domingo, 28 de dezembro de 2008

IMAGENS DO NOSSO NATAL

Maridão e eu na casinha da minha mãe (segundo andar, porque é um sobradinho). Minha mãe tirou duas fotos, e a outra ficou melhor, mas o energúmeno que atende pelo nome de Silvinho decidiu fazer sinalzinho de chifre na outra (clique para ampliar). Porque ele acha que ainda tem quinze anos (desculpem, meus jovens leitores. Sei que vocês não fazem isso desde os sete). A gente já não tem muitas fotos juntos, e ele ainda faz gracinhas! Por que, ó Deus, por que? Mas ignorem a cara de maroto do velhinho adolescente e reparem como a casa da minha mãe é colorida. Todos os quadros são obra dela. Tem um bege aí atrás que eu acho que é só a tela, por enquanto.Eu, minha mãe, e nossa ceia de natal: uma bela torta de frango. Daqui parece pequena, mas vai três quilos de coxas e sobrecoxas, que peito de frango não tem gosto de nada. Oh my God, reparem nas minhas olheiras! É a falta de luz que me faz parecer com alguém bem olheirudo da Família Addams. Mas não vamos perder o foco. Concentrem-se na torta de frango.Minha mãe segura o bolo de chocolate. Foram momentos de tensão, já que ela se penalizou muito pelo bolo ter saído errado, torto, caído de um lado, e ela queria "corrigi-lo" (cortando? Jogando fora um pedaço da superfície?). Tive que fazer um longo discurso sobre aprender a ver beleza em tudo, inclusive nas coisas menos lisinhas e fora do padrão. Não funcionou. Então eu disse que o bolo estava parecido com um monte que o protagonista prepara em Contatos Imediatos do Terceiro Grau. Ela quis saber: "E o que acontece depois que ele constrói a montanha?". Respondi: "Os alienígenas chegam, mas esse não é o ponto". Ela não ficou convencida do valor simbólico do bolo. Como último recurso, aproveitei que o magnífico bolo de chocolate estava repousando na minha geladeira e interrompi o acesso a ela. Bolo de chocolate "deformado" e absolutamente delicioso. Minha mãe prefere chamar de Sacher Torte, porque é uma receita austríaca. Mas deturpada. Ao invés de recheio de damasco (quem precisa de fruta quando há uma abundância de chocolate no pedaço?), há um quilo e cem gramas de chocolate meio-amargo, Cointreau e creme de leite. Basicamente isso. Quer dizer, quem precisa de algo mais na vida? Ah sim, notem o lindo arranjo de flores ao fundo. Entre garrafas que não deveriam estar lá. Bolo na mesa e gatinho Cal à espreita. Não sei porquê, já que ele nem gosta de chocolate. Em geral gatos, ao contrário de cães, não dão a mínima pra chocolate. Falta-lhes alguma glândula degustativa (tá, inventei isso agora) que reconheça açúcar. Mas eles são sociáveis, e sentem que não pode haver uma grande expectativa (cortar o bolo) sem que estejam presentes. Também gostam de marcar as coisas importantes com seus pêlos, mesmo as coisas que não pretendam comer. Antes de sentar-se aí, Calvin achou de bom tom afiar as unhas num dos quadros da minha mãe. Uma fofura. Machos são tão bobinhos, né?

23 comentários:

Paola disse...

Ai que delícia, ceia com a cara da gente!
Aqui na nossa tribo estamos quebrando paradigmas há séculos!
Não conheço rabanadas, mas já comi muito crustoli...
Quanto às telas da mãe, eu adora as da minha, ela está cada dia melhor, ela gosta de umas coisa geométricas, muito coloridas... e o mais legal é que ela troca as telas de lugar, a casa dela nunca é a mesma!

Um beijo

PAola

Anônimo disse...

Lola de fato há muita cor na casa da Nelly, e que clima bonito isto gera, não é? Percebe-se que ela está muito contente com a presença dos convidados. Voce e o maridão formam um par muito amoroso. Rola uma harmonia e uma intimidade nesta ceia, que as cenas revelam.
Sabe Lola, considero vc muito talentosa para escrever e discutir os temas a que se propõe neste blog, mas, acredito que um grande fator de atração da gente aqui, para este seu espaço, se deve tambem ao "jeito gente de ser"
que lhe é peculiar.
Parabéns e obrigada por compartilhar os bonitos momentos conosco. Meu natal foi na ilha de SC, na festa da tia Bete, que esteve ótima e intimista tambem. Bj da Fatima.

babsiix disse...

Oi Lola! Concordo com a Fatima q disse q as pessoas são atraídas para cá pelo seu "jeito gente de ser". Uma graça a foto de vc e maridão.. ele fazendo chifrinho foi ótimo. E suas olheiras.. Eu tb tenho, sempre tive, e chamam bastante atenção. Vc me ganha, Lola..heheh. O gatinho tb é uma graça. O meu tb vem sempre checar as coisas novas, e ficar ali marcando presença. E qm se importa com comida deformada? Estar boa é o q importa, né? E concordo com vc..não precisamos de damasco quando se tem chocolate.

cavaca disse...

E aquele vinho lá, onde é que estão as outras garrafas vazias? Bom, o que tenho a dizer é que ainda bem que não foi o maridão a tirar as fotos. A casa da sua mãe é mesmo aconchegante, acho que ela não tem muita vontade de sair de casa não é?
No meu Natal, que foi trabalhando, eu saí na porrada! Explico: Entrou um homem no restaurante bebado (acho dificilmente uma mulher faria o mesmo) e começou a jogar as garrafas de vinhos no chão. Há alguns movéis, onde colocamos vinhos também para decoração, esses vinhos ficam perto das mesas. Quando o elemento enfurecido começou a destruir tudo, parte dessas garrafas cairam na cabeça de uma senhora de idade e cortou o rostou dela. Muito antes dele fazer isso já haviamos mandando ele embora, e haviamos também chamado a policia já que nossos seguranças não estavam de serviço, mas a policia não apareceu e então, ao ver aquela senhora atordoada, eu e meus colegamos arrastamos ele para fora e demos umas boas porradas nele. Acho que foi a primeira vez que bati em alguém pra valer. O restaurante ficou um caos, tive que abandonar o trabalho e correr em casa para trocar a minha camisa que ficou suja de sangue, muita confusão.

A parte isso, a única mesa de portugueses da noite foi minha, um casal com o netinho, e foi a única mesa que reclamou dos preços. Entendo que reclame, mas que reclame com classe, dizer que somos ladrões é uma afronta indelicada, afinal estamos trabalhando no Natal e tenho certeza que ele não tinha outro local para comer. E não sou eu quem faz os preços. Em seguida ele reclamou da cerveja também, não desejou bom natal quando pagou e não deixou nada de gorjeta...esse é o espirito portugues na sua essência.
Nada como uma noite intima e tranquila, com um gatinho e um delicioso orgasmo de chocolate.

Roberta disse...

Realmente gatos não ligam pra chocolates...mas vc já tentou comer algo com doce de leite perto deles? Eles ficam loucos, rs

Juliana Bittencourt disse...

Bem colorida mesmo a casa da mãe, bem bonita...
Eu tava aqui achando que os ataques do Nick de "tenho 13 anos de idade" passassem com o tempo, pelo jeito é bom eu ir me acostumando com o fato que não passam, ai, ai... mas nem dá pra ver o chifrinho. Agora, quero muito um pedaço desse bolo, hein? Devia estar muito bom!!
Também fico tristinha quando as coisas que faço para os outros não ficam com aquela aparência que a gente esperava, mas mais vale a aparência deformada e o gosto bom que a aparência perfeita com o gosto ruim.

princesa disse...

Nossa Lola,como sua mãe é talentosa,que quadros lindos!

Cristine Martin disse...

Olá Lola!

Que Natal gostoso deve ter sido! Também prefiro assim, poucas pessoas e um clima agradável, nada de festas de arromba! E a casa de sua mãe é mesmo uma graça, bem colorida e alegre!

Quanto a bolos desabados, acho que ninguém tira meu troféu, já fiz manjares brancos 'descendo a ladeira', bolos de chocolate que implodiram e claro, também coisas que deram certo, não vão pensar que sou uma negação na cozinha, mas acidentes acontecem (e a gente come tudo depois, hehe)

Nossa, que desagradável o incidente que o Cavaca contou, não? Bêbado só causa estrago...

Um grande abraço!

Ana Rute disse...

que delícia Lola!
aqui em casa também foi bem intimista, apenas meus pais, meu irmao e poucos parentes que vieram de pernambuco passar as férias aqui.
mas o melhor foi a comida! tradicional peru com arroz chique e farofa! me acabei!
minha mãe disse que quando era pequena, meu avô só deixava comer a ceia depois da missa do galo! huahua imagine que tortura!

beijo

lola aronovich disse...

Paola, é ótimo quebrar paradigmas, né? Eu gosto! Pra que fazer uma ceia como mandam fazer, se a gente pode pedir a nossa comida favorita, ou uma das? Peru nunca foi meu favorito... Nem chester. Essas aves não têm gosto nenhum pra mim. Presunto e tender tudo bem, aí é bom. Rabanada? Eu mal sei o que é isso. E lamento dizer, nem crustoli. Explica?
Legal isso da sua mãe trocar as telas de lugar. Eu gosto muito da casinha da minha mãe, por dentro e por fora. (e ainda tem a vantagem de estar sempre limpinha, ao contrário da minha).


Fá, muita cor mesmo! Imagino que a sua casa deva ser assim tb. Vcs que têm a alma de artista sempre têm as melhores casas. Obrigada pelos elogios, Fá. “Jeito gente de ser” é realmente um elogio e tanto. Bom, eu tento ser ética e não-preconceituosa. Nem sempre consigo. Abração!

lola aronovich disse...

Babsiix, obrigada, obrigada. Ah, eu odeio minhas olheiras, e olha que uso creminho e tal, mas não tem jeito. Não resolve. Eu achava que elas até tinham diminuído, em algumas fotos elas parecem menores (no espelho eu não vejo nada, nunca). Bom, fazer o quê? Eu uso creminho! Eu durmo (se bem que ultimamente menos horas que o recomendável)! Mais que isso é impossível. Pois é, não dou a mínima pra comida deformada. E esse bolo da minha mãe tava (ainda tá, tem um quarto ainda) fora de série, melhor que o normal.


Cavaca, eu não entendo nada de bebida, e nem sei que vinho foi esse que minha mãe e o maridão beberam (eu só bebi água, pra variar - uma garrafa de 1,5 litro inteira, e ainda fiquei com sede). Puxa, que droga o seu natal! O sujeito bêbado já entrou derrubando tudo? E por que ele fez isso, vcs descobriram? Vcs o conheciam? Ele já havia ido ao restaurante? E vc ainda deu o azar de pegar os piores fregueses... Putz, não deixar gorjeta nem no natal soa como uma grande sacanagem. Espero que seu natal do ano que vem também seja intimista e tranquilo, só com a família, sem precisar trabalhar! Força, Ca!

lola aronovich disse...

Roberta, ah é? Gato adora doce de leite? Nunca testei, porque aqui em casa ninguém é muito fã de doce de leite. Mas imagino que gato goste de qualquer coisa com leite. Ah, eles são tão fofinhos!


Ju, o Nick tb tem ataques de “tenho 13 anos”?! Há, não passam com o tempo não. Acho que homem fica sempre meio infantil, ou tem grandes recaídas, sei lá. Mas a culpa também é nossa, a gente que os educa assim, e tolera esse tipo de comportamento. O bolo é muito, muito bom! Ah, claro que a gente prefere quando o prato sai perfeitinho, mas o importante é o gosto. Sempre!

lola aronovich disse...

Cristine, é melhor, né? Um natal mais tranquilo... Se bem que os natais que eu passei com mais gente (sempre convidada na casa dos outros, pois minha família nunca foi grande) sempre foram ótimos. Acho que há vantagens em ceias íntimas e também em ceias com muita gente. Criança certamente é uma coisa que combina com natal. Minha grande fraude na cozinha foi o bolo de cenoura que tentei fazer, seguindo receita e tudo. Intragável. É tão triste isso. Mas pelo menos não foi pra nenhuma ocasião especial...

lola aronovich disse...

Princesa, pois é. Ela é muito talentosa mesmo. Sempre foi, desde que a gente era criança. Pena que ficou um tempão sem pintar/desenhar.


Ana, que legal! Pois é, isso de só deixar comer a ceia depois de não sei que horas... Eu também já passei por isso, e não é bom. E o maridão que INSISTE que isso de comer ceia natalina no dia 24 não existe? Que ceia é pra comer no dia 25? Ela acha que a gente inventou isso, que é uma tradição argentina... E o médico pediu pra não contrariar.

Mei disse...

post fofo, comida boa - dispenso a torta de frango, pessoas adoráveis...gatinho...chocolate...
isso é que é felicidade!!!


Feliz Natal atrasado, Lola!
:**

Túlio disse...

O chifrinho tá difícil de ver, não está muito evidente. E vc pode tirá-lo com o photoshop. Acho que qualquer pessoa que tenha noção básica consegue apagá-lo.

um desconhecido disse...

Atrasado...
Feliz Natal Lola!
entra no meu blog (por favor) e vê se você gosta do Livro: Vida Indefinida

Bel disse...

Adorei as imagens, e o chifrinho é até delicado... kkkk dá pra encarar como brincadeira de natal!!!
Beijo grande e tudo de melhor pra vocês no novo ano!

Samantha disse...

Oi Lola! Seu natal parece ter sido lindo: em família e as belezas gastronômicas tb contam. Natal sempre me deixa nervosa porque tenho q conviver com muita gente - a família é grande.
Agora, este bolo de chocolate...olha o fato de ele ser torto não me desanima não...rs. Não ligo muito pra aparências :)

Bjus e feliz ano novo.

lola aronovich disse...

Oi, Mei! E o seu natal, como foi? Muita felicidade com a Lupe? Lembrei da ótima torta vegetariana que vc prepara! Abração!


Túlio, há há, “qualquer pessoa que tenha noção básica de photoshop” certamente não me inclui! Nem o maridão. A gente não usa photoshop, definitivamente.

lola aronovich disse...

Oi, Felipe! Feliz natal. Visitei o seu blog e deixei um recado lá.


Bel, o chifrinho até que não saiu tão tosco, mas tem cabimento? Se eu e o maridão tivéssemos mil e uma fotos de nós juntos, uma com chifrinho não faria mal nenhum. Mas não sei se temos DEZ fotos!

lola aronovich disse...

Samantha, deve ter muitas vantagens tb comemorar o natal com família grande. Claro que deixa a gente mais nervosa, mas... E imagina se eu vou ligar se o bolo de chocolate tá torto? NUNCA!

Ana disse...

O Wood come massa de rosquinha. Mimi come brigadeiro.
Vá entender...