quarta-feira, 13 de setembro de 2017

RESPEITÁVEL PÚBLICO: ARTE NÃO É RELIGIÃO, NÃO EXIGE REZA E NEM TEM IGREJA

Se alguém ainda aguenta falar sobre a censura reaça à mostra Queermuseu (no Santander Cultural de Porto Alegre), escrevi um longo comentário. 
Acho que a discussão será relevante por bastante tempo. Lembrem-se que esses conservadores que censuram exposições são os mesmos que querem ditar o que nós professorxs podemos falar na sala de aula. Pra maior parte deles, exposições artísticas sequer existiriam (arte sacra seria okay). E qualquer curso de Humanidades, também não.


Ah, pessoas anônimas que não são trolls, pensem um pouco. Arte não pode ser desclassificada como "não arte" ou "lixo" baseada no meu gosto. Eu sinceramente entendo muito pouco de arte. De performance art, então, menos ainda. Não gosto e não entendo. Nem por isso eu vou proibir performance art de existir, ou vou chamá-la de lixo. Eu provavelmente não irei ver uma performance da Marina Abramovic (ícone desse tipo de arte). Mas pelo menos sei que existe um tipo de arte chamado performance art. Tem ignorantes que não sabem. Aí pra eles tudo é lixo. 
Nem tinha performance art no Queermuseu, que eu saiba. Mas a reação parece ser a mesma: se me ofende, se eu não entendo, se eu não gosto, então não é arte, é lixo, e não deve ser exposta. Muita arte é feita pra chocar. Eu penso sempre no curta UM CÃO ANDALUZ, do Buñuel, em que o olho de uma mulher é cortado com uma navalha, tudo em close, em frente à câmera. É horrível. Foi feito pra chocar. E é considerado um super clássico. Isso é incentivo para que as pessoas cortem seus olhos com uma navalha? É apologia à violência contra a mulher? Acho que não. 
Uma obra (quadro, filme, livro etc) que mostra uma mulher sendo estuprada está fazendo apologia ao estupro? Vamos pensar em LARANJA MECÂNICA, por exemplo, que tem pelo menos duas cenas de estupro coletivo. Tem bastante gente (feministas principalmente) que critica Kubrick por não ligar pras vítimas desses estupros. Elas não têm voz, aparecem no filme para serem estupradas e depois somem (uma é assassinada, outra foge porque a briga de gangues fica mais interessantes pros caras do que o estupro). 
Tem muita coisa pra ser problematizada no tratamento dado às mulheres em LARANJA MECÂNICA, mas o filme não faz apologia ao estupro, apesar de exibir estupros. Há mil e um outros exemplos.
Eu já fui acusada de fazer apologia ao aborto porque publiquei guest post de uma mulher que fez um aborto e narrou toda a sua dor mas não se arrependeu. E aí, defender a legalização do aborto é fazer apologia ao aborto? Para os ignorantes, é, sem dúvida alguma. Mas sei que minhas leitoras e leitores não são ignorantes. Portanto, se posicionar contra a CENSURA ao Queermuseu neste momento é extremamente importante. Até porque esta censura não ficará restrita a uma exposição de arte. É o começo de algo muito perigoso. 
E para justificar esta censura os reaças estão atirando pra todo lado pra ver onde cola. Primeiro falaram que muitas peças eram blasfemas e anti-cristãs, um desrespeito à religião deles. Aquela obra do Cristo com vários braços ser herege não parece ter convencido muita gente. Então foram pro baú de hóstias com palavras escritas. Não chocou muito. Então foram pra "criança viada" e disseram que era pedofilia. Pô, só sendo muito ignorante pra chamar um meme que mostra crianças em "poses gays" de pedofilia.
Aí fixaram numa ilustração (entre as 270 obras) que tem um cara transando com/ estuprando um cabrito ou um cão, não dá pra saber direito. E pronto, esse foi o mote pra "esquerdista é tudo pedófilo e zoófilo, não falei?" Eu não gostei dessa obra, não a entendo, mas, como eu falei, eu sei quase nada sobre arte. Não vou sair gritando "Apologia à zoofilia!" porque tem uma obra que mostra zoofilia. 
Eu posso não entender nada de arte, mas o catálogo da mostra explica a obra, que é crítica ao "processo destrutivo da colonização no Brasil"
É justamente por eu não entender nada de arte que não serei curadora de uma exposição artística. Mas tem reaça querendo esse papel. Imagina cada uma das 270 obras ter que passar pelo crivo de grandes especialistas em arte como o pessoal do MBL? Eles decidem o que pode e não pode. Eles determinam o que é ou não arte. Se eles tivessem poder de decisão, a exposição nunca teria sido feita. Isso vale também para inúmeras obras que são tidas como clássicas e icônicas nas artes plásticas, na literatura, na música, no cinema. Ninguém pode defender que censores deem aval pra algo existir. 
Bom, este é um ponto. Outro ponto é que os mesmos censores estão chamando de pedófilos e zoófilos qualquer pessoa que não concorde com a censura. Vcs não veem isso como coisa de mau caráter? Porque eu vejo. 
Artista conceptual da Bélgica, Wim
Delvoye tatuou oito porcos. Foi banido
de uma exibição de arte em Shanghai
Isso que dizer que tudo pode na arte? Não exatamente. Eu lembro de vários protestos quando algum artista, querendo chocar, usa um animal pra sua arte. Tem este que matou 9 mil borboletas pra fazer uma peça, e lógico que todos os ativistas pelos direitos dos animais ficaram revoltados. Aqui há vários outros exemplos. Mas estamos falando de matar ou torturar animais de verdade, não de desenhá-los. Tem diferença, não?

Única obra acusada de "pedofilia" por reaças, "Criança Viada" foi exibida na Câmara dos Deputados no ano passado
Depois de escrever o comentário li o formidável post do professor de Artes da Universidade Federal do Pará, Afonso Medeiros, que reproduzo aqui, colocando as imagens que ele menciona para que vocês não tenham que procurá-las (eu sou muito boazinha).

Em cartaz desde 14 de agosto no Santander Cultural de Porto Alegre, a exposição “Queermuseu – cartografias da diferença na arte brasileira” foi fechada pela própria instituição que a promove um mês antes de seu encerramento. Com curadoria de Gaudêncio Fidelis, a mostra reunia trabalhos de 85 artistas, entre nomes consagrados (como Lygia Clark e Leonilson) e artistas marginalizados pelo mainstream do circuito das commodities culturais.
Assumidamente pensada para por em discussão questões sobre o corpo, o gênero, a sexualidade e a identidade (particularmente dentro de uma perspectiva lgbt), a mostra foi alvo de debates virulentos nas redes sociais um mês depois de sua abertura por, segundo os inspetores do fiofó alheio, atentar contra “a moral e os bons costumes” –- leia-se: afrontar “valores cristãos” e expor cenas de pedofilia e zoofilia.
Infelizmente, essa comoção das “pessoas de bem” que, de um momento para o outro assumem o papel de críticos, teóricos e historiadores da arte pós-especializados em qualquer merda, não é novidade. Nem na história antiga e nem na história recente da arte.
As retrospectivas da obra de Mapplethorpe no início dos anos 1990 já causaram virulência inclusive no Senado estadunidense –- e, pasmem, uma delas passou incólume por Sampa nessa mesma década. Desde então, muitas exposições com obras explícitas de sexo/ sexualidade passaram a mostrar tais obras em dark rooms, com avisos/ advertências nas portas –- verifiquei essa prática na exposição de Mapplethorpe há quatro anos e de Jeff Koons há dois anos, ambas em Paris.
Um cartaz da grande retrospectiva do pintor renascentista Lucas Cranach foi retirado do metrô londrino em 2008 por, supostamente, ser “pornográfico” (e se tratava de uma pudica vênus nua pra lá de quatrocentona).
Voltando um pouco mais no tempo, é bem conhecida a prática nazista de “condecorar” alguns artistas como produtores de “arte degenerada” e queimar suas obras em praça pública, pelos mesmos motivos alegados pelos “críticos” das redes sociais: pornografia, atentado à moral e avacalhação dos nobres valores cristãos.
Vênus de Urbino, de Tiziano
Retrocedendo ainda mais, não custa lembrar que o “David” de Michelangelo foi apedrejado quando exposto em praça pública; que a “Venus de Urbino” de Tiziano foi considerada a imagem mais indecente do Ocidente por mais de trezentos anos; que Paolo Veronese teve que encarar um processo diante do tribunal da Inquisição por “interpretar licenciosamente as sagradas escrituras”; que Goya também sofreu um processo da Inquisição espanhola por causa de “La Maja desnuda”; 
La Maja Desnuda, de Goya
que “A origem do mundo” de Courbet só passou a fazer parte de um acervo público (Museu D’Orsay) mais de 100 anos após sua criação e que a reprodução dessa mesma obra foi retirada do site da Academia Brasileira de Letras poucos anos atrás. 
E mesmo artistas brasileiros já foram alvos dessas sandices -– que o diga MárciaX. Em todos esses casos, a alegação dos mesmos motivos: “atentado ao pudor, à moral e aos bons costumes”, “deseducação das nossas crianças”, “perdição”, “escândalo”, “pornografia”, “heresia”…
"Desenhando em terços", de MárciaX. Quadro foi tirado de mostra em 2006
Portanto, não estamos lidando com nenhuma novidade. A arte e os artistas sempre enfrentaram os retrógrados, os conservadores e os pudicos hipócritas de plantão –- quem nunca gozou com imagens explícitas do sexo e da sexualidade, que atire a primeira pedra!
Um ângulo do David de
Michelangelo
O que espanta é que, em meio a essa “comoção” os retrógrados embutem a concepção de que a “verdadeira” arte eleva, transcende, conforta, nos põe em contato com o numinoso, se torna um “alívio” ou expurgo das durezas da vida.
Respeitável público: arte não é religião, não exige reza e nem tem igreja. Pode propiciar, sim, uma suspensão momentânea do comezinho humano, mas comumente provoca, confronta, questiona e põe o dedo na ferida em tudo aquilo que é humano, demasiado humano.
Recentemente, eu e Márcio Lins vimos uma exposição sobre “Maria” em Utrecht (Holanda). A curadoria nos ofereceu uma leitura da mãe de Jesus mais abrangente, como uma das muitas figurações da maternidade, da fecundação e do feminino e, por isso mesmo, misturou anacronicamente à imageria artística mariana uma série de ícones de outras deusas, incluindo a nossa tão conhecida Yemanjá. 
Para sublinhar ainda mais certas questões embutidas na mitologia mariana, expôs-se também obras de artistas mulheres contemporâneas que trabalham com/ sobre a condição feminina no presente. Dentre elas, a obra “Virgin of Mercy” (2005) de Elisabet Stienstra dá o que pensar: uma escultura em tamanho natural de uma mulher púbere nua, com a vagina não só à mostra, mas clara e realisticamente evidenciada. 
O que aquela escultura estava fazendo numa exposição dedicada à figuração mitificada da “mãe de Deus”? Estava exatamente ali para nos fazer pensar sobre o mito da virgindade, da docilidade e da submissão. Estava ali para nos fazer pensar sobre a construção machista (historicamente constituída) sobre o papel da mulher na sociedade. Considerando que a exposição foi montada num convento-museu, o nível do discurso simbólico tornou-se ainda mais palpável e, a propósito, a postagem da obra de Stienstra aqui no Facebook rendeu três dias de suspensão ao Márcio.
Muitos dos “novos críticos de arte” salientaram que as obras expostas no Santander Cultural não deveriam estar num espaço público e eu bem sei (porque pesquiso o tema há anos) que a exposição do corpo, do sexo e da sexualidade acaba recaindo na querela entre público e privado. Trata-se de uma falsa questão, muito de acordo com a hipócrita moralidade da sociedade ocidental. 
Templos indianos exibem casais em enlevos carnais explícitos. Muitos dos mais belos exemplares da arte oriental na arquitetura, na pintura, na escultura e na gravura mostram casais (inclusive homossexuais) de humanos e animais em divina fornicação. 
Para não irmos tão longe, bastaria lembrarmos da pintura em vasos gregos ou do nosso carnaval com corpos deliciosa e sedutoramente desnudos ou corpos de homens e de mulheres travestidos. E tudo isso à vista de todos. E nem vou falar da erotização precoce de nossas crianças promovidas pela publicidade, pela televisão e pelas próprias famílias que consomem acriticamente toda a parafernália da indústria cultural.
Ora, se o mais comum dos mortais neste pedaço do planeta –- onde “não existe pecado do lado de baixo do Equador” -–, pode expor suas carnalidade e suas fantasia sexuais publicamente (graças a Deus, mesmo quando lhe convém), porque o artista não pode? “Santa hipocrisia”, diria aquele antigo namorado do Batman. Não passa pela cabeça desses “críticos” que o artista pode e deve tratar de todas essas questões?
Se as senhoras e os senhores inspetores do cu alheio não querem que seus filhos vejam tais “perversões”, não levem seus pequerruchos aos museus! Museu não é playground e muito menos igreja. Arte não é só evasão da realidade, entretenimento ou “diversão sadia”. Arte “de verdade” nos desestabiliza, nos confronta, nos questiona e, num jogo de espelhamentos, nos pergunta sempre: Por que isso te incomoda?
Não são os artistas que devem ser silenciados, senhoras e senhores! Observem-se nas obras deles para, a partir de então, se perguntarem sobre os abismos de sua própria humanidade repressivamente silenciada.
Mas isso já é pedir muito numa sociedade que não consegue nem perceber as profundezas da metáfora, do poético e do humano. Por essas e outras, deixo aí embaixo o sorriso maroto de Madame Louise…
Triste país. Tristes trópicos.

124 comentários:

Anônimo disse...

Estado laico não e estado ateu, supera esta sua fase rebelde de 15 anos e aprende a viver em uma sociedade com base cristã.

Anônimo disse...

Não, arte não é religião mesmo. Então porque estão mexendo com os símbolos religiosos? Porque estão desrespeitando a crença das pessoas? Porque isso é sim uma tremenda falta de respeito!

Falam tanto em "o respeito é meu por direito", mas quando você desrespeita os outros, você perde esse direito! Ninguém é obrigado a gostar da religião católica, mas pelo menos demonstrar um mínimo de consideração e respeito, por favor né!

Anônimo disse...

Esta imagem feminina vermelha não esta muito artística não, tinha que ter um bode engatado nela com alguns anões albinos travestis pingando mel nos dois e alguma crianças assistindo, dai sim e arte plena.

Anônimo disse...

Engraçado, o cinema e seriados também são obras de arte. Já vi gente pregando o boicote até da animação A Princesa e O Sapo, que a protagonista é ums mulher negra e forte, porque mostra a loira branca como patroa e s negra como empregada, como se isso não fosse o normal em Orléans na década de 1920.

Então. Nesse caso sw houvesse mesmo o boicote e ele fizesse a Disney tirat o filme de cartaz seria errado?

Anônimo disse...

Intolerância religiosa não serve somente para feminazi defender a religião de matriz africana que diz seguir só porque ta na moda (Ou então se diz Wica mas não sabe nada sobre os Druidas)
tem que servir pra defender a avó crente dela que lhe prepara o Nescal também .

Anônimo disse...

Lola, já te falaram que você parece um buldogue de dentadura?

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Anônimo disse...

Se alguém acha que é invenção minha a reação ao filme A Princesa e O Sapo, deixo um link provando.
https://medium.com/musicais-utopias-no-audiovisual/a-princesa-e-o-sapo-e-suas-reproduções-dos-estereótipos-dos-negros-4362fc21970b

Anônimo disse...

Não houve censura, houve boicote. Aprendam a diferenciar antes de reclamar.

Anônimo disse...

Exatamente anon 11:41. Censura seria se nem deixassem expor! Foi exposto e rejeitado, aceitem que dói menos!

Anônimo disse...

Arte conceitual e como a historia do rei nu,onde dois malandros convenceram um rei bobo de que só inteligentes veriam a roupa que fizeram para ele, a historia se espalhou e o rei babaca ficava la andando pelado para cima e para baixo e o povo para não passar por ignorante dizia estar vendo a tal roupa, mas na verdade estavam era rindo muito do rei gordo tetudo de bunda murcha e piroquinha.
Tempos atras em uma exposição de 'arte conceitual na Bélgica" alguns grâm finos metidos a progressistas estavam a admirar algumas telas que foram produzidas por vômitos de bêbados depois de uma festa rave dias antes, e quem discordasse que aquilo era arte era chamado de old school artistic" Muito "ind' sabe?!

titia disse...

É simples, muito simples: pra defensores da moral e bons costumes, nudez só vale se for da loira peituda siliconada fazendo poses claramente sexuais em posição de objeto pra que eles gozem. Nudez de mulheres comuns, colocadas como sujeito ao invés de objeto, com qualquer outra função que não gozo masculino, ou nudez e sexualidade não hétero não pode. É imoral, pornográfico, atentado à família e às pobres criancinhas.

O outdoor na frente do parquinho com uma peituda pelada numa pose visivelmente sexual ou uma bunda enfiada num fio dental é inofensivo. Deixa o povo anunciar em paz, suas feminazis puritanas e mal comidas.

Que ninguém se iluda, colegas: o que motivou esse escândalo patético contra a exposição foi a mais pura e asquerosa hipocrisia. Se essa exposição fosse cheia de fotos e esculturas de loiras peitudas e 'ninfetas' menores de idade peladas transando de quatro com homens velhos, gordos, sendo penetradas por vários mascus ao mesmo tempo, transando umas com as outras ninguém estaria reclamando. Até as crianças iam levar, dizendo que eram só corpos nus, que nudez não é vergonha nenhuma e que sexo é uma coisa natural. O horror pornográfico contra o qual esses lixos tanto protestaram é a humanização de todos que não sejam homens brancos, héteros e ricos.

Anônimo disse...

Aceita que dói menos: o povo se manifestou contra, o banco acatou o desejo do povo.
Simples assim.

Anônimo disse...

Anon 11:47

Sobre a história do rei nu, há uma crônica do LFVeríssimo, que é tipo um spin off dessa história.

Dois agentes do rei vão a casa de uma família e querem levar o menino da casa preso, porque ele falou que o rei estava nu. Os pais tentam argumentar, até que o pai diz:

"Mas o rei estava nu mesmo, todo mundo viu!"

aí um dos agentes do rei responde:

"Sim, mas só o seu filho falou no meio da multidão. Esses são os que dão trabalho!"


E eles ainda vem reclamar de censura! Quer dizer que tu até pode achar ruim a tal exposição de "arte", mas não pode falar! Só lamento né!

Anônimo disse...

Essa titia bebeu água do parto, só pode, não é normal alguém escrever tanta merda...

Anônimo disse...

Titia

Qual o problema com o gozo masculino? Mulher quando se masturba é empoderada, homem quando se masturba é nojento, é isso mesmo? E ainda quer falar de hipocrisia? Mas vai rachar uma lenha!

Anônimo disse...

Engraçado, nos livros das Crônicas de Gelo e Fogo Lorde Bolton violenta sua esposa e a obriga a transar com seus cachorros. E casos de pedofilia tem nos cinco livros. Mas Nunca vi um reaça falar em boicotar os livros do George Martin ou a série Game of Thrones. Indignação seletiva? Pq "seu dinheiro" não pode financiar uma exposição que trata de diversidade, mas vc pode gastar seu dinheiro lendo/vendo essas mesmas coisas que vc crítica.

Anônimo disse...

É, mas no livro a zoofilia, mesmo que aconteça, é tratada como algo doentio.

Agora quando você se refere a ela com o termo "diversidade' está admitindo que é uma opção aceitável ao ser humano. Se vocês tratam isso como aceitável, me desculpa, mas o doente aqui é você!

Anônimo disse...

Nem os livros de GRR Martin, nem a série estão expostos em um museu e recebe visita de escolas. Como disse a Lola, existe uma diferença não?

Anônimo disse...

Melhor comentário de todos os tempos.

Rafael disse...

Eu não entendo de arte. Não entendo no sentido amplo, no de sequer ver sentido mesmo. Quando estive no MoMa, passei por essa experiência. Os andares mais altos têm obras, digamos, "clássicas". Tem matisse, van gogh, renoir e outros que gosto muito.

Conforme vai descendo (o museu é um prédio) a coisa vai ficando esquisita. Até chegar no terceiro andar, que é mais "moderno".

E no terceiro andar, quando lá estive, havia um punhado de entulho de obra no meio de um salão. Pessoas em volta, olhares atentos, fotos e comentários.

Tudo isso para um punhado de concreto, pedaços de vergalhão e cascalho.

Não sei se chego um dia a esse nível de erudição, mas não encontrei nenhum sentido.

Anônimo disse...

"E no terceiro andar, quando lá estive, havia um punhado de entulho de obra no meio de um salão. Pessoas em volta, olhares atentos, fotos e comentário"

Algum malandro com nome artístico de fresco roubou a obra do Tião pedreiro e falou que era arte dele :D :D

Anônimo disse...

Meu banco, minhas regras.

Provem da própria chatice. :D

Anônimo disse...

Imagine o seguinte:um homem ejacula em uma mulher no ônibus, ao reclamar ele diz para ela: isso é uma performance artística

Anônimo disse...

querer chamar de arte alguém defecando na foto de um político (sem defender ninguém aqui) é algo perturbador

Rodrigo Almeida disse...

Mas Lola, em relação a desenhos e obras envolvendo religião, muitos nao aprovam os cartoons do Charlie Ebdo por considerar preconceituosos, racistas e xenófobos, e não fazem apologia a nda, mas servem pra enfurecer um grupo.

Vc pode dizer q não é a mesma coisa nesse caso, mas qual a intenção então ter uma obra com hóstias, q simbolizam o corpo de cristo e nelas escritos cu, pinto, buceta? Eu não acho q consigo ver arte nisso, só mais uma provocação mesmo.

Anônimo disse...

Isso não é arte nem aqui nem na China. É provocação, desrespeito, desprezo, intolerância, nojeira, podridão, etc... mas a blogueira teima que é arte né? Pq o mundo em que ela vive é esse, então ela se sente em casa com esse lixo. Mas o povo não, viu? A maioria dos brasileiros são pessoas de bem, graças a Deus!

titia disse...

11:57 quando homem se masturba em casa, em privado, ou mesmo em filmes pornôs é ok. Quando se masturba na rua, na frente de adolescentes indo pra escola, ao lado da mulher no ônibus é nojento e deve ser punido. Você sabe a diferença, seu porco, não venha se fingir de inocente.

11:55 não é fofinho, gente? Aqui, toma a sua chupeta e uma mamadeirinha. Agora pro cercadinho e brinque direitinho com seu chocalho, ok?

13:28 é mentira, nós sabemos.

Às pessoas que não leram o post ainda falando sobre zoofilia: crítica ao "processo destrutivo da colonização no Brasil" parece apologia a alguma coisa pra vocês? Me diz, vocês aprenderam a ler? Tipo, ir além de juntar as letrinhas e enunciar os sons das palavras? Ou vocês tem preguiça e só engolem a primeira interpretação que algum imbecil caga nos seus ouvidos?

Anônimo disse...

Quando esses artistas engajados farão uma "obra de arte" com Maomé?

titia disse...

14:04 você sabe que existem feministas islâmicas, né? Já leu O Mundo de Aisha? Ah, que idiotice a minha, perguntar se um troll machista já leu qualquer coisa mais complexa que uma placa de trânsito.

Anônimo disse...

Pois é, existem né? Acho isso extremamente contraditório, como podem elas se declararem islâmicas, ou seja, seguidoras da religião que mais rebaixa e humilha a mulher, e ao mesmo tempo feminista, grupo que luta pelos direitos e reconhecimento feminino. Deve dar um tilt danado no cérebro dessas criaturas. Tela azul é pouco...

titia disse...

14:24 pra começar, comente tudo num comentário só, dá menos trabalho pra Lola limpar o lixo depois. E ser feminista e ser islâmica é bem menos incoerente do que se dizer cristão, pai de família e cidadão de bem enquanto assiste pornografia na internet, bota chifre na mulher e não sai do puteiro.

Segundo, você deu um nome pro seu pinto? HAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAUAHAUHAUAUAH! Meu Deus, quantos anos você tem? 14? HAHAHAHAHAHAHAUAHUAHAUHA!

14:44 o mesmo que eu disse pro sue colega, eu digo pra você: cidadão de bem, família e cristão que não sai do puteiro?

Rafael Cherem disse...

Nós somos muito analfabetos em matéria de arte, qualquer arte, não sabemos nada, as escolas, os principais nomes, os contextos, olhamos uma pintura e só sabemos avaliar através de feio/bonito, ouvimos uma música e só vemos gosto/desgosto.

Essa é uma discussão importante.

Anônimo disse...

Lola explique isso:
http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2016/12/mais-uma-marca-orgulhosa-de-seu.html

Anônimo disse...

"Claro, desenhar pinto com terços é só arte, mas essa mesma turminha de vocês estaria choramingando "islamofobia" se alguém fizesse o mesmo em páginas do Corão, e teriam um aneurisma se algum artista criasse obras ofendendo macumbeiros. Hipócritas."

E só para deixar claro, não estou defendendo que essas outras religiões sejam atacadas.

Anônimo disse...

A maioria silenciosa não pode se sujeitar aos mandos e desmandos da minoria barulhenta! O caso da alezzia, da barbearia em sampa, o banco agora... estamos acordando e dispostos a endireitar o Brasil!

Anônimo disse...

Honestamente não acho que tatuar porcos seja cruel. Não dói tanto assim, e além disso tem a possibilidade de sedar o animal durante o procedimento. Sei lá, parece uma idéia bem legal. É comum marcar animais de fazenda com ferro quente, mas uma tatuagem usando agulhas é demais? Que ridículo.

Rafael Cherem disse...

Lá no Oriente Médio e na Europa há artistas que fazem quadros e outras obras envolvendo o Islã, estão próximos, dentro de um contexto, não tem sentido artistas brasileiros fazerem obras sobre uma religião que lhes é estranha.Talvez sobre esse estranhamento.



Anônimo disse...

"Lá no Oriente Médio e na Europa há artistas que fazem quadros e outras obras envolvendo o Islã, estão próximos, dentro de um contexto, não tem sentido artistas brasileiros fazerem obras sobre uma religião que lhes é estranha.Talvez sobre esse estranhamento."

Mas esses vivem sob o risco de assassinatos. Não estou falando de simples trolls de internet, e sim de fanáticos perfeitamente capazes de explodir um monte de gente inocente. Já aqui, ameaçaram boicotar uma empresa (um direito de qualquer um), e picharam um banco (o que é um crime e acredito que não deveriam ter feito, mas ainda assim algo bem leve). Vê a diferença?

Além disso, esse "estranhamento" não se aplicaria às religiões afro-brasileiras tão familiares para nós, mas ninguém se atreveria a zombar delas em alguma exposição de arte.

Anônimo disse...

Nos poupem, foi puro ataque ao cristianismo. O feminismo é bastante hipocrita, exigem respeito de todo tipo, mas respeitar q é bom... Ninguém é obrigado a ter religião, eu mesma n tenho, mas tem que respeitar a dos outros.
Duvido muito que se fizessem o mesmo com símbolos do candomblé, religião africana, todos ficariam numa boa, ninguém veria desrespeito, nem racismo, nada...
Agora estão dando milhares de contextos pra exposição, processo destrutivo da colonização e sei lá mais o q, mas antes da merda toda era exposição da diversidade sexual lgbt, n cola.
E ainda n entendo como entra zoofilia nisso e ainda negam q seja isso na cara de pau, como assim q n dá pra saber se é estupro?!

E é muita hipocrisia falar q é só um desenho, então, pq reclamar da sexualizacao de mulheres em video games, por ex? N é real, qual é o problema das personagens estarem sempre semi nuas?
Pq reclamar de personagens de novela, coisa q vcs fazem direto, nada daquilo é real.
Pq reclamam de comerciais q agradam vcs e depois tentam boicotar a empresa?

Anônimo disse...

Nao interessa se o Brasil tem maioria crista vcs nao podem ditar regras religiosas sobre outros segmentos.

Anônimo disse...

Ninguem era obrigado a ir na exposicao nao gosta nao va

Anônimo disse...

Um boicote liderados por moleques que nao entendem de arte

Anônimo disse...

De um povo manipulado

Anônimo disse...

Se fosse feliz teria um vocabulário menos chulo... é infeliz sim, luta contra a balança e vive sozinha com 3 ou 4 gatos.

Enfim amores, passei aqui só pra deixar aquela velha máxima do futebol, que também vale na política: choro de perdedor é sempre livre.

Bolsomito 2018!

Anônimo disse...

Essa exposição tá mais estranha que as festas do Adriano Imperador, traveco, anões, cabritos, crucifixos... tá pooorra.

Entendo que gosto não se discute, se lamenta.

Mas a pessoa que comentou às 15:56 falou algo bem certo, se fosse exposição com trabalhos que bagunçassem com símbolos da umbamda, candomblé, feminismo, PT, tava todo mundo aqui dando piti.

Coloca uma gravura do lula dando uma sapecada na dilma, "aahhh sacrilégio". Mexer com o deus de você não pode.



Anônimo disse...

Tem coisas que não é possível entender. Esse pessoal que é a favor da proibição dessa exposição é tudo baba ovo dos EUA. Entretanto nos EUA essa exposição nunca seria proibida, já que a liberdade de expressão é uma das bases da sociedade americana e tem proteção da constituição.

Anônimo disse...

Sexo é algo íntimo, n sei onde está a hipocrisia em querer deixar isso na intimidade. Tá tudo banalizado mesmo. Tem várias outras intimidades do ser humano q ninguém sai mostrando por aí, mas o sexo deve ser mostrado explicitamente a qualquer custo.

E só pegou mal para o povo lgbt, se queriam ajudar, falharam miseravelmente. A mensagem foi que eles vivem na orgia e estupram animais. Toda a vida deles se resume a isso.
Daqui a pouco terá "arte" performática, artistas transando ao vivo.
E outro erro é n terem proibido a entrada de menores, estão falando ai q era a partir de 16 anos, mentira.
Várias crianças entraram lá como?

O objetivo era desrespeitar todo mundo mesmo.

Anônimo disse...

17:12

Cara a hipocrisia de vcs é demais, grande parte da repercussão se deve a isso. Vocês adoram protestar, boicotar, proibir qualquer coisa q achem errado. Mas só vcs tem esse direito, liberdade de expressão só vale pro lado de vcs. Então, quem n gostou dessa arte ai deveria ter calado a boca, n é mesmo?

Anônimo disse...

Baixaram os psicopatas e sociopatas online por aqui? Minha nossa não entendem de arte, não fazem outra coisa a não ser ficar na frente de um pc, acredito que o intestino grosso desse pessoal está nos dedos, pois não é possível.

Anônimo disse...

17:12

Eu não acho que liberdade de expressão só valha para um lado. Apenas estou expondo a contradição (inclusive do sr Olavo de Carvalho) de achar que os EUA é o paraíso na terra, mas na prática ir contra a um dos pilares que sustentam aquela sociedade.

Anônimo disse...

Lola já te falaram que vc parecparece a bertaBerta do masterchef?

#vamos ser mais realistas troll

Anônimo disse...

A incapacidade do macho de se relacionar com qualquer pessoa ou com qualquer coisa torna sua vida sem propósito e sem sentido (segundo o pensamento masculino final a vida é absurda), assim, ele inventou a filosofia e a religião. Como é vazio, olha para fora não somente em busca de direcionamento e de controle, mas também da salvação e do sentido da vida. Como a felicidade é impossível para ele nesta terra, ele inventou o Céu.

Para um homem, que é incapaz de ter empatia com os outros e é totalmente sexual, “o mal” é a “licenciosidade” sexual e a adoção de práticas sexuais “desviadas” (“não viris”, “indignas do homem”), ou seja, não defender-se contra sua passividade e sexualidade total, que, se realizadas, destruiriam a “civilização”, já que a “civilização” se baseia inteiramente na necessidade do macho de defender-se contra estas características. Para uma mulher (segundo os homens) “o mal” é qualquer comportamento que possa induzir os homens à “licenciosidade” sexual, ou seja, não colocar as necessidades do macho acima das dela e não ser uma bicha.

A religião não apenas proporciona ao homem um objetivo (o Céu) e ajuda a manter a mulher atada a ele, além disso, oferece rituais que o permitem tentar expiar a culpa e a vergonha que sente por não defender-se o bastante contra seus impulsos sexuais: em essência, a culpa e a vergonha que sente por ser macho.

A maioria dos homens, em sua imensa covardia, projetam nas mulheres suas fraquezas intrínsecas; as apontam como fraquezas femininas e acreditam terem as forças femininas. A maioria dos filósofos, não tão covardes, reconhecem que os homens têm deficiências masculinas, mas seguem sem admitir o fato de que estas deficiências existem somente nos homens. Então, os filósofos dão à condição masculina o nome de Condição Humana; estabelecem o problema de sua nulidade, que os horroriza, como um dilema filosófico e assim, conferem estatura a sua bestialidade. Com grandiloquência eles chamam sua nulidade de “Problema de Identidade”, e se lançam a tagarelar pomposamente sobre a “Crise do Indivíduo”, a “Essência do Ser”, a “Existência que precede a Essência”, os “Modos Existenciais do Ser”, etc., etc.

Uma mulher, não somente tem certeza de sua identidade e de sua individualidade, mas, além disso, sabe instintivamente que o único mal é ferir os outros, e que o sentido da vida é o amor.

Anônimo disse...

Que "proibir" exposição o quê, suas antas. Quem não gostou ameaçou boicotar o Satander e o banco recuou com o rabinho entre as pernas. Qualquer um pode boicotar a empresa que quiser por qualquer motivo, é um direito. Isso não impediu a exposição de acontecer. Quem controla esse banco apenas sabiamente decidiu cancelar esse troço por saber que o preço a pagar seria alto demais. Tem que distorcer muito a história para achar que isso viola a liberdade de expressão de alguém.

Aliás, não são vocês que sempre dizem que liberdade de expressão não inclui esse tipo de coisa ofensiva? Se algum artista doido fizesse uma escultura mostrando Iemanjá sendo sodomizada por um porco, vocês acham que os macumbeiros ficariam quietinhos? Não, eles iriam reclamar do dinheiro público sendo usado para difamar sua fé, de um banco patrocinando discurso de ódio, etc, e teriam toda a razão em fazê-lo.

Anônimo disse...

"Apenas estou expondo a contradição (inclusive do sr Olavo de Carvalho) de achar que os EUA é o paraíso na terra, mas na prática ir contra a um dos pilares que sustentam aquela sociedade."

Tá mais para os cupins roendo esses pilares...

Viviane disse...

Repito o que escrevi no post de anteontem: cadê essa indignação toda com as várias depredações de terreiros de umbanda e candomblé?

Anônimo disse...

O macho “artista” procura compensar sua incapacidade de viver e sua frustração de não ser uma fêmea construindo um mundo completamente artificial onde ele é o herói, ou seja, um mundo em que ele pode exibir traços femininos e em que a mulher é reduzida a papéis subordinados, insípidos e extremamente limitados, ou seja, ser macho.

Sendo que o seu objetivo “artístico” não é comunicar-se (como não tem nada dentro dele, ele não tem nada a dizer), mas disfarçar seu animalismo, ele recorre ao simbolismo e à ambiguidade (“materiais profundos”). A grande maioria das pessoas, particularmente as “educadas”, carentes de fé em seus próprios julgamentos, humildes e respeitosas da autoridade (“Papai sabe mais” é traduzido para a linguagem adulta como “O crítico sabe mais”, “O escritor sabe mais”, “O Ph.D sabe mais”), são facilmente levadas a acreditar que a incerteza, a evasão, a incompreensibilidade, o indireto, a ambiguidade e o tédio são marcas de profundidade e brilho.

A “Grande Arte” prova que os homens são superiores às mulheres, que os homens são mulheres, já que quase toda a chamada “Grande Arte”, como os antifeministas adoram nos lembrar, foi criada pelos homens. Nós sabemos que a “Grande Arte” é grande porque as autoridades masculinas nos disseram isso e não podemos afirmar o contrário, pois somente aqueles que tem uma sensibilidade extraordinária, muito superior à nossa, podem perceber e apreciar tal grandeza, sendo o fato deles apreciarem essa merda a prova de sua sensibilidade superior. Apreciar é a única diversão dos “cultos”; passivos e incompetentes, sem imaginação nem perspicácia, eles precisam se contentar com isso; incapazes de criar suas próprias diversões, de criar um mundinho seu, de afetar da menor maneira seu ambiente, eles têm de aceitar o que lhes é dado; incapazes de criar ou de se relacionar, eles contemplam. Absorver “cultura” é uma tentativa desesperada, frenética, de se divertir em um mundo sem diversão, de escapar do horror de uma existência estéril e estúpida. A “cultura” fornece um suborno para o ego dos incompetentes, um meio de racionalizar a observação passiva; eles podem se orgulhar de sua capacidade de apreciar as coisas “mais finas”, de ver uma jóia onde há apenas uma merda (querem ser admirados por admirar). Não acreditando em sua capacidade de mudar o que quer que seja, resignados com o status quo, eles têm de ver beleza na merda porque, até onde vai a sua visão de mundo, a única coisa que terão mesmo é a merda.

A veneração pela “Arte” e pela “Cultura” – além de levar muitas mulheres para atividades enfadonhas, passivas, que as desviam de atividades mais importantes e gratificantes e do cultivo de suas capacidades ativas, leva à constante intromissão em nossa sensibilidade de pomposas dissertações sobre a profunda beleza dessa e daquela merda. Isso permite que o “artista” seja estabelecido como alguém dotado de sentimentos, percepções, compreensões e julgamentos superiores, e por meio disso minando a fé das mulheres inseguras do valor e da validez dos seus próprios sentimentos, percepções, compreensões e julgamentos.

O macho, tendo uma extensão muito limitada de sentimentos e, consequentemente, percepções, compreensões e julgamentos muito limitados, precisa do “artista” para guiá-lo, para que o diga o que é a vida. Mas o “artista” macho, sendo totalmente sexual, incapaz de se relacionar com qualquer coisa a não ser com suas próprias sensações físicas e não tendo nada para expressar além da compreensão de que para o macho a vida é sem sentido e absurda, não pode ser artista. Como pode ele, que não é capaz de vida, nos dizer no que consiste a vida? Um “macho artista” é uma contradição de termos. Um degenerado só pode produzir “arte” degenerada. A verdadeira artista é toda fêmea autoconfiante, saudável, e em uma sociedade feminina, a única Arte, a única Cultura, serão as fêmeas orgulhosas, excêntricas e autênticas se divertindo umas com as outras e com tudo mais no universo.

Anônimo disse...

Só eu me lembro de feministas quebrando as coisas numa loja da Marisa por causa de um comercial que não gostaram?

Mas boicotar um banco? AI MEU DEUS CADÊ A LIBERDADE?!?

Anônimo disse...

"Repito o que escrevi no post de anteontem: cadê essa indignação toda com as várias depredações de terreiros de umbanda e candomblé?"

Vários meios grandes de comunicação falaram a favor desses terreiros, como o G1 e tal. Teve (tem?) investigações da polícia. Esses problemas não foram ignorados. Mas obviamente um ataque aos cristãos vai gerar uma resposta muito maior, pelo simples fato que há muitos, muitos mais cristãos aqui do que qualquer outra religião. Querer usar uma coisa como desculpa para outra não faz nem sentido. Aliás, ainda sobre essas depredações, elas foram feitas com patrocínio oficial de grandes empresas e com o dinheiro do contribuinte?

Anônimo disse...

Todo macho é uma fêmea incompleta, o cromossomo Y (masculino) é uma mutação degenerada do cromossomo X (feminino) com muitos genes faltando e a maioria dos genes restantes do cromossomo Y são lixo genético sem função alguma.

*****************************************

Por ser uma fêmea incompleta, o macho passa a vida tentando completar-se, tornar-se fêmea. Ele tenta fazer isso procurando constantemente a fêmea, confraternizando-se, tentando viver através dela e fundir-se com ela, e atribuindo a si mesmo todas as características femininas – força emocional e independência, resistência, dinamismo, decisão, frieza, objetividade, assertividade, coragem, integridade, vitalidade, intensidade, profundidade de caráter, genialidade, curtição, etc. – e projeta nas mulheres todos os traços masculinos: vaidade, frivolidade, trivialidade, debilidade, etc. É preciso dizer, no entanto, que o macho possui um traço brilhante que o coloca em um nível de superioridade em relação à fêmea – as relações públicas (ele teve sucesso total na tarefa de convencer milhões de mulheres de que os homens são mulheres e que as mulheres são homens). A alegação masculina que as fêmeas alcançam sua realização através da maternidade e da sexualidade, reflete o que os machos pensam que lhes realizaria se fossem fêmeas.

Anônimo disse...

Anônimo das 18:09

Sociopata adorador de psicopata politiqueiro religiosista.

titia disse...

Huahauhauahauahu! Meu Deus, os trolls fugiram da pré-escola pra tentar me aporrinhar com seus xingamentos pré-primário e seus mimimis "feminazi feia, gorda e cara de mamão". Não é uma fofura, gente? Dá vontade de levar pro parquinho e comprar mordedores coloridos pra todos eles!

15:29 eu não desenho nem pinto NADA que tenha a ver com religião. Eu abomino religiões, especialmente religiões patriarcais, por isso eu as excluo totalmente da vida e não dou ibope pras papagaiadas delas - como os adultos costumam fazer, sabe? Pra mim cristianismo, islamismo, judaísmo, qualquer religião patriarcal ismo é tudo a mesma coisa: desculpa de macho incapaz e covarde pra oprimir mulheres e crianças. Pode botar num saco e jogar tudo no lixo. E você, fofo, bota sua foto e seu nome nos fóruns mascus em que defende legalização do estupro e da pedofilia, ao assassinato de mães solteiras e suas porras alheias, onde compartilha pornografia de estupro? Vamos lá, valentão, te desafio a assinar as merdas que você escreve no fórum mascu, colar sua foto junto e mandar pra sua mãe, sua irmã, seu chefe e todo mundo que você conhece.

Mas não vai fazer, né? Porque você é um covarde, um medroso, um verme que se caga toda de medo de que vejam quem você é de verdade porque sua mãe vai cortar sua mesada, tirar a sua internet, deixar de comprar seu toddyinho e te levar pra um psiquiatra que vai te obrigar a tomar remédios e -oh horror, oh horror- ir estudar ou trabalhar. Ou pior, vai te jogar na rua sem mingau. Vagabundo covarde e inútil incapaz de limpar a própria bunda.

14:59 relaxa cara! Se eu canso tua beleza vá atrás de um macho lindo e maravilhoso com um pinto robusto e lindamente nomeado pra restaurá-la pra você. Quem disse que você é obrigado a cansar sua beleza me fazendo rir? Vou sentir falta das suas palhaçadas, mas como não sou tão má assim, eu te desonero do cargo de meu humorista particular pra você restaurar sua beleza - que como todo mundo sabe, é imprescindível pra sua categoria.

P.A. Ataque ao cristianismo? E os ataques do cristianismo aos homossexuais, às mulheres, às crianças, aos umbandistas, aí pode? Vão enfiar o pastor picareta/o padre pedófilo no cu, seus hipócritas.

Viviane disse...

Não, mas depredações desse tipo são mais que uma ofensa (subjetiva), são crime. E eu não estava falando da ação do Estado em nenhum dos dois casos, mas da hipocrisia de quem reclama de um só deles. Perseguição religiosa é só quando se persegue a "minha" religião?

Viviane disse...

Como diria o Donadio: Source, please?

Anônimo disse...

Gozado que pra censurar o filme do Olavo de Carvalho, aí pode fazer auê sim.

E repito um comentário que foi deixado anteriormente, que não é meu: se um desenho de você decapitada não é o mesmo que decapitá-la, também não quer dizer que é algo correto de se fazer e vazio de significado.

Anônimo disse...

Até onde eu saiba, o Rafinha Bastos é um artista também, que foi gravemente censurado em diversas de suas performances.

Ou dirão que não é? Ué, mas...

Anônimo disse...

Eu adoro esse argumento "não entendo de arte, então não vou falar mal de zoofilia, mas mesmo não entendendo de arte vou fazer um textão aqui sobre coisas que tive que googlar e vamos fingir que o quadro do cabrito enrabado não existe".

Tempos modernos.

Moreno disse...

Esse caso do Queermuseu nunca foi só sobre "arte". Os debates "retratar/ incentivar" e "censura/ boicote" são apenas distrações argumentativas.

O que aconteceu foi uma clara revolta popular contra um inegável monopólio da visão de mundo progressista nas curadorias culturais. Foi uma revolta política, e antes que seja tarde, os progressistas precisam entender que o povo, quando (raramente) tem clareza para escolher, é conservador. A esquerda é um bibelô de classe média desde a queda do Muro de Berlim (o que não a impede de ser poderosa), mas não é a cultura do Brasil real.

A esquerda parece ganhar adeptos porque as pessoas comuns têm uma certa vergonha de contrariar universitários e sua aura de superioridade intelectual, mas nos seus íntimos, são conservadoras. Hipócritas, que seja, mas conservadoras. O discurso "Rede Globo" sobre preconceitos e diversidade é só da boca pra fora.

Quando começou a circular nas redes um chamado para os correntistas católicos do Santander cancelarem suas contas e mostrassem o motivo ao banco, eu pensei: "Não vai dar em nada, esse tipo de auê só funciona a favor de discurso esquerdista". E do dia pra noite vem o banco internacional pedindo desculpas no Facebook, no melhor estilo "twitteiro reaça pedindo desculpas pelo racismo/ homofobia/ machismo". Fiquei surpreso!

De um ponto de vista estritamente político e cultural, a barca virou para a esquerda no Brasil.

Anônimo disse...

Lola já te falaram que vc parecparece a bertaBerta do masterchef?



Ela é mais parecida com o Ron Jeremy. Poderia ser a irmã separada no nascimento, inclusive.

Johannes disse...

Gente, assim como não existe vácuo político ou cultural, também não existe vácuo religioso.

Se dizer "ateu", "laico" ou "agnóstico" não te coloca a parte de uma realidade espiritual. Negar a existência de Deus, ou tentar empurrar Deus para o foro privado são... Posturas espirituais, ora!

Tinha uma obra no Queermuseu posicionando um busto de Jesus Cristo logo atrás de um filhote de bode (símbolo de Baphomet) na posição de um cordeirinho. Ou seja, substituindo o cordeiro, símbolo cristão.

Aí quando alguém de fora do círculo chique diz "Sacrilégio!", vem dizer que a arte é laica? HA-HA!

Acabou a época de fazer todo mundo de bobo, moçada.

Anônimo disse...

"Quando começou a circular nas redes um chamado para os correntistas católicos do Santander cancelarem suas contas e mostrassem o motivo ao banco, eu pensei: "Não vai dar em nada, esse tipo de auê só funciona a favor de discurso esquerdista". E do dia pra noite vem o banco internacional pedindo desculpas no Facebook, no melhor estilo "twitteiro reaça pedindo desculpas pelo racismo/ homofobia/ machismo". Fiquei surpreso!

De um ponto de vista estritamente político e cultural, a barca virou para a esquerda no Brasil."

A direita simplesmente aprendeu a fazer.

Aliás, o políticamente correto tem tomado várias invertidas. Então hoje a pessoa faz hashtagzinha pra falar de suposto estupro ocorrido 50 anos atrás, toma uma piaba de processo na cabeça. Ah, é absurdo? Pra lei não é. Assim como não é absurdo fazer valer a lei no caso da clara ofensividade ao catolicismo com uma mala de hóstia escrito "cu" e "buceta" em cima. Assim como é absurdo uma exposição que em tese homenageia o mundo LGBT mostrando putaria, zoofilia, "criança viada", ora, então quer dizer que são assim mesmo, só gostam disso, não são pessoas normais? Toma mais piaba na cabeça então. O esquerdismo domina as mídias tradicionais? Usar Youtube, Facebook, Twitter é tudo de graça e não adianta chamar de "louco" não que as pessoas estão prestando mais atenção sim, esse discurso do "chamar de louco" já era, Olavo deve estar com o rabo estourado de tanto vender curso e formando um exército ideológico com uma coesão que a esquerda e suas muitas variantes jamais terão, por design estrutural. A pessoa vai pagar de boazinha no Twitter? Tá cheio de gente que revira a vida dos "justiceiros" pra achar todos os podres, e acha mesmo, porque ninguém sai de rabo limpo dessa vida 100%. Ah, a esquerda boicota? Pois é, só que a direita além de ser mais numerosa, é mais unida e tem mais dinheiro, vamos ver qual boicote pesa mais? E 2018 tá chegando e o bagulho vai ficar LOKO, gostaria muuuuuuuuuuuuuuito que não acontecesse mas pra quem fica dando risadinha e desdenhando do "Bolso", pensa bem heim.... lembra do "golpistas não passarão"? Tá passando a porra toda.

Anônimo disse...

"É assim que a direita se enforca na própria corda. Vai dormir e não delira, já deu."

Se pensar assim lhe ajuda a dormir de noite...

Anônimo disse...

Até onde eu saiba, o Rafinha Bastos é um artista também, que foi gravemente censurado em diversas de suas performances.

Ou dirão que não é? Ué, mas...

13 de setembro de 2017 20:16




Não é?

Expliquem essa, ateus.

Anônimo disse...

"Não, mas depredações desse tipo são mais que uma ofensa (subjetiva), são crime."

Na verdade, usar símbolos religiosos de forma ofensiva também é crime:

Art. 208 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40
Art. 208 - Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:

Pena - detenção, de um mês a um ano, ou multa.

Parágrafo único - Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente à violência.


Agora você pode gostar ou não da lei, mas é a lei. Na verdade o banco deve ter desviado de uma bala nesse caso.

"E eu não estava falando da ação do Estado em nenhum dos dois casos, mas da hipocrisia de quem reclama de um só deles. Perseguição religiosa é só quando se persegue a 'minha' religião?"

Mas aceitar perseguir uma religião mas não outra não é hipocrisia?

Anônimo disse...

Tenho certeza que se alguém resolver ler o blog da Lola de cabo a rabo vai achar uns 50 exemplos de censura à liberdade artística de outrem, a depender da conveniência.

Anônimo disse...

"Como diria o Donadio: Source, please?"

Seja mais específica. Fonte de quê?

Anônimo disse...

Minha opinião é que, a depender do conteúdo da exposição, é de bom gosto colocar um aviso sobre o que a pessoa vai encontrar ali dentro. Nudez é mato, qualquer museu tem, é mais fácil achar mulher pelada retratada do que mulher artista retratando e tenho certeza que não foi esse o motivo de se criar caso, naquela mostra no MAM-RJ de um escultor que me fugiu o nome, que faz obras hiper-hiper-hiperrealistas tinha 2 trabalhos de nus e ninguém foi chorar pro bispo por conta disso. Então dizer que o problema tá no nu, ou mesmo em um pênis ou vagina, reais ou desenhados é basicamente se fazer de idiota ou querer fazer leitores de idiota, sugerindo que as pessoas não sabem discernir as coisas.

As duas únicas coisas incontroversas, sobre as quais não restam dúvidas, é o vilipêndio a objeto de culto, manifestadamente na "obra" das Hóstias (consagradas ou não) e também no quadro fazendo associação entre Jesus e Satanás na mitologia católica, assim como o quadro contendo violência sexual contra animais. Pedofilia, seja no sentido vulgar (atração sexual por crianças) ou nas condutas que a lei criminaliza, ainda que não denomine de pedofilia, isso de fato não teve. Mas bestialismo sim e vilipêndio a objeto de culto também.

O erro de quem está se opondo a essa exposição e quer partir para meios efetivos, legais, de responsabilizar o banco e os curadores da mostra é e apegar no controverso no lugar de focar no que simplesmente não dá pra contestar. Um advogado sério, de bom saber jurídico, consegue os meios de tocar uma ação nesse sentido e nenhum histrionismo é necessário, basta um breve relato dos fatos e as provas materiais, fotográficas ou filmadas, para sustentar a ação. O resto é gritaria e não ajuda em nada.

Anônimo disse...

Não, não querida, você está confundindo as coisas. A hipócrita aqui é você. Que acha que uma "obra" zombando de símbolos cristãos não pode ser boicotada, mas prega boicote e até processo para uma marca de cerveja que ouse colocar no ar uma propaganda com mulheres de biquíni.

Anônimo disse...

"E o incrível é que o filme do Olavo foi um sucesso estrondoso enquanto essa exposição afundou. Até protestar a direita faz melhor que a esquerda..."

até porque o filme é ótimo, diferente dessa baixaria aí que estão chamando de arte incensurável e magnífica em toda sua degradação

quando fui assistir ao filme tinha um monte de gente """"""progressista"""""" protestando e querendo impedir as pessoas de entrar nas salas, sem contar que teve festival de cinema aí ameaçadissimo de mil boicotes porque onde já se viu um filme sobre o Olavo de Carvalho, e um filme bom ainda por cima! pega mal deixar.

censura é só quando é a obra que a pessoa gosta, quando não gosta aí pode tacar fogo até no artista

e quem fica defendendo obra de cabrito estuprado, bem, não sei exatamente o que falar dessas pessoas

Anônimo disse...

Boicote da esquerda: a pessoa vive das coisas que a natureza dá (pai e mãe pagando tudo), a Ferrari faz uma propaganda "machista" e o cidadão que nem carta tem escreve lá na página deles, "Tô boicotando!".

Boicote da direita: a pessoa trabalha, ganha o próprio dinheiro, tem conta em banco, se sente ofendida nas suas crenças e avisa o banco que vai colocar o seu suado dimdim em outra banca da feira.

Claramente apenas um desses boicotes funciona.

titia disse...

Ai céus, de novo o bode? Vamos lá, esclarecer pra essa gente que visivelmente não sabe ler: e cena do bode estuprado está numa série que critica o "processo destrutivo da colonização brasileira". Vocês sabem o que significa destrutivo? Significa que alguma coisa é ruim. Então, o que a artista está dizendo é que estuprar um animal é ruim. Ela está dizendo que zoofilia é ruim. E quem diz que alguma coisa é ruim não está fazendo apologia, está expondo e denunciando. Porque, sabe, pra denunciar a gente tem que expor; não dá pra fazer um sem o outro. Agora queiram, por favor, ir se alfabetizar e voltem aqui quando souberem ler. Mas ler de verdade, ok, entendendo e interpretando, ler não é só juntar as letrinhas e compreender os sons da palavra que elas formam.

Anônimo disse...

Só deu certo o boicote por que segmentos do banco leram o que foi proposto no projeto para captar recursos (tá no site do Ministério da Cultura como qualquer projeto da Lei Rouanet) e seu público alvo (http://versalic.cultura.gov.br/#/projetos/164274).

Eu concordo que Museu não é Igreja, mas essa exposição era para o público em geral e nas contrapartidas tá claro que as crianças em idade escolar tinham importância na proposta, afinal buscava-se "estimular o ensino da arte como instrumento transdisciplinar, articulando-o ao currículo escolar".

Claro que era para criança nesse caso em particular, pode se fazer uma exposição só para adulto, mas informe no projeto. Quanto a qualidade das obras polêmicas, só ver entrevistas com qualquer dos artistas, foram feitas para público adulto.

Dá para discutir politicamente, a natureza da revolta de uns e outros, do ponto de vista legal me parece que o projeto para captar mais, alargou o público alvo, dando munição (até justa) para os conservadores.


Felipe Roberto Martins disse...

Engraçado pedirem o fechamento da Exposição... mas falar do Temer nada né... e do dinheiro do Geddel...! Gentalha hipócrita.

Anônimo disse...

só pra quem não viu a expo.... https://www.buzzfeed.com/tatianafarah/veja-30-obras-da-exposicao-censurada-no-santander-cultural?bffbbrazil&utm_term=.fn5A5Bn63#.nhAE10G6d

Anônimo disse...

Anônimo 12:00

Sei que o português é difícil, mas vou te ajudar a interpretar. Se eu digo " uma exposição que trata de diversidade", a palavra diversidade refere-se a exposição, não a palavra zoofilia. Assim como a zoofilia não é o tema de ASOIAF, tb não é na exposição. O fato de este presente em ambas não as torna tema. É se vc não vê zoofilia de forma criativa na exposição, essa é a sua visão de mundo. Então vc falar q eu trato a zoofilia como aceitável sob o argumento que me dirigi a ela como diversidade ou é burrice ou má-fé na argumentação.

Anônimo disse...

Vou fazer uma série com diversas mulheres sendo estupradas por bodes, chamar isso de "O processo misógino da civilização ocidental" e aí vamos ver quem não tá entendendo o que.

Anônimo disse...

Muitos erros de corretor... Troque o este pelo estar e o criativa pelo crítica. De resto acho q da pra entender

Anônimo disse...

Jesus Cristo com plug anal = CRIME. Está na lei do ESTADO.

#PAS

Anônimo disse...

Quando eu vi a obra das hóstias achei meio sem sentido e mera provocação tbm. Daí vi um comentário de alguém lembrando que a hóstia simboliza o corpo de Cristo, então eu pensei que as palavras escritas nas hóstias, pênis, vagina etc. tbm são partes de um corpo humano como qualquer outra. Mas qndo a gente vê essas palavras automaticamente relacionamos a algo sujo, um palavrão. E pq isso? Pq enxergamos partes de um mesmo corpo de forma tão diferente?
Por acaso usamos essas partes apenas para sexo? Mas pensamos assim justamente por causa da religião que nos ensina a ver o sexo como pecado, e por consequência nosso corpo tbm. Depois que parei pra pensar fez todo o sentido pra mim.

Anônimo disse...

A pessoa diz q tem como ver zoofilia como algo criativo, mas q por algum motivo bizarro a gente n consegue "visão de mundo". E acha absurdo a gente pensar q talvez ela isso normal.


Desistam, só desistam.

E se querem criticar a religião, façam com respeito, n esculhambando com seus símbolos

Anônimo disse...

18:16 fumou muuuuita maconha estragada, só pode!

Luiza Bairros disse...

Não minta, não houve ngm tentando impedir algo de assistir filme. Vc não consegue apresentar uma fucking fonte disso. Vcs tem por hábito mentir, já estavam dizendo que na mostra de arte havia espaço pras crianças se 'tocarem' eqto na vdd era obra de 1967

Luiza Bairros disse...

Desde qdo retratar é apoiar?

Luiza Bairros disse...

É tão incontroverso que o Ministério Público viu nenhuma coisa nem outra

Anônimo disse...

"Aqui há vários outros exemplos. Mas estamos falando de matar ou torturar animais de verdade, não de desenhá-los. Tem diferença, não?"

Sabe, eu gosto do gênero de mangá chamado "shotacon". Apesar disso, nem ao menos sou pedófila de verdade, não gosto nem da presença de crianças direito. Pensando dessa forma, shotacon não é pedofilia de verdade, é só um desenho. Tem diferença também, contudo, todo mundo sabe que esse tipo de coisa não é aceitável socialmente, eu jamais falaria na vida real que eu gosto desse tipo de coisa. Acho que é uma questão de decência. Aquele desenho com zoofilia foi completamente indecente, não há absolutamente nada de anormal na aversão que o público geral teve, muito menos na vontade de censurar. Leve em conta nosso contexto social ainda ("direita" vs. "esquerda").

donadio disse...

"Já vi gente pregando o boicote até da animação A Princesa e O Sapo, [...]

Nesse caso sw houvesse mesmo o boicote e ele fizesse a Disney tirat o filme de cartaz seria errado?
"

Se esse boicote consistisse em membros de um "Movimento Estados Unidos Livres" entrando nos cinemas para agredir verbalmente os espectadores, acho que até mesmo a polícia de New Orleans faria o "boicote" parar na hora...

donadio disse...

"Irritei vcs?"

Sabe o que me irrita de verdade?

Gente que tira meleca do nariz em público. E come.

Então fikadika: se quiser me irritar de verdade, faça isso.

donadio disse...

"Art. 208 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40
Art. 208 - Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:
"

Então vamos entender a lei, em vez de fazer de conta que ela diz o que a gente quer que ela diga:

"Escarnecer de alguém publicamente" - trata-se de algo pessoal. Se eu digo, "João é um imbecil, porque acredita que Maomé é o profeta de Deus", eu estou escarnecendo de João. E aí é crime. Se eu digo, "a ideia de que Maomé é o profeta é ridícula", eu não estou escarnecendo de ninguém. E aí não é crime.

E não vejo como as obras de arte em questão possam estar "escarnecendo" de alguém.

"Impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso" - exige que se trate de cerimônia ou culto religioso. Se eu entro numa missa católica e quando o padre começa a distribuir a hóstia eu começo a gritar que se trata de um ato de antropofagia ritual, eu estou cometendo um crime. Se eu digo a mesma coisa num seminário de pós-graduação sobre Religião Comparada... meh.

"vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso" - isso é o que o pastor fez com a santa, chutando-a em frente às câmaras. Agora, que vilipêndio há numa figura que funde o Cristo crucificado com um desses deuses hindus de muitos braços?

donadio disse...

"Vou fazer uma série com diversas mulheres sendo estupradas por bodes, chamar isso de "O processo misógino da civilização ocidental" e aí vamos ver quem não tá entendendo o que."

Faça, ué. Quem está impedindo, a não ser a sua covardia e a sua incompetência artística?

Anônimo disse...

Lola, Standup Comedy também é arte. Por que você não admite que não entende nada dela e deixa o Danilo Gentili em paz?

Rafael Cherem disse...

Haviam obras de Pedro Américo e Volpi na exposição, outras com décadas de exibição, porque não "chocaram " antes? Evidentemente foi pela ligação da exposição com a temática Queer.

Portanto o xilique do mbl foi motivado por homofobia e o anti-esquerdismo rastaquera, isso é claro, se a exposição fosse apenas de "arte moderna", talvez estivesse aberta até hoje, como foi associada à uma pauta querida da esquerda os babacas se manifestaram, e de quebra associaram os gays mais uma vez à pedofilia/zoofilia/perversões.

E ai tem o tempero do analfabetismo artístico, formou a tempestade perfeita.

Anônimo disse...

Amores,

é bem simples: usar dinheiro público (da Lei Rouanet) pra organizar eventos com teor ideológico é errado.

O resto é história...

Marina disse...

Geennnnteee, atenção para o MELHOR comentário até agora. Um anônimo reacionário se enganou nomeou o "movimento" tosco do MBL para calar professores de Partido sem escola!Sensacional!!! Eu não poderia descrever melhor o "movimento"!HUAHUAHUAHAUAHUAH
Quase caí da cadeira d tanto rir!

Anônimo disse...

Claro Marina... vamos fingir que nao foi você a autora do comentário...

Anônimo disse...

É assim que se desenvolve um pensamento. O seu depoimento aqui é muito importante, pois mostra que pessoas que tenham sido impactadas primeiramente por um afeto negativo e incômodo têm potência e serenidade para não deixar-se dominar por esse afeto. Em vez disso, manter a abertura para serem afetadas de outras maneiras, como por um comentário de uma outra pessoa - e ver nesse comentário uma possibilidade cognitiva de ver outros sentidos na obra em questão. E você foi além, relacionou à obra e ao comentário lido um pensamento próprio, desenvolvido em relação com mais coisas, tal o modo como a sociedade entende e se relaciona com as partes sexuais dos corpos - e continuou indo além, lançando uma pergunta sobre porque pensamos assim sobre as partes sexuais dos nossos corpos, e chamando exatamente a religião e seu conceito de pecado para ajudar a responder a pergunta.

Isso é saúde cognitiva, pensamento e afetos saudáveis trabalhando juntos e realizando composições com a vida. Certamente esse caminho trouxe a você mais satisfação e energia, superando qualquer sensação de enfraquecimento que o incômodo do impacto inicial possa ter trazido. Fazer esforço, afetivo e cognitivo, é parte da vida, e é mesmo a parte mais importante, pois nos impede de cairmos em uma falsa vida mínima, triste, sofrida e que propaga sofrimento.

Você aumentou sua potência de pensar e agir e, melhor ainda, desvendou o 'método' para isso. ;-)

E o encontro com seu comentário foi para mim um bom encontro, alegrou-me e também aumentou a minha potência de pensar e agir. Desejo que você siga nessa espiral de fortalecimento, afetando todos ao seu redor! :-)

Anônimo disse...

E não vejo como as obras de arte em questão possam estar "escarnecendo" de alguém.

Donadio, como sempre, CANALHA

Está ESCARNECENDO eu e os cristão, amigão.
Jesus com plug anal.

CRIME. Obedeça a Lei do ESTADO.

Anônimo disse...

O FEITIÇO VIROU CONTRA O FEITICEIRO

Recebam essa, esquerdistas canalhas.

O que o Queermuseu fez foi um CRIME.
Tá na Lei.

Por mais ESTADO e por mais Leis como essa.

titia disse...

09:55 então quando a universal ou o padre Marcelo Rossi fizerem filme usando dinheiro da lei Rouanet tratem de ir no cinema e fazer o mesmo escândalo, porque estão usando dinheiro público pra produzir material com teor ideológico. Mais ainda, quando estrear (ou se já estreou, sei lá) a propaganda direitista canalha , opa, o filme "Plano Real" vão até os cinemas e façam escândalo, porque é uso de dinheiro público pra doutrinação ideológica direitista/religiosa/ambas.

Se vocês não fizerem isso, estará PROVADO por A + B que a exposição foi atacada por pura, simples e asquerosa homofobia e machismo. Vamos lá, reaçada, quando estrear Plano Real e a sequência de Dez Mandamentos, quero todos vocês lá protestando contra o uso de dinheiro público pra propaganda ideológica. E acreditem, se não fizerem isso, eu estarei aqui pra lembrar a vocês a merda que fizeram. Não terei qualquer piedade.

Marina disse...

Anônimo das 10:51, provavelmente foi vc né, fofo!
Continuo rindo mto aqui e torcendo pra que o nome pegue!!

Anônimo disse...

"Se vocês não fizerem isso, estará PROVADO por A + B que a exposição foi atacada por pura, simples e asquerosa homofobia e machismo. Vamos lá, reaçada, quando estrear Plano Real e a sequência de Dez Mandamentos, quero todos vocês lá protestando contra o uso de dinheiro público pra propaganda ideológica. E acreditem, se não fizerem isso, eu estarei aqui pra lembrar a vocês a merda que fizeram. Não terei qualquer piedade."

Nossa, a direita mundial tremeu agora.

Anônimo disse...

"O que o Queermuseu fez foi um CRIME.
Tá na Lei."

QUÊ LEI?
Cita aí!

O MP já se pronunciou e disse que não haver pedofilia.

Viviane disse...

Ora, criatura, fonte dessa suposta "depredação" das lojas Marisa. Eu soube que houve protesto, textos na internet, mas invasão e quebra-quebra de lojas? Claro, se você apresentar a fonte, retiro o que eu disse.

Viviane disse...

Mas foi exatamente o que eu disse! Você está apenas invertendo. Justamente por existir a lei é que pergunto por que a indignação é só quando atinge a religião da própria pessoa.

Viviane disse...

Oi? Direitista defendendo mais Estado? Defendem o que lhes convém, né?

Fabio Carvalho disse...

Fui pesquisar sobre a obra de Bia Leite, justamente a que foi acusada de incitação à pedofilia. Antes, não via sentido naquilo. Mas o contexto muda tudo.

Sabe aquela brincadeira de trocar o avatar por uma foto no Dia das Crianças? Em 2011, uma pessoa chamada Cainho o fez. Ele é adulto, homossexual. Resgatou uma foto da infância com pose fora do padrão, um trejeito do que ele hoje é. Ele riu de si mesmo. Postou a foto e comentou: "criança viada".

Um jornalista chamado Iran Giusti, amigo de Cainho, adorou a ideia. Ele diz ser "homossexual pintosa" e encontrou fotos de sua infância que... também evidenciavam trejeitos. Montou um tumblr chamado "Criança Viada" em 2012, que ele alimenta sazonalmente, uma vez por ano, às vezes nem isso (vai realimentar até o dia 8 de outubro, está recebendo fotos).


Suas regras? Só aceita fotos da própria pessoa que envia, de pessoas adultas. Ele bola uma legenda. O resultado foi um número absurdo de acessos, com fotos de meninos e meninas que não estão nos padrões, digamos, heteronormativos. São muito engraçadas as fotos e legendas (alguns são adultos heterossexuais que entraram na brincadeira).

Bia Leite inspira-se nessas fotos para DESENHAR essas crianças. Copia as legendas. Quando vi o tumblr, imediatamente reconheci o "Criança Viada, Deusa das Águas": é um menino de sunga, numa lagoa ou açude, em uma pose engraçada.

E pensar que essa obra, com esse contexto, foi grosseiramente acusada de incitação à pedofilia. Como se meninos afeminandos não sofressem bullying na escola (assim como meninas "pouco femininas"). Essa obra, no limite, protege a autoestima de outras "crianças viadas".

Achei incrível o trabalho da Bia Leite

Anônimo disse...

"Oi? Direitista defendendo mais Estado? Defendem o que lhes convém, né?"

Vc é tão feminista que não consegue captar minha crítica.

Fabio Carvalho disse...

Em tempo: após ser atacado por denúncias (sic) de promover pornografia infantil, o tumblr "Criança Viada" foi retirado do ar hoje. Iran Giusti está tentando reverter a decisão

donadio disse...

"Donadio, como sempre, CANALHA"

Bom. ISSO é sem dúvida nenhuma um crime. O crime de injúria previsto no artigo 140 do Código Penal. Estou pensando se processo você (Lola, você pode por favor localizar o IP desse criminoso?)

"Está ESCARNECENDO eu e os cristão, amigão.
Jesus com plug anal.
"

Você é Jesus? Não? Por que quem está sendo escarnecido no caso é Jesus, e não você. Por outro lado, não me consta que a exposição que estamos discutindo tivesse imagens de Jesus com plug anal. Isso ou é outra coisa, que não estamos discutindo, ou fantasia sua.

Ninguém tem culpa se a sua fé é fraca, cara. Se você fica escandalizado por pouca coisa, reze mais. O problema está em você e sua mal-construída relação com o seu Deus. Não nos outros.

"CRIME. Obedeça a Lei do ESTADO."

Quem comete crime é você, ao me injuriar. Estou discutindo a proibição de uma exposição, não escarnecendo de você, dos seus correligionários, ou da sua religião. O Jesus com plug anal está na sua cabeça, é você o blasfemo.

lola aronovich disse...

Desculpe, Donadio, não tenho como verificar o IP das pessoas. É quase impossível fazer isso no blogger. Nem quando eu tinha SiteMeter eu conseguia fazer isso, quanto mais agora...
Só ignore o covardão.

Viviane disse...

Não. Realmente não consegui. Ajudaria muito se você escrevesse com coerência em vez de ficar trollando...

Anônimo disse...

Gente, se alguém puder didaticamente me explicar uma coisa... sei que depende da interpretação de cada pessoa, mas enfim... eu não vi nada remetente a pedofilia nas artes das crianças viadas e nem apologia a zoofilia no quadro com a cena do cabrito (apesar de que a representação de uma cena zoófila era fato, mas não era apologia). Minha dúvida é quanto às escritas nas hóstias, por exemplo. Fiquei pensando nisso e é uma obra que realmente não consegui entender de uma forma que excluísse o aspecto ridicularizador e desrespeitoso de uma crença. Alguém poderia contextualizar um pouco isso? Porque assim, acho super válido qualquer tipo de arte, mas essa me pareceu ser somente um ataque... me lembrou até um paralelo com uma notícia que vi ontem sobre uma mãe de santo ter que violar seus próprios objetos de fé.

Anônimo disse...

@Fabio Carvalho, não acredito que sobrou até pro blog das crianças! Infelizmente temos visto ultimamente que esse meio digital tem alguns problemas (vide o acontecido com o esse blog tempos atrás...)
@Donadio, concordo perfeitamente com suas colocações.

Anônimo disse...

Pasmo que mais um quadro "de apologia à pedofilia" entrou na roubada

https://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/noticia/deputados-de-ms-dizem-que-obras-em-museu-fazem-apologia-a-pedofilia-e-policia-apreende-quadro.ghtml

Viviane disse...

O comentário anônimo de 14/09, à 1h04, dá uma boa resposta à sua pergunta.

Anônimo disse...

A arte virou propaganda de comunistas e tem muita gente que panfleta de graça para eles sem saber por certo o que está fazendo.