quarta-feira, 4 de julho de 2018

IRLANDA, UM DIA O BRASIL CHEGA LÁ

Clique para ampliar

No final de maio, depois de muita luta, a Irlanda finalmente conseguiu legalizar o aborto. Duas semanas depois, foi a vez da Argentina (pelo menos passar o projeto na Câmara de Deputados pela primeira vez em sua história). Um dia a gente chega lá. Mas pra isso teremos que lutar muito. 

44 comentários:

Anônimo disse...

Sorte que não foi como no estatuto do desarmamento, onde o voto da maioria foi ignorado...

Anônimo disse...

Adorei o post curto de hoje. Que imagem linda!

Anônimo disse...

Quando se trata da legalização do aborto no Brasil, até os políticos mais progressistas de esquerda fogem para as montanhas. Mas tomara que legalize logo na Irlanda e Argentina.

Anônimo disse...

Pq a esquerda não defende um plebiscito? plebiscito para a esquerda é só quando ela sabe que vai ganhar

Anônimo disse...

Fato. Os progressistas brasileiros são uns patéticos.

Anônimo disse...

Não acho que a questão seja lutar porque o que não falta no Brasil é mulher que se diz contra o aborto.

Digo "se diz" porque na prática, quem precisa e tem os meios, faz. Depois que faz e sobrevive aí coloca faixinha branca na cabeça e vai cantarolar hino na Marcha Pela Vida.

A única forma que eu vejo do aborto ser legalizado no Brasil é se os homens começarem a enxergar a vantagem no negócio. Até porque numericamente, são eles a maioria nas casas legislativas então fatalmente são eles quem votarão e aprovarão (ou não) a medida. E não adianta encher as Casas de mulheres se forem todas evangélicas, como já acontece.

Como fazer isso eu não sei. Porque nem o argumento "não pagar pensão pra filho de vagabunda" funciona nessas horas, a reprovação social pra um homem que abandona os filhos é simplesmente ínfima, se existente.

E só lei sozinha não resolve, a gente tem lei pra caralho já e ainda assim, cinco milhões de pessoas sem o nome do pai no RG.

Sem trazer os homens para o lado não das mulheres, porque homem tá cagando pra isso mas pro lado das pessoas a favor da legalização, isso não vai sair do papel nunca.

Lembrando que Lula e Dilma já tiveram maioria de governo e não ousaram mexer nisso aí, ou seja, não basta eleger "um político de esquerda", especialmente no executivo.

Porque voce pode até propor a lei mas na hora da tramitação, as comissões em geral são apinhadas de evangélicos e barram a porra toda.

Anônimo disse...

Eu gostaria muito, muito mesmo de ver o transativismo fazendo a retribuição da interseccionalidade e abraçar com afinco a causa da legalização do aborto, porque querendo ou não o poder de mobilização delxs é enorme e já conseguiram grandes avanços, o feminismo em geral poderia muito bem se beneficiar disso aí.

Anônimo disse...

"Pq a esquerda não defende um plebiscito? plebiscito para a esquerda é só quando ela sabe que vai ganhar"

O Estatuto do Desarmamento é a prova que plebiscito no Brasil é só endosso pra fraude.

Anônimo disse...

e quem precisa de um congresso de bosta e um executivo mais ainda se temos o stf

Anônimo disse...

O que mais tem é mulher que na prática é até a favor da legalização do aborto, mas sempre diz que é contra para não ''pegar mal'' pra ela. A própria Manuela D'avila foge do assunto, assim como a Dilma tbm fazia. Como falaram, os ditos progressistas brasileiros são uns patéticos, uns covardes e vendidos.

Anônimo disse...

Esses homens que devem ser trazidos para o lado de quem é a favor da legalização, seriam quem exatamente? Seriam aqueles considerados liberais da centro-direita? Os bolsominions é que não seriam. A maioria dos homens considerados esquerdistas costumam se manifestar a favor da legalização do aborto? Não vejo tanto assim essa defesa toda pela legalização do aborto nos blogs dos considerados homens de esquerda.

Anônimo disse...

Oi Lola! Por favor, faça um post sobre esse assunto:
A "polêmica" e a incitação o ódio contra a peça "O evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu" estão sendo terríveis na cidade. Estão espalhando várias mentiras sobre o conteúdo do espetáculo nas redes sociais. A suspensão da peça foi uma ação articulada da prefeitura da cidade, da câmara de vereadores, do Bispo da diocese (Dom Paulo Jackson) e de lideranças evangélicas. Bolsonaro, como não tem nada mais importante para fazer, se manifestou sobre o caso. O prefeito Isaias Régis (PTB) declarou que não liberaria o centro cultural para a realização do ato, alegando a cidade ser “cristã”. Este é um ano eleitoral e eles emparedaram a FUNDARPE, que é ligada ao governo do estado, que obviamente limou a peça da programação para não ter prejuízo eleitoral.

A campanha já atingiu sua meta. Porém fico muito preocupado com a segurança na exibição do espetáculo.

Sei que seu blog ajuda o Brasil profundo, onde o livre pensamento e expressão podem custar até a vida.

Alguns links que indicam o que está acontecendo (os mais educados):
http://www.vecgaranhuns.com/2018/06/polemica-por-onde-passa-peca-que.html
http://www.vecgaranhuns.com/2018/06/espetaculo-polemico-no-figprefeito.html
http://www.vecgaranhuns.com/2018/06/polemica-no-fig-em-nota-camara.html
http://www.vecgaranhuns.com/2018/06/seria-encenada-no-fig-governo-do-estado.html
http://www.vecgaranhuns.com/2018/06/o-evangelho-segundo-jesus-rainha-do.html
http://www.vecgaranhuns.com/2018/06/questionou-o-significado-de-arte-pelo.html

Reanto Alves.

Manoela disse...

Infelizmente acho difícil algo assim ocorrer no Brasil. As pessoas aqui são muito conservadoras e as casas legislativas estão cheias de pessoas retrógradas e evangélicas. E tb acho o movimento a favor da legalização do aborto muito desorganizado em termos de mobilização. Enquanto se manter esse cenário fica difícil a aprovação.

Anônimo disse...

os dois ultimos comentários acima desse meu são comentários de mascutroll desesperado(s) para serem notados... nem respondam, nem deem atenção, é exatamente o que esses parasitas querem.

Anônimo disse...

Eu tb acho o movimento a favor da legalização do aborto muito desorganizado e bagunçado no Brasil, teve uma manifestação no Rio que quase não teve repercussão. As feministas numa hora apelam para o discurso de que ser a favor da legalização do aborto é algo lógico, mas em outro se descontrolam com facilidade quando são questionadas em vez de esclarecem as dúvidas e questionamentos, inclusive de outras mulheres, de forma mais racional e quem age assim de forma agressiva e descontrolada quando é questionado, dificilmente são pessoas racionais e seguras de suas convicções tão lógicas.

A maioria da população brasileira ainda é muito desinformada (p/ não dizer ignorante) sobre o assunto do aborto, nem todo mundo nasceu em um ambiente intelectualizado, culto, evoluído, progressista e esclarecido das classes A/B das grandes cidades, como a maioria das militantes feministas e o povo brasileiro costuma agir mais pela emoção, como é de regra, ainda mais quando se trata da romantização da gravidez, e até de uma infantilização e fragilidade que se atribui a mulher grávida, influenciada principalmente por valores religiosos e patriarcais. Então, não é com esse desespero, provocatividade gratuita e vazia e tb uma certa tirania e arrogância da militância, que o aborto será legalizado no Brasil.

O eleitor médio do PT ama a ascensão sócio-econômica e educacional que o governo petista promoveu para o povo mais pobre, mas esse mesmo eleitor costuma tb ser cristão e bastante conservador em outras causas, o aborto é uma delas. Por isso o PT deixou tanto de lado a questão da legalização do aborto durante seu governo, e o PT ainda foi se unindo a bancada evangélica, o que piorou muito as coisas ultimamente. Tantas alianças com os setores mais conservadores do país, acabou custando um preço muito alto para o PT e esta onda de retrocesso atual, infelizmente faz parte do pagamento desta enorme dívida que gerou tb o golpe político.

Anônimo disse...

É verdade, para esse povo conservador e hipócrita, é como se a figura da mulher ao se descobrir grávida, se tornasse algo assim intocável e sagrado, mas quando a criança nasce, que se exploda ela e a ''vadia'' da sua mãe, ela que entregue para adoção, mas se o faz é uma ''vadia'' má que abandona o filho, afinal quem mandou fazer sexo solteira ou com um ''cafa''? Para esta mesma sociedade hipócrita que ''santifica'' a figura da mulher grávida, ao nascer a criança, a mulher volta a ser uma ''puta'' desprezível com o seu remelento futuro ''marginal''. Acredito que é assim que funciona a mentalidade dessa gente.

Davy Lima disse...

Lola desculpe fugir do tema, mas acabei de assistir um filme extremamente brilhante. O nome é Acrimônia,fala sobre a relação de uma garota que desde seus 18 anos vê sua vida travada pelos sonhos de um cara, ela meio que perde tudo pra seguir os sonhos dele pra depois ele trai-la e ela querer se vingar.
Pro final do filme eles estrapolam e fazer tipo um terror, mas achei a crítica bem válida pra mostrar que estar em uma relação puro e simplesmente interesse não é só coisa de mulher. (pelo menos foi o que eu senti vendo o filme)
Como você também é crítica de cinema poderia dar uma olhada.

Maria Isabel de Castro Lima disse...

Hoje vi esta reportagem sobre as ameaças contra a antropóloga Débora Diniz, professora e pesquisadora do Curso de Direito da UnB. Lembrei de você e da perseguição reiterada que sofre por sua coragem, Lolinha. https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/eu-estudante/ensino_ensinosuperior/2018/07/04/ensino_ensinosuperior_interna,692907/debora-diniz-professora-da-unb-recebe-ameacas-pela-internet.shtml

Anônimo disse...

'As feministas numa hora apelam para o discurso de que ser a favor da legalização do aborto é algo lógico, mas em outro se descontrolam com facilidade quando são questionadas em vez de esclarecem as dúvidas e questionamentos, inclusive de outras mulheres, de forma mais racional e quem age assim de forma agressiva e descontrolada quando é questionado, dificilmente são pessoas racionais e seguras de suas convicções tão lógicas.'

Pelo contrario, não as vejo ficando descontroladas muito menos com facilidade. Vejo os pró-vida, estes sim, completamente descontrolados. Alegar convicção religiosa jamais deveria ser argumento, aliás não é. Fora que pro-vida são tão agressivos que não quer ouvir argumentos feministas. Eles já chegam acusando as feministas de assassinas o que já corta qualquer possibilidade de diálogo desde o começo. Aaior parte das feministas estão bastante seguras de suas convicções lógicas. Quando elas reagem com agressividade é em resposta à agressividade extrema dos pró-vida.

Anônimo disse...

Um dia o direito das mulheres ao aborto seguro e de qualidade será legalizado no mundo inteiro, inclusive aqui no Brasil.

Anônimo disse...

"IRLANDA, UM DIA O BRASIL CHEGA LÁ"

Não! Vocês não querem que um dia o Brasil seja como a Irlanda.

Na terra de St. Patrick’s Day os plebiscitos são feitos e respeitado:

Façamos um, para a pena de morte, para a redução da maioridade, para a legalização do aborto, para a legalização das armas, e ...

Não! Vocês não querem que um dia o Brasil seja como a Irlanda.

Anônimo disse...

Algumas feministas não agem com agressividade apenas com os pró-vida agressivos, não foi sobre eles que se estava falando. Mas vc está sendo desonesta e sabe muito bem que não era sobre o pró-vida que se estava falando sobre o comportamento agressivo de algumas feministas. Se fosse apenas com os pró-vida, nem haveria motivos para criticar essa agressividade das feministas, pois seria bem justificada até. Mas não é, é com qualquer outra pessoa que não repita o que elas querem exatamente, como por exemplo quem é contra que o aborto seja pago pelo estado, ninguém precisa ser agressivo ao contrariá-las e mesmo assim o ataque de algumas feministas é inevitável. Tem umas feministas que gritam que isso vai ficar baratíssimo para o estado, xingam muito e acabou, ponto final. Não é só isso não, são várias situações. Dessa forma, tantas mulheres querem pular fora tanto da militância, quanto dessas campanhas pró-aborto. Com truculência, autoritarismo e totalitarismo não se vai a lugar nenhum e a esquerda e muitas militâncias estão cheia disso. Vão continuar agredindo, vão ver pessoas se afastando, vão continuar abusando da desonestidade e falta de senso crítico, fazendo alianças com oportunistas nada socialistas ou feministas de verdade, e mantendo a arrogância. E, é por conta dessa desonestidade e truculência que as coisas continuam tão desorganizadas nessa questão e assim vai adiante.

Anônimo disse...

Se você diz que fui desonesta então você esta sendo tão desonesta quanto. Quando você fala "as feministas" você as transforma em grupo homogêneo onde todas são agressivas e descontroladas quando uma minoria é e como reação a agressividade dos pro-vida, dos antifeministas e dos masculs. Quanto a ser contra que o aborto seja pago pelo estado o argumento é sempre que 'os meus imposto não vão ser usados para pagar aborto', só que a pessoa que faz o aborto também paga imposto é por isso está pagando pelo seu próprio aborto. Logo nenhum pagador de imposto tem que alegar o seu pagamento de imposto como uma desculpa (pois é apenas uma desculpa) para tentar impor suas crenças e obrigar mulheres a ter um filho que não desejam. Nenhum pagador de imposto pode impor a outra pagadora de imposto que esta continue uma gravidez.
Você tem todo o direito de permanecer longe da militância e do feministo, mas para mim é notório que você critica a agressividade reativa de ALGUMAS feministasas não criticou momento algum a agressividade notória dos pró-vida, dos antifeministas e dos mascul. Então se é pra acusar de truculência eu crítico a truculência desses que você em nenhum momento criticou. É quanto a desonestidade quando voce fala 'as feministas' está sendo desonesta.
Não espere um movimento perfeito. O feminismo nunca foi e nunca será perfeito e não tem nada a ver com ser socialista, liberal.

Anônimo disse...

Agora olhe bem para o cenário político brasileiro com honestidade. Truculência, desonestidade,arrogância, autoritarismo (também religioso, no caso da direita) existem em ambos os lados. Totalitarismo já é um exagero de linguagem. Mas estas coisas, se você não for desonesta, concordará que existe nos dois lados igualmente, entretanto você acusa a esquerda.

Anônimo disse...

Se você olhar bem para o quesito legalização do aborto na Argentina e na Irlanda ouve essa mesma truculência e agressividade por parte de integrantes de ambos os lados e ainda assim as coisas avançaram. A questão no Brasil é cultural. Não é uma suposta truculência da esquerda que está impedindo a legalização do aborto. O Brasil é retrógrado, conservador, machista e um atrasado de terceiro mundo. O Japão, por sua cultura, tem o aborto legal desde 1948. Isso não é visto naquela cultura como assassinato. A Europa quase inteira tem o aborto legalizado e os pró-vida tem o mesmíssimo mimimi.

A rejeição ao aborto é bem característica de países atrasados, pobres e com baixa igualdade de gênero. Os conservadores brasileiros falam tão mal do islã, mas em muitas coisas tem o mesmo autoritarismo religioso deles.

Anônimo disse...

Sabe o que também tem em todos os países pobres? baixa liberdade econômica e um estado gigantesco que incentiva a corrupção e destrói a economia. Sabe como os países da ex-união soviética saíram da esquerdagem socialista? capitalismo na economia e e tradição nos costumes, e assim veremos que daqui a 20 anos os países do leste europeu continuarão com seus costumes europeus enquanto que o restante ou vai estar falido com medidas estatais (Grécia, portugal,espanha,itália) ou cheio de muçulmanos.

Anônimo disse...

É claro que os países do leste europeu continuaram com seus costumes europeus. Um destes costumes é o aborto legalizado e aceito pela maior parte da população. Eles não tem essa mentalidade retrógrada terceiromundista brasileira. E saem na frente do Brasil em igualdade de gênero. Voce esta desinformado sobre o leste europeu. Conservadorismo de costumes assim até eu quero. Já esse conservadorismo brasileiro que não passa de um islã cristão só vai levar esse país ridículo pro burado mesmo. Você tá bem desinformado sobre Portugal também. É o país que mais cresce na Europa atualmente. Várias pessoas estão indo morar la. Em que mundo com vive que não sabe disso. Ah, a Escandinávia continua riquíssima.

Anônimo disse...

"Uma mulher que ficou grávida do estuprador atirou 10 vezes nele e então arrancou sua cabeça depois que as autoridades se recusaram a autoriza-la fazer um aborto.
A vitima arremessou a cabeça cortada na praça de seu vilarejo gritando que seu agressor brincou com sua honra.
O homem tirou fotos nuas dela e a chantageou antes de abusa-la repetidamente.
A moça de 26 anos foi aclamada como heroína por suas ações por grupos de mulheres na Turquia."

Precisamos de mais mulheres como essa pra tirar o sorriso malicioso da cara dos homens.

Anônimo disse...

Vai morar lá na Turquia. Teus pais escolhem o teu marido. Com sorte ele vai ser bom e não praticar estupro marital.

Anônimo disse...

Demente, para de achar que manda onde as pessoas vão morar quando você fala pra elas irem pra onde você acha que elas devem morar. Vocês que sempre falam essa imbecilidade cheios de complexo de reizinho mandão já estão todos errados só por fazerem esse tipo de comentário bosta, previsível e ridículo. Vocês só sabem passar vergonha na internet? Bando de chacotas ambulantes. Se manca, otário kkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Como faziam pra passar vergonha antes na internet? Responde essa, babaca...

Anônimo disse...

Portugal está colocando em prática medidas keynisianas sem colocar austeridade em prática, é como aconteceu no brasil, o estado gasta muito e depois o país entra em crise. No leste europeu o aborto só está lá porque tinha sido imposto pelos socialistas, mas a Hungria e Polônia são exemplos de países conservadores nos costumes. Suécia está caindo nos rankings de IDH constantemente, a única coisa que a segura é a grande liberdade econômica no comércio para contrabalancear com o tamanho do estado, assim como os outros países nórdicos.

Anônimo disse...

Não. Na Coreia do Sul por exemplo, o aborto não é legalizado, e na maioria dos países europeus só legalizaram em torno dos anos 80 quando já eram ricos por muito tempo. O que faz uma nação ser rica é na forma econômica de garantir liberdade comercial,baixos impostos,segurança jurídica e a defesa da propriedade privada. Outro exemplo similar seria a Suíça ter legalizado o voto feminino em todos os cantões apenas nos anos 90 enquanto que na russia foi em 1917, mas na prática ser mulher na Suíça é muito melhor que na Rússia, em que o "empoderamento feminino no trabalho era mais uma desculpa para aumentar a mão de obra para sustentar o tamanho do estado do que uma verdadeira boa intenção.

Anônimo disse...

Pra eles,legalizar o aborto é pôr a mão no vespeiro e isso ninguém quer.Ninguém faz política sozinho, e as alianças? Fora que o político que peitar e aprovar vai ter que sair do país porquê a vida dele vai virar um inferno .Esse país é bestial,não tem maturidade. Vamos aguardar daqui a 500 anos quando ele for "descoberto"novamente!

Anônimo disse...

Keynesianas? Não é o que os liberais estão dizendo. O aborto foi imposto mas ninguém abriu mão dele agora que não existe mais socialismo. Na Inglaterra o aborto legal e ela nunca foi socialista. Margareth Thatcher votou a favor do aborto. Todos os países onde existe civilização de verdade tem aborto legalizado independentemente de socialismo. Proibição de aborto é coisa de pais atrasado, pobre retrógrado de terceiro mundo.

Anônimo disse...

Além disso o aborto é legal na Europa inteira, na Austrália, no Canadá que nunca foram socialistas. Aborto legal é coisa de pais civilizado. Já disse: viver num país conservador de aborto legalizado até eu quero. A Suécia está afundando pelo erros no modelo econômico adotado e não por causa da igualdade de gênero. A Nova Zelândia é um país com altíssima igualdade de gênero e sua economia vai muito bem.

Anônimo disse...

Gravidez forçada é literalmente tortura.

Anônimo disse...

Ninguém tá falando de morar na Turquia, demente

Anônimo disse...

Pára de falar besteira,o referendo era sobre um artigo, este se referindo a proibição do comércio de armas.Como a população rechaçou, hoje é legal requisitar a posse/porte de arma desde que apresente os DOCs e passe pelo aval da PF. Sugiro que leia o estatuto do desarmamento antes de falar merda, especialmente o art. 35.

Anônimo disse...

Pois não dá para colocar como opcional matérias de direitos humanos, não há disponibilidade com a vida da mulher. Seria o mesmo de esperar que na Alemanha nazista um plebiscito pudesse deter aperseguição das minorias.

Anônimo disse...

Esses afirmação é a prova da sua ignorância que nem se deteve a ler a lei, uma dica leia em especial o artigo 35 do estatuto antes de falar besteira.

Anônimo disse...

Parem de reforçar a ideia de que consultas populares são aceitáveis quando se põe direitos humanos como opcional. Isso é retrocesso, direitos humanos é intrínseco a pessoa por isso inaceitável a ideia de colocar sob análise popular. Consulta popular deve se restringir a orçamento público, ao reconhecimento dos privilégios de governantes e funcionários públicos... Não uma escolha que envolva a retirada de direitos e garantias fundamentais, isso é retrocesso.

Anônimo disse...

Não há retrocesso nenhum aí. O direito fundamental que uma mulher tem de decidir sobre o próprio corpo, de escolher se quer levar a gravidez adiante ou não foi violado a partir do momento em que o estado transformou o aborto em crime. Esse é o retrocesso. Se é com a consulta popular que este erro pode ser corrigido então que seja.

Anônimo disse...

Direitos humanos são criações necessárias e muito boas do nosso tempo. Não há nada de "intrínseco" em qualquer direito. Até mesmo o direito a vida, pela lei, é relativo.