sábado, 13 de fevereiro de 2016

GUEST POST: SUGESTÕES DE ANIMES, PARTE 1

Laura é uma estudante de 17 anos, feminista desde criança, e que quer ser policial militar. 
Ela me enviou um email perguntando minha opinião sobre um universo que desconheço totalmente: o dos animes (me sinto pré-histórica em ter que escrever o que, quando todos meus alunxs sabem: animação japonesa). Pedi pra que ela me mandasse um guest post sobre o tema, e ela enviou um texto tão longo (mas muito interessante!) que vou publicá-lo em três partes. Esta é a primeira. A segunda está aqui. A terceira, aqui.

Quando eu te mandei um e-mail perguntando se você conhecia algo sobre animes, você respondeu que não e sugeriu que eu enviasse um guest post falando sobre o assunto e sobre meus animes favoritos, já que havia muitas pessoas que também não conheciam.
Eu acredito que muitos deixam de assistir animes apenas por preconceito. Não digo isso com a intenção de ofender ninguém. Só quero dizer que estamos acostumados com o padrão americano de televisão, e estranhamos algo diferente.
Eu vou falar sobre meus animes favoritos. São apenas sugestões, vocês podem gostar de algum outro que não esteja aqui. Observei, em comentários de outros posts, que há várias leitorxs do blog que assistem animes. Espero contar com a opinião de vocês também.
- Naruto e Naruto Shippuden: vou começar falando de um dos animes mais famosos. Naruto é um anime que fez parte da minha infância, e não podia deixar de estar aqui. Afinal, foi por causa dele que me interessei por animes. O anime mostra a história de Uzumaki Naruto, um garoto órfão que vive na Vila da Folha (Konoha). Quando ele era um bebê, uma raposa demônio, Kurama, quase destruiu a vila, matando muitos habitantes. 
O herói que impediu Kurama era o Hokage da época (Hokage é o título dado ao líder da vila). Para parar a raposa, o Hokage a selou (aprisionou) dentro do corpo de Naruto. O protagonista cresceu sem conhecer os pais, e sem saber que Kurama estava aprisionada dentro de si. Como ainda havia muito ódio e rancor pelas mortes causadas por Kurama, os outros habitantes da vila desprezavam Naruto, sem que o garoto soubesse o porquê. 
Naruto sempre se esforçou para chamar a atenção, e acabou desenvolvendo o sonho de se tornar um grande Hokage e ser reconhecido. O anime é sobre ninjas, e há várias outras histórias que se cruzam com a de Naruto, personagens com histórias tão ou mais marcantes que a do próprio protagonista. 
Como alguém que acompanha a história há anos, ao voltar para os primeiros episódios recentemente, pude perceber que, no começo, o estilo do anime era bem mais infantil, e vai amadurecendo aos poucos, junto com o próprio Naruto. É um dos meus animes favoritos, mas tem, na minha opinião, dois principais defeitos. 
Um deles é que alguns personagens não foram muito bem explorados, ou não tiveram seu potencial aproveitado. Vários, como Gaara, Neji, Tsunade e Itachi, tiveram histórias e sentimentos muito bem construídos, mas outros... Simplesmente não fizeram diferença na história. E alguns, como Anko, passaram a impressão de que seriam ótimos personagens quando apareceram pela primeira vez, mas depois parece que o escritor (Masashi Kishimoto) simplesmente os esqueceu. 
Outra coisa que me incomoda bastante (eu sei que eu deveria convencer vocês a assistir, mas acho importante também alertá-los sobre os defeitos) é que é possível perceber certo machismo. Digo, as personagens femininas são guerreiras também, e não donzelas indefesas, ou, como disse a personagem Tenten: "No campo de batalha, não importa se você é homem ou mulher". 
Temos mulheres com personalidades fortes como Temari e Tsunade. Mas eu diria que o principal problema está nos números: mulheres são sempre minoria nessa história. Só há uma mulher no grupo de vilões (Akatsuki). Só uma mulher no time principal. De todos os sete Hokages, apenas Tsunade era mulher. E por aí vai. Mas vale mencionar que as mulheres de Naruto não estão lá só de enfeite, e não são exageradamente sexy. 
Eu gostaria de falar mais sobre Sakura, a protagonista feminina da história. No começo, ela era muito irritante, de verdade. Era inútil nas lutas e parecia pensar apenas em romance, o tempo todo. Resumindo, mesmo sendo teoricamente uma ninja, ela se aproximava da donzela indefesa. Mas a evolução dela ao longo do anime foi impressionante. Em algum momento, a própria Sakura percebeu que era assim, e que não queria ser assim. 
Ela procurou a lendária guerreira Tsunade e pediu para se tornar uma discípula. Além de ter virado uma guerreira forte com o treinamento de Tsunade, ela também amadureceu bastante em personalidade. 
Finalizando, eu gostaria de falar que o anime se foca bastante em laços e emoções humanas. Naruto Shippuden é a continuação do Naruto clássico, e mostra os personagens já mais velhos, depois do Naruto ter passado dois anos fora da vila, treinando. Só aviso, para quem quiser assistir, que é um anime bem longo.
- Fairy Tail: também está entre os mais conhecidos, e entre os mais longos. Confesso que não assisti todos os episódios. Ainda. Mas pretendo assistir. Fairy Tail, assim como Naruto e vários outros animes, se passa em um mundo fictício inventado pelo autor. Nesse mundo, a magia é algo comum. Também é comum a existência de guildas, que reúnem magos. Fairy Tail é uma dessas guildas, a guilda da qual os protagonistas fazem parte. 
Fairy Tail tem personagens muito cativantes. E as mulheres são tão fortes, cativantes e importantes para a história quanto os homens. O exemplo mais conhecido é Erza Scarlet, que faz parte do grupo principal do anime, e logo se mostra a mais forte do grupo. É uma jovem forte, feroz, corajosa, e também gentil e protetora com seus amigos. E com uma história fascinante, que eu não vou contar (descubram assistindo o anime). 
A outra garota do grupo é Lucy, uma jovem nascida em uma família rica, mas também a filha rebelde que preferiu sair de casa e se juntar a Fairy Tail a ser a herdeira perfeita. Ela pode não chamar tanta atenção quanto Erza, mas também tem um espírito forte e decidido. 
Temos outras personagens interessantes como Juvia, Cana e Mirajane. Mirajane, principalmente, vai surpreender bastante em certa altura do anime (a não ser que você cometa o erro de ficar procurando sobre isso na internet, um ninho de spoilers). A única coisa que me incomoda é que todas as garotas são lindas e têm um corpo perfeito.
- Madoka Magica: saindo dos animes longos, vamos para um que tem apenas 12 episódios. Parece ser um anime fofinho e infantil, pelo traço do desenho, mas não é bem verdade. Vamos começar falando que o anime se foca em quatro garotas que são as heroínas do anime: Madoka, a protagonista, Homura, minha favorita, Sayako, Mami e Kyoko. 
Cada uma possui sua própria personalidade. Homura e Kyoko, especialmente, possuem passados muito interessantes. Deixo claro que é um anime destinado ao público feminino, focando-se na perspectiva das personagens femininas, e são elas quem têm maior participação. 
Mesmo saindo do aspecto das lutas, na própria família de Madoka, a mãe dela é muito mais presente na história do que o pai (não estou dizendo que tem algo errado com o pai, ou que ele é um pai ausente, só que ele não aparece muito). Gostaria de ressaltar também que, ainda na família de Madoka, os papéis vistos como tradicionais foram invertidos: a mãe de Madoka é uma profissional bem sucedida e seu pai é quem cuida da casa. O anime aborda temas como sacrifício, esperança e desespero.
- Angel Beats é um anime também bem curtinho. Foi um dos primeiros que vi, por recomendações de amigas. Dá para assistir em um único final de semana, o que foi o que eu fiz. O anime se passa em uma espécie de mundo dos mortos, e tem início quando o protagonista, Otonashi, acorda lá sem nenhum memória além do próprio nome. Tem várias cenas engraçadas e personagens carismáticos. 
O único problema é que alguns personagens não tiveram seus passados revelados, mas as histórias retratadas são fascinantes. Bem, como eu disse, o anime é curtinho, então acho que cortar o passado de alguns foi um sacrifício necessário. É um anime bem bonito e com um final tocante, na minha opinião.

151 comentários:

Anônimo disse...

Eu me incomodo profundamente em ver meu marido, que tem quarenta anos, assistindo certos animes, não todos. Tem muitos normais e tal que inclusive vejo também de vez em quando mas tem outros que são extremamente pedófilos. Aparentemente é desses que ele mais gosta.

Um dia desses eu passei por ele, que estava assistindo, aí eu olhei pra tela e vi uma menina aparentando uns 10 anos caindo na cena DE PERNAS ABERTAS, mas não de um jeito inocente digamos. Aberta, mesmo, e a blusa que ela usava um pouco aberta também. Eu perguntei pra ele o porquê daquilo na história, ele ficou sem graça e não respondeu. Passa um tempinho, acontece a mesma coisa com outra garota aparentando esses 10 anos. Aí eu pedi uma explicação. Ele falou que não tinha problema, que aquilo não era pedofilia, que na verdade as garotas retratadas eram demônios com centenas de anos de idade. Falei tá, se são isso aí, por que elas precisam parecer crianças seminuas em poses sensuais? De novo ele não respondeu.

Comecei a observar que tipo de animes ele assistia e tudo mais ou menos nessa linha aí, crianças altamente erotizadas e sempre essa desculpa de que é um demônio, é um anjo, na verdade é uma pessoa adulta em corpo de criança, me senti muito mal com isso tudo e francamente não estou mais sabendo lidar.

Em tempo, sou plenamente familiarizada com a cultura japonesa, falo/leio/escrevo um pouco do idioma, sei da tal cultura rorikon mas bem, estamos no Brasil, o país da "cultura das novinhas" e acho problemático fingir que não se enxerga certa coisas.

Um dia desses ele estava vendo um desenho americano mesmo e tinha lá uma "garota do gelo" seminua também. Perguntei pra ele por que dela estar assim e lá vem desculpa: "Ah, é porque ela é do gelo". Aí tinha um cara ao lado dela. Totalmente vestido, inclusive de óculos e capote. Disse a ele "ué, ele também não é 'do gelo'? Por que ela tá pelada e ele completamente vestido?". Mais uma pergunta sem resposta. Essa, pelo menos, parecia ser adulta.

Anônimo disse...

mahou shoujo lyrical nanoha

Anônimo disse...

Vocês viram o médico pedófilo que foi preso em Minas?

http://noticias.r7.com/minas-gerais/medico-e-denunciado-por-integrar-quadrilha-internacional-de-pedofilos-12022016

Anônimo disse...

É porque, no Japão, desenhos não são vistos como algo infantil. Há animes literalmente de todo tipo. É bom saber quais são os gêneros de anime, para saber quais evitar. Ecchi e hentai são o que eu evito.
Dos animes sugeridos nesse post, os dois primeiros são do gênero shounen, que costumam ter bastante lutas e mensagem sobre coragem, determinação e amizade. Madoka Magika é o gênero conhecido como Mahou Shoujo, onde garotas com poderes mágicos são as protagonistas. Angel Beats eu não sei qual é o gênero que se encaixa, alguém sabe?

Anônimo disse...

Sim, pelo que eu sei de gêneros de animes é:

- Shounen: voltado ou público jovem masculino, normalmente contém lutas, e valores herdados dos samurais como coragem e lealdade
- Seinen: público masculino mais velho. A versão mais madura de shounen
- shoujo: voltado ao público jovem feminino, é um anime mais romântico.
- Josei: público feminino mais velho.
- Mecha: animes com robôs gigantes
- Kodomo: animes infantis
- Mahou Shoujo: animes com garotas com poderes mágicos
- Ecchi: animes que contém conteúdo sexual moderado
- Hentai: animes com conteúdo sexual explícito
- Yaoi: animes com relação homossexual entre dois homens
- Yuri: animes com relação homossexual entre duas mulheres

São esses que eu conheço, tem mais algum?

Anônimo disse...

Também tem o Gore, que é um gÊnero mais sombrio, e o Sci-Fi, que é de ficção científica.

Anônimo disse...

Um anime que eu recomendo é Xxxholic
É um anime mais adolescente
Mas que encina muitas coisas
As frases da personagem Yuuko são maravilhosas

Anônimo disse...

Angel Beats é meu favorito S2
Acho que o gênero dele é seinen, se não me engano, mas nao tenho muita certeza

Anônimo disse...

Recomendo Owari no Seraph, muito massa

Anônimo disse...

"Mulheres se tornam feministas quando veem que não são assediadas"
Não entendi esse comentário. Uma mulher é feminista por querer igualdade e respeito, e por não querer ser assediada
Eu acredito que crianças podem ser feministas também. Embora seja difícil, porque é uma idade facilmente influenciável. Mas, no momento em que uma menina questiona porque não pode ter uma festa com tema de super-heróis, se ela gosta, ou jogar bola, não feminismo de certa forma?

Anônimo disse...

Ao no Exorcist

Anônimo disse...

OFF

Hillary e Bernie: de um lado alguém que sempre votou contra guerras, defende maior salário mínimo, educação superior pública e gratuita, alguém que defende um sistema universal de saúde e nunca se vendeu por dinheiro as empresas de plano de saúde, alguém a favor de maior impostos pros 1% mais ricos, direito a licença maternidade, a favor do casamento gay e o mais importante, alguém FEMINISTA. E do outro lado temos a Hillary.

Anônimo disse...

Um dia desses ele estava vendo um desenho americano mesmo e tinha lá uma "garota do gelo" seminua também. Perguntei pra ele por que dela estar assim e lá vem desculpa: "Ah, é porque ela é do gelo". Aí tinha um cara ao lado dela. Totalmente vestido, inclusive de óculos e capote. Disse a ele "ué, ele também não é 'do gelo'? Por que ela tá pelada e ele completamente vestido?".

Descreveu minha vida no mundo dos games.

Anônimo disse...

Legal o post só não entendi a parte "feminista desde criança, e que quer ser policial militar"

Anônimo disse...

Oi, sou Laura. Respondendo seu comentário, depois de eu enviar minhas opiniões sobre meus animes favoritos, Lola, respondendo minha mensagem, pediu que eu falasse um pouco sobre mim. Eu falei um pouco sobre a minha vida e meus gostos, falei minha idade, o fato de eu ser uma estudante e falei qual era meu sonho. Esse foi o resumo que a Lola fez para a apresentação. Mas não tem relação com o assunto do posto, eu só falei um pouco sobre mim porque a Lola pediu.

Anônimo disse...

tudo bem Laura nao liga pra esse povo que só sabe criticar, obrigda pelo post eh muito interessante, confesso que tbm sempre tive um pouco de preconceito contra animes

Anônimo disse...

Obrigada. Sei que muita gente tem preconceito contra anime, e muitas vezes não é culpa das pessoas. Tive a ideia de falar um pouco sobre esses animes que são os meus favoritos, para que as pessoas saibam um pouco mais sobre eles, e, quem sabe, resolvam dar uma chance
Laura

Anônimo disse...

Como não entendo nada de animes e nunca assisti nenhum gostaria de ver mais pessoas repecurtindo o primeiro comentário.

Além de não ver com bons olhos adultos que assistem desenhos (desculpa, mas pra mim essa pessoa é estranha) queria saber a opinião de quem entendo do assunto sobre esses animes com tendências pedófilas.

pp disse...

lolinha amada, estou me inteirando dos filmes estrangeiros, e assim que tiver assistidos a todos (ou a todos que eu conseguir), vou me inscrever no bolão pago. Acho que o Leo leva esse ano, mesmo "O regresso" sendo beeem chatinho a partir de certo ponto.

Beijos!

anon A. (radfem) disse...

Sinceramente achei as recomendações bem infantojunevis... Sou adulta e vejo anime com meu marido, e não temos paciência para nenhum dos animes da lista. Vai aí umas recomendações que um público mais maduro tem chance de gostar:

Death note: Mistério/Policial/Thriller, os personagens são jovens-adultos, há debates de ética, como a ética de matar criminosos, se você pudesse. Mal tem mulheres no anime.
Psychopass: Ação/Policial/Sci-Fi/Thriller, os personagens são adultos, há várias discussões políticas e de ética, a sociedade é uma sociedade 'ideal e pacífica'. Boa representação de mulheres.
Fullmetal Alchemist Brotherhood: Ação, os personagens são adolescentes e adultos, há debates sobre ética e ciência, a história e os personagens são bem-feitos. Boa representação de mulheres.
Death Parade: Drama, Mistério, Psicológico, Thriller. Os personagens são adultos e há debates sobre ética, e morte.
Nana: Drama, Música. Uma história para mulheres adultas, sobre mulheres adultas. Inclui cenas sobre gravidez, esposa 'do lar', sexo, e drogas.

De brinde, nenhum desses animes tem qualquer cena de fanservice irritante (excessão para algumas poucas cenas em Death Note, mas nada comparável a Fairy Tail, que já começa jogando peitos na sua cara), nem personagens com atitude infantil.

Já ouvi recomendarem Cowboy Bebop para o público adulto, mas pessoalmente não curti muito.

anon A. (radfem) disse...

"queria saber a opinião de quem entendo do assunto sobre esses animes com tendências pedófilas."

hum... vai uma opinião desestruturada:

- no japão pedofilia 'desenhada' não é crime. Até onde eu sei, mesmo se incluir sexo, continua não sendo crime
- existe um mercado de nicho para pedófilos no japão, e fanservice de 'garotinha fofinha' é comum, mesmo em animes fora desse nicho
- quase sempre usam esse argumento de 'parece criança, mas na verdade tem 30 anos! ou é uma criatura imortal!'
- um cara ser cliente desse tipo de nicho é sim bastante suspeito, não vejo como um cara desses não seja um pedofilo

Anônimo disse...

Anon A. A autora do post tem 17 anos se você não reparou.

Anônimo disse...

"fabrica de pedófilo/estuprador = pornografia."




porquê?

Anônimo disse...

Obrigada pelas recomendações. Como A Lola falou, ela dividiu minhas recomendações em três partes, essa é a primeira. Eu também recomendei Death Note e Fullmetal Alchemist Brotherhood, mas obrigada pela participação. Death Parade está entre os animes que eu quero assistir.
E confesso que maior parte dos animes que eu assisto são 'infanto-juvenis', mas é normal, já que tenho 17 anos, certo?

E sobre qualquer um que esteja perguntando sobre esses animes que contém pedofilia, eu sei que existe, mas não posso responder nada quanto a isso. Não assisto esse tipo de anime, passo longe de ecchi, hentai ou qualquer coisa do tipo. Então não posso dar nenhuma informação sobre isso. Só posso dizer que há anime de todo tipo, não são apenas feitos para o público jovem, eu também detesto a ideia de fazerem histórias desse tipo, e não há nada do tipo nos animes que eu gosto e recomendei.
Laura

Carlos Diniz disse...

Esse gênero bizarro com personagens representadas como garotinhas é o subgênero moe, uma praga que se alastrou para videogames e outros gêneros de mangá /anime.

Eu recomendaria como sugestão de anime qualquer trabalho do Hayao Miyazaki, até porque a Versátil está lançando vários dos seus filmes em DVD e Blu Ray no Brasil.

Primeiro que são da melhor estirpe da animação japonesa (feita a mão), segundo que tem temas universais e a maioria é para toda família- o que não quer dizer filme bobinho.

E tem proganistas femininas fortes em Princesa Mononoke e Nausicaa do vale do vento. Esse segundo também tem um mangá (quadrinho)feito pelo próprio diretor que é um primor, pena que a editora que o publicou aqui ficou faltando dois números.

Valéria Fernandes disse...

Recomendo Shoujo Kakumei Utena, Visions of Escaflowne, Karekano. Paradise Kiss e Hataraki Man, além de Gekkan Shoujo Nozaki-kun. Se quiser clássicos, A Rosa de Versalhes.

De resto, prefiro os mangás aos animes.

Se quiser visitar o meu site, o Shoujo Café, ele é primariamente um site sobre shoujo e josei anime e mangá. Está nos links da Lola. :)

Ana Clara disse...

QUALQUER filme do Hayao Miyazaki. Ele mesmo afirma que fica irritado com a obrigatoriedade Hollywoodiana de que, ao aparecerem em tela, um homem e uma mulher TEM que formar um romance. O filme mais famoso dele por aqui é "A Viagem de Chihiro". Diga-se de passagem, o filme é uma metáfora giganorme para o tráfico infantil e uma crítica enorme aos animes que tem mania de colocar meninas de 10 anos em posições constrangedoras.

Por mais que eu goste de Naruto e não negue que ele realmente tem personagens femininas MUITO boas, ele ainda peca bastante no quesito feminista. E Fairy Tail é difícil de defender.

Recomendo RWBY; não há nada de espetacular na história, mas as protagonistas são garotas e as cenas de ações são as melhores que já vi. Peca na representavidade das outras etnias. Nesse quesito, eu recomendo Avatar (tanto a lenda de Aang quanto de Korra).

Dá para recomendar também qualquer coisa produzida pelas meninas do CLAMP (ao contrário daqui, o mercado de quadrinhos no Japão é mais aberto para mulheres), citaram XxXHolic ali em cima e realmente é muito bom. Também recomendo RG Veda e Sakura Card Captors. Mas ainda há Sailor Moon, The Rose of Versalhes (esse é uma aula de história) e Claymore.

Para quem tem mais estômago, recomendo Berserk (que aliás, é bem curioso. Começa com um fanservice bem besta, mas a história avança e acho que o autor amadureceu e isso se vê pelo modo que ele trata suas personagens). Para quem gosta de quebra cabeça e de ficar procurando teses, informações e cia, recomendo Evangelion (o antigo, nada do Rebuild).

Agora um fato engraçado: o anime mais famoso por aqui provavelmente é Cavaleiros do Zodíaco (pelo Masami Kurumada). Seu autor sempre foi criticado pela superficialidade que tratava alguns personagens que apareciam na série. Eis que ele permite que uma desenhista novata, Shiori Teshirogi, criasse uma saga que ocorresse em um período de tempo anterior ao da saga original. Nasceu então o Lost Canvas.

Só que ao contrário de Masami Kurumada, Shiori não apenas desenhava muito melhor, como desenvolveu a história, dando muito mais profundidade aos personagens. O mangá foi um sucesso absoluto e foi transformado em anime (produzido numa qualidade estonteante para a época). Kurumada ficou com tanto ciúmes que disse que Lost Canvas não fazia parte da linha original; ele anulou a obra e iniciou sua própria saga que ocorria no passado. Ainda não satisfeito, Lost Canvas-anime foi cancelado para dar lugar ao "Ômega", uma série pra lá de sem eira nem beira.

Enfim. Para quem quer começar, recomendo fortemente as obras do Miyazaki ou até mesmo do Satoshi Kon (Paprika, Perfect Blue). O problema é que encontrar animes e filmes que possuem o mesmo padrão de criatividade, desenvolvimento e qualidade, é difícil e requer muita, MUITA paciência.

Paula G disse...

Passada como ninguém aqui comentou sobre Hellsing :O kkkkkk. Se você acha tema sobre vampiro manjado, você precisa conhecer hellsing. Vai fazer você curtir totalmente novamente. Integral Hellsing é mulher, humana, toma uosque, fuma charuto e manda na p@#$ toda. Minha personagem feminista favorita <3

Anônimo disse...

Valéria, também adoro a Rosa de Versalhes!

Anônimo disse...

Em matéria de animes, o melhor que já vi foi Death Note. Possui uma história complexa e bem pensada sobre um personagem que ganha o "Death note", um caderno em que pode anotar nomes e circunstâncias e passa a poder determinar como e quando certas pessoas morrem.

Excelente, tem relativamente poucos episódios, não fica na ladainha. Foi aclamado pela crítica especializada. Com todos os motivos pra isso.

Naruto eu vi, Fairy Tail tb. São bobinhos.

Não sou especialmente fã de animes, acho-os muito iguais.

BLH

Valéria Fernandes disse...

Não pensei emm coisas para o cinema, neste caso, o leque abre: todos os de Miyazaki, Perfect Blue (que foi usado e abusado nas referências em Cisne Negro), O Túmulo dos Vaga Lumes, Kaguya-hime no Monogatari, Gen Pés Descalços, Utena movie etc. Há muita coisa interessante e de grande qualidade.

E esqueci nas séries Honey & Clover. O mangá antes do anime, mas a série animada é excelente, também.

Koppe disse...

Confesso que tinha um preconceito com animes e mangás, principalmente Cavaleiros do Zodíaco, porque na minha infância os desenhos Hanna-Barbera que passavam na Manchete foram cancelados por causa dele, e ao mesmo tempo todos os meus amigos viraram monotemáticos e só sabiam falar disso. Resolvi dar uma chance pros animes quando o SBT começou a passar Dragon Ball (a série original, sem Z) aos domingos de manhã e mais tarde o Z na Band.

Como prefiro quadrinhos, fico de olho nas bancas esperando aparecer algum mangá em "edição fechada" ou "edição única", ou mini-séries curtas, porque acompanhar séries de 20, 50 ou 200 edições sai muito caro...

A única série longa que acompanho é Fairy Tail. Apesar dos problemas já mencionados, ainda acho que é uma ótima série e recomendo. Uma curiosidade é que, apesar de ser shonem e ter um personagem de destaque que é o típico herói desse segmento, Natsu, a verdadeira protagonista é Lucy. Pelo menos é o que consta na Wikipedia, tanto em inglês como em português.

Madoka Magica também é muito interessante, e o melhor é que é uma série bem curtinha (3 edições), mas com várias edições extras, que não são essenciais pro entendimento da história, deixando pra quem lê a opção de comprar ou não se quiser.

Carlos Diniz disse...

O caso de Masami Kurumada é curioso, de fato ele faz mangas abordando heróis masculinos com "personalidade quente ",mostrando a jornada de meninos para se tornarem homens.

O engraçado é que seus mangas eram mais lidos pelo público feminino-inclusive as garotas do Clamp começaram com fanzines de cdz.O Kurumada foi o autor que introduziu o conceito de bishonen (rapazes bonitos com aparência feminina) e há vários personagens com subtexto homossexual como Misty e Afrodite.

De certa forma ele contribuiu muito para trazer o público feminino para o shonen, e fazer com os mesmos adequassem um pouco a seu gosto.

Quanto a personagens femininas dele é algo curioso, visto que na sua primeira obra de sucesso Ring ni Kakero ele introduziu uma personagem feminina forte e independente : Kikou Takane.

A mesma foge de casa com o irmao após maus tratos com o padrasto, cuida dele sozinha, o treina para ser um grande boxeador. O mangá depois foca mais no irmão, no torneio e nas rivalidades dele mas ela não é esquecida -e em certo momento ela até o derrota, para que ele se vire sozinho e cresça.

Em relação a saint seiya talvez seja a temática baseada que Atena prefere estratégia que a guerra (sendo sempre reativa), mas toda a história das amazonas renegando sua feminilidade(ao ponto de usarem máscaras) é bem polêmica,ainda bem que isso foi revisto nas novas produções como Omega e Legend of the sanctuary.

Porém não se pode dizer que toda personagem nesse mangá é uma donzela em perigo, há personagens femininas que não devem nada aos homens como Shina e Marin. Mas elas não são o foco do mangá.

Agora indicaram Berserk aí. Assim como Gantz e Violent Jack não recomendo a ninguém como introdução à animes.

Berserk tem boa história e ótimos personagens, mas é a maior reunião de perversidades já vista :estupros (de mulheres e homens aliás) , incesto, canibalismo,infanticídio, sacrifícios humanos, genocídios tudo mostrado de maneira gráfica.

Anônimo disse...

Akatsuki no Yona é maravilhoso ♡
A forma como a personagem feminina é apresentada e se desenvolve, a força q ela transmite ao passar dos episódios, acho simplesmente incrível. Ainda mais em se tratando de anime (shoujo) em que geralmente exalta-se uma fragilidade da mulher
Super recomendo!

Daiane disse...

Dos animes citados, nessa primeira parte do post, os únicos que conheço são Naruto e Fairy Tail. De fato, para aqueles que procuram algo mais sério e adulto, não são recomendados. Mas pra quem quer se divertir, são ótimos.

Com relação a machismo, está presente nesses dois animes.

Fairy Tail, compensa muito no que diz respeito a personagens femininas importantes e fortes, com histórias muito boas por trás das mesmas e cenas de lutas maravilhosas. Mas peca no que se refere a exploração sexual do corpo das personagens (cenas ecchi).

Naruto, não tem o que defender. Não existe NENHUMA personagem feminina importante no desenvolvimento do anime. Todas são dispensáveis e estão ali claramente pra enfeite. Inclusive a Sakura, que faz parte do time de protagonistas. A "evolução" da Sakura, citada pela autora do texto, é algo pra inglês ver. Que só foi inserido no mangá, porque muitos questionavam a inutilidade da personagem. Daí o autor resolveu deixar ela power e dar uma única batalha decente pra mesma. Depois ela continuou sendo a inútil que sempre foi, perdurando assim até o final da história. Confesso que Naruto foi uma das maiores decepções que tive, com relação a falta de representatividade feminina em mangás.

Daiane disse...

E Lola, se o intuito é introduzir e recomendar animes, sugiro que retire algumas imagens, que são spoilers. A foto do beijo e da Mirajane.

Anônimo disse...

"Em tempo, sou plenamente familiarizada com a cultura japonesa, falo/leio/escrevo um pouco do idioma, sei da tal cultura rorikon mas bem, estamos no Brasil, o país da "cultura das novinhas" e acho problemático fingir que não se enxerga certa coisas."

não consigo passar pano pra pedofilia cultural de espécie alguma e lá no JP é o que mais tem, inclusive de forma legal. Isso de demônio, isso e aquilo é tudo papo mesmo. Existe jogos até de toddlercon e tudo vendido numa boa

a pedofilia midiática japonesa não é tipo a americana, que 17 anos 11 meses e 29 dias é "criança". Estamos falando de crianças de 3, 4 anos e daí pra baixo. Isso sem falar nas Jr. Idols.

na moral, se tá vendo isso, é porque é pedófilo mesmo

porque existe anime e mangá de absolutamente todos os assuntos possíveis e imagináveis, desde competição do obento mais gostoso até um sobre dubladores de hentai (!!!!) sim é bem variado então se só fica nas menininhas de perna aberta é porque gosta do que tá vendo.


"Um dia desses ele estava vendo um desenho americano mesmo e tinha lá uma "garota do gelo" seminua também. Perguntei pra ele por que dela estar assim e lá vem desculpa: "Ah, é porque ela é do gelo". Aí tinha um cara ao lado dela. Totalmente vestido, inclusive de óculos e capote. Disse a ele "ué, ele também não é 'do gelo'? Por que ela tá pelada e ele completamente vestido?". Mais uma pergunta sem resposta. Essa, pelo menos, parecia ser adulta."

cara essa é basicamente a minha vida também, como já comentaram
nos games, nos gibis, na cultura, em tudo absolutamente tudo
tem que ser muito cego pra não ver qual o problema disso tudo aí. Ou homem.

Anônimo disse...

Bom, depois eu escrevo sobre a questão da pedofilia pq quero compartilhar uns links q n tenho agora. Mas sobre os animes escolhidos: a tsunade de naruto usa um baita decote e eh bem tipico personagem sexualizado. Acho que a menina do post esta recem desconstruindo o machismo pq tem muito machismo ali q talvez ela n tenha percebido. Em naruto mesmo, a Sakura eh uma das principais mas ela vive atrás de um outro personagem, Sasuke, q n dah a minima pra ela e todo mundo acha lindo o que, pra mim, reforça a ideia de relacionamentos abusivos como se fossem normais. Alem do que mesmo ela sendo principal o foco dela eh soh esse cara assim como a hinata que soh pensa no naruto. Eh todo um discurso q a vida de uma mulher tem q girar em torno de um homem e a mulher nao eh nada sem um cara. Alem das classificações dos animes como shoujo ou shonen q sao para adolescentes e confesso que as tematicas envolvidas já n me chamam mais a atenção. Gostaria de animes e mangas com tematica mais adulta o que pra mim significa series mais engajadas e questionadoras. Aceito sugestões nesse sentido.

Karine

Anônimo disse...

"feminista desde criança, e que quer ser policial militar."


ta! Comecem de novo por favor. Porque não para ser feminista e sonher ser um capitão do mato ao mesmo tempo

Mary-Chan disse...

Oi, Lola! Tem um tempão que eu acompanho e adoro seu blog, mas acho que nunca cheguei a comentar por aqui...
Entretanto, como esse é um post lidando com um tema que eu tenho conhecimento e analiso bastante, eu gostaria de deixar algumas notas sobre um dos animes tratados: Fairy Tail.
Veja só, esse é um dos meus animes favoritos, tenho inclusive alguns planos de cosplay de alguns dos personagens. ENTRETANTO, mesmo que eu ame o anime, eu não posso deixar de olhá-lo com um olhar crítico.
Fairy Tail é um anime incrível pra se falar sobre feminismo, pelos abismos e montanhas nos quesitos progressos e regressos dele. O comentário ficou meio longo, então vou dividi-lo em dois.
Um dos pontos que eu gostaria de citar é a sexualização das personagens.
Os animes que tem a maior popularidade atualmente, são com frequência, aqueles que mais sexualizam suas personagens, e Fairy Tail é talvez um dos maiores exemplos disso: Chega ao ponto de ser diversas vezes classificado como +18, devido a nudez quase explicita. Sendo que em tese, é um anime para crianças e adolescentes.
Assim como a autora do post disse, Fairy Tail tem personagens femininas incríveis - Cada uma de seu próprio jeito. Foi colocado em mesa várias vezes durante a série que a Erza, a personagem que a menina citou, é incrivelmente poderosa, e até a mais forte de um anime com uma lista de personagens (poderosos) infindável. Erza, pra mim, também é o maior exemplo de como fazer uma cena de relativa nudez: Todas as vezes que isso ocorreu, Erza estava completamente confortável com a situação. Muitas vezes, ela aproveitou o momento seminua pra discretamente provocar(no sentido de zoação mesmo) seus companheiros. É uma mulher forte e poderosa e completamente à vontade com o próprio corpo.
Nesse ponto, eu vou precisar dar um spoiler de um certo arco pro meu exemplo, mas eu gostaria de falar sobre Yukino, que é pra mim outro avanço. [/spoiler] Yukino é uma maga de uma guilda rival, sobre o controle de um mestre cruel. Como castigo por perder uma luta, ela foi expulsa de sua Guilda (que serve como sua casa e família), numa cena onde o mestre reúne toda a guilda e obriga a garota a tirar suas roupas como forma de humilhação. De novo vemos o "Poder na nudez" a nudez ali não é consentida, não é requirida, é um abuso, é uma humilhação. E podemos ver o desconforto na cara de todos os presentes, alguns até mesmo virando a cara para evitar a cena. É o autor dizendo que há algo errado ali.[/fim do spoiler]
Parte 1

Mary-Chan disse...

Parte 2
E o último parágrafo do primeiro comment me incomoda, por causa da heroína da história, a também citada no post, Lucy. Lucy é a protagonista da história, que é contada na perspectiva dela. Como citado, ela não é forte, tampouco útil numa luta como Erza. Mas Lucy é forte do seu próprio jeito: Ela é inteligente, generosa, e não abaixa a cabeça pra ninguém, tem consciência de suas fraquezas e não é engolida por elas. Entretanto, isso muitas vezes é ofuscado: Lucy é a personagem mais sexualizada do mangá. Junte uma donzela em perigo ao fato de as roupas de Lucy literalmente já terem explodido, queimado, evaporarem pelo menos duas ou três vezes por arco. E o que mais me incomoda nisso é: Lucy não estava confortável com nenhuma dessas situações. Em todas, Lucy parecia envergonhada, humilhada, irritada. E frequentemente, Lucy é jogada em personagens masculinos e possíveis pares românticos desse jeito. Porque é a piada. Tá td bem, por que a Lucy é pra ser piada mesmo. E parece completamente perdida, e humilhada. E isso é triste. É triste que mesmo uma personagem quase figurante como Yukino, tenha aparecido com mais profundidade e digna de respeito que Lucy.
Veja bem, uma personagem extremamente inferior no quesito luta, num mangá de luta, feminina, hipersexualizada, que é feita de piada frequentemente.
Eu amo a personagem, e toda a profundidade que ela carrega - e eu fico extremamente indignada com a falta de respeito com que ela é tratada.
E ainda sobre sexualização, é importante notar que o autor sexualiza os traços de TODOS, o que é relevante de um jeito interessante e também de um jeito ruim. Interessante, por que pela primeira vez eu vi num anime, os caras frequentemente sendo tão sexualizados quanto as minas: Em um dos personagens principais masculinos vemos, por exemplo, uma mania de tirar as roupas (que é razoavelmente explicada, de qualquer modo). Isso é diferente, por que em outros animes, veríamos características desse tipo para sexualizar ainda mais uma garota.
E a parte ruim desse TODOS, é que, inclusive, crianças. Meninas da faixa de 10-14 anos, usando trajes minúsculos, tendo decotes ou marcações exageradas, poses surrealmente sexuais em trajes minúsculos, ou como todos os outros, tendo suas roupas desaparecendo do modo mais sexualizado possível.
E isso é um baita problema.
Além é claro, de todos os corpos com os modelos inumanos de cintura finíssima, coxas enormes e seios que desafiam a gravidade. (Eu li uma vez que o corpo de uma boneca Barbie, convertido em tamanho humano, seria impossível e completamente insustentável... PFFFFFT, sério? A Barbie é fichinha do lado das meninas de FT)
E, apesar de tudo isso, Fairy Tail tem uma das histórias mais profundas, com uma diversidade absoluta no quesito representação de personalidade feminina de uma forma séria e profunda. Erza, que fala grosso age de modo considerado masculino diversas vezes, tem uma passado profundo e que ainda a causa dor, é extremamente maternal e feminina. Lucy, a garota em perigo com sainha curta que tinha tudo pra ser uma menininha mimada, é teimosa, obstinada e sabe valorizar é realmente importante (sua liberdade, seus sentimentos e os daqueles ao seu redor) e inclusive as secundárias, terciárias, figurantes. Como a Yukino antes citada, ou até mesmo Cana, a mulher sem papas na língua, fala o que quiser, bebe o quanto quiser, briga o quanto quiser, e ainda tem uma história de fundo interessante e profunda.
Fairy Tail é um anime encantador, contraditório e difícil de se definir. Sinceramente, eu só queria dar esses avisos antes de se animarem muito para assistir. É um anime incrível, sim, mas pelos motivos citados acima, devo dizer: Assistam por sua conta em risco.

Mary-Chan disse...

Aaaaah, e também aproveitar para dar uma nota sobre alguns comentários falando sobre a Sakura, de Naruto: Se você realmente quiser ver a evolução, isso é algo que realmente só acontecerá de verdade no mangá. Entretanto, é mais uma questão de marketing que culpa de fato do autor. O autor do mangá, Kishimoto, sempre declarou o carinho que ele tinha pela personagem. Entretanto, mesmo chegando a ter planejado um arco inteiro para aprofundar a história da personagem logo no ínicio, seus editores não permitiriam que ele contasse sua história devido a baixa popularidade da personagem na época. (É, né, TALVEZ, SE VOCÊS PERMITISSEM O AUTOR TRABALHAR A PERSONAGEM, SERIA MAIS FÁCIL SE IDENTIFICAREM COM ELA).
Mesmo assim, a personagem teve sim uma evolução magnífica, principalmente considerando que ela venceu "sem atalhos". Diferente dos outros protagonistas, Naruto e Sasuke, veio de uma família praticamente normal, sem poderes herdados, sem maldições especiais para ganhar poder. Nunca foi um gênio natural.
Mas, foi deixado claro que seu poder se equiparava aos dois no final da série. É dita como a pessoa de maior força física no mangá, a melhor médica (comprovado em batalha), focada e inteligente.
Por outro lado, é necessário dizer como no mangá, ela, e a maioria dos outros personagens são melhores trabalhados. No anime ela foi muitas vezes diminuída, rebaixada a uma pessoa fraca e invejosa de outras garotas, enquanto no mangá ela é vista frequentemente incentivando o apoio entre as mulheres da história. Várias cenas foram mal-feitas ou distorcidas em alguns pontos.
Acho que é só xD Beijos, Lola! Vou aguardar as outras partes dos post!

Anônimo disse...

Off, alguém vai escrever sobre as poses do Deadpool nos cartazes de divulgação?

Anônimo disse...

O maior problema dos animes hoje é o "fanservice". Calcinha à mostra e decote gratuitos, assim, do nada, pra vender bonequinho e agradar marmanjo.

Bem antes do auge atual do Fanservice, um anime bem legal fez crítica disso: Neon Genesis Evangelion. O protagonista é bem genérico, igual boa parte dos protagonistas de anime mainstream (14 anos, cabelo preto curto, rosto nada memorável) e todas as meninas giravam em torno dele. Todas as cenas clichê possíveis. E o fim do episódio sempre prometia: "e mais 'service'!"

No final, o desenho não era só mais um desenho sobre robôs gigantes e garotas bonitas, e sim uma reflexão sobre a natureza das relações humanas e filosofia (o mundo praticamente acaba! os vilões eram além de trecos inexplicáveis!). Imagino que essa era a pegada: prender pelo comum, e no fim meter uma pancada bem no meio dos cornos.

Não sei se é da época da sua leitora, já que é anos 90, mas... uau.

PS: Madoka Magica é uma das melhores coisas que já assisti. Pegar também os clichês e... BAM. Fim do mundo! Morte! Desespero! Esperança! Claro que não pode dar spoiler, porque o final vai se desenrolando de um jeito incrível - mas a mensagem é sobre como tem gente a fim de se aproveitar dos desejos e pedidos de meninas jovens, e como se deve ter cuidado com o que se deseja.

Anônimo disse...

E vale a pena alguém falar da cultura das "waifus"... Os rapazes que namoram ou se casam com personagens de anime. Alguns deles odeiam mulheres "3D", e alegam que suas waifus jamais envelhecerão ou trarão decepções. Outros até perguntam em fóruns se se apaixonar por mulheres reais é trair sua menina fictícia, ou se pode amar duas personagens ao mesmo tempo. Bem interessante.

Anônimo disse...

Mas isso já é não saber diferenciar realidade da ficção, como aquele fã que se matou quando o Itachi de Naruto morreu.

Anônimo disse...

07:25 o nome disto e esquizofrenia, mas em uma época que esta na moda a esquizofrenia coletiva não e se espantar que quem não concorde com homens adultos se apaixonando por personagens de bobeiras ficticias seja taxado de pé conceituoso.

Anônimo disse...

A diferença entre poses de super-heroínas e as poses do Deadpool, é que as poses de super-heroínas têm a intenção de serem sexy e provocantes, par a trair o público masculino, e as poses do Deadpool têm o objetivo de zoar com as poses das super-heroínas.

Anônimo disse...

*Pré conceituoso.

Anônimo disse...

CLAYMORE

Anônimo disse...

Karine, é verdade o que você disse sobre a Tsunade, mas as personagens femininas de forma geral não são sexualizadas e nem têm o corpo destacado.
E foi citado no post que a Sakura só pensava nisso no começo, a autora do post falou. Mas eu concordo com a evolução dela. Ela não deixou de gostar do Sasuke, mas a vida dela não gira mais em torno disso. Ela até tentou fazer o Naruto abandonar a ideia de trazer Sasuke de volta, porque estava preocupada com o amigo.
A Hinata é uma personagem que eu acho que é injustiçada pelos fãs. A maioria só vê o amor platônico dela pelo Naruto. Tem todo o fardo de ser a herdeira do clã, e o pai não a considerava digna, a própria irmã mais nova era mais forte do que ela. E ninguém acreditava no seu potencial. A razão dela ter se apaixonado pelo Naruto é porque ele era sua inspiração. Ninguém acreditava no Naruto, e eles tinham isso em comum. Mesmo assim o Naruto não deixou de acreditar em si mesmo. E isso motivou Hinata a acreditar em si mesma e continuar se esforçando para ser mais forte.
Além disso, Naruto nunca destratou Hinata. Ele só demorou para perceber os sentimentos dela, e os dele também, porque ele é lerdo mesmo.
E, sobre a autora do post, ela citou que tinha machismo em Naruto, e também que Naruto fez parte da infância dela (infância, tipo, quando ela criança), então, já estava implícito que essa recomendação especificamente não era para o público mais maduro.

Anônimo disse...

01:21 porque o fato de alguém querer ser da polícia impede de ser feminista? Não entendi.

Anônimo disse...

O mais legal é eu falar de Naruto avisando que tem machismo e vir alguém falar que 'acha que eu não notei o machismo no anime'
Laura

Anônimo disse...

Quando sai a parte 2?

Anônimo disse...

Daiane, a Sakura evoluiu muito sim!
Além disso, nenhuma personagem feminina importante? Naruto estaria morto se não fosse por Sakura e Hinata. Tsunade foi o foco de toda uma saga, e, na invasão de Pain, ela gastou seu chakra curando os moradores (tudo bem que Pain se arrependeu e resolveu ressuscitar todo mundo depois, mas muitas almas nem teriam um corpo para voltar se não fosse a Tsunade!)
E, se nada disso te convenceu, que tal a Kaguya que foi a grande vilã responsável pela guerra e basicamente todo o trama do mangá!
É verdade que muitos personagens não foram aproveitados, e que as mulheres não tiveram tanto espaço quanto os homens, mas a autora citou as duas coisas.

Aninha disse...

Gostei bastante do post, mas faltou uma informação importantíssima para quem nunca assistiu anime e talvez tenha ficado com vontade de começar... onde achar?
Tem no NetFlix rsrs ?

Também adorei o comentário: "nossa, que animes infantis",lógico, né, a guria tem 17 anos! E tem muita menina nessa faixa de idade que lê a Lola, então vamos deixar meninas falando com meninas também.

Ah, e você escreve super bem, Laura!

Aninha disse...

E quanto aos anime pedófilos, eu acho esse tema bastante interessante.

Digamos que você nasceu um pedófilo, seu desejo só se materializa por crianças. Eu prefiro muito mais que essa pessoa passe a vida assistindo anime com crianças fazendo sexo, do que atacando uma criança de verdade ou consumindo pornografia feita com crianças de verdade. Acho que essa seria a solução feliz para todo mundo.

Anônimo disse...

Obrigada, Aninha, pelos comentários.
Sobre onde achar, eu realmente esqueci dessa parte na hora de escrever o post, desculpe.
Se tem no Netflix, tem alguns, mas acho que só os mais famosos. Eu sei que tem Naruto lá, e meu pai assistiu Death Note pelo Netflix também. Também é possível achar alguns no youtube. Eu assisti Death Note e Another (outro que eu recomendei, mas não saiu na primeira parte) inteiros no youtube.
Se não tiver em nenhum dos dois, existem sites com animes legendados, eu costumo assistir o superanimes, mas tem outros também, como animesonline, animesfox (eu costumo assistir sempre no mesmo site por costume mesmo).
Obrigada pelo elogio
Laura

Anônimo disse...

Aposto que vcs gostam de mangá também. Esse rpg, magic

Anônimo disse...

10:26: é muita prepotência sua supor sobre as vidas de pessoas que você não conhece? Você nem sabe se as feministas daqui tem namorado, se elas têm, você não sabe o que eles fazem, e muito menos quem paga a conta, então pare de tentar adivinhar.

Anônimo disse...

"Mangá... Esse RPG" acho que falhou alguma coisa aí no meio.
RPG = jogo de interpretação de personagens, consiste em um tipo de jogo no qual os jogadores desempenham o papel de um personagem em um cenário fictício
Mangá = histórias em quadrinho japonesas

Anônimo disse...

Anônimo das 08:05

Olha, eu chamaria de misoginia, por muitas vezes. Várias dessas pessoas têm dificuldade sim em se relacionar com pessoas de verdade, por razões psicológicas mesmo (provavelmente espectro autista, e não esquizofrenia), mas muitas abraçam essas brincadeirinhas por algum tipo de solidão que veio de medo de mulheres, e transmutam essa solidão em raiva de mulheres "reais". Já vi muito discurso contra "amor 3D" em comunidade misógina geek, tipo chan e tal.

Dá pra ficar espantado com o que rola com gente solitária. Claro, tenho amigos que brincam de ter "waifus", assim como eu posso brincar que vários dos meus personagens favoritos são meus "husbandos" - mas levar a ferro e fogo é muito bizarro. Photoshopar a mocinha do lado do cara, almoçar na frente do PC com uma foto dela como se fosse "jantar junto", ter vínculo emocional com aquelas almofadas de corpo inteiro...

Anônimo disse...

A maioria dos animes têm protagonistas entre 11 e 15 anos de idade. Geralmente 14. Deve ser questão de público. Todo mundo vira herói antes de entrar no ensino médio, que é o ponto de passagem deles. Daí tanta menina criança - e aí, pra juntar com o fanservice, dá essa impressão (?) pedófila mesmo.

Os meus favoritos têm protagonistas maiores de idade e cenários mais maduros, pra ser sincera. Mas são minoria dentre as produções.

Anônimo disse...

10:47, eu acho que é uma questão do público alvo.
Se eles têm como alvo o público adolescente, ou até infantil, eles vão colocar heróis dessa idade, para os fãs se identificarem e se enxergarem como os personagens.
Em animes mais maduros, a tendência é que os protagonistas sejam mais velhos mesmo.

Anônimo disse...

10:44, concordo com tudo o que você disse. Acho que todo fã já brincou que é apaixonado/a por tal personagem mas tem que saber separar realidade de ficção.
Acho mesmo que pessoas que agem assim têm certo medo da realidade e querem se proteger em um imaginário

Anônimo disse...

10:58 seu comentário é tão incrível que não sei por onde começar.
Primeiro: você conhece todas as mulheres do planeta? Você me conhece? Não? Então não me julgue? A única vez em que pedi (pedi, não exigi) para um garoto pagar a minha comida foi no meu aniversário (sim, aqueles três reais que ele gastou no meu bombom acabam com todo o meu direito de ser feminista)
Segundo, "Namorado de feminista gosta de animes" não entendi bem onde você baseou esse argumento, poderia explicar melhor?
Terceiro, jogando mangá? Mangá é jogo agora?
Quarto, sim, deve ser horrível fazer algo que gosta.
Quinto, acho que esqueceram de me avisar quando entrei para a 'seita' feminista, mas, aparentemente, é proibido se depilar, pelo que dizem sobre as feministas em geral.

Anônimo disse...

Laura, eu disse que talvez, pela sua idade, vc n tenha percebido TODO o machismo presente não q n tenha percebido machismo. Pq inclusive vc notou isso no texto. Bem como outra pessoa quando falei em animes adolescentes, eu disse a MINHA opinião e baseada nela gostaria de sugestões de animes/mangas mais adultos. Nao invalidei as escolhas da autora apenas comentei que gostaria de outras sugestões que viessem das pessoas que estão comentando.

Karine

Anônimo disse...

Netflix possui episódios de Naruto e Naruto Shippuden

Mikaela T. disse...

Ansiosa pelas próximas partes.
Muito bom o texto, Laura.

Anônimo disse...

Quero aproveitar e indicar um anime que marcou muito minha infância, Ashita no Nadja. A história é mais infantil, mas muito bonita.
É uma menina órfã por volta de 1900 que descobre que a mãe está viva, o orfanato que ela mora sofre um incêndio por causa de homens que estão atrás dela, então ela foge para não poros amigos em risco e se junta a um circo para encontra-la. O anime aborda vários aspectos da época e alguns ainda atuais, como trabalho infantil, desigualdade social, impunidade dos poderosos, etc. O anime tbm fala bastante do momento histórico na Europa e das culturas desses países. A Nadja as vezes faz o estilo donzela em perigo,as vale ressaltar que ela sempre consegue ajuda por boa e gentil com todos, e é capaz de mover montanhas (e ate entrar no meio de um incêndio rsrs) para ajudar os amigos. Tem apenas uma temporada e vale a pena.

Marcela

Anônimo disse...

Outro ponto legal é a Nadja não é mostrada como "sexy", ela é muito bonita e educada (e acaba conquistando admiradores), mas nunca usa roupas curtas ou coladas que a sensualizem, inclusive, sua roupa usual é um uniforme do orfanato, branco e rose, bem largo

Anônimo disse...

Saudades das brigas neste blog.

Mary-Chan disse...

De animes, a Netflix oferece: Magi, Sword Art Online (minha maior decepção ever), Nanatsu no Taizai/Seven Deadly Sins(esse é produzido pela Netflix inclusive[típico anime genérico sexualizado]), Madoka, Death Note, Naruto e Naruto Shipuuden, Blue Exorcist/Ao no Exorcist, Bleach. Esses foram os que eu assisti, mas também tem disponível: Samurai X, HunterxHunter, Fate/Stay Night, Terror no Resonance, Mushi-shi, Pokemón, Samurai Flamenco, Kill la Kill entre outros.
Decepção é do Stúdio Ghibli só ter O Reino dos Gatos e Ponyo.

Saori-san disse...

Olha, esse assunto é bastante extenso e complexo. E, claro, as opiniões divergem.
Não acho que anime seja coisa infantil, pois muitos deles são voltados para o público jovem/adulto, com temas mais intricados ou cenas mais violentas, etc. A maneira como o sujeito interpreta a situação é que varia; se tem facilidade para levar para o “lado errado”, não seria só com animes. Já acompanhei situações em que a mídia fez estardalhaço porque o casal de adolescentes fugiu de casa por causa de anime e... No fim, não era por causa disso. E, claro, tem as situações em que a televisão brasileira compra os direitos de exibição de um anime de sucesso e guarda/não passa, para que os concorrentes não possam exibir também.
E, sim, há falta crônica de personagens femininas interessantes, infelizmente. As “Garotas Geeks” já fizeram um ótimo post sobre isso. Sugestões? Eu tenho algumas. Hayao Miyazaki, já citado, claro. CLAMP também gosto. Death Note (enredo complexo), a série Gundam, Ranma (divertido), Rurouni Kenshin, Trigun, Vampire Knight (meio fofinho), etc.
Mas, querem anime de enredo complexo com personagens femininas super interessantes? xxxHolic, Juuni Kokuki e Saiunkoku Monogatari.

Guilherme disse...

Sobre o fato de ter poucas mulheres em Naruto, Masashi Kishimoto afirmou não saber criar personagens femininas. Na verdade ele disse que não fazia ideia de como deveria ser uma heroína. Não é machismo mas sim uma limitação que ele próprio reconheceu.

"Só há uma mulher no grupo de vilões"

Na verdade vai aparecer uma nova vilã mais pra frente. Não vou dar spoiler aqui mas quando ela apareceu foi uma das maiores decepções do desenho. Se o Kishimoto não sabe criar heroínas, ele sabe menos ainda criar vilãs. O pior é o contexto em que ela aparece. Na hora eu pensei: "Não, o Kishimoto não fez isso".

Mesmo assim é um excelente desenho. Apesar de ter grandes lutas, não é apenas um série de luta. Há vários conflitos e dramas interessantes nos personagens, muitas histórias de sofrimento e superação. Pode não parecer nos primeiros episódios, mas o mundo de Naruto é um lugar cheio de sofrimento, e isso se mostra mais claramente na fase Shippuden. Crianças que vão para guerra e morrem com apenas 12 anos, outro que quer se vingar do seu irmão que matou seus próprios pais, outro que sofre uma tentativa de assassinato do seu próprio tutor, a única pessoa que o amava, e que morre durante a tentativa, levando o garoto a odiar a tudo e a todos.

Existe na série um ciclo interminável de vingança exemplificado na frase de um dos maiores vilões: "Neste mundo, sempre que houver uma luz, haverá também sombras. Enquanto o conceito de vencedores existir, também deve haver perdedores. O desejo egoísta de querer manter a paz provoca guerras e o ódio nasce para proteger o amor." A diferença entre os heróis e os vilões está na foma que cada um lida com esse sofrimento. Para o protagonista Naruto, é preciso ter coragem de nunca desistir, de não sucumbir ao ódio, de não perder a esperança. É preciso, se necessário, se sacrificar para transformar as pessoas e destruir todo o ódio que existe nelas.

Os vilões da série lidam com esse mundo de outra forma. Para um deles, esse mundo é um inferno e sempre será, o ciclo de ódio nunca terminará. Sendo assim, esse mundo precisa acabar. Não vou falar quem é esse vilão para não dar spoiler. Para outro vilão, que adotou o pseudônimo de Pain, a solução é dar a cada nação uma arma poderosíssima e assim causar a maior guerra de toda história. Isso causaria um sofrimento tão grande que o mundo abandonaria as guerras.

Apesar de ser um desenho muito bom, ele acaba desandando um pouco no arco da Grande Guerra, mas nesse arco haverá uma reviravolta surpreendente.

Só para concluir, a trilha sonora é uma das melhores coisas da série:

https://www.youtube.com/watch?v=vPsRgFQSfSU

Guilherme disse...

Fairy Tail é muito ruim, muito ruim mesmo. Erza talvez seja a única personagem realmente interessante. O vilão Zeref tem uma história interessante, mas só será revelada depois de mais de 400 capítulos no mangá. Mas o desenho tem algumas músicas de encerramento muito bonitas mesmo:

https://www.youtube.com/watch?v=RvMz7Sm538s

https://www.youtube.com/watch?v=nF6PEsMiaP0

Madoka eu assisti porque me recomendaram muito e disseram que era muito bom, e também porque só tem 12 episódios. Sinceramente achei um mahō shōjo comum, nada especial. Mas o terceiro filme da série tem um final muito surpreedente. Na hora você pensa: "Que isso, o que que tá acontecendo!"

Angel Beats começa muito ruim, mas vai ficando cada vez melhor. É um desenho que vai do péssimo ao ótimo em apenas 12 episódios e com um final muito bonito. O protagonista é bem clichê, mas a história do passado que ele se esqueceu e será revelada depois de alguns episódios é muito interessante.

A trilha sonora também é muito boa:

https://www.youtube.com/watch?v=GDSpyC6tx0A

https://www.youtube.com/watch?v=05qjYHlhOzs

https://www.youtube.com/watch?v=B6dMtpBuFn8




Anônimo disse...

Obrigada pelas informações, Mary-chan. Eu não sabia disso, já que não tenho netflix.
Laura

Anônimo disse...

Respondendo o Guilherme, eu já sei da Kaguya. Eu me referi à Konan como 'única mulher do grupo de vilões', mas eu não quis dizer 'a única vilã', quis dizer 'a única mulher da Akatsuki'. Se bem que eu gosto bem mais da Konan. Kaguya é teoricamente a vilã principal, era ela quem estava por trás de tudo e é a criatura mais poderosa dentro do universo do mangá/anime. Mas não tivemos tempo para sentir isso, e muito menos para nos apegarmos a ela (ou sequer para odiarmos ela). Ela só se revelou no final, teve uma luta e sumiu.
Laura

Saori-san disse...

- xxxHolic – um jovem tem a capacidade de ver seres sobrenaturais e tem sua vida bastante afetadas por isso. Para se ver livre desse inconveniente, aceita prestar serviços em troca do auxílio de uma sábia feiticeira. Aliás, “A” feiticeira, a “Bruxa das Dimensões”, Yuuko Ichihara, personagem que tem momentos cômicos (principalmente por conta das ajudantes e da criaturinha fofa Mokona) e observações perspicazes da realidade das situações e dos seres humanos.
- Juuni Kokuki – anime incompleto (ç.ç) História completa somente em livros. Enredo: Moça que tenta agradar a todos, descuidando de si, é levada a um mundo em que descobre ter um papel importante e é forçada a amadurecer.
- Saiunkoku Monogatari – Moça de família nobre à beira da falência aceita ajudar o desmotivado e infantil Imperador. O romance surge, mas se desenrola de uma forma incomum, pois a garota... ahn, não vou contar. xD Enfim... Ela cumpre sua tarefa e em seguida presta concurso público, sendo a primeira mulher a ser aprovada. E vai ter que enfrentar os preconceitos da elite burocrática masculina, enquanto soluciona problemas no Império e passa por algumas situações cômicas com seus novos colegas do palácio. Um de meus animes favoritos. O enredo prende a cada episódio e todas as personagens são muito bem exploradas. Aliás, são vários protagonistas. E um punhado de mulheres... =)

Anônimo disse...

Obrigada pelas recomendações, Saori-san
Laura

Anônimo disse...

Aninha, mais fácil o pedófilo se excitar com a coisa e naturalizar a violência.

Mais fácil um não-pedófilo experimentar essa violência naturalizada.

Mais fácil uma criança achar normal ser abusada.

Esse tipo de coisa incentiva o abuso infantil em vez de prevenir...

Guilherme disse...

NÃÃÃÃÃÃÃÃÃO!!!! LAURA, VOCÊ DEU O SPOILER SOBRE A KAGUYA, NÃÃÃÃÃAÃO!!!!!!!

Brincadeira, brincadeira. Na verdade, esse spoiler nem é um problema. É até melhor, que assim a pessoa não tem uma decepção tão grande. Não sei o que deu no autor para colocar essa personagem. Ainda mais naquele contexto. Ela é um daqueles vilões clichês do tipo: "ha ha ha ha ha, eu vou dominar o mundo". Ela não tem nenhuma personalidade, nenhuma história interessante, a luta dela contra Naruto e Sasuke é muito chata, muita enrolação, sem emoção. A melhor parte da luta é quando ela acabou. Mas teve gente que adorou a luta. Cada um tem sua opinião.

Anônimo de 13 de fevereiro, 16:55,

na verdade essa distinção entre Seinen e shonen não tem muito valor. Esse vídeo do Video Quest explica isso: https://www.youtube.com/watch?v=E-2Zs9WwuIE

Anônimo disse...

Pela sua lógica, se uma pessoa jogar Mortal Kombat ela vai sair batendo em todo mundo, se uma pessoa ler Turma da Mônica vai atirar coelhos de pelúcua nas pessoas, se jogar Mario vai sair pisando em tartarugas...
Não acho que esse material doentio vai despertar pedófilos, melhor eles gozarem nas páginas do mangá do que na cara de uma criancinha.

Anônimo disse...

Pelúcia***
Aliás, no Oriente 'Mérdio' tudo é censurado, proibido e coberto e mesmo assim violência é o cotidiano de lá. Falo de países que não tão em guerra.

Guilherme disse...

Recomendo assistir animes no Anitube. Acho que é o melhor site.

Anônimo disse...

Anon das 23:06

Primeiro, quem abusa de crianças geralmente não é um pedófilo no sentido clínico.

Segundo, pedófilos que consomem pornografia infantil podem acabar justificando sua ações por desfazerem o conceito de infância e sexualidade infantil;

Tem gente que só precisa de justificativas, cara. É difícil você dar esse material e colocar um aviso de "MAS ISSO É SÓ BRINCADEIRINHA, TÁ?" - só pensar em pornografia com temática pedófila hoje em dia.

Anônimo disse...

Guilherme
O problema para mi não foi a luta em si (eu até achei legal os portais e a hora em que a Sakura dá um soco na Kaguya), mas é verdade que ela não tinha nenhuma história ou personalidade. Quer dizer, citaram a história dela, mas de um jeito muito vago, que a gente mal teve tempo de absorver. A Konan como vilã é muito mais interessante. Quer dizer, qualquer vilão da história é mais interessante que a Kaguya. A única utilidade dela é que eu acho lega dizer, quando me perguntam quem é o vilão principal da história, "Pain era o líder da Akatsuki, mas estava sendo manipulado por Tobi, que seguia o plano de Madara, que estava sendo manipulado por Zetsu, que seguia ordens de Kaguya" (nada de respostas curtas, porque respostas curtas são para os fracos, brincadeira)
Eu já tinha ouvido que o anitube é melhor, mas estou familiarizada com superanimes e me sinto à vontade no site.

Rafael Cherem disse...

Rapaz eu nunca consegui assistir mais que cinco minutos de anime, e olha que tentei várias e várias vezes.

Anônimo disse...

"Sou adulta e vejo anime com meu marido, e "

Wtf? Radfem casada com homem? Ato falho queridx?

Anônimo disse...

Esses tipos de exposição sexualizada de crianças,adolescentes e mulheres ocorre em muitos animes, principalmente nos considerados de público masculino. Esse é um aspecto que particularmente me irrita neste tipo de anime principalmente shounen, pois não há de nenhuma maneira que isso contribua com a história, como várias pessoas comentaram, isso é comum em diversas histórias. Seu marido é pedófilo por ver essas coisas? Provavelmente não, o mais provável é que ele não tenha percebido a situação como você colocou até que você o disse mostrando: hei, tem meninas de 10 anos em poses sensuais, isso não é normal.
Não, não é, mas como fã de animes e mangás a mais de 16 anos, você de certo modo se acostuma a ver esse tipo de coisa e não raciocina de maneira critica, ou seja, é o que vem com o anime, que você quer assistir e acabou. É o certo? Não, não é. E hoje temos diversos animes e mangás com histórias fantásticas que não tenha esse conteúdo lolicon ou com hipersexualizacao de personagens femininas, como várias pessoas citam. A questão ocorre quando você assisti por causa dessas cenas.

Anônimo disse...

Eu acrescentaria lemon, que é uma mais leve de yaoi,mais insinua uma relação homossexual entre dois personagens, como sakura card captors

Anônimo disse...

Na verdade é o contrário. Lemon é mais pesado. A versão mais leve é shounen-ai. E a versão mais vele de yuri é shoujo-ai.

Anônimo disse...

*leve

Anônimo disse...

Quanto a fnaservise é algo realmente irritante e desnecessário. Foi o motivo pelo qual parei de ver Nanatsu no Taizai (acho que é assim que escreve), mas em outros casos não é tão exagerado, e quando anime é envolvente, dá pra ignorar, como em Code Geass

Anônimo disse...

Adoro animes, mas fanservise me irrita. Mesmo assim, eu gosto muito mais das histórias do modo como os enredos de animes são construídos do que de filmes e séries americanas de forma geral. Geralmente a história compensa esse lado irritante, isso quando não é muito exagerado, é claro (Highschool od Dead? Não, obrigado)

Anônimo disse...

Um bom exemplo de shounen-ai é Nº6, adoro esse anime!

Anônimo disse...

Fanservise é mesmo irritante, mas acho que mais um mal de anime shounen do que de animes de forma geral

Anônimo disse...

Espero que o pessoal aqui tenha cabeça aberta para críticas, não estou criticando a autora e entendo o apreço que a mesma tem pelas obras. E elogio a iniciativa de falar sobre as mesmas só não concordo com algumas escolhas, pois:

- Não há protagonismo feminino em anime shounen. Por mais que essas mulheres sejam fortes elas sempre ficarão na sombra ou orbitando em torno do protagonista que é um homem. Acho que poderiam ser indicadas obras shoujo por exemplo (já que a autora se trata de uma adolescente).

Outra questão:

- Achei interessante que alguém postou sobre o autor de Naruto não saber fazer personagens femininos por não saber como um heroína deve ser. Esse um sinal do machismo e falta de representatividade na sociedade e em mangás também. Não havia nenhum outro trabalho pra ele se inspirar? O papel da mulher tá tão definido que nem se sabe como deve ser uma heroína.

Como dito acima elogio a iniciativa e espero que outras pessoas possam contribuir com a discussão e possam sugerir outras obras com caráter feminista, como Rosa de Versalhes, pois também curto animes e mangás.

Anônimo disse...

Obrigada pelo comentário. Em primeiro lugar, como citado no próprio post, eu reconheço que as mulheres, embora também fortes, não tem tanto espaço quanto os homens em Naruto. Sim, a obra tem seus defeitos. Porém, quando a Lola me pediu para falar de meus animes favoritos, eu não podia deixar de mencioná-lo, pois, mesmo com todos os defeitos, foi a obra que me fez gostar de animes.
Rosa de Versalhes é um ótimo anime, não lembro se recomendei ele (nas outras partes, quero dizer) já que eu não recomendei todos os animes que gosto, ou teria ficado longo demais (mais longo do que já ficou, quero dizer), mas, mesmo que Naruto fique para trás de Rosa de Versalhes e tantos outros animes, ele tinha que estar na lista porque, se não fosse por ele, eu jamais teria sequer assistido a Rosa de Versalhes, porque não conheceria animes.
Bem, esse post tem ainda outras duas partes, mas, como disse, não cheguei a mencionar todos os animes que eu gosto. Espero que os animes que serão mencionados nas outras partes te agradem mais.
Não me senti ofendida pelo seu comentário nem nada, só quis deixar claro o porquê de Naruto estar nessa lista, apesar de eu mesma reconhecer o machismo na obra.
Laura

Anônimo disse...

Recomendação de anime shoujo:
Akagame no Shirayuki-hime
É uma versão da Branca de Neve.

Anônimo disse...

Olá. Fico feliz que Naruto tenha sido a porta de entrada para outras obras e feliz também que vc tenha bastante consciência do machismo existente não só na obra em si mas machismo como um todo. Quando há a desconstrução do machismo por muitas vezes só após um certo tempo nos damos de conta de certas coisas. Espero que vc continue com o gosto por mangás e animes, eu particularmente gosto muito embora goste mais da música japonesa e do idioma em si. Fiz um ano de japonês, tenho interesse em voltar. Quanto ao espaço a mulheres em Naruto é em parte pela questão do autor, conforme foi mencionado e em parte também pela própria natureza da obra, sendo um shounen o qual tem como público alvo meninos entre 11/14 anos. Desconheço algum shounen com protagonista feminino. Aguardo as próximas partes. Abraços

Vicky_ disse...

Roteiristas não conseguem criar personagens não-brancas no roteiro das obras por nascença???
NOSSA, e eu achando que era racismo.

Há quem não sabia, mas o Kishomoto (autor de Naruto), tem um irmão gêmeo com a mesma profissão, ele também não faz personagens femininas minimamente significativas (só rola fanservice de guria) e seus mangás são sobre batalha e poderes igual o irmão.

Genética ou machismo, Guilhermão?


Demais esses abusadores negando sociologia básica. rsrsrs

"Anime pedófilo não influencia as pessoas".

Sim, somente livros, filmes e páginas esquerdistas influenciam as pessoas.
Vê pornografia e apoiar propaganda capitalista é opcional e natural da condição humana. (eles mesmos se contradizem)

Quando eu era uma criança, conhece um guri(18 anos), ele curtia lolicon, sabe qual faixa ele buscava na internet? 4~11 anos, era a faixa de interesse dele.
Depois de um tempo ele sumiu, mas dizem que continua igual.

Anônimo disse...

Olá, o que você disse sobre shounen de forma geral é verdade. O único shounen que eu conheço protagonizado por mulheres é Claymore. Porém, mesmo nos animes protagonizados por personagens masculinos, pode haver uma melhor representação das mulheres. Como em Fullmetal Alchemist, por exemplo, que é protagonizado por dois garotos, mas as mulheres são melhores representadas e têm muito mais participação em comparação com Naruto. Eu inclusive recomendei esses dois animes, e eles vão aparecer nas outras partes do post.
obrigada pelo comentário e pelo apoio.
Apesar de tudo, estou tendo uma mini-comemoração aqui porque, entre elogios, incentivos, críticas, recomendações, discussões das quais eu nem fiz parte e comentários sobre os cartazes do filme do Deadpool, já passou de 100 comentários nesse post.
Laura

Vicky_ disse...

Nos comentários vi pessoas recomendando vários animes ótimos.

Só discordo de Death Note, tem uns Ex-Machina pesados no negócio, além de, óbvio, o machismo da obra. (A dupla de autores, "coincidentemente", também é conhecido por "naturalmente" não saber fazer personagens femininas)
Fairy Tail só fui até o episódio 5 e dropei depois. Do resto, concordo com quase todas as indicações do pessoal.

Se liguem nisso, não mudei sequer uma vírgula:

"Uma princesa demônio, Astarotte Ygvar, acaba de completar 10 anos. Mas ela precisa se relacionar com um homem para poder preservar sua aparência linda e seu corpo bonito e para isso precisa consumir uma substância encontrada apenas em homens, que é chamada de Sauzfryma, mais conhecido como sêmen. Ela odeia os homens de sua raça e só concorda com isso se for um humano"

"Preservar sua aparência linda e seu corpo bonito"
Essa menina do anime tem ZERO curvas de qualquer tipo e nenhuma maturidade.

Peguei um sinopse aleatória que sequer assisti, pois tem um milhão desses e lançam uns três iguais ou mais toda temporada.
Esse anime é LEVE, acredite.
E o mercado japonês está entupido de obras como essas.
Nada de novo sob o sol.

Anônimo disse...

Pois é, quando cheguei na parte de 'preservar seu corpo bonito' meu pensamento também foi 'que corpo? Ela tem dez anos'
Pelo menos já dá para perceber na sinopse que esse é um anime que eu não vou querer ver
Laura

Anônimo disse...

Não sei que Naruto você viu, mas o Naruto que eu vi as personagens são sim sexualizadas. Principalmente a Hinata. Em um episódio quando a Sakura perde a memória a Hinata aparece com um vestido vermelho e se abaixa na frente do Shino e seus seios ficam muito evidentes, em outro as meninas estão tomando banho e os seios dela ficam boiando, na luta contra o pain quando Sakura vai curá-la eles dão destaque nos seios dela. No Naruto clássico, Naruto vê Hinata treinando aparentemente nua, mas não a reconhece.
E o Naruto só passou a gostar da Hinata graças ao filme The Last, não tem essa de que ele demorou a perceber seus sentimentos, ele nunca demonstrou gostar dela porque simplesmente o Kishimoto não queria, mas vendo a quantidade de fanboys da Hinata ele resolveu fazer os dois ficarem juntos.

Anônimo disse...

Todas essas cenas citadas são filler

Anônimo disse...

Não importa se são fillers, não diminui a sexualização das personagens. Hinata só se destacou pelo fanservice, isso é FATO.
pergunte a qualquer fã da hinata porque gostam dela e em algum momento eles irão citar os seios dela

Anônimo disse...

Sakura tinha tudo para ser uma excelente personagem feminina, principalmente pela posição de protagonista feminina que ela ocupa. Mas graças a sua obsessão pelo Sasuke ela teve o pior final posição. Uma personagem que pregava que a mulher pode ser forte, pode se igualar aos homens, mas perto do Sasuke vira um cão sem dono, é deprimente. Sempre que o Sasuke a ofendia ela abaixava a cabeça. Mesmo quando fundou seu hospital infantil, Kishimoto quis focar nela como dona de casa. Mesmo quando conseguiu o homem dos sonhos, ele ficou fora por 12 anos. Além disso foi alvo de uma polêmica envolvendo a maternidade da filha.

Anônimo disse...

A obsessão pelo Sasuke foi mesmo o que estragou a personagem. De forma geral, eu gosto muito dela. Mas sobre a parte de focar nela como dona de casa, eu acho que pode ter sido mais porque essa parte da história se foca na Sarada, e não na Sakura, e Sarada vê a mãe no ambiente familiar.
E não concordo com a parte da Hinata. Na fase clássica, nem dá para notar os peitos dela, na Guerra também. No shippuden, a roupa que ela usa também esconde muito. A única roupa dela que mostra mais as curvas foi no the last.
E sobre as cenas citadas anteriormente, eu concordo com o fato de serem filler. Os caras não sabiam o que fazer para matar o tempo antes de voltar a exibir a história do mangá, e acabaram colocando fanservise no meio, que é até bem pouco comparado à quantia de vezes com que a infância do Naruto foi relembrada (não conheço um único fã de Naruto que não reclame dos fillers, mas conheço vários fãs da Hinata que não falam dos peitos dela)
Mas no episódio em que a Sakura perdeu a memória e a Hinata usa um vestido provocante, aquela nem era a 'verdadeira' Sakura, era a Sakura de uma outra dimensão, onde todos os personagens têm a personalidade invertida. O vestido provocante desse episódio foi justamente para ficar o oposto do que a Hinata normalmente é: discreta e recatada.

Anônimo disse...

Os fãs da Hinata não se baseiam na sua experiência pessoal, a maioria gosta da Hinata pelos seios sim.
E só o fato de fazerem fillers sexualizando a personagem já demonstra que ela é um produto de fanservice, não tem como negar, ela foi feita pra isso. A típica menina peituda que só aparece para encher o ego do protagonista.

Vicky_ disse...

Laura, você disse que tem Death Parade na sua lista de espera, também está na minha, tenho uma recomendação DESSA temporada, inclusive tem uma personagem feminina adulta bem interessante:

Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu (a autora é mulher)

O anime é sobre um recém ex-presidiário que deseja praticar rakugo sendo aprendiz de um grande nome no meio, ainda há uma mulher que também deseja praticar.

Rukugo é uma arte japonesa onde uma pessoa (homem) faz monólogos humorísticos.

O anime se passa na década de 60 (Era Shouwa). No início, ela se continha, mas logo vai ganhando confiança e aprende a enfrentar o velho! (Ele admitia que ela tinha uma voz marcante, mas se negava a ensinar mulheres)

Na vida real, há poucos anos é que houveram as primeiras mulheres praticantes de rakugo, para você ter uma ideia.

O resto do pessoal também está convidado a acompanhar a obra!

Guilherme disse...

"Genética ou machismo, Guilhermão?"

Olha, eu vou defender o Kishimoto aqui. Acho que é apenas uma dificuldade que ele tem e não machismo. Ele mesmo reconheceu isso.

A maioria das referências de heroínas que ele deve ter são de Mahō shōjo, e não dá para colocar esse tipo de personagem no mundo de Naruto.

Além disso, mangakás passam a maior parte do tempo no trabalho, e ele deve se inspirar nas pessoas que ele convive nesse ambiente, ou seja, homens.

Tem uma entrevista que ele concedeu que explica bem isso:

"P: Como você equilibra a rotina familiar com o cronograma apertado da série?

Kishimoto Sensei: Minha família é muito importante pra mim. Eu gostaria muito de passar dias importantes com eles como aniversários e Natal, mas desenhar o mangá toma tanto tempo que eu normalmente passo as noites no estúdio. Outros mangakas geralmente recebem bastante ajuda uma vez que se tornam populares, mas os criadores na Shonen Jump gostam de fazer a maioria do trabalho eles mesmos e isso vale pra mim também. Então tenho que sacrificar um pouco o tempo com a família enquanto me concentro no trabalho. Tenho um pouco de medo de que meus filhos talvez fiquem rebeldes ou desobedientes por causa disso. (risadas)

P: Qual a primeira coisa que você fará depois que terminar Naruto?

Kishimoto Sensei: A primeira coisa que eu vou fazer, e que está com mais ou menos dez anos de atraso, é minha lua-de-mel. Eu ainda não fui. Eu quero minha lua-de-mel! (risadas)"

A parte mais engraçada da entrevista é essa aqui:

"P: Algum de seus amigos ou familiares serve de inspiração para os personagens?

Kishimoto Sensei: Vejamos... A mãe de Naruto, Kushina, é um pouco baseada na minha esposa. Ela é um pouco daquele jeito, um tanto quanto assustadora. (risadas)"

Depois de atrasar a lua-de-mel por dez anos eu até entendo a esposa dele.

Guilherme disse...

"Os fãs da Hinata não se baseiam na sua experiência pessoal, a maioria gosta da Hinata pelos seios sim."

Hinata é uma das minhas personagens preferidas e não é por causa dos seio dela. Acho que a maioria dos fãs dela também não.

Definitivamente ela não é uma personagem sensualizada. Basta você ver as roupas que ela usa.

Aquele episódio das garotas na banheira é um episódio filler, ou seja, não aparece na história original do mangá. É um episódio especial em que todas as mulheres são sensualizadas.

Anônimo disse...

Um comentário meio deslocado, depois de ver esse trecho da entrevista com o autor de Naruto: nunca vou entender paga-pau de japonês. Digo, admirar a cultura, querer trazer uma parte dos traços de respeito e disciplina dos japoneses, ok. Mas tem gente que juuuuura que daria tudo pra morar no Japão: velho, do que eu vejo da cultura segregacionista, xenofóbica, impessoal e workaholic deles, quero quilômetros de distância. Deixar de passar feriados com a família, "atrasar a lua de mel em 10 anos", por conta do trabalho é inconcebível pra mim. Os caras literalmente vivem pra trabalhar lá. Enfim, tinha que soltar o comentário.

Anônimo disse...

Você pode negar o quanto quiser, mas eu já me envolvi em fandons de Naruto no passado e eu sei o que os fãs da Hinata (maioria garotos, coincidência né?) pensam dela. "Não importa se a Hinata é mais fraca, ela tem peitos" "os peitos da Hinata são maiores" "ainda bem que o Naruto ficou com a hinata, a Sakura não tem peitos" "peitos,peitos,peitos" a hinata é uma personagem de fanservice, você pode negar o quanto quiser, não muda a realidade. Ela foi feita só pra aumentar a moral do Naruto.não importa se é filler, a hinata é a personagem criada para garantir o lado pervertido do anime, todo anime shounen tem isso. Ela não passa de um prêmio para o protagonista. O fato de ela usar roupas discretas, não faz dela menos sexualizada.
Sabia que na maioria dos hentais as meninas são tímidas? Isso é mais uma característica de personagens fanservice. Elas são criadas para ser a garota perfeita em todos os aspectos para levantar a moral do protagonista. Isso é um clichê dos animes.

Guilherme disse...

"Rapaz eu nunca consegui assistir mais que cinco minutos de anime, e olha que tentei várias e várias vezes."

Rafael Cherem, se for por causa disso, existem curtas que são melhores que muitos filmes de sucesso com mais de duas horas. Como Dareka no Manazashi, curta de Makoto Shinkai com pouco mais de 6 minutos. Aliás, quase tudo que vem de Makoto Shinkai é perfeito.

Guilherme disse...

Rafael Cherem, aqui o trailer: https://www.youtube.com/watch?v=4vZtzxKRARE

Anônimo disse...

Bom, se vocês olham para a Hinata, que passa maior parte do tempo usando roupas largas e é super discreta, e só conseguem ver os peitos dela, acho que o problema está com vocês, não com a personagem

Anônimo disse...

Não, o problema está em você que tenta não enxergar o óbvio. Não é as roupas que fazem dela uma personagem fanservice é o conceito pelo qual ela foi criada: agradar os moleques que gostam de ecchi e hentai. Muitos animes shounnen e ecchi tem esse tipo de personagem que apesar de ser timida, dá pra perceber logo de cara para que ela foi criada.

Anônimo disse...

Desculpe, acho que só os moleques que gostam de ecchi e hentai conseguem enxergar isso

Anônimo disse...

Vicky, obrigada pela sugestão
Laura

Anônimo disse...

Pois é, mas os moleques que gostam de ecchi e hentai são a maioria dos fãs da hinata. Não é porque você não enxerga isso, que a hinata deixe de ser uma personagem para fanservice, ela foi criada para isso, para agradar os garotos.

Anônimo disse...

Por favor, pare de ficar repetindo o mesmo argumento. Se isso é tudo o que tem a dizer, não foi capaz de mudar minha opinião, então vamos apenas encerrar a discussão aqui, tudo bem?

Anônimo disse...

Não quero mudar sua opinião até porque sua opinião não muda a verdade óbvia. Você que me parece não ter outro argumento para provar que estou errado, simplesmente porque não há argumentos contra uma coisa que é fato.

Anônimo disse...

Não é uma questão de quem está certo, eu só cansei de argumentar contra alguém que só sabe repetir 'Hinata é uma personagem fanservise, e isso é óbvio, ela só tem tantos fãs por causa dos peitos dela, você que não enxerga a verdade, o fato de ela usar roupas discretas não muda o fato de ela ser sexualizada (?), ela só está lá para agradar moleques que gostam de ecchi e hentai. Aliás, as personagens de hentai costumam ser tímidas" e todos os seus argumentos são uma variação disso. Tentar argumentar com você é como socar uma parede. Se é assim que você enxerga personagens, não me admira que assista hentai.

Anônimo disse...

Incrível a capacidade de transformar suas opiniões em fatos absolutos

Anônimo disse...

Fãs de Naruto e sua eterna guerra civil

Anônimo disse...

Eu tenho muito conhecimento em animes de diversos gêneros, então eu sei o que estou falando, não tô dizendo que sou a verdade absoluto, mas tendo conhecimento em animes eu sei os clichês que toda anime tem. A garota qie fica brava facilmente = Sakura, a Garota de seios grandes que gosta do protagonista = Hinata. Se você for uma garota e feminista é melhor repensar a respeito, mas se for um garoto, então eu não espero nada. Afinal garotos não enxergam machismo em nada.

Anônimo disse...

não estou questionando que tenha machismo em Naruto, só estou falando que Hinata não foi feita para ser um par de peitos. Ela nem tinha peitos no começo.

Anônimo disse...

Pois é, ela não tinha seios no começo e mesmo assim colocaram ela treinando nua e o Naruto vendo.Porque ela para ser a tipica garota perfeita dos animes, a que nao faz nada sem pensar no protagonista, a donzela em perigo. Quando finalmente chega a segunda fase do anime ela se torna uma completa garota ecchi. E não é por acaso, ela desde o começo estava sendo pronta para se tornar isso.

Anônimo disse...

Tendo lido a discussão, quero dar minha opinião. se em mais de seiscentos episódios, só houve três cenas para afirmar que as mulheres de Naruto são sexualizadas )as mulheres, sendo que as três cenas são da Hinata), não vamos esquecer também que Sasuke e Kimimaru, personagens masculinos, já usaram roupas que expunham boa parte do corpo, e Suigetsu já apareceu completamente nu.
Hinata estava nua naquela cena porque ela estava em uma cachoeira, e Naruto só viu uma silhueta de uma garota. Não percebeu que ela estava sem roupa, muito menos que era a Hinata.
Ironicamente, a figura feminina mais sexualizada da história é o próprio Naruto, quando usa os jutsus de transformação. Aliás, ele já se transformou em figuras masculinas sexualizadas também, dependendo do sexo do oponente.

Anônimo disse...

Claro, porque em tantos lugares que ela poderia treinar, tinha que ser justamente em uma cachoeira, e ela não tinha roupas íntimas né? Foi tudo por acaso, a pobre garota tímida lutando nua, os produtores com certeza não tinham nenhuma intenção de introduzir uma cena ecchi em um anime voltado para o público masculino. E as cenas em que o Naruto se transforma em uma garota são para trazer humor ao anime, os garotos até zoam quando ele faz isso, ninguém fica falando "Nossa, como o Naruto tem seios grandes". E a roupa do Sasuke já era de se esperar que tivesse um design mais ousado já que isso faz parte da personalidade dele e o Kishimoto sempre caprichou mais no Sasuke, justamente porque ele tem que parecer o "fodão" do anime.

Anônimo disse...

O Sasuke parecer o 'fodão' do anime não muda o fato de que estava sexualizado.

Anônimo disse...

Masashi Kishimoto faz muitas referências a lendas japonesas na história, como o fato dos jutsus do clã Uchiha receberem os nomes de deuses ou deusas japoneses. Na mitologia japonesa, há a Kitsune, um espírito raposa. A cada cem anos, a Kitsune ganha uma cauda e se torna mais poderosa, com nove caudas ela muda de cor. Nas lendas, quando uma Kitsune assume forma humana, ela se transforma em uma mulher bela e sedutora. A transformação de Naruto, ainda que seja retratada de forma cômica, é provavelmente uma referência a isso.

Anônimo disse...

Você falar que o Sasuke é sexualizado, não anula o fato da Hinata ser sexualizada. Se a Hinata não é sexualizada porque no filme The Last fazem questão de destacar o corpo dela com roupas super apertadas e dá a entender que os seios dela dobraram de tamanho em dois anos após a guerra? Tudo isso foi para dizer ao público que o Naruto pegou a gostosona do anime, que ele se deu bem em não ter escolhido a Sakura, que incrivelmente continua plana. Inclusive nos esboços do Kishimoto Sakura tinha ganhado algumas curvas, tinha se tornado uma garota bonita sem ser exagerada, mas no filme esconderam isso. Mas não é só isso que comprova que ela foi feita para agradar os garotos, em quanto as outras meninas queriam ser fortes por elas mesmas, até Sakura que por mais que seja obssecada pelo Sasuke queriam ser uma mulher forte para estar no nível de seus companheiros. E hinata? Queriam ser forte para ficar perto do "Naruto-kun", tudo era pelo Naruto. Tanto é que só foram realmente desenvolver a força da personagem no The Last onde ela magicamente se tornou a poderosa do anime.

Anônimo disse...

Apesar de ser referência a lendas japonesas, o contexto em que isso é utilizado no anime é sempre em forma de humor. Enfim, eu conheço os fãs da Hinata, e a maioria gosta dela primeiramente pelos seios e depois por ser obcecada pelo Naruto. É o sonho de quase todo garoto ter uma menina bonita que pense nele 24 horas. Existe exceções, você pode ser uma delas, mas dizer que todos os fãs da Hinata pensam como você é ser ingênuo. Eu já estive em muitos fóruns e grupos de Naruto no passado, e eu já decorei todos os argumentos dos fãs da Hinata e em 90% deles tinha a palavra "seios", não sou eu que estou inventando, eles mesmos fazem questão de citar o físico da Hinata como argumento principal.

Anônimo disse...

Oi, estive lendo a discussão recente e quero falar mais sobre o que eu penso a respeito do machismo e da suposta sexualização das personagens de Naruto.
Em primeiro lugar, tem sim muito machismo na obra. Sei que não falei muito nisso, porque não queria demorar demais. Na verdade, eu cortei algumas partes do post original que eu tinha escrito, porque não queria que ficasse longo demais. Aparentemente não funcionou, já que a Lola teve que dividir em 3 partes.
Enfim, como eu citei, os personagens masculinos são a grande maioria na história. Eles têm a maior participação. É claro que me irrita. Shounen de forma geral tem essa mentalidade de que são os garotos que vão assistir. O preconceito está no próprio nome: shounen significa 'garoto'. E essa mentalidade é obviamente errada. Eu sou garota, e gosto muito mais de animes shounen cheios de luta do que de animes shoujo, embora ultimamente eu esteja me afastando do universo shounen para me aproximar do seinen (aproveito para falar que vi os três primeiros episódios de Death Parade hoje, e gostei bastante). Sei que, como eu, há muitas outras garotas que preferem ver animes com aventuras e lutas, e queremos ter mais personagens femininas para nos identificar.
Naruto peca muito nesse sentido: não dá muito foco para as personagens femininas. E isso é frustrante. Já deixei bem claro que coloquei esse anime na lista porque, apesar do machismo, foi ele que me fez começar a ver animes, por isso, mesmo com todos os defeitos, não podia deixar de citá-lo.
sim, aquela cena das garotas tomando banho foi obviamente fanservise, sem discussão. Mas a cena da cachoeira não acho que tenha sido. Como foi dito, só dava para ver a silhueta dela. E as gotas de água davam um efeito muito bonito quando ela se mexia, o que, aliás, foi o que o Naruto citou depois, quando disse aos amigos que viu uma garota na cachoeira, e não o fato de ela estar sem roupa, o que ele provavelmente nem notou.
O comentário ficou grande, então vou dividir
Laura

Anônimo disse...

Acho que maior parte do fanservise do Naruto vem do próprio Naruto e do Konohamaru, com suas transformações. Aquele episódio em que Konohamaru aprendeu a usar o rasengan foi 100% fanservise (fica a dica, podem pular esse episódio e não fará falta para a história)
Quanto ao decote da Tsunade, que alguém mencionou lá atrás, não acho que objetifique a personagem, por um motivo bem claro: Tsunade obviamente gosta do próprio corpo e se sente a vontade assim. Um outro leitor postou um comentário falando da sexualização das garotas de Fairy Tail (a qual eu não nego) e comparou a forma como Lucy e Erza são sexualizadas. Podem ler, foi muito bem escrito. Nesse aspecto, Tsunade se assemelha mais a Erza. Claro que o decote dela nem se compara à sexualização da Erza, mas o que eu quero dizer é que Tsunade se veste assim porque gosta de se vestir assim. Não nego que o público masculino também goste. mas só o fato de ela usar um jutsu para se manter jovem mostra que ela é vaidosa, embora esteja longe de ser sua principal característica.
De qualquer forma, o anime Naruto tem muitos defeitos. Mas eu julgo pelo próprio anime, e não pelo que fãs desconhecidos de um fórum que eu não conheço dizem sobre o anime. Os fãs homens costumam falar dos peitos da Hinata quando estão reunidos? Ok, direito de vocês. eu e minhas amigas já falamos também dos músculos de personagens masculinos, e isso não quer dizer que aquele personagem esteja lá apenas com o objetivo de atrair o público feminino com seus músculos.
Sobre a Sakura correr atrás do Sasuke. Sim, isso é irritante. No clássico, ela era obcecada e até deixou de treinar em certa altura porque só pensava nisso. Ela não deixou de gostar dele no Shippuden, mas deixou de fazer disso o centro da sua vida. E antes de julgarem a atitude dela, pensem em como vocês se sentiriam se a pessoa que você ama fosse uma traidora, se tornasse seu inimigo e tentasse te matar. Naruto corre atrás do Sasuke também, mas até do que a Sakura. Sakura até tentou convencê-lo a abandonar a promessa e, quando viu que Naruto não desistiria, ela tentou matar Sasuke pelo bem do amigo. Não funcionou, isso nós já sabemos. A questão é que ambos continuam correndo atrás do Sasuke e tentando convencê-lo a voltar para a vila, por mais idiota que Sasuke seja com eles (sim, eu odeio o Sasuke), porque ambos o amam, Sakura de forma romântica e Naruto de forma fraterna.
Repetindo: não estou negando que tenha machismo em Naruto, eu mesma reconheci que tinha, em muitos aspectos, mas discordo desses argumentos, especificamente, e por isso os respondi.
Laura

Anônimo disse...

O Naruto perseguia o Sasuke porque considera ele como um irmão.A ligação deles vem de outras reencarnações. Além do mais, Naruto entendia o Sasuke e por isso queria salvá-lo. E por causa disso ele amadureceu, já a Sakura cada vez mais foi diminuida. Ela tinha aquela pose de mulher resolvida, guerreira, mas se deixava ser humilhada pelo Sasuke. Onde tem coerência nisso?
O Naruto mesmo considerando o Sasuke, dava umas broncas nele quando necessário. Já a Sakura abaixava a cabeça e ficava calada. Então não tem como comparar os motivos pelo qual o Naruto e a Sakura corria atrás do Sasuke. E nenhuma mulher que se valorize aceitaria ser capacho de homem, mesmo que o amasse(ou pelo menos deveria), porque antes do amor ao próximo, vem o amor próprio. Naruto mesmo que amasse Sasuke, nunca foi capacho dele. Sasuke o respeitava, o reconhecia como sendo digno de ser seu adversário. Já a Sakura? Durante muito tempo ele a viu como uma pobre coitada. As relações NarutoxSasuke e SakuraxSasuke são bem diferentes.

Thales disse...

Nossa, Lola! Você está de parabéns por abrir esse espaço para discutir animes.
Muitas pessoas ainda têm preconceito em relação aos desenhos japoneses. O que eles não sabem é que por trás de um traço engraçado e olhos grandes há histórias fantásticas. Claro que algumas ainda caem no viés machista (talvez, vocês não saibam, mas, há animes que retratam muito bem a cultura de submissão e objetificação da mulher japonesa e a nudez de crianças e adolescentes).
Eu acrescentaria nessa lista os animes do grupo CLAMP.
Discordo que Madoka seja um anime para o público feminino, embora a história aconteça sob um prisma em que os papéis de gênero estão invertidos. Recomendo para qualquer um(a)!

Abraços!

Anônimo disse...

Obrigada pelo comentário, Thales.
O que você disse é completamente verdadeiro, e fico feliz por você também recomendar Madoka.
Também fico feliz por algum comentário sair dessa guerra civil dos fãs de Naruto.
Laura

Anônimo disse...

Laura, você ja assistiu o anime K-on? É sobre um grupo de meninas que querem formar uma banda. A historia é bastante descontraida, mas eu poderia aconselhar para meninas pre-adolescentes, por retratar a amizade feminina.

Anônimo disse...

Não assisti, é bom? Posso dar uma olhada, já que não estou acompanhando muitos animes ultimamente.
Laura

Anônimo disse...

Sempre que vão falar sobre as personagens femininas de Naruto, esquecem a Nono, a donzela Errante, mãe adotiva de Kabuto e especialista em coleta de informações.
Se estamos contando filler também, temos a Guren, que é uma personagem simplesmente incrível! Usuária do estilo cristal, uma ninja forte que enfrentou Hinata, Naruto, Kakashi, Shino, Lee, Tenten e com o próprio Sanbi. Eu adoro o estilo de luta e a personalidade dela.
Ainda na área filler, tivemos a participação da Fuu no Exmae Chuunin. Além dela, nesse mesmo exame, vimos a evolução pessoal de Sakura, Ino e Tenten. E também a Equipe 8, da qual Hinata faz parte, eu sempre gostei da forma que as habilidades deles se completam para formar uma incrível equipe de rastreamento.
E também tem aquele arco ainda na fase clássica que mostra a história de Kurenai sua antiga aluna, Yakumo, que era capaz de criar qualquer ilusão ao desenhá-la.

Anônimo disse...

Quero a parte 2!

lola aronovich disse...

A parte 2 sai na terça! E a parte 3, se tudo der certo, no sábado!
Obrigada pela paciência.

Anônimo disse...

O que ninguém aqui comentou, é que tem uma crítica ao preconceito em Naruto, pela forma como os jinchuurikis são tratados.

Anônimo disse...

Em Post sobre animes e feminismo, não pode faltar o Earth Girl Arjuna. É um dos meus animes preferidos que aborda ecologia e faz referências à mitologia hindu e ao Mahabharata. Sua protagonista, Juna, é uma das minhas personagens femininas preferidas.

Anônimo disse...

Cheguei meio atrasado para comentar esse post, mesmo assim vou deixar minha opinião
- Naruto pode ser machista no sentido de não ter muita participação feminina, mas não acho que as personagens sejam sexualizadas. Aquela cena da banheira foi a único que me lembro em que teve fanservice em personagens verdadeiramente femininos. Geralmente o fanservice ficava em cima de Naruto e Konohamaru. E Naruto mostrou transformações masculinas também, mais tarde. O decote da Tsunade não é machismo. Afinal, ela se sente a vontade com o próprio corpo, e é óbvio que ela é vaidosa embora nem de longe seja sua principal característica. E ela é vaidosa para si mesma, afinal o único homem pelo qual ela se interessou está morto. Feminismo também não diz que a mulher pode se vestir como quiser sem ser julgada? Então, deixem a Tsunade em paz. Apesar das muleheres serem uma minoria na história, tem algumas que eu realmente adoro: Tsunade, Temari, Konan, Guren, Fuu e Tayuya, ninguém se lembra, na Tayuya, tadinha, mas ela foi uma ótima vilã, na minha opinião. Confiante, arrogante, poderosa e esperta, quase matou Shikamaru, o mestre das frases sexistas do anime, que teve que ser salvo pela Temari. E Temari ainda fez questão de dizer, na hora de se despedir "Se precisar de alguém para salvar sua vida, sabe onde me encontrar". Naruto realmente começa bem infantil, mas depois aborda vários temas interessantes. É um ótimo anime, apesar dos defeitos, mas acho que o público mais adulto não teria paciência para ver os primeiros episódios.
- Esse cara falando da Hinata, eu realmente discordo. Começa que um fã é alguém que admira e respeita a pessoa/personagem de quem ela é fã, certo? Como alguém pode se dizer fã da Hinata se usa argumentos de "Não importa se ela é fraca, ela tem peitos"? Vocês não são fãs da Hinata, vocês nem conseguem enxergar ela como uma pessoa com sentimentos! Eu gosto da Hinata, e não é pelos peitos. Ela é uma garota tímida e introvertida que, mesmo sendo vista como fraca, mesmo ela mesma se achando fraca, está sempre se esforçando para evoluir e se tornar mais forte. Ela é tão parecida com o Lee nesse aspecto, mas muitos não conseguem enxergar isso. E falando de garotas de Ecchi, como eu já disse, sou muito fã da Hinata, então soa ofensivo para mim que a comparem com Elizabeth, de Nanatsu no Taizai, por exemplo.
- Fairy tail não é meu favorito, mas é um bom anime. Ele falhou mais na questão de enredo, mas tem ótimos personagens. Como foi dito, as mulheres de Fairy Tail são tão fortes, complexas e importantes quanto os homens. Só tem a questão de serem sexualizadas. Creio que a autora planejava falar sobre isso, mas cortou da edição final, já que ela falou dos corpos das personagens. Bem, eu li os comentários da Mary-chan, e foi muito bem escrito. Só não concordo com a Wendy, porque não acho que ela tenho sido mostrada de forma sexualizada. Mas eu não assisti tudo ainda, então talvez aconteça mais para frente. Enfim, pegando o comentário-texto da Mary-chan como base, eu acho que o único traço de machismo no anime são as cenas supostamente engraçadas da Lucy. De forma geral, além de personagens masculinos também serem sexualizados, a sexualidade das personagens femininas é tratada de forma positiva. Digo, Erza (e outras, como Cana) é uma mulher confiante, forte e que se sente a vontade com o próprio corpo, não o vê como motivo de vergonha, e mesmo o mostra, simplesmente porque tem vontade, e não é julgada por isso.
Vou ter que dividir meu comentário
S

Anônimo disse...

- Madoka Magika é um ótimo anime também. É curtinho, e, quando começa, a gente acha que vai ser clichê, mas ele nos surpreende. Homura é uma das minhas favoritas também, mas eu também gosto muito da Kyoko. Mas o episódio que conta a história da Homura é o melhor, na minha opinião. Sendo um mahou shoujo, ele foi feito para o público feminino, mas não vejo nenhum motivo para o público masculino não gostar também. Eu gosto.
- Angel Beats eu não assisti, então não posso falar nada sobre, mas ouvi vários comentários positivos sobre.
- Sobre o primeiro comentário, porque você citou lolicon se não tem nada a ver com os animes citados? Um outro leitor disse que o problema não é necessariamente com o marido da mulher que comentou, mas eu discordo. Como disse outro leitor, a variedade de animes é imensa, ele não é obrigado a ver lolicon. E, pelo que a mulher disse, esse problema não se restringe a animes.
- Gente, o mundo de animes é imenso, não dá para falar como se fosse tudo uma coisa só. A autora do post comenta de animes shounen, com um mahou shoujo no meio, e vocês retrucam falando de animes obscenos. Como foi dito, anime não é feito só para criança, tem para todos os públicos, e todo tipo de história. Fazendo uma comparação, trazendo para o universo dos filmes americanos, que vocês são mais acostumados, é como se a autora tivesse dito "Recomendo Vingadores para assistir" e alguém respondesse "Mas eu não gosto desses filmes, não assisto filmes, porque tem umas pornografias que objetificam as mulheres". Perceberam que não tem nada a ver?
- Vocês acham que só tem animes sexualizando mulheres? Se vocês nunca viram um anime/mangá que sexualize personagens masculinos, vocês não procuraram direito. Como eu disse, todo tipo de coisa, para todos os públicos.
S