terça-feira, 8 de fevereiro de 2000

CRÍTICA: A LENDA DO CAVALEIRO SEM CABEÇA chega em filme acéfalo

Trama sobre cavaleiro sem cabeça não faz jus ao talento de Tim Burton, diretor com grandes trabalhos no currículo

A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça, em cartaz no Estado, não é um filme qualquer. Não é cria de um desses diretores por encomenda, mas de um autor ultrapessoal: Tim Burton. Então, por que este terror gótico tem aquele gostinho de "já vi isso antes..."? Talvez sejamos nós que realmente já vimos de tudo, então tudo hoje em dia pareça dejá-vu. A Lenda é um amontoado de clichês, mas este também é o caso de outros filmes que tenho visto: Risco Duplo, Joana D'Arc.... No fundo, a última obra original que assisti recentemente foi Tudo Sobre Minha Mãe, do sempre criativo Almodóvar.Voltando à Lenda do Cavaleiro sem Cabeça, devo esclarecer que eu gosto do Tim Burton, então sou suspeita pra falar. Tim, se me permitem esta intimidade, fez Beetlejuice - Os Fantasmas se Divertem (que quando passa na TV dublam como "besouro-suco", pasmem), o comovente Edward Mãos-de-Tesoura, e os dois primeiros Batman. O Batman inicial tem os gritinhos irritantes da Kim Basinger e uma fotografia mais escura que a capa do homem-morcego, e o segundo tem pouco mais que a abertura brilhante de um bebê boiando no esgoto, mas, convenhamos, ambos são mais marcantes que os outros que vieram depois pelas mãos do Schumacher (não o da Fórmula 1). Tim realizou ainda O Estranho Mundo de Jack, uma ótima animação que mostra o que aconteceria se o Dia das Bruxas fosse comemorado no Natal (pra quem acha que um menino abrindo seu presente de Natal e tirando de dentro do pacote uma cabeça ensanguentada seja um filme infantil), e Ed Wood, que, na minha modesta opinião, entra na galeria dos melhores filmes da década de 90. Infelizmente, pouca gente viu Ed Wood, a cinebiografia mais carinhosa já feita e que, ironicamente, trata do pior diretor de todos os tempos. Depois, Tim escorregou feio com Marte Ataca!, uma bobagem sem tamanho.
Digamos que
você estivesse hibernando nos últimos 12 anos e não viu nenhum desses filmes. Não faz mal, pois basta assistir à Lenda pra ter um resumo de toda a obra de Tim Burton (tirando Ed Wood, que é único). Ele fala de um detetive atrapalhado que, em 1799, é enviado a uma cidadezinha (a Sleepy Hollow do título original) para investigar um serial killer sem cabeça que tem a inconveniente mania de decepar suas vítimas. O que você pode esperar ver é uma profusão de cabeças sendo cortadas com uma espada, por vários ângulos. Algumas espirram sangue, outras rodam nos eixos antes de caírem, umas contém olhos arregalados, e há até o corte da cabecinha de um morcego (deve ser pra gente comparar). Logo, se você se interessa por algo mais que o caráter quase didático de cabeças rolando, A Lenda não é sua praia.Um diretor começa a ficar chato quando reproduz imagens de suas outras obras. Mais ou menos como fez Gus Van Sant na sua refilmagem de Psicose, quando incluiu, no meio de um assassinato, fotogramas de uma vaca pastando. Algo que não tem nada a ver com nada, mas serviu pra nos lembrar de seu pior filme, Até as Vaqueiras Ficam Tristes. Bom, é pena que Tim Burton se auto-homenageie à exaustão em A Lenda. Tem a moça girando com os braços abertos, em cena que remete direto à Mãos-de-Tesoura, tem a escuridão de outras paisagens, tem os casarões mal-assombrados de todos os filmes de Tim Burton. Parece até a mesma tomada.Atores amigos de Tim também estão lá, como Johnny Depp (caricato demais, e o personagem não ajuda), Martin Landau numa ponta não-creditada - ele é o primeiro a perder a cabeça -, e Christopher Walken como o cavaleiro das trevas.

"Sleepy Hollow" em inglês significa algo como "Vale Dormente". Separando as palavras, temos sleepy ("que dá sono") e "hollow", que quer dizer oco. Sejamos justos: A Lenda não causa dormência, mas é um filminho pra lá de oco, vazio mesmo, bem diferente do que se espera de um diretor-cabeça como Tim.Tim Burton para Johnny Depp: "Ainda voltaremos a fazer um grande filme".

5 comentários:

Emy Caetano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

a lenda do cavaleiro sem cabeça é sem duvida um dos melhores filmes de tim burtom quem ñ gosta é por que é retardado

Matheus Kullack disse...

da se pode imaginar que tipo de filmes lixo gente que ñ gosta desse filme deve adorar

Anônimo disse...

Nossa senhora Lola, você deve ter uma grande implicancia com Johnny Depp e Tim Burton pra falar uma merda dessa... O filme sem dúvida alguma, ficou ótimo! Johnny Depp interpretou muito bem seu papel nesse filme, como em todos os outros.

Anônimo disse...

Realmente um filme medíocre, que toma liberdades e que, como é comum em Hollywood, reescreve a história original sem torna-la melhor. Deu pena ver Christopher Walken fazer um personagem sem uma única fala e cujo rosto quase não aparece no filme.