sexta-feira, 9 de novembro de 2018

"EU CRESCI NO BRASIL DE BOLSONARO"

Gostei pacas deste texto publicado na Vice Brasil um pouco antes do segundo turno.
Não sei nada sobre o autor, Fábio Marton, e tenho certeza que não concordo com ele em muitos temas. Mas seu post é importante para compreender um eleitorado influente. Não só os evangélicos não param de crescer, como na próxima Câmara de Deputados a bancada da bíblia contará com 180 membros. E, como deixa claro Fábio, os preconceitos não são apenas de Bolso. São do próprio grupo. E não são de hoje.
Reproduzo o texto aqui.
Nunca fui petista. Na Era do Amor do primeiro mandato de Lula, lá estava eu criando um blog antipetista. Eu me arrependo de muita babaquice que escrevi, mas ainda me acho liberal em economia. 
E não pisquei em decidir por Haddad no segundo turno.
Eu tenho a mais profunda e visceral ojeriza por Bolsonaro e o que ele representa. É como se eu fosse um refugiado de um país totalitário e essa figura sebosa esteja prometendo trazer o horror em que cresci para o país em que me exilei. E vejo quem não viveu esse horror o subestimando.
Meu regime totalitário é o pentecostalismo. Com ou sem o neo, não faz diferença (demora pra explicar, tá no meu livro). Esse é meu comunismo, esse é meu fascismo — ainda que a palavra exata seja teocracia, como no Irã ou Arábia Saudita. É de onde me refugiei, e o que parece prestes a, se não dominar tudo, tornar-se parte central da ideologia do Estado brasileiro.
Na teocracia pentecostal, o que chamamos de discurso de ódio é só a linguagem do dia-a-dia, dos almoços em família. 
Para mim, Bolsonaro não tem nada de raro, exótico ou aberrante. Eu manjo a figura. Eu já vi antes e tenho visto desde criancinha. Ele não disse uma palavra que meu pai não teria dito.
O que vai a seguir é um retrato de quem, comprovadamente, pelas pesquisas, é o núcleo duro da base bolsonarista. São os que estão com ele por concordarem com o que diz. Quase tudo o que ele diz.
Fé demais
Meu pai é filho de um pastor da Assembleia de Deus. Na juventude, passou um tempo desviado, reencontrou a fé nos seus quase 40 anos, quando eu era criança. Na minha enorme família, dá pra contar nos dedos de uma mão quem não é pentecostal.
O velho votou em Lula em 2002. Os pastores disseram que era OK. Se arrependeu em 2006, virou virulentamente antipetista. Tirando exatamente os que não são crentes, a família está em bloco com Bolsonaro. A vida inteira, meu pai falou que era melhor na ditadura e defendeu pena de morte, que bandido bom é bandido morto, etc. etc. etc. Votava em Maluf. Quando eu o descrevia para outras pessoas, perguntavam se não era um militar. Era dono de uma oficina.
Anos atrás, em tempos que devem ficar na saudade, visitei a família com uma camisa cor-de-rosa e cachecol. O velho parece não ter concordado com meu senso de moda. Ouvi dele à mesa que “se tivesse filho gay, matava”. Eu não dou a mínima para ser chamado de gay. Se fosse, quem sabe o velho fosse mais humano, obrigado a lidar com isso (obviamente iria de Bolsonaro do mesmo jeito). Mas então retruquei: “Você acha que é cristão perseguir alguém por uma coisa que ele nem escolheu?”. E ele encerrou então com: “Quem é gay tá possuído pela Pomba-Gira” (mais adiante).
Crentes (os que conheci) não são exatamente supremacistas brancos. Em geral, acreditam que racismo existe, mas não no Brasil. Meu pai sempre fez piada de preto, e vivia falando em “baiano”. E, se tinha problema com um negro e particular, a culpa virava de todos. Mas, é claro, já frequentou igreja em que o pastor era negro — como poderia ser racista?
Quando era criança, ouvi o pastor dizer jocosamente que “negro é filho do Cão”. Cão (ou Cam) é um dos três filhos de Noé, amaldiçoado por caçoar de sua bebedeira (Gênesis 9:18). A pele escura seria uma maldição — essa ouvi bastante. Não sei se ainda dizem.
A parte mais racista na ideologia crente é o profundo ódio que destinam às religiões afro. São nada menos que os representantes de Satã na Terra. Quando falam em demônios, eles dão nomes do Candomblé: Pomba-Gira, Exu Caveira, Exu Tranca Ruas. Isso é absolutamente central na vida do crente, é parte do apelo, do espírito de guerra, de cruzada, que torna a coisa tão emocionante. Odiar Satã é odiar o candomblé. Eles provavelmente têm mais fé no trabalho deixado na esquina que quem o deixou -- para eles, “macumba” sempre pega e só exorcismo cura. (Uma vez até comentei com o velho: “Você não é cristão, é politeísta. Você acha que deuses africanos são reais”. Não entendeu nada.)
Meu pai teve dois filhos. Então meu velho nunca disse o “fraquejei e tive filha”. Mas Bolsonaro nem de longe inventou isso. Vinte anos antes, eu já ouvia isso quase toda a vez que um crente se apresentava a outro, falando da família. Era um clichê, um “pavê ou pacumê” de crente.
Essa parte é um pouco paradoxal. Mulheres tem uma presença definitivamente maior nas igrejas pentecostais que na Católica. A maioria hoje admite pastoras. Mesmo as mais tradicionais sempre permitiram que as irmãs viessem ao púlpito para dar seu testemunho. E, ainda assim, misoginia é parte integral do pacote.
Nunca fui a um casamento na família sem ouvir "o homem é a cabeça da mulher" (Efésios 5:23) (ao que se segue “e Deus é a cabeça do homem”). Na igreja, o “só casando” é absoluto; na prática, a filosofia do velho era, cito: “segure suas cabritas que meu bode tá solto”. Ele próprio teve 7 esposas, inclusive algumas não oficiais. O pastor nunca falou nada. Ele pagava o dízimo em dia.
Quanto a mim, pude trazer namoradas para o quarto (elas não eram crentes; se fossem, teria sido diferente). Só reclamou uma vez, quando trouxe um amigo e uma amiga, todo mundo bêbado, e eles dormiram no chão. Ele ficou escandalizado com o suposto ménage. Mas reclamou mesmo é que a moça era feia.
Imagino como seria se eu fosse mulher. Uma prima minha foi pega num armário com um rapaz num retiro evangélico. Ouviu “puta” de todos os bons cristãos que, normalmente, usavam linguagem Sucker and Fucker, falando “ferrar” no lugar de foder. Inclusive seu pai, que a conduziu pra casa aos bofetões.
O pai dela, aliás, é o antagonista de meu livro: o Nadir. Um tio agregado santarrão que batia na mulher e filhas (meu pai nunca fez algo do gênero, isso tenho em favor dele). O resto da família detestava o cara, mas nunca tentou algo como uma denúncia. Sua esposa, irmã de meu pai, fugiu de volta para ele quando resgatada. Na igreja, nunca foi repreendido.
Jesus contra o Mundo
Eu fui criado num mundo de verdade alternativa. São criacionistas de Terra jovem, acham que o planeta surgiu há mais ou menos 7500 anos e dinossauros são animais pré-dilúvio.
Tudo no mundo se divide em coisas de Deus ou do Diabo, numa batalha encarnada não só em pensamentos e desejos, como também objetos. Coisas podem ter o Diabo nelas.
Xuxa teria feito pacto com o Diabo (virtualmente todas as pessoas de sucesso que não são crentes fizeram). Então chiclete da Xuxa deixaria as crianças possuídas e, claro, virar disco ao contrário traz recadinhos de Satã. Fofão era “consagrado” ao Tinhoso e o boneco vinha com faca dentro (não sei se os crentes são a origem da lenda urbana ou só aderiram). Até a batata Pringles podia te contaminar capetice. (Esse é um caso de fake news de crente internacional, com origem conhecida: nos anos 90, funcionários da Amway, empresa de marketing multinível com donos evangélicos, passaram a espalhar que o executivo da Procter and Gamble havia se assumido satanista na televisão).
Crentes também não ouvem música “do mundo” (isto é, dos não crentes, os que estão irremediavelmente com o Demo). Toda música que não é gospel é do Coisa Ruim. A maioria dos filmes e livros, se tem algum conteúdo que soe “do mundo”, é proscrita — Harry Potter, falando em bruxaria de forma positiva, está na unha do Capeta e quem o ler vai acabar possuído. Seguidores de religiões afro e espíritas, já dissemos, são mais satanistas que disco do Black Sabbath tocado no reverso. Católicos também estão com o Diabo, pois “adoram a imagens de escultura” (Deuterunômio 5:8). Já ouvi muito (mas não é um consenso universal) que o Papa é o próprio Anticristo. Quando ouvia alguém usar a palavra “cristão”, queria dizer em primeiro lugar outros pentecostais, raramente outros protestantes. Jamais católicos. Por definição bíblica, “cristão” exclui os “adoradores de esculturas”.
A mídia como inimiga é coisa antiga. No mínimo, desde o incidente do chute na santa (de novo, “adoração de imagens de escultura”), em 1995. Ou todas as críticas à Igreja Universal. Como Edir Macedo foi pego contando dinheiro e nunca deu em nada. Toda crítica é conspiração do “mundo” e os jornalistas provavelmente estão possuídos pelo Exu Trinca Bolas ou algo do tipo.
E chegamos ponto mais central: política. A visão pregada nas igrejas é um tipo de absolutismo teocrático.
Razão crítica é o Diabo falando em sua orelha (eu literalmente imaginava isso quando comecei a duvidar). Meu pai ia numa igreja (neopentecostal) cujo líder era um óbvio picareta. Andava de BMW e falava que sua prosperidade era uma bênção de Deus, que podia ser também sua. Quando eu perguntava por que não viam o óbvio, que ele era um ladrão, respondiam: “A gente tem a obrigação com Deus de seguir o pastor e dar o dízimo. Se o pastor estiver roubando, é algo entre ele e Deus”. Não é muito mistério quem ensinou isso ao rebanho.
Em algum ponto anos 90, assisti a uma pregação em uma Igreja do Evangelho Quadrangular. O pastor falou sobre a ordem do mundo: “criança obedece à mãe, a mãe ao pai, o pai ao chefe, o chefe ao patrão, o patrão ao presidente. Porque Deus, que não deixa uma folha cair da árvore sem sua permissão, foi quem colocou todos em suas posições”.
Aos 15 anos, já achei que isso parecia fascismo. Há uma mensagem profundamente antiliberal (no sentido político, não econômico), martelada a cada pregação, de aniquilação da individualidade, de submissão ao divino e seus representantes, de demonização de quem está fora e de guerra, com metáforas militares cravadas nos hinos, contra o Inimigo, o Diabo. Neste momento, o Inimigo é encarnado pelo mesmo PT que os pastores recomendaram em 2002. Ao pentecostal, não existe neutro: ou é de Deus ou do Diabo.
Deixei de seguir muita gente nas redes sociais, mas continuei acompanhando o que minha família postava. Eles são meu ponto de contato com o mundo bolsonarista nesta eleição. Um dia antes do primeiro turno, uma prima compartilhou uma montagem falando literalmente que no dia seguinte começaria o governo de Deus na Terra.
Brasilsão de Deus
Não estou dizendo que todos os pentecostais pensam como o que descrevi. Sei sobre ao menos um caso de um pastor perseguido por não apoiar Bolsonaro. Existem figuras como Marina Silva — uma pentecostal que tenta equilibrar certo conservadorismo nos costumes com uma pauta progressista (e enfrenta muitas críticas por isso). As pesquisas de voto não dão 100% a Bolsonaro entre pentecostais, ainda que sejam o grupo mais pró-Bolsonaro de todos.
Meu ponto é que o fenômeno da teocracia pentecostal existe. E que o núcleo duro de Bolsonaro não é o fascismo de suspensório e coturno, mas a teocracia de terno ensebado e testa suada, berrando ao microfone. Fascistas são uma gangue. São milhares. Teocratas, um país. Milhões. O ódio aos gays e à cultura negra, a misoginia, o espírito militarista de cruzada, de caça às bruxas, a visão anticientífica do mundo, a desconfiança total da mídia, e, por fim, o autoritarismo teocrático, tudo isso vem sendo pregado há décadas nas igrejas. Para quem vê de fora, a gritaria, entrecortada por música ruim, línguas estranhas e pedição de dinheiro, dá um ar folclórico à coisa. Encobre o fato de haver uma mensagem sendo passada ali muito mais perigosa que “ame Jesus, pague o dízimo”. O Diabo, o inimigo, sempre foi identificado foi com tudo que não é de crente. Agora, o Diabo são os petistas.
A gente não está diante de um Mussolini nem um Hitler. Sequer um Castelo Branco. Mas lembra um general Franco ou os aiatolás do Irã. Bolsonaro é levado ao poder por um nacionalismo teocrático, o “Deus acima de todos”. E pode esperar a lei contra “cristofobia”, proibindo um texto como este. Deve ser uma das primeiras pautas – mesmo na remotíssima chance dele perder, aliás. Sua bancada deve propor.
Bolsonaro se diz católico. Ele se batizou na (pentecostal) Assembleia de Deus em 2016, o que implica a rejeição da fé original. Ou ele mentiu ao se batizar, ou mente agora. Talvez nem fé ele tenha. Talvez ele seja um crápula cínico também nesse ponto. Mas é o candidato oficial do autêntico pensamento teocrático evangélico brasileiro. Que manteve acesa a chama do mais radical, virulento e tapado reacionarismo brasileiro enquanto todo mundo só prestava atenção na sacolinha de dinheiro.
As pessoas ficam procurando o ovo da sucuri em festinhas Oi! no ABC, na irrisória alt-right tupiniquim, na velharada malufista e na playboyzada machista do cacete. Esses aderiram. A anaconda enroscada no Brasil e partindo suas costelas nasceu na igreja da esquina.

37 comentários:

titia disse...

Nossa, conheço essa história de cabo a rabo também. E é uma bosta. A sorte é que agora sou adulta e posso cortar toda essa gente escrota e alienada da minha vida. No fundo o problema maior dessa gente é que não querem crescer; não querem assumir responsabilidades, não querem cuidar da própria vida, do próprio desenvolvimento e nem adquirir consciência. Gente que tem preguiça demais de evoluir e se tornar melhor por esforço próprio. São eternas criancinhas que tem pavor da maturidade e precisam de alguém que faça o papel de papai ou mamãe deles. Então usam Deus como desculpa pra não pensar, pra sei o "papai" que faz tudo sem que eles tenham que se mexer pra nada, e o diabo como desculpa pra se eximir do que fazem de errado ou de combater o que está errado no mundo. Apenas isso. O que eles querem é não assumir qualquer responsabilidade por si nem pelo mundo em que vivem. Eu também já fui assim, queria a todo custo viver num ovo sem assumir qualquer responsabilidade nessa vida; hoje eu, minha irmã e minha cunhada somos as únicas da família que se preocupam com pautas sociais e não engolem discursos prontos babacas tipo "Ain, o Estado malvadão prejudica os pobres empresários!" ou "Ain, MST são um bando de ladrões!" (louca pra que me digam isso de novo, só pra eu responder que não ligo, afinal o ruralista improdutivo roubou a terra dos índios). Quando eu tento explicar que não vivemos num filme americano dos anos 80 e que as coisas não se resumem a mocinho x bandido, só ouço essa merda de 'doutrinação esquerdopata'... não, manés, nenhum de nós foi doutrinado, vocês é que são burros mesmo!

Anônimo disse...

Lola, por favor fale do que o Capetão Bolsonazi quer aprovar. "Excludente de ilicitude" para policiais que matarem em operações, leia-se eles poderão executar favelados sem investigação alguma.

Anônimo disse...

Concordo com várias partes do texto principalmente quanto ao fanatismo dos evanjegues, mas discordo que o Bolsonaro não seja um político raro. Quer coisa mais rara do que político honesto?? 99% desses caras são tudo ladrões.

Claudio.Loredo disse...

Durante a década de 80 frequentei igrejas evangélicas. Confirmo tudo o que foi dito neste texto. O discurso político e de ódio nestas igrejas e algo que vem aumentando. Vivemos uma sociedade onde as pessoas vivem em bolhas e os evangélico formam uma bastante isolada. Por isto, a visão de mundo deles é tão distinta da nossa.

titia disse...

12:33 desista disso. Você pode se enganar o quanto quiser a respeito da desonestidade do seu mico, mas não vai conseguir nos enganar.

Anônimo disse...

Caramba, nunca tinha ouvido falar de nada disso, a gente vive mesmo nessa bolha de zona sul da cidade e nem faz ideia das loucuras de pensamentos como esse.

Para melhor manipular as multidões , por isso nenhum projeto educacional sério prospera aqui, quem tem pensamento crítico não acredita numa palhaçada como essa.

Vamos ter que contar com o judiciário mesmo pra defender esse país do atraso total, vamos ter que aturar o corporativismo deles, dos males o menor

Anônimo disse...

Que Deus o abençoe e o ajude nessa luta! Amém!

Anônimo disse...

A esquerda delirante teve mais de 20 anos para tentar mudar este estado de coisas e não conseguiu. Sabe por que não conseguiu? Estes comportamentos são inatos no ser humano. Esta ideia de que tudo é uma construção cultural é mais uma das várias ignomínias de gente com pensamento esquerdista. Somos seres violentos, corruptos, somos mal por natureza,tal qual prediz a ideia de que somos descendentes de Caim. Todos, todos sem distinção traz a maldade dentro de si. Todos, inclusive todos que comentam neste blog, no seu âmago, revela maldade, revela intolerância. Todos estão tão entorpecidos por esta maldade que não conseguem mais perceber que ela já tomou conta de seu corpo. Da mesma forma que o fanático religioso tenta impor suas doutrinas, pessoas como as que opinam aqui, impõem sua ideologia e querem por que querem que os outros aceitem. É tudo igual!

Anônimo disse...

Pois é... religiosos se agarram a deus e culpam o demo. Militantes se agarram a própria ideologia e culpam a sociedade / construção soscial por todas as merdas que fazem. N tem a menor diferença.

Anônimo disse...

Q coisa ,aconteceu tudo isso no governo do pt!? 😲😲😲😲

Raquel disse...

Muito assustador esse relato e, infelizmente, cada vez mais real...

Anônimo disse...

12:33, Bolsonaro pode até ser honesto, mas isso não legitima as propostas fascistas dele. Não tenho esperança nesse governo, o que resta é aguentar esses 4 anos e torcer para que o país não afunde muito.

anon disse...

16:08

Quando escuto esses discurso de "todas as pessoas são más" o que vejo são pessoas com más intenções tentando se eximir da responsabilidade dos seus atos, compartilhando essa culpa com todos. Não, a maioria das pessoas é neutra, poucas são realmente más ou boas. Pare de querer culpar os outros pelas merdas que você faz.


18:10

A diferença é que o Diabo é uma entidade toda-poderosa fictícia. Mas a sociedade pode ser mudada. É para isso que se luta.

dalilacoura disse...

Eles não esperaram completar os 4 da Dilma, porque temos que esperar este?

Anônimo disse...

Chile é o país mais desenvolvido da america latina e teve politicas de liberalismo econômico. A Estônia que já foi um país muito pobre da ex-união soviética é líder de empreendorismo virtual graças ao livre mercado e facilidade para empreender. A Suíça possui um dos governos mais decentralizados do mundo, a maioria dos impostos é do município e a União fica com pouco, o que faz com que uma região não sobreponha suas responsabilidades nas outras. E vocês continuam seguindo o exemplo da venezuela?

Anônimo disse...

- Bolsonaro pode até ser honesto

- Pode ser que ele seja honesto, mas que ele roubou o cofre da ex-mulher, lá isso roubou.

Anônimo disse...

Até agora nenhuma teoria apocalíptica se concretizou. Não porque nossos governantes foram exemplos de ética, diálogo e eficiência, mas porque são muitos os atores capazes de influenciar os desdobramentos políticos.

O Brasil não virou a meca do neoliberalismo na era FHC, não virou uma Venezuela ou Cuba na era Lula/Dilma e não vai virar uma ditadura militar ou teocracia com Bolsonaro.

Sem dúvida, o conservadorismo será a tendência dominante desse governo, mas não tornará o Brasil uma Arábia Saudita, já que temos poderes independentes, uma constituição republicana e instituições fundamentais no controle das atividades de cada poder que são a imprensa livre e o ministério público.

Anônimo disse...

Ela mesma já desmentiu essa fake news.

Anônimo disse...

- Ela mesma já desmentiu essa fake news.

- Não senhor; ela disse que isso não tem mais importância. Mas o fato é um fato, não tem como ser desmentido.

Anônimo disse...

A maioria dos evangélicos querem acabar, isso mesmo, acabar com pessoas que buscam formas diferentes de busca e conhecimento espiritual, pois apenas eles estão certos ou são os "escolhidos " de deus. Perseguem espíritas, umbandistas, candoblecistas. Eu frequento centrosespíritas há muitos anos e nunca pediram dinheiro, pois geralmente são nos fundos da casa , garagem ou algum espaço na casa de um palestrante e quando dei dinheiro foi para comprar livros disponíveis para venda na casa espírita, este é um dos motivos de perseguição também. O deus dos ditos "ungidos , escolhidos " são imagem e semelhança entre concordo plenamente, são hipócritas , vingativos, cruéis, contraditórios como seus filhos. Adeus brasil e hello Evanjeguestão.

ibi disse...


ai, ai...

Antes da eleição, só sabíamos que

- o bozo e seus filhos têm patrimônio maior que todos os salários (a única fonte legal de renda da família) que receberam desde que entraram para a política: isso a considerar que não têm gastos, não comem, não pagam despesas, teriam acumulado 15 milhões de salários, em valores atualizados -- e possuem 17 milhões em imóveis e veículos!!!

- o bozo empregou, contra a lei, sua última esposa, o pai e o irmão dela, no gabinete parlamentar em Brasília; só os demitiu após a decisão do STF contra a nepotismo;

- o bozo admite que recebeu 200 mil da JBS, que transferiu para o partido, que depositou de volta para ele (tentativa de "lavagem" do dinheiro)

- o bozo manteve por 15 anos uma funcionária fantasma do Congresso Nacional para ser sua caseira (alimentar seus cachorros) em angra dos reis, a Wal do Acaí (vendedora de açaí);

- o irmão do bozo foi funcionário fantasma da assembleia legislativa de São Paulo por anos a fio, sendo que é de uma cidade do interior de SP e nunca saiu de lá.

Então, pensar que ele era honesto ANTES do primeiro turno era impossível.
Depois dele, sabemos:

- que usou caixa 2 pago em pacotes de até 15 milhões (12 milhões da Havan), sabemos diversos nomes de empresas de disparos de fakes por WhatsApp, nomes, sócios etc. (a justiça Eleitoral só não anulará a eleição fraudada se não quiser), configurando associação dos crimes de frande eleitoral e de abuso de poder econômico, ambos para cometer tantos outros crimes (calúnias e difamações gravíssimas contra os candidatos opositores);

- que seus indicados (Guedes, Lorenzonni, M Malta, Marcos Pontes, Teresa Cristina, Moro) respondem por (ou até admitiram) diversas modalidades de crimes: de fraude (administração fraudulenta de fundos de pensão, Guedes), corrupção, manutenção proibida de empresas (Pontes), exercício de ações políticas, cometimento de ilegalidades e inconstitucionalidades enquanto era juiz etc.., seus apoiadores também (Havan e tantos outros).

Então, como ainda dizerem “é honesto” ou mesmo que “pode ser que seja honesto”?????????????????????!!!!!!!!!

Rafael Cherem disse...

Iludido detected.

James disse...

Se todos os protestantes do Brasil forem assim estamos lascados

Anônimo disse...

"Pode ser que ele seja honesto, mas que ele roubou o cofre da ex-mulher, lá isso roubou."
10 de novembro de 2018 09:42.

Não vou ela que uso o nome do Bolsonaro como "Cris Bolsonaro" para tentar se eleger deputada federal pelo RJ?

Lembro do caso e realmente Bolsonaro furtou os pertence do cofre dessa senhora.





Anônimo disse...

Por que nada apocalíptico estava previsto, exceto o fundamentalismo evanjegue que já está acontecendo e começou antes de Bolsonaro ser presidente há alguba anos no governo do PT sem que este fizesse nada pra barrar. Se não percebeu isso é iludido e cego

Anônimo disse...

O MP esta com Bolsonaro e o congresso é diferente do anterior sendo altamente conservador e alinhado com o presidente. As chances do Brasil virar uma teocracia são grandes exatamente pelo alinhamento entre os poderes. O problema dos Evanjegues é que eles são ignorantes, anticientíficos e julgadores da vida alheia tentando impor suas crenças aos outros por meio do estado. Só não vê o evanjeguestão que o Brasil está se tornando quem não quer ver. Como vc, por exemplo.

Cecília Novaes disse...

Ah sim, super honesto insistir num kitgau que não existe

Cecília Novaes disse...

A gente não tem nada a ver com Venezuela , pelo amor de Deus.
Ou tem, né? Foi lá que um ex-militar foi eleito democraticamente e passou a financiar milícias que perseguiam (e ainfa perseguem)os opositores. E assim foi continuando no poder, deixando como herança um mentecapto pior que ele. Sabe de que estou falando? De Hugo Chávez, já ouviu falar?

titia disse...

Esse governo será um imenso atraso justamente por causa dos desgraçados que fazem mais que por merecer o título de evanjegue. Talvez esses lixos não consigam instalar uma teocracia ou uma ditadura, mas um monte de direitos estão ameaçados e tenho certeza de que os das mulheres serão alvo - outro motivo pelo qual eu aboli os homens e a igreja da minha vida e já providenciei estilete e hibisco (pra quem se interessar, chá de hibisco causa infertilidade). É triste, mas só resta torcer pra que esses idiotas se fodam tanto no desgoverno do nazipalhaço que ninguém mais alinhado com ele consiga se eleger em 2022. Mas não estou lá muito otimista.

Anônimo disse...

Amiguinho do Malafalsa, só pode ser gente boa!

Anônimo disse...

É ela mesma a ex-mulher dele. Ela desmentiu o episódio do roubo porque estava usando o nome de Bolsonaro e queria ficar bem na fita com ele, mas no final acabou pegando muito mal para ela. Acho até que ela não conseguiu se eleger porque saiu como a mentirosa e interesseira da história inventando um roubo, ameaçando de morte e tentando extorquir dinheiro do bolonaro no divórcio. Ele ficou com a imagem de vítima e ela de vilã e aproveitadora perdendo a eleição.

Anônimo disse...

Ninguém acreditou que o bolonaro furtou as jóias dela porque ela negou tudo pra proteger a candidatura dele e parecer uma apoiadora fiel do bolonaro.

Anônimo disse...

Bolsonaro tem muito mais semelhança com Maduro, Hugo Chávez do que os políticos da esquerda brasileira.

Cão do Mato disse...

Sem querer bancar o chato metido a professor de Português (mas já bancando...), na frase "Odiar Satã é odiar o Candomblé", o (mais) correto não seria "Odiar o Candomblé é odiar Satã"?

Anônimo disse...

Lola, querida, acabei de ver a ameaça que um crentelho sociopata te fez. Não coloque o seu coração nessas coisas. Não vale a pena dar atenção a covardes que nem mostram a cara. Provavelmente trata-se de mais um daqueles infelizes fracassados, incapazes de construir qualquer carreira profissional vivendo de mesada da mãe e incapazes de se fazer amar vivendo sozinhos rejeitados por qualquer mulher com juizo.
Aquele monte de merda não tem nada de cristão e por tudo que falou é podre por dentro e deve ser horroroso por fora. Acione a justiça para identificar este canalha, mas não se importe tanto com o chorume que saiu da boca deste verme nojento.
Com relação ao texto quero dizer que essa especie de crentelho existe sim .E o melhor que podemos fazer é ficar longe deles. Gente tóxica e da pior espécie. Merecem o título de evanjegues porque de cristãos estes não tem nada.

Anônimo disse...

Podia trazer a concordância verbal junto, ne não?

Anônimo disse...

https://economiadeservicos.com/2017/10/12/o-milagre-economico-da-e-stonia/
Vc lá conhece a Estônia??? Nem a Venezuela aqui do lado vc entende!
Trecho do texto do link citado:
"Atualmente, a Estônia tem PIB (PPP) per capita superior a US$27.000 e é a mais próspera das ex-repúblicas soviéticas. O país aproveitou a janela de oportunidade que surgiu e garantiu a sua passagem para o desenvolvimento.

Em momento de crise e discussão de políticas públicas no Brasil, pode-se aprender muito com o experimento estoniano, com a ressalva de que desenvolvimento não se faz como receita de cozinha. ..."
Vai ler um livro e larga o teu WhatsApp onde o Zezinho da esquina que vc nem conhece te passa as informações mais "inteligentes". Por isso que o país tá hj com um presidente eleito Fascista representando 29% dos votos totais!