sábado, 12 de julho de 2014

EVERYBODY LOVES BRAZIL

Esta semana vi várias matérias mostrando o que os turistas estrangeiros que vieram pra Copa estão achando do Brasil. São pouquíssimas as queixas -- a maior delas é a falta de inglês. E isso não melhorou com a Copa. Selecionei algumas declarações (clique nos links para ver mais):
Tomás, da Argentina: "O transporte público é excelente, muito melhor do que em Buenos Aires. Os vagões do metrô são limpos e têm ar condicionado. Também costumam ser menos cheios. Receptividade: Excelente. Amamos os brasileiros, todos estão sempre felizes. Chegamos há um dia, e não tivemos muito tempo, mas o pouco de tempos que passamos aqui foi ótimo.  Me sinto mais seguro do que na Argentina."
Joe Bauman, dos EUA: "Quando cheguei aqui, me perguntava por que todo mundo colocava areia na comida. Depois provei e vi que tinha gosto de bacon. E finalmente comecei a colocar farofa em tudo.
"Achei estranho ver que muitas famílias de classe média têm empregadas domésticas. Nos EUA, só os ricos têm. Fiquei um pouco desconfortável de ver que uma estranha ia fazer minha cama, lave minha roupa ou preparar meu café da manhã.
"Achei meio nojento ver que aqui jogam o papel higiênico na lixeira [e não no vaso sanitário]. Não fica um cheiro ruim?
"As brasileiras parecem adorar os gringos. Estranho, não é? Mas achei isso ótimo. Aliás, minha parte favorita do Brasil, com certeza, foram as brasileiras. Eu me apaixonei. Mais de uma vez. Certamente voltarei um dia ao Brasil  para encontrar minha futura esposa."
Richard Diaz, do Chile: "Fiquei surpreso de ver como é rápido fazer amigos aqui, tanto na favela quanto nos condomínios mais exclusivos.
"Percebi que os homens são muito machistas. Eles tratam as parceiras como empregadas deles, especialmente em relação às tarefas domésticas."
Carlos e Juliana, da Colômbia: "Gostamos da comida, mas é um pouco mais cara do que na Colômbia. Comemos pratos mais normais, que temos em nosso país, não coisas típicas do Brasil. Gostamos muito daquela fruta... o caqui. É possível falar facilmente em espanhol com as pessoas. As pessoas compreendem perfeitamente.
"Transporte: Usamos o metrô e o ônibus, e, a nós, parecem ser muito bons. Em Bogotá, de onde viemos, o transporte é horrível. Aqui é muito melhor.
"Receptividade: Os brasileiros nos receberam muito bem. São muito amáveis e cordiais. Sempre que perguntamos sobre lugares, nos tratam bem e procuram ser prestativos.
No metrô, quando abrimos o mapa, uma pessoa já veio perguntar se precisávamos de ajuda.
"Segurança: Não nos aconteceu nada para que nos sentíssemos inseguros.
Impressão geral: Achamos a cidade de São Paulo muito bonita. Tudo foi muito bem organizado para a Copa."
Mohamed Moulkaf, da Argélia: "O mecânico de 32 anos acha que, daqui a 10 anos, a qualidade de vida dos brasileiros vai ser como nos EUA e na Europa.
Melhor do Brasil: 'A ordem.' Para ele, tudo é muito organizado aqui: no Metrô, nos ônibus, nos mercados.
Pior do Brasil: Mohamed diz que, por ser muçulmano, não gosta de ver mulheres com roupas curtas, adolescentes grávidas e pessoas com tatuagens no rosto e piercings.
Segurança: O argelino afirma que se sentiu seguro aqui, apesar de que, nos países árabes, o Brasil tem fama de ser muito violento. Mohamed avalia que a violência aqui está concentrada em alguns lugares e que não sentiu nenhum problema."
Tina Pan, de Taiwan: "A Copa dela: A universitária de 21 anos veio ao Brasil para visitar um amigo brasileiro e aproveitou a oportunidade para assistir aos jogos da Copa do Mundo.
Primeiras impressões: 'Não imaginava que Brasília fosse uma cidade tão grande', afirma.
Melhor do Brasil: Tina elogia a cordialidade dos brasileiros e diz ter gostado muito dos monumentos de Brasília.
Pior do Brasil: Por não falar português, a taiwanesa afirma que, se não estivesse acompanhada por um brasileiro, estaria enfrentando muitas dificuldades para conseguir informações sobre onde comer ou o que visitar.
Grande diferença: O clima. 'Em Taiwan, é muito quente, e aqui o tempo está muito bom', afirma. Tina também se surpreendeu com a cordialidade dos brasileiros. 'Aqui as pessoas são mais abertas, gostam de abraçar.'
Segurança: Segundo a estudante, a imagem do Brasil em Taiwan é que se trata de um país perigoso. 'Tínhamos outra imagem, mas penso que aqui estou bem segura', ressalta."
Mas o mais bacana foi a declaração de amor que um jornalista do Wall Street Journal, Matthew Futterman, fez ao Brasil.
Ele escreveu que o país ficará bem depois da derrota fragorosa para a Alemanha, e que não se deve acreditar que ela deixará uma cicatriz nacional. Ele descreve os brasileiros como "a coleção mais calorosa de almas que já conheci", dá vários exemplos de como foi bem tratado em São Paulo e Natal, e diz (minha tradução): "Em toda cidade, pessoas de todos os tons de pele preta, marrom e branca povoam áreas que são ricas e pobres. É um país de beleza física estonteante e de vastos recursos naturais. [...] O Brasil é muito mais que uma obsessão com futebol". 
É claro que visitar um país, principalmente de férias, é muito diferente de morar nele. Em geral, tudo é melhor quando se está de férias (em praticamente qualquer lugar): comemos mais e melhor, gastamos mais, não temos horário pra acordar, fugimos da rotina, não precisamos trabalhar. É bem provável que esses turistas se sentissem nas nuvens em qualquer outro país que visitassem. 
Porém, esses relatos são totalmente diferentes do que a gente pensava que iria acontecer por aqui. A gente apostou num caos completo ("imagina na Copa"), e perdeu. Ou melhor, ganhou. Porque não seria bom pra gente que mora aqui que as previsões catastróficas se concretizassem. Por que apostar no pior, e torcer pela miséria?
Brasileiro realmente tem autoestima muito baixa. Talvez, ao vermos o que as pessoas de fora pensam sobre nós e nosso país, possamos nos convencer que aqui não é o inferno que tanta gente pensa. 
Pior é que as pessoas que pensam isso estão numa situação muito mais privilegiada que 90% dos habitantes do planeta. Duvida? Quem ganha míseros 13 mil reais por ano já está entre os 20% mais ricos do mundo. Acho que você, com acesso à internet, ganha mais do que isso.

74 comentários:

Zrs disse...

Perfeito Lola!

Preguiça master de tanto viralatismo por aí.

Anônimo disse...

Lola, você notou que na final da copa tem 3 mulheres presidentas?
A do Brasil (país sede), a Angela e a Cristina? Puxa quem diria hein? Uma final de esporte sempre considerado tão masculino com 3 mulheres na liderança de seus países...

Raven~ disse...

Huashua me sinto um et. Meldels. Não correspondo a nenhuma das descrições.

Seria legal ter uma pesquisa assim regional. Falando sobre oq os gringos acharam das cidades sede em si.

Anônimo disse...

Todo mundo gosta de ir em um puteiro, mas ninguem quer morar em um.

Anônimo disse...

"Percebi que os homens são muito machistas. Eles tratam as parceiras como empregadas deles"
A cara de ripongo abobado, de faculdade de humanas do chileno que disse isto. Tanto la quanto aqui, o gramscismo se enraisou nos cursos sociais como uma praga.

Janaina disse...

Só uma coisa a dizer pro argentino que falou que "Os vagões do metrô são limpos e têm ar condicionado". Nem todos, meu caro, nem todos... Mas de resto concordo, a turma do "quanto pior melhor" quebrou a cara com a copa

Luiza Victoretti disse...

Sabe Lola, meu problema com a copa não são os gringos (que são incríveis) não é o futebol... É simplesmente gastar um dinheiro que poderia estar indo para coisas que beneficiem a população daqui, os governos pensaram mais nos gringos do que na nossa população. Qual o legado da copa? Oq foi construído (além dos estádios)? Moro perto do mono trilho em sp, era pra ele estar pronto agora. Mas a previsão é só 2016 e o aeroporto não tem nenhuma via de chegada (depende de táxis e alguns poucos ônibus) com o dinheiro do itaquerao dava pra ter terminado o monotrilho e a linha 5 do metro. Enfim, eu amo futebol, mas tinham coisas muito mais urgentes (pelo menos aqui em sp) Eu estudo em uma faculdade federal e os alunos reclamam de falta de estrutura e de segurança (recentemente cogitou-se a idéia de uma greve) está tudo caindo aos pedaços. O bndes poderia financiar isso ao invés de estádios.

Anônimo disse...

"Os vagões do metrô são limpos e têm ar condicionado. Também costumam ser menos cheios"
Para um turista, em feriado, tudo beleza, manda ele usar esta joça me dia útil e horario de pico.

Ta-chan disse...

Olha eu, pessoa que ganha menos de 13 mil, e com acesso a internet.Alias, ano passado ganhei 9 mil, por um longo ano de trabalho...

Anônimo disse...

Brasil 2013, 54 mil homicídios por ano. Os numeros desmentem o circo.
Alias viram a ultima da presidenta golpista? Agora ela que federalizar as policias estaduais.Regulação de mídia, federalização e desmilitarização das policias, decreto de comitês populares(MST,MPL), passando por cima do congresso,assembleia constituinte, ate ingerência no futebol esta mulher(Marco Aurelio Garcia por trás) esta propondo nos ultimos dias.Unificação Civil e Militar, posterior Unificação para a esfera federal, passando assim todo o arsenal bélico ao controle centralizado do executivo Federal. Assim entendo que será, essa é talvez a idéia.
enquanto todos que são da area defendem a decentralização de poder, o partidão quer controlar tudo.
http://www.planobrazil.com/dilma-agora-querr-controlar-as-policias-estaduais/

Anônimo disse...

Como vocês gostam de se enganar,sempre que tem evento aqui,a cidade é maquiada para parecer maravilhoso para os estrangeiros.
A maior piada é falar que o transporte é bom,se todo dia tem ônibus,trem,quebrado,atrasado,lotado.
É claro que iam se esforçar para o Brasil parecer um país incrível,quando acabar vai voltar tudo a ser como antes,uma merda.
Fizeram o mesmo quando Obama veio no Rj ,mandaram maquiar os lugares onde ele ia passar,tava tudo lindo,limpo,muito seguro.

Anônimo disse...

pagaram para que eles mentissem? hahahahahaha

Anônimo disse...

Na TV alemã tem passado bastante documentários sobre o Brasil. Os que eu assisti mostraram muita coisa boa. Falaram muito sobre natureza, projetos de conservação, culinária típica de cada local, entrevista com pessoas diferentes - enfim, sobre o cotidiano de diferentes regiões do país

Seilá... deram mais ênfase nos pontos positivos do que nos negativos!!! Achei isso bem legal!!!

Jane Doe

lola aronovich disse...

"Ninguém gosta de viver num puteiro", "pagaram para que eles mentissem?". Obrigada por comprovarem tudo que eu disse. Vcs odeiam tanto o país em que vivem, que são incapazes de ver qualquer qualidade no Brasil. Isso é baixa autoestima das brabas. O que faz vcs tão especiais?
Qual é o conforto em odiar o lugar onde vcs nasceram?

Larissa Petra disse...

Um soco no estômago da direita vira-lata que tentou privar o Brasil de um evento tão bonito.
Eu nunca acreditei q aqui seria um inferno na copa, mas tenho q confessar achei q seria apenas mais uma copa, mas foi muito melhor, foi realmente a copa das copas, um sucesso absoluto, bem aqui no nosso quintal.
Os aviões voaram, na verdade os atrasos mesmo na copa se mantiveram abaixo da média internacional.
O trânsito fluiu, mesmo com a cidade cheia, em Londres nas olimpíadas uma das reclamações era o trânsito.
Fomos hospitaleiros, educados, e mostramos o melhor do Brasil.
Serve bem para mostrar que não é só a Europa e os EUA que sabem fazer festa, a América Latina, (a África também), sabem fazer festa muito bem.
Por isso, PARABÉNS BRASIL!!!!

Ps: E que venham as Olimpíadas!!!

Anônimo disse...

Anônimo das 11:12,
eu notei isto também e torço pra que o Brasil consiga o terceiro lugar para para manter um top 3. De qualquer forma já garantiram os 2 primeiros lugares:-).

Outra coisa que me impressionou foi a capacidade dos jogadores (e dos homens em geral) de chorarem em público. Me lembrei de uma vez que um colega me disse que admirava a capacidade das mulheres de exporem suas emoções. A emoção do público e dos jogadores impressionou os estrangeiros, mas não entenderam o "valor" que os brasileiros deram a um jogo de futebol.

O modo de agregar e usar a sensibilidade da equipe do Scolari ajudou em 2002, as pessoas atribuiram a vitória do Brasil ao modo de liderar do técnico. Eu diria que agora a pressão de jogar em casa foi muito forte.

Anônimo disse...

Anônimo das 12:17,
concordo com você, tem muito o que melhorar, mas não só no metrô em SP, no mundo inteiro... você já andou de metrô em outros países?

Anônimo disse...

14:24

\o/

Anônimo disse...

Eu adoraria viver num outeiro, principalmente se rolasse algum trípode passe livre.

Anônimo disse...

Vira latismo e estar mais preocupado com o que os gringos pensam d nós, do que nós sobe nós mesmos.
E como aquele sujeito da rua, que pinta a casa por fora, para os vizinhos verem, mas sabe-se que por dentro, as estruturas estão todas podres.

Anônimo disse...

Anônimo das 13:34, também vi muitos documentários interessantes na TV alemã, mostrando inclusive a influência da imigração de vários países para o Brasil. Este é um dos legados da copa; as pessoas tem me feito muitas pergunta sobre o Brasil e estão bem impressionadas (precisa ver a curiosidade deles quando eu digo que o Brasil tem a maior conentração de japoneses fora do Japão ou quando falo das colõnias alemãs, italianas, polonesas, suíças, holandesa..).

Anônimo disse...

Achei engraçado, não tem caqui na Colômbia? Caqui é uma palavra de origem japonesa, uma fruta que herdamos de sua imigração. Viva a mistura cultural!

Danilo disse...

Nunca gostei do Brasil. Brasil tem algumas qualidades mas nunca gostei do país. Futuramente vou ver se consigo morar nos Estados Unidos. A minha cidade é uma Ilha e eu gosto de morar aqui. Mas é uma capital pequena e não tem muita coisa pra fazer durante à noite. A cidade que eu moro não deveria fazer parte do Brasil.

Juliana disse...

No centro de São Paulo o transporte público é muito bom mesmo, agora vai a uma periferia que o negócio muda de figura. Engraçado, eu nunca tive essa simpatia em São Paulo (eu gosto de visitar a cidade), mas deve ser porque não tenho cara de gringa.
Agora Fortaleza não tem um transporte público decente, mesmo se você morar em regiões centrais, mas as partes turísticas devem ter sido bem maquiadas, mas é isso, que bom que gostaram. O ruim da copa é que gastaram fortunas de dinheiro público, mas o que ficou de bom pra quem mora nas cidades sedes?

Raven~ disse...

Gente, husashuas o trânsito fluiu aí, porque aqui, em cada jogo parou por pelo menos duas horas.

Lara disse...

Não é síndrome de vira latas,é não ser cego e enxergar a realidade.
Sempre que vejo alguém dizendo o quanto o país é maravilhoso,é sempre pelas mesmas besteiras,motivos que são ridículos perto dos problemas,é bonito(como se aqui fosse o único lugar bonito do planeta),carnaval,bunda e futebol,pessoas alegres(o resto do mundo deve ser depressivo).
Um país onde não tem o básico,que é saúde e educação é um país incrível???

Lembrei de uma entrevista do ator Lázaro Ramos,falando dos problemas do Brasil e aí no fim fala que é um bom lugar pro filho dele nascer porque aqui é bonito...kkkkkkkkkk Inacreditável.

De fato,o povo não ganhou nada com essa copa,esse dinheiro todo gasto poderia ter ido para saúde que está praticamente destruída,mas quando é para usar nessas coisas,o dinheiro some misteriosamente,nunca tem.
É mais uma merda para se mostrar aos estrangeiros,basta ver pelos comentários,como vão sair daqui iludidos.

Acho mais perigoso ficar fingindo que aqui é muito bom e ignorando os problemas,se está tudo ótimo,não tem o que mudar e continua tudo a mesma porcaria.

Maria Fernanda Lamim disse...

Pois olha,.me surpreende de verdade que elogiem o transporte público. Pode ser que em SP seja bom, mas no Rio e totalmente desfuncional, mesmo em feriados. As outras coisas fazem sentido. Há de fato uma dose de viralatismo , mas que o Rio em termos de mobilidade urbana está completamente inviável há 2 anos e um fato que todo carioca sabe.

Larissa Petra disse...

Lara desculpe, mas vc está muito mal informada...
O "dinheirão" gasto na copa, na verdade é um financiamento do BNDES, o governo emprestou dinheiro público para os gastos da copa, Apesar dos investimentos para a realização da Copa do Mundo, o Brasil aumentou de R$ 101 bilhões para 107,5 bilhões os investimentos em educação, de 2013 para 2014, e de R$ 83 bilhões para R$ 91 bilhões os em saúde, no mesmo período.
Os gastos públicos com saúde e educação são independentes dos gastos com a copa do mundo, Desde 2010, quando o governo começou a discutir os preparativos para a copa, já foram investidos R$ 850 bilhões em saúde e educação, enquanto os investimentos totais no mundial – incluindo federais, locais e privados – atingem R$ 25,6 bilhões, só o custo dos estádios foram 8 bilhões, então dizer q a copa retirou dinheiro da saúde e da educação é uma mentira, muito repetida pela a direita- que nem utiliza os serviços públicos, mas topam tudo para derrubar o governo- não estou dizendo q vc é uma pessoa dessas, mas vc pode estar acreditando nesse discurso, claro que nossos serviços públicos não são perfeitos, mas isso se deve a anos e anos de abandono total dos serviços públicos, retomados agora pelo atual governo.
Outras obras feitas para a copa impactam diretamente a vida dos cidadãos das cidades-sede, como as obras de mobilidade urbana, 30 intervenções nos aeroportos e reformas de seis portos como legados que o mundial deixará para o país. E, ainda, os R$ 402 milhões de investimentos em telecomunicações e R$ 1,9 bilhão em segurança pública, além dos impactos sociais, como a criação dos 50 mil empregos para construção dos estádios, a abertura de 47,9 mil postos na cadeia do turismo, a inserção social de 840 catadores de lixo e as 16 mil matrículas nos cursos do Pronatec.
Para cara R$1,00 investidos na copa, tipo em estádios, o governo investiu R$4,00 nas cidades-sede em obras de melhoria urbana, isso sem contar em todo o dinheiro de turismo deixados aqui no Brasil.
Então desculpe, mas dizer q a copa não trouxe nada de bom é uma mentira, trouxe muitas melhorias estruturais nas cidades, obras, empregos, e sim muita divulgação positiva do Brasil para o mundo, trazendo cada vez mais turistas para cá.
O Brasil, assim como todos os países do mundo, tem seus problemas, e sim devemos procurar sempre combatê-los, mas n podemos ser injustos com os avanços.

Felipe disse...

A opinião de um turista serve para orientar outros turistas e quem vive dessa indústria. Avaliar oportunidades de trabalho, condições de moradia, restrições e facilidades diárias, cultura para se criar filhos e etc. já está nas mãos de quem mora aqui.

Pra mim, a Copa foi irrelevante para qualquer um desses aspectos. Sendo um sucesso ou um fracasso, com ou sem vitória da seleção da CBF, a maioria do que é bom e ruim aqui permaneceu intocado.

Sara disse...

Amo meu pais, tive a sorte de conhecer muitos outros, para poder dizer com conhecimento de causa, q esse é o melhor de todos.
Não creio q os turistas elogiaram por educação ou bondade, o Brasil é privilegiado em muitas coisas.
Dessa copa, eu creio q o único saldo positivo q vai restar é o incremento do turismo, o Brasil foi visto pelo mundo todo, e acho difícil q não tenham gostado do q viram.
Mas temos problemas imensos tb pra resolver.
E não é descendo o pau no Brasil q vamos acabar com eles.

Anônimo disse...

Exatamente isso que eu pensei! Pena que a Cristina não vem

Death disse...

A Copa não foi esse desastre todo mas também não foi nenhum milagre, não vai deixar nenhum grande "legado" (no sentido positivo) como a Larissa faz crer.

Esse financiamento do BNDES está muito mal explicado, só o fato dos juros que as empreiteiras conseguiram já vemos um favorecimento, não duvido que parte desse dinheiro não seja devolvido.

O Brasil não "investiu" mais em educação e saúde, pode ter injetado mais dinheiro, mas uma coisa é você cobrir a manutenção do serviço, educação e saúde sempre terão gastos fixos que se elevam, o governo fez pouco investimento no sentido de aplicar o dinheiro em melhorias. Melhoria é uma coisa, manutenção é outra...

Concordo que a direita caviar que nunca pisou num posto de saúde usa da preocupação com o dinheiro gasto em serviços públicos para denegrir a imagem do governo, isso é fato.

As obras de mobilidade urbana são uma piada, aqui em SP ao redor de Itaquera o que fizeram? Colocaram uma cobertura na plataforma externa do terminal de ônibus e levantaram uma ou duas estradinhas para interligar o que já tinha.

Também não vi nenhum porto como "legado" deixado.

Aliás acho essa palavra muito marqueteira...

Os cursos de especialização já estavam previstos, as vagas de emprego no ramo civil acabaram com a conclusão dos estádios, é um engano acreditar que estes trabalhadores tem emprego garantido depois da Copa, muitos foram desligados da empresa assim que concluíram a obra e apareceram no Fantástico jogando bola.

Sem contar que parte dos empregos "criados" foi um acordo da Odebreth com o Governo do Estado para incluir presos do semi aberto (o que não é bem um "emprego"). Cai naquelas dos trabalhadores terceirizados, acabou o serviço? Volta pra cadeia.

Investimento em telecomunicações? A nossa rede de "3G" ainda usa uns 30% de banda 2G! Somos um dos poucos países que ainda usa 2G. Nem digo do 4G...

Investimento em segurança pública nós vimos, compras de carros com jato d'agua,a polícia ficou mais equipada ainda pronta pra sentar a porrada em Black Bloc e proteger yellow bloc.

O Brasil investiu na Copa? Sim, a Copa foi um sucesso? Não tem como negar.A direita tá chorando até agora? Oh....

Mas acreditar que não teve maracutaia, desvio de dinheiro...(pra isso esquerda e direita dão uma trégua pra roubar juntos), acreditar que deixaram um "legado" é inocência demais.

O único legado q estou vendo serão os elefantes Brancos, só aquela Arena Amazônia, tem capacidade para abrigar em única vez,o público do ANO INTEIRO de TODO o campeonato amazonense, isso pq os times de lá já mandaram o recado de que não vão utilizar a Arena, para não terem que bancar o custo de manutenção que será de uns 500mil por mês.

Precisamos desmentir as sujeiradas dos reaças mas também não podemos achar q tudo foi um arco íris.

Lara disse...

Larissa
Me desculpe mas você está iludida,dizer que investiu é uma coisa,ter investido de verdade é outra,todos os anos o governo diz que injeta não sei quantos milhões na saúde,educação e com certeza boa parte desse dinheiro some misteriosamente no meio do caminho.
Porque se tivesse tanto investimento assim,já teria resultado mas quase todo dia vejo notícia de gente morrendo por falta de atendimento,de vaga em hospital,não tem equipamento,não tem médico,para marcar consulta ainda é uma merda,eu marquei numa clínica da família e só consegui vaga para dois meses depois,fui atendida,fiz exame e para entregar o mesmo,só daqui a 1 mês,se for grave,estou fudida.
Tá uma maravilha mesmo.
Cadê o resultado de tanto investimento na segurança???

É o discurso da Dilma e de muito políticos,os problemas estão na nossa cara e eles com a maior cara de pau dizem que está tudo muito bom,tem muito investimento,deve ter mesmo,na conta deles.

Anônimo disse...

O Brasil é um país bonito, alegre, tem um povo feliz e mulheres bonitas (isso é motivo pra uma feminista comemorar?), Ok.

Mas o IDH do Brasil é o 85º, abaixo de vizinhos como a Argentina e Uruguai.

Nunca ganhamos um prêmio Nobel, até o Chile e de novo a Argentina já ganharam.

Não temos grandes patentes ou descobertas científicas relevantes, pelo menos nos últimos 50 anos.

O número de brasileiros que ganharam medalha de ouro nas olimpíadas internacional de Matemática é o menor dos países em desenvolvimento.

Nem nas Olimpíadas mesmos temos um número expressivo de medalhas, e de Ouro menos ainda.

Poderia dar mais dados, mas pra resumir, só nos gabamos de festas e coisas fúteis como o carnaval, em conhecimento científico, qualidade de vida e produção cultural ficamos bem aquém de países bem mais "pobres".

Anônimo disse...

Estou com o Juca Kfouri e não abro:
http://blogdojuca.uol.com.br/2014/07/copa-do-mundo-no-brasil-um-primeiro-balanco/

Natasha disse...

Pelo que li e ouvi, os estrangeiros e jornalistas internacionais gostaram muito de Manaus também. Consideraram o evento organizado, sentiram-se seguros, adoraram a culinária manauara e gostaram da receptividade das pessoas.

Anônimo disse...

O Pior é quem diz: "mas em doze anos não tem como reverter uma situação já tão agravada..." Beijo pra Alemanha e pro Japão do pós-guerra.

Anônimo disse...

Li essa matéria e não pude deixar de pensar em como os brasileiros costumam tratar os africanos que vêm estudar ou morar aqui. Não quero falar mal da gente, do nosso país - que eu adoro! - mas é incrível como somos mais bacanas com os gringos brancos. Tenho um amigo americano negro, executivo de uma multinacional, que sempre viaja para o Brasil a trabalho. Ele tenta levar numa boa, mas vocês podem imaginar as situações que ele já enfrentou em algumas cidades brasileiras. Desculpem por estragar o clima bom da conversa, mas quem sofreu racismo cotidianamente fica marcado para sempre.
Sara

Anônimo disse...

Faz muito tempo que ninguém precisa ser rico e nem de classe media para ter internet no Brasil e nem sempre quantidade significa qualidade. Melhoraram alguns serviços no Brasil com o exclusivo interesse de agradar os turistas e não os brasileiros. Quem tem o tal complexo são vcs que só fizeram repetir o que os gringos falaram, eo que os gringos falam seria a verdade absoluta, ainda mais para agradar o governo do pt. Alias essa propaganda de copa neste blog já esta bem na cara de uma subpropaganda do pt.

Luiza Victoretti disse...

Engana-se quem diz que o "não vai ter copa" é um movimento da direita. Hj mesmo vi um cartaz de um movimento intitulado Juventude anti capitalista dizendo que com o dinheiro gasto na copa podia se construir 128 mil casas populares. Há tbm o movimento copa do povo (ou algo assim) de sem tetos acampando perto ao itaquerao. Tenho quase certeza de que não são movimentos de direita.

Anônimo disse...

A copa é um investimento em turismo. Como todo investimento, trata-se de um desembolso com objetivo de retorno em médio/longo prazo. Na boa, não agüento mais ouvir esse argumento bobo do "a gente precisa de hospital". Turismo gera dinheiro, gera receita de impostos, que gera hospitais. Um evento grandioso que deixa uma boa imagem internacional encoraja investimentos outros. E sem estádios não haveria copa, então, para que fossem auferidos seus benefícios, não havia como fugir de gastar o dinheiro para construí-los.

Anônimo disse...

É, eu também sou fã da copa, mas esse negócio de transporte bom no Rio é meio surreal. O meu tempo para chegada ao trabalho dobrou nos últimos dois anos.

Anônimo disse...

Carnaval é fútil por que? Porque é NOSSA manifestação cultural? A música produzida, todos os regionalismos por trás do carnaval... E escuta, você conhece os artistas plásticos brasileiros em alta em todo o mundo? Vik Muniz, Adriana Varejão, Daniel Senise, Tunga, Beatriz Milhazes... Acho interessante como é comum quem fala que o Brasil não produz cultura não conhecer a cultura produzida no Brasil (e nem questiono a capacidade de comparar com os países "pobres" -- sabe lá que países são esses e qual é a produção cultural superior deles).

Anônimo disse...

Como não gostar da culinária manauara? Hmmmmmmmm...

Anônimo disse...

Engraçado ver a concepção do país pra vc, vinda de uma familia argentina branca, q teve uma vida de privilegios, estudou em bons colegios, fez faculdade publica (provavelmente), e agora tem emprego publico dando aulas pra uma elite de um lugar com extrema pobreza. Vc vive um Brasil diferente do meu.

Eu como negra, filha de faxineira, estudante de péssima escola publica, sofro racismo todo dia, vejo pobreza em todo canto, extrema desigualdade social. Acho q o Brasil ainda é campeão em desigualdade social, não?

Nunca vi vc dizer q fez uma palestra pra uma comunidade carente da sua cidade, q fez algo para os pobres, tanta pobreza ai onde vc está, mas é facil ignorar e dizer q somos viralatas e com baixa autoestima.

O Brasil é bom sim, mas pra uma privilegiada minoria

Anônimo disse...

É engraçado essas pessoas que citam que o Brasil nunca ganhou um prêmio Nobel, mas não conhecem Carlos Chagas, Gleb Wataghin, César Lattes e tantos outros.

Patente? O que impera na indústria são os segredos tecnológicos. Pesquisa de ponta? Existem brasileiros muito engajados hoje, como Miguel Nicolelis, Claudio Lenz César e outros mais.

Sim, a ciência aqui sofre com falta disso, daquilo e daquilo outro. Não quero maquiar a realidade, mas quero mostrar que essas pessoas que falam em nada relevante ou prêmio Nobel são ignorantes no assunto. Não pesquisam, não sabem, não se informam e arrotam mentiras.

Caroline disse...

Gente, não sei se alguém aí já pegou transporte público em Buenos Aires, mas quem pegou sabe que o transporte lá é bem pior do que aqui. O mesmo se repete em Montevidéu. Os ônibus são uns cacos velhos, super lotados e sem ar-condicionado. Se aqui rola protesto devido à falta de qualidade no transporte público, no Uruguai e na Argentina deveria rolar paralisação nacional direto, porque o serviço é realmente muito ruim.

Anônimo disse...

Eu sou brasileira e nunca comi caqui.

Anna disse...

essa parte do papel higiênico na lixeira é nojenta mesma, mas nunca vi ngm fazer isso.. Achei q todo mundo aqui jogava no vaso não?

de resto, sabía q iam amar o Br. Sabe, tão de férias, o povo aqui ama um gringo.. Não sei porque tantos brasileiros acham o país tão inferior e q tudo aqui sempre vai dar errado
A única coisa feia mesmo q achei nessa copa foram as vaias no estádio, tipo vaiar hino da seleção alheia e ficar xingando a dilma

Anna disse...

E detalhe, amei o toque do chileno de q aqui os brasileiros são machistas, adoro quando as pessoas notam essas coisas! ahah pra ver q não é paranoia de ~feminazi

Anônimo disse...

Corrigindo alguém lá em cima: a Argentina nunca ganhou um prêmio Nobel.

Alessandro Bruno disse...

Essa do metrô é pra rir?

https://www.youtube.com/watch?v=W1RONnhx-LE

A segurança estava boa? Só pros gringos:

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2014/06/furtos-e-roubos-na-vila-madalena-sobem-3500-durante-copa.html

Eu ainda estou esperando a solidariedade da blogueira com os presos políticos, que muitas vezes estavam fazendo protestos pacíficos e foram tratados como terroristas:

http://noticias.r7.com/sao-paulo/jornalistas-sao-detidos-e-agredidos-em-protesto-acao-e-condenada-23022014

Anônimo disse...

Concordo com tudo o que vc disse, menos sobre o nobel da Argentina. Eles também ñ o tem.

Raven~ disse...

Concordo com tuudo q x Death falou. Aqui em Curitiba a única obra grande além da Arena, foi aquela ponte estaiada, que não serve pra porríssima nenhuma, não vai pra lugar nenhum e é feia pra cacete. O resto, uai, o resto ta igual...

Cão do Mato disse...

Cadê o pessoal que fala mal de São Paulo??

Anônimo disse...

Corrigindo o anônimo das 07:51 que me corrigiu e disse que a argentina nunca ganhou um prêmio Nobel:

Cinco Prêmios Nobel já foram entregues a argentinos, dois da Paz, dois de Medicina e um de Química.

http://www.mibuenosairesquerido.com/Curiosidades3.htm

Anônimo disse...

Anônimo das 08:20

http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,nobel-argentina-5-x-0-brasil-imp-,648333

lola aronovich disse...

Anon da 1:08, não fiz faculdade pública. Eu morava em Joinville, e lá não havia faculdade publica gratuiata na área de humanas. Depois tive o privilégio de fazer mestrado e doutorado na UFSC. Com bolsa, ainda. Eu nunca neguei meus privilégios. Mas acho que vc não tem muito conhecimento sobre o curso de Letras (e outros) numa universidade pública no nordeste. Tenho pouquíssimos alunos da elite. Muitos alunos são filhos de faxineira, como vc. Vários são os primeiros da família a cursar uma faculdade. Há muitos brancos, mas também pardos (64% da população do Ceará é parda ou negra) e negros. Com as cotas sociais, o número de alunos pobres aumentou (e isso é ótimo). Eu também dou aula para o curso de Secretariado, e seria ridículo dizer que essas pessoas (grande maioria mulheres) são elite. A maior parte dos meus alunos é de classe média baixa, eu diria.
Sobre as palestras, então vc não acompanha meu blog. Eu vou onde sou chamada. E já fui chamada para algumas comunidades periféricas. Escolas de periferia, por exemplo, encontros de mulheres em comunidades pobres. Mas a esmagadora parte das minhas palestras é em universidades. E todas essas palestras são abertas para o público. Assim como os cursos de extensão que ofereço na UFC. Não precisa ser aluno na UFC para cursar.
Só dizer que o Brasil é péssimo, sem lutar para mudar essa situação, é uma posição derrotista, comodista. Há muita gente lutando para que o Brasil se torne mais democrático, menos desigual. Eu me considero uma dessas muitas pessoas.

lola aronovich disse...

Alessandro, vc não tem ninguém mais pra patrulhar não? Eu não escrevo sobre tudo que acontece no Brasil e no mundo. Sou totalmente contra a prisão do pessoal que protestava. Já manifestei isso no Twitter. Quem está feliz com a prisão deles (principalmente de Sininho) são os reaças. Incrível as coisas que estão escrevendo, desejando que ela seja espancada e torturada na prisão. Semana passada, essa mesma gente (exatamente as mesmas pessoas!) estavam atacando uma ativista trans que tuitou pedidos de violência contra o jogador colombiano Zuniga. Por que vc não vai lá cobrar coerência deles também? Eu fico indignada ao ver gente de esquerda fazendo alianças com reaças nas redes sociais para atacar inimigos em comum.

Anônimo disse...

Infelizmente nossos hermanos sulamericanos não foram bem acolhidos pois são pobres e estão aquém do padrão dos europeusais ocident exceto Ibéricos. Dizer que esta copa foi feita pros ricos é tolice pois na verdade o mundo ou as coisas boas nele foram feitas pros ricos!!!

Anônimo disse...

"Infelizmente nossos hermanos sulamericanos não foram bem acolhidos pois são pobres"

Prove o que está falando porque o que estou sabendo é que todos os estrangeiros foram bem tratados.

Thiago E disse...

Tomás, da Argentina: "O transporte público é excelente, muito melhor do que em Buenos Aires.
Também costumam ser menos cheios

Realmente você comparar o "transporte público" do Rio com Buenos Aires parece até "excelente", já que o de lá é mais deficiente.
O certo sera dizer que não é ruim como o de Buenos Aires. Excelente é Suiça, Austrália, Nova Zelândia, etc...

Me sinto mais seguro do que na Argentina
Só com maquiagem da FIFA, vem aqui depois de um ano e leia as noticias. O índice de criminalidade aqui vai te deixar tenso como na Argentina.

Joe Bauman, dos EUA:"Achei estranho ver que muitas famílias de classe média têm empregadas domésticas. Nos EUA, só os ricos têm.
Crítica bem interessante essa. Demonstra nossa cicatriz de má distribuição de renda. Em vários países no mundo seus próprios doutores tem que lavar seu prato e realizar suas tarefas domésticas.

Richard Diaz, do Chile:"Fiquei surpreso de ver como é rápido fazer amigos aqui, tanto na favela quanto nos condomínios mais exclusivos.
"Percebi que os homens são muito machistas. Eles tratam as parceiras como empregadas deles, especialmente em relação às tarefas domésticas."

Pra um chileno que vem da cultura bem machista espanhola achei estranho essa declaração. Sinceramente penso que no Chile é muito mais machista.

Carlos e Juliana, da Colômbia: "Gostamos da comida, mas é um pouco mais cara do que na Colômbia. Comemos pratos mais normais, que temos em nosso país, não coisas típicas do Brasil. Gostamos muito daquela fruta... o caqui.
A comida na Colombia é muito mais servida. Bom, não falta frutas diferentes na Colombia também.

É possível falar facilmente em espanhol com as pessoas. As pessoas compreendem perfeitamente.
Eu tenho minhas dúvidas se em uma situação mais crítica não teriam ruído na comunicação. É um mito achar que espanhol é facilmente compreendido. Como eu falo, já cansei de presenciar situações que a proximidade linguistica provoca confusões e os dois não se entendem. Agora o linguajar de sobrevivência, como pedir comida, passa.

"Transporte: Usamos o metrô e o ônibus, e, a nós, parecem ser muito bons. Em Bogotá, de onde viemos, o transporte é horrível. Aqui é muito melhor.
O transporte de Bogotá realmente é ruim, são várias minivans lotadas andando loucamente pelas ruas.

Mohamed Moulkaf, da Argélia: "O mecânico de 32 anos acha que, daqui a 10 anos, a qualidade de vida dos brasileiros vai ser como nos EUA e na Europa.
Kakakakakaka. Desculpa, não tinha como não rir. É só verificar anda nosso quadro educacional para não vislumbrar isso. Países que tiveram desenvolvimento rápido a longo(Sim, dez anos não é longo prazo) como a Coréia do Sul investiram 4,2% do PIB com planejamento. O Brasil que investe 5,8% do PIB em média não tem o retorno por falta de planejamento.

Melhor do Brasil: 'A ordem.' Para ele, tudo é muito organizado aqui: no Metrô, nos ônibus, nos mercados.
Novamente uma falsa simetria do argelino com o Brasil. Leia-se: aqui no Brasil as coisas não são tão desorganizadas como na Argélia.



Tina Pan, de Taiwan:
Segurança: Segundo a estudante, a imagem do Brasil em Taiwan é que se trata de um país perigoso. 'Tínhamos outra imagem, mas penso que aqui estou bem segura', ressalta."

Veio em Brasília bem aqui no meio da ilha da fantasia, mal sabe ela que no entorno bem pertinho da capital tem cidades como Águas Lindas que morre mais gente do que na faixa de Gaza(Estou falando sério). Sequestro relâmpago já é moda na cidade há mais de 5 anos.

Maria Fernanda Lamim disse...

Dobrou pra quase todo mundo. Culpa do nazistinha Eduardo Paes e seu projetode segregação para a cidade.

Anônimo disse...

Realmente o Brasil tem muitas coisas a serem melhoradas em várias áreas e não podemos fechar os olhos para nossas mazelas. Dizer que é o melhor país do mundo é uma questão de gosto, até acho que ninguém deveria ser obrigada a morar em um país só porque nasceu nele (mas isto seria num mundo ideal...). Por outro lado, muita gente que nunca saiu do Brasil idealiza o chamado primeiro mundo. A coisa boa é que quando o Brasil for como muita gente idealiza os países desenvolvidos, nós estaremos muito melhores que qualquer lugar do mundo atualmente. A evolução do Brasil depende também do empenho de cada um, não adianta a gente achar que vai se desenvolver se ao invés de estudar der mais importância ao futebol, por exemplo (como eu mesma cheguei a ver colegas fazerem).

Nane disse...

Argentinos estão sendo cordiais.
Em 2006 estive Buenos Aires. Passeei pelo centro a pé depois da meia noite, com bolsa e tudo; não antes de receber o encorajamento dos argentinos: pode ir, não há perigo.
Onde no Brasil eu faria o mesmo?

Tat disse...

Se dá para acreditar em números, a Copa deixou coisas boa aqui sim (desconsiderando a roubalheira). Segundo entrevista para a Rádio Bandeirantes, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, disse que a cidade investiu por volta de 40 milhões por conta do evento e que já lucrou por volta de 1 bilhão. Esperemos então que esse dinheiro seja gasto na obras de maior necessidade que todxs nós sabemos ser necessárias.

Anônimo disse...

Nane, pois conheço gente que foi roubada nesse mesmo centro. De manhã.

Domingos Tavares disse...

@Thiago E
"Veio em Brasília bem aqui no meio da ilha da fantasia, mal sabe ela que no entorno bem pertinho da capital tem cidades como Águas Lindas que morre mais gente do que na faixa de Gaza(Estou falando sério). Sequestro relâmpago já é moda na cidade há mais de 5 anos."

E nem precisa sair da "ilha da fantasia". A não ser, é claro que você não saiba que a cracolândia candanga fica no coração da ilha, bem ali, na Rodoviária do Plano Piloto. Quem passa ali todos os dias vê os zumbis do crack dormindo naquele gramado ali perto. Mesmo quem tem de ir para a esplanada dos ministérios vê as pessoas derrotadas pela droga estiradas no chão.

Ali nas "quebradas" das novecentas, ainda no Plano Piloto, há uma forte incidência de assaltos, ainda mais perto das faculdades particulares (como a 911/913 sul, a famigerada 908 norte, etc). Mas, ainda assim, não é mais perigoso do que a região da UnB (as seiscentas e tantas norte), ainda na ilha da fantasia. Mesmo na L2 norte a situação é bastante caótica em termos de sequestros relâmpagos, assaltos e estupros.

Penso que a estudante taiwanesa se sentiu segura porque a polícia (PM/DF, PC/DF) estava com efetivo reforçado para a copa. Se ela tivesse ficado às duas da manhã na rodoviária do Plano Piloto, aposto que ela não falaria que Brasília seja segura.

natalia disse...

Anônimo da 1:08
Escrevo para, talvez, melhorar o seu ânimo. Igual a você, também sou de origem humilde. Não sou negra, mas meu pai era mestre-de-obras e minha mãe do lar. Também estudei em escolas públicas, todavia, penso que eram boas, pois quando fui fazer o segundo grau, que cursei no CEFET/PR, eu era tão boa aluna, quantos os alunos que vieram de escolas particulares. Devo a minha atual situação ao meu país, pois sou servidora pública e, sim, sou bem paga para a função que desempenho. Então, graças ao estudo e muita dedicação de minha parte, minha vida atual é sim, muito boa. Agora, tenho familiares e amigos que não trilharam os mesmos caminhos que eu (muito estudo e dedicação) e mesmo assim, suas vidas estão muito melhores do que no passado. Muitos desses meus amigos e parentes são atendidos pelo SUS nas suas carências de saúde e aqui, em Curitiba, tem sido bem atendidos (não é atendimento imediato, mas são atendidos).
É certo que ainda há fome, miséria, mas estamos no caminho da sua erradicação. Veja bem, que aposto na erradicação do que humilha as pessoas, já desigualdade social (poucos com muito dinheiro), desconheço algum país que tenha acabado com tal malefício.

José Silvério disse...

O Brasil já teve e tem muitos pesquisador@s dignos de receber o nobel. Em se tratando de medicina tropical, p.ex., como não admirar o trabalho de um Osvaldo Cruz, de um Carlos Chagas? não são trabalhos que beneficiam pessoas do chamado "primeiro mundo" mas foram de enorme importância para habitantes de paises de clima tropical. Digo isso por que desconfio que haja preconceito contra o Brasil nos paises desenvolvidos. Basta lembrar que até pouco tempos nosso país não tinha NENHUM santo ou santa reconhecido pela igreja católica! E olha que se trata ou se tratava da maior nação católica do mundo! O por que disso não sei, talvez nosso complexo de vira-latas ou então, pode ser preconceito bravo mesmo, dos países ricos, afinal o Brasil é um dos países mais diversos, multiculturais e multi-raciais do mundo!

Julia disse...

Concordo com o José Silvério.
O Brasil nunca ganhou um Nobel mas não foi por falta de merecimento.

Anônimo disse...

Muito amor pro Richard, do Chile!

donadio disse...

"O Pior é quem diz: "mas em doze anos não tem como reverter uma situação já tão agravada..." Beijo pra Alemanha e pro Japão do pós-guerra."

Beijo para o Japão e a Alemanha já serem potencias mundiais antes da guerra.

Beijo para o Japão e a Alemanha, em 1957 (1945 + 12 = 1957, ou a matemática também muda para o Japão e a Alemanha?) ainda estarem ferrados.

E beijo para o Plano Marshall, claro.

Aliás, beijo não. Au-au-au. Au-au-au para o Plano Marshall!

donadio disse...

"Concordo com tudo o que vc disse, menos sobre o nobel da Argentina. Eles também ñ o tem."

E deveriam ter.

O Jorge Luís Borges sozinho é mais literatura do que metade dos europeus "nobelizados" junta.