quarta-feira, 29 de abril de 2015

FEZ A COISA CERTA E TEVE QUE MUDAR DE ESCOLA

Este foi meu diálogo recente com a R:

R.: Tenho 16 anos e estudo em uma escola particular.
Hoje, enquanto um professor passava matéria, ouvi um monte de risadas vindo do fundo da classe (sento na primeira carteira). Me virei para ver do que se tratava, e era um garoto chamando a atenção de uma menina. Assim que ela o ouviu e perguntou o que queria, ele tirou seu pênis pra fora, o segurou nas mãos, e ficou balançando pra ela ver. A reação dela foi gritar "Nossa, que nojo!"
Logo depois, já achando absurda a situação, as risadas voltaram. Olhei para trás de novo. Tinham duas meninas dormindo durante a aula, e o mesmo menino que mostrou o pênis, foi em direção a uma das meninas que dormia, tirou o pênis novamente de dentro da calça, e ficou passando no rosto dela, enquanto um de seus amigos filmava todo o ato. (O professor não percebeu nada disso).
Fiquei indignada com o que aconteceu. Deveria ter dito algo na hora, mas me surpreendeu tanto, que fiquei sem reação. Após a aula, fui falar com o coordenador.
A direção, por enquanto, os suspendeu. Mas duvido que levem o caso á diante. Não sei quem será a próxima vítima desses garotos. Pode ser qualquer uma. É uma classe de  45 pessoas, sendo que mais da metade é mulher.
Depois de os dois terem ido embora da escola, mandaram mensagens no grupo de whatsapp da classe dizendo "Quem fica inventando coisa minha ae, quero prova, bando de fdp, se eu descobrir quem foi, vou acabar com a vida da pessoa." Na hora, tomei responsabilidade. Disse que não inventei nada, apenas falei o que vi. E então seguiram-se as ameaças. Ele diz que não sei do que ele é capaz, que vai infernizar a minha vida, me xingou de cachorra, mal  comida, e afins.
Sinto-me ameaçada e não sei como lidar com isso. Nós mulheres vivemos apreensivas ao sair nas ruas, cientes de que a qualquer momento podemos sofrer algum tipo de assédio.
Você tem algum conselho pra esse tipo de coisa?

Eu: Que horror! Tanto isso que aconteceu em sala de aula quanto as ameaças são inadmissíveis. Tire print de tudo e leve à coordenação novamente. Se houver ameaças mais pesadas, leve os prints à polícia e faça BO.
Vc conhece os pais desse rapaz? Eles são ricos, de classe média alta? Poderia ser interessante, de repente, seus pais marcarei uma reunião com os pais dele. Ele está completamente errado, e não tem direito de fazer o que está fazendo. 
Lembre-se, vc é menor de idade, ele também, os pais são guardiões legais. Os pais dele têm que saber o que o filho está aprontando, e saber que existe sim possibilidade d'ele ir parar numa Feben da vida, o que seria aterrorizante.
Tome cuidado, porque vc está sim numa situação de perigo. Há algum coletivo feminista na sua escola? Se não houver, comece um.
Há alguma professora da escola que é mais progressista, que parece ser feminista? Pode ser bom falar com ela.
Não tenha vergonha. Vc está certa. Talvez seja mais eficaz falar pras pessoas (pelo menos as próximas) o que aconteceu do que esconder.
Abração, e me mantenha informada, por favor.

R., cinco dias depois: Hoje, embora os meninos não tenham ido pra aula, a minha classe inteira está a favor deles. Minha mãe conversou com o pai do garoto que fez as ameaças, e ele disse que acha que eu tenho toda a razão. Quer que o filho me peça desculpas pelas ameaças. Mas ele não o fez.
A sala, por outro lado, fica me olhando torto, gritando no meio da aula indiretas pra me atingir. Indiretas no twitter... Ódio pra todo o lado. Você recebe muitas mensagens de ódio também, né? Muito piores do que as que estou recebendo... Não sei como você consegue lidar com isso, sério. Chorei muito desde que tudo isso começou e a única solução que consigo pensar é ir para outro colégio.
Você deve ser muito forte pra aguentar tudo isso!

Eu: Que absurdo tudo isso! Acho que não deveríamos ficar surpresas neste mundo machista que a turma ficou do lado dos garotos. Mas mesmo as meninas? E a menina em que o rapaz estava passando o pênis no rosto enquanto ela dormia?
Pois é, eu recebo muitas ameaças, direto, e é mesmo uma droga. Não se se aguentaria tudo isso se tivesse 16 anos.
Será que mudar de escola resolve? Bom, espero que sim! Se isso te consola, saiba que vc está com toda a razão. Vc fez a coisa certa! Eles é que estão errados. E vc conseguiu ajudar algumas meninas. Vc teve muita coragem, coragem que esses covardes não têm. 

R.: Lola, a menina em quem ele passou o pênis acabou por ficar do lado dele. Disse que ele era amigo dela e que foi apenas uma brincadeira.
O que mais me decepciona é o machismo presente nas meninas... Mas acabei por mudar de escola. Tudo piorou muito quando os garotos voltaram às aulas.
Muito obrigada por ter escutado o meu caso na escola Desejo tudo de melhor pra você, você é uma mulher forte e com bons valores. Sério, te admiro muito!

Eu: Que absurdo! Fico muito revoltada com essa história. Vc fez a coisa certa e vc que teve que mudar de escola!
Já já vc vai pra faculdade e fica livre de muitas dessas pessoas sem noção...

102 comentários:

Raven Deschain disse...

Eca. O cata esfrega o pau na cara dela e ela fica do lado dela pa são "amigos". Mas não existe mulher machista, imagina.


Tomara q ela nunca beba perto dele.

Kittsu disse...

Gente, mas que desgraça...

Sandra Belutti disse...

Fico abismada ao saber de um caso desses! Ela fez bem em mudar de escola! Tomara que na escola nova ela tenha aulas com professores vivos, que além de darem aulas não mecanicamente, vejam o que acontece ao redor deles. Tudo isso acontecer numa sala de aula e professor não ver?????

Julia disse...

Pra mim ela ficou com medo de sofrer as mesmas coisas que a R.

Anônimo disse...

Certeza que a menina que sofreu o abuso (penis no rosto enquanto dormia) ficou com medo de ser rechaçada como a autora do post foi. Que nojeira, merda de escola, de coordenadores e professores.
Na minha época (terminei o ensino médio em 2004) era comum os rapazes fazerem essa brincadeira entre eles, com as meninas eram piadas em relação ao peso, vida sexual, inteligência, etc.

Eu sofria na aula de educação física, meus seios balançavam muito e os meninos (e também as meninas "populares", na onda deles) faziam piadas. Eu me sentia muito humilhada e sempre que podia me abstinha de fazer a aula. odiava a educação física. eu falei com o professor varias vezes, mas ele achava que era preguiça minha, e chegou a me colocar de recuperação alguns bimestres. até que a minha mãe interveio, falou com ele sobre o meu problema, e ele me deu outras atividades (tipo ping pong e tarefas de pesquisa/produção de texto na biblioteca).
Ainda bem que passou, odeio a época escolar, zero saudades.

Anônimo disse...

Eu sinceramente não entendi qual o motivo de perguntar se os garotos ou seus pais eram ricos ou de classe média alta.

Jonas Klein disse...

Tem quatro coisa a serem pontuadas aqui.

"Assim que ela o ouviu e perguntou o que queria, ele tirou seu pênis pra fora, o segurou nas mãos, e ficou balançando pra ela ver."

"foi em direção a uma das meninas que dormia, tirou o pênis novamente de dentro da calça, e ficou passando no rosto dela"

Se esse merda fosse meu filho ele nunca mais ia apronta uma destas, ele ia ver e bom pra tosse.

"(O professor não percebeu nada disso)."

Será que não percebeu nada mesmo? ta estranho esse papo ai.

"A direção, por enquanto, os suspendeu. Mas duvido que levem o caso á diante."

Só isso? deveriam ter expulso de escola na hora, além disso estes lixos deveriam responder criminalmente por isso.

" Disse que ele era amigo dela e que foi apenas uma brincadeira.

O que mais me decepciona é o machismo presente nas meninas."

Olha neste caso em particular, acho precipitado dizer que teve machismo influenciando a atitude dela, sem pelo menos ter mais detalhes do que ocorreu.

Se fosse totalmente contrario o que vocês acham que o muleke ia fazer?

Eu tenho 90% de certeza que ele ia dizer não ta tudo bem, ele e amigo dela por isso ia perdoar.

E dai iam ser o que femismo? misandria do pobre garotinho?

Eu sei que machismo apesar dos avanços e forte ainda nos dias de hoje, mas vamos pensar bem antes de fazer sertãs afirmações.

Anônimo disse...

detalhe, sempre faziam piadas e insinuações sexuais, sendo que eu era bem tímida, tudo por conta dos peitos grandes. Faziam como esses rapazes, chamavam a atenção e logo estavam fazendo linguinha, imitando boquete, espanhola, etc etc. Eu me sentia muito envergonhada e humilhada. me chamavam de vadia e vagabunda, tudo por conta dos peitos, sofri muito. Os professores nunca viam porra nenhuma. Escola particular, classe média e média alta, e é o funk da periferia que está sexualizando a juventude. aham, senta lá reaça.

Anônimo disse...

" Lola, a menina em quem ele passou o pênis acabou por ficar do lado dele. Disse que ele era amigo dela e que foi apenas uma brincadeira"

Na hora que um marginalzinho fizer coisa pior com ela, espero que ela leve na brincadeira também.

Julia disse...

E a escola de boinha com isso tudo.. Cultura de estupro é só na Índia, né?
Se fosse uma menina que levantasse a saia e ficasse exibindo a bct, o que ela seria mesmo? E se um garoto se achasse no direito de mexer com ela depois a culpa ia ser dela, né? Nunca passei por coisa parecida na escola mas uma vez um grupo de moleques resolveu fazer bullying com uma colega no meio da aula e o professor nem aí. Pois eu levantei e comecei a fazer um fuzuê naquela sala. Se não iam fazer nada com eles não iam fazer comigo também. Aí eles pararam porque morriam de medo de mim.
E eu nem era feminazi ainda rs

Anônimo disse...

Vou dar o mesmo conselho que dei em outro tópico: Ministério Público. A adolescente pode ir sozinha ou acompanhada dos pais até um promotor da infância e juventude (olha no Google o fórum na sua cidade que tem essa vara) e relatar o ocorrido, para cobrar providências da escola.

Anônimo disse...

Não precisa marcar hora nem nada, chega lá e pede pra falar com o promotor. Não precisa de advogado também.

Anônimo disse...

dale Julia, quem dera fosse minha colega. eu era uma molenga. :(

Lila disse...

anonimo das 16:06 acontecia quase o mesmo comigo na escola, tb não fazia educação física por conta dos seios, passei a minha adolescencia inteira me escondendo e usando as roupas mais largas possíveis. Só recentemente adquiri confiança em mim e no meu corpo, espero que vc tb tenha conseguido!
fique bem :)

Lila disse...

alias, anonimo dos 16:02, desculpa rs

Arnold Sincero disse...

Morau da estória:

Naun defenda mulheres nunca pq si naun elas si voltan contra voçe.

éh o q mereçe por ser otária e defender mulher.

rsrsrsrsrs

eita Arnoldo vc táh impóssibru hoje hein!?

obrigado! sei que sou fodaun!

oh!

Anônimo disse...

ai lolitcha, que saco esse ser escrevendo errado de propósito só pra chamar a atenção. é tão xoxo, tão sem propósito que não dá nem raiva nem vontade de rir... hunf.

Anônimo disse...

"Vc conhece os pais desse rapaz? Eles são ricos, de classe média alta? Poderia ser interessante, de repente, seus pais marcarei uma reunião com os pais dele."

Não entendi. Ql a relação das atitudes do garoto com a situação financeira da família? Pobre tb não pode ter atitudes escrotas?

Anônimo disse...

Pode, anon das 16:39. Mas se o rapaz infrator for de família abastada, as chances de ele ficar completamente impune são de quase 100%. A escola não quer perder o aluninho de "boa família", e o papai pode pagar bons advogados, e pagar pra calar a boca de todo mundo.
Se restam dúvidas, pesquise sobre o caso do adolescente filho do roberto marinho que estuprou a colega de 14 anos dentro da escola, e continua bonitão por aí.

Anônimo disse...

Depois vem gente dizendo que "vai ter pinto sim no feminismo, e se reclamarem vai ter dois, três, milhares deles..." e as 'feministas' que não querem ser excludentes com os pobres portadores de pinto aceitam esse tipo de discurso e o reproduzem contra outras mulheres.

@vbfri disse...

Mas tá tudo do avesso mesmo!
Olha, ou o pessoal da minha escola era muito tonto, ou eu, ou sei lá... Eu terminei a escola em 1998 e nunca tinha ouvido uma coisa dessas...
Tem que processar a ESCOLA. Como ASSIM o professor "não viu nada"?? Ainda mais com um negócio recorrente desses?? Que p... de escola é essa???
E a menina que teve o pau esfregado na cara fica do lado dele???
Ah, nem! Tá tudo errado...

Jonas Klein disse...

Anon 15:57

"Eu sofria na aula de educação física, meus seios balançavam muito e os meninos (e também as meninas "populares", na onda deles) faziam piadas. Eu me sentia muito humilhada e sempre que podia me abstinha de fazer a aula. odiava a educação física"

Bom aqui vem ao caso, aquilo que já falei aqui sobre falta de preparo que de muitas mulheres pare lida com certas situações, eu não sei que diziam nas piadas sobre você, ate que você se sentisse incomodada com isso dependendo que era dito tudo bem, mas dai a se sentir humilhada, isso já demostra falta de ego para enfrenta isso sem deixa a situação te afeta psicologicamente, claro que isso não culpa sua, seus pais e que deveriam ter preparado você melhor para enfrenta os(as)idiotinhas de plantão na escola.


Quanto ao Arnold

Eu não sei o porque A Lola ainda publica os comentário dele, o cara e uma nulidade que não agrega nada e ainda se acha o dono da razão, e não tem palavra também, pois já prometeu que não ia mais enche o caso aqui e voltou.

Anon 16:39

Nem adianta reclama isso e cacoete de esquerdista, não tem concerto isso, pois a ideologia sempre fala mais alto que razão.

Death disse...

Quando estudava no noturno do ensino médio aconteceu uma situação parecida.

Um aluno se masturbava atrás de uma menina até ele ejacular no cabelo dela, a menina estava dormindo e não percebeu nada, claro.

O pessoal mal encarado riu, outros que estavam cansados após um dia de trabalho nem perceberam (eu acho) e o professor se viu fingiu que não.

Só que eu notei e denunciei o acontecido a diretoria da escola. O que aconteceu comigo? recebi inúmeras ameaças (sei a dor da R.) e tive que mudar de escola.

O menino não recebeu nenhuma sansão além de uma suspensão de três dias.

Anônimo disse...

Cabe providência do MP e cabe ação civil contra a escola pedindo danos morais. Seria importantíssimo que a família da adolescente levasse isso à justiça, porque lamentavelmente ~certas instituições~ só resolvem fazer alguma coisa quando a porrada no bolso é grande.

Anônimo disse...

"Bom aqui vem ao caso, aquilo que já falei aqui sobre falta de preparo que de muitas mulheres pare lida com certas situações, eu não sei que diziam nas piadas sobre você, ate que você se sentisse incomodada com isso dependendo que era dito tudo bem, mas dai a se sentir humilhada, isso já demostra falta de ego para enfrenta isso sem deixa a situação te afeta psicologicamente, claro que isso não culpa sua, seus pais e que deveriam ter preparado você melhor para enfrenta os(as)idiotinhas de plantão na escola."


Jonas, a tua falta de capacidade de se colocar nos outros chega a dar pena. Triste. Afinal, é claro que a culpa é dos pais da moça que não souberam educá-la pra lidar com os idiotas, ou até da moça que era sensível demais, jamais seria responsabilidade dos machistinhas adolescentes, jamais. quanto mimimi né, fala sério.

Vivian S. disse...

O que aconteceu é realmente terrivelmente. Não apenas pelo fato em si, mas porque isso de a sociedade, e as escolas em particular, se furtarem de debater com seriedade e de forma adulta essas questões faz com que jovens cresçam sem limites e sem consciência da violência que é um comportamento como esse. É porque não conversamos com nossos alunos, nossos filhos, nossos parentes mais jovens de maneira séria e adulta sobre sexualidade e, mais que isso, sobre os padrões de sexualidade que existem na sociedade, é que um monte de meninos crescem e viram homens que reproduzem violência contra as mulheres, sobretudo violência sexual.
Gente, era absolutamente necessário que as pessoas dissessem a todo tempo para os jovens coisas do tipo: propor ou aceitar convites sexuais com mulheres visivelmente embriagadas é um atentado a livre escolha, porque a pessoa ali não está no pleno uso das suas faculdades; que além disso é declinar convites desse tipo e não propô-los é também uma forma de os caras não se exporem a uma situação que pode ser considerada assédio pelas mulheres e depois sofrerem consequências legais, enfim, toda uma série de coisas que tem a ver com conduta ética e moral que passam ao largo da educação que os jovens recebem e aí o que fazem? Reproduzem os padrões machistas, misóginos, classistas, racistas... É preciso que as escolas, as famílias e todos nós assumam o desafio ético de formar PESSOAS, e não simplesmente treiná-las para fazer provas, ou ficarem reproduzindo acriticamente a realidade problemática que vivemos.
Escola covarde, professor covarde, menino covarde! Quanto à menina que ficou ao lado dele, ela terá todo o tempo do seu amadurecimento enquanto pessoa para se aperceber da violência que representou o ato de seu "colega". Oxalá consiga.

Anônimo disse...

"Depois vem gente dizendo que "vai ter pinto sim no feminismo, e se reclamarem vai ter dois, três, milhares deles..." e as 'feministas' que não querem ser excludentes com os pobres portadores de pinto aceitam esse tipo de discurso e o reproduzem contra outras mulheres."

Feminismo subserviente ao patriarcado, aqui nós vemos.

Anônimo disse...

Mas gente, que que é isso.

Se fosse comigo, não teria essa de papai rico, não. Meus pais iriam pra cima como uma manada de elefantes, passando por cima de quem ficasse no caminho.
Os pais dessa menina precisam urgentemente ir pra cima dos pais desse moleque. Onde é que ele aprendeu a ameaçar e a "acabar com a sua vida"? Eu hein.

Anônimo disse...

"isso já demostra falta de ego"

É verdade, quem geralmente tem ego gigante é homem, que acha que pode chegar em qualquer lugar e falar para qualquer mulher sobre como ela precisa reagir a uma situação pessoal e estressante que ela viveu.

Olha só! Tipo você, Jonas.

Você lê os comentários? Já viu quantas pessoas te criticam por causa dessa sua mania de menosprezar as experiência das mulheres e de apontar soluções mágicas para problemas pelos quais você não passa nem nunca vai passar? Ou seu ego gigantesco está te impedindo de assimilar isso?

Anônimo disse...

Eu nunca sento perto de meninos na sala exatamente por esse motivo, para evitar qualquer tipo de assédio, principalmete se um deles se senta atrás de você e fica chutando a sua bunda na carteira "sem querer".

Anônimo disse...

Isso começa com a criação de casa, com os pais e sociedade influenciando o moleque desde cedo a ser o "fodão, comedor, cafa", daí ele cresce , vira um bostinha desses e acha que pode fazer merda à vontade. Responsabilizar somente o colégio é tapar o sol com a peneira.

pp disse...

Que dó da menina que ainda ficou do lado do colega doente que a assediou. Ela ainda vai sofrer muito na vida como vítima desse tipo de gente.

Anônimo disse...

Acho que o jeito seria meter processo por danos morais mesmo, na escola ou nos pais do garoto. Sei que parece insensível falar em dinheiro depois de tudo isso, sou muito solidária à autora do post, mas estou falando porque esse tipo de gente só age quando a coisa dói no bolso. Empatia nem tem referência no dicionário deles. E o professor viu sim, eles sempre veem o que os alunos fazem, só que eles simplesmente não se importam. Sério, eles nem ligam. Desde que a turma fique quieta o suficiente pra ele dar aula (ou fingir que dá) os professores não ligam pra bullying, assédio sexual, estupro, ou qualquer coisa que envolva prejudicar os alunos. Onde eu estudava ninguém podia contar com os professores pra nada.

Jonas, você fala como homem, o gênero que é educado desde pequeno pra se impor, aparecer, reagir, não aceitar desaforo. Mulher desde pequena é ensinada a se calar, sumir, se encolher, relevar, aceitar tudo de forma passiva, não podemos nem mesmo elevar a voz-é a primeira coisa que os pais vem nos ensinar. Pode por favor não se usar como padrão pras mulheres, sendo que você nunca foi ameaçado na sua integridade física e sexual e nem foi socializado pra ser um banana que aceita abusos calado porque "è feio" até mesmo falar alto?

Vitoria disse...

Não sei nem o que dizer, que escola de bosta, particular e pior do que a minha, pública e considerada uma das 15 piores da minha cidade (que não é nem um pouco pequena) Alguns professores realmente cagam e andam para muitas coisas que acontecem entre os alunos, preguiça de exercer o seu papel, professor deveria ensinar né? Estudei na particular o fundamental todinho, e sim, os alunos fazem bem o que querem, plaboyzinhos de merda, que professores acham e deixam mandar, desde xingar os outros alunos a agredir fisicamente, sair da sala quando bem entender e mandar na escola, só porque pagam! ahhhh, mas se meu filho for esse tipo de MOLEQUE nojento, ficará sem metade do penis pra aprender .

Anônimo disse...

Mais alguém aqui acha patética essa pose toda que o Jonas faz de sempre correto, honrado, forte, justo, senhor da razão, entendedor dos assuntos, juiz das situações, solucionador dos problemas, pra tentar inutilmente esconder as próprias fraquezas e limitações? Não adianta ele tentar manter essa pose, muita gente aqui já percebeu que ele é só mais um masculinista tosco conservador egóico sem empatia nenhuma pelas outras pessoas, portanto, incapaz de compreender as outras pessoas e o que elas passam e então poder ajudar de alguma forma. Ele só atrapalha, assim como esse palhaço Arnold.

Raven Deschain disse...

Pode ser Julia. Mas eu lembr da época de escola e lbro que haviam meninas tão escrotas quanto alguns meninos. Tomara que não seja o caso. E como disse alguém ali embaixo, se permanecer assim, essa menina vai ser vítima de muito babaca ainda.

Jonas Klein disse...

Anon 17:24

"Jonas, a tua falta de capacidade de se colocar nos outros chega a dar pena."

E a sua alienação da realidade ou falta de reconhecimento dela chega dar nojo.

Se você já frequentou uma escola você sabe bem que para você ser vitima de piadinha de mal gosto e preconceito, e só você fazer ou ser algo que te diferencie da massa de bestas ali, que começam piadas de mal gosto preconceito acontecer, independente de ser uma menina ou um menino, e nem sempre tem machismo por trás disso.

E o que disse esta de pé ainda, para acrescentar eu digo quer as escolas estão sendo fluxas com a indisciplina dos alunos ali dentro, ai os mal educados tomam conta mesmo, e só começar punir com não comporta que as coisa entram nos eixos...


Anos 17:56

Agora sua vez.


"Você lê os comentários?" SIM.

"Já viu quantas pessoas te criticam por causa dessa sua mania de menosprezar as experiência das mulheres e de apontar soluções mágicas para problemas pelos quais você não passa nem nunca vai passar?"

Quando foi que menos prezei a experiência de alguém aqui?

Eu apenas lembro as vezes aqui, que quando, você se prepara lidar com certas citações, tem problemas que não te afetam duramente como afetam, outras pessoas que não estão preparadas para enfrenta certos problemas.

Quanto apresenta soluções magicas eu quero que você, me presente um só caso em que fiz isso que ai já vou tirar o chapéu pra ti.

Anônimo disse...

Bom, quando eu tava na escola eu realmente achava que os professores não conseguiam ver todo mundo.

Quando fui fazer prática de ensino num colégio aí - não só na frente da sala mas como ADULTA - eu via sim. Todo mundo. Cada um deles.

Eu acabei considerando cada aula como "sucesso" quando a molecada largava o celular. Sim. Eu via até o celular. De todo mundo. Como que eu iria ignorar um aluno não só de pé, como de pau pra fora?

Professor zoado esse.

Anônimo disse...

Quando foi que menos prezei a experiência de alguém aqui?

É mesmo, nunca...
Você mesmo disse que todos devem reagir igual a determinada situação porque todos somos seres humanos(ignorando o óbvio, que pessoas são diferentes).
Ou seja, todo mundo deve reagir igual a vc a qualquer coisa.
Acho que foi no post de depilação, fez pouco caso do sofrimento da mulher.

Mariana disse...

É a primeira vez que comento, apesar de ser leitora há alguns anos. Hoje, após um dia difícil no trabalho, li esse post que me revoltou e me enojou, mas, infelizmente, não me impressionou tanto assim. Sou professora em uma escola estadual "barra pesada" no município de Niterói - RJ. Os alunos se agridem o tempo inteiro, verbal e fisicamente, pois muitos deles vivem isso em seu cotidiano -- em casa, na rua, com seus familiares. Em sala de aula, com algumas turmas com 30 alunos, o caos domina. É IMPOSSÍVEL o professor saber de TUDO o que acontece o tempo INTEIRO. Há casos de negligência, sim (pode ter havido isso, nesse caso). Mas o papel do aluno, ao presenciar um caso grave, é falar imediatamente com o professor, antes de recorrer à direção. Isso é uma NORMA ESCOLAR. Nesse caso, compreendo que a aluna se sentiu intimidada (também me sentiria e não sei como iria reagir).

Eu, além de passar conteúdo, explicar, corrigir provas, atender individualmente, passar atividade, também separo brigas, dou esporros, corro atrás de aluno que foge, questiono, converso e até brinco. Mas uma hora cansa levar à coordenação um menino que chama a colega de piranha e, minutos depois, ver a menina em questão correndo atrás do rapazinho. Entendem? É muita picuinha, é muito amor&ódio envolvido. Imaginem ser professor e atender a cada picuinha dessa. Imaginem que uma hora você precisa ignorar porque é algo do tipo "fulaninho sentou no meu lugar". Sabe? Ser professor não é mole não. Ter mil olhos e mil ouvidos e mil vozes. Então, antes de responsabilizarem o professor pelo ocorrido, tentem imaginar o que é estar numa sala de aula com 45 adolescentes.

No mais, desejo toda sorte para a R. em sua nova escola e parabenizo sua atitude em denunciar o corrido. Você foi muito valente! Abraços

Anônimo disse...

Jonas, eu não sei se você é só ignorante ou desonesto, então vou desenhar para você:

"Quando foi que menos prezei a experiência de alguém aqui?"

Toda vez que você vem aqui e fala que uma mulher é fraca, deveria ter reagido de um jeito tal, ou que está fazendo mimimi - como você fez no post post sobre depilação, isso é menosprezo. A pessoa está relatando algo que a fez sofrer, e chega você e fala "ah, isso é simples. É só não ligar. Isso não deveria te afetar". MAS AFETA. Tenha respeito, pelo menos.

"Quanto apresenta soluções magicas eu quero que você, me presente um só caso em que fiz isso que ai já vou tirar o chapéu pra ti."

Em todos os seus comentários você faz isso. Exemplos.

-Bullying? "Ah, não liga, não deixa te afetarem ou você não tem ego"
-Assédio? "Ah, anda armada"
-Estupro?"Ah, aprende defesa pessoal para você reagir"

Você desconsidera que nem todo mundo quer/pode adotar as suas soluções. Se fosse tão simples resolver certos problemas, acredite, já teríamos resolvido. O que você faz, como homem (vindo na caixa de comentários de um blog feminista onde mulheres relatam problemas reais e graves para elas), tratando tudo como se fosse bobeira fácil de resolver, é desrespeito e menosprezo. Já temos homens fazendo isso com nossas experiências em qualquer espaço no mundo real, não precisamos disso aqui também.

Essa é a última vez que me dirijo a você. Não só eu, mas outras comentaristas fizeram críticas parecidas à sua postura. Espero que você as leia e repense sua atitude. Se você não quiser, recomendo que vá dar suas opiniões onde elas são relevantes.

Anônimo disse...

Anon, acho que nem desenhando para o Jonas, ele vai conseguir entender. Ele vive em uma dimensão paralela, em que acredita sinceramente ser a suma autoridade na terra para solucionar todos os problemas femininos com... senso comum. Enfim, acredito que nem valha a pena argumentar com ele pq ele NÃO quer sair da caixinha (mundinho) dele. Deixa ele aí, falando sozinho. Eu já faço isso há tempos. Nem leio os comentários pq sei que já são mais do mesmo de todo dia. O que ele quer aqui mesmo é chamar a atenção para continuar a alimentar o seu já tão insuflado ego. Não adianta ficar apontado falhas, pedindo educação, respeito... nada. Enquanto continuarmos dando atenção - que é disso que ele se alimenta - vai ficar aí dando as soluções mágicas dele. #prontofalei

Anônimo disse...

Concordo plenamente!

Anônimo disse...

Sua linda! ^^

Anônimo disse...

Mariana, na situação que você descreve realmente é mais difícil o professor ver alguma coisa. Estudei numa escola com 60 alunos em cada sala, e realmente eu não podia esperar que eles soubessem de tudo. Mas na escola onde eu passei a maior parte do ensino médio, só havia 30 alunos por sala e os professores viam tudo, tanto que quando os alunos lá do fundão, escondidos atrás de todo mundo, colavam uma questão de um exercício ou distribuíam material paralelo na sala (até catálogo de sex shop uns caras levaram pra sala, pra constranger os outros) eles viam e repreendiam na hora.

Mas quando vinham fazer bullying comigo ou com outra pessoa, geralmente os mais quietinhos e tímidos, que teriam muito mais difuculdade pra responder e fazer reclamações na coordenação? Aí a gente não existia, não tinha nada errado, não era da alçada deles, etc. Esses professores sim tem culpa. São os que poderiam ter feito algo, mas simplesmente não ligam pros alunos.

Raven Deschain disse...

Mariana, em escola pública aim. Estudei em uma sala que tinha 52 alunos.

Em escola particular eles não passam de 25. Impossível não ver todos assim.

Raven Deschain disse...

Eu tb (em geral) pulo os comments do Jonas. Fui ler pq hj ele deve ter falado muita merda.

Falou.

Jonas, cale a boca.

E menosprezar é tudo junto.

Julia disse...

Liga pra elas não, Jonas

https://www.youtube.com/watch?v=E6qZAbZJrFQ

Anônimo disse...

já encontrei o jonas comentando em outros blogs, ocasionalmente em sites de noticias

acho que é só disso que ele vive na vida. sei não

Anônimo disse...

Já estudei em um colégio mas neste caso a professora viu e armou o maior barraco contra um aluno tarado que abaixou as próprias calças e depois abaixou as de uma menina de surpresa. Mas até porque o colégio era evangélico e a maioria dos funcionários também eram, inclusive a professora. Sabem né, geralmente em atitudes ligadas a "imoralidade", nudez e tal os crentes caem matando.

Caio Marinho disse...

Parabéns pela coragem, R. Você foi muito valente ao enfrentar de cara o machismo na sua escola, especialmente, para quem tem 16 anos.

Não se deixe abater, é como a Lola disse: você fez a coisa certa e ninguém pode mudar isso.

Boa sorte na nova escola!

Jonas Klein disse...

Ok chegou momento de eu dar minha cartada final neste post.

Anon 18:35

Embora aja alguns padrões que são predominantes na sociedade, insinuar que todo o mundo se criou da mesma forma, e totalmente desconectado da realidade, e igual e afirmar que por ser homem eu nunca passei por certas coisas, você são sabe como foi a minha vida no passado logo, logo você sabe o que já passei na vida. Cresce criança...


Anon 18:56

No caso do post sobre depilação, a ideia central daquele comentário foi afirmar que aquela mulher, não teria sofrido tanto ou quase nada se ela tivesse dado um foda-se para sociedade, as besteira que ela ouviu não teriam afetado ela emocionalmente. Eu mantenho o que eu disse...


Anon 19:01

A parte inicial do teu comentário já esta respondida.

Na parte das soluções magicas.

Eu nunca disse que o que proponho e fácil de implementar ou iria resolver por completo o problema.

O seu argumento já foi pra lona também. Por fim você gosta de falar em respeito, mas mostra não respeitar quem pensa de uma forma diferente da sua...

Anon 19:18

Atacar o argumentador e fácil, mas trazer argumentos para debater o assunto que bom nem pensa né...

Julia

Você tentou ser engraçada mas eu não achei graça na tua brincadeira, de qualquer forma valeu pela boa intenção.

Anônimo disse...

O retorno do movimento #FreeJonas

Anônimo disse...

#SomosTodxsJonxs

Anônimo disse...

Descobri. Jonas é um troll. Essa argumentação circular denuncia. Plus...

"Ok chegou momento de eu dar minha cartada final neste post."

WHAT THE FUCK?? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Quem, em sã consciência, teria um arroubo de arrogância assim? Esse cara está fora da realidade. Coitado. Só rindo mesmo! haushasuashaushasusah

Anônimo disse...

Ainda não entendi tanto ataque a Jonas. Ele fala muitas leseiras mas não tem nada de ofensivo. Por que não agem assim com DStoffel? Ela também fala muita besteira. Ah, já sei. É porque ele é homem e voces encaram palpite de um homem como uma imposição.

Anônimo disse...

"Pode, anon das 16:39. Mas se o rapaz infrator for de família abastada, as chances de ele ficar completamente impune são de quase 100%. A escola não quer perder o aluninho de "boa família", e o papai pode pagar bons advogados, e pagar pra calar a boca de todo mundo.
Se restam dúvidas, pesquise sobre o caso do adolescente filho do roberto marinho que estuprou a colega de 14 anos dentro da escola, e continua bonitão por aí."

Pobre tb sai impune desse tipo de crime. E ilusão reduzir a questão da impunidade no nosso país apenas a questão economica.

Estudei em ciep no anos 80 e garanto q não tinha gente rica nem de classe media. Um aluno quebrou o braço da professora. Não aconteceu nada com ele tb. A professora e q teve de sair por medo.

Anônimo disse...

Falando em escola, está rolando a maior pancadaria no Paraná contra professores. Várias professoras inclusive foram espancadas por pms.

Anônimo disse...

É mesmo, Jonas, eu sou uma criança (de 28 anos). Como eu posso saber que a socialização é diferente pra meninos e meninas, afinal eu não fui criada por gente, mas por marcianos que não fazem distinção de gênero... nunca vi as meninas da minha família serem criticadas por falarem alto, apanharem por terem respondido a um adulto, nunca me mandaram calar a boca ou falar baixo, porque "é feio" menina falar alto. Nunca bateram nas minhas pernas nem nas de nenhuma menina pra que sentássemos com elas fechadas, pq "é feio" menina sentar de pernas abertas. Nunca nos proibiram de fazer algo dizendo que "não é coisa de menina". Nunca criticaram nossa aparência ou escolha de roupa pq "mocinhas não se vestem/andam/falam/comem desse jeito". Nunca nos disseram pra abixar a voz pq menina "tem que ser educadinha e falar baixinho".

Também nunca disseram ao meu irmão pra calar a boca quando se machucava e chorava, porque "homem não chora" e se ele não parasse iamd ar motivos de verdade pra ele chorar. Nunca ensinaram meu irmão que ele podia fazer coiss que as irmãs não podiam pq ele era homem. Nunca disseram a nenhum menino q não levasse desaforo pra casa. Nunca os ensinaram a resolver as coisas na porrada. Não, o mundo é exatamente como você imagina, com todo mundo sendo criado igualzinho, socialização idêntica, só alguns são mais frouxos que outros, mais fracos, deixam que coisinhas bobas como bullying, perseguição, preconceito e violência psicológica os afetem.

Espera aí, se recusar a aceitar coisas fora da sua vontade e acreditar que o mundo na sua cabeça é real... é coisa de adulto? Sabia dessa não. Sempre achei que fossem características infantis... esse bater o pezinho e dizer "Eu estou certo, você está errado, lálálá, as coisas são do jeito que eu quero e ponto final, vc é feia, boba e cara de mamão" tbm sempre me disseram que é atitude de criança... vixi, fui engada!

Anônimo disse...

Isso de só classe social alta garantir impunidade nem sempre é verdade. Nas escolas públicas, inclusive localizadas em regiões bem pobres, vários alunos tocam o terror contra as colegas e professoras e a impunidade é quase sempre certa, ainda mais se o monstrinho for menor de idade.

Zero disse...

infelizmente vemos que o velho chavão "criança na escola tudo melhora" é groselha.

claro que em pequenos casos pode ajudar, mas mau-caratismo não tem "cura", no máximo é mascarado com cinismo.

e por favor, Jonas pare com essa de "se fosse o contrario". menina nenhuma faria isso, a própria física impede.

pra fazer o que ele fez ela teria de ficar nua, não dá pra abrir só um zíper.

e outra, só de levantar a blusa ela seria "vagabunda" pra todos, imagina ficar nua e se esfregar na cara de alguém?

desenhado, "jênio"?

Zero disse...

o Jonas falando do Arnold, que ele não agrega nada, mas tá pau a pau aí hein, pra ver qual o pior.

pelo menos o "Arnoldo" já vem pintado de palhaço, não tem objetivo de ser serio, já o Jonas Bode...

Anônimo disse...

Lola, vc vai fazer algum post sobre o massacre dos professores no Paraná?

É assim que o PSDB trata a educação no Brasil? Pagando professor abaixo do piso, jogando tanque pra cima deles, negando greve?

To perplexa. Sério. Especialmente com o tratamento que a imprensa chapa branca está dando pro caso.

Governador: não tem greve de professores em São Paulo.

Globo: greve dos professores atrapalha o trânsito

Pra vestir camiseta pirata da seleção do Brasil e tirar selfie com a PM não tem domingo perdido, agora pra brigar pelo cara ou pela mina que tá tentando ensinar e dar oportunidade pro seu filho, aí é o trânsito o problema?

É por isso que esse país é uma merda mesmo, olha o nível das prioridades do povo.

Anônimo disse...

Esse post e sobre a ameaca q a menina sofre na escola ou e para ficar agredindo o Jonas? Deixa o cara....

Mila disse...

Infelizmente, fazer a coisa certa neste país virou sinônimo de ser chata, mimizenta, mal comida e afins.

Anônimo disse...


a) Sou professora de História não aceito que os professores não percebam este tipo de atitude, nosso trabalho é manter a segurança na sala de aula

b) Sou negra e fui boa aluna pois sempre sonhei com a faculdade e estudava muito, sofri racismo e preconceito por ser mulher.

c) Eu nunca esqueci que durante o ensino médio eu tirei 100 em uma prova de física e um idiota espalhou na escola que eu transava com o professor, durante uma aula, na hora do recreio eu dei na cara do garoto na frente de todo mundo, o moleque ficou sem ação e a diretora me deu razão

Anônimo disse...


Vários amigos meus que escolheram a carreira na educação apanharam lá no Paraná. Foi horrível, absurdo

Anônimo disse...

Menina, vc é muito corajosa. Na minha época era exatamente assim, os meninos faziam o que queriam e ninguém falava nada. Queria eu ter tido sua mentalidade e coragem aos 16 anos.

Anônimo disse...

Jonas,

Muito obrigada pela sua opinião, homem. Nós aqui desta comunidade deste site social ficamos lisonjeadas com tamanha demonstração de superioridade masculina, homem. Sua opinião sobre nós é de extrema relevância para nossas vidas e define todos os objetivos do movimento feminista, homem. Portanto, agradecemos de coração pela sua humildade em descer de seu posto iluminado, homem, e vir aqui nos dizer como devemos agir, reagir e nos comportar diante das situações que mais nos afligem, homem. Queremos aqui agradecer com nossa alma e mais sincera devoção por ser este ser bafejado, sapiente, eloquente, loquaz, facundo, parrudo e majestoso, homem, e nos conceder um ínfimo olhar no oceano que é este saber da masculinidade, homem. Nós, mulheres desta rede sociais, aplaudimos de pé sua atitude, homem. Muito obrigada, homem. Seremos-lhe eternamente gratas por mais esta concepção do saber, homem. Fica aqui o nosso sincero abraço e um voto de felicidades, homem. Mais uma vez, não sabemos como agradecê-lo, homem. Não saberia traduzir em palavras como vivemos até hoje sem a sua abençoada erudição, homem.

Julia arrazou!!!!!!!!

B. disse...

"Ainda bem que passou, odeio a época escolar, zero saudades"

Eu, com todas as letras, vou dizer que ODEIOOOOOOO com todas as minhas forçaso ambiente escolar. Odeio até passar na frente de escola, é trauma mesmo.

Não entendo como alguém que, sei lá, sofreu bullying pode ser professor! Eu jamais conseguiria pisar numa escola de novo, quanto mais dar aula pra adolescentes ridículos!

#desabafo

Anônimo disse...

Viram o caso da professora espancada no Paraná? Que horror!

donadio disse...

"Ainda não entendi tanto ataque a Jonas. Ele fala muitas leseiras mas não tem nada de ofensivo. Por que não agem assim com DStoffel? Ela também fala muita besteira. Ah, já sei. É porque ele é homem e voces encaram palpite de um homem como uma imposição."

Hm, não.

É por que a DStoffel fala besteira assim:

"Eu acho [esta besteira]. Na minha opinião [esta besteira]. Pra mim, [esta besteira]."

Já o Jonas tem a seguinte técnica:

"Eu sei [esta besteira]. Eu vim aqui para explicar [esta besteira]. Qualquer pessoa sensata pode ver que [esta besteira]. Como é que ninguém ainda percebeu [esta besteira]? [Esta besteira] é a verdade absoluta, como alguém pode duvidar?"

O senso comum é muito tolo. Mas quando é apresentado como a última descoberta da física pós-quântica, fica insuportável.

Anônimo disse...

Eu era muito criticada na escola, mas por um motivo diferente da maioria aqui, era por não falar alto e nunca fui boa em matemática ou física. Sempre fui melhor em história, geografia, redação e literatura. Aqui as mulheres não falam, gritam muito, mas ao contrário do que pensam, não são empoderadas não, a maioria vivem em função de homens e são muito machistas.

Anônimo disse...

Bem que eu disse que é porque voces encaram palpite de algum homem como uma imposição. Porque tem tanta senhorita que fala besteira por aqui e voces ficam nem aí. Bem, aqui é caixa de comentários mesmo e não de discussão,então tá ok, porque não dá pra discutir com esse tipo de gente. Também acho que Jonas fala muita besteira mas uma coisa que ele disse é verdade: em vez de apresentar argumentos algumas de voces só fazem ficar de grosseria.

Anônimo disse...

O Jonas é chato sim as vezes, mas já vi feministas lunáticas e arrogantes aqui afirmando dizendo que todo homem é naturalmente estuprador e outras baboseiras bizarras, como se fossem uma grande e determinante verdade científica.

Anônimo disse...

Vou fazer coro à Mariana. Em salas super lotadas nao tem como ver tudo não. A menina do post disse que a sala tinha 45 alunos, é muita gente. Mas se eu fosse ela, conversava com os pais para ameaçar espalhar essa notícia da escola, não precisa nem de processo, eles morrem de medo.
E força garota, infelizmente ainda sofreremos as consequências da nossa luta, mas vc fez a coisa certa.

Anônimo disse...

1-Escola, principalmente se for pública, é o inferno na terra, sobretudo pelos demonios que ali estudam, não são todos, mas a grande maioria dos alunos das escolas públicas são violentos e embrutecidos, falo com conhecimento de causa.

2- Jonas,achou que ia conseguir perder a virgindade por aqui? Veio babar ovo de feminista pra ver se fatura uma ppk e só tomou lambada, aprende que aqui não é o seu lugar.

Anônimo disse...

Que nervoso, gente.
Na minha epoca tinha bullying, sim. Terminei o ensino medio em 1992. Sofri bullying desde sempre, mas tambem tinha muitos amigos; entao amenizou um pouco situacao e ficaram as lembrancas boas.
Mas nunca vi nem ouvi falar naquela epoca de bullying com abuso sexual. E olha que o bullying onde eu estudei era feio, e nao so comigo, mas com varias pessoas. Mas esse tipo de bullying de mostrar os orgaos genitais , isso nao tinha. ou se tinha, nao fiquei sabendo.
Mundo ta ficando cada vez pior... :(

Maria Valeria

Anônimo disse...

Em escola pública tem muita violência sim, mas tem alunos de escola particular que é muito violento tbm, mas nesse caso não com professores, com colegas.

Anônimo disse...

Jonas tem uma postura parecida com a de muitas feministas, cheia de pedantismo, ignorância e arrogância.

Anônimo disse...

Cara, em terminei o terceirão em 2000. Como pode as coisas terem mudado tão radicalmente em 15 anos? O máximo que nós "aprontávamos" na sala de aula era jogar bolinhas de papel um no outro e escrever bobagem no quadro!! oO

Jane Doe

Flávia disse...

Pessoal, perdoem-me, mas isso não tem nada a ver com o post.
Eu queria perguntar se alguém poderia me ajudar com uma coisa...

Ontem eu estava passeando com meu cachorro e, como sempre faço, levei uma sacolinha para recolher o cocô dele. Cocô recolhido, continuei caminhando com ele. Ao parar em um poste, percebi que tinha um carro encostando. O motorista abriu a garagem e eu me toquei de que ele ia entrar, então atravessei a rua para não atrapalhar. Já descendo a rua, ouvi ele resmungando. Ignorei. Ele começou falar mais alto, então eu me virei e perguntei o que era. Aí ele começou gritar que meu cachorro estava sujando a calçada dele. Eu mostrei o saquinho e disse que sempre recolho o cocô. Ele continuou gritando, dizendo que ficava fedido por causa do xixi, mandou eu me foder e disse que ia dar veneno pro meu cachorro. Nessa hora eu fiquei muito nervosa. Peguei meu cachorro no colo e fui para perto dele, pedi para ele repetir. Ele novamente mandou eu me foder e disse que daria veneno sim. Ficou me peitando, quase colando o corpo em mim, como se fosse me agredir. Eu gritei de volta, mandei ele baixar o tom de voz e disse que ele que fosse se foder. Disse que envenenar animais é crime e que chamaria a polícia. A mulher dele ficava de longe gritando e me xingando também. Fui para casa e, muito nervosa, liguei para a polícia. A policial que me atendeu pediu que eu me acalmasse e me orientou a abrir um B.O., que poderia ser feito online, mas que se eu quisesse uma viatura iria até minha casa. Pedi a viatura. Uns 15 minutos depois a viatura chegou. Eles conversaram comigo e disseram o que a policial já tinha me dito: teria que abrir o B.O., mas eles não fariam nada a menos que meu cachorro fosse de fato envenenado. O fato de ele ter me agredido verbalmente nem entrou em questão.
Fiz o boletim de ocorrência. Alguém sabe se existe mais alguma coisa que eu possa fazer?
Ele foi extremamente estúpido, mal educado. Agiu assim comigo pois sou mulher. Meu cunhado foi conversar com ele depois, e o babaca parecia outra pessoa. Isso me deixou ainda mais indignada.
Não sei o que sou capaz de fazer se ele cumprir a ameaça.

Anônimo disse...

Eu terminei o ensino médio numa escola particular em 1998 e vi verdadeiras barbaridades acontecer, pelo menos hoje a maioria das pessoas sabem o que assédio moral, bullying e podem tentar fazer alguma coisa. Naquela época, pelo menos na minha escola achavam bonitinho perseguir colegas que não tinham muito a ver com a maioria. Tinha professores e pais que até incentivavam o bullying entre os alunos e filhos de maneira sutil. Um horror, tempos terríveis.

Raven Deschain disse...

Flávia, como vc chamou a polícia a chance de ele fazer algo diminui.

Maaas, tenha carvão ativado em casa, tenha vet na emergência e fique de olho no dog.

Caso ele seja mesmo envenenado, chame a polícia já com a cópia do B.O (que espero que vc tenha feito) e processe. Pra processar vc pode juntar as provas e ir direto na civil. Eles mesmos dão entrada.

Não deixe esse babaca matar seu cachorrinho. Até pq não deve ser o único cachorro da vizinhança.

Kittsu disse...

"Fiz o boletim de ocorrência. Alguém sabe se existe mais alguma coisa que eu possa fazer?"
envenenar ele antes. crápula...

Veja se existem testemunhas, circuitos de filmagem que possam ter gravado a situação. Arranje um advogado e coloque na justiça, porquê nesse caso a polícia sozinha não vai te ajudar muito. Ele praticou os crime de: injúria (te ofendeu), difamação (associou a você a imagem de uma pessoa imunda, despreocupada com manter a higiene da cidade, coisa que pôde ser refutar) e ameaça (pois matar seu animal de estimação se compara a destruir um bem insubstituível, de grande estima). Se não tiver como pagar um advogado procure a defensoria.

Tenha com você sempre carvão ativado, em caso de suspeita de envenenamento faça o cão ingerir o carvão (que adsorve o veneno e não tem contra-indicação) e corra para o veterinário.

Como eu detesto essa gente covarde... Se fosse um bombadão e/ou estivesse com um rottweiler, quero ver se iria ter coragem de fazer uma barbaridade dessas.

Flávia disse...

Obrigada, Kittsu e Raven!

Anônimo disse...

Não entendi, você compara coisas do tipo fulano sentou-se em meu lugar com fulano passou o penis no meu rosto? Bom, francamente, acho que professores estão cada vez mais cansados sim, mas quando nao se importa com algo tão serio assim, porque algumas coisas como fulano sentou-se em meu lugar acontecem, devem se apresentar, isso é muit grave, como professora, sempre me coloco no lugar do aluno, nem que seja um simples"fulano disse que sou rodada" e um "fulano passou a mão na minha bunda" trato exatamente igual, de formas diferentes, pro aluno, sempre é mais, pra gente que é "normal"

Anônimo disse...

Ameaçou envenenar o cachorro e só vão punir o cara se ele for envenenar de verdade, mesmo ameaça sendo crime? Isso é demais pra ser tolerado, que raiva!

Jonas Klein disse...

Bo m eu jurei que não ia mais responder nada neste post aqui, mas dois aqui que não vou deixa passa batido não.

donadio

Essa e pra você _i_ Deu pra entender né.


Anon 12:15


Eu já tirei o cabaço a muitos anos atrás, além disso se você e o tipo de homem que só pensa com cabeça de baixo, eu não sou assim (eu uso muito a de cima também), por isso não tenta medir todos os homens do mundo pela sua régua torta, pois quem faz isso quebra cara sempre, você um grande exemplo disso.


Ants que esqueça dizer quem vence o debate não quem da ultima resposta mas sim quem tem os melhores argumentos.

Anônimo disse...

Jonas, quando vc perdeu a virgindade, seu parceirO te carcou bêbado?Ele te estuprou?
Vc vem aqui parar fazer sexo com mulheres?

Esses caras feministas, em sua maioria, sonham com patricinhas alunas de ADM,Economia,etc. mas acabam namorando as pobretonas estudantes de História e Geografia. Por causa disso criticam o capitalismo, para tentar conseguir alguma migalha de sexo....


Jonas Klein disse...

Anon 14:07

"Jonas, quando vc perdeu a virgindade, seu parceirO te carcou bêbado?Ele te estuprou?
Vc vem aqui parar fazer sexo com mulheres?"

Como e fácil julgar as pessoa sem conhecer elas né?

Se esse não e o teu caso, eu sou hetero 100%

Outra coisa você fala em masculinidade, usando uma visão estereotipada, mas mostra o teu nome real, mostra e da cara pra bate como eu faço aqui nem pensa né, pois para isso você precisa uma pessoa realmente corajosa.

"Por causa disso criticam o capitalismo, para tentar conseguir alguma migalha de sexo"

Quem te disse que critico capitalismo? eu defendo de forma o capitalismo todo vigor possível, além disso sem ser um liberal em termos econômicos como eu faria para ser de direita?


Por fim o cara que tem lábia não precisa malhar para conseguir sexo, eu malho porque isso faz bem.

E o que disse quem acha que todo mundo e igual quebra cara, o você um grande exemplo disso.

CHUPA PALHAÇO

B. disse...

Comentário off-topic: só eu que acho escrota essa mania de algumas correntes feministas chamarem mulheres burguesa de "sinhá"?

B. disse...

Pronto: agora na página do Face "Sinhá RAD" tem gente dizendo que o feminismo é racista (todo o feminismo) e que ele é contra a militância negra.

Desse jeito a gente NUNCA vai avançar, NUNCA. Os gays e negros se unem mais, por isso tem lei contra racismo, não pode fazer piada homofóbica em novela, mas com mulher ta tudo liberado. E a gente sempre em ultimo lugar.

Mulher branca e/ou classe média = sinhá do caralho (sim, essa expressão mesmo)
Mulher escrota a la Sheherazade = coitadinha vítima do machismo.


UÉÉÉÉ

Anônimo disse...

B., concordo plenamente

Parece q é crime ser branca e de classe média.

Kittsu disse...

"Parece q é crime ser branca e de classe média."

Não é crime, mas como representante desse recorte demográfico eu percebo sim ser uma imensa hipocrisia e/ou falta de noção alguém nessa situação tomar certos posicionamentos.

Anônimo disse...

Mas vocês ainda não entenderam que as mulheres sempre são culpadas pelos crimes dos homens?

Anônimo disse...

Não é verdade, donadio. Me lembro dela falando besteiras sobre islamismo do mesmo jeito que voce disse que Jonas faz (eu sei, conheço muito bem) no guest post JE SUIS UE (Não estou defendendo o islamismo).

Sofia L.B. disse...

Parabéns meeesmo pela sua atitude, moça! Vc foi incrível!
É sintomático que mesmo com uma coisa tão grave até para os padrões do senso comum muitas das pessoas diretamente envolvidas não tenham conseguido perceber quem estava errado na história...

Anônimo disse...

Hahahaha, :((( é tragicômico. A pessoa escreve um guest e daí ele é publicado. "Uhul, que emoção, ganhei um espaço no blog da Lola, o maior blog feminista do Brasil!"

Daí a pessoa vem ler os comentários para se sentir apoiada, para ver qual é a opinião de outras mulheres, saber se mais gente já passou por coisas parecidas etc.

que decepção...

de 98 comentários, 5 são do jonas mandando alguém chupar alguma coisa, 35 são se feministas respondendo pro jonas, ora com carinho e paciência, ora com agressões infantis e chulas (sendo que ele não merece nenhum tipo de atenção), 17 são de feministas dizendo para outras feministas não responderem ao jonas, 15 são de outros mascus anônimos aleatórios crowdeando a página, 5 são male tears, 6 são off topic, 5 respondem os off topic e, por fim, uns 10, no máximo, são de algumas pessoas relatando suas experiências pessoais e dando apoio pra autora.

E o pior de tudo é que esta estatística se repete a cada guest post. Tá ficando meio previsível e sacal dar uma passada por aqui pra saber qual é a opressão patriarcal do dia.

:(

ass, leitora e fã véia do blog.


Anônimo disse...

não que o seu comentario tenha acrescentado alguma coisa né...

Anônimo disse...

Sinto muito que a autora tenha sofrido as ameaças e tido que trocar de escola, mas não posso não considerar que se fosse um garoto no lugar dela, não ficaria só nas ameaças e ele teria apanhado como se não houvesse amanhã.

Anônimo disse...

Claro que elas estão com medo também. É o mesmo sistema que faz com que as mulheres não denunciem abusos e estupros.