terça-feira, 17 de março de 2015

GUEST POST: "40 KG MAIS MAGRA, E AINDA ME ODIAVA"

Da G.:

Li o guest post sobre a leitora que fez cirurgia bariátrica e fiquei realmente comovida com sua história. Primeiro por ela ter se submetido à cirurgia bariátrica e, segundo, por ela continuar triste em relação à própria imagem corporal (se não mais triste do que era antes).
Estou no 8º semestre do curso de psicologia e desde que comecei o curso me interesso por esta área de transtornos alimentares e obesidade. Inclusive, faço um curso de formação na área, muito legal. Gosto tanto da área que, no meu TCC, resolvi focar nisso. 
Inicialmente tinha intenção de traçar o perfil do paciente obeso mas, conversando com a orientadora, resolvi avaliar a influência das práticas parentais relacionadas à alimentação no desenvolvimento da obesidade das crianças. Algo que, até pouco tempo, não era nem cogitado pelos pesquisadores.
Mas não é esse meu foco aqui. Estou te escrevendo por que, além disto, eu sou "ex-obesa". Emagreci 53 kg com reeducação alimentar e exercícios. Pros especialistas eu também sou considerada a exceção.
Em 2011 eu decidi emagrecer, pois estava com 17 anos e pesava 126 kg, sendo que a minha altura é 1,69. Fui considerada apta a fazer a cirurgia bariátrica, mas decidi que não seria invasiva comigo mesma a este ponto. 
Confesso que no início não focava na saúde, afinal, ainda era nova e isso realmente não era algo que passava pela minha cabeça. Queria emagrecer por que roupas pra pessoas obesas são caras e limitadas, o que era muito frustrante pra uma adolescente estudante de ensino médio.
Os últimos quatro anos, Lola, eu passei fazendo reeducação alimentar. Pra tu ter uma noção, no início eu evitava sair com os amigos porque isso sempre acabava em comilança, e eu "não podia". Perdi muito peso no início, o que me motivou a continuar.
Minha médica ficava muito feliz com os meus resultados e isso me reforçava a seguir em frente -- até pouco tempo atrás, quando eu já me sentia bem com o meu corpo e a minha médica insistia que "ainda precisa emagrecer os 6 quilos que faltam". E eu pensava: "Porra, já perdi 53 kg, meu corpo está respondendo bem (minha pele voltou ao lugar por causa da academia), e ela ainda olha só pros últimos 6 kg? Que merda é essa?"
Nesse mesmo tempo eu voltei a ler o teu blog e outros blogs feministas, que abordavam justamente essa questão da aceitação corporal. Eu mesma escrevo um blog, mas ainda não tem um tema central definido e eu não sei se um dia vai ter. E comecei a escrever sobre isso. E, principalmente, comecei a pensar MUITO sobre isso.
Somos constantemente bombardeadas por receitas e métodos de emagrecimento, corpos categorizados como "perfeitos" e "modelos". A indústria da moda e beleza gosta e tem a intenção de fazer a gente se sentir mal, afinal, nós não consumimos como loucos quando estamos satisfeitxs com nós mesmos. 
Se não tomamos whey e formos à academia 18 vezes na semana, nós não somos bons. E pra ser bom, você tem que consumir tal coisa pra se sentir melhor. E, Lola, isso tá muito muito errado e está ferrando com a cabeça das pessoas cada vez mais cedo!
E a cirurgia bariátrica tem colaborado pra isso. Aliás, ela é a caricatura dessa imposição da beleza. A pessoa vai lá e faz a cirurgia. Talvez não seja o caso dessa leitora, mas já vi várias pessoas fazerem pela rapidez da perda de peso, pois, sei lá, iam casar e precisavam ficar "bonitas" até o dia do casamento. Coisas assim, sabe?
Não sou contra a cirurgia, mas sou contra a "distribuição" desmedida dela. O problema está em focar no peso, que é a consequência, e não na causa do problema. Eu mesma senti isto na pele, quando me vi 40 kg mais magra e ainda me odiava. Tinha uma relação problemática com a comida (ainda tenho) e sei que não é algo que vai mudar tão fácil!
Minha intenção com este texto é chamar a atenção das pessoas pra causa da obesidade, pra reflexão de não limitar o obeso à gordura ou ao peso. Pra necessidade de entender que todo obeso tem alguma história de sofrimento pra se relacionar com a comida do jeito que ele se relaciona.
Enfim, fica a reflexão. Nós sempre vamos querer mais e mais ser próximas ao padrão. E cada vez mais estaremos nos submetendo a um padrão cujo único objetivo é lucrar.

107 comentários:

Natália Pacheco disse...

Você acha que poderia me mandar seu TCC quando ficar pronto? :) Fiquei muito interessada! <3

nataliapacheco_@live.com

Izabela F. disse...

Não tenho nada contra obesos, até porque, não chego a ser obesa mas estou completamente fora dos padrões também. Mas uma coisa que acho errada ao se discutir a gordofobia, é quando dizem que a questão da saúde papo furado de quem é preconceituoso com gordos. Você até pode ser um gordo saudável aos 20 anos, mas duvido que o será após os 40. Pessoas magras até podem ter os mesmos problemas de saúde, mas é ingenuidade e até mesmo irresponsável dizer que a gordura não tem nada a ver com isso.

Otavio Questionador disse...

Mulheres, sempre tão preocupadas consigo mesmas.

Mila disse...

Me identifiquei bastante com o texto. Eu também sou obesa (digo que sou pois mesmo emagrecida, considero o meu engordar como uma série de fatores, sendo a principal, a ansiedade) e já cheguei a emagrecer 26 kg com dietas e exercícios físicos. Engordei mais 8kg por conta de ansiedade e mudança de rotinas e tal, mas já estou novamente na dieta.
Sim, mesmo emagrecida vc pode se odiar. Dá um nó na sua cabeça quando vc muda de manequim, quando as pessoas passam a te tratar com mais dignidade pq vc diminuiu o peso na balançan (comentários como "agora vc pode namorar, pode usar tal roupa, pode usar biquini e tudo o mais). Lidar com essas mudanças é muito complicado.
@Izabela F, entendo o que quer dizer, mas quando as pessoas gordas falam sobre gordofobia, dificilmente eu vejo alguém falando que todos deveriam ser obesos e etc, até pq, existem pesquisas sobre os malefícios que o excesso de peso pode causar a curto e a longo prazo. Geralmente, nós pessoas gordas achamos errado comentários sobre a saúde pq diversas vezes eles partem de pessoas que não nos conhecem (ou seja, não conhecem os nossos hábitos de vida, nossa alimentação, se praticamos esporte). Essas coisas incomodam pq geralmente ninguém que fala isso está realmente preocupado com a nossa saúde. Toda pessoa gorda já passou por essa situação. Mas quantos "preocupados" com a saúde já se disponibilizaram em ajudar a pessoa gorda a emagrecer?

Ana disse...

É preconceito sim Izabela,apesar de qualquer um poder ficar doente,só enchem o saco de quem é gordo,ninguém morre de preocupação com a pessoa magra se entupindo de fast food,ninguém fica ironizando ou observando o magrinho que come um prato de pedreiro.Pode se alimentar mal a vontade,o que importa é que seja magro.
Saúde droga nenhuma,incomoda é ver que a pessoa não está no padrão de beleza.
Comigo que sou gorda,sempre foi assim,todo mundo em cima,meu irmão se alimenta tão mal quanto eu mas é magro,alguém fala alguma coisa?É ruim hein!

Anônimo disse...

Achei que o texto acabou antes do que deveria. ...não vi a reflexão! Talvez no TCC ou aqui nos comentários. ....mas o texto só levantou um assunto, não discutiu!

Ana disse...

E o pior é que quando viam que eu estava comendo menos,ironizavam do mesmo jeito,como se dissessem " você é gorda e come só isso?"
Nem pode tentar comer menos que os infelizes se preocupam com sua "saúde" assim mesmo.
Eu também desconto problemas na comida.Também já li algumas matérias de gente que emagreceu e continuou se sentido mal,inclusive uma se dizia enganada pela mídia que garantia que ela seria muito feliz sendo magra.

Anônimo disse...

Sim, Otávio, enquanto os homens são seres abnegados.

Anônimo disse...

Gostei muito do tema do teu TCC. Acho que poderias fazer um guest post. Seria bem interessante.

Anônimo disse...

A autora do post mencionou o papel das influências parentais sobre a alimentação/obesidade e a relação entre auto aceitação/pressão social. Segue meu relato pessoal:

Minha mãe tem distúrbio de personalidade bipolar, que foi recentemente diagnosticado e durante anos erroneamente tratado. Na minha infância e adolescência as suas oscilações de humor (agressividade/culpa/euforia) ocasionavam um ciclo contínuo de julgamento da minha aparência (minha mãe me julgava gorda e isso não era não correspondia a realidade), me punia com humilhações verbais e restrições alimentares, ou sentia culpa da sua agressividade e me ofertava banquetes calóricos. Raramente havia períodos de equilíbrio.

Meu registro pessoal sobre minha aparência e alimentação é doente. Ainda tenho distúrbios alimentares, sempre que me sinto infeliz procuro alívio na comida e tenho compulsões. Apesar de estar dentro de um padrão aceito (seios fartos, cintura fina, quadril largo e coxas grossas) não gosto do meu corpo, me sinto vulgar e apesar de saber que o peso que tenho hoje é o meu limite saudável de magreza eu sofro por querer ser mais magra.

Nunca fui obesa, mas tive períodos na vida que cheguei a ganhar bastante peso (mais de dez quilos), onde a tristeza, vergonha e a culpa por engordar só reforçavam isso. Cheguei a tomar medicamentos para emagrecer, ficava longos períodos em jejum ou após episódios de compulsão (Ex. comia uma barra de chocolate, um lanche gorduroso ou qualquer coisa de forma rápida, sem pensar e ignorando minha saciedade) e depois forçava o vômito.

Hoje aos 36 anos procuro ter uma alimentação saudável e equilibrada, tenho ciência desse infeliz processo psicológico, luto para aceitar-me como sou e não reproduzir novamente essa relação doente.

Escrevo isso porque sempre que há um post no blog sobre auto aceitação ou gordofobia surgem idiotas nos comentários que dizem que é gordo quem quer e que pensam ser juízes do corpo ou do autodomínio alheio. Para quem está em sofrimento de nada serve essa "essa verdade absoluta" que pregam, se abstenham, fiquem quietos ou simplesmente sejam solidários, nossa sociedade já tem cuidado de nos avaliar, julgar e humilhar. Respeite esse espaço e talvez vocês aprendam.

Parabéns a autora pelas reflexões e um grande beijo pra você Lola.

Sara

Anônimo disse...

Acho que obesidade acarreta sim problemas de saúde e o ideal é tentar não ser obeso. A questão é que os outros se dão ao direito de comentar ou intervir na vida alheia, o que é absurdo. Quem sou eu pra julgar uma pessoa obesa, dar conselhos que não foram solicitados, dizer que tem que comer menos ou seja lá o que for? Nem com fumantes (que efetivamente incomodam os outros) eu faço isso, nem acho que deva ser feito, exceto se a pessoa estiver infringindo o direito das pessoas de respirar ar não cancerígeno em locais fechados ou jogando guimba de cigarro na rua. Sou partidária de viver e deixar viver e de viver e deixar morrer também, porque "missionário" e "autoritário", para mim, são palavras que rimam por um bom motivo.

Outro problema é que a obesidade virou uma espécie de muleta para o ódio ao corpo: a intolerância ao "sobrepeso" ou à imperfeição de uma forma mais ampla. Sobrepeso hoje em dia significa praticamente ter corpo de modelo (não digo clinicamente, mas popularmente, considerando a forma como as pessoas julgam o corpo dos outros e o próprio). E a bandeira mentirosa sob a qual esse ódio ao corpo é perpetrado é a saúde -- quando todos sabemos que é a loucura consumista estimulada pela mídia.

Dani disse...

Moça, eu entendo seu ponto, mas discordo de uma coisa.

Cirurgia bariátrica não é a maneira fácil de perder peso. Vi minha mãe passar semanas só comendo um copinho (daqueles de café) de sopa por dia depois de fazer a cirurgia. Vi ela chorando de dor para retirar os pontos, com um dreno retendo o sangue que acumulava nos órgãos internos. Eu garanto que ninguém que fez a cirurgia acha mais fácil passar por isso do que cortar frituras e entrar
na academia.

Admiro muito a sua força de vontade por emagrecer sem a necessidade disso, mas muitas pessoas são gordas por outros motivos além de alimentação ruim. Não diga que todos que fazem esse tipo de intervenção são preguiçosos ou querem resultados rápidos. O resultado é rápido, mas as cicatrizes ficam para sempre.

Naoko disse...

Em 2013 descobri que tinha hipotireoidismo e síndrome do ovário policístico. E essas duas descobertas foram em um período que eu estava, mês apos mês ganhando pelo menos 2 quilos. Alem de, naquela época, realmente eu estar comendo muito (agora tenho ciência do meu problema com comida), sofri uma reprovação muito grande e minha auto-estima foi la embaixo. Fui na endocrino, gineco e nutricionista para me tratar, unindo a hidroginástica. E resumindo, em 1 ano perdi 15 quilos (estava 32kg acima do peso), mas fazem 3 meses que parei com todo o tratamento, inclusive alimentação.

Bom, eu fiquei muito contente com resultado. 2014 foi incrível para mim e atribuo essa felicidade a minha perda de peso e uma saúde melhor. Mas que tenho certeza que nesses últimos meses engordei pelo menos uns 3 quilos de volta. Então, penso: não tenho motivos (emocionais) para estar engordando de novo. Sera que aprendi mesmo na nutricionista? Ou sera que tenho MESMO um problema com comida?
E cheguei a conclusão que eu realmente gosto de comer, que a comida me da prazer. Mas ate que ponto isso e prejudicial a mim?
Antes de voltar ao tratamento e alimentação preciso entender o que se passa. Final do mês vou me consultar com um psicologo para enxergar alem da perda de peso, para enxergar a causa em si!!!!!

Raven Deschain disse...

Otário: esse é um blog feminista. Vc esperava que falássemos de quê? Fakes da interner que usam fotos de velhinhos idiotas e reaças pra encher o saco de mulherea na internet?

Nah, mulher é um assunto bem melhor que esse.

Agora, ao post. Eu nunca tive problema com meu peso, exceto ali no começo da adolescência quando pensava que queria ser magrelinha como minhas amigas (eu já tinha peito e quadril formado aos 9 anos e elas eram crianças normais, retinhas). Agora, quase 30 anos na cara, meu marido começa com umas: "vc tá gordinha amor. Devia fazer academia. Nossa, mas tá comendo de novo???". E bom, isso anda enchendo meu saco, obviamente. Sei que pra saúde seve ser uma maravilha mesmo, mas se não tenho tempo de ir ao médico, não tenho tempo de ir na academia. Já passou da hora de a patrulha gordofóbica perceber que a prioridade da maioria não é ser uma Gracianne Barbosa. E se eu ficar doente ou whatever por causa do peso, hey, my taxes, bitch. Sue me.

Raven Deschain disse...

Só pra registro: sou uma delícia sim. Toda mulher é, independente do formato.

Lidiany CS disse...

Raven, virei sua fã!
❤❤❤

Thomas disse...

Agora imaginem quantas vacas precisam ser estupradas, torturadas e terem a garganta cortada todo dia, quantos porcos são torturados e mortos, quantos frangos são torturados e mortos, quantos peixes são sufocados até a morte todo dia só pra manter a obesidade dessa galera toda aí?

Por isso não tenho pena mesmo e acho essa ideia de gordofobia um absurdo. O peso excessivo de vocês é construído com o sofrimento e morte de 150 bilhões de animais por ano e acham que merecem o MEU RESPEITO? Vai vendo.

Thomas disse...

E sim, tem veganos gordos. Esses aí eu respeito e se quiserem um personal trainer, podem me ligar.

O resto de vocês, gordos onívoros, fiquem com o meu desprezo.

Ana Carolina Serrao disse...

É difícil um homem que não seja prepotente e arrogante. Até quando defende uma boa causa (os animais , por exemplo) . Utiliza disso para se sobrepor e sentir-se superior em relação aos demais.

Anônimo disse...

Pois é, Thomas, as vacas e frangos e peixes tb vão virar alimentos de... magros! Olha só, magros também comem! E bastante!

Thomas disse...

Sim, e eu tenho o mesmo desprezo pelos magros que comem os animais.

Mas é difícil ignorar a ironia. Quando vejo um obeso na rua, é praticamente garantido que ele é onívoro. É uma ironia que o hábito que causou tanto sofrimento e morte a tantos animais ser exatamente o que está causando a destruição e morte do próprio corpo dele.

lola aronovich disse...

O que será que fala mais alto, o ativismo animal ou a gordofobia do Thomas Toddy?
Hmmm... difícil decidir...

Death disse...

Que saco desse Toddynho.

Se peso definisse caráter a Olivia Palito seria o símbolo da justiça.

Anônimo disse...

O sofrimento animal não é causado apenas pelos "gordos malvadões" que devoram picanha (ignorando todo um sistema que lucra com isso). Testes em laboratórios, maus-tratos, abandono, indústria da moda e vestuário, automobilística, cosméticos. O sofrimento animal é um problema muito extenso pra gente colocar na conta dos gordos e achar que está tudo bem.

Thomas disse...

Anônimo, não tô colocando tudo na conta dos gordos. Mas fato é que as indústrias da carne e dos laticínios exterminam cerca de 150 bilhões de animais por ano. Eu coloco cada um desses bichos na conta de todo mundo que consome produtos de origem animal, seja a pessoa gorda ou magra.

Meu ponto é que não posso levar esse ativismo gordo a sério sendo que praticamente todo gordo ficou desse jeito em cima do sofrimento de animais sencientes. Não consigo sentir pena quando leio esses textos que a Lola posta, realmente os problemas que os gordos enfrentam não me comovem. Porque tudo bem, você pode ficar triste por ver uma modelo na tv, mas pelo menos você não tá sendo estuprado e degolado pra sustentar o vício que alguém tem pela sua carne.

Anônimo disse...

Thomas, sempre nos premiando com suas premissas estúpidas. O consumo de proteína animal não está intrinsecamente relacionado a obesidade. Leia sobre dieta paleo ou low carb. Quase conseguiu emitir uma opinião digna de respeito, quase. Considerar o sofrimento animal, questionar hábitos de consumo e mostrar que de fato não és apenas um ignorante umbiguista... poderia ser uma esperança, mas foi apenas mais uma oportunidade perdida e mais um retrato de ignorância e desrespeito sobre si mesmo.

Anônimo disse...

Thomas, mas ninguém quer que sintam pena. Quer que seu corpo seja respeitado, sem gente que tem hábitos piores que os seus te criticar apenas por ser gordo.Aliás, se seu problema com pessoas gordas é por elas comerem carne, então seu problema é com todos os onívoros.
Animais são manipulados para aumentar a produção, seja por carne ou por derivados, inclusive geneticamente. A população mundial está engordando não por comer mais, e sim, por comer mal (frangos carregados de hormônios, por exemplo), ingerindo substâncias (presentes, inclusive, nos vegetais) nocivas à saúde.
Há gordos que engordam por uma questão psicológica. Descontam na comida alguma ansiedade ou distúrbio. Não é só comer carne que engorda. Vamos nos lembrar do excesso de carboidratos também.
Então, vamos juntar isso ao desenvolvimento econômico. Refeições calóricas, sedentarismo, questões hormonais, psicológicas. E a indústria alimentícia criando artifícios para aumentar o consumo de comida, e claro, o lucro.
A crítica à má alimentação, e por que não, carne e derivados, não é válida se ela julgar apenas os consumidores e não todo um sistema por trás disso.

Laryssa disse...

Interessante o texto ele se coaduna exatamente com o que sempre pensei a obesidade está atrelada a muitas questões internas da pessoa e que devem ser tratadas também independente da pessoa querer emagrecer ou não, pois independente do que muitos pensam tem gente que é feliz sendo gordo.



Anônimo disse...

Meus parabéns pela autora do texto.

Demosntrou que é possível emagrecer a partir da força de vontade.

Bastam exercícios e boa alimentação.

Mas a maioria das pessoas prefere o atalho da cirurgia. E depois ainda não querem ser taxadas de preguiçosas!

Daniel disse...

Eu estou bem satisfeito com o meu corpo. Tenho 1.95m de altura e meu peso, é de 117kg, mas mais da metade do meu peso é de músculo.

Minhas medidas :

Coxas - 55cm
Panturrilha - 50cm
Bíceps - 48cm

Minha rotina?

Acordo as 6h da manhã, como pão integral e faço 2 séries de 50 abdominais. Depois, vou a pé para o trabalho(cerca de 4.5km de casa, o que leva 1h e 10m pra ir), chego por volta das 8h, trabalho até 12h, pauso para almoçar, tomo um pouco de Whey e volto no trabalho as 13h, depois, fico lá até as 17h e dependendo do dia, vou pra academia e dependendo do dia, vou pra faculdade(tenho um horário bem doido por ter sido transferido de uma faculdade pública, não aguentava aquele inferno na terra). Já era pra ter me formado, mas infelizmente, só me formo no final deste ano. Chego em casa por volta das 10-11h dependendo do horário. E faço mais 50 abdominais, como pão integral e bebo albumina(tipo o whey, só que com digestão mais lenta) e então, durmo.

Anônimo disse...

Noooooossa, obrigada! Eu tava mesmo perdendo o sono, querendo saber as medidas da sua panturrilha...

B. disse...

HAHAHAHHA

Só aqui posso saber as medidas da panturrilha de um comentarista e saber sua rotina de alimentação e exercícios...

Anônimo disse...

Tem um estudo novo que saiu, dizendo que o sedentarismo é muito mais prejudicial que a obesidade em si. Engraçado que nunca vejo ninguém incentivando a prática de exercícios. Só vejo essas ddietas malucas.

Thomas disse...

"Thomas, sempre nos premiando com suas premissas estúpidas. O consumo de proteína animal não está intrinsecamente relacionado a obesidade. Leia sobre dieta paleo ou low carb."

LOL eu já li muito sobre essa e muitas outras dietas idiotas. Existem inúmeros estudos científicos que comprovam que o consumo de proteína animal está diretamente relacionado com a obesidade. Eu poderia linkar cada um deles aqui, mas você não vai ler né? Então não sei se vale o esforço. Apenas saiba que a melhor dieta conhecida pelo homem é: dieta vegana rica em carboidratos, baixa em gordura, com poucos produtos industrializados.

E pro outro anônimo que falou que o alto consumo de carboidratos está ligado à obesidade: não. Vocês acreditam em qualquer coisa que dizem pra vocês e ficam aí reproduzindo esses mitos, ajudando a espalhar a ignorância pelo mundo.

CARBOIDRATO NÃO ENGORDA. A minha dieta é composta majoritariamente por carboidratos, é onde eu consumo a maior parte das minhas calorias. Consumo pouca gordura e meu consumo de proteína é baixo em relação aos carboidratos. Agora vem dar uma olhada no meu corpo. Meu abdômen é tão definido que até quando tô sentado e relaxado daria pra lavar uma roupa nele. Sério, chega mais e fala aqui pro meu abdômen que carboidrato engorda, ele vai adorar ouvir o que você tem a dizer. Eu tô em ótima forma, totalmente definido, parece que sai de um comercial da Abercrombie ou algo do tipo.

O meu segredo é o tipo de carboidrato que eu como. Eu consumo muito arroz, muitas frutas, como pão integral todo dia. Esse tipo de carboidrato, proveniente de comida de verdade, com fibra e nutricionalmente rico NÃO ENGORDA. E a ciência taí pra apoiar minha declaração. É fato conhecido já que o corpo humano na verdade tem dificuldade em transformar carboidrato em gordura.

Lembrem-se amiguinhos: carboidrato de arroz não é igual carboidrato do seu pacote de Trakinas.

Por isso eu tô completamente certo no que digo. Essa epidemia de obesidade aí tá diretamente ligada ao alto consumo de proteína animal SIM. Vocês assassinam bilhões de animais por ano e ganham de presente quilos e mais quilos de gordura e um ataque cardíaco de bônus (e um monte de outras doenças relacionadas, mesmo se você for magro) como karma por toda a destruição e sofrimento que vocês causam neste mundo.

Kittsu disse...

"Mas a maioria das pessoas prefere o atalho da cirurgia. E depois ainda não querem ser taxadas de preguiçosas!"
Poxa, você não entendeu é nada.


Comer animais obviamente mata animais. Mas comer grãos mata muitos indivíduos também, por esmagamento, envenenamento... Viver e usar recursos mata animais.
...E comer animais não engorda e não faz mal. Já os grãos que matam animais acidentalmente, sim.

Veganismo não isenta ninguém de ter causado a morte de animais, e gordofobia não vai emagrecer ninguém.

Kittsu disse...

"Agora vem dar uma olhada no meu corpo. Meu abdômen é tão definido que até quando tô sentado e relaxado daria pra lavar uma roupa nele. Sério, chega mais"
Ui, deu até tesão aqui HAHAHAHAHAHA

http://www.lowcarb-paleo.com.br/2012/01/os-estudos-cientificos-confirmam.html
http://www.lowcarb-paleo.com.br/2012/08/restringir-gorduras-ou-carboidratos-o.html

Thomas disse...

Ah, e mais uma coisa. A diferença da minha dieta pra essas paleo baboseiras e coisas do tipo, é que eu não restrinjo calorias. Eu como quanto quiser. Na real eu nunca consumo menos que 3 mil calorias por dia.

Lidem.

Thomas disse...

Kittsu, postar link de site paleo não vale.

Mas bora marcar uma sessão na webcam, cada um faz um strip pra apreciarmos os nossos resultados paleolíticos e veganos.

Ariane disse...

Mas gente, ninguém é feliz? O gordo não é feliz, o magro não é feliz, o gordo que emagreceu não é feliz ... coloquem a mão na consciência e vão aproveitar a vida, viver é tão bom, mas tão bom, não percam tempo com isso, affff

Anônimo disse...

"Lembrem-se amiguinhos: carboidrato de arroz não é igual carboidrato do seu pacote de Trakinas."

Em ciência nunca se tem certeza de nada. Logo, dizer com absoluta certeza que carb não engorda...
Ou engorda ou não engorda. Defina-se.

Elza disse...

Você é muito arrogante Thomas, primeiro você tem moral para desprezar quem come carne? Só teria se nunca tiver comido carne em toda a sua vida.
Se obesidade está ligada a carne,por que n emagreci após mais de um ano sendo vegetariana?
E trigo,glúten, faz mal sim,n sei se pra todo mundo mas para muitos faz.Depois q parei de ingerir glúten perdi 10 kgs,n fico mais inchada,digestão ótima, tinha depressão e sumiu,meu cabelo parou de cair.
Tem vários relatos de gente q se curou de vários problemas só abolindo o trigo.
Então, menos,você n é dono da verdade.

Anônimo disse...

Imagina se essa galerinha do whey descobre que a gente não tá nem aí pra o quê eles comem nem pra quantos exercícios eles fazem por dia, o mundo deles vai cair, né? Porque parece que eles não sabem viver sem tentar esfregar na cara dos outros o quanto eles são ~superiores~. Isso tudo é medo de saber que as pessoas podem ser felizes mesmo não tendo barriga tanquinho, né?

Daniel disse...

Eu só quis demonstrar o que fiz pra ter um corpo legal. Substituir carro por andar a pé é interessante (dependendo da distância e dependendo da cidade onde vc mora), e fazer exercícios regularmente, idem.

Thomas disse...

Elza, existem vários tipos de dieta vegetariana e vegana. Você provavelmente, como a maioria das pessoas, não entende nada de nutrição, fez a dieta errada e não perdeu peso. Simples assim. Tem vegano que é gordo, afinal.

Quanto ao glúten, puro mito. A menos que você sofra de alguma intolerância ao glúten, não há mal algum em consumir esse tipo de alimento. Eu consumo glúten todo dia e, como já disse repetidamente, sou saradinho, definidinho, trincado.

O que acontece é que quando a pessoa para de comer glúten, geralmente passa a se preocupar mais com a alimentação e a se alimentar melhor. Todos os resultados positivos que você teve ao eliminar o glúten provavelmente são provenientes de toda uma alimentação de melhor qualidade e mais nutritiva. Afinal, deixa eu adivinhar, agora você consome mais produtos integrais, por exemplo? Taí sua resposta.

E eu tenho total direito de menosprezar. Porque assim que meu cérebro se desenvolveu suficientemente pra eu questionar o mundo ao meu redor, eu resolvi ler, aprender e assim me tornei vegano. Agora, qual a sua desculpa e desculpa da Lola, que tem todo o acesso a informação nas pontas dos dedos mas preferem ignorar a verdade? Por isso menosprezo mesmo e você vai ter que lidar com isso. Agradeça que eu não sou Deus, porque eu faria um raio cair na cabeça de todo onívoro deste mundo.

Thomas disse...

Otavio Questionador, se quiser que eu leia algum post seu direcionado a mim, não o inicie com o meu nome, porque aí talvez você tenha alguma chance de ser lido por mim.

Tente novamente. Eu espero.

Mila disse...

A todos que gostam do assunto gordofobia, li um livro para o TCC muito interessante do Georges Vigarello chamado As Metamorfoses do Gordo.
Ele faz um apanhado histórico do significado de ser gordo, e um, muito pertinente é sobre o porquê do gordo ser um "doente social". Ele diz que um mundo com essa loucura pela magreza e pela eliminação da gordura (afinal, o ideal agora não é ser só magro, é não ser flácido), o gordo que aceita seu corpo é desviante da sociedade, pois enquanto todos nós estamos nos esforçando, o gordo "trapaceia" a felicidade quando não se insere nisso. Vale a leitura.

Anônimo disse...

Um homem não Ana....um idiota! É esse o caso do Thomas.

Anônimo disse...

Hahahahaha melhor descrição de abdomen! Meu deus, querido, será possível que todo esse ódio é pra disfarçar tamanha insegurança?! Me deu até pena... Poxa Thomas, continua então aí com sua dieta e exercícios...eles são um bom modo de distrair as pessoas da sua personalidade horrível... Mas te dou uma dica: a insegurança tá ficando visível demais.

Luna disse...

Acho que sei o nome desse "Otávio questionador." ahahahahah
Hey, rapaz, cê falou que iria me visitar no largo são francisco. Cadê?
Sumiu!
E oferecendo sexo casual pra mocinha? Cê mulher, rapaz. Toma tenência!
ahahahahahahh

Camila Bezerra disse...

Esses são provavelmente os comentários mais variados do mundo...

Obrigada as meninas que me esclareceram como explicar a gordofobia para pessoas que não acreditam que existe. Eu estou num peso considerado normal pela sociedade, mas qualquer oscilação já fico toda preocupada, por isso gosto de ler esses textos e opiniões, para não ficar bitolada e presa nessa falsa sensação de normalidade. Todo mundo pode ser normal, mas não basta ficar falando pras pessoas "se tratarem" ou "amarem seus corpos", tem que mostrar pra sociedade que ninguém tem que se intrometer no corpo alheio, cagar regra, ensinar dieta não solicitada, julgar o que está comendo e ficar usando saúde como desculpa.

Essa questão do veganismo: nada a ver... apenas vá comer sua soja cultivada em latifúndio que tirou a vida de milhões de seres vivos, animais e vegetais. Se quer sobreviver sem fazer nenhum mal ao mundo, aprenda fotossíntese, apenas.

As medidas e a rotina do Daniel... gente, que carente... XD

Quando leio os comentários aqui, sempre fico mais fã da Raven Deschain (esse sobre nome vem da Torre Negra?).

Anônimo disse...

Thomas, E os bezerros que morreram pra tirarem leite das vacas para fazer seu toddynho???

Elza disse...

Segundo Thomas doença celíaca é mito kkkkk com a prova incontestavel de q ele pode comer e n lhe acontece nada.
E como eu esperava você é um baita hipócrita, se fartou de carne,financiou matança de animais e como agora parou,acha q tem moral.
E eu n fiz dieta,só eliminei qualquer coisa com trigo.

Daniel disse...

Thomas, só uma coisa a declarar. Minha comida caga na sua.

Anônimo disse...

Q medo dos raios do Thomas !!! Cara,adorooo churrasco, carne,galinha,peixe... E n vou parar !
Lide com isso!

Luíza Esteves disse...

Nobody cares...

Paula disse...

Deixe os comentários do Thomas,Lola,são hilários.
Carboidrato não faz mal a ninguém no mundo só porque ele come kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Meu médico me enganou feio,dizendo que tenho a doença celíaca.Centenas de pessoas também estão sendo enganadas...
Esse Thomas ignora completamente que o organismo de todo mundo é diferente.
Até mesmo em quem tem essa doença,os sintomas são diferentes.Tem gente que perde muito peso,outras ganham muito peso,piora depressão,aumenta diabetes,aumenta pressão,alergias...

Eu por exemplo engordei,fiz não sei quantas dietas e nenhuma funcionava porque continuava comendo coisas com trigo,vivia cansada,sem ânimo para nada,crises de alergia,de ficar me coçando por três dias,estômago inchado,diarreia,espinhas mesmo tendo passado da adolescência,tudo isso por anos e eu não sabia o que era.
Daí descobri a doença e mesmo o médico tendo me enganado,assim que parei de comer qualquer coisa com trigo,sumiu tudo e ainda emagreci,não fiz dieta nenhuma.
Relatos e livros sobre isso não falta Thomas,se informe antes de falar merda,se você pode se entupir de trigo e continuar bem,que ótimo,eu não tive a mesma sorte.
Se você tivesse nascido vegetariano,nunca tivesse posto um pedaço de carne na boca,até teria moral para xingar quem come,mas não tem né,só mais um hipócrita,que acha que virou santo ao se tornar vegetariano.
Quero saber se existe mesmo intolerância a lactose,se você pode beber leite,deve ser mentira!

E sinto muito por seus nervos,mas vou continuar comendo carne,lide com isso,otário!!

Raven Deschain disse...

Aff Otário. Prefiro mastigar caco de vidro, cara.

Oi Camila. Vc leu a Torre Negra? *-* É nóis!

Anônimo disse...

Também adoro a Raven!
Não li a Torre Negra mas agora vou querer ler!
E aquelas discussões literárias Lola? Era tão bom!

Luiza disse...

Eu engordei depois que virei vegetariana. Uns 10 kg desde que optei por não comer carne há três anos atrás.

Carboitrato engorda sim. A mim, pelo menos.

Minha comida é inclui bastante massa, feijão, batata, queijo (não sou vegana, mas quero começar a evitar qlq alimento de origem animal)..

Mas é óbvio que não me arrependo.

Escolhi ser vegetariana não por mim, mas para evitar sofrimento animal. Foi uma escolha ética, da qual não me arrependo.

Engordaria mais 10 kg se fosse preciso.

Anônimo disse...

Muito me preocupa essa propaganda em cima das cirurgias bariatricas, q estão sendo vendidas como algo simples e sem perigo, um caminho mais facil e rapido de vencer a obesidade. Isso eh um metodo recente, muito cedo pra se falar em consequencias ainda. Mas no sabemos q nao e normal cortar ou inflar com baloes um orgao tao vital como o estomago. Tenho medo q as pessoas no futuro tenham problemas e seja tarde pra consertar o estrago.

Raven Deschain disse...

Ow gente. Sucesso, me ai to #ryca. Haha

Leiam sim. Melhor série do mundo.

Izabela F. disse...

Sei lá, só acho que nesta questão de saúde X obesidade, as pessoas costumam se basear mais pelas excessões do que pela regra. Duvido que uma pessoa que não tenha problemas metabolicos e hormonais e que se alimenta direito e pratica exercícios físicos seja obesa (vejam bem, falo de simplesmente não ser obesa e não se encaixar dentro dos padrões impostos atualmente). Da mesma forma que nem todo magro só vive de junk food e é magro simplesmente porque tem sorte, Deus quer ou wherever... Pode até ser que quem proferiu o argumento da saúde seja preconceituoso, mas existe um fundo de verdade sim!

Jéssica disse...

A ignorância sobre vegetarianismo e veganismo está foda. E pior que nem se consideram trolls.

"apenas vá comer sua soja cultivada em latifúndio que tirou a vida de milhões de seres vivos, animais e vegetais."

Aquela soja que mais de 70% da produção é usada para alimentar os animais que você come? E menos de 10% é consumido por humanos, e muito menos por veganos?

Na boa, as pessoas só podem achar que as vacas que comeram viveram através de algum método mágico para soltar uma merda dessa.

E se um vegetariano não nasceu assim ele não pode reclamar do consumo de animais que polui o meio ambiente mais que todos os meios de transporte juntos? Em que galões de água são usados para um só bife? Além do sofrimento animal, também há o sofrimento humano de quem trabalha nas fazendas-indústria e nos matadouros, e nas colheitas da soja que esses animais comem, é claro.

Porque é óbvio que um vegetariano pode controlar o que ele consumiu quando era uma criança dependente dos pais.

Se entupam de carne, mas pelo menos admitam que fazem isso porque gostam do sabor e não por essas desculpas esfarrapadas.

Anônimo disse...

Os comentários só mostram o quanto gordofobia é um assunto indigesto dentro do feminismo. Toda vez que se toca no assunto, aparece pedrada de tudo quanto é lugar: feministas magras falam de preconceito contra magra; vegetarianos/veganos sem visão sistêmica achando que a culpa é do gordo (já até desejaram morte pra quem come carne); fiscais de corpo; médicos de Internet; preocupados com saúde... todo mundo culpando o gordo e só o gordo. às vezes, repetimos o discurso de nossos opressores com outros oprimidos.

Anônimo disse...

Taí, Thomas, eu admiro quem consegue ser vegano, mas nunca consegui deixar de comer carne, ovos ou leite porque gosto muito do primeiro e simplesmente não sei o que eu comeria que não leva nenhum dos 2 últimos. E adoro cozinhar e comer, mas não conheço nenhuma receitas vegana que seja de fato saborosa. Alguma dica? É sério, não tou trolando não. O que você come, consegue variar bem o cardápio?

Anônimo disse...

Falando como profissional ( medica):

A cirurgia bariatrica nao deve ser feita a torto e a direito sem indicacao medica e sem um acompanhamento multprofissional ( com nutricionista e psicologo).
A maioria dos obesos come errado e/ ou tem algum tipo de compulsao alimentar.
Tenho uma paciente que passou por isso : Fez a bariatrica sem tratar a compulsao alimentar( porque o medico que a operou nem lembrou de orientar isso), e agora esta engordando tudo de novo, porque continua comendo as coisas erradas e do jeito errado.
De boa: quer permanecer gordinha? ok.
Quer emagrecer? ok.
Quer fazer a bariatrica, ok, mas faca uma preparacao antes com nutricionista e psicologo senao vc engorda tudo de novo.
Dai vai ser pesadelo : cirurgia que foi feita ' a toa ' e nao funcionou.

De boa: nao gosto nada dessas dietas " da moda" : sem carboidrato, sem lactose, sem gluten. Nao da pra eleger um ' vilao', tirar do cardapio e achar que vai resolver todos os problemas.
Dessas dietas ' da moda' a menos ruim( sem ter estudado isso a fundo) e a Dukan, que tem restricao de carboidratos, mas nao total. ( nao sei como alguem consegue viver com uma quantidade baixissima de carboidrato sem enlouquecer, mas enfim, se consegue e gosta , otimo). A Dukan tem umas receitas legais, tambem. Pra quem aguenta....( eu nao suportaria)
De resto, dieta sem gluten, sem lactose, e pra quem tem doenca celiaca ou intolerancia a lactose.
Nao enxergo como beneficio uma pessoa saudavel tirar essas coisas do cardapio so pq elegeram como o ' vilao'.

acho importante lembrar o comentario que uma amiga fez " fulana fez bariatrica, mas olha ta magra e nao arranjou namorado"
O objetivo de fazer cirurgia bariatrica nao e ' arranjar namorado' ne? so vejo 2 motivos para se fazer a bariatrica:1 - por saude 2- pra vc se sentir melhor com vc mesma e se aceitar melhor, se esse for o seu desejo e se vc prefere ser magra.

Maria Valeria

Carol F. disse...

É muito impressionante mesmo emagrecer esse tanto sozinha. Assisti a um documentário de um homem americano que fez o mesmo, e o médico disse que a quantidade de pessoas que consegue perder esse tanto de peso sem bariátrica é muito pequena.
Tenho uma amiga que acabou de fazer a cirurgia mas ela é mais velha que você. Tem problemas de locomoção e já tinha me dito que sonhava em conseguir andar normalmente, sem dor. Sei que é difícil, mas tente enxergar seu corpo por outro lado. Como um corpo saudável, livre, como qual você pode fazer o que quiser. Antes eu tinha mais problemas com meu peso, hoje penso mais para esse lado.

Paula disse...

Jéssica,criticar e falar sobre o assunto,é diferente de dizer que despreza quem come carne e quer jogar um raio em quem come kkkkkk
Ou você tb pensa assim? É hipocrisia sim,esse ódio todo vindo de quem tb comia carne,simplesmente não tem moral.Até parece que alguém vai virar vegetariano com esse tipo de abordagem.

Paula disse...

Isso de que não pode controlar o que come quando é criança,não é bem verdade,tem gente que nunca comeu,por ex a cantora Joss Stone.

Lica disse...

Também gostaria que a autora tivesse aprofundado mais na discussão.

E um guest sobre o TCC dela também seria legal.

Gente, quanto ibope pra esse thomas, hein? Merece??

Kittsu disse...

"Mas bora marcar uma sessão na webcam, cada um faz um strip pra apreciarmos os nossos resultados paleolíticos e veganos."

Eita, moço. Aí só ao vivo e a cores, e o resultado seria bem curioso. Gostei da proposta, mas não posso não... mamãe não deixa eu falar com estranhos :3 dessa vez eu vou passar, fica pra próxima!

Anônimo disse...

Fui criada comendo só chips e bolacha, mas sempre fui bem magra, acho que pela genética e excesso de atividade física. Lá pelos 20 anos achei que não poderia viver assim pra sempre e que era importante comer legumes e verduras. Comecei a comer tomate, cenoura e beterraba, só uns fiapinhos escondidos no arroz... achava horrível. Com tempo (anos) e persistência fui me acostumando com o gosto desses alimentos. Hoje, aos 27 anos, até que gosto de comer salada, pelo menos consigo comer um prato só disso sem fazer careta. rsss
Enfim, o mais importante foi descobrir como meu paladar era flexível. Esse ano cortei o açucar das bebidas (café, sucos, tudo) e me acostumei super rápido. Não tenho mais medo do gosto das coisas.

Outra coisa interessante é praticar abstinência de alguns alimentos por determinado período. Como nunca tinha feito regime, ao cortar 100% um alimento, acho que passei a entender e respeitar um pouco mais a dificuldade das pessoas nesse assunto. E também enxerguei como muitas vezes eu era escrava da comida.

Depois de mudar meu paladar e praticar abstinência de alimentos variados (as vezes fico sem comer carne vermelha, sem comer qualquer carne, sem comer glúten, sem comer doce, sem tomar café, etc), me sinto livre em relação a alimentação. Na maioria do tempo como realmente pela função nutricional e me sinto feliz com isso, em me sentir livre pra escolher o que comer, mesmo que seja um chips.

Anônimo disse...

Jéssica

Quem deu desculpas esfarrapadas para comer carne? Não vê nada errado,no fulaninho aí,dizendo que despreza meio mundo por algo que ele mesmo fazia?
Ele é o tipo de vegetariano insuportável,que acha que evoluiu muito por não comer carne e o resto do mundo é ralé e ele pode ser grosso,chato,hipócrita e mal educado com as pessoas,ótima evolução.

Valéria Fernandes disse...

Queria tecer alguns comentários, pois me senti tocada pelo texto, ainda que concorde que ele deveria ter sido um pouco mais extenso e amarrado melhor algumas idéias no final.

1. Acredito que no que toca à cirurgia bariátrica, a autora não disse ser um caminho fácil, mas um caminho que está sendo vendido como tal. Celebridades – os grandes garotos propaganda de tudo – falam principalmente ou talvez somente dos ganhos, não dos sacrifícios, riscos dores. Aliás, dos riscos só alguns médicos falam já das dores e riscos...
2. Acredito que nem todo obeso tenha uma relação ruim com a comida, mas pode ser que algo no entorno – família, bullying na escola, e outros – tenham desdobramentos na forma como nos relacionamos com a comida.
3. Saúde nunca vem em primeiro lugar ou sozinho quando os grandes meios de comunicação falam de peso ou alimentação, sempre, sempre, ouvimos, ou lemos, “e emagrece” como se isso fosse o objetivo de tudo. Não é, nem deveria.
4. Consumo, consumo, consumo... Há gente que ganha muito dinheiro com a indústria da magreza e com a baixa autoestima das pessoas.

Só para fechar, não sou ex-obesa, porque nada me garante que os quase 40 quilos perdidos não voltaram a ser encontrados. Já perdi entre 30 e 40 quilos antes e voltei a ganhá-los lentamente. Não consegui até hoje encontrar profissional que entenda que não tenho problemas para perder peso, de que preciso de ajuda para educar, nem diria reeducar, minha alimentação; também, nunca encontrei profissional que acreditasse que não como muito e que, talvez, isso possa ter a ver com o meu perfil genético, ou algo assim.

A graça é que emagreci horrores depois do nascimento da minha filha, só não estou “pior”, porque engravidei pesando quase 100 quilos. É engraçado pessoas que nunca tinham me visto magra me dizendo “Ah, que bom que você voltou ao seu corpo!”. Qual corpo? Eu sempre me vejo, e isso quase me levou à anorexia uma vez, como gorda, mesmo quando estou magra, ou muito magra. Talvez, dessa vez consiga manter um peso aceitável aos meus olhos com saúde, porque decidi me exercitar, algo que durante minha fase de crescimento nunca foi colocado pelos meus adultos representativos como algo positivo, mas coisa de gente “desocupada”, que não tinha o que fazer, ou excêntrica. E enquanto minha mãe, obesa, me estimulava ou até exigia que eu não me importasse com o bullying (*curiosamente, foi ela que me apresentou remédios para emagrecer quando adolescente*), meu pai, magro, o praticava; quando me decidi, também aos 17 anos, como a autora do texto, a emagrecer o fiz porque meu pai me disse “Você nunca vai conseguir.” e, vendo minha disposição, trazia para casa toda a sorte de coisas que eu gostava muito para me tentar... Depois, entrou em desespero quando me viu quase pele e osso e me sentindo satisfeita em simplesmente cheirar a comida...

Enfim, queria recomendações de leitura sobre essa questão da influência parental na alimentação dos filhos, porque eu sei que isso pode ter impacto na vida de uma pessoa. De qualquer forma, queria não ser um problema para a minha filha, mas ajuda-la a ser uma pessoa saudável e feliz consigo mesmo. Ela me ajudou a comer melhor (*não menos, mas melhor*) e decidir me exercitar, e, de alguma forma, estar mais saudável.

Kittsu disse...

Ahá! Eu disse que tu era bombadão. Acertei! Mas é aí, também é careca e usa jaqueta de couro?

Paula disse...

"Quanto ao glúten, puro mito. A menos que você sofra de alguma intolerância ao glúten, não há mal algum em consumir esse tipo de alimento."

Você foi contraditório,primeiro diz que é mito,depois diz que pode haver intolerância.
E como eu disse,ele pode sim fazer certas pessoas engordarem,como eu.
Pessoas podem ter alergia a qualquer alimento,conheço uma que se come banana passa mal.
Uma vez fui tomar um chá de abacateiro,natural,que supostamente não faz mal a ninguém e me ferrei,dores incríveis na barriga.

Paula disse...

Linhaça,vários comentários positivos,fui tentar e mais uma vez me ferrei,ao invés de melhorar a digestão,piorou.

Anônimo disse...

Nossa!

Difícil saber quem é mais idiota e babaca: Thomas ou Daniel?

Porque o tal Otavio é hors concours.

O que eles têm em comum, além da babaquice, é o fato de serem homens.

Homens babacas. Redundância. Homens.

Anônimo disse...

Thomas, eu não sabia que vc era vegano. Gostaria de conhecer seu cardápio de 3 mil calorias por dia. Quero me tornar vegano a anos, mas tenho medo por conta do terrorismo que fazem de algumas vitaminas(tipo a B12). Mas você acabou me dando um empurrãozinho. Como posso entrar em contato com vc? Abraço

Cyberia disse...

Série fantástica! Sou muito fã! Longos dias e belas noites :)

Kittsu disse...

"Mas bora marcar uma sessão na webcam, cada um faz um strip pra apreciarmos os nossos resultados paleolíticos e veganos."

Eita, moço. Aí só ao vivo e a cores, e o resultado seria bem curioso. Gostei da proposta, mas não posso não... mamãe não deixa eu falar com estranhos :3 dessa vez eu vou passar, fica pra próxima!

Anônimo disse...

Soraia

Respondendo a Maria Valeria a médica.
Sou leiga na área médica mas sou gorda (não obesa) então de dieta eu entendo kkk
Também não sou favorável a dietas restritivas, acredito que nosso organismo precisa de uma variedade grande de coisas, claro que em proporções diferentes.
Já emagreci mais de 10 kg sem passar fome, fazendo uma dieta equilibrada, mas claro que para a maioria das pessoas gordas qualquer dieta é complicada. Aliás a palavra dieta dispara vários gatilhos.
Dessas dietas todas, inclusive a Dukan eu leio a respeito e tiro dali algum conhecimento, mas não aplico tudo, pois é quase impossível manter uma restrição assim a vida toda.
Eu estou fazendo dieta porque morro de medo de ter que fazer cirurgia, sei que é muito complicada, deveria ser reservada apenas a pessoas que precisam 1000%, mas infelizmente a indústria da estética abocanha tudo, então, agora muito gente acha que essas operações são como um procedimento estético qualquer.

Eu juro que não entendo esse povo que vem aqui encher o saco da Lola para ela comentar sobre a Dilma, as manifestações. É muito amor incubado (aqui no nordeste se usa essa palavra kkk).

AVISO
NÃO ALIMENTEM OS TROLL´S PESSOAL.

Raven Deschain disse...

É lindimais, Cyberia.

Lola, linda sua caixa de comentários. Aventura, romance. Maravilha.

Anônimo disse...

Sou magra e teve um tempo no ensino médio que engordei, minha barriga ficou bem grande, e meus colegas de escola pegavam no meu pé falando que eu estava grávida..Gosto muito de comida, e antes ficava muito preocupada em engordar, e com o que os outros iam pensar, aqui em casa a gente janta, e se a comida ta boa repete. Hoje mudei completamente meu jeito, não tenho mais preocupação com os outros, me olho no espelho e sinto-me satisfeita com o que eu vejo, como o que me da vontade, procuro maneirar nos doces e frituras mais só para cuidar da saúde mesmo, quando sinto que to começando a ficar preocupada demais com algo em minha aparência procuro refletir qual o motivo, se estou preocupada com o que os outros pensam, com o que eu quero pra mim, com a minha saúde..Temos que focar em cuidar de nós mesmos,mais isso tem que acontecer de dentro para fora, não de fora pra dentro.

Anônimo disse...

Passada com as feministas chamando veganos de fundamentalistas e os comparando com o ISIS. A maioria dos veganos n é assim, eu sou ovo/lacto vegetariana (por enquanto) e n sou assim.
Os machistas dizem as mesmas coisas de nós feministas, é desagradável e preconceituoso.
Visitem o blog Papacapim e conheçam a Sandra Guimarães: vegana, feminista, homossexual e ativista pela libertação da palestina. Ela pratica um veganismo super acolhedor e sem julgamentos, é a minha grande inspiração na minha jornada de libertação de sofrimento animal.
Sem falar na semelhança da opressão que os animais sofrem (especialmente as fêmeas) com a opressão feminina.

Anônimo disse...

Eu juro que não entendo esse povo que vem aqui encher o saco da Lola para ela comentar sobre a Dilma, as manifestações. É muito amor incubado (aqui no nordeste se usa essa palavra kkk).

Não é amor,nas eleições um bando de gente aqui defendendo essa mulher e em outros sites tb.Agora que ela só está fazendo merda,tudo que ela disse que não faria,está fazendo.
O povo que votou nela fica quietinho.

Anônimo disse...

E o argumento furado de que só as elite vota contra ela,foi derrubado nas manifestações.
Um monte de gente pobre com placas dizendo que quer que ela caia fora.

Thomas disse...

Kittsu, eu não sou mascu. Discordo de algumas coisas que a Lola e sua gang de bullying diz, mas acaba por aí. Todo o meu círculo social é composto de feministas, que eu amo e respeito. Até porque feministas no mundo real são tudo gente boa, uns doces de pessoas.

Ah, e eu não tô procurando amor. Eu me amo tanto que atualmente só ando tendo tempo pra putaria mesmo.

Anônimo das 04:36

Eu costumo comer no café da manhã: 3 maçãs grandes, 6 laranjas, umas 8 bananas com aveia e pão integral. Só aí já são mais de 1000 calorias. No almoço e jantar como bastante arroz, feijão e legumes. Quanto ao B12, a grande maioria das pessoas que têm deficiência dessa vitamina são as onívoras. Justamente porque cozinhar ou fritar a carne destrói boa parte do B12. Então é recomendável que todo mundo, seja vegano ou não, suplemente com B12. Mas não precisa ficar paranoico e tomar B12 todo dia. O próprio corpo humano tem uma reserva de B12 que vai reutilizando e que leva décadas pra se esgotar.

Clica no perfil que tem o email lá.


Anônimo das 02:25

Você está errado. Na verdade nós, veganos, somos ainda mais intolerantes. E há uma razão pra isso. Todos vocês, onívoros, são assassinos. Vocês são responsáveis por bilhões de estupros e mortes todos os anos. Mas olha, mesmo todos vocês sendo assassinos, nós veganos ainda tentamos educar vocês, mas alguns de vocês simplesmente não querem ouvir. A hora de vocês vai chegar, vai aproveitando aí sua picanha enquanto pode, porque a ISIS Vegana tá sendo preparada neste exato momento. Não posso falar muito sobre isso, mas cabeças vão rolar em breve.



Thomas disse...

Ah, mais uma coisa pro Anônimo que perguntou sobre a minha dieta. Eu faço uma dieta rica em carboidratos, baixa em gordura. A divisão de nutrientes fica mais ou menos em 80/10/10: 80% carboidratos, 10% de gordura, 10% de proteína.

Então mesmo se você não se exercita, é praticamente impossível ganhar gordura nessa dieta. Se você souber inglês, dá uma olhada no canal Happy Healthy Vegan. O casal lá não costuma se exercitar, comem tanto quanto eu e não conseguem ganhar uma grama de gordura nessa dieta.

O melhor de tudo é que você tá sempre satisfeito, então fica difícil desviar dessa dieta. Assim fica fácil manter o peso a longo prazo. O que acontece com essas dietas malucas, dietas paleo, é que elas restringem suas calorias. Aí você perde muito peso muito rápido, mas você acaba ganhando tudo de volta eventualmente, porque nenhum corpo humano gosta de ficar passando fome. Aí você fica nesse ciclo de efeito sanfona eterno.

Com a minha dieta, justamente por você não restringir calorias, você vai perdendo peso mais devagar. Mas você perde. E quando todo o excesso de peso for embora, não volta nunca mais.

Se quiser mais informações sobre o assunto, é só jogar "high carb low fat vegan diet" no youtube, tem um universo de informações por lá.

Anônimo disse...

Bem, ninguém pode dizer que o Thomas não é engraçado. Tá virando uma espécie de bobo da corte, não cansa de soltar piada atrás de piada. Pelo menos ele tem essa vantagem contra o Otário Questionador.

Luciana disse...

Pra combater sobre toda essa desinformação que o thomas espalhou sobre veganismo, recomendo o site www.papacapimveg.com

A moça que escreve não passa dietas, ela procura receitas e viaja pelo mundo, os posts são uma delícia de ler e as receitas tão deliciosas que me mostram que da pra ser vegano sem perder o prazer na alimentação.

Ela fez uma excursão para a Palestina para mostrar a culinária nos campos de refugiados. Achei incrível tudo que ela mostrou. Acho que um guest post dela aqui (ou mais de um), falando sobre culinária vegana e sobre os campos de refugiados na palestina seriam incríveis.

Anônimo disse...

Ah, Lola, eu sou do time que vai pedir um post sobre o protesto de domingo, sim!

Queria muito saber sua opiniao sobre tudo isso.

Maria Valeria

Anônimo disse...

Lembro uma vez qdo fui no cardiologista fazer um check up. Eu tinha fortes dores de cabeça, no estômago e não dormia direito, devido à estresse. Ah, e minha pressão estava alta. Eu me pesei na frente do médico e deu uns 7kg acima da minha última consulta, no ano passado. Sem exagero, o médico ficou meia hora me explicando que eu deveria tomar mais cuidado com o ganho de peso, fez várias perguntas sobre minha alimentação etc etc. Nem perguntou das outras coisas. Se eu não tivesse ganhado peso, a consulta iria acabar ai msm? Ou se eu tivesse emagrecido, ele iria me elogiar de como estava bem de saúde? E daí q eu não tava dormindo bem, tinha q tomar remédio p/ enxaqueca quase todo dia, o que pode fazer muito mal p/ meu coração são os 7kg que ganhei!!! Ta dando p/ entender pq é preconceito?

Kittsu disse...

Tem nada de restrição não, tu nem viu os artigos científicos (ou viu e quer fingir que é a pior coisa do mundo pra enganar as bobas)

Ah, quer saber? você quebrou meu coraçãozinho, ficou aí me atiçando e agora nem quer casar e ter filhos comigo. Fui rejeitada pelo meu príncipe encantado, que coisa mais cruel. Isso não é coisa que se faça com uma moça de família :(
Diz que volta pra mim, vai, bora marcar aquele lance, Rasputin!

Rosanna Andrade disse...

Sou mais uma para testemunhar que o Thomas não leu uma linha sobre Paleo. Se tivesse lido, n tava com esse papo de restrição calórica.

Uma das características mais básicas de paleo é: coma quando tiver fome, sem contar calorias, se guie pela saciedade.

Se o Thomas visse a pratada que eu bato numa churrascaria ia desacreditar dos meus 47 kg (sempre fui magra, n faço paleo por questão de peso).

Acho até que ia dar um tilt nele, tadinho.

Dito isso, acho super legal e bem intencionada a causa dos veganos. De vdd. Não dos babacas como o Thomas, mas quem liga pra ele?

Apenas estou convencida pelos estudos científicos que high carb eh furada. E eu não consigo enxergar falta de moralidade numa dieta que só nos faz bem, e que fomos programados geneticamente para ela.

Isso em nada diminui minha preocupação com os animais, minhas críticas quanto à criação e abate (que deveriam ser feitas com o menor sofrimento possível). Inclusive, até em termos de saúde humana a paleo defende que é uma porcaria alimentar gado com soja. O gado mais saudável se alimenta de pasto.

Anônimo disse...

Eu falei de forma exagerada e caricata pra provocar uma reação mesmo. Só não imaginei que a Lola fosse apagar, kkkkkkkkkkk...

Você tá errado Thomas. Veganos e Paleos são i-dên-ti-cos.

Eu tenho uma dieta que se encaixa no rótulo "vegana", mas não me misturo com essa gente fundamentalista que nega o óbvio em relação à alimentação de animais onívoros e carnívoros: um bicho come outro bicho e isso não é crueldade.

O problema da humanidade é que somos bilhões e somos cruéis.

O ser humano é um animal cruel. Ponto.

Em tudo e por tudo.

Então, a produção humana de alimento se transmuta em crueldade.

A produção humana de qualquer coisa se transmuta em crueldade.

Produzir planta assassina, como você gosta tanto de dizer, bilhões de animais e outros seres viventes todos os anos.

A vida humana, pra existir como gostamos que ela exista, assassina bilhões de seres viventes todos os anos.

Achar que isso é mais cruel que aquilo é só desculpa pra dividir as pessoas em grupos fundamentalistas e intolerantes em diversos níveis.

O ser humano precisa julgar e condenar o outro pra poder conviver com as próprias idiossincrasias.

Você não é nada diferente de fundamentalistas da paleo/lowcarb.

São tudo farinha do mesmo saco.

O saco humano das intolerâncias e dos fundamentalismos.

Outras coisa:

Corpo humano tem duas formas de reserva de energia: glicogênio (um carboidrato) e gordura (um lipídio).

Todo excesso de energia, não importa de onde venha, se de carboidratos ou proteínas (animais ou vegetais) ou lipídios (animais ou vegetais),vira reserva de um de de outro no nosso corpo.

Produzimos uma quantidade limitada de glicogênio que fica guardadinha no fígado e nos músculos pra consumo entre uma refeição e outra. Toda a energia a mais que ingerimos (o excesso) vira gordura. Não importa de onde venha.

Você gasta as 3000 quilocalorias que ingere por dia. Por isso não engorda. E não porque as calorias vem de planta ou de bicho.

Exite diferença metabólica entre as pessoas. Existe diferença nos gastos calóricos diários entre as pessoas (diferença que se costuma ignorar quando se compararam resultados de dietas). Existe diferença na qualidade dos nutrientes ingeridos (o que também se ignorar nas comparações).

É possível viver bem com qualquer dieta quando se conhece o próprio corpo.

Anônimo disse...

Perdi 49 kgs sem remédio e cirurgia (como? o método de sempre meu povo, ao longo de um ano e meio), aguentei uns 4 anos o excesso de pele (não tenho dinheiro pra operar e o SUS só faz em quem passou por redução de estômago) e engordei 20kgs de novo só pra não ficar com aspecto de derretendo. To melhor assim.

Anônimo disse...

Toda pessoa gorda (independente do grau de obesidade) tem uma relação ruim com a comida, no sentindo de vê-la como recompensa. A gente aprende isso na infância ou aprende sozinho com a vida, mas é fato e existe. Sem mudar a cabeça gorda pra uma cabeça magra, o corpo não acompanha. Antes de procurar nutricionista e academia, todo obeso deveria antes de mais nada procurar uma terapia pra daí sim estar apto a emagrecer permanentemente ou assumir-se gordo de vez.

Anônimo disse...

Gordo ou magro, comer trigo e açúcar faz mal.

A induústria enfiou na cabeça das pessoas que pão-macarrão e açúcar são saudáveis, dá nisso...

Quem não engorda comendo isso, fica magro e doente.

Anônimo disse...

Engordei 28 quilos e tenho que emagrecer pq fiquei com bursite no quadril por causa do excesso de peso.

As dores e os efeitos colaterais dos remédios são horríveis.

Hj estou triste por ter engordado.

Anônimo disse...

Desculpa, eu tento entender o ponto do texto mas não encontro. Ela fez uma boa reflexão sobre como a sociedade nos faz mal, mas não falou nada sobre a razão de se odiar.

E. disse...

"Dá um nó na sua cabeça quando vc muda de manequim, quando as pessoas passam a te tratar com mais dignidade pq vc diminuiu o peso na balança"

Isso! Mila resumiu muito bem.

Mais doloroso do que não ser considerado "gente" por essas pessoas é vê-las mudarem completamente e se aproximarem de você quando você emagrece. Isso me deixou muito, mas muito mal quando fiz regime.

Então, eu não era digna de existir, mas agora posso?

Isso machuca demais.

Anônimo disse...

Toda pessoa gorda (independente do grau de obesidade) tem uma relação ruim com a comida

Nem toda pessoa gorda é gorda por causa de comida, amigx

Anônimo disse...

Nem toda pessoa gorda é gorda por causa de comida, amigx

desculpa mas ninguém pesa 140kg de inchaço pré-menstrual né? existe um superávit calórico bem grande por sinal, já que quanto maior seu peso, mais energia precisa ser ingerida só pra manter esse mesmo peso - que dirá continuar engordando.

Anônimo disse...

1. 140 kg não é gordo, é obeso

2. Inchaço pré-menstrual não é a única causa de engorda além da comida, google taí pra isso


Anônimo disse...

Engraçado como os termos são fluidos pras pessoas.

Quando é pra criticar alguém acima do peso, todo mundo vira "obeso", doentíssimo, e só se fala da saúde.

Quando é pra zombar das razões que levam alguém a engordar, todo mundo vira "gordo", sem a menor diferença entre 5 kg ou 80 kg a mais.

Tá certo, né?

Adélia disse...

Alguém precisa fazer isso, não é mesmo?!