domingo, 2 de novembro de 2014

ME CHAMA DE MISÂNDRICA E ME DÁ UM POTE DE AZEITONA

Algumas mensagens fofinhas que me fizeram sorrir ou gargalhar, escritas por magníficas leitoras:
"Virou piada interna entre eu e meu noivo já!kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.........'Você tem até sexta para trazer meu cupcake!'" (Anônima, neste post, claro)
Anônima, respondendo a um mascutroll que disse que uma vila com maioria de mulheres nunca daria certo porque não teria ninguém pra abrir os potes de azeitonas:
"Homem só serve pra abrir pote de azeitona então.. Eu faço assim: quando preciso abrir um pote de azeitonas, vou ali na rua e fico esperando o primeiro babaca passar. Mas tem que ser daqueles babacas que acham que só homem consegue abrir um pote, daqueles que assediam mulheres na rua, daqueles que acham que mulher tem que ser submissa, e assim por diante. Quando o babaca tá numa distância razoável, taco o pote na cabeça dele. Se não abrir de primeira -- e eu sempre espero que não -- faço de novo."

E esta da Ana no guest post em que se falava de cantadas de rua (prefiro chamar de assédio ou grosserias) foi ótima:
"Eu lembro de ter lido em algum lugar uma historinha da qual sempre me lembro quando entram nesse assunto de 'nem todos os homens são desse jeito e assim você me insulta': Se você estivesse tomando um banho de piscina em algum lugar, e o salva-vidas gritasse, 'Chega de correr aqui!', você iria imediatamente lá xingá-lo porque você não estava correndo?
Bem, não. Não é porque você não estava correndo que você vai ficar com raiva do salva-vidas. Você entende que ele não estava falando diretamente com você. E sabe que ele precisa gritar pra quem está correndo.
Além disso, se você não quer o salva-vidas gritando, deve se juntar a ele e pedir que as pessoas parem de correr, pra que ele não precise mais gritar. E não ficar com raiva do salva-vidas..."

36 comentários:

Samael Aruh disse...

Lola, te mandei um e-mail mas não sei se vc recebeu, escrevi para lolaescreva@gmail.com e não sei se vc usa esse e-mail, é um caso sério, e só gostaria de orientação, por favor, responda conto com sua ajuda, obrigado.

Anônimo disse...

Já vou começar a usar esse exemplo do salva vidas... genial.

Patty Kirsche disse...

Curti a história do salva-vidas. ;)

Anônimo disse...

Desde quando feminista diz que alguns homens abusam,estupram?Se fosse assim a história do salva-vidas faria sentido.
Mas é sempre a conversa de que todo homem é estuprador em potencial,não tem como concluir algo de diferente de "todos os homens são estupradores".

Vocês falam as asneiras e acham que ninguém percebe e depois negam tudo claro,segundo vocês são os homens que soltam essa pérola,mas sinceramente nunca vi homem nenhum dizendo isso.

Anônimo disse...

Amei, lol!

Cupcake? Tem massa pronta à venda nos supermercados. Joga na caneca e bota no micro-ondas. Não existe ninguém tão inútil que não possa colocar massa numa caneca e ligar o micro-ondas, né?

Pote de azeitona? Minha tia de 80 anos abre pra mim, de grátis. Preciso de mascu pra isso não. Além do mais eu detesto azeitona. Pra quê eu vou querer abrir um pote de azeitona?

Xingar o salva-vidas porque ele mandou os mal educados pararem de correr? Bom, se eu não estou correndo certamente que não vou nem ligar, afinal, não é comigo que ele está gritando. Mas claro, se eu estivesse pensando em correr onde não devo ou achasse que não é nada demais correr onde não devo, aí sim eu vestiria a carapuça e xingaria o salva-vidas.

(L.) disse...

Eu e meu namorado, que não é feminista nem simpatizava muito com o movimento antes do início do nosso relacionamento, de tanto debatermos notícias e polêmicas sobre gênero, passamos a usar a frase "Meu corpo, minhas regras." em alguns momentos de tensão comuns da vida a dois. O hábito começou naturalmente, meio como uma forma de fazer o outro lembrar da autonomia e a liberdade para escolher fazer/usar/preferir algo ou não. Achei bem interessante, um simples ato que evoca compreensão e empoderamento.

Anônimo disse...

Diva

OI Lola. Tudo bem?
Quanto ao post estes idiotinhas machistas e inseguros reclamam da suposta "misandria" de mulheres inteligentes e esclarecidas, mas no entanto apoiam sem nenhuma VERGONHA NA CARA o ódio descarado ao sexo feminino!!
Eu queria que ou você, ou se não tiver tempo, algum(a) visitante da página comentasse o movimento de ódio e misoginia pura que estão fazendo contra as garotas gamers(aliás me incluo, pelo menos como jogadora).
O link desta covardia sem precedente é este:

http://oglobo.globo.com/sociedade/tecnologia/mulheres-sao-vitimas-de-campanha-de-odio-no-mundo-dos-videogames-14438958

Anônimo disse...

Sem contar que tem azeitona (e muitos outros alimentos que normalmente vêm em frasco) em saquinho.

Rá rá rá

Anônimo disse...

Uma dica pra abrir pote de azeitona, palmito e etc é colocar uma faca por baixo das bordinhas da tampa e fazer pressão, como um abridor de garrafas. A pressão do pote sai e fica facinho abrir, não sei se fui clara kkk. Eu que sou fraquinha e pequena abro potes assim :D

Paula disse...

puxa... então eu, que não gosto de alimentos em conserva, poderia "virar lésbica", certo biscoito?

Anônimo disse...

Ai cala a boca.

Anônimo disse...

MasCUzada, ninguém se importa com seus choros aqui nos comments.

Anônimo disse...

Eu já cheguei a conhecer uma mulher que dizia se sentir feminina por não conseguir abrir um pote de conserva. Ela dizia que isso era uma incapacidade natural da mulher.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Que ridículo esse movimento de ódio contra as mulheres gamers, eu já vi numa pagina de mascus no facebook, a "metendo a real" que mulher não gosta de game e o pior, tinha mulher concordando com isso pra fazer media pra os mascus. Que vergonha.

Ana Nazaré disse...

RSSS Gostei...

Kittsu disse...

"Eu já cheguei a conhecer uma mulher que dizia se sentir feminina por não conseguir abrir um pote de conserva. Ela dizia que isso era uma incapacidade natural da mulher."

Pra você ver até que ponto vai a lavagem cerebral...

Anônimo disse...

M-mas... Conserva em sachê é mais barato....

Anônimo disse...

que post de qualidade

bucaneira disse...

Além do voto feminino, pílula anticoncepcional, salários iguais para homens e mulheres, licença maternidade etc. podemos incluir na lista de conquistas feministas a descoberta da faca para abrir um pote :D
(embora tenha gostado da ideia de tacar na cabeça do machista hahaha)

Death disse...

Azeitonas? Os mascus não sabem nem furar o canudinho do toddynho.

Tão falando do que, aff que loucos.

Anônimo disse...

Mas é um problema quando o salva-vidas vem gritar com você porque os outros estão correndo. E escolhe você porque estava ali perto. Ok, teria de se juntar ao salva-vidas e tal, mas como não sentir raiva de um salva-vidas que está xingando você por causa de coisas que outras pessoas e não você está fazendo?

Anônimo disse...

Anon das 12:26, nesse caso eu diria "Tá bom, seu salva-vidas, eu não vou correr" e, mais importante, não correria. Ah, e também diria pros meus priminhxs, irmãos e sobrinhxs que não pode correr também, e quem correr vai levar bronca e ficar de castigo. Pronto. Nenhuma necessidade de dar uma de "Drama Queen"-ou, no caso, "Drama King".

Anônimo disse...

Achar-se feminina só por causa da incapacidade de abrir um pote de azeitona é o cúmulo da lavagem cerebral. Imagine a pane mental que causo nas pessoas: faço croche, cozinho bem, gosto de delicadeza, pretendo construir minha casa com minhas próprias mãos, odeio maquiagem...

Marcia Baratto disse...

Anônimo das 12:26, qualquer pessoa madura e segura de si diria ao Salva-vidas: meu senhor, concordo com a sua preocupação, mas não sou o responsável por ela. Posso ajudar de alguma forma?

Mas mascu não são maduros, nem seguros de si. A qualquer menção de homem agressor eles P-R-E-C-I-S-A-M saber que não são os agressores e, que, 'santa pacha mama', as mulheres devem saber disso.

É sinal de maturidade moral oferecer empatia a quem sofre.

Sou feminista, e sou incapaz de não sentir compaixão por uma pessoa agredida por uma mulher. Jamais diria sobre uma criança agredida por sua mãe, que a criança 'provocou', que mãe que é mãe, bate mesmo... Que cuidar dos filhos é tão estressante que, ops, as vezes uma ou outra quebram os braços dos filhos 'educando'. (Todas essas situações eu presenciei como profissional, vi mulheres atendendo essas crianças, vi mulheres tratando das mães agressoras).

Jamais uma mulher desse círculo se sentiu menos mulher por que outra errou, agrediu, humilhou e feriu outra pessoa. Nenhuma delas nunca procurou desculpas para o que é 'indesculpável', ainda que a sociedade aceite sem maiores problemas a violência como possível meio de educação.

Já pensou por que é lhe magoa dizer que homens agridem mulheres?

Por que é tão necessário que se reconheça que você não é agressor?

Será que é por que num sistema machista, todo o homem pode ser um agressor? Todo homem está autorizado, por sua condição de masculinidade, a usar da violência física como meio legítimo de expressão?

Se não, como se ofender com o mal que outro faz, sem nem ao menos ser em seu nome?

Anônimo disse...

Fui eu que falei de tacar o pote de azeitonas naquele post! Teve até tweetada da Lola em referência ao comentário no dia, hehe

Anônimo disse...

@Marcia Baratto
Já pensou por que é lhe magoa dizer que homens agridem mulheres?

Sim, já. Para você entender é como se alguém falasse "todas as mulheres são interesseiras". Todas as mulheres são? É claro que não são. E nem de longe representa a maioria das mulheres, como você pode imaginar.

Mas existem mulheres interesseiras, sendo que o próprio machismo não apenas permite como (de certa forma) incentiva isso. Aliás, meio que obriga a isso, tendo em vista que para os machistas, a única forma "homologada" de uma mulher subir na vida seria conseguindo um marido rico.

Mas é justo reduzir metade da população por causa de uma parcela minoritária?

É a mesma coisa do lado de cá. A diferença de que essa agressão não apenas é errado como é crime e punível com cadeia.

Por que é tão necessário que se reconheça que você não é agressor?

Pelo mesmo motivo que é necessário que se reconheça que você não seja uma interesseira em potencial. Ou seja:

1. Você não é interesseira.

2. Todos são inocentes até prova contrária.

Será que é por que num sistema machista, todo o homem pode ser um agressor? Todo homem está autorizado, por sua condição de masculinidade, a usar da violência física como meio legítimo de expressão?

Se não, como se ofender com o mal que outro faz, sem nem ao menos ser em seu nome?


Se estão falando em todos os homens ou em "homens como classe" (que inclui todos aqueles sujeitos que nasceram com pênis que não se identificam como mulher e estejam fora do conceito de homem feminista não-feministo e não-iuzomista) então das duas uma: ou estão me incluindo no mesmo balaio que agressores de mulheres e estupradores de fato mesmo que nunca tenha batido ou estuprado uma mulher ou não me consideram como "homem enquanto classe". E como eu não sou feminista, então só pode ser a primeira hipótese.

Além disso, quem falou que todos os homens que estejam dentro da categoria "homens como classe" acham que seja uma boa ideia usar a violência como meio legítimo de expressão? Quem falou que todos os homens dentro dessa categoria sejam incapazes de sentir compaixão por uma mulher agredida? Quem disse que as pessoas dentro da categoria "homens como classe" sejam completamente incapazes de sentir empatia? Não tem nem como afirmar com certeza essas coisas, já que masculinidades sejam pouco estudadas.

Então, você se ofende quando um mascu fala que todas as mulheres sejam interesseiras? Se sim, acho que você entendeu o que eu quis dizer.

Anônimo disse...

Drama King ataca novamente...
colega das 17:00, você pode não ser estuprador, assediador, espancador, nada disso. Mas tem um pequeno detalhe que você esqueceu: as mulheres não sabem. Não tem um escrito na sua cara dizendo "Não-estuprador", assim como não tem escrito "Estuprador" na cara daquele seu amigo, tio, vizinho, primo, irmão, colega de trabalho, de faculdade... não tem. As mulheres simplesmente não sabem e não podem arriscar. A parcela de agressores e abusadores de mulheres NÃO É minoritária, é considerável, se não for a maioria. E como a moça disse lá em cima, você é autorizado pela sociedade a usar de violência contra mulheres. Toda mulher TEM que ver um homem desconhecido como um potencial agressor, é questão de sobrevivência e saúde física e psicológica. Se quer mudar isso, não tem jeito, vc vai ter que mudar os homens. Comece agora.

luca disse...

17:14

É diferente tratar um desconhecido com desconfiança, e tratar todos os homens de uma maneira só...

Anônimo disse...

lucas, a maioria dos é desconhecida pras mulheres...

Anônimo disse...

@Anom das 17:14
OK. É um número alto o suficiente para que todas as mulheres estejam sob ameaça de violência, é verdade, mas não é maioria dos homens. E por maioria eu entendo como mais de 50% da população masculina. E até que seja provado que mais de 50% dos homens estupraram de fato, não compro essa história de que a maioria seja estuprador.

E em "Não tem um escrito na sua cara dizendo "Não-estuprador"" você demonstrou com clareza que quando você fala que todos os homens sejam estupradores, você está SIM colocando todos no mesmo balaio. Você está SIM afirmando que eu seja um estuprador, sendo que não está escrito "estuprador" em minha testa e nem na de homem algum. Não diretamente, é verdade, mas está sim. Afinal, você imagina isso escrito em minha virilha.

Eu entendo que você esteja com medo e tenha escolhido não confiar em ninguém que tenha um pênis. Mas você acha mesmo que vai mudar a opinião de algum homem acusando-os de serem estupradores ou de agressores de mulher? Você acha mesmo que algum cara vai dizer "é verdade, sou um estuprador e um agressor em potencial mesmo e vou mudar a mente dos meus amiguinhos" após você acusá-lo dessas coisas?

E eu acredito que você entenda que seja importante mudar a mentalidade - atualmente belicosa - com a qual meninos são criados e homens guiam suas vidas. Mas acusações assim só vão criar backslash rapidamente. E só. Afinal, é uma abordagem que não questiona, que não liberta, que não empodera. Não questiona porque considera que homens sejam assim e pronto. Não liberta porque reafirma que a mulher precisa se cuidar para não sofrer violência e estupro e isso reforça o victim shaming. Além de manter os homens presos a um estereótipo de gênero, sem dar a eles a chance de desconstruir isso. Não empodera porque as mulheres são vítimas eternas e rouba a sua capacidade de reação. E é isso o que setores conservadores querem.

E como a Luca disse, "É diferente tratar um desconhecido com desconfiança, e tratar todos os homens de uma maneira só". E ela não poderia estar mais certa.

Mais uma vez, não estou negando a realidade nem dizendo que você esteja exagerando. Você está totalmente certa em tentar preservar a sua sanidade física e mental tratando desconhecidos (e até mesmo conhecidos) com desconfiança. Mas eu acredito que essa abordagem de luta (nivelar os homens como estupradores e agressores) esteja equivocada e não vai render outro fruto senão backslash.

Anônimo disse...

Drama King do meu coração, primeiro, pra ser agressor não é preciso só estuprar. Muitos homens podem nunca ter estuprado, mas assediaram mulheres nas ruas, molestaram desconhecidas no ônibus, chamaram de vadia uma mulher que não se "comporta" como eles querem, compartilharam revenge porn, ou seja, não precisa só estuprar pra agredir uma mulher. Eu não disse que todos os homens são estupradores, transcreva onde eu disse isso. Eu disse que mulheres NÃO SABEM, por isso elas tem sim que ver qqer desconhecido como agressor potencial. Aliás, caro, boa parte dos agressores estão em casa, na família, no círculo de amigos, gente de 'confiança' que de repente resolve que é ok agredir ou estuprar a amiga, a filha, a irmã, a namorada, a esposa, a sobrinha. E aí as mulheres não podem confiar nem nos conhecidos e você faz drama pq elas não querem confiar em você, uma voz anônima na internet? Apapô, hein!

Cara, eu não imagino nada na sua virilha. Sério mesmo. O medo é a sua cabeça, pq vários homens tem pênis mas não a ideia de que estuprar é ok. O medo das mulheres é, na verdade, o que homens tem na cabeça. Então me diga aí, como abrir a cabeça de um cara e ver se ele pensa que é ok estuprar? Vc é o professor Xavier? Lê mentes? Bom, nós tbm não, Drama King. Deal with it.

O que eu quero que o cara pense é "Puxa, tem tanto homem fazendo mal às mulheres que não admira que elas desconfiem de qqer um que chegue perto, vou mudar meus amigos". Empatia, sabe? E mais do que isso, capacidade de ver além do seu umbigo, de pensar fora do penico, entender q as mulheres tem medo dos homens por bons motivos e fazer algo pra mudar.

Eu confio sim em homens: pai, irmão, tios, pq desde o começo do meu convívio com eles me provaram q são homens de caráter. Mas meu pai podia ser um estuprador, como tantos outros pais por aí. Idem com meu irmão e tios. Muitas meninas e mulheres não podem confiar nem na própria família, imagine em amigos e estranhos então.

Pra ficar mais claro: você se ofende qdo dizem que os homens são estupradores. Bom, eu escuto todos os dias que brancos são racistas mas nem por isso saio por aí mimizando que eu não sou racista, q eu ser branca não significa automaticamente q eu seja racista, etc. Pq uma grande parte dos brancos é racista sim e eu sei disso. Vou me ofender com a verdade? Não. Se eu quero provar que não sou racista, vou fazer isso com minhas atitudes, incluindo, não perpetuando estereótipos, não usando xingamentos racistas, etc. De outro jeito não adianta - até porque em geral racista é o primeiro a dizer que não é. Então que tal parar pra pensar um pouco?

Anônimo disse...

Vamos lá, anom das 14h20.

Mais uma vez, "muitos". Não "maioria" ou "todos", como você afirmou em "A parcela de agressores e abusadores de mulheres NÃO É minoritária". É um número alto o bastante para fazer dezenas de milhões de vítimas no Brasil, mas não é suficiente para ser a "maioria dos homens". 49,9% ainda é minoria numérica.

De novo: Não estou negando que as mulheres sofram vários tipos de violência. Estamos discordando no número de agressores. Entendeu? No número de agressores.

Outra coisa, mais uma vez, uma coisa é tomar precauções com desconhecidos e com pessoas que são sabidamente agressoras, outra completamente diferente é basear a sua luta em um preconceito de gênero. Eu já falei isso.

E falando coisas preconceituosas como "a maioria duzomi é tudo agressor", sabe quando alguém vai pensar "Puxa, tem tanto homem fazendo mal às mulheres que não admira que elas desconfiem de qqer um que chegue perto, vou mudar meus amigos"? Pois é: NUNCA.

Pelo contrário, vai gerar backslash. Vai gerar pessoas pensando e falando (em suas costas, obviamente) "O que essa maluca está dizendo?", "Credo! Que exagero!", "Que dramática, credo!". Até em pessoas como eu, que admitem o fato de que mulheres estão sofrendo uma série de opressões e violências o tempo todo e que a educação dos meninos precisa mudar pra ontem acaba tendo essa impressão sobre você. Imagine os que realmente precisam mudar de mentalidade. E eu já falei isso, anom.

Aliás o que você faria se fosse acusada de ser racista só porque tem a pele mais clarinha? E não tente posar de madura, porque você já mostrou que não é. Tentar desqualificar ou ridicularizar outra pessoa chamando-a de "drama king" só porque apresenta argumentos dos quais você discorda está muito longe de ser uma reação madura. Eu ainda tento entender que você está revoltada por causa da opressão que sofre todos os dias e, por isso mesmo, estou tentando ser o mais respeitoso que posso, apesar da sua falta de respeito.

Mas sabe de uma coisa? Você não vai mudar de ideia não importa o que eu diga, certo? Então proponho encerrar aqui a discussão. Eu não vou obedecer qualquer comando que você tenha feito, já que eu não tenho a obrigação. Você não exerce qualquer autoridade sobre minha pessoa.

Mas se quiser parar e pensar melhor sobre os seus métodos, acredito que você conheça vários livros e várias literaturas interessantes para ampliar o seu ponto de vista. Com certeza é um tempo melhor aproveitado do que você tentar convencer um "drama king", como você mesma diz, que "uzomi" sejam a maioria violentos/estupradores/whatever em potencial. Eu já disse que não vou comprar essa tese sem uma prova. E não, sua experiência pessoal não serve como prova.

No mais, desejo que você tenha uma vida feliz e que o machismo seja derrotado ainda em seu tempo de vida (antes de 80 anos).

Anônimo disse...

49,9%, sem contar os que nunca são denunciados... é, é uma porcentagem bem alta. E se você acha que mesmo assim as mulheres não devem ter medo dos homens, de fato, é problema completa e absolutamente seu. Se com tudo que as mulheres sofrem vc ainda acha que devemos nos preocupar em poupar os egos dos homens de umas verdades desagradáveis, é problema completamente seu. Se acha que mesmo na luta as mulheres devem se calar e ouvir os homens (como exemplo essa sua sugestão debochada de que devo me informar pra agir de acordo com o que VOCÊ quer), tbm é problema absolutamente seu. Como se a sociedade inteira precisasse de alguém que não fala como uma mulher deve falar pra desclassificar toda e qualquer queixa feminina... ainda mais com todo um elenco de apoio que tbm despreza a fala da mulher se ela não agir de acordo com o que vc quer. Sobre o racismo eu já falei e não vou repetir, se não consegue entender volta pra escola estudar interpretação e texto. E se quer saber pq eu te chamo de Drama King, é por causa desse seu draminha a respeito do "Ai, vocês não podem chamar todos os homens de estupradores" já foi explicado e repetido milhões de vezes. E olha que engraçado, muitos homens já entenderam e pararam com mimimi, mas você continua querendo atenção... bom, eu tenho mais o q fazer além de bater palma pra maluco dançar. E não pense que me engana com essa tentativa "educada" de me diminuir. Eu tenho minha opinião e não é sua vontade que vai mudá-la. Você é que parece não entender q não tem autoridade sobre mim por ser homem, não importa quantas vezes vc tenha ouvido que merece ser venerado por ter um saco. É mentira. Eu sei que é um choque de realidade muito grande, mas você tem que lidar com isso, Drama King. Não há mais o qu fazer.

Anônimo disse...

49,9%, sem contar os que nunca são denunciados... é, é uma porcentagem bem alta.

Conforme os dados tirados de onde?

E se você acha que mesmo assim as mulheres não devem ter medo dos homens, de fato, é problema completa e absolutamente seu.

Ok, então negros deveriam ser temidos, já que são maioria (60%) da população carcerária, conforme pesquisa publicada aqui?

Se me perguntar, eu diria que NÃO é para temer negros. Até porque eles são massivamente encarcerados por causa de um denso preconceito racial e social dentro do sistema prisional brasileiro. E muitas vezes eles nem sequer tem o direito de passar por um julgamento justo, com ampla defesa, etc. Como diz na constituição.

E como existe o conhecimento sobre isso? Porque várias pessoas - do movimento de consciência negra - questionaram, pesquisaram e viram que a culpa não é do negro que vai preso e nem (tanto) do policial que o prende, mas sim do sistema - racista - que o mantém preso.

E por que com homens é diferente? Por que com homens eles são culpados e pronto? Imagino que você nunca pensou sobre isso.

Se com tudo que as mulheres sofrem vc ainda acha que devemos nos preocupar em poupar os egos dos homens de umas verdades desagradáveis, é problema completamente seu.

E onde estão as provas do que você disse?

Só temos provas de que a maioria das mulheres sofrem vários e vários tipos de violência todos os dias.

Se acha que mesmo na luta as mulheres devem se calar e ouvir os homens (como exemplo essa sua sugestão debochada de que devo me informar pra agir de acordo com o que VOCÊ quer), tbm é problema absolutamente seu.

A questão não é calar, mas sim não combater preconceito com preconceito. Isso nunca deu certo. Não é com seu feminismo que começará a funcionar. E sim, você continua precisando se informar melhor. Não para que você aja como eu quero (aliás, eu quero absolutamente nada de você), mas sim para que o seu feminismo dê algum resultado.

Mas se quiser continuar a fazer sparring em pontas de facas, problema seu.

Como se a sociedade inteira precisasse de alguém que não fala como uma mulher deve falar pra desclassificar toda e qualquer queixa feminina... ainda mais com todo um elenco de apoio que tbm despreza a fala da mulher se ela não agir de acordo com o que vc quer.

Tá ok. Se você acha que falar que "uzomi saum tudu iztrupadô" vai adiantar alguma coisa, problema seu. Depois não reclame de backslash.

Sobre o racismo eu já falei e não vou repetir, se não consegue entender volta pra escola estudar interpretação e texto.

Obrigado pela sua explicação do "porque você poderia generalizar os homens do jeito que você desejar e eles que se virem para lutar pela SUA causa senão são todos machistas".

Não que você não possa falar. Você tem esse direito. Mas não se esqueça que ninguém está livre de críticas. Nem mesmo você.

Anônimo disse...

E se quer saber pq eu te chamo de Drama King, é por causa desse seu draminha a respeito do "Ai, vocês não podem chamar todos os homens de estupradores" já foi explicado e repetido milhões de vezes. E olha que engraçado, muitos homens já entenderam e pararam com mimimi, mas você continua querendo atenção...

Se você entende o que eu disse como 'mimimi' ou como 'draminha', nem sequer devia perder meu tempo lamentando. Quem está errando o alvo é você. Quem vai ganhar fama de "feminazi maluca" é você. Quem vai ajudar a validar o preconceito que feministas já sofrem é você. Afinal, é você e não eu quem está em uma ilusão de pretensa superioridade. É você e não eu quem está sendo arrogante o bastante para sequer considerar a opinião de um cara porque ele é um cara é você.

Eu realmente tentei entender que você passa por situações terríveis em seu dia-a-dia só porque nasceu mulher. Mas quando o respeito não é recíproco cansa, sabe?

bom, eu tenho mais o q fazer além de bater palma pra maluco dançar.

Não estou te impedindo.

E não pense que me engana com essa tentativa "educada" de me diminuir. Eu tenho minha opinião e não é sua vontade que vai mudá-la.

Foi exatamente por isso que sugeri encerrar por aqui.

Você não tem opiniões: tem dogmas. Os argumentos que usei para você são "enganações", "tentativas de diminuir". Isso não é muito diferente da fé religiosa, na verdade.

Você é que parece não entender q não tem autoridade sobre mim por ser homem, não importa quantas vezes vc tenha ouvido que merece ser venerado por ter um saco. É mentira.

E quando eu disse que mereço ser venerado por um saco? Eu disse que não mereço ser alvo de preconceito por ter um saco. E uma coisa tem nada a ver com a outra, mas você distorceu completamente o que eu disse.

Eu não gostaria de ser venerado por ter um saco (aliás, eu não sou). Mas também não gostaria de ser discriminado por não tê-lo. Você entendeu ou preciso desenhar?

Eu sei que é um choque de realidade muito grande, mas você tem que lidar com isso, Drama King. Não há mais o qu fazer.

Só se você prometer que vai, a partir de hoje, escrever 100 vezes em um caderno a seguinte frase: Mulheres e homens são pessoas e são iguais. Combinado?

Anônimo disse...

Ai, Drama King, desista. Só desista. Você não quer entender e não vai. Desista.