quarta-feira, 27 de março de 2013

COMO LIDAR COM A PRESSÃO PARA TER FILHOS

"Não quero ter filhos. Isso não me faz menos mulher, nem uma pessoa ruim"

A N., de 24 anos, me enviou este email:

"Oi, Lola! Eu era uma pessoa 'normal' na vida, cometendo normalidades atrozes como ofender as feministas com todos aqueles adjetivos que vc deve conhecer tão bem; rindo de piadas preconceituosas. A única causa que eu defendia era a gay, e apenas a defendia por ser bissexual. Tive que ouvir muito nessa vida que eu era confusa, que tinha que me decidir ou que estava seguindo onda. Me doía e defendia, mas poxa, e a dor dos outros? Dói diferente da minha? Então eu passei a me policiar cada vez mais nos preconceitos, até naqueles mais 'inocentes', como o musical.
Mas ano passado, com a Marcha das Vadias, eu fui atrás porque gosto muito de saber o porquê das coisas, e vi uma causa legítima. E vi que eu falava mal do feminismo por não conhecê-lo. E não me lembro bem como cheguei no seu blog, mas foi em meio a vários links que levam de um lugar ao outro. Li muito dele, salvei e baixei livros feministas, e mesmo às vezes não podendo atuar na causa de forma mais ativa, sinto que me informando melhor já melhoro como pessoa. E afinal, uma pessoa melhor no mundo não faz um mundo melhor?
Essa minha breve explicação de como cheguei no seu blog é pra embasar a minha real questão. Li num post seu que vc cita o fato de não querer ter filhos mas apenas como um fato, sem estender. Hoje eu sou casada com um homem, mas a minha decisão desde sempre é que também não os quero. Tanto que na infância eu tinha pesadelos sobre estar grávida e mesmo antes da primeira relação sexual eu tinha receios quando meu período atrasava. Vê se pode!
Meu marido concorda plenamente comigo e já pensava assim antes de nos conhecermos; até aí tudo ok. Acho que os motivos não são relevantes. O real motivo desse email é o seguinte: como lidar com a pressão social sem mandar todo mundo à m*rda e dizer: NÃO QUERO E PONTO! MEUS MOTIVOS NÃO SÃO DA SUA CONTA! Sou bem enérgica e muitas vezes pareço grossa mesmo sem dizer palavrões ou ofensas diretas. Estou tentando mudar isso também e não quero criar indisposições com ninguém, tô tentando crescer, como já disse.
Porque pros amigos, pros colegas de trabalho eu só solto um "não tenho suporte financeiro ainda, preciso de mais estabilidade", e cola. Ou ainda que não é a hora. Mas a família (mais a dele que a minha) cobra incessantemente, e quando me perguntam quando eu terei meus filhos, já soltei alguma coisa próxima com: "Talvez na próxima encarnação". A cobrança foi ficando maior. Eu já pensei até em falar que somos incompatíveis geneticamente, ou que um de nós é estéril. Mas tem aquela né, pra quem não queria, andou pesquisando a fertilidade demais. 
Como se defender de gente que acha que eu sou obrigada a por filho no mundo só porque eles fizeram? Você pode falar sobre o assunto? Sobre mulheres em geral que optaram não ter filhos e porque elas não são a face do mal que há no mundo?
Outra parte do assunto é além disso o meu medo pavoroso e galopante de engravidar. Eu odeio camisinha (e sei que não estou certa), mas pra mim é incômodo e desconfortável, e se tiver ela na jogada, meu prazer some. Eu tomo pílula de 24 comprimidos, mas se eu esqueço uma eu fico o resto do mês sem sexo, só de medo. E as injetáveis, já ouvi muitas histórias que se aplicada de forma errada, ou se faltar uma gota, já tem um risco. Um gineco me indicou o DIU de hormônio que diz ter validade de 5 anos. Mas eu temo tudo! Sempre acho que aquele 0,0001% vai ser eu. Como lidar?
Excelente seu blog, você é uma pessoa linda e que precisamos de muitas assim no mundo. Tudo de ótimo pra você. Só tenho a agradecer, várias vezes, por seus textos."

Minha resposta: A pressão pra ter filhos realmente é grande, e maior pra mulher que pro homem. Eu me lembro de muitas vezes que fui cobrada por quase desconhecidos pra "cumprir meu papel de mulher", mas o maridão raramente ouviu uma cobrança parecida. Acho que a cobrança aumenta entre os 30 e 40 anos, porque as pessoas veem o período como uma última chance de te salvar. E também quando a gente está perto de grávidas. É batata que alguém vai perguntar: "E o seu, vem quando?", como se você fosse uma mulher incompleta por não ter filhos.
Hoje estou com 45 anos e devo confessar que já faz um tempinho que as cobranças diminuiram. Não sei se é porque estou começando a sair da idade fértil, porque a galera já me vê como caso perdido mesmo, ou se eu parei de ligar. Hoje as perguntas são mais no passado, porque ainda não é tão comum estar numa relação estável de tantos anos (22 anos no meu caso) sem se reproduzir.
Nunca fez parte do meu projeto de vida, nem do maridão, ter filhos. Nunca me imaginei mãe, nunca foi um sonho. Talvez por eu ser feminista desde tão jovem, eu nunca acreditei na ideia de que mulher precisa ser mãe pra se realizar, nem que mulher sem filho é "seca", nem em instinto maternal (uma construção social, como qualquer pessoa que estuda o mínimo de história pode constatar). Todo esse condicionamente passou longe de mim. Também tem um pouco de conformismo e até egoísmo na minha decisão com o maridão: nossa vida tá boa como está, pra que mudar?
A realidade é que o número de casais sem filhos só aumenta. Hoje já somos 21,7% dos lares, de acordo com o IBGE. Aliás, a "família tradicional" (pai, mãe, filhos) já não é mais maioria no Brasil, o que pros conservadores é sinal que o apocalipse está próximo. Segundo o Censo 2010, as brasileiras têm cada vez menos filhos e são mães mais tarde. A taxa de filho por mulher caiu quase 22% na última década, e hoje é de 1,86 filho por mulher (o que pode ser um problema, porque nossa população vai encolher, mas aí já é assunto pra outro post).
As mudanças são rápidas, mas a mudança de mentalidade, nem tanto. Muita gente ainda fala do Brasil como se fosse comum, hoje em dia, ter cinco, dez filhos. Quando você apresenta essa estatística pra eles (média de filhos por brasileira de 1,86), simplesmente não acreditam. Se não creem em números concretos, como é que vão acreditar que mulheres podem ser o que quiser na vida, inclusive não ser mães? Que o "valor" de uma mulher não está associado a sua capacidade de se reproduzir (ou de decorar o mundo, ou de manter-se virgem)? Você conseguiu abrir sua cabeça, mas tem gente que vai levar pro túmulo os mesmos valores de seus tataravós. Essa gente vai morrer frustrada, porque viu que foi incapaz de brecar as mudanças. Vai morrer crente que o mundo está um lixo mesmo, lamentando deixar pros filhos o legado de sua miséria.
A miséria dessa gente, no caso, é que o mundo mudou pra melhor e eles não acompanharam. 
Acostume-se, porque a pressão da parte de familiares ainda virá por muito tempo. Deixe claro que você não quer filhos, seu marido também não, e que esta é uma decisão que cabe apenas ao casal. Também saiba diferenciar: nem sempre o "Vocês têm filhos?" é uma cobrança. Às vezes é o jeito que as pessoas iniciam um bate-papo. Comigo geralmente a pessoa pergunta se tenho filhos, respondo que não, a pessoa pergunta: "Por que não?". E eu digo o que digo aqui, que nunca fez parte do meu projeto de vida. 
De vez em quando a pessoa fica muito decepcionada com a resposta, como se eu estivesse deixando o planeta na mão, sabe, e aí eu emendo que talvez eu ou meu marido sejamos estéreis, porque a gente já tá junto faz tanto tempo e nunca engravidou. Mas esta não é uma boa alternativa, porque a pessoa pergunta: "Você já fez exames?", e eu digo que não, já que nunca quis ter filhos, e a pessoa termina com um "Mas você sempre pode adotar". Ou seja, fica um diálogo de surdos, com a boa alma querendo resolver um problema que nunca foi um problema.
E lembre-se que, se você tivesse um filho, alguém te cobraria pra ter mais um. Se você tivesse dois meninos, alguém iria falar pra você tentar ter uma menina. Se você tivesse três, alguém te diria que é filho demais. E se você estivesse grávida, todo mundo iria passar a mão na sua barriga. Ou seja, intrometidx é o que não falta.
Agora, isso que você descreve de pânico de engravidar é algo que tenho ouvido com certa frequência ultimamente.
Não entre em pânico! Tome todas as precauções. Infelizmente, você fazer uma ligação de trompas ou seu marido fazer uma vasectomia é muito difícil. Muito médico se recusa a realizar essa cirurgia em alguém sem filho. Continue tomando sua pílula, torça pra que a pílula masculina venha logo, acompanhe o ciclo do seu corpo, e tenha cuidado com qualquer medicação que possa alterar o funcionamento da sua pílula. Assim as chances de engravidar são pequenas. Mas nada de paranoia. Prevenção é uma coisa, pânico de engravidar é outra.
Voltarei ao assunto de não ter filhos, pois é uma pergunta constante, que várias leitoras fazem. Ah, já falei um pouquinho sobre ter filhos como missão aqui.

182 comentários:

Anônimo disse...

"instinto maternal (uma construção social, como qualquer pessoa que estuda o mínimo de história pode constatar)"

Seja mãe. Não precisa se reproduzir, adote. Seja mãe por um dia e você verá se esta "convenção" é somente uma "convenção".

Anônimo disse...

Que bom que falou sobre o pãnico de engravidar Lola, pois parece ser o caso dessa moça,não transpareceu que ela não queira por razões lógicas, mas sim por medo. O que merece tratamento psicológico.De outro ponto, é bom lembrar que a vida é dinâmica, portanto, opiniões e decisões mudam com o tempo.

Rafael

Laura disse...

Oi Lola, muito bom o post. Sinto muito essa pressão para ter filhos. Outro dia uma tia na melhor das intenções disse que eu teria que me agilizar se quisesse ter filhos saudaveis.
Eu ainda nao sei se vou ter e quando vou ter, mas essa pressao sobre a mulher é muito ligada ao fim da idade fertil por volta dos 40 anos. Acho que além do machismo e do papel de reprodutora, esta questao é relacionada ao tempo que a natureza nos impoe.
Na França ha um debate sobre o congelamento de ovulos ser oferecido pelo sistema de saude publico. Eu super apoio esta idéia, pois tira muito da pressao das mulheres em terem que engravidar aos 30, justamente quando estao investindo pesadamente em suas carreiras. Que maravilha seria as mulheres poderem ter filhos aos 50 anos, assim como é possivel para os homens!

Patty Kirsche disse...

Haha, há alguns dias, conversei com uma moça na fila do mercado. Ela estava toda orgulhosa comprando biscoitos para o filho. Minha mãe disse a ela: "Você tão jovem, já tem filho..." Ela respondeu: "Que jovem nada, já vou fazer 26 anos!". Tem gente que acha ainda que precisa ser mãe, que é o destino natural de uma mulher e tals. É essa ideia reprodutiva da mulher que coloca essa data de validade na gente. A gente só "presta" enquanto pode engravidar. Aí fica essa lenda de que a gente precisa correr pra arranjar um marido logo e ter um filho logo, pq se não...

L@r| disse...

Oi, Lola!

Adorei o post, como sempre. Apesar de eu ser feliz como mãe, se tivesse tido a oportunidade (leia-se $$), talvez não fosse, hoje. Trabalho muitas horas, longe de casa, ainda estudo, então meio que minha filha sente falta, e sofre um pouco. Me sinto responsável por não poder ser "mais mãe", se é que isso existe.

E, às vezes, fico pensando que se tivesse um teste antes da pessoa engravidar, ninguém teria me deixado ser mãe. Não projeto meu sonhos na minha filha, quero que ela seja independente financeira e emocionalmente, acredito que ela deva ter auto-estima mais que boa pra não ser vítima (nem se fazer vítima) de violência, todas essas coisas totalmente opostas às que as mães (e as famílias tradicionais) em geral querem.

Bom, apenas passei pra deixar o elogio e pra parabenizar a N, que tem bem claro o que quer e não se deixa levar por preceitos que não são dela.

Beijos a todxs!

Barbara Barcellos disse...

Eu, particulamente, acho um saco tomar pílula. A mulher que tem que se regular em tudo; nos horários, nas atenções para não esquecer, etc. E o homem ? Nada faz ? Bem, como eu li uma frase e achei ótima, é a resposta que dou para quando as pessoas-preconceituosas-retrucam quando uma mulher fala que toma pílula: "não seria mais fácil tirar as balas de um revólver do que vestir um colete à prova de balas ?" Seria mais justo se o homem tomasse pílular do que a mulher.

Bia disse...

Oi Lola,

Eu namoro a uns 2 anos e meio e faço sexo a alguns meses. MORRO de medo de engravidar, e ele também! Tomo anticoncepcional e ele nunca ejacula dentro, mas ainda assim fico na paranoia. Eu quero ter filhos, mas não agora, entende? Acabei de entrar na faculdade e penso que se viesse a acontecer, MUITA coisa iria mudar na minha vida.

Acho que o medo de engravidar é grande em todas as mulheres hoje em dia, principalmente as inesperientes como eu.

Ah, quando a cobrança de ter filhos, isso vem desde criança eu acho, porque minha mãe, irmã viviam dizendo "Ah, quando vocÊ tiver os seus vai entender" quando eu questionava algumas coisas na criação de minhas sobrinhas.

E também tem a minha cunhada, que por ser mais velha que eu é super cobrada pelo nosso sogro e nora. Sério, me dá até pena de ver como eles vivem falando "ah cadê meu netinho" e outras coisas quase TODOS os dias que eu estou lá. Eu só me salvo por ter apenas 17 eu acho.

Enfim, existe uma cobrança muito grande sobre de nós a respeito de nossos corpos: voce tem que ter filhos. Você não será uma mulher completa. Você nasceu para procriar e outras N baboseiras que já ouvi, falando para mim e outras mulheres que conheço.

Acredito que a escolha deve ser sempre nossa, individual e intransferível, mas como vivemos em uma sociedade que sempre controlou tudo na mulher, é meio difícil querer ser diferente, ter alguma autonomia sem ser vista como 'diferente' e aberração.

Beijos!

Camila Couto disse...

Lola, adoro seu blog e acompanho sempre que posso.
Eu quero ter filhos (ops!). Tenho muitas amigas que decidiram não ter filhos, sejam casadas ou solteiras e nossa amizade sempre permitiu conversar abertamente sobre isso. Claro que perguntei porque, mas isso foi mais por curiosidade mesmo, pra entender e saber por quê. Atualmente, eu e mais 3 amigas da faculdade nos encontramos com frequência e conversamos bastante sobre. Somos 2 que querem ter filhos e 2 que não querem. E é muito interessante ver as críticas que recebo por querer ter filhos. Já fui muito questionada por querer ter e inclusive já pensei muito se queria ter ou não, tanto nas mudanças que vão ocorrer na minha vida, no meu casamento, os problemas que podem surgir, assim como tantas coisas que vemos no mundo hoje que me fazem parar e pensar: será que quero?!

Anônimo disse...

Pra completar seu pensamento, Lola, existe uma lei, chamada lei de planejamento familiar (aqui http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9263.htm), que estabelece que a pessoa pode ser esterilizada com 25 anos completos OU dois filhos vivos.
Por lei, os médicos não poderiam se recusar a esterilizar um homem ou uma mulher que assim o quisesse, e tivesse mais de 25 anos, mesmo não tendo filhos. O planejamento familiar é um direito!

Sofia

L@r| disse...

"Instinto maternal" é primeiramente biológico. Ocitocina no teto. Depois, aquilo que esperam que você seja/sinta. E, afinal, aquilo que você quer.

Agora, também acho que, pra algumas pessoas, a decisão pode fazer sentido num momento, e depois mudar, conforme a sua experiência de vida muda. Até porque, nem todo mundo que tem filhos os têm porque a sociedade encomendou.

Posso dizer, como mãe, que essa é uma das experiências mais interessantes pra quem deseja um mundo melhor. E não porque eu me iludo achando que a minha filha vai mudar o mundo (talvez até mude, né?), mas porque você aprende a colocar os planos/as necessidades de outra pessoa acima das suas. E não porque essa pessoa no fundo te odeia e quer te ver serva, mas porque essa pessoa precisa de ajuda pra entrar no mundo. Não fazemos isso por qualquer um por quem realmente temos sentimentos elevados (família, amigos, companheirx)?

Claro, isso exige uma clareza mental bem grande (senão, seguindo essa linha, você acaba por justificar a atitude de mulheres que sofrem violência do companheiro e não o denunciam).

Enfim, acho que faz parte de uma escolha MUUUUITO BEM PENSADA ser mãe. Por isso sou à favorzona do aborto: ninguém deveria ser obrigada a se abdicar só porque o resto do mundo acha que você deveria.

Maíra disse...

N., se não me engano a vasectomia pode ser feita em homens sem filhos se for um procedimento com médico particular. Apenas no SUS existe a regra de que o homem precisa ter mais de 25 anos e 2 filhos!

Acho essa uma boa alternativa, afinal, é uma cirurgia bem simples e efetiva! Procurem um bom urologista e conversem com ele sobre isso!

Mirella disse...

A pessoa DIZ com todas as letras que não quer ser mãe, aí o que a pessoa comenta "seja mãe, você vai ver como muda".

HAHAAHAHA a humanidade vive me surpreendendo.
Mas gente, não é melhor uma pessoa, que NÃO QUEIRA ser mãe, simplesmente não ser?
Que saco isso.

Atualmente, com 22 anos, tenho certeza de que não quero filhos. Por tantos motivos que enumerar seria ridículo. O mais importante, a meu ver, é: não quero.
Ponto, acabou, aceitem. Não tenho instinto maternal nenhum, pode procurar aqui que você não vai achar. O que é completamente diferente de cuidar de ou amar uma criança, bebê, sei lá. Cuidar de um priminho meu, brincar com ele, não configura instinto maternal, pelamor.
Quanto mais meninos brincarem de boneca, mais essa balela de instinto da mulher em cuidar vai desaparecer.
Cuidar de um filho é RESPONSABILIDADE, e enquanto ela for pintada de "instinto da mulher" isenta no homem as pessoas vão repetir a ladainha.
O amor à criança, à gestação são coisas PESSOAIS. Homens querem ter uma prole praticamente tanto quanto mulheres. E podem cuidar tão bem quanto. Não é exclusividade da maternidade. E o "não querer" tampouco é exclusividade masculina, olha euzinha aqui como exemplo.

Anônimo disse...

Já eu sou louca pra ter 3 filhos, hahaha. Mas entendo quem não queira e não fico me intrometendo.
Uma coisa é perguntar "Vc tem filhos?" "Quando vai ser o seu?", não acho que isso seja má fé, é uma forma de iniciar uma conversa. Agora, ficar perguntando por que a pessoa não tem filhos é muito indelicado (e se for um problema de fertilidade que é traumatizante? É da sua conta?), e perguntar por que não quer ter também, é invasivo.
No meu caso eu corro contra o relógio biológico, daqui a pouco faço 30 e não comecei nem o primeiro ainda, por conta da carreira (moro longe do marido). Dureza.

Aline disse...

Eu também tenho certo pânico de engravidar. Não que eu seja paranoica com prevenção e tal, mas tenho pavor de me imaginar grávida, estar grávida parece até pior que ter filhos em si.

Eu tenho 27 anos, não sinto vontade nem planejo ter filhos, meu namorado idem, mas sinto certa pressão por parte da família dele, especialmente minha sogra. Sempre que o assunto surge ela diz que somos egoístas, que é "pecado" (ela nem é muito religiosa) e que faz questão de ter netos (meu namorado é filho único). Nessas horas eu só penso: sinto muito, mas se você quer tanto um bebê na sua vida, adote um. Ela é uma pessoa ótima, mas acaba sendo mais uma razão para eu não ter vontade de ter filho: ela é bastante dominadora, e sinto que em algum nível haveria certo conflito entre nós.

Talvez um dia eu sinta vontade de engravidar ou adotar, mas, sei lá, não vejo muito isso no meu futuro. Adoro crianças, mas não me vejo sendo uma mãe. E, além do mais, tenho algumas reservas à forma como a sociedade construiu a relação mãe-filho, e não me sinto inclinada a tal construção. Também não sinto nenhuma pressão do tempo, e se eu tiver essa vontade com 50 anos, farei o possível para adotar uma criança. Por enquanto, sinto que o que quer que haja em mim de sentimento materno é direcionado ao meu gato, meu legítimo filho!

Anônimo disse...

Tenho 21 anos, com o mesmo namorado há 2 e meio, morando juntos há uns meses, e já me falam "ah, QUANDO vocês tiverem filhos...".
Ele não gosta de criança. Eu até gostaria de ter um filho ou dois, mais porque acho que nós poderíamos dar a educação adequada e colocar um ser humano bom no mundo, mas com tantos dados sobre violência obstétrica, tenho ficado com cada vez mais medo do processo gravidez-parto, o qual nunca me senti muito confortável em pensar sobre. Começo a tremer só de pensar no caso de meu anticoncepcional falhar no futuro próximo.

Lord Anderson disse...

Tai uma pressão que conheço em menor escala, mas conheço.

Mas no meu caso ela vem logo depois da pergunta de quando eu vou casar...

Ja perdi a paciencia com quem repete isso frequentemente e dei resposta atravessada.


O pior é ouvir que vc é egoista, que só pensa em si mesmo e logo depois alguem perguntar, "mas quem vai cuidar de vc quando estiver velho"?

Ué?

Pensar em filhos como seguro pra velhice tb não é egoismo?

Sem contar que nem é garantido,basta ver a grande quantia de filhos que abandonam os pais idosos.

Pra todo mundo que fica perguntando eu recomendo duas xicaras de vá cuidar da sua vida.

Ajuda muito.

Roxy Carmichael disse...

1º comentário ou questão de fé
-deus não existe.
-se torne freira e descubra se você é ateia mesmo!

e olha que se a pessoa não quiser mais ela pode desistir de ser freira. pode desistir de ser mãe?é sucesso tão garantido que nem precisa sugerir que devolve o dinheiro em caso de nao gostar?

2º comentário ou não estou julgando, apenas oferecendo ajuda.
será que leu o mesmo texto que eu? fiquei na dúvida. porque no texto que eu li, ela fala que tem motivos que dizem respeito somente a ela e ao marido. os pesadelos envolvendo ela grávida são apenas um plus, um dado anedótico, talvez o mais pictórico que ela encontrou pra demonstrar essa completa falta de desejo de ser mãe.

2º comentário também pode ser definido como "ela é jovem, seguramente vai mudar de opinião quando o ultimo trem partir, ou seja lá pelo final dos 30 ou todas as minhas certezas cairão por terra e não saberei mais de onde vim, ou ainda, pra onde vou.

Camila Couto: pergunto porque você quer ter filhos. fiquei curiosa, não é uma ironia por favor não me interprete mal, um beijo

l@arl: tenho minhas dúvidas sobre esse altruísmo e sacrifício associado à maternidade. não há dúvidas que a mulher passa a pensar na cria e a colocar os interesses da mesma sobre os próprios, nem sempre isso ocorre na prática, mas a ideia, ao menos, que temos de maternidade é essa. agora será isso uma atitude verdadeiramente altruísta? me parece mais endogâmica. vejo que muitas vezes o filho é a extensão da mãe. ou seja, cuidados seriam destinados a uma extensão de si mesmo. certa vez li num jornal que um pai havia disparado tiros contra outro pai num shopping porque o filho de um não queria liberar espaço pro filho do outro no brinquedo. existem também a clássica situação da criança que está gritando, sujando, perturbando a paz dos demais, e os pais achando que esse comportamento é tão música pro ouvido dos outros quanto é pra eles próprios.
eu acho que uma atitude altruísta, entre várias, é abdicar de uma vida confortável num bairro legal,perto dos seus amigos e família e ir pra um país que não te provê boas condições materiais pra fazer trabalho voluntário, como medico, por exemplo.

Ana Carolina disse...

Um ponto que vc tocou e que me chamou a atenção no e-mail foi o da paranoia. Quando participava de aconselhamento sexual para adolescentes, essa paranoia de engravidar sempre aparecia - e é muito, muito prejudicial para a plena satisfação sexual.
Se a autora usasse camisinha + pílula, pronto, não haveria problemas, já que as falhas de um compensam as do outro. Mas mesmo se você não usa camisinha (sem entrar no mérito de certo e errado): as chances de engravidar são muito, muito baixas, e não justificam o prejuízo na vida sexual. Esse bloquei mesmo com camisinha: pq? Pq não usar qdo vc esquece uma pílula, p. ex., ao invés de ficar um mês sem transar pq o clima não existe? Essa é mais uma dessas questões da mulher x sexo que são complexas e recomendo que, se isso atrapalha sua vida (e pelo post parece que atrapalha bastante), você procure ajuda psicológica para se libertar da paranoia, pq as coisas não são bem assim.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Com esse negocio de nao usar camisinha sei nao hein
Lembrar se sempre das doencas

Anônimo disse...

*Bia acho que vc deveria se informar mais sobre o "ele não goza dentro".
O liquido pré-ejaculatório contém uma quantidade significativa de espermatozoides e a possibilidade de engravidar existe sim.

*Sobre a N. se vc e seu marido não querem filhos, sejam tão firmes com as pessoas como vcs são com a decisão de vcs.
Vc está inserida em muitos medos, medo de engravidar, medo do que as pessoas pensam sobre mim.
Acho que passou da hora de vc dizer o que pensa realmente sobre isso aos familiares e amigos, ficar se escondendo atrás de "desculpas financeiras e fisiológicas" só vai aumentar sua chateação sobre o assunto.
Uma amiga sempre disse que não queria ter filhos, e as respostas eram bem diretas quando alguém tocava no assunto, ela dizia sem titubear: eu não quero filhos, não quero ser mãe, somente eu sei do meu corpo, da minha vida e do que eu penso sobre isso. As pessoas demoram no pensamento, mas aceitam de alguma forma, pelo menos vc não dá margem para futuras cobranças.

Eu quero ser mãe, não agora, mas não sei quando, se vai ser antes ou depois dos 30, se vai ser adotado, eu não sei, só tenho a vontade de ser mãe e não temo por isso.

Cada um pensa de uma forma, e devemos respeitar a opinião de cada. Já me falaram que eu tenho que correr atrás se quiser casar e ter filhos, que tem que ser logo, mas como disse, só eu sei do meu corpo, da minha vida e o que eu penso sobre isso.

Seja mais você e pare de se importar tanto com o que as pessoas irão pensar.

Anônimo disse...

Gente, alguém me explica por que alguém que não quer ter filho é egoísta? Ou por que esse suposto egoísmo seria uma coisa ruim? Esse egoísmo prejudica quem? O sêmen? O útero? AAAffff! Argumento mais descabido!

Cética disse...

Já tive discussões homéricas com as pessoas por causa disso,sempre sendo deslegitimada em minha convicção de que não desejo ser mãe,afinal,o que eu sei de mim que as vozes da sabedoria alheia não saibam mais, não é mesmo?

Anônimo disse...

Por minha parte, mulheres que não são aptas a maternidade deveriam fazer laqueadura o mais cedo possível. Evita coisas terríveis, com pensão.

Ana Carolina disse...

E acho engraçado gente de 21, 22, casados, no meu meio social não é comum que mulheres se casem muito antes de 30, mas esse é meu meio social, claro.

~

E vou dar uma polemizada: sou a favor de ser difícil conseguir uma esterilização. Por quê? Porque apesar da vasectomia ser reversível, a laqueadura não é. E como garantir que uma mulher de 22 que não queira ter filhos agora não os queira ter em 15 anos? Com um laudo médico, psiquiátrico, todos garantindo que sim, é uma escolha consciente, tudo bem, mas acho temerário autorizar uma cirurgia mutilatória muito fácil.

RenataK disse...

Tenho 3 filhos e sei bem que ser mãe não é para qualquer uma. Acho ótimo quem decide conscientemente em não tê-los. É MUITO melhor do que quem tem para cumprir um papel social e não está nem aí para a criança. Vejo muito, muitos casos assim. O planeta já está bem povoado, então só devia ter filhos quem quer muito mesmo. Mas o que a gente mais vê é a inércia, povo tem filho como quem compra uma televisão, faz parte do porta-retrato família feliz. Isso sim é triste.

Roxy Carmichael disse...

ah sim, lola, me surpreendeu que você tenha usado a palavra egoísmo no texto relacionando a não ter filhos. entendi que foi no sentido de que os mesmos poderiam mudar a vida de vocês dois. mas vou estender o significado porque essa ideia me chama muito a atenção quando associada a maternidade. já falei algo no comentário anterior pra l@rla. o que eu mais vejo são pais que assumem claramente sem o mínimo constrangimento: aos meus, tudo, aos demais, nada. claro que isso também poderia ser dito de parentes, não necessariamente na relação mãe-pai/filho.ou amigos. mas entendo que a cultura que estamos inseridos leva ao paroxismo essa ideia (aos meus tudo, aos demais, nada) na relação pais e filhos. me surpreende também como muitas mães e pais (nem todos, claro) se mostram orgulhosamente alienados com respeito ao mundo em que vivem como se isso fosse necessário para reforçar que eles estão comprometidos exclusivamente com os filhos. isso é bastante comum especialmente quando a criança é ainda bem pequena, mas acontece também depois dessa fase. aliás, acredito que muita gente ja teve a experiencia de se relacionar com pais e mães e o tema de conversação se reduziu a filhos. anedotas sobre o cotidiano dos pequenos se tornam relatos épicos na narração dos papais e mamães deslumbrados com cria. portanto eu, particularmente (ninguém é obrigado a concordar), associo a ideia de maternidade mais ao egoísmo, narcisismo do que ao altruísmo. podem argumentar que a mãe não pensa em si, e sim unicamente no filho. eu argumentaria que primeiro não gosto dessa ideia. e também, assim como a aline, "tenho algumas reservas à forma como a sociedade construiu a relação mãe-filho" mas no meu caso não seriam "algumas" e sim todas as reservas. segundo que se a mãe mata um leão por dia pelo filho, que não se ofenda as mais sensíveis, mas essa não é a atitude que se espera de alguém que toma uma atitude consciente de ter filhos? não pediram pra nascer, vc foi lá e pôs o filho no mundo. o lógico seria que vc se responsabilize, não entendo como isso é visto como extraordinário.

Alessandro da Rosa disse...

Com 44 anos, a atriz Jennifer Aniston ainda não tem filhos. A estrela, que namora o ator americano Justin Theroux, contou ainda que não tem pressa de estabelecer uma família e, muito menos, de ser mãe.

Maria Valéria disse...

Felizmente nao sofro essa pressão.talvez porque ja devem saber que se falar besteira, vai ouvir resposta mal -educada

A ultima pessoa que me falou nisso foi um senhor de uns 60 anos. Ele disse que eu devo pensar em filhos pra ter companhia no futuro,ue, desse quando vc cria um filho penando em companhia? ...filho e um ato de amor, vc ama antes mesmo de ele nascer,vc deseja, vc quer,
E se o filho nao puder te dar de volta a "companhia" que vc espera??....

nina disse...

Mas gente, não é melhor uma pessoa, que NÃO QUEIRA ser mãe, simplesmente não ser?
Que saco isso. [2]


Tenho 29 anos, e não quero ter filhos. Acho que simplesmente tenho direito de fazer essa escolha, assim como quem quer ter filhos tem todo direito de escolher tê-los.

E essa pressão é mesmo horrível. Tenho um emprego que gosto, estudo coisas que gosto, estou fazendo mestrado e planejando tantas coisas pra minha vida e só o que eu ouço são perguntas do tipo 'mas você não vai casar? daqui a pouco vc fica pra titia' - porque claro, eu vivo pra arrumar um marido.

Ou coisas como 'ah, quando vc tiver filhos...'. Eu digo que não, obrigada, não vou ter filhos. Perdi a conta das vezes que me olham e balançam a cabeça como se eu fosse uma pobrezinha idiota que não sabe nada da vida 'tsc tsc, vc vai ver. vc vai mudar de ideia', 'eu era assim e olha pra mim agora'.

Eu só queria mesmo que as pessoas parassem de projetar em mim suas experiências. Foi bom vc ter filh@? Ótimo, fico feliz que vc esteja feliz. Mas eu sou outra pessoa, ok? Dá licença?

Anônimo disse...

Sim feministas, não tenham filhos, pelo amor de deus, NÃO TENHAM FILHOS.

Hugo disse...

"Porque apesar da vasectomia ser reversível, a laqueadura não é."

Eu acho que qualquer pessoa, seja homem ou mulher, não deve fazer esse tipo de cirurgia se não tiver certeza do que quer. Embora a reversão da vasectomia (vasovasostomia) tenha uma porcentagem de sucesso bastante satisfatória, é uma cirurgia um tanto mais complicada que a vasectomia. Além disso, caso haja alguma obstrução no epidídimo (coisa comum em pessoas que fizeram vasectomia) é necessário fazer uma vasoepididimostomia, uma das cirurgias mais difíceis realizadas por um urologista, e que tem uma taxa de sucesso bem menor.

Aline A. disse...

Lola, na boa? A maternidade é superestimada. Eu tenho dois filhos, e isso não me fez melhor nem pior. Só um pouco mais cansada...

Anônimo disse...

Lola, já viu essa situação das mulheres na Mauritânia?

http://www.poptopic.com.br/2013/03/coluna-da-chris-ja-ouviu-falar-da-mauritania/

:S

L@r| disse...

Roxy Carmichael,

Não sei se altruísmo é o que se espera de uma mãe (talvez seja a essa a visão que eu tenha, inclusive como mãe), mas como eu disse, esse é um sentimento que se pode ter por qualquer um. Dei o exemplo de família, amigos, que são mais próximos, mas acho o trabalho voluntário fantástico também!

Talvez, o "egoísmo" (com muitas haspas) seja hoje o problema mais relacionado com os podres que vemos por aí e nesse sentido, a maternidade - ou cuidar de um parente que adoeceu, ou fazer trabalho voluntário - te ensina muito, principalmente sobre você mesma, como você lida internamente com isso e o que você poderia aprimorar pra ser uma pessoa melhor, meio que de dentro pra fora... (acho que filosofei demais, malz ae se eu confundi tudo! hehehehe)

No meu caso, gostaria muito de ter ido pro Haiti na época do terremoto, por exemplo, mas minha filha já era nascida, então não pude.

Agora, sou obrigada a concordar que essa "atitude endogâmica" como você colocou é nojenta! Vide moleque que atopelou menina com jet-ski, matou e saiu ileso: é isso o que vira uma pessoa que recebe tudo o que quer sem nenhum questionamento. Por isso reitero, a pessoa precisa ter muitíssima certeza de que é isso mesmo que quer antes de ser pai/mãe, exige-se alguma noção de psicopedagogia! ;-)

lola aronovich disse...

Roxy, L@r, concordo que a palavra egoísmo foi bem mal escolhida por mim. Até porque essa é uma das acusações mais frequentes que fazem a quem não quer ter filhos. Então é concordar com quem nos ataca. Mas, enfim, eu não me sinto egoísta. Nem um pouco.


Ao mascu que disse pra feministas não terem filhos, pelamor, lamento, mas muitas feministas têm filhos. E a gente sabe o que vcs mascus acham de mulheres que não têm filhos: são todas carreiristas, deprimidas por não terem cumprido seu papel natural, mulheres incompletas, sem valia, uma total fracassada que nem te por que viver. Claro que vcs também têm a maior parte dessas opiniões sobre mulheres que SÃO mães. E nem preciso falar da opinião mascu sobre mães solteiras. Aliás, mascu não tem apreço nenhum por mães. Vcs já fizeram pesquisa no fórum com a pergunta "Sua mãe é uma vadia?", e um montão respondeu SIM. Hum... Vcs odeiam mulheres que não são mães e odeiam mulheres que são mães... Deve ser porque vcs odeiam mulheres, ponto?

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Essa ladainha de instinto materno so faz dificultar os pais gays.

Se sistema quo fica a dizer isso deveria ser um facilitador pras maes lesbicas,nao?

Mas falando sobre o tal biologicamente,se algum hormonio aumenta, aumenta em qualquer pessoa criada desde criança com imagem de bebes=sentimentalismo.
Subconsciente sabe

Anônimo disse...

Olhem que absurdo,uma criança sendo humilhada no facebook.

http://br.noticias.yahoo.com/blogs/vi-na-internet/hist%C3%B3ria-da-menina-execrada-nas-redes-sociais-por-001645982.html

Marcia disse...

Tenho 30, não quero filhos. Mas a pressão é um pé. Mas gente, a pressão sempre vem, de qualquer jeito. Vejo minhas amigas com filhos: as que tem um, são pressionadas a terem dois. As que trabalham, são pressionadas a dar atenção quase que exclusiva à criança, as que não tem renda, são pressionadas a trabalhar, como assim são só mães. E por aí vaí...

Esse esteriótipo sobre o que é a mulher perfeita é terrível, não conheço uma só se quer no meu círculo social que não enfrenta pressão por alguma coisa, solteira, casada, com filho, sem filhos.

Anônimo disse...

O medo dela é bem justificável visto que o Brasil é um dos países mais atrassados em relacao ao aborto e políticas de planejamento famíliar.
Eu e meu marido também nao queremos ter filhos e nós dois somos responsáveis por evitá-los (camisinha+pílula). Se isso te ajudar N., procure um médico e converse sobre método de longa duracao.

Esse é um dos assuntos que eu meio que já estou de saco cheio de argumentar. A maternidade é um divisor de águas, um tabu mesmo dentro do feminismo. É um dos assuntos mais cheios de falsidades, mentiras, hipocrisias, egos inflados, culpa e dedos apontados do que qualquer outro.
Alguns pais e maes se sente taaaaaaaaao acima do bem e do mal por ter feito o que até uma ameba faz - reproduzir!!!
Falam de boca cheia que se tornaram seres iluminados e superirores depois que os filhos nasceram - mas sao os primeiros a me desejar uma morte lenta e dolorosa quando digo que nao quero ter filhos. Falam do seu altruísmo, mas nao deixam de citar que quando estiverem velhos os filhos vao estar lá para limpar seus traseiros e pagar suas contas.

Acredito sinceramente boa parte dos pais nao sao assim, mas há uma parte proporcional de pessoas que colocam uma crianca no mundo para ter status, para se auto-realizar, para ter um "investimento" que pode trazer algum lucro e seguranca no futuro e nao simplesmente para "se doar" a alguém.

Aninha

Roxy Carmichael disse...

l@arl
nao filosofou demais não! eu acho entendi o que você disse e foi muito bonito. pensar nessa transformação interna que opera em alguém quando ela se dedica a alguém, seja um alguém mais frágil como um bebê, seja alguém que está doente e requer cuidados, seja um alguém conhecido ou desconhecido. muito obrigada pela resposta. é que às vezes me desanima tanto essa ideia endogâmica da família que nubla as possibilidades de uma família, ou de uma maternidade ou paternidade comprometida com os seus, claro, mas também com o mundo. acho que isso vem expresso em frases aparentemente positivas como "quero um mundo melhor pros MEUS filhos". poxa, eu quero um mundo melhor pras futuras gerações sim, mesmo que não exista um descendente meu dando volta, mas também quero um mundo melhor pras pessoas agora nesse momento. sejam elas crianças com um futuro pela frente, sejam elas idosas, quero que essa pessoa tenha uma vida digna também ainda que dadas as limitações da propria espécie, um idoso nao tenha uma vida longa pela frente. enfim, era isso.

Anônimo disse...

feministas devem ser pessimas mães, especialmente se forem mães de meninos, devem destrui-lo psicologicamente.
Portanto estou de acordo com o post.

Anônimo disse...

L@rl: "Posso dizer, como mãe, que essa é uma das experiências mais interessantes pra quem deseja um mundo melhor. E não porque eu me iludo achando que a minha filha vai mudar o mundo (talvez até mude, né?), mas porque você aprende a colocar os planos/as necessidades de outra pessoa acima das suas. E não porque essa pessoa no fundo te odeia e quer te ver serva, mas porque essa pessoa precisa de ajuda pra entrar no mundo. Não fazemos isso por qualquer um por quem realmente temos sentimentos elevados (família, amigos, companheirx)?"

Eu como pai há três anos só posso concordar: eu me tornei um ser humano bem melhor depois que minhas filhotas nasceram. Por muitos anos eu também não queria ter filhos, mas aos 30 e pouco me veio uma crise existencial cuja resposta foi a paternidade. Foi uma das decisões mais acertadas da minha vida! Filho dá um trabalho absurdo (e quando não queria filho só pensava nisso), mas a recompensa é imensa. Abs!

Má disse...

Ih anônimo, foi mal mas ta cheio de mãe feminista por aí, criando suas meninas de chuteiras e meninos usando cor de rosa. Meus sentimentos pela sua frustração.

Elen disse...

"Eu namoro a uns 2 anos e meio e faço sexo a alguns meses. MORRO de medo de engravidar, e ele também! Tomo anticoncepcional e ele nunca ejacula dentro, mas ainda assim fico na paranoia. Eu quero ter filhos, mas não agora, entende? Acabei de entrar na faculdade e penso que se viesse a acontecer, MUITA coisa iria mudar na minha vida. "

A não ser que você tenha alergia e não possa usar,não é mais fácil usar a camisinha para dar mais segurança?


Eu não entendo tanta aversão a ela,a pessoa prefere correr o risco com o coito interrompido do que se proteger.
Esquece até das doenças,pilula impede alguém de pegar aids,herpes...?


Eu não quero filhos e duvido muito que vá querer,eu não sofro muita pressão pra isso,mas se eu conto que não tenho nenhum desejo de ser mãe ,me olham espantados.
Aí vem aquele frase que eu odeio
" ah eu também não queria e agora tenho!"

E não sei onde entra egoísmo nisso,estou sendo egoísta com quem? com o filho que nem nasceu? com meus pais? se for com eles,posso dizer que também são egóistas porque querem um neto e estão se lixando para a minha opinião.

E isso de quer ser mãe te torna um ser melhor é muita mentira,é só mais uma baboseira para a gente acreditar que ser mãe é maravilhoso e é nosso destino,o que não falta é mãe maltratando filho,jogando no lixo e pais também.


"Ou coisas como 'ah, quando vc tiver filhos...'. Eu digo que não, obrigada, não vou ter filhos. Perdi a conta das vezes que me olham e balançam a cabeça como se eu fosse uma pobrezinha idiota que não sabe nada da vida 'tsc tsc, vc vai ver. vc vai mudar de ideia', 'eu era assim e olha pra mim agora'."

nossa...fiquei com raiva só de ler isso.

Anônimo disse...

"ser mãe não é para qualquer uma" - existe um mito de que pra ser mãe precisa ser fodona. precisa não: precisa querer e não ser burra. tem muita mulher fodona que poderia ser mãe, mas não quer.

Babi disse...

Eu aprendi a responder a essas pessoas chatas que ficam perguntando "e aí, quando vao ter filhos?" com um "quando Deus quiser!".
Ninguém pergundta mais, cada um tira as suas próprias conclusoes e pronto!
Também já cansei de tantar desviar da resposta polêmica "nao quero filhos" e acho essa respostinha amelhor de todas, ainda que pra mim nao significa nada, nem sei se em Deus eu acredito...
Moro na Alemanha e aqui é falta de educacao perguntar isso, vc nunca sabe se a pessoa quer filhos e nao pode ter, se esta tentando e nao consegue ou se simplesmente nao quer. Acho uma maravilha!

Rob disse...

Leve na brincadeira,sempre funciona,as pessoas desanimam quando percebem q vc não leva um assunto a serio.Tipo,se alguém perguntar se vc não quer engravidar vc fala "ô,é pra amanha já"ou então"já to gravida"e se a pessoas perguntar toda feliz"mesmo!?"vc diz"Há,pegadinha do malandro",não esqueça de fazer os dedinhos e dar aquele sorrisinho maroto.

Ane disse...

oi Lola,
tenho 25 anos, namoro há 6 e definitivamente não quero filhos. Pode ser que mude de ideia, mas para mim a realização profissional e pessoal está acima disso. Meu namorado quer filhos, não sei oque vai ser, mas enfim. O que sei é que tenho fobia de engravidar sim, deve ser psicologico, tomo toda precaução possível pra isso não acontecer, mas não quero mesmo de verdade. Enfim, vejo isso com meu circulo de amizades também, que sao meninas formadas e independentes, só não sei como fica por aí.
Por enquanto nunca fui cobrada, mas sei que logo começa as pirações hehehe!

Renata* disse...

Sempre ouço "Ahh, você diz que não quer agora, mas daqui uns anos...."

"Eu também pensava assim quando tinha a sua idade, mas mudei de idéia. Você também vai mudar!"

"Quando você tiver filhos, vai ver como é bom!"

Tem gente que diz que ter filhos é uma experiência fantástica, que se tornaram pessoas melhores e tal... mas eu acho que isso deve ser pra poucos.

Na minha família NINGUÉM se tornou uma pessoa melhor depois de ter filhos; na verdade, alguns pioraram. Dos amigos, só sei de 1 casal que mudou pra melhor, o resto continua fazendo m*rda.

Deveria de ter um teste psicológico pra pessoas que querem ter filhos, pra saber se essas pessoas realmente são competentes para tal, pq olha...

Aline disse...

Sinceramente, acho que o "egoísmo" a que nossos pais, avós, sogros etc. se referem nesses casos é algo como: NÓS nos sacrificamos por vocês, NOSSOS filhos que NÓS escolhemos ter; agora é hora de vocês fazerem o mesmo e se sacrificarem por seus filhos – NOSSOS netos, porque foi isso que NÓS imaginamos para as NOSSAS vidas, e NÓS já pensávamos nisso muito antes de vocês nascerem. Além do mais, NÓS sabemos o que é melhor para vocês, e é simplesmente imoral vocês trabalharem para conquistar as coisas só para vocês, porque NÓS não pudemos fazer isso por sua causa.

grazie disse...

Também sofro essa pressão, estou com meu marido faz 15 anos, somos muito felizes e grandes parceiros nessa vida, e não temos filhos.

Mas sabe, quando penso na questão de filhos, não vejo senão motivos egoístas para tê-los: "para que eu possa formar uma família"; "para que eu possa ser amada e amar"; "para que minha história seja perpetuada", "para que eu tenha companhia na velhice", "para que eu me torne uma pessoa melhor" etc, etc"...

Esse mundo é tão difícil, tão desumano, que fico pensando o que diria para o meu filho ou filha quando os mesmos tivessem que encarar as durezas da vida: "Ah filho, mamãe te trouxe para esse mundo louco para que eu tivesse uma família, para te dar a dádiva da vida"... por favor , né?

Tudo bem, a partir do momento em que estamos no mundo temos que fazer de tudo para viver bem, ver o lado bom das coisas,seguir adiante, mas se hoje eu tenho a opção de escolher trazer ou não outra pessoa para esse mundo acho que a situação muda, tudo muda.

Mas sem dúvida, a pressão é absurda.

Caroles disse...

Não quero filhos e sou que nem a autora do post no que diz respeito a minha vida sexual: tomo o anticoncepcional mt certo (meus amigos me chamam de louca do anticoncepcional hahaha), odeio camisinha (dói muito), e todo mês acho que tô grávida. TODO mês. se eu POR ACASO esqueço de tomar um comprimido, bah. Eu não deixo de transar, mas a paranoia me deixa louca, e mesmo depois de menstruar continuo achando que estou grávida e sou daquelas mulheres que menstruam durante a gravidez hahahaha é horrível ser assim!

Não sei se quero ser mãe um dia, mas AGORA com certeza não. Eu amo crianças, mas ter filhos vai além disso, né? Não sei se quero dedicar tanto de mim a outra pessoa (meio egoísta, mas enfim). Tenho 23 anos e cansei de dar essa minha opinião e ouvir as pessoas dizendo: mas tu é muito nova, vai mudar de ideia. Bom, talvez mude mesmo, mas não tem nada a ver com minha idade. Tem a ver com o que eu quero ou não pra minha vida.

Anônimo disse...

Gente que tem neura de ter filho, toma pílua e NÃO usa camisinha... até quando?

Sério, não entendo isso. Não entendo. Isso é autosabotagem pura! Mesmo com a neura de não ter filhos fica de "mimimi camisinha incomoda"? pfv hein... e camisinha não serve só pra evitar filhos, tem também as doenças e as alergias (alguém aí lembra que tem mulher que depois de um tempo fica com alergia a esperma? ou que o esperma muda o ph vaginal e por isso pode dar cândida depois? isso só pra começar...)

Anônimo disse...

Sofia disse: "Pra completar seu pensamento, Lola, existe uma lei, chamada lei de planejamento familiar (aqui http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9263.htm), que estabelece que a pessoa pode ser esterilizada com 25 anos completos OU dois filhos vivos.(...) O planejamento familiar é um direito!"

Sofia, você sabia que o lance dos 25 anos foi VETADO?? e que no caso de ser mulher precisa da autorização do marido? e que mesmo que ache um lugar que ignore a parte do marido, tem uma equipe de "profissionais" para "aconselhar"? e que o "aconselhamento" é exatamente "Tenha filhos!!"?? Absurdo isso! (até pq tenho 30, NÃO quero filhos e não posso esterilizar pq sou solteira e SEM filhos (ainda vale a lei antiga, 3 filhos vivos se for mulher, 28 E autorização do marido)... e os "conselheiros" dizem que é fase... dá ódio disso!!!).

Kelly disse...

Lola, não pude deixar de comentar esse post. Sou feminista e màe de uma garotinha de 2 anos e meio. Nunca havia pensado em ser mãe, mas tb não sei dizer se não queria filhos de fato, mas dizia que nào os queria. Aconteceu e de uma hr para outra eu estava grávida.
Ai descobri a maternidade ativa, uma forma consciente de criar crianças, que embora epquenas, são tão individuos qto eu e vc... Enfim, por essa minha escolha, em comum acordo com meu companheiro, decidi parar de trabalhar para criar minha filha, para que ela não fosse terceirizada e sou feliz assim. E agr, eu que já fui cobrada por dizer que nào queria filhos, hj sou cobrada e taxada de folgada pq supostamente vivo as custas do meu companheiro.
Veja que nossa sociedade sempre vai ter uma cobrança pra nos fazer, seja qual for a decisão, como forma de nos manter trancada nesses padrões ridiculos.

Se vc não tem é egoista, se tem e se dedica é folgada, se tem e concilia as coisas é pq tercerizou a criança. A vá!

Anônimo disse...

Nossa ANA CAROLINA, vc não deveria julgar uma pessoa assim.

Eu me casei super nova com 22 anos.
Mas entrei na faculdade e fui morar em outro estado com 17 anos.

Aos 22 estava me formando e já namorava meu marido (29 anos) há 3 anos.
Estava me inserindo no mercado de trabalho e compartilhava com ele vários planos para o futuro.

Foi uma relação pensada e planejada.
Estamos juntos porque acreditamos que um dará suporte para o outro evoluir.
E assim tem sido nós nos apoiamos.

Me sinto muito irritada com esses comentários.
Foi A MINHA vontade, e espero ser respeitada.
Não sou criança, tenho uma vida profissional, não dependo financeiramente do meu marido e escolhi ter a companhia dele.

Não me casei por motivos religiosos, não era virgem, não era dependente financeiramente, me casei unica e exclusivamente por que queria a companhia dele.

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

Mas voltando ao assunto do post, realmente é uma pressão chata.
Sempre me perguntam isso, e sempre respondo:
- Sério? Você acha que eu estou na idade de ter filho?!

Pronto encerro assim o assunto.

Mas o fato é que eu não sei se quero ter um filho biológico, quero ser mãe, mas não sei se quero engravidar.
Não acho que os meus genes e os do meus marido são super especiais e precisam ser perpetuados, e acho que existem tantas crianças no mundo precisando de um lar.

Mas ainda bem que tenho tempo, bastante tempo para refletir sobre o assunto.

Anônimo disse...

Anons queridos ( sqn) das 12:57 e 13:15,

Tarde demais...
Lamento informar, mas já tive 3 meninOs!
Sorry ...

Cris Bottaro disse...

Não querer ser mãe, é um direito da mulher, querer ser mãe, é um direito da mulher, trabalhar fora mesmo tendo filhx (e ganhar o mesmo que um homem na mesma função), é um direito da mulher, parar de trabalhar um tempo logo que o bebê nasce, é um direito da mulher, querer parar de trabalhar fora para ficar muito tempo com a criança, é um direito da mulher, enfim respeito é bom, é de graça e todos gostamos! Só devem ter filhos pessoas que realmente queiram ter filhos, esses sim vão "melhorar" como seres humanos, pois estarão felizes e realizados, agora quem não quer ter e acaba tendo para cumprir um papel social muito provavelmente vai acabar frustradx. No meu caso, eu Cris, a maternidade foi " exatamente meu número", mais essa sou eu, como posso vender isso como uma verdade absoluta para todas as mulheres?
Como as pessoas gostam de "dar pitaco" nas escolhas alheias...
BJKS

Anônimo disse...

Acho que mais importante do que brigar pela legalização do aborto (o que não concordo!) é brigar pelo direito de decidir se quer ou não ter filhos.
Essa é uma decisão que cabe somente a pessoa e o governo não deveria interferir!

Mariana disse...

Amo crianças, mas mesmo assim nunca senti o desejo de ter filhos e não pretendo ter. Tenho 19 anos, me acho muito nova pra pensar nisso e mesmo nessa idade eu já sinto pressão, principalmente da minha mãe que chegou a dizer que se arrepende de ter tido filhos tarde, só pra poder ter netos mais cedo. Eu tenho até pena, porque da minha parte ela vai ter que esperar sentada. Meus parentes religiosos acham um absurdo ou dizem que é só uma "fase". Enfim, acho um saco de que só por eu ser mulher eu tenho a obrigação de querer filhos

Curas Espirituais disse...

Como é difícil entender, aceitar e vivenciar a igualdade numa sociedade tão hermética. Somos criados e educados para pensarmos em papéis pré estabelecidos e desenvolvermos atitudes impostas por esses modelos que quase nunca espelham a realidade individual.
Mulheres parideiras, mães, donas de casa daquelas que fazem bolo a tarde e esperam seus maridos. Isso me soa tão anacrônico, tão fora de moda. Mas muitos ainda estão arraigados em estereótipos na expectativa de vivenciar uma vida de comercial de margarina se atrelando a valores do patriarcado e coronelismo.

grazie disse...

Aline disse...
Sinceramente, acho que o "egoísmo" a que nossos pais, avós, sogros.. ..

É por aí mesmo Aline, já cansei de explicar que não ter filhos não significa necessariamente egoísmo, aliás, penso que querer tê-los me soa muita mais como, exemplos, quero ter filhos: "para que EU possa formar uma família"; "para que EU possa ser amada e amar"; "para que MINHA história seja perpetuada", "para que EU tenha companhia na velhice", "para que EU me torne uma pessoa melhor", para que EU possa dar a dádiva da vida a alguém", para que EU possa me doar para alguém", para que EU conheça o amor verdadeiro, para que EU me realize como mulher" etc, etc"...

Já ouvi todas esses argumentos, e, sinceramente, não vejo nada mais egoísta que isso.

Anônimo disse...

Não existe pessoa bissexual, ou ela é heterossexual ou homossexual.

Para mim pessoas que se dizem bissexuais é porque não querem assumir sua homossexualidade e querem pagar de "moderninhas".

Filho eu também não quero ter, mas o instinto fala mais alto; no caso das mulheres devem ser o "relógio biológico".

Anônimo disse...

Eu minto na cara dura. Na verdade o que o povo quer é que concordemos com eles, então é isso que eu faço, mais por preguiça do que qualquer outra coisa. Me perguntam se eu quero casar, eu digo que sim (sou indiferente à isso, namoro a 7 anos),mas ai boto 5 mil empecilhos até a pessoa concordar que ainda não é a hora. Vai ser a mesma coisa quando me perguntarem se quero ter filhos, vou dizer que sim, que adoraria ter uns 500, mas que eu tenho sindrome dos ovários policísticos, não tô conseguindo, e blá blá blá.

No final, enrrolarei todo mundo. Eu tenho preguiça, sinceramente. No fim, tudo vai ser do meu jeito mesmo, então prefiro mandar se foder mentalmente, pra não criar mais atritos do que normalmente já tenho.

Anônimo disse...

Para Patty Kirsche

Você jura que não percebe que sua mãe fez exatamente o mesmo que é reclamado nesse post: Patrulha da vida alheia??? Estou grávida, tenho 28 anos e uma das coisas que mais me irrita é qd alguém me pergunta pq eu quis ter filhos cedo... Para algumas pessoas é legal ter filhos perto dos 20 anos, para outras bem depois disso, para outras nunca e as outras pessoas não tem o direito de questionar essas escolhas... É tão difícil assim entender???

Cristina Queiroz disse...

Pressão sempre tem, por qualquer motivo. Eu nunca quis ser mãe. Mas foi aquela velha história, casei com um homem que queria (e muito) ser pai e concordei em engravidar.
Tive um único filho e não me arrependo, de modo algum. Posso não ser a "mãe do ano", mas também não sou desnaturada.
Só que não quis ter outro e sou cobrada até hoje por conta disso.
Em suma: a decisão deve sempre ser do casal. Agora, independentemente de qualquer coisa, digo o seguinte para mulheres tão jovens e que se sentem irredutíveis, tanto em ter filhos como não ter: pensem muito, pensem bem. É uma decisão séria e, em muitos casos, irreversível.

Sonia disse...

Lendo esse post, lembrei de uma coleguinha lááá da sexta série, quando eu tinha meus 11 aninhos (tenho 28 hoje em dia). Disse para ela que eu não queria ter filhos de jeito nenhum, e ela ficou incrédula. Primeiro falou algo na linha do "mas imagina se teus pais resolvessem não ter filhos!", o que até hoje eu tento extrair algum sentido... Depois, me perguntou o que eu iria fazer quando ficasse velha. Respondi que eu iria comprar uma moto. O plano segue o mesmo até hoje. <3

Marcela disse...

Minha resposta padrao para quem insiste no assunto e: "Quanto mais me perguntam quando eu vou ter filho, menos eu tenho vontade". Normalmente as pessoas se tocam e mudam de assunto. Ha!

Mariana UNINOVE disse...

Nossa é verdade porque somos tão cheios de paradigmas. Porque a sociedade nos cobra tanto, se vc não namora quando é que vc vai ter um namorado, quando namora quando vai casar, quando casa quando vai ter filho e quando tem filho quando vai ter o segundo... Por isso eu não caiu nesse papo rsrsrsrs, tenho 30 anos , sou casada há 5 anos e estou muito longe de querer a maternidade e não há pressão no mundo que faça eu mudar isso!!!!

Ashen Lady disse...

O bacana é que quando a gente confirma pela enésima vez que não, não queremos ter filhos, a pessoa solta: "Fica falando assim, mas daqui a pouco está com três crianças só pra pagar a língua."
Sério? Acha tão bom ter filhos que até deseja isso como praga pra outra pessoa.

jacmila disse...

Palavra de mãe:

NÃO tenha filhos mesmo!!!
Porque sobra pra mulher, ainda!
E por mais impecável q a mãe seja, sempre vai ter umx infeliz pra te acusar de alguma coisa.
Pior: um feliz, bem alimentado, instruído, orientado q é o próprio filho!

LADL disse...

olá adorei a sua postagem do estrupo e de com o lidar com a pressão de ter filhos tenho 37 anos e sou solteira tenho um namorado, eu gostaria de ter pelo menos um filho mas acho que o meu namorado não concorda muito com a minha decisão, mas se eu não tiver filhos também acho que não serei frustada pois hoje em dia para se criar um filho está muito complicado um abraço á você.

Anônimo disse...

Nossa Anon das 15:17!
Eu tenho atração e prazer igualmente com ambos os sexos! E olha, isso é um segredo meu. Vou posar de moderna pra quem então?
Afff

Anônimo disse...

Morre de medo de ter filho, mas não usa camisinha porque "incomoda". Aff. Me pergunto, o que incomodaria mais, a camisinha ou um bebê na barriga? A camisinha ou uma doença venérea? Embora eu entanda o medo que você tem da gravidez, a forma como você age é meio infantil e inconsequente.

Luciana disse...

Colega, vou te dar um conselho infalível: quando alguém ficar te enchendo sobre ter filhos vc dá um papelzinho com o número da sua conta e diz "quando eu começar a ver os seus depósitos na minha conta a gente conversa"

Variações do mesmo método: "Quero ter filhos sim, mas estou esperando chegar aos 10 mil reais na conta. Quer contribuir?" :D

<3 Funciona

Bruno S disse...

Há essa ideia de que não ter filhos é algo egoísta. Tenho muitas dúvidas quanto a isso.

Mas eu vejo na parte de ter filhos uma boa dose de narcisismo.

É uma pessoa a qual os pais vão querer ensinar as coisas que acham certas, em que os pais vão querer refletir as coisas que gostaram em sua infância por um lado e que vão tentar evitar as frustrações que tiveram, por outro.

Eu tenho vontade de ter filhos, mas uma encanação que tenho é o medo de acabar querendo forçar a criança a fazer as coisas que faço, a gostar do que gosto e esquecer que é uma outra pessoa, que pensa de forma autônoma.

André disse...

Talvez por conviver com muitos casais que optaram por não ter filhos, mas eu vejo imbecilidade dos dois lados: gente que tem horror a crianças, que diz que criança é igual peido, etc.

Priscila disse...

"Não existe pessoa bissexual, ou ela é heterossexual ou homossexual", diz o anônimo que, além de se mostrar ignorante quanto à bissexualidade, ainda se provou completamente desconhecedor da assexualidade.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Congelamento de ovulos ta como viagra pro homem

Mas tambem tem estudos suecos e islandes com ingleses q dizem um q o relogio biologico do homem começa aos 40 e outro diz aos 60 dizem q tem mais risco por ex. pra prole desenvolver durante a vida algum disturbio mental

Congelelamento é uma boa opçao pq so uma minoria de mulheres tem menoupasa depois dos 60 algumas ate com 70.

Por enquanto adoçao é a forma mais acessivel.
E nao entendo essa mania de perpertuaçao dos genes.Serio.

Tudo isso pq vivemos mais.Diferente da primeira metade do seculo xx que morriamos em idade reprodutiva.

é isso

Aline disse...

Desculpe, sociedade, não quero ter filhos. E não vou ter!

Priscila disse...

Anônimo das 12:57, vamos fazer um trato?

A gente cede ao seu apelo para que não tenhamos filhos e você SOME DA FRENTE DESSE BLOG P/ NUNCA MAIS VOLTAR.

Podemos combinar?

Se não, nada feito.

Anônimo disse...

"Não existe pessoa bissexual, ou ela é heterossexual ou homossexual".

Olha só! Falou o dono da verdade universal! Então os bissexuais que conheço são ETs travestidos de gente.
Vá estudar antes de falar sobre o que não sabe. Tá pagando de boçal aqui.

Sofia.

Luiza disse...

Eu sou ok com todos os argumentos, contra e a favor, sobre ter filhos.

Mas o único que não cola é o "ter alguém pra cuidar de você na velhice".

Sorry, mas não. Seus filhos podem morrer primeiro que você, podem ir morar em outro país, podem ter os próprios filhos pra cuidar, podem te jogar num asilo ou simplesmente tacar o foda-se pra você. E acontece, viu?

Pelamor, façam economias, porque existe sim a possiblidade de você estar inválido e precisar pagar por auxílio.

Anônimo disse...

Não sei como ainda podemos criticar algo por ser "uma construção social". O que não é? O feminismo?

O problema não é ser construção social, o problema é quando há convenções sociais empobrecedoras, autoritárias, violentas, brutas etc.

Não acho que seja o caso da pressão para ser mãe. Ela é uma entre tantas outras pressões legítimas.

Isso não quer dizer que devemos cumpri-la, quer dizer apenas que é tão legítima quanto nossa vontade de não ser mãe.

Anônimo disse...

Com a PEC das domesticas, a taxa de natalidade na classe media deve despencar. Não há estrutura na maior parte dos estados para acomodar as crianças de mães que trabalham, que não através do trabalho domestico... Tem que ter MUITA vontade de ter filho, pois o grau de renuncia haverá de ser maior...

Eli disse...

Também acho que não quero ter filhos, colocar mais uma pessoa nesse mundo, cuidar com carinho e não ter certeza do q ela vai se tornar. Fora que no geral eu n gosto de crianças, acho elas irritantes.

Tava conversando com uma amiga que tbm n quer ter filhos e chegamos a conclusão q n adianta, a sociedade sempre vai te cobrar algo: se vc está solteira vc tem q arranjar um namorado, se está namorando tem q se casar, se está casada tem q ter filhos, etc.

A cobrança é tanta q eu faço de tudo pra ter q n encontrar antigas colegas q já estão com filhos. E no meu caso é a minha mãe q me cobra demais (por eu ser filha única), parece q ela fez do sonho dela ter um neto. E meu pai agora conseguiu um neto do filho do outro casamento que eu gostaria de n ver nem pintado de ouro pq vou ter q ouvir as mesmas conversas.

Ana Vitória disse...

É gente, estou passando por essa pressão. Detalhe: só tenho 24 anos, ainda estou fazendo mestrado e as pessoas já me cobram. Pior é vc ser filha única, sua mãe ver todas as irmãs virando avós e querer isso também. Pior que eu não sou muito chegada em criança, talvez minha mãe morra sem ter nenhum neto, e meu marido tb não quer filhos, já que tem os dele de outro casamento. É complicado.

Carol NLG disse...

Anônimo das 13:13

Eu moro na Mauritânia. Posso dizer de primeira mão que, embora a coisa esteja mudando, essa ainda é uma realidade aqui. Aliás, quer saber uma coisa engraçada? No Brasil sou considerada gorda. Aqui perguntaram ao meu marido como ele aceitou casar om alguém tão magrinha quanto eu!

Isso é bom pro pessoal que diz que magreza é padrão universal de beleza.

Anônimo disse...

@Barbara Barcellos
Eu, particulamente, acho um saco tomar pílula. A mulher que tem que se regular em tudo; nos horários, nas atenções para não esquecer, etc. E o homem ? Nada faz ?

Usa camisinha ou faz vasectomia. E isso é tudo o que a ciência tem para os homens hoje em dia em termos de contraceptivos.

O problema é que não existe uma pílula masculina. Ao menos, não ainda.

Aliás, teve um médico que consultei para fazer vasectomia (visto que minha esposa tem um problema no útero e pode até morrer caso engravide). E não é que o sujeito se recusou a fazer a cirurgia só porque não temos filhos? ¬¬

grazie disse...

Final do ano passado fui a uma gineco fazer alguns exames de rotina e outros, pois depois dos trinta estou cheia de espinhas.Chegando na médica, depois de me examinar e elogiar meu útero e ovulação, disse que o meu problema é que preciso ser mãe, e não me preocupar com espinhas. Saí de lá cheia de exames pré-gravíticos.

Bom, procurei outra gineco, desta vez fui olhar o Lattes da DRa. chegando lá, conversa vai, conversa vem, a médica, com muito maiss finesse, disse que eu deveria ser mãe, que é a melhor coisa do mundo ser amada e amar incondicionalmente

Ambas não quiseram me receitar um anticoncepcional (não uso há anos, só camisinha). Saí de lá muito frustrada, cheguei a pensar que se o "mundo" todo (mãe, irmã, amigas, parentes e agora médicos) ficam falando que eu preciso ser mãe parei para pensar se não devo estar errada em desejar o contrário...o pensamento passou, mas sempre fica aquele pontinha de dúvida.

Triste pressão.

obs: Lola, adoro seu blog!

Ana Carolina disse...

Anônimo disse...
Nossa ANA CAROLINA, vc não deveria julgar uma pessoa assim.

Eu me casei super nova com 22 anos.
Mas entrei na faculdade e fui morar em outro estado com 17 anos.

***

Fiquei lendo e pensando onde estava julgando nos meus posts, porque não estava. Só acho curioso, uma curiosidade natural e isenta de julgamento, pessoas que se casam cedo. Sei lá da vida dos outros, só falei que no MEU meio social, não é comum. (e eu entrei em faculdade com 17 e formei com 21 como a maioria absoluta das pessoas que convivo - e não acho que ninguém é melhor ou pior do que ninguém por isso). Se soou ofensivo, desculpe. Se toquei num ponto nevrálgico, desculpe também. Mas pode ter certeza que "vir julgar a vida dos outros" quando ninguém tá julgando nada e no tom de raiva do seu post é bem ofensivo também, ok?

Carolina Lucas Paiva disse...

A real é que não dá para encanar com essas pressões, pois como já foi dito aqui, elas nunca passam. Cobram para ter filhos, para ter mais de um, para educar de tal jeito, enfim. Não há como escapar das cobranças. O jeito é sambar mesmo.

Eu não sei se quero ter filhos. Amo crianças, adoro ficar vendo os sapatinhos de bebês em vitrine de loja e tal, mas tenho muitas dúvidas.
Primeiro porque a própria decisão de ser mãe é egoísta e questiono a finalidade de ser mãe.
Segundo: tenho medo de ter filhos e me arrepender, e aí entrar naquele espiral de culpa, afetando o próprio filho.

Também tenho certa paranoia em engravidar, mesmo tomando todas as precauções (camisinha com espermicida e pílula). Morro de medo de fazer parte daquele 0,0001%, sabe? Fico mais paranoia ainda se assisto aquele seriado "Eu Não Sabia Que Estava Grávida". Sou muito jovem e quero investir na minha carreira. Quero ter filhos quando tiver condições para criá-los: uma casa, ter condições colocar em uma boa escola, dar opção para alguma atividade extraclasse, guardar dinheiro caso ele queira fazer um intercâmbio, etc. Quero poder dar as oportunidade de crescimento profissional e me sentiria mal em não poder fazer isso por falta de grana.

Anônimo disse...

Taí uma coisa que não sei o que é. Tenho 26 anos, sou filha única e meus pais ainda me veêm como criança. Se eu falar que quero engravidar agora eles dirão que eu sou muito nova e surtarão. Quando eu falo de alguma amiga que engravidou ou já tem filhos, eles dizem "Nossa, mas já?".

Tranquilo rs.

lola aronovich disse...

PESSOAS QUERIDAS,

Vou viajar hoje, praticamente já. Vou participar de um lindo congresso em São Luís, e vou aproveitar pra conhecer Lençóis Maranhenses. Portanto, ficarei no Maranhão até domingo bem tarde da noite. O maridão levará o tablet que ele comprou faz pouco tempo (eu ainda não usei), mas creio que ficarei meio incomunicável, pois espero ter meu único fim de semana de férias do mês (e isso que, na teoria, eu estava de férias). Bom, tem post programado pra todos os dias.
Acho que vou desativar a possibilidade dos anônimos comentarem (90% dos anônimos são trolls) e também desativar a moderação dos comentários. Se não, fica muita coisa pra minha mãe moderar, tadinha, e ela também pretende ir à praia e descansar. Vou pedir pra ela deletar algum comentário mais ofensivo quando ela entrar e ver, mas até lá, o comentário ficará publicado. Ignorem os trolls, por favor. Eles não tiram férias.
Bom, até a volta! E espero conhecer algumas leitorxs em São Luís! Ah, o maridão vai dar uma oficina de xadrez no congresso. Amanhã, às 8 da manhã. A minha palestra será amanhã às 11.
E semana que vem, meninxs do Rio, estarei na UFRRJ, em Seropédica (dia 3/4), e na UFRJ, no Rio (4/4 na Filosofia, 15 horas). No final de abril, estarei em Volta Redonda!
Divirtam-se e aproveitem o feriado. Ótima páscoa pra vcs.
Abração da Lola

Thaís Guimarães disse...

Nunca fui do tipo maternal.

Mas pensava que, quem sabe, tivesse uma filha. (Mais pra poder homenageá-la com o nome da minha mãe do que tudo).

E agora, o bebê da minha irmã mora na minha casa (eu e mamãe cuidados dele, temos a guarda dele).
Ele nem um ano tem.

E todos me dizem loucuras como: 'NOOOOSSA, ele é lindo, ele é maravilhoso. Você deve estar doida para ter um, né? Você deve ser tia babona! Você tá treinando para ser mãe! Aposto que você deve querer abraçar ele o dia todo.'

E Lola, NÃO!!! Na verdade, a experiência só me dá certeza de que provavelmente não terei filhos. E se tiver, SE TIVER, SEEEEE... Será apenas um.

As pessoas se chocam quando eu rio da cara delas e falo: "O que? Ele só me faz ter certeza que não quero ser mãe tão cedo, deus me livre", como se eu fosse uma pessoa ruim.

As pessoas ficam chocadas quando eu digo que o bebê às vezes me irrita, que é cansativo, que é um trabalho pesado, etc e tal.
Como se o fato de eu não achar uma experiência 'maravilhosa, linda, flores e passarinhos cantando e coisa e tal' o tempo todo me fizesse uma mulher pior.


E o engraçado é que ninguém nunca fala isso para meus irmãos...

Siena disse...

Tenho esse mesmo pânico de engravidar. Mesmo adolescente e virgem e sem ter namorado e sem beijar ninguém, se minha menstruação atrasava eu achava q tava grávida, q sei la, meu útero tivesse se auto-fecundado. Era muito pânico.
Quando comecei a namorar cada menstruação era um momento de alegria e alívio, mesmo tomando todas as medidas preventivas, eu MORRIA de medo de engravidar.
Eu não quero ser mãe, seria muito infeliz gravida, certamente teria depressão pós-parto, só vejo coisa ruim em ser mãe. Sem contar q eu acho anti-natural parir uma criança pela vagina e depois ficar com ela pendurada no peito. Desculpem as mães e desculpe se ofendi, mas eu realmente acho bizarro ficar grávida etc. Ainda mais depois q trabalhei com mulheres mães, uma voltando da licença maternidade, outra grávida e outra mãe de 4. Elas conversavam sobre filho, amamentar, gravidez e eu só conseguia pensar como é q elas podiam achar aquelas coisas boas. Todas falavam q se pudessem teriam filhos sempre, mas eu não consigo entender como, pq, qual o sentido disso.

Lays, mãe e tudo o mais. disse...

Eu sou mãe e sou uma pessoa satisfeita com a maternidade. Mas isso porque foi uma escolha minha, consciente de tudo o que ser mãe significava, o lado "comercial da Johnson´s" e o lado B. Foi uma escolha, e isso fez toda a diferença. Eu escolhi.


(E mesmo assim, tem dias em que quero escutar o Feliciano discursar, mas não quero escutar o "manhêêêê!"...)

Barbara Pires disse...

Estou casada há um ano e ainda não sofro pressão, porque eu não saio falando que não quero ter filhos, então ninguém questiona. Por enquanto funciona. Minha sogra já tem outros netos, minha mãe não é louca por crianças, então não acho que serei muito cobrada por familia, não.

Quanto aos métodos anticoncepcionais, esse medo de engravidar tem um pouco a ver com inexperiência, acho. Pilula tem mais de 99% de eficácia, quando esquece uma você olha a tabela da bula e pronto (é que é diferente esquecer uma pilula na primeira ou na segunda semana da cartela). Sempre segui a bula e tudo deu certo, só usei camisinha no inicio do namoro, já são oito anos fazendo sexo sem camisinha (e não me acho errada, mas isso é outra história).

Enfim, o que eu queira contar mesmo é que fui ai ginecologista mês passado. Oito anos na pilula, não agüento mais engolir isso todo dia, fui pedir um DIU hormonal. Não me deixou usar, "porque DIU nunca é a primeira opção" e "é mais indicado ora mulheres com filhos". Isso mão ocorre no mundo inteiro, tem países em que é comum colocar do DIU em quem pedir. A médica me ofereceu o anel vaginal, tentei e achei chato. Estou testando o adesivo, estou má primeira semana e achando bem prático. Você só precisa se lembrar de trocar o adesivo uma vez por semana. Controle de natalidade é assunto sério. Sempre achei que houvesse muitas opções, mas quando fui ver, não temos tantas assim.

Janis Lisandra Batista Cruz disse...

A verdade, Lola, é que as pessoas se incomodam com tudo, tudo mesmo. Olha meu caso: Casei aos 25 e engravidei logo depois, porque quis. Passei a gravidez toda ouvindo de familiares e conhecidos que tinha feito besteira, que não ia curtir nada do casamento e bla, bla,bla. A filhoca nasceu, as pessoas passaram a me perguntar quando ia tentar o menino. Eis que, 5 anos depois, engravidei de novo e tive que ouvir coisas como "ah, que pena que é menina, você poderia ter tido um casal e 'fechava a fábrica'" ou "teu marido só 'faz' mulher" ou a escabrosa frase "vcs são 'fornecedores'", como se nossas filhas fossem meras mercadorias pros filhos dos outros usufruírem... Fora aqueles que perguntavam "mas já? Vcs não têm tv em casa?" dentre outras pérolas. Depois outro rosário de inndagações, se vamos ter "coragem" de tentar mais um, pra ver se vem um menino (como se a minha realização como mãe dependesse de eu ter um filho homem), por que eu não fiz laqueadura, blá, blá novamente. A cobrança alheia sempre vem, não importam quais sejam nossas escolhas.

Mariana de Lacerda disse...

Sinceramente? Preeeeguiiiiça desse povo que se sente "pressionado" porque fulano ou beltrano perguntou algo sobre a vida dele. Devo morar no país das maravilhas ou ser muito segura de mim, porque eu jamais me sentiria pressionada nessa ou em outras questões por causa de perguntinhas assim. Respondo e pronto. Tchau. Até parece.

Karoline disse...

Eu acho muito engraçado essas pessoas que vem falar em instinto materno, "relógio biológico" e coisas afins. Acredito em instinto materno quando você JÁ É mãe, quando você faria de tudo pra proteger e cuidar de um filho que você JÁ TEM.

O que ouço sempre - e todas as mulheres que já disseram pra alguém que não querem filhos já devem ter ouvido - são os mesmos velhos argumentos:

"Você ainda é muito nova, daqui a uns anos você vai querer"
Quando eu era criança me sentia super desconfortável com a ideia de ser mãe, ficar grávida, cuidar de criança. Na adolescência diziam que quando fosse adulta mudaria de ideia. No início da vida adulta me diziam que depois dos 25 eu mudaria de ideia, e agora, com 26, me dizem que depois dos 30 vou mudar de ideia. Acho que isso só vai parar quando eu tiver na menopausa, dai vão perguntar porque não tenho e eu vou inventar uma história tão triste que vão se arrepender de ter perguntado.

"É porque você é solteira"
Já tive um relacionamento que durou 4 anos e até falamos em casamento, mas eu nunca quis ter filhos.

"Quem vai cuidar de você quando ficar velha?"
(essa é a preferida da minha mãe)
Se eu viver muito ainda, pretendo ser uma daquelas pessoas velhas bem ativas, com vida social, que dirige, etc., e provavelmente morando num lugar com outras pessoas velhas que não tiveram filhos, fazendo festa em volta da piscina.

"Você diz isso agora, mas o dia que você tiver, não vai mais imaginar sua vida sem eles!"
Como assim, quando eu tiver? Acabei de dizer que NÃO QUERO ter filhos por que eu vou ter um? Só pra ver se eu mudo de ideia?
Eu sei que se eu engravidar por acidente e tiver o bebê a minha visão sobre as coisas vai mudar, é um processo de aceitação, mas acho que posso viver sem esse processo.

Karoline disse...

"(...) disse que o meu problema é que preciso ser mãe, e não me preocupar com espinhas."
"Ambas não quiseram me receitar um anticoncepcional"


Devia fazer uma reclamação no CRM ou sei lá! Frustrada é pouco! ISso é um ABSURDO sem igual, uma puta de uma falta de respeito. Você fez a coisa certa, procurou um médico antes de tomar anticoncepcional e ainda tem que aguentar esse tipo de merda?

Eu me sinto frustrada também porque o melhor que consegui foi o anticoncepcional. Tenho problema de circulação (bem sério, morro de medo de ter uma trombose ou algo assim) e sempre me preocupo com a possibilidade de anticoncepcional hormonal agravar o problema, mas as médicas sempre dizem "não, isso não vai acontecer" e nunca ofereceram alguma alternativa como DIU ou qualquer outra coisa. Me sinto uma ignorante por não saber qual outro método posso combinar com a camisinha sem que seja a pílula.

Mesmo usando a camisinha em todas as minhas relações sempre fico paranoica achando que qualquer coisa é sintoma de gravidez. Eu realmente queria combinar método contraceptivos, mas a pílula ta fora de questão, principalmente por que esqueço de tomar (às vezes por dias, na época em que usava). Faz o que, daí?

julieth. disse...

Oi Lola!
Venho ao seu blog não para comentar esse post especificamente, mas porque, embora concorde, com suas opiniões em geral, me incomodo um pouco com essa definição de "reacionário", "conservador" e etc e me pergunto de não é um tipo de maniqueísmo - se as ideias feministas ou esquerdistas em geral não são colocadas como iluminadas e recheadas de verdade enquanto que outras opiniões diferentes podem ser rechaçadas como malvadas.
Enfim, me deparo muito com esse dilema e gostaria de saber sua opinião sobre isso.

Abraços!

Fábio disse...

KCT....e uma pior que a outra rsrsrs,e depois vc fala que nós "mascus" e que somos birutas professora, kkkkkk

jacmila disse...

"KCT....e uma pior que a outra rsrsrs,e depois vc fala que nós "mascus" e que somos birutas professora, kkkkkk"

Tá se divertindo com a desgraça alheia, né seu fabio?
Empatia zero, lógico. Bem inserido na cultura machista, onde é a mulher q tem q arcar com o controle da sua fertilidade. Difícil vc entender q isso é tenso.
Vc tomaria a pílula masculina? (ela existe faz tempo, mas o machismo impede sua ampla adesão). Minha hipótese: nem camisinha esse Fabio veste...

Idealista Chata disse...

Vcs não sao birutas..são babacas Fabio..eh diferente..


Julieth..sei que perguntou pra Lola..mas me interesseipelo tema e

Idealista Chata disse...

.......Julieth..sei que perguntou pra Lola..mas me interesseipelo tema e
vou tomar a liberdade de comentar suas duvidas...
Vou presumir que sei la..vc eh dentista...e não estudou na área de humanas...nem teve sociologia e politica na faculdade...se estiver errada me perdoe...
vou tentar ser simples...
Direita e esquerda são denominações politicas a primeira indica o sistema vigente, a segunda uma nova proposta...dentro do sistema atual..a esquerda se aproxima basicamente nos estudos marxistas e marxianos...quando dizemos conservador nos referimos ao pensamento politico de direta que quer manter o sistema como ele está tanto economicamente quanto socialmente..
Ou seja se alguém pensa que : lugar de mulher eh na cozinha, sexo é coisa do demônio, so o sua religião é a certa,pobre é pobre por que quer e capitalismo eh a melhor forma de sistema, essa pessoa quer manter o que chamamos de status quo , ou seja quer manter tudo como está..
As pessoas de esquerda não são perfeitas...tanto que tem cara de esquerda que eh machista, como eu não sei, mas tem, e isso é tbm ser conservador...
Quem eh de esquerda pode ir pra vários lados...eu mesma não sou anarquista..acredito no poder do governo e da democracia...mas vista de outra forma...
Mas pesquise mais...que vc vai entender melhor...
Eu estou no terceiro ano de serviço social e cada vez tenho mais certeza de quanto mais a direita você está menos bem vc faz para o resto do mundo...

Idealista Chata disse...

Jacmila..o que me impressiona não eh ele nao usar camisinha..eh ele ter oportunidade de usa-la...

Fábio disse...

"Vc tomaria a pílula masculina? (ela existe faz tempo, mas o machismo impede sua ampla adesão)"
-------------------------------------
Serio mesmo ? vou refrescar sua memoria.
https://www.youtube.com/watch?v=gFTU24EJ4T8

Fábio disse...

Eu estou no terceiro ano de serviço social e cada vez tenho mais certeza de quanto mais a direita você está menos bem vc faz para o resto do mundo...
------------------------------------
Os povos de China, Cuba E Coreia Do Norte concordam com você, são exemplos de desenvolvimento humano.

jacmila disse...

Alguem viu um filme chamado Idiocracy? O q acham daquela parte inicial, q mostra dois tipos de casais -rsrs...

Idealista Chata:
Tadinho do Fábio kkkkk
E o q já vi de homem "de esquerda" machista num tá no gibi, viu.
Um dos últimos tem até foto do Lula na tela do computador mas está convicto q a responsabilidade pra não engravidar é da mulher "porque é ela q arca com as maiores consequencias" (capaz do lula pensar assim tb,rs). Então o fato do homem ter capacidade reprodutiva o tempo todo não conta?
E é preocupante a moça do post não querer usar camisinha...também tem essa supervalorização à penetração - criatividade sexual manda lembranças...

Idealista Chata disse...

Fabio vai estudar historia vai...

so na sua cabeça demente Coreia do Norte e China estão à esquerda de alguma coisa...
so na sua cabeça torpe de quem nao sabe nada da realidade, do sistema e de politica pode dizer uma asneira dessas..ele nao estão a esquerda de nada..muito pelo contrario..estão a direita de tudo..principalmente a China...quem explora trabalhador eh o sistema CAPITALISTA...se vc tivesse estudado sobre isso vc saberia...




eeeee vc acertou em uma coisa.. Cuba eh mesmo um exemplo quando o assunto eh direitos humanos...e quem diz isso eh a ONU..
se pra vc direitos humanos e comprar a Veja pra eles eh educação e saude universais...

eles nao são perfeitos e nunca defenderei que o são...mas tem um IDH 33 posições a frente do nosso...contra dados não Há argumentos...


para de ler a Veja e ver Jornal nacional e ve se aprende alguma cois enquanto come seu mingau...... ok gracinha??

Idealista Chata disse...

Jacmila

quanto ao Lula..ele eh a favor a descrminalização do aborto..ele e a Dilma \0/..mas ninguemganha campanha dizendo isso..infelizmente...kkkkkkkkkk..
mas machismo eh algomais ligadoaopoder doque necessariamente ao capitalismo..
em Cuba deve ter machistas
tbm..hehe


quanto a camisinha
entao...quando se esta em uma relação longa.. não vejo motivos pra se usar camisinha..ate pq aids se pga no sexo oral..e quem usa camisinha pra fazer isso depois de um tempo de namoro?


acho que os casais deveriam fazer exames periodicos...e usarem outro metodo que não a camisinha se quiserem..e se não quiserem ter filhos que tenham varias opções para nao te-los...inclusive a laqueadura e vasectomia..

camisinha eh ruim pro homem ..e partindo do pressuposto que nós escolhemos bem..temos um bom parceiro...e se ele faz exames sempre..nao custa dar esse prazerzinho pra ele..

maaaaaaaaas isso, pra mim se aplica a casais que estão juntos faz tempo...se não..camisinha nelessss...hehe..

Fábio disse...

Fabio vai estudar historia vai...

so na sua cabeça demente Coreia do Norte e China estão à esquerda de alguma coisa...
so na sua cabeça torpe de quem nao sabe nada da realidade, do sistema e de politica pode dizer uma asneira dessas..ele nao estão a esquerda de nada..muito pelo contrario..estão a direita de tudo..principalmente a China...quem explora trabalhador eh o sistema CAPITALISTA...se vc tivesse estudado sobre isso vc saberia...
-----------------------------------

Há falow então, a esquerda deve estar então a Finlandia não e mesmo ? vcs esquerdalhas são desonestos intelectuais, estudar história não e o mesmo de querer reescreve-la, o que acontece na China, e na Coreia do Norte, e apenas o comunismo na pratica, sem o verniz ideológico de seus idiotas uteis.

Fábio disse...

eeeee vc acertou em uma coisa.. Cuba eh mesmo um exemplo quando o assunto eh direitos humanos...e quem diz isso eh a ONU..
se pra vc direitos humanos e comprar a Veja pra eles eh educação e saude universais...
------------------------------------
kkkkkkkkk, então deve ser por isso que vemos tanto estadunidenses, arriscando em jangadas a vida para atravessar para Cuba( espere não e o contrario?) Um aonde e necessário negar passaportes a seus cidadãos, para que ele não piquem a mula, e aonde se tem que usar papell higienico dos dois lados, para não ultrapassar a "cota" deve mesmo ser o paraiso na terra,kkkkkkkk

jacmila disse...

Só tenho certeza de uma coisa:

O machismo está mto bem distribuído nas esquerdas e nas direitas no q diz respeito ao Brasil...

Fábio disse...

eles nao são perfeitos e nunca defenderei que o são...mas tem um IDH 33 posições a frente do nosso...contra dados não Há argumentos..
-------------------------------------Há bom, pensei que você estava de acordo com as 100 mil mortes nos porões do regime.

Idealista Chata disse...

O comunismo não está em pratica em lugar algum,
o mundo todo sabe disso...sóos de direita que viajam na batatinha e ficam tentando arranjar argumentos contra o pensamneto que vai contra o capitalismo..

e ainda naõ vi da sua parte argumentos reais...sobre a esquerda..só essa sua visão de direta desinformada...
nao quis comentar sobre Cubaneh?

pq SABE que não sabe de nada quando o assunto eh Cuba...



kkk...
me divirto com essa falta de argumentos..

Idealista Chata disse...

kkkk....

ai vc me divertii..

pequise mais sobre Cuba..ai podemos conversar ok?

Idealista Chata disse...

por que será que tod omundo usa o argumentos - tem Cuba no saindo de Cuba pra falar mal do sistema..??


pq se vc mora no Brasil e vai pros EUA vc eh imigrante, dos EUA pra Europa eh imigrante..mas se quer sair de Cuba eh fugitivo....kkkkkkkkk



é falta de informação ou burrice memso..enfim..esse não é o assunto do post...

Idealista Chata disse...

**tem Cubano

Fábio disse...

pq se vc mora no Brasil e vai pros EUA vc eh imigrante, dos EUA pra Europa eh imigrante..mas se quer sair de Cuba eh fugitivo....kkkkkkkkk
------------------------------------
A diferença e que se eu for, ou com passaporte, e não empilhado em cima de uma jangado, fugindo de uma ditadura esquerdista.
Legal e defensores do regime cubano, que nunca pisaram la, se baseiam em pasquins escritos no bandeijão de "filusufia" sob efeito de muita kanabis e vinho vagabundo.

Fábio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fábio disse...

Idealista Chata disse...
O comunismo não está em pratica em lugar algum,
-----------------------------------
Porque será ? será porque ele só funciona numa colonia de formigas, e não com seres humanos de características e pensamentos livres ?

Viviane Menezes disse...

Lola, quando e onde você estará em VR city no fim de abril? Avisa aí para eu ir, sou sua fã! Tb estudo na UFRRJ, mas acho que não poderei estar lá no dia 03 :(

Luca disse...

Vou ser mãe, mas entendo perfeitamente quem não quer ser.Não é nada fácil criar um filho e isso exige inúmeros sacrifícios, cobrados principalmente da mulher.Eu, mesmo estando gestante, não me sinto preparada, talvez nunca esteja.Sem contar que a sociedade nos pressiona a ter filhos,mas quando temos, ela nos abandona com elas e ainda nos critica por tê-los.

Fábio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jacmila disse...

"Legal e defensores do regime cubano, que nunca pisaram la, se baseiam em pasquins escritos no bandeijão de "filusufia" sob efeito de muita kanabis e vinho vagabundo."

Rindo mto.

Sugestão prum proximo post:

Como lidar com colegas de trabalho evangélicos.

porque não tá fácil gente!
(e os q não são evangélicos são machistas também!arghhh)

Idealista Chata disse...

Fabio...vc acha mesmo que é assim mole mole entrar no EUA?
ou na União Europeia?

quantos Cubanos vc conhece mesmo??

nem vou comentar mais..sua falta de informação e conhecimento impedem um dialogo...

meu bem..se vc não estuda...nao ofenda quem o faz...

se vc so tem como fonte a Veja e o JN...não critique quem busca mais fontes..


e se eu , que estudo, pesquiso e conheço Cubanos nao posso falar de Cuba vc pouco pode falar sobre qualquer outra coisa que nao o que vc ve no seu dia a dia...e mesmo disso vc nao poderia falar visto que não tem capacidade intelectual para fazer julgamentos a respeito...

argumentos embasados por favor..caso contrario nao me faça perder meu tempo...

nem sei pq to discutindo com alguem que se diz masculinista..esqueço que o que vcs querem é atenção...

Fábio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fábio disse...

Fabio...vc acha mesmo que é assim mole mole entrar no EUA?
ou na União Europeia?

quantos Cubanos vc conhece mesmo??

nem vou comentar mais..sua falta de informação e conhecimento impedem um dialogo...

meu bem..se vc não estuda...nao ofenda quem o faz...
--------------------------------
O que eu vejo ( em um mundo aonde a informação e a jato) e que nenhum estadunidense, mexicano, brasileiro que ir morar em cuba, mas o contrario e bem comum, teve um famoso grupo musical, e esportistas cubanos que pediram refugio politico no brasil, porque será.

Suas ideias " idealista util ao partidão" não correspondem aos fatos, quem quer ver a realidade abere os olhos, que não quer se apaga a retorica fanatica.

Idealista Chata disse...

contra dados e fatos não há arugmentos..
discurso meramente ideologico é o seu meu bem... :)

não subestima que sente nojo desse seus sitema capitalista..
ele vai acabar , seja hoje, seja daqui 100 anos,

http://conhecercuba.blogspot.com.br/

http://resistir.info/cuba/herrera_out03.html

http://www.granma.cu/portugues/cuba-p/23ener-EDITORIAL.html

http://www.globalresearch.ca/cuba-50-verdades-que-yoani-sanchez-ocultara/5325061

http://oguiadecuba.blogspot.com.br/

http://www.latinoamericano.jor.br/imagens_cuba.html

http://dualistico.com.br/2012/08/12/top-5-mitos-e-verdades-sobre-cuba/


"Fato 1 > A expectativa de vida dos cubanos é de 75 anos e das cubanas 78 anos.

Fato 2 > Cuba é o país com maior número de médicos por habitante: 1 médico para cada 169 habitantes(O Brasil tem 1 médico para cada 600 habitantes. Cuba está na primeira posição nesse quesito e o Brasil na posição 84. Isso numa lista de 174 países).


Fato 3 > 85% dos cubanos mora em casa própria. No Brasil, 73% dos domicílios são próprios.

Fato 4 > 98% dos cubanos recebem energia elétrica e tem acesso `a água potável e saneamento básico. No Brasil 33,5% dos domicílios tem serviço de coleta de esgoto.

Fato 5 > De cada 7 cubanos, 1 tem curso superior ( mais do que no Brasil) e lá toda a escolaridade é gratuita.

Fato 6 > Cuba acolhe mais de 10.000 estudantes de 34 paises latino-americanos, africanos e do caribe como bolsistas integrais nos cursos de graduação, mestrado e doutorado. Eles recebem alimentação, moradia, tratamento médico e ajuda de custo mensal.

Fato 7 > Em Cuba, não existem traficantes de drogas derrubando helicópteros da polícia a tiros. Em Cuba não existem traficantes de drogas queimando ônibus com trabalhadores dentro. Em Cuba não existe nem sequer os nossos “amenos” seqüestros-relâmpago (ou não relâmpago).
"


http://resistir.info/cuba/herrera_out03.html

http://www.granma.cu/portugues/cuba-p/23ener-EDITORIAL.html

Fábio disse...

Panflertária do partidão, e seus pasquins kkkk, papel aceita tudo baby, kkkkk, bora morar em Cuba, leve sabonete e papel higienico, a cota la e um por mês por cidadão, e eu ouvi isto de um dissidente cubano, bom voyage boneca kkkk

Idealista Chata disse...

"12. Com um médico para cada 148 habitantes (78.622 no total), Cuba é, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a nação melhor dotada do mundo neste setor."


"28. Ao todo, os médicos cubanos atenderam mais de 85 milhões de pessoas e salvaram 615 mil vidas em todo o planeta."


quantos vc disse que morreram "nor porões de Cuba" mesmo?

"32. Em 2005, com a tragédia causada pelo furacão Katrina em Nova Orleans, Cuba ofereceu a Washington 1.586 médicos para atender as vítimas, mas o presidente da época, George W. Bush, rejeitou a oferta."

"34. Depois do terremoto no Haiti, em janeiro de 2012, a brigada médica cubana, presente desde 1998, foi a primeira a atender a população e curou mais de 40% das vítimas."

"36. Segundo o PNUD, a ajuda humanitária cubana representa, proporcionalmente ao PIB, uma porcentagem superior à media das 18 nações mais desenvolvidas."

Idealista Chata disse...

47. Segundo o informe de 2012 da Anistia Internacional, Cuba é um dos países da América que menos viola os direitos humanos.

48. Segundo a Anistia Internacional, as violações de direitos humanos são mais graves nos EUA do que em Cuba.

49. Segundo a Anistia Internacional, atualmente, não há nenhum preso político em Cuba.

Mirella disse...

Sei que exemplos individuais não são devem sobrepor a situação geral, mas tenho duas amigas que sonham em ir para Cuba... Uma delas apenas sobrevoou a ilha quando estava viajando e se apaixonou, quer ir para lá a todo custo. A outra simplesmente acho que é uma cubana que nasceu no país errado. Ela conhece tudo de lá, tanto quanto possível. E nenhuma segue um estereótipo político. Elas apenas gostam do país (não da política) e ninguém pode dizer o contrário, é algo pessoal delas.

Idealista Chata disse...

como eu disse..contra dados e fatos não ha argumentos..!!

quero ver VC me dar dados com base na ONU ou em outras instituições reconhecidas internacionalmente baby..

Idealista Chata disse...

Mirella..me passa o contato delas hehe..

meu sonho conhecer..e fazer mestrado la..na area de educação...

Fábio disse...

Idealista Chata disse...
47. Segundo o informe de 2012 da Anistia Internacional, Cuba é um dos países da América que menos viola os direitos humanos.
-
100 mil mortes de dissidentes e opositores, atribuidas ao regime cubano na ultimas decadas,mas eperar o que de pessoas que tem este pensamento:

"Feminismo sem demagogia- Lucas Valois não cite Marx para justificar a existencia de uma pagina que tem discurso de ódio. Se fosse assim como vc esta dizendo não teriamos que exilar a grande burguesia e nem mesmo eliminar a direita quando há revolução. Por favor né?
há 10 horas · 6"
-
Realmente, contra fatos, não há argumentos.
,

jacmila disse...

"...que não quer se apaga a retorica fanatica"

ai...escreve direito seu Fabio!

A sua retórica é isenta de fanatismo?

Então o q vc acha - seguindo o tema do post - deste caso real:

Moça de apenas 15 anos tem um filho de 8 meses. Não completou o 6º ano do fundamental. Namora um rapaz de 25 anos. Diz, entusiasmada, q sonhou q estava grávida de novo. Disse q sua mãe (avó do bebê) não está nada contente por ter q cuidar do neto.

Aqui no blog da Lola vemos várias mulheres jovens assumindo não querer o papel de mãe. Só q não é esse o cenário geral...Mtas jovens ao inicirar a vida sexual encaram a maternidade como um caminho dignificante...
Que comentários o Fabio do mingau pode fazer sobre estes fatos?

Sara disse...

Siga em frente com sua decisão, não se incomode tanto com o q os outros pensam, afinal cuidar de um filho é uma tarefa monumental, e ninguem q não esteja inteiramente disposto a fazer isso por vc tem direito de dar palpites.
Minhas duas filhas ja tem idade para ser mãe, até gostaria de ver alguma netinha ou netinho, mas não teria como comprometer-me em ajuda-las nessa tarefa, (a não ser em caso de muita necessidade), então não me acho no direito de cobrar nenhuma delas.

Idealista Chata disse...

"Feminismo sem demagogia- Lucas Valois não cite Marx para justificar a existencia de uma pagina que tem discurso de ódio. Se fosse assim como vc esta dizendo não teriamos que exilar a grande burguesia e nem mesmo eliminar a direita quando há revolução. Por favor né?
há 10 horas · 6"

isso eh um fato?

Lucas Valois eh uma instituição?


nunca neguei as 100 mil mortes...acho memsoum absurdo..acho tbm que a implantação do regime foi muito violenta...mas acho hipocrisia falar dela e ignorar os milhoes de pessoas que morrem de fome por conta do capitalismo...

Mirella disse...


--
Se tem gente que QUER morar em Darfur (para ajudar no conflito) é óbvio que tem gente para querer morar em qualquer lugar.
--


corrigindo meu comentário: "não devem sobrepor"

--

parei de desvirtuar o tópico.

Idealista Chata disse...

essas mortes foram decorrencia da revolução..crimes de guerra das duas partes....houve uma guerra la..guerra civil..claaaaaaaaaaaaaaro que morreram pessoa neh?

ou vc acha que eles jogaram war pra tirar o governo anterios dopoder?


mas o país se reergueu...se superou..e fez dessa tragedia algo de que possam se orgulhar hoje..diferente da gente depois do lixo da ditadura no Brasil..

Fábio disse...

Quanto ao fato do feminismo defender a esterilização de mulheres de foma velada, e ser contra a maternidade " o calcanhar de quiles do feminismo"( segundo uma de vcs) em sua desconstrução social.
Estão dando e um tiro no próprio pé, pois enquanto a mulher ocidental não quer mais ter filhos, a mulher do orinte médio tem em media de 3 para cima, ou seja, ate metade do seculo, a população daqui estára envelhecida, enquanto os dela estarão abundantes em jovens sem emprego e sem perspectiva( afinal eles insistem em viverem na idade média) e adivinhem aonde toda esta mão de obra será necessária ?

Haverá uma forde onda migratória segundo estudiosos da área, e um choque gigantesco cultural, ai quando o islã estiver invadindo nosso dia a dia, eu quero ver as feministas lidarem com "respeitosos homens de Maome".Em alguns lugares da Europa, este choque cultural já esta evidente, há ate o ducumentário de uma menina finlandesa, sobre o assedio violento de homens de cultura islamica nas ruas de seu pais.

jacmila disse...

"Mirella..me passa o contato delas hehe..

meu sonho conhecer..e fazer mestrado la..na area de educação..."

Também quero!
Sou arte educadora e preciso mto mudar de ares!!!
Bora conhecer Cuba in loco!

Fábio disse...

Moça de apenas 15 anos tem um filho de 8 meses. Não completou o 6º ano do fundamental. Namora um rapaz de 25 anos. Diz, entusiasmada, q sonhou q estava grávida de novo. Disse q sua mãe (avó do bebê) não está nada contente por ter q cuidar do neto.

Aqui no blog da Lola vemos várias mulheres jovens assumindo não querer o papel de mãe. Só q não é esse o cenário geral...Mtas jovens ao inicirar a vida sexual encaram a maternidade como um caminho dignificante...
Que comentários o Fabio do mingau pode fazer sobre estes fatos?
-----------------------------------Isto se combate com educação sexual de qualidade( não apologia a sexualização precoce)
explique isto,que o feminismo defende com unhas e dentes, como emancipação feminina.


http://www.youtube.com/watch?v=ghCiEou5SBg

No ensaio Comunismo e propriedade privada, escrito por Karl Marx, Ele afirma que após dar inicio a ditadura do Proletariado, toda e qualquer forma de propriedade privada deveria ser extinta, o casamento também, desse modo, as mulheres viveriam num ambiente de prostituição generalizada. Qualquer semelhança com a realidade atual é mera coincidência, não?

Idealista Chata disse...

ta certa Mirela..voltaaaaaandoao assunto..

estou fazendo estagio em uma clinica que faz laqueadura e vasectomia..e qual o objetivo deles pautados pela lei?
dificultar as liberações..ou seja..mulher mesmo que maior de 25 anos, se nao tiver filho...não faz..se não for casada,não faz..

e pior..

quando o casal quer e pode. na maioria dos casos quem faz é a mulher por puro precocneito do homem...por a vasectomia eh mil vezes mais simples e mais rapida que a laqueadura, mas os homens tem varios preconcietos e deixam essa responsabilidade pras mulheres,
mas em alguns casos ele aceitam fazerdepois de assistirem a palestra da ação educativa, os que tem empatia pela mulher e não são machistas fazem numa boa..e fica todomundo feliz


vasectomia: cirurgia que dura 20 minutos com anestesia local, cicatriz pequena, danos minimos a saude,7 dias de repouso e é mais facil de ser revertida.seu sucesso pode ser medido em um simples espermograma.

laqueadura:cirurgia de risco,. anestesia raque ou geral, cirurgia demorada, recuperação em 20 ou ate 30 dias, dificil de ser revertida e seu sucesso eh medido por um exame desconfortavel, contrangedor e caro..

Idealista Chata disse...

nao posso ver o video aqui..

e nao vemos Marx como os evangelicos veem a biblia..ele não é absoluto...e o casamento naquela epoca era propriedade...
vc sabe o que significa contexto historico?

não neh?

pros Mascus: mulheres que transam ser estarem casadas são prostitutas...
e os homens viveriam como o ser não pensante?
sem o casamento só a mulheres viveriam na prostituição??

kkkkkk

argumentos pateticos


Idealista Chata disse...

Jacmillaaa..


que massaa.. *-* #tamojunto

arte educadora??

curti

queria conversar mais c vc sobre..

dexa um comentario la nomeu blog com seu e-mail se possivel..dai na hora de moderar eu anoto e apago..

Mirella disse...

Fábio,


É exatamente pelo fato de a mulher se a responsável biológica pela gestação que existem tantas políticas para a saúde da mulher. Isto aliado ao fato de que mulheres usam os serviços de saúde com mais frequência que homens, pois não dependem de um modelo nocivo de masculinidade para cuidarem de sua saúde.
O que é necessário entender é que só deveria ser mãe a mulher que quiser. Se muitas mulheres não querem ser mães, pois a gravidez vira um fardo social (já que a mulher é vista como única responsável pela criação da criança, já que empregadores veem com receio mulheres que engravidam, etc etc), então devemos criticar este modelo social que associa filhos à mulher de maneira exclusiva. E aí é "bem-vindo ao feminismo", meu caro. Fim de violência obstétrica, de papeis de gênero pré-estabelecidos, de sobrecarga na criação de um ser humano (essas coisinhas light que são indicadores de como a mulher é protegida na sociedade).
E uma mulher que queira proceder com a laqueadura não deveria ser encarada como o fim da civilização, a menos que um homem também devesse (e espero fortemente que NÃO seja). São escolhas pessoais e só. Aliás, ela pode congelar óvulos e fazer a laqueadura. Infelizmente, é um procedimento caro.

Mirella disse...

(Fora que Cuba é um lugar lindo hihihi)

jacmila disse...

Machismo e vasectomia. 1 estorinha real:

homem de 40 anos, 5 filhos com 4 mulheres. Decidiu fazer vasectomia depois do quinto filho. Tarde demais, não?
Vai passar 3 meses na França estudando, sozinho, livre, leve e solto. Não tem emprego fixo, artimanha pra se livrar da pensão alimentícia. E ainda diz q não é machista!

Não encapou o bilau e a culpa é das mulheres?

Ana Líbia Fernandes disse...

Lola, é a minha primeira vez comentando aqui, apesar de ler seu blog há uns bons dois anos. Já inicio com um big parabéns, porque olha, você não tem dimensão da importância do seu blog.

Sempre fico de comentar, mas acho que você diz tudo de uma forma tão completa que acabo deixando pra lá. Não vai ser dessa vez.

Sou mulher, CIS, e sou louca pra ter pelo menos três filhos. Sim, me chame de louca! Mas é algo que sempre esteve nos meus planos. Entretanto, não é isso o que me define enquanto mulher. E não é a ausência de filhos que define outra mulher. Cabe a mim, como a qualquer outro ser humano, respeitar as razões pelas quais aquela mulher não quer/quis ter filhos. Não consigo compreender porque isso seja tão difícil.

Mas uma coisa me mete mais medo: não é tão fácil se manter não-mãe. Primeiro, vem o julgamento de toda a sociedade, aquele papo que nós já conhecemos e bem. Depois, o controle sobre nossos úteros, que por fim, não são nossos. É daí que vem meu micro-relato e meu espanto.

Dia desses, num papo furado na faculdade, uma amiga me disse que não quer engravidar de jeito nenhum. Eu perguntei se ela não tem interesse em laqueadura e ela disse pra mim que não poderia. Foi quando descobri que uma mulher só pode se submeter à laqueadura tubária se já tiver TRÊS (!) filhos até OS 23 ANOS. Independente se eu já sei exatamente o que eu quero da minha vida. Antes disso, o médico que submetê-la a esse procedimento estará atuando ilegalmente.

GENTE, PÁRA. SÉRIO, PÁRA.

Eu não posso abortar, mas também não posso ligar antes dos 23 e ISSO se eu não tiver PELO MENOS TRÊS filhos. Portanto, para evitar filhos, preciso viver como uma escrava sob o uso da pílula, enriquecendo o mercado farmacêutico dia após dia - tendo em vista as queixas quase unânimes de que a camisinha é algo que incomoda. Diante de todo esse absurdo - porque não consigo ver de outra forma - finalizo deixando uma pergunta:

De quem são esses úteros?

Fábio disse...

GENTE, PÁRA. SÉRIO, PÁRA.

Eu não posso abortar, mas também não posso ligar antes dos 23 e ISSO se eu não tiver PELO MENOS TRÊS filhos. Portanto, para evitar filhos, preciso viver como uma escrava sob o uso da pílula, enriquecendo o mercado farmacêutico dia após dia - tendo em vista as queixas quase unânimes de que a camisinha é algo que incomoda. Diante de todo esse absurdo - porque não consigo ver de outra forma - finalizo deixando uma pergunta:

De quem são esses úteros?
-
Isto e sim um absurdo mesmo, contra a dignidade e autonomia da mulher,e contra um direito individual, mas tem uma explicação governamental, eles precisam que o "gado" continue se reproduzindo,

jacmila disse...

Idealista Chata:

Altos blog o teu!
Deixei lá meus dados, rs

lica disse...

É estranho, noto que existe uma tendência feminista a ir para um outro extremo.

O de achar que filho é "maldição" da mulher, que vai ser seu estorvo, estragar sua vida....

Como dizia minha sábia mãe, tudo o que é exagero faz mal.

Tânia B. disse...

Uma das coisas que eu mais ouço quando digo que não quero ter filhos é "toda mulher chega em um ponto da vida onde ela quer ter filhos, tu vai chegar também". Não, eu não vou.
Quanto ao pânico de engravidar, já tive muito, até porque meu ciclo sempre foi bastante irregular, mas com a pílula e a camisinha eu sei que não tenho que me preocupar (embora ás vezes eu ainda me preocupe um pouquinho).

Sara disse...

Fabio não é calcanhar de quiles rrrsss e sim calcanhar de Aquiles, essa expressão se refere a uma lenda.

"A expressão foi criada para designar o ponto fraco de alguém. Segundo a lenda grega, Aquiles, filho do rei Peleu e da deusa Tétis, tornou-se invulnerável quando, ao nascer, foi banhado pela mãe nas águas do rio Estige. Apenas o calcanhar por onde Tétis o segurou não foi molhado e continuou vulnerável. "

Mas isso não significa que as feministas querem a esterilização, nem é consenso entre nós que a maternidade seja um ponto fraco, mas SIM é meu ponto de vista.

Idealista Chata disse...

Lica..ninguem aqui diz que eh horrivel ter filhos..estamos so defendendo o direito de não ter pra quem acha isso horrivel, ou inviavel, ou sei la o que...

ninguem esta falando da maternidade em si..estamos falando das opções...

Roseane Viana disse...

Muito bom seu post Lola, acho que também vou escrever sobre isso também no meu blog. Bom feriadão!

Ao sabor das correntes. disse...

Oi, gente!
Olha só, no contraponto ao desejo de não ter filhos, o desejo de ter filhos e ser estudante: Universitária é obrigada a deixar a Casa do Estudante após ganhar bebê. Notícia que saiu no jornal gaúcho zero hora. Se puderem, gostaria de saber o que vocês, a Lola, pensam a respeito. Eu não estou envolvida na situação, mas mesmo assim, estou um pouco confusa e sem saber bem o que pensar a respeito. O que acham?


http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2013/03/universitaria-e-obrigada-a-deixar-a-casa-do-estudante-apos-ganhar-bebe-4085895.html

Karoline disse...

Só um idiota como o Fábio pra ler o texto e entender que "feministas são contra a maternidade".

Não acho que a gente tinha que estar dando bola pra esse tipinho, mas já que a discussão ta rolando...

Não somos contra a maternidade. Somos a favor do direito de ESCOLHER se vamos ou não ter filhos. Somos a favor de planejamento familiar para que possamos ter apenas os filhos que possamos sustentar e educar bem.
Existem várias feministas que querem sim ter filhos (no plural) e não são outras feministas que vão criticá-las.

Joane Farias Nogueira disse...

Falando em escolher filhos, leiam essa matéria sobre as declarações do Marco Feliciano. Prevejo anos de trevas para nós mulheres.

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/03/para-marco-feliciano-direitos-das-mulheres-atingem-a-familia-brasileira.html

Na cabeça dele, vamos criar uma sociedade homossexual se continuarmos a querer trabalhar, pois se não queremos ter filhos : ou não nos casamos, ou ficamos com outras mulheres.

Ŧ ђ ĭ ǻ ğ ø disse...

Ao meu ver, a sociedade faz essa cobrança por ter filhos apenas na condição de "ter um herdeiro" porque o que me parece ser mais preciso e mais importante é saber pra quem vc vai acabar deixando seus bens do que realmente essa relação pais e filhos que aparentemente é tão valorizada. Sou homem e também não pretendo ter filhos e já passei por essa "pressão" não só por parte de familiares, mas também por desconhecidos durante uma consulta. Há claro pessoas que irão justificar essa necessidade absoluta em gerar uma prole com a frase: "mas crianças trazem alegrias para o lar". Discordo, eu posso buscar minha felicidade sem ter um filho, não me fazendo mais ou menos humano ou até mesmo menos homem por essa decisão.

Fernanda Souza disse...

Achei o assunto interessante.E que bom enfatizou ali no final que prevenção é uma coisa e pânico de engravidar é outra.E o que parece que esta moça esta tendo é o medo de engravidar.

Palmira Margarida disse...

caraca, tb sinto a msma coisa: pianico! Tenho pavor e não conseigo ver barriga de grávia...ai, que nervoso.! Qd era criança tb sonhava que estava grávida e que meus pais iam me matar. A cobrança tá enorme p/ mim tb. Mas detesto essa coisa de ser mãe. Acho fofo babys, amo muito ser titia, amo muito mesmo.....mas eu ser mãe, not not not!!!!

Palmira Margarida disse...

caraca, tb sinto a msma coisa: pianico! Tenho pavor e não conseigo ver barriga de grávia...ai, que nervoso.! Qd era criança tb sonhava que estava grávida e que meus pais iam me matar. A cobrança tá enorme p/ mim tb. Mas detesto essa coisa de ser mãe. Acho fofo babys, amo muito ser titia, amo muito mesmo.....mas eu ser mãe, not not not!!!!

Laurinha (Mulher modernex) disse...

O que mais me incomoda, é que algumas mulheres que são mães, nos olham quase como se as ofendêssemos quando dizemos que não queremos ter filhos.
Elas não compreendem que as pessoas são diferentes, mulheres são diferentes umas das outras, o que faz a felicidade de umas não faz de outras.
Não é porque não quero ter filhos, que quer dizer que estou criando quem teve ou quem quer ter.

Anônimo disse...

Eu também não quero ter filhos, nunca quis, estou perto dos 40 anos e não me vejo mudando de ideia (se mudar, adoção tá aí, sempre acreditei que querer engravidar e querer ter filhos não necessariamente eram a mesma coisa).

Quando me casei, a pressão pela maternidade foi enorme e acabei me vendo explicando mil vezes os motivos pelos quais ser mãe jamais me interessou, até que um dia notei que estava sendo meio ridícula comigo mesma. Então passei a sacanear os outros. Quando me perguntavam o porquê de não ter filhos, fazia a cara mais triste do mundo e dizia que era estéril sem dar detalhes. É duro não rir, mas com treino acabei conseguindo. E assim as pessoas, envergonhadas, foram me deixando em paz.

Mas de vez em quando aparece uma besta querendo me ensinar simpatia pra engravidar hahahahahaha!

Ah e sobre o egoísmo. Pra mim, egoísta é a sujeita que mal me conhece vir falar argumentos como "quem vai cuidar de você na velhice" por exemplo. Então filho é enfermeiro grátis? Tá bom... limpo a bunda com essa nobreza toda, isso sim.

Anônimo disse...

Dia desses, num papo furado na faculdade, uma amiga me disse que não quer engravidar de jeito nenhum. Eu perguntei se ela não tem interesse em laqueadura e ela disse pra mim que não poderia. Foi quando descobri que uma mulher só pode se submeter à laqueadura tubária se já tiver TRÊS (!) filhos até OS 23 ANOS. Independente se eu já sei exatamente o que eu quero da minha vida. Antes disso, o médico que submetê-la a esse procedimento estará atuando ilegalmente.

Caso você more no Brasil, saiba que a lei diz vinte cinco anos de idade OUUUUUUUUUUUUU dois filhos vivos. Só isso.

Então se você tem 18 anos e dois filhos, pode.

Se você tem 25 anos e nenhum filho, pode.

E é totalmente cabível uma ação judicial para conseguir o cumprimento da lei, se for o caso.

Anônimo disse...

eu acho que boa parte das mulheres que decidiram não ter filho se assustaram com um modelo de maternidade em nossa sociedade que é muito opressor e machista (atenção: por "boa parte" não me refiro a quem não quer porque simplesmente não tem vontade, esse é um argumento absolutamente incontestável). o que ocorre é um controle social absurdo no brasil das pessoas se meterem na esfera íntima da mãe ao extremo (o que não ocorre tanto em sociedades mais igualitárias em termos de gênero). minha amiga ia pro samba com a bebê de 8 meses no carrinho (não amamentava), tomava uns choppes - sem ficar caindo de bêbada, claro - e a galera já chamava de negligente e irresponsável. a filha de outra teve assaduras e um monte de outras mães sutilmente a acusaram de IGNORÂNCIA por não conhecer a pomada tal, que era um absurdo que ela não tivesse pesquisado previamente. outra não quis amamentar porque doía horrores, e ela tentou até quase ter um colapso nervoso e desistiu, e foi MUITO julgada, acusada de "colocar seu bem estar" acima do bem estar do bebê, como se o bebê fosse morrer de fome por causa disso ou ter uma doença. outra, em comum acordo com o ex-marido e o filho de 10 anos, concordou que o filho fosse morar com o pai e a atual mulher dele, e lá veio condenação de que ela estava traumatizando e abandonando o menino (ela o vê 3x por semana). numa sociedade que "santifica" a mãe fica complicado mesmo. para as mulheres que estão inclinadas a ter filho (como eu) mas eventualmente entram em pânico achando que a vida vai acabar em todas as outras dimensões existenciais que não a maternidade, sugiro a leitura dos blogs de mães feministas, tem aos montes. acho mais fácil racionalizar o "não querer ter" num discurso que o "querer ter", porque o querer ter pode ser tanto por uma vontade inconsciente de se ajustar ao padrão social como a uma parada visceral de querer ser mãe mesmo pra sentir e dar aquele amor gigante e receber um amor gigante de volta (nada a ver com a ideia de ser moralmente superior por ter filho ou "mais feliz" que quem não tem). eu quero viver esse laço na minha vida (a não ser quando bate o pânico, aí me questiono).
ass: roberta

Anônimo disse...

Gostei muito do texto! Explicou muito do que sinto.
Tenho 22 anos e nenhuma vontade de ser mãe. Vivo ouvindo que sou muito nova ainda, que a cabeça muda depois e todas essas coisas. Mas eu realmente não sinto vontade e talvez isso nunca mude, assim como o fato de eu não sentir afinidade em lidar com crianças.

Ano passado a namorada do meu primo ficou grávida dele. Ela tem a mesma idade que eu. A partir desse fato (que fiquei sabendo em setembro passado) comecei a me preocupar muito mais com a possibilidade de ficar grávida.
Namoro há 3 anos, tomo pílula há 4 anos de forma bem regrada. Nas raras vezes em que esqueci durante meu namoro, tomei a pílula do dia seguinte por precaução. Sempre fui bem tranquila com relação a estar protegida, mas depois que aconteceu esse caso na minha família há meses em que me preocupo como nunca antes me preocupei. Já cheguei em época de TPM (estando mais sensível) a chorar muito só de pensar na possibilidade de isso acontecer comigo. Eu não aceitaria.

O que já comentei com meu namorado, e é o que me aflige mais, é: esse é um fato que eu acho que vai se estender por muitos anos, isso se não se estender permanentemente. Esse medo da possível gravidez é um fato que vai me acompanhar. Hoje em dia, seria mais complicado ainda se acontecesse porque ainda sou financeiramente dependente dos meus pais. Mas não vejo essa preocupação passando caso, por exemplo, eu engravide aos 30 anos, quando já estiver estabilizada. Não vai ser uma coisa "ah, tudo bem, não foi planejado, mas agora sou mais velha, independente, tudo bem".
O medo que me dá de acontecer isso não é por eu ser nova e dependente.
O medo que tenho é de engravidar, seja casada, namorando, com 25 anos ou 30, de qualquer forma.

Carla Francisco disse...

Sugiro também: como lidar com a pressão depois de ter filhos, algo como você deve agir assim porque agora você é mãe. Por que você quer continuar no doutorado, agora você é mãe? Você vai colocar seu filho na creche aos 3 meses, que horror? Você trabalha à noite, mas você não é mãe? Ah, é seu marido que cuida do seu filho quando você viaja? Eu vi um anomimo comentado em outro post,"feminista amando um homem"? Quando as pessoas vão entender que ser mãe, estar em um relacionamento monogâmico e heterossexual não te impede de considerar a opressão que as mulheres vivem no cotidiano.

Mário Marinato disse...

Lola, não sei se você vai ler isso depois de tantos dias, mas lá vai.

Eu já escrevi um texto sobre o assunto pro meu blog: http://osarcofago.blogspot.com.br/2011/10/sobre-nao-ter-filhos.html

Anônimo disse...

Me casei a pouco, por questões que fogem ao tópico. Muita gente achou que eu estivesse grávida, quem me encontra pergunta se já nasceu, cadê minha barriga. Minha sogra acha que "devido a minha idade", eu deveria ter filhos logo. Eu nunca quis filhos. Sinto que vai ser bem chato enfrentar essa barra e sustentar minha vontade, já que odeio dar satisfacão aos palplites alheios. Sempre que tenho alguma novidade a contar, meus amigos já prontamente perguntam: "tá gravida??", como se fosse a única coisa que eu posso fazer da minha vida. Outro dia, uma tia pôs uma crianca pra chorar perto de mim, para que meu corpo "criasse"vontade de ter filho. Choro de crianca é irritante. As pessoas que ouvem isso já interpretam como se eu odiasse crianca, fosse uma bruxa, etc. Soh nao gosto do choro e nem me interesso em ter filhos. Ponto.


Ana Bastos disse...

É um alívio ler textos de pessoas que entendem como nos sentimos. Eu também não tenho filhos em meu projeto de vida (nunca - muitas mulheres comentam que não querem agora, mas falo das que realmente não querem).

O excesso de cobrança social para ter irrita mesmo, porque às pessoas tem preconceito - acham que você não gosta de crianças, ou que você tem algum problema.

No meu caso, até meu marido é cobrado também (estamos há mais de dez anos juntos).

Até entendo que as pessoas vejam os filhos como algo que dá sentido à vida. Afinal, é natural à tendência à reprodução e a natureza nos impele a isso.Mas também entendo que desde que nos tornamos seres culturais temos a opção de escolher como queremos nossa vida, e desde então ter ou não ter filhos passou a ser uma escolha do casal. O fato de haver tantas mulheres que não querem filhos só prova que isso não é obrigatório.

Conheço um casal que nunca teve filhos por opção (eles já são idosos) e que são muito felizes com a opção que fizeram. Também conheço pessoas que não são necessariamente felizes tendo filhos.

Ana Ribeiro disse...

Meu nome é Ana , tenho 35 anos, após dez anos de casada, fui bombardeada de cobranças para ter um filho, me cobravam um sobrinho , um neto e quando realmente senti a vontade de ser mãe, engravidei tive um menino lindo, me sinto realizada, só que as pessoas que me cobravam tanto sumiram, contei com o apoio da minha mãe, e meu esposo, cada um com suas prioridades.

J. Way disse...

Eu tenho 30 anos, sou hetero, não tenho filhos e acabei de fazer uma laqueadura pelo sistema público de saúde porque não quero filhos. Segui a minha vontade e apesar de ser quase levada à exaustão pelos questionamentos externos, alcancei meu objetivo. Não é pelo direito de ser ou não ser mãe, é pelo direito à escolha! http://apenasoutrocaminho.blogspot.com.br/2014/02/pelo-direito-opcao-eu-escolhi-nao-ter.html

Daniela disse...

Ola Lola! Tenho 35 anos e não penso de jeito nenhum em ter filhos. Uso o diafragma com a pomada para evitar filhos, mas meu sonho mesmo era fazer uma laqueadura. Penso que o nosso Governo nao tem interesse, por varios motivos de liberar uma mulher sem filhos, ou um homem de fazer vasectomia sem filhos, Este interesse é somente POLITICO,rimeiro por causa da quantidade de votos, que iria cair existindo menos pessoas. Eles não estao preocupados se vc vai se arrepender e vai ser uma
frustadaa, nao ninguem liga! Não existe uma saude publica descente, ate nos planos de saude Nao temos escola para todo mundo, os transportes publicos estao uma vergonha não cabe mais ninguem, carros lotam as ruas,com engarrafamentos infernais,os salarios sempre baixos, a violencia, nao tem emprego digno para todos e ainda sim vamos fazer GENTEEE!!! ainda cabe mais, faça filhos!! O governo naõ deixa não é porque ele é bonzinho, mais impostos para pagar vc tendo filhos, seus filhos tb pagaram e pos ai vai.. Enquanto isso mulheres se entopem de anticoncepcional enriquecendo os laboratorios. Pergunto? Mulher uma mulher frustada pq se arrepndeu dalaqueadura do que uma mae que espanca o filho e joga na cara dele todo dia que a pilula falhou e que ele fez a vida dela infeliz. Claro que deveria ter uma idade minina, uma acompanhamento psicologico para isso, mas temos o direito de ter ter TOTAl controle de nossa fertilidade!!!

Anônimo disse...

Pior é ver mães que falharam em tudo com seus filhos, tiveram e largaram no mundo te coobrar porque vc não quer ter. Haja paciência para aguentar tanta hipocrisia.

Jack Covic disse...

Jennifer Aniston e a melhor, caga pra sociedade e vive do jeito que ela quer.