segunda-feira, 4 de julho de 2016

GUEST POST: AS MULHERES NA SEXTA TEMPORADA DE GAME OF THRONES

Quarta publiquei um excelente guest post da Ana sobre a sexta temporada de Game of Thrones, e agora publico outro, este da Letícia.
Letícia Leal tem 34 anos, mora em Brasília e é fã de livros de fantasia. Ela fala com propriedade de uma série que, sem sombra de dúvida, foi alterada por causa das feministas e nossas críticas. E, surpresa: a série ficou muito melhor! Como várias leitoras apontaram, as personagens femininas poderosas (tipo, todas) salvaram GoT. Fala aí, Letícia!

Nunca escrevi sobre séries, mas quando a Lola propôs um texto sobre a 6ª temporada de Game of Thrones achei que poderia tentar discorrer sobre o assunto, tendo em vista que sou fã dos livros e da série e já tinha pensado sobre o desenvolvimento das suas personagens femininas ao final desta temporada do programa da HBO. (Atenção: o texto é repleto de spoilers!)
Aqui faz-se necessário separar dois universos distintos. Ao final do quinto livro nenhuma das personagens femininas está nas mesmas condições de liderança da série. Todas estão lutando para encontrar seu caminho de uma forma ou de outra. 
Pois bem, talvez porque já aconteceria nos livros de qualquer forma, talvez pela grande repercussão da violência contra mulher nas temporadas anteriores, a verdade é que os produtores da série decidiram empoderar suas protagonistas, e tornar protagonistas algumas personagens que no livro nem pareciam desejar esse papel.
Na sexta temporada do programa da HBO, Daenerys Targaryen se consagrou a mais forte da história e a futura detentora do Trono de Ferro, quando matou, sozinha, sem dragões ou exército, todos os lideres Dothraki.
A personagem desenvolveu uma confiança que ainda está para ser vista nos livros e provou ser a conquistadora que muitos duvidavam que ela conseguisse ser, além de domar de uma vez por todas seus dragões e fazer discursos insuflados, que na maioria das vezes são protagonizados por personagens masculinos em filmes ou livros de fantasia. 
Em Dorne as víboras resolveram matar o Regente e tomar o poder para si. Aqui preciso dizer que esse foi o núcleo que mais se distanciou dos livros, e isso irritou a maioria dos fãs. Duas das maiores comentaristas de Game of Thrones do Brasil, indignadas, disseram que as víboras não precisavam ser “feminazis”, isso mesmo, você leu certo, “feminazi”, adjetivo sendo usado por mulheres com milhares de seguidores no youtube.
As mulheres de Dorne que (bem diferente do livro) resolveram agir, porque estavam cansadas da pasmaceira de um líder muito tranquilo para o gosto delas, foram comparadas a nazistas, pra variar. 
Já eu adorei a escolha dos produtores. Foi diferente, mas para mim fez sentido. Ellaria Sand desejava vingar Oberyn, e Doran Martell estava no caminho. Mais uma vez, a trama no livro é bem mais elaborada, mas sempre é, e na série eu achei divertido.
Em Bravos Arya Stark fez um treinamento relâmpago (num processo muito mais acelerado que nos livros), se fez assassina e resolveu vingar sua família, tudo na mesma temporada, fazendo suas próprias tortas com as vísceras dos filhos de Walder Frey, um dos mandantes do “casamento vermelho”. 
Com certeza uma das melhores cenas da temporada, mas aqui a trama ser empoderadora não foi muita surpresa, já que a personagem sempre foi forte, mesmo assim, ter acelerado tanto sua história foi mais uma das boas escolhas dos produtores no sentido de tornar essa temporada uma temporada das mulheres.
No núcleo Greyjoy assistimos Theon jurar lealdade à irmã, Yara Greyjoy, numa casa extremamente machista. De certa forma foi também a redenção do personagem. Aqui reflito sobre como Theon ter se tornado um ser humano melhor, depois de toda sua tortura e degradação, fez dele uma figura avessa ao machismo das Ilhas de Ferro, ou pelo menos ao machismo que deixava sua irmã, mesmo apta, fora da linha sucessória. 
Essa força que ele deu a Yara foi um dos motivos que a fez fugir com os principais navios da ilha e buscar a aliança com Daenerys, e nos proporcionou um excelente diálogo e o começo da melhor aliança de todos os tempos.
Já em Porto Real, o final da temporada selou o protagonismo feminino ao colocar, sentada no Trono de Ferro, Cersei Lannister, uma mulher, que apesar de ter matado uma das melhores personagens femininas, Margaery Tyrell, e causado a morte de seu último filho, vingou sua caminhada da vergonha e se tornou rainha de Westeros, depois de queimar centenas de pessoas.
Em Winterfell, Sansa Stark, por sua vez, foi sem dúvida a melhor personagem da temporada. Seu crescimento foi espetacular, e provavelmente teve relação com ter sido a protagonista da cena de estupro da quinta temporada. Ter vingado a violência sofrida, com um sorriso no rosto, foi muito legal, pelo menos na minha humilde opinião.
Lembro que durante a quinta temporada da série, diversas fãs se revoltaram com as escolhas extremamente misóginas dos criadores do programa -- a principal delas, o estupro de Sansa Stark em sua noite de núpcias. Como Sansa nunca chegou a Winterfell nos livros, terem criado toda uma história só para que ocorresse uma cena de estupro não parecia razoável para essas fãs.  
Concordo com as críticas, e apesar da maioria dos fãs e George R. R. Martin, autor dos livros, terem defendido os produtores, as reclamações parecem ter sido a razão das ótimas escolhas dessa temporada.
Aqui teço algumas considerações finais:
O prazer das protagonistas supracitadas estava na busca e conquista de poder e/ou vingança, e não em romances ou casamentos. Todas essas mulheres eram personagens inteiras cujos desejos não estavam de forma alguma ligados a ter maridos e filhos. A própria Sansa não se interessou na proposta tentadora do Mindinho, o que demonstra que nem mesmo casar com alguém detentor de poder a seduz. 
A vilã e a heroína nesse momento da história são mulheres. No livro o autor busca o tempo todo contextualizar a loucura da Cersei. Achei bastante sensato que os produtores do programa deixaram essa parte ambígua. A Cersei da série não é de forma alguma uma pessoa evidentemente louca, o que a deixa, a meu ver, mais real e perigosa. A mulher que amamos odiar.
Daenerys em seu diálogo com Daario Naharis, no décimo episódio da sexta temporada, assim como em seu diálogo com Yara Greyjoy, é categoricamente feminista. Ela deixa bem claro que não recebe ordens de ninguém e que acredita que um vasto número de grandes MULHERES poderiam sucedê-la, sempre deixando clara a expressão “women” e não “men”, quando trata de posições de poder.
Com a aliança feminina entre Daenerys, Yara, Ellaria e, a melhor de todas, Olenna Tyrell, que perdeu quase toda sua família na explosão causada por Cersei, não há chance para a vilã. 
É altamente provável que a guerra que está por vir e, portanto, a série, será protagonizada por mulheres, fato de forma alguma comum nesse universo de fantasia. 
E não nos esqueçamos da abrangência desse programa, com fãs no mundo todo, que deverão assistir um confronto entre mulheres extremamente fortes na sétima temporada.
Nos sites que tratam do assunto li várias pessoas falando que foi a temporada das mulheres loucas. 
Claro, afinal elas conseguiram seu protagonismo com muitas mortes e demonstraram prazer em suas conquistas, mas quando são homens liderando assassinatos e genocídios, eles não são considerados dementes, são líderes que fazem o necessário para conseguir ou manter o poder, exemplificando, mais uma vez, como o olhar de cada um molda a mensagem que chega ao interlocutor.
Eu assisti a tudo considerando completamente normal o que essas mulheres precisaram fazer para conquistar seu protagonismo num mundo sangrento e machista. Não vi loucura em momento algum, e talvez até houvesse. 
Enquanto assistia, o feminismo de diversos diálogos não foi percebido por mim, que noto sempre machismo. Não sei explicar bem o porquê, talvez porque feminismo é para mim o normal e só a misoginia me salta aos olhos. 
Só agora, relembrando os diversos momentos citados acima, percebo a diferença grandiosa entre essa temporada e as anteriores. 
Importante citar ainda a cena de nu frontal masculino e a considerável diminuição de cenas com nu feminino. 
Essa combinação de escolhas ajudou a fazer dessa temporada a melhor de Game of Thrones até o momento.

42 comentários:

Anônimo disse...

Mais uma vez, mulheres sempre vão pisar nos omens, essa temporada deixou bem claro isso, e tanto, q é a de maior audiência da série

Produtoras continuem assim

Anônimo disse...

Só discordo quanto a Dorne: 1- que as meninas do canal do youtube usaram feminazi como esteriótipo da feminista raivosa q quer matar homens. Eu não gostei do jeito que elas falaram, mas elas não estavam usando feminista = feminazi. 2- Eu detestei todo o desenvolvimento do plot de Dorne na série, porque, ao contrário dos livros, eles utilizaram todos os esteriótipos possíveis nesse pedaço: um povo "exótico", sem estratégia, que só pensa em sexo e violência.É incomparável a trama da Arianne Martell e das serpentes de areia do livro com a vingança sem pé nem cabeça da série.

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Mais uma vez, mulheres sempre vão pisar nos omens, essa temporada deixou bem claro isso, e tanto, q é a de maior audiência da série

Produtoras continuem assim

4 de julho de 2016 12:19

O verdadeiro objetivo do feminismo. Para quem tinha dúvidas.

Anônimo disse...

A autora do post cita uma cena de nu masculino como algo emponderador e inovador para série, eu acho desnecessário tanto nu feminino objetificando mulheres quanto nu masculino que e extremamente ofensivo aos olhos. Claro que sempre me incomodou sermos representados como enfeites de cena pela nudez ou pouca roupa em filmes, cenas e programas de auditório, mas também não dá pra negar que querer fazer contraponto revolucionário por uma cena de nu masculino e uma falsa simetria sem tamanho, alem de que o imagem de um corpo masculino nu e da genitália masculina e algo extremamente feio e que causa aversão a qualquer uma, homem e esteticamente feio não tem como dizer que não.

Anônimo disse...

Sobre a Carol Moreira e a Mikann terem usado o termo "feminazi": entendo que foi completamente sem noção e se quisessem utilizar uma palavra mais "adequada" que usassem misandria (apesar de que acho que nem foi essa a motivação das Víboras em Dorne).

Anônimo disse...

ok... e cenas de estupro e cenas gratuitas com prostitutas? Finalmente parou...?

Anônimo disse...

Apesar do termo que elas usaram (feminazi) ser de fato muito infeliz, eu entendo o incômodo que elas sentiram com o núcleo de Dorne. Nos livros, as mulheres dornesas não lutam para terem poder porque elas não precisam: as leis dornesas as colocam na mesma posição que os homens, tanto que elas podem ser senhoras de suas respectivas casas, herdeiras quando são primogênitas e até mesmo princesas regentes (nos livros, a filha mais velha do Doran é Arianne, sendo a herdeira de Lançassolar). A série infelizmente não ressalta tanto essas leis igualitaristas, assim como o Doran dos livros que não é nem de longe o regente passivo que aparenta ser.

Anônimo disse...

"Mais uma vez, mulheres sempre vão pisar nos omens, essa temporada deixou bem claro isso, e tanto, q é a de maior audiência da série

Produtoras continuem assim"

Reitero, corroboro e digo mais:

Personagens femininas desta série>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>masCUlinos

Cesc Biavati disse...

Eu, um branco-opressor-hétero-católico-capitalista-conservador, ou seja, "um monstro psicopata", adorei essa temporada e, tirando esse ódio misândrico da mocinha feminista acima, também concordo que as personagens femininas andam melhores que os machos sofríveis, até porque o criador/produtor conseguiu matar boa parte dos que eram bons. Hahahaha.

Anônimo disse...

Também não achei empoderadora a cena de Dorne, ficou caricata como "vingança apaixonada típica de mulheres". Como a 17:06 falou, no livro a herdeira de Dorne é a Ariane Martel e o príncipe Doran e vinha tramando pra casar o filho do meio com a Daenerys. Se não me engano, a Ariane planejava clamar a Myrcella como herdeira legítima do Trono de Ferro, segundo as leis dornesas, mas a conspiração não deu certo porque tentaram matar a Myrcella (e no livro, por enquanto, não conseguiram).
Adoro a Daenerys, de longe acho a personagem muito madura e não foi preciso matar os líderes dothrakis pra isso (e agora tá na moda detestar a Daenerys e pintar o Jon de ouro, em algumas comunidades). Mas tampouco achei a cena dela matando os líderes dothrakis empoderadora. Ela consegue o feito não por inteligência, carisma, ou força. Ela simplesmente deu sorte de ser imune a fogo (o que é ainda um recurso narrativo arriscado, visto que ela não se aproveitar/ter se aproveitado dessa imunidade em todas as situações possíveis é incoerente). E também rouba a aura mística da cena do nascimento dos dragões.
Quanto a Sansa, a evolução da personagem é notável e bem-vinda, mas não entendo quem defenda que ela se tornou uma "mulher independente" (e aqui vou falar apenas da série, nos livros a última cena dela é a da temporada anterior em que ela sai do Ninho da Águia com o Mindinho). Ela dependeu do Theon pra escapar do Ramsay. Dependeu do Jon pra juntar as bandeiras do norte (não foi sequer quem convenceu a Lyanna). Dependeu de pedir ajuda ao Mindinho pra reconquistar Winterfell (e não foi esperta o suficiente pra enganá-lo depois) e dependeu novamente do Jon pra levar a cabo o fim do Ramsay (ela só assistiu a cena). A Sansa desenvolveu o suficiente pra deixar de sonhar com o príncipe encantado e de acreditar em todo mundo, mas tá bem longe de ser uma personagem feminina forte.

Anônimo disse...

Eu dou muita risada de comentários como a da anonima 14:57


gente, a pessoa não contente em ofender quer também impor como unanime a sua opinião.

eu nem vou sugerir você dar um google pra ver o cauã raymond sem camisa, porque EU acho ok vc achar o corpo masculino esteticamente feio, só não queria vir impor essa SUA opinião como se fosse unanimidade, porque, definitivamente, não é.

Alícia

Thaís disse...

Como outras já falaram, acho que faltou interpretação da autora quanto ao termo "feminazi" usado pela Carol e pela Mikannn. O que elas falaram (e eu concordo) é que o núcleo de Dorne foi completamente descaracterizado para pior. E as alterações caracterizaram as mulheres como "feminazis": a visão que homens tem de que feministas são psicopatas cortadoras de pênis que matam homens por diversão.

Não foi feminista da parte das mulheres de Dorne matarem todos os homens da família porque queriam se vingar de outra família que matou o marido/pai delas. Foi idiota, simplista e as retratou como impulsivas, loucas, burras e odiadoras de homens. Ou seja, tudo o que homens não envolvidos com feminismo acham que o feminismo é - portanto, elas são o equivalente da ficção ao estereótipo de feminazis criados por machistas.

Anônimo disse...

As pessoas estão tão descontentes pelos diretores terem criado Dorne de uma forma tão diferente que fãs estão até fazendo uma vaquinha para regravar a parte de Dorne na série.

http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/consumo/noticia/5006175/descontentes-fas-criam-vaquinha-para-reconstruir-nucleo-game-thrones

Nos livros lá é sem dúvida o melhor lugar para as mulheres, onde são mais emponderadas e tão respeitadas quantos os homens.

Anna Karstein disse...

Anônimo 14:45 disse:
“A imagem de um corpo masculino nu e da genitália masculina e algo extremamente feio e que causa aversão a qualquer uma, homem e esteticamente feio não tem como dizer que não.”

Fale por si mesma. Existem mulheres hetero, sabia?

Anônimo disse...

Claro AliciO claro rsrs, quer enganar quem?!

Anônimo disse...

Enquanto isto na vida real, mulheres cristãs sirias mostram as ocidentais o que e luta feminina de verdade.
http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2016/07/04/cristas-enfrentam-o-ei-com-uma-milicia-na-siria.htm

Anônimo disse...

"Mais uma vez, mulheres sempre vão pisar nos omens, essa temporada deixou bem claro isso, e tanto, q é a de maior audiência da série

Produtoras continuem assim"

AMÉM

Finalmente uma série boa pra assistir

Anônimo disse...

"ok... e cenas de estupro e cenas gratuitas com prostitutas? Finalmente parou...?"

Anon 16: 13, teve uma cena com prostitutas mas a protagonista foi a Yara GreyJoy. Nessa cena ela está tipo em um bordel rodeada de homens da sua frota e chega uma prostituta com os seios descobertos. Ela beija os seios da prost e diz "I will fuck her tities".
Achei meio gratuito mas parece que as lésbicas gostaram da representatividade, de saber que tinha uma personagem lésbica na série.

Anônimo disse...

"e agora tá na moda detestar a Daenerys e pintar o Jon de ouro, em algumas comunidades"

Que novidade... desmerecer mulheres e exaltar homens?? Isso nunca aconteceu. ZZZzzzzz

Anônimo disse...

"Não foi feminista da parte das mulheres de Dorne matarem todos os homens da família porque queriam se vingar de outra família que matou o marido/pai delas."

Elas mataram o rei pra se vingar e o príncipe porque ele estava no caminho delas pelo poder.. e o príncipe era igual o pai. Qual o problema? Que mania chata de ficar desmerecendo mulheres. Elas queriam o poder, caramba. Algum problema???

Elas mataram a Myrcella também mas isso ninguém fica lamentando, né? A menina não tinha culpa de nada. Mas as pessoas só se lamentam por causa duzomis.

19:13, pare de se preocupar com o que uzomis pensam do feminismo.

robotroma disse...

Tem uma coisa que eu achei bizarra no final desta temporada.

Se você tem alergia a spoilers, esteja avisado(a).

A Cersei deixa o Montanha "tomando conta" da Septa Chatona, que na hora que vê a cara do morto-vivo começa a berrar. Bem natural até. Aí a rainha lentamente sai da sala, falando "Shame, shame" e fecha a porta atrás de si.

O Montanha tem um currículo grande como Estuprador Oficial da série, daí se PRESUME que uma das coisas que ele vai fazer com a pobre religiosa é nessa linha aí.

Vamos desconsiderar que ele tá, pra todos os efeitos, um zumbi. Se é pra usar livro como referência, ele não come, dorme ou usa o banheiro.

Agora vem meu ponto.

Procurando sobre comentários dessa cena específica, tem um monte de gente que não só presume o estupro como basicamente alega ter visto a coisa.

Só que na cena o Montanha está apenas parado. A mulher berrando, ele é claro uma visão do inferno mas ele está parado.

Olha o nível da obsessão do povo kkkkkkkkkkkkk vê o que não tem.

Vai ser muito fail se na próxima temporada mostrar ele em cima da mulher ou qualquer coisa mais explícita (a atriz que faz a rainha disse, em entrevista, que a cena que foi ao ar foi a versão "morna" do que originalmente havia sido planejado) mas né, vamos ter fé, quem sabe de fato começaram a ouvir o clamor público e lembrar que mulher também é audiência. O que causa um certo porém, diga-se.

Apenas para efeitos comparativos, a série Hannibal era um bocado violenta, "gore plástico" e tinha um estuprador na temporada final, o Red Dragon.

Acontece que se você não leu o livro e não prestou atenção em UM ÚNICO diálogo, não se dá conta disso. É mencionado. Não mostra nada, nadinha.

Ocorre que os produtores da série, vendo que a audiência era majoritariamente feminina, tomaram a decisão consciente de não retratar violência sexual explícita na história. Tem entrevista sobre isso, exatamente sobre esse ponto.

Outro aspecto bacana é que se você trocar o Hannibal pela psicoterapeuta dele, os atores, daria certinho também. Se fosse Dra. Lecter e Dr. du Maurier. Não foram atuações grandemente focadas em gênero, o que é altamente vanguardista.

Infelizmente a TV americana prefere outras coisas e a série foi cancelada, não sem protestos.

Anônimo disse...

"Fale por si mesma. Existem mulheres hetero, sabia?"

Desculpe acabar com seu sonho de algodão doce cara, ms a ciência já provou que não.
http://vidaeestilo.terra.com.br/sexo/,b19dad3705e052a0e2f3a9eb955f1476x8n2prpg.html

Anônimo disse...

"A ciência já provou que não", com uma pesquisa torta sobre "sexualidade" baseada em fotos que as pessoas achavam bonitas. Não passe vergonha. Ainda não tou entendendo a moderação passando os comentários "aiiin, ômi é tudo feioso!".

Anônimo disse...

00:39, sim, sim, esse é meu ponto. Já tem gente querendo desmerecer a candidata forte ao Trono de Ferro (e uma das interpretações possíveis pro Azor da Melissandre, tirando que na série ela fica vendo "neve" quando pergunta por ele) simplesmente por ser mulher.

Anônimo disse...

Não acho que a Daenerys é o Azor Ahai, mas acho q ela quem deve conquistar o trono de ferro... pra mim são coisas diferentes... Acho q o Azor Ahai é mesmo o Jon, mas acho q ele morre na última batalha da série. Crônicas de gelo e fogo, ele é stark e targaryen, acho q faria sentido o fim dele ser o fim da série... mas isso é só uma teoria e não tem nada a ver com as mulheres da série. Sem exceção, acho todas mais interessantes na série.

Algumas consideraçõessobre escolha da Yara ser a lésbica da série. Ela é uma pirata, é conquistadora, se veste de forma masculina e lidera os homens de ferros sem "poderes mágicos" (tipo a Daenerys com o fogo e os dragões). Li em alguns lugares que a Yara ser lésbica explica seus feitos.... ela teria uma personalidade, uma "alma masculina". Nos livros, Yara (Asha) é até então hétero, já Daenerys é bi, já se relacionou com mulheres. Mas na série Daenerys até da uma trela para a Yara quando ela flerta com ela, mas só se relaciona com homens. Resumindo, meu ponto é que gostaria que houvesse representação lésbica menos estereotipada tb. Quanto há mulheres héteros, fortes, guerreiras e nada femininas, temos a Brienne que dá show a cada combate. Mas, a Brienne leva dois rótulos: feia (mais ainda nos livros que na série) e virgem.

Outra reclamação sobre a série. Ela reduziu o personagem Loras a apenas uma de suas características: gay, enquanto no livro ele é muito mais, é um dos melhores guerreiros.

Eu AMO a Arya, mas as vezes me preocupo por gostar dela. Ela é uma criança. Uma criança assassina. Uma criança assassina que matou alguns até chegar em Braavos. Uma criança assassina treinada por uma seita de assassinos a ser mais eficaz ainda. Eu entendo que ela quer vingança... mas ela é uma criança!!! Eu sei que não tem o ECA em Westeros, mas é muito errado torcer para uma criança matar uma galera...

E por fim... Preciso confessar que não quero que o Jon morra. Shippo ele com a Daenerys e quero que eles sejam felizes para sempre!!!!!! Pena que acho que o George R. R. Martin não gosta de felizes para sempre :(

Anônimo disse...

Olha feminzi foi a Carol e vi que Mikannn correu atrás para corrigir acho que na crítica final elas se expressam melhor, o que elas reclamaram foi deste fake Girl Power de Dorne. Não gostei de Dorne elas não tem motivação para essa vingança e para morte do rei.
Dorne tem uma história tão mais legal nos livros de fundação etc... que chega ser frustrante a sua representação na série.

Anônimo disse...

Mais toda personagem feminina precisa ser forte.
Eu detestei o estupro,mas ele humanae imperfeita gosto disso. No mundo normal existem pessoas co-dependentes

Anônimo disse...

Perfeito

Anônimo disse...

"Eu AMO a Arya, mas as vezes me preocupo por gostar dela. Ela é uma criança. Uma criança assassina. Uma criança assassina que matou alguns até chegar em Braavos. Uma criança assassina treinada por uma seita de assassinos a ser mais eficaz ainda. Eu entendo que ela quer vingança... mas ela é uma criança!!! Eu sei que não tem o ECA em Westeros, mas é muito errado torcer para uma criança matar uma galera..."

No universo de Game of Thrones ninguém é criança depois dos 10 anos de idade.

E de qualquer modo, é uma criança fictícia que vai matar pessoas fictícias em um mundo de ficção.

Anônimo disse...

Nossa, mulheres dominam um mundo fictício! Realmente faz toda diferença! SQN

Anônimo disse...

"alem de que o imagem de um corpo masculino nu e da genitália masculina e algo extremamente feio e que causa aversão a qualquer uma, homem e esteticamente feio não tem como dizer que não.

4 DE JULHO DE 2016 14:57"

Fale só por vc, eu sou gay e adorei ver a cena! Acho o nu masculino bonito e sensual, assim como o feminino tb. O corpo humano é lindo, todos eles.

Anna K. disse...

Fale por si mesma. Existem mulheres hetero, sabia?"

"Desculpe acabar com seu sonho de algodão doce cara, ms a ciência já provou que não.
http://vidaeestilo.terra.com.br/sexo/,b19dad3705e052a0e2f3a9eb955f1476x8n2prpg.html"

Não tem nenhum homem aqui não ô louca.

Anônimo disse...

Mais toda personagem feminina precisa ser forte?
Eu detestei o estupro que ela sofreu,mas ela humana e imperfeita gosto disso.

No mundo normal existem pessoas co-dependentes homens e mulheres. Olha o Tommem um rei que deveria ser um lider, mas vivi cercado por suas inseguranças.
Cristina (Reescrevi.)

Anônimo disse...

Cersei muito mais complexa, Arya muita mais complexa e a Sansa muito mais complexa. Mataram por eu vibrei!
As minas de Dorne são muito chatas e suas motivações são bláh Juro que não sei a diferença delas para o Ramsay.
Minto eu sei o Ramsay era um psicopata.

Anônimo disse...

Sou mulher amo Danny, mas sou time Jon. Gosto do personagem assim como gostava da integridade do Ned Stark. Eu não acho que pinto Jhon de ouro e tal.
Bjos
Cristina.

Anônimo disse...

Faz toda diferença sim!

Anônimo disse...

Para quem fica aí insistindo que o corpo masculino é feio, sei lá, procura Charlie Hunnam sem camisa no Google e depois tenha coragem de repetir isso. Sobre o nu na série, eu ia adora que ver mais John Snow e Jaime Lannister pelados. Sério, desculpe, mas eu ia adorar. Não sei oq a ciência diz sobre a mulher hétero, sei que sou uma delas e acho o corpo masculino delicioso.
No mais, essa última temporada foi mesmo maravilhosa.

Anônimo disse...

Cristina, quando falei de gente que "pinta o Jon de ouro", não tava falando de pessoas razoáveis como vc ^^ Mas tem um pessoal chamando a Daenerys de mimada (?) e burra (?) enquanto falam que o Jon é corajoso (sim, ele é), inteligente (há controvérsias) e um bom líder (ambos são), e como seria uma grande injustiça se a Daenerys ficasse com o Trono de Ferro e não ele. (Injustiça?)

Anônimo disse...

Também senti que eles dedicaram essa temporada a corrigir os erros com as mulheres, feitos nas anteriores. Parabéns a eles! E isso fez realmente ser uma ótima temporada.

Só discordo sobre o núcleo de Dorne: personagens ricas, variadas (psicologicamente, fisicamente e até no quesito armamento), foram reduzidas a uma mãe louca (sim, louca, porque quem mata a família do marido pra vingar a família do marido é louca - e burra) e três filhas imbecis, que só refletem a mãe. Não foi nada legal, foi super mal adaptado e a série e os expectadores perdem com isso.

Anônimo disse...

as meninas do canal do youtube usaram feminazi como esteriótipo da feminista raivosa q quer matar homens [+ 1]

Vamos ter bom senso, né!

Anônimo disse...

Margaery era uma das melhores personagens, é uma triste perda pro hall de mulheres da série...

Anônimo disse...

Acho que já é consenso que Dorne foi um lixo. Não houve empoderamento nenhum ali, porque não há empoderamento em matar pessoas inocentes, por motivos idiotas e meios traiçoeiros. As dornesas na série são estereótipos extremamente negativos. Nenhuma mulher deveria se orgulhar disso.