quinta-feira, 21 de março de 2013

RACISMO DO DIA A DIA REUNIDO NUMA SEMANA TENSA

Trote na UFMG

Semana passada fiquei sabendo de uma blogagem coletiva pra data de hoje, que é o Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial. Não sou muito adepta dessas datas, porque não gosto de ter a obrigação de escrever sobre um determinado tema num dia específico. Além do mais, não tinha a mais remota ideia sobre o que escrever.
Mas isso foi semana passada.
Esta semana apareceu uma avalanche de notícias racistas. A que está repercutindo mais, lógico, é a do trote do Direito da UFMG. Já já falo nela.
Na segunda-feira, em Brasília, uma menina de 12 anos estava indo pra escola e pegou o ônibus errado. Ao descer do coletivo para corrigir o trajeto, foi abordada por quatro garotas, duas delas encapuzadas, que disseram não aceitar negras em "seu" beco. A menina negra, que não reagiu, foi agredida com socos e pontapés. Traumatizada, registrou queixa numa delegacia.
Será que a galera do Não Somos Racistas vê o caso como racismo? Esses dias Marco Feliciano, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, foi acusado de racismo e homofobia. Outro pastor, Silas Malafaia, saiu em sua defesa. Segundo Malafaia, Feliciano não pode ser racista porque sua mãe tem raízes negras. E não pode ser homofóbico porque ele nunca mandou matar ou bater num gay. 
Hmm... Eu fico confusa. Tem gente que acha que homofobia, racismo, transfobia, misoginia é só se alguém bater ou matar um gay, negro, travesti ou mulher (aliás, tem muita gente que pensa que só bater tudo bem, um tapinha não dói). Bom, o caso da menina de 12 anos espancada em Brasília foi de agressão física. É racismo? E se a gente descobrir que uma das duas garotas encapuzadas era negra, deixa de ser racismo? 
Segundo caso. Pouco tempo depois de uma revista francesa "homenagear" a África pintando uma modelo branca de negra, foi a vez da moda prestar seus tributos a uma raça que ela tanto valoriza. Sim, porque as revistas e passarelas de moda estão lotadas de modelos negras! Em 2008, por exemplo, havia oito negras entre as 344 modelos que participaram do evento. Oito! Pô, 2,5% de modelos negras e elas ainda querem mais?! Tem tanta negra na São Paulo Fashion Week que são as brancas que deveriam protestar para estabelecer uma cota mínima de orgulho ariano!
Mas, né, como homenagem pouca é bobagem, Ronaldo Fraga, em seu desfile deste ano, colocou perucas feitas de Bombril no cabelo de suas modelos, quase todas brancas. Os editoriais de moda registraram a ousadia do estilista, sem nenhuma crítica. As redes sociais não foram tão ovelhinhas e protestaram a rodo. A revista Marie Claire saiu em defesa do estilista, afirmando que ele foi refém do politicamente correto, num editorial que me fez rir em voz alta. 
Tenho dificuldades pra entender como palha de aço na cabeça pode ser uma crítica ao racismo. Afinal, cabelo crespo é sempre chamado de bombril, cabelo ruim, e isso nunca é elogio. 
Mal posso esperar a homenagem do ano que vem! O que será que vai rolar? Mais modelos brancas com black face? Ou modelos negras com caudas de macaco, pra criticar o racismo? (que nem existe, vai, ou se existe, é contra os brancos).  
O que mais? No interior do Paraná, um jovem branco decidiu anunciar no Mercado Livre a venda de um escravo: um colega negro que conheceu num grupo de jovens da igreja católica. Escreveu: "Negro africano legítimo, único dono, bom estado de saúde". O suspeito negou, alegando que várias pessoas têm a senha do seu Facebook, onde também fez declarações sobre o rapaz. Pelo jeito, descobriu agora que racismo é crime no Brasil desde 1988. Nem a velha saída pela direita ("é só uma piada!") foi usada.
E teve o trote na Faculdade de Direito da UFMG (leia a nota de repúdio do Blogueiras Negras). Alunos postaram no FB duas fotos "polêmicas" (eufemismo pra racista e machista pra caramba). Uma era de três veteranos fazendo saudação nazista ao lado de um cara com black face (ou red face?) amarrado num poste. A outra era de veterano segurando uma aluna pintada com o cartaz "Caloura Chica [sic] da Silva". 
Eu ia dizer que escravidão é uma chaga terrível do nosso passado, mas aí lembrei que ela continua sendo uma chaga do nosso presente. De todo modo, o Brasil foi um dos últimos países a abolir a escravidão. Isso não deveria ser motivo de piada, e sim de reflexão. Mas os trotes trazem o pior que há nos estudantes. Então tem trote levinho que prega que aluno de república deve usar um determinado tipo de cabelo, e só pode mudar o penteado no dia 13 de maio. Por que 13 de maio? Porque é o dia da libertação dos escravos, ora.
Sabe, eu estudei vários anos numa escola americana (e católica) em SP. E lá uma vez por ano eram promovidos slave sales (vendas de escravos) pra arrecadar fundos pra formatura. O "escravo" geralmente tinha que carregar livros do "proprietário" e ser puxado por uma corrente pra todo mundo ver. Rolava black face, mas o mais comum era vestir escravos homens de mulher e colocar roupas sexy nas escravas. Ninguém achava nada de mais, talvez porque praticamente não havia negros na escola, ou talvez porque brancos privilegiados considerem a escravidão algo hilário. 
Mas mais provavelmente porque a minha experiência com slave sale é de trinta anos atrás. 
Na década de 80, o mundo ainda não estava dominado por essa praga do politicamente correto (pior que a fome! pior que a miséria! e muuuuito pior que a escravidão, óbvio!). Ninguém pegava no seu pé por ser racista. Naquela época, Danilo Gentili podia fazer todo seu vasto repertório de piadas sem ter de gritar "PQP! Não posso mais chamar negro de macaco sem ser chamado de racista?".
Infelizmente, nessa década tão feliz os atuais alunos de Direito da UFMG nem eram nascidos. Hoje, tadinhos, eles são ameaçados de expulsão e têm que justificar a brincadeira. Como explicou um veterano, “Quando eles pintaram a caloura de escravo [sic], eles em momento algum quiseram ofender, porque na nossa faculdade nós temos amigos negros, o símbolo da nossa atlética é um macacão. Se ela fosse racista, ela usaria esse símbolo pra algo ruim”. 
Ah bom, se "nós" temos amigos negros, então logicamente não há racismo! (Juro que já vi "Não posso ser machista! Eu tenho mãe! Sou casado com uma mulher!"). Talvez não haja alunos negros na sala, e certamente os alunos brancos são contra as cotas raciais, porque não veem necessidade, mas o que importa mesmo é o clima de amizade! E a prova definitiva que eles não são racistas é que o símbolo da Atlética é um macaco. Eles podiam colocar uma peruca de Bombril no macaco e vendê-lo no leilão de escravos pra reforçar a certeza de que são anti-racistas. Ficava perfeito.
QUE DROGA FORTE VOCÊS ANDAM TOMANDO, PESSOAL?!
Por favor, troquem já essa droga aí do dia a dia por várias doses de Simancol. Porque é muita falta de noção pra pouca gente.

101 comentários:

Anônimo disse...

Eu já estava revoltada com as notícias alarmantes sobre trote esse ano, aumentou potencialmente em ver isso acontecendo na universidade em que estudei, não convivi muito com o pessoal de direito, pois estudava na Faculdade de Educação, mas não tenho como não sentir vergonha.
Quando estudei lá, senti o tradicionalismo, mas também via muita inovação, alguns professores com ideias inovadoras e libertadoras, aí vou ver o desenrolar do trote e surge outro caso de racismo na UFMG e esse bem no centro pedagógico em que estagiei:
http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/03/20/aluno-de-14-anos-e-chamado-de-macaco-por-professor-em-escola-da-ufmg.htm
Decepção define.

Lilly disse...

Sobre o trote: eu li comentários do tipo "só seria racismo se ela fosse negra, parem de se ofender com tudo." E sobre o desfile, li comentários no estilo "ah, tudo é racismo agora? Quer dizer que se uma modelo negra usar uma peruca lisa é racismo também?" Sério, Lola. Será que essas pessoas não percebem o absurdo que estão dizendo? A pessoa que diz isso tá ASSUMINDO que o cabelo negro é igual a palha de aço. E que diabo de homenagem é essa que pega um dos maiores traumas de crianças negras e bota em cima de uma passarela?

O que mais me irrita nisso tudo são pessoas que resolvem cagar regra sobre o que deve ofender um grupo ou não. No caso de uma "piada" sobre negros, quem deve dizer se aquilo foi ofensivo ou não são os NEGROS. Será que é difícil entender?

Anônimo disse...

Lola, acho que o Ronaldo Fraga fez uma ironia com a maneira como muita gente se refere aos cabelos "pixaim". Ele não estava dizendo: "Negros tem cabelo de bombril". Estava dizendo: "E agora, se eu coloco essa opinião ridícula de vocês na passarela, o que vocês fazem com isso?".

Acho que você foi precipitada nessa avaliação em particular. Quanto ao resto, estou de acordo.

Marli Belloni disse...

O pior, Lola, é que não é pouca gente, não! Cada vez mais descubro racistas enrustidos nas minhas relações (que não posso mudar, deletar, infelizmente.

Cláudio Andrade disse...

"que nem existe, vai, ou se existe, é contra os brancos"

Embora eu saiba que o preconceito contra os negros é bem maior e mais difundido, especialmente no mundo da moda, dizer que não existe racismo contra brancos é exagero, pelo menos em um contexto global.

Principalmente nos Estados Unidos, existem muitos grupos que pregam a superioridade negra. Por exemplo, existe um grupo religioso chamado "Nation of Islam" que afirma que os negros são os seres humanos originais. Até aí tudo bem, porque o Homo sapiens surgiu na África, e é bem provável que eles tinham traços negróides naquele ponto. O problema é que os membros dessa seita afirmam que os brancos foram produzidos por um cientista negro chamado "Yakub", há 6600 anos atrás, com o expresso propósito de criar uma "raça de demônios" que iriam enganar e destruir a raça negra original. No começo, entres os ensinamentos desse grupo estava a necessidade de cada muçulmano de sacrificar quatro "demônios caucasianos" ao longo da vida (parece mentira, mas não é. Hoje, os membros dessa religião falam que isso era apenas uma metáfora, mas houve um grupo nos anos 70 chamado "Death Angels", ligados a essa religião, que mataram ritualisticamente 14 pessoas brancas. Pode pesquisar por "zebra murders", como o caso ficou conhecido).

Também existe outro movimento similar, mas ligado ao judaísmo ao invés do islamismo, chamado "Nation of Yahweh". Seus seguidores acreditam que somente negros são "verdadeiros judeus", e chamam judeus brancos de "spawn of Satan" (algo como crias de Satã).

De forma semelhante, a "United Nuwaubian Nation of Moors" afirma que brancos são desprovidos de alma, que a cor clara da pele dos caucasianos é o resultado de lepra e inferioridade genética, e que os ancestrais das pessoas brancas eram parceiros sexuais de cães e chacais. Se isso não é racismo, eu não sei o que é.

Acha pouco? Veja a página sobre "black supremacy" na Wikipédia em inglês. Existem vários outros grupos como estes listados por lá, e provavelmente são só a ponta do iceberg, já que a Wikipédia raramente tem informações completas.

Portanto, desmerecer totalmente as afirmações de que existe preconceito contra brancos é errado. Acredito que aqui no Brasil não existam grupos tão organizados como estes, mas nunca se sabe.

Rebeca disse...

Tudo isso só acontece porque a tal lei contra o racismo é frouxa e a favor do racista. É só analisar os números, hj não existe um só discriminador comprovado atrás das grades, pois o crime é logo classificado como injúria racial, onde as penas são serviços comunitários e doação de cestas básicas, isso quando são aplicadas. Só sei que é cada dia mais difícil ter que se assombrar com esse tipo de notícia em pleno século XXI... Dá vontade de regredir de vez e aplicar a lei 'olho por olho, dente por dente'. ;(

Patty Kirsche disse...

Ai, que lamentável... Trote é sempre o momento em que universitários liberam todo sadismo sem qualquer culpa. Na Unifesp da Vila Clementino, dia 13 de maio é um péssimo dia pra se andar pelas ruas da região. Como alunos de medicina têm poder, eles tomam posse do espaço público pra uma "cerimônia de libertação" dos "calouros" na qual esses infelizes alunos são amarrados a árvores e levam banhos de tinta. Sério. A gente tem que tomar cuidado pra não sair suja também. E as meninas, claro, são as mais humilhadas: Os rapazes fazem nelas marcas de mão com tinta sobre a roupa nas regiões dos seios, bunda, coxas...

Bia disse...

Oi, Lola.

É muito difícil ver como o racismo ainda predomina nos dias atuais.
O bom é que pelo menos agora o politicamente correto anda atuando bem mais que antes, e estes racistas começam a ter que tomar mais cuidado com o que falam e fazem.

Aguardo ansiosamente para a chegada do dia em que o estupro, a violência e o machismo também não passarão despercebidos.

Beijos

Izabela F. disse...

De um modo geral, eu costumo sentir muito orgulho em ser aluna da UFMG. Mas, nesses últimos dias, este não tem sido o caso. Estou muito decepcionada não só com o tipo de aluno que possui o PRIVILÉGIO de estudar em uma das 5 melhores universidades do país, como também estou decepcionada com a posição do reitor e de outros responsáveis por tomar uma atitude em relação a esta barbaridade. Lembrando que trotes racistas, misóginos e homofóbicos não são novidade dentro da universidade. A verdade é que a UFMG está muito longe de ser um espaço de diversidade, como costuma pregar. É só mais uma instituição que reflete essa sociedade mineira preconceituosa, retrógrada e hipócrita. Não sou negra, mas me senti tão atingida quanto as minhas colegas, amigas, professoras e orientadora (que, inclusive, é a primeira professora titular negra da instituição), porque, em primeiro lugar, sou um ser humano e não suporto ver outro ser humano sofrendo qualquer tipo de humilhação e preconceito.

Veronica H disse...

Oi Lola,
Leio praticamente todo dia o seu blog e nunca comentei aqui. Estudo moda e quase sempre me pego questionando sobre essa opção.. afinal, tá tudo errado nesse meio! Ao mesmo tempo, a facilidade de mudar o pensamento das pessoas através da moda é muito maior, pq se tem uma grande visibilidade.
Sempre tento trabalhar com públicos que sempre são deixados de lado. Isso gera, na minha faculdade, uma grande repulsa por parte dos meus colegas de sala e dos meus professores. Em um trabalho que decidi focar em senhoras de idade, recebi grandes críticas e elogios.. todos acham as minhas escolhas de modelos "exóticas".. ninguém fala abertamente, mas joga uns "ah, o público é X.. mas eles querem ter um corpo assim, magro, blablabla". oi??? e as pessoas que aceitam o próprio corpo, a idade, etc?
Enfim, dá pra ficar horas falando sobre isso. Me chamou a atenção falar sobre o Ronaldo. Semestre passado fiz um trabalho sobre ele por ser um dos meus estilistas brasileiros favoritos. Me entriste e dá pena que ele tenha recebido essas críticas (e recebeu com razão!). Ao mesmo tempo, acho que ele nunca teve a intenção de fazer uma crítica ou apologia ao racismo, dado o histórico dele como profissional. Tem um desfile que acho incrível, o meu favorito, o tudo é risca de giz (algo assim), que ele usa senhoras, senhores e crianças como modelos. Tem também o corpo cru, que ele não usa modelos, com a ideia do dia que o corpo abandona a roupa, cansado de ser subjulgado. Não sei qual foi a intenção dele ao certo, mas acredito que não tenha sido pensando num viés racista.
Quanto ao resto do texto, estou de acordo.

V

Aline disse...

E o Feliciano falando dos direitos das mulheres, você viu Lola? Nojo desse cara!!!

Lord Anderson disse...

Sobre a Marieclare, a unica coisa boa for ver todos na caixa de comentario detonaram a materia e apontaram as falhas e hipocrisia,

Fábio disse...

Racistas são retardados,O Projeto Genoma Humano comprovou o que quase todos os estudiosos já sabiam: só existe na Terra uma única espécie humana, chamada homo sapiens. O que chamávamos de "raça" se resume a cor da pele.

Em comparação com a pele de outros primatas, a pele humana possui menor pelagem. A cor do pêlo e da pele é determinada pela presença de pigmentos, chamados melaninas. A maioria dos autores acredita que o escurecimento da pele foi uma adaptação que evoluiu como uma defesa contra a radiação solar ultravioleta (UV) a melanina é uma substância eficaz contra esta radiação, os humanos que se desenvolveram na africa, obviamente tem tom de pele mais escura, devido ao sol escaldante daquele continente, assim como europeus tem uma pelugem mais densa em suas peles claras, devido ao clima frio, os arabes o nariz mais largo para se adaptar ao deserto etc..
QUEM TEM RAÇA E CACHORRO, SOMOS TODOS SERES HUMANOS, diferentes entre nos, mas a mesma especie, uns mais claro, outros mais escuros, outros mais altos, uns mais baixos, mais magros ,mais gordos, mas todos seres humanos.
Me parece que as pessoas muitas vezes, ao demonstrar certo racismo, não se importam de serem alertadas para o fato: levam na brincadeira. Tudo bem que a maioria felizmente não chega aos exageros de nosso passado sombrio, mas enquanto levarem "na brincadeira", a ignorância se perpetuará... Talvez seja melhor não chama-las mais de racistas, mas de IGNORANTES. Assim talvez prestem maior atenção a própria ignorância,e vejam desta forma que ao estarem classificando humanos como "raça" estão diminuindo a si próprios como seres humanos.
( E antes que feministas venham me torrar o socolho, dizendo " ain mais você e masculinista" eu já respondo, Mulher não e raça,e nem minoria, deixem de besteiras)

Anônimo disse...

Me pergunto qual é a grande dificuldade de umx estilista lançar uma linha de roupas para mulheres negras e pagar mulheres de cor para serem suas modelos.

Se fizesse isso, a homenagem seria aplaudida e altamente elogiada não só pela mídia especializada, como também pelos setores de DH, gerando mais publicidade.

Além disso, essx estilista estaria entrando em um nicho de mercado que não é comercialmente explorado, apesar de o número de mulheres negras superar o de brancas.

Fábio disse...

Quanto a este babaca, falso profeta,demagogo, herege do Feliciano, só que e muito incauto para não ver que a nomeação deste boçal, para algo que claramente criaria resistência, e jogada para desviar o foco, pelo fato dos corruPTos, serem nomeados para a poderosa comissão de constituição e justiça, ou seja os idiotas uteis resmungões revolucionários, servindo ao partidão como sempre.
Vejam como e fácil usar movimentos revanchistas e vitimistas como massa de manobra politica.

Roxy Carmichael disse...

lord anderson, eu acabei de deixar comentário lá no site da marie claire e convido vocês a deixarem tb.

anon 11h19, nem a marie clarie, que fo muito "criativa" na defesa a ronaldo fraga conseguiu atingir o nivel de "criatividade" do seu comentário. e olha que a concorrencia tá braba! são vários anos de naturalização do racismo! parabéns!

claudio andrade:
que tal passar o link de alguma nota do wikipedia sobre algum país em que negros escravizaram brancos?que tal também colocar uma pesquisa que mostra dados estatísticos sobre como brancos são preteridos em entrevistas de trabalho e que os empregadores tem histórica preferencia pelo candidato negro?que tal colocar um link sobre prisões nos eua, onde existe uma pesquisa comparando o número de detentos negros, bancos e latinos? aproveita tb e coloca o link de uma pesquisa com dados estatísticos de que brancos são mais condenados que negros nas cortes e tb que brancos são mais abordados por policiais truculentos nas ruas.
ah sim, queremos ver as ações desses grupos tão organizados que vc citou. algum deles pendurou um branco numa cruz e tacou fogo? os membros protegiam a sua identidade usando capuz negro? até os anos 60, brancos eram proibidos de frequentar certos lugares públicos?quando puderam frequentar escolas de nível superior, foram massivamente agredidos por uma horda de negros enfurecidos?
se vc respondeu NÃO em todas as respostas, é pq esses grupos não podem ser comparados ao racismo sistêmico e histórico que negros sofrem. abracinho

Liana hc disse...

Tem mais uma matéria sobre o rapaz que foi chamado de macaco por um professor da UFMG. Os comentários são como sempre um showzinho à parte.

Nojinho eterno desses veteranos com seus trotes estúpidos e suas desculpas esfarrapadas.

Primeira coisa que fiz quando entrei numa universidade federal foi ignorar solenemente os veteranos e fui interagir com os demais calouros porque era com eles que eu iria conviver durante as aulas.

Sara disse...

Eu só gostaria de saber de que maneira o Marco Feliciano, conseguiu o posto de presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara.
Quem o elegeu???
A primeira vez q ouvi falar disso , com toda sinceridade eu achei que era "piadinha" pegadinha do malandro, esse tipo de coisa.
Depois que percebi q não era, veio o choque, embora eu estivesse doente, mesmo assim fui na manifestação organizada para pedir a renuncia desse cara.
Mas pelo menos ninguem pode acusa-lo de não se superar, cada dia q passa ele consegue dizer barbaridade ainda piores das ditas anteriormente.

Valéria disse...

Lola,
você viu esta? nada a ver com o tópico, mas achei revoltante.
"Editor de revista gera polêmica ao afirmar que "mulheres são apenas belos objetos". Ele compara mulheres a objetos ornamentais e carros.

link:
http://f5.folha.uol.com.br/celebridades/1249979-editor-de-revista-gera-polemica-ao-afirmar-que-mulheres-sao-apenas-belos-objetos.shtml

Anônimo disse...

Eu tinha acabado de ler essa notícia do desfile, que coisa lamentável, podia até não ter sido de má fé, mas e daí? É racismo do mesmo jeito a pessoa tem que refrescar a cabeça, refletir e arrumar um jeito de se desculpar...Horrível. Fui ler o tal artigo da Marie Claire, li também alguns comentários e o povo está acabando com a raça deles, acho que só tinha um comentário a favor.
Leila

Anônimo disse...

Ah, uma notícia interessante:
http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2013/03/conselho-de-medicina-apoiara-direito-ao-aborto-ate-a-12-semana-de-gestacao-4081607.html

Leila

Fábio disse...

Marcos feliciano- Comissão dos direitos humanos.
João paulo cunha, José Genoino( mensaleiros) Comissão de cosntituição e justiça.
Só falta nomear o Fernandinho beira mar, para ministro da justiça.

sérgio disse...

algumas pessoas exageram sim,pq agora TUDO é racismo.
nesses casos do texto n tem como negar que foi,mas se uma pessoa diz que n acha cabelo crespo bonito é racista!
eu acho lindo mas ninguém deveria ser obrigado a pensar o mesmo,ninguém tem direito de ter opinião,se o cara prefere namorar brancas é racista.

eu tenho um irmão e nossos gostos para mulheres são diferentes,eu adoro mulheres negras,sempre gostei,nunca apareceu ninguém pra me dizer que eu estava discriminando as brancas.
já meu irmão que adora loira,já ouviu várias vezes que era um racista,que ele deveria gostar sim de mulher negra bla bla bla.

isso é um absurdo,mesmo com todos os padrões que nos são impostos,ainda existe gosto pessoal.

ViniciusMendes disse...

@ Anônimo das 12:08

A dificuldade geralmente é encontrar modelos negrxs. :P As oportunidades dentro desse mercado costumam morrer bem no início e muitxs não são nem contratadas pelas agências... Lembro de um estilista brasileiro que quis usar apenas negras em um desfile e reclamou da dificuldade que era encontrar modelos negrxs agenciadas, ele precisava de umas 20 e cada agência tinha umas 2 no máximo ou algo assim.

Marco disse...

Outro dia, durante os debates que precederam a aprovação da extensão dos direitos dos empregados domésticos, o senador José Agripino (DEM-RN), embora votando a favor do projeto, disse que a mudança vai acabar com a "relação afetiva entre patrões e empregados.". Tenho como provar!

Anônimo disse...


Pessoal, assistam esse vídeo: https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Owu-KF_yfKE

Achei complicado porque normalmente essas reportagens são feitas não pra denunciar o abuso, mas pra tentar "igualar a conta" e tirar a atenção da violência contra as mulheres.

Qnt a esse caso da menina de Brasília, a situação aqui está muito problemática e o governo não está fazendo nadaaaaa para solucionar. Tudo dia tem um caso mais chocante de estupro. Por dia 4 mulheres sofrem algum tipo de violência. Não sei se chegaram a ler sobre os casos recentes que ocorreram por aqui. :(

Idealista Chata disse...

tava ate gostando do que lia..

MAS #CAGONOMAIÔ de novo neh Fabio?

"movimentos revanchistas e vitimistas" ?

baseado em que vc diz isso todooseu conhecimento sobre as lutas das minorias??
da mulheres?? dos negros??

pq vc e seus amigos da elite não revanchista não vão lutar por conta das outras comissões??
heeim??

nao eh mais facil nos criticar pela nossa luta neh?

a desligitimando...
aff..


-Marcelly

Idealista Chata disse...

querido Sérgio.

é errado dizer que seu irmão eh racista...se ele nao demonstra ser..

entretanto a midia nos diz o tempo todo que mulher loira eh melhor..pq eh ela que está em todas as capas de revistas...em todas as novelas..em tudo..


e essa atitude de sempre inferiorizar as negras eh sim chamada de racismo..e seu irmão é também influenciado por essa cultura...
mas ele nao sera chamado de racista(ou não deve) se não fizer o que e um colega meu faz..dizendo que "preto" é isso.."preto " é aquilo..desqualificando as pessoas por sua cor..se seu irmão não faz isso blz..mas várias pessoas fazem...e é errado..afinal...as negras tiveram avós e bisavós escravas..as brancas provavelmente não...

e nãoevar isso emconta...eh racismo...eh o nome que se da pra isso..


-Marcelly

Idealista Chata disse...

Sergio.

ficar dizendo isso por ai afirma o pensamento de que eh tudo exagero..e que as pessoas podem fazer piadinhas..e isso não eh verdade..

se vc realmente gosta de negras..aça isso por elas..abandonem esse discurso..pq se seu irmão nãoeh racista...ele eh uma exceção..infelizmente..

Anônimo disse...

É triste ver jovens "universitários" dando esse exemplo, sem ao menos parar p/ refletir!

Como a Lola diz que existe a cultura do estupro, existe tb a cultura do racismo.

jéssica disse...

valéria,esse cara n disse nenhuma mentira ou elas estão lá pela inteligência?
essas mulheres aceitaram servir de objeto.

Gabriela Luzia disse...

/Off Topic/

Lola, eu trabalho na secretaria de segurança pública da minha cidade e a gente faz bastante oficina e palestra a respeito de Violência contra a Mulher, temos parceria com o instituto responsável por essa área aqui da região e eu normalmente passo o link do seu blog nas reuniões. :) Acho interessante a ideia de que muitos podem aprender o que eu aprendi, seus textos prestam um serviço incomparável à conscientização. Parabéns!

Anônimo disse...

Cláudio Andrade: qual é a relevância dessa demonstração (você pesquisou bem o assunto heim)? Pra mim apenas parece que você veio aqui questionar a legitimidade da discussão sobre o racismo e agir de má fé. Sorry. Ragusa

Elen disse...

Eu vi o caso da garota de brasília,coitada,ainda ficou perguntando a mãe,se ela gostava dela de verdade,por causa das infelizes que a agrediram.

Ontem mesmo,vi um matéria sobre modelos,dizendo que agora não seria tão fácil para brasileiras,porque antes eles gostavam das modelos daqui que eram consideradas exóticas e agora eles querem um estilo europeu,com rosto de boneca,e negras também podem ter uma migalha desde que tenha traços de brancos.

Como modelo brasileira é exótica se só escolhem as de estilo europeu,loira,branca,olho azul?

Luiz Prata disse...

Retroceder a 1950 é pouco para esses neo-reaças... eles querem retroceder a antes de 1888...

E temos uma contradição: essa turma, incluindo pseudo-humoristas, adora os meios modernos de comunicação pra disseminar seus preconceitos. Mas tais preconceitos são de séculos atrás!

Igor Pereira disse...

Interessante que uma outra marca, no mesmo evento, a Cavalera, conseguiu, de uma maneira totalmente leve, sem a presença desses estereótipos racistas, propagar a cultura negra (no caso, a Soul Music). Muito diferente do que fez o Ronaldo...

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=qi7UIJPdha4#at=624

Paulo disse...

Carlos andrade
ta perdendo tempo aqui cara,para eles a lei contra racismo foi feita exclusivamente para negros,pq mais ninguem é vitima disso nem brancos,orientais,judeus..

Tem varias formas de racismo como ofensas a cor,negar emprego,negar a beleza de um povo...
Mas tudo isso só se for negro claro.

Orientais são inferiorizados direto,dificil ouvir alguem dizendo q são bonitos,mas n é racismo n...
Vi um caso de um judeu q processou um cara q disse que judeus são desonestos e outras coisas q n lembro agora ,ele processou por racismo e venceu.

Lord Anderson disse...

Roxy

Comentado lá e pelo menos até agora, a imensa maioria ta protestando contra o texto.

Elaine Telles disse...

Acho que não há nada mais odioso do que ler a frase "ai, vocês estão exagerando, tudo agora é preconceito". E coincide, casualmente, de ser uma pessoa de pele clara, sem traços negros, família idem, que viveu num meio "branco", nunca sofreu qualquer tipo de violência/foi destratado, por sua cor de pele. Ou uma pessoa que tem dinheiro. E infelizmente, não desenvolveu aquela coisa rara chamada empatia, que faz com que você, mesmo sem ter passado por determinada situação, consiga se colocar no lugar dos outros. "Ai, o mundo está muito chato, nem pode brincar mais" "Ai, é apelidinho carinhoso, se me chama de branquelo azedo, eu não posso chamar a polícia. Pra quê eles podem ter tanto privilégio. Os direitos não são iguais pra todos?". "Ai meu cabelo que é ruim, não pára nem grampo, não sei do que reclamam e eu não acuso ninguém de preconceito". E a lista de zurros segue infinita. E a cereja do bolo "Brancos não se deixaram escravizar, negros são preguiçosos, por isso foram escravizados, por isso ainda são pobres. Meu pai saiu da miséria e hoje é milionário e blábláblá". Gente, desculpe, para mim não é ignorância negar que exista preconceito. É maldade mesmo, hipocrisia, é adorar ter mil privilègios e não querer que outros o tenham. É ter orgulho de ser idiota.

Anônimo disse...

@Anônimx das 13h41
Não é "para equilibrar as coisas". A reportagem está mostrando um problema que existe e ninguém dá bola (violência doméstica contra os homens).

Anônimo disse...

sou a favor da castração de racistas, É SÉRIO, esses merdas precisam parar de ter filhos e ensinar essas porcarias a eles

Elaine Telles disse...

Paulo,
eta lei que favorece só uns, e não outros né.
Realmente, orientais são sempre parados pela polícia, já que policiais são treinados a considerar orientais suspeitos. Fora que coitados, sempre inferiorizados como inteligentes, bons em matemática e super trabalhadores, pessoas sérias e confiáveis. É muita ofensa pra um povo só.
E os negros se doendo de serem sempre associados à roubo, serem os primeiros suspeitos, terem sua cor de pele associada a vadiagem.. tem que ver isso aí!

Anônimo disse...

Os(as) próprios(as) negros(as) brasileiros(as) são racistas. FIM

Antes que venha um ignorante para falar de racismo.

Racismo:

"O racismo é a tendência do pensamento, ou o modo de pensar, em que se dá grande importância à noção da existência de raças humanas distintas e superiores umas às outras, normalmente relacionando características físicas hereditárias a determinados traços de caráter e inteligência ou manifestações culturais. O racismo não é uma teoria científica, mas um conjunto de opiniões pré concebidas que valorizam as diferenças biológicas entre os seres humanos, atribuindo superioridade a alguns de acordo com a matriz racial.
A crença da existência de raças superiores e inferiores foi utilizada muitas vezes para justificar a escravidão, o domínio de determinados povos por outros, e os genocídios que ocorreram durante toda a história da humanidade e ao complexo de inferioridade, se sentindo, muitos povos, como inferiores aos europeus."

Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Racismo

Tem muito ignorante que acha que racismo é ter algo contra uma raça diferente da sua.

Paulo disse...

É elaine n existe mesmo,q dira o garoto de 6 anos q sofreu perseguições e apanhou na escola por ser japones,n foi racismo,vai ver q os outros n foram com a cara dele.
Parece q vcs vivem numa bolha,só enxergam quem sofre mais no caso negros ,como se mais ninguem aguentasse as merdas do mundo.
Só de ofender a cor de uma pessoa negra já é racismo,então pq isso n vale pra todo mundo?
O resto das pessoas tem q se escravizadas para poder dizer q esta sendo vitima?

Marina disse...

adorei, Elaine!

Anônimo disse...

é impressionante como as pessoas simplesmente não querem enxergar o que está tão nitido, o racismo acontece todos os dias. querem diminuir a causa a luta só pq alguem sofreu preconceito por ser branco! não conheço casos de alguem q era branco de mais que foi abordado por policias na sua rua, ou n conseguiu emprego etc etc quantos brancos apanharam nas ruas por serem brancos!!

Marina disse...

Paulo, leia bem o que a Roxy escreveu às 12:25, junte ao "brancos", qualquer outra população, e se ainda mantiver seu pensamento, só lamento.

Anônimo disse...

"Tem muito ignorante que acha que racismo é ter algo contra uma raça diferente da sua."

E quem é REALMENTE ignorante acha que raças humanas existem

Elaine Telles disse...

Paulo,
tem uma distância enorme entre o bullying que as crianças fazem, e o racismo. Quando falamos que bullying tem que acabar, vem sempre um bando dizer que "passei bullying e sobrevivi, formou meu caráter(?).E sim, você não compreende racismo porque nunca foi vítima, real, de racismo. O que você passou na escola ficou lá, duvido que pessoas lhe agridam hoje em dia, duvido que você entre em uma loja e um segurança comece a lhe rondar, duvido que as pessoas mudem de calçada quando te vêem, que a polícia lhe encare quando está andando na rua, que as pessoas parem para observar, quando você está entrando no seu carro, porque ela acham que você pode estar roubando. Duvido de que as pessoas com aparência japonesa estejam em sua maioria, na pobreza (sim, por causa da escravidão. Japoneses que vieram para o Brasil vieram imigrantes, não trazidos a força). Você não consegue enxergar porque está tão absorto nos que lhe bateram, que pensa que é o mesmo que sofrem os negros. Eu estudo na USP e vou te dizer, dá pra contar nos dedos quantos negros há lá. Maioria é branquinha e isso se intensifica quanto mais "top" o curso. Será coincidência?

Elaine Telles disse...

Anônimo 15:39.
Os negros que são racistas?
O restante, não negros que falam que negro não estuda e não tem trabalhos melhores porque é preguiçoso, que cabelo afro é feio mesmo, é ruim, que a escravidão foi só um momentinho e que se fossem outros já teriam superado ou não se deixado escravizar. Que compara negro a macaco. Esses são o que? Humoristas?

Mirella disse...

"Os(as) próprios(as) negros(as) brasileiros(as) são racistas. FIM"

OOOOOOOOI????????????????????????????



Paulo, existe uma coisa chamada "Olimpíadas da Opressão". É tipo competir para ver quem mais é oprimido. Que é o que você está fazendo. Apenas PARE.
Quando qualquer pessoa sofrer violência física ou psicológica, denuncie. Se você sofrer uma violência do tipo, denuncie.
Um dos grandes problemas da discriminação é a falta de precedentes legais. Você pode achar que "não dá em nada, denunciar", mas o ato de denunciar cria precedentes que podem ajudar outras pessoas no futuro, inclusive você. Isto, CLARO, quando estamos falando de alguém que de fato sofreu uma discriminação (apanhou, foi coagido, sofreu pressão psicológica etc).
Agora, não adianta NADA tentar comparar discriminações. NADA. Ah só é racismo contra negros. Não, não é SÓ. Mas você não viu ninguém dando trote racista contra descendentes orientais enquanto fazia saudação nazista, viu? Ninguém fez um desfile pintando alguém de amarelo para "homenagear". Então apenas tenha um pouco de empatia com quem sofre com racismo. Hoje o assunto é racismo contra os negros, baseado nos assuntos das últimas semanas: presidente da comissão de direitos humanos e minorias dizendo que africanos são amaldiçoados, fazer blackface, desfile com Bombril. Entendeu?
Se você está indignado com a discriminação contra descendentes de orientais enquanto fenômeno, ou seja, algo não pontual, sugiro que você elabore suas idéias num guest post e envie para a Lola ou para um blog de sua escolha. Tenho certeza de que ela dará a visibilidade necessária. Ou monte você seu próprio blog. Mas apenas PARE de tentar competir para ver quem sofre mais. É mesquinho, é ridículo e o pior: NÃO RESOLVE NADA.
Então, minha sugestão é: se quer dar visibilidade a algum assunto, fale sobre ele, faça alguma coisa. Mas ficar dizendo "ai eu sofro também não são só vocês bando de egoístas" não vai resolver nada, só vai parecer que você quer atenção para si, não para o problema.

Lúcia disse...

os próprios negros podem ser racistas sim, todo mundo sabe disso, a Lola até já publicou textos sobre isso. O problema é como isso é dito. Se for no sentido de "ta vendo, pra que lutar contra o racismo se os próprios negros é que continuam propagando ele?" é um equívoco, pois a maior vitória do discurso opressor é ser internalizado e utilizado pelo próprio oprimido. Isso acontece mesmo e é muito triste. É como mulher machista. Mas nao podemos naturalizar essa discriminação por isso, e sim lutar pra que todos, inclusive negros, percebam essa violência e não reproduzam atitudes racistas.

Paulo disse...

Kkkkkkk eu falei que era perda de tempo,quero saber de onde tiraram que eu apanhei na escola?
Falei de casos reais,se procurarem na net vão achar.
E ninguem esta diminuindo o sofrimento dos negros,vcs que fazem isso com os outros,quando vem alguem aqui falar q mesmo n sendo negro,foi vitima de racismo,ai fica todo mundo revoltado e começam a debochar da pessoa.

Vi isso em outro,pessoas discutindo sobre preconceito com gordos,foi só aparecer uma mulher la falando q era ridicularizada por ser magra demais,q o povo se revoltou,achando q ela estava dizendo q n gordo n sofre.

Sara disse...

anon 15.29hs q eu saiba racismo NÃO é genético....alias postei isso no FB ontem...

GHOUL disse...

Só participa de trote quem quer, eu ja estudei em faculdade publica(que não consegui concluir) e lembro que quando eu entrei eu simplesmente caí fora e ninguem veio com papo de trote pra mim.

basta carregar uma faca, um punhal, e ta tudo resolvido, quem quizer dar trote é só tentar a sorte. depois é alegar legítima defesa pra justiça, se é que existe justiça nesse país, onde malandro é considerado gente e bonzinho considerado doente mental.

Anônimo disse...

Gente está tudo uma merda, as faculdades têm que ser mais rigorosas quanto ao comportamento dos seus alunos!! Vocês viram o caso do rapaz que denunciou oito colegas na USP Sao Carlos por estupro? Como não podem acusá-lo de estar bêbado ou usando roupas muito sensuais, desacreditam o carinha o tempo todo. Como se uma pessoa fosse se expôr à tamanha humilhação por nada...absurdo!!!!Ai, forças! Só fazendo muita força para acreditar que um novo mundo é possível!

Karla Shimene disse...

Viu isso Lola?

http://www.bandab.com.br/jornalismo/policia/jovem-descobre-pelo-celular-que-esposa-tinha-amante-em-curitiba-e-a-mata-com-dez-facadas-51871/

E depois não existe machismo.
Vai saber se a menina realmente estava traindo. E mesmo de traiu, ele não tinha o direito de tirar a vida dela.

Idealista Chata disse...

Mirela sua linda..arraso..!!!


sem mais..

;)

esperoque o MIMIMI acabe...


-Marcelly

Anônimo disse...

Racismo não existe. Eu nunca vi.
Eu não sou negro, mas tenho certeza de que racismo não existe, quem fala isso é que é o verdadeiro racista. Se vocês não falassem tanto de racismo, ele desapareceria.
Eu nunca fui chamado de "cabelo de bombril", pois meu cabelo é liso, mas eu não acho isso ofensivo.
Eu nunca fui chamado de macaco, pq sou branco, mas não considero isso racismo não.
Eu não sou o principal alvo das batidas policiais, porém acho que fazer um perfil baseado em "meninos pardos e negros" para revista policial não é preconceito.
Olhem o meu caso, por exemplo, eu sou branco, e sempre fui chamado de branquelo azedo, palmito e etc... Isso vcs não consideram racismo né.
Aliás essas minorias só querem privilégios.
__________________________________

Lista de privilégios: Sofrer com apelidinhos menosprezando a sua raça; ser alvo principal de batidas policiais apenas pela sua cor; Ter emprego negado pela sua cor; Ser a maioria em numeros em um país, mas ainda ser a maioria na parcela da pobreza. etc...

é muito privilégio ein! Como os negros são vitimistas. Aff

Idealista Chata disse...

"basta carregar uma faca, um punhal,"

oi?

pq o melhor jeito de combater isso eh com violencia neh galerêêê??


Paulo..
favor apontar os tais casos vistos por vc na internet e montar um argumento d egente grande sobre o fato desses casos terem como base o racismo..
achismo não vale de nada aqui..



e o feminismodefente ofim da ditadura da beleza..para tod@s não so para mulheres..e nao so para mulheres negras..favor se informar nates de falar asneiras..

Cláudio Andrade disse...

"Cláudio Andrade: qual é a relevância dessa demonstração (você pesquisou bem o assunto heim)? Pra mim apenas parece que você veio aqui questionar a legitimidade da discussão sobre o racismo e agir de má fé. Sorry. Ragusa"

Relevância é uma coisa bem relativa, né? Talvez para você seja irrelevante que exista gente que afirme que uma raça inteira de seres humanos não tem alma e são descendentes de chacais. Bem, para mim não é.

Eu não questionei a legitimidade de nenhuma discurssão, eu questionei a idéia de que só há racismo contra negros. E isso é estimular discurssão, não suprimí-la. Acho que isso é você quem está tentando fazer.

Hugo disse...

"sou a favor da castração de racistas, É SÉRIO, esses merdas precisam parar de ter filhos e ensinar essas porcarias a eles"

Que coisa horrível. Filhos não são miniaturas dos pais. Embora obviamente haja uma grande influência psicológica da parte deles nas crianças, acho que é exagero dizer que essas pessoas devem ser castradas. Por acaso, você tem as mesmas opiniões dos seus pais? Você não conhece nenhuma boa pessoa que tenha pais violentos/racistas/machistas? Eu conheço várias.

Anônimo disse...

http://oglobo.globo.com/pais/marco-feliciano-diz-que-direitos-das-mulheres-atingem-familia-7889259

Esse cara é simplesmente INACREDITÁVEL, eu acho que ele deve ser bufão da Real, não é possível.

yulia2 disse...

mais do mesmo....

Daniele disse...

bah Lolinha nem iria cometar, mas li a reportagem da Marie Claire sério é nojenta!! Sério as perucas de muito mau gosto não são nada perto daquela reportagem!!
Ahhhhhhhhhh, gostaria tanto que vc viesse para Porto Alegre!!! bjos

Anônimo disse...

Nascer negro nesse mundo é pior que nascer aleijado.Incrível,não somos tratados como pessoas.Tive esse azar.Não adianta estudar,crescer profissionalmente,enriquecer,um negro sempre será tratado como inferior.Será sempre motivo de chacota,será alvo de ódio racial.Eu senti,sinto e sempre sentirei na pele a dor de ser discriminado.Só quem realmente teve esse azar sabe o quanto dói.
Verônica

Danissima disse...

Oi Lola,
vc foi brilhante e sarcastica! adorei!

Diego M disse...

Lola, admiro muito seu blog, mas me irrita às vezes sua adesão acrítica ao politicamente correto. você mesmo postou no tuiter o link da Vogue, em que ele diz: "O suposto cabelo ruim é na verdade uma escultura em potencial". Se isso não é ressignificar o "cabelo bombril", se isso não é black positiveness, eu não sei oq é. devemos tomar cuidado para não "congelar" ideias, palavras, expressões... ao impedir que certas ideias sejam empregadas, porque seriam racistas, homofóbicas, misóginas etc, faz com que elas nunca possam deixar de ser. Butler tem um texto sobre isso que eu não lembro agora, sobre a necessidade de não se deixar corromper pelo politicamente correto, que "cala bocas" e não permite que determinadas coisas sejam empregadas com novo sentido, sejam subvertidas tão lindamente como fez Ronaldo Fraga.

yulia2 disse...

é por essas e por outras que esse resto de aborto chamado Feliciano tem que sair fora da comissão de direitos humanos...


http://www.paulopes.com.br/2013/03/direitos-da-mulher-prejudicam-a-familia-diz-feliciano.html#.UUuIeVeN01e

lola aronovich disse...

Diego, não tem adesão acrítica nenhuma. Achei racistas as perucas de palha de aço nas modelos. Não vi black positivenesse nenhuma, muito pelo contrário. É aquele exemplo que eu dei no post: um insulto muito comum contra negros (Gentili que o diga) é chamar de macaco. E aí, vc coloca cauda de macaco numa modelo na SPFW, e vc está COMBATENDO o racismo? É a mesma coisa do sem noção da UFMG dizendo que eles terem um macaco como símbolo da Atlética prova que eles não são racistas.
Mas vc pode se juntar a Marie Claire pra defender o Ronaldo Fraga, Diego. O editorial da revista talvez te contemple.

Anônimo disse...

Por falar em Marie Claire olhem que interessante.Nada haver com racismo,mas fiquei admirada.
http://revistamarieclaire.globo.com/Revista/Common/0,,DFG45352-17588,00-MARIE+CLAIRE+QUER+SABER+VOCE+E+VIRGEM+AOS+ANOS.html

http://www.derepentetrintei.com/2013/03/americana-que-perdeu-81-kg-diz-que.html

Carol disse...

Alguém viu a desculpa esfarrapada que o tal estilista deu ao jornal do sbt?

Fiquei ~passada~, como diria minha filha, ele teve a cara de pau de afirmar que era uma homenagem aos tempos que eram colocadas palhas de aço nas antenas para assistir tv e que o tema do desfile era futebol. E para piorar a reaçinha metida a sulista wasp da Rachel fez questão de dizer que "tem gente vendo chifre em cabeça de boi", foi tão escrota que o colega de bancada ficou envergonhado!!!

paulo disse...

idealista chata
já q vc tem preguiça de procurar,aqui tem casos de racismo e adivinha só, n é contra negros.

infelizmente n achei sobre o que eu falei antes,vi a materia na tv,pensei que tb deveria ter na net,mas achei outros.
agora continuem dizendo que só negros sofrem racismo.

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/05/11/vereador-e-acusado-de-racismo-apos-dizer-a-colega-de-origem-oriental-que-ele-amarelou.htm

http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=198491

http://www.riototal.com.br/comunidade-judaica/juda0a5.htm

e vcs adoram inventar coisas que os outros n disseram,n falei nada sobre vcs defenderem o fim de padrões de beleza só pra negras,bebeu?

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Já considerei aquele ambiente um local onde pessoas eram mais inteligentes que a média.
Infelizmente descobri que não ainda na minha primeira semana de caloura, há uns oito anos.
Muita inteligência e pouco conhecimento rondam por lá, se é que dá pra entender...

Carol disse...

relevem o "cabeça de boi", era pra ser "cabeça de cavalo" ou sei lá como é o ditado. Só sei que foi escroto!

Ludmila Nascy disse...

É um preconceito recorrente achar que qualquer pessoa que trabalhe com moda é fútil.E infelizmente alguns que trabalham com moda de maneira mais visível, como a Revista Maire Claire, reforçam isso.
Como estudante de vestuário, entendo o acessório como parte do tema que o estilista quis passar, e não como uma deliberada ofensa. Me fez pensar se o que realmente as pessoas consideram feio o apelido "cabelo de bombrio" com o fato de alguém dizer que um cabelo crespo como bombril é algo belo.
As pessoas tem mania de aceitar o cabelo crespo apenas quando ele se "cuida e se encaxeia". Isso me fez refletir sobre a natureza do incômodo. E acho que essa reflexão é que alguém que performa, como num desfile ou obra artística, tem que provocar. Não vou dizer como as pessoas devem reagir, é um risco que quem propõe algo controverso corre e deve assumir com coragem, se realmente a intenção foi "causar".

LC disse...

Não concordo com quem diz que "negros são racistas" estabelendo essa idéia generalizada, mas eu fico impressionado como alguns são mesmo

Não quero desqualificar dessa forma a luta do grupo oprimido, é só algo que eu percebo que me deixa impressionado, como tem negro racista / mulher machista / gay homofóbico no mundo

Há pouco tempo discuti com 4 negros que defendiam o Feliciano falando coisas como "mas ele não disse que negros não tem alma, só que são amaldiçoados" ¬_¬

Sendo que um deles era, provavelmente, gay

Juro que não entendo o que motiva uma pessoa a depreciar a própria condição dessa maneira
Esse pessoal devia ser caso de estudo, porque é muita falta de amor próprio

Aninha disse...

Dois exemplos de situacoes que me pareceram o racismo nosso de todo dia que presenciei so essa semana:

1) Lendo a entrevista do pastor Feliciano na Veja (por que eu fiz isso???? por que?!?!?!?), me deparei com a seguinte frase, logo no comeco: " Nao acho que todos os africanos sao amaldicoados, afinal, ha pessoas brancas na Africa tambem"

Isso nao devia dar cadeia de cara, minha gente?

2) Passeando pelo Museu de Historia Natural de NY dou de cara com um painel gigante mostrando todos os primatas - sendo que ao final, na parte do Homo Sapiens temos um ... indio!!! Nao era um ser humano apenas - era um indio americano. Dificil nao fazer a associacao entre macacos e indios americanos. Sai de la com a sensacao: so eu vi isso e achei errado? Sera que estou vendo chifre na cabeca de cavalo ou o negocio e descarado assim mesmo??

Anônimo disse...

Ludmila Nascy disse...
(..)
Como estudante de vestuário, entendo o acessório como parte do tema que o estilista quis passar, e não como uma deliberada ofensa. Me fez pensar se o que realmente as pessoas consideram feio o apelido "cabelo de bombrio" com o fato de alguém dizer que um cabelo crespo como bombril é algo belo.
As pessoas tem mania de aceitar o cabelo crespo apenas quando ele se "cuida e se encaxeia". Isso me fez refletir sobre a natureza do incômodo. E acho que essa reflexão é que alguém que performa, como num desfile ou obra artística, tem que provocar. Não vou dizer como as pessoas devem reagir, é um risco que quem propõe algo controverso corre e deve assumir com coragem, se realmente a intenção foi "causar".


--

Nossa, mas tenha santa paciência.. Vc acha mesmo que ele tinha alguma causa nobre pra fazer isso? Tanto q quando confrontado deu aquelas respostas de ''o politicamente correto está me perseguindo'' etc
E caso vc não tenha visto as próprias pessoas negras (e as q tem cabelo crespo) não gostam de ver seu cabelo comparado com bombril ou o que for.. Se elas não gostam, não tem que fazer desfile, obra artística, propaganda, nem nada.. Tem que enterrar de vez a ideia.
E as pessoas precisam substituir essas palavras provocativo, ousado, polêmico, controverso por racista simplesmente.

E é sempre bom ver que tem gente que encontra tempo para vir em posts assim deixar um comentário do tipo ''Mas branco também sobre racismo!'' e ''Mas os negros tbm são racistas entre si!''

paula disse...

Acho que o Ronaldo Fraga foi infeliz porque não soube se fazer entender, mas quem conhece o estilista sabe do valor que ele dá nos seus trabalhos (tanto de moda quanto fora dela)à cultura brasileira, e como ele já demonstrou inúmeras vezes a necessidade de questionarmos padrões.

Quem entende de moda (não no aspecto consumista, mas sim artístico) entendeu muito bem o que ele quis fazer com o desfile.

Acho que devemos estar sempre atentos aos possíveis manifestos de racismo, mas nunca perdemos a sensibilidade e procurarmos entender melhor algo antes de criticar. Nesse caso, sei que é difícil para quem não é ligado no estilista (nem sou uma mega fã, só conheço as ideias dele), então acho importante fazer essas observações.

Concordo com a falta de negros em desfiles, tv, etc., mas achei que colocar modelos brancas com o cabelo bombril foi uma sutileza para criticar o padrão do cabelo liso.

Só espero que da próxima vez ele consiga se fazer entender mais facilmente.

OBS: tenho cabelo crespo

Beijos pra vc Lola (estou discordando dessa vez mas gosto muito de ler o que você escreve)

Magrelinha disse...

Gente, esse post me fez lembrar de algo que descobri recentemente quando entrei no mestrado de uma das maiores federais do país. Eu imaginava que essas universidades públicas eram espaço de livre pensamento, de pessoas mais críticas e mais abertas, mas aí descobri que esses espaços são muito elitizados.

Fiz minha graduação em uma faculdade particular e tinha colegas de todo o jeito: rico, pobre, negro, branco, gay, lésbica, hetero, bi... Por eu ter feito história, a maioria das pessoas tinha uma visão política mais à esquerda, apesar da meia dúzia de gatos pingados reaças que existem em todo lugar. Eu imaginava que os cursos de e ciências humanas no geral seguiam esse perfil, só que quando entrei no mestrado da federal vi que estava redondamente enganada. Muitos colegas são altamente reaças. Alguns até tem um visual mais alternativo (cabelo comprido, dread, camisa do Che Guevara), mas aí quando vc vai conversar com eles logo percebe que são muito conservadores. Alguns chegam a isolar os colegas mais pobres, que não tem carro ou que moram na periferia.

E os alunos da federal aqui são da seguinte forma: se acham a elite intelectual do país (e talvez sejam mesmo), e todo mundo que vem de fora, seja transferido na graduação, seja como aluno regular da pós ou mesmo aluno especial, são muito boicotados. É tipo assim: vc é um gênio se passar no vestibular, mesmo que seja em um curso de baixa procura e nota de corte mínima. Mas se vc começou seu curso numa particular e fez a transferência para a pública, vc é de uma casta inferior pq não passou no vestibular tradicional.

As coisas não são diferentes na pós. Mesmo que vc faça a seleção e passe em todas as etapas (que não são fáceis), vc sempre será visto como algo menor pq não fez sua graduação lá. Já teve professora minha afirmando em sala de aula que alunos que vem das particulares são menos preparados. Os professores apresentam grande resistência a alunos de fora e que não foram seus orientandos na anteriormente. Por isso muitas pessoas preferem entrar como aluno especial para já irem fazendo seus contatos antes de tentarem a seleção do 0.

Não sei se em toda universidade pública é assim (federal ou estadual). Mas na minha o elitismo está muito presente, seja na forma do "eu tenho dinheiro e vc não tem", seja na vaidade intelectual.

Lola, como vc é professora universitária gostaria de saber se vc já percebeu isso. Sei que vc é uma pessoa muito diferente dos professores que usei como exemplo, mas acredito que já tenha visto colegas seus agindo dessa forma. As universidades públicas deveriam ser mais abertas, não?

ps: Sei que não tem taaaanto a ver com o post, mas como os trotes tocam na questão de alunos das federais que são reaças, acabei me lembrando disso.

Anônimo disse...

Eu sou negra, mulher e artista plástica e fiquei OFENDIDA por esse desfile por n motivos (pessoais e profissionais) e vou enumerá-los aqui.

1. Incoerência e falta de postura para assumir um conceito: primeiro era homenagem aos negros e ao futebol, depois era escultura em material, depois era outra coisa que ele falou e esqueci. Já mostra que tudo foi pensado nas coxas, feito pra causar polêmica e demonstra uma assessoria péssima, um time criativo pequeno e falta de firmeza pra assumir suas convicções.

2. Culpar o público: você trabalha pra ele. Se não deu certo, entenda as críticas e as rebata racionalmente. Se fazer de coitado só cria mais raiva e ódio.

3. Total desconsideração com semiótica (indispensável pra quem trabalha com visualidade): ignorou totalmente o signo "cabelo de bombril" e tentou subvertê-lo de forma fraca e ineficaz. Associou um signo com significado social negativo FORTÍSSIMO a uma etnia discriminada historicamente e sistemicamente e usou o mesmo símbolo pra representá-la. Depois mudou de idéia (volta ao ponto 1).

4. Pressuposto de que "cabelo bombril" 'parece bombril mesmo'(se tratando da 'homenagem'): parte de um estereótipo estúpido e criado ofensivamente, carregado de significância.

5. Jogar toda a culpa na liberdade poética: Isso desvaloriza toda a área de Moda, Artes Plásticas e afins. Como se só porque podemos trabalhar com todos os temas, podemos falar besteira e usar a desculpa do 'é arte'. Isso banaliza uma área importante, que muitas pessoas estudam e trabalham.

6. Ainda na coisa da Arte: desconsidera varios conceitos INCLUINDO Sociologia, Estética e História. O que é uma vergonha pra um profissional tão qualificado.


CANSEI dessas pessoas sem noção que fazem desserviços, CANSEI de profissionais qualificados e com plena capacidade de fazer algo inteligente (vide Cavalera) fazerem desserviços, CANSEI dessa abobada da Rachel Mil e uma Noites que acha um absurdo reclamarmos da Constituição Federal ser jurada sob DEUS e que acha que sua opinião como jornalista/cristã é mais importante que a do conselho federal de medicina, CANSEI desse Feliciano, CANSEI desses estudantes babacas que se acham engraçadões e não sabem nem esquentar leite, CANSEI desses racistas enrustidos que falam merdas do tipo 'me chamam de palmito sofro racismo', CANSEI de pessoas que desconsideram contextos sociais, CANSEI desse país hipócrita, atrasado, cheio de gente BURRA e IGNORANTE que acha que sabe das coisas e opina sobre o que não entende. CANSEI dessa aura de fracasso e falência que paira em todos os lugares, da preguiça generalizada, dessa política pão & circo desgraçada. CANSEI de morar em um lugar em que preciso explicar em tópicos por que machismo é diferente de feminismo, por que um feto não é cidadão civil (redundante). CANSEI de ter estudado a vida inteira, me esforçado, passado em primeiro lugar em todos os vestibulares que fiz e as pessoas me perguntarem 'se eu passei por cotas' (supondo que só por ser negra eu precise de um 'empurrãozinho') com um olhar de deboche. CANSEI de toda essa misoginia, racismo e de toda essa cegueira religiosa que impede essa DESGRAÇA de ir pra frente.


D.

Anônimo disse...

"Nossa, mas tenha santa paciência.. Vc acha mesmo que ele tinha alguma causa nobre pra fazer isso? Tanto q quando confrontado deu aquelas respostas de ''o politicamente correto está me perseguindo'' etc
E caso vc não tenha visto as próprias pessoas negras (e as q tem cabelo crespo) não gostam de ver seu cabelo comparado com bombril ou o que for.. Se elas não gostam, não tem que fazer desfile, obra artística, propaganda, nem nada.. Tem que enterrar de vez a ideia.
E as pessoas precisam substituir essas palavras provocativo, ousado, polêmico, controverso por racista simplesmente."

Pelo visto vc não entendeu patavinas do que ela falou.

E não, ele não foi racista. Foi uma CRÍTICA. Mas no tempo dos 140 caracteres, do deficit de atenção e do analfabetismo funcional, não me surpreenderia que mais pessoas não tivessem entendido isso também.

Sou NEGRA (não mulatinha, não café-com-leite, não parda, NEGRA), não aliso meu cabelo por nada nesse mundo e entendi a proposta perfeitamente.

Anônimo disse...

"Não concordo com quem diz que "negros são racistas" estabelendo essa idéia generalizada, mas eu fico impressionado como alguns são mesmo

Não quero desqualificar dessa forma a luta do grupo oprimido, é só algo que eu percebo que me deixa impressionado, como tem negro racista / mulher machista / gay homofóbico no mundo"

O princípio do negro racista é o mesmo da mulher machista. Somos educados assim. Vemos todos os dias o padrão de beleza eurocêntrico e passamos a nos rejeitar. Tentamos nos misturar aos brancos, repetindo seus maneirismos. No fim, quem continua se ferrando somos nós.

Idealista Chata disse...

Paulo querido..

quem falou sobre padrão de beleza fui eu..nao disse que vc falou...
só quis demonstrar que nao lutamos so por negros e ninguem aqui disse que SÓ negros sofrem preconceito..

vc mandou 3 reportagens..dos tres só uma abriu o site aqui...e quanto a ela (a do uel) de fato..racismo..xenofobia tbm..dificil enquadrar em qual dos dois...talvez esteja enquadrado nos dois..

ee bom...partido de alguem do DEM..da direita..facil entender que ele eh racista..
mas diante de "tantos" exemplos de racismo contra japoneses quais os seus argumentos para comparar esses casos aos dos negros no Brasil..?
quais os seus argumentos pra dizer que a policia persegue mais o japoneses do que perquegue ou brancos tipo europeus?
quais os seus argumentos pra dizer que uma pessoa japonesa não foi contrada em uma empresa por que era japonesa?como vc vai defender o fato de que os japoneses são vistos como representates da pobreza no Brasil?

não to diminuindo a gravidade do racismo contra outras etnias..eh grave..e os agressores tem que ser punidos..estou dizendo que são diferentes...acontecem em menor numero E não são tão graves na maioria das vezes..afinal..ser chamado de amarelo não eh agressão fisica como jovens negros sofrem da policia todos os dias...

e vir aqui diminiur uma luta legitima eh no minimo babaquice...

Mirella disse...

E assim, sobre as palhas de aço.
Primeiro li a entrevista, só depois fui ver as fotos.
Quando ele falou que tinha criado analogia para falar que o cabelo crespo pode servir para fazer esculturas e tal, por isso que ele tinha usado a palha de aço, imaginei que eles tivessem feito esculturas com as tais palhas de aço. Achei que iria encontrar uns coques, sei lá. Que a palha teria sido trabalhada - o que já seria humilhante, em vez de usar os cabelos de verdade para mostrar como são lindos e versáteis.
MAS NEM PRA ISSO.
Só comprou as palhas e colou numa rede de cabelo. Criando um efeito visual RIDÍCULO que não lembra em NADA um cabelo crespo. O visual parecia um deboche, sério. Não achei nada criativo colar bombril na cabeça para imitar "cabelo bombril", achei pueril, fraco, patético. Se tivesse cabelo crespo, eu ia ficar louca da vida de ter um estilista, alguém que vive de moda, tentar representar meu cabelo de maneira tão ridícula. E não basta a idéia ser medonha, tem que ser racista.

Me lembrou também a moça que vai casar, mas não achou um penteado para cabelos crespos numa revista de penteado. Provavelmente, este renomadíssimo estilista e seu time de maquiadores/cabeleireiros não sabe mexer num cabelo crespo - o que, para mim, é atestado máximo de incompetência.
Quis ser polêmico e não conseguiu desviar de um senso comum de séculos de preconceito. Tem que ser muito incompetente, burro e, pior de tudo, racista para conseguir fazer isso.

Paulo disse...

Idealista como ja disse ,eu n nego os problemas dos negros e eles são maiores sim,mas ja li aqui varias vezes ,pessoas dizendo que n existe racismo contra outros grupos.

Anônimo disse...

Vejam matéria no yahoo, por ocasião do SPFW, sobre o novo padrão de beleza exigido ás modelos, "Agora, top precisa ter mais de 1,78m e rosto de boneca": http://br.mulher.yahoo.com/agora-top-precisa-ter-1-78-m-rosto-111900025.html
Atentem para essa declaração estapafúrdia, quando o jornalista pergunta se o novo padrão exclui as mulheres negras: "“Uma negra com os traços europeus também tem muito potencial para dar certo”, ressalta Gusmão." Caray!!!

Saudações buñuelistas,
Naná

Marina disse...

D. , simplesmente AMEI seu comentário. Acho uma tremenda babaquice essa coisa de justificar tudo como "arte, poesia" e o cacete, tentando justificar atitudes totalmente desrespeitosas com uma parcela imensa da população. Concordo com vc na questão da significância da expressão "cabelo de bombril", do peso que essa expressão carrega, fiquei falando disso com algumas pessoas ontem que pareciam não entender o peso simbólico dessa "criação artística maravilhosa" do estilista. Adorei o "raquel mil e uma noites" tbm rsrs não suporto a galera nas redes sociais achando o máximo as "opiniões politizadas" dela.

Beatriz disse...

Exatamente como disseram, a maioria do pessoal que não achou racista a atitude do Ronaldo Fraga não tem cabelo crespo e nunca sofreu preconceito por isso...
Acho q seria muito melhor da parte dele se fossem usadas modelos com cabelos crespos pra mostrar isso!
Tenho cabelo crespo e sempre fui ridicularizada por isso!
Me sinto ofendida sim com o uso de bombril pra representar cabelos crespos!
Fui ridicularizada na escola, por "amigos" e até na familia! Ouvi uma tia dizer que eu e a minha irmã não arrumavamos namorado por causa do nosso cabelo e q só quando nosso cabelo fosse alisado q alguém ia querer a gente...
Depois de tanto ouvir a gente começou a alisar o cabelo e realmente muita coisa mudou! A beleza esteriotipada ajuda as pessoas a se inserirem em circulos sociais...
Realmente não sei no q isso ajuda a mudar a relação que infelismente ainda temos com nossos cabelos achando que apenas os lisos são bonitos...
Vejo q hoje já existem mais tratamentos pra cabelos crespos do que na época que eu comecei a alisar, e espero em breve voltar a usar meu cabelo natural, mas usar bombril em desfiles não vai me fazer mais confiante em usar cabelos crespos...

Idealista Chata disse...

Paulo..

quem disse isso. na minha opinião está errado...
existe discriminação sim..o padrão eh o branco/loiro/europeu...todoo resto sofre algum tipo de precocnieto...otodoo resto é visto comoinferior..e as vezes se ve como inferior..
mas no brasil quem sofre mais eh o negro por que sua cor está associada tbm a pobreza...e o clasissismo reforça o racismo

Anônimo disse...

Anônimo disse...
E não, ele não foi racista. Foi uma CRÍTICA. Mas no tempo dos 140 caracteres, do deficit de atenção e do analfabetismo funcional, não me surpreenderia que mais pessoas não tivessem entendido isso também.

Sou NEGRA (não mulatinha, não café-com-leite, não parda, NEGRA), não aliso meu cabelo por nada nesse mundo e entendi a proposta perfeitamente.
22 de março de 2013 07:22

----


Ué, você sinceramente não acha isso ofensivo? Ele primeiro compara o cabelo crespo a palha de aço e chama isso de homenagem, depois quando as pessoas que cresceram ouvindo que seu cabelo era ruim, que parecia vassoura, palha e afins, se revoltam com razão, ele pula fora e ai vem ele e a revista choramingar de perseguição.. Ninguém aqui está julgando a biografia dele, que pode ser maravilhosa, e sim a atitude que ele tem agora. O que tem de criativo, de novo, de inovador, de ousado em comparar o cabelo crespo com Bombril? O quê? Inovador seria ir contra isso.. Seria enfim ter crianças um dia não tendo que ouvir essas comparações.. Você pode não se ofender e achar isso uma homagem poética e que só os analfabetos funcionais (que pelo visto são muitos!) não entendem mas é preciso ver além de você, que há sim pessoas (crianças inclusive) que sofrem com isso até hoje. Se há pessoas que dizem se ofender com isso já seria motivo para não fazer. Ele podia muito bem ter ouvido as críticas e se desculpado.

Roxy Carmichael disse...

poxa D. um verdadeiro manifesto, eu assino embaixo!porque hoje estou especialmente sensível com a repercussão do relatório do CFM sobre aborto, pensando que o brasil caiu no buraco e de lá não vai sair mesmo.
quanto a representar o cabelo crespo com bombril ser sutileza...
talvez chamar gordo de baleia também seja uma metáfora assim, super delicada não? por que vcs não chamam as filhas gordas de vcs de: ô minha baleinhazinha? de repente ele não quis ser tão obvio e quis criar referencias de negritude ao invés de colocar modelos negras, isso seria compreensível se e somente se, desfiles com modelos negras fosse algo bastante comum e não uma questão chave nas semanas de moda no brasil, onde a maior parte da população é negra. também seria super compreensível se ele tivesse escolhido materiais, texturas que não fizessem uma associação obvia com insultos racistas que meninos e meninas negras sofrem todos os dias nesse país. agora, sabendo ele, e muito bem, que ninguém nunca fez essa ousadia, de um line up só com modelos negras, poderia ter se candidatado a ser o precursor ao invés de ser só mais alguém na manada de racistas. eu acho super ok ser mais um na manada, já que bancar atitudes precursoras, não é pra qualquer um. só assuma as consequencias. não mude o tema do desfile de acordo com as criticas que receba. não faça o danilo gentile cheio de mimimi contra o "politicamente correto" já é um bom começo.
e queridas coleguinhas comentaristas, sempre que pensarem no exemplo do bombril, não se esqueçam de pensar também no exemplo das modelos com rabo de macaco. pra ficar ainda mais gráfico, agreguem também uma máscara de macaca às modelos que desfilam uma coleção que o estilista define como "uma homenagem aos negros" e depois venham aqui explicar pra gente a sutileza da metáfora que a gente não entendeu. por sua atenção, obrigada.

Marina P disse...

D, adorei o seu comentário, foi extremamente lúcido e coerente.

Eu penso assim: mesmo que a intenção inicial tenha sido fazer uma crítica, deu tudo errado, né? Ele realmente não bancou a própria ideia e tentou sair pela tangente, falando que o bombril era uma referência ao futebol. Pegou mal, deu errado e todo mundo percebeu o que ele estava fazendo. Seria melhor explicar o que ele queria fazer e admitir que a ideia foi infeliz mesmo.

Às vezes eu falo alguma coisa e as pessoas dizem que o que eu disse me fez soar preconceituosa ou grosseira de alguma forma. É difícil, quando a gente se considera uma pessoa que luta contra preconceitos, receber uma crítica desse tipo: a gente não se reconhece nela e ela parece absurda. Mas é preciso fazer um mea culpa e eu esperava isso do Ronaldo Fraga.

Recentemente a Lola publicou um post que falava sobre o uso da expressão "Se valorize!", que é tão dirigida às mulheres de modo geral. Várias leitoras do blog falaram que costumavam usar essa frase e que, aos poucos, perceberam como ela é machista. Foi tão bacana ler esses comentários, sabe? Porque eu pude perceber que, assim como eu, várias leitoras do blog estão evoluindo, aprendendo, melhorando e absorvendo novas informações conforme leem os posts e participam dos debates que acontecem aqui nos comentários. Eu acho isso ótimo, pois quer dizer que a gente não precisa saber tudo desde sempre; a gente pode aprender, melhorar, usar as críticas para algo bom. E o Fraga não fez isso; ele preferiu dar uma de coitadinho que caiu nas garras do "politicamente correto". Podia ter sim explicitado a intenção dele ao usar o bombril - como explicitou - mas faltou ele assumir a responsabilidade pelas repercussões dessa escolha.

yulia2 disse...

http://revistamarieclaire.globo.com/Revista/Common/0,,DFG45352-17588,00-MARIE+CLAIRE+QUER+SABER+VOCE+E+VIRGEM+AOS+ANOS.html
______________
tudo bem, a pessoa escolhe o que quer, mas o problema dessas mulheres de 30 virgens é que elas ainda se iludem achando que a primeira vez vai ser com principe encantando e vai ser especial.... e bla bla bla e não é nada disso, quem perdeu a virgindade , sabe.

Anônimo disse...

yulia2 disse...
http://revistamarieclaire.globo.com/Revista/Common/0,,DFG45352-17588,00-MARIE+CLAIRE+QUER+SABER+VOCE+E+VIRGEM+AOS+ANOS.html
______________
tudo bem, a pessoa escolhe o que quer, mas o problema dessas mulheres de 30 virgens é que elas ainda se iludem achando que a primeira vez vai ser com principe encantando e vai ser especial.... e bla bla bla e não é nada disso, quem perdeu a virgindade , sabe.

22 de março de 2013 21:55


Vc realmente tivesse lido os comentários publicados nesse fórum veria que a maioria das mulheres sofre de baixa autoestima,e não se sentem confortáveis com isso.Mas Graças a Deus,sua opinião tem tanto valor quanto uma moeda de 1 centavo amassada,furada e queimada.E vc se considera feminista?Total insensibilidade com o sofrimento dos outros.Pedante.

Anônimo disse...

Anônimo disse...
yulia2 disse...
http://revistamarieclaire.globo.com/Revista/Common/0,,DFG45352-17588,00-MARIE+CLAIRE+QUER+SABER+VOCE+E+VIRGEM+AOS+ANOS.html
______________
tudo bem, a pessoa escolhe o que quer, mas o problema dessas mulheres de 30 virgens é que elas ainda se iludem achando que a primeira vez vai ser com principe encantando e vai ser especial.... e bla bla bla e não é nada disso, quem perdeu a virgindade , sabe.

22 de março de 2013 21:55


Vc realmente tivesse lido os comentários publicados nesse fórum veria que a maioria das mulheres sofre de baixa autoestima,e não se sentem confortáveis com isso.Mas Graças a Deus,sua opinião tem tanto valor quanto uma moeda de 1 centavo amassada,furada e queimada.E vc se considera feminista?Total insensibilidade com o sofrimento dos outros.Pedante.

23 DE MARÇO DE 2013 07:32


----

Eu tbm concordo com a opinião do último anônimo (das 7:32).. Se a pessoa quer perder a virgindade aos 30, é problema dela. Vc não ajuda em nada as criticando assim.. Como bem disse a pessoa escolhe o q quer, então deixa elas né, afinal elas já são adultas! Mesmo que elas se decepcionem, etc etc elas transam quando se sentirem prontas.. Até onde eu sei na hora de tirar a carteirinha de feminista não diz que tem que perder a virgindade até X anos.

Anônimo disse...

Lola, vc escreveu sobre a vinda da Yoani:
"E tem gente que acha imprescindível ir protestar com faixas e palavras de ordem a chegada de Yoani a aeroportos e aos eventos marcados. Não acho que estejam errados. Cada um tem sua forma de pensar e lutar. Só erram quando apelam pra violência (parece que alguém puxou o cabelo de Yoani)."

Oras, na livraria Cultura ela foi impedida de proferir palestra, pois manifestantes berravam e nao deixavam sequer ela responder as questões, a mesma tevve que abandonar o recinto. Isso num ambiente fechado, destinado a palestras e, portanto, a alguem falar.
Violência não é so puxar cabelo, está vendo? É qdo manisfestações, que devem existir, deixam de ser palavras de protesto para se tornarem impedimento que o outro fale.

Anônimo disse...

No Brasil, o racismo não se volta apenas contra os negros, contra os indígenas também. Chamar o branco de "azedo" ou dizer que japonês tem "p pequeno", e outras manifestãções deste teor é uma prática PREconceituosa, mas não é racismo. Racismo é um sistema de dominação e exploração entranhado nas instituições e na sociedade, no qual os estereótipos são naturalizados, e considerados normais, quando na verdade a soma de todos eles provoca a depreciação e a negação de qualquer valoração positiva à fenotipia e ao modo de ser e viver, de todo o grupo discriminado, e não apenas de um indivíduo.

Ana Silvia

Luiz Prata disse...

Modelos negras protestam na Paulista contra o desfile de Ronaldo Fraga.
http://noticias.uol.com.br/album/album-do-dia/2013/03/25/imagens-do-dia---25-de-marco-de-2013.htm?abrefoto=43.

Jociane disse...

Meu Deus, como eu precisava ler esse texto hoje!!
Como eu precisava conversar nem que fosse através dessa leitura sobre o racismo que existe e que quando manifestamos que sentimos somos criticados por nos sentir ofendidos por tudo, por tirar proveito da "condição de negro" pra se ofender. Hoje, logo cedo tive um calorosa discussão sobre racismo e recebi uma crítica que qualquer coisa levanto a bandeira do preconceito, e olha que me calo em tantas situações...ouvi que coisas como essas citadas no texto são exageros e que nós negros somos os mais racistas, pode isso!?! Mas enfim, bom saber é que tem muita gente que enxerga e que não estou só!