domingo, 26 de março de 2017

NEGRITUDE DA TERRA DA LUZ EXISTE E RESISTE

Ontem, 25 de março, foi o dia da Data Magna do Ceará, que marca o fim da escravidão no Estado. 
O Ceará foi o primeiro a abolir a escravidão no Brasil, em 25 de março de 1884. 
Reproduzo o lindo texto escrito por Giselle Marçal, professora de História em Acaraú, Ceará, militante do Juntos Negras e Negros. O texto foi publicado no Juntos!

A data magna 25 de março, marco do pioneirismo cearense na abolição da escravidão, é um chamado para que a “terra da luz” não deixe apagar a chama que levou tantos Dragões de nossos mares a se organizar, lutar e a resistir à exploração branca e europeia, que visivelmente legitimadas no passado, ainda permanece através da falta de ações reparatórias contundentes para a população preta e das manifestações de racismo que nosso povo vivencia cotidianamente em vários espaços na sociedade atual.
Por muito tempo a história do Ceará deixou entrever o mito de que no nosso território não havia escravidão. Diante destes discursos, visualizamos o quão importante é esta data para a luta da negritude cearense, de modo a descontruirmos a dita cordialidade branca que toma de assalto há séculos nosso protagonismo e nossas memórias. Estas ideias estão presentes hoje quando o jovem negro morre na favela e é taxado de “meliante” ou “vagabundo”; estas ideias estão presentes hoje quando o corpo da mulher negra continua sendo objetificado, dando margem ao aumento do feminicídio preto. Estas ideias estão presentes hoje, quando não temos representação no governo, em sindicatos, em universidades. 
Estas ideias estão presentes hoje quando Temer nos ataca cotidianamente com politicas públicas antipopulares e que só têm o único propósito de aumentar a desigualdade econômica-racial já existente. Por tudo isso já passamos e já estamos fartos!
É contra estas medidas que nossa geração preta quer ter voz e espaço! Vamos continuar reafirmando nossa história, vamos falar junto a José do Patrocínio e desenhar uma história da “Terra da Luz” preta! Vamos lutar como e por Dragão do Mar contra o conservadorismo, pois a luta anticapitalista é indissociável da luta antirracial.
Pelas nossas vidas pretas e por nenhum direito a menos, seguimos lutando!

22 comentários:

Anônimo disse...

Genocídio da juventude negra... kkkkkkkkkkk

É isso mesmo, a polícia sai pela rua matando negros aleatoriamente, n é q eles estivessem cometendo um crime e brancos criminosos nunca são mortos. ..

Anônimo disse...

"a polícia sai pela rua matando negros aleatoriamente"

nos eua a polícia faz isso mesmo

Anônimo disse...

Fiquei imaginado aqui o Temer se reunindo com a sua equipe e dizendo "hoje vamos estudar medidas para aumentar a desigualdade econômica-racial"

Vcs são cômicos na hora de escrever seus panfletos político-partidarios, kkkk

Anônimo disse...

"nos eua a polícia faz isso mesmo"

Aqui não é os EUA.

Unknown disse...

A polícia brasileira não mata a esmo, direciona chacinas contra jovens negros, basta estar no 'lugar errado, na hora errada'. E tem cretino que recusa a ver a verdade, por que racismo aqui tem para dar e sobrar... Que vergonha!

Rafael Cherem disse...

É muita obtusidade, claro que há um genocidio de pobres e negros,especialmente desses últimos, não é o caso da policia sair matando a esmo, mas vivemos em um país extremamente desigual,onde desde a revogação da escravidão os negros foram empurrados para as áreas periféricas, ganhando bem menos que os brancos,com pouco acesso à educação, saúde, etc, em síntese na marginalidade, em torno deles, o racismo estrutural que os estigmatiza como bandidos, e a histórica desigualdade, lógico que tudo culmina em violência.Então, o destino do jovem negro e pobre é traçado em direção a prisão ou a morte.



Anônimo disse...

Os textos de certas pessoas são muito interessantes. Primeiro, insta ressaltar que quando os europeus chegaram ao Brasil, os habitantes aqui eram aborígenes, ou estou enganado?? Eu sou negro, mas tenho que reconhecer que nossa terra não é esta aqui. Meus ancestrais vieram pra cá, vendidos como escravos(muitas das vezes pelo próprio povo!). Quanto aos aborígenes aqui no Brasil, se ao invés de ficarem cultuando a lua, a água, o sol, esse monte de bobagens e se preparassem para a guerra, teriam os europeus recuado. Mas foi relativamente fácil dominar uma sociedade primitiva(mesmo que os aborígenes tenham resistido à escravidão). A propósito, os negros foram uma solução à resistência por parte dos aborígenes ao domínio europeu. Os povos africanos, infelizmente, veneram entidades que em nada irão acrescentar à sua existência.Deveriam ter abolido o pensamento primitivo,longe de mitos e buscado o conhecimento e desenvolvido tecnologias que os permitissem desenvolver-se e proteger-se consequentemente.

Anônimo disse...

"Aqui não é os EUA"

tem razão, aqui é pior

Anônimo disse...

credo lola, essa caixa de comentários tá um FLOP total

a culpa disso é a moderação q transforma isso num marasmo infinito

Anônimo disse...

Obtuso é achar q eles saem matando só por ser pobre e negro, n tem ninguém cometendo crimes... isso q é ridículo.
E eu sei q tem policiais q fazem isso mas generalizar e chamar de genocídio é muita distorção da realidade.

Anônimo disse...

Lola tire a moderação, assim fica impossível debater e mal tem comentarios. Por favor!

Anônimo disse...

A mais pura verdade, 12:54.

Carlos Eduardo disse...

Realmente, com a moderação ativada o blog cai demais. É melhor fazer limpa posterior de posts de trollagem.

Rafael Cherem disse...

Criminoso é para ser preso.

Anônimo disse...

É mesmo, é?!

donadio disse...

A direita é tão tosca...

Quando o assunto é o número de homicídios no Brasil, fazem o maior escândalo, comparam com o número de mortes na Palestina ou no Afeganistão, querem nos (se?) convencer de que estamos em plena guerra civil.

Aí quando se menciona que 70% das vítimas desses homicídios são jovens negros, então não, não existe genocídio da juventude negra, imagina.

E quando se lembra que de 20 a 25% desses homicídios que eles gostam de escandalizar são cometidos pela polícia, então de novo não, as vítimas devem ter feito alguma coisa errada, senão não estariam sendo vitimadas pela nossa incorruptível e infalível polícia (que é tão boa que não consegue resolver mais de 30% dos casos de homicídio).

(Só para ter uma ideia da competência da polícia brasileira, google "PM confunde" (https://twitter.com/delucca/status/749051388529893377) para saber porque as pessoas são assassinadas pela polícia - por terem uma furadeira, uma pistola industrial, um celular, um macaco hidráulico, uma sacola (!), uma bíblia (?!??!), um saquinho de pipocas, uma bobina de carro, um skate...)

Anônimo disse...

Perfeito donadio, eu ia comentar isso.

No próximo post sobre a violência contra a mulher, os mesmos que estão aqui reclamando sobre a inexistência do genocídio negro (que são os mais afetados pela violência urbana) virão com seus iuzomismos.

Cês tão é se lixando pras mulheres e pros homens que são as vítimas de violência urbana (negros, pobres e periféricos).

Anônimo disse...

"Aí quando se menciona que 70% das vítimas desses homicídios são jovens negros, então não, não existe genocídio da juventude negra, imagina"

Qual a cor de quem mata esses jovens negros?

Rafael Cherem disse...

Qual a cor de quem mata esses jovens negros?

Muitas vezes policiais negros também, os quais são vítimas do genocidio de igual forma, haja vista que o sistema criminal e punitivo do Brasil é montado justamente para deixar essas pessoas em situação de vulnerabilidade, quantos filhos de elite são PMS? Desses que sobem aglomerados, que trocam tiros? Entenda, é um conjunto de fatores que empurra negros e pobres para essa situação de confronto permanente e mortes.

Anônimo disse...

Acho que seria uma informação muito importante saber a cor predominante de quem mata no Brasil, lembrando que não é só polícia militar que mata.

Curiosamente encontram-se dados das polícias militares de alguns estados, da polícia civil não e do geral, ou seja a cor de quem pratica homicídio seja ele qual for e seja lá contra quem for, também não.

Como que se combate a violência sem um mapa preciso, fiel dessa mesma violência, ainda mais se falando de critérios raciais?

Eu chuto que são os brancos quem matam mais no geral (na PM de São Paulo por exemplo, é, mas os homícidios da PM são uma fração dos homicídios do estado inteiro e SP é um estado, tem todos os outros) só que com um problema desse porte a gente não pode se basear em extrapolações ou chutômetros senão vira racismo também e acaba dando comida ao inimigo, digamos assim.

Brasil tem uma das taxas de homicídio mais absurdas do mundo e se as vítimas, todas, estão sendo bem mapeadas, passou da hora de mapear os assassinos, todos, também usando os mesmos critérios raciais.

donadio disse...

"Qual a cor de quem mata esses jovens negros?"

Varia de estado para estado. Em Brasília é cinza, no Rio Grande do Sul é cáqui, no Paraná é azul, etc.

Anônimo disse...

"A direita é tão tosca" Aff... Esse é o seu melhor "argumento" , senhor donadio? Taxar quem pensa da forma como descreveu de direitista e generalizar todos de direita como se pensassem assim? Depois não querem ser chamados de esquerdopatas. Mas não é culpa sua. Provavelmente você foi mais um "doutrinado". Apenas lembrando que as invenções e tecnicas mais prosperas do mundo, que possibilitaram desenvolvimentos economico, tecnico e científico foram pensados e desenvolvidos por pessoas capitalistas e direita. Bem como os paises mais desenvolvidos do mundo são aqueles com sistemas politico-economico capitalistas/direitistas.