse...

Já passou da hora de mulheres votarem em candidatas para todas as esferas do poder.
Ainda que a candidata em si possa não ser a mais esclarecida das pessoas, acredito que, em termos de políticas públicas voltadas para mulheres, muito melhor uma mulher decidindo do que um bando de cuecas.

lola aronovich disse...

Claro, Gle, nem precisa pedir! Acho que a Georgia faz parte do grupo Blogueiras Feministas. Acho até que já falei com ela. Pelo menos o nome é muito familiar. Por favor, peça a ela pra enviar um texto relativo à candidatura dela pra que eu possa publicar no blog.
E fica aqui o convite a todxs vcs: se alguma de vcs for candidata a deputada estudual ou federal ou senadora, ou conhecer alguém que seja -- desde que esta pessoa esteja filiada a um partido político de esquerda e tenha compromisso com questões feministas --, eu quero que ela publique um guest post aqui. Fiz isso discretamente nas eleições de 2012. Agora é mais fácil, porque não é limitado à cidade de uma pessoa, e sim a um estado. Aliás, alguém tem uma lista de feministas que concorrem nessas eleições?
Meu email é lolaescreva@gmail.com

Gle disse...

Desculpe, não é Projeto de Lei, é Programa Político.

Danilo disse...

Resposta: O fundamentalismo religioso não tem voz nenhuma num país secular como o Brasil. As questões abortivas é apenas birra deles.

Creio que o ponto de vista dos religiosos são outros. Para os críticos radicais religiosos. Eles não acreditam no bom senso das mulheres fora de um projeto de vida instituído pela religião. No fundo, esta é a verdade, eles só não falam isso descaradamente.

Em outras palavras, eles querem proibir o aborto e a pilula anticoncepcional para controlar a liberdade sexual das mulheres como é em países islâmicos. Mas eles alucinam nisto, porque políticas religiosas no Brasil nunca serão atendidas prontamente.

Georgia disse...

Oi Lola!
Geórgia aqui! Li o que a Gle escreveu a respeito do meu programa político e fiquei bem feliz com a sua afirmativa!
Sou do Blogueiras Feministas sim, sou de Blumenau, já nos conhecíamos antes do Blogueiras pq eu fazia Pedagogia EaD na Uniasselvi na mesma época em que você estava fazendo Letras, lembra?
Esse é o link onde explico por que candidata: http://geofaust.wordpress.com/2014/07/15/por-direitos-iguais-vote-diferente/
E esse é o link do programa político: http://geofaust.wordpress.com/2014/07/17/programa-politico-georgia-50050/
Se você quiser posso escrever outro texto...

lola aronovich disse...

Ah, Georgia, então era por isso que seu nome me soava tão familiar! Que maravilha vc se candidatar! Por favor, gostaria sim que vc escrevesse um relato pra ser publicado como guest post. Só não pode ser muito grande, cerca de 1 página de Word em corpo 11. Vc tá no Twitter?

Anônimo disse...

A população no Brasil sempre foi manipulada por não ter estudo ou condições de entender as manipulações da política nacional. Durante anos fomos influenciados pela Globo, muitas mentiras forma contadas diariamente.

Num lance de esperteza, apareceram uns picaretas, mas conhecidos como pastores de algumas igrejas neopentecostais que souberam manipular uma parte da população mais pobre.


Com o crescimento das igrejas houve compra de redes de tv, eleição de pastores para o Congresso Nacional. Era a tentativa de dominar todo o Brasil....

o objetivo deles é conseguir o dízimo do país todo. Por isso essas tentativas de restringir direitos em nome da religião.

Namorado Liberal

Zé Viril disse...

se a mulher engravida de estrupo, o q o bebe tem a ver cm isso? foi ele q estrupou a mãe?

a mulher deve ter o bebê e doá-lo, ue. é facil pra tdas, só pra vcs q nao é.

Vinicius, apenas Vinicius! disse...

E o nosso "Estado Laico" continua uma piada de mau gosto... Lola, tá dificil escolher candidato viu, aqui em São Paulo a coisa é triste!

Anônimo disse...

Enquanto houver estuprador tem que haver lei que proteja os estuprados.
A vítima sempre leva a pior além de passar pelo estupro correr riscos de doença, ainda tem que ter o filho pq a sociedade fdp quer mandar.
FUCK SOCIETY

Ana Torres disse...

Votei e publiquei no facebook pra todxs votarem!! Eu que até rezo as rezas que aprendi com minha avó católica e tb oro às vezes como pregam as testemunhas de jeová ( religião de minha mãe há mais d 20 anos). Me considero agnóstica, no entanto. E sou totalmente a favor da legalização do aborto e de quaisquer outras políticas LAICAS. Entendo que para o bem das pessoas, independente da minha espiritualidade (se é que isso existe), o Estado há que ser laico. Obrigada pelo post, Lola. Nem tava sabendo de todas essas novidades deprimentes, mas é necessário saber. Estou assistindo o vídeo (looongo neh rsrs) que vc indicou.

Thomas disse...

Nunca entendi essa ideia de ser contra o aborto. Acho que se qualquer pessoa pensar um pouquinho fora da caixa, vai concluir que o aborto não só deveria ser legalizado, como até incentivado.

Não há nada de sagrado na vida, aliás vida nada mais é que um jogo causador de imensurável sofrimento que não levará a absolutamente nada, que não tem sentido, que está fadado ao fracasso assim que a natureza resolver jogar outra pedra na cabeça da espécie mais bem sucedida do momento.

Na real é bem melhor não ter nascido do que ter nascido, pois só pelo fato de nascer, você estará sujeito a inúmeros sofrimentos durante a sua vida, a maioria dos quais são totalmente inevitáveis. E esses sofrimentos serão bem maiores do que os prazeres, isso é fato, mas nós temos a tendência de relevar o lado negativo da vida e enfatizar as coisas positivas caso contrário entraríamos em depressão.

Mas tudo bem, se você quer acreditar que a vida é sagrada, acredite. Você tá completamente errado, mas é um direito seu. Eu só acho que tenho uma certa superioridade nas minhas ideias, porque mesmo achando que o aborto é preferível, que deveria ser incentivado, eu jamais concordaria que esse tipo de ideia fosse imposta às pessoas, que as mulheres fossem obrigadas a abortar.

Até porque, isso seria opressão, e opressão é uma das coisas negativas da vida, e já que infelizmente nascemos e estamos vivos, o caminho coerente a seguir é tentar diminuir ao máximo as coisas negativas da vida enquanto promovemos as positivas (e tentar aumentar o número de abortos via argumentos legais e coerentes, assim talvez um dia ninguém mais precise nascer e, portanto, sofrer).

MAIA disse...

se a mulher engravida de estrupo, o q o bebe tem a ver cm isso? foi ele q estrupou a mãe?

CLARO. ZÉ ABESTADO

Afinal deve ser lindo olhar pra cara do bebe e lembrar do estuprador.

Gle disse...

Zé Viril, você já entrou em um ORFANATO, por acaso? Se não, deveria fazê-lo! Te garanto que pelas condições de vida daquelas crianças, você entenderia que seria melhor elas nem terem nascido!
E outra... se a sua mulher (se é que é casado) estivesse num leito entre a vida e a morte por conta de uma gravidez de risco, aposto que pensaria de outra forma! Digo o mesmo para uma possível filha sua, que chega em casa aos prantos porque um filho da p*** a estuprou na rua! Tu dirias: "Agora espera, pari o filho que depois nós o colocamos para adoção."

POVINHO SEM NOÇÃO!!!!
É fácil falar quando o problema é "dos outros". ACORDA!

Aline disse...

No Rio a disputa do governo é entre o Jason, o Freddy Krueger, o Voldemort e o Darth Vader. Pode escolher! ;)

Anônimo disse...

Claro porra são eles quem carregam o bebe na barriga ? Eles querem mais que as mulheres se fodam. Alguém já viu mascu com pena de mulher se duvidar nem da mãe tem pena, e depois jogam tudo na religião pra dizer que estão certos.

Kittsu disse...

Enquanto isso, um imbecil, líder do grupo estado islâmico, ordenou que mutilassem os genitais das mulheres...http://goo.gl/RXcvEp que inferno esses impositores de dogmas religiosos, viu.

Antes que algum pleno desconhecedor de geniais femininos venha fazer paralelo com circuncisão, deixa eu explicar o que seria essa mutilação genital nos homens: amputar a glande (cabeça do pau) ou até o pênis inteiro. Nas mulheres, circuncisão seria amputar o capuz do clitóris (não o clitóris).

Raven~ disse...

Vou fazer o seguinte. Aplicar minha fé num taco de beisebol (lubrificado, sou misericordiosa) e sair enfiando ele no rabo desses crentelhos da política. Essa é a palavra do meu deus. Respeite.

De saco cheio desse papo filho da puta de "essa é a minha religião, tem que respeitar". Não tenho nem argumentos racionais mais. Só mando ir pra casa do caralho. O pior é não ser só um político zé roela que acredita nisso e quer exercer controle sobre nossos corpos, nossas vidas. O seu vizinho é assim, sua professora, seu tio, o cobrador do ônibus. Todos em nome do seu amigo imaginário filho da puta.

E Zé Viril (huashaushau), vá se foder vc tb. O dia que vc fizer um anúncio dizendo: ADOTO CRIANÇAS INDESEJADAS, aí talvez só talvez vc vai poder dar pitaco sobre a gravidez e consequente aborto alheio. Até lá, faz um favor pra humanidade, coma merda e morra.

Raven~ disse...

"É fácil pra todas."

Poooorra volte aqui e me responde quantos filhos vc já deu?

Melhor ainda, quantos vc deixou SE FODENDO sozinho com a mãe?

Kittsu disse...

Vá doar uma parte do seu fígado pra quem precisa. Vários inocentes estão precisando, e você aí com esse fígado saudável todinho pra você. é tão óbvia a sua obrigação moral de doar uma parte do seu fígado e só você não vê isso!

Anônimo disse...

Lola e comentaristas: se tiver candidatas aqui em São Paulo, avisem, porque estou sem opções.
Grato,
Flávio Moreira

Raven~ disse...

Pera Aline. A candidatura tá excelente então. Hahaha

Danilo disse...

Resposta: Existe uma certa urgência nas reivindicações feministas sobre as questões abortivas. Mas elas não precisam se preocupar. O aborto será legalizado constitucionalmente em todos os países dentro de alguns anos. Não precisam se lamentar porque o aborto ainda não é legalizado no Brasil.

Anônimo disse...

Esses fariseus sempre existiram, e Jesus os chamava de sepulcros caiados, raça de víboras, cegos e guias de cegos, lobos em pele de ovelha.

Os currais eleitorais evangélicos infelizmente vão ter grande peso nessas eleições, porque eles se expandem e são mais unidos. Manipulam homens, jovens e mulheres, todos num mesmo bolo, enquanto os outros grupos se dividem. E sim, corremos risco de viver em um Brasil teocrático. Abram seus olhos.

Por isso eu acho que o feminismo tem que sair um pouco das ruas e ir para as urnas, para a política. Está na hora de mulher votar em mulher, e sim, divulgar candidatas feministas.

Elias disse...

Vocês são pró-escolha? Não deviam.

Vivem dizendo que o estado (em última instância, os pagadores de impostos que o mantém, dado que o estado nada produz) tem que fornecer uma série de "direitos sociais" (em suma, obrigar A a trabalhar para que B desfrute de algo que C determinou que A fornecesse).

Posto que a vida é um direito que antecede a esses direitos (é impossível estar entitled a eles sem antes estar vivo), portanto é mais importante, seria coerente forçar a mãe a ter o filho.

Antes que falem merda (pffff, vão falar de qualquer jeito), sou anarquista rothbardiano, portanto, pró-escolha.

PS: Um mercado desimpedido de direitos parentais, como o Zé sugeriu, seria uma boa opção.

lola aronovich disse...

GENTE, olhem só a página que acabei de descobrir no Facebook: VOTE NUMA FEMINISTA. Acho que a página foi criada recentemente. Eu não tenho FB, mas quem tiver, por favor, faça o convite para que as candidatas escrevam um guest post pro blog. Gostaria de ajudar a divulgar algumas candidatas de esquerda!

Renata disse...

"Não basta ser contra a legalização do aborto -- ele tem que impedir que o aborto seja proibido em todos os casos, mesmo naquele em que é permitido desde 1940."

Isso não tá errado, não?
Se ele fosse impedir que o aborto seja proibido em todos os casos seria algo até bom, não?

Enfim.. minha opinião é a seguinte:
TIREM SUAS RELIGIÕES DO MEU CORPO.

Merda de mania que querer que suas crenças governem o mundo.

Anônimo disse...

Hahaha desopilei o meu fígado.

Anônimo disse...

Não consigo encontrar outra explicação pra isso que não esses sujeitos serem uns pervertidos que tem tesão na morte. Esses doentes devem ter orgasmos múltiplos quando leem as estatísticas de mortalidade no Brasil e usam a religião pra disfarçar e conseguir uns cafetões-coveiros. Falando sério, nessa eleição vou fazer questão de votar em mulheres, feministas, agnósticos e ateus, porque botar religioso no poder tá dando uma m... sem tamanho. Não se vota em candidato que usa religião pra ganhar voto. É gente que não presta, nem precisa esperar pra ver, eu sempre soube disso.

Wellington Fernando disse...

Enquanto no Brasil temos que aturar esse fundamentalismo religioso no meio da política e leis insanas como a "bolsa estupro" e o "estatuto do nascituro", no Uruguai, onde o aborto foi legalizado, o número de óbitos por consequência de abortos clandestinos foi reduzido literalmente a zero. O aborto ilegal é responsável por um verdadeiro feminicídio. No mundo inteiro, 500 mulheres morrem por dia por causa de abortos mal feitos. O paradoxo disso é que cai um avião na Ucrânia, morrem mais de 200 pessoas e há uma comoção enorme - sendo que quase o dobro disso morre por dia por causa da ilegalidade do aborto e poucos se comovem. Acho um absurdo que somente ateus, feministas e (alguns) profissionais de saúde lutem pelo direito à vida das mulheres. Combater o feminicídio deveria ser uma obrigação moral de todo ser pensante.

Luanda Silva disse...

Oi lola e pessoal:))

Bom, primeiro gostaria de salientar que sou evangélica, creio em Deus, Jesus, e socióloga tbm.

Primeiro acho que generalizar a religião evangélica é um grande perigo, assim como generalizar as mulheres, simpatizo muito com o feminismo e sou sensível a questões que também me tocam é óbvio, sou mulher!!!
Ok! Dito isto, não vim fazer propaganda da minha religião, mas sou adventista do sétimo dia e na igreja aceitamos o aborto nos três casos citados: risco, estupro e feto sem cérebro.
Minha opinião pessoal.: sou a favor da saúde pública e creio que Jesus vai voltar, então as coisas hão de acontecer, as mudanças hão de ocorrer, o fato de eu concordar com clinicas seguras, como em alguns países europeus e até vizinhos nossos, nao quer dizer que eu vá fazer, ou que ache legal um aborto. Não, eu não acho. E não dou a minha posição no sentido de ser a evangélica bem vista, de modo nenhum.
Outra questão é que religião e politica nos tempos bíblicos ocorriam normalmente, porém nos dias atuais ser evangélico e politico pra mim, é a mesma coisa de ser evangélico e policial(nada contra a inst. policia e particularidades a parte), é um grande desafio manter integridade, honestidade e principalmente um relacionamento saudável com Deus.
Ah..Lola, gostaria que um dia vc publicasse um post sobre o preconceito que nós mulheres evangélicas sofremos ao optar por um modelo de vida e de família que é muito criticado, vivo na universidade e sei do tamanho dos preconceitos com as escolhas "tradicionais, moralistas e retrógradas", deveríamos ser sensíveis as nossas questões no que tange a todas as esferas :)) Oi lola e pessoal:))

Bom, primeiro gostaria de salientar que sou evangélica, creio em Deus, Jesus, e socióloga tbm.

Primeiro acho que generalizar a religião evangélica é um grande perigo, assim como generalizar as mulheres, simpatizo muito com o feminismo e sou sensível a questões que também me tocam é óbvio, sou mulher!!!
Ok! Dito isto, não vim fazer propaganda da minha religião, mas sou adventista do sétimo dia e na igreja aceitamos o aborto nos três casos citados: risco, estupro e feto sem cérebro.
Minha opinião pessoal.: sou a favor da saúde pública e creio que Jesus vai voltar, então as coisas hão de acontecer, as mudanças hão de ocorrer, o fato de eu concordar com clinicas seguras, como em alguns países europeus e até vizinhos nossos, nao quer dizer que eu vá fazer, ou que ache legal um aborto. Não, eu não acho. E não dou a minha posição no sentido de ser a evangélica bem vista, de modo nenhum.
Outra questão é que religião e politica nos tempos bíblicos ocorriam normalmente, porém nos dias atuais ser evangélico e politico pra mim, é a mesma coisa de ser evangélico e policial(nada contra a inst. policia e particularidades a parte), é um grande desafio manter integridade, honestidade e principalmente um relacionamento saudável com Deus.
Ah..Lola, gostaria que um dia vc publicasse um post sobre o preconceito que nós mulheres evangélicas sofremos ao optar por um modelo de vida e de família que é muito criticado, vivo na universidade e sei do tamanho dos preconceitos com as escolhas "tradicionais, moralistas e retrógradas", deveríamos ser sensíveis as nossas questões no que tange a todas as esferas :))

Anônimo disse...

O pior são praticamente somente homens decidindo por direitos das mulheres. Cadê a nossa voz? Até isso eles querem decidir por nós? Perguntaram para a gente o que achamos melhor?

Anônimo disse...

Desculpa sociedade,mas o aborto não é permitido em NENHUM caso no Brasil. Dizer que não é crime é diferente de dizer que não se pune, e explico: na prática, ainda tem lugar que pede ALVARÁ da mulher pra realizar o aborto nessas circunstâncias "permitidas", e o pior de tudo é que tem juiz que dá, mesmo sabendo que não tem nada de necessário.

Se não querem legalizar o aborto, paciência, mas se APENAS colocassem lá no Código Penal "NÃO É CRIME O ABORTO PROVOCADO POR MÉDICO E COM CONSENTIMENTO DA GESTANTE NA SITUAÇÃO TAL, TAL E TAL" muita, mas muuuuuuuuuuuuuuuuita coisa mesmo perderia a força, muito argumento idiota e práticas idem e a realidade para as mulheres mudaria bastante pra melhor, já que pra te meterem silicone nos peitos e fazer lipo de corpo inteira médico não pensa duas vezes mas pra fazer um aborto (ou uma laqueadura...) aiiii que medinho que eles têm de processo! Sei.

Anônimo disse...

"Ah..Lola, gostaria que um dia vc publicasse um post sobre o preconceito que nós mulheres evangélicas sofremos ao optar por um modelo de vida e de família que é muito criticado, vivo na universidade e sei do tamanho dos preconceitos com as escolhas "tradicionais, moralistas e retrógradas", deveríamos ser sensíveis as nossas questões no que tange a todas as esferas :))"

tá de brinqueishon with us, fia?

Mallagueta Pepper disse...

É por isso que tenho antipatia de religião, qualquer uma delas. Ainda está pra nascer uma religião que não venha com cagação de regra sobre o corpo e a vida da mulher. Não tem como aceitar isso.

A meu ver, esse troço foi criado apenas pra manipular as pessoas e servir aos interesses de uma minoria.

Anônimo disse...

o número de óbitos por consequência de abortos clandestinos foi reduzido literalmente a zero.


kkkkk a cara de pau é impressionante,os fetos abortados/assassinados n contam né?!

Sara disse...

Não vamos nos render nunca Lola, eu e minhas filhas participamos de todos atos públicos pelo direito de escolha da mulher, e pelo aborto legal e seguro.
Sei q sou intolerante nessa questão da religião, mas é q me ferve o sangue de ver quando coisa ruim q a religião provoca no mundo, ainda mais em se tratando de mulheres.

Anônimo disse...

Merda de mania que querer que suas crenças governem o mundo.

e vcs n fazem o mesmo?

com a falta de crença de vcs,alguns ateístas,outros falsos religiosos que só pegam da religião o que convém,pregam que fetos n sentem nada,que o ser que ia nascer não é afetado de forma nenhuma,ignoram completamente o lado espiritual do ser humano e acham que todos devem engolir os seus argumentos.
apesar disso apelam para paranormalidade,sempre prevendo uma vida de merda pra quem não for abortado(bem conveniente).

e um narcisismo incrível,acham que quem é contra,é só por raiva da mulher ter transado,tudo tem a ver com a mulher,acho que a maioria pelo menos,pensa é no ser humano sendo aniquilado.
e vcs ainda tem coragem de falar que aborto não mata ninguém.

Sara disse...

Raven comofaz pra entrar pra sua religião, tai gosteiiii!!!!!

Anônimo disse...

aqui vc digitou errado: tão grande, que, poucos disas depois, o Ministério da Saúde voltou atrás.

palavra disas.

lola aronovich disse...

Pois é, anon KKK das 22:02, não é incrível? As estatísticas só trabalham com pessoas que nasceram! Antes de nascer é embrião, feto -- sem carteira de identidade, sem nome, sem data de nascimento (porque não nasceu), sem aniversário. É apenas uma expectativa de vida, que pode ou não se concretizar. Aliás, cerca de 25 a 30% não se concretizam. E não é por aborto provocado, e sim por aborto espontâneo.
Deus, o maior abortista de todos os tempos. Será ela uma feminista?

Beatriz Correa disse...

" Ainda está pra nascer uma religião que não venha com cagação de regra sobre o corpo e a vida da mulher"

Já ouviu falar do paganismo (a.k.a. Wicca, pros mais "moderninhos")? ;)

Anônimo disse...

sinto dizer aos evangelicos, catolicos, adventistas, mas nenhum desses tem aval para atuar em nome do criador, quero ver apresentar provas de que eles tem autoridade, mas quero ver nos codex, papiros e não da biblia mal traduzida e adulterada, quero ver eles conseguirem. no mais, religiosos vivem em um sistema criado por homens que em vez de ajudar qm precisa fica é excluindo e diminuindo os diferentes ou aqueles q precisam

Koppe disse...

"A candidatura à presidência do pastor Everaldo Pereira (PSC, partido de Marco Feliciano e de outros 16 deputados, pasmem!) é obra dele."

Escolheu mal, errou feio, errou rude...

---

"Pastor Everaldo é acusado de agressão por ex-esposa

Everaldo Dias Pereira, pré-candidato do Partido Social Cristão (PSC) ao Palácio do Planalto está envolvido em um escândalo que poderá abalar a confiança dos evangélicos no partido. Todo poderoso no PSC, mas desconhecido dos eleitores, o vice-presidente do partido é acusado de ter espancado a ex-mulher.

Segundo reportagem publicada pelo jornalista Lauro Jardim, do Radar Online, do site da Veja, uma das revistas mais influentes do país, Everaldo responde processo no Superior Tribunal de Justiça por ter agredido fisicamente Katia Maia, sua ex-mulher.

Na ação, há relatos de “chutes e socos, o que causou a perfuração da membrana timpânica” de Katia. Everaldo diz que agiu em legítima defesa depois de uma perseguição de carro pelas ruas do Rio de Janeiro.

Segundo o jornalista, em 2012 o pastor foi condenado na primeira instância a pagar para a ex-mulher uma indenização de 84 450 reais por danos morais e materiais. Everaldo recorreu e agora o caso está sendo julgado pelo STJ.

A denúncia causou constrangimento ao partido já que o slogan usado pelo PSC é justamente que trata sobre família. Everaldo aproveitou a ascensão política e a visibilidade que a passagem do deputado federal, Pastor Marco Feliciano (PSC/SP), pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados deu ao partido.

Como o PSC fazia parte da base do governo, analistas acreditam que Everaldo apenas estaria tentando tirar os votos evangélicos que a ex-senadora Marina Silva receberia. Em 2010 a ex-ministra foi a grande surpresa nas eleições presidenciais e alcançou cerca de 20 milhões de votos.

Sem cargo eletivo ou expressão política o vice-presidente do PSC também pode ser obrigado a prestar explicações à Justiça por utilizar a estrutura da liderança do PSC na Câmara para fins pessoais e partidários.

Segundo informações da revista “Isto É!”, Everaldo não deveria se valer das instalações e benesses da Câmara para fins pessoais e partidários, mas empregar recursos do fundo partidário."

Fonte: http://noticias.gospelprime.com.br/pastor-everaldo-acusado-agressao-ex-esposa/

Anônimo disse...

Só queria saber de qual país o "Zé Viril" está falando. Do brasil é que não é. Basta ir em alguns orfanatos e varas da infância pra se dar conta da tamanha imbecilidade desse pseudo argumento "ah, mas é só esperar e entregar o bebê quando nascer". Avá. Pelo menos no Brasil, não é nada fácil, não é assim que as coisas acontecem. Fora que a mulher NÃO é obrigada a ter que gerar um feto fruto de um estupro. E as que não fazem o aborto por mil motivos, para elas são nove meses de pura tortura. Absurdo completo.

Anônimo disse...

"Lado espiritual do ser humano?"
HAHAHAHAHAHAHAHA

Quem acredita nisso beleza. Respeito e não encho o saco de quem acredita que abortar é errado, pecado, mimimi uma vida inocente, que vai pro inferno, whatever... Mas querer que TODOS andem na mesma linha de pensamento é demais. Nem todos acreditam em deuses, livros de contos, fadas, duendes, magia; e sim, querem viver a sua vida do modo que acreditam, assim como vocês fazem, mas sem interferência de um estado que é regido por algo ao qual alguns pessoas não acreditam, e não dão a mínima! Uma provável vida ter mais valor do que a de uma mulher é inadmissível. Quem é contra o aborto não vai ser obrigada a abortar. Não ião chegar na sua cara perguntando "oi aqui tem alguém grávida?" e levarem para abortar a força. Preguem e fortaleçam a fé entre vocês, que quem é do "mundo" com TODA a certeza não está preocupado em saber se é feio ou não, se é errado ou não, se você chama um punhado de células de "bebê". Nessa situação de fragilidade e de ter que tomar um decisão de urgência, a mulher deve tomar a melhor decisão para ELA e só.

De estado laico o Brasil não tem nada. Ou quase nada.

Anônimo disse...

fui ler os comentários do vote na web, perda de fé na humanidade ):

M. disse...

Wicca. <3

Carol T disse...

Queria dizer que fiquei muito feliz em ver a Geórgia por aqui.
Também sou de Blumenau e estava completamente sem ideia em quem votar.
Vou ler os links que ela deixou.
Obrigada Lola!

Anônimo disse...

Por falar em terror religioso contra as mulheres:
https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/t1.0-9/10411366_562431183862710_4114087802305066261_n.jpg

https://scontent-a-mia.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t1.0-9/10376270_562431237196038_5946506827642158723_n.jpg

https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/10532366_562431267196035_1424775389178226347_n.jpg?oh=a6571d3594b90559d147cab95e9fb4c5&oe=5452781C&__gda__=1415121060_509f1300a4575ce49208a7d82d21ff17

Pedimos desculpas pela feiúra de imagens e grupos terroristas, mas não tente matá-lo imediatamente por um novo massacre ... «Daash» Iraque matou 29 meninas em uma casa sob o pretexto de exercer «prostituição»
=====================================

# Constituição
Disse jornais iraquianos que a organização "Daash" áreas controladas no norte do Iraque, o mais antigo em arrombamento, onde há 29 mulheres disseram que vai contra "prostituição" eo áudio silenciador Baktlthen é o sangue mais frio e pendurou um cartaz na porta da casa onde uma advertência e uma ameaça ao pessoal das mulheres, que se dedicam à prostituição .

Anônimo disse...

@Sawl: Só fazendo uma observação. Dizer que homem não engravida é cisnormativo. Homem trans(Pré-transição) pode engravidar.

Anônimo disse...

Lugar de pastor é na igreja e não na câmara. Temo o dia em que esse fanáticos comecem a governar o país (quero acreditar que esse dia ainda não chegou). :/

Anônimo disse...

É época de eleição. Se preparem que vai vir coisa muito pior.
Só não se esqueçam que se os conservadores fazem o que fazem é por que tem apoio incondicional de grande parte do povo.

Esse é um país machista, onde massacrar mulheres faz as multidões vibrarem e esses caras ganharem muitos votos!!!



Jane Doe

Anônimo disse...

Vocês conhecem os pastafari? Eh uma religião que acredita que deus é um espagethi gigante e vive numa nave espacial.

Na Noruega sempre tem que tirar foto com a cabeça livre de acessorios ( nã pode tiara, chapéu, coisas assim) maaaas se for acessorio religioso ( kipa,véu dos muçulmanos) ai pode, senão seria "intolerancia religiosa". Um cara pastafari conseguiu o direito de sair na forto da carteira de identidade usando um escorredor de macarrão na cabeça, pois é "coisa da religião".

Acho que deveriamos fazer o memso. Criar uma religião bem esquesita do tipo bastãofari e dizer que idolatramos bastões de baseball, e criar uma serie de ideias e regras estapafurdias. Do tipo:
-só posso lavar louça com detergente de maçã, senão é pecado.
- E também: ter um filho sem querer é inferno direto, então o aborto é indicado para mães que não querem filhos. ter um filho sem amor é pecado fulminante, e o inferno está garantido. Logo, o abroto é indicado.

Dai quem reclamar, o argumento está pronto "é so nossa religião, você deveria me respeitar, se quer ser respeitado".

Vamos?
Lia38

Raven~ disse...

Opa! Tâ convidada Sara!

Mallagueta Pepper disse...

Beatriz Correa, paganismo nem é religião e sim um termo geral que se refere a tradições religiosas politeístas.

Wicca é uma religião pagã, ou neopagã como alguns dizem. Parece legal, mas não me interesso por cultos, rituais, símbolos, etc.

Se é religião, sempre desconfio.

Marina disse...

Elias, o que vc não consegue entender é o conceito Direitos Fundamentais. São direitos que todos possuem apenas por estarem vivos. A contribuição (ou o pagamento de impostos, como vc diz) à sociedade não é pré-condição para recebê-los..Consegue entender agora?Seu raciocínio não faz sentido.
Somente quem está vivo tem Direito à vida e, posto que só se considera sujeito de direitos quem NASCE COM VIDA, o embrião não pode ser considerado como sujeito de direitos, uma vez que nem ao menos nasceu.
E como vc é pró-escolha se julga que "seria coerente forçar a mãe a ter o filho"???Mais uma vez, não faz sentido o q vc diz.

Anônimo disse...

Lutar contra os falsos profetas e abalar as estruturas do conservadorismo burguês é uma forma de aumentar os direitos das mulheres.



Namorado Liberal

Anônimo disse...

Gle, vc já entrou em uma favela? As condições de vida são péssimas, vamos matar os moradores. Vc já entrou em uma cadeia? As condições de vida são péssimas, vamos matar os presos. Vc já entrou em um hospital psiquiátrico? As condições de vida são péssimas, vamos matar os pacientes. Vc já pegou o trem no horário de pico? As condições são péssimas, vamos matar os passageiros. Vc está certa, os órfãos levam uma vida indigna de ser vivida. Ass: Sandro

Anônimo disse...

Não fazem mais mulheres como antigamente. Naquela época vc vivia na roça; a mulher matava galinha, limpava, tratava os porcos, deixava a casa um brinco; fazia almoço; dava de comer aos filhos; caminhava diversos km pra levar a boia pro marido no serviço; caminhava vários km pra levar as crianças pra pegar onibus pra escola; chegava em casa, fazia sabão com banha de porco, lavava roupa no corrego na mão, passava roupa com ferro a brasa; fazia janta; colocava os filhos pra dormir e dava uma com o marido. Olha o que a TV fez com as mulheres!!!

Anônimo disse...

Esses hipócritas são contra o aborto só até a irmãzinha que ele pegou domingo à noite enquanto a esposa conversava com as professoras da escolinha ligue dizendo que ficou grávida e não é do marido. Já que não querem aborto, por que não mudam a lei pra que seja mais fácil doar uma criança indesejada pra adoção? Por que não instalam o ensino de planejamento familiar e tornam eficiente a distribuição de contraceptivos, ou facilitam a esterilização voluntária, já que a única maneira eficiente de reduzir o número de abortos é essa? Ah, é claro: porque assim o curral eleitoral vai diminuir. Gente que não precisa sair da escola pra arranjar emprego e pagar pensão, ou pra cuidar do 'presentinho do céu' acordar de madrugada e trocar fralda, aprende mais, sabe quais são seus direitos e não sustenta vagabundo safado que usa a religião pra extorquir o povo e viver no bem bom sem trabalhar. É por isso que tão pouco é investido na educação no Brasil: porque direta ou indiretamente ela é a solução pra quase todos os nosso problemas, e gente com educação é perigosa pra quem vive de explorar a ignorância alheia.

Lucas Pin disse...

Eu perco meu lado racional ao ver esse tipo de post... só queria que esses malditos não existissem na boa. Devia ser PROIBIDO figuras religiosas se candidatarem, tenho nem o que falar na boa.....................

Gle disse...

Sandro,

Sim, para todas as suas perguntas. E não quero matar ninguém não, muito obrigada. Se você quiser que todas essas pessoas morram, deixe como está a situação do nosso país e o Estado fará isso por você ;)

Tenho um primo adotivo. Sabe por que ele foi parar em um orfanato? Porque ele estava ajudando a mãe dele a trabalhar numa boate (ela era/é prostituta). Ele servia os clientes com bebidas enquanto via a própria mãe trabalhar nas madrugadas. Aí a juíza foi lá e tirou a guarda. Adivinha pra onde ele foi?

Meus tios em uma de nossas visitas aos orfanatos (para entrega de cestas básicas) se apaixonaram pelo moleque que tinha 6 anos, na época. O adotaram! ELE teve sorte. Agora, faça uma pesquisa e veja como é difícil "colocar para doação um filho" ou simplesmente verifique quantas crianças vivem em orfanatos hoje, no Brasil. Aproveite também para ver o que acontece com elas depois que completam 18 anos!

Esse é o SEU BRASIL, que vai continuar essa MERDA, se A GENTE não mudar!

donadio disse...

"se a mulher engravida de estrupo, o q o bebe tem a ver cm isso? foi ele q estrupou a mãe?

a mulher deve ter o bebê e doá-lo, ue. é facil pra tdas, só pra vcs q nao é.
"

Fica ainda mais fácil se você se dispuser a adotar o bebê, você não acha? Então, vamos lá, faça sua parte, adote um bebê e salve um feto. Dois pelo preço de um.

Helen Pinho disse...

fico com muito medo de tudo isso. nunca pensei em morar fora do Brasil (morar assim pra sempre), mas se os fundamentalistas avançarem no poder talvez seja a única solução. dogmas são leis morais para cristãos, não leis civis. eu realmente penso nessas horas que pelo menos temos o Uruguai (ao lado do RS que é o estado que moro), como refúgio, um Estado que está avançando na igualdade e na democracia.

Anônimo disse...

Gle, se o sistema de adoção é ruim, podemos melhorá-lo, diminuir a burocracia, dar cursos profissionalizantes, fazer parcerias com empresas, exitem muitas formas de resolver esses problemas. Ass: Sandro

Elias disse...

Elias, o que vc não consegue entender é o conceito Direitos Fundamentais.

E pelo visto, nem você. Direitos fundamentais e direitos sociais são coisas diferentes (pode conferir na Constituição se duvida de mim).

Para um jusnaturalista como eu isso não faz a mínima diferença, posto que pra mim só valem os direitos naturais a que me referi exaustivamente em outro post, mas, se vamos seguir outra filosofia sociopolítica, vamos seguir direito.

São direitos que todos possuem apenas por estarem vivos.

Aí é que mora o busílis. Uma vez que bens como quaisquer outros podem ser incluídos no rol de direitos, isso cria obrigações para outras pessoas, afetando muito negativamente a liberdade de cada um.

O estado diz por exemplo que as pessoas têm direito à saúde, logo, o estado tem de prover recursos para tal. Dado que o estado não existe ontologicamente falando e dado que o estado nada produz, o que decorre é que ele tem que se valer dos impostos para obter recursos, com os quais ele vai pagar gordos salários para atrair pessoas da área medica. São alguns ganhando bons salários à custa de todos os outros (o que gera um impacto altamente negativo na liberdade de cada um).

E ainda há o seguinte: há pessoas que raramente ficam doentes, enquanto há outras que precisam de mais cuidados médicos. A caridade é um ato nobre e merece ser incentivado, mas qual a nobreza em apontar uma arma pra cabeça de alguém e obrigar essa pessoa a custear os mais vulneráveis?

E isso é só o começo...

A contribuição (ou o pagamento de impostos, como vc diz) à sociedade não é pré-condição para recebê-los. Consegue entender agora?Seu raciocínio não faz sentido.

Eu não disse isso em momento algum, nem quando resolvi seguir essa outra filosofia.

Somente quem está vivo tem Direito à vida e, posto que só se considera sujeito de direitos quem NASCE COM VIDA, o embrião não pode ser considerado como sujeito de direitos, uma vez que nem ao menos nasceu.

Certo. Então o que se quer tolher é apenas o direito à vida de alguns em prol de outros. Quem nascer, que ganhe direitos. Quem a mãe não quiser que nasça, que se foda.

Não sei se tu percebeu, mas isso é um prática flagrante de discriminação, o que por essa filosofia é algo muito errado.

E como vc é pró-escolha se julga que "seria coerente forçar a mãe a ter o filho"???Mais uma vez, não faz sentido o q vc diz.

Falei que seria coerente manter a gestação pela lógica dos direitos sociais. Como todos tem direito a alguns bens, mas só podem fazer valer esses direitos se estiverem vivos, o lógico seria deixar todos viverem, e qualquer coisa diferente disso é discriminação.

Procure o que Murray Rothbard diz sobre aborto (especialmente o capítulo 14 de A Ética da Liberdade) e você entenderá como e por que ele é pró-escolha (e eu também).

Anônimo disse...

Viva a Tv!!!

Maria Fernanda Lamim disse...

op,a, não e bem assim não. o neopaganismo e a wicca já são reconhecidos cmo religião no Brasil. conquista da Abrawicca tanto que e possível realizar o casamento juridico dentro de uma cerimônia de handfastong (casamento pagao). e vc poderia se informar um pouco mais sobre o neopaganismo...nos não damos toda essa importância a símbolos. muito menos imposmos regras sobre os corpos das mulheres ou condenams o aborto.
não tento te convencer, apenas corrjô uma informação, ok? ;)

Crl disse...

Wat
Só uma coisa, o que.são esses comentários sobre tv e "mulher de antigamente"?

Anônimo disse...

Elias, desista. Sério, só desista. Qualquer pessoa com um mínimo de consciência e humanidade sabe que um embrião que não pensa, não sente nada e nem mesmo entende que é a possibilidade de um ser humano não pode e nem tem mais direitos que uma mulher nascida, com consciência e sentimentos. Você pode cuspir misoginia e machismo até cair duro e seco, mas não vai convencer nenhuma mulher que ela vale menos que um embrião.

Anônimo disse...

Estupro não é desculpa para abortar, a criança não tem culpa de ter sido gerada num estupro, um erro não justifica o outro, puna - se o estuprador, não a criança. Paulo.

Ana Nazaré disse...

Lola, Leci Brandão, Janete Pietá e Sandra Quezado são candidatas pra se dar uma pesquisada, cada uma pra cargos diferentes.

Leci Brandão entrou numa campanha contra o vagão Rosa, e Janete Pietá é uma verdadeira representante em direito das mulheres. Leci é do PC do B e Janete do PT.


Sandra Quezado é do PSDB,eu já não me identifico com o PSDB, mas se diz feminista e com planos importantes nas questões das mulheres

Anônimo disse...

A criança não será punida porque bom, ela NÃO é uma criança. É um feto, dscp.

Anônimo disse...

Daqui a pouco vão se referir a um feto como adolescente pq é só o que falta. kçjlkçj

Raquel disse...

O comentário da Tv destruidora de mulheres de bem foi melhor.

Elias disse...

Elias, desista. Sério, só desista.

Você não manda em mim.

Qualquer pessoa com um mínimo de consciência e humanidade sabe que um embrião que não pensa, não sente nada e nem mesmo entende que é a possibilidade de um ser humano não pode e nem tem mais direitos que uma mulher nascida, com consciência e sentimentos.

Das duas uma: ou tu não leu - e se leu não entendeu - o que eu escrevi antes (e duas vezes) sobre ser pró-escolha, e sobre como essa filosofia de "direitos sociais" defendida diuturnamente aqui viola a liberdade da mulher se levada até seu fim lógico, ou é apenas desonesta.

Você pode cuspir misoginia e machismo até cair duro e seco, mas não vai convencer nenhuma mulher que ela vale menos que um embrião.

No aguardo de provas dessa acusação.

Renata disse...

Lia 38, tô contigo! hehehe

-

Gentem..

"Estupro não é desculpa para abortar, a criança não tem culpa de ter sido gerada num estupro, um erro não justifica o outro, puna - se o estuprador, não a criança. Paulo."

DESCULPA??? DESCULPA??? Tá de brinks, né?
CRIANÇA?????? Que criança??? Você quer dizer o feto? O amontoadozinho de células?
Aborto um erro??

Vamo lá, um pouco de empatia, ok?
Você sabe o que é estupro? Sabe que estupro é um crime hediondo?
Sabe que é praticamente a maior violência que uma mulher pode sofrer? Consegue imaginar um cara te segurando, te batendo, forçando o pênis pra dentro de você, contra a sua vontade, enquanto você chora pra ele parar?

Imaginar que é um erro abortar um feto de alguém faz uma coisas dessas é um erro por si só.

Gente nojenta que não tem a porra da consideração de merda nenhuma.

-

Beijos e boa noite a todxs.

Caio Borrillo disse...

É de apavorar que tipos como esse sr. deputado tenha tanto poder nas mãos para cometer tamanho crime contra as mulheres. É inadmissível.

Vi outro dia no Twitter uma crítica interessante falando que ninguém deu importância para a ascensão de fundamentalistas religiosos no Irã e quando a queda do xá veio, as mulheres e as minorias perderam todos os direitos. Gente... é o que está acontecendo aqui.

Que necessidade doentia, patológica e sem noção esta bancada evangélica têm de que querer cagar regra no corpo das mulheres? Por que eles pensam que desrespeitar leis e direitos é um direito deles??

Ou algo é feito para impedir que Estado e Igreja se unam de novo, ou do jeito que está, estamos caminhando para uma República Fundamentalista Brasileira. =\

Anônimo disse...

Elias, você também não manda em mim, então pare de tentar me dizer que eu tenho obrigação de parir mesmo que tenha sido estuprada ou que o filho seja indesejado, ok? Engraçado que vc adora dizer que eu não mando em você mas, estranhamente, vc não vê problema nenhum em falar como se mandasse em mim-aliás, não só em mim, mas em todas as mulheres.

Eu li o que você escreveu e, na verdade, não faz sentido nenhum. É só uma encheção de linguiça com teorias mirabolantes e palavras complicadas pra fazer parecer que você tem um argumento. Mas no fundo é só: "Eu quero que as mulheres se explodam, então vou fazer de tudo pra impedi-las de terem direito a não morrer se abortarem." Mais nada.

E provas de misoginia e machismo? Você está dizendo q mulheres que sofreram ESTUPRO ou que correm risco de vida não devem ter direito ao aborto legal e seguro; o q equivale a dizer que você é a favor da morte de mulheres e menospreza a violência sofrida por elas. Ah, e diz que de quebra você está se lixando pras crianças; não se importa se elas vão ter amor, educação, carinho, comida, estrutura emocional dos pais que não a queriam. Só quer q a criança nasça pra punir a "vadia" que fez sexo. E isso é misoginia e machismo level 1000.

Anônimo disse...

Concordo!

Anônimo disse...

Exatamente

Anônimo disse...

Concordo plenamente e nada me fará mudar de idéia !

Anônimo disse...

nesse "todos tem direito a vida, não mate uma criança etc etc etc" fico pensando, que vida esses possíveis bebês tem quando nascem? SE a mulher conseguir entregar a criança pra adoção, qual garantia que ela terá uma vida digna, que será adotada? gente, e se for menina e/ou negro ferrou. quem quer adotar quer menino, branco, de até 2 ou 3 anos no máx. mas eu já entendi que os pró vida querem mesmo é a punição para mulheres e que as crianças se fodam depois de nascerem.

Anônimo disse...

Vamos ser mais práticos e fazer algo como a Ficha Limpa ao invés desse abaixo-assinado: um projeto de lei contra essa falta de respeito desses religiosos para com a constituição e a população, inclusive para extinguir esses partidos cristãos, harekrishnas e tal.

Anônimo disse...

Ainda sobre o assunto "votar em mulheres", eu ainda defendo que antes de votar é preciso ouvir o que ela tem a dizer, quais são as suas propostas, as suas ideias, as suas crenças, etc. Até porque isso vai influenciar

Quem está em São Paulo pode esbarrar com essa pessoa fazendo campanha:
http://naovotonulo.wordpress.com/

A candidata do blog, que é filiada ao PSDB, está fazendo a sua campanha calcada em um objetivo: erradicar o PT. Aliás, a reforma política para ela se resume em erradicar o PT.

Isso enquanto mulheres - como ela mesma - tem direitos básicos negados.

Elias disse...

Coletivistas são hilários: quando dão a sorte de adotar uma postura filosoficamente sólida como o direito à escolha, tornam-se incapazes de ver o quanto as outras "ideias" que defendem são contrastantes com essa. Se você vem e aponta essa incoerência, eles logo tentam despejar um monte de acusações estúpidas e infundadas em você, pra parecer que você é o vilão.

Já demonstrei aqui que sou pró-escolha e demonstrei o quanto essa postura contrasta com a "lógica" dos direitos sociais e a "lógica" antidiscriminação. E daí, em vez de tentar ao menos refletir, o que gente como esse anônimo faz é tentar distorcer tuas ideias (de uma forma muito infantil, diga-se de passagem) e tentar vituperar o que o interlocutor nunca disse pra que possa voltar a deitar tranquilamente no berço esplêndido da sua burrice.

Dado que essa gente aí vota, estamos a pé.

Anônimo disse...

Elias:

Muito obrigado por me permitir reflexões sobre uma nova perspectiva.
De fato, não há coerência lógica entre ser "pró-escolha" e, ao mesmo tempo "coletivista". O primeiro encaixa-se em radical postura liberal-individualista.

Outra coisa, parem de generalizar os quem são pró-vida com o ateísmo. Eu sou ateu, sempre fui, e sou pró-vida.

Anônimo disse...

Ai, Elias, você se acha tão superior mas seus argumentos maiores são me acusar de infantilidade e burrice... bom, vamos lá: essa sua "lógica" de que ser pró - escolha é contra os direitos humanos é um argumento de pró - vida. Entenda: direitos humanos são pra seres humanos, e seres humanos são considerados só os que nascem. Antes de nascer é uma POSSIBILIDADE de vida humana, não um ser humano pleno com direitos. Ser pró - escolha não é "ilógico" em relação aos direitos humanos, porque embriões não são humanos plenos-portanto, não tem direitos humanos. Dizer que um embrião tem direitos humanos é sobrepor os direitos de um punhado de células ao de uma mulher adulta e consciente, o que é, adivinha, coisa de pró - vida. Não adianta chegar dizendo que é pró - escolha se suas palavras são de pró - vida.

Elias disse...

De fato, não há coerência lógica entre ser "pró-escolha" e, ao mesmo tempo "coletivista". O primeiro encaixa-se em radical postura liberal-individualista.

Precisamente.

Ai, Elias, você se acha tão superior mas seus argumentos maiores são me acusar de infantilidade e burrice...

Eu podia te acusar de desonestidade em vez disso, mas fiquei sem graça.

essa sua "lógica" de que ser pró - escolha é contra os direitos humanos é um argumento de pró - vida.

Não lembro de em nenhum momento ter falado de "direitos humanos". Aliás, o próprio rótulo de direitos humanos é bastante impreciso. Pra mim direitos humanos são direitos naturais, a saber: vida, liberdade e propriedade. Pra outros, são outras coisas mais.

O que eu lembro de ter falado é dos direitos sociais: saúde, educação, moradia, transporte, enfim, toda a lista de bens que são elencados como direitos (de quem é o dever é algo de que estranhamente nunca se fala). Posto que o direito à vida antecede a todos esses, esse seria um argumento coletivista pró-vida. Ainda mais: deixar a cargo da mãe a escolha de ter o bebê ou abortá-lo daria ensejo a vários casos de discriminação, o que, ainda segundo a "lógica" coletivista, é algo extremamente errado.

Logo, um coletivista que se preze tem de ser pró-vida. A menos que, como é comum nesse meio, alguns queiram ter o poder de se intrometer na propriedade alheia enquanto solicitam liberdade absoluta sobre a sua. Aqui é um lugar onde isso acontece com muita frequência.

Agora vamos á minha posição: eu creio no direito à vida, à liberdade e à propriedade. Num caso de aborto, o que vemos é a mãe exercendo seus direitos de liberdade e propriedade sobre o seu corpo. Pode-se dizer que um aborto atentaria contra o direito à vida do feto, mas isso é um erro, posto que ninguém, feto ou não, tem o direito de obrigar outras pessoas a mantê-lo vivo. Dado que no caso do feto é exatamente isso que acontece, a argumentação pró-vida cai num dead end.

Entenda: direitos humanos são pra seres humanos, e seres humanos são considerados só os que nascem. Antes de nascer é uma POSSIBILIDADE de vida humana, não um ser humano pleno com direitos. Ser pró - escolha não é "ilógico" em relação aos direitos humanos, porque embriões não são humanos plenos-portanto, não tem direitos humanos.

Isso é uma óbvia arbitrariedade. Como se pode dizer que um ser humano em desenvolvimento não é um ser humano? O fato de sê-lo ou não é irrelevante pra minha argumentação (como eu disse antes, "Pode-se dizer que um aborto atentaria o direito à vida do feto, mas isso é um erro, posto que ninguém, feto ou não, tem o direito de obrigar outras pessoas a mantê-lo vivo"), mas serve pra apontar o quanto tu e pessoas como tu tiram argumentos da cartola pra escapar da parte lógica do coletivismo que não lhes é conveniente.

Dizer que um embrião tem direitos humanos é sobrepor os direitos de um punhado de células ao de uma mulher adulta e consciente, o que é, adivinha, coisa de pró - vida.

Aqui tu tá pura e simplesmente mentindo.

Não adianta chegar dizendo que é pró - escolha se suas palavras são de pró - vida.

Então o que eu vou dizer agora vai dar um nó na tua cabeça: uma pessoa pode ser pró-vida e pró-escolha, concomitantemente. Eu sou um exemplo disso.

Isso significa basicamente que eu sou moralmente contrário ao aborto (exceto se a manutenção da gestação acarretar risco à mãe), mas reconheço que toda mulher tem o direito de abortar o quanto quiser.

Pessoas que são capazes de enxergar as linha entre desaprovar e proibir fazem isso o tempo todo.

Anônimo disse...

Anônimx das 10:47h:
Vc escreveu:" Dizer que um embrião tem direitos humanos é sobrepor os direitos de um punhado de células ao de uma mulher adulta e consciente, o que é, adivinha, coisa de pró - vida." Afirmativa falsa. O artigo 4.1 da Convenção Americana de Direito Humanos (Pacto de São José da Costa Rica), o qual integra o rol de direitos fundamentais da Constituição Brasileira por força do disposto no art. 5º, §2º, prevê que:
" Toda persona tiene derecho a que se respete su vida. Este derecho estará protegido por la ley y, en general, a partir del momento de la concepción. Nadie puede ser privado de la vida arbitrariamente."
Desde a concepção reconhece o ser humano, cuja vida não pode ser tirada arbitrariamente (leia-se: só por razão juridicamente justificável.
Vc pode até não gostar disto, espernear, but it is law!

Anônimo disse...

Elias, você não é pró-escolha de verdade se acredita que existem circunstâncias em que é 'coerente' forçar a mulher a ter filho. Aliás, achar que sob "determinadas circunstâncias atenuantes" é coerente forçar uma pessoa a aceitar algo que ela não quer no seu corpo é pensar igualzinho a um estuprador. Ser coletivista significa então pensar feito estuprador?

E anon das 14:41, em países evoluídos e civilizados a mulher não querer ser mãe é razão jurídica suficiente pra que um embrião seja abortado(embrião que a lei não considera sujeito de direitos; só os nascidos vivos são sujeitos de direitos). Deixe-me colocar de modo simples: quem tem prioridade? A mulher, que já é uma vida humana consciente, ou um punhado de células que não sentem, não pensam e nem mesmo sabem que são uma POSSIBILIDADE de vida humana? De acordo com gente provida de bom senso, a mulher é milhares de vezes mais importante. Portanto, se ela não quiser ser mãe, tem esse direito. O que também é melhor pra criança que poderia nascer num lar onde não a quisessem, talvez até a odiassem. Ser um filho indesejado, sem amor, sem estrutura emocional, sem carinho, sem cuidado e sem educação é bem pior do que ser abortado, por mais que você chore e esperneie contra. Ah, e não esqueçamos q vc provavelmente só é contra o aborto até sua peguete engravidar e você não quiser pagar pensão.

Elias disse...

Elias, você não é pró-escolha de verdade se acredita que existem circunstâncias em que é 'coerente' forçar a mulher a ter filho.

Faz o seguinte: se tu tá realmente interessada em saber minha opinião, e não em montar um espantalho pra bater, dá um Ctrl F no meu nome e lê atentamente tudo o que eu escrevi até agora. Não é muita coisa.

Aliás, achar que sob "determinadas circunstâncias atenuantes" é coerente forçar uma pessoa a aceitar algo que ela não quer no seu corpo é pensar igualzinho a um estuprador. Ser coletivista significa então pensar feito estuprador?

Bem, eu não poria isso em termos tão crus, mas é por aí.

Anônimo disse...

Então, Elias, você admite que pensa como um estuprador e que sua ideologia não só permite como estimula esse jeito de pensar. E você diz que eu preciso criar um espantalho pra bater? Não, não preciso, a monstruosidade já está aí, no seu modo de pensar e nas suas palavras. Não faz diferença se os termos são crus ou bem passados ao vapor, o resultado é o mesmo: a violação à vontade e ao corpo da mulher.

Elias disse...

Vamos lá, pela última vez. Lê isso com o máximo de atenção que tu puder:

Agora vamos á minha posição: eu creio no direito à vida, à liberdade e à propriedade. Num caso de aborto, o que vemos é a mãe exercendo seus direitos de liberdade e propriedade sobre o seu corpo. Pode-se dizer que um aborto atentaria contra o direito à vida do feto, mas isso é um erro, posto que ninguém, feto ou não, tem o direito de obrigar outras pessoas a mantê-lo vivo. Dado que no caso do feto é exatamente isso que acontece, a argumentação pró-vida cai num dead end.

Agora dá um Ctrl F e vê quem comentou isso.

Abraço.

PS: Falta coerência nessa moderação. A guria pode me chamar de estuprador numa boa e eu não posso revidar?

Anônimo disse...

Elias, eu não te chamei de estuprador. Eu disse que pensar "que sob "determinadas circunstâncias atenuantes" é coerente forçar uma pessoa a aceitar algo que ela não quer no seu corpo é pensar igualzinho a um estuprador." Você que vestiu a carapuça, lembra?

Aliás, achar que sob "determinadas circunstâncias atenuantes" é coerente forçar uma pessoa a aceitar algo que ela não quer no seu corpo é pensar igualzinho a um estuprador. Ser coletivista significa então pensar feito estuprador?

Bem, eu não poria isso em termos tão crus, mas é por aí.


Gente que diz que 'ela estava pedindo com essa roupa curta' pensa como estuprador. Gente que diz "ah, tadinho, ele não pode se controlar ao ver um decote" pensa como estuprador. Gente que diz "Ah, ela tava bêbada, não disse que não" podem nunca ter forçado ninguém ao sexo, mas pensam como estuprador. E você mesmo admitiu que apesar de não gostar que eu usasse termos tão crus, era por aí que sua linha de pensamento andava. Quer dizer, você concorda que sua filosofia tem um pensamento de estuprador e depois diz que eu te chamei de estuprador? Leia o que voce escreveu tbm com toda a atenção que puder e pense um pouco.

Ah, se você não é contra a mulher decidir, ainda bem.

Elias disse...

Ah, tá, tu acha que eu sou coletivista.

Não, moça, eu não sou coletivista. Me esforcei o tempo todo pra deixar clara minha real posição, e em vários pontos da discussão eu vituperei abertamente o coletivismo. Sou um liberal. Sou visceralmente contra o coletivismo. E sim, todo coletivista tem um pouco de estuprador (e se ele for um coletivista coerente, então ele tem muito de estuprador). Posto que eu não sou coletivista, nada tenho de estuprador.

É só isso que eu tenho a dizer. E continuo recomendando que tu, e quem eventualmente estiver nos lendo, leia o que Murray Rothbard diz sobre o aborto e os direitos das crianças em geral, no capítulo 14 de A Ética da Liberdade.

Abraço.