sexta-feira, 4 de maio de 2018

ESTAMOS SEGURAS NA INTERNET?

Reproduzo aqui o artigo excelente (e muito completo) que Amanda V., Glênis Cardoso, Lizandra Tarsilla Gallindo e Kamila Braga, do grupo Górgonas, participantes do SaferLab 2018, publicaram no seu Tumblr.

O escândalo de vazamento de dados do Facebook para a consultoria de marketing político Cambridge Analytica pôs novamente no radar o debate sobre segurança na internet. O caso reacendeu o alerta sobre como estamos vulneráveis quando ficamos online.
A partir dessa discussão, nos perguntamos: quais são as questões de segurança online  que impactam a vida de mulheres? Encontramos quatro casos em que as regras da internet foram discutidas ou alteradas por colocarem privacidade e segurança em risco.
Lei Carolina Dieckmann
Em 2012, Carolina Dieckmann foi alvo de ataques cibernéticos: o computador da atriz foi invadido e 36 de suas fotos íntimas foram roubadas. Depois de tentar extorquir a atriz sem sucesso, os hackers divulgaram as imagens na internet.
As investigações sobre o caso identificaram quatro suspeitos por trás do ataque, todos homens, e conversas entre eles demonstraram a convicção de que permaneceriam impunes. Em certa parte da conversa, um dos hackers escreveu “Ela tinha que ter cuidado de apagar, né?”, se referindo às fotos de Dieckmann.
Além da óbvia misoginia e o desrespeito pela privacidade, os hackers não pareciam entender a gravidade de suas ações pelo fato de elas terem se dado pela internet. Até então, o Brasil não possuía nenhum tipo de lei específica para crimes cibernéticos. 
Devido à notoriedade de Dieckmann, entretanto, discussões sobre o assunto chegaram ao espaço público e, no mesmo ano, um projeto de lei que havia sido apresentado no ano anterior foi aprovado, um tempo curtíssimo quando comparado às décadas que muitas vezes são necessárias para a aprovação de uma lei.
A Lei 12.737 ficou conhecida como Lei Carolina Dieckmann devido ao caso envolvendo a atriz. Ela torna crime “invadir dispositivo informático alheio, conectado ou não à rede de computadores, mediante violação indevida de mecanismo de segurança e com o fim de obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização expressa ou tácita do titular do dispositivo ou instalar vulnerabilidades para obter vantagem ilícita.”
Em consequência da rapidez da aprovação e a geral falta de conhecimento sobre governança da internet, a lei apresenta diversas falhas, entre elas a imprecisão do que constituiria uma invasão de dispositivo informático e punições excessivamente brandas.
Uma questão que não foi diretamente abordada pela lei foi o caráter misógino do crime. Embora qualquer um possa ser vítima de ataque cibernético, situações em que fotos íntimas são usadas para chantagear ou expor pessoas ocorrem majoritariamente com mulheres. 
O caso de Dieckmann teve repercussão devido à fama da atriz, mas é importante lembrar que o “revenge porn” (“pornô de vingança”) acontece rotineiramente com mulheres comuns e não existe nenhuma lei específica para lidar com o problema. Uma pesquisa do Instituto Avon mostra que 59% dos homens brasileiros já receberam imagens de mulheres nuas enviadas sem autorização, e 28% declararam ter repassado esse tipo de conteúdo.
Dados da Safernet Brasil
Para além das leis, algumas empresas têm tomado medidas para tratar da questão. O Google, por exemplo, criou uma Política de Remoção de Conteúdo, que permite que, após o preenchimento de um formulário, páginas com conteúdo sexual divulgado sem consentimento não apareçam no mecanismo de busca. 
Assédio online e #TwitterTóxico
Segundo uma pesquisa do Pew Institute Research, 37% das mulheres estadunidenses foram assediadas online. A pesquisa também observou que homens e mulheres têm atitudes diferentes em relação ao assédio online. Para a maioria das mulheres (63%), a segurança é mais importante do que a liberdade de opinião, enquanto a maior parte dos homens defende (56%) que se expressar livremente é mais importante do que garantir um ambiente seguro para os usuários.
Enquanto a pesquisa do Pew Institute Research coloca liberdade de expressão e segurança online como polos opostos e em conflito, um estudo da Anistia Internacional feito em oito países mostra que a falta de segurança online contribui para tolher a liberdade de expressão de minorias. 
As mulheres entrevistadas que sofreram abuso pela internet declararam ter mudado o modo como usam redes sociais. Entre elas, 32% deixaram de publicar conteúdo em que expressavam opiniões sobre um determinado assunto. 
A pesquisa integra o relatório #ToxicTwitter (#TwitterTóxico), que argumenta que a plataforma não adota políticas eficazes para combater abuso contra mulheres. Uma jornalista do Reino Unido entrevistada relatou ter denunciado 100 tweets abusivos, mas só dois foram deletados. 
Em 2016, a atriz Leslie Jones deletou sua conta na rede social após receber uma enxurrada de mensagens racistas e misóginas – uma reação ao mero fato de Jones ter estrelado um remake do filme Ghostbusters protagonizado por mulheres.
Em resposta ao relatório da Anistia Internacional, o Twitter disse que “não pode deletar ódio e preconceito da sociedade” e argumentou já ter feito 30 mudanças nos últimos 16 meses para aumentar a segurança dos usuários. Em dezembro do ano passado, o Twitter havia anunciado novas regras para combater comportamentos abusivos.
A pesquisadora americana Joanne St. Lewis, da Universidade do Sul da Califórnia, fala em “terrorismo de gênero” para se referir aos homens em redes formais ou informais que se organizam para atacar e silenciar mulheres. Aos que acusariam o termo de ser exagerado, St. Lewis rebate:
A escritora feminista Jessica Valenti nota que os textos com maior repercussão são justamente aqueles pelos quais ela recebe mais assédio. “Esse é um problema real para os veículos: quando seus escritores fazem um bom trabalho, eles são punidos”, relata.
Valenti é colunista do jornal The Guardian, onde ocupa o desconfortável primeiro lugar no ranking de autores que mais receberam comentários bloqueados pela moderação do site desde 1999. Todas as primeiras dez integrantes da lista são mulheres. “Estamos perdendo escritoras de comunidades marginalizadas porque elas não querem seguir uma carreira na qual receber assédio faz parte do trabalho”, diz Valenti.
Lei Lola
No Brasil, a Lei Lola (13.642), sancionada em abril deste ano, é um importante marco no combate ao assédio online contra mulheres. Criada pela deputada federal Luizianne Lins (PT-CE), a lei atribui à Polícia Federal a investigação de crimes de ódio contra mulheres pela internet.
Trata-se de uma homenagem à blogueira feminista Lola Aronovich, que desde 2011 recebe ameaças de morte e mensagens de ódio de grupos de homens masculinistas. Lola já havia feito onze boletins de ocorrência, mas a única ameaça investigada pela Polícia Federal foi a que poderia ser enquadrada como crime de terrorismo: um e-mail que prometia assassinatos em massa na universidade onde a ativista e professora leciona.
Segundo Lola, a Polícia Federal se recusou a investigar as outras denúncias, porque na época a instituição só poderia atuar nas áreas onde o Brasil é signatário internacional, como racismo e pornografia infantil. Misoginia não era uma delas. 
Changirls e os limites da liberdade de expressão
Com os conhecimentos corretos, é possível navegar pela internet quase sem deixar rastros. No site 4chan, essa característica ainda mais presente. Não é necessário criar uma conta para publicar nos fóruns e os conteúdos expiram após algum tempo no ar. A maioria dos usuários do 4chan são homens (70%), de 18 a 34 anos, dos Estados Unidos (47%), Reino Unido (8%) e Canadá (6%). O Brasil representa 1,5% de quem frequenta o site.
A efemeridade e o anonimato quase completos chamam a atenção de usuários que buscam desafiar tabus e leis. Com o aval de seu criador, Christopher Poole, conhecido como Moot, o site se tornou conhecido pela circulação de conteúdo carregado de pedofilia, racismo, misoginia, homofobia e desrespeito pelos direitos humanos.
As histórias das chamadas “changirls” são muitas. Meninas, em sua maioria adolescentes, acessavam o site em busca de aprovação masculina e popularidade. Essas garotas formam um grupo que tem, ainda hoje, legiões de “fãs” -– homens adultos que as enxergam como verdadeiras entidades, construindo uma espécie de religião a partir da presença online dessas garotas.
Um dos casos mais emblemáticos é o da jovem Loli-chan, hoje com 25 anos. Aos 12, Loli começou a postar no tópico “aleatório” do 4chan. Pouco tempo depois, começou a se relacionar com homens mais velhos. Um deles conseguiu convencê-la a enviar fotos nuas, que logo foram divulgadas sem consentimento.   
Loli-chan chegou ao ponto de ser admitida em uma instituição psiquiátrica e nunca foi capaz de retomar uma vida social normal – hoje, ela precisa se submeter a vida de “camgirl” para pagar as dívidas da internação, e ainda recebe presentes de homens que ainda são verdadeiramente obcecados pela persona online da jovem, embora ela tenha caído em relativa obscuridade. 
“Não acredito que eu mereça ser idolatrada, então não estou chateada ou magoada porque as pessoas não gostam mais de mim. Acho que meu pai está certo, e só gostavam de mim porque eu era uma criancinha e eles eram todos pedófilos. Então é algo que eu nunca deveria ter feito”, disse Loli em uma entrevista para o Miami New Times
E ainda que seja irreal esperar que os vários usuários da internet possam ser completamente “controlados”, é trabalho dos administradores de sites e fóruns refrear o conteúdo ofensivo e criminoso veiculado nesses espaços. Mas isso não é, exatamente, uma visão compartilhada por todos.
O debate do respeito aos direitos humanos frequentemente vai de encontro com o  direito à liberdade de expressão –- para alguns que não compreendem o significado de tais direitos e que, por conta de diferentes privilégios não são afetados pelo desrespeito a eles. É claro que a liberdade de expressão é um direito humano! Mas se expressar não pode ser confundido nunca com o desrespeito ao outro ou o desrespeito a qualquer lei. 
Um dos pontos mais controversos sobre o 4chan é justamente a deturpação da noção do que é o direito de expressão, e seu fundador, antes de vender o site, nunca foi responsabilizado por não retirar do ar os conteúdos criminosos que o site abrigava. 
Para Moot, preservar a liberdade proporcionada pelo 4chan era a prioridade. Em uma palestra do Ted Talks, o criador defendeu o site: “Para tantas coisas boas que saem desse ambiente, há algumas ruins. Há pouquíssimos lugares, agora, onde você pode ir e não ter identidade, ser completamente anônimo e dizer o que quiser. E dizer o que quer, acredito, é poderoso. Fazer o que quiser é, agora sim, cruzar uma linha. Acho que é importante ter esses lugares. Quando recebo e-mails, as pessoas dizem ‘obrigada por me dar esse lugar, esse canal, onde chego depois do trabalho e sou eu mesmo’”
Ainda que o conteúdo do 4chan seja altamente efêmero, uma vez na internet, sempre na internet. E os rastros de destruição que o conteúdo veiculado lá causou na vida de diversas mulheres resiste até hoje.
Embora o anonimato seja um direito muito importante no mundo virtual, especialmente para ativismos como o hackeractivism, é urgente a responsabilização de sites e administradores pelo conteúdo que é veiculado em seus websites.
Se o fundador do Facebook está respondendo –- talvez não judicialmente, mas certamente social e economicamente -– pelo erro grotesco de seu site, que permitiu que a empresa Cambridge Analytica roubasse dados de usuário da rede social, o mesmo deve acontecer com plataformas como 4chan, Twitter, Snapchat. Este último, inclusive, recentemente perdeu milhões por ter veiculado um anúncio que banalizava a violência doméstica da qual a cantora Rihanna foi vítima, assim como o Instagram precisou retirar, por um tempo, a ferramenta de utilização de gifs em stories por veiculação de conteúdo racista.
A segurança virtual e a garantia dos direitos humanos é um ganho para todos os usuários da internet, mas grupos marginalizados e minorias precisam ainda mais da certeza que terão seus direitos respeitados, por serem vítimas com maior frequência das violências que se expressam online e offline.

Portanto, é necessária uma pressão da sociedade civil e dos governos para que sites e aplicativos fortaleçam suas políticas a fim de que usuários sejam punidos em ambas as esferas. Liberdade de expressão, ao contrário do que advogava o então fundador do 4chan, não é ter direito de falar o que quiser e, assim, cometer crimes. Retirar da internet esse tipo de conteúdo criminoso não será, nunca, censura. E sim justiça.

52 comentários:

Anônimo disse...

Pq mesmo com inumeros casos de vazamento de fotos nuas as mulheres continuam tirando foto nua? estou falando dos casos voluntários de foto nua

Kasturba disse...

Essa sua pergunta pode ser bem comparada a: Por que mesmo com tantos casos de mulheres bêbadas sendo estupradas, as mulheres ainda continuam ficando bêbadas?
Os motivos podem ser muitos, mas não vêm ao caso questionar isso. O problema não é tirar foto nua. O problema é a foto ir parar nas mãos da pessoa errada, sem o consentimento da mulher, e ser divulgada também sem o seu consentimento.

Eu já tirei e mandei fotos nua para o meu marido, quando estávamos morando longe (durante 1 ano). Ele também me mandava fotos. O que alguém tem a ver com nossa intimidade?

Anônimo disse...

~liberdade~ (sic) de ~expressão~ (sic) não existe e ng é favor dessa bosta

pode perguntar pra qualquer pessoa se ela apoia veicular pornografia às 10 horas da manhã na TV

qualquer um vai dizer q não, ponto, liberdade de expressão é uma BALELA e ng, ao menos q seja muito cretino, é a favor desse lixo

Anônimo disse...

A pergunta é: por que os homens continuam sendo lixos expondo as fotos nuas que lhe foram confiadas? Por que seguem sendo covardes destruindo a vida da mulher se escondendo no anonimato da internet e contando com uma rede de apoio de outros covardes? Depois reclamam que as mulheres nao querem se relacionar com lixos como vcs

Felipe Roberto Martins disse...

A verdade é que nunca estaremos seguros!

titia disse...

É por isso que eu não uso redes sociais. Só entrei na bosta do facebook porque fui obrigada pela universidade (as cadeiras fazem grupos pra trocar textos e informações, que eram perfeitamente trocados através de e-mails mas depois que o facebook entrou na moda os professores quiseram pagar de descolados e obrigaram todo mundo a ir pra lá) e mesmo assim não tem NADA no meu perfil, nem foto, nem dados pessoais, nem nome, nem curtidas. Os únicos amigos no meu perfil são pessoas com as quais tenho que trocar dados constantemente, monitores, coordenadores, professores. Não adicionei membros da família nem ninguém que eu conheço; meu perfil no facebook é um grande vazio de dados pra esses vagabundos roubarem. Dá ate vontade de rir da cara que eles fizeram quando puxaram meus dados e acharam nada.

Sabe o que eu acho hilário nessa questão dos nudes? Os caras te odeiam e te chamam de vadia frígida e puritana de merda se você não aceita mandar. Se não faz por segurança, pra não ser vazada depois, te acusam de ser uma puta misândrica feminazi e insistem que você tem que confiar, porque 'not all men'. Mas se você manda e o nude é vazado, você é uma puta burra que merece se ferrar, porque quem mandou confiar no macho (que, às vezes, é seu namorado ou marido)? E além de uma puta burra, você é uma piranha vagabunda que não se dá ao respeito e merece ser demitida, assediada, ameaçada, estuprada e morta porque quem mandou transar.

Que tal chegarmos a um acordo, carinhas que pedem nudes? Ao invés de fotos dos nossos peitos, mandamos pra vocês fotos de homens com paus enormes.

Faz todo o sentido. É só lembrar do vazamento das fotos de um tal Leo Stronda e de como os caras ADORARAM conferir a rola dele, chegando ao ponto de ir no facebook do elemento babar o pinto do referido acima. Aí fica tudo perfeito, carinhas que querem nudes: nós garantimos nossa segurança online e vocês ficam olhando fotos de coisas que realmente amam de todo o coração, caralhos robustos e másculos.

Anônimo disse...

13:18 - e pq mesmo com inúmeros casos de violência doméstica as mulheres continuam se relacionando com homens? estou falando dos casos voluntários de relacionamento hétero

Anônimo disse...

huahuahuahahahuahaha

perfeito comentário, titia!

com certeza você já sabe disso, mas não custa nada relembrar:

mulher, você é ótima! :^D

Anônimo disse...

o mascu criador do 4châncer é apenas um cretino mercenário

ele não tá nem aí pra "liberdade", balela, ele só quer o dele

pois bem, então q ele tenha o q é dele, ele vai ter sim o q merece, ah se vai

Anônimo disse...

Ficaram sabendo da última velha novidade? O bosta imbecil misógino (redundância tripla) do dj khaled, que deveria ser dj calado soltou essas idiotices:

DJ Khaled declara que mulheres têm obrigação de fazer sexo oral em homem, mesmo sem vontade e ainda diz que não retribui.

''Nao faço sexo oral em mulheres, são regras diferentes para homens, mulheres devem satisfazer seu rei'' - DJ Khaled.

Anônimo disse...

Eu tenho uma raiva eu passo horas na terapia gasto meu dinheiro penso penso penso, tento muito, minha autoestima permanece um caroço de pipoca não estourado e vem um zé buceta desse dj khaled se achando bom demais pra chupar buceta sabe, é injusto demais o homem hétero ter tanta auto estima assim e ser tão exaltado, realmente idolatrado por toda essa sociedade imunda.

Anônimo disse...

“Para tantas poucas coisas "boas" que saem desse ambiente, há muitíssimas ruins"

foi isso o q realmente esse babaca quis dizer

Anônimo disse...

Titia, Léo Stronda "representô" quando teve seu nude vazado, a admiração não é algo sexual gay e sim um reconhecimento de sua macheza

Anônimo disse...

Fui ler essa tal da pesquisa do Pew Institute Research.

"O assédio é frequentemente focado em características pessoais ou físicas; visões políticas, gênero, aparência física e raça estão entre os mais comuns.

Traços pessoais ou físicos são um alimento fácil para o assédio online, particularmente visões políticas. Cerca de 14% dos adultos americanos dizem ter sido perseguidos on-line especificamente por causa de suas opiniões políticas, enquanto cerca de um em dez foram alvos devido à sua aparência física (9%), raça (8%) ou sexo (8%). ). As ações um pouco menores foram alvos por outras razões, como religião (5%) ou orientação sexual (3%)."

Comento: Só 8% assediados pelo sexo? Isso sem levarmos em consideração que mulheres também assediam pelo sexo.

Muito interessante....





Pedro J.P.B. disse...

Acabou para mim. Não tem como mais. Quero ser mulher. Quero usar salto ser feminina e delicada. Quero ter útero, ovários e vagina. Trans nunca vai ser mulher. Se operar apenas vai ter um buraco que fica fechando sempre. Quero ter uma vagina natural não operada. Trans nunca vai ser mulher. Quero ter cheiro natural de mulher.

Anônimo disse...

A verdade é que muitas opiniões são reprimidas por que a pessoa que tem o poder de reprimir não concorda e é isso que faz criar os chans.
Por exemplo se alguém acredita que mulheres não são oprimidas na sociedade (uma opinião bem razoável) essa pessoa será esculachada e terá sua opinião censurada.

Ou se for a favor do aborto.

Ou se achar que mulheres ganham salarios maiores que os homens propocinalmente a quantidade de trabalho.

Ou se a pessoa apoia qualquer político que não é de esquerda.

Anônimo disse...

Não existe segurança. Qualquer um pode acessar qualquer dispositivo com câmera ligado à rede, inclusive câmeras de segurança que estão sem senha são facilmente acessadas. Nos chans sempre encontram até câmeras dentro das casas, aliás. Não existe realmente segurança e privacidade com o número crescente de câmeras por perto em todos os lugares.

Anônimo disse...

Fotos nuas: nunca fiz, não faço, jamais farei. Tive parceiros que insistiam até encher a paciência, nem dei idéia, não adianta, daqui não sai nada, arrume alguma mulher que curte, que ache legal, eu tô fora, não é a minha. Não sou mercadoria, nem preciso mostrar o corpo para me "sentir" mulher ou me "sentir" sexy (o que é ser sexy, aliás!?) nem tenho necessidade de ser ou "sentir desejada, gostada, empoderada, aprovada, louvada, amada, ada,ada, ada, ada...etc). Sou uma mulher, um ser humano, não iguaria.

Estou apenas dizendo que não é minha praia, é questão de gosto, tem quem goste e ok. Apenas não me vejo obrigada a prover deleite visual a outras pessoas. Não tenho interesse numa relação onde há uma hierarquia em que sou um bem ou produto de consumo e meu parceiro é consumidor. Relacionamento para mim é parceria, igualdade, não hierarquia ou divisão de papéis. E há muitas outras maneiras, que eu prefiro, de ser sensual com meu parceiro.

Anônimo disse...

Ter útero ou vagina não tem nada haver com ser mulher.
Ser mulher tem haver com a mentalidade e não com o físico.
Existem vaginas masculinas e pênis femininos e isso é completamente normal.

Anônimo disse...

Filhos e pais, homens pobres ou homens ricos, sagrados ou seculares: todos são homossexuais em sua adoração a tudo fálico. Uma verdadeira revolução sexual pode destruir o que os homens fazem tão apropriadamente juntos, longe das mulheres: a criação da his-tória, a criação da guerra, o triunfo da vontade fálica.

Phyllis Chesler, About Men

Anônimo disse...

Sorte do dia: você não é a esposa do DJ Khaled.

Anônimo disse...

O que acho escroto é o indivíduo achar que a mulher tem obrigação de fazer sexo oral e satisfazer o homem. Ninguém é obrigado a nada.

Ele não gostar de fazer, e um direito dele, mais uma vez ninguém é obrigado a nada e não me sinto ofendida por causa disso. Aliás, por mim ok, não curto ter ninguém com a cara enfiada entre minhas pernas, me da aflição, sei la.

Anônimo disse...

18:19 - foda-se esse vaginasta de bosta, quem seria esse merda sem o mijo da riana ou de outras mulheres?

ele pode não fazer cunilíngua, mas bebe urina feminina q é uma beleza

18:56 - é sério, mascu? chupa o pau dele então, seu babaca, na broderagem "pô", só pra reconhecer a maxeza, ui... representô

19:27 - vc é um analfabeto funcional, mascu? pelo visto, deve ser sim

"só" pq? seu lixo, esse "só" é demais pra alguém q vive na internet, seu asno, as mulheres não necessariamente são assediadas só pelo sexo, seu merda, é pela aparência, raça, opiniões políticas e por todos os outros ítems q vc mesmo citou, sua anta

junta tudo e vc se é "pouco" ainda pra vc, seu bosta

e não, as mulheres não assediam ng pelo sexo, vc tirou esse "dado" do seu cu?

21:33 - ô mascu, se vc acha razoável um bando de lixo fracassado, feito vc, se reunir pra criar um poço de ebola online, o tal dos châncers, é problema seu, pode se matar asfixiado nesse ambiente imundo a vontade, seu lixo

"uma opinião bem razoável" é a sua uretra apodrecida

"essa pessoa será esculachada" merecidamente

"terá sua opinião censurada" o seu cu, não chame de "censura" a devida resposta q alguém der às suas burrices ideológicas tiradas da sua berne cerebral, mascu

Faça o favor, se lasque, seu encosto fétido e inútil

Anônimo disse...

22:29 - se vc não se sente ofendid"a" com um babaca dizendo q vc deve "satisfazer o seu rei" no mínimo é pq nem mulher vc é, me poupe

22:10 - tudo errado, mascu, onde é q vc aprendeu isso? na sua necrose cerebral? tenha santa paciência

É CLARO Q ter útero ou vagina tem TUDO a ver (não "haver", seu mascu analfabeto) com ser mulher
O q ser mulher NÃO TEM NADA -a ver- é com a ~mentalidade~, mas sim com o seu físico, isto é, o seu sexo

Não EXISTEM "vaginas" masculinas ou pênis "femininos"

não dá pra dizer nem q é anormal, visto q essas coisas não são nem reais

18:56 - nossa, mascu, q estado extremo de negação é essa? manja-rolas agora podem ser héteros tb? mas aliás, pq não, né

O q tem de mais dar uma manjadinha marota? pegar no pau do "parça" e fazer uma mão amiga na broderagem? fazer uma oral na piroca (na vagina, não, eca, o dj só gosta de fazer no pau), dar a bunda, etc. pq não?

Vcs homens gostam de pinto (novidade nenhuma, até então), mas é só admirassaum, só pra reconhecer a maxeza, ual, q comovente a homossexualidade latente de vcs, chorei aqui

Anônimo disse...

Complementando o meu comentário acima: ele tem o direito de não gostar, beleza, mas entao ele não pode esperar que a mulher faca sexo oral nele.

Anônimo disse...

Acho loucura mandar nudes. A mulher tem q saber, q se mandar, está correndo o risco de se fuder sendo exposta na net.
A palavra do cara, jurando q jamais faria algo assim, n serve pra porra nenhuma.

Anônimo disse...

18:19 - minha cara, os homens não gostam de vagina, sentem nojo, eles só gostam de pinto, eles inventaram uma coisa inexistente (pelo menos no caso deles) q é o tal do heterossexualismo, não sei pq

aparentemente ser homem é viver num mundo de ilusões patéticas e sem sentido

Anônimo disse...

"22:29 - se vc não se sente ofendid"a" com um babaca dizendo q vc deve "satisfazer o seu rei" no mínimo é pq nem mulher vc é, me poupe"

Sua anta analfabeta(o), aprenda a ler: veja meu comentário de novo, eu nao disse nada disso ai. Eu disse APENAS que não fico ofendida (sim, sou mulher) com um homem dizendo que não faz sexo oral. Em nenhum momento disse que mulher deve satisfazer "rei" algum.

Joana disse...

Na boa, Pedro J.P.B... Você veio trollar? Continuo dizendo: durmam, pessoas. É melhor. Passa-se menos vergonha. Mulher trans é mulher. Trans. E daí? Por que mulher cis "deveria" ser melhor que mulher trans? Queira ter cheiro de inteligência, pessoa! Ao menos o cheiro, rs.

Joana disse...

Eita, Anon de 04/05, 18:56... Se tamanho daquilo fosse qualidade, haveria mais homens qualitativamente bons. Por que não há? Adivinhe, se puder, rs. Ai, que dó, não pode! A pessoa tá empenhada em fazer crescer o pinto, não o cérebro, rs...

Joana disse...

Nada mais simples! Sexo oral em mulheres é o que há! Recomendo! "Rei"???? Sente-se e espere, rs. Para sempre, kkkkkkkk.

Joana disse...

Seguras na internet? Kkkkkk... Na internet, menos é mais.

titia disse...

Ah, obrigada, 16:54! :D

18:19 e daqui a algumas semanas, talvez menos, esse bostinha vai estar num 4chan ou dogolachan da vida, com um pseudônimo ridículo tipo "SuperMachoAlphaMan" ou "Rei_Mega_Viril" reclamando sobre como as mulheres são umas vadias ingratas e sem coração que só querem ficar com ele por dinheiro e fama, e assim que botam as mãos na grana dele chutam-lhe a bunda e vão atrás de outro. Ou chorando com o peso dos chifres. Talvez já esteja nessa e só fique falando essas merdas em público pra descarregar a raiva que sente de ser uma pessoa tão bosta.

Raios, talvez ele esteja aqui no blog, lendo isso e chorando suas lágrimas viris enquanto escreve no fórum dos coleguinhas que essas vadias feminazis misândricas do blog Daquela-Que-Não-Deve-Ser-Nomeada estão tripudiando e ridicularizando a dor máscula dele. Já imaginou? #partiu buscar caminhão pipa pra festa na piscina.

18:56, macho, não interessa por qual motivo o fato é que vocês adoraram. E se o que vocês querem é fotos íntimas de alguém pra babar, as fotos de caras exibindo suas mega manjubas serve do mesmo jeito, oras. Talvez seja até melhor né? Afinal, um monte de vocês tem nojinho de buceta mas TODOS sem exceção amam um cacetinho - ou melhor, um cacetão. A tal ponto que a Playboy deixou de publicar foto de mulher pelada mas a G Magazine continua oferecendo salsichas a granel. E faturando.

Anônimo disse...

00:18 - anta analfabeta é vc

vc só disse isso AGORA, nos comentários anteriores vc deixou bem claro q pouco se importava se o babaca te mandava "servir o seu rei", seu cretino

Anônimo disse...

homens criam cada eufemismo pra não admitirem que são gays

quem não os conhecem que os comprem

Davy Lima disse...

É surreal os comentários desse blog.
Eu sou do tipo de pessoa que é contra todo e qualquer tipo de discurso de ódio, e ao meu ver tanto os comentários dos tais "mascus" e das feministas fervorosas deveriam ser excluídos ou melhor, nem se quer aprovados.
Eu acho que todo argumento, por mais pífio que seja pode ser exposta em formas de argumentos e rebatidos civilizada mente.
É claro que se as algum dos envolvidos não colabora não tem como se estabelecer um diálogo racional a fim de cada um estabelecer seus pontos de vista de uma maneira sensata.
É como dizem, "não alimentem os trolls". A própria lola já postou isto neste blog, e eu pensei que as coisas iriam mudar depois disso, mas pelo visto continuou a mesma coisa.
Estes psicopatas machistas que frequentam o blog já estão mais do que perdidos, não importa o quanto vocês dêem patadas ou os critique,e por muitas vezes até tentem dialogar para expor suas ideias individualmente com cada um deles, no fundo no fundo são só trolls que fazem de tudo para obter uma resposta de vcs.

Enfim lola, desculpa pelo meu desabafo aqui,é que eu frequento diversos blogs que a área dos comentários é verdadeiramente uma ferramenta construtiva e que serve como acresimo ao conteúdo principal do post,e as vezes eu esqueço que estou nesse blog e acabo lendo certas coisas que não gostaria.





Ps* por favor parem de taxar a homossexualidade como algo pejorativo ou tentar diminuir alguém com base em ofensas que tenham relação com o mesmo. Noto que fazem muito isso com os ditos "mascus".

E no fim os trolls estão conseguindo cada vez mais o que sempre almejavam: separar cada vez mais as minorias,colocando uma contra as outras.

Anônimo disse...

Quem é o homem que vai querer ver pau se não for gay ou bi?

Minha reflexão do dia.

Pronto, falei.

titia disse...

Ser homossexual não é nem nunca vai ser um demérito, apesar do que alguns reaças e religiosos querem.

Ser um enrustido misógino e homofóbico que vive espalhando preconceitos? Com certeza é um demérito.

E, independente da sua orientação sexual, ser um misógino que vaza, compartilha, bate uma pra nude vazado, faz cruzada contra a vítima do vazamento ou reclama de inciativas para proteger as mulheres de crimes de ódio é um MEGA demérito.

Davy Lima sim as minorias deveriam se unir, mas independente de qual for sua orientação sexual, misóginos são inimigos das mulheres. Se um gay for misógino ele pode vir chorar opressão o quanto quiser que continuará sendo um inimigo das mulheres e será tratado como tal. Só achei necessário dizer isso porque estou de saco cheio de quanta gente está sempre cobrando e responsabilizando as feministas pela união das minorias, mas na hora que (por exemplo) um gay começa a vomitar misoginia a torto e à direito os outros adoram dar uma de joão-sem-braço e elas que se virem sozinhas.

Anônimo disse...

Lola Baranga vc está segura em QQUER LUGAR DO MUNDO pq vc causa tanto nojo e ânsia de vômito nas pessoas que NINGUÉM que ficar nem perto, nem olhando, nem no mesmo ambiente que VC, SUA PORCA!!!!!! Vc corre com gente decente e normal! Vc só se socializa com suas banhas e com seu fedor, sua nojenta!!! Vc é podre por fora e por dentro! Ninguém tem coragem nem de tocar em vc, pq vc é asquerosa, fétida e porca! Eu já estive no mesmo ambiente que vc e tive vontade de vomitar quando vi sua cara horrenda e seu corpo decrépito! Tive vontade de te matar e te enterrar ali mesmo pra vc parar de causar nojo nas pessoas. Mas preferi sair fora pq vc estava causando mal estar à minha família, que não merecia ter que dividir o mesmo espaço com gente PODRE como vc. Todos que te viam viravam a cara ou saíam de perto, e só vc e seu marido amestrado e vagabundo não perceberam. Meus filhos correram assustados quando vc passou perto deles. Minha esposa passou mal com seu cheiro porco! Vc é um demônio! Vc Devia viver trancada num poço como atração de aberração! Mas não, né? Não sai do Bostil pq aqui o povo gosta de porcaria e de drogas, como funk, esquenta e LOLA!!! DESGRAÇADA!!!! SOME DAQUI!!! VAI PRA CUBA VACA!!!!

Anônimo disse...

Exatamente, titia.

O problema não é o fato de ser homossexual, o problema é que muitos dos que se dizem héteros são enrustidos/encubados misóginos homofóbicos mentirosos falsários dissimulados que enganam e usam as mulheres para alimentar e sustentar suas vidas de farsas e ilusões.

Anônimo disse...

No Brasil a moral tá na buceta ou no cu e o caráter no pinto. Porque os homens podem fazer e acontecer em cima das mulheres, mas elas quem são acusadas, apedrejadas e saem se sentindo culpadas, pois são colocadas no papel de erradas sempre.

lola aronovich disse...

AHAHAHAUAHAHAUA! Obrigada, mascutroll das 11:39! Estou trabalhando demais e precisava mesmo rir! Ah, vc inventou toda uma família pra vc! Pai, mãe, esposa, filhos, cachorrinho, papagaio, pôs tds no mesmo ambiente comigo, e fez tds desmaiarem, passarem mal, correrem quando me viram e/ou cheiraram! Isso que é fantasia! Impossível dizer "Vc diz isso pra todas".

Anônimo disse...

Mascu troll ignorante, burro, analfabeto, se fazendo passar por radfem. Ridículo. Todo mundo aqui já sacou que você não passa de uma fraude.

titia disse...

14:00 imagino que isso aconteça porque mesmo sendo oprimidos, as outras minorias ainda tem na cabeça a velha programação machista de que é natural as mulheres se sacrificarem/serem sacrificadas pelo bem alheio, e então todos se acham no direito de cobrar apoio e compreensão das feministas ao mesmo tempo em que não sentem a menor obrigação de retribuir apoiando a luta delas. É dose pra mamute.

Marmelo, você esqueceu de tomar algum remédio hoje? Tipo, o tiro na cara das 10:25h ou a surra de cabo elétrico molhado das 14:45h? Olha, tá certo que esses seus chiliquinhos birrentos são hilários, mas você não pode ficar tanto tempo sem sua medicação, Marmelinho, faz mal! Vá, vá tomar seus remedinhos, a gente arranja outra fonte de risadas.

Anônimo disse...

Sabe, na verdade percebo muito isso, a misoginia de homens gays, e o preconceito com os gays que não se enquadram em um determinado perfil.

Anônimo disse...

Concordo, feminista não pode ser preconceituosa, mas uma coisa me incomoda: nós feministas abraçarmos a causa glbt e ter tanto gay misógino idolatrando pênis por aí, falando muito mal de vaginas, falando que somos as rachadas! Aí depois eles sofrem o machismo/homofobia e não gostam.

Eles também ridicularizam os gays poc pocs (bastante afeminados e espalhafatosos), dizem que se quisessem uma poc poc namoravam mulher, ah pera-lá né, dá um tempo, como se mulher fosse daquele jeito. Eu acho que se ser gay não fosse "tabu" ou "pecado" a maioria dos machistas que se dizem héteros seriam gays porque pra mim é a mesma coisa do jeito que se idolatram tanto.

Anônimo disse...

a verdade é que o mundo é gay, enrustido, mas é.

titia disse...

Uma vez, aqui no blog mesmo, um rapaz gay comentou no post 'O pedestal natural da mulher é o pênis' que nem mesmo ele, que era gay assumido e resolvido, gostava tanto de pinto como os mascus. Se me lembro bem o nome do comentarista era Grão da Noite e foi exatamente isso o que ele disse: que ninguém era tão falocêntrico e falófilo quanto os mascus. Ou seja, não dá nem pra dizer que tá chamando os pinto maníacos de gay porque os gays não são tão obcecados com pênis quanto eles.

Anônimo disse...

00:44 - ô minha linda

'racha', 'rachada', 'amapoa', etc. são apelidos (carinhosos), não tem q levar na maldade ou na ofensiva

Anônimo disse...

A misoginia indisfarçável escorre a cada palavra condescendente ou abertamente agressiva, em ambos os jeitos fica evidente a quantidade imensa de menosprezo, desprezo, desrespeito e desdém, a necessidade enorme de rebaixar e diminuir mulheres.

Davy Lima disse...

Obg titia, gostei da sua resposta.

titia disse...

De nada, Davy Lima. O problema sempre vai ser a misoginia, nunca a orientação sexual. E, como disse alguém que realmente entende do assunto, mascus amam pintos como nem mesmo os gays fazem.