terça-feira, 2 de maio de 2017

VOLTE LOGO PARA NÓS, MATEUS

É com muita honra, e tristeza também, que publico este guest post da Vivian. 
Vivian é leitora antiga e já colaborou com o blog com outros textos. Ela me contatou por email para contar a história de Mateus Ferreira da Silva. Mateus estava protestando em Goiânia, na greve geral da última sexta, quando um policial decidiu quebrar um cassetete em sua cabeça (o cassetete literalmente quebrou!). Mateus passou por cirurgias e está na UTI, ainda em estado grave. O policial, já identificado, foi afastado. Esperamos que ele seja processado por tentativa de homicídio.
Uma das coisas mais terríveis é ver fascistas (não tem outro nome pra isso) rindo, fazendo piadas, aplaudindo o PM, lamentando Mateus não ter morrido, porque é a morte, segundo eles, que merece um maconheiro baderneiro black bloc. Ainda que Mateus não seja nada disso, fica a pergunta -- alguém com esse perfil mereceria ser executado (sem defesa, sem julgamento) por um policial? Sério? 
Vivian foi namorada de Mateus e hoje é uma grande amiga. Leiam o que ela, que o conhece tão bem, tem a dizer.

Começo este texto agradecendo à Lola pelo espaço cedido para que possamos informar os fatos como aconteceram.
Mateus Ferreira da Silva tem 33 anos e é natural de Osasco, SP. Formado em Ciências da Computação, atuava na área de TI na cidade de São Paulo e se estabilizou profissionalmente como gerente de projeto. Eu o conheci nesta fase, há cerca de dois anos, quando começamos a namorar. O relacionamento durou algum tempo e decidimos terminar. Porém, descobrimos que, como amigos, a nossa conexão era verdadeira, e, desde então, temos uma amizade muito forte. Mateus sempre foi questionador e sentia falta de significado na sua profissão, então mesmo estável em sua carreira, passou a alimentar a ideia de cursar uma segunda graduação, desta vez em Ciências Sociais. Com sucesso, prestou vestibular para a UFG e foi aceito. Assim, optou por residir em Goiânia há exatamente um ano. 
Na mudança, levou para Goiás sua grande parceira, sua cachorrinha Malu. Mateus é um bom amigo, solidário quando se precisa de apoio e um braço quando se precisa de ajuda. É bom frisar que ele não possui filiação ou ligação com nenhuma entidade, partido político ou sindicato.
Admiro Mateus por sua ética, caráter e por ter coragem de muitas vezes se posicionar em prol de um ideal maior. Diante de situações que demandam ação, ele tem a habilidade de demonstrar seu ponto de vista com cordialidade. Este aspecto gentil nos pequenos detalhes, desde fazer questão de agradecer aos garçons, a ter empatia diante de injustiças foi o que mais me chamou atenção quando começamos a nos relacionar. 
Não é minha intenção aqui pintar o quadro de alguém perfeito, mas sim contextualizar a natureza de sua personalidade e que, por isso, nenhuma das pessoas que o conhece estava preparada para a notícia que nos foi empurrada goela abaixo.
Para minha grande surpresa e de todos que o amam, neste momento, Mateus ocupa o posto de símbolo. Vítima da ação truculenta da polícia contra a população nesta greve geral, está internado na UTI em estado grave.
Depois do choque inicial aos amigos e familiares, a realidade. Traumatismo craniano. Perfuração de pulmão. Respirando por aparelhos. Fraturas na face, maxilar destruído. Várias cirurgias realizadas nestes três dias. Fraturas nas costelas, no braço, na perna, na clavícula. E inúmeras, inúmeras complicações de saúde, como pneumonia, insuficiência renal, convulsões. Mais a dor imensa em cada um de nós. Acordo todos os dias querendo que tudo não passe de um pesadelo, estou com muita dificuldade em aceitar que algo tão sem explicação seja real.
Estando em São Paulo, eu não entendia como tudo tinha acontecido e, aos poucos, a família e amigos me passaram informações. Natan, irmão do Mateus, gravou um vídeo para o PC Siqueira e explicou o que aconteceu no dia da greve:
“Meu irmão Mateus é estudante de Ciências Sociais na UFG em Goiânia. Ele foi para a manifestação do dia 28 acompanhado de seus amigos, colegas e professores da faculdade. Caminhavam na manifestação quando, de uma hora para a outra, a polícia apareceu e começou a dispersar as pessoas. Todos correram e o Mateus se perdeu dos amigos. 
"Quando o encontraram, ele já estava apanhando de cassetete da polícia. Ele caiu no chão na hora, instantaneamente. Estão todos achando que o Mateus é black bloc, que ele faz parte de algum partido. Ele não faz parte de nada disso, ele estava apenas protestando pelos seus direitos e fazendo nada mais que a sua obrigação. É direito dele, estava indo atrás do que ele acredita. Estão comentando que ele estava com algo no rosto, mas ele estava usando por conta do spray de pimenta, quem costuma ir a manifestações sabe que é necessário. 
"Mesmo que ele fosse um black bloc, nada justifica a ação da polícia. Assim que ele caiu no chão, a polícia se negou a prestar socorro e fizeram um cerco, impedindo que o SAMU prestasse atendimento ao Mateus. Quem conseguiu socorrer foram os amigos e os bombeiros que estavam no local. Se não fosse uma amiga do Mateus que faz enfermagem, nós não sabemos o que seria dele, de verdade”.
A cena foi capturada em detalhes e circulam na internet fotos e vídeos que mostram nosso amigo desarmado e com postura não-violenta. As imagens estão aí como prova de que ele não oferecia risco a nenhuma pessoa no momento da agressão. A hipótese de que o policial possa ter agido em legítima defesa não se sustenta. 
O caso, amplamente noticiado e rendendo muitos cliques e views às redes de comunicação, chama atenção pela parcialidade com que é divulgado. 
Percebemos que a grande mídia optou por omitir a CRUCIAL informação de que a ação do policial que espancou Mateus, além de violenta, fere a própria legislação. Existe um documento, acessível na internet para qualquer interessado, chamado “Código de Conduta Nacional para os Funcionários Responsáveis pela Aplicação da Lei”, que rege, dentre outras funções, toda a classe policial. 
Por desconhecimento e aceitação da brutalidade cotidiana, a população espera que a polícia aja de forma truculenta. No entanto, nada está mais longe do previsto pela legislação. Os artigos do Código são enfáticos quanto ao uso da força e da tortura por parte da polícia:
“Artigo 3º Os funcionários responsáveis pela aplicação da lei só podem empregar a força quando estritamente necessária e na medida exigida para o cumprimento do seu dever”;
“Artigo 5º Nenhum funcionário responsável pela aplicação da lei pode infligir, instigar ou tolerar qualquer ato de tortura ou qualquer outro tratamento ou pena cruel, desumano ou degradante (...) e se define tortura como: ...qualquer ato pelo qual dores ou sofrimentos agudos, físicos ou mentais são infligidos intencionalmente a uma pessoa a fim de obter, dela ou de uma terceira pessoa, informações ou confissões; de castigá-la por ato que ela ou uma terceira pessoa tenha cometido ou seja suspeita de ter cometido; de intimidar ou coagir esta pessoa ou outras pessoas; ou por qualquer motivo baseado em discriminação de qualquer natureza (...)”;
“Artigo 6º Os funcionários responsáveis pela aplicação da lei devem garantir a proteção da saúde de todas as pessoas sob sua guarda e, em especial, devem adotar medidas imediatas para assegurar-lhes cuidados médicos, sempre que necessário”.
É nítida a legislação: mesmo que uma pessoa cometa ato ilícito e seja pega em flagrante ou for suspeita de algum crime, a postura que cabe aos funcionários do Estado é o cumprimento de suas funções sem uso de força além do estritamente necessário para proteger sua integridade e dos demais presentes na cena. A situação que se seguiu, de impedir que o socorro fosse prestado, é tão grave ou mais quanto a agressão em si.
O brasileiro recebe de braços abertos a falsa fama de cordialidade e hospitalidade. Com orgulho, batemos no peito afirmando que recebemos estrangeiros como nenhum outro país e que possuímos relações amistosas e gentis. No dia a dia, no entanto, vivemos uma situação de violência digna de uma guerra civil (e este não é um termo de efeito, é baseado em dados), que denuncia nosso comportamento real, encoberto por baixo dos panos. O que sentimos com esta situação do Mateus é uma amostra do que a periferia, as vilas e favelas sofrem todos os dias, no anonimato. Nós, como sociedade, nos acostumamos a ignorar e ao mesmo tempo conviver com a violência, julgando como baderneiros quem a ela não se submete.
Clique p/ampliar e ter uma
amostra do ódio fascista
Mateus foi condenado por crime algum e, mesmo inocente, não teve direito a julgamento. A sentença arbitrária coube a quem dispunha da força para decidir por sua vida. O policial, munido da autoridade e impunidade a ponto de não se deixar intimidar pelas inúmeras câmeras ao seu redor, assumiu o papel de juiz.
Toda vez que alguém insinua que Mateus possa merecer o que sofreu, defende que o crime cometido pelo agente do Estado é legítimo. No entanto, o que se verifica na leitura das leis é exatamente o oposto: na cena fatídica, Mateus é o único que exercia conduta legítima e legal de cidadão.
A partir do momento em que se aceita que funcionários do Estado tomem decisões que não correspondem ao seu preparo e cargo, aceitamos que qualquer pessoa em função pública atue baseada em sua subjetividade e opiniões pessoais, abrindo, desta forma, a porta para todo tipo de ação arbitrária e abuso.
Infelizmente, o cassetete que acertou Mateus não carregava a força somente do homem que o empunhava. O golpe, desferido para resultar em morte, é resultado de uma sociedade que acha justo que as leis sejam ignoradas em nome do show da violência, que dá mais importância a executar culpados do que a encontrar os fatos, e que prefere acreditar em um utópico Estado justo e imparcial. O agressor pode ser punido, mas é ilusão pensar que a violência será afastada com ele.
Nesse momento, circulam julgamentos ao Mateus de todo tipo que se possa imaginar: a respeito de sua aparência, sua idade, sua profissão. Por estar na manifestação, por ser um possível black bloc, por utilizar algo para se proteger dos gases, por não estar trabalhando na ocasião.
Nós, amigos e familiares, além de precisarmos assimilar que uma das pessoas mais importantes das nossas vidas está entre a vida e a morte, precisamos ainda suportar todo tipo de palavras difamatórias, caluniosas, deboches e comemorações pela sua agressão.
Estamos enfrentando este momento difícil, e ainda assim a família e amigos precisam se desgastar na mídia, como que dando satisfações, na absurda situação de ter que lutar para defender um réu completamente inocente.
Em meio a tudo, nós não fazemos ideia de como será a situação de Mateus quando sair da sedação, se terá sequelas graves ou se poderá exercer seu direito à vida, ceifado de forma tão abrupta. Estamos esperançosos, pois ele tem reagido bem ao tratamento e cirurgias, mas ele ainda permanece em estado grave. Custo a acreditar que meu amigo hoje está mesmo na UTI, que foi espancado, que está inconsciente.
Sinto falta da conversa à toa, de ouvir suas ideias e desabafos, da sua presença. Sinto medo de como será sua recuperação e sua saúde, se vai voltar a fazer as coisas mais simples. Meus pensamentos doem. A todo momento, vejo em diversos sites as imagens pessoais que a mídia está utilizando para divulgar sua notícia, e vejo repetidamente a foto que eu mesma tirei, numa visita dele recente a São Paulo. No dia da foto, passeávamos e tinha muito vento, então ofereci a ele minha manta, a mesma que uso nos dias frios. Não consigo deixar de pensar que queria muito poder protegê-lo disso tudo, oferecer minha manta, abraçá-lo forte como se nada estivesse acontecendo.
Eu não te quero como mártir, nem como símbolo. Só te quero de volta, Mateus.
Força, meu amigo querido. Volte logo pra nós.
Vivian.
___________________________________
Para contribuir de alguma forma com as despesas de tratamento que Mateus terá após receber alta do hospital, a família organizou uma Vakinha (esta é a única conta oficial para doações).
Acompanhe informações sobre Mateus e preste seu apoio através da hashtag #forçamateus

28 comentários:

Anônimo disse...

Lola,
Por favor, delete essa mensagem das 10:38.
Não dê visibilidade para pessoas que estão escolhendo a mesquinhez.
bj grande.

Anônimo disse...

polícia truculenta q mata a queima roupa os "pró-vida" aprovam

fabi disse...

Que horror o que estamos vivendo. Quanta luta ainda será necessária para mudarmos nossa polícia e nossa política endereçada a proteção dos pequenos interesses? Nao me lembro de tempos tão sombrios. Muita força ao Mateus, familiares e amigos.

Anônimo disse...

Direitopata delirado totalmente fora da realidade...

As vezes o sujeito fica muito alucinado no machismo.

Anônimo disse...

Pq vc não ficou indignada quando os Black Blocs mataram o cinegrafista da Band?

Anônimo disse...

Cadê as rad fem desejando a morte de mais um omi opressor?

Anônimo disse...

13:23 estão no buraco do seu pinto, babaca

Anônimo disse...

Lola fale sobre os estudantes mortos nos protestos na Venezuela

titia disse...

E esse é o mundo que esses cabeças de bosta da direita fascista criaram e acham que é maravilhoso: um mundo onde inocentes podem ser assassinados se pensarem de um jeito diferente do deles, e onde basta uma farda e um distintivo pra um assassino sem qualquer consciência, empatia ou senso de humanidade escapar impune. Esse é o mundo que querem manter. Um mundo onde a vida humana não vale nada - ou melhor, vale tanto quanto você tem na sua conta bancária. Depois a esquerda que é má, que mata cidadãos de bem, que defende assassinos e monstros, esquerda, sua vilã! Não tem jeito mesmo. Pra esse país ir pra frente, só eliminando essa reaçada fascista e repovoando com gente que preste. Canalhice é doença terminal.

13:00 vocês mascus também não se indignaram com a morte do cinegrafista. Celebraram, até. Na verdade, vocês não lamentam nenhuma morte, vocês só celebram as mortes dos outros. E mais na verdade ainda, não ser um homem branco, rico, hétero, cristão, misógino e homofóbico como vocês já é um crime capital que merece ser punido com a morte, então por que você não cala a boca e para de respirar?

Anônimo disse...

Oras não seja hipócrita Titia, vc deseja a morte de pessoas de direita e de homens também. o tempo todo.
E em partes concordo contigo, não há lugar para convivência entre conservadores e canhotos na mesma sociedade.

Anônimo disse...

"Depois a esquerda que é má, que mata cidadãos de bem, que defende assassinos e monstros, esquerda, sua vilã!"

E e mentira? Vocês defendem bandidos sim, não porque querem a recuperação dosa mesmos, não isto e só o verniz, vocês os defendem porque bandido na rua e ruim para ordem social, e se e ruim para a ordem social e bom para a revolução.
Vocês canhotos seguem as teorias de Marcuse, consideram crime, banditismo, vandalismo e ate o terror como ferramentas revolucionarias, negue se for capaz.

titia disse...

13:54 seria cômico ver você, o defensor de assassinos fardados, de estupradores, de agressores, de torturador que se diz "cidadão de bem" e "pró-vida" me cobrando que não seja hipócrita se gente canalha como você não causasse milhares de mortes todos os dias.

13:57 que ordem social? Essa, que quase matou um rapaz inocente apenas porque ele estava lutando por seus direitos? Que tira playboy filhinho de papai da cadeia depois dele atropelar um ciclista, arrancar o braço do rapaz, jogar na vala e fugir sem prestar socorro? Que excomungou a mãe de uma menina de 9 anos grávida estuprada pelo padrasto e os médicos que fizeram o aborto pra salvar a vida dela? Que sempre escreve "suposto" quando fala de estupro, mesmo que o crime tenha sido filmado e jogado na internet pelos estupradores? Que chama um homem vítima de agressão/ estupro de viadinho mangina e o silencia? Que corta verba da educação e da saúde porque "tamos em crise e tá faltando dinheiro" e depois paga jantar de um milhão de reais pra um bando de parasitas? Que faz uso da violência contra qualquer um que discorde um de vocês ou que saia dos padrões vigentes? Bom, novidades: essa ordem social que vocês criaram é uma merda e tem que ruir mesmo.

Anônimo disse...

Engraçado eu não vi nenhuma compaixão nos blogs sujos de esquerda quando os Black Block mataram o jornalista da Band no RIo de Jeneiro. Coisa de esquerdalha mesmo .

Anônimo disse...

Não sou contra a polícia militar e nem quero sua extinção. Todos vimos o que aconteceu no Espírito Santo. Agora, que não precisa de um grande estudo pra saber que tem toda uma cultura tóxica envolvida, isso é fato.

E o problema não é só quando estão de farda:

http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/capitao-da-pm-agride-e-ameaca-dar-tiro-na-cara-de-garota-em-sp.ghtml

Porque a verdade é que tem sim muita gente despreparada pra usar essa farda e a investidura de poder que ela representa e que se vale das impunidades. Tipo esse capitão aí de Santos, que já é uma figura conhecida, podem googlar suas façanhas.

É preciso uma força descomunal pra quebrar o cassetete na cara de alguém. Esse sujeito sabia o que estava fazendo e é preciso que daí saia um exemplo.

Tem muitos, MUITOS bons policiais no Brasil, gente honesta, digna, que faz mais que o dever, que se arrisca pela vida alheia, que precisa esconder a farda pra voltar pra casa, que paga munição do bolso porque senão não tem com o que trabalhar.

Eles não são o problema. Pessoas como quem atacou o estudante em Goiânia e espancou a moça de Santos, sim.

Anônimo disse...

Em grupos feministas li inúmeras histórias de mulheres apontando os problemas da conduta geral do PSOL em relação ao machismo, internamente. Casos inclusive de abuso sexual são escondidos debaixo do tapete e as militantes achincalhadas, humilhadas e descreditadas até que acabem se desligando do partido.

Se ainda restava alguma dúvida, fica mais um relato pra posteridade:

http://diariodorio.com/ex-companheira-de-marcelo-freixo-o-acusa-de-machismo/

Anônimo disse...

Várias pessoas da esquerda se solidarizaram com o falecimento do cinegrafista. Vários mascus e bolsominions não deram a mínima.

E vcs mascus e bolsominions no geral, pq não vão fazer posts sobre os assuntos que vcs acham mais importantes e necessários, como a Venezuela por exemplo, na opinião de vcs e deixam o blog dos outros em paz? Qual o problema falar sobre o crime que ocorreu contra esse rapaz? Só porque vcs não se importam com ele e até desejam que ele morra o resto do mundo é obrigado a concordar, baixar a guarda pra vcs e só falar do que vcs querem? Porque em vez de vir trollar aqui não vão se dedicar a algo que acham mais relevante? Cambada de lixos. Agora trollagem descarada de desocupado cheios de ódio e desejando mal aos outros é ''liberdade de expressão'' e quem apaga é ''ditador e sensor'', ah vá mascu bolsominion descarado. Se poupe e nos poupe.

Isso aqui virou um antro de trolls justamente porque liberada até demais todo tipo de discurso de ódio e ainda ficam dando trela para esses lixos virtuais.

Anônimo disse...

Nossa, mas quanta presunção hein. Tu não sabe absolutamente nada sobre a pessoa e de qual comentário ela está falando, mas na tua mente fértil você concluiu:

-É mascu e bolsominion
-Não se importa com o rapaz que sofreu a agressão
-É troll, lixo virtual
-o comentário, que você não faz ideia de qual era, era discurso de ódio

Sem contar que na sua resposta você se refere a "vcs", como se direcionasse seu discurso à um grupo. Ou seja, tu imaginou tudo, criou na cabeça uma pessoa, transferiu para um grupo, imaginou o comentário apagado, misturou tudo e inventou um monstro pra você bater. Psiquiatra. Urgente!

Anônimo disse...

Puxa, Vivian, desejo serenidade a vcs. Como não bastasse o acontecido, ainda o desgaste dos julgamentos e ofensas. É desanimador.

Aliás, não tem muito a ver com o texto, mas tenho evitado comentários e discussões pessoalmente em nome de minha saúde mental. Li muitas piadas sobre o caso do Mateus. O ódio está verdadeiramente disseminado.

gabs

Anônimo disse...

O PM Edivaldo Pedroso Santos, aluno do curso da PM.Foi morto com 5 tiros quando saia de casa, ao lado da esposa grávida de 7 meses...Você viu alguma reportagem indignada com a morte de Pm Cade a esquerda lixo que passa a mão em cabeça de bandido com a mesma preucupaçao quando e vagabundo?

O mais revoltante é que o policial foi transformado em bandido por causa de um vândalo. Enquanto nos Estados Unidos e Europa os policiais recebem medalhas por manterem a ordem, no Brasil além de serem culpados e mortos por bandidos são reverenciados em programas globais como o da Fátima Bernardes. Vergonha desse país. Chega logo 2018...Bolsonaro Presidente

Anônimo disse...

Ai que preguiça dessa gente

Na minha cidade um policial foi assassinado. Os bandidos chegaram para assaltar a casa, viram a farda e assassinaram na frente do filho. Eu me indignei, lamentei sua morte, acompanhei o luto dá cidade,pois foi muito cobarde o que houve.

E isso não impede que me indignei com o que houve com o Mateus.

Parem de ser manés, essa história de "ah, cadê essa indignação quando o PM morreu etc etc"... O policial do caso do Mateus agiu errado, sim!!

Anônimo disse...

Policial brasileiro não vem de Marte, não vem da Lua, nem da Suécia, policial brasileiro também não e "dazelites" e um brasileiro reflexo de um meio e uma cultura.

Na maioria de casos de ocorrências policiais, se os sociólogos, professores e famílias tivessem feito seu trabalho direito, a policia não precisaria estar fazendo o dela.

Luiza Bairros disse...

Acho que o troll do "lixomens" tirou a máscara e agora defende abertamente o bolsonazi.

Anônimo disse...

O motivo que muitos falam tanto de pessoas mortas e agredidas por policiais militares se dá porque a polícia representa o Estado. É simples de entender, caras! Essas denúncias tem intenção de chamar atenção do Estado para que ele promova conscientização dentro das polícias, puna os policiais infratores, treine seu contingente, aumente o número de policiais para que eles não fiquem sobrecarregados, estressados e agressivos.

No mais, a atuação da polícia em diversos casos, como o do Mateus, foi ILEGAL, assim como é ilegal um cara espancar outro na rua, entende? Só que a polícia representa o Estado e é por isso que é preciso que denunciemos até cansar, porque eles tem poder o suficiente de negligenciar e ignorar essas mortes e agressões (e eles fazem isso sempre).

#ForçaMateus, torço pela sua recuperação!

Anônimo disse...

Teve um capitão, durante essa manifestação, que foi ferido na região da testa! Porque os meios de comunicação não mostram isso também? Porque somente nos apresentam um lado da moeda? Cadê a tese, antítese e síntese?

Anônimo disse...

A esquerda gosta é de desordem. Quanto menos polícia, menos religião, menos família e mais degradação, melhor para o plano da esquerda se concretizar. Defesa de direitos, democracia,liberdade etc é tudo cortina de fumaça. Toda agressão deve ser punida e reprimida, independente de quem seja o autor.

Anônimo disse...

Agiu errado sim e independente de ser crucificado ou não pode ter certeza que ele será punido! O problema é que certos grupos que não gostam de ser contrariados em nada, vulgo mimados, adoram crucificar quem não os seguem.

Anônimo disse...

Fascistas?
Não, a esquerda é que é fascista. A direita não.
Como é que pode um liberal ser fascista? Isso não existe, são termos mutuamente excludentes.
A esquerda é que quer o Estado controlando tudo, são contra privatizações e querem estatizar tudo, coisa que já ficou mais do que provado que não funciona.
O gigantismo só gera despesas.
Isso ocorre na iniciativa privada e é ainda pior no funcionalismo público, porque o Estado nada produz.

Fascistas são os esquerdopatas

titia disse...

11:49 ele tá numa UTI, em coma induzido e correndo risco de morrer só porque quis defender os próprios direitos? Mais ainda, ele foi ferido dessa forma grave por um monstro que resolveu espancar um ser humano até a morte só porque achou que farda e distintivo o colocavam acima da lei? Enquanto não estava fazendo nada além de protestar pacificamente e sem violência? Falsa simetria bateu e ficou, né mascu?

15:41 fascismo é uma forma de radicalismo político autoritário nacionalista que ganhou destaque no início do século XX na Europa e teve origem na Itália. Os fascistas procuravam unificar sua nação através de um Estado totalitário que promove a vigilância, um estado forte, a mobilização em massa da comunidade nacional, confiando em um partido de vanguarda para iniciar uma revolução e organizar a nação em princípios fascistas, hostis a todas as vertentes do marxismo, desde o comunismo totalitário ao socialismo democrático. Como a esquerda seria marxista e ao mesmo tempo fascista, anta? Fascismo é e sempre foi filosofia de direita, não adianta vocês chorarem e lamentarem e cuspirem acusações pro lado da esquerda: fascismo é e sempre foi filhote da direita.