sábado, 12 de outubro de 2013

GUEST POST: APRENDI QUE PRECISO SER FEMINISTA TODOS OS DIAS

Esta e a imagem abaixo são do tumblr Quem precisa do feminismo?

A B. me enviou este relato da sua epifania:

Lola, venho a um tempo querendo escrever pra você. Desde o dia em que encontrei seu blog na internet, pra ser mais exata. Por um acaso do destino encontrei o seu blog através de links. Ele e vários outros blogs feministas me ensinaram tudo que eu sei sobre feminismo.
Quando descobri de verdade o feminismo foi mais ou menos como ver minha cabeça explodir na frente dos meus olhos. Tudo que eu sabia, tudo que me definia, todos os espaços não preenchidos, explodiram junto. Me tomei de uma sensação de descoberta e de revolta ao mesmo tempo. Era incômodo e reconfortante. Lembrei da palavra que define essa sensação: epifania. 
Eu tenho 25 anos, sou branca, de classe média alta. Sempre fui chamada de patricinha, sempre. 
Nunca gostei do estereótipo. Apesar de ter tido uma vida bastante abastada, meus pais sempre me ensinaram a ser simples e humilde. Nunca sofri nenhum preconceito de classe ou cor, mas mesmo eu, uma menina relativamente protegida dos males da nossa sociedade, sofri com o machismo e o patriarcado. E sempre desconfiei que a culpa não era minha.
Tive um namorado por dois anos e meio. Pra mim era normal tanto dar satisfação sobre meus relacionamentos passados quanto mentir sobre quantos parceiros eu tive antes dele, principalmente porque ele era ciumento e muito inseguro. Durante esses dois anos e meio ele construiu uma imagem minha de pureza e bondade, e sempre me disse o quanto era importante pra ele que eu mantivesse essa imagem. Tudo isso fora do quarto, é claro... pros outros saberem que a namorada dele era uma mulher decente, não uma vagabunda
Um dia ele descobriu sobre um (!) ex-namorado de vários anos atrás que eu não havia contado pra ele. Bom, nem preciso dizer que ele me chamou de vagabunda pra baixo, ameaçou terminar, ficou violento e muito alterado. Eu tive um ataque de pânico nesse dia e precisei ser levada para a emergência de um hospital, tudo porque era inconcebível ser humilhada pela pessoa que sempre me disse que ser chamada de vagabunda era a pior coisa do mundo. Esse dia, e nunca vou esquecer dele, foi a primeira vez que precisei ser feminista, pelo bem da minha saúde. Depois de melhorar coloquei na minha cabeça que eu não podia ser humilhada daquela forma nem me sentir mal por ter feito o que tanta gente faz: sexo. Mais adiante nosso relacionamento se tornou insustentável e terminou.
Na mesma época eu tinha um chefe muito machista que dizia que todas as minhas decisões eram pouco racionais e muito impulsivas, por eu ser mulher. Ele destruiu minha autoestima profissional e meu futuro na empresa. Por aconselhamento de uma colega de trabalho extremamente compreensiva a minha situação, saí do emprego
Durante esse intervalo precisei juntar grana e arrumar outro trabalho. Um amigo me ajudou a arrumar trabalho e sempre fui muito agradecida a ele, o que ele confundiu com ser fácil e estar disponível. Festas eram comuns nessa fase da minha vida, já que antes eu estava presa a um relacionamento com um cara ciumento, e depois eu queria mesmo era aproveitar.
Numa dessas festas bebi demais e caí no sono, num quarto de uma casa onde acontecia a festa. Esse meu amigo se aproveitou da situação para abrir minha calça e colocar a mão dentro. Por sorte eu acordei a tempo de não passar disso e saí correndo daquele lugar, sozinha, de madrugada, no meio da chuva. Foi outro momento muito difícil, em que eu precisei ser feminista mais uma vez, porque todos que souberam da história me disseram que eu que provoquei a situação. Sabe lá o que ele iria fazer comigo, mas as pessoas riam da minha cara quando eu falava que tinha sofrido uma tentativa de estupro.
Sempre fui uma mulher forte e superei esses traumas. Consegui seguir em frente e tentar outros relacionamentos. Quando descobri o feminismo tive de lidar com a realidade de que eu tenho que ser feminista todos os dias. Não posso me envolver em relacionamentos abusivos nem permitir que me culpem pela violência dos outros, pela falta de respeito ao meu corpo. Tenho que estar sempre atenta pra não deixar o patriarcado me derrubar, porque sou mulher e vou lutar pelos meus objetivos. Vou lutar para que mais mulheres possam atingir os objetivos que almejam. 
Na sociedade em que vivemos, todos que são livres pagam o preço: eu não tenho tido relacionamentos duradouros desde que resolvi que não admitiria machismo na minha vida, e ainda assim sou grata por não ter sofrido nenhuma outra violência, verbal ou física. Não é fácil levantar a bandeira feminista, assim como não é fácil acordar todos os dias e saber que a opressão faz parte do nosso dia-a-dia, e prejudica principalmente a população mais pobre. Mesmo assim eu sei que um dia vou encontrar alguém que divida esses ideais comigo.
Mas, Lola, sempre que eu venho aqui, leio o que você e outrxs blogueirxs escrevem, eu tenho força. Eu tenho força pra pedir salários iguais, pra combater a violência contra a mulher, pra lutar contra esse sistema que não me representa. E é isso que peço a todxs que estão nessa luta comigo: força!

26 comentários:

Anônimo disse...

Você mente, ele fica puto e tu reclama menina?

Olha a racionalização e inversão de culpa.

Concordando ou não com ele achar certo ou errado tu ter dado para outros, dentro de uma relacionamento a base é a confiança, e você mentiu dando uma imagem que não era verdadeira. Seu namorado tinha toda o direito do mundo de querer, concordo você ou não, uma mulher com características X ou Y. Cada um com suas preferências, assim como você tem todo o direito de ter as suas. E ele tinha todo o direito de ficar irritado ao ver que foi enganado.

O erro dele seria apenas passar da irritação para a violência fisica, que deve ser usada apenas em legítima defesa, se ele fez isso.

O correto nessa situação seria ele ter terminado com você no ato por não ser digna de confiança, não ter caráter, ser uma mentirosa e ainda por cima inversora de culpas.

lola aronovich disse...

Ai, ai, o primeiro comentário já é de um mascutroll (que obviamente dirá que não é mascu nem troll, quer apostar?). Mascus e demais machistas creem que uma namorada deve ser fiel retroativamente. Ou seja, antes d'ela saber da sua existência na Terra, ela já deveria ter se guardado pra ele. Senão, não presta. Mascus inclusive tem um "método" de MENTIR e fingir que incentivam as "putarias" (ou seja, fazer sexo, ou mesmo ficar, já se inclui no pacote) para, assim, comprovar a culpa da moça (com mascus não existe o princípio da inocência -- toda mulher é considerada culpada desde o início, e não existe mulher exceção). Pra eles, "ter caráter" é mentir pra mulher, exigir que mulheres sejam virgens, homens sejam experientes, homem trair (sob a ideologia de que homem "é assim mesmo", e gosta de sexo, enquanto mulher... mascus nunca ouviram falar em clitóris), etc etc. Isso é ser um homem honrado. Mulher honrada, pra eles, não existe. O máximo que pode acontecer é encontrar uma mulher virgem, casta, silenciosa, que não tenha nenhuma ambição "carreirista", e assim domá-la para que crie seus filhos (enquanto o mascu continuará frequentando prostitutas, porque homem é assim mesmo).
Diante de um quadro desses, por que alguma mulher sonharia em seguir esse plano na vida? Alguma mulher pode mesmo dizer que esta é a vida que pediu a deus? Ser casada com um bronco que a trai, que não fala com ela, que a despreza, que não está nem aí com seu prazer (pois mascu acredita que mulher não gosta de sexo)? E ter enorme dificuldade em sair dessa vida porque não trabalha, não estuda?
Felizmente, este é um modelo utrapassado, e poucas mulheres aceitam ter esse tipo de vida "honrada" hoje. Mascus sabem disso. Esse é o choro deles, de que não existem mais mulheres dispostas a levarem uma vida tão triste.
Então, meninas: se aparecer um carinha, qualquer carinha, com esse papo de "mulher pra casar" e "mulher pra transar", querendo saber quantos parceiros vc teve, exigindo fidelidade retroativa, e morrendo de ciúme de todos os seus relacionamentos, PULE FORA. Na hora. Não importa se o cara é bonito, se parece legal, se tem um bom papo (características ausentes em 99% dos mascus mesmo). Sério mesmo, vale a pena ter qualquer tipo de relacionamento com um cara que te odeia porque vc fez sexo com alguém antes dele?

Anônimo disse...

Anônimo das 11:27
hahaha
psicólogo meu filho, é disso que vc precisa!

Hamanndah disse...

O erro dela foi continuar uma relacao com um homem com quem e preciso mentir sobre o passado sexual dela

E vc tem tanto carater que nem seu nome tem coragem de assinar

Hamanndah disse...

Moca, boa sorte! Vc merece um homem bem melhor que aqueles tres idiotas - seu ex-amigo estuprador, seu ec-namorado e o primeiro comentarista babaca la em cima, que nao tem coragem nem de assinar o proprio comentario...BABACOES OS TRES

Thais disse...

Lola, estava assistindo um programa sobre ciganos na tv a cabo, tipo um reality show, e o machismo lá chega a níveis alarmantes, mas não muito diferente do que era a sociedade INTEIRA há poucas décadas atrás.

Nessa família cigana as meninas, duas adolescentes, mal sabem ler e escrever, hoje, em 2013. Isso porque elas são de uma família abastada e moram em Nova York.

Depois que se casam (e todos casam-se cedo) tem que aceitar que os maridos saiam pra se divertir enquanto elas ficam em casa cuidando dos filhos. Eu fico assistindo esse programa e imaginando.. e se elas não quiserem/aceitarem essa vida, pra onde elas vão correr? Se saírem desse fórmula elas serão banidas, estarão sozinhas porque não tem família nem amigos fora da comunidade cigana. Não tem estudo, mal sabem ler. Elas estão presas. E era igualzinho para TODAS as mulheres há algum tempo atrás.

Assistir esse programa é um epifania pra mim.

Larissa disse...

Deixa o troll, gente. Deixa ele chegar ao fim da vida e perder todas as oportunidades de ser feliz com alguém, de ter alguém que te complemente e te faça caminhar; de ter alguém que te apoie, o compreenda e o ame sinceramente. Deixa ele dar com a cara na porta e viver todos os relacionamentos errados possíveis. Deixa ele ceder ao Ego dele e perceber que mesmo fazendo tudo o que a sociedade manda ele não conseguiu ser feliz nem realizado. Eu torço pra que ele seja uma pessoa bem novinha, que dê tempo pra ele perceber todos os erros que cometeu e corrigi-los. Sou otimista, sabe.

Anônimo disse...

Ao contrario do que a sra Lola e comentaristas tentam fazer parecer, eu não defendi a opinião do cara de querer uma virgem santa. Até porque eu apesar de não gostar de mulheres de passados promíscuos de sexos grupais e coisas do gênero, não me incomodo de me relacionar com mulheres que já tiveram outros homens.

EU defendi que ela errou em mentir para ele. Ela não precisava continuar a relação com ele se ela acha isso machista e errado, não precisava nem contar que já tinha dado para outros nem nada, poderia ter simplesmente terminado, mas saber que seu parceiro tem um pensamento sobre certa conduta e deliberadamente MENTIR para esconder que você não se enquadra no padrão que ele deseja é certo agora?

Assim como ele estaria errado se ela falasse que não gosta de homens que querem que a mulher seja dona de casa e ele mentisse dizendo que não é assim e depois começasse a exigir que ela fosse.

Apesar de vocês discordarem dos pensamentos dele, o que é direito de vocês, se a pessoa teve toda a liberdade de pular fora, ela não está errada em mentir? Ele pode ter a opinião e desejar a parceira que ele quiser, assim como ela. Se o cara não usou de violência ou coerção, ela errou sim. Quero ver um argumento contra o que falei, e não mimimi macutroll mimimi come ninguém mimimimi

Thaís B disse...

Anônimo das 11:27

LOLOLOLOLOLOL, o problema está na mulher que não tem obrigação nenhuma de contar o passado amoroso dela, e não no doente que precisa saber sobre cada homem que ela já namorou?!

Anônimo disse...

Então, meninas: se aparecer um carinha, qualquer carinha, com esse papo de "mulher pra casar" e "mulher pra transar", querendo saber quantos parceiros vc teve, exigindo fidelidade retroativa, e morrendo de ciúme de todos os seus relacionamentos, PULE FORA. Na hora. Não importa se o cara é bonito, se parece legal, se tem um bom papo (características ausentes em 99% dos mascus mesmo). Sério mesmo, vale a pena ter qualquer tipo de relacionamento com um cara que te odeia porque vc fez sexo com alguém antes dele?

___________________

Isso sim seria a atitude correta para uma feminista ou qualquer pessoa que não ache certo o cara não gostar de mulher que já deu para muitos caras.

Se o cara começa a perguntar é porque se importa então chuta ele horas, agora mentir e ficar revoltadinha se o cara ficou puto pois investiu anos em um relacionamento com alguem que ele pensava se enquadrar no que ele acha que é digna de um relacionamneto e depois descobriu que era mentira? Não faz sentido.

Invertendo a situação, e se você, feminista, ao conhecer o cara ele, machista, se interessa em você e, sabendo que tu és feminista, resolve mentir e se fingir "homem moderno" ou até mesmo feminista também. Depoi de dois anos namorando, já planejando o casamento e o nome dos filhos, cheia de esperanças, feliz com a relação, tu descobres que na verdade ele é um machistão e espera que tu fiques em casa, cuide de 5 filhos, aceite as traições e nunca saia sem a permissão dele que provavelmente não será dada?

Óbvio que, para você, essa pessoa é inadequada para um relacionamento sério. Mas essa mentira da pessoa fez vocÊ deixar de conhecer outras pessoas nesse tempo que poderiam ser "a" pessoa. Fizeram você perder tempo. Perder tempo nas brigas. Perder tempo cedendo e fazendo ceder. Perder tempo planejando o futuro. Criar esperanças, esperanças criadas com base nas mentiras do outro.

E aí, não ficaria putas não? Eu ficaria.

Pessoal tem que parar de ser ferro e fogo "ahn é mulher então ta certa" ou "é machista então ta errado". Tem que analisar com mais imparcialidade. Até porque nem tudo é preto-no-branco. Te muitos tons de cinza. Numa mesma situação podem haver 2, 3, 4 errados, uns mais, utros menos, enfim.

Logo, quanto ao gosto dele, pode ser que seja machista, mas ele não forçou isso nela. Ela mentiu porque quis. Logo a revolta com a indignação dele ao descobrir a verdade não procede, posto que ela deveria ter terminado e se juntado apenas com quem partilhasse das ideias dela ou estivesse apto a aceita-la, e não mentir para quem discorda.

Esse raciocínio é uma questão de razoabilidade.

Anônimo disse...

Hamanndah disse...
O erro dela foi continuar uma relacao com um homem com quem e preciso mentir sobre o passado sexual dela


-----

Ora, e nisso concordamos, foi o que eu falei. Não defendi nem critiquei ele achar errado ela ser ou nao ser virgem, apenas apontei que ele, que tem o direito de querer ou nao uma virgem, sendo isso machismo ou nao, certo ou errado, e ela tem o direito de nao se-lo e de nao dar satisfação pra ninguem tambem e de ficar com quem n~çao ligue para isso, mas não de mentir e enganar o parceiro, logo nao procede a revolta dela pela indignaçao dele ao descobrir que foi ENGANADO. Assim como se eu mentisse para uma namorada e ela ficasse indignada por ter sido enganada - coisa que na verdade já fiz, me arrependi e contei a verdade - ela poderia até estar errada na "matéria" do que ela "gosta ou não", mas gostar ou nao de algo continuaria sendo direito dela e eu continuaria estando errado.

O exemplo que falei foi com pegar outra enquanto apenas ainda ficávamos. Menti falando que não estava pegando ninguém e que nao pegaria ninguem, apesar de nao termos um compromisso "oficial" ainda.

Talvez toda a questão de exigir fidelidade de um parceiro seja errado, será que fomos feitos mesmo para a exclusividade? Não sei, mas ainda que o certo seja "amor livre", eu estava errado pelo simples fato de mentir para ela. Se eu queria "relação aberta" eu pdoeria ter procurado alguem que aceitasse isso, e não enganar uma pessoa.

Porra, é tão simples esse raciocínio não sei nem porque estão me xingando.

Uma cosia é ser femiista ou não outra que vocês e a direita e a esquerda e quase toda grupo que conheço estão fazendo é polarizar então como se ve os problemas contra os quais vocês lutam sempre, aí parece que tudo é e que nunca pode ninguem aí estar errado.

Isso leva a falta de diálogo e a paralização na evolução da ideologia.

Começam-se a criar dogmas. Qualquer um que vem falar algo diferente já passa a ser xingado como se repesetasse o exato oposto.

Anônimo disse...

Deixa o troll, gente. Deixa ele chegar ao fim da vida e perder todas as oportunidades de ser feliz com alguém, de ter alguém que te complemente e te faça caminhar; de ter alguém que te apoie, o compreenda e o ame sinceramente. Deixa ele dar com a cara na porta e viver todos os relacionamentos errados possíveis. Deixa ele ceder ao Ego dele e perceber que mesmo fazendo tudo o que a sociedade manda ele não conseguiu ser feliz nem realizado. Eu torço pra que ele seja uma pessoa bem novinha, que dê tempo pra ele perceber todos os erros que cometeu e corrigi-los. Sou otimista, sabe.

12 de outubro de 2013 13:07
_-------------------


Mas agora eu preciso de um relacionamento para ser feliz? A vida se resume a "ter alguém"?

Espero que VOCÊ seja jovem e tenha tempo de perceber que a felicidade está dentro de nós, e que quem busca a plenitude e a felicidade em outra pessoa está fadado ao amargor.

Claro que podem haver relacionamentos bons e ruins e de todo o jeito entre esses dois. Mas relacionamento é só UMA PARTE da vida, não o OBJETIVO MOR A UNICA FORMA DE FELICIDADE como você faz parecer que pensa no seu texto.

Será que sou eu que faço o que a sociedade manda ou você que está embriagada pelos romances das novelas e pelas propagandas de margarina e de dia dos namorados e acha que relacionamento é tudo?

Anônimo disse...

Thaís B disse...
Anônimo das 11:27

LOLOLOLOLOLOL, o problema está na mulher que não tem obrigação nenhuma de contar o passado amoroso dela, e não no doente que precisa saber sobre cada homem que ela já namorou?!

__________

O problema está nela mentir para alguém que depositava confiança nela e que tinha planos que obviamente, como eu falei, dependem de a pessoa se enquadrar no que você acha bom ou ruim, e isso é sujetivo. Para isso que fazemos perguntas e buscamos conhecer as pessoas em vez de simplesmente dar um beijo e casar no mesmo minuto.

OBVIAMENTE QUE ELA NÃO TINHA OBRIGAÇÃO de falar com quantos homens já transou, beijou ou qualquier coisa, mas num relacionamento padrão assume-se o compromisso com a VERDADE. Ela poderia ter simplesmente terminado. Ter falado que acha que isso é pessoal e não quer dividir isso com ele. Mas ENGANAR alguem é errado, assim como se fosse ao contrário - como eu falei em meu exemplo quando eue enganei uma namorada - seria errado também, como eu mesmo apontei que estava errado.

Doki☺Heytor disse...

Situação difícil essa, mas é quase que inevitável... Com a mudança de visão é difícil não se incomodar com as coisas que acontecem com a gente, diretamente ou não. E pior ainda é quando falta apoio das pessoas próximas. Força pra lutar!

sabe, ate entendo que o camarada tenha se irritado e chateado com a "mentira"... Mas ele não é pressionado a ser puro e recatado, ao contrario do que acontece com as mulheres. Então vem o pior e o mais grave disso, ele mesmo tinha na cabeça essa imagem como padrão das mulheres....

Anônimo disse...

Cada vez menos creio q feministas querem igualdade,querem superioridade,tanto é que n admitem os proprios erros e se fazem é dando um jeito de culpar o machismo.
Ela mente para o cara e ele nem pode ficar irritado?podia ter falado a verdade ou mandado ele pastar mas preferiu mentir.
Sem falar na contradição,diz odiar machistas mas cria uma falsa imagem de si mesma para agradar e continuar com o cara machista.

Anônimo disse...

Sabe o que me apavora?
Desse caras acharem que porque eu sou virgem eu sou a mulher ideal.

Imagina, ser um imã pra esse tipo e homem? arghhh

Anônimo disse...

oi lola ,achei um video no youtube com um documentário curtinho sobre mulheres q n se depilam,bem legal,mas da para imaginar o nivel de comentários babacas q tem no video.

http://www.youtube.com/watch?v=Tj0_w-Pljtw

Laura disse...

Oi, adorei o relato. Alias, adoro quando a Lola convida as pessoas a darem o seu testemunho. Isso personaliza o feminismo, o traz para mais perto da gente. Eu me identifiquei muito com esse relato, pois antes nao conhecia o feminismo, mas mesmo assim não aceitava muitas imposiçoes/restrições devido ao fato de ser menina/mulher. O trecho em que a autora trata da dificuldade em manter um relacionamento duradouro sem se submeter ao padrao (ter que ser submissa, boazinha, pura, etc) é muito real. Ja passei por quase todas essas mesmas dificuldades, imagino que uma quantidade enorme de mulheres leitoras também. Parabéns pela coragem de escrever e lutar por mudanças !

Isabela Kanupp disse...

Esse foi um dos melhores guests que li. E eu que nunca comento resolvi comentar. A Lola sabe, essa foi a exata sensação que tive quando descobri o feminismo: epifania.
E tive essa mesma coisa que você esses dias: preciso ser feminista todos os dias, reafirmar meu feminismo, colocar a prova. É difícil, é complicado, mas eu fico muito feliz quando escrevo um texto e vejo que ajudei outras mulheres. Tem recompensas! Só serei livre quando outras mulheres também forem!

Um beijo!

Aline disse...

Vi sobre os pelos, gostei deste também: http://youtu.be/ks0THJBPwpk
Ela defende que se difunda as idéias, mas mais importante que isto, é que vá a luta e dê o exemplo.

Maria Valéria disse...

Bom eu ja tive uma relação ( affhhhh) que em menos de 3 meses me deixou com NOJO do cara.
Ao ficar insistentemente me interrogando sobre " o ultimo com quem eu havia ficado" antes dele, contei, e tive que ouvir chororo de " como vc fez isso comigo,se eu estava ali o tempo todo a sua disposição?"
!!!
Nem precisa dizer que terminei com ele me xingando de vagabunda para baixo nas redes sociais, porque tive a " ousadia " de dizer que nao o queria mais,
Isso aconteceu ha uns 8 anos, e so ha uns 2 anos parei de remoer isso,nunca o amei mas o que ele me fez depois do termino foi imperdoável.
Esse mes ele teve a ousadia de pedir pra ser meu amigo no Facebook ,depois de tudo o que me fez,depois de toda a difamação de ameaças que fez.
Mandei pros quintos,disse que se ele me tentasse contato comigo de novo eu chamaria a policia,e depois bloqueei no Facebook.
Aviso as novatas : FUJAM, saiam correndo de homem que interroga ou enche o saco por causa do seu passado sexual , e depois nao digam que nao avisei.

Cora disse...


ela não mentiu, já que disse claramente que costumava dar satisfação da vida passada pro namorado. ela simplesmente omitiu, provavelmente porque não era importante ou relevante.

o erro dela foi esse, aliás. continuar um relacionamento com um homem inseguro e que pede satisfação sobre o passado, se importa demais com isso e se sente no direito de questionar ou reclamar sobre isso.

reforçando a fala da Maria Valéria, FUJAM de homens assim. o cara está com você ou com as pessoas que estiveram com você no passado? pensem nisso. a partir do momento em que alguém que nem faz parte mais da minha vida passa a ter mais importância e mais relevância do que eu pro meu namorado, PASSOU DA HORA DE PULAR FORA!!! ou a pessoa se relaciona comigo, ou com os outros. ficar com os outros através de mim? sem chance!

a vida é curta demais, frágil demais, difícil demais, pra gente gastar afeto, atenção e comprometimento com quem tá mais preocupado com os outros do que com quem tá com ele.

auto-confiança não faz mal pra ninguém!!

Anônimo disse...

Machistas, saibam que vocês são, invariavelmente, enganados, mas não por culpa das mulheres, e sim porque vocês próprios adoram se autoenganar acreditando no mais sonhador dos engodos "mulher não gosta de sexo". Raciocinem um pouco e verão que enquanto vocês continuarem assim, continuarão sendo enganados. Percebam que o mundo de fantasia onde mulher não gosta de sexo foi criado por vocês, machistas. Mulher gosta de sexo (e não é pouco), apesar de todos os esforços sociais cruéis para que esse fato seja mudado(como estupros e demais controles sobre o corpo feminino). Mulher gosta de sexo (repitam mentalmente 50x por hora). Caiam na real.

Anônimo disse...

Oi Autora do post, parabéns pra você! Eh sempre super gratificante saber que o feminismo muda pra valer a vida das pessoas, e conseguentemente a vida de quem està ao redor ( pois sim, é uma sementinha que se espalha).

Mas se posso me meter... tem muito homem legal nesse mundo, muito mesmo. Tive 4 namorados serios e tudo terminou porque não era a hora, mas não eram machistas.

Sabe, tem coisas que não depende so da gente. Se o mundo do trabalho nos discrimna por sermos mulheres, se a gente tem medo de sair a noite sozinha.. tem coisas que são estruturais, e é mais complicado de mudar (embora claro, vamos continuar a lutar!). Agora, na esfera pessoal, so depende da gente de aceitar babacas ou não. Sei que as vezes é complicado de identificar, mas no primeiro sinal, caia fora.

Não podemos escolher familia, nem chefe, nem um monte de coisa. Mas o namorado sim. Eh babaca? Acha que lavar a louça é coisa de mulher? Acha que mulher deve ser pura enquanto o machinho pode comer todas? Tchauuuuu babaca! Coragem mulherada!!!

Lilith

L disse...

Lolinha, desculpa, mas vou publicar só com codinome aqui. Tá feia a coisa dos trolls, viu, tão perseguindo a gente até no face, no twitter. Não tá fácil.

Hermanita que escreveu o guest post, estamos juntas na luta! Sempre! E é isso mesmo, o feminismo é uma luta diária, que nos acompanha em todos os momentos, tem como correr disso não, é dentro de casa, na escola, na faculdade, no trabalho, nos relacionamentos.

Julia disse...

O mascu "Aline" postou um vídeo da Ayn Rand falando groselha sobre feminismo.

Nessa hora a mulher que tá falando a merda vira "racional", maravilhosa, inteligente pra eles. Eu já acho que ela tava ficando gagá mesmo.