quarta-feira, 27 de agosto de 2008

EM TODAS

Teve um dia, na década de 80, que o Casseta e Planeta anunciou que uma produção nacional seria “o primeiro filme brasileiro sem o Wilson Grey” - porque, de fato, o Wilson tava em todas (ok, nenhum leitor jovem vai saber quem foi essa figura. Não importa. Hoje estou em algum lugar do passado). Agora eu quero saber: o Terence Stamp vai se tornar o Wilson Grey deles? Ele deu de estar em todos os filmes! E, pobrezinho, se é pra fazer o que fez em Procurado, não precisava...

7 comentários:

Pernambucobebendoparaomundo disse...

Pra chegar a filmografia de Grey, Stamp vai ter que ir a muita festa pra virar arroz... ;)

Mica disse...

O que ele fez em Procurado que eu não lembro dele?

lola aronovich disse...

Concordo, Gio. O Wilson Grey é incomparável! Acho que ele nem dormia.


Mica, pra vc ver como o filme é marcante: nem lembro! Mas olha só, na cena em que o James aparece molhado, saindo do banho, sem camisa (dessa cena eu inexplicavelmente me lembro), o Terence Stamp tá lá. Ele é o mentor/amigo do pai/algo assim que o ajuda no final. Eu acho!

Charô disse...

Àh, o moço tem porte vá!

Camila disse...

Nessa categoria "Wilson Grey" eu tb colocaria o Phillip Seymour Hoffman, o Morgan Freeman e o Michael Caine. Apesar de gostar muito deles, nao consigo entender algumas escolhas que eles fizeram e tenho a impressao de que estao em quase todos os filmes que aparecem!

Chris disse...

Olha, haja filme para o Stamp chegar lá...

Se bem que depois de Priscilla, acho que ele conseguiu ganhar uns bônus aí rsrsr

Beijos

aninha disse...

Lola,

Acabei de assistir, atrasadésima, ao "manda bala" e, como o post original é de junho, resolvi escrever por aqui mesmo.

Que coisinha mais ruimmmmmmm!!!
Como pode ter ganhado prêmio em Sundance?!?!
Mas não me incomodou o que pensem do nosso país ou deixem de pensar, afinal, meus comentários:

Não acho que tenha passado imagem de país atrasado e pronto. Afinal, mostraram que temos em Sampa a maior frota de helicópteros civis...
Odiei o cirurgião que tem as mão guiadas por deus, mas não pude deixar de achar a idéia do trabalho dele bem criativa.
Concordo com você que o final do sequestrador tinha que ter aparecido ainda no filme, logo depois da última fala dele, por exemplo.
Aquele procurador da república, pra mim, é tão asqueroso quanto o próprio Jader.
Ficou claro que o filme não passa aqui por conta do Jader.
Eu nunca mais vou conseguir comer rã na minha vida!!! (tudo bem que só tinha comido uma vez, mesmo, hehehe...)

Não acho que esse filme interfira na nossa imagem. Mesmo aquele cara da divisão anti-sequestro fala, "me mostre aonde existe um político que não seja FDP?"
Acho que sim que esse filme deveria ter sido mais difundido por aqui, via internet, torrent, etc... Porque essa nossa mania de passar a mão na cabeça dos outros, o político bonzinho perdoado, o sequestrador inescrupuloso que é perdoado porque "não sabe o que é certo e o que é errado", fala sério.

E sobre a trilha, será mesmo que o Tom Zé sabe que tem duas músicas dele nesse filmeco???

Abraços e desculpas pelos comentários atrasados... :)