segunda-feira, 11 de julho de 2016

GUEST POST: A CORAGEM QUE INCOMODA

Nem deveria, mas eu ainda me espanto ao ver como a população leiga, digamos, fica chocada ao ver uma performance arte. 
Performance art de
Ya Wen Fu
Muita gente ainda acha que arte é uma coisa única, certinha, feita pra ser bonita ou entreter. Pode até ser, mas existem inúmeras manifestações artísticas, e é meio ridículo julgar se algo é ou não arte baseado no seu gosto. Eu posso não gostar, mas não deixa de ser arte. A performance art quase sempre é feita pra incomodar, pra fazer pensar, protestar. E muitas vezes é feita na rua, na frente de todo mundo. A performance de que trata este guest post, no caso, aconteceu num museu de arte. 
Guidi Vieira é musicista, tem um blog, e me enviou este texto sobre uma performance ocorrida em Niterói que recebeu várias críticas. 

Performance art de Cecilia
Carvalhaes no MAC
No dia 18 de junho uma artista do Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense (UFF) fez uma performance na parte externa do MAC – Museu de Arte Contemporânea de Niterói. Soube desta performance quando me disseram que havia várias pessoas pedindo explicações ao MAC em sua página de Facebook. O MAC, por sua vez, estava pedindo desculpas pelo acontecido: 
Abel Ascona performa
"Dirty Meat" (carne suja)
nas ruas de Pamplona
“A Superintendência Cultural da Fundação de Arte de Niterói esclarece que foi surpreendida com a atitude, não programada, de uma das artistas que fez um protesto e ficou nua durante uma performance, na Praça do Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC), neste sábado, 18 de junho. A referida atriz fazia parte de um grupo de alunos do curso de Artes da UFF convidado para fazer intervenções artísticas durante a grade de programação do evento. Desta forma, pedimos desculpas às pessoas que estavam no local e a todos os que se sentiram ofendidos pela situação.”
Coletivo PI
Ok, como foi exatamente esta performance polêmica? A artista Cecilia Carvalhaes, nua, se deixou depilar por duas colegas, e foi isso. Depilou rosto, axilas, pernas, virilha e sobrancelha.
Não vi a performance, apenas alguns poucos registros em foto, mas particularmente gostei muito. Achei tudo pertinente: abordar a questão da depilação -- “tem que depilar”, certo? 
E na hora que a artista mostra como é este processo, um bando de gente fica com nojinho e um pudor louco, que vê “escatologia” nisso aí, juro! -- e, de quebra, tem a questão da nudez. Um corpo nu de uma mulher, não sensualizado (sem cinta-liga, fio dental etc, como vemos em tantos outdoors -- até em anúncio de material de construção); apenas um corpo nu sendo depilado criou um grande mal estar.
Como disse, eu, como consumidora/ público, achei interessantíssimo o trabalho, principalmente nesta época em que estamos vivendo, onde as mulheres estão questionando absolutamente TUDO o que sempre foi visto como normal e aceitável.
Performance de Marina Boaventura
Vários amigos e conhecidos meus (colegas de Facebook) foram em defesa da artista, alguns deles enfatizando que não curtiram muito esteticamente, mas que não viram absolutamente nada de “imoral” ou “desrespeitoso” naquela performance. Resolvi compartilhar o texto de uma conhecida, que achei muito bom, onde ela respondia em tópicos algumas críticas feitas à performance.
Clique para ampliar
"A Cebola", performance de
Marina Abramovic
Fiquei impressionada com a revolta de três pessoas (homens, por acaso) que comentaram esta publicação. Várias amigas apoiaram (algumas não curtindo muito esteticamente, mas respeitando e admirando a coragem da artista) também, mas um dos críticos pirou. Disse que a artista “não sabia o que estava fazendo”, que “qualquer merda agora é arte”, coisas do tipo. Esta pessoa é um músico, uma pessoa que, teoricamente, deveria ter a mente bastante aberta, principalmente no tocante à arte. Deveria estar acostumada a ver performances e obras incômodas para a sociedade, de forma geral. Mas, não. 
Performance de Santiago Cao
Choveu xingamento para as amigas que defenderam a performance: rolou homofobia (duas amigas que o rebateram eram lésbicas), “mimimi” (taí uma cartada original!), uma revolta que não sei de onde veio. Ou melhor, sei: a coragem da artista incomodou MUITO. Não só a ele, mas a todos os revoltosos que encheram a página do MAC, exigindo satisfações sobre aquele “absurdo”. 
Performance de Zhu Ming
A realidade dura para os odientos é que esta artista já deixou sua marca na performance brasileira, ao menos parece que sim. Enquanto que todos estes, esbravejando, revoltados, o que será que fazem/ fizeram de interessante? Qual foi a última vez que saíram da zona de conforto, qual foi a última vez que se desafiaram? Qual foi a última vez que se expressaram artisticamente? (Tenho para mim que todos nós somos artistas, e, quando não colocamos este lado para fora, dá nisso aí: ressentimento com quem está colocando ideias em prática.)
Maicyra Leão em "Guarda-corpo"
O que me deixou mais impressionada foi perceber que, em resumo, o que aconteceu comigo foi o seguinte: fui defender uma artista em minha timeline do Facebook, agradecendo de coração aos envolvidos -- porque, no meu entender, eles ousam e nós, que assistimos, só colhemos os louros disso. Entendo que a cada passo destas pessoas que ousam e incomodam, o mundo se torna um pouco menos quadrado e restrito e se torna um tiquinho mais livre. Daí que o resultado deste meu sentimento de amor e gratidão foi uma avalanche de ódio por parte de uma pessoa específica. 
Artista cubano
Por que diabos minha admiração por uma artista deveria incomodar tanto? Por que o fato de eu estar elogiando alguém -- que não fez mal a ninguém, ressalte-se: eu não estava elogiando uma pessoa maledicente, criminosa ou violenta (aí eu entenderia a revolta) --gerou tanta raiva? Isso é algo muito importante a se pensar.
Outra performance do Coletivo PI
Tenho para mim que o fato de ser uma mulher, livre e corajosa, a autora da performance tenha ajudado muito a alimentar toda esta revolta. Fico imaginando que um homem nu sendo depilado também incomodaria, e muito. Talvez até desse polícia, pois estamos menos acostumados com o corpo nu do homem (em filmes e publicidade, é sempre utilizado o corpo da mulher; são recentes os filmes com nu frontal de homens) e o “escândalo” tivesse consequências mais sérias. 
Performance de Andrey Baternev
Mas a mulher tem um agravante aí: ela está saindo do contexto que lhe é reservado. Ela está sendo muito, mas muito transgressora ao se mostrar tão, mas tão livre, que se importa menos com as consequências de sua ousadia (xingamentos, ódio, ameaças) do que com a importância de se colocar ali, como artista, criticando os padrões de beleza; criticando a dor inerente à “adequação” a estes padrões.  E mulheres livres, nuas ou não, são uma ofensa à sociedade, muito mais que homens livres.
Performance em frente ao MAC
E é engraçado também pensar que se assumirmos nossos pelos, seremos também xingadas (experimente colocar uma foto de seu sovaco cabeludo em uma rede social para você ver!), ouviremos risinhos nas ruas; ao andar de metrô ou ônibus com nossas saias exibindo pernas livres de cera quente ou gilete, olhares condenadores nos fulminarão. Não pode não depilar! E não pode nem falar sobre esta exigência de forma crítica. Não pode!
Amanda Palmer no videoclip
"Map of Tasmania"
Felizmente existem artistas como Cecilia Carvalhaes; artistas como Amanda Palmer; pessoas escrevendo textos onde afirmam que a depilação é a burca brasileira. Falo sobre depilação apenas porque este foi o viés escolhido por Cecilia para criticar o machismo e os padrões impostos, em plena área exterior do MAC. Porque para mim o importante é não pararmos de questionar, de forma geral. Tudo, tudo o que não nos agrada, o que nos incomoda, o que nos aflige, o que nos oprime. “Nada deve parecer natural”, já dizia Bertolt Brecht.
Palmas para Cecilia Carvalhaes e para todos aqueles que tentam transformar o mundo em que vivemos.

121 comentários:

Rodrigo Almeida disse...

Não é querer ser certinho, mas cagar em foto de politico, se depilar em publico, enfiar dedo no anus alheio, entre outras maluquices feitas com dinheiro publico, não é arte pra mim.

Isso só mostra o retrocesso do ser humano e cada dia estamos sendo bestializados.

Anônimo disse...

Ficar pelada, fazer as necessidades fisiologicas em público e escatologia em geral não é arte, por mais que algumas mentes deturpadas digam que sim. Não, não e não! Apenas parem. Arte é bem diferente disso tudo aí em cima. Esse lovo precisa de remédios controlados, psiquiatria, internação e, depois, muito serviço braçal.

lola aronovich disse...

O que te incomoda é que é "feito com dinheiro público" ou a performance em si, Rodrigo? Porque a performance é feita pra incomodar. Então, se ela te incomoda, está cumprindo seu objetivo. Se bem que, no seu caso, se a pessoa aparecer na sua frente sem fazer nada, provavelmente já estará te incomodando. Agora, sinceramente, vc acha mesmo que a artista da performance do post ou a que defecou na foto do Bolsonaro recebem dinheiro público? Porque tem que ser muito, mas MUITO ignorante pra achar isso. Mas, sei lá, tem gente que vive dizendo que eu recebo dinheiro público pra fazer este blog, então...

Anônimo disse...

Eu acho lindo arte assim, acho que é o único tipo de arte que gosto. Muitas pessoas doidinhas ao verem isso imaginam uma pessoa cagando na foto do bolsonaro kkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Lola, se alguém defecasse e urinasse em cima de uma foto sua, em público, vc consideraria "arte" também? Ou só pode quando é "arte" contra alguns políticos previamente odiados?

Anônimo disse...

Claramente vc não entende nada de arte... Melhor se calar é cuidar da sua vida medíocre.

Anônimo disse...

Arte performática, a melhor das artes

E Lola, vc escreveu o nome da artista errado, é Marina Abramovic, não Abramovi (tem um acento no "c" tb, mas isso eu não exijo, rsrs)

Camila Bezerra disse...

No meu ver, Performance é o tipo de arte que exige mais coragem. Não sei se eu jamais exporia meu corpo ao público de forma a chocar, e isso por si só já me causa a maior admiração.

Sempre vai ter gente pra reclamar de qualquer coisa diferente da forma quadrada em que foram feitos, julgar, condenar, xingar... mas com certeza algumas coisas valem a pena.

lola aronovich disse...

Anon das 12:58, lá no chan do Marcelo volta e meia publicam alguma foto minha (atual ou de quando eu era criança) com cocô, urina ou esperma em cima. Isso não é arte. Arte tem que ter intenção de arte, e tem que ser pública. Fazer cocô em foto na sua casa e depois postar anonimamente num fórum anônimo não é bem arte. Mas se um mascu fizer isso na rua, na frente de todos, e se considerar um artista, e julgar o seu ato como performance art, dane-se! Não é o tipo de arte que eu gosto, mas o meu gosto não desqualifica a arte. Mas vamos falar de coisas que existem? Não existe mascu artista.

lola aronovich disse...

Obrigada pela correção, engoli um c.

Anônimo disse...

Todo mundo acha bonitinho e engraçado aquele emoticon do cocô sorridente. Isso não é arte? É desenho, cultura pop ou poop.
E a cagada que deram no Bolsonaro é genial! Pode ser nojento, mas expressa mt bem o que mt gente sente por ele

Anônimo disse...

Não sei quem escreveu (e sim, já dei aquela jogada preguiçosa no google mas não achei), mas existe uma frase sobre manifestação artística que pode nortear o debate: a arte é uma mentira, o que existe é a retórica.
Partindo daí, é impossível definir arte com critérios objetivos; o que vai decidir se uma manifestação "artística" é "arte" ou não é a discussão sobre ela. Do jeito que eu falei, então, a recepção negativa do público quanto a essa performance seria a categorização genuína da mesma como "não arte". Mas ficar com esse "método" de classificação da arte, claro, tira desta todo o seu caráter de transformação. Como definir o que é arte entao? Sinceramente não sei.
Não gosto das concepções muito específicas de "arte" que julgam somente os da Vinci, Picassos e Beethovens como artistas: me parece uma tentativa (?) arrogante de elitização da cultura.
Agora, concepções abrangentes demais também não parecem razoáveis. "Arte é tudo que objetiva reflexão e critica" inclui manifestações racistas, machistas, homofóbicas como "arte".

Anônimo disse...

Lola, mais uma vez vc anda forçando a barra em seus posts, vir aqui dizer que isso é arte, vc só pode está debochando de nossa inteligência,isso é a pura escatologia, vou ali CAGAR na foto de um fascista, ou fazer outra babaquice do gênero. Realmente seu blog já foi melhor.

Unknown disse...

Sou moradora de Niterói e questionei as autoridades sim. Tirando as críticas extremas, com as quais não concordo, o que questionei é uma performance envolvendo nu em um lugar frequentando por crianças, já que havia evento escolar naquele dia.
Se a arte é para chocar, incomodar, se a internalização dos conceitos é variável, ok mas, por quê naquele horário, junto quando as escolas levaram crianças pequenas para lá. Isso não aceitei e não aceito.
Nem entro no mérito de se a arte é de bom gosto, mas na classificação indicativa que qualquer manifestação cultural deve ter.

Anônimo disse...

É uma questão complicada. Como estudante de Artes Visuais eu prefiro colocar em perspectiva. Para quem está na bolha de aceitação universitária (depende do curso e o centro acadêmico, claro) alguns gêneros de trabalhos artísticos já estão mais do que saturados e assimilados pela academia. Questões gerais das mais diversas militâncias são abordadas a exaustão e quem vive nesse clubinho elitista das Artes quer um trabalho conceitualmente mais elaborado e sofisticado. É algo que não precisa ser tecnicamente, ou plasticamente, bem-acabado, porque a arte contemporânea é bem inclusiva neste aspecto. Esse tipo de performance me soa chover no molhado quando considero este contexto, principalmente porque sinto falta de elaboração pela parte da artista. Agora se a gente for considerar aquele que é leigo em artes, e que também deveria fazer parte do publico que tem acesso as artes, esta performance é efetiva: a obra se conserva, reverbera, não encerra em si. Ela gera discussão ao confrontar um determinado padrão normalizado (e isso não faz muito tempo né Lola? Ali pela década de 20 mulheres ainda não se depilavam… eu acho) e exclusivo. É pedagógico, ponto pra artista. E é incrível a choradeira que isso causa, para gente ver que por mais óbvio que esse tipo de performance seja, ela ainda cabe em nosso contexto. E digo isso quando pessoalmente eu detesto e acho pobre esses trabalhos. Para quem está nos centros de artes sabe que rola uma preguicinha básica dos universitários que ficam batendo nas mesmas teclas sem nunca superar algumas questões. E eu questiono até onde a arte perde espaço para o ativismo. Meia dúzia de palavras bonitas e gestos de protestos não significam necessariamente que seja arte. No contemporâneo não se trata apenas de coragem, mas também de muita pesquisa e elaboração teórica. E para citar referências em artes que aborda essas questões e que eu aprecio temos Beth Moysés (com performances tocantes), Nazareth Pacheco, Ghada Amer e Rosana Paulino. Essas são as que lembro agora de cabeça, mas existem milhares de outras.

Anônimo disse...

alia atras desta sessão de depilação ao ar livre, são duas crianças??

Anônimo disse...

"u a que defecou na foto do Bolsonaro recebem dinheiro público?"

Recebe sim Lola, ela e funcionária da prefeitura de SP, para "aulas de artes"
A prova:
http://blog.jovempan.uol.com.br/radioatividade/2016/04/28/prefeitura-de-sao-paulo-contrata-moca-que-defecou-na-foto-de-bolsonaro-para-ser-orientadora-vocacional/

Anônimo disse...

Cagar na rua virou arte?

Rafael Cherem disse...

Mas vamos combinar que a capela sistina é bem mais bonita que essa vertente de arte

Anônimo disse...

"vamos falar de coisas que existem? Não existe mascu artista."

Oi? Bebeu fia?
O que não falta é artista machista mobem. De ambos os sexos.

lola aronovich disse...

Anon das 13:45, ela é funcionária, é professora, recebe para dar AULAS. Assim como eu sou servidora pública federal, professora concursada, recebo salário para dar aulas, fazer pesquisa, extensão, orientação etc na universidade. Isso não tem nada a ver com o meu blog. E o salário que a moça recebe não tem nada a ver com o que ela faz nas horas livres, nas suas manifestações. Ou vc acha que ela deveria trabalhar como professora de graça? Ou que ela não deveria poder se manifestar por ter um emprego?


Anon das 13:30, recomendo que vc deixe de passar vergonha em público, se bem que vc é anônimo, então... Não sou eu que digo que é arte. Procure se informar. Leia um pouco sobre PERFORMANCE ART, ou ARTE PERFORMÁTICA. É todo um gênero dentro da arte. Vc pode não gostar, EU posso não gostar, mas não somos nós que definimos o que é arte. Se eu não gosto de um filme, ele não deixa de ser um filme por conta disso. Continua sendo um filme, mesmo que eu não o compreenda ou não aprove. A mesma coisa com arte.

Cesc Biavati disse...

Qual a natureza artística de defecar na foto de um político ideologicamente conservador e de direita? Luka Magnotta, um assassino gay, esquartejou e mandou partes para o Partido Conservador e Liberal, ambos Canadenses, sob a forma de "protesto". Qualquer ato que choca automaticamente se transforma em arte? A diferença é que cagar na foto de alguém, além de ser um ato obsceno (contravenção penal) travestido de arte é admissível. Outras modalidades de chocar a população não são artes. Tudo depende do grau de choque? É isso?

Será que Da Vinci, Michelangello, Boticelli, Donatello, Caravaggio considerariam isso arte? Rsrsrs.

Se a premissa para fazer arte é o ato de chocar, bom....chocar uma sociedade, seja criminalmente ou não, também é arte.

Anônimo disse...

E sobre isso de ficar pelado na rua, pode ser arte mas também é um ato penalizável por lei. Fazer isso em um ambiente fechado, em que as pessoas sabem o que vão ver é uma coisa totalmente diferente.

Vou pedir pro meu namorado tirar a jeba pra fora e fazer pintocóptero no meio da rua e se a polícia aparecer ou alguém se chocar, "não minha senhora, não seja atrasada reaça coxinha direitista católica, isso aqui é arte sua ignorante".

Bom senso é SÓ pra quem tem.

Anônimo disse...

Uma vez eu vim um cara matando gatos e postando as fotos nas redes sociais, ele se dizia um "artista incompreendido" e afirmava que aquilo era arte sim justificou dizendo que se fossem galinhas ninguém estaria de mimimimi

lola aronovich disse...

Anon das 13:53, eu não falei de artista machista. Falei de MASCU artista, que realmente não existe. Ou vc conhece algum? Acho que vc não sabe o que é mascu.


Rafael, todo mundo sabe onde eu trabalho. Além do mais, dou muitas palestras, e divulgo essas palestras. Os caras que me ameaçam divulgam meu endereço residencial e fotos da fachada da minha casa há 5 anos. Vc acha mesmo que, se alguém quiser de fato me atacar, vai viajar pra Quixadá ou Jeri pra fazer isso? Sem falar que eu não digo nem a data certa nem o hotel em cada lugar. Não sou paranoica...

Tenho que trabalhar. Chega de responder comentários por hoje. Mas se alguém quiser refutar o senso comum, por favor, fique à vontade.

Maria disse...

"A carência de rigor (nas obras) permitiu que o vazio de criação, o acaso e a falta de inteligência passassem a ser os valores desta arte falsa, entrando qualquer coisa para ser exposta nos museus."

"Tudo aquilo que o artista realiza está predestinado a ser arte, excremento, objetos e fotografias pessoais, imitações, mensagens de internet, brinquedos, etc. Atualmente, fazer arte é um exercício ególatra; as performances, os vídeos, as instalações estão feitas de maneira tão óbvia que subjuga a simplicidade criativa, além de serem peças que, em sua grande maioria, apelam ao mínimo esforço e cuja acessibilidade criativa revela tratar-se de uma realidade que poderia ter sido alcançada por qualquer um."

"Cada vez que alguém sem qualquer mérito e sem trabalho realmente excepcional expõe, a arte deprecia-se em sua presença e concepção. Quanto mais artistas existirem, piores são as obras. A quantidade não reflete a qualidade."

"O espectador, para evitar ser chamado ignorante, não pode dizer aquilo que pensa, uma vez que, para esta arte, todo público que não submete-se a ela é imbecil, ignorante e nunca estará a altura da peça exposta ou do artista por trás dela.Desta maneira, o espectador deixa de presenciar obras que demonstrem inteligência”.
“Hoje em dia, com a superpopulação de artistas, estes deixam de ser prescindíveis e qualquer obra substitui-se por outra qualquer, uma vez que cada uma delas carece de singularidade."

"Sua obra dirá se são ou não artistas e, se produzem esta falsa arte, repito, não são artistas."

"Estamos diante da ditadura do mais medíocre."

Avelina Lésper - Crítica de Arte

Concordo com cada frase que ela disse.

Anônimo disse...

Vou ter mesmo que discordar desse post por hoje.

"Arte tem que ter intenção de arte, e tem que ser pública."

Tudo bem, postar em um chan anônimo não é algo considerado público, por mais que qualquer um possa entrar ali e visualizar. No entanto, um desenho, um quadro ou até uma escultura feita em casa e mantida ali não é arte por não ser público também? Se não souber o artista, não é arte? Acho que você tirou essa ideia da bunda, sinceramente. Se um desses "mascus" tivesse uma tropa e mandasse matar, ferir ou, talvez, apenas assustar vários civis para expressar artisticamente toda a raiva que a sociedade os causou -- sendo algo público --, vai ser arte? Não? Não é arte porque feriu outras pessoas então... No entanto, terá cumprido seu papel "artístico" em "chocar".

Vamos ser sinceros, as coisas precisam de limites. Essas performances já estão passando do ponto.

Anônimo disse...

Não! Ela foi contratada depois disso.

Anônimo disse...

Eu gostaria de saber o que existe de criativo em fazer uma coisa que animais fazem sem o menor pudor: ficar pelado.

Só respeito quem me respeita. E não é respeitoso enfiar sua 'arte' altamente questionável goela abaixo de gente que poderia nem estar interessada em ver isso.

Isso aí não é arte, é crime.

Quer respeito como artista? Que tal respeitar os outros como seres humanos na integralidade de suas vivências e valores?

Dispenso.

Anônimo disse...

Tem varias fotos e nenhuma mostra ninguém cagando porque esse tipo de arte não é apenas pessoas cagando bobão!

Anônimo disse...

Se é arte ou não é arte, eu não sei. O que sei é que parece que o mundo está cheio de velhinhos carolas escandalizados com qualquer coisa. Em que século vocês vivem?
Se a performance suscitou tanto escândalo, é porque é pertinente, com certeza.

Rodolpho disse...

Eu acho que tudo tem limite, quem sou eu pra julgar o que é certo e errado, mas alguem aqui lembra do caso em que o "artista" Guillermo Vargas matou um cachorro de fome em nome da "arte" ???
Queria saber sua opinião Lola, se voce acha isso lindo, te admiro muito, leio tudo o que voce posta a mais ou menos um ano, não sou nenhum mascu disfarçado ok ?! kkk
Mas quando li essa matéria me veio a lembrança desse caso do cachorro...

Anônimo disse...

Li em um blog que postou o seguinte:

"Art. 233 do Código Penal- Praticar ato obsceno em lugar público, ou aberto ou exposto ao público:
Pena – detenção, de 3 meses a 1 ano, ou multa.
– ato obsceno: é o ato revestido de sexualidade e que fere o sentimento médio de pudor – ex.: exposição de órgãos sexuais, dos seios, das nádegas, prática de ato libidinoso em local público, micção voltada para a via pública com exposição do pênis, “trottoir” feito por travestis nus ou seminus nas ruas etc."

Não entendo nada de leis, com toda a sinceridade, e não sei se essa parte já foi alterada, mas "exposição dos seios" poderia levar em conta a amamentação também. Se ainda estiver assim a lei, acho absurdo e a amamentação deveria ser colocada como exceção. No entanto, eu não acho apropriada uma performance "artística" dessas em público. Até entendo essa ideia de liberar e aceitar tudo de uma vez só, pois alguns sentem que isso é o melhor e o mais correto. Perceba, no entanto, que isso gera raiva em algumas pessoas que não concordam com isso. Um dia esse efeito mola vai voltar com toda a força se continuar assim.

Ah, só mais uma observação sobre a parte da amamentação que comentei aqui: eu sei que as leis não são seguidas a rigor. Acho uma pena...

Rodolpho Chagas disse...

Eu acho que tudo tem limite, quem sou eu pra julgar o que é certo e errado, mas alguem aqui lembra do caso em que o "artista" Guillermo Vargas matou um cachorro de fome em nome da "arte" ???
Queria saber sua opinião Lola, se voce acha isso lindo, te admiro muito, leio tudo o que voce posta a mais ou menos um ano, não sou nenhum mascu disfarçado ok ?! kkk
Mas quando li essa matéria me veio a lembrança desse caso do cachorro...

titia disse...

Mulher que fica pelada sem ser como objeto pra macho punhetar tá errada, é obscena, é louca, protejam as crianças desse horror! (embora no caminho pra performance tenha passado por um outdoor da playboy com uma mulher pelada e nem aí pras criancinhas).

Pessoas reclamando de nudez pública, por quantos outdoors da playboy, adesivos de carro pornográficos, revistas eróticas expostas na banca de revista, cartazes com peitos siliconados quase pulando pra fora da blusa vocês passaram sem nem piscar? Eu lembro que quando eu era criança, havia propagandas de boates de strip-tease com mulher pelada pra todo lado e ninguém corria pra fechar meus olhos e me proteger do horror. Uma marca sei lá de quê botou nos outdoors a metade inferior do corpo de uma mulher nua cobrindo a genitália com as mãos. Uma marca de biquíni fez um comercial literalmente com gente pelada. Outra vez botou no outdoor a bunda de uma travesti e, que engraçado, ninguém ligou, ninguém quis proteger as crianças disso. Sem contar os catálogos de lingerie com beldades enfiadas em lingeries transparentes. Aliás, toda essa publicidade softcore porn nunca causou tanto mimimi quanto a performance dessa moça.

Ah, e não esqueçamos as clássicas propagadas de cerveja! Loiras bundudas em posições claramente sexuais que as reduzem ao objeto de um punheteiro babão, mas isso também não é problema. Opa, comercial em que um sujeito fica invisível, passa a mão nas mulheres em público, invade o vestiário e tira a roupa delas à força? Problema nenhum! Problema é uma artista performática tirar a roupa e ser depilada na frente da porra do museu de arte contemporânea onde já ocorreram outras performances que envolviam nudez.

O que incomoda vocês não é a nudez pública, mas a nudez que não é objética. Mulheres objetos nuas, na cabeça de vocês, são inofensivas não faz mal às crianças; mas a nudez da mulher como sujeito essa sim os apavora e traumatiza as crianças. E eu tenho que perguntar à professora, se achou que a performance não era adequada pras crianças, por que não as levou pra outro lado do museu onde elas simplesmente NÃO IRIAM VER a performance? Quer dizer, se tem uma montanha no meio do caminho, vamos removê-la do lugar com as mãos ao invés de contorná-la? Pra que fazer do jeito simples quando se pode complicar, né?

Quanto ao mimimi de quem teve nojinho da depilação, que novidade! Revistas femininas nos anos 90 já diziam que você deve estar sempre impecável pro seu ómi, mas jamais deve deixa-lo ver como você fica bonita. Nada de traumatizar o bonitinho depilando as pernas, escovando os dentes, fazendo escova no cabelo, botando cremes no rosto às vistas dele. Hominhos devem viver no mundo de fantasia de que sua mulher não é humana sem ser perturbado. Não é com esse backlash inútil que estamos vivendo hoje que os machochos desse país iriam encarar um banho de realidade como gente grande, né? Fodam-se eles, pois. Tá na hora das criancinhas barbadas do Brasil crescerem e virarem gente.

Clara disse...

Ficar pelado é arte onde? Pura apelação, assim como novelas e filmes sem conteúdo q enchem a tela de bunda para aumentar a audiência. Qual o sentido de ficar pelado se depilando pra protestar contra depilação? N existe outro meio? Imagina ir protestar contra estupro e levar uma mulher pra ser estuprada na hora para todes verem como é...
É como o funk q um bando de gente jura q é arte, ritmo q só fala de cu, bunda e buceta, novinha, quicar no pau...porra q arte linda! Kkkkkkkkk

titia disse...

14:37 puxa você deve ter ficado muito chocado com aquelas duas colegas te rendendo com uma arma, te amarrando e te obrigando a ficar lá assistindo, né? É incrível como o brasileiro nunca cresce. Pro brasileiro nenénzão sempre são os outros quem tem que fazer as coisas do jeito que ele quer, nunca pode ser ele a fazer concessões. Por que alguém que não gostou da performance iria virar as costas e ir embora, já que não era obrigado a ficar lá assistindo? Essas vadias que não se atrevam a fazer performances com nudez PORQUE EU NÃO QUERO NÃO QUERO, BUÁÁÁÁ, UNHÉÉ, MAMÃE ELA TIROU A ROUPA, BOTA ELA DE CASTIGO UNHÉÉÉ!!

Voltem pro jardim de infância, babaquinhas mimados.

Anônimo disse...

Caramba, agora li a parte que postei "Ah, só mais uma observação sobre a parte da amamentação que comentei aqui: eu sei que as leis não são seguidas a rigor. Acho uma pena...". Dá pra interpretar como "pena que não punem as mães por mostrarem os seios", mas não foi a intenção, desculpem, tanto que eu acho absurdo quem reclama disso e eu disse isso antes. Se alguém entendeu da forma errônea, o que eu queria dizer mesmo era: eu gostaria mesmo de usar as leis para definir o limite do aceitável, pois acho que elas (((teoricamente))) surgiram para isso, mas, infelizmente, ela condenaria bobagens também se seguíssemos a rigor. Eu queria que ela [a Lei] não fosse porca, possibilitando que pudéssemos seguir a rigor.

lola aronovich disse...

Perfeito seu comentário, titia!


Rodolpho, pelamor, sou totalmente contra usar qualquer bicho para arte ou entretenimento ou testes de produtos estéticos. Estamos falando de um(a) artista fazer o que quiser com o corpo dele(a), não com um corpo alheio. Ninguém está falando em cometer crime algum em nome da arte. Claro que tem gente que considera crime a pessoa ficar nua em público (recomendo o comentário da titia). E Rodolpho, eu não disse que "acho tudo lindo". Eu não sou fã de arte perfomática. Eu gosto de arte burguesa, teatro e filme que contem uma história. Mas o que eu acho, o que eu gosto ou não, não muda em nada a realidade de quem faz performance art. Continua sendo arte.

Clara disse...

Usar a nudez vai contra a reclamação de exploração dos nossos corpos pelo patriarcado, só reafirmando q n temos cérebro e temos q mostrar tudo para conseguirmos algo.
Tem vários vídeos de mulheres assumindo os pelos, falando sobre imposicao da depilacao, desnecessário ficar nu.

titia disse...

Rodrigo mas nessa performance em específico ninguém está sendo torturado e morto. Não é um assassinato cruel, é só uma mulher pelada fazendo o que a maioria das brasileiras faz em casa. Você tem o direito de não gostar e não assistir, é claro, mas por que tanto escândalo se as ruas tão cheias de mulher pelada e ninguém liga? Eu digo, porque nudez feminina só é aceitável quando a mulher é objeto pra punheta. Se uma mulher ficar pelada pra contestar, pra se expressar, pra fazer pensar - enfim, quando a mulher nua se coloca como sujeito, não objeto - aí é que a casa cai e a tropa "moral e bons costume" infla a crista e sobe nas tamancas pra brigar. E isso nada mais é do que uma das mais ridículas manifestações de machismo e frescura machista.

Anônimo disse...

O comentário da Titia foi bom, mas só para quem ela citou: para aqueles que não se incomodam com as propagandas que objetificam as mulheres, mas reclamam mesmo assim da performance mostrada no post, pois é um mero hipócrita. Eu, e garanto que muitos outros daqui, não concordo com nada disso; não acho aquela performance apropriada nem as propagandas em rede nacional. Acho que o fato de mostrarem mulheres seminuas no intuito de vender um produto não justifica mostrar mulheres nuas em público para criticar uma idiotice social. Pelo contrário, acho que mostra que ambos são uma péssima ideia e deveriam ser censurados (isso aí, citei CENSURA). Eu, pessoalmente, discordo desse negócio de depilar. Sou mulher, tiro os pelos das axilas por me incomodar e só, mas não vou ficar pelada em público para reclamar de quem não aceita minha escolha. Se alguém reclamar de quem eu sou, vou dar nos dedos do infeliz apenas, não quero nem saber.

André disse...

14:37,

Ela pode ter sido contratada antes disso, depois disso ou durante isso. O que importa é que ela não foi contratada para fazer isso.

Anônimo disse...

"Clara" Você podia ganhar um prêmio de comentário mais bizarro e ridículo do post! Ninguém levaria uma mulher pra ser estuprada, você ta esquecendo que não é todo mundo que tem essa mente doente.

Anônimo disse...

Pessoas que reclamam de funk: qual é a diferença de um funkeiro que canta só merda e um reaça que faz piada de estupro?

Cesc Biavati disse...

E o direito da mulher de posar em playboy, aparecer em propagandas de cerveja, a fazer pornografia, enfim, a fazer o que quiser na maior das autonomias contratuais do mundo capitalista e liberal do mundo? Nenhum. Ninguém a força a fazer isso e esta, por sua vez, apenas faz porque quer dinheiro. E mesmo assim, nenhum desses atos se configura como a "ato obsceno". É bem diferente uma propaganda da skol de um monte mulher correndo pelada com cruzes enfiado na bunda ou defecando na rua na foto do Bolsonaro.

André disse...

15:09,

"Acho que o fato de mostrarem mulheres seminuas no intuito de vender um produto não justifica mostrar mulheres nuas em público para criticar uma idiotice social."
Claro que não, alguém disse isso? Mesmo que todos os outdoors de revistas pornô, motéis, lojas de lingeries, cerveja, etc. fossem banidos, ainda daria para fazer as tais performances e discutir sobre elas. O que não pode é fingir que essa é a única mulher pelada na rua.

titia disse...

Aiin brigada Lola :)


Clara: foi de dar sua opinião, o que é justo e é seu direito, pra "Essas vadias que não se atrevam a fazer performances com nudez PORQUE EU NÃO QUERO NÃO QUERO, BUÁÁÁÁ, UNHÉÉ, MAMÃE ELA TIROU A ROUPA, BOTA ELA DE CASTIGO UNHÉÉÉ!!". Pergunto-me se ganhamos um outro fake mascu ou se é só uma mocinha ainda perdida nas teias do machismo.

15:09 é a sua opinião e você tem direito a ela. E como temos essa liberdade, fica pelado quem quer e fica vestido quem quer. Pronto.

15:35 juro que eu queria saber também. A hipocrisia e o racismo do brasileiro é tanta que se Roberto Carlos cantar que vai stalkear uma mulher é romântico e se o funkeiro fizer o mesmo é baixaria e apologia ao crime. Vai entender.

titia disse...

Cesc, vai a merda de uma vez. De nada.

WelingtonLeal disse...

Só respondo com um artigo do Estatuto da criança e do adolescente
ECA - Lei nº 8.069 de 13 de Julho de 1990
Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências.
Art. 74. O poder público, através do órgão competente, regulará as diversões e espetáculos públicos, informando sobre a natureza deles, as faixas etárias a que não se recomendem, locais e horários em que sua apresentação se mostre inadequada.
Parágrafo único. Os responsáveis pelas diversões e espetáculos públicos deverão afixar, em lugar visível e de fácil acesso, à entrada do local de exibição, informação destacada sobre a natureza do espetáculo e a faixa etária especificada no certificado de classificação.
http://www.jusbrasil.com.br/topicos/10609564/artigo-74-da-lei-n-8069-de-13-de-julho-de-1990

André disse...

Cesc Biavati,

Você parece ser um grande defensor autonomias contratuais do mundo capitalista e liberal. Você ficaria mais tranquilo se a moça que enfiou a cruz na própria bunda tivesse pago pela cruz usando o próprio dinheiro? Ou se a moça que fez cocô na foto do Bolsonaro (que ninguém se preocupe porque o cocô nada sofreu e passa bem) tivesse pago o xerox com o próprio dinheiro?

Cesc Biavati disse...

Ninguém é contra fazer performance com nudez, moça. O que se discute é o LUGAR. Por que você não aluga um local privado e realizar sua performance para quem quer pagar para tal? Assim, todos se deleitam com suas performances artísticas de forma privada. Mostrar as tetas, a xoxota, a piroca ou o ânus em local público é ato obsceno, mesmo que você diga que é para protestar contra os velhos comedores de novinhas ou contra Michel Temer opressor da Marcela Temer.

Cesc Biavati disse...

Não aprovo (motivos pessoais), mas se ela fez dentro da sua casa ou de um local o qual ela alugou para realizar o ato, não vejo problemas. Lá vai ter gente que pagou para consumir essa "arte".

Anônimo disse...

"Todo mundo acha bonitinho e engraçado aquele emoticon do cocô sorridente. Isso não é arte? É desenho, cultura pop ou poop.
E a cagada que deram no Bolsonaro é genial! Pode ser nojento, mas expressa mt bem o que mt gente sente por ele"

Reitero, tem é q limpar a bunda com a foto do bolçomerda imprimido no papel higiênico mesmo, o mínimo q esse lixo humano merece, quando foi o adesivo da dilma de pernas abertas a direitalha não ficou com esse mimimi todo, seus panacas

E pelo o q eu saiba, o post não retratou defecação, e sim arte performática, quero mais é q todos vcs câncervadores se f%dam e caguem mais no bolçovômito q tá pouco

Anônimo disse...

cesc é IDIOTA, kkkkkkkkkkkk altas risadas com esse boçal

gosta tanto de falar em ocô, então vá a merda kkkkk

Anônimo disse...

Arte performática é LINDA

André disse...

Cesc Biavati,

O princípio que se sobrepõe ao ato obsceno é a liberdade de expressão e não o capitalismo. É mais obsceno usar moças com pouca roupa para vender cerveja que enfiar uma cruz na bunda para protestar.

Anônimo disse...

Minha opinião, deixo na forma de documentário, na voz do filósofo Roger Scruton. Chamo a atenção para a reação das pessoas no momento em que eles tocam música clássica na estação rodoviária.

https://m.youtube.com/watch?v=bHw4MMEnmpc

Anônimo disse...

Anon 13:19,
Que legal né? É arte, né?
E se algum "artista" que não gosta de vc, por algum motivo, resolvesse parar em frente à sua casa, e fizesse esse tipo de "arte" com uma foto sua, na sua calçada, pra todos vizinhos/conhecidos verem. Que legal, né? Vc iria achar o "máximo" também? Ambos sabemos que não. Vc não iria levar numa boa a situação, simplesmente porque NÃO É ARTE. É apelação. É agressão. É crime. É incitação á violência. É difamação. É qualquer outra coisa, menos arte.
Pimenta só é boa nos olhos DOS OUTROS, não?
Respeitem para serem respeitados.

Anônimo disse...

Para o André que perguntou "Claro que não, alguém disse isso?".
Óbvio que sim, o comentário dela deu essa impressão de que, se não reclamam que é horrível a objetificação da mulher seminua na televisão e nos outdoors, então é completamente justificável usar mulheres nuas em público para fazer críticas à sociedade. Se não concorda com o que eu entendi e disse, lamento e pronto. Afinal, os argumentos não mudam, aquilo foi só um pedaço de tudo o que escrevi.
Vou até dizer mais, não só para você, mas para deixar de comentário memsmo:
Claro que é uma hipocrisia aceitar um (a objetificação) e rejeitar o outro (a performance), mas isso não quer dizer que "o fato de mostrarem mulheres seminuas no intuito de vender um produto justifique mostrar mulheres nuas em público para criticar uma idiotice social.", pois ambos são, sim, atitudes incorretas. Sobre a objetificação, imagino que eu nem precise citar os problemas dela, já sabem muito bem aqui. Sobre a performance, não é todo mundo que vai achá-la bonita, longe disso, isso perturba a maioria das pessoas sem que ao menos liguem para o significado da mesma. Não sou religiosa, mas não posso deixar de citar o desrespeito com certas religiões., e ainda acho um desrespeito também com quem não é religioso, como eu, e simplesmente não se sente na obrigação de ver gente nua onde não devia (não vou para praias de nudismo por um bom motivo: vai quem quer). Aliás, antes que cite homossexuais para tentar derrubar meu argumento da religião, há uma grande diferença entre ser proibido de demonstrar qualquer mínimo afeto em público com a pessoa que você ama, correndo risco de morrer por isso, e... ficar pelado no lugar errado, por qualquer motivo que seja. Devia ter um limite para tudo isso e o "meio-termo" parece o menos desagradável.

---

Para a Titia que disse: "E como temos essa liberdade, fica pelado quem quer e fica vestido quem quer. Pronto."
Não, ficar pelado em lugar impróprio para isso não faz parte da sua liberdade.

Anônimo disse...

Qual o problema dessa gente que acha essa "arte" boa por "incomodar"? Isso é um desrespeito com as pessoas, sem mais. A fase da rebeldia já passou para a maioria dos comentários que eu sei.

Cesc Biavati disse...

Isso é liberdade de expressão aonde? Isso é contravenção penal, por mais que tenha cunho artístico. A intenção dessas expressões é chocar, certo? Se é para atacar o público, ou o que represente como público (pessoas, religião ou moralidade), por meio de obscenidades, é contravenção penal. E por mais sexys que sejam as mulheres contratadas para posar numa propaganda de cerveja, não há ali exposição de nada obsceno. Resumindo: Não mostram peitos, pirocas, xoxotas ou cus. Só isso. Ninguém se ofende ou se vê desrespeitado. É um contrato privado dentro de algo chamado publicidade o qual gera lucro e alimenta inúmeros comerciantes com vendas em seus estabelecimentos, portanto, estimula a economia de mercado. Qual o crime aí? Nenhum.

Seguindo sua linha de raciocínio, você concordaria com a liberdade de se expressar em prol do racismo? Segregação racial? Estupro? Maus tratos com animais? Pois é, isso é crime. Isso se chama apologia ao fato de crime.

O mesmo se aplica ao mais irrelevante das infrações penais, seja uma contravenção ou um crime hediondo. Certo, André?

O problema no brasil é, queira ou não, as pessoas misturam privado com público, ou melhor, confundem os conceitos. Deve ser isso, só pode.

Anônimo disse...

"quando foi o adesivo da dilma de pernas abertas a direitalha não ficou com esse mimimi todo, seus panacas"

Teve gente que fez mimimi, sim. Reclamaram que era machismo. Não que ambos sejam aceitáveis ou que ambos sejam inaceitáveis, mas reclamaram disso.

Anônimo disse...

(Viviane)
Vejam vocês! O mesmo cara que escreveu num post anterior, sobre a legalização do aborto, que mulheres eram "apenas um meio para crianças nascerem", agora reconhece que mulheres tem direitos? Para ele, claro, só o direito de ser objetificada para consumo masculino...
O cinismo de alguns não tem limites...

Anônimo disse...

'que enfiar uma cruz na bunda para protestar."

depois disto nada mais a ser dito. Vem meteoro......

Anônimo disse...

17:28 eu me referi à DIREITALHHA, repetindo, à DIREITALHA

Reclamam de uma cagada na foto de um outro merda, mas fazem até pior

direita cínica e vitimista

Anônimo disse...

"caguem mais no bolçovômito q tá pouco"

Corroboro, quero mais é q se lixo se enlameie com bosta e mais bosta, o habitat natural desse inútil é a fossa

Anônimo disse...

Vamos ver se entendi:

Enfiar a cruz na bunda é liberdade de expressão.

Cagar em público numa foto de uma pessoa pública é liberdade de expressão.

Enfiar o dedo no cu do outro é liberdade de expressão.


Também estou esperando o meteoro!

Hele Silveira disse...

Arte é provocação. Se não cumpre a sua finalidade, não é arte. Ah, mas... incomodou? Era para incomodar, mesmo, oras! Crime? Crime é não pensar. Há quantos anos o Ultraje a Rigor gravou a música "Sexo"? E tem gente que ainda não entendeu o recado? Difícil de entender. Violência? Pode, pode mostrar, é lindo! Guerra? Mostre, é maravilhoso! Corrupção? Mostre mais, porque mostraram pouco! Miséria? Que delícia, vamos mostrar! Preconceito? Oh, que coisa boa, vamos mostrar! Mas não mostre o corpo, não, viu? É crime! Ah, vá...

Anônimo disse...

Falando em formas de mostrar a nudez, existe o erotismo e a pornografia. Uma está mais próxima da arte, da sugestão, do bom gosto estético e a outra, da crueza, dos close-ups reveladores, do apelo aos instintos mais baixos. Em qual dessas categoria a dita apresentação pode ser melhor interpretada?
Existe uma afirmação de um antigo professor meu que se aplica a este caso. Dizia ele, que quando o filme é bom, a cena de nudez é só um detalhe, pode ser linda, bem captada, mas ela está ali compondo a obra, como uma pequena parte dela. Quando o filme é ruim, há de se colocar uma cena quente de sexo, bem apelativa, com corpos suados, gemidos, para que todos a comentem, assim promovendo a "obra de arte".

Anônimo disse...

LOLA SENTE-SE, TENHO ALGO CHOCANTE A LHE DIZER, ALGO QUE NINGUÉM AINDA LHE DISSE... sua adolescência já acabou _._

André disse...

16:54,

O Bolsonaro não é anônimo qualquer, nem o protesto foi feito na frente da casa de um anônimo qualquer. Suas conjecturas não se aplicam ao caso concreto.

André disse...

17:02,

"o comentário dela deu essa impressão"
Só para você, queridão.

""o fato de mostrarem mulheres seminuas no intuito de vender um produto justifique mostrar mulheres nuas em público para criticar uma idiotice social.""
Essa citação é sua, ela não serve para demonstrar aquilo que outra pessoa escreveu.

Anônimo disse...

Se você gosta da performance ou não é problema seu, mas deixar seus orgãos sexuais a mostra em público é crime, não interessa se é arte ou o que você quizer. É crime, ta na lei.
Se quizer fazer uma perfomance dessas faça em lugar fechado e deixe avisado que tem cenas de nudismo

André disse...

Cesc,

O fato de haver um contrato ou gerar lucro ou de não incomodar o Cesc não implica que ninguém se sentirá incomodado ou que nenhuma regra será quebrada. Só no mundinho fechado dos adoradores do Deus Mercado essa sua argumentação é válida.

Anônimo disse...

Não mostra nada disso, mas é mais nojenta ainda e vocês não reclamam.

Anônimo disse...

Não entendi o comentário das 17h33. Vc sabe que um coletivo feminista fez essa '''''performance artistica''''' na Jornada Mundial da Juventude, né?? Inclusive foi artigo de uma postagem aqui do blog.

André disse...

18:24,

Mostrar os órgãos sexuais é crime, art.233 do CP. Mas a proteção da CF sobre a liberdade de expressão pode sim suplantar esse entendimento.
http://www.stf.jus.br/repositorio/cms/portaltvjustica/portaltvjusticanoticia/anexo/joao_trindadade__teoria_geral_dos_direitos_fundamentais.pdf

Cesc Biavati disse...

Caro André,

E que regrada foi quebrada no exemplo da mulher que posa para propaganda de cerveja? Que regra ou incômodo provoca, por ex, Mulher Verão (Aline Riscado) da propaganda da Itaipava? Só se for a regra de incomodar as balofas e feiosas. Não há ato obsceno e, tampouco, violação de normas do direito consumerista. Você está afrescalhando para fazer média com as feministas.

Anônimo disse...

Ah, gente, sério... cagar em foto de político, desenhar político de pau pequeno não é "manifestação", é agressão do mesmo jeito que colar aqueles adesivos da Dilma de perna aberta. Olha a simbologia de cagar numa foto, pelo amor de Deus! Parem de defender esse tipo de "manifestação", no mínimo, mal elaborada.

Anônimo disse...

O dia sombrio em que eu concordo com o/a Cesc... "Intenção de chocar" não pode ser critério pra definir o que é arte. É simplesmente abrangente demais.

Anônimo disse...

14:45, o advogado defendendo uma moça que amamentou em público vai alegar -muito corretamente- que expor os seios pra amamentar não é um "ato revestido de sexualidade" e portanto, não implica em ato obsceno. Essa é inclusive a jurisprudência: mesmo com mimimi de certas pessoas, juiz nenhum condenaria uma mulher por ato obsceno por estar amamentando em público.

Anônimo disse...

Não precisa ser na casa ou "num local alugado". No museu pode também. A questão é se havia aviso prévio quanto ao conteúdo da performance.

Vera disse...

Resumindo, certas pessoas dizem o q é ou n arte e o resto deve calar a boca e concordar. Piada, né? Se alguém acha q isso é arte ok, pra mim n é.
O que to vendo é várias feministas ficando peladas por nada, ficar pelada n resolve merda nenhuma.
Como bem disseram ai, é o patriarcado e o feminismo explorando o corpo da mulher. E titia n é dona do feminismo pra dizer q quem n concorda com ela é mascu, tem várias feministas contra isso.
Quer dizer, mulher n tem cérebro, nem inteligência, então pra protestar contra algo, n precisa debater sobre, basta mostrar os peitos.
Tá chegando ao cúmulo de eu ver mulher lutando pelos animais ficando pelada, kkkk chega a ser cômico, pra que falar sobre os animais? basta ficar nua...

Anon 17:02

Concordo contigo

E n é assim, fulano tem o direito de ficar pelado no meio da rua e quem n gosta q se mande do local, cada um faz o q quiser com o próprio corpo mas isso n inclui desrespeitar o direito alheio. Deve ser com esse pensamento q tem gente q transa no meio da rua, na praia, na frente de todos.

Anônimo disse...

"Se você gosta da performance ou não é problema seu, mas deixar seus orgãos sexuais a mostra em público é crime, não interessa se é arte ou o que você quizer. É crime, ta na lei.
Se quizer fazer uma perfomance dessas faça em lugar fechado e deixe avisado que tem cenas de nudismo"

Desde quando gente que aplaude guerrilheiros tá preocupada com lei?

Anônimo disse...

Sabem aquela performance que ficou famosa do povo que ficava pelado em roda um mexendo no cu do outro? Eu vi uma dessas apresentações. Foi mais engraçado pela reação das pessoas do que pelo espetáculo em si, que é bem chatinho aliás e fico feliz de não ter pago ingresso por isso. Só que foi em um ambiente determinado, foi avisado, não foi no meio da rua e assistiu quem quis.

O nome disso é RESPEITO.

donadio disse...

"LOLA SENTE-SE, TENHO ALGO CHOCANTE A LHE DIZER, ALGO QUE NINGUÉM AINDA LHE DISSE... sua adolescência já acabou _._"

Já a sua...

Anônimo disse...

Pois é, vai vendo, Viviane...

Anônimo disse...

Melhor comentário, não só do post, como do ano: anônimo das 18:11. MITOU.
Ou, para ficar com o espírito do post, uma verdadeira obra de arte. .kkk

Anônimo disse...

Em tempo, um dia quero aprender a escrever desse jeito deliciosamente irônico do donadio.

Anônimo disse...

Se ela estivesse nua mas sensualizando, desfilando, dançando, enfim, servindo ao male gaze, ninguém tava falando nada.

Anônimo disse...

O direito à liberdade de expressão não é absoluto, devendo ser dosado em cada caso concreto como o direito à intimidade e até mesmo com o princípio da dignidade. Alias não existe direito absoluto, em tese, no nosso código, nem o direito a vida... vide art. 5º, XLVII, "a", da Constituição federal "não haverá penas: a) de morte, salvo em caso de guerra declarada, nos termos do art. 84, XIX".
Então quando existe colisão de direitos deve se analisar o caso e pesar os direitos, isso é uma técnica jurídica, e acho que nesse caso houve abuso da liberdade de expressão por partes das artistas.
Havia crianças ali alguém corretamente citou o estatuto da criança e do adolescente...
e se por acaso a performance fosse de um homem se masturbando neste mesmo local, na frente das crianças?? seria aceitável ?? Muitos pais não querem seus filhos menores de idade expostos a isso, então liberdade de expressão das artista a meu ver não é absoluta.

Anônimo disse...

"e se por acaso a performance fosse de um homem se masturbando neste mesmo local,"

Homem se masturbando e nojento em qualquer contexto, e não me venha comparar com casos de mulheres usando de simulação de masturbação por favor, no caso de mulheres se busca em performasses emancipação e liberdade por questões históricas de opressão e subjugação , no caso de homens se ´procura e afirmar e manter a opressão de que se beneficiam. A verdade e que a sexualidade masculina e podre, opressora e violadora em suas raízes seja biológicas instintivas ou socialmente construídas na forma do machismo patriarcal.

donadio disse...

"o advogado defendendo uma moça que amamentou em público vai alegar -muito corretamente- que expor os seios pra amamentar não é um "ato revestido de sexualidade""

O horror é que uma mulher precise de um advogado por que amamentou em público. Next what, as mulheres serão processadas por mostrar os joelhos em público? Os tornozelos? A cara? Tão querendo transformar o Brasil no Babaquistão?

André disse...

Cesc,

"Só se for a regra de incomodar as balofas e feiosas."
Você tentou enrolar, se mostrar preocupado com os bons costumes e com as crianças. Mas no fim era só o mesmo de sempre: ódio contra as mulheres.

titia disse...

Ai, meu saco... por que ainda leio alguns comentários?

"e se por acaso a performance fosse de um homem se masturbando neste mesmo local,"

Bom, acreditem ou não, pessoinhas reclamando da performance: um artista americano ou europeu fez exatamente isso, se enfiou numa estrutura de madeira aberta, onde ele ficava plenamente visível, e ficou se masturbando no corredor do metrô. E olha, até onde eu sei ele não foi preso por isso. Vocês que choram sobre obscenidade pereré parará, por que não estão no site da playboy ou das fábricas de cerveja reclamando que as propagandas deles são obscenas? Por que não estão perturbando os donos de bancas de revistas que exibem as revistas pornô na vitrine ao lado das revistinhas da Turma da Mônica? Por que não estão anotando placa de carro com adesivo pornográfico pra reclamar que os donos estão fazendo mal às criancinhas? Por que a reclamação é SÓ da performance?

Mulheres estão sendo processadas por dar de mamar em público?! Por favor, alienígenas, meteoros, reptilianos, explosões solares, cometas, venham logo eliminar essa raça podre da face da Terra. Ah, pode levar os mascus, a bancada religiosa inteira, o Bolsobabaca, os machistas frescos e as validadoras também, viu?

Maria disse...

Como já dito aqui, o direito à liberdade de expressão não é absoluto. Se fosse absoluto, apologia ao crime estaria fundamento no direito à liberdade de expressão.

PACTO INTERNACIONAL SOBRE DIREITOS CIVIS E POLÍTICOS

Artigo 19

1. Ninguém poderá ser molestado por suas opiniões.

2. Toda pessoa terá direito à liberdade de expressão; esse direito incluirá a liberdade de procurar, receber e difundir informações e idéias de qualquer natureza, independentemente de considerações de fronteiras, verbalmente ou por escrito, em forma impressa ou artística, ou por qualquer outro meio de sua escolha.

3. O exercício do direito previsto no parágrafo 2 do presente artigo implicará deveres e responsabilidades especiais. Conseqüentemente, poderá estar sujeito a certas restrições, que devem, entretanto, ser expressamente previstas em lei e que se façam necessárias para:

a) assegurar o respeito dos direitos e da reputação das demais pessoas;

b) proteger a segurança nacional, a ordem, a saúde ou a moral públicas.


Cagar na foto de uma pessoa, independente de quem for, não é direito à liberdade de expressão, pois não está assegurando a reputação da pessoa.
Ficar pelado em público e enfiar a cruz na bunda não é liberdade de expressão, pois está contra a moral pública.

Anônimo disse...

Um homem se masturbando no corredor do metrô é artista?

PUTA QUE O PARIU! QUE PORRA É ESSA?

A humanidade tem 50 mil anos por que eu fui nascer agora?!?!?!




Cão do Mato disse...

E se fosse um gay se masturbando? Acho que aí todo mundo ia achar "cool", né?

Rodrigo Almeida disse...

Eu não escandalizei com mulheres nuas ou homens tb. E não acho que devam proibir essas maluquices, como se depilar em publico. Só não acho certo usar nosso dinheiro pra essas inutilidades.

Se o artista quiser fazer sua performance em publico, ficando pelado, defecando, comendo seu próprio excremento, que faça, mas seja com seu próprio dinheiro, se é que precisa gastar dinheiro pra fazer isso, rsrs.

André disse...

Se der certo vai ter gente estourando de tanta raiva.
http://www.ofuxico.com.br/noticias-sobre-famosos/kristen-stewart-quer-ser-a-primeira-mulher-007/2016/07/12-269947.html

donadio disse...

"Vamos ser sinceros, as coisas precisam de limites."

De fato. Por exemplo, os notórios criminosos Fernando Cavendish e Carlinhos Cachoeira foram soltos por que não se justifica mantê-los em prisão preventiva, e saíram sem tornozeleiras porque não havia tornozeleiras suficientes.

Já uma senhora que caiu com o automóvel num rio, resultando na morte do marido e outras duas pessoas, saiu direto para o hospital para a cadeia, como se fosse uma pessoa de altíssima periculosidade, disposta a capotar não sei quantos outros automóveis para matar outros familiares e amigos.

É como se tivéssemos dois sistemas legais diferentes, um em que as pessoas são inocentes até prova em contrário, mesmo que sejam meliantes de alta periculosidade, com dinheiro suficiente para pagar uma passagem internacional e fugir do país, e com recursos e contatos para tentar dar sumiço em provas e indícios. E outro em que pessoas respondem a processos presas, mesmo que não se tenha comprovado a culpa, mesmo que não tenham uma vida criminosa pregressa, mesmo que não tenham como manipular a justiça, intimidar a polícia, sumir com provas, nem mesmo sequer como fugir do país.

É como se fossem dois países, com dois códigos penais e duas constituições diferentes.

Isso tem limites, e precisa acabar.

"Essas performances já estão passando do ponto."

Dentro desse quadro, "essas performances" qualquer que seja o seu valor artístico - ou falta de - são decididamente um problema menor. Muito menor. Se é que são um problema.

Cesc Biavati disse...

Nem 8 e nem 80. Amamentar o filho é um instituto materno e não possui qualquer intenção SEXUAL ou, tampouco, de natureza provocativa. Nenhuma mulher amamenta seus filhos para estimular sexualmente uma pessoa, a não ser que o sujeito seja doente da cabeça. Olha o nível das comparações. Além disso, como falei acima, é muito diferente uma mulher bonita posar para propagandas de cerveja que, por mais sexys que elas sejam, não há qualquer obscenidade ou provocação ao público. Apenas estratégia de marketing, de vendas no sentido de associar cerveja a curtição com mulheres. É machista? Talvez, mas a ótica é mercantilista e rende muito para a economia. A maioria dos consumidores de bebidas alcoólicas são homens, logo, é uma associação simplista que utiliza-se de uma mulher bonita com bebida para atender um padrão de consumo. O mesmo se aplica a produtos e serviços destinados ao consumo de mulheres que, por sinal, praticamente move todo mercado de cosméticos e vestuário do mundo. Isso é simplesmente estratégia de marketing. O que mulher em propragandas de cerveja, mulher amamentando seu filho ou coisas do tipo tem a ver com sair correndo com cruzes e símbolos religiosos no rabo ou na vagina? Vocês fazem comparações delirantes. Completamente viajadas para legitimar o ato em si, que é criminoso.

Anônimo disse...

só vim pra dizer e reiterar:

caguem mais no bolçomerda q tá pouco

Anônimo disse...

"sair correndo com cruzes e símbolos religiosos no rabo ou na vagina" é estratégia de marketing e comercial tb, seu lixo

Logo está JUSTIFICADO (segundo a sua própria lógica), retardado

Anônimo disse...

"O mesmo se aplica a produtos e serviços destinados ao consumo de mulheres" em que planeta? Produtos destinados a mulheres só tem mulher, isso mostra que tem machismo no meio sim. O mesmo acontece nas novelas em que a maioria dos telespectadores são mulheres, mas só vemos mulheres peladas.

Anônimo disse...

Concordo totalmente com comentário de que se a liberdade de expressão não tiver limites estaria legitimando a apologia ao crime , por exemplo. Tudo tem limite, ou se alguém em nome da liberdade de expressão proferir idéias de cunho racistas não merece ser limitado ? Sobre a performance com a cruz, devemos lembrar que intolerância religiosa é crime.
"Art. 208 - Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:
Como bem escreveu Leonardo Boff:
"Todo exercício da liberdade que implica ofender o outro, ameaçar a vida das pessoas e até de todo um ecossistema e violar o que é tido por sagrado, não deve ter lugar numa sociedade que se quer minimamente humana"

André disse...

Maria,

É evidente que não há direito absoluto, e isso vale para a moralidade pública também. Porém, o pátio de um museu de arte ou uma rua apinhada de manifestantes não são ambientes neutros onde, a qualquer momento, pessoas de bem podem ser surpreendidas por um atentado aos bons costumes. Mesmo que não houvesse um contexto específico, ainda penso que o caso não é tão claro quanto você coloca.

André disse...

14:28,

Aborto é crime, mas defende-se publicamente que deixe de ser. Tráfico de drogas é crime, mas defende-se publicamente que deixe de ser. Além disso, o ser humano é pródigo em criar objetos sagrados (reais ou imaginários), não se pode tomar ao pé da letra o que o Leonardo Boff falou. E outra, na CF o Art.5 é tipo um zap, ou um super sayajin ou um Mestre Jedi.

André disse...

Olha que companhia maravilhosa que alguns estão escolhendo:
http://ciencia.estadao.com.br/noticias/geral,lei-estabelece-programa-de-resgate-de-valores-morais,986052

Anônimo disse...

É uma provocação, uma forma de satirizar/criticar sei lá o quê. Considero que seja arte. Mas não é boa, pra mim. Tem modos muito melhores de fazer isso por aí (que o digam os livros). Pra mim, é péssima arte.

Anônimo disse...

Rindo muuito dessas fotos, kkk

titia disse...

09:06 isso eu não faço a menor ideia. Performance nunca foi a minha praia, então eu não entendo nada sobre esse tipo de arte e não sou a melhor pessoa pra opinar. O que acontece é que eu respondi a uma pessoa que usou como motivo pra condenar a performance da moça "e se fosse um homem se masturbando em público?", bom, já aconteceu e ninguém fez nada. Ele não foi preso. E essa performance do cara se masturbando não rendeu metade do escândalo que essa performance de depilação está rendendo. Por que? Bom, porque essa mulher não ficou pelada como objeto, mas como sujeito e isso está incomodando as pessoas. Somente. Ninguém liga pras crianças, pra moral e pros bons costumes titica nenhuma, ou a playboy já teria desistido de colocar mulheres peladas em outdoors. Só o que que eu quero é que esses machistas babacas (homens e mulheres igualmente) admitam que são hipócritas, que chegam aqui e digam "É isso aí feminazi, mulher pelada só se for pra fazer macho gozar, só objeto, se for pra ficar pelada como sujeito é obsceno sim!". Até parece que eu tô pedindo o mundo numa bandeja de prata, né?

Anônimo disse...

Com três kkk? não parece.

Mila disse...

Comentário certeiro titia.

Achei importante frisar a hipocrisia das pessoas. Muitos do que se dizem incomodados com o pessoal fazendo performance na rua não possuem o mesmo pudor em relação Às revistas, outdoors e demais peças publicitárias que exploram o nu feminino com o intuito de chamar a atenção de homens. Nos tempos áureos das bancas de revistas, as Playboys estavam lá perto da sessão de gibis, escancaradas aos olhos dos guris pré-adolescentes que nunca tinham visto um par de seios na vida. Também tinha pra mulher é claro. Do outro lado, mulheres em biquínis em posições provocantes nas revistas femininas que nos aconselham a como ter o corpo para agarrar o "gato" e como melhorar sua performance sexual.
Pelas ruas, outdoors enormes de motéis e mesmo publicidade com um site de garotas de programa cuja imagem é uma mulher de costas e curvada, de modo que sua vulva fica à mostra. Isso em lugares onde crianças, mulheres e homens - pudicos ou não - caminham livremente.
Então é pertinente questionar sobre a razão que faz uma mesma pessoa rejeitar a nudez como performance, mas aceitar a nudez - quase sempre feminina - com caráter erótico. Uma das diferenças é que na primeira veriam homens e mulheres, de diversos formatos de corpos com todas as suas imperfeições e na segunda, mulheres em posições impossíveis, peles e cabelos lisos e impecáveis.

Anônimo disse...

titia está certíssima.
Tenho posicionamento contrário à nudez artística ou de protesto, especialmente feminina, pois não enxergo nada de empoderador e político neste ato.
Seria mais fácil, mais honesto e mais produtivo se vocês assumissem a verdadeira razão de odiar atos performáticos. O Cesc Biavati ali tanto se enrolou, fez a sua prece ao Deus Mercado e no final, depois de ser espremido pelo André, já disse que não gosta é de ver as balofas e feiosas. Bem mais simples né?
Essa de falar nas criancinhas não cola pelos motivos que a titia já falou, a não ser que você realmente se incomode com todo tipo de nudez de cunho erótico na vida. Sejam honestos, digam que vocês não ligariam se fossem modelos gostosonas ou que não gostam pq o povo das artes é petralha e esquerdistas e vocês odeiam o PT.

Anônimo disse...

Fico me perguntando sobre a efetividade dessas manifestações, protestos. Acho que daria uma boa discussão.
Chama a atenção? Claro. Choca? Muitas vezes. Mas faz alguém pensar? Faz alguém que pensa de forma diversa sair dali com algum questionamento na cabeça, revendo sua visão do mundo ou apenas chocado? Essa é sempre minha dúvida. Dúvida genuína, não estou desmerecendo. Mas sempre me pareceu que o que pode mudar as coisas é o poder da palavra, dos argumentos, das trocas de experiências.
Mas reinterando todo respeito aos artistas, a manifestantes que se desnudam, se pintam, ainda que não veja efetividade nisso... A não ser que o objetivo seja o de extravasar.

Anônimo disse...

00:16 ,

Temos aqui um analista de risada virtual. Eu vivi pra ver isso. Obrigada.

Maria disse...

André,
Entendo seu ponto de vista, mas discordo.
Um pátio de museu de arte deveriam ser ambientes neuros. Há crianças em excursões de escolas ou famílias com filhos ou adultos que estão lá para ver a exposição fixa, pinturas clássicas e não atentados aos bons costumes.

Caso deseja fazer uma performance que irá contra a moralidade pública, que seja num ambiente fechado e devidamente avisado. Assim pais com crianças ou adultos que não se sintam confortáveis de ver não seriam surpreendidos.

Como a peça de um colocar o dedo no cu alheio. Sendo em um ambiente fechado e com avisos sobre as cenas, não há mal nenhum. Assista quem quiser.


titia disse...

Maria, museus de arte contemporânea geralmente não tem peças clássicas.

Anônimo disse...

O nu agride mentes superficiais.
Há tudo para ser visto além da carne.