terça-feira, 12 de julho de 2016

GUEST POST: NÃO SE SUBMETAM A RELACIONAMENTOS ABUSIVOS

B. me enviou este relato:

Prefiro não me identificar, mas quero contar a minha história: tenho 23 anos, nasci na periferia e fui criada pelos meus pais que vieram da roça para a capital. Isso, por si só, diz muito sobre mim.
A minha vida toda fui pobre e trabalho desde os 17 anos. Acabei de me formar na faculdade. Através da luta tenho conquistado coisas, coisas que eu achei que não conquistaria, principalmente ainda jovem. Porém, nem tudo é glória, Lola. Tive um relacionamento abusivo e preciso falar sobre isso.
Tive um namoro de seis anos que deixou cicatrizes muito (muito) profundas em mim. 
Comecei a namorar o X com apenas 15 anos, ele na época tinha 17; éramos jovens e nos divertíamos, como deveria (e deve ser) um relacionamento. Com o passar do tempo, X se mostrava cada vez mais apaixonado, mais amável, mais doce. Eu estava nas nuvens! Eu o amava! Ele era meu primeiro namorado sério (os outros garotos só tinham sido "peguetes") e foi o cara com que perdi minha virgindade. Eu me sentia super feliz por viver com um homem tão romântico.
Só que com o tempo (ficamos seis anos juntos, como já disse) esse romantismo foi ficando cada vez mais intenso -- era o que eu acreditava na adolescência. Eu não podia sair aquela hora com minhas amigas, porque era perigoso. Nos fins de semana deixei de ficar dezenas de vezes com meus pais pra ficar na casa dele. "Lá é melhor pra gente namorar", ele dizia; de repente eu não podia mais ver minha melhor amiga, que "bebe muito e fuma". Eu era boba, estava apaixonada e dizia: ok, semana que vem eu a vejo então. Só que nunca chegava a semana que vem.
Quando alguém não está te
tratando bem, não importa
o quanto você o ama, você
deve se amar mais e ir
embora
Começaram as brigas, os infernos. Ele me chamava de louca, dizia que eu não era normal, que eu era estressada e chata, uma menina mimada, filhinha de papai. Lola, eu era favelada, pobre e trabalhava num armarinho do bairro! Eu definitivamente não era rica! Porém, tudo o que X dizia eu acreditava. Parece que eu fui abduzida, eu não tinha reação. Lembro que sempre que nós brigávamos era porque ELE não apareceu no compromisso, ou ELE mentiu que estava em tal lugar e depois eu descobria outra coisa. Até quando minha ex-sogra me chamou de vagabunda na casa dela (sim, isso aconteceu), ele não me defendeu. Só que mesmo ELE estando errado, EU é que SEMPRE terminava pedindo desculpas.
Não interessava o que houvesse. Eu sempre estava chorando e tremendo e gritando feito uma maluca! E ele me chamava disso tudo: louca, maluca, neurótica! Lembro que um dia ele me empurrou na cama e gritou: "Você é igual a sua mãe! Mulher que grita e é dona de casa, não tem nada!"
Lola, juro que eu sofria e não conseguia ir embora. Sei que fui fraca e que muitas meninas que lerão isso pensarão que fui uma idiota boboca (e fui mesmo). Mas eu preciso escrever essas coisas porque o que o X fez comigo, outros caras podem estar fazendo com outras minas!
Há feridas que nunca
aparecem no corpo e que
são mais profundas e
doloridas que qualquer
coisa que sangra
Migas, não interessa se é ficante, namorado, transa ou marido: ninguém pode nos maltratar dessa forma. Não deixem nenhum cara te reprimir, te impedir dos seus sonhos, te diminuir, te maltratar. Hoje eu vejo que eu namorava um cara que foi se revelando aos poucos; no começo eram flores, depois virou um pesadelo. Eu demorei seis anos pra acordar, não quero que ninguém perca tanto tempo com homem babaca assim. Na boa, é impossível você sair ilesa desse tipo de relação. 
Hoje eu moro com meu atual namorado (meu maridão, como você diz, Lola) e sou feliz. Tenho ao meu lado alguém que me curte, que me ouve e deixa eu falar. Hoje eu posso conversar com minhas amigas, as vejo, bebo com pessoas e saio sozinha. Estou fazendo terapia e passando por reeducação alimentar. Engordei um pouco e já tive alteração de colesterol, além de ter desenvolvido bruxismo e dificuldade pra dormir. 
Digo a quem pergunta que esses problemas se desenvolveram graças a estudar e trabalhar oito horas por dia, além de muitas horas extras e bicos que fiz por aí; claro que isso também agravou meu quadro de ansiedade. Entretanto, sei que muitos desses sintomas começaram no meu último namoro. Eu não podia falar minhas opiniões, Lola. Sobre sexo então, nem pensar. Com o passar do tempo eu nem queria me relacionar mais, não sentia falta nem do beijo do X.
Essas cicatrizes são provas de que venci, mas que a dor existe e deixa marcas sérias. Fui traída por esse meu ex, empurrada, ridicularizada. Mas estou aqui, firme e de pé, pra falar pra todxs: não se submetam a gaslighting. Lutem como uma menina!

45 comentários:

Anônimo disse...

Em relacionamentos abusivos não amor, há poder. Não deve ser fácil sair disso, a pessoa acaba acreditando que é o correto, que não irá conseguir coisa melhor, tem sua autoestima toda destruída, há mulheres que passam por essa situação por anos, e até mesmo a vida toda. B, não posso falar que você teve sorte, pq voce mesma disse que tem cicatrizes na alma, mas por outro lado, teve sorte por conseguir sair viva, por não ter se prendido a vida toda.
É preciso ficar alerta para alguns sinais, pq quando percebe, já está dificil demais para se livrar.
Isso acontece pelo fato de ainda acharem que a partir do momento que começam a namorar, ela passa a ser dele, passa a ser propriedade dele, esse pensamento precisa acabar. Ninguém é de ninguém.

Anônimo disse...

Nossa, que horror que vc viveu com esse monstro e tbm que bom que vc saiu desse inferno.

Anônimo disse...

Sinto falta das comentaristas inteligentes desse blog

Cindy disse...

Cada vez que leio um guest post assim, me sinto menos sozinha.
Sempre achei que fosse só eu e que fosse só comigo, porque sou quieta, porque sou tímida, porque sou (encaixe um adjetivo aqui). Leio e descubro que acontece com todo mundo.
Vejo que não acontece somente em relacionamentos heterossexuais, então não acho que se resume a machismo e imposição masculina (fica claro que em relação homem-mulher, isso acontece com muito mais facilidade), mas é muito mais o nosso despreparo em viver em um relacionamento saudável. É muito difícil encontrar parceria em um relacionamento.
Mas enfim, também vivi isso.
Lembro das poucas vezes em que realmente brigamos que ele ficou bravo por EU ter ficado brava com uma atitude ignorante da parte dele - e conseguiu inverter a situação, como se eu estivesse errada. Que poder é esse que alguém sempre tem em nos fazer sentir mal?
Por que nos sentimos mal?
Como devemos nos educar para não ser o dominador, mas para que isso não seja mais necessário: para que haja parceria?

B. disse...

Como anda parada essa caixa de comentários!

Anônimo disse...

Lola, como faço para enviar um relato a você? Creio que sua opinião poderá me ajudar muito, mas não encontrei no blog um link para te escrever... Se puder me responder agradeço. Abraços!

MariB disse...

Ai, querida. Eu sinto muito que você tenha passado por isso. E eu sei como dói porque também passei, não por tanto tempo, mas pela mesma intensidade.
Faz pouco tempo que me libertei e isso incrivelmente assustador. Morro de medo dele aparecer do nada em algum lugar que eu frequento ou coisa do tipo, mas eu tô tentando continuar minha vida e fazer as coisas normalmente.

E Cindy, isso aconteceu comigo e olha que eu sou uma pessoa totalmente o oposto, eu sou desbocada, barulhenta, achava que ninguém podia me tratar como menos que eu sou e eu caí nisso. Um horror, mal me reconheci.

Agora a gente levanta e caminha pra frente, sem olhar pra trás. Temos que ter amor-próprio é só isso e não aceitar qualquer vestígio de desrespeito, porque começa assim, com coisa pouca e quando a gente vê, já virou a bola de neve.

Eu lembro bem que eu cheguei desesperada na minha psicologa falando: me ajuda, eu sou louca e, aos poucos, fui descobrindo que eu sou muitas coisas, mas louca não e descobrimos a razão desse sentimento. Era o cara minando minha auto-estima por qualquer motivo que eu desconheço. Só depois de eu reconhecer isso que eu consegui me reconstruir e ter força pra ele ir embora da minha vida.


Anônimo disse...

Me vi um tanto no relato dessa moça. Também namorei por 6 anos. Também tive um namorado que era romântico, carinhoso e me tratava bem. Mas também tive um namorado que me sufocava, me superprotegia. Que também tampava sol com a peneira quando o pai dele ou outro parente falava imbecilidade ou era grosso comigo. Esse namorado que demonstrava preocupação, mas ao mesmo tempo achava que eu tava ficando louca por pensar isso ou aquilo de determinada situação. O namorado que quando eu negava sexo ficava brabo, com cara de bunda, sem querer conversa.
Um namoro que foi do céu ao fundo do poço. Ele nunca me bateu, mas só eu sei como me senti esse tempo todo.
Terminei tem um mês e nesse mês já vivi mais do que nestes últimos 6 anos. Há sempre uma saída.

lola aronovich disse...

Anon das 18:39, é só enviar o seu relato para meu email: lolaescreva@gmail.com


B., pois é, a caixa de comentários está parada mesmo. Ontem teve um ótimo número de comentários, se bem que a qualidade... Fico feliz quando Titia, Donadio, André, Raven e várias outras pessoas inteligentes comentam. Mas tem vezes que só tem troll e preciso deixar de publicar um monte de comentários ridículos. Vou torcer pra que a falta de comentários seja por causa das férias! A gente sabe que os comentários nos blogs de maneira geral caíram um monte (migraram pro FB), e isso já faz anos. Meu bloguinho estava conseguindo manter uma excelente média de comentários mesmo assim, mas nas últimas 2 ou 3 semanas, caiu bastante. Bom, fica aqui o apelo pras pessoas queridas: comentem (não os trolls). E usem algum tipo de nome. É chato só ter comentário anônimo.

Anônimo disse...

Acho que o lance de comentários anônimos é pelo fato do blog da Lola ser altamente conhecido na rede hoje.

Anônimo disse...

Alguém obriga mulher ter relacionamento com homens? Fiquem sozinhas, ou entre vocês mulheres que são tão justas e maravilhosas. Vocês não podem ver um homeme que pensam que encontraram o porto seguro emocional e financeiro. Homem é esse ser super conhecido de todos, ou seja, uma bosta que só quer sexo. Se afastem dos homens; é mais seguro, como está comprovado. Se não conseguirem se afastar, parem de reclamar do resultado.

Anônimo disse...

(Viviane)
Lola, sobre o número de comentários, se te serve de alento, eu gosto de comentar aqui justamente porque não preciso passar pelo Facebook. Acho que muita gente pensa como eu: o FB virou uma terra sem lei, onde se acha todo tipo de discurso de ódio. Pela minha sanidade mental, parei de acessar e não tenho a menor saudade. Por isso a importância de blogs como esse, onde encontramos pessoas abertas ao diálogo.
Sobre o tema do post: o maior serviço de utilidade pública feito pelos blogs feministas é conscientizar pessoas sobre esse problema. Tenho a esperança que a próxima geração de mulheres não aceitará qualquer desrespeito em nome de "não ficar sozinha".

Anônimo disse...

Queria conseguir ser livre... mas o que fazer quando não parece haver outra saída? Medo da solidão. mudei (acho que desaprendi de falar com novas pessoas) e perdi o contato com muitas pessoas, sinto não ter pra onde correr! é tudo mais complicado quando se é uma pessoa tímida, sinto saudades do tempo da escola e das minhas amigas, queria não ter chego a esse ponto, se soubesse jamais teria entrado nesse relacionamento, sair com meu amigo escondid é o cúmulo

Anônimo disse...

Obrigado, Lola! Irei escrever a vc... Abraços!

Anônimo disse...

Obrigado, Lola! Abraços! (Anônimo das 18:39)

Anônimo disse...

Não sabe nem fingir.

Anônimo disse...

19 31, aí a gente afasta e começa a choração de misandria, "not all men"...

Anônimo disse...

Que burrx!!! Dá zero pra elx....

Como se relacionamentos entre mulheres não tivessem os mesmos relatos (alguns aqui no blog)!

Misandria besta e mal embasada...

Mila disse...

Não sou da turma do "não se relacionem com homens" pq eles usam isso como desculpa para nos responsabilizar por um fracasso ou relacionamento abusivo, como quem diz bem feito pra tonta-que-como-assim-não-sabia-que-fulano-era-assim.

Por outro lado, tá cada vez mais difícil esse papo de "not all men". Muitas vão nessa e acabam se ferrando na mão dos lobos em pele de cordeiro. Então hoje em dia tá muito difícil confiar em homem - ainda mais porque eles mesmos se vangloriam de mentir para as mulheres.

André disse...

O problema não é se o comentário é misândrico ou não, mas eu vejo pelo menos dois problemas nele. O primeiro é que não dá para afirmar que a atração por um determinado gênero é simplesmente uma questão de escolha. O segundo é que, sutilmente, há uma culpabilização da vítima.

Anônimo disse...

Pra cada relato desses de "relacionamento abusivo" em que a mulher pode sair simplesmente acabando o namoro, existem 100 relatos de mulher q vai atras de homem pra se beneficiar financeiramente e ficar traindo pelas costas.

Anônimo disse...

Simples, meninas: querem ser felizes e ter um relacionamento saudável?? Namore uma lésbica!!

Ah, não quer? A sociedade te pressiona pra namorar um homem? Então sinto muito, só lhe resta sofrer!! Boa sorte com esse olho roxo ao ir trabalhar. Apanhar é bom? Eu não acho, mas se brincar tem umas loucas que acham.

Ainda estou pra ver uma lésbica que agridam suas companheiras. As mulheres são muito mais carinhosas e pacíficas que o homem.

Tanta mulher por aí que deixa de ser feliz pra ser agredida por um homem...

Anônimo disse...

"omen é esse ser super conhecido de todos, ou seja, uma bosta que só quer sexo"

Reitero, e olha q foi um próprio omen quem reconheceu sua natureza aberrativa (pra depois não me acusarem de "louca" "misândrica", se fosse assim, os próprios omens seriam misândricos), e só acrescentaria mais:

"...uma bosta que só quer sexo e acabar com a vida de quem estiver ao lado, principalmente se for uma mulher"

Claire disse...

Lola, sério, sou leitora assidua desse blog, mas ultimamente tá complicado. Começo a ler o comentário achando que será algo interessante, quando percebo: mascu. Pqp.

E não gente, o correto não é passar a ter odio de homens ou passar a viver sozinhas, sim pararem de achar que quando começamos algum relacionamento, a pessoa passa a ser sua, isso sim gera a violência, portanto, se uma mulher está saindo com você (casualmente ou não), tenha respeito, respeite na hora que ela dizer um não, e também logicamente na hora de um sim.

Anônimo disse...

A criatura posta anônima e ainda tem medo do namorado descobrir que ela postou.. quer dizer.. E diz que já tentou de tudo pra terminar o namora. Realmente eu não entendo como se tenta de tudo pra terminar um namoro. Sinceramente...

Anônimo disse...

"pode sair simplesmente acabando o namoro"
Fácil né mascu? Qual seria o risco afinal? Ser esquartejada pelo ex q não aceitou o fim do relacionamento, como sempre acontece, tão simples né?

"mulher q vai atras de homem"
Mulher nenhuma vai atrás de omen, seu boçal, vcs é q correm atrás de nós parecendo uns vira-latas, e se a gente não dá trela, ainda ficam com raivinha, sai pra lá seu nojento

"traindo pelas costas"
Ah claro, pq omen não trai, meu filho, cada chifre nessa sua cabecinha é bem merecido

Anônimo disse...

Esperar o quê dos lixomens?

titia disse...

Eu pessoalmente sou da opinião que não se confia em ninguém-pelo menos não do modo que as pessoas falam de confiança, fechar os olhos e se jogar no abismo esperando que tenha um rio pra aparar a queda lá embaixo. Minha opinião é que devemos sempre manter um olho aberto em qualquer relacionamento, seja com os pais, irmãos, amigos e principalmente parceiros. Nunca fechar os olhos pros defeitos de alguém, nunca depositar confiança cega e total nessa pessoa como se ela fosse perfeita, o amor dos seus sonhos, e menos ainda se você for mulher. Porque, como sabemos, caso a mulher caia num relacionamento abusivo, vai se foder sozinha e a culpa sempre vai ser dela. Olho vivo, gente, olho vivo.

Autora e comentaristas que foram vítimas, eu entendo como é. O meu relacionamento abusivo foi com familiares e não com parceiros, mas eu sei como é. A manipulação, o isolamento, a lavagem cerebral tudo isso eu passei. E o que tenho a dizer é: fechem os ouvidos pra essas pessoas. Entendam que elas estão te manipulando. Bote na sua cabeça que a culpa não é sua, que você não está errada, é apenas a lavagem cerebral que eles fazem pra que você não veja outro caminho. Força.

AEPC disse...

poxa, eu escrevi um comentário enorme contando como tb passei por uma situação parecida, e não foi publicado...
Não sou troll!

lola aronovich disse...

AEPC, acabei checar na caixa de spam se não foi pra lá direto acidentalmente e não foi não. Vc assinou como AEPC? Eu não ia deletar de jeito nenhum um comentário contando uma história parecida. Só deleto comentários que xingam ou que contém mentiras ou um monte de clichê mascu que ninguém aguenta mais.

Anônimo disse...

11:40

Ain coitado do machinho que só atrai vadia-interesseira né
Seria uma pena se ele não tentasse comprar as pessoas com quem se relaciona

Cesc Biavati disse...

Ninguém obriga a mulher a fazer absolutamente NADA. Ela é livre para fazer o que quiser, dentro da lei, óbvio. Em um mês, você já sabe se a pessoa é violenta, descontrolada ou psicopata pelo comportamento. Se bobear até menos. Muitas relatam anos e anos. Ora, por que não saiu antes? Aliás, porque mulher é muito emocional e dizem: Ele é ordinário, mas eu ainda o "amo". Psicopatas aproveitam disso, creio eu.

AEPC disse...

Assinei sim, como AEPC...
Vou escrever novamente então!

Anônimo disse...

Mesma coisa aqui. Relacionamento abusivo que eu tive foi com gente da minha família nuclear. E mulher. Até eu me perguntar porque eu sempre estava chorando e me sentindo culpada mesmo com todas outras pessoas me falando como eu era gentil e agradável, foram anos. Até eu entender que o problema era ela, não eu, mais tempo. E não, não perdôo. Não procuro briga, simplesmente me afasto e bloqueio de todas redes sociais. Essa história também de que "você tem que perdoar" é furada. Ninguém é obrigado a amar nem perdoar ninguém. Vida não é filme da Disney.

Anônimo disse...

Cesc, tem gente que é "normal" até morar junto. Tem gente que é "normal" até ter filhos. Tem gente que é "normal" até notar que o parceiro é mais bem sucedido na profissão. Tem casos e casos. O que blog feminista ajuda é justamente a desconstruir essa visão de "você tem que amar, ele faz isso por amor, só o amor salva".

André disse...

Parabéns, Cesc. Que sacada genial, esse tipo de raciosímio nunca apareceu aqui antes.

Denise disse...

B., que bom que vc conseguiu se libertar desse relacionamento abusivo. Não se culpe nem se martirize (se chamando de idiota e tal) por ter ficado tanto tempo com esse cara, esse tipo de abuso emocional é muito bem construído por esses sociopatas que vão te envolvendo aos poucos e fazendo uma lavagem cerebral que cria uma teia difícil de sair. Vc tem que se sentir é vitoriosa por ter se livrado dele e estar num relacionamento saudável agora e tentando se recuperar emocionalmente. Muita força pra vc!

Anônimo disse...

Eu acho que mulher tem que tratar homem do mesmo jeito que homem trata mulher. Vamos ver o quanto suportam.

MariB disse...

"E não gente, o correto não é passar a ter odio de homens ou passar a viver sozinhas, sim pararem de achar que quando começamos algum relacionamento, a pessoa passa a ser sua, isso sim gera a violência, portanto, se uma mulher está saindo com você (casualmente ou não), tenha respeito, respeite na hora que ela dizer um não, e também logicamente na hora de um sim." THIS!

Acho engraçado essa solução: ain então namore mulher. Gente, não ser hétero, homo ou bi e essa discussão já é antiga e bastante abordada, mais pro lado da discussão de orientação (me corrijam se não for a palavra correta) homossexual, num é uma simples escolha como alguns comentários (de trolls, imagino eu).

Ademais, sobre relacionamentos abusivos (sejam românticos ou não), é um abuso psicológico sem tamanho. Vocês que falam "ain era só ter terminado" não têm ideia do que é. E eu torço para nunca passarem por isso ou para nunca fazer isso com alguém.

Eu só percebi com ajuda profissional e mesmo com a ajuda, eu tive que me preparar psicologicamente para terminar, fiquei repassando na minha cabeça isso por uns dois meses até ter coragem de falar chega. Repassei tooooodas as possibilidades: desde ele aceitar bem, a eu ser agredida ou pior. Deixei amigos e familiares de sobreaviso.

E a libertação disso dá medo, porque, querendo ou não, a pessoa sai de uma zona de conforto (se força a deixar o que conhece, porque muitas vezes o relacionamento abusivo dura anos!) e sair do conhecido para ficar sozinha, com o psicologico destruido, é assustador....

Anônimo disse...

Acho interessante...

Quando um homem deixa a namorada/esposa sair sozinha com os amigos, ele é tido como cool, legalzão, mente aberta, etc.

E concordo!

Mas já o contrário, de o homem sair sozinho, o jogo inverte.

Chuto dizer que mulheres são mais manipuladoras em relacionamentos, as vezes de forma sutil, e em outras não.

Abraço.

Anônimo disse...

Anônimo de 11:37, você precisa rever seus relacionamentos hein?
Homem nenhum tem que "deixar" esposa/namorada sair com os amigos assim como mulheres também não. Uma relação saudável cada um tem o seu espaço, se você viveu relacionamentos com essa premissa...

Agora se você está falando do que é comum, sinto dizer que está redondamente enganado. Sempre é dito por aí que mulher que tem compromisso sair pra balada é absurdo, mas é cultural o macho sair pra "pescar", "jogar uma pelada" etc. E sempre nos é cobrado que sejamos de boa em deixar o macho se divertir, o mesmo não vale para vocÊs.

Anônimo disse...

Amiga,

Sei o que vc passou, também passei por isso durante longos sete anos. Principalmente quando o cara é nosso primeiro namorado é dificil reconhecer uma relação abusiva. O pior são as cicatrizes que ficam. Eu ainda sinto elas todos os dias. Sonho com o dia que nunca mais me lembrarei que ele um dia me tocou.
Trato com o psicologo uma vez por semana. As magoas ainda sao muitas. Mas um dia vai passar.
Não podemos nos culpar, a culpa é deles. Hoje sempre que posso alerto alguma mulher sobre relacionamentos abusivos. Precisamos falar mais sobre esse tema.

Anônimo disse...

Como vcs dizem: Falsa Simetria.

Quer comparar BALADA com futebol, pescar?

Que atitude mais MANIPULADORA a sua.

Coloque logo uma corrente nesse homem, amarre-o e deixa ele assistir vc fazendo sexo com outro homem.

Paciencia...

Anônimo disse...

"Chuto dizer que mulheres são mais manipuladoras em relacionamentos, as vezes de forma sutil, e em outras não."

Você acabou de anular a resposta certa de uma questão do CESPE

Anônimo disse...

Me identifiquei totalmente com esse post.E como se eu mesmo tivesse escrito.Estou há 9 anos em um relacionamento abusivo,igualzinho ao do post .Estou concluindo a minha faculdade e prestando concursos,enfim,tentando aumentar a minha situação financeira e minha auto estima para conseguir dar um basta nisso.Para mim é mais complicado pois temos uma filha pequena.Mas tenho fé que conseguirei.