domingo, 1 de junho de 2014

DA SÉRIE "COMENTÁRIO QUE EU QUERIA TER FEITO"

Este comentário anônimo foi deixado no post em que comemoramos a decisão do governo de repassar verba para os abortos estabelecidos por lei (pois é, vivemos num país em que temos que comemorar quando uma mulher consegue abortar nos casos em que a lei permite). 
Claro que alegria de mulher dura pouco, e o governo revogou a portaria, fazendo a festa dos fundamentalistas. Mas o comentário anônimo fica (e estou inaugurando uma nova seção aqui no blog, a de "comentários que eu queria ter feito". Me deem um nome ou uma tag curtinha pra ela, por favor?):

É só em tópico feminista sobre aborto que eu vejo homem defendendo o direito de ser pai. Aí você lê direito e vê que não é isso que se defende, mas sim o direito de não pagar pensão alimentícia para os filhos. E aí você começa a entender a razão dessa corja sair dos esgotos onde mora para vir encher o saco de gente séria.
A coisa é tão simples.
ANTES DA GRAVIDEZ: vasectomia, camisinha (homem) MAIS todos os outros métodos contraceptivos (mulher). São necessárias duas pessoas para a concepção ocorrer de forma natural. Então um cuida do seu lado e outro cuida do lado dele.
DEPOIS DA GRAVIDEZ ESTABELECIDA E ANTES DO PARTO: aborto, clandestino no Brasil. Não fazendo o aborto, a gestante já pode pedir alimentos gravídicos (se comprovado que não era o pai da criança, ela ressarce).
LEMBRANDO QUE você só é devedor de pensão alimentícia DEPOIS DO JUIZ DIZER QUE É. É a partir da sentença que existe a obrigação. A justiça é lenta e não tem efeito suspensivo sobre a gravidez. 
DEPOIS DO NASCIMENTO: filho, com todos os DIREITOS DELE. Inclusive o de não morrer de fome porque o pai de repente deixou de achar que era uma boa ideia não chupar bala com papel naquela noite específica em que tudo aconteceu.
Pra pai e mãe terem o direito de não serem pais e mães, livrando-se de todas as obrigações, a criança primeiro precisa nascer para em seguida ser deixada para adoção. Isso significa entrar em contato com a Vara de Infância e Juventude da cidade e passar por duas audiências. 
Daí se destitui o poder familiar, COM SORTE, porque pelo ECA a prioridade é não desfazer o vínculo familiar, então nada impede de uma tia ficar com essa criança, por exemplo. E começa a enrolação. Crianças passam anos de adotabilidade (até 5 anos) esperando a papelada que quando sai, torna inviável a adoção na prática por conta dos critérios exigidos pelos pais (criança branca, saudável, sem memória da história passada e sem irmãos).
Então, mascuzinhos heterorrecalcados nojentos, fica o resumo para seus cérebros medíocres: não querem pagar pensão? Lutem para que no legislativo seja aprovada uma lei acabando com essa obrigação, que é direito do filho. Enquanto isso, usem camisinha. Ou façam vasectomia mais espermogramas regulares para verificar se há contagem. E quando ficarem bem velhinhos sozinhos e à míngua, lembrem-se que não vão poder cobrar pensão desse filho também. É isso aí!

92 comentários:

Musicista Feminista disse...

Oh moço, para você ser pai, uma mulher precisa carregar a criança nove meses na barriga e depois parir. Não é tão simples assim.
Então antes de ficar aí reivindicando os seus direitos como uma criança mimada, veja se não tem mais alguém no meio dessa história de ser pai.
Ah, já que quer tanto ser pai, vc podia adotar uma criança sozinho, e que com certeza foi deixada largada aí no mundo por algum pró-vida, porque sabe, eles defendem a vida quando ela não está fora da barriga. Depois que nasceu a mãe que se vire!

Cão do Mato disse...

Nunca vi uma criança morrer de fome porque o pai deixou de pagar pensão alimentícia...além do mais, só em sonho que vão revogar uma lei que obriga o homem a pagar a pensão. Não tem "cristo" que faça um governo revogar uma lei populista. Aliás, eu tenho uma posição bem definida a respeito do aborto: cuida da criança quem quis ter a criança. Simples. Se os dois não quiserem, faz-se o aborto. Se os dois quiserem, que se tenha o filho e os dois cuidem. Quando um quer e o outro não, é fácil resolver: a parte que quer o filho fica com a criança, isentando o outro de todas e quaisquer responsabilidades. Pronto.Difícil?

Claudia disse...

Ouvi hoje de uma conhecida: a filha de uma amiga em comum ficou gravida depois de um date rape. A garota nao quis contar pra familia, ficou com vergonha do ocorrido, mas depois de comprovada a gravidez contou tudo e ate fez boletim de ocorrencia. A familia (muito tradicional) foi contra o aborto. Mas ao descobrirem que o rapaz era negro consentiram rapidinho. Oh mundinho!!!


Maria Lia.

Anônimo disse...

A mulher faz a maior parte do trabalho(o filho)e é por isso que ela tem que decidir. Sócio minoritário que quer mandar no majoritário é sacana.

Cão do Mato disse...

Se existe um consenso que, na hora de se evitar uma gravidez a responsabilidade é dos dois, por que na hora de decidir sobre fazer (ou não) um aborto, só a opinião de uma das partes é levada em consideração?

Cão do Mato disse...

Filho=trabalho, "sócio minoritário", "sócio majoritário", "sacana",vixe...será que esse vai para o "comentários que eu queria ter feito"?

Anônimo disse...

e a mulher transa sem camisinha obrigada? a burrice foi dos dois,como sempre jogando a culpa nos homens.
vão vir como mimimi de machismo,por isso mulher aceita transar sem.

vejam a hipocrisia,vcs querem ter todo o direito de acabar com a vida do próprio filho sem que isso seja visto como crime,mas os homens serem presos por n pagarem pensão,n tem problema nenhum.

Ana disse...

Me pergunto até que ponto esses comentários misóginos representam o pensamento médio do brasileiro.
Lamentável.

Anônimo disse...

Lola e pessoas,

Alguém ficou sabendo do evento que ocorreu no campus da UFF em que a vagina de uma mulher foi costurada? Pelas fotos é a mesma mulher da marcha das vadias RJ ano passado que estava causando com o crucifixo e Santos..

Anônimo disse...

OFFtopic:
https://www.facebook.com/oem.tunados/posts/323724211108971?fref=nf
Ficaram sabendo disso?
Hoje no Rio de Janeiro, um sujeito postou no seu perfil que ama o filhinho pequeno, mas que ia matar a mãe desse filhinho porque parece que ela o traiu e por isso ela deveria morrer.
A moça foi morta a facadas!!!
PS: O irmão da vítima xingou e ameaçou o assassino. Irmão esse que vivia publicando coisas altamente machistas no seu próprio perfil.

Ana disse...

O outro imbecil, só pode ter nome de cão mesmo. Você é um idiota sem cérebro ou apenas se faz de burro?
É "fácil resolver" quando o aborto é ilegal? Quando quem coloca em risco a própria vida é a mulher?
Vai te informar, otário.

Anônimo disse...

Anônimo das 19:12
Não, a mulher não faz "a maior parte do trabalho". Ela faz O trabalho.
O homem só se diverte. Quem passa trabalho com gravidez, parto, criação dos filhos é a mulher. O babaca infeliz no máximo paga uma merreca de pensão.

Caio Borrillo disse...

Tem homem idiota aqui comentando que a mulher que se vire, já que quis ter a criança.

Vocês são bem desinformados, não?? Porque existe uma coisa chamada COERÇÃO REPRODUTIVA em que - ó, pasmem! - HOMENS sabotam os métodos contraceptivos da mulher para que ela engravide de um filho seu.

Então, se alguém realmente quer ser pai, vocês têm duas opções. Ou dividem a responsabilidade com uma mulher, de maneira consensual, obviamente, ou adotem! Tá cheio de criança precisando de um pai amoroso e cheio de disposição, mas parem de diminuir as mulheres. Parem de agir feio um bando de criancinha!

E outra coisa, especialmente para o último, esse anônimo desinformado aí, ABORTO NÃO É ASSASSINATO. Difícil, né? Difícil entender as coisas.

Anônimo disse...

joinville ta perto de curitiba.

Natália disse...

Me recuso a ler os comentários porque sempre tem um indivíduo ignorante demais e babaca para meu bom senso.

Izabela F. disse...

É por causa de mentalidade como essa de "sócio minoritário e majoritário" na concepção e criação de uma criança, que permite que homens não assumam suas responsabilidades como deveriam. Não quer dizer que pelo fato de uma mulher carregar a criança por 9 meses na barriga é ela que deve assumir todo o trabalho e, consequentemente, toda a culpa. Parem com isso!

Quanto à questão do aborto: posso estar enganada, mas me soa estranho que o feminismo se preocupe mais com a legalização do procedimento do que com a educação e conscientização das mulheres. Não entendo como vcs podem acreditar que a legalização do aborto vai mudar a situação que estamos vivendo hoje. Vocês acreditam que as mulheres de baixa renda vão mesmo ter acesso ao aborto assistido e seguro? Através de quem, do SUS? Vocês já viram o tamanho das filas para conseguir uma simples consulta de rotina? Vocês acham que uma mulher, depois de descobrir a gravidez, tomar a decisão e entrar na fila de espera para realizar o aborto pelo Sistema de Saúde público conseguiria realizá- lo antes do fim do primeiro trimestre? Não me considero pró- vida, mas acho que arrancar um bebê com mais de 3 meses de dentro do útero é assassinato sim!Os hospitais públicos não estão tendo condições de curar nem gripe, quanto mais arcar com esse procedimento. O que mais escuto de mulheres tentando justificar essas escolha é dizendo que as pílulas falham, gente, acho que os laboratórios farmacêuticos estão enganando a todas nós, ou existem mais mulheres azaradas do que eu imaginava. Conheço inúmeras mulheres conscientes da sua decisão de não ter filhos que usam pílula e outros métodos a vida inteira e nunca engravidaram (Acho que a própria Lola é uma delas...). Por que será? Elas não são especiais, simplesmente se cuidam para que não aconteça algo que elas não querem, simples assim! Alguns métodos, se usados corretamente, possuem menos de 1% de chance de falhar! Façam o favor e entendam que um aborto é um procedimento invasivo, tem consequências para o corpo da mulher e não pode ser encarado como um método contraceptivo corriqueiro.

Vocês justificam a legalização do aborto dizendo que isso é fundamental para que mulheres pobres parem de morrer nas mãos de açougueiros, enquanto as de classes mais altas fazem o procedimento com toda segurança em clínicas limpinhas, vocês acham mesmo que a legalização vai mudar esse quadro? O que vai acontecer é que simplesmente as patricinhas vão poder incluir seu aborto no plano da UNIMED que o papai paga. Aborto legal pra quem?

Acho que o feminismo deveria focar toda a sua energia para reivindicar melhorias na saúde, que melhoraria a vida não só das mulheres, mas de todo mundo. Deveria reivindicar que os alunos tenham educação sexual nas escolas. Já que existe muitas famílias em que o sexo é tabu, que esse assunto seja discutido de forma séria e eficiente nas escolas. Que a mulher receba maior atenção, não só em relação ao acesso a ginecologistas, mas também em relação a uma equipe multidisciplinar de psicólogos, assistentes sociais e etc, para que ela possa ser amparada e aconselhada em casos de violência, relações abusivas e etc. São tantas coisas que precisam e podem ser feitas para melhorar a vida das mulheres nesse país que, sinceramente, acho essa questão do aborto secundária. Acho que só então a partir da melhoria da qualidade de vida, seria pertinente focar toda essa ira na questão da legalização ou não do aborto. Fico triste que o feminismo, tão ligado aos movimentos de esquerda, não pense em questões como essas. Se pensa, eu não vejo, tudo o que vejo é o esbravejamento e o gasto de energia na tentativa exasperada de "converter" os "reaças pró- vida", enquanto o que importa mesmo é deixado de lado. Prioridades, minha gente...

Anônimo disse...

Favor não falar de Direito se é leigo no assunto. Alimentos são irrepetíveis. Mesmo se não for o pai, não há falar em devolução do valor pago.

Cão do Mato disse...

Prezada Ana (19:59): parece que você é quem tem problemas de falta de inteligência...Tá muito difícil de perceber que, no meu comentário, fica implícito que eu sou favorável à legalização do aborto?
P.S.: eu ia acrescentar algumas palavras "amigáveis" no meu comentário em retribuição aos "elogios" dirigidos a mim, mas parece que, palavras hostis, a Lola só libera para quem é mulher...

Cão do Mato disse...

"Homem sabotando os métodos contraceptivos da mulher para ela engravidar"??? HAHAHAHAHAHAHAHA!!!
É RUIM, HEIN? É muito mais fácil ocorrer o contrário!

Cão do Mato disse...

EU VOTO NO COMENTÁRIO DA IZABELA F. PARA O TÓPICO "COMENTÁRIOS QUE EU QUERIA TER FEITO"! PALMAS PRÁ ELA!

Anônimo disse...

É incrível, depois de um post e dezenas de comentários esses idiotas reclamando da pensão ainda não entenderam que, se não quiserem pagar pensão, eles tem o direito de SE PREVENIR. Por que esses idiotas só se rebelam contra o pagamento da pensão do filho que ele mesmo fez e se prevenir usando camisinha ou fazendo vasectomia nem pensar? E depois eles não querem ser chamados de idiotas...

Musicista Feminista disse...

Começou o mimimi, porque homem não pode decidir pelo aborto só a mulher?
Porque a criança está na barriga DELA!!! É o corpo dela que vai ser usado para uma vontade do homem. O povo acha que gravidez é balela, vc nem sente que está grávida...

Caio Borrillo disse...

Cão do Mato,

faz um favor. Vai naquele buscador bem famoso chamado GOOGLE e procura por "coerção reprodutiva" antes de abrir a boca pra falar merda do que você não sabe. Tá???

Aliás, fui tão legal, mas tão legal, que te trouxe um texto introdutório bem bacana pra vc se informar mais antes de vir comentar de novo, valeu??

http://www.news-medical.net/news/20140304/5369/Portuguese.aspx

Guarde as risadas pra si mesmo por ter sido tão imbecil por não buscar informação antes.

"beijinho no ombro" no seu recalque, que vc tá merecendo.

Anônimo disse...

ALÁAAAAAAA! Homem falando que coerçao reprodutiva não existe!!

nem sabe do que tá falando mas vem comentar assim mesmo. Típico de machistinha.

ainda dá risada como se tivesse razão!!

não quer pagar pensão??? encapa o pau e não corra o risco, seu machista desacerebrado!

André disse...

"Então, mascuzinhos heterorrecalcados nojentos, fica o resumo para seus cérebros medíocres: não querem pagar pensão? Lutem para que no legislativo seja aprovada uma lei acabando com essa obrigação, que é direito do filho. Enquanto isso, usem camisinha. Ou façam vasectomia mais espermogramas regulares para verificar se há contagem. E quando ficarem bem velhinhos sozinhos e à míngua, lembrem-se que não vão poder cobrar pensão desse filho também. É isso aí!"

Caraca, isso é exatamente o que os evangélicos dizem para as feministas que defendem o aborto.

Camila Gois disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
D Stoffel disse...

Defendem o aborto porra nenhuma só querem desmerecer as mulheres, quantos caras pedem pra mulher abortar só não pagar pensão, no mínimo deveriam lutar por uma guarda compartilhada mas nem isso fazem, preferem fugir, ou dar uma merreca de pensão e achar que tá fazendo muito. Não estou dizendo todos mas é o que a maioria faz, aí depois vem falar aqui como se fossem os maiores "santos".

D Stoffel disse...

Pois é André machistinha,
já que o homem quer tanto que a mulher tenha o filho que cuide de arcar também com as despesas e com amor ou então pegue a guarda, falar é fácil né mas na prática nós sabemos como vcs agem.

Anônimo disse...

Por isso que no Br pensão dá cadeia esses malandros querem fazer sexo com todo mundo e ainda não querem arcar com a responsabilidade xilindro mesmo!

Luh disse...

Isabela F

A situação atual do SUS não pode servir de desculpa para negar às mulheres o direito de interromper a gravidez. Vejo que pela sua lógica a possibilidade de que muitas mulheres eventualmente não consigam ser submetidas a um aborto na rede pública deve servir para que todas não tenham o direito ao aborto. Já pensou se lhe fosse tirado o direito a ir em um dentista porque muitas pessoas não tem acesso à tratamento odontológico?
Me desculpe, mas seu comentário está cheio de falácias. Maneiras de não se enfrentar a questão tentando fugir do assunto.
Você acha que a mulher deve ter direito a abortar se quiser?
Se sim, o aborto deve ser permitido, não?

E independentemente da situação das mulheres que você conheça, estatísticas apontam que 45% das gravidezes não foram planejadas http://www.meionorte.com/noticias/geral/45-das-gravidas-nao-se-planejaram-158870.html

Atualmente tem sido negada à mulher o direito ao aborto inclusive nos casos previstos em lei. É só ler sobre a portaria que garantia à mulher o direito ao aborto legal e que foi recentemente revogada. Você acha mesmo que lutar contra isso não é relevante Isabela?

E mesmo às patricinhas deve ser dado o direito de interromper à gravidez se assim elas quiserem.

O fato é que a proibição coloca mais mulheres em situação de risco. É preciso acabar com isto.

É engraçado,ver você dizendo que as feministas não lutam para que a mulher não seja aconselhada caso sofra violência sexual. O PLC 2013 que prevê atendimento a vítimas de violência sexual nas redes públicas foi combatido por entidades religiosas que não queriam, entre outras coisas, que fosse dado às mulheres a pílula do dia seguinte. Quem defendeu o PLC 3/2013, sem vetos? As feministas. Pois é.



André disse...

D Stoffel,

Não entendi. O que eu disse é que recomendar o uso de métodos contraceptivos para quem não quer ter filho é o argumento típico dos religiosos que são contrários ao aborto, como se esses métodos não falhassem.

Anônimo disse...

homem dando o golpe da barriga????kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

é o contrário

Izabela F. disse...

Querida Lú

Ok,vamos devagar: Em nenhum momento do meu extenso texto eu disse ser contra a legalização do aborto. Eu disse basicamente 3 coisas que vou destacar em tópicos para ver se fica mais fácil de entender:

1º. Eu acho que o nosso SUS NÃO tem a mínima condição de arcar com o aborto. O que eu falhei em não ter colocado no meu primeiro comentário é que sou irrestritamente a favor dos casos previstos pela lei e penso que o SUS deveria dar conta deles sim. Então, já que o SUS e o governo não estão dando conta de garantir um direito que já existe há décadas, o feminismo deveria se ocupar em se mobilizar para fazê- lo funcionar. A lógica é bem simples: vamos melhorar e fazer funcionar o que já temos, para então reivindicar o que não temos! Acho que agora ficou mais fácil de entender, né?

2º. "pela sua lógica a possibilidade de que muitas mulheres eventualmente não consigam ser submetidas a um aborto na rede pública deve servir para que todas não tenham o direito ao aborto"
De acordo com essa frase SUA, você então admite que o aborto vai continuar não sendo para todas, né? Que coisa, não sabia que para o feminismo também existem os direitos das ricas e os direitos das pobres. As patricinhas JÁ abortam quando querem. Por que na hora de convocar para a luta todas são convidadas e na hora de usufruir do que foi conquistado só algumas terão direito? E depois quem diz falácias sou eu...

3º. 45% das gravidezes podem até não ser planejadas (a minha mesmo não foi!) mas, a partir do momento em que uma mulher transa (estou falando sexo consentido e não de estupro) sem se prevenir ou possui algum tipo de dúvida se está usando o seu método contraceptivo da maneira correta, ela está assumindo o risco de, eventualmente, engravidar, certo? Então, se ela NÃO quer ter filhos por que raios ela transa sem se prevenir ou de garantir que está se prevenindo de maneira correta? Por que raios ela assume o risco de engravidar??? Sinto muito, mas isso é uma coisa que não entra no meu cérebro!

Para finalizar, eu acredito piamente na garantia dos direitos que promovem o bem estar e o desenvolvimento de todo ser humano, independente de ser homem ou mulher. E eu acredito que dois desses direitos são fundamentais: a educação e a saúde. Acredito também que o Brasil está longe de conseguir garantir essas duas coisas para o povo. É por isso que eu, mulher, acredito que nós devemos lutar primeiramente para que os nossos direitos básicos sejam assegurados com decência e, sinto muito desapontar, para mim a questão do aborto de um feto saudável em uma mulher saudável não é uma urgência em nosso país. Acredito que, em primeiro lugar, devemos lutar para termos condições básicas de sermos livres e independentes para fazermos escolhas e só temos condições de nos sentir assim se podemos contar com uma infraestrutura básica que funcione. Acredito que isso deva ser um direito de todas e não um privilégio de algumas. É por isso que acho sim que se algo for conquistado, deve ser conquistado para todas e se a conquista não for possível para todas que,em primeiro lugar e antes de mais nada, se lute para que seja.

Ficou claro, Lú? Não sou boa de desenho mas, se precisar, posso tentar...

Erres Errantes disse...

Gravidez não é castigo. Nenhuma mulher deve ser obrigada a ter um filho se não quiser.
Devemos lutar é para que o SUS arque com todas as necessidades da população.

Anônimo disse...

Aff, alguém ficou sabendo?

http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2014/05/policia-investiga-denuncia-de-estupro-de-adolescente-4514714.html

https://scontent-b-dfw.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/t1.0-9/q71/s720x720/10410283_630791477012845_2060742518343912929_n.jpg

Os caras não foram presos pq são "menores". Eles são menores e estupram, então tá beleza.

Eles postaram inclusive um vídeo do estupro, em q a menina aparecia gritando e chorando. E teve gente com a pachorra de dizer q ela quis.

ODEIO, ODEIO esses marginais que usam da idade para fazer escrotices.

Anônimo disse...

'Então, se ela NÃO quer ter filhos por que raios ela transa sem se prevenir ou de garantir que está se prevenindo de maneira correta? Por que raios ela assume o risco de engravidar??? Sinto muito, mas isso é uma coisa que não entra no meu cérebro!'

Já ouviu falar da Lenda da Camisinha que Estourou Sem Querer? Conto famoso, mas ninguém dá importância.

Izabela F. disse...

Pois é Anon. de 00:14... É por isso que pode e é recomendado que se combinem 2 tipos de métodos. Em geral o de barreira + hormonal (Ex: camisinha + pílula) e, em último caso, a milagrosa poção mágica da Pílula do Dia Seguinte (que, se bobear, funfa até 72 horas depois do ato consumado)! Que tal?

Ah é, e pro André que falou que "que recomendar o uso de métodos contraceptivos para quem não quer ter filho é o argumento típico dos religiosos que são contrários ao aborto, como se esses métodos não falhassem.", favor fazer a fineza de me apresentar à esta religião e seus adeptos para que eu possa cumprimentá- los.

Natalie disse...

'E meus direitos de pai? blablablablabla..."

Hominho, não é tu que vai carregar um bebê dentro de você. É a mulher. ELA escolhe o que quer fazer com o corpo dela! Se quer ser pai, adote, como muitos já sugeriram aí.

É dureza esses malditos pró vida que de VIDA não tem nada. Pra eles: Mulher = Encubadora. Feto: Novo Jessuis Cristo. E foda-se a Maria que teve que morrer pra ter ele, ou que foi estuprada e vai ter que ter o filho de um escroto.

Uma amiga minha ficou grávida de um estupro pelo namorado, e a familia era "a favor das leis de um deus cruel" e ameaçaram ela. Se ela fizesse aborto, eles nunca mais iriam olhar para ela. Ai a moça olhava para aquela barriga de estupro e sentia nada, mas nojo, muito nojo. Eu esculachei cada pessoa que condenou-a por se sentir assim, é um direito dela, só ela sabe o que passou. E o caso teve um final feliz, graças à.... Mim e outras amigas! Víamos como ela sofria e dissemos para ela mandar a família para aquele lugar. Ela abortou e até hoje não se arrepende.

Esses "pró vida" querem o quê? Que elas continuem grávidas de um homem nojento? Ou morrem pelo filho, que todo mundo pensa que vale mais do que ela? Ou que são obrigadas a gerar um feto anencéfalo, só para ver ele morrer?

Eu penso que filho devia ser uma benção [para quem quer] e não um fardo.

Luh disse...

Izabela F, como eu disse no comentário anterior o SUS não faz aborto legal porque a portaria que o permitia foi revogada, não pq "não dê conta" como vc afirma.

E uma luta não impede a outra. A Lola msm se posicionou veementemente à revogação do aborto legal pelo SUS e é favorável ao aborto em qualquer caso.

A legalização do aborto faria com que mais médicos o realizassem o que baratearia o valor de um aborto sendo acessível inclusive a mulheres mais pobres.

A fila de transplantes é enorme. Muitos, talvez a maioria, dos que precisam de um transplante morrerão na fila de espera. Mas isso não é motivo para que a realização de transplantes seja proibido, não é? O mesmo vale para serviços odontológicos, de psicólogos etc.

E sim, mesmo com a legalização, infelizmente, muitas mulheres que desejam um aborto não o conseguiriam. Isso é motivo pra que o aborto seja proibido? Não, não é.

Uma mulher que faz aborto pode vir a ser penalizada, e muitas vezes o é. Isso não é justo. Ela deve então ser penalizada pq optou por interromper uma gravidez pq isso não é acessível a todas? Vc deve ser penalizada por usar internet livremente já que muitos não tem acesso?

Não se trata de "direito das ricas e das pobres" mas direito de todas, ainda que nem todas consigam o aborto via SUS, pelo menos não responderão criminalmente por exercer um direito sobre seu corpo.

E esse seu discurso de que há lutas mais relevantes a serem travadas é o mesmo que defensores das minorias ou dos direitos dos animais ouvem. "Pq vc não luta pelas criancinhas com fome ao invés de lutar pelos animais" ouve muito quem defende animais.

Engraçado que quando se é contra a mudança de uma situação essa luta não é suficientemente importante não é?

É ser contra a lelagização do aborto e ser contra à luta pela legalização dá práticamente no mesmo.

Bom, aborto é uma das maiores causas de morte materna. Se ainda assim a luta pela sua legalização não é suficientemente importante pra vc, vc mesma pode lutar pelo que te agrada ao invés de pautar as lutas dos outros.

Além disso, noto uma certa vontade sua de descaracterizar o feminismo. Ora, mulheres tem menos direitos que os homens consequência de cultura machista. Devemos lutar contra isto sim, ainda que existam outros problemas graves no país e no mundo. Seu discurso me lembra aquela história de que não deve haver consciência negra, mas consciência humana. Enquanto isto o direito das minorias vai sendo varrido pra debaixo do tapete. Há guest post no blog da Lola sobre isto.

Na época que mulheres não podiam votar o mundo não era perfeito. Havia fome, guerras etc. Já imaginou se as mulheres abdicassem da luta pelo direito ao voto pq havia assuntos mais relevantes para tratar?

Izabela F. disse...

Lú, realmente o meu senso de justiça não consegue corroborar com algo que parece ter dois pesos e duas medidas. E não entendo que um movimento tão identificado com ideologias de esquerda assuma essa posição e entendo muito menos os adeptos desse movimento que prega igualdade, lutarem por algo que sabem que continuará beneficiando apenas uma minoria. Utilizando um de seus exemplos, eu nunca ouvi um negro militante admitir que luta para que apenas a pequena porção de negros bem sucedidos tenham os mesmos direitos dos brancos. eles querem igualdade para TODOS os negros. Vc mesma admitiu em seus comentários que apenas a pequena porção de mulheres com condições continuaram a ter direito ao aborto se ele for legalizado. A outra porção (a maior) continuará sem escolha.

Respeito a opinião da Lola e eu nunca li ela dizendo que para ler e comentar no blog é preciso ter as mesmas opiniões que ela. E sim, quero mesmo descaracterizar esse seu feminismo contraditório.

Repito: para mim, a legalização do aborto (de um feto saudável, em uma mulher saudável e fruto de uma relação consensual) é algo secundário se comparado a questões de infraestrutura básica! Por favor, não venha me dizer que um aborto é tão relevante quanto o acesso a um transplante. Se você pensa que é, bom, espero que você nunca precise de um transplante...

Repito: Pelo o que entendi, a lei existe e legaliza aqueles 3 casos que já sabemos, só que não funciona por "n" motivos e um deles é sim porque o SUS não dá conta! Ou na sua opinião o SUS consegue atender o povo de forma satisfatória? Então, a luta deveria ser focada para fazer funcionar o que já foi conquistado! Depois se concentra no que não tem... É o mesmo que querer construir uma casa começando pelos acabamentos, entende?

Sinceramente, você acha que o aborto é um método contraceptivo que deva ser utilizado corriqueiramente? Você acha mesmo que mesmo em clínicas o aborto, um processo tão invasivo, não provoque mortalidade e danos às mulheres? Sério, sem zueira, você não acha que é bastante válido conscientizarem as mulheres para que elas utilizem métodos contraceptivos que são seguros e que já podem ser adquiridos gratuitamente ao invés de instigá- las a reivindicar o direito de ter um aspirador de pó sugando o interior de seus úteros? Perguntem a QUALQUER médico sério e responsável,que seja a favor do aborto e ele te dirá: aborto não é método contraceptivo.

Cada um sabe da realidade em que vive e, na minha, aborto de feto saudável em mulher saudável e fruto de relação consensual é questão secundária e fútil, principalmente se é algo que não irá beneficiar a todas.

Izabela F. disse...

Ah é, e de acordo com sua lógica de que a legalização do aborto faria com que mais médicos o realizassem o que baratearia, tornando acessível inclusive a mulheres mais pobres, existem, por exemplo, muitos cardiologistas e nem por isso eu vejo pessoas mais pobres deixando de depender do SUS para fazerem uma consulta. Baratear para quem, cara pálida?

Anônimo disse...

engraçado que tem gente falando de que não conhece tantas azaradas q o método não deu certo mas já fica implícito que se a pílula tem apenas menos de 1% de chance de falhar alguém pode ser a azarada que estará entre esses menos de 1%. Não é porque vc não conhece que não exista, logo num mundo de 7 bilhões de pessoas no qual milhões usam pílula, se verá vários casos em que houve falha pois quanto seria por exemplo menos de 1% de, digamos 100 milhões de mulheres?
Sei que nem todo caso de gravidez indesejada é porque o método contraceptivo falhou, mas existe sim casos assim, e muitos.

Anônimo disse...

Se os caras não querem pagar pensão pra filho por que não lutam tambem pela legalização total do aborto?
Olhando pelo lado deles seria uma boa poder ter opções ou apoiar pra tirar esse fardo, não?
Concordo que a responsabilidade de transar com ou sem camisinha seja dos dois (no caso de sexo consensual) mas se você tem tanto medo de ter que pagar pensão, por que não exige e/ou cumpre seu direito de se prevenir?
Comer a bala sem o papel é bom, o chato é ter que ser obrigado de forma mínima (por que ser pai não é só tirar grana do bolso todo mês) a arcar com as consequências, não é mesmo?

vivian disse...

Izabela F.

Leia a lei:

"Art. 128 - Não se pune o aborto praticado por médico: (Vide ADPF 54)"

O SUS é um atendimento UNIVERSAL de saúde. Qualquer procedimento médico necessário à saúde e dentro da conformidade da lei deve ser contemplado pelo SUS.

Seu argumento é cheio de falácias.
Se do seu ponto de vista, o SUS não deveria contemplar aborto legal, então também não poderia contemplar tratamento para pacientes de câncer de pulmão proveniente do tabagismo, pois eles fumaram e saberiam que poderiam ter câncer (tipo, oi?).

No entanto, tanto aborto legal quanto câncer com qualquer causa são tratados pelo SUS (este último com custos astronômicos, aliás).

O que a portaria cria é um serviço de aborto legal em TODA a rede, não apenas em poucos hospitais.

Completamente dentro da lei.

Anônimo disse...

Se o homem NÃO PODE pagar pensão, ele pode falar com o juiz sobre a impossibilidade dele. Não é cadeia instantânea pra ele.

Anônimo disse...

Há de se apreciar a sinceridade masculina.

Instinto de cuidado com os pequenos é o caralho, o bolso deles é a coisa mais importante e pronto.

Sincero e direto! Nada de hipocrisia! "Não vou pagar pensão porque EU NÃO QUERO"!

Genial, galera. Ainda bem que mulher não é assim porque se fosse simplesmente a galera ia jogar a criançada no lixo.

Aliás, minha mãe fala muito dos hómi que pedem cancelamento da pensão porque a mulher ganha bem. Tipo, só é justo pra eles se a mulher passar fome pra alimentar a criança. Ignoram que foda-se se a mulher ganha mais que o homem, ele tem que ajudar nem que seja com dez real, poxa.

André disse...

Izabela F.

Uma coisa é o discurso da igreja, outra coisa é o discurso de seus fiéis. Por exemplo, a ICAR é contra o aborto e contra métodos contraceptivos exceto a abstinência. Porém tem católico que é a favor do aborto, tem católico que é contra o aborto mas a favor de outros métodos contraceptivos (em geral é esse grupo que ignora a possibilidade de falha dos métodos contraceptivos) e tem católico de verdade.

Anônimo disse...

Hominho, não é tu que vai carregar um bebê dentro de você. É a mulher. ELA escolhe o que quer fazer com o corpo dela! Se quer ser pai, adote, como muitos já sugeriram aí.


a mulher engravida sozinha? que eu saiba o homem participa tb e se a mulher engravida o filho tb é dele.
vcs só apresentam argumentos ridículos para validar esse absurdo.

Anônimo disse...

se comprovado que não era o pai da criança, ela ressarce

Só para constar, essa informação está errada. Não existe previsão de ressarcimento obrigatorio nessa lei. O que pode acontecer é um processo por danos morais e materiais. Eventualmente, pode ocorrer uma acusação por estelionato, caso fica provado a má fé da mãe.

Anônimo disse...

Cão do Mato... tsc tsc Quão simplista, ingênuo, infantil. Esse cara gosta de perturbar em vários lugares.

Bela Campoi disse...

O debate tá ótimmo aqui! O SUS é mesmo estigmatizado, e apesar de ser um sistema nacional, seu funcionamento ocorre nas instâncias municipais, de modo que há variações incríveis Brasil afora. Eu uso o SUS e não reclamo, porque sempre que precisei (confesso de fugo de médicos, PA´s e hospitais...) fui bem atendida. Mas esse discurso de preocupação com saúde e educação, infelizmente no Brasil,a realidade é que, diante da melhoria de vida, a primeira coisa que as famílias fazem é contratar um plano de saúde privado e colocar os filhos na escola particular! Em Cuba, por exemplo, o aborto é legal e feito através de medicação, de modo rápido e eficiente, sem necessidade de internação e tal. Tô fazendo uma brain storm aqui, gente...rss... Então não vejo lógica nessa ideia de hierarquias de lutas feministas, não... aliás, isso me soa bem bizarro!

Anônimo disse...

Será q o andré consegue deixar um comentário feminista nesse blog ou pelo menos q não seja tão machista? tipo uma vez na vida? Pq pqp.. só comenta pra ir contra o post, sempre defendendo o lado masculino mesmo nesse caso de ABORTO! Sério q feministas querendo os direitos e a segurança das mulheres são q nem a os evangélicos ''pró-vida''? Pensa um pouco antes de escrever, não machuca

E Cão do Mato devia ser ignorado, é claramente um troll

André disse...

Anônimo 09:38,

Eu não disse que sou contra a legalização do aborto, só disse que o argumento utilizado pela autora do post reforça o argumento de quem é contra a legalização do aborto.

Cão do Mato disse...

Simplista, ingênuo, infantil?? HAHAHAHAHA! Simplista é fazer aborto. Criar o filho é que é difícil, né? Por isso eu digo que não há muita diferença entre a mulher que faz aborto (com exceção dos casos previstos em lei) e o cara que vive se escondendo do oficial de justiça para evitar a intimação para reconhecer o filho. Ambos estão fugindo da responsabilidade de criar o rebento. A diferença é que, como a mulher é quem carrega o filho na barriga, ela acha que não tem essa obrigação. Aliás, mulherada (e alguns babacas também) que estão dizendo que todo o "trabalho" (nossa, que sacrifício que deve ser uma gravidez, não?) é da mulher e que o homem, no máximo, paga uma merreca de pensão: já que a pensão é só um detalhe, que tal abrir mão? Ninguém quer, né?

Anônimo disse...

Sim, Izabela, o aborto de um feto saudável e fruto de uma relação consensual é tão importante quanto um transplante. Um casal jovem de namorados ser obrigado a assumir um filho indesejado, ou um bebê ser dado em adoção em nosso sistema burocrático altamente ineficiente é algo sim extremamente relevante.

Anônimo disse...

Muito bem observado. Essa mentalidade do aborto procedimento clínico é como a do estupro pelo desconhecido nas ruas, de madrugada... Bem falaciosa e auxilia argumentos estapafúrdios como "aborto é menos importante que transplante".

Cão do Mato disse...

Eu nunca disse que não existe a tal "COERÇÃO REPRODUTIVA". Claro que deve existir, mas deve ser tipo assim, 1 caso de homem fazendo isso para 10 casos onde a mulher faz a mesma coisa. Além do mais, como que um homem consegue "sabotar" o método anticoncepcional da mulher? Ele esconde a cartela de pílula? Aí a mulher não acha o anticoncepcional, não toma e faz sexo mesmo sabendo estar desprotegida? Então não é coerção, é negligência feminina. Se a mulher usa DIU o cara faz o quê? Arranca o negócio lá de dentro? Ha, a camisinha! Aí o cara pode furar a camisinha. Tudo bem. Mas isso só vale para os casais que usam esse método contraceptivo. E também não basta furar o negócio, a mulher precisa estar no período fértil, informação sobre a qual o homem não tem muito controle.

Elisa disse...

"se comprovado que não era o pai da criança, ela ressarce"

Não vou entrar no mérito dos demais temas, tenho minha opinião, mas respeito a opinião do post e dxs leitorsxs. Mas nesse trecho foi dita uma informação errada. Os alimentos gravídicos são totalmente irrepetíveis, mesmo que se comprove que o homem não era o pai e até mesmo se a mulher estava de má-fé. Além disto, existia uma artigo na lei permitindo que a mulher fosse acionada pra ressarcir os alimentos pagos indevidamente, mas tal artigo foi vetado pela Presidente. Nos termos da lei hoje, basta que a mulher indique "indícios" (e não provas) de que teve uma relação com o indivíduo para que ele possa ser condenado ao pagamento dos alimentos até o nascimento da criança, ao menos.

cianaly disse...

Esse cão do mato deve ser ignorado. Nem compensa debater com esse ser. Pelos nível dos comentários do individuo, deve ser o mesmo Cão do Mato que comenta lá no blog do Sakamoto e que, há tempos, deixei de perder rebatendo o que ele diz.

Lilyan disse...

Izabela,

Entendo o ponto de vista sobre a educação e sobre a situação precária do SUS.
A educação definitivamente auxilia a previnir casos de gravidez indesejada e consequentemente a redução de abortos.
De um outro lado, assim como já citado diversas vezes, mulheres ricas também abortam, e elas, em teoria foram educadas.
O SUS é falido. Mas ele atende uma parcela da população sim. Hoje existe a lei que determina que o aborto pode ser executado em caso de estupro, feto anacéfalo e quando a gravidez indica risco para mãe. Mas na prática a verba repassada ao SUS não cobria os gastos. E foi por isso que a portaria 415/2014 decretou. Não se trata - APENAS - de não poder atender a todos, se trata das pessoas se posicionarem contra um direito que é nosso.
O Feminismo deve lutar sim pelo direito a autonomia da mulher sobre seu corpo. O aborto é uma dessas formas. Ninguém quer usar o aborto como forma de contracepção. Mas a mulher deve ter o direito à escolha. Isso é negado quando o aborto não é permitido.
Sobre teu comentário: "Cada um sabe da realidade em que vive e, na minha, aborto de feto saudável em mulher saudável e fruto de relação consensual é questão secundária e fútil, principalmente se é algo que não irá beneficiar a todas."
1 milhão de abortos por ano, a cada dois dias a morte de uma brasileira não é uma questão secundária, muito pelo contrário. O direito de abortar não beneficia a todos, mas evita mortes!

Cão do Mato disse...

Se eu realmente devesse ser ignorado, não haveria a necessidade de alguém dizer isso...

Ana Carolina disse...

Esse discurso de "mas o SUS não dá conta e só as patricinhas com Unimed poderão fazer aborto" é problemáááático...

Primeiro: há SUS e SUS. Há hospitais que funcionam maravilhosamente bem dentro do SUS, capazes de dar conta do recado, e hospitais lastimáveis. Aliás, há hospitais particulares lastimáveis (inclusive já precisei de internação em um 100% particular que não tinha médico para assinar os laudos e liberar quem já podia ir embora).
E a legalização do aborto poderia abrir brechas maravilhosas, como as casas de parto que prestam serviço gratuito às gestantes carentes. Fazer as coisas DENTRO DA LEGALIDADE, no ativismo, sempre é uma porta aberta para universalização do acesso. Sempre tem o médico que poderá fazer às claras (porque, saibam ou não, tem médicos, inclusive da rede pública, que apesar de não poderem se expor, indicam para as pacientes que realmente desejam um aborto como consegui-lo), poderá implantar no seu atendimento e fazer as coisas melhores.

Segundo: supondo que a pessoa possa fazer isso, de arrecadar dinheiro entre amigos e parentes para pagar o procedimento, ela poderá fazer num hospital credenciado, com segurança muito maior do que numa clínica clandestina onde ela está exposta a tudo.

Terceiro: qual o problema intrínseco da "patricinha da unimed"?

Quarto: é ÓBVIO que educação sexual, acesso aos meios contraceptivos e tal é parte da solução do problema. Mas enquanto isso NÃO ACONTECE, as mulheres vão continuar morrendo? Então ninguém pode fazer aborto legal enquanto não houver ampla educação?
Isso me lembra um pouco o argumento anti-cotas clássico (eu inclusive acreditava nele antes de perceber o grande problema): por que dar cotas se o problema real é a falta de educação de qualidade? Ao qual se responde: e quando uma coisa exclui a outra?

São duas lutas paralelas, a educação sexual e as possibilidades de abortar dentro da lei. E, até onde me consta, quem luta CONTRA a educação sexual não são exatamente as feministas...

Cão do Mato disse...

"Aborto não é menos importante do que transplante". Putz...Só mesmo alguém que nunca passou por uma sessão de hemodiálise ou não faz a mínima idéia da corrida contra o tempo que é a espera por um fígado, prá dizer uma sandice dessas...

André disse...

Educação nunca é demais, mas tá cheio de universitária de classe média engravidando por acidente. Então não creio que dê para apostar todas as fichas na educação.
E é bom lembrar que o SUS paga a conta mas quem administra os hospitais e clínicas são os governos estaduais, municipais, fundações, etc.

Izabela F. disse...

Espero de coração que os anons. das 10:23 e das 10:30 nunca precisem de um transplante! e eu só comparei o aborto a um transplante porque a fia fez isso primeiro.

Ok coleguinhas, já que pra vcs o abortinho nosso de cada dia é de suma importância e que deve ser urgentemente legalizado porque o Brasil é atrasado nessa questão (só nessa, o resto está tudo ok), espero que não haja choramingação quando o troço se mostrar um desastre total como SEMPRE acontece quando tentamos dar um passo maior que as pernas.

Quanto a quem falou que casaizinhos apaixonados não devem ser obrigados a criarem filhos muito jovens, eu também penso que não. Faz o favor de explicar pra eles como os bebês são feitos e como eles podem ser evitados, simples assim!

Gente, repito: aborto não é método contraceptivo e não deve ser utilizado como tal, pelo menos façam o favor e se conscientizem disso já que, repito, abortinho é questão de extrema urgência nesse país maravilhoso!

Ah é, e eu espero que o hospital público de todo mundo seja tão maravilhoso quanto ao que fia aí de cima costuma frequentar!

Anônimo disse...

E eu espero de coração que você não precise de um aborto!!!! Ah, mas você deve ter dinheiro pra clínica clandestina se precisar.

Mas tem que ser uma palhaça pra fazer uma comparação dessa. Vamos lutar por transplante ou câncer? Câncer ou educação? Educação ou saneamento básico? Racismo ou feminismo? E nem percebe a palhaçada? Mesmo?

Anônimo disse...

''Quanto a quem falou que casaizinhos apaixonados não devem ser obrigados a criarem filhos muito jovens, eu também penso que não. Faz o favor de explicar pra eles como os bebês são feitos e como eles podem ser evitados, simples assim!


Gente, repito: aborto não é método contraceptivo e não deve ser utilizado como tal, pelo menos façam o favor e se conscientizem disso já que, repito, abortinho é questão de extrema urgência nesse país maravilhoso! ''

Nossa, Izabela, quanta falta de respeito com as milhares de vítimas de abortos ilegais. Vc está ciente do número de mulheres q morrem em abortos clandestinos ou q são obrigadas a ter um filho q não querem, e vem aqui dizer q lutar pela legalização não é importante.

E vc espera q os casais de namoradinhos parem de fazer sexo? Pq isso nunca vai acontecer. Direito ao aborto não tem q ser algo exclusivamente sofrido. Uma mulher não precisa correr risco de vida ou ter sido estuprada para ter direito a algo tão básico.
E eu estou pra ver uma feminista q saia por ai berrando ''Vamos abortar menininhas! Tudo nos trink!!:))) ''. Geralmente são feministas (ou simplesmente pessoas com cérebro) q lutam para q tenhamos uma educação sexual de qualidade.
O aborto é sim uma questão feminista, queiram vcs ou não. Ser feminista e ser contra o aborto não faz sentido algum.
Gravidez indesejada é algo q acontece em todos os lugares do mundo, a diferença é q em certos países quando uma mulher se vê grávida, ela tem direito do q fazer com seu corpo

Anônimo disse...

Interessante que a moça chamou o cara de machista por que ele fez uma crítica ao texto.
Por isso estou parando de falar com feministas, só prescisa uma palavrinha mal usada de um homem para ele ser machista.

Chico

vivian disse...

Isabela:

É má fé da sua parte ou você só se dispõe a discutir com quem é mal educado?

É difícil argumentar com que ironiza desta forma como está fazendo.

Sim, Brasil é atrasado neste assunto. basta ir a qualquer país de primeiro mundo. Até a Itália, berço do catolicismo - e do senso comum católico no qual ironicamente nossa sociedade se baseia - tem aborto despenalizado.

Uma reivindicação não anula qualquer outra necessária. Sugere que paremos o Brasil e se resolva uma questão por vez? Vamos deixar apenas um projeto de lei rolando por vez? Não faz nenhum sentido, não imagino nem por que vc formule uma possibilidade dessas. O Brasil possui uma máquina pública com vários pontos ineficientes, mas sem dúvida um dos pontos a se reclamar não é a existência de uma exclusividade de pauta. Vários assuntos estão sendo discutidos neste estão momento. Modificados, implementados.

Acredito que é consenso entre qualquer pessoa que aborto não é método contraceptivo, inclusive é consenso entre feminista. Estamos em total acordo com esta questão.

Anônimo disse...

"Aliás, mulherada (e alguns babacas também) que estão dizendo que todo o "trabalho" (nossa, que sacrifício que deve ser uma gravidez, não?) é da mulher e que o homem, no máximo, paga uma merreca de pensão: já que a pensão é só um detalhe, que tal abrir mão? Ninguém quer, né?"

Cacilda, agora me revoltei, é um sacrifício sim uma gravidez, vc passa mal o tempo todo, vomita, fica tonta, não consegue respirar, não consegue andar, dói as costas, dói as pernas, dói o pé, dói o útero, vc incha seus sapatos não entram, seu cabelo se joga da cabeça, sua unha quebra só de olhar. Sem falar no psicológico...o que vai ser do meu emprego, minha faculdade, vou dar conta, onde vou deixar meu bebê depois que a licença acabar, se eu decidir ficar em casa será que o salário do companheiro cobre tudo??? Meu caro, vc praticamente abre mão do seu existir pra gestar outro ser, até seus pensamentos ficam confusos, e claro que, vc como homem nunca vai conseguir mensurar o que é uma gravidez. Só digo que vcs deviam agradecer todos os dias suas mães por passarem por tudo isso por vcs. É muito amor viu.

O mínimo que os pais devem fazer é ajudar a bancar a cria depois oras. A "rica" pensão não é pra mãe ir pro salão de cabelo não, vc já viu o preço de coisas que um bebe usa? Um pacote da fralda mais popular que tem é R$20,00 com no mínimo 1 fraldas, um RN usa em média 8 por dia. Acorda fio.

Camila B.

Camila Gois disse...

Izabela F., eu entendo seu ponto de vista. Não concordo em relação á prioridades, mas tb acho que o foco deveria ser a prevenção, e não o aborto. O "Não quer filho, previna-se", vale tanto para o homem quanto para a mulher. O aborto é um procedimento extremamente invasivo e perigoso. Sou mãe, e na gravidez fui do tipo que rastreou até a formação da sobrancelha do meu filho...rsrs. Foi uma experiência incrível e muito gostosa. Posso afirmar que um aborto de um feto com mais de 5 meses de gestação é assassinato. Tenho uma conhecida que teve a filha prematura, de 6 meses de gestação. A bebê pesava menos de 700g. Era sim um bebê, e sobreviveu! Hoje é uma menina linda!!
Não acho que mulher nenhuma deve ser obrigada a ser mãe. Se não quer ser, é melhor para todo mundo que realmente não seja. Sou a favor do aborto, mas somente no começo da gestação.
Ah, não tenho religião, sou totalmente contra esses fundamentalistas e quem usa a biblia como argumento, não sou pró-vida, muito menos "de direita".

André disse...

Camila Gois,

Aborto espontâneo é extremamente comum, nem por isso figura entre as principais causas de morte de mulheres. O aborto até 12 semanas não é tão invasivo e perigoso quanto costumam dizer os "pró-vida", e quanto mais no início for feito menos perigoso se torna.

Izabela F. disse...

Tá bom, vivian, vou escrever de outra forma e sem ironias, já que você não curte: Por que não fazer o mesmo estardalhaço da legalização do aborto para outras questões que são tão ou mais importantes quanto? Por que não fazer estardalhaço para elevar o Brasil ao nível dos países de primeiro mundo em TODOS os aspectos e não só em relação ao aborto? É como eu já disse, parece que vocês estão querendo construir uma casa começando pelos acabamentos.

Izabela F. disse...

Só acho engraçado que até agora NINGUÉM me deu uma resposta em relação a outras questões como o fato do feminismo pregar a igualdade, mas defender uma causa que continuará excluindo muitas mulheres... Só batem na tecla "tem que legalizar" repetidas vezes.

Graciema disse...

Nossa, que preguiça que dá de vera argumentação dessa tal Isabela F...má fé chegou ai e parou viu. Começa que o SUS já atende as sequelas dos abortos ilegais (e dos espontâneos, ou legais também). Se for por esse argumento, creio que sairia MAIS e não MENOS barato descriminalizar.

Depois...fica uma citação do Drezett "Em 30 anos de ginecologia, eu nunca ouvi uma mulher que tenha parado de usar o método anticoncepcional só pelo prazer de fazer um aborto. Para engravidar daquele canalha, ficar desesperada e ter o benefício, a satisfação de fazer um aborto. O aborto não é um bem a ser alcançado. As mulheres buscam no aborto soluções para situações extremas. A pergunta não deveria ser se você é contra ou a favor do aborto. Uma mulher que faz o aborto deve ser presa? Essa é a pergunta. E a maioria das pessoas vai responder que não. Então, por que ele é crime? Qual é o sentido?"

vivian disse...

Izabela,

Tem muita gente reivindicando muita coisa. Eu vejo a sociedade pressionando o governo por mudanças, estamos num momento muito acalorado! Há dois, três anos atrás ninguém sonhava em ver tantos protestos. Não estou dando uma de otimista, pois não sei até que ponto os protestos funcionarão de fato. Mas é inegável que o povo está pressionando o governo como eu não tinha visto ainda (e olha que tô com uns 30 rs).

Claro que nem todas as pautas cabem no modesto blog da Lola (que tem um foco bem definido).

Uma das coisas que vc comentou que não vê é "feministas lutando por acesso a contraceptivo". Bem, infelizmente isso é senso comum. Eu acompanho muitos blogs feministas, esta pauta faz parte das reivindicações sim, e é inclusive recorrente.

O blog da Lola é *um* dos blogs feministas, mas tem dezenas, centenas de outros também. Se você quiser deixar o senso comum de lado (quem precisa dele?), vai ficar muito surpresa com o que vai descobrir. Muita coisa rolando, muita mesmo.

Luh disse...

Sério isabela F, suas perguntas já foram respondidas várias vezes. A luta é sim pelo direito de todas as mulheres poderem abortar.

Já que vc citou os negros em outro argumento, imagina só se os negros fossem proibidos de ingressar em uma universidade (situação que já ocorreu no passado) mas se argumentasse que a luta pelo direito de negros ingressarem em uma universidade não faz sentido só pq uma parcela pequena dos conseguirá entrar em um curso superior? Pensa ainda que seu argumento de que não vale lutar pelo aborto pq não será acessível a todas, poderia ser usado nesse mesmo caso hipotético mas que ao invés de negros, mulheres fossem impedidas de ingressar em uma universidade (situação que também já ocorreu no passado). E aí valeria a luta pelo direito de uma mulher fazer um curso superior, mesmo que não sejam todas as mulheres que consiguiriam cursar uma faculdade?

Também já lhe foi dito várias vezes que mesmo que eventualmente algumas mulheres não tenham acesso à aborto gratuito, a legalização impediria uma eventual responsabilização penal.

Além disso, é melhor que algumas mulheres tenham acesso ao aborto que nenhuma. Vou perguntar de novo: vc gostaria de ser privada de uma série de facilidades (psicólogos, dentista..) pq não são acessíveis a todos? Como diz o brocado "não é pq o sistema é injusto pra uns, que tem que ser injusto pra todos" ou ainda "dois erros, não fazem um acerto".

E quanto à relevância da luta pela legalização do aborto, se vc não acha suficientemente relevante, lute pelo que vc quer, por " saúde e educação" mas não venha pautar a nossa luta.

Enfim eu nem ia lhe responder mais, mas aproveitando a deixa: "pelamordedeus" de onde vc tirou que alguém está defendendo aborto como método anticoncepcional IZabela??? Da onde??

O feminismo luta pelo direito das mulheres. O movimento negro pelo direito dos negros. O movimento gay pelos direitos dos gays e por aí vai. (Ainda que os movimentos eventualmente apóiem lutas causas, geralmente ligadas à esquerda). Dizer "parem com isso pessoal, essa luta de vcs não é importante, vamos lutar por saúde e educação pra todos que é o que importa" é sim querer acabar com movimentos de luta por direito das minorias.

Anônimo disse...

Não querendo mudar de assunto, mas estão querendo mesmo institucionalizar a discriminação com o tal "Estatuto da Família", como se fosse necessário chover no molhado:
http://www.ebc.com.br/noticias/politica/2014/05/deputado-alega-ditadura-das-minorias-para-defender-estatuto-da-familia


E o estatuto do nascituro? Parece que está longe de ser sepultado, já que foi aprovado na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados ano passado...http://claircastilhos.wordpress.com/2014/04/20/o-estatuto-do-nascituro-e-suas-consequencias/

Rosanna Andrade disse...

Izabela

Talvez vc veja por aí mais "estardalhaço" em relação a legalização do aborto simplesmente pq os setores conservadores da sociedade insistam em tratar o tema como tabu, um fim do mundo. A portaria que havia sido aprovada era uma coisa super básica, apenas pra dar condições mínimas pra que o aborto previsto em lei fosse garantido. Mas o pessoal saiu espalhando por aí mensagens de "luto pela legalização do aborto", a portaria foi revogada, essa palhaçada toda. Aí as feministas tem MESMO que falar no assunto, rebater os pontos ad infinitum. É uma reação totalmente proporcional à enxurrada de críticas que o assunto recebe, oras.

É muita falta de informação da sua parte dizer que os métodos contraceptivos não são um tema central para as feministas. Um dos nossos lemas, que pode ser visto estampado até em cartazes durante marchas é "Educação sexual para decidir. Métodos contraceptivos pra não engravidar. Aborto legal e seguro para não morrer."

Neste blog mesmo já houve postagens conscientizando sobre herpes e hpv, outros discutindo a problemática de se pregar a abstinência ao invés da educação sexual (que tem como consequencia aumento de DST's e gravidez indesejada na adolescencia), e outros ainda com mulheres relatando a dificuldade de conseguir uma laqueadura mesmo estando dentro dos critérios estabelecidos em lei. E isso só os que eu estou lembrando de cabeça agora.

Quanto a aborto n ser uma prioridade, tenho que discordar frontalmente. Veja, "mulheres saudáveis com fetos saudáveis" escolhem entre duas opções aqui no Brasil. Prosseguir com a gravidez ou abortar. Muitas vezes escolhem a segunda opçã mesmo que esta escolha inclua risco real de MORTE e de ser PRESA. O desespero é tão grande que elas enfrentam esses riscos, e uma parcela preocupante delas, especialmente as pobres e negras, não está viva pra contar a história.
Por isso eu tenho um conceito bastante distinto sobre prioridades quando comparada a vc.

Anônimo disse...

Existe um remédio, chamado Misoprostol, que pode induzir o aborto durante o primeiro bimestre da gravidez. O comércio dele, pelo que sei, é proibido no Brasil desde 1998.

Anônimo disse...

O STF já se manifestou dizendo que o feto é titular de alguns direitos fundamentais, dentre eles o direito à vida.

Depois disso, só fazendo outra CF.

Vai demorar...

Ana Carolina disse...

Achei engraçado a Izabela dizer que ninguém argumentou se perdi meu precioso tempo com um texto enorme que ela nem se deu ao trabalho de responder.

Mas de qqer forma, para o desavisado que tá lendo os comentários, temos argumentos em profusão aqui.

André disse...

http://ne10.uol.com.br/canal/cotidiano/nacional/noticia/2012/04/12/stf-aprova-interrupcao-da-gravidez-de-anencefalo-337296.php

André disse...

Anônimo 09:01,

Se o STF entende que um feto sem cérebro pode ser abortado a qualquer tempo, qual a dificuldade de estender esse entendimento a um feto ainda sem cérebro, ie, até 12 semanas?

Anônimo disse...

André, eu sou o Anônimo 09:01.

Eu não tenho grande opinião sobre o assunto do aborto. Quer dizer pra mim, tanto faz como tanto fez.

Você tem razão André, para eles um feto anencéfalo não é titular de direitos. Entretanto, eles diferenciam bem o feto que teve seu desenvolvimento normal em seus órgãos exceto no cérebro, de um que não ainda os desenvolveu, mas pode.

Pelo menos foi o que eu li dos doutrinadores.

Eu tenho um particular fascínio por direito constitucional XD.

Anônimo disse...

"Se existe um consenso que, na hora de se evitar uma gravidez a responsabilidade é dos dois, por que na hora de decidir sobre fazer (ou não) um aborto, só a opinião de uma das partes é levada em consideração?"

Touché.
Bem vindo às contradições do feminismo.

Anônimo disse...

Sou totalmente a favor da pensão.
Sou totalmente contra o sistema que considera automaticamente que a mulher é melhor para ficar com os filhos.
Também sou contra a alienação parental.

No final das contas, o mundo todo é fodido, homens são uns fodidos e mulheres são umas fodidas também.

Ana Carolina disse...

"Se existe um consenso que, na hora de se evitar uma gravidez a responsabilidade é dos dois, por que na hora de decidir sobre fazer (ou não) um aborto, só a opinião de uma das partes é levada em consideração?"

Respondendo de maneira bem grosseira, mas bem direta, porque é o corpo de um deles que tá na reta. E que para o outro sumir e jogar a responsabilidade nas costas da uma só é muito fácil.

Julia disse...

Rapaz, a misoginia é tão grande que tem que desenhar QUE QUEM FICA GRÁVIDA É A MULHER ENTÃO A PALAVRA FINAL É DELA SOBRE O QUE ACONTECE NO CORPO DELA.

Quantas vezes tem que repetir essa merda???

Daniela disse...

Mais uma vez: porque a gravidez e o parto ocorrem NO CORPO DA MULHER!!!!
Entendeu ou quer que desenhe???

Anônimo disse...

O comentário seria perfeito, se não fosse o final. Ter filho para ser sustentado na velhice é puro egoísmo, as pessoas devem ter cria se houver amor e interesse em ajudar a mais uma pessoa melhor estar neste mundo!

Anna disse...

off topic:

ótimo texto falando do fato q vão cortar a Kristen da sequência de seu próprio filme (ela não só era protagonista mas basicamente trouxe sua fanbase pro cinema) ''Branca de neve e o caçador'' e vão cortar a Branca de neve do título tbm, agora vai ser só 'o caçador' após o escândalo machista de 2 anos atrás

http://www.forbes.com/sites/scottmendelson/2014/06/27/kristen-stewarts-snow-white-gets-sequel-minus-kristen-stewart-or-snow-white/


Gostei mt do 1o mas se isso acontecer pretendo boicotar e espero q seja um fracasso.