terça-feira, 10 de janeiro de 2017

O IRRITANTE CANCELAMENTO DE UMA SÉRIE FEMINISTA

Eu acabei de ver a primeira (e, por enquanto, única) temporada de Good Girls Revolt (veja o trailer legendado e um "por trás da tela") uma excelente série que fala de mulheres trabalhando numa revista no final dos anos 1960. 
Fiquei muito impressionada e pedi pra maravilhosa Denise traduzir o artigo de Marianne Cooper para The Atlantic -- que fala sobre como é difícil para histórias sobre mulheres serem produzidas quando a maior parte dos executivos responsáveis pelas tomadas de decisões são homens. 

Quando as mulheres não estão presentes para a tomada de decisões de alto escalão, as empresas não conseguem ver o valor de programas e produtos que apelam mais diretamente para a metade feminina da população.
No início de dezembro, a Amazon Video anunciou que não renovaria sua nova série Good Girls Revolt para uma segunda temporada. A série, inspirada no livro da jornalista veterana Lynn Povich, contava a história do processo judicial histórico de discriminação de gênero que ela e outras 45 mulheres moveram contra a Newsweek em 1970. Good Girls Revolt capta o despertar cultural dessa época e se concentra em um grupo de jovens mulheres que, apesar de fazerem um trabalho semelhante ao de seus colegas, recebem menos e são relegadas ao título de "pesquisadoras", enquanto seus colegas homens são "repórteres", recebendo todo o crédito e a assinatura das reportagens. 
A primeira temporada narra as mulheres se organizando para processar seu empregador, "News of the Week", para serem tratadas de forma justa. A série recebeu muito retorno positivo, uma avaliação de 4.5 estrelas de mais de 18 mil espectadores, e foi selecionada pela própria Newsweek como uma das melhores de 2016, mas isso não foi o bastante para a Amazon, aparentemente. Apenas cinco semanas depois de estrear, a série foi cancelada pela Amazon Video.
O cancelamento da série veio logo após a derrota eleitoral de Hillary Clinton, um evento que, segundo se poderia pensar, era uma oportunidade de marketing pronta para uma série sobre mulheres lutando pela igualdade de gênero. 
Roy Price, que comanda a Amazon Video, parece não ter visto as coisas dessa maneira. De acordo com vários relatos, Price não gostou pessoalmente da série e não a assistiu. Quando perguntado quantas mulheres estavam envolvidas na decisão de não renovar a série, Dana Calvo, a criadora da série, disse publicamente que nenhuma mulher esteve envolvida na decisão. Outra fonte próxima ao programa, que pediu anonimato por causa da sensibilidade da situação, confirmou que nenhuma mulher estava na equipe de liderança que decidiu não renovar.
Quando perguntei à Amazon sobre a decisão e se havia alguma mulher envolvida nisso, Joe Lewis, diretor de desenvolvimento de séries de comédia e drama da Amazon Video, disse em um e-mail que a série foi cancelada porque "não estava se apresentando no nível que tínhamos esperado -- seja em termos de audiência total ou taxas de conclusão." Ele não respondeu à minha pergunta sobre se alguma mulher esteve presente quando a decisão foi tomada. (De acordo com relatos, a Sony Pictures Television está agora oferecendo o programa para outras redes e os fãs estão torcendo por isso usando a hashtag #SaveGoodGirlsRevolt.)
Claro, é possível que mesmo com muitas mulheres na sala, o resultado teria sido o mesmo. Se um programa não está atingindo métricas pré-determinadas, existem motivos comerciais sólidos para cancelá-lo. No entanto, mesmo se Good Girls Revolt não atingiu as expectativas (o que é discutível), ao tomar decisões sobre programas é importante "não se perder nas ervas daninhas das estatísticas", como afirmou o próprio Roy Price
Igualmente importante é a capacidade de ler as folhas de chá cultural para ser capaz de prever que programa vai agradar o paladar nacional. E é aí que a homogeneidade dos tomadores de decisão se torna relevante, uma sala cheia de homens vai ler a cultura de forma diferente de um grupo que se pareça mais com toda a América. Como mostra o cancelamento de Good Girls Revolt, os comitês de tomada de decisão formados apenas por homens podem interpretar equivocadamente o momento cultural de forma espetacular.
O fracasso das empresas em colocar as mulheres consumidoras no centro de sua estratégia de pesquisa e desenvolvimento ou negócios é comum. Um exemplo clássico é que apenas há alguns poucos anos os fabricantes de automóveis começaram a testar regularmente manequins femininos no assento do motorista dos carros. Durante 30 anos, apenas se assumiu que usar manequins masculinos no teste de acidente seria suficiente, embora as mulheres sejam tipicamente menores do que os homens e quanto menor uma pessoa é, menor é a força que pode tolerar em um acidente. 
O fato de que os carros não foram testados para serem seguros para corpos femininos ajuda a explicar por que as mulheres são mortas e feridas em acidentes de carro em taxas desproporcionalmente mais elevadas do que os homens. É porque as mulheres sequer foram incluídas na análise. 
Em um relatório recente da Merrill Lynch sobre o crescente poder econômico e de consumo das mulheres, Jackie VanderBurg, diretora-gerente da U.S. Trust, observou que incluir as mulheres poderia ter sido uma grande vitória para uma empresa de automóveis. Ela disse: "Uma empresa que tomasse a iniciativa de usar manequins femininos para teste anteriormente poderia ter se diferenciado, mostrando uma preocupação para com a segurança das mulheres."
Há muitos outros casos de empresas perdendo uma oportunidade de pensar sobre as mulheres em seu trabalho, e perdendo negócios como resultado. Quando os homens são o consumidor ou paciente padrão, os resultados podem variar de irritante a risco de morte para mulheres, de tecnologia de reconhecimento de fala que compreende mais prontamente vozes masculinas do que vozes femininas a drogas farmacêuticas que tiveram que ser retiradas de mercado devido a impactos negativos à saúde que machucam as mulheres significativamente mais do que os homens.
Uma razão para que as mulheres sejam deixadas de fora da equação é que muitas vezes há poucas mulheres nas salas onde os planos são formulados, campanhas de marketing criadas, tecnologias projetadas e decisões tomadas. Isto é especialmente verdadeiro nos níveis mais altos de escalão. Às vezes, como parece ser o caso com a decisão de Roy Price da Amazon Video, não há sequer mulheres envolvidas.
Isto é verdade mesmo entre as empresas que fazem e comercializam produtos diretamente para as mulheres. Uma análise das 19 maiores empresas que se concentram nas mulheres (cosméticos, lojas de departamento, vestuário feminino, certos bens de consumo, etc) descobriu que apenas uma empresa tem uma equipe de liderança sênior majoritariamente feminina (JC Penny) e apenas uma empresa tem um conselho de administração formado majoritariamente por mulheres (Avon).
Este foi certamente o caso por muitos anos na Kimberly-Clark. Em 2009, entre os funcionários da Kimberly-Clark que tinham nível de diretor ou superior, apenas 17% eram mulheres. Em contraste, 85% dos consumidores eram mulheres. Portanto, cabia a uma equipe em grande parte liderada por homens descobrir como comercializar absorventes internos, absorventes maxi e fraldas. Segundo Jillian Berman, escritora de negócios no Huffington Post, "isso se traduziu em anúncios com líquidos azuis derramados em absorventes e retratando mulheres extasiadas vestidas todas de branco dançando e se divertindo, aparentemente enquanto menstruavam. Esse é um cenário que aproximadamente nenhuma mulher jamais se identificaria."
Nos últimos anos, Kimberly-Clark tem se centrado na contratação de mais mulheres e tem feito um enorme progresso. Sue Dodsworth, a diretora global de diversidade da empresa que liderou a reviravolta, relatou que em 2014 as mulheres representavam um terço ou mais dos gerentes de nível sênior (infelizmente, um percentual relativamente alto, segundo padrões corporativos). Kimberly-Clark agora tem uma campanha de marketing diferente, U by Kotex, que faz piada desses comerciais antigos. A empresa lançou recentemente uma nova campanha chamada The Period Projects (projetos da menstruação), que visa mudar a maneira como as mulheres falam e experimentam sua menstruação.
Os estúdios de Hollywood deveriam seguir o exemplo. Enquanto as mulheres compõem a metade da população, metade dos cinéfilos e metade dos graduados das melhores escolas de cinema, elas representam apenas 20% dos cargos executivos em grandes empresas de mídia. Elas são ainda menos comuns por trás da câmera: as mulheres compõem apenas 3% dos diretores de cinema e 12% dos diretores de programas de streaming. Para cada mulher roteirista, há 2,5 homens roteiristas. Outra pesquisa descobriu que quando as mulheres estão em cargos executivos num filme, elas atraem mais mulheres para o trabalho durante todo o projeto. Por exemplo, em programas transmitidos sem mulheres em cargos executivos, as mulheres representavam apenas 6% dos escritores. Mas em programas com pelo menos uma mulher em cargo executivo, as mulheres representavam 32% dos escritores.
Tudo isso importa -- para as histórias que são contadas, os personagens que são colocados na tela, as decisões que são feitas e os lucros que são ganhos ou perdidos. Pode ser que quando um executivo de estúdio branco  e homem decide que ele não gosta de um programa, digamos de um programa sobre um momento crucial na história das mulheres, seus sentimentos podem não ser compartilhados por mulheres ou pessoas de outros grupos sub-representados. Eu me pergunto se a decisão da Amazon Video sobre Good Girls Revolt poderia ter sido diferente se apenas uma mulher estivesse na sala.
É irônico que, sem mulheres na sala, Roy Price decidiu cortar um show sobre mulheres que estavam lutando justamente contra isso -- contra homens tendo total propriedade e controle sobre a mídia. Passaram-se muitas décadas desde que Lynn Povich e suas colegas mulheres processaram a Newsweek, e ainda assim há pouca distância entre o mundo retratado no programa e o mundo que controlou o destino do programa.
Essa tendência para os homens brancos controlarem desproporcionalmente a tomada de decisões editoriais -- usando sua experiência e gostos particulares como um reflexo para a experiência e gosto de todos os demais -- pode ter consequências reais para marcas e resultados financeiros. Isto é especialmente verdadeiro já que a nossa sociedade tem se tornado cada vez mais diversificada e multicultural.
Nas palavras da gigante da publicidade Cindy Gallop, "Há uma enorme quantidade de dinheiro a ser feito se as mulheres forem levadas a sério." Mas as empresas e as marcas irão falhar se as mulheres não forem levadas a sério como funcionárias em primeiro lugar.

47 comentários:

Anônimo disse...

Onde eu posso assistir essa série online?

Anônimo disse...

Isso é pra você aprender que se NÓS, HOMENS, não quisermos, NADA vai pra frente, inclusive o direito de opinião de vocês.

E se prepara pois estamos aprontando contra seu blog, já derrubamos uma das suas contas e as restantes não passam desse mês.

Abraçxs.

Anônimo disse...

Lola,

Séries são canceladas diariamente, sempre teremos pessoas descontentes com isso.

O mundo corporativo quer resultados. Se não teve telespectadores suficientes, não haverá patrocínio suficiente e logo a série não se sustenta. Não se faz nada apenas por "amor"!

Talvez seja difícil você compreender isso pois trabalha na iniciativa pública.
Você não sabe o quanto é difícil ser empreendedor e tomar decisões.

Anônimo disse...

estranho mesmo que tenha poucas mulheres em posição de liderança até mesmo em empresas nas quais tem produtos dedicados exclusivamente ao público consumidor feminino.

Anônimo disse...

Se as mulheres não quiserem mais ter filhos,a humanidade acaba, ,indenpendentemente da opinião masculina.

Anônimo disse...

Essa questão da falta de manequins femininos nos testes de automóveis é o fim. Se colocaseem isso na grande mídia junto com as marcas dos carros que não fazem esse teste as empresas iriam se fuder. Eu sou consumidora dessa porra, o dinheiro é meu e se não garantirem a minha segurança do jeito que eu quiser essa porra vai falir.

Anônimo disse...

Enquanto isso as mulheres são a maioria nas universidades e estão pouco se fudendo para sexo e casamento,nunca uma geração tocou tanto o foda-se para os homens. Nos somos a maioria das consumidoras de todos os produtos,ou andem na linham ou vão perder grana $$$$.

Anônimo disse...

Na verdade, a opinião dos homens pouco importa. Nas famílias,as mulheres que compram os produtos tanto para si mesmas quanto para os filhos e os próprios maridos. Pesquisas mostram que as mulheres que decidem se o casal vai ou não ter filhos e a quantidade,quais produtos são comprados, e assim por diante. A opinião masculina vale até muito pouco em um mundo capitalista onde quem manda (na teoria) é o consumidor. Já está na hora de acordar.

Anônimo disse...

Olá,

Pra quem se interessar, está rolando uma petição online pedindo que série continue a ser produzida!!
http://www.thepetitionsite.com/pt-br/827/317/952/***/

Anônimo disse...

"Isso é pra você aprender que se NÓS, HOMENS, não quisermos, NADA vai pra frente, inclusive o direito de opinião de vocês."

Kkkkk mas são um bando de criança ranhenta no parquinho da creche mesmo.
No mundo de hoje, para o bem ou para o mal, o que dita para onde as coisas vão é o dinheiro. Com o crescimento da escolarização e do poder aquisitivo das mulheres é melhor que comecem a se conformar em dividir o cercadinho de areia.

João Luiz Pereira Tavares disse...

Deixo para vocês avaliarem o resultado dos programas do PT: 

1.
Pagamento da dívida externa com o FMI, o PT converteu a dívida externa em interna quem ganha com juros abusivos são os banqueiros, maiores que os cobrado pelo FMI. 

2.
Salário mínimo: a inflação e o dólar comeram. 
¿COMPREENDEU?... ¿Compreendeu mesmo?

3.
O Brasil estava entre as maiores economias do mundo e quem ganhava eram os ricos. 

4.
Bolsa família , foi o FHC quem instituiu, os PTistas dizem que é projeto deles.
FHC: odiado pelo PT. O PT só fala nele... Só pode ser amor enrustido.

5.
Prouni somente para escola particular não pagar imposto. 

6.
Luz para todos ( RESPONDA: ¿Por que utilizar a palavra "PARA TODOS", na publicidade? Pergunto: ¿é para "TODOS", mesmo? Mesmo??...). E o preço da luz é aos olhos da cara e o programa petista «Farmácia Popular» fechando todos os dias.

7.
Apenas 214 escolas técnicas para um país continental com mais de 200 milhões de habitantes.
Aqui não tem trouxa.

8.
Apenas 18 universidades públicas com baixo nível de qualidade e permitiu milhares de universidades particulares "de esquina" sem as mínimas condições de funcionarem. Uma agiotagem escolar para empresários se fartarem de lucros.

9.
Toda a breguice, baranguice e cafonice cultural divulgada pelo Brasil em 13 anos. O nível cultural do brasileiro caiu demais nos últimos anos, durante o Governo do PT. A educação geral também. O Brasil é um país grosseiro...

10.
Os PTistas disseram que há 5 milhões de jovens pobres e negros na universidade, alguém acredita? 

11.
Dizem mais, 40 milhões que saíram da miséria o que é uma mentira deslavada, peço a eles fonte e comprovação e eles silenciam. (as vezes os Ptistas dizem 22 milhões... !?. entenda essa gente.)*
E mais, apelam, 38 milhões na classe média a 1000 reais? Tá brincando!*
*Somem agora os 40 mais 38... Eles estão vendendo ilusões, não é real.

12.
PAC fonte de corrupção e obras inacabadas por todo o Brasil. 

13.
O déficit habitacional era de 7 milhões antes do "minha casa minha vida", a dilma diz que fez 1,5 milhões de moradias e por incrível que pareça o programa incentivou a especulação imobiliária e o déficit voltou a ser 7 milhões, novamente. Que "programão" ingrato é esse? 

14.
Também com a saúde que é um caos, se não tivesse uma ambulância, seria o mico, e 2132 ambulâncias para 789 municípios é muito pouco. O Brasil possui 4000 municípios, isso é esmola. 

15.
Onde será que foi parar o grandioso orçamento da saúde (segundo o PT, 106 bilhões), se a saúde está lixo, como no século XIX. Os PTistas querem enganar quem?

16.
E a educação? Um caos. Pátria Educadora é o fim da várzea. A Dilma é realmente uma brega.

17.
Vamos falar da "Vale do Rio Doce, Samarco?" Um acordo favorável aos interesses da corporação empresarial. [Segundo Dilma, não é «SAMARCO» não... Pra ela: é «SÃO MARCOS»...].

18.
E o desemprego? Está por volta dos 10 a 12 milhões de pessoas.

19.
A classe trabalhadora paga a conta da crise GERADA -- apenas, só e somente -- por longo Governo do PT, em anos anteriores. PT: essa merdinha e picaretagem de gente velha e idiota. Mesmo que seja cancioneiro, mesmo que seja de universidade.

20.
Os petistas (todos. Sem excessão) seguem uma religião de fé e dogma. Acreditam em deusa: a divindade brega deles cujo nome é a «Coração Valente©» de João Santana [santa criada pelo bilionário -- virgem que jamais cometeu nenhum desvio. O bilionário Santana agora está preso pelo MORO. Moro esse que a religião ensina que é uma intidade do Mal... rsss] era uma deusa gorda. Tem variados dogmas que aprendem em blogs de fé (uma espécie de "igrejinha") e repetem ad infinitum: «fascista»; «foi golpe»; «20 milhões da pobreza»; «Estados Unidos, o Império»; «sem crime de responsabilidade»; «Pronatec»; «é gópi, é gópi, é gópi»; «mídia hegemônica» [uma espécie de demoninho ou capetinha muito, mas muito perigoso para a religião]; «PiG»; «fora temer» [mantra cantado]; esse dogma aqui DE TODOS é dos melhores: «LUZ para todos» [rssss] etc. etc. etc. etc. etc.

Anônimo disse...

Cancelaram Hannibal, a série mais vanguardista dos últimos tempos (série em que os produtores tiveram a CONSCIENTE decisão de não mostrar cenas de violência sexual porque a audiência nos EUA era majoritariamente feminina) e nem por isso fico chorando. Até porque tem tanta coisa pra ver...

Anônimo disse...

Lola, claro que as mulheres se machucam maos em acidentes "Pq elas não foram incluídas nas pesquisas", como vc disse, e não pq elas, fisicamente, tem os ossos menores, tem menos massa muscular e consequentemente sofrem os restados do impacto com menos proteção corporal que os homens... né? Vc é até engraçada quando começa com essas justificativas e conclusões absurdas. Suas leitoras não são tão burras assim como vc pensa - e acredita pifiamente que pode manipular facilmente, ok?

titia disse...

Ou seja, o cara não gostou pessoalmente, provavelmente porque se identificou com os babacas, e não gostou de ter que encarar as verdades desagradáveis sobre si mesmo. Então, decidiu fechar os olhos pros próprios defeitos e ignorar a vontade da audiência, e cancelou a série porque, afinal, o mundo gira ao redor do saquinho dele e se ele não gosta, ÓBVIO que todos os outros seres humanos desse mundo são obrigados a não gostar também. Ou seja, mais um macho mimado achando que o mundo gira ao redor do saco dele. E quando eu mando crescer eles acham ruim...

Claaaaro, 13:17, claaaaaro. É por isso que a escravidão nunca acabou e mulheres não podem ter propriedades em seu nome e nem votar. Bota gelo nas bolas e supera, mascu. Você é insignificante, seu saco não vale nada, sua opinião é irrelevante e você e seus amigos machos não apitam NADA na vida de nenhuma mulher. Passar mal.

ricardo disse...

Nesse caso, não faz a menor diferença ter ou não mulheres entre os diretores. Se a série não dava dinheiro, tem q sair mesmo. As series tem q ser mantidas no ar por dinheiro, não por ideologia.
Se tinha potencial para dar dinheiro, os diretores não tiveram competência pra tomar a decisão certa. Não é mudando de sexo que eles iam se tornar mais competentes e iam tomar decisões mais corretas.

Ter uma xoxota ou uma piroca não faz ninguém tomar decisões de negócios melhores.

Dei uma olhada no link que dizia que mulheres são mais vitimas de males causados por medicamentos, mas não encontrei fontes ou exemplos (dei uma olhada bem rápida. Pode ser que haja). Mas se vcs forem olhar desenhos de estudos clínicos de medicamentos, eles costumam incluir os dois sexos sim.

ricardo disse...

Qual é a relação com o tema?

Anônimo disse...

Lola, por que todas as imagens do seu blog, exceto as do post de hoje, estão indisponíveis? Até o template e aquela sua foto que ficava abaixo do "quem sou eu" sumiram e aqui só aparece aquele símbolo de atenção!

Anônimo disse...

Oras, querem mandar agora nas empresas? Se a empresa é minha, eu contrato quem eu quiser, se eu quiser colocar apenas homens, ou mulheres eu colocarei. Querer forçar a contratação de mulheres pra dizer que tem mulher lá dentro é coisa de imbecil. Deve-se contratar pela competência, pelo mérito.

Quer ver mais diretoras, executivas e presidentas? Que tal começar você mesmo criando sua própria empresa em vez de querer mandar no que é dos outros? Quer ver mulher na tecnologia? Que tal começar a estudar mais Física e Matemática?

É fácil meter pau no empreendedor, quando você mama nas tetas do governo, e vive as custas do empresariado, porque o Estado nada produz só vive dos impostos que nós pagamos. Pessoas que vivem da ociosidade como você Lola, nunca entenderão o que é tomar decisões que causarão grande impacto sobre a economia e geração de empregos.

Anônimo disse...

cada dia q passa o sexo masculixo vai ficando mais e mais repugnante

meninas, façam um favor a si mesmas

se livrem, se libertem desses trastes, os (lix)omens

para o nosso próprio bem

Rodolfo Abrantes disse...

A série não agradou, e o executivos cancelaram, no mundo das grandes produções televisivas e assim, muitos programas de boa qualidade mais sem sucesso em audiência tiveram o mesmo destino.

lola disse...

Sabe uma das coisas que eu acho mais divertidas, anon das 18:51? É quando vem algum babaca criticar um post ou dizer que eu estou mentindo ou manipulando as leitoras... e o post nem é meu! Às vezes é um guest post, outras vezes é uma tradução (como neste caso). Mas tem gente que ou não lê o post ou não consegue interpretar uma simples informação como que o artigo foi escrito por x e traduzido por y. Outra coisa bem divertida é quando a informação é um dado de uma pesquisa, e mesmo assim vem um babaca dizendo que eu estou manipulando as leitoras...

Anônimo disse...

Por mais comentários desse nivel nesse blog

Anônimo disse...

Quem vai fazer a sua casa, instalacoes eletricas do seu ar condicionado, princesa?

Anônimo disse...

Desistam mulheres vocês não podem nos derrotar, o mundo e dos homens.

James disse...

Por que as imagens estao aparecendo com uma exclamação?

M.V.S.M disse...

1º vai perder o blog

2º vai perder a vida

vadia maldita sua hora esta chegando

VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO
VAMOS ABATER O PORCO


Anônimo disse...

Então é só pra isso que vocês servem? Fazer casa e instalação elétrica?

É incrível como vocês mesmos se rebaixam a trabalhadores braçais. É óbvio que dão motivo para as outras esculhambarem vocês.
Em tempo, quantas lajes já bateu hoje? Quantas instalações elétricas? Quantos lotes capinou, quantos sacos de cimento carregou?
A maioria dos homens que recorre a esse argumento não sabe nem trocar uma lâmpada, uma resistência de chuveiro quiçá assentar uma parede. São todos menininhos de terno e gravata sentado nos seus escritórios e ar condicionado. Se valem de trabalhadores braçais - os quais vocês desprezam - para querer lacrar em cima de feminista.
Do jeito que falam parece que todo homem constrói a própria casa, que patéticos.

Anônimo disse...

"Ain mas não tinha audiência"

Gente, tá la no começo do texto que a série tava sendo bem avaliada sim.
Talvez o que possa ter faltado seja uma estratégia de promoção melhor. Tem um monte de série ruim que sobrevive pq conseguem fazer uma boa estratégia de promoção e um monte de obras primas que minguam porque o público muitas vezes nem sabe que elas existem.

Anônimo disse...

Quer um exemplo recente, ricardo?
Anticoncepcional masculino. Testes preliminares indicaram efeitos colaterais que são presentes na maioria dos anticoncepcionais femininos. Suspenso.
Só que há 40 anos as mulheres têm sofrido com os efeitos dos anticoncepcionais. Se hoje os casos de trombose e doenças ligadas ao sistema circulatório não são raras, imagina quantas mulheres foram cobaias nos anticoncepcionais de primeira geração.

Miriam Andrade disse...

Quando vão aprender que todo projeto cultural criado por um grupo representativo de minorias vai sempre ter um valor significativo?
Ora, voce veja, o publico feminista, e de esquerda em geral né, são a vasta maioria dos consumidores de cultura. Pode-se fazer series e filmes dedicados apenas a este publico, que serao bem aceitos, portanto gerando um retorno financeiro modesto e emprego na area de cultura, area mais importante e necessitada deste pais.

Um exemplo de filme feminista, que além de ser um filme divertidíssimo, teve excelente recepção do publico, foi o GhostBusters novo, que bateu recordes e mostra o quanto pode-se confiar neste publico mais moderninho, mais desconstruído, como um consumidor fiel deste conteúdo.

Miriam Andrade disse...

Provavelmente, deve ter tido um lapso com programa que ela esta usando pra editar o blog. Que nem aqueles dias que aparece um post pela metade, que ela ainda esta escrevendo.

Anônimo disse...

O PT deve ter sido o responsável pelo cancelamento da série

Anônimo disse...

parece que todos os outros posts perderam as imagens

Anônimo disse...

Falou o mega empresário dono de multinacional

Anônimo disse...

Sou homem e digo: as mulheres estão evoluindo, os homens estão parados no tempo.

Se criarem um banco d semen os homens podem ser extintos q não vão fazer falta.

Ou a gente muda ou some.

Rodrigo Almeida disse...

Ghost Busters bateu records sim, mas só se for de rejeição com o trailer no youtube, o video tem mais de um milhão de "não gostei". Fora q teve prejuízo e é capaz q não tenha continuação.

Anônimo disse...

"Um exemplo de filme feminista, que além de ser um filme divertidíssimo, teve excelente recepção do publico, foi o GhostBusters novo, que bateu recordes e mostra o quanto pode-se confiar neste publico mais moderninho, mais desconstruído, como um consumidor fiel deste conteúdo. "

AHAHAHAHAHA ri alto aqui!!!

Mandy disse...

Esses meios de analisar a aceitação do público são meio duvidosos pra mim. Esse caça fantasmas feminista, dizem que foi sucesso pq muita gente viu, eu tb vi e isso n significa que eu gostei. Eu achei bem ruim, só vi mesmo pq sou fã da Melissa McCarthy. Os efeitos eram uma bosta, já tem tanto avanço nesse sentido, podiam ter feito uma coisa melhor.
E em várias séries e novelas vejo gente dizendo que tá fazendo sucesso mas a audiência tá baixa?! Estranho. Se gostam tanto pq n estão vendo?

E sobre manequins femininos em testes de carro, precisa mesmo? Qual vai ser a diferença? Se o manequim de homem n aguentou o teste, pq o nosso vai aguentar? N entendo nada disso.

Anônimo disse...

"Gente, tá la no começo do texto que a série tava sendo bem avaliada sim.
Talvez o que possa ter faltado seja uma estratégia de promoção melhor. Tem um monte de série ruim que sobrevive pq conseguem fazer uma boa estratégia de promoção e um monte de obras primas que minguam porque o público muitas vezes nem sabe que elas existem."

Exatamente. Eu pelo menos fico sabendo sobre séries novas a maioria das vezes através de comentários de amigos e de outras pessoas nas redes sociais, mas nunca tinha ouvido falar dessa série até agora, o que é uma pena.

Anônimo disse...

Ai que está, você leu o artigo inteiro em inglês? As mulheres sofrem sim mais por causa desse fator biológico mas nenhuma hora fizeram testes para diminuir o grau de acidentes no ponto de vista feminino. Nem sequer colocavam bonecos representando mulher no logar do motorista, tudo era feito no ponto de vista masculino mesmo quando as consumidoras se preocupam mais em relação a segurança do que os homens (e são a maioria da população nos países ocidentais). As mulheres possuem pu não direito a segurança como consumidoras?

Anônimo disse...

Lembrando ainda que quem usa anticoncepcional tem maior risco de acontecer derrame.

Anônimo disse...

A maior parte da ciência brasileira é financiada pelo estado por meio de faculdades públicas. E mulheres já tiram notas melhores e são maioria em ciências biológicas, farmácia, química, física médica e algumas engenharias (química, ambiental, alimentos etc). Melhor pesquisar um pouco mais antes de ficar falando asneiras.

Anônimo disse...

Acho que tem até pesquisa mostrando que além das tarefas domésticas, as mulheres também são a maioria que troca lâmpada, trocar resistência entre outras coisas consideradas masculinas, de tanta passividade e preguiça por parte dos homens.

titia disse...

Inclusive, os sintomas de infarto nas mulheres costumam ser diferentes dos sintomas dos homens. Você tem um troço no coração e morre porque algum imbecil um dia decidiu que só os sintomas do homem valiam. Bicho fresco da porra é o tal do macho humano, viu? Acho que até hoje só conheci pessoalmente um que não era cheio de frescura-e com certeza tem algo a ver com o fato de que o cara é gay.

Yep, é a minha mãe quem troca as lâmpadas e a resistência do chuveiro. Meu irmão? Um inútil, se joga no sofá e nem ao menos lava o próprio copo. Depois eles reclamam que as mulheres não querem mais nada com eles... o que é incrível, né, porque quem não adoraria fazer o trabalho duro e ainda carregar um encostado no lombo?

11:05 e Rodrigo o Caça-Fantasmas teve sim muitos dislikes de macho fresco no YT, mas fracasso é que não foi. Na minha cidade ele ganhou 3 estrelas de 5 e teve gente indo assistir até a última semana de exibição. O problema é que vocês estão querendo comparar um filme à lá sessão da tarde feito pra divertir quem está a fim de pegar um cineminha no fim de semana com um arrasa-quarteirão à lá Vingadores. Se fosse um remake com muitos pintos no elenco principal que tivesse feito os mesmos números, seria considerado um sucesso; mas se tivermos mulheres como protagonistas, então tem que lotar os cinemas igual Homem de Ferro (que é a maior bilheteria da Marvel fora da série Vingadores) ou é um fiasco e nunca mais deve-se fazer nada com mulheres protagonistas. Sabe qual é o nome disso? FRESCURA!

02:54 para de bater o pé que os adultos estão conversando. Em vez disso vai lá no inferno junto com seus colegas discutir seu FGTS com teu chefe.

Anônimo disse...

E quando um manequim masculino aguenta e o feminino não? Pense nesse caso, os homens sobrevivendo e as mulheres morrendo por falta de manequims nos testes de segurança,fabricação de remédios,próteses,equipamentos de proteção e por ai vai. Se eu pagar por um produto, MEREÇO ter uma segurança,visto que PAGUEI, não sou rato de laboratório para morrer enquanto os machos sobrevivem por algo que eu mesma PAGUEI. Entendeu idiota?

Anônimo disse...

73% de aprovação no Rotten Tomatoes não me parece esse fracasso absoluto né.
Fora que Mad Max Estrada da Fúria também foi bastante criticado pelos machonazis e mesmo com a campanha de boicote, foi sucesso.

Anônimo disse...

Lola, aproveite que a sua conta voltou e faça backup o quanto antes. Isso é importante para o caso de os mascus aprontarem novamente.