quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

UM BLOGUINHO COM SETE VIDAS

Esta semana (nunca sei o dia exato) o blog comemora sete anos de vida! 
É muito tempo na internet. Acho que é como idade de gato. 7 anos na internet devem corresponder a 46 anos na vida real. Em outras palavras, o blog tem quase a minha idade humana.
Leitorxs do blog, hoje de manhã
Todo ano, pra celebrar esse aniversário, eu faço um pequeno inventário do blog, que deve ser bem chatinho (o inventário, não o blog, espero) pras leitorxs, mas que é muito útil pra mim. Serve inclusive pra encontrar informações resumidas sempre que me entrevistam ou me pedem pra escrever ou falar sobre o blog. Então, por favor, aguentem firme aí.
Como eu já disse, o auge do bloguinho já passou, e duvido que volte. Foi entre outubro de 2012 e março de 2013. Naquele semestre, o blog teve média de 300 mil visitas por mês e de 450 mil pageviews (visualizações de página). Mas o melhor ano em número de visitas totais foi mesmo 2013. E o melhor mês de todos os tempos, até hoje, foi janeiro daquele ano, com 330 mil visitas.
Em 2014 os números caíram bastante. No primeiro semestre a média foi de 200 mil visitas por mês e 280 mil pageviews, de acordo com o SiteMeter. E, no último semestre, entre julho e dezembro, foi de 190 mil visitas e 260 mil views/mês. Assim, a média de 2014 ficou em 195 mil visitas e 270 mil pageviews por mês. Ainda é um número alto, sem dúvida. Mas baixo se comparado às 270 mil visitas/mês de 2013. 
Cabe salientar que o SiteMeter tem uma maneira de medir visitas, e o Google, outra. 
Segundo o Google, em dezembro o blog teve quase 700 mil pageviews. Pelo SiteMeter, não é nem metade -- 289 mil. Pelo Google, o blog tem, em seus sete anos, 23.650.500 pageviews contra 17 milhões do SiteMeter.
Entre jan2015 e jun2013
Já o ExtremeTracking, que tenho instalado no blog desde 2008, mas raramente consulto, tem outros números. Ele sempre dá um número menor de visitas que o SiteMeter, talvez porque considere apenas visitas únicas. A medição de pageviews está mais próxima à do Google. Por exemplo, em dezembro, o Extreme considerou quase 500 mil pageviews. 
Eu realmente não sei em qual medidor confiar. O SiteMeter e o Extreme concordam que o mês em que o blog mais teve visitas foi em janeiro de 2013 (330 mil, segundo o SM, e 320 mil, segundo o Ext). Mas olha só o gráfico do Google, que desconsidera que 2013 tenha sido o melhor ano da história do blog:
Lógico que eu fico me perguntando por que caiu tanto o número de visitas e views. Foi algo que eu fiz? Estaria me tornando repetitiva? As visitas caíram por que deixei de publicar críticas de cinema? A vida útil do blog passou? 
Guest posts demais? (tem muita gente que reclama dos guest posts, mas eu adoro, porque eles ampliam as experiências relatadas aqui. Se eu fosse falar apenas da minha vivência e visão de mundo, o blog seria infinitamente mais restrito. Em 2014 publiquei 165 guest posts, e me orgulho de cada um deles, mesmo dos que eu discorde. Porque foram escritos por pessoas com as mais variadas experiências e opiniões, e que quiseram contribuir com o blog, que quiseram compartilhar suas ideias, e confiaram em mim pra isso. Só posso agradecer a todxs vocês). 
SiteMeter do Sociological
Images em setembro 2014
(compare com 2013)
Claro que tudo isso é possível. Mas acho que o motivo é menos pessoal, e mais geral. São poucos os blogs que mantem aberto algum sistema de medição de visitas, o que não permite muita transparência (o meu é aberto, é só clicar no SiteMeter pra ver o mesmo que eu posso ver sobre o blog). Mas, pelos que tenho observado, os números despencaram. Um exemplo é o excelente Sociological Images, um blog feminista comandado por uma professora universitária dos EUA. Em 2013 o SI tinha 600 mil visitas/mês em média, chegando a picos de um milhão em um mês. No último semestre de 2014, esse montante caiu para 340 mil/mês, em média. E isso não acontece só com os blogs feministas. É com todos que eu vi, de política à culinária. 
Em agosto do ano passado conheci pessoalmente Alex Castro e sua companheira Claudia Regina, ambos muito simpáticos. Alex, em particular, tem bem mais anos de experiência com blogs do que eu. E ele foi categórico: "Os blogs acabaram", ele me disse. "O único blog que conheço que ainda tem comentários é o seu". 
Tem o dedo do Facebook nessa queda das visitas dos blogs. Muita gente deixou de fazer blog para escrever textos (cada vez mais curtos) nas suas páginas. E mais gente ainda deixou de comentar nos blogs para comentar no FB. Só que, não sei se vocês lembram (corrijam-me se eu estiver enganada, pois não tenho FB), no começo o FB divulgava um link seu para todos os seus contatos. Aí ele foi cortando a abrangência (nem para os contatos da sua página ele divulga mais), e hoje só pagando que você consegue divulgar um link seu. Acho que o Alex me disse algo assim: "Primeiro o FB acabou com os blogs, depois acabou com ele mesmo".
Pois é, acredito nisso também. Enfim, agora o blog está com um total de 11.322.860 visitas desde sua criação. Como um ano atrás estava em 8.950.900, foram aproximadamente 2 milhões e 370 mil visitas em um ano, e 3 milhões de pageviews. Não está tão mau.
Como modero os comentários
Durante 2014, foram quase 30 mil comentários publicados no blog. Não sei quantos não são aprovados para a publicação, mas posso dizer que são muitos. Como foram 380 posts no ano passado, dividindo o número de comentários pelo número de posts, dá quase 80 comentários por post. Ainda uma boa média. Já são quase 194 mil comentários publicados desde o início do blog. E sempre tenho que me lembrar que só passei a moderar comentários a partir de junho de 2012. Antes disso, qualquer coisa era publicada. 
Este ano eu fui ver como está o site em relação ao Alexa (que conta apenas tráfego), e ele figura como o blog número 4.198 no Brasil, e 131.171 no mundo. O que eu não faço muita noção do que queira dizer.
Em janeiro de 2014 eu tinha 5.669 seguidores aqui no blog. Agora são 6.069. É essa caixinha aí do lado. Meu muito obrigada a cada um/a.
No Twitter, eu tinha 15.030 seguidores, e hoje tenho 20.100, o que é incrível, porque eu definitivamente não conheço 20 mil pessoas na vida real. 
Apesar de todos esses bons indicadores, a verdade é que não é muito fácil ser mulher na internet (nem no mundo). Já há vários estudos mostrando que basta ter um avatar feminino para receber muito mais ofensas, assédio e ameaças do que quem tem um avatar masculino. Agora imaginem ter um blog feminista mais ou menos famoso. As ameaças e os xingamentos vão para as nuvens mesmo.
Mas não é só isso. Sei que tem gente ignorante que acha que feministas são milionárias porque recebem dinheiro todo mês de bilionários judeus para acabar com a sociedade (sim, essa é a teoria que mascus e reaças espalham), mas é justamente o contrário. Conseguir anunciantes prum blog feminista é quase missão impossível (não que eu tenha tentado). Tem gente que ganha dinheiro com palestras (não sou uma delas), mas, por estranho que pareça, para algumas pessoas do meio feminista querer ganhar dinheiro com seu trabalho é pecado. 
E manter um blog e dar palestras exige grande dedicação e tempo. Insinuar que feministas (e outrxs ativistas) não deveriam fazer algum dinheiro com seus blogs equivale dizer que você deve escrever só pela vocação, pela sua missão. É também uma opinião elitista, pois, na prática, só gente que não precisa de dinheiro teria condições de tocar um blog.
Durante sete anos, tentei algumas maneiras de capitalizar meu blog. Não sou nenhuma expert nisso, admito, e nem tentei muito. Recebi um pouquinho de dinheiro (R$ 2.200 em 2011) pelo Submarino, até que ele alterou as regras e deu calote em todos os blogueiros. Fui bem sucedida vendendo o livro que publiquei com crônicas de cinema (em dois anos, vendi uns 500 exemplares através do blog e em palestras), o que me rendeu mais que o Submarino. E agora botei o PayPal. É uma tentativa. 
Ano passado tentei incluir AdSense, para ver como era. Sabe o que o Google respondeu? Que meu blog é impróprio para AdSense por causa de imagens e temas. Sabe com é, blog feminista fala de estupro, aborto, prazer sexual... 
Os blogs mais machistas e asquerosos que vocês puderem imaginar têm AdSense, mas blog feminista não pode! 
Minha página na Wiki durou pouco
(clique para ampliar)
Quer saber o que mais blog feminista não pode ter? Página na Wikipedia. Em abril, um dos meus leitores mais antigos e queridos, o Patrick, que é editor da Wiki, fez um verbete com meu nome, Lola Aronovich. Em questão de horas apareceram editores pedindo remoção da página. Diziam que era spam, que as fontes não eram confiáveis (porque várias eram do meu blog, ainda que tinha outras para artigos e entrevistas publicados na grande mídia), mas o principal: que meu nome não era relevante.
Discussão para eliminar a página
Sei lá, eu faço um blog que é, há anos, o maior blog feminista do Brasil (não posso falar com certeza, porque outros blogs não divulgam números). Nos últimos três anos, dei mais de 110 palestras sobre temas feministas em universidades por todo o país. Eu acho, sim, que dizer que meu nome e meu blog não são relevantes é como dizer que o feminismo não é relevante. E não deve ser mesmo, se formos considerar os pouquíssimos nomes feministas que aparecem na Wikipedia brasileira (e internacional também). Uma Wikipedia em que, por coincidência, 90% dos editores são homens. E são eles que decidem quem/o quê é ou não relevante.
Meu verbete na Wiki durou pouco. Foi derrubado pelos editores. Pedi ajuda a feministas que entendem muito mais do riscado do que eu, e elas tentaram, mas não houve jeito.
Apesar de todas as dificuldades, calar-se não é uma opção. Então vamos a mais um ano de blog. Agradeço a todas as pessoas bacanas que me leem, e deixo embaixo os posts que receberam mais comentários no ano passado, para ler ou reler. Essa lista é interessante porque ela dá uma boa base de muito do que aconteceu em 2014. Todos os posts com mais de 150 comentários estão aí, mas também inclui alguns que, mesmo tendo menos feedback, não podiam ficar de fora. E rumo ao oitavo ano de bloguinho!

Posts mais comentados de 2014:
A acusação de abuso de Woody Allen - fev, 292 com 
"Se ele fosse assim publicamente, não lhe daria nem bom dia" - nov, 250 com.
Moralismo é seu pau de óculos - nov, 247 com.
Guest post bomba: Guru mascu pede desculpas - The Truth, junho, 244 com.
Guest post: Violência obstétrica, a dor que fica - Gabriela, jan, 226 com.
Um candidato machista pra ninguém botar defeito - outub, 216 com. 
Mulheres contra o feminismo - julho, 215 com.
Um pouco mais sobre o caso do professor - dezembro, 211 com.
Quem a misoginia matou hoje? - maio, 203 com.
Mascus têm muita moral pra dar lição de moral - agosto, 198 com.
Gringos roubando nossas mulheres - junho, 194 com.
Guest post: Trotes em que alunas são estupradas - abril, 190 com.
Primeiro post sobre as eleições 2014 - agosto, 189 com.
Direto do Instituto de Pesquisa Mascu As Vozes Me Disseram - julho, 188 com.
"Não gosto de crianças e vou ser tia" - C., março, 186 com.
Reeleição da Dilma, a restauração da esperança - outub, 184 com.
Guest post: Odeio ser mãe - J., set, 184 com.
Precisamos falar sobre aborto - nov, 179 com. 
Dois depoimentos do país que proíbe o aborto - set, 179 com.
Guest post: Assédio é destrutivo - V., dezembro, 178 com. 
Um lindo dia pra você escolher que homem quer ser - julho, 171 com.
Guest post: O aborto que a mulher faz sozinha - G., jan, 166 com.
Guest post: O que foi sofrido é que minha escolha não podia ser feita - H., março, 165 com.
É hoje o confronto entre levianas e honrados - outub, 164 com.
Lutar pra quê, né? (sobre PUAs) - nov, 163 com.
Meu boletim de ocorrência contra os mascus sanctos - dezembro, 163 com. 
Homens podem (e devem) ser feministas - junho, 161 com.
Guest post: Sororidade, um esboço - três amigas, set, 160 com.
Guest post: No BBB, só um acha errado beijar quem está fora de si - Carol, março, 154 com.
Pobre de quem ganha 20 mil por mês - agosto, 151 com.
"Meus colegas me recriminam por sair com um homem casado" - jan., 147 com.
A segregação dos banheiros - jan, 145 com.
"Estou estudando com um mascu" - Haweken, agosto, 145 com.
Um mascu feliz no casamento - agosto, 145 com.
Misoginia: a série de feminicídios em Goiânia - Juliana, agosto, 143 com.
Sobre o direito à laqueadura - jan, 143 com.
Quem comete a barbárie - maio, 138 com.
Guest post: Cem comentários em dez horas - Cantada de Rua, outub, 137 com. 
Por que a classe médica odeia o PT - Marussia, junho, 137 com.
Guest post: Umbanda e mediunidade - E., julho, 135 com.
Somos maiores que o pior jogo da nossa história - julho, 131 com.
"Não aceito meu nome" - L., fev, 131 com.
A árdua tarefa de não ser estuprada - set, 127 com.
"Você não se arrepende por não ter sido mãe?" - set, 127 com.
Cinco verdades incômodas por trás do movimento dos direitos dos homens (art traduzido) - Cracked, trad. Elis, junho, 126 com.
Guest post: Melhor abortar - V., fev, 126 com.
"E vocês, meninas, como paqueram os homens?" - julho, 125 com.
Obrigada, mas dispenso seu sobrenome, marido - maio, 115 com.
E o Nelson Rodrigues, hein? - jan, 115 com.
Algumas das centenas de ameaças que recebo - outub, 114 com.
"Vou cortar sua pica" - fev, 112 com.
Globo, não somos tuas negas - set, 104 com.

62 comentários:

Patty Kirsche disse...

Nossa, eu acho Wikipedia uma bosta. Nunca consegui criar página nela porque sempre aparecem editores pra dizer que não é relevante. É bem rápido. Na época em que o Shopping Tucuruvi foi inaugurado, eu tentei abrir uma página a respeito. Sabe, na Wikipedia tem informação sobre tudo quanto é shopping. Achei que ainda não tinha sobre o Tucuruvi porque era uma shopping novo. Ah, rapidinho removeram a página. Pra mim aquilo é uma panela. Não importa o quão importante seja o que você tem a acrescentar; se não faz parte da panela, esquece. E claro, a maioria dos editores são homens. Inclusive baniram uma editora feminista recentemente.

Vivian Makia disse...

Oi Lola! Seu bloguinho tem a vitalidade das coisas feitas com amor. Os blogs tem essa coisa boa de 'old school': são lugares de encontro. O Feicebuque é chato porque banaliza tudo. Vida longa ao bloguinho! beijos

Anônimo disse...

Anonyma...

Lola, sou sua leitora há 3 anos, e posso te dizer que vivia totalmente na escuridão antes de conhecer o seu blog, importantíssimo veículo de comunicação na luta e no conhecimento de todas as adversidades e violências que as mulheres enfrentam. Eu mesma mudei muito depois que comecei a ler o seu blog, combati e exterminei muitos preconceitos que eu ainda tinha, muitos sem nem me dar conta, enraizados em mim por leituras erradas e também por familiares que desde a infância colocaram um monte de pensamentos retrógrados na minha cabeça (tipo: mulher que veste vermelho é vagabunda e coisas do gênero), e eu nem tinha noção de que cultivava aquele chorume todo sem nem saber porque.
Ainda não me sinto totalmente esclarecida ao ponto de sair explicando o feminismo para as amigas da minha timeline no Facebook, apesar de ler muito o seu blog e absorver cada informação. Mas te digo que é dose ler nas timelines mulheres dizendo que acharam lindo o cartaz da Festa da Maçã no Rio Grande do Sul, que as modelos estão lindas na foto, e que serviu para chamar a atenção e ainda por cima deu "Ibope", e dando "like" nos comentários de homens que vem comentar no post dizendo que as modelos estão gostosas, e que dá vontade de largar as maçãs para comê-las, e que eles devem mostrar ao Brasil como as mulheres do Rio Grande do Sul são bonitas e gostosas, e que a propaganda foi bem sucedida nisso.
Hoje em dia eu tenho consciência do quanto é depreciativo e ruim para as mulheres esse tipo de propaganda, que as objetifica, que coloca o corpo da mulher para vender uma feira de maneira sexualizada, mas Lola, como faço para explicar de forma didática e delicada para uma mulher com mais de 45 anos, que já tem todas uma visão de mundo, de valores, de ideias, e que talvez tenha crescido inserida num meio machista, o quão errado é isso tudo? É triste ver mulheres que considero esclarecidas, aplaudindo campanhas machistas, mas como fazer para instruí-las pelo menos para o básico, fazê-las perceber essas coisas e se indignarem junto, ao invés de curtir e achar bonito as "moças gostosas das maças que dá até vontade de comer"?

Anônimo disse...

Parabéns pelo bloguinho!!!Conheci em março de 2012 por indicação de uma amiga e me tornei leitora assídua!!!!A minha mentalidade melhorou muito depois que me tornei sua leitora Lola!!!E que venham mais sete anos!

Náy

Raven Deschain disse...

Parabéns e obrigada.

Lidiany CS disse...

Oi Lola, parabéns pelo aniversário do blog!

Acho que acompanho o site desde 2009, não tenho muita certeza. Espero que vc tenha fôlego para continuar escrevendo por muito mais tempo e obrigada por todos esses anos de textos!
#NãoSeCale!

@Patty é verdade que a wikipédia é machista, essa semana baniram 5 editoras feministas: http://www.themarysue.com/wikipedia-gamergate/

Anônimo disse...

O blog é lindo e faz parte da descoberta do feminismo para muitas pessoas. eu acesso todo dia, às vezes mais de uma vez, para checar os comentários (às vezes até me arrependo...). E me admira você conseguir manter uma frequência tão alta de posts de qualidade. Só acho que às vezes os guest posts vem muito concentrados, então algumas semanas fica cansativo.

Mas o blog é seu e não deixarei de acessar por isso (:
Vida longa!

Anônimo disse...

Um amigo meu me convenceu a seguir o Alex Castro no Facebook, há uns dois anos, e resolvi seguir. O primeiro post que recebi dele na minha timeline foi um comentário dele dizendo que não acreditava que poderia existir uma mulher adulta, com mais de 25 anos, que não soubesse falar um outro idioma (sem contar o idioma nativo português) além de inglês e espanhol. Como assim uma mulher não sabe um idioma além desses? Eu não acreditei no que eu li, afinal todo mundo dizia que ele era feminista, um amigo me indicou ele por isso, e o primeiro post que eu leio falava uma coisa como essas, muitas pessoas xingaram ele e ele rebatia cada um dos comentários, isso antes dele vir com aquele historia de que saiu do Facebook e uma assessora cuida da página dele, e eu não acreditando que meu amigo tinha indicado esse cara que julga as mulheres por não saberem falar um idioma a mais do que ele acha que todas as mulheres devem saber, no final do dia, ele deletou o post, mas como nem sabia quem era esse cara, simplesmente deixei de seguir no Facebook, e fim da história. Melhor assim.

Fernando Cesar disse...

Parabéns pelo blog Lola!

Tenho um blog de livros e hoje em dia realmente é difícil conseguir visitas. O pessoal está mais interessado em ler Facebook. Invisto meu tempo no blog porque adoro escrever e relembrar posts antigos e ver o que eu pensava na época.

Na minha opinião pessoal, comecei a acompanhar seus posts na época dos filmes, e sinto muita, mas muita falta de você falar sobre isso.

Concordo totalmente com a Vivian Makia: "Seu bloguinho tem a vitalidade das coisas feitas com amor. Os blogs tem essa coisa boa de 'old school': são lugares de encontro."

Firewest disse...

Oi Lola, parabéns ao blog, acompanhei seu blog desde a época dos filmes, e sinto sim muita saudade de suas críticas. É importante falar sobre feminismo, é sim, mas está batendo a nostalgia forte aqui e gostaria que você voltasse as origens um pouco. Dava muita risada com suas críticas, elas eram as melhores!

Anônimo disse...

Olá Lola, como a anon das 21:14, eu também vivia na escuridão antes de conhecer seu blog. O post que me trouxe até aqui foi o Nossa Lingua Machista e desde então tenho um novo olhar sobre o mundo, como se antes eu visse atravéz de um filtro.
Parabéns pelo aniversário do blog e que ele continue por muitos anos mais!
Bia

Anônimo disse...

Sou outra que acha a Wikipedia bem fraca, especialmente a brasileira. Tem muita informação errada e incompleta.
Eu não lembro como vim parar aqui, mas deve ter sido por volta de 2010. Ainda não tive a chance de ir a uma de suas palestras, mesmo você tendo feitos mais de uma aqui onde moro.
Acho que todos os blogs perderam força, pelo menos aqueles no modelo antigo, que dá voz a alguém. Eu só vejo crescendo aqueles blogs de publieditorial, mas cada vez mais blogs que eu seguia pela opinião de quem escreve vão sumindo. Uma pena, pois era um dos espaços mais gostosos da internet.
Você merece os parabéns por resistir. Assim como eu muita gente teve os primeiros questionamentos feministas lendo seu blog, é uma referência pra qualquer pessoa no Brasil que se interesse pelo feminismo.
Quanto a capitalizar o blog, eu vi pelos comentários que havia um espaço para doações, mas não vi sua resposta. Acho que deveria fazer um post sobre isso e deixar linkado lá pra quem quiser contribuir. Não acho que vá render muito, mas não custa tentar.
Obrigada por todos esses anos escrevendo

Raquel

Liana hc disse...

Lola, parabéns. Eu costumava ler os blogs pelo Google Reader. Assim era mais prático e rápido, melhor do que ter que entrar em um por um. Só quando eu queria comentar é que acessava. Não sei como isso contava (ou não) para contabilizar acessos. Acredito que muita gente fazia o mesmo. Quando voltei a ler diretamente pelos blogs foi até estranho.

Anônimo disse...

Parabéns Lola, seu blog é ótimo, espero que você continue ainda muitos anos nos trazendo tantas novas informações e nos permitindo cada vez mais refletir sobre nossa sociedade. Abraços Emile

raquel disse...

Lola, parabéns pelos sete anos de blog. Ler seus textos me ajuda muito!
Escuta essa: em Minas fizeram uma marchinha sobre o caso do Idelber, ficou ótima. Não estou conseguindo postar o link, mas procura no YouTube "A estranha selfie do professor". Hahaha. ...

Anônimo disse...

"Eu acho, sim, que dizer que meu nome e meu blog não são relevantes é como dizer que o feminismo não é relevante."

Sei que não deve ter sido a intenção, mas isso soou de uma prepotência absurda.

Lord Anderson disse...

Lolissima tenho andado na correria e sem tempo para comentar, mas deixo aqui um super parabens e obrigado pelo seu blog que é sim muito importante.

Felicidades e que continua com mais e mais textos, nunca se calando :)

Ana A disse...

Lola, parabéns! Leio seu blog há bastante tempo, sou muito grata e espero que você continue por muitos e muitos anos!
Apesar da wikipedia machista (que nojo!), apesar das ameaças e xingamentos dos mascus, apesar do pouco tempo, apesar de tudo. Você é uma grande guerreira, uma inspiração para todxs nós.

Anônimo disse...

Lola, você é vaidosa pra caramba, hein? Reclamar que tiraram um verbete com seu nome na wikipedia?

Anônimo disse...

Hey Lola, tu viu os últimos tabloides? Tua ídola Germaine Greer (que vc finge renegar) continua a mesma transfóbica de sempre. O que você tem a falar sobre isso? Esperando.

http://www.varsity.co.uk/news/8105

http://www.huffingtonpost.co.uk/2015/01/28/germaine-greer-returns-to_n_6561232.html

Anônimo disse...

La no Oeste da França sou eu!!!!

Obrigada pelo seu blog, Lola, que vc e ele tenham ainda muitos anos de vida.

E através do seu blog que eu me inspiro em como criar uma interseção entre minha carreira de engenheira e feminista. Queria fazer algo sobre a analise do trabalho feminino ao redor do mundo, mas e dificil....

Bjs

Natalia

Anônimo disse...

parabéns, Lolinha, e muito muito muito obrigada! Sei que é um esforço incrível manter um blog de tão alta qualidade, mas só posso te dizer que vale cada segundo seu. Basta ver as centenas de pessoas que falam o quanto mudaram depois que leram seus textos. Eu sei que, embora já fosse feminista antes, mas me tornei uma feminista muito mais esclarecida, acolhedora, tolerante, apaixonada. Seu trabalho é fundamental, relevante e, além de tudo, você mantém o bom humor e a alegria. vida longa ao bloguito, a você e à sua paciência!!!

aiaiai
(anonima pois preguiça de logar)

Anônimo disse...

Parabéns pelos 7 anos, Lola! É uma vitória sobreviver todo esse tempo e ainda manter não só as postagens diárias, mas muitxs leitorxs que são fiéis comentaristas.
Obrigado pelos muitos posts esclarecedores, pela opiniões das quais discordei (principalmente em relação a filmes - rs) mas que me fizeram repensar pontos de vista por outros ângulos, por dividir com a gente um pouco da sua história e nos receber com tanta atenção e carinho.
Não tenho FB, não sinto necessidade e gosto de ler os posts, seus ou de convidados.
Um grande abraço,

Flávio Moreira (estou com preguiça de logar no Google - rs)

Anônimo disse...

Vc falou do Alex Castro dizendo que "blogs acabaram", mas eu me lembro que ele era (ou é) uma das pessoas atrás do ótimo tumblr Classe Média Sofre (sei que tumblr não é blog, mas se tem comentários fica tipo blog). Era sucesso, vários posts e eu entrava toda hora pra dar risada com os comentários. Até que um belo dia resolveram acabar com os comentários, que na minha opinião eram o maior atrativo do tumblr. Resultado, tenho CERTEZA que a maioria esmagadora das pessoas deixou de entrar. Como consequência, hoje o tumblr está às moscas.
Muito idiota quem teve essa brilhante ideia de fechar a caixa de comentários. Parabéns.
Ou seja, se vc tem um blog e fecha os comentários, depois não venha chorar dizendo que "Blogs acabaram".

Melati disse...

Se tiver uma pintinha ali na Indonésia sou eu!!! Leio todo dia!!!! Bjoooo e parabéns!!!

lola aronovich disse...

Ahn, anon das 9:40, eu não tenho que "fingir" nada. Sou super honesta no meu blog e na minha vida. Não finjo nada, não minto, não tenho que agradar ninguém além dos meus gatos. Germaine Greer não é minha ídola. Eu li A MULHER EUNUCO, e acho um livro super importante, marcante mesmo. Mas o livro é de 1971. Não acompanhei a vida da Greer, não vi suas palestras, não li outros livros dela. Por isso, nem sabia que ela tinha virado uma feminista transfóbica, só fiquei sabendo em 2013, quando fiz uma lista imensa de recomendações de livros, e incluí A MULHER EUNUCO. Eu não vou jogar um livro importantíssimo na fogueira por que a autora passou a falar um monte de bobagem (e óbvio que nem tudo que ela fala é bobagem, mas o que ela fala de trans é lamentável). Já tivemos essa discussão em 2013 e não tenho vontade de repeti-la, ainda mais no Dia da Visibilidade Trans.
(Aliás, não tenho nada preparado pra este dia. Se alguém quiser escrever um guest post pra hoje, eu publico).


Anon das 11:09, eu não lembrava que o tumblr Classe Média Sofre tinha comentários. Aliás, se tem uma coisa que não gosto dos tumbrls é essa, de geralmente não ter comentários. Acho estranho ter blog sem comentários, mas conheço alguns assim.

Anônimo disse...

Lola, e que ironia do destino hoje ser dia da visibilidade trans. Hoje é também aniversário da Germaine Greer (!) e do seu blog.

Anônimo disse...

Wikipedia é um lixo. Já perdi a conta de quantas vezes corrigi informações aberrantes lá para, às vezes em questão de horas, a página voltar a ostentar as informações erradas. Questão é que qualquer zé ruela pode editar aquilo sem precisar comprovar conhecimento na matéria, Wikipedia está longe de ser séria. Melhor uma enciclopédia de verdade a se embasar em um monte de pivetes de 13 anos que decidem o que fica ou não no site.

Anônimo disse...

Lola sou sua fã meus parabéns, fico feliz em ter este espaço para os debates

Anônimo disse...

"Acho estranho ter blog sem comentários, mas conheço alguns assim. "

Meu blog, ~famosinho~, versa sobre temas sexuais e para bem do meu estômago retirei há muito os comentários. Deixei apenas um endereço de email para eventual comunicação profissional e quando percebo que a mensagem recebida foge a esse escopo, deleto na mesma hora. A verdade é que tem muito sociopata na internet e quanto menos espaço for dado a essa gente, melhor.

Edson disse...

Eu leio o blog desde 2011, acho que comecei a ler em julho daquele ano.
Vida longa ao blog!

@dddrocha disse...

7 anos é muita coisa, Lola!
Engraçado que essa semana li outro post falando sobre o fim dos blogs, acho que a blogosfera em geral já percebeu isso e o reconhecimento é uma forma de pensar em buscar novas alternativas.
Já comentei aqui que o facebook é um lixão né, e bom, ele conseguiu destruir muita coisa boa na internet, a expectativa é que ele morra o quanto antes, e novas formas de interação virtual surjam... bom, tento ser otimista rsrs.
De qualquer forma, acho que seu blog sempre será muito lido, você é uma grande referência no assunto que se propõe a discutir aqui. Eu mesma, sempre que preciso organizar melhor as ideias e justificativas, venho aqui. Sempre mostro seu blog para amigos, amigas, familiares, etc... o jeito como escreve acaba contribuindo, já que qualquer pessoa é capaz de ler e interpretar um texto seu.
Bom, parabéns Lola e bloguinho. 7 anos de história, que venham mais 7.

Anônimo disse...

Lola, como várias pessoas, conheci seu blog por acaso em 2012 (nem me lembro como) e li TODOS os posts... Conheci bem o feminismo e abri os olhos pra muita coisa por sua causa. Obrigada!

Anônimo disse...

OI LOLA, um off-topic nem tão off assim:
Adoro seus textos e me inquieta saber que casos como o massacre do Realengo, a prisão do Emerson, as manifestações de ódio dos mascus, e tudo mais que você escreve aqui, é noticiado de forma tímida pela mídia e não se faz relação alguma de uma coisa com outra. Seus textos são ótimos MAS creio que não pegam aquele leitor que não sabe nada sobre o assunto. Por isso minha SUGESTÃO é que vocês façam aqui no próprio Blog, ou descolem um espaço tipo IG, UOL, etc... pra fazer uma reportagem que dê maior visibilidade para o tema, tipo um be-a-bá dos movimentos masculinistas, fascistas, o que pregam, no que acreditam, etc.
Em minha opinão, muitas dessas ideias masculinistas se propagam facilmente porque há páginas como Orgulho Hétero, por exemplo, que defendem absurdos através do humor. Aí quem acha engraçadinha aquela piada do estupro não tem a menor noção dos doentes que a criaram e da intencionalidade dos posts.
Enrolei demais? Bom, é só uma ideia pra amadurecer...
Abraços!


Roxy Carmichael disse...

parabéns lola!
engrosso o coro por mais criticas de cine!E se não tiver tempo de ir ver os filmes, uma opção seria fazer guest post de critica de cine! o ultimo que vi foi whiplash, vc já viu? não chega a ser ruim, mas como disse o inácio araújo, parece saído do tea party para as telas!
no mais, acho que a analise do alex tá correta. o facebook acabou com os blogs MAS, ao acabar com si mesmo, penso que a alternativa dos blogs tá super voltando

Death disse...

Lola, leio seu blog desde 2010. embora passe a comentar só recentemente e discorde de você em muitas coisas.

Você escreve super bem e por mais que os Guest Posts tragam visões diferentes e valorizem o seu blog, bem não é você escrevendo, o que faz muita falta, seu jeito de redigir é peculiar e creio que muitas concordem que seja um dos atrativos.

Sobre os medidores de visita, o mais confiável é o google, pq o varredor que faz a contagem é o mesmo bot que faz a indexação de páginas para o buscador, fonte mais confiável impossível.

Sobre a Wiki, concordo com a Patty, e a anon, é uma panela, um clube do bolinha, se vc for mulher e ainda cometer o pecado de ser feminista vc tá fora, totalmente fora, outras pessoas aqui no blog já alertaram que a Wiki não presta.

Que venham mais 7 anos de blog.

Hanne Sebba disse...

Durante um momento de ócio no trabalho... Com o filtro de conteúdo comportamental, seu blog deve ter ido pra blacklist. Seja por causa do conteúdo, seja porque é blog, por consequência, considerado conteúdo pessoal e assim, blacklist...
Outra possibilidade é a mudança de plataforma... Estamos saindo dos computadores e indo pros mobiles: celulares, tablets. Blogs não é algo fácil de ler em um celular (ao contrário do infame FB). A não ser que seja linkado no FB as pessoas não usam muito outros jeitos de ler e pegar algo interessante a ser repassado. É só uma mudança de comportamento, lola. Isso passa, as coisas vão e voltam. Continue com seu ótimo conteúdo. Ele vai aparecer. Seja pra 100 mil ou 100 leitores. Vc atinge muita gente. Não deixe que esses números te direcionem... Muita gente deve te ler através de Readers. Eles não são contabilizados por essas ferramentas.
#naosecale e beijos!

lorena disse...

Olá Lola, tem muitas maneiras de rentabilizar um blog, adsense é furada a menos que você tenha um blog voltado pra tecnologia ou beleza. Tente promover cursos online, o site 'cursos 24 horas' tem todo tipo de curso, inclusive de idiomas, e você recebe uma comissão sempre que alguém comprar um curso através do seu link. beijos e sucesso!

Augusto Silva disse...

Como editor da Wikipédia, me sinto obrigado a responder pelas generalizações aqui cometidas. A wikipédia não é machista. Sim, existe uma grande disparidade na proporção dos editores (o típico foi definido como homem, branco, 30 anos, área de TI; num dado concreto, dos 35 admin atuais, só tem uma mulher), o que explica a maioria das situações, mas chama-la diretamente de machista é um grande exagero. Para ficar num exemplo mais óbvio de que a "panelinha" não é de homens, a coisa mais parecida que a por natureza anárquica Wikipédia tem de uma líder é o cargo da Oona Castro (Ocastro).

Concordo totalmente que o feminismo na Wikipédia lusófona (não brasileira, culpe os portugueses, macaense, angolenses etc. também) é mal representado, mas a Wikipédia ainda está em construção e melhorias podem ser vistas a olho nu. Tomo como exemplo o verbete recentemente destacado (representado pela estrelhinha amarela no canto direito-superior do verbete, indicando se tratar de um dos melhores artigos da wikipédia) Feminismo.

Por último, meus mais sinceros
parabéns pelos sete anos, ou precisamente 32,9 em anos de internet (Calculating the length of an internet year). Uma pena que eu não o conhecia antes.

Elaine Pinto disse...

Não somos machistas, até temos uma mulher entre 35 administradores.

Não sei se rio ou gargalho.

Raven Deschain disse...

Aqui no meu trabalho é uma zoeira. O blogger não é bloqueado, mas o bloguinho é! Por causa do conteúdo político. Em compensação os de moda, fofoca e afins, entram. ¬¬

Anônimo disse...

Lola, foi eu quem fiz os dois comentários citando a Germaine Greer. Na boa, não precisa ficar na defensiva, não acho que teria nada demais você gostar dela e nem mesmo seria necessariamente transfóbica por isso, como vc falou, The Female Eunuch é um clássico. Steinem, Greer e Beauvoir são minhas preferidas. Steinem usava um discurso excludente em relação a transsexuais na década de 70 e 80, mas ela já mudou de opinião desde meados dos anos 90, o que não foi o caso da Greer, paciência. Por causa disso vamos negar toda a importância que a Greer teve (e tem, querendo ou não) no movimento feminista? No way, nobody is perfect e certamente Germaine não está livre disso... Você não precisa concordar 100% com uma pessoa pra poder gostar dela. Quer saber? Com transfobia ou sem transfobia eu acho essa mulher foda desde qdo eu era criancinha. Eu nem radfem sou, eu me considero Feminista (sem Radical ou Liberal na frente, apenas "Feminista".) Não concordo com algumas atitudes de radfems, mas tb não levanto bandeira trans. Especialmente pq quando elas abrem a boca, mostram que o conhecimento em feminismo é mínimo e até inexistente. Querem seu espaço no movimento, dizer que mulheres tem privilégios cis, mas não querem desconstruir o machismo. Acham que feminismo se resume a "marcha das vadias".
Fora que eu acho que o pessoal deveria argumentar e não só ficar chamando a Greer de transfóbica e querendo queimá-la na fogueira só pra fugir do assunto. Eu não acho que a opinião dela seja descartável. Mesmo pq seria inadmissível um branco se pintar de preto e ir exigir direitos no movimento negro. Será que Greer está tão errada, quando chama isso de "ilusão" ??

Anônimo disse...

Já ia me esquecendo..
Super feminista esse povo chamando a Greer de "old hag" e querendo ela morta...

http://planettransgender.com/germaine-greer-denies-shes-transphobic-by-claiming-tranphobia-doesnt-exist/

Marcia Baratto disse...

Lola, longa vida ao blog e parabéns por todos esses anos, que venham mais 7.

pp disse...

Lolinha, parabéns! Seu blog é minha leitura diária preferida.

Achei muito interessante essa observação sobre como o facebook (um lixão, como bem disse um comentário) meio que acabou com os blogs. Já tinha reparado que é raro ver um blog onde o povo ainda comente e discuta. O pessoal gosta de falar é no feice, local onde as pessoas levam uma vida de vitrine. Tem gente que parece que se fizer alguma coisa legal e não colocar lá é como se não tivesse feito.

Enfim, Lola desejo a você e ao blog vida longa e feliz!

Anônimo disse...

Também adorei "a Wikipedia não é machista, até temos uma mulher entre 35 homens" hahahaha!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

"A wikipédia não é machista. Sim, existe uma grande disparidade na proporção dos editores (o típico foi definido como homem, branco, 30 anos, área de TI; num dado concreto, dos 35 admin atuais, só tem uma mulher), o que explica a maioria das situações, mas chama-la diretamente de machista é um grande exagero"

>não é machista
>só uma mulher

mas pera, tem uma líder mulher também! É tipo o Brasil, sabe? A presidente é mulher = acabou o machismo

Verô! disse...

Lola!!! Seu blog é fantástico. Mudou minha visão de mundo, me faz pensar, me faz sentir forte e capaz. Sua coragem e determinação são uma inspiração. Eu te leio todos os dias e estou sempre alerta para reagir ao seu lado e ao lado de outras irmãs quando nos ameaçam e agridem. #Sororidade sempre!

Que a rede feminista cresça e cresça e cresça. Que sob os nossos pés seja sepultado o machismo e a misoginia! Juntas podemos! Unidas irmãs!!!

A propósito! Dane-se a wikipédia! Vamos fazer uma enciclopédia feminista, mulheres!!! O que acham?

Death disse...

Super apoio a idéia da Verô, a Wikia é totalmente personalizável(fácil de configurar), devemos investir nisso.


#danesewikipedia

Wasp Salander disse...

Parabéns, Lola!!
Vida longa ao blog!! <3

Luciana disse...

Parabéns Lola!!!

Sempre leio seu blog via Feedly, então acho q eu e outras pessoas que migraram do google reader para outras plataformas podem não estar na sua conta.

Anônimo disse...

Parabéns Lola! Seu trabalho é muito importante, espero que continue sempre. Gostaria de saber se você costuma responder e mails ou só comentários? Ou só conhecidos? (Afinal é muita gente). Obrigada!

Anônimo disse...

Se criarem uma enciclopédia feminista, aposto que ~certas vertentes~ do feminismo serão brutalmente silenciadas.

Anônimo disse...

Lola, não tenho twitter mas vivo lendo o seu. Sobre o negócio do "cadeado e chave", uma observação

http://i.imgur.com/CbftjEA.jpg

isso é o pênis de um pato. Isso se parece com uma chave. O resto, não.

bjim e parabéns pela longa vida do blog.

Trícia disse...

Parabéns, Lola! O blog é como você: extraordinário! Obrigada por tudo, tudo, tudo! Sério!

Julia disse...

Lola, parabéns e obrigada!
Que venha mais sete anos de Blog!

Anônimo disse...

Como grande parte das leitoras, me tornei uma pessoa muito melhor depois que passei a ler o blog. Me tornei mais compreensiva, tolerante e com muito mais empatia pelo próximo.
Achava que era feminista antes disso, mas descobri que o feminismo acima de tudo é não julgar o outro.
Faz uns 4 anos que leio TODOS os posts.
Muito obrigada Lola, e parabéns pelo seu blog.
Vida longa!

Pepper.

Anônimo disse...

Lola, sua linda!
Você me faz acreditar num mundo melhor.
bj grande.

Estragadinha disse...

"feministas são milionárias porque recebem dinheiro todo mês de bilionários judeus para acabar com a sociedade "...

Quase derramei o café aqui de tanto rir! Eta imaginação fértil, hein?

Parabéns pelo blog e continue firme, este é um espaço importantíssimo e sem igual na internet.

Anônimo disse...

Esse "editor" da Wikipedia, assim como a própria Wikipedia, é uma grande piada.

Só faltou dizer que a única mulher do time é a moça do café.

Anônimo disse...

""feministas são milionárias porque recebem dinheiro todo mês de bilionários judeus para acabar com a sociedade "..."

HEYYYYYYYY CADÊ O MEU DINHEIRO ENTÃO? Eu aqui destruindo a sociedade de graça, pelamor, assim não dá.

Fabio Guapo disse...

vc pode colocar submarino na pagina, via lomadee.com que é do buscapé