quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

POR QUE REAÇAS QUEREM QUE REFUGIADOS ISLÂMICOS ATAQUEM MULHERES

Extrema direita na Alemanha associa refugiados a estupradores

Em 2007, no meu "ano americano", fui a um debate numa universidade em Detroit para ouvir um respeitado diretor negro, John Singleton.
O evento, organizado por uma espécie de fraternidade de rapazes negros, foi uma total decepção. O discurso deles era segregacionista e misógino. O pior foi a fala de um senhor negro muçulmano. Usando turbante, ele disse que Alá era o único deus, que as mulheres não sabiam educar seus filhos, que faltava a presença paterna nas famílias, que o certo é bater nos filhos para que eles entendam o que é errado, que nada é mais errado do que ser gay, e que é terrível que o governo tenha banido as orações nas escolas. 
Tirando a parte de Alá, eu já tinha ouvido esse discurso antes, várias vezes -- é o mesmo que prega a direita cristã. No final, eu, perplexa, fui ao microfone perguntar: "Baseado na sua fala, eu queria saber: qual a diferença entre os muçulmanos negros e os fundamentalistas cristãos brancos?" O cara, revoltado, gritou "Nenhuma!", e falou que eu era uma idiota por não entender que mulheres eram inferiores aos homens.
Esta é uma organização islâmica tanto
quanto esta é uma organização cristã
Mas, segundo os fundamentalistas cristãos que se dedicam a atacar ativistas, eu e todas as feministas amamos muçulmanos e fazemos alianças com eles. Ué, quem tem crenças em comum com eles não sou eu. São os reaças! O anti-feminismo ferrenho (sempre ligado à misoginia), pra começar, é comum a fundamentalistas de todas as religiões. 
Homens têm muito mais chance de
serem vítimas de estupro do que
presos por acusação falsa de estupro
Em geral, homens reacionários não ligam a mínima pra mulheres. É só ver como eles veem qualquer denúncia de estupro. Pra eles, é tudo mentira, e basicamente todas as denúncias de estupro são falsas (um dado oficial aqui do blog: nunca, em mais de 200 posts sobre estupro, houve algum texto que não tenha recebido vários comentários de "você inventou isso" ou "mimimi de feminista"). Paradoxalmente, reaça só dá bola pra notícias de estupro se ele puder usá-las pra atacar feministas. 
Mulheres protestam contra sexismo
e racismo na Alemanha
Os ataques são do tipo "Você não vai ler uma linha das feministas sobre isso" ou "Cadê a (insira o nome da feminista que vc quiser agredir) que não fala deste caso?" Eu ouço isso toda semana. Se eu não escrevo sobre um tuíte de um babaca que desejou o estupro de uma jornalista, é porque a jornalista é de direita e o cara é de esquerda (não é). 
Se eu não escrevo sobre menores que estupraram meninas, é porque eu sou contra a redução da maioridade penal. 
Se eu não escrevo sobre os ataques de refugiados a mulheres no reveillon, na Alemanha, é porque eu adoro muçulmanos. 
Detalhe: eu escrevi sobre todos esses casos.
Só não escrevi o que os reaças querem ler porque, né, eu não sou reacionária e graças às deusas não penso como eles. Meu posicionamento continua sendo o mesmo: creio que os países ricos têm uma dívida histórica com nações que exploraram e continuam explorando e, por isso, devem receber refugiados. 
Os refugiados devem respeitar as leis do seu novo país (que, na realidade, parecem ser a lei também nos seus países de origem: a mutilação genital é proibida em grande parte da África, mas praticada por tradição cultural. Mais difícil de mudar que as leis, é a cultura. Tenho a impressão que homens se juntarem em grupos e saírem agarrando mulheres na rua também seja proibido por lei nos países islâmicos). Qualquer um que estupre alguém deve ser punido. Meio básico, isso.
Imagem divulgada por reaças
americanos após Trump
vencer em New Hampshire
Eu não sou tão ingênua a ponto de não saber por que reaças estão falando tanto das "alemãs estupradas por muçulmanos". Não é por eles se importarem com as mulheres. Isso é ponto pacífico. É porque sua agenda é de demonização dos muçulmanos (que, pra reaça, é tudo criminoso e terrorista) e contra a imigração. É até irônico, eu sei, ver reaça brasileiro ser xenofóbico e aplaudir Trump por querer mandar todos os mexicanos de volta ao México ou compactuar com a direita da Europa, que é de fechar os portões pra "gentalha do terceiro mundo". Mas reaça brasileiro sofre desse mal de se achar único, diferente, um floquinho de neve -- assim: nenhum brasileiro presta, menos eu. Países ricos devem proibir a entrada de todos os pés-rapados, mas permitir a minha. 
Atacar feministas: popular deste 1850
Essas notícias são ótimas porque reaças podem aproveitá-las para atacar todos seus desafetos: muçulmanos, esquerdistas, marxismo cultural, foro de SP, e, óbvio, feministas. Um reaça escreveu que, se hoje as mulheres europeias estão com medo de saírem às ruas à noite, a culpa é do... feminismo. Sério!
Mas estava faltando alguma coisa pra explicar essa obsessão reaça. Ao ver este vídeo, entendi melhor por que os conservadores batem tanto na tecla "feministas adoram muçulmanos, vamos acabar com esses dois 'movimentos', ueba!" (ou algo como "as feministas acabaram com a civilização, e agora vem os muçulmanos sambar em cima das ruínas").
A matéria começa meio que ridicularizando um grupo de holandeses que marchou usando saias para lembrar que "abuso sexual não é um assunto de mulheres". Ou seja, para mostrar sua solidariedade às mulheres que foram atacadas em alguns lugares da Europa (principalmente em Colônia) por grupos organizados de refugiados, e para explicar o óbvio: que acabar com a violência contra as mulheres não deve ser uma pauta exclusivamente feminista, e sim de toda a sociedade.
A seguir, a repórter entrevistou a jornalista dinamarquesa Iben Thranholm, que parece ser uma reaça de carteirinha. A moça fala besteira atrás de besteira. Diz, basicamente, que o problema dos ataques às mulheres é que os homens europeus estão "afeminados", viraram mulheres, e os refugiados de países islâmicos não respeitam mulheres (quem respeita mulher é gente que acha que "ser afeminado" é demérito). 
Com a falta do poder masculino na sociedade, diz a jornalista, não há respeito (te fez lembrar o negro muçulmano de Detroit ao culpar o fim das famílias à ausência paterna?). Ela acha que falta uma mão firme aos políticos, que são como mães, muito acolhedores. E ela também credita isso ao feminismo. Ela pede uma "revolução masculina" para que a sociedade volte "às antigas virtudes masculinas de proteger as mulheres, as crianças e sua cultura". Tipo os vikings, né?
Muçulmanos não respeitam as mulheres, diz jornalista. Quem realmente respeita as mulheres é quem as vê como fracas, incapazes, e necessitadas de um homem

Este é o apelo de todos esses links que reaças amam compartilhar (adolescente alemã dizendo que Angela Merkel, ao aceitar refugiados, arruinou a Alemanha; russos que bateram em imigrantes que tentaram apalpar "suas" mulheres; petição "convidando" a atriz Emma Watson a ficar num campo de refugiados islâmicos etc): os homens de bem precisam voltar a proteger as mulheres direitas!
Por exemplo. Parece que um grupo feminista na Suécia pediu para que os homens não as protejam dos islâmicos (não encontrei nenhum link confiável, só a extrema direita falando nisso). Como os reaças interpretam isso? Ah, obviamente, feministas querem ser estupradas! 
Olha só, é mais ou menos assim: no Walking Dead tem pessoas que não querem viver na vila do "Governador", que seguramente as protegeria (sem falar que lá tem água quente). O que isso quer dizer? Que as pessoas que recusam viver sob as asas de um sujeito e seus capangas que têm poder demais e podem ser psicopatas e matá-las quando quiser no fundo querem virar ração de zumbi! Certo? 
Porque não existe outra opção! São só duas: ou você aceita ser protegida por homens ocidentais, ou você será estuprada por homens orientais. Porque, como sabemos, homens ocidentais não estupram, pra começo de conversa!
Um reaça cristão chegou a dizer num vídeo que as feministas estão com inveja das mulheres femininas (porque essa é a oposição que os conservadores imaginam: feministas versus femininas, já que nunca se viu uma feminista ser "feminina" -- gostar de maquiagem e maternidade, sei lá), porque o que está acontecendo na Europa, segundo o idiota, é hordas de refugiados islâmicos saírem à noite para caçar mulheres para estuprar. Mas só pra estuprar as mulheres femininas! E as feministas têm inveja porque, lógico, mulher só é feminista por "falta de rola". 
E nenhum homem vai estuprar uma feminista, porque "não merecemos" ser estupradas (aleluia, você pode pensar! Mas não, é o contrário: você tem que ficar chateada porque ninguém quer te estuprar!), porque somos feias, gordas, não femininas. Porque, evidentemente, estupro tem tudo a ver com atração sexual, e nadinha a ver com poder e humilhação.
Um dos princípios do patriarcado é que homens devem proteger as mulheres... de outros homens. Não tem nada de novo nisso. Racismo sempre foi construído na base do "homens brancos precisam proteger as mulheres brancas dos homens negros". O mito do "gigantesco falo negro" está conectado a esse medo, que é muito mais um medo e uma obsessão dos homens brancos, que terão as "suas" mulheres violadas, do que das próprias mulheres (e note que legal como nessa equação racista as mulheres negras são deixadas de fora: ninguém precisa protegê-las, pois elas também são selvagens -- diz o mito. São elas que atacarão o pobre homem branco! Tem paralelo com outro grupo também sempre esquecido: as mulheres muçulmanas).
Espere pra ver cada vez mais essa reação dos homens conservadores: mulheres, por favor, nos façam sentir importantes novamente! Temos que nos sentir másculos protegendo vocês mulheres femininas de homens selvagens, escuros, bárbaros, primitivos, não civilizados! Tudo que nós homens honrados queremos fazer é poder sair armados às ruas à noite para exterminar os caras violentos! Enquanto isso, vocês mulheres ficam em casa, trancadinhas, esperando. Lá vocês estão seguras! 
No mundo dos reaças, conquistas das mulheres equivalem à emasculação. E feministas exigirem viver num mundo sem estupro equivalem a "elas querem ser estupradas (mas não merecem)". Perdão por não querer ser protegida por esses malucos.

156 comentários:

Anônimo disse...

"Porque, como sabemos, homens ocidentais não estupram, pra começo de conversa!" Ha, sim, claro... Nos países europeus, principalmente na Escandinávia, é super comum homens locais se juntarem em bandos e saírem pelas ruas apalpando bundas de mulheres...

Jonas Klein disse...

Olá Lola

Você diz

"Os refugiados devem respeitar as leis do seu novo país"

O que noticiário tem mostrado e quem esta provocando mais problemas na Europa, nem são os refugiados que estão chegando la agora, são é os filhos e netos de emigrantes islâmicos que inclusive já nasceram na Europa.

O que importante que se diga e que, islâmico e islâmico antes de ser europeu ou seja o que for, por isso que vale para eles acima de qualquer coisa e o que diz o islã, e o islamismo e uma religião misógina e machista ao extremo, por tanto e necessário sim, que os países não islâmicos, estabeleçam um controle rigoroso sobre islâmicos que por la estão.

Anônimo disse...

O Jonas tem razão, em parte. Os atuais refugiados causam sim, muitos problemas. Mas foi divulgado um vídeo no Facebook mostrando alemães de origem muçulmana (filhos de imigrantes), se comportando como verdadeiros selvagens. Espancando crianças alemães apenas por serem alemãs e andarem geralmente sozinhas, enquanto eles (os muçulmanos) andam em bandos, pois, como eles mesmos fazem questão de dizer no vídeo, têm muitos filhos, enquanto os alemães têm poucos. Fazem ameaças, dizendo que a Alemanha e a Europa serão muçulmanas. O Islamismo é uma DESGRAÇA, essa é que é a verdade!

Jonas Klein disse...

Anon 15:54

"Os atuais refugiados causam sim, muitos problemas."

Eu não disse nada em contrario eu apenas, disse que tem esta criando mais problemas por la, sao os filhos e netos de emigrantes islâmicos, pois os caras que estão chegando la agora, a maioria esta tao ocupada tentando arrumar algo para ganhar a vida e se estabelecer, que nem tem tempo para fica aprontando.


"pois, como eles mesmos fazem questão de dizer no vídeo, têm muitos filhos, enquanto os alemães têm poucos."

E por isso que disse e vou repetir aqui, os países não islâmicos tinham e que criar um controle de natalidade focados nos islâmicos, ai cada casal muçulmano só poderia ter 1 ou dos filhos no máximo, ai e possível evita facilmente que os islâmicos se tornem maioria.

Anônimo disse...

"Minhas familiares e conhecidas estão correndo o risco de serem estupradas. O que fazer para ajudá-las? Usar minissaias com meus coleguinhas sorridentes e levantar cartazes de apoio!"

Por mais que os argumentos da jornalista que os criticou sejam inconsistentes, não dá para negar que seria melhor que essa galerinha tivesse ficado em casa. A situação das mulheres europeias exige uma abordagem muito mais sóbria do que a desses feministos.

Anônimo disse...

Nossa sério Lola? Estamos desde o início avisando que a cultura deles e incompatível com a ocidental, que tem dezenas de países ricos no Oriente Médio como Dubai, Emirados Arabes, Quatar, Arábia Saudita etc com cultura compatível e que não aceitam a migração desta gente o que e muito estranho. Estamos avisando que a guerra e cultural, e vc vem com está?
E como a pessoa que defende que menor de idade de 17 anos e um metro e oitenta não seja preso quando comete um crime, daí um dia e vítima de um destes e põe a culpa na direita

Mila disse...

Em algum post atrás, alguém falou que na verdade esse asco e essa revolta ocorre muito mais por uma dinâmica masculina de "vamos violar as suas mulheres" para demonstrar poder que, de fato, preocupação com o bem-estar das mulheres ocidentais e das refugiadas.
Mas uma coisa é certa. Se você vai morar na casa de alguém, é de bom tom que observe as regras e o funcionamento da casa e as siga. Se há imigrantes e filhos de imigrantes que estão desrespeitando as leis de forma crescente, cabe à Europa observar onde está sendo este ponto falho. Já ouvi muitas hipóteses, a principal está relacionada ao hermetismo das comunidades. É natural que alguém que vá morar em um país diferente queira ficar perto e encontre auxílio nos compatriotas, o que é estranho e até ruim é que essa pessoa jamais se sinta integrada a ponto de ser incapaz de cumprir com seus deveres e obter seus direitos. Como resolver isso é o que pega.

Anônimo disse...

Há, sem dúvida, um sentimento implícito de posse sobre a mulher que embasa a reação da Direita contra os estupros praticados pelos imigrantes. Mas, ao mesmo tempo, não se vislumbra outro tipo de tratamento com esses abusadores senão o da intimidação e da força. Por mais que os grupos nacionalistas sejam machistas, não há relatos de violência sexual praticada por seus membros -na Europa- que sequer se aproxime da dimensão dos ataques protagonizados pelos muçulmanos. No momento, diante da seriedade da situação, a Direita ainda é muito mais confiável e útil para repelir essas agressões do que os rapazinhos de saia e cia.

Julia disse...

15:40 Se homens não saem em bando pra apalpar mulheres na Escandinávia é graças a educação feminista que receberam.

aiaiai disse...

que texto lindo sensacional maravilhoso, Lolinha! muito obrigada!

e comentaristas, peloamordasdeusas, né? vocês estão contaminados pelo mimimi europeu. há um contexto histórico a ser observado q vcs estão fingindo q não existe.

a mila disse "Mas uma coisa é certa. Se você vai morar na casa de alguém, é de bom tom que observe as regras e o funcionamento da casa e as siga. "

Pois é, seria bom se os europeus tivessem seguido essa regrinha básica quando invadiram países de outros continentes, destruíram suas cultura e economias e sociedades, né?

Os europeus têm uma dívida histórica com o resto do mundo. a dívida tá batendo na porta e eles querem fingir q não é com eles. como assim?

de novo, parabéns Lolinha!

Anônimo disse...

"Os europeus têm uma dívida histórica com o resto do mundo. a dívida tá batendo na porta e eles querem fingir q não é com eles. como assim?"

Dívida histórica agora se paga com estupros?

Anônimo disse...

"e comentaristas, peloamordasdeusas, né? vocês estão contaminados pelo mimimi europeu. há um contexto histórico a ser observado q vcs estão fingindo q não existe."

Há um contexto histórico sim, Mouros do norte da Africa quase chegaram em Paris quando invadiram a Europa, e estupraram tanto as mulheres europeias quem mudaram ate a genética da população local (Portugal, Espanha, norte da Itália etc.) agradeça a Carlos Martel por hoje vocês não estar usando burca>

Os terrível Império Turco Otomano matou quase meio milhão de cristão europeus quando atacou Constantinopla, o que gerou a reação dos cruzados (Eles atacaram ´primeiro não nós) e agradeça aos cruzados por hoje você não estar usando burca.

Já no inicio do Sec. XX o primeiro genocídio em larga escala, na Armênia 2 milhões de mortos apenas por serem cristãos, limpeza étnica e religiosa, esta foto rara da epoca retrata bem como os muslins trataram as mulheres armênias cristãs https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0-9/11923207_1647749252176241_6548192139523767141_n.jpg?oh=bbdea09715fae09784102c5313aa2084&oe=57610666&__gda__=1462328301_6ecf9858d20ac2530c0050ab13f5b5de

Sou descendente de armênios e poloneses refugiados no Brasil (Pergunte se gosto de Muslins? Pergunte se gosto de comunistas?) portanto jamais me posicionaria contra o acolhimento de vitimas de guerra, mas não sou burro sei que uma cultura de extrema violência e intolerância como a islâmica não se compara a de monges tibetanos, e seu reconhecer um cavalo de Troia quando vejo um.
Vocês sabiam que na Arabia saudita e proibido construir igrejas? Mas ao mesmo tempo o governo saudita da casa de Saud financia a construção de mesquitas por toda a Europa?
Pensem a respeito.

Arthur

Anônimo disse...

Eu acho incrível isso.
Se um homem branco estupra uma mulher eles dizem "Puta mentirosa. Deu e se arrependeu".
Se muçulmano estupra "Todo muçulmano é estuprador, matem todo eles. Temos que proteger nossas mulheres desses bárbaros".

Eu não entendo a lógica realmente.

Julia disse...

aiaiai, quer dizer que HOMENS europeus invadiram países, destruíram tudo e agora as mulheres européias é que tem que pagar o pato pra mostrar boa acolhida?fe

Não precisa passar pano pra homem muçulmano só porque reaças cristãos estão usando o discurso de "precisamos proteger nossas mulheres desses bárbaros" para atacar feministas por tabela.

Anônimo disse...

(Viviane)
aiaiai, daí se explica porque os ataques mais violentos vêm dos descendentes de muçulmanos nascidos na Europa, em vez dos refugiados que chegaram agora, como seria de se esperar. Eu acho que os muçulmanos estão exatamente se organizando para "tomar de volta" suas riquezas e bens culturais, explorados pelos europeus durante séculos. Não justifica nenhuma forma de violência, mas a História explica muita coisa...

Amanda disse...

Anonimo das 17:10

" Não dá pra resistir a algo tão compacto e organizado como o Islã. Vai rolar atentado até dizer chega e infelizmente estupros coletivos também, e foi avisado que isso aconteceria."

Ha da para resistir sim, os ocidentais são maioria, e uma maioria só e vencida quando se deixa vencer.

Na parte dos estupros, a saída liberar o porte de arma para as mulheres (apenas as mulheres), que a gente se defende e poem ordem na casa.

Agora se disto isso, não for feito nada, bom ai eu me lavo as mãos, saída tem, mas se não querem fazer o que preciso ai e problema deles(as).

Anônimo disse...

Gente cuidado com esse negocio agora também de querer namorar online com muçulmanos. Sei la se falta mulher no pais deles mas eles ficam a caça de ocidentais e depois coitadas. O que tem de mulher que se arrepende nao esta no gibi. Pode me chame de reaca e islamofobica mas esse povo dessa religião pra mim e tudo louco

Anônimo disse...

(Viviane)
Arthur, sua citação das Cruzadas não leva em conta que, para nós mulheres, não se sabe o que seria pior: Islã ou Cristianismo.
Sobre sua última pergunta, deixo outra: quem financia a casa de Saud? Para te ajudar a responder, lembro que o território saudita não teve nenhuma guerra ou invasão desde a ascensão dessa casa real, diferente da maioria dos outros países islâmicos.
Pense a respeito também...

Anônimo disse...

A solução pode ser mais simples do que a gente imagina: punição. Simples. Estuprou? Vai em cana sem direito a mimimi, sem indulto, sem redução por bom comportamento, nada disso. Todos esses estupradores, espancadores de crianças, assediadores (sejam europeus sejam imigrantes) vão em cana sem mais nem meio mais. Ponto. Se a cada barbaridade que o sujeito fizer ele for preso, na cadeia ou na instituição pra menores, logo logo eles aprendem. Mas né, fazer discurso de ódio e correr de um lado pra outro cacarejando aparentemente é mais fácil do que ser prático e tomar providências.

Anônimo disse...

"Arthur, sua citação das Cruzadas não leva em conta que, para nós mulheres, não se sabe o que seria pior: Islã ou Cristianismo."

Você ainda pergunta? Compare a mulher do ocidente cristão hoje e a mulher islâmica de la hoje?

Anônimo disse...

17:46 A mulher do ocidente cristão de hoje só está em melhores situações graças ao feminismo. Tanto a religião cristã quanto a muçulmana são misóginas, inventadas por homens e defendendo o interesse deles.

Anônimo disse...

Um comentário que estava em um outro post mas que resume a minha opinião:
"Os ataques sexuais na Alemanha são a prova viva da cultura do estupro. As vitimas são culpadas por suas roupas ou por estarem sozinhas e os estupradores são desculpados pela população por serem "refugiados". Não defendo essa ideia por fazer parte de grupos conservadores, que só utilizam esses ataques como desculpa para os seus interesses ao mesmo tempo que invejam o tratamento dos árabes em relação as mulheres. Defendo uma facilitação de deportação e uma fiscalização de ingresso mais dura com os refugiados para que os abusadores sejam barrados, que os tribunais islâmicos sejam fechados para que tanto as mulheres europeias quanto as muçulmanas tenham mais segurança na Europa. Seria bom também que com uma maior dificuldade de entrar na Europa, os refugiados que não aceitam os valores ocidentais modernos (como feminismo) fossem buscar abrigo nos países árabes ricos do golfo, como Arábia saudita e Emirados árabes unidos. "

Anônimo disse...

(Viviane)
Anon de 17h46, essa comparação só é favorável às mulheres ocidentais (ainda assim, apenas do chamado "primeiro mundo") porque os cristãos venceram as Cruzadas. É impossível saber como o mundo seria hoje se os "mouros" tivessem vencido, e é puro preconceito imaginar que uma sociedade islâmica não poderia ter se desenvolvido como a nossa, caso tivesse o poderio econômico assegurado por ter vencido a guerra. Só pra começar, isso teria mudado toda a História das navegações na Idade Moderna; o Brasil, por exemplo, falaria árabe em vez de português.

Anônimo disse...

"A mulher do ocidente cristão de hoje só está em melhores situações graças ao feminismo"

O feminismo como movimento desde as sufragistas não tem nem 100 anos, e desde o Sec. 18 as mulheres ocidentais já apresentam melhores condições de vida que as do islã.

Não usem de desonestidade histórica e intelectual para supra afirmar sua cristofobia.

Jonas Klein disse...



"O feminismo como movimento desde as sufragistas não tem nem 100 anos, e desde o Sec. 18 as mulheres ocidentais já apresentam melhores condições de vida que as do islã."

Essa bola quicando eu mando pro fundo da rede, e por acaso todos as medidas que trouxeram avanços para as mulheres não tem nada de feministas? só que antes não tinha o rotulo de feminismo, mas já tinha luta por direitos paras mulheres.

Eu e que digo Não use de desonestidade para desmerecer o feminismo.

donadio disse...

"Você ainda pergunta? Compare a mulher do ocidente cristão hoje e a mulher islâmica de la hoje?"

Prestenção.

O ocidente não é mais "cristão" desde 1789. E é isso e só isso e nada mais do que isso que explica por que a situação das mulheres no ocidente-que-não-é-mais-cristão de hoje é melhor do que a das mulheres no Oriente-Médio-que-ainda-é-muçulmano. Isso e o apoio sistemático do ocidente-que-não-é-mais-cristão a tudo que há de mais reacionário no Oriente Médio em troca de acesso barato ao petróleo da região.

Anônimo disse...

Para quem acha que todas as feministas defendem estrangeiros abusadores, pesquisem já sobre Alice Schwarzer, fundadora da revista feminista Emma, que já tem feito duras criticas em relação aos ataques e a condição da mulher muçulmana, sendo a favor da proibição do hijab em lugares públicos.

Anônimo disse...

18:20

Mulheres ocidentais no séc. 18 eram obrigadas, ainda meninas, a casar com velhos. Mulheres islâmicas também.

Mulheres ocidentais no séc. 18 tinham que andar totalmente cobertas, sem mostrar o pescoço, o punho, os cotovelos ou os tornozelos. Mulheres islâmicas também.

Mulheres ocidentais no séc. 18 eram propriedade de seus maridos, que podiam espanca-las, estupra-las até mata-las impunemente. Mulheres islâmicas também.

Mulheres ocidentais no séc. 18 tinham que ser virgens ou seriam assassinadas pra "limpar a honra" da família; se ela fosse estuprada, idem. Mulheres islâmicas também.

Mulheres ocidentais no séc. 18 que traíam os maridos ou tentavam deixa-los eram assassinadas. Mulheres islâmicas também.

Mulheres ocidentais no séc. 18 não eram consideradas seres humanos, não podiam votar, fazer política, ter propriedades em seu nome ou sequer morar sozinhas. Mulheres islâmicas, suponho, também.

Ou seja, indiferente do país ser islâmico ou cristão, pra mulher o séc. 18 foi (e continua, na verdade) tudo a mesma merda. Entendeu, filho?

E independente da merda que vocês, machos honrados, cagaram no mundo, as mulheres tão aí lutando pra acabar com o machismo. Existem feministas islâmicas se você não sabia, e elas tão lá lutando. Leia 'O Mundo de Aisha' (vou ter que cobrar de tanto fazer propaganda) pra ver. Em todos os cantos do mundo as mulheres estão lutando. Elas sabem pelo que tem que lutar, fofinho. Não se preocupe que a gente sabe onde quer chegar.

Anônimo disse...

A Jornalista dinamarquesa definiu com maestria a situação da Europa atual.
E feministas, que sinuca de bico hem? kkkk

Anônimo disse...

A partir do Sec. 18 a situação da mulher começou a mudar graças ao iluminismo, a situação da mulher islâmica continua igual na maioria dos países islâmicos alguns muito ricos.

No ocidente cristão (Ainda de grande maioria cristã, desafio provarem o contrario, citar países minúsculos sub povoados como Islândia não conta, ainda assim a religião que predomina lá e o cristianismo) e permitido ate a mulher não ser cristã, no Islã e crime abandonar a religião, e quem o faz e apedrejada ate a morte em pleno Sec. XXI.

Ainda hoje cristão são um dos grupos mais perseguidos no mundo segundo dados da ONU em país islâmicos ou de governos totalitários socialistas como Coreia do Norte por exemplo,entre 100 e 150 mil são mortos por ano apenas por serem cristãos. metade disto mulheres e meninas.

Anônimo disse...

Não dá para ser cristã e feminista ao mesmo tempo, não há a menor logica nisto

Anônimo disse...

Ninguem quer que os refugiados estuprem. Isso aí que a Lola está fazendo se chama discurso de ódio. Disseminar uma coisa que simplesmente não é verdade e se justificar em mentiras.

O que acontece é que os refugiados têm uma cultura diferente e vão estuprar de qualquer forma. Daí as feministas ficam desesperadas porque ou defendem a entrada de "refugiados" na Europa e viram pró-estupro ou então se ficam contra os "refugiados" e viram islamofóbicas.

Anônimo disse...

aiaiai, eu estou aqui na Alemanha vendo tudo isso acontecer.

Tu tens razão de uma coisa: a Europa e EUA estão colhendo o que plantaram - eles sempre financiaram milícias e grupos terroristas por "n" motivos.
Só que adivinha quem está pagando a conta? Mulheres do lado de lá e de cá. Ou tu acha que é algum sheik do petróleo ou político americano que está sendo violentado?

Então o estupro de uma menina alemã deve servir de pay back? E já que então existem mulheres estupráveis - e europeias estão nesse grupo - que tal pensar nas outras muçulmanas que são estupradas INÚMERAS vezes pelo caminho por outros refugiados, quando não pelos seus familiares na frente de suas crianças?

Jane Doe

Claudia disse...

O caso de feministas suecas pedirem para os coxinhas não defende-las de muçulmanos é verídico. Quando reaças protestaram que OS homens suecos deveriam proteger mulheres suecas de refugiados (pq são TDs estupradores), feministas suecas criaram o #inteerkvinna (inte er kvinna) que quer dizer algo como 'não sou sua mulher'. Nós (tb sou sueca) usamos essa hashtag para dizer que não precisamos de racistas nos usando para agredir refugiados. Isso está em td a imprensa sueca.

Anônimo disse...

A 'Europa atual' de meia dúzia de frustrados... Moro na Europa, sou cidadã européia e não me identifico nem um pouco com essa situação

Anônimo disse...

Ninguém nasce bípede. Torna-se.

Jonas Klein disse...

Anon 19:35

Sabe este o problema de você misturar feminismo com a esquerda. Tem muita gente no movimento que entre defender as posições tipicas da esquerda e as mulheres, opta por defender as posições da esquerda e ai quem se lasca e as mulheres, ai se vê o que feminismo de muitas(os) vai só ate onde não bate de frente com o esquerdismo delas(es).

E quem não se sustenta e a esquerda.

Anônimo disse...

Bom, aqui está uma feminista que defende as verdadeiras vítimas dessa guerra - as mulheres e crianças refugiadas e as vítimas dessa cambada de vagabundos (que deveria ter ficado naquele inferno que o estado islâmico criou e morrer junto com eles)

Só para constar - uma das coisas que estava deixando todo mundo babando de raiva é que, antes do dia 28 de janeiro, asilados não poderiam ser processados ou presos. Eles tinham carta branca para cometer qualquer barbaridade sem serem punidos. Os eventos de Colônia - e tantos outros que tem ocorrido nesse meio tempo - levou a aprovação de novas leis. Crimes sexuais e reincidentes em crimes menores serão a partir de agora extraditados.

Jane Doe

lola aronovich disse...

Claro, anon das 19:14, o que eu faço é discurso de ódio. Os reaças que dizem que feministas defendem estupradores, que feministas querem a morte e castração dos homens, que feministas têm inveja de mulheres que são estupradas, que feministas desejam ser estupradas, que feminista é feminista por falta de rola -- nada disso é discurso de ódio, né? Discurso de ódio é falar o óbvio: que reaças não ligam a mínima pra mulher e estão usando os casos de mulheres estupradas por refugiadas para alavancar sua agenda xenofóbica, racista e misógina.

Danizinha disse...

Lolaaaaaaaaaaaaaa
Sobre a família Alladin, um texto incrível de uma amiga da família:

https://www.facebook.com/marianasimmoes/posts/10208668276603483

Anônimo disse...

(Viviane)
Para Júlia e Jane Doe:
Pelo que eu entendi, a aiaiai não escreveu em nenhum momento que seria "justo" ou mesmo "aceitável" que mulheres pagassem a conta dessa "vingança" (ou "acerto de contas", dependendo do ponto de vista). Vocês duas estão certas ao lembrar que homens ricos não vão pagar por isso (como, aliás, jamais pagaram em nenhum conflito da História). Mas não acho certo pôr palavras na boca (no teclado) de quem não disse. Se vocês discordarem, estejam à vontade para me corrigir.

Anônimo disse...

(Viviane)
No mais, estou rindo (pra não chorar) dos brasileiros que tomam as dores dos europeus sobre este caso. Apenas um nome para vocês jogarem no Google e se darem conta do que estão defendendo: Jean Charles de Menezes.

Anônimo disse...

Não me diga...

Anônimo disse...

Isso que você está dizendo funciona enquanto a situação está sob controle. Do jeito que esses muçulmanos estão proliferando na Europa, vai faltar cadeia pra estuprador de turbante. Vai ficar igual aqui, onde prisão de estuprador não resolve nada...

Anônimo disse...

Anonima 21:15

" Do jeito que esses muçulmanos estão proliferando na Europa, vai faltar cadeia pra estuprador de turbante."

Bom não seja por isso, e só aprovarem a pena de morte para estupro, que acaba o problema da falta de cadeia.

Anônimo disse...

Podem me chamar de radical.

Mas somente mulheres e crianças(tanto meninos quanto meninas) poderiam viver em países ocidentais, homens NÃO!
Mulheres e crianças são oprimidas, violentadas, agredidas e mortas por misóginos árabes, então elas merecem toda acolhida e apoio ora,recomeçarem suas vidas.
Podem me chamar de misandrica, mas nenhum homem tem escrito "estuprador misógino" na cara, então não teria como saber quem é um cara normal(mesmo que um pouco machista) ou misógino as abusador.
Quanto à "defender nossas mulheres" argumento babaca, imbecil e falho!!
Então pra proteger mulheres, filhas, mães, irmãs e conhecidas de misóginos, o cara precisa ser...um?! Tratando a mulher como um mero "bichinho frágil" a ser protegido e trancafiado dentro de casa?!! Vai pra porra!!!
Não é mais fácil policiais irem pra acampamentos de refugiados mostrar as leis que punem estupradores, e meninas e mulheres serem ensinadas a praticar artes marciais e andar de arma(mesmo que não letal)?
Não estou responsabilizando as vítimas, mas é maus fácil uma pessoa com mínimo de esclarecimento sobre o que acontece ao seu redor a se defender sozinha do que ensinar um completo burro empacado que mulheres são tão dignas e tão seres humanos quanto os homens.
Saber se defender seja de misógino muçulmano ou misógino cristão é obrigatório pra qualquer menina ou mulher nesses tempos de tanto ódio.

Anônimo disse...

Pior que tem mulher que acredita nessa historinha de proteção.

Eu fico besta com a ingenuidade.

Anônimo disse...

Lola, você sabe muito bem que não são todos os "reaças" que pensam dessa forma que você está falando e que a grande maioria não é a favor de estupro nenhum.

A única forma que você acha que tem para justificar seu discurso de ódio contra pessoas que tem um posicionomento político de direita é dizer: "Ah mas o reaça não sei quem faz pior".

Isso não faz seu texto deixar de ser discurso de ódio e nem faz com que a maioria dos "reaças" seja a favor da violência ou estupro.

Não é pq algum maluco aí faz ameaça contra você que te da o direito de falar assim de quem é contra a imigração na Europa. Isso daí é discurso de ódio sim!

Anônimo disse...

Os invasores estupram as irmãs, mulheres, namoradas, filhas e mães dos caras e elas vão protestar de mini saia?
Poham mew a dinamarquesa tem razão, isto e ridículo, os estupradores devem estar rido ate agora e dizendo que "se soubessem que era tão fácil zoar aqui com este bundas moles eurobambis teríamos vindo antes"

Anônimo disse...

Tem uma moca que mora na Turquia e ela tem um canal no you tube. Chama sobrevivendo na Turquia. Um dos videos dela ela esta numa loja mas não consegue comprar por que os vendedores da loja ficam assediando ela por ela estar com roupas ocidentais. Então acredito eu que essa deva ser a criação deles lá até bem pior que aqui no Brasil. Dai ela tem que ir la comprar acompanhada do marido e ela diz que segundo as leis daquele pais se eles agarrassem ela poderiam culpa la perante a lei. Sei la um povo desse que é criado assim difícil eles não estuprarem assim que tiverem oportunidade. Como alguém disse ai em com so deviam entrar nos países ocidentais as mulheres e crianças. Por que esses caras são fanáticos e não vao respeitar as nossas leis. Nem os homens daqui respeitam. Ja basta os estupradores que temos. Nao vamos fazer importacao

Guilherme disse...

"Essa bola quicando eu mando pro fundo da rede, e por acaso todos as medidas que trouxeram avanços para as mulheres não tem nada de feministas? só que antes não tinha o rotulo de feminismo, mas já tinha luta por direitos paras mulheres."

Jonas, cite registros históricos que possam sustentar a sua afirmação.

Rafael disse...

Se estupro paga dívida histórica, o flagelo das milhões berlinenses após a segunda guerra (muitas estupradas até a morte) já colocou a conta da Europa no azul.

Anônimo disse...

Não se paga estupro com mais estupro. Se paga estupros com o sangue dos criminosos.

Anônimo disse...

Reaça é a favor de estupro sim. Um argumento batido deles que toda feminista conhece é mandar as feministas protestarem no oriente médio na esperança de alguma ser agredida, estuprada ou até apedrejada mesmo.

Guilherme disse...

"POR QUE REAÇAS QUEREM QUE REFUGIADOS ISLÂMICOS ATAQUEM MULHERES"

Isso é um absurdo. É como se um anti-feminista dissesse: "Por que feministas querem que homens ataquem mulheres."

Anônimo disse...

23:22, que feminista é essa que passa pano pra homem? Não é toda feminista, não fi

Nós sabemos muito bem que todo homem é estuprador em potencial, seja vermelhinho, azulzinho ou verdinho. Mas se feminista disser isso aparece um monte pra xingar de feminazi, né xiiii

Anônimo disse...

23:32
Deixa de generalizar. Em primeiro lugar não são todos reaças que dizem ou pensam as mesmas coisas.

Em segundo lugar não é porque alguém quer que feminista seja estuprada que manda ela protestar no oreinte, é por que lá sim as mulheres são oprimidas.

Sabia que não podem sair na rua sem estar toda coberta?
Sabia que mulher que trai o marido é sentenciada à morte por apedrejamento?

Enquanto isso as feministas aqui ficam reclamando que uma foto de uma magra é "gordofobia" ou que uma piada qualquer é machista pq tem uma mulher lavando louça

Anônimo disse...

Sinto muito senhora mas talvez vocês não tenham o que e necessário para combater isto e a jornalista dinamarquesa tenha alguma razão, não no sentido de ficar exaltando machismo tosco mas de afirmar que talvez não se combate um perigo real com utopias. Eu noto que a solução apresentada por socialistas e feministas europeus passa por reeducação e em mostrar para um "olhem também somos oprimidos como vocês, vamos todos de mãozinhas dadas contra este opressores"
Sinto muito mais não vai funcionar, eles tem sua própria agenda, e ela passa por mostrar aos locais que agora eles estão lá e a Shariah não reconhece fronteiras.

na verdade se você buscar fatos históricos me lembrei do Black Pershing.

Que fez o seguinte:

Antes da primeira guerra mundial os Estados Unidos tinham o dominio das Filipinas, mas no sul das Filipinas tinha esse lixo islâmico como há hoje com a existência do EI. Quase todos os dias tinha jihadista fazendo besteira e atentados.

O General Black Pershing sabia que eles tem de evitar o porco sob pena de ir para o inferno serem humilhados pela eternidade. Então o General Americano conseguiu pegar 50 muçulmanos jihadistas e os obrigou a abrir a sua cova coletiva e depois de amarrá-los trouxe 2 ou 3 porcos e os matou na frente dos muçulmanos e aparou o sangue dos porcos em baldes e mergulhou as balas neste sangue. Carregou as armas dos combatentes com estas balas e viu o terror brotar no rosto de cada um deles e começou a execução, porém só matou 49 deles e deixou um vivo para contar história e não houve nenhum outro problema com esses jihadistas e nem atentados durante 40 anos.

Anônimo disse...

Um outro fato que esta ocorrendo na Europa nos espaços onde estes refugiados islâmicos se instalam ou frequentam e o extermínio de cães através de apedrejamentos, empalamentos e espancamentos. Nos pais de maioria muçulmana não existem cães eles dizimaram todos, o próprio Maomé amaldiçoou cães e porcos portanto eles não toleram conviver em locais onde eles existem, há relatos na Europa de bairros onde exitem refugiados, imigrantes e descendentes islâmicos onde os cães desapareceram e seus donos(principalmente idosos e mulher) sofreram ameaças e agressões.

Anônimo disse...

Vou dizer isso e espero que ninguém se ofenda ou use sua religião como pretexto para repudiar:
Chico Xavier disse certa vez que nossa sociedade tinha um sério problema no que diz respeito as potências do ser humano, no que me atrevo a dizer que não se trata apenas sobre os recursos sexuais, mas sensoriais e espirituais.

Sei que isso não parece ter nada haver com a questão, mas esse é o problema, tem haver.
O ser humano criou o mau hábito de ignorar os próprios sentidos básicos de sobrevivência que, querendo ou não, incluem os machos protegerem as fêmeas e demonstrarem aos outros machos (especialmente os vindos de fora) que aquelas fêmeas estão no mínimo sob sua proteção.

Mas incomoda a muitos que algo assim seja dito em voz alta, por que o ser humano tem que ser puramente bom, acontece que não é.

O ser humano tem potencial para ser bom em igual medida que o tem para ser mau.
Para todo o potencial positivo humano existe uma igual reação negativa. Uma é algo que não vai acontecer por que você deu um troco pró tio do semáforo, mas algo que pode acontecer, uma possibilidade oposta de ação.

No entanto, um homem ser gentil com uma mulher não implica que ele deva ser compassivo e gentil com outros homens ou grupos que representem ameaça não apenas as melhores, mas a sua posição no reino animal (qual é somos todos animais, ainda que "racionais").

Verdade seja dita é esperando de um homem uma atitude agressiva com a presença de outro macho, especialmente quando são desconhecidos as fêmeas sob sua proteção (país e irmãos mais velhos e mais novos ou postiços, estou falando de vocês), ou mesmo de amigas, colegas ou desconhecidas em situações difíceis e/ou constrangedoras.

Isso nem ao menos se trata de uma atitude de macho hétero, o homem homossexual também pode agir como um defensor das mulheres da sociedade.

E então, voltamos a questão das potências.
Por que negar ao macho humano suas potências e virtudes como macho, especialmente no sentido de protetor de sua espécie (ou grupo social), sendo que por mais que a fêmea humana seja poderosa e capaz de grandes feitos ela ainda é (e possivelmente sempre será) em sua maioria fisicamente inferior em força aos machos ou capacidade animal de intimidação por presença (podem chamar de a famosa encarada " pode vir que te parto em dois ")?

Não a sentidos em negar que a mulher é vulnerável e depende dos homens em alguns momentos, da mesma forma que eles vem aprendendo que existem coisas em que as mulheres são tão boas quanto eles, quando não melhores.

Ao final, tudo volta a ser sobre o equilíbrio.
Criar as mulheres para saberem que não precisam se submeter aos homens e os homens que devem respeitar as mulheres.
Mas que quando necessário eles devem agir como machos animais super protetores e defender a fêmea da espécie quando está não puder se defender sozinha de machos mais agressivos.

Anônimo disse...

Não se enganem, as mulheres deles, irmãs e filhas também estão por la e os apoiam, muitos dos membros europeus descendentes de imigrantes islâmicos que foram se alistar no estado Islâmico tiveram somente a presença materna islâmica em suas vidas, e segundo levantamento de agencias de inteligencia europeias foram as mães e clérigos islâmicos sunitas que levaram a radicalização para a educação destes jovens.

Anônimo disse...

Olá Lola, me chamo Beatriz e moro na Dinamarca há 8 meses, terra natal da jornalista do vídeo.
Não querendo defende-la mas acho que devemos ser a questão soba a ótica de quem esta inserido na situação. A Dinamarca passa hoje por uma imigração enorme vinda do oriente médio, e o governo realmente tem lutado muito em cima do "politicamente incorreto". Mas não contra mulheres, isso a população já tem muito bem definida a igualidade basica de um ser humano, mas contra muçulmanos. Recentemente na Dinamarca, e Suécia também, varias leis foram promologadas defendendo e criando "direitos" apenas a imigrantes, e o governo tem criado varios programas que miniminizam a cultura e tradições dinamarquesas em prol das "melhores" culturas provindas do oriente médio - o que criou dessatisfação do povo dinamarques. Esse tipo de coisa também acontece na França (mudança do cardapio escolar pra incluir apenas carne halal e excluir carne suina, por exemplo), e na Alemanha idem.

Erres Errantes disse...

"Ela acha que falta uma mão firme aos políticos, que são como mães, muito acolhedores."

Parece minha sogra falando que os vizinhos usam drogas perto da sua porta porque não tem um homem para impor respeito. Tanto a minha sogra quanto a dinamarquesa acham que é só dar dois gritos que os homens impõem respeito. Não sei em que mundo elas vivem kkkkk

Anônimo disse...

Esse foi um dos textos mais sem sentido que eu não li

Anônimo disse...

Mudar as leis de um país para acolher refugiado muçulmano é de lascar.

Quanto a mudar o cardápio escolar eu penso que se não mudassem era capaz desses muçulmanos imbecis proibirem as crianças de ir pra escola.

Anônimo disse...

Tem um vídeo que mostra imigrantes agredindo mulheres.É revoltante,eles estão agredindo em plena luz do dia.Uma das mulheres é cercada por um deles e tenta se desviar, então o homem dá um tapa na cara dela e ainda sai rindo.Isso tudo em plena luz do dia.

https://www.facebook.com/231377160265438/videos/934229853313495/

Anônimo disse...

04:28 você notou que quando esta mulher com os dois filhos pequenos foi espancada na saída do metrô tinha um policias ou segurança subindo a escada? E que alem de não fazer nada ainda parece se encolher na parede com medo?

Infelizmente estou a dar razão para a tal jornalista.

Anônimo disse...

Que texto sem sentido. Lola, você escreve muito bem, mas nesse texto parece que você estava com preguiça.

Anônimo disse...

Lola veja este relato desta moça brasileira quem ora na Alemanha, ela e um vloguer que tem por costume relatar seua vida de brasileira na Alemanha, pessoa comum sem nenhuma ligação a ideologia e movimentos politicos, então e legal porque você tem uma opinião isenta da situação
E e a situação na Europa e grave e critica Lola, são muitos assédios e estupros cometido por muçulmanos sim, em larga escala e organizados, parece que eles estão demarcando território como se quisessem dizer principalmente as mulheres;"Chagamos agora vai ser do nosso jeito".
https://www.youtube.com/watch?v=LU763CTM_XM

Amanda disse...

Bom tem um monte de gente dizendo bobagem aqui então eu vou repetir mais uma vez.

MULHER NAO PRECISA DE HOMEM PARA DEFENDER ELA, MULHER PRECISA E DE TREIANEMTO DE DEFESA PESSOAL E UMA ARMA DE FOGO. OS HOMENS PODEM FICAR OLHANDO AS MULHERES AGINDO E VENCENDO OS AGRESSORES OU DEFENDODO A SI MESMOS, o que diga-se de passagem a maioria nem para isto presta.


Se tem coisa que me da pena e mulher que acha que precisa de homem para defender ela.

E também tem gente que reclama que os homens na Europa não são como eram "antigamente" o que os homens faziam por lá (no mundo todo) era justamente agredir as mulheres, ai educação feminista na media os tornou menos agressivos.

Deu para entenderem agora ou ainda vai precisar que alguém faça um holograma para ilustrar a ideia?

donadio disse...

"antes do dia 28 de janeiro, asilados não poderiam ser processados ou presos. Eles tinham carta branca para cometer qualquer barbaridade sem serem punidos."

Source please.

donadio disse...

"Jean Charles de Menezes"

Jean Charles de Menezes x 2.

donadio disse...

"o direito de falar assim de quem é contra a imigração na Europa"

Falou o europeu...

Moço, seja reacionário, mas não seja burro. Para "os europeus", você é tão estrangeiro quanto os árabes ou turcos. O seu catolicismo é tão assustador para eles quanto o Islã. A sua língua é tão incompreensível quanto. O seu sotaque é tão estrangeiro como o deles. A sua pele é tão escura quanto a de qualquer árabe ou turco. E você, a sua língua, a sua cultura, o seu sambinha, a sua mania de chegar perto demais do interlocutor, o seu sorriso permanente e dissimulado, são tão assustadores para eles, tão ameaçadores para a cultura deles quanto o muçulmano médio.

O que você está defendendo é a sua própria deportação.

donadio disse...

"Os invasores estupram as irmãs, mulheres, namoradas, filhas e mães dos caras"

DOS caras. É uma violação do direito de propriedade. É assim que os cavaleiros brancos do machismo brasileiro interpretam a situação na Europa. Os "invasores" chegam no país deles, tiram os empregos deles, roubam os carros deles, e, para cúmulo, estupram as mulheres deles.

Mila disse...

ai ai ai.

De dívida histórica, nós brasileiros entendemos bem. Só que a gente tá vendo que quem sempre "paga as dívidas históricas" são os mais vulneráveis. As mulheres, no caso.
É claro que os europeus paguem sua dívida histórica fornecendo ajuda e, de preferência, parando de usar os territórios árabes como pátio de provocações. É claro que é importante fornecer condições para que essas pessoas trabalhem e vivam suas vidas com dignidade.
Mas adianta chegar metendo o pé, estuprando mulher "pq na minha cultura é assim?"

Em tempo, recomendo a leitura do texto de um jornalista paquistanês sobre o tema: http://www.dw.com/pt/opini%C3%A3o-alemanha-vive-um-choque-de-culturas/a-18973940

Anônimo disse...

"Os invasores estupram as irmãs, mulheres, namoradas, filhas e mães dos caras"

DOS caras. É uma violação do direito de propriedade. É assim que os cavaleiros brancos do machismo brasileiro interpretam a situação na Europa. Os "invasores" chegam no país deles, tiram os empregos deles, roubam os carros deles, e, para cúmulo, estupram as mulheres deles."

Nenhuma novidade, eu já li em um blog de um comunista que o que eles querem não é apenas desapropriar a burguesia e manda-los para o paredão. Querem "suas" mulheres e "suas" filhas. Ou seja, mulher é um troféu para quem luta pela revolución. São estes, os famosos "esquerdo-machos".

donadio disse...

"eu já li em um blog de um comunista que o que eles querem não é apenas desapropriar a burguesia e manda-los para o paredão. Querem "suas" mulheres e "suas" filhas."

Ah? e que blog seria esse?

Source, or it didn't happen.

donadio disse...

Lola, a gente realmente precisa conviver com esse nível de racismo, ignorância e xenofobia que a gente está vendo aqui?

A estupidez parece não ter limites; "muçulmanos exterminam cães", "mulheres não podem sair na rua mostrando o rosto", "banha de porco na munição", não há desinformação, idiotice, lenda urbana que não seja replicada aqui.

E o que é pior, a gente sabe contra quem esse ódio todo é realmente dirigido. Não é contra gente do outro lado do mundo, é contra as classes populares aqui do Brasil mesmo. "Muçulmano" virou dog whistle para "favelado". Essa reaçada que quer o extermínio de muçulmanos não está nem aí para a Europa nem para as mulheres européias; o que eles querem é dizer o que fariam com as favelas brasileiras se pudessem - sem ser contestados, e até com o apoio de gente que deveria saber melhor o que está fazendo.

André disse...

Danizinha,

Se ela fosse realmente amiga da família teria escrito um e-mail e não um post de face.

Elaine telles disse...

Ano 12 fevereiro 00:07, vou te responder sucintamente: as mulheres não devem esperar cuidados dos homens porque não serão todos que a protegerão. Alguns duvidarão da palavra dela e tomarão partido de outro homem. Apenas por isso.

Anônimo disse...

Donadio, você que adora pedir "source", qual é e sua para falar que brasiliero é igual a turco na EUropa? VOu te falar uma coisa: NAO EH!

Desde quando o catlicismo assusta tanto quando o islamismo? Pelo amor de zeus, tu nunca pos o pé na europa ou o que? A Europa, memso que a cada dia mais ateia, tem bases catolicas. Aceitam mil vezes melhor um colombiano que um paquistanes.

SEi do que to falando, pois moro aqui a 10 anos. Então por favor, pare de falar o que nao sabe.

Yara

Anônimo disse...

E acho que essa joranlista foi muito infeliz ao falar que a culpa da situação estar como está é que os homens estão muito femininos ( antes fosse!).

O problema está sim nesse monte de país passando a mão na cabeça dos "pobres coitados". Tinhq que sr firme. Fez merda? Vai pro teu país. Acabou!

A França tá num bafafá enorme, decidindo se um terrorista perde ou não a nacionalidade francesa caso cometa um crime terrorista. peloamordocristinho, isso é serio?

NAda contra recebr refugiados, tudo contra mudar leis dos países, ou tentar achar justificativa.

Yara

Anônimo disse...

Sylvie

Tenho tanto pena das mulheres européias, quanto das muçulmanas...

Neste contexto de agressões, abusos e misoginia são ELAS que estão perdendo!
Primeiro pelo extremo machismo de boa parte dos homens muçulmanos que não entendem que por estarem em outro país, sendo escolhidos TEM que respeitar os habitantes de lá, isso inclui as mulheres eles querendo ou não!
Segundo, eu não estou entendendo porque se está passando a mão na cabeça de criminoso? O cara abusou, agrediu, estuprou, matou? Foda-se o fato dele ser: muçulmano, cristão, europeu, americano, brasileiro, etc. Tem que ser preso, severamente punido e ainda os policiais irem aos campos de refugiados e mostrarem que os homens que abusarem de mulheres, sejam as européias e até as muçulmanas de quem eles já estão acostumados de fazer de saco de pancada, serão PRESOS e punidos como merecem!
Dói ler merdas do tipo "estão violentando as mulheres dos europeus", "as mulheres dos caras estão sendo estupradas", etc. PQP!!! Quem sofre com a violência é a mulher caralho!! Alguns machistinhas brasileiros estão tratando os maridos e patentes dessas mulheres como vítimas, quando as vítimas são ELAS, tratando como se fossem meros objetos quebrados, quando são seres humanos feridos em seu físico e dignidade!!
Eu tb fico triste pela situação das muçulmanas. Primeiro pq poucos se importam se elas são as vítimas das piores violências. Segundo pq invés dos europeus sentarem um cacete nestes estupradores islâmicos, estão descontando nas pobres mulheres muçulmanas!
Da mesma forma que tem vídeos de européias sendo agredidas e abusadas, tem muito vídeos de muçulmanas sendo agredidas por homens europeus(nas bastasse a violência que elas já sofrem com os muçulmanos).
Nesta guerra de preconceitos e misoginia, são mulheres(de ambas etnias), crianças e adolescentes que estão pagando por tanta covardia desses homens!!

Solução? Tratar muçulmanos que cometam crimes hediondos como criminosos e receberem punições severas. Treinar e armar européias e muçulmanas.

Quanto aos machistas brasileiros, antes de condenar muçulmanos, se perguntem se são tão "bonzinhos" assim, violentando garotas bêbadas, desejando estupro pra mulheres de quem não gostem e questionando vítimas de estupro como se elas fossem culpadas. O cu de vocês misóginos brazucas é tão sujo quanto o cu dos muçulmanos abusadores de mulheres!!

Anônimo disse...

Yara,
Até entendo, em parte, a comparação que o donadio quis fazer. O brasileiro metido a caucasiano e racista vai para a Europa se sentindo "o europeu" e quando chega lá costuma se frustrar por ser mais um rapaz latino americano. Passei por essa experiência qnd fui morar na Áustria.
O problema da comparação dele é sobre aceitação cultural. Embora alguns hábitos nossos possam parecer um pouco estranhos, somos ocidentais, temos bases culturais mais ou menos comuns. Sem falar que, apesar de sermos uma nação com um grande número de católicos, não é todo brasileiro que põe em prática isso, né. Diferente dos muçulmanos que eu tive contato na Europa, mesmo os moderados não deixam de lado certas práticas.

Anônimo disse...

"Primeiro pelo extremo machismo de boa parte dos homens muçulmanos que não entendem que por estarem em outro país, sendo escolhidos TEM que respeitar os habitantes de lá, isso inclui as mulheres eles querendo ou não!"

Também me pergunto isso. Os caras sabem que lá a banda toca de maneira diferente, lá as mulheres trabalham, usam a roupa que querem, a questão do sexo é menos nebulosa, mas ainda sim vão pra lá. Estranho... Se é impossível que o sujeito respeite isso, tem zilhões de países que compartilham dos mesmos costumes que eles. Se eu não vou me adaptar a um país, eu não vou.

Anônimo disse...

Acho ridícula e nojenta a "pseudo" compaixão dos misóginos brasileiros com os maridos, irmãos e pais das mulheres européias.

Primeiro, estes imbecis não tem empatia pelas mulheres, e sim por seus supostos "donos".
Segundo, eles criticam o fato de mulheres brancas serem violentadas, mas vejo a maioria questionando qualquer mulher vítima de estupro no Brasil, não sentindo a menor pena das meninas sequestradas e violentadas pelos terroristas do Boko Haram ou tendo qualquer compaixão por meninas e mulheres muçulmanas vítimas de agressão e abuso.
NÃO estou dizendo que mulheres não-brancas sofram mais violência que as brancas, nem vice versa, só to mostrando como a "revolta" dos machistinhas brasileiros é tão "seletiva".
Consideram muçulmanos " misóginos selvagens " mas esquecem que foi no Brasil que aconteceu dois episódios de misoginia e violência covarde: o estupro coletivo da turista em uma van no RJ e a "festa de aniversário" da cidade de Queimadas onde um irmão "presenteou" o outro com o falso assalto e estupro das mulheres presentes, duas destas moças foram assassinadas.
A diferença é que a misoginia dos muçulmanos é institucionalizada, aqui no Brasil é mais "disfarçada" e nem por isso menos covarde!
Sem falar que não vi nenhum destes mascus brazucas falar mal do sueco psicopata Joseph Fritz que escravizou a filha ou do policial(branco) que estuprara mulheres negras pobres em Nova Iorque.
Misóginos brasileiros tinham que olhar os próprios rabos sujos antes de apontar pros outros misóginos pela mera questão racial.
Quanto às mulheres em geral deviam aprender a lutar e usar armas, não temos que depender de certos homens que acham que mulher é "bichinho de estimação".

Jonas Klein disse...

Guilherme

Cara eu não tenho obrigação de citar registro histórico nenhum, se quer os registros disso, vá você pesquise sobre isso...


Anon 09:59

Porque você não aproveita que teu comentário já foi pra lixeira 14 vezes e vai procurar algo útil para fazer?

B. disse...

Eu não acredito que alguns estão justificando o estupro das alemãs como "dívida histórica"...
OS EUA e Europa exploraram o mundo no passado e hoje (é verdade!), agora os muçulmanos podem "cobrar a dívida" violentando mulheres ocidentais, pelo simples fato de serem ocidentais? Não acredito! É demais pra mim.

Luiz disse...

Para refletir. De cada 3 bilionários do mundo, 2 começaram do nada.
http://economia.uol.com.br/listas/bill-gates-zuckerberg-veja-bilionarios-que-fizeram-a-propria-fortuna.htm

Vicky_ disse...

Ô louco, as feministas dinamarquesas tendo de lidar com o crescente os número da imigrantes misóginos e ainda os reaças nacionais de sempre.
Toda força as mesmas.

Aliás, não só a Dinamarca.
Quem falou aí que basta prender: violência é um problema social, não moral.
Saindo da prisão, farão a mesma merda.
Se forem deportados, farão isso com as mulheres e meninas dos países árabes.
Mulher sempre se ferra.

Donadio, plz, catolicismo já fez muita merda no mundo, mas obviamente nos dias atuais não tem o mesmo peso que o islamismo.
De onde você tirou isso?

É óbvio que um brasileiro branco sofrerá menos choque cultural na Europa que um árabe mulçumano, mesmo sendo chamado de latino americano. Dizer que seria encarado igual aos várias grupos étnicos árabes (principalmente a parte mulçumana dos mesmos) é idiotice.

Anônimo disse...

"Ah? e que blog seria esse?"

É um blog antigo, provavelmente não existe mais. Só que esta afirmação realmente é algo que me deixou chocado quando li, por isso ainda me lembro dela.
Mas não é dificil encontrar afirmações similares vindas da extrema-esquerda. Recentemente a Socialista Morena postou no FB, sobre taxação de grandes fortunas, e o que não faltou foi gente chamando-a de revisionista traidora, e que os burgueses que não fossem fuzilados seriam enviados para campos de trabalho forçado.


"Source, or it didn't happen."
Dito de outra maneira: Se a mulher não puder provar que foi estuprada, então ela não foi. Estranho ler isso vindo de você.

Roxy Carmichael disse...

Jean Charles de Menezes X3
Não li todos os comentários, só os do donadio (beijo donadio!) e entendi que fiz bem de não ler festival de xenofobia/islamofobia sudaca mimetizando xenofobia europeia. Viviane lacrou. Falou a palavrinha mágica: Jean Charles de Menezes.
Muito bom o texto Lola. Arituculadíssima, afinadíssima! Um abraço!

Rafael Cherem disse...

O mundo precisa se conhecer, é surpreendente que com o avanço dos meios de transporte e comunicações sejamos tão ignorantes quanto aos outros habitantes do planeta, não vemos os pontos em comum, só as diferenças. Uma pena.

Amanda disse...

Vocês falara nele o Jean Charles de Menezes. e eu agora eu me lembrei do caso.

E mas e dai, ele não foi nenhuma vitima "inocente" ele morreu por causa da cagada que ele fez no metro de Londres, se ele tivesse obedecido a ordem dos policias ali não tinha levado bala.

Anônimo disse...

Olympe de Gouges já lutava por direito feminino no século 18, foi até sentenciada de morte por isso, cristianismo escória do milênio, cristãos já foram tão ou até mais fundamentalistas q os muçulmanos, sem contar no Afeganistão dos anos 60, tão avançado quanto o Ocidente, ah se não fosse a intervenção do lixo do Reagan, as vezes eu penso q vcs se fazem de desentendidos.

E essa jornalista kkkkkkkk, "europa feminina demais", q burra, esqueceu q foi uma mulher a responsável pela expulsão dos muçulmanos na Ibéria há uns 500 anos.

E só mais uma coisa, pq a Arábia Saudita, Emirados Árabes, Bahrein, etc. países tão desenvolvidos e geo-culturalmente mais próximos estão rejeitando os refugiados? Alguém tem uma explicação pra isso? Pq isso não me desce de maneira nenhuma, tá parecendo uma tentativa conspiratória pra justificar uma série de medidas ideológicas na Europa, apenax observo

Anônimo disse...

é tão sem graça esse embate estar acontecendo numa sociedade tão secular e avançada como a Europa, o "fight" seria muito mais interessante se estivesse acontecendo aqui no Brasil por exemplo, com a horda de reaças e fundamentalistas cristãos do BR, ia ser tão legal

Mas aqui muçulmano se faz de santo

Anônimo disse...

Na verdade, acho desrespeitoso comparar as duas situações. Provou-se que o Jean Charles foi inocente, não era terrorista, só ficou com medo pois estava em situação irregular na Inglaterra. Infelizmente, naquele contexto foi vítima da falta de preparo da polícia inglesa e sendo brasileiro e pobre perdeu do protecionismo com que a Justiça britânica levou o caso.
Jean não estuprou mulheres europeias pq não se sente integrado à comunidade europeia ou whatever.

Anônimo disse...

eu li um artigo num site muçulmano q comparava a biblia e o alcorão e demonstrava q a biblia e a sociedade judaica-cristã era bem mais misógina q o alcorão e a sociedade árabe da época de maomé

Pena q na prática hj em dia é exatamente o oposto

Roxy Carmichael disse...

14:25
a menção ao jean charles vem pra refrescar a memória dos sudacas que deliram que lá na europa são tratados como brancos, diferentões de todo o resto do povo do hemisfério sul. nem argentino que deliria que é uma gota de europa na américa do sul chega a tal nível de devaneio.

não foi feita uma comparação entre a conduta dele e a conduta dos estrangeiros que estão estuprando mulheres. a questão aqui é justamente a xenofobia de estado praticada na europa que não poupa muçulmanos nem sul-americanos.

brasileiro precisa entender (pra ontem) que o conceito de branco, preto, muçulmano é super dinâmico. e a dinâmica que orienta é: nós contra eles, os outros. e esses "outros" já foram até os irlandeses, os alemães e os italianos no começo do século XX nos estados unidos. ser considerado branco era ter acesso a privilégios. daí que o grupinho era tão restrito que nem os europeus eram incluídos (só os ingleses e seus descendentes).

então não custa lembrar (donadio ja fez um comentário brilhante): a gente aqui é o outro, com ou sem sobrenome italiano. o nosso sotaque, a nossa historia, os nossos habitos não só denunciam como não são recebidos com festinas e sim com estranheza, quando não, com hostilidade.

André disse...

14:11

Esses países financiam a guerra da qual os refugiados estão fugindo.

Roxy Carmichael disse...

só complementando: os europeus foram incluídos no grupinho dos brancos nos estados unidos quando o movimento operário começava a se organizar, daí que elevá-los a essa categoria foi uma estrategia pra fragmentar a luta política dos trabalhadores mal remunerados. daí que muitos desses europeus até então não considerados brancos passaram a ganhar muitas regalias quando atuaram para oprimir outros trabalhadores mal remunerados de outras etnias.

é interessante observar como a dinâmica se repete na europa hoje: os organismos internacionais e a eurozona, com todos os poréns, passam a discutir a questão da imigração advinda de conflitos bélicos mas são ainda muito, muito fechados para discutir a imigração advinda de desigualdade econômica. isso tudo claro pra nao assumir a dívida que tem com os povos do sul.

os sírios que estampam as capas de jornais e as matérias dos telejornais são indivíduos ricos em seus países que dialogam com os códigos ocidentais. falam inglês fluentemente e passaram por universidades. alguns deles estão inclusive se juntando ao coro dos europeus xenófobos, estigmatizando imigrantes subsaarianos (estes passam a ser os outros, enquanto os letrados, bilingues passam a ser não "nós", mas bons aliados de ocasião).

tem muita gente aqui atuando como excedente desses aliados de ocasião. seriam os capitães do mato contemporâneos. nada de novo sob o sol. infelizmente.

Anônimo disse...

Nisso concordo com vc Roxy, já falaram aí que o branco brasileiro volta ofendido da Europa quando é "apenas um rapaz latino-americano". Às vezes é até positivo quando o sujeito sente o racismo na pele, às vezes volta pior. Pessoas são pessoas.

Mas tirando alguns comentários, acredito (posso estar sendo ingênua) que o pessoal tá se revoltando contra a conduta de imigrantes e filhos e da dificuldade que eles estão tendo para se adaptar ao contexto. Jonas e Mila já levantaram a questão que esses tipos de crime estão ocorrendo com filhos de imigrantes nascidos na Europa, coincidência ou não, estes são os principais "alvos" do EI. Preconceitos, choque cultural, eles são tratados como europeus de fato ou tá escrito francês apenas no passaporte? Infelizmente, ao ler os comentários, não vi uma discussão neste sentido.

Aproveitando o termo xenofobia sudaca é importante perceber que agora que estamos recebendo novamente estrangeiros, caso dos haitianos e refugiados sírios, o brasileiro revela sua face xenofóbica, antes destinada aos nordestinos e nortistas. Já está rolando uma nova definição de racismo, à medida que já tem gente apanhando por ser estrangeiro "roubando trabalho" de brasileiro.

Fantomas disse...

Quantas mulheres européias terão que ser estupradas para que algumas pessoas se convençam de que os muçulmanos representam um perigo real e imdediato?

Anônimo disse...

Anonima das 15:11

" eles são tratados como europeus de fato ou tá escrito francês apenas no passaporte?"

Deixa eu te devolver a pergunta, E eles tem apenas escrito francês no passaporte, e respeitam as leis e a cultura Europeia, como quase todos os Europeus natos fazem?

Ninguém e brigado viver em um pais com cultura diferente, mas se for viver, e sua obrigação respeitar as leis e a cultura local.

Anônimo disse...

Anônimo das 15:11

Na verdade o preconceito do brasileiro ao estrangeiro se refere aos haitianos(negros) e sírios(não-brancos), e tem festival de agressão e xenofobia contra estes quando eles conseguem honestamente um trabalho;
porque o brasileiro racista, vira lata e neonazista enrustido aceita de boas um alemão, canadense ou francês roubar passar a perna nele tranquilamente.

Anônimo disse...

Ps: roubar o trabalho ou passar a perna.

Anônimo disse...

"O seu catolicismo é tão assustador para eles quanto o Islã"

Só por está afirmação tosca sobre o continente berço do catolicismo já demonstra como e tosca sua opinião.
Você sabia que aqui na França existem bairros de imigrantes islâmicos que nem a polícia entra? Com medo de serem agredidos.

Anônimo disse...

15:56, mas taí isso pode ser uma faca de dois gumes. Na matéria que eu li sobre o modus operandi do recrutamento do EI mostrava como eles se aproveitavam que certos sujeitos já estavam jogados à marginalidade para lhes oferecer o EI como um lugar, ou seja, aproveitando da ausência no Estado na vida daquela pessoa para preencher esta lacuna. No final, algumas autoridades faziam o mesmo questionamento que fazemos agora, como dar cidadania, de fato, para estas pessoas a fim de que elas se sintam parte daquela sociedade e encarem seus direitos e deveres.

Exatamente 16:04. Portugueses e espanhois com a crise estavam vindo para o Brasil conseguir emprego e os vira-latas aplaudiam e abanavam o rabinho. O europeu branco qualificado está vindo para trabalhar (quem manda os brasileiros não estudarem?), os de terceiro mundo, para roubar e ter bolsa-família e cotas. é surreal.

Anônimo disse...

Vocês realmente não fazem a menor ideia do que estão lidando
Tem mulher usando burca em Londres, BURCA
Sabem porque? Medo!
No Islã ninguém abandona a religião, seja em que lugar do mundo for, se fizerem isto são automaticamente condenados a morte, seja em que parte do mundo for.
Leis?
No Islã nenhuma lei seja da onde for e maior que as leis de Maomé,estejam eles onde estiverem.

Anônimo disse...

No Brasil os muslins não tem massa crítica para fazer o que fazem na europa, são muito poucos.
Mas não se engane, vá até o bairro do Pari SP, onde se concentram muitos aqui, e os observe por cinco minutos, escute uma conversa sobre o que eles acham das brasileiras e o que elas mereceriam como eu já fiz. Depois imagine como seria se em vez da Europa eles estivesse emigrando em massa para cá.

Anônimo disse...

Dos 30 detidos e reconhecidos pelas mulheres de colônia como abusadores sexuais no ano novo( que segundo relatos das mesmas eram centenas, mas parece que as feministas aqui como a Roxy estão duvidando das vítimas) 27 eram imigrantes que tinham acabado se pedir asilo

Anônimo disse...

16:35, tomaram que sejam deportados direto no mar para servir como comida de tubarão.

Ass: feminista que não fica citando Jean Charles pra pra passar pano pra macho muçulmano.

Danizinha disse...

André,
Se você tivesse se dado ao trabalho de ler o post, entenderia logo no inicio que ela estava SIM em contato com o pai da criança, nos bastidores.

(...)
"Então, trago aqui algumas reflexões, que já enviei individualmente ao Fernando, para que possamos refletir juntos sobre tudo isso que nos transtorna."

Aproveite e leia também a resposta do Bustamante à carta da amiga.
Ler primeiro, julgar depois, ok?

Se ser amigo para você é somente passar a mão na cabeça, tenho pena dos seus amigos, quando cometerem um deslize. Você vai ser o cara que deixará eles no fundo do poço, mesmo tendo a corda na mão.


Roxy Carmichael disse...

eu não sei você, mas citamos jean charles pra falar de nós homens e mulheres latino americanos e não de homens muçulmanos, uma vez que jean charles era brasileiro e ao que me consta, não era muçulmano.

eu não sei se vcs ficaram sabendo, mas houve há pouco tempo atrás uma enxurrada de denúncias de ofensas sexistas e xenófobas contra estudantes brasileiras nas universidades portuguesas. existe uma personagem de um programa da tv públcica portuguesa que associa mulher brasileira a prostituta, entre inúmeros exemplos de representações humilhantes de mulheres brasileiras nos meios de comunicação daquele país.

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/01/estudantes-brasileiros-sofrem-xenofobia-em-portugal.html
http://www.viomundo.com.br/denuncias/o-combate-ao-preconceito-contra-as-brasileiras-em-portugal.html

também não sei em que sangri-la vcs vivem que o homem europeu é feminista sendo o maior consumidor de mulheres traficadas no mundo inteiro pra fins de exploração sexual.

eu me solidarizo com as mulheres europeias, com as brasileiras que são traficadas pra alimentar o maior mercado de exploração sexual do mundo, com as que estão aqui denunciando 500 mil estupros por ano. com as meninas da africa que são estupradas por soldados franceses da onu e com as mulheres muçulmanas que tem seus direitos negociados no mercado da demagogia teocrática. e faço isso tudo sem recorrer a expediente neo-colonialista e viralatismo barato. tentem vocês também. aviso que não dói não. :-)

Roxy Carmichael disse...

pra isso meu povo basta substituir viralatismo por estudo, diria bela gil.
vão estudar. busquem conhecimento, diria o et bilú.
pq se estudassem vcs ficariam sabendo, por exemplo, que o afeganistão vivia até que numa mais ou menos boa sob influencia soviética, quando os estados unidos começaram a injetar muito dinheiro em grupos extremistas que eram contra a proposta soviet de mulher estudar, chegando a financiar inclusive um grupinho que tinha como principal estratégia jogar ácido na cara das afegãs que andavam sem véu.

Roxy Carmichael disse...

tudo isso só pra minar a influencia soviética na região já que cada quadradinho do globo tava em disputa na guerra fria.

Anônimo disse...

(Viviane)
Obrigada, Roxy (ao Donadio também)! Diferente de vc, eu me dei ao trabalho de ler. Só não digo que é abjeto pelo ridículo da situação: brasileiros achando que serão tratados como "brancos" na Europa. Jean Charles, infelizmente, pagou com a vida por não ser "branco padrão europeu"...

Anônimo disse...

(Viviane)
Geraldo Alckmin, é você?
Não é, mas sua frase parece muito com a do gov de SP sobre Pinheirinho: "Quem não reagiu está vivo". Eu só não sabia que a Scotland Yard havia feito treinamento com a PM de SP...

Anônimo disse...

Roxy

" também não sei em que sangri-la vcs vivem que o homem europeu é feminista sendo o maior consumidor de mulheres traficadas no mundo inteiro pra fins de exploração sexual."


Que o homem Europeu não feminista por padrão acho que qq uma sabe, mas pergunto quantos dos europeus usam mulheres traficadas, sabendo que elas foram traficadas?

Trafico humano e algo que fere todos valores de liberdade e respeito dignidade humana que se possa imaginar, e isso os europeus em sua maioria respeita muito atualmente.

Se nos precisamos estuda, você precisa pensar melhor antes de escrever o que te passa na cabeça.

Anônimo disse...

A Roxy enxerga na violência dos imigrantes islamicos contra os europeus nativos uma forma de revanche geral contra o que fazem contra os latinos, todo discurso da Roxy trata-se disto, revanchismo puro polidinho.
Não vai funcionar queridx, os ilamicos nos consideram coisa pior e mais depravada e imoral que os europeus.

Anônimo disse...

Viviane você só esqueceu de citar que dias antes terroristas tinha matado dezenas de pessoas em ataques com bombas a ônibus (pra variar) e que um homem moreno correndo da policia com uma mochila nas costas em uma estação de metrô num país aterrorizado não justifica o que ocorreu mas explica.

Influência sovietica? kkk, vai perguntar a um polonês e a um ucraniano de mais idade o que eles acham da influência soviética, e o mesmo que perguntar a um tibetano sobre o influência chinesa no país deles, ou sobre os massacres dos vietnamitas do norte sobre sob influência sovietica aos do sul depois que os americanos foram chutados de lá, pergunte também sobre o que ocorreu com os comunistas iranianos que apoiaram a revolução depois que os xiitas do Aiatolá chegaram ao poder (todos fuzilados como infiéis mesmo tendo apoiado a revolução)
No puteiro da Geo Politica mundial não existem meretrizes santas fi, vai estudar. .

Anônimo disse...

(Viviane)
Pois é, Roxy, eu citei o Jean Charles e esse povo nem pra pesquisar no Google e evitar passar vergonha. Qual a dificuldade, Brasil?
À anônima que teve a pachorra de dizer que eu fiz isso para "passar pano para macho muçulmano": além de não usar o Google, também não leu meus comentários anteriores, né? A vontade de falar besteira é maior...

Anônimo disse...

(Viviane)
Mas que beleza, anon de 18h54! Quer dizer que você explica a cagada da polícia inglesa assim, como se eles tivessem o modus operandi da polícia brasileira?
Além disso, isso não muda em nada meu ponto: a citação foi unicamente para mostrar a esse bando de reaças iludidos como nós, brasileiros, somos vistos pelos "arianos". Mas, pelo visto, não só não adiantou como vieram mais iludidos como você "explicar" o homicídio do brasileiro...

André disse...

Danizinha,

Li o post dela e o post dele, onde ele pede que os conselhos sejam dados inbox. Quando um amigo faz cagada o que eu não faço é divulgar isso na internet. Muito menos se envolver uma criança.

Anônimo disse...

André, depende da cagada né?
Essa cagada envolve apenas uma pessoa, ou todo um povo, uma etnia?
Outra: ela se sentiu à vontade para fazer o mesmo que ele fez com ela anos atrás.
Por fim, a intenção do post dela é justamente proteger a criança, isso é tão óbvio que não vou me alongar mais.

Danizinha (postei como anônimo porque estou no celular do marido)

Anônimo disse...

Sabem sim. Digo mais. Qualquer homem que se utiliza da prostituicao sabe que ha uma relação de subjugação e exploração. Nao estão nem ai. Qualquer pessoa sabe que alguém que e estrangeiro e não fala sua língua se esta num bordel tem grandes chances de ser escrava. As noticias estão ai o tempo todo. Deixa de hipocrisia

André disse...

Danizinha,

Ele expôs na internet um erro dela com o filho? Então agora está 1x1? Suponho que o placar não vai mudar mais já que ele pediu que os conselhos sejam dados inbox. Não se protege uma criança expondo-a na internet. O próprio ECA diz isso. De qualquer forma esse não é o meu conceito de amizade.

Anônimo disse...

"mas pergunto quantos dos europeus usam mulheres traficadas, sabendo que elas foram traficadas? "

Até porque precisa de todo um estudo pra saber se uma mulher que mal fala a sua língua foi ou não traficada, né jovem? Realmente é extremamente difícil, precisa de toda uma investigação mesmo e uns 5 mestrados em criminologia.......................................só que não.

Anônimo disse...

"Trafico humano e algo que fere todos valores de liberdade e respeito dignidade humana que se possa imaginar, e isso os europeus em sua maioria respeita muito atualmente."

Alguém tá achando que A EUROPA é, sei lá, do tamanho de Mônaco. Realmente o ensino brasileiro está uma desgraça.

Anônimo disse...

Anonima 06: e 37

Isso não da para generalizar, assim como tem as mulheres que foram traficadas para a Europa, tem mulher que vai de proposito para se prostituir por lá, pois vão ganhar em Euro, morar em um a região mais desenvolvida do mundo entre outros motivos.

Outra coisa nem todo homem que vive na Europa e Europeu, e já foi feito estudos que mostram que quem faz bobagem lá a maioria e estrangeiro ou filho de estrangeiro, logo nem tem a cultura Europeia.

Anônimo disse...

Europeu explora mulheres também? Sim.
Cristão já fizeram/fazem tanto quanto ou mais barbaridades que muçulmanos? Putz.. alguém ainda tem dúvida???
Brasileiro é misógino/tem complexo de vira lata/xenofóbico/whatever? Nem vou me dignar a responder essa!!!

Falando especificamente da Alemanha, que é onde moro: Alemão é provavelmente o povo mais xenofóbico da face da terra. Uma vez achei que era só com os latino-americanos, africanos e asiáticos. Não. Eles desprezam tudo e especialmente TODOS que não são alemães. Conheço americanos, holandeses, ingleses que já receberam o mesmo tratamento que qualquer outro estrangeiro. Morando aqui todo esse tempo eu entendi por que aconteceu o que aconteceu aqui no passado.

Só que vocês percebem como tudo isso tira o foco da questão - MULHERES ESTÃO SENDO VIOLENTADAS. Todos esse revanchismo, dedos apontados é uma desculpa para deixar as coisas como estão e não fazer nada a respeito?

E quem tanta compaixão assim com refugiado estuprador - não precisam perder o sono - o governo já está elaborando cartilhas, recebemos instruções diariamente de como não sermos estupradas e gente arrumando desculpa para eles não falta. Eles vão continuar estuprando, vão continuar livres usufruindo dos benefícios que estão sendo concedidos, fazendo o que sempre fizeram com suas compatriotas e com as europeias e mulheres vão continuar sendo julgadas e sentenciadas pela violência que recebem...

O mundo vai continuar sendo o mundo, para homens sempre haverá desculpas e para as mulheres a culpa...

Jane Doe

Amanda disse...

Jane Doe

" O mundo vai continuar sendo o mundo, para homens sempre haverá desculpas e para as mulheres a culpa"

E dai vamos simplesmente permitir isso sem fazer nada? para que serve o feminismo sem luta?

Quanto aos abusadores islâmicos na Europa e no mundo a fora, o que esta acontecendo me lembro um poema:


Na primeira noite, eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim: não dizemos nada. Na segunda, já não se escondem. Pisam as flores, matam o nosso cão e não dizemos nada. Até que um dia o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz e, conhecendo o nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E já não podemos dizer nada.



Em resumo ou nos lutamos agora que somos maioria e podemos vencer, vamos ser vencidas por nossa omissão e por nossos inimigos.

donadio disse...

""O seu catolicismo é tão assustador para eles quanto o Islã""

Leia assim:

""O seu catolicismo é tão assustador para eles quanto o Islã""

Não o catolicismo do papa ou ou catolicismo do francês médio. O catolicismo à brasileira, misturado com as superstições de praxe.

donadio disse...

"feminista que não fica citando Jean Charles pra pra passar pano pra macho muçulmano"

Leia-se, "feminista que paga pano para neonazista europeu e para o Estado patriarcal".

donadio disse...

"um homem moreno correndo da policia com uma mochila nas costas em uma estação de metrô num país aterrorizado não justifica o que ocorreu mas explica"

Duas coisas aqui:

Primeiro, o Jean Charles não correu da polícia. As câmaras de segurança demonstraram isso claramente. Não passa de mentira da polícia (sei, vira-lata não consegue conceber a ideia de que polícia europeia ou norte-americana mente, mata inocentes, etc., mas é verdade).

Segundo, muito engraçado o "não justifica mas explica". A França invade a Argélia e a Síria, submete esses países a meio século de exploração colonial, com direito a assassinatos em massa, e se alguém ousa levantar esses fatos históricos mais do que documentados, está "justificando" atentados terroristas. O outro vai viver pacificamente em Londres e é brutalmente assassinado por uma polícia racista e incompetente, mas, ah, está explicado: outras pessoas, que não tinham nada a ver com ele tinham cometido atentados dias antes, deixando policiais profissionais especializados no combate ao terrorismo "em pânico", coitadinhos.

É o contrário: para entender por que imigrantes e refugiados do Oriente Médio se comportam na Europa, é preciso entender as relações entre Europa e Oriente Médio nos últimos duzentos anos. Sem esse entendimento, não é possível melhorar nada; vai se ficar repetindo asneiras sobre textos de 1300 anos atrás e propondo resolver problemas que foram causados pela brutalidade do colonialismo com mais brutalidade colonialista.

E para entender o que aconteceu com o Jean Charles é preciso entender o racismo das polícias europeias, não ficar repetindo mentiras que no fundo visam apenas reforçar a velha ideia de "branco correndo é atleta, negro correndo é ladrão".

Anônimo disse...

Se vocês lerem as teorias de Marcuse vão entendem exatamente do que o donadio fala;
"Estes europeus fizeram por merecer, colonialistas seus antepassados agora os imigrantes vão vinga-los com a revolução islâmica na Europa"
Nada diferente do que ele diz:
"A elite tem que ser tirada de sua zona de conforto pelos revolucionários do crime periferico, tomara que sofram muitos latrocínios"

Para gente com a mente como a do Donadio, terrorismo e crime são exatamente isto, ferramentas revolucionárias

Anônimo disse...

Olha, Amanda... quer saber?

A extrema direita tem ganhado exponencialmente mais adeptos todos os dias. Já ouvi inúmeras vezes grupos de pessoas comentando que talvez Hitler não estivesse assim tão errado. É galera, tá chegando nesse ponto...

Por mais abjeta que esse tipo de gente seja, por mais horrenda que sejas esse ideais e sabendo que eu seria a próxima depois desses refugiados a ser colocado nos campos de concentração, eu tenho que admitir uma coisa - eles fazem o que tem que fazer pra defender e colocar em prática a sandice deles.

Enquanto isso a esquerda, moderados e algumas feministas ficam igual a cachorro medroso, rosnando e tremendo escondidos atrás de uma muralha de demagogia, apontando o dedo pra ver quem mais ter culpa no cartório ao invés de arregaçar as mangas e fazer alguma coisa, com medo de magoar os sentimentos de calhorda criminoso.

Vou repetir aqui ad nauseam: As verdadeiras vítimas dessa guerra, da exploração colonialista e dos efeitos coletarias advindo de toda essa tragédia vão continuar sendo vítimas, vão continuar a pagar o preço e vão continuar não recebendo o acolhimento e ajuda que tanto necessitam. Elas só serão lembradas quando esquerda e direita, moderados ou radicais precisarem de uma bucha de canhão.

Jane Doe

Anônimo disse...

Quero parabenizar os comentários da Roxi, do Donadio e da Viviane, pelo visto vozes lúcidas em meio ao mar de bostejo que tá a caixa de comentários deste texto. Sério galera, daonde vcs tiraram que problematizar a atual geopolítica sobre a questão dos refugiados, a discussão das consequências do colonialismo e exploração pela "linda, rica, civilizada" Europa aos países do sul é o mesmo que pedir impunidade dos agressores de Colônia? Sério galera, vamos interpretar o que o/a outro/outra está falando para não sair papagaiando senso comum. É bom deixar bem claro que sim os estupradores de Colônia tem que pagar pelo que fizeram, as mulheres que foram atacadas merecem sim solidariedade pelo que sofreram, mas vamos parar de papagaiar todo tipo de asneiras que é disseminado pelo senso comum sobre a questão dos refugiados, sobre o pessoal árabe muçulmano.

Anônimo disse...

André,
Tá difícil entender que quem expôs o filho foi o próprio pai, né? (Sem intenção, óbvio, mas expôs, se analisarmos o contexto)
Talvez vc não tenha sido uma criança negra em um país racista, então é de se esperar que não entenda mesmo. Volto a afirmar que o texto todo visa proteger a criança.
E te garanto que a maioria esmagadora das pessoas entendeu isso, é só olhar os comentários e compartilhamentos do post dela.
O post da moça foi tão repleto de amor, acolhimento e compreensão que não preciso acrescentar nada. Apenas desejo a você um pouco desse amor.

Danizinha

Anônimo disse...

(Viviane)
Anon de 11h18, obrigada pelo elogio (e por me colocar, ao menos neste tópico, no mesmo patamar da Roxy e do Donadio. É uma honra, rsrsrs). É sempre bom, nessas horas, lembrar da frase de Lewin: "Não há nada mais prático do que uma boa teoria". Debater as questões evita que tentemos soluções de tentativa-e-erro, que podem dar um alívio temporário, mas o problema volta sempre pior.

Anônimo disse...

Então se um bando de brasileiros se juntar para atacar mulheres portuguesas em Portugal vamos justificar dizendo que os portuguesas estupraram as índias e as africanas?

Ou falaremos também das relações de exploração entre Brasil e Portugal por 300 para explicar tal comportamento?


Amanda disse...

Anonima 11:18

" mas vamos parar de papagaiar todo tipo de asneiras que é disseminado pelo senso comum sobre a questão dos refugiados,"

Você esta sendo irracional ao dizer isso, no senso "comum" sobre os islâmicos tem muita bobagem, mas tem coisa certa também, o que você disse lembra a machistada dizendo que toda mulher e interesseira, só por ser mulher.


Anonimo das 12:26

" Ou falaremos também das relações de exploração entre Brasil e Portugal por 300 para explicar tal comportamento?"

Eu não vou falar, pois uma coisa não tem relação com a outra, e mesmo que tivesse um erro jamais vai justificar outro erro.

André disse...

Danizinha,
Uma família (porque a mãe, que se identifica como negra, também estava lá) vai no Carnaval usando fantasias. O pai de Aladim e o filho de melhor amigo do Aladim. Postam fotos no facebook, como milhares de outras famílias fazem. De repente isso vira um caso nacional de racismo. E a amiga acha bacana repercutir o caso. Desse tipo de amor eu abro mão.

Rafael disse...

O homem consumidor de prostituição é tão criminoso quanto aquele que trafica a mulher.

Roubar, não é crime (art. 157)?
Receber produto de roubo também não é crime (art. 180)?

Então receber serviço de escravo (escravidão direta ou indireta) TAMBÉM deveria ser crime. Simples assim.

Anônimo disse...

André, o caso saiu em vários site. Já estava bem repercutido.

André disse...

15:30,

Sim. Mas nenhum desses sites eram amigos pessoais da família.

Anônimo disse...

o "13 de fevereiro de 2016 07:12" defende o estupro descaradamente e acha que está tudo bem, porque "A Europa" é maravilhosa. Ainda que fosse uma piada, seria terrível do mesmo jeito.

Roxy Carmichael disse...

pergunte a qualquer mulher afegã se ela preferiria viver no afeganistão dos anos 60 ou agora sob o jugo do talibã (lembrando que o talibã só é o que é hoje pela mãozinha amiga dos EUA). pergunte também às iranianas (que são metade dos indivíduos universitários no país, sem contar que existem mulheres iranianas diretoras de filmes aclamados no mundo todo) se elas não tão afins de se mudar pro país BFF das potências ocidentais, arábia saudita.

estamos totalmente de acordo anônimo: não existem santas nem putas na geopolítica internacional. e é exatamente por isso que essa defesa dos "valores" ocidentais, das mulheres ocidentais (em detrimento de todas as outras) e até dos homens ocidentais "que prezam acima de tudo pela dignidade humana" parece atrasada uns 500 anos.

isso não significa que não devemos nos solidarizar com as vítimas, sejam elas da alemanha, da república centro africana ou do brasil. porque o problema que deveríamos estar discutindo agora é que a violência machista é uma epidemia e a onu prevê que 7 em cada 10 mulheres no mundo serão vitimadas.

por isso, 500 mil estupros subnotificados no brasil, alemãs estupradas numa festa de ano novo, refugiadas tendo que pagar o asilo no país europeu shangri-la com sexo (estupro), crianças africanas estupradas por soldados franceses das forças da onu. e ao dizer isso não tô dizendo que suécia e paquistão são a mesma coisa.

só tô dizendo que quando era conveniente aos interesses geopolíticos, as potências não fizeram nenhuma cerimônia em invadir países, impor conflitos bélicos, causar uma instabilidade política inimaginável, apoiar extremistas da pior espécie (do afeganistão aos neonazis ucranianos) e quem pagou a conta foi e continua sendo as mulheres seja lá na síria e no iraque oprimidas pelo estado islâmico, sejam as europeias e as mulheres refugiadas que tão pagando com sexo a permanência delas nesses países. em resumo não só tem muito mais gente envolvida e com muita responsabilidade nisso, como é um problema de todos e que exige uma leitura histórica e conjuntural bastante mais complexa que essa palhaçada neocolonial, islamofóbica, racista, xenófoba, que pode beneficiar uma galera, a qual definitivamente não fazemos parte enquanto mulheres latino americanas.

pra quem insiste na desonestidade: aos estupradores da onu, da europa ou os indivíduos com feições da africa do norte em colônia, o rigor da lei e muita educação centrada na questão de gênero pra essa e pras proximas gerações. o resto é xurumela.

Anônimo disse...

"Você esta sendo irracional ao dizer isso, no senso "comum" sobre os islâmicos tem muita bobagem, mas tem coisa certa também, o que você disse lembra a machistada dizendo que toda mulher e interesseira, só por ser mulher."
Olha, sinceramente não entendi muito bem o que você quis dizer com essa comparação.
Anonimo das 12:26
É, pelo visto você entendeu direitinho o que foi problematizado #Sóquenão para ficar insistindo no ponto de que discutir a dívida histórica dos países europeus para com os países de Terceiro Mundo é o mesmo que dizer que as mulheres européias "mereceram" o estupro, tipo aonde que está escrito isso? De novo, leia o que se está querendo dizer com isso, o que está sendo problematizado para não ficar repetindo besteira, daí você vai ver que ninguém tá justificando o que aconteceu com essas mulheres em Colônia, só que a partir disso abraçar discurso reaça anti-imigração é no mínimo ingenuidade e desinformação de um assunto tão complexo.
E de uma vez por todas, ninguém aqui quer que as mulheres européias "paguem" a dívida histórica, vamos interpretar para não ficar passando vergonha, esse assunto é muito complexo e não pode ser tratado de qualquer jeito replicando todo tipo de bobagem, o que está sendo discutido aqui é como a Europa tem tratado a questão da imigração, deixando claro que os responsáveis pelos ataques na Alemanha respondam criminalmente pelo que fizeram. Ninguém aqui quer que eles fiquem impunes, mas não dá para engolir o discurso da reaçada que nas outras vezes da vida tá pouco se lixando para os direitos das mulheres e para as vítimas de estupro, posarem de defensores das mulheres contra os imigrantes "selvagens", "bárbaros" "estupradores", porque enquanto os fanáticos do Boko Haram estupraram meninas nigerianas, e os fanáticos do Estado Islâmico estupraram muçulmanas, e mesmo as mulheres refugiadas que são estupradas por europeus para conseguir asilo esse pessoal não deram um pio, ou melhor dizendo acha mais que as mulheres não ocidentais "pediram" para serem estupradas!

Anônimo disse...

Gostei bastante do texto lola, obrigada por esclarecer. MEU PONTO: se refugiados forem aceitos DEVEM se submeter às leis do país. Se a burca é proibida, pois q não seja usada. Estupro é proibido e errado na maior parte do mundo o problema é CULTURA, se fosse por isso no ocidente n existiria nenhum estupro, no entanto eles existem aos montes. SERÁ QUE TEM GENTE QUE NAO ENTENDEU QUE O PROBLEMA É A MENTALIDADE MISÓGINA E A CULTURA MACHISTA DE SUBMISSAO DA MULHER??? Se isso nao acabar, o planeta inteiro pode ser cristao e os muçulmanos podem até ser extintos mas os estupros continuarão existindo!!!

Anônimo disse...

Engraçado é essa lorota de proteger as mulheres. Pensem só um pouco: pq temos que ser protegidas??? De quem temos que ser protegidas?? Na maioria das vezes que uma mulher é atacada ou agredida é um homem que está atacando. Se você é uma mulher ou homem consciente de que isso é um problema sério vc sabe mto bem que isso acontece pq temos uma cultura misógina e machista e que ela acontece em grande parte do mundo. Por isso, por favor POUPE-ME...eu nao vou cair nessa história de "protejam as mulheres e as crianças" quando todos sabemos que a violência contra milhares de mulheres começa dentro de casa, pelo proprio companheiro!!

Anônimo disse...

Donadio
Sobre o pessoal que tentou minimizar a ação da polícia inglesa no assassinato do Jean Charles: Provavelmente deve ser o mesmo pessoal que justifica/relativiza a ação da PM nos assassinatos do Amarildo, da Claúdia e do garoto Eduardo, porque né se é preto e periférico deve ter andado/corrido de "forma suspeita"!

donadio disse...

"Para gente com a mente como a do Donadio, terrorismo e crime são exatamente isto, ferramentas revolucionárias"

Não. Para gente com mente como a minha, terrorismo e crime são tudo, menos ferramentas revolucionárias. São meros sintomas dos problemas profundos das sociedades capitalistas, mas não tem o menor potencial transformador. O que transforma é a ação política organizada e consciente, com programa e método.

Como já disse um aí da turma de vocês, da direita tudofóbica, "explicar" não é o mesmo que justificar. O problema é que vocês só são capazes de articular essa frase tão simples quando o sujeito das ações que vocês querem "explicar" é a polícia (ou talvez somente a polícia branca de países do centro capitalista). Quando o sujeito das ações a serem explicadas é negro, muçulmano, mulher, latino-americano, nordestino, favelado, enfim, o seu "outro absoluto", então qualquer tentativa de explicar as ações é imediatamente denunciada como "justificar o crime".

Não é. É simplesmente parar de pensar sob a lógica da vingança. Nem estuprar alemãs vai resolver o problema do imperialismo e do colonialismo (que está enraizado na forma como o capitalismo funciona, e não na genitália das mulheres alemãs), nem criar uma Ku Klux Klan europeia vai resolver o problema do crime ou do terrorismo (que está enraizado na forma como o capitalismo funciona, não nas mentes distorcidas de criminosos comuns, fanáticos religiosos ou terroristas).

Ao contrário, da mesma forma como estuprar alemãs, em vez de resolver ou mesmo atenuar a violência imperialista do centro capitalista contra a periferia vai apenas criar justificativas políticas e ideológicas para essa violência, expulsar muçulmanos vai apenas fazer com que os próximos atentados sejam ainda mais brutais. No fundo, parece ser isso que vocês querem: uma escalada de violência de ambos os lados, até a destruição total de tudo. E aí vocês projetam esse desejo de destruição nos que se opõem a vocês. Que é o que explica - mas não justifica - o seu comentário.

donadio disse...

"Sobre o pessoal que tentou minimizar a ação da polícia inglesa no assassinato do Jean Charles: Provavelmente deve ser o mesmo pessoal que justifica/relativiza a ação da PM nos assassinatos do Amarildo, da Claúdia e do garoto Eduardo, porque né se é preto e periférico deve ter andado/corrido de "forma suspeita"!"

Nenhuma dúvida. Para esse pessoal aí "terceiro mundo" é a Rocinha global.

********************
Um exemplo de como funciona a mente vira-lata.

Até 2006, esse pessoal sempre apoiou sistematicamente a agressão israelense contra os árabes, por que sempre acharam que as vítimas dessa agressão eram pés-rapados. Aí Israel invadiu o Líbano e não conseguiu impedir a divulgação de fotos dos acontecimentos. Aí os coxinhas brasileiros viram fotografias de apartamentos de classe média alta destruídos pelos bombardeios, automóveis de classe média alta metralhados, crianças brancas - pelo padrão brasileiro - mortas dentro de suas roupinhas confortáveis e caras. E aí, e só aí, caiu a ficha de que o Estado de Israel é uma potência agressora, não um condomínio fechado meramente reagindo à existência de uma favela ali do lado.

donadio disse...

"Então se um bando de brasileiros se juntar para atacar mulheres portuguesas em Portugal vamos justificar dizendo que os portuguesas estupraram as índias e as africanas?

Ou falaremos também das relações de exploração entre Brasil e Portugal por 300 para explicar tal comportamento?
"

Olha, se um bando de brasileiros se juntar para atacar mulheres portuguesas em Portugal, eu acho meio difícil explicar esse fenômeno pelos inumeráveis estupros cometidos pelos colonos portugueses contra índias e africanas.

Primeiro, por que Portugal não está bombardeando cidades brasileiras faz muito tempo, ao passo que os países do Oriente Médio continuam a ser agredidos militarmente todos os dias pelos Estados Unidos e por potências europeias. Brasileiros em Portugal não estão fugindo de guerras provocadas pelos portugueses. Tem gente morrendo todo dia no Oriente Médio, e são parentes, amigos e vizinhos de gente que vive na Europa; não dá para comparar isso com o estupro de uma tataravó "caçada a laço" há duzentos anos atrás (estupro que nossa ideologia corriqueira, aliás, acha bacana por que mostra como nossos antepassados não eram racistas, estupravam gente de tudo quanto é cor).

Segundo, por que esses brasileiros em Portugal dificilmente se identificarão com africanos e índios; ao contrário, mais provavelmente se considerarão "portugueses" ou "descendentes de português".

Agora, vejamos: se acontecesse de brasileiros começarem a se juntar para atacar mulheres em Portugal, isso justificaria a expulsão dos brasileiros que vivem lá? Justificaria uma proibição da emigração brasileira para Portugal? Justificaria teorias malucas sobre como o candomblé ou o kardecismo, ou o sincretismo religioso, ou a miscigenação racial, ou o péssimo hábito tupi-guarani de comer gente, tornam brasileiros particularmente dispostos ao estupro?

Lana disse...

Lacradora