domingo, 12 de dezembro de 2010

A LUTA É NOSSA

Pra gays, lésbicas e héteros de SP, hoje tem um programão: beijaço e caminhada na Av. Paulista! Adoro essa ideia do beijaço, que ganhou repercussão internacional quando foi realizado em frente ao papa. É uma forma totalmente pacífica e bonita de se manifestar. E que causa o maior desconforto aos homofóbicos. Pais de família: se vocês não quiserem que seus rebentos sejam expostos a essa pouca vergonha (lógico: amor e sexo são vergonhosos!), porque se seus filhos virem dois homens se beijando, automaticamente virarão gays, não levem a prole à doceria Ofner da Al. Campinas, 1160 hoje, às 18 horas. É lá que acontecerá o beijaço. Por que em frente a Ofner? Porque, na semana passada, um segurança da doceria interrompeu um abraço de um casal gay, dizendo que “isso aqui é um lugar de família” e “dois homens se pegando é coisa de bicha”. O casal foi falar com o gerente, que afirmou que o casal estava “incomodando as pessoas”. Agora, o casal vai processar a loja.
Depois do beijaço, os manifestantes irão até a Av. Paulista 777, que foi palco do criminoso ataque da gangue homofóbica com o bastão de luz a um grupo de rapazes.
Vale lembrar que lutar contra a homofobia não deve ser uma luta apenas dos homossexuais. Outro dia, numa das discussões em sala sobre preconceito, logo o meu aluno mais querido e fofinho disse que não era homofóbico, mas que não tinha nada a ver com os gays, e, portanto, não achava que devia mover uma só palha por eles, porque o preconceito contra eles não o afetava. Eu perguntei se era bom pra ele, pros filhos que ele talvez venha a ter, viver numa sociedade homofóbica, ou numa sociedade machista, ou numa sociedade racista — se é isso mesmo que ele quer, continuar vivendo num mundo cheio de preconceitos, em que pessoas são agredidas, discriminadas e até assassinadas apenas por serem homossexuais, ou mulheres, ou negras. Ele refletiu e viu que não, não era bom. Olha, tenho um monte de alunos brilhantes, muito inteligentes mesmo, gente boa que simplesmente nunca parou pra pensar em assuntos que, pra eles, não parecem importantes. Mas são.
Então apareçam na manifestação hoje, e vamos marcar outras em outras cidades. É pra isso que a internet deve servir: pra mobilizar, pra mudar o mundo, pra agregar. Não pra perpetuar preconceitos. Afinal, a gente já conta com outros veículos e instituições pra isso.

13 comentários:

Adriana Karnal disse...

ótimo convite.Você leu o texto do Dráuzio publicado na Folha de domingo passado? contra a homofobia e se posicionando
( inclusive cientificamente) a favor do homossexualismo.

Clara Gurgel disse...

Três vivas para o BEIJAÇO!! O que choca é o preconceito e não o amor."Qualquer maneira de amor vale a pena.Qualquer maneira de amor vale amar!"

Por trás das notícias disse...

É isso aí! Beijaço já em todas as cidades do país. "Escandalizar" os homofóbicos.

Júlio César Vanelis disse...

Mal posso esperar para termos um desses aqui no Rio

Abraço Lola... Até

Lucas Vasconcelos disse...

Já pode ter uma versão do BEIJAÇO em Fortaleza!!! Adorei a ideia!

Barbara O. disse...

O final do seu texto está lapidar! É para isto que a internet deve servir, Lolíssima!

Um beijaço para você.

Vanesca disse...

Galera de Sampa, vão beijar MUITOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!

Anastasia disse...

Em Brasília aconteceu a mesma coisa no Bar Leblon. Dois homossexuais que eram AMIGOS estavam lá, e um deu um beijo na BOCHECHA de outro. Isso foi o bastante para o garçom chegar e interromper.

Estabelecimentos homofóbicos tem que ser boicotados, denunciados e receber protestos em sua porta MESMO.

Tomara que o beijaço seja bem sucedido!

Glauber Guimarães disse...

Lindo, Lola!
Espero que muita gente apareça... adorei sua iniciativa de convidar!
A luta contra os preconceitos, sejam quais forem, é uma luta de todos!

Pentacúspide disse...

eu sou a favor de qualquer tipo de manifestação afectuosa, desde os visto na National Geographic e tão naturais dos animais aos absurdamente artificiais dos filmes pornos, porém as paradas cor-de-rosa sempre me causam mossa, porque para mim isso faz tudo menos retirar a imagem de perversão que a malta anti-gay tem dos gays.

Enfim, não parece ser este o caso de uma manifestação cor-de-rosa. De qualquer forma só posso dar o meu sus.

Nathália. disse...

Eu queria ir!
Será que não fazem algo assim no Rio de Janeiro?

Filodox disse...

Lamentável os eventos homofóbicos ocorridos na Paulista e no Leblon.

Os estabelecimentos coibem a manifestação homossexual por causa dos frequentadores.

Se ninguém mais se incomodasse com isso, não haveria repressão.

Sou a favor de manifestações pacíficas.

Não consigo entender porque algumas pessoas são homofóbicas, ou odeiam os gays.

Vi um vídeo bem crítico do Arnaldo Jabor esculhambando os homofóbicos.

Se eu achar eu posto aqui.

Bárbara disse...

A reportagem da Veja dessa semana na sessão "Comportamento" foi TÃO ridícula que com certeza se viesse de outra fonte eu pensaria se tratar de uma grande ironia.