domingo, 25 de janeiro de 2015

NOSSA PRIMEIRA VEZ EM ALAGOAS

Nascer do sol em Maceió. Maridão acordou às 5 pra tirar esta foto

Pessoas queridas, quero compartilhar com vocês minha primeira viagem a Alagoas. Ai, ai, domingo passado eu estava na famosa (e belíssima) Praia do Gunga, e agora estou aqui diante de um computador. Pelo menos domingo que vem estaremos em Buenos Aires.
Vale de nuvens pela janela do avião. Eu sempre penso que meu pai mora ali
Dos nove estados do lindo e maravilhoso Nordeste, eu ainda não conhecia três: Alagoas, Piauí e Sergipe. Agora só faltam dois. Silvinho está na minha frente, porque foi à Teresina ano passado para jogar um torneio de xadrez. Será que visitando todos os estados da região ganhamos um brinde?
Parecem os Alpes Suíços, mas maridão jura que é Salvador pela janela do avião
Em agosto chegaremos aos 25 anos juntos e, para comemorar, faremos alguma viagem especial em julho (que é quando dá, quando não estamos dando aula). Quem sabe Aracaju?
Praia do Gunga depois dos coqueiros
Devo dizer que Maceió é tão deslumbrante como todo mundo diz. Não gosto desse negócio de ranquear lugares -- tantos lugares são encantadores, por que ter que decidir qual a praia mais bonita do Brasil? --, mas o mar de Alagoas, com todas aquelas tonalidades de azul e verde, não fica devendo muito aos mares do Caribe. Não que eu já tenha estado no Caribe (mas morro de vontade de conhecer Cuba; não, ninguém ainda me chamou de comunista hoje; sim, já estive em Moscou).
Praia de Jatiúca pertinho da nossa pousada
Em Maceió, ficamos na Praia de Jatiúca, uma das áreas nobres da cidade, e onde tem um monte de restaurantes. 
A pousada que escolhemos, a Eco Maceió, é excelente. Pagamos R$ 1.400 pelos sete dias. Ao todo, com aéreo, excursões, comida e tal, a viagem toda saiu por R$ 2.715. Coloco aqui os valores porque tem gente que pode querer se basear.
Por do sol na Praia do Jatiúca (se bem que o sol se põe do outro lado) 
O melhor sorvete de Maceió é indubitavelmente o da Bali, que só existe lá. 
Ok, não provamos todas as marcas, mas temos bastante experiência com sorvete e pudemos comparar a Bali com a Delícias do Cerrado e a Gelateria Chocolat. Olha, não tem nem comparação. Todas essas marcas são caras pra caramba (entre R$ 54 e 69 o quilo; o da Bali custa 58), mas o "africano", de chocolate meio amargo da Bali, compensa. 
Lolinha na fabulosa Barra de São Miguel
Fizemos apenas uma excursão (as visitas a outras praias não urbanas foram cortesia de amigas; já já falo delas). O preço é razoável (R$ 30 por pessoa, em ônibus com guia), mas fiquei um pouco decepcionada porque esperava conhecer a Praia do Francês, Barra de São Miguel e Gunga. Só que nas primeiras duas a excursão só para quinze minutos em cada, pra tirar fotos. Ah, tinha que ficar pelo menos uma hora e meia em cada, pra dar pra aproveitar mesmo.
Treinamento de salva-vidas na Barra de São Miguel (nunca vi tantos juntos)
Quando chegamos à magnífica Praia do Gunga, eu já estava impaciente. Tinha entrado um pouquinho no mar de São Miguel, mas estava ansiosa pra fazer o que sempre faço nas praias, que é ficar horas na água. Então, enquanto o maridão demorava um tempão pra guardar a câmera fotográfica, tirar a bermuda, arrumar as coisas na areia, eu já fui logo entrando no mar. Por pouco, esta não é minha última foto viva, falando pro maridão vir logo.
Não parece ter ondas fortes, mas afunda rápido e o mar puxa pra baixo
Gunga não tem ondas de afogar Lolinhas, admito. Mas, assim que entrei, levei uma rasteira da corrente, e, quando estava tentando me levantar, uma onda me encobriu. Eu me afoguei, e decidi sair de lá rapidinho. Mas as rasteiras do mar não deixavam. Agora imaginem a cena: Lolinha se arrastando na beira da praia, parecendo uma náufraga, olha pro maridão, que ainda está arrumando as coisas na areia, estica o braço e implora, com a voz fraca: "Me ajudaaa..."
Não tenho imagens da Lolinha náufraga, então vai uma de quando perdoei o maridão 
Agora imaginem o maridão olhando pra Lolinha amada, sua companheira de quase um quarto de século, ela quase desmaiada, deitada, tentando com suas últimas forças sair do mar, só com o braço esticado, e o maridão olha pra ela, vira a cabeça e continua arrumando as coisas na praia. Eu já contei essa história pra outras pessoas, e Silvinho tenta se justificar dizendo "Ela estava com água pelo tornozelo" e "Eu não ia jogar a câmera na areia". Seu único arrependimento foi não ter filmado toda a cena.
Eu me esbaldando no lado bom de Gunga
Felizmente, sobrevivi. E, graças a mim, encontramos o outro lado da praia, onde tem um rio divino. E foi lá que fiquei, foi lá que ninguém mais me tirou, durante horas. Saí pra comer uma tapioca (R$ 10, mas é grandona), depois voltei. Após minha experiência de quase-morte, capotei no ônibus, exausta.
Eu, Aninha e Ceci, com Gunga ao fundo
Um dia ou dois depois, voltamos às praias do sul do Estado, desta vez levadas por duas leitoras queridas que são irmãs e com quem eu já tinha tirado foto junta em São Paulo e Recife, mas óbvio que não iria lembrar. A Ana é médica em Recife e a Cecilia é professora de Direito em Maceió e está grávida de um mês. Foi um dia fantástico na Barra de São Miguel e (de novo) em Gunga. Na parte não perigosa da praia, bem entendido.

E, pra coroar, assim que pisamos nas areias da Barra, eu encontro uma nota de 50 reais, e a Ana, uma de 10. Não tem como devolver. Devolver pra quem? Mais tarde, gastamos tudo em batata e macaxeira frita e bolinhos de queijo. E água.
A espetacular Dunas de Marapé: rio em primeiro plano, areia, mar
No dia seguinte, Aninha nos levou pra conhecer Dunas de Marapé, que fica a uns 20 km de Gunga. Ela também não conhecia. Dunas é dessas minhas praias favoritas, essas duplex, com mar e rio. Mas aqui cabe um adendo pra quem nunca foi a esse paraíso.
Cobram 60 reais para fazer esta travessia. Inclui almoço, mas vale?
As agências de turismo que fazem excursão pra lá cobram 40 por pessoa, só que acrescentam que não vale a pena ir até lá se não for fazer a travessia de barco, que custa mais 50 reais (pelo menos inclui um almoço). Por telefone, alguém na agência disse que, sem eles, corríamos o risco de não poder fazer a travessia. Pura balela.
Mais uma foto do rio pra atravessar. Ao fundo tem até uma ponte
Ao estacionar o carro, perto de Dunas, uma senhora explicou que a travessia custaria 60 por pessoa. Mesmo com o almoço incluso, ainda parece um valor abusivo. Isso é meio privatização de uma praia, né? Algo que odeio. Praia tem que ser um espaço democrático.
Dunas de Marapé, já com a maré cheia 
Aninha e eu em Dunas
Decidimos estacionar um pouco mais à frente (10 reais por carro), e dispensar a travessia, que leva dois minutos de barco. Atravessamos a pé, pelo rio, na maré ainda baixa. Mais pra frente tem uma ponte. Mas a verdade é que não é preciso ir praquele pedaço de areia onde fica o "complexo turístico" (o restaurante, com cadeiras e guarda-sóis) pra amar Dunas de Marapé. Não caiam nessa.
Eu e Silvinho ao chegarmos em Dunas do Marapé
Noutro dia, outra leitora querida, a Nanda, nos levou pra conhecer uma praia ao norte de Alagoas: Tabuba. É incrível e, pra melhorar, tem rio também. 
Tabuba com maré anda bem baixinha (depois a água cobre os arrecifes)
Achei as águas de lá (tanto do mar quanto do rio) mais quentes que nas outras praias. Aliás, não sei se foi impressão minha, mas achei a temperatura do mar e rios de Alagoas mais baixa que nas praias do Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba. Nada que desabone as praias de Alagoas, lógico.
Eu agarrando Benny em Tabuba
Nanda levou pro passeio seu lindo filhinho Benny, de 5 anos, um amor. No começo do dia ele estava um pouco traumatizado porque, em seu último passeio a outra praia, ele havia levado um caldo do mar (conheço a sensação) e sido beliscado por um siri, tudo no mesmo dia, tadinho. Mas, depois de meia hora de praia, ele me pergunta: "Tá gostando daqui?", eu digo "Ô, muito, e você?", e ele responde: "Tô adorando".
Benny também criticou duramente o maridão por ter escolhido salvar a câmera ao invés de mim em Gunga. Um aliado pequeno, porém importante.
Silvinho, Nanda, eu e Benny antes de irmos embora de Tabuba
Antes que perguntem, não conhecemos pontos turísticos primordiais como Maragogi ou o Delta do Rio São Francisco. Vai ficar pra outra vez.
Praia do Gunga, lado bom
Maceió passa a ser uma séria candidata de onde pretendo viver quando nos aposentarmos, daqui a uns oito anos, se tudo der certo. Do Nordeste eu não quero sair nunca mais, mas nesses últimos dias andei pensando se não valeria a pena morar numa cidade pequena de praia perto de alguma capital nordestina. Porque, sério, eu iria pra água todo santo dia.
Por do sol em Maceió

22 comentários:

Dandara Lequi disse...

Lola, não vai lembrar de mim, mas nos conhecemos na sua palestra na Unicamp ano retrasado. Comento pouco aqui, mas sou leitora assídua do seu blog!
Que viagem maravilhosa! Adoro suas histórias com o maridão, vocês são um casal inspirador.
E como leitora do seu blog e sabendo a pessoa economicamente responsável que é (lê-se pão dura) posso imaginar a alegria que deve ser encontrar 50 reais na praia. Haha

Um grande beijo!!!

Lidiany CS disse...

Que relato engraçado esse da viagem Lola. Quero ver quando virá me visitar. =D
Ah e vc não perdeu muita coisa na praia do Francês, apesar de ser linda também, a praia do Gunga é melhor e mais bonita.
O mar de Alagoas é maravilhoso. Não espere praias tão belas em Aracaju, mas a cidade é mais bonita que Maceió.

Firewest disse...

Ri muito com a história do quase afogamento! haha! Silvinho tá com corpão pra idade! -v-

Mariana Vargas disse...

Lugar lindo, Lola!

Bruna Alice Gomes de Melo disse...

Lolaaa não vai falar nada sobre os indicados ao Oscar? Saudades das suas críticas de filmes...
bjs

Anônimo disse...

(...)tentando com suas últimas forças sair do mar, só com o braço esticado, e o maridão olha pra ela, vira a cabeça e continua arrumando as coisas na praia(...)

(...)"Ela estava com água pelo tornozelo" e "Eu não ia jogar a câmera na areia". (...)

Cara, eu chorei de rir com esse trecho!!!! kkkkkkkkkkkkkkkk
=D

A Lola sabe se divertir =)!!!! hehehehe

Jane Doe

Vitor Ferreira disse...

Que bom que aproveitou Maceió!

E o bolão do Oscar? Vai rolar esse ano?

Liana hc disse...

Lindo demais. Também prefiro áreas mais calmas. Nada de lutar contra o mar, quero ficar na água feito um buda. E.... preciso de férias.

Claudio disse...

Lola, prove que eu sou isso ou aquilo, te desafio a ter uma relação no anonimato com o 'maridao', eu afirmei anteriormente que as mulheres valorizam a utilidade / socialmente do / o homem.

Desafio lançado para provar seu amor verdadeiro... apague posts anteriores falando de voce e maridao, nao colocar mais posts o que voces fazem ou deixam de fazer, e nao citar mais que é casada!

Nelia disse...

Lolinha, tb adorei Alagoas quando estive lá.Preciso voltar pois não visitei todos os lugares que queria. Me disseram que existe uma região montanhosa, onde o clima é temperado como em Campos do Jordão-SP. A conferir numa próxima viagem.

Anônimo disse...

"A pousada que escolhemos, a Eco Maceió, é excelente. Pagamos R$ 1.400 pelos sete dias. Ao todo, com aéreo, excursões, comida e tal, a viagem toda saiu por R$ 2.715. "

Por pessoa ou o casal?

lola aronovich disse...

O casal. No Hotel Urbano, Decolar, Booking e outros há várias ofertas. Foi lá que eu vi a Eco Maceió. Claro que viajando na alta temporada é mais difícil encontrar preços baixos...


Vitor e Bruna, vou sim falar brevemente sobre os indicados ao Oscar e sobre o bolão. Falta pouco, menos de um mês! Amanhã ou quarta sai o post. Falei com o Julio Cesar, que é de Maceió (mas infelizmente não tivemos tempo de nos conhecer pessoalmente), ele já fez os formulários e tudo.
Eu não vi quase nada do Oscar ainda...

lola aronovich disse...

Claudio, vc é patético. Talvez vc já tenha percebido que o blog é meu. É um blog pessoal, com meu nome, e eu falo bastante da minha vida. E minha vida inclui o Silvio. Eu não falo do meu marido pra ser aceita socialmente. As pessoas se relacionam por mil e um motivos, e só na sua cabecinha sem neurônios é que o único motivo seja interesseiro (qual interesse? Interesses todxs temos. Por que nos relacionaríamos se não estivéssemos interessadxs em alguma coisa -- amor, sexo, companhia, ter filhos, dividir despesas, etc etc).
Não tenho que provar nada pra um troll ignorante como vc. O único desafio aceito que vc conseguiu foi que, a partir de agora, suas besteiras serão deletadas ou não aprovadas. Vá ser inútil em outras freguesias!

Pardal disse...

Lola, espero que você tenha colocado seu bronzeado em dia;-). Olhando suas fotos dá ainda mais vontade de ir conhecer o nordeste.

Ah, e obrigada por nos poupar de futuros comentários inúteis do Claudio.
<3

Julia disse...

Lolinha, fiquei com vontade de conhecer Maceió.
Nas praias de Aracaju tem que andar bastante pra chegar a água. Tem muita areia naquele lugar, sério.


Claudio, bye bye trouxa :D

jair machado rodrigues disse...

Tudo muitolindo Lola,mas o Vale de Nuvens visto do avião, me deixou sem fõlego...
ps. Carinho respeito e abraço.

Anônimo disse...

"O casal. No Hotel Urbano, Decolar, Booking e outros há várias ofertas. Foi lá que eu vi a Eco Maceió. Claro que viajando na alta temporada é mais difícil encontrar preços baixos..."

Obrigada pela dica. Às vezes a gente acha que viajar é caaaaaaaaaaaaaaro e poxa, esse valor pelo tempo que você e o marido ficaram lá super compensa.

lola aronovich disse...

Anon das 10:10, compensa muito dar uma olhada nesses sites todos. Sempre tem ótimas promoções. Em dezembro conheci uma pousada em Caponga, CE, graças ao Hotel Urbano. Estava muito barato, R$ 350 o casal durante uma semana, numa pousada pertinho da praia, com piscina. E foi ótimo. Lá falei com o dono e ele disse que tinha o pé atrás em oferecer sua pousada nesses sites, mas que vale a pena e aumentou muito a taxa de ocupação. Eu super recomendo, tanto pra donos de hotéis e pousadas quanto pra turistas como nós. E se vc pode viajar em datas de baixa temporada, vai conseguir preços incríveis.


Jair, é lindo esse vale de nuvens. Por isso gosto de viajar durante o dia, pra ver essas nuvens todas. Meu sonho é tocar numa nuvem.

Cleber Pereira disse...

Poxa, Lolinha! Tinha enviado um tweet te convidando pra passear em Maceió e pra comer cartola e tapioca lá em casa. Mariana, minha mulher e sua leitora - que me fez virar um leitor também - ficou tristinha que não pudemos te ver. Que maravilha que gostou e quando voltar, por favor, vem nos ver! Beijão!

lola aronovich disse...

Ô Cleber, que pena! Tem que mandar email, twitter é complicado... Mas avisa a Marina que certamente voltaremos a Alagoas. Queremos passar uns 3 dias em Maragogi, que não tivemos o prazer em conhecer, e outros 4 em Maceió. Ainda não sabemos quando. Aí comeremos tapioca na sua casa! Estou com saudades das tapiocas aí de Maceió. Elas são ótimas! No café da manhã o hotel também servia tapiocas com recheio.
Mas cartola, o que é? É uma sobremesa com banana? Eu só como sobremesa com chocolate (e café).
Obrigada pelo carinho!


Julia querida, a Cecilia me disse isso de Aracaju também, que o mar fica lááááá longe... Isso não é problema. Vc é de lá?

Anônimo disse...

Lola, fico feliz que você gostou de Alagoas. Nós sentimos muito orgulho das nossas praias. Adoramos ouvir o quanto nossas praias são belas. Infelizmente algumas delas foram elitizadas. Próxima vez visite a praia de São Miguel dos Milagres. Recentemente foi eleita uma das praias mais belas do mundo. O povo de lá morre de orgulho. Quando a maré tá baixa é possível caminhar uma boa distância mar adentro até a piscina natural. É um interior lindo, cheio de histórias, de pessoas simples e hospitaleiras. Tem um mirante fantástico com uma vista incrível, ele é sombreado por um Pau-Brasil que de tão enorme tem a função de farol para os pescadores. Fica um tanto distante de Maceió, 1h30 de carro, mas super vale a pena.

@dddrocha disse...

aiai, praia, sol, nordeste...que lindo!