sábado, 4 de dezembro de 2010

ALGUNS VÍDEOS E ARTIGOS QUE ME CHAMARAM A ATENÇÃO

Filhote de echidna. Não sei bem o que é, mas quero um.

Hoje estou com a maior preguiça de escrever um post, então vou deixar você com alguns links interessantes que ando colecionando, mas nunca encontro tempo pra escrever sobre qualquer um deles.


Artigo instrutivo (em inglês) sobre o movimento Tea Party nos EUA e, menos, sobre mulheres de direita tentando reinventar o feminismo. Uma provocação: se Sarah Palin tem a coragem de se dizer feminista, por que não deve ser aceita como uma?

Futura advogada, aluna da PUC-SP manda emails agressivos e racistas a uma das alunas do ProUni. Não perca o preconceito de classe e a perplexidade dos que não conseguem entender que um comentário sobre cabelo de uma negra é racista.

Pra minha leitora que não acredita em estatísticas: Renda da população negra sobe, mas negros e pardos ainda ganham 40% a menos que brancos.

Bullying contra gays. Preconceito vem de todos os lados, não só dos alunos.

It gets better: mensagem (com legendas) do Obama contra bullying, especialmente bullying contra gays. Excelente campanha.

Enquanto isso, por aqui, a apologia ao bullying continua. Quatro comunidades no orkut são a favor do famigerado rodeio de gordas.

Este tá meio atrasado, mas é imperdível: telemarketing da Veja desconhece que revista fala mal do Lula e põe toda a culpa da falta de imparcialidade da revista no Diogo Mainardi.

Já viu como se faz arte em torradas? Esta é com stop motion. Por favor, faça isso em casa, filme, e me avise.

27 comentários:

Por trás das notícias disse...

Aquele ato de racismo, machismo, preconceito de classe, tudo junto, contra a estudante da PUC é triste de ler. Dentro da academia, juristas graduando-se com um pensamento desses. Sua argumentação é toda baseada em agressões descabidas.

Pedro disse...

hahahaha... foda isso da torrada! E curti o bichinho tb, se conseguir achar um, pode encomendar dois haha... bjo lolinhaa

abraçao do seu melhor fã

Por trás das notícias disse...

Ah não Lola, você está se achando demais. O Prates, da RBS, é tão humanamente miserável, tão sub-sub-sub-intelectual, tão baixo, tão vil que, dizer que se é exatamente o oposto dele é como dizer-se perfeito. Hahaha, brincadeira. Adoro o blog e estou cada vez mais assíduo.

L. M. de Souza disse...

Acho difícil aceitar uma feminista de direita (parece uma contradição em termos, não?), o mesmo vale para homossexual de direita, acredite, eles existem http://gaysdedireita.blogspot.com/ você podia falar um dia sobre isso.

Flávia disse...

Lola,

Mostrei a fotinha do Baby Echidna para especialista em animais daqui de casa, mina mãe, que já viu todos os programas do Animal Planet. Ela desconfiou que o bichinho seja montagem. Fomos verificar, e olha só as outras fotos de equidna que encontramos:

http://www.darkroastedblend.com/2008/10/platypus-and-echidna-babies.html

[]'s

Larissa disse...

E todo mundo adora estereótipo né?
"Feminista de direita". Afe!

Ana disse...

Difícil pensar o feminismo hoje sem um pé na teoria crítica, este é o problema. Você pode pensar o feminismo por suas propostas pela emancipação das mulheres, mas aí tem que perguntar - que mulheres? Que emancipação?

As cristãs conservadoras respondem: as mulheres WASP, emancipando-se pela pureza moral e pela conservação da família. A unidade aí não é o indivíduo liberal, mas a família.

Essas cristãs se recusam a reconhecer os privilégios que gozam sobre outras mulheres e homens atravessados por outros marcadores sociais da diferença e processos de opressão. Não é um feminismo universalizante, tampouco que abrange as diversidades. E nesse sentido, seu escopo é bastante limitado, porque é um "feminismo" que vai criar mulheres protagonistas na manutenção de um sistema de valores e práticas que consideramos bastante patriarcal.

E, principalmente, que não se pauta por uma ética da minoração da violência, na medida em que hierarquiza vidas...

Shiryu de Dragão disse...

Echidna são porcos-espinhos. Imagine eles fazendo sexo!

Raquel Portilho disse...

Ana, você colocou em palavras o que eu estava tentando articular aqui na minha cabecinha. Fantástico.

Em relação à comunidade do Orkut, lendo a matéria, cliquei na foto que eles colocaram da página. Dêem uma olhada nas comunidades relacionadas ao grupo.

Bom, existem gays e lésbicas de direita, sim (tenho alguns amigos que se colocam nesta categoria). Eu também acho contraditório em alguma medida. O que eu mais vejo dentre estas pessoas é preconceito de classe e, às vezes, racismo. E algumas destas pessoas também reivindicam coisas como o "verdadeiro gay" e a "verdadeira lésbica".

Luma Perrete disse...

Equídnas são mamíferos australianos que botam ovos, assim como os ornitorrincos. Luma também é cultura.

Sobre o movimento "It Gets Better", me emocionei bastante com esse vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=ax96cghOnY4

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Às vezes eu acho que a Sarah Palin é um personagem, não é possível que essa mulher fale a sério algumas vezes, rsrs...
E essa da Veja ser imparcial e só ser vista como parcial por causa do Mainardi, cof, cof, cof... peraí que vou ali beber uma água por causa da tosse.

Lolinha, tava doida pra ver um post seu sobre a escolha dos ministérios, o posicionamento da Dilma e esse rebú que o PMDB tem aprontado... rsrs

Bjus e bom fim de semana

Pentacúspide disse...

Porque raio um comentário sobre o cabelo de uma negra é racismo?

Por que raio todos os comentários sobre negros são cunhados de racistas?

Se pensar que comentar sobre a aspereza do cabelo de uma negra ou pelo facto de ser curto é um acto de racismo isso significa que se tem a opinião de que essas características são negativas, tendo em conta o racismo no sentido negativo.

Por quê um negro tem de ficar zangado quando alguém lhe chama de negro, e por quê não devemos chamar a um negro de negros, e temos de dizer "de cor", será que acham que o negro não percebe que o "de cor" é um eufemismo para negro? Aliás, na minha terra, "de cor" são os mulatos, e quanto mais cor, mais branco.

Uma senhora uma vez escreveu uma mail zangada que foi aqui postado, e entendo bem a senhora. Essa ideia de tratar os negros como bonecos de porcelana e chamar os outros de racistas por dá cá aquela palha não ajuda em nada, antes só alimenta o preconceito.

As pessoas têm de saber aceitas o que são e da forma como o são. Cor, cabelo, aparência é uma questão estética, há quem goste de magras, há quem goste de gordas, há quem goste de louras, há quem goste de ruivas, todos vêm isso como normal, mas se alguém dizer que branco ou negro não faz o seu tipo, isso é logo racismo.

E dizer não gostar de cabelo do negro é também racismo, mas isso é estupidez, porque se os próprios negros andam atrás de desfrizantes e produtos cosméticos para deixarem os seus cabelos lisos como de brancos é hipócrita mostrarem-se zangados quando alguém lhes diz que o seu cabelo é feio.

E quando se vai falar do racismo deve-se falar de ambos os lados, tanto os existentes de uma parte como da outra.

Bárbara disse...

Vocês viram as comunidades relacionadas a essa do rodeio de gordas? Eu não sei porque eu ainda me impressiono com isso.

KlaussGoytacaz disse...

Lola vc confundiu um filhote de ouriço-europeu (Erinaceus europaeus) por um echidna!

Alessandro disse...

Pentacúspide,

É exatamente o seu comentário que evidencia o racismo inerente da nossa sociedade.

Você não pode achar que as coisas funcionam ou deveriam funcionar do jeito idealizado que você escreveu. Nesse seu mundo, as camisas 100% branco e 100% negro seriam iguais.

No mundo real em que vivemos, existe toda uma carga histórica e social que faz com que isso não seja bem assim. Por que os negros ganham menos? Por que eles são mais parados nas blitzes? Por que o padrão de beleza da nossa cultura é o europeu?

Pense com cuidado antes de chegar a conclusões precipitadas sobre o assunto.

setepalmos disse...

Saudações Fraternas, Lola!

Que vc me diz das mulheres com Dilma? Belchior é o suficiente?

Beijo, moça forte e destemida!

Laetitia disse...

- Sobre a aluna da PUC agredida: o que me chamou a atenção foram os comentários defendendo a agressora. Dizendo que a agressão seria a mesma, ainda que a mulher fosse branca (ou seja, não foi a cor e a própria condição da aluna que motivaram as grosserias... imagina!) e que a agredida foi oportunista. É incrível como as pessoas não conseguem ver um palmo adiante do seu mundinho pequeno e privilegiado, não?

- Sobre o bullying sofrido por gays nas escolas: pois é, incrível como NÃO vivemos numa sociedade homofóbica, não? O fato de eu ter presenciado agressões de colegas e até mesmo comportamentos inadequados de professores (sugerindo psicólogos para "curar" um menino) a crianças e adolescentes gays deve ter sido imaginação da minha parte. Com certeza.

- Sobre o artigo que fala (entre outras coisas) sobre a Sarah Palin:
"When I interviewed Foster several years ago, I asked her how very poor or teenage girls were supposed to take care of these unwanted children. Since she is against taxes and government subsidies for social services, she evaded my question. She said that women should not be alone, that others should help."
Isso resume tudo. Euri, rs.

cronicasurbanas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
cronicasurbanas disse...

Lola,
os echidnas (que a gente pronuncia 'iquídna') são fofos e esquisitinhos, vi uns no zoo de San Diego há muitos anos. Com os ornitorrincos, são os únicos mamíferos cujas fêmeas põem ovos. Mas também são um pouco como os tamanduás: não têm dentes e usam a língua para pegar formigas, cupins e outros bichinhos. A natureza na Oceania realmente parece 'brincadeira de algum arcanjo', como dizia meu pai...
abraço
Mônica
@madamemon

Pentacúspide disse...

Alessandro,

podes crer que no meu mundo as camisas 100% brancas são iguais às 100% negras, porque raio um negro pode ter orgulho de ser negro e um branco não?

Não percebem que é um factor minorativo a protecção exagerada que se dá aos negros e da qual alguns abusam?

O padrão da beleza é europeia, concordamos nisso. Então por que raio o negro não muda a jogada e reeleve o seu próprio padrão, em vez de seguir o padrão que lhe foi imposto? Por que a negra não se orgulha do seu cabelo e se sente ofendido por isso?

Eu tenho cabelo rijo, Alessandro, tenho pele negra, sou negro, se ainda não entendeste. Tomar como ofensivo um comentário sobre a minha pele ser escura significa que associo a minha pele ao negativo. Viste um vídeo que mostraram aqui sobre crianças negras que diziam que a boneca negra é má. Pois bem, essas mesmas crianças reagirão no futuro negativamente se alguém lhes chamar negro, porque para elas negro é sinal do mau, mas para mim não é, é apenas uma característica antropológica, fisiológica ou sei-lá-que-lógica.

E quando falámos de ética, dizemos a Ética é Universal e Inato. Ou seja se é ético alguém se sentir orgulhoso de algo, é também ético o outro poder sentir-se orgulhoso de outra coisa (embora ponha em questão o orgulho de Hitler de assar os judeus como ético).

No Hollywood há prémios de cinema para filmes de negros ou que contenham um negro no elenco, ninguém vê isso como racismo? Se os brancos fizessem o mesmo levariam nas orelhas? Eu sei que tolerância maior para os negros por causa do que disseste, dos séculos de colonização, mas se quisermos acabar realmente com a discriminação não achas que deveria ser o mesmo peso e a mesma medida?

Lê aqui a minha posição sobre a raça:
http://ashikodi.blogspot.com/2009/11/uma-questao-de-nacionalismo.html

http://ashikodi.blogspot.com/2009/02/white-pride-reloaded.html

e se houver pontos obscuros neles eu os clarifico de bom grado.

Filodox disse...

Pessoal, saudações!
Acho que vocês estão confundindo as coisas.
De direita significa aquela pessoa que acredita na iniciativa privada, na intervenção mínima do Estado, etc.
É uma postura ideológica que diz respeito à economia, à forma de governo e por aí vai.
Ser de direita não significa ser homofóbico ou racista.
Esta idéia é extremamente preconceituosa. Ela parte do princípio que uma pessoa de direita é, sei lá, uma pessoa má, e isso não é verdade.
Não há contracenso nenhum ser gay ou negro e ser de direita.

Pentacúspide,
Você estava falando deste post?:
Racismo começa em casa
Este vídeo me deu engulhos. Minha mulher sentiu-se mal só de ver.
Pelo seu discurso, eu jamais iria suspeitar que você fosse negro.
Aliás, é muito difícil de crer nisso.

Koppe disse...

Para todas as universitárias que se achem acima do peso, ou que sejam consideradas assim pelos colegas, eu sugiro que carreguem consigo bem ao alcance das mãos objetos afiados e/ou cortantes, para em caso de agressão ("rodeio de gorda") causem danos físicos aos autoproclamados "peões". Esses objetos não precisam ser exatamente armas (que podem trazer problemas com a lei), podem ser pequenas ferramentas (chave de fenda, chave philips) ou objetos de escritório (estilete, até um lápis bem apontado pode causar ferimentos graves).

Sei que a violência não deve ser usada como primeira alternativa para resolver qualquer problema, mas às vezes é o último recurso. Tem gente que só entende essa linguagem. Que se responda à altura, então.

gtavaresf disse...

O echidna, bem... Tinha um personagem da série de jogos Sonic chamado Knuckles que era um echidna. Mas nunca tinha visto o animal de fato. Bem lembrado rsrs
Gostei do blog, meu primeiro acesso. E você ensina na UFC, nossa! Tou lá faz mais de 6 anos. Pra ver como não sei de nada mesmo. =)

Leo disse...

Lola, interessante você falar sobre essa campanha It gets better. Eles tão promovendo a campanha no Brasil, e outro dia li uma grande discussão em um blog sobre ela... o pessoal tava acusando a campanha de incentivar o preconceito contra os afeminados por causa deste texto no site da campanha:

"No Brasil, eu acho que o problema mais abrangente (não o mais importante) é a caricaturização do personagem “gay” para as massas. Então sei que nossos “gays” são visíveis, mas são uma representação muito pouco real do que existe no mundo. Os personagens mais visíveis são os suspeitos de sempre: os ultra-femininos, garotos de programa musculosos, cabelereiros futriqueiros, costureiros divas -- enfim, uma renca estereotipada que passa muito longe de modelos de comportamento para um jovem que está formando seu caráter e tentando desesperadamente participar, pertencer, se identificar com um grupo."

Acho a campanha bem válida, mas as palavras foram um tanto mal escolhidas!

biamichalski disse...

isto não é uma echinida! isto é um porco espinho, echinida é bicuda

Anônimo disse...

Olha se pretendes fazer um blog faça direito não tens de dar informações erradas e sim INFORMAÇÕES CORRETAS e VERDADEIRAS.
Só para saberes tenho 12 anos!

Anônimo disse...

Peço que mudes de ideia e aceite o seu blog é HORRÍVEL.