domingo, 2 de março de 2014

O OSCAR MAIS EMOCIONANTE DOS ÚLTIMOS ANOS: É HOJE!

É hoje! Aproveite, você que tem acesso à TV paga ou a uma boa conexão na internet. 
Estou muito arrependida por ter viajado, sério mesmo. Quando fiz planos pro carnaval, eu não sabia que o Oscar cairia bem no domingo da folia. Se soubesse, teria ficado em casa, e talvez só viajado amanhã. Mas enfim, agora já não dá pra fazer nada. Aliás, eu nem estou aqui. Escrevi este post ontem, antes de viajar. 
E ainda por cima me lembraram que a apresentadora do Oscar será a Ellen DeGeneres! Ela vai ser maravilhosa, tenho certeza. Ainda mais depois do desastre total daquele cara (nem registrei o nome do insignificante) no ano passado.
Mas o principal motivo que o Oscar 2014 será emocionante é que, em muitas categorias, simplesmente não há favoritos. E isso inclui melhor filme! Quem vai ganhar, 12 Anos de Escravidão ou Gravidade? (minha torcida é por 12 Anos; Trapaça é meio carta fora do baralho a esta altura). Pode apostar que será uma corrida bem disputada. 
Há sim um grande favoritismo pra diretor (Cuáron) e pra atriz (Blanchett), mas não são favas contadas não (vai, Amy!). E muito menos pra ator. Matthew leva vantagem, mas Leo pode ganhar (Leo! Leo!). E nos últimos dias tem se falado bastante no Chiwetel também. E Lupita ou Jennifer?
E nisso de Gravidade ganhar muitos (todos?) dos prêmios secundários, isso inclui design de produção (ou essa estatueta vai pra Grande Gatsby)? E figurino, quem leva: 12 Anos, Gatsby, ou Trapaça? E montagem -- Gravidade, Capitão Philips, ou Trapaça? Li não sei onde que nove em dez vencedores nessa categoria ganharam o prêmio do sindicato. E não foi Gravidade que ganhou, mas Philips e Trapaça. Por outro lado, só umas 200 das mais de 6 mil pessoas que votam na Academia são editorxs. 
Serão essas categorias que, pra variar, vão definir o bolão do Oscar. Olha só pra roteiro original. Algumas semanas atrás, eu apostaria em Trapaça sem titubear. Mas parece que Ela tem enormes chances. Eu ainda apostei em Trapaça...
Aliás, o Júlio César, organizador do bolão, disse que eu e a Alexandra (que ganhou o bolão nos últimos três anos, a megera!) só temos um palpite diferente em todas as 20 categorias do bolão pago: trilha sonora. Ela, mais pragmática, apostou em Gravidade, e eu coloquei Philomena, pensando que talvez este filme ganhe alguma coisinha, e também, sabendo que o compositor Alexandre Desplat já concorreu cinco vezes e nunca ganhou. Quer dizer, olhando assim, não parece a escolha mais inteligente do mundo.
Ah, e filme estrangeiro também está a maior guerra. Quem ganhará a estatueta: o mais conhecido, o dinamarquês A Caça, o mais poético e elogiado, o italiano A Grande Beleza, ou o belga que faz chorar, Alabama Monroe (que em inglês se chama The Broken Circle Breakdown)?
Acho que a única certeza absoluta desta noite é que o Jared Leto terá uma estatueta pra decorar sua lareira. De resto, tá bem imprevisível mesmo.
Todas as tabelas do bolão do Oscar estão a sua disposição.
Esta é a tabela do bolão grátis, no Excel.
Esta é a mesma tabela, só que a versão para impressão.
Esta é a tabela do bolão pago
E esta é a tabela do bolão pago para impressão
Comente à vontade nos comentários. Quem puder, deixe também alguns links pra assistir à cerimônia na internet. Eu já estou convicta de que não conseguirei ver o Oscar. Portanto, se eu conseguir ver alguns pedacinhos, já estarei no lucro.

18 comentários:

Natascha Fox disse...

Aiii, que arrependimento!! Devia ter participado do bolão pago, mas a mão de vaquice me impediu!! Agora só ano que vem :(

jacmila disse...

queria entender como dona lola q vive dizendo q é de esquerda, divulga tanto esse oscar...

pp disse...

lola, assisti a 12 anos ontem e preciso desabafar: que filme chatoooo! Tecnicamente pode ser ótimo, o tema super importante, mas foi uma tortura, muito cansativo!!!! E olha que adoro filmes no sul escravista dos EUA, tenho muito interesse pelo tema. Nem me lembro qual a última vez que fiquei tão louca pra um filme acabar. Os escravos são chatos, os donos de escravos são chatos, as esposas de donos de escravos são chatos, etc.. Voto demais pelo Lobo, mas sei que não estou com a maioria.

Julia disse...

Vou ver esperando ansiosamente pelo monólogo de abertura e os intervalos entre as premiações.. porque quero ver mesmo a Ellen! O programa dela de segunda na tv americana vai ser especial e ao vivo, acho que alguns vencedores devem estar lá.. Pena que não poderei ver pois o programa dela não está sendo mais transmitido pela tv a cabo brasileira :(

Só vi um filme então vou me contentar em torcer a favor de Frozen (que eu não vi mas já amo) e contra Lobo.. sorry, Leo!

Julia disse...

É tão mais divertido ver o Oscar quando se assistiu os filmes. Mas ultimamente tenho visto muito poucos filmes americanos.. no shopping perto da minha casa (5 min de carro) os filmes estão passando todos dublados.

Robocop mesmo que estreou outro dia só tem sessão dublada. Conferi agora. Eu queria ver por causa do Padilha, mas não vai rolar.
Xs dubladorxs brasileirxs são maravilhosxs mas eu tenho esse bloqueio.

Denise disse...

Sinto te dizer que vc perdeu (mais uma vez) pra Alessandra, Lola, pois Gravidade acabou de ganhar melhor trilha sonora... :(

pp disse...

Lola, sei que vc não deve ter assistido ao Oscar, então gostaria de sugerir que vc procure o agradecimento da Cate Blanchet ao receber o prêmio. achei que vc gostaria!

Julia disse...

Nossa, foi maravilhoso!

A Ellen estava hilária e não precisou fazer musiquinha sobre seios, nem piadinhas ofensivas a minorias pra isso. Incrível, não? Ela tirou sarro daquela gente rica e cheia de prestígio que estava concorrendo e de si própria!
Isso se chama: não ser babaca.

Lupita ganhou, Frozen ganhou, Let it go ganhou, Lobo de Wall Street perdeu. Estou feliz :)

E vibrei quando o Cuarón venceu por melhor diretor e 12 anos por melhor filme. Agora estou animada de verdade pra ver esses filmes.

Julia disse...

A Cate no discurso dela falou algo sobre o que dizem que filmes com mulheres protagonistas não atraírem público ou não gerarem bilheteria ser uma mentira - nessa hora as atrizes aplaudiram muito.

Impressionante como sempre existe um motivo razoável pra manter as mulheres pra baixo. Quando não é econômico, é biológico, comprovado pela ciência! Totalmente imparcial, claro.

São umas lendas que circulam que, coincidentemente, funcionam muito bem pro patriarcado. Bastante curioso..

Pablito Matraga disse...

Ellen DeGeneres sem dúvida foi o pior da festa. Sem graça pra caramba. Piadas fraquíssimas e batidíssimas (para não dizer repetidas, no próprio Oscar); brincadeirinhas infanto-juvenis de adolescente em acampamento de férias; o humor duvidoso e infantil e o mal gosto na escolha dos figurinos que já é de praxe dessa "mulher".

As risadas do público para com ela foram todas secas, curtas. Daquelas que você sorri apenas para o apresentador não ficar constrangido. Os comentários dos ganhadores do Oscar fizeram a platéia rir mais do que aquela que estava ali sendo paga para fazer rir. Ela conseguiu esvaziar completamente uma das melhores tradições do Oscar, que é o humor na apresentação da festa de premiação.

Tomara que no próximo tragam alguém com mais calibre, uma apresentador(a) de verdade. DeGeneres que volte para o seu programinha de entrevistas politicamente corretas.

Julia disse...

Hahahaha

Você deve ter adorado a apresentação do babaca do ano anterior. No estilo punheteiro em acampamento de féria.
Ela não humilhou ninguém, por isso você não deve ter achado engraçado nem adulto suficiente.

Reparem no mulher escrito entre aspas...

Você é um BABACA, portanto sua opinião não conta. Próximo!

:D

Julia disse...

E a maravilhosa da Ellen ainda tirou uma foto sensacional com a galera (leia-se Brad, Meryl, Jennifer, Angelina) no meio do Oscar que já é a mais retwitada da história.

Pros recalcados..
http://m.youtube.com/watch?v=73sbW7gjBeo

Fernando Borges disse...

Se eu contei direito, minha pontuação foi 19 :)

Jared Leto tava meio óbvio, mas ainda assim coloquei Jonah Hill rs

Lupita pra coadjuvante, 12 Anos pra melhor filme e roteiro original pra Ela já foi mais do que suficiente pra me deixar feliz.

Paula Santana disse...

Meu Deus Lola! O que foi esse Oscar?? o_O Eu particularmente nem curto esses eventos, mas estava procurando o que assistir, passei na TNT e a Ellen estava apresentando e.. Eu nunca quis TANTO estar num lugar! Ela é incrível! Foi tão diferente, tão moderno, tão LEGAL! Eu queria muito, muito ter estado lá! suahusuahs Pena do DiCaprio, não foi dessa vez ><, mas fiquei feliz pelos ganhadores.

Sphynx disse...

Acredito que essa foi uma rara edição justa, sem resultados que gerem grandes revoltas. A não ser talvez porque o DiCaprio não ganhou, mas suponho que nesse caso a revolta seja mais pelo fato em si de ele não ter um Oscar até hoje do que por ele ter perdido especificamente esse ano. Até porque o McConaughey de fato mereceu mais, provavelmente quem viu Dallas Buyers Club e Lobo de Wall Street chegará a essa conclusão. (Inclusive, no próprio Lobo de Wall Steet o McConaughey se sobressai do DiCaprio quando os dois contracenam.)

Agora, eu realmente teria gostado se a Academia tivesse tido a coragem de premiar Gravidade na categoria principal. Não que eu ache que 12 Anos de Escravidão não tenha merecido ganhar melhor filme, mas considerando que Gravidade ganhou mais que o dobro de categorias (7, entre as quais diretor e edição) que todos os demais concorrentes, incluindo o vencedor de melhor filme (3), é difícil não ter a impressão de que Gravidade era mesmo o candidato mais forte, e que só não levou o prêmio principal por razões de que não poderiam premiar uma ficção científica em detrimento de um filme histórico, sobre um tema importante, baseado em fatos reais, etc. Em outras palavras, parece que os votos no melhor filme foram dados mais porque a história de Solomon Northup merece ser contada (o que é indiscutível) do que pela contribuição do filme à arte cinematográfica ou à indústria.

A última vez que tiveram coragem de premiar na categoria principal um filme completamente fora do padrão do Oscar foi há exatamente uma década: O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei. Mas também, naquele ano não concorria nenhum filme sobre ex-presidente dos Estados Unidos ou monarca de país europeu e quem mais se aproximava disso era o Aragorn, hehe.

Anônimo disse...

Lola, querida, por favor, que tal um post sobre o discurso da Cate Blanchett ao receber o prêmio? Na internet estão fazendo uma relação entre as palavras da Cate e uma palestra da Olívia Wilde sobre a presença das mulheres no mercado cinematográfico... ! Imagino o seu corre corre, mas não resisti em fazer o pedido!
abraços

Sphynx disse...

Vale observar que o sucesso de Gravidade, que já passa de 700 milhões de dólares mundialmente, corrobora o discurso da Cate.

Anônimo disse...

Sphynx, não chego a discordar de você, acho bem válido o seu comentário. Mas replico com outras observações. De fato, alguns analistas de cinema tem dito que 12 anos de Escravidão venceu porque a academia não podia deixar de premiar um filme como ele por causa (além de ser muito bem feito) do tema abordado. Mas acho que a vitória de "12 anos", e a expectativa em torno disso, não se deve apenas por se tratar de um filme histórico, baseado em fatos reais, mas, sobretudo, por causa da carga política que carrega, capaz de realmente intervir na nossa realidade (política, social e cultural) hoje, no século XXI, mesmo depois da abolição. Além de sacudir um pouco a classe média alta e branca do seu torpor em relação à violência contra os negros, o filme acende o debate sobre as condições atuais da população negra (nos EUA, no Brasil) no que diz respeito à luta em favor dos seus direitos civis e sociais, que, infelizmente, andam mal das pernas por aqui, bem sabemos. O "racismo nosso de cada dia", hoje, tem a ver com o legado da escravidão e nossa preferência em virar o rosto a enfrentar a situação de uma vez por todas. Assim, a carga política é algo inseparável do filme, de modo que, a vitória de "12 anos" não se deve apenas pelo rótulo histórico, pois outro filme histórico no páreo com menor ou irrelevante carga política bem poderia deixar de levar o prêmio. ​Finalmente, se pensarmos que a arte se conecta à experiência social dos sujeitos, então também podemos pensar que, sim, ao vencer o melhor prêmio do Oscar 2014 "12 anos" contribuiu, neste importante quesito, à arte e à indústria cinematográfica.

Se os membros da academia se deram conta disso ou fizeram exatamente esse raciocínio engajado para premiar o longa, aí é outra história. Entretanto, como disse o Brad Pitt aqui (http://www.hitfix.com/news/rad-pitt-and-steve-mcqueen-on-why-people-were-ready-for-12-years-a-slave [ver 8:30]) o filme "tem pernas" permitindo que o debate circule por aí ao gosto da recepção do público. Com o prêmio na mão e a exposição mundial, agora é o que importa.
Tudo isso sem tirar o mérito artístico dos filme concorrentes. Mas engajamento político é um tempero e tanto.

D.