domingo, 24 de agosto de 2014

"SOU FEMINISTA!" "NÃO SOU FEMINISTA!"

O post sobre mulheres contra o feminismo rendeu excelentes comentários. Difícil selecionar apenas alguns. Peguei esses dois, ambos anônimos.

"Bem oportuno fazer este post, Lola!
Me entristece saber que há mulheres que escolhem reproduzir essa estrutura machista, acreditando que vai ser beneficiada pelo machismo, sendo vista como uma 'boa moça'. Há uns anos eu tive a infelicidade de cair nas graças de um relacionamento abusivo, com um mascu reaça. Na época eu era bem novinha, isso aconteceu entre os meus 12-15 anos. Minha família é católica, carola até os ossos e ultraconservadora.
Esse ex, mesmo que ELE fizesse comentários e piadinhas machistas e racistas, quando eu reproduzia algum machismo em relação a outra mulher falando acerca de promiscuidade, fazia questão de dizer que eu era tão vadia quanto ela e que eu não deveria me achar superior por nada, já que eu me escondia por trás da capa de 'moça de família', mas não era nada e nem ninguém na vida. 
Essas coisas que ele dizia me deixavam, obviamente, pra baixo (estar com ele, por si só, já me deixava pra baixo), já que fui criada por um pai machista e quase nunca podia sair; amizades eram vetadas, pois qualquer menina que viesse na minha casa era tachada de 'vadia'. Também nunca tinha me relacionado com nenhum outro garoto, já que meu pai me fazia ameaças. Quando ele permitiu que eu namorasse, foi sempre sob vigilância. Então eu acreditava que se eu fosse uma 'boa menina', não tivesse amizade com meninas consideradas 'vadias' e me mantivesse à distância de meninos que só queriam me usar e deixar pra lá, eu poderia me relacionar com um bom rapaz e ter uma boa vida e família no futuro. 
Graças a Deusa eu amadureci e percebi que isso nunca seria verdade. Meu pai sempre distribuiu grosserias gratuitas entre mim e minha mãe, e notei que não era esse o modelo de família que eu queria pra mim. Percebi que existem várias formas de família, de amor, e que relacionamentos não são equações matemáticas em que se encontra um certo e errado inexorável. 
Passei a questionar muitas coisas na minha vida depois que entrei em contato com o feminismo: sobre maternidade, violência, toda a sorte de abusos que nós, mulheres, sofremos só por sermos mulheres. E percebi que o mascu que atormentou minha vida, apesar de querer acabar com a minha autoestima, tinha razão em uma coisa: não sou melhor ou pior que nenhuma outra mulher por me abster de expressar minha sexualidade.
Talvez essas mulheres anti-feministas ainda não tenham percebido que somos condicionadas a desprezarmos e a odiarmos todas outras mulheres, as julgando e condenando por coisas tão naturais, numa competição sem fim. Talvez tenham medo de perder a 'autoridade' para julgar as demais e acreditar ter algum atributo superior às outras. Mas não. No jogo do machismo, se você é mulher, você está fadada a perder ou a perder. Espero que sejam capazes de refletir sobre isso. 
Nós, enquanto estivermos presas ao patriarcalismo, sempre estaremos sujeitas a julgamentos de todas as espécies, a sermos tachadas de 'vadias', mesmo nunca saindo de casa, e a toda forma de abuso, violência e discriminação. E é contra isso e contra todos os preconceitos cegos que o feminismo luta. E hoje eu digo, com orgulho, que sou FEMINISTA!"
1. "Você é feminista?" 
2. "Como você se atreve a me chamar assim?!"
3. "Desculpe, quero dizer: vc acredita em tratamento igual para mulheres?" 

4. "Ah, claro!"

E, do lado irônico da força, uma comentarista anônima bem-humorada mandou isso:

"Eu não sou feminista! E digo não ao aborto! Só Deus dá a vida, só Ele pode tirá-la.
A menos, claro, que eu tenha engravidado de um estuprador. Aí não, aí tem que tirar logo! Não me interessa se o feto é perfeito e vai ser uma linda criança loira de olhos azuis que irá compor a mais bela sinfonia do mundo ou quiçá, descobrir a cura do câncer. Aí não! Quero meus direitos!
A menos também que meus contraceptivos tenham falhado e eu esteja solteira. Veja bem, eu sei que a minha Igreja proíbe o sexo fora do casamento e sem finalidade procriativa, mas isso é uma coisa muito de antigamente né? Naquele tempo nem existia anticoncepcional, como que a religião iria ser contra algo que não existe? Pois hoje existe eu me adapto, só sigo aquilo que me interessa, e se eu engravidar fora de hora (Deus me livre!) tive tão pouca culpa quanto a mulher estuprada, então eu aborto sim!
Que homem iria me querer depois disso? Não um honrado, certo? E ninguém vai me impedir de ir à Marcha de Deus Pela Vida porque Ele está comigo, inclusive fala comigo, mas não saio contando pra todo mundo senão me internam.
E esse negócio de feminismo, isso é coisa de Satanás com certeza! Eu que não preciso dele. 
Até pedi pro meu marido digitar essas coisas para mim, afinal de contas uma mulher não precisa saber ler e escrever, só cuidar da casa e ter bastante saúde para ter filhos, tá mais do que bom. Já avisei pra Carla, Claudia, Clara, Camila, Cássia e Carolina: NADA DE FEMINISMO NESSA CASA, MENINAS! E para o Cláudio, Camilo, Cássio, Cristiano, Claudecir e o mais novo, o Carlinhos, que nora feminista é totalmente fora de questão e homem que é homem não namora essas vadias comunistas sem Deus e religião em suas vidas.
Eu não preciso de feminismo porque Deus é homem, Jesus é homem, meu marido é homem e os homens sempre souberam o que é melhor para as mulheres. Senão daqui a pouco vão querer que eu trabalhe fora, quem vai cuidar dos meus filhos -- um homem?
Vão lavar louça, suas mal-amadas sem Jesus no coração!"

110 comentários:

Expat Patronum disse...

tudo muito bom, tudo muito certo. As mulheres tem mesmo que ter o direito de expressar sua sexualidade da maneira que entenderem, desde que ambas as partes sejam adultas e que haja consentimento.

Só que a uns posts atrás uma leitora anônima disse que homens que "pegam" várias são machistas e objetificam as mulheres. Alguém me explica como o comportamento promíscuo é visto para um como explorar livremente sua sexualidade e para o outro como machismo e objetificação da mulher?

Anônimo disse...

A comentarista estava criticando as suas técnicas pua. Essas "técnicas" são objetificadoras, sim. E quem se dispôs a debater com vc naquele post já explicou porquê.

EMMANUEL DE OLIVEIRA CORTÊS disse...

SAUDAÇÕES. AQUI FALA EMMANUEL CORTÊS, A PARTIR DE MAPUTO-MOÇAMBIQUE. ACABO DE LHE REENVIAR UM E-MAIL NO QUAL, SOLICITO A SRA. LOLA ARANOVICH UM PEDIDO DE ENTREVISTA VIRTUAL PARA TRATAR ASSUNTOS RELACIONADOS AOS MOVIMENTOS FEMINISTAS, MASCULINISTAS, POLITICAS DE GENERO,ETC.

AGUARDO RESPOSTAS PARA TAL.

EMMANUEL DE OLIVEIRA CORTÊS.
emmanuelcortezon@gmail.com

Raven Deschain disse...

Pra mim, essas moças que dizem não ser feministas só não querem perder o direito de chamar a vizinha, cunhada ou ex-amiga de vadia. Simples assim.

Off-topic:

Lola, chessus. Tou assistindo o Beleza Adormecida e meldels, que filme entendiante. Dormi ate meio dia e tou quase dormindo de novo. E não acaba! E eu não entendo nada. Huashua

Anônimo disse...

Lola, as Musas Olavettes não são iguais aos mascus. Elas não são crianças anônimas usando um avatar de super-heróis. Elas são mulheres adultas e muito bem informadas. Informadas o bastante para saber o que é o feminismo e quem são os seus asseclas.
Você não vai conseguir calá-las com o seu deboche. Essa sua velha tática não vai funcionar contra elas.
O pensamento conservador no Brasil vai aumentar cada vez mais e as mulheres terão um papel de protagonismo nesse movimento.
Mas fique tranquila, não haverá nenhum paredón, isso não é coisa de evangélico, não é coisa de católico, isso é coisa de comunista.
Você poderá continuar o seu trabalho de influenciar as crianças que lêem seu blog. A diferença é que agora elas terão uma outra opção para quando chegarem a vida adulta.

lola aronovich disse...

Uh? Quem falou das musas olavettes? Não entendi nada. Tá certo que as olavettes são anti-feministas, todas, mas nem toda anti-feminista é olavette. Imagino que todas as anti-feministas sejam conservadoras, mas nem todas as conservadoras se rendem às asneiras do Olavão. E quem disse que eu quero calar as olavettes? Elas (vcs?) se calam a si mesmas, com essa ideia de que é bacana ser submissa ao marido, e que mulher tem que ficar dentro de casa cuidando da família. E sim, tô vendo o papel de protagonismo que as mulheres conservadoras estão tendo. Tanto que tá cheio de mulher conservadora sendo colunista de veículos e publicando livro reaça. A última vez que contei, 10% das pessoas do Instituto Millenium eram mulheres. Continuem protagonizando o movimento conservador!

Anônimo disse...

Golda Meir elegeu-se Primeira Ministra de Israel em 1969. Nunca vi uma mulher presidente em nenhum país comunista.
Mulheres conservadoras têm papel de protagonismo em sociedades conservadoras. E veja só: nem por isso elas abandonam os seus papéis na família. Golda Meir educou dois filhos maravilhosos ao mesmo tempo em que liderava o país.

Claudio disse...

Ao menos vocês não sabem que o feminismo (pelo menos aqui no brasil) deixa as mulheres mais machistas e de certa forma beneficia o sistema... por que vocês acham que existe concursos de beleza? Para aquela moça bonita discreta do interior se "apresente" para os mais endinheirados, ou por acaso, vocês já ouviram falar que tal de concurso de beleza rendeu bons lucros? Ou que alguma que ganhou o concurso, conseguiu sua independência financeira? Eu aposto que você quiser que todos os concursos de beleza, são financiadas pelos ricos.

O femismo é necessário aqui no brasil e pra ontem.

Gabriela V. disse...

Lola,

Por que feministas são chamadas de feminazi? Masculinistas que inventaram esse termo, acreditando que as feministas farão um holocausto??? Nunca entendi essa...

Raven Deschain disse...

Huashuahsuahsuahsua e alguém precisa debochar de pessoas que se auto-intitulam musas ollavetes?

Oriza!

Isso é auto-deboche. Já tomaram a pepsi hoje?

Anônimo disse...

Lola por favor diga algo sobre a polêmica sobre a Laverne Cox e uma mulher trans em cadeia feminina

Jonas Klein disse...

Achei bem interessante o artigo, apesar de não ser um feminista, e ser homem, ate pode ser surpreendente para muitos o que eu estou dizendo, mas e verdade.

Agora sabe o ser humano e tão variado que nada mais me surpreende no que se refere ao comportamento humano, assim como muitos se surpreendem com fato de haver mulheres que radicalmente são contra o feminismo, mesmo sem saber ao certo o que o feminismo de verdade e não isso que muitas(os) chamam de feminismo.

Também tem muito homem e tem mulheres que se surpreendem quando eu digo que sou radicalmente contra o machismo ( e da sim para ser contra o machismo sem ser necessariamente feminista, isso alveando-se em conta o que o feminismo hoje em dia).

só para vocês terem uma ideia do novel de estupidez de certos caras por ai, quando eu digo que para tudo desde uma ficada ate casa eu prefiro uma mulher que tenha bastante experiência sexual, no lugar de uma que é virgem, os caras (machistas) afirmam que estou mentindo como se todo o homem tivesse que obrigatoriamente pensa da mesma forma que eles para ser homem, além de afirmarem quando eu, e outros caras dizemos que preferimos as experientes, e porque nos temos segundas intenções, e não queremos um relacionamento serio.

Agora só para comentar mesmo Lola, eu reparei que no seu blog tem muita leitora Femista comentando, porque leitora Feminista de verdade e pouco que tem comentando por aqui, e são essas as mulheres femistas, que fazem o feminismo ter uma má imagem diante da sociedade.

Anônimo disse...

Se elas só quisessem ficar nessa, só elas, até que tava tudo ok. Afinal essas mulheres são adultas e podem abrir mão de seus direitos se quiserem. O problema é que essas criaturas não se contentam em se reunir nos seus grupinhos de amélias: querem obrigar todas as outras mulheres a seguirem o modelinho delas. E, nesse caso, quero mais é que elas se explodam mesmo.

Anon das 16:56, por que todo chatinho que chega aqui querendo desqualificar a luta pelos direitos femininos usa essa velha história idiota de filhos, hein? Por que você acha que jogar a maternidade no meio da conversa vai fazer todas as mulheres virarem conservadoras ou musas olavettes? Bom, por mim você pode enfiar esse papinho de maternidade bem no entrementes dos seus digníssimos glúteos e chorar. Eu tenho HORRORR à maternidade e seu papinho sobre Golda Meir ter criado dois mesmo sendo ministra não me fez mudar de ideia nem um milímetro. Pelo contrário, só me deu mais certeza de que o lugar do meu útero é numa lata de lixo e não me ameaçando com gravidez dentro do meu corpo.

Julia disse...

O anon 16:19 é um homem. Ela fala das "musas olavettes" (que denominação ridícula, aliás) em 3ª pessoa.

Quer dizer, um homem que se considera porta voz das musas olavettes e veio aqui dizer que o pensamento conservador vai aumentar e que as mulheres serão as "protagonistas" nisso.

Diz ele que as mulheres serão as protagonistas no processo de retrocesso de suas liberdades e escolhas individuais.

hahaha, eu acho que não, hein amiguinho.

Pode esquecer que isso não vai acontecer.
O feminismo tá crescendo.
O seu pesadelo só tá começando.

Juliana disse...

Quando mulher vem com leseira de me dizer que não precisa de feminismo, eu digo :"verdade, tu tá precisando é de um cérebro!".
Porra, aindam mais quando vc percebe que a pessoa tem alguma noção de desigualdade de gênero, reconhece o machismo em algumas situações, mas insiste em bater o pé e dizer que o feminismo não tem mais razão de existir,aff
Odeio gente que vem com papo de: isso não é machismo, é falta de caráter, educação, oi?
Pra vcs que sonham com o fim do feminismo, eu digo: quer acabar com o feminismo? simples, acabe com o machismo primeiro.

Danilo disse...

Resposta: Creio que vai ser a minha primeira indagação neste blog. Mas que diferença faz a mulher ser ou não feminsta? Qual é a diferença da mulher ser ou não feminista? Porque teoricamente não muda em absolutamente nada. A mulher ser ou não feminista muda em alguma coisa?

Anônimo disse...

A mulher independente não espera o casamento pra fazer sexo, nem se arrepende de seu passado sexual. Não somente isso, ela acha que o homem é obrigado a aceitar todos os caprichos dela. Ela considera qualquer exigência masculina machista e quer viver sem qualquer tipo de cobrança!

O conjunto de valores das mulheres de hoje demonstram que o nível de egoísmo da mulher atual assusta o homem! A mulher moderna desvaloriza o homem com seus valores e transforma o homem num acessório descartável. É como se ela não oferecesse garantias de estabilidade nos relacionamentos!
O relacionamento do homem com a mulher moderna é frágil, tenso e inseguro. O homem não acredita na sinceridade da mulher independente e liberal! Ela é sincera quando fala dos ex e do passado? Ela é sincera quando elogia o parceiro atual? Ela sente saudades dos ex, ou finge que ama o atual? Ela acha traições e mentiras relativas?

Danilo disse...

Resposta: Eu tenho observado o seguinte. Muitas mulheres pensam que se afirmarem de boca cheia que são feministas elas serão vistas como mulheres esclarecidas, resolvidas, politizadas.

Mulheres anti-feministas são raras. A maioria das mulheres ocidentais são indiferente ao feminismo. Elas cagam e andam para o feminismo. Pois elas sabem que, por mais que o mundo ainda seja patriarcal, em termos estruturais a vida da mulher ocidental melhorou estratosfericamente.

O que incomodava realmente as mulheres era o efeito da repressão religiosa e isto não existe mais.

Luiza disse...

Nooooossa, Danilo!! É sério que você perguntou isso?! Como você pode ter dúvidas? Sinceramente, se vc nao sabe se faz diferença é pq nao conhece o feminismo e nem a história do feminismo. Você acha que as feministas nunca tiveram conquistas? Que a mudança no pensamentos das pessoas não Gera mudança no sistema? É claro que faz diferença! A teoria leva à prática e pessoas bem informadas vão buscar novas maneiras de se relacionar com o mundo. Vão exigir seus direitos, vão combater o opressor e, claro, passar mais informação adiante. Mesmo que a Passos Lentos, o feminismo tem suas vitórias. O mundo não é mais o mesmo de décadas atrás. "pequeno" exemplo: hoje em dia as mulheres podem votar. E isso pq pessoas foram à luta, em busca desse direito, exigindo participação. É óbvio que faz diferença!!!

Anônimo disse...

O problema não é o feminismo enquanto ideologia.
O problema é aquilo no que o feminismo se tornou.
Feminismo de fundo de quintal, mulheres reclamando, reclamando, reclamando e reclamando.
Mulheres se fazendo de vítimas, colocando a culpa por todas as mazelas do mundo no "maldito patriarcado" e no machismo.
Mulheres que querem direitos iguais, mas se esquivam das responsabilidades iguais.
Mulheres que não querem assumir a responsabilidade por seus próprios atos e se escondem atrás do feminismo.

Gabriela V. disse...

Danilo, faz muita diferença sim. A mulher que é feminista sabe do seu potencial, tem amor próprio e discernimento pra reconhecer relações abusivas por exemplo e pular fora logo. A mulher feminista também aceita seu corpo e o sexo com mais naturalidade também... Enfim, o feminismo tem inúmeros benefícios.

Julia disse...

Verdade, Danilo. Já fizeram muitas indagações idiotas nesse blog, mas essa sua eu não me lembro de já terem feito.

Quero fazer uma indagação pra você também. Se você vem a este blog todos os dias e ainda não sabe a resposta dessa pergunta porque continua vindo?

Danilo disse...

Fala sério, esse texto é do the truth.

Danilo disse...

"Nooooossa, Danilo!! É sério que você perguntou isso?! Como você pode ter dúvidas? Sinceramente, se vc nao sabe se faz diferença é pq nao conhece o feminismo e nem a história do feminismo...... A teoria leva à prática e pessoas bem informadas vão buscar novas maneiras de se relacionar com o mundo. Vão exigir seus direitos, vão combater o opressor e, claro, passar mais informação adiante. Mesmo que a Passos Lentos, o feminismo tem suas vitórias. O mundo não é mais o mesmo de décadas atrás. "pequeno" exemplo: hoje em dia as mulheres podem votar. E isso pq pessoas foram à luta, em busca desse direito, exigindo participação. É óbvio que faz diferença!!!"


Resposta: Apenas cortei um pedaço pra não ficar extenso demais. Mas você rodeou e rodeou e não falou realmente nada. Posso afirmar pra você que as conquistas femininas advém do capitalismo. Todas as conquistas jurídicas das mulheres é um efeito do sistema capitalista. É doloroso as feministas ouvirem isso porque essa verdade atingem na alma delas.

O feminismo não têm esse poder todo.

Obs: Esse argumento de que a mulher pode votar é o argumento de todas as feministas quando os "machistas vilões" aparecem para confronta-las. Este é o argumento clichê mais automático que existe nas feministas.

Marina disse...

Golda Meier era DE ESQUERDA.
Ela foi membro de kibutz.
O partido dela era o Mapai, PARTIDO DOS OPERÁRIOS, mais tarde PARTIDO TRABALHISTA. A ideologia do Mapai era o sionismo trabalhista, que é a parte de ESQUERDA do sionismo.

Israel começou como um país DE ESQUEDA, baseado nos kibutz no campo e de uma classe proletária nas cidades.

A coisa só começou a desandar depois da Guerra do Yom Kipur, em que Israel quase foi eliminado do mapa por incompetência generalizada. Depois disso o povo ficou com medo, o partido ficou desacreditado e a direita começou a ganhar poder. O resultado todo mundo tá vendo, um horror.

Danilo disse...

"Verdade, Danilo. Já fizeram muitas indagações idiotas nesse blog, mas essa sua eu não me lembro de já terem feito.

Quero fazer uma indagação pra você também. Se você vem a este blog todos os dias e ainda não sabe a resposta dessa pergunta porque continua vindo?"


Resposta: O feminismo te remunera pra você precisar dele? O blog da Lola não é nenhuma implementação de política pública pra transmitir a idéia de que a mulher de fato precisa do Feminismo. Você disse de um jeito como se o blog da Lola fosse um órgão para deliberar proposições legislativas em nome das causas femininas.

Aline J. disse...

Sinto muito, mas eu não me dou bem com essas que dizem "Eu não preciso de feminismo". Simplesmente porque elas não se contentam em formar grupo para se orgulharem de lavarem cueca suja, não! Elas vão além, querem obrigar toda mulher a ser "conservadora". Sempre que uma me confronta, eu digo simplesmente "Amiga, a xana é minha e eu dou para quem eu quiser." Eu não acredito em deus, e elas são em sua grande maioria, cristãs e evangélicas, então sou o modelo perfeito de esposa do capeta. Que coisa, não? Eu explico, explico mas Às vezes o que mais funciona é um "Não quero acreditar na po#ra do seu deus, me deixa em paz."

Quer ser sustentada? Seja, querida. Se quiser, pode lavar cueca e dar comida na boca do marido também; Donas de casa, acho que boa maioria é (desde que isso signifique que você limpa a sua casa), eu sou dona de casa, meu marido é "dono de casa", porque ele me ajuda. E ambos trabalhamos. Então não, trabalhar não afeta em nada a vida de uma mulher e o marido ajudar em casa não cai o braço. Agora, se você escolher "dona de casa" como profissão, bom também. Pra você. Não venha obrigar todas a quererem submissão, inferioridade e acreditar no seu ser místico.


"e transforma o homem num acessório descartável."

É gostoso ser objetificado, né, anon?

"O que incomodava realmente as mulheres era o efeito da repressão religiosa e isto não existe mais."

Não existe mais repressão religiosa... Nada a declarar.

Ana disse...

Esse argumento de que a mulher pode votar é o argumento de todas as feministas quando os "machistas vilões" aparecem para confronta-las. Este é o argumento clichê mais automático que existe nas feministas.


Verdade,esqueceu do outro clichê para qualquer um que ouse não ser feminista "vocês não entenderam o feminismo..."
Não sou feminista e isso não faz de mim machista,já que pra vocês as pessoas devem ser rotuladas como machistas ou feministas,patético,sinceramente.
Não sou obrigada a concordar com tudo que vocês pregam e muito menos é necessário ser feminista para ser contra qualquer injustiça contra a mulher ou contra qualquer um.

Essa foi demais Gabriela V,só a mulher feminista tem amor próprio^? kkkkkk


"Quando mulher vem com leseira de me dizer que não precisa de feminismo, eu digo :"verdade, tu tá precisando é de um cérebro!".

Não dá para imaginar por quê uma mulher não tem a mínima vontade de virar feminista...
Um movimento tão coerente,olha como isso soa para mim e para muita gente:

-Olha,você é burra demais por não querer ser feminista,ainda não entendeu que nós lutamos para que as escolhas das mulheres sejam respeitadas!??!

Hilário kkkkkkk

Fernanda disse...

ANON 16:56
Sou feminista, trabalho num emprego predominantemente masculino (metroviária em São Paulo), faço faculdade, sou casada e meu marido faz comida, cuida da casa, supermercado... e criamos uma filha linda, que usa rosa E azul - e com certeza não será musa recalcada de nenhum reaça. Somos muito felizes assim!

Anônimo disse...

Ahaha...o comentário irônico foi demais!

Anônimo disse...

Pra uma mulher ser feminista é preciso alteridade. É fácil ser anti feminista sendo branquinha, rica, estudada, nunca tendo sido agredida... Quando você vira feminista você aprende sobre os privilégios e aprende a lutar pelas irmãs, mesmo que você tenha tido uma vida de princesa. Mulher que não é feminista não é cega, só não tem empatia.

Anônimo disse...

Boa Fernanda! Vai abrir mão da aposentadoria 5 anos antes?

DEATH ADDER disse...

o feminismo existe por causa do capitalismo mesmo. ser feminista ou não não muda nada. são as elites globais que lucram com isso, quem controla o sistema financeiro controla esse mundo. por isso que eu sou a favor de uma vida simples e menos consumista, pra fazer esses donos do mundo perderem seus lucros e o mundo retornar ao barbarismo, aí sim será a hora de mudar o jogo. tanto tradicionalistas que pretendem casar e ter filhos, quanto mgtow masculinistas serão importantes pra isso. os mgtow virando ghost na sociedade, e os tradicionalistas tem que fazer como o varg vikernes e viver no campo, em fazendas. acredito que é possível ver a elite global cair se as pessoas terem um estilo de vida menos consumistas. por isso eu digo, destruir o antigo, pra criar o novo.

Anônimo disse...

Mais importante que se declarar feminista, é ter um pensamento feminista, e no fim das contas é isso que fez e faz a diferença.
Muitas mulheres podem não se declarar feministas por preconceito, falta de conhecimento ou simplesmente porque não gosta de "rótulos", mas tem a mesma atitude, o modo de encarar as coisas. Não precisa ser leitora de Beauvoir, participar de coletivo, de passeata pra ser feminista.
Feminismo não é só um movimento, um ativismo, é um modo de pensar. É substantivo e adjetivo. E todas as pessoas que lutaram e lutam por equidade tem essa consciência feminista, esse modo de pensar, se considerando feministas ou não. E é isso que importa.
A mulher ou homem pode não se dizer feminista, mas se tem essa postura pra sua vida e pra vida de quem lhe cerca, é o que vale.

Danilo disse...

Resposta: Na moral, não sei porque feminista fica dando ouvido pra uma mulher que bate no peito cheia de orgulho criticando o feminismo e feministas.

Pra início de conversa eu acho muito questionável o conservadorismo de muitas mulheres conservadoras. Vocês feministas vêem "perigo" em tudo. Hoje, os valores da mulher religiosa e da mulher feminista são praticamente o mesmo. E o que seria esse valor? O liberalismo.

Escutam de uma vez por todas o que eu tenho a dizer agora. Nenhuma mulher no mundo Ocidental renuncia seus prazeres ou gostos em prol uma moral religiosa. Só este argumento é capaz de derrubar todas as mulheres "conservadoras - antifeministas".

Jackeline disse...

Eu não li comentários anteriores então desculpe se eu estiver repetindo alguma ideia já exposta aqui (é que tem muitos...). Só gostaria de dizer que achei ótimo o texto e também queria falar sobre algumas coisas que penso.

Que seria ótimo se sexo não existisse.
Porque sexo cria barreira entre as pessoas.
O simples fato de eu ser mulher ou homem faz com que o tratamento seja diferente.
E não enxergar o que existe além disso dentro de mim.
Enxergar a alma que está aqui, um ser com sentimento, ideias e experiências.
E o fato de eu fazer muito ou pouco ou nenhum sexo também faz com que o tratamento seja diferente.
Ela é uma puta porque transa com qualquer um, ou ela não transa porque é feia e nerd...
Mas isso não é tudo que sou, se é que sou mesmo.
Posso ser alguém que quer conhecer você, sobre o que você tem interesse, sobre a sua vida que é tão diferente da minha, sobre suas aventuras e seus pensamentos...
Mas não, "ela é mulher, com mulheres só quero transar e não quero falar sobre essas coisas. Não, sai de perto de mim".

Veja só.

Não quero ser melhor que ninguém, nem pior, nem igual. Não igual porque ninguém é, e amo peculiaridades e diversidades. Mas quero ser tratada de forma igual, com mínimo de respeito, e com um bom senso. Se pudesse, queriam que esquecessem de que sou homem ou mulher, se sou asiátic@ ou negr@ ou branc@, ou se sou católic@ ou agnóstic@ ou qualquer outra coisa. Sou gente em primeiro lugar, e essas coisas são só algumas características minhas, e não as únicas ou mais importantes.

E eu acredito que feministo está aí para tentar derrubar essa barreira que o sexo constrói e enxergar o verdadeiro ser dentro de cada um. E é nisso que acredito, e é nessa ideia que eu visto camisa.
Não sei o que tem de tão terrível tem nisso.

Elaine Telles disse...

Para mim,as mulheres que vêem o feminismo como algo ruim são quase sempre oriundas de famialias de boas condicões financeiras e que nunca as tratou diferente por serem mulheres. Elas tiveram acesso a boa educacao, ganharam carros, apartamentos, tudo providos pelos pais. Fora que viveram toda a vida envoltas numa bolha cor-de-rosa de protecao contra o mundo real. Então, nunca tiveram que enfrentar nada. A vida foi dentro de condomínios, passeios de carro, pouca exposicao. Realmente, dentro dessa bola é difícil sofrer qualquer dano. Então, essa mulher cheia de privilégios é incapaz de entender que o mundo lá fora é diferente da vida que ela vive. Por isso ela nega tudo. Nao há empatia. Muitos posts têm comentários feministas em que a mulher consegue se proteger e resolver todas as situacoes com o background dela: afinal ela frequentou escolas marciais da infancia (veja que isso é privilegio, já que é algo caro. Se foi na adolescencia também, pois muitos adolescentes tiveram que comecar a trabalhar cedo. Ou teve acesso a curtos de língua, musica, situacões que permitem que ela não esteja tão vulnerável ao mundo e não caia na miséria e portanto, se sujeite à violência, tanto de parceiros (veja que aqui é a possibilidade de mudar de casa, caso o parceiro a agrida. Um mulher pobre ficaria por não ter para onde ir, ou iria para as ruas), violência familiar (ter feitos cursos lhe permite trabalhar e se virar mais, ganhar melhor e assim poder deixar a casa dos pais em caso de violência familiar), na rua (já que um carro te protege bem mais do que um ônibus do assédio, da violência da andar sozinha nas ruas, etc.

Raven Deschain disse...

Não sou branquinha, nem rica, nem estudada e já fui (sou) agredida. E aí?

Tá fácil pra mim?

Aliás, aproveite e defina -estudada- e -agredida-.

Raven Deschain disse...

"Escutam de uma vez por todas o que eu tenho a dizer agora."

Me obrigue.

E não, não vou abrir mão da aposentadoria 5 anos antes enquanto a quantidade de tempo lavando a cueca de machinhos seja igualzinha entre homens e mulheres. :)

Anônimo disse...

Sou mulher mas não sou feminista e nem quero ser. Por que? Porque acho que todo mundo é vítima de injustiças, não só mulheres. Machismo é achar que homem é superior e que por isso pode mais do que a mulher. Violencia cometida por causa dessa ideia é que pode ser chamada de machismo. Mas agora qualquer coisa que ocorre contra a mulher que vem de homem estão chamando de machismo. Por exemplo,um cabra que mata a mulher por ciúmes é machista. Isso já é loucura. Quando aparecem casos de homens sofrendo violéncia por parte das mulheres não vejo feminista reclamar. É assim que querem igualdade de direitos ? Esse movimento só pensa nas mulheres mesmo e já começa no nome: FEMEnismo.

Anônimo disse...

Concordo com tudo que a Elaine Telles disse, acho que ela está certíssima!
Tenho várias amigas assim, que vivem em bolhas cor de rosa e afirmam que não precisam do feminismo.
Mulheres bonitas e ricas tem até mais previlégios que os homens brancos e heteros. Uma dessas amigas, escolheu não trabalhar, ela casou com um jogador de futebol (de time pequeno), e agora passa o dia na academia, na piscina, no shopping... mas, ela não é sustentada pelo marido, ela recebe aluguéis de salas comercias que a avó deixou para ela de herança.
Não estou julgando a menina, acho que todas as mulheres são livres para fazerem o que quiserem da sua vida, mas é falta de empatia mesmo, dizer que o feminismo é bobagem só porque "não precisa dele".

Anônimo disse...

Muitas mulheres pensam em lucrar com o casamento ou em outras relações com homens de poder e dinheiro. Para algumas, ser amante e ganhar presentes é melhor que trabalhar numa loja e ganhar 2 salários mínimos. Dessa forma, o feminismo atrapalha o sonho de enriquecimento dessas mulheres. Essa é uma das causas do antifeminismo.


Infelizmente, no Brasil as famílias em sua maioria não sabem educar os filhos e filhas.

Infelizmente vemos pais preocupados com a chance de as filhas virarem vadias pois têm medo de serem cirticados pelos cachaceiros das redondezzas.

É preciso repensar as possibilidades humanas de se ganhar dinheiro, de monogamia limitante etc

Camila Gois disse...

Por bastante tempo eu pensei que o feminismo era o contrário do machismo. Meio que vivo numa bolha, como as meninas ali disseram, e não percebia o machismo existente. Então, tive um filho, passei a olhar tudo de uma forma mais crítica, e percebi que havia MUITA coisa errada. Acho que todos somos oprimidos pelo machismo (homens e mulheres), alguns mais e outros menos. Sou feminista e preciso muito do feminismo, principalmente porque quero um mundo melhor para meus filhos.

Raven Deschain disse...

Por exemplo,um cabra que mata a mulher por ciúmes é machista. Isso já é loucura.



...


Nossa, vai de mal a pior. '-'

Gabriela V. disse...

Ana,

Não, eu não disse que somente a mulher feminista tem amor próprio, mas o feminismo é UMA das vias para a libertação e para o amor próprio, para se reconhecer que respeito é intrínseco a qualquer ser humano, que respeito, valor não tem que ser merecido, não tem que se fazer valer. O feminismo quebra as barreiras, é contra o sistema sim. Simplista seu modo de dizer que o mundo se divide em feministas ou machistas, mas basicamente é isso sim, se você é contra a violência contra a mulher, se você é contra estupro, não só aquele cometido em uma rua escura, mas estupro no seu conceito amplo, inclusive dentro do casamento, se você é a favor que as mulheres estudem, tenham mais cargos de liderança em empresa, se você é a favor de que a mulher seja respeitada, tenha direito a ter prazer sexual, a transar ou deixar de transar com quem ela bem entender, meu caro(a) você é feminista, sem mais!

É como uma colega acima comentou, pra ser feminista você não precisa ler Naomi Wolf, Simone, nada disso, simplesmente é ter conscientização. A pessoa não é feminista somente porque se autodeclara, mas sim em suas atitudes... Muitas pessoas dizem não ser feministas, mas nos seus hábitos e no seu modo de pensar o são. E sabe por que isso? Porque as pessoas não conhecem a essência do que realmente é feminismo, e a mídia ainda dissemina ideias errôneas, infelizmente as pessoas não pensam fora da caixinha, e não buscam realmente o significado das coisas.

Agora, te digo uma coisa, se você vem até aqui ao blog da Lola é porque alguma coisa o feminismo te despertou, te chamou atenção, se incomoda tanta gente assim, é porque faz barulho, é porque funciona. Pra você Ana, eu deixo nosso velho jargão "feminismo é a ideia radical de que mulheres são gente".

E ahh, você pode me responder com deboche ou partir para uma linguagem chula se quiser, isso não me afetará nem um pouco, se você for inteligente com certeza usará argumentos plausíveis. E já que você me diz que não é feminista, me dê contrapontos para não ser feminista.

lola aronovich disse...

A Bianca acabou de me mandar no Twitter uma foto da Beyoncé ontem
no VMA. Na apresentação mais esperada da noite, que durou 15 minutos, Beyoncé colocou o áudio do famoso discurso da Chimamanda e esta foto no telão. Muito bacana ela espalhar o feminismo entre seu enorme público.


Aproveitando: tem cada comentário absurdo... Ô anon das 9:28, vc sabia que, entre todas as mulheres assassinadas no mundo, metade é morta pelo parceiro ou ex-parceiro? Não sou eu que tô dizendo, é a ONU, que considera a violência contra a mulher uma pandemia. Imagine só se metade dos homens fossem mortos por suas parceiras íntimas. Não seria um escândalo? Agora tente explicar essa estatística sem usar a palavra machismo. Por que tantos homens matam suas parceiras? Por que eles têm tanto ciúme?

Anônimo disse...

Pra Raven Deschain:
Como assim, "vai de mal a pior"? Machismo é machismo e ciúme é ciúme. Como se mulheres que aprontam por causa de ciúmes não existissem e nem por isso digo que elas são femistas.

Anônimo disse...

Raven, você lava as cuecas sozinha em casa? Você limpa a casa sozinha? é a única que cozinha e cuida do(s) filho(s)?
Se sim, ótimo, mas a Fernanda disse que a vida dela não é assim, que ela divide as responsabilidades pelas tarefas domésticas.

Fernanda disse...

Não, não vou abrir mão, apesar de planejar trabalhar mais alguns anos após me aposentar.
Partindo do pressuposto que cada vez mais homens fazem o serviço doméstico e trabalham fora juntamente com suas esposas, será que essa diferença na aposentadoria também não é um tanto machista?
Que tal parar com o mimimi sobre aposentadoria, serviço militar e etc e ir atrás de mudar alguma coisa?

Anônimo disse...

Por que só considerar os números da ONU sobre assassinatos de mulheres e não as pesquisas que afirmam que MULHER É QUE MAIS COMETE VIOLÉNCIA DOMÉSTICA? Só se deve dar valor
ás agressões quando acaba em morte? Só porque as agressões cometidas por mulheres geralmente não acaba em morte não se deve deixar pra lá. Pelo menos até agora voce não me convenceu, Lola.

Anônimo disse...

Concordo com a Fernanda!! Por que a mulher tem que abrir mão de aposentar mais cedo? Não seria muito melhor os homens aposentarem mais cedo tb?

Anônimo disse...

Mas eu achava que os 5 anos era poque vocês faziam jornada dupla, tripla e sei lá mais o quê. Você, que não tem exclusividade na execução dos serviços domésticos, vai estar dispondo de um privilégio institucional que você não deveria ter direito, destinado às mulheres que de fato "fazem hora extra" sozinhas em casa.
Se homens lutassem pela redução da idade de aposentadoria deles (que em termos de previdência seria uma tragédia), essas mulheres não teriam mais essa compensação trabalhista. É justo?

Hamanndah disse...

E ai, anonima de 24/08, as 23:44:

Nao quer feminismo? Devolva o titulo de eleitor, peça demissao do emprego, va lavar cuecas....pare de frequentar blogs feministas,!com tanta louca/roupa suja pra lavar

Danilo disse...

"Acho que todos somos oprimidos pelo machismo (homens e mulheres), alguns mais e outros menos."


Resposta: O que oprime é o sistema capitalista.

Gabriela V. disse...

Fernanda,

Eu acredito que o certo mesmo seria o mesmo tempo de aposentadoria para homens e mulheres, que o serviço militar não deveria ser obrigatório para os homens também, que o certo é dividir todas as despesas e as contas. Mas eu acho que no cenário que a gente se encontra hoje, falando pelo Brasil todo, isso não é possível, a mulher ainda é responsável pelas tarefas domésticas, mesmo trabalhando, mesmo o marido 'ajudando' um pouco, quem fica com o pesado é ela, por isso não tem como mudar o tempo de aposentadoria, no Direito tem o que chamamos de ''tratar os desiguais de forma desigual'', para que possa haver uma equidade.

Ano passado, eu viajei para minha cidade de Minas, há muito tempo que estou em São Paulo, eu nem me lembrava mais de lá, quando cheguei, me deparei com uma realidade totalmente diferente, lá quase nenhuma mulher trabalha, é uma ou outra, e quando trabalha, é como empregada doméstica ou professora, e eu sempre preguei que mulheres deveriam dividir as contas, mas isso me fez repensar, todas as mulheres trabalham? todas mulheres tem a possibilidade de trabalhar? as mulheres tem uma rentabilidade que proporcione uma divisão de despesas? Sabe, fiquei pensando, a realidade de São Paulo é uma, no restante do Brasil é outra.

Fernanda disse...

Lola, aproveitando a oportunidade, gostaria de saber sua opinião sobre o vagão rosa. Os metroviários de São Paulo estão discutindo o assunto e eu, particularmente, sou contra. Vejo com desconfiança medidas que segregam ao invés de educar e punir com vigor os agressores. As mulheres lutaram e continuam lutando tanto pela conquista dos espaços públicos, como algumas feministas defendem uma coisa dessas?
Um beijo!

Fernanda disse...

Ok. Então que briguem para que as mulheres se aposentem com o mesmo tempo que os homens, a discussão não é essa.
Eu não teria direito a esse benefício mas inúmeras mulheres não tem o "privilégio" que eu tenho. Quanto mais homens assumirem a responsabilidade pelos serviços domésticos com suas esposas, mais ultrapassada será essa diferença. Ah, e uma informação pra você, recentemente, o sindicato dos metroviários, pelo incentivo da SECRETARIA DE ASSUNTOS DA MULHER, conquistou o direito de auxílio creche para os homens metroviários. Legal, não?

Camila Gois disse...

Olá, Danilo!
Também acho que o sistema capitalismo é opressor. Faço parte do movimento da infância livre do consumismo e tenho bastante interesse no assunto. Mas, nem tudo é culpa do capitalismo, não... hoje, por exemplo, meu filho foi para a escola com um band-aid rosa no braço, da barbie. Logo na entrada, a professora olhou para o bracinho dele e falou: Vamos trocar isso por um curativo de MENINO. Isso não é machismo? Direto isso acontece, uma vez ele estava brincado com um forninho de brinquedo em um aniversário, e uma senhora chegou e disse para ele brincar com outra coisa, que aquilo não era de menino (ele tinha 1 ano!).

Fernanda disse...

Acho que, mesmo que vivêssemos num paraíso socialista utópico, as mulheres sofreriam com o machismo alheio.

Anônimo disse...

Também não me convenceu, Hamanndah. Juro que estou aberta pra receber argumentos, mas só os bons argumentos.

Luiza disse...

Ah, Danilo, mas então você já sabia a resposta, certo? Se você acredita que todas as conquistas feministas são de mérito do capitalismo, então pq fez a pergunta? Se você acredita nisso, tudo bem... Pode seguir acreditando, mas eu e outras várias aqui vamos continuar pensando diferente. E se toda feminista fala automaticamente do direito ao voto, é porque sim, essa é considerada, por nós, uma grande vitória. Algo pra ser lembrado até hoje. Só não pense, por favor, que está atingindo a alma de alguém quando comenta isso. Você está se dando importância demais ;)

Ana disse...

Vocês realmente acham que o mundo é divido entre machismo e feminismo e que só uma feminista luta ou se importa com as desigualdades no mundo,então não importa se a pessoa diz que não é feminista,ela é e pronto.
Isso é de uma arrogância,é inacreditável para vocês mas é bem provável que tenha muita gente tentando melhorar o mundo mas não é feminista.
Realmente eu pensei ser feminista mas depois de ler tanta besteira desisti,apesar do discurso ser lindo,o que importa são as atitudes.

Como eu já falei antes,dizem que o movimento respeita as escolhas das mulheres,mas desde que ela seja feminista,senão é burra,alienada,riquinha e ponto.

Se importam muito com todos e o feminismo vai ajudar o mundo inteiro,mas se aparece um homem falando do seus problemas,tudo não passa de male tears,o cara que se foda,vocês estão se lixando para seus problemas,ele que resolva sozinho, mas ao mesmo tempo pedem ajuda dos homens.

Padrões duplos de julgamento entre homens e mulheres( parece machismo).

Hipocrisias,incoerências.
Os homens sempre são culpados por tudo.
Vitimização das mulheres,que é bem diferente de ser vítima de crime,coisa que vocês fingem não saber.
Tenho um exemplo claro de vitimismo,tem uma feminista na minha rua,ela se interessou pelo meu primo,falei a verdade,ele é galinha,transa com as mulheres e depois lhes dá um pé na bunda,ela não deu a mínima,disse que não queria nada sério,liberdade sexual,blá,blá,blá.
Dias depois ela vem choramingar para mim,reclamando de como o mundo era machista,meu primo é machista e que ela foi manipulada pelo machismo para ficar com ele.Oi???????????!!!
Ela ficou com ele sabendo de tudo e ela é a vítima e o meu primo um fdp?
Se ela eu não soubesse de nada,até serviria o papel de vítima.

Não apoio aborto.
Motivo para não ser feminista é o que não falta.

E pasmem, eu não sou riquinha como dizem aí,não ganhei carro do papai,moro em comunidade/favela,é só mais uma prova da intolerância.Não é feminista?Só poder ser uma riquinha besta que não sabe de nada,alienada.

Anônimo disse...

direito ao voto? piada né? somos OBRIGADAS a votar ,isso é direito onde?
não agradeço nem um pouco,também ganhei o "direito" de ser obrigada a trabalhar/ser escravizada nas eleições umas 2 vezes.

Raven Deschain disse...

Ótimo pra Fernanda, anon. ^^

Já ouviu falar em exceção? E a Fernanda está consciente de qua algumas de nós somos, mas vc não, assim como a maioria. Enquanto indivíduo nem eu nem ela conseguimos abrir mão da aposentadoria.

E pq demônios alguém abriria mão de um direito afinal?

Danilo disse...

"Mas, nem tudo é culpa do capitalismo, não... hoje, por exemplo, meu filho foi para a escola com um band-aid rosa no braço, da barbie. Logo na entrada, a professora olhou para o bracinho dele e falou: Vamos trocar isso por um curativo de MENINO. Isso não é machismo?"


Resposta: A garota que está brincando de bonecos e a mãe fala pra filha trocar por bonecas para ela brincar a mãe está sendo feminista. Ou melhor, femista?

Fernanda disse...

Eu concordo inteiramente com você! Sei que sou uma exceção e por isso mesmo, entre tantos outros motivos, acho o feminismo essencial! Para que as mulheres tenham a possibilidade de ESCOLHER que tipo de vida levar e não que seja uma imposição social.

Fernanda disse...

É absurdo esse sexismo imposto desde tão cedo, né? Quando minha filha tinha 4 anos a lista de materialpedia um kit de brinquedo e especificava, meninas: kit cabeleireiro, maquiagem ou cozinha; meninos: kit profissões!
Fiquei indignada e mandei um email para a diretora, que se desculpou e disse que todas as crianças brincariam cim todos os brinquedos mas, se não houvesse de fato o sexismo, porque especificar na lista o que cada um devia levar? É uma coisa tão intrínseca que as pessoas nem percebem o mal que estão causando.

Fernanda disse...

O objetivo é poder decidir entre fazer isso tudo aí que você disse ou não. E não ser OBRIGADA a ter jornada dupla, cuidar da casa e dos filhos sozinha e ser sustentada pelo marido.
Não gosta do feminismo? Detesta feministas? Ótimo. Vá viver de acordo com suas convicções e seja feliz com elas.

Fernanda disse...

Aff....

Fernanda disse...

Também gostaria de saber Raven.

Camila Gois disse...

Nossa, Fernanda, eu tb ficaria muito indiganada!! Fico doida com estas coisas!!

Danilo, as mães feministas incentivam as crianças a brincarem com o que quiserem. Não existe coisas de meninos e coisas de meninas. Eu mesma nunca gostei de bonecas, nunca brincava de "mamãe-filhinha", sempre me interessei muito mais por brinquedos considerados masculinos. Meu filho brica com todos os tipos de brinquedos... carrinhos, trens, motos, bonecas, casinhas, panelinhas...

Anônimo disse...

"Enquanto indivíduo nem eu nem ela conseguimos abrir mão da aposentadoria."

Aposentadoria não é compulsória até onde eu sei.

Usar esse direito sabendo que ele não foi feito levanto em conta a situação de vocês, mesmo que constitucional, é antiético e configura privilégio. Privilégio sobre os homens (incluindo seus companheiros), mas também sobre as outras mulheres às quais esse direito foi destinado.

Na hora de mandar os outros reverem os privilégios todo mundo grita, mas abrir mão dos próprios ninguém quer...

Danilo disse...

"Danilo, as mães feministas incentivam as crianças a brincarem com o que quiserem. Não existe coisas de meninos e coisas de meninas. Eu mesma nunca gostei de bonecas, nunca brincava de "mamãe-filhinha", sempre me interessei muito mais por brinquedos considerados masculinos. Meu filho brica com todos os tipos de brinquedos... carrinhos, trens, motos, bonecas, casinhas, panelinhas..."


Resposta: Você foi a única mãe feminista que conheci até agora. Nunca fiquei sabendo da existência de mãe feministas.

Fernanda disse...

Querido anônimo, vou dizer mais uma vez o que disse antes. Quando a divisão da tarefa domésticas for REGRA e não EXCEÇÃO a idade de aposentadoria provavelmente será igual para ambos. Eu não disse que não faço tarefas domésticas. Eu trabalho fora e meu marido em casa, porém, quando estou de folga (por exemplo hoje) eu faço faxina, limpo o quintal, dou comida para nossa filha... coisas que ele também faz quando não estou aqui. Ou seja, quando estou de folga, não fico sentada no sofá assistindo televisão e tomando cerveja. Ficou claro agora?
Eu não sou à favor dessa diferença pois acho que ela carrega consigo um certo machismo partido do princípio que SÓ mulheres fazem o serviço doméstico mas isso nos leva ao início desse comentário, a questão da exceção.

Anônimo disse...

Anon das 19:02 que chama mulheres modernas de egoístas: KKKKKKKKKK KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!
Um sujeito que nem admite que as pessoas (mulheres) sejam ou queiram algo diferente do que você considera seu 'modelinho ideal' do feminino reclamando de egoísmo? Quer um óleo de peroba pra passar na cara? Faço promoção, dois por um! Óleo de peroba pra todos os egoistinhas mimados cujo principal argumento contra as mulheres modernas é que elas são... egoístas! Dois por um, dois por um, quem vai querer?

E Danilo, o que você fumou pra alucinar com esse cenário da mãe tirando bonecos da filha e mandando ela brincar com bonecas? Mandou um chá de cogumelo pra dentro ontem? Porque nunca vi uma mãe tirando bonecos ou carrinhos da mão da filha, mas mãe tirando boneca de menino é só piscar e tá lá!

Anon das 11:40h, deixa eu fazer uma pergunta: você é o cara dos 40% contra os 6%? Porque deixa eu repetir, se você quer ajudar os homens vítimas de violência doméstica, faça algo ao invés de ficar esperando as mulheres resolverem tudo pra você.

lola aronovich disse...

Do Danilo: "Você foi a única mãe feminista que conheci até agora. Nunca fiquei sabendo da existência de mãe feministas."

Danilo, se esconde, vai. Sério, vc não tem vergonha de falar tanta asneira? Recomendo que vc passe a comentar em fóruns mascus. Lá vc se sentirá em casa com homens tão inteligentes e bem informados como vc.

Fernanda disse...

Além disso, as mulheres comprovadamente tem uma situação mais precária no mercado de trabalho do que os homens, e isso não é falácia feminista. O tempo médio entre a saída de um emprego e o ingresso em outro e bem maior para mulheres (segundo o DIEESE/Seade).
Ou seja, esse "privilégio" serve tão somente para compensar uma desigualdade.

Fernanda disse...

Hahahahahahahhahhahahahahaahahhahaahhahahahahahaahaahahhahahaahh

Lidia Helena disse...

Tadinho do Danilo, Lola! kkkkkkk
Ele só fala besteiras, mas até que gosto dele... acho que é porque me lembra do meu irmão que mora no Canadá rs.
Também existe pai feminista, para quem não sabe, esse é o Hilan Diener: http://potencialgestante.com.br/pai-e-feminista/
O título era "Pai e Feminista", mas as radfem fizeram ele mudar para "Pai e Pró-feminismo".

Como dizem no facebook: Multiplica, Senhor!!!!! hahahahaha

Anônimo disse...

Só para lembrar: o título de eleitor não foi conquistado por nenhum movimento feminista, quem o deu as mulheres foi Vargas. Por que? Porque ele quis. Aqui as sufragettes nunca tiveram importância.

Anônimo disse...

E eu ainda estou aguardando alguém me dizer se já viu alguma mulher ser eleita presidente em algum país comunista.
Este blog tem só deboche, mas não tem discussão séria.

Danilo disse...

"Danilo, se esconde, vai. Sério, vc não tem vergonha de falar tanta asneira? Recomendo que vc passe a comentar em fóruns mascus. Lá vc se sentirá em casa com homens tão inteligentes e bem informados como vc."


Resposta: Nunca frequentei fóruns mascus não sei porque razão frequentar agora.

Raven Deschain disse...

Aposentadoria = privilégio.

Sem mais.

Huashuahsua

Raven Deschain disse...

Nunca fiquei sabendo da existência de mãe feministas............


Quem será que não existe nessa história? Eu ou meu filho?



Mas é CLARO que se o Danilo tá falando que não existe, tá provado que não existe. Ponto final.

E pegando carona com o anon de cinco e meia. Debocho mesmo, meu amigo e rio com quem tb faz. Aqui não é o blog da sua mãe pra gente ficar fazendo sua lição de casa. Quer tanto assim ter uma informação vai atrás dela, em vez de ficar enchendo o saco aqui. Nenhum dos comentaristas aqui tá tentando te convencer de merda nenhuma. Nao tá feliz sempre tem o Chapolin Sincero pra tornar sua vida mais divertida.

Anônimo disse...

Anon das 17:23, Vargas estabeleceu o voto feminino numa época em que a mulher tinha que votar no mesmo candidato em que o marido votasse. E provavelmente Vargas só deu voto às mulheres porque sabia que elas só poderiam votar em quem o marido mandasse, e como ele era o candidato dos homens iria se eleger fácil. Vargas não legalizou o voto feminino porque era bonzinho, mas porque ia ganhar algo com isso. Ponto. Por favor, pare de tentar fazer as mulheres acreditarem que devem seus direitos a homens bonzinhos. Não, não devem. Se dependêssemos dos "homens bonzinhos" pra ter os direitos que temos hoje, estaríamos é amarradas em cavernas só saindo pra sermos estupradas e parirmos os 'filhos viris' de vocês. Ah, e achar que mulheres devem ser gratas por coisas que homens fazem com segundas intenções, só pra ganhar algo ou ter algum benefício, também não conta viu mascutroll? Mulheres não te devem sexo só porque você não deu um soco na cara delas.

Anônimo disse...

Fernanda, por que essa situação de "instabilidade no mercado de trabalho" deveria ser compensada com aposentadoria precoce?
Homens ocupam os empregos de risco e insalubres, ainda por cima tem expectativa de vida mais baixa, dois motivos muito melhores que "instabilidade no mercado de trabalho" pra se adiantar a aposentadoria de alguém.

Eu nunca disse ser contra a aposentadoria 5 anos antes para as mulheres, mas para mulheres que de fato TEM jornada dupla de trabalho, que pode ser condição da maior parte delas, mas não é o seu caso. O governo não tem que compensar a parte do trabalho doméstico que você e todo o resto do mundo tem que fazer de qualquer jeito.

As pessoas se agarram em qualquer coisa quando tem a própria ética contestada...
Rever os privilégios não é fácil? ainda mais pra um grupo que se apresenta como racional, igualitário e ético?

Anônimo disse...

Jonas Klein disse que não é feminista mas é contra o machismo e nada tem de errado pra voces e pra mim também não. Mas só pode dizer que não se concorda com o feminismo se depois puxar sardinha pro lado de voces? Digo que só olham os dados da ONU sobre assassinato de mulheres e que não ligam pras (ou fingem que não viram) as pesquisas que afirmam que são as mulheres que mais cometem violencia domestica e me mandam cair fora daqui porque é um site feminista (e Jonas que disse que não é pode?) e outros "vá..."( pelo jeito pisei no calo, aha!Corrigem Danilo e comigo não conseguiram). Violencia é violencia, não importa se acaba em morte. Então ainda bem mesmo que não sou feminista.

Fernanda disse...

1- Porque o fato da mulher demorar mais para conseguir um novo emprego faz com que, proporcionalmente, um homem e uma mulher de mesma idade que tenham começado a trabalhar na mesma época tenham o mesmo tempo de contribuição.
2- O MEU empurro é de risco e insalubre.
3- Mulheres não vivem mais PELO FATO DE SER MULHER, e sim homens vivem menos pelo fato de estarem envolvidos em situações de violência com mais frequência e irem menos ao médico.
4- Eu já disse que quando estou em casa TAMBÉM faço as tarefas domésticas com meu marido?
Ah, que bom.
Então pare de repetir o mesmo argumento exaustivamente como um papagaio de pirata e vomitar esse monte de lugar-comum porque o problema não é ter a própria ética contestada, o problema é quando a ética do outro nos incomoda e passamos a repetir o que aprendemos a vida toda numa tentativa desesperada de que aquilo seja o certo, o correto e aceito.

Anônimo disse...

feminismo não é sobre igualdade, é sobre empoderamento feminino

Anônimo disse...

Já tem grupo feminista na Internet defendendo parto seletivo e aconselhando mulheres a não terem filhos homens. Para cada uma feminista que acredita que ódio aos homens não representa o feminismo, existem outras nove que discordam. Eu já me eenfiutrei em varios grupos fechados de feministas no facebook, e o que eu encontrei lá foi ódio, muito ódio. Talvez as proprias feministas não saibam os rumos que o feminismo está tomando.

Anônimo disse...

Pessoal nunca ouviu falar em Bertha Lutz, Nísia Floresta... mas também não tem vontade de pesquisar, saber mais. O objetivo é só trollar mesmo.

Anônimo disse...

1- Porque o fato da mulher demorar mais para conseguir um novo emprego faz com que, proporcionalmente, um homem e uma mulher de mesma idade que tenham começado a trabalhar na mesma época tenham o mesmo tempo de contribuição.

Como assim? Se ela passa mais tempo sem emprego ela contribui por MENOS tempo!

2- O MEU empurro é de risco e insalubre

Como eu disse, a não ser em certas profissões específicas, como as de operador de Raio X, insalubridade e risco não diminuem o tempo de trabalho de ninguém.

3- Mulheres não vivem mais PELO FATO DE SER MULHER, e sim homens vivem menos pelo fato de estarem envolvidos em situações de violência com mais frequência e irem menos ao médico.

Os motivos são multiplos, políticos e culturais, assim como a jornada dupla. Uma mulher que trabalha fora tem bem menos chance de ser coagida ou chantageada pelo marido a executar as tarefas domésticas justamente pela independência financeira.

4- Eu já disse que quando estou em casa TAMBÉM faço as tarefas domésticas com meu marido?

Eu disse que você não faz mais que sua obrigação. Oras, os 5 anos é para aquelas que além de trabalhar fora executam sozinhas o trabalho de uma dona de casa ou empregada doméstica da família.

Você e a maior parte das feministas que praticam o feminismo em suas vidas não tem motivo nenhum pra acatar esse direito, que é uma compensação para as mulheres que tem sua força de trabalho explorada em âmbito privado pela cultura patriarcal.

Anônimo disse...

Anon 12:04, fora São Paulo no Brasil há outras cidades grandes, sabe? Que não são interior de Minas, ou é de Belo Horizonte que vc tá falando?
Acho que não.

Julia disse...

Danilo, você é uma piada.
Por que não desiste?


Como esse povo anti-feminista é BURRO. To soando arrogante? Ótimo. Vocês são burros mesmo. Sabe o que eu sinto lendo os comentários de vocês? Pre-gui-ça.

Em míseras duas frases conseguem dizer 7 asneiras.

ZZZZzzzzzz

Anônimo disse...

Não interessa se Vargas vagas deu o direito a voto feminino por interesse ou porque ele era bonzinho, o que interessa é que não foi uma conquista feminista.
Naquela época quem articulava os interesses das mulheres eram as Ligas da Mulheres Católicas.

Jonas Klein disse...

Anônimo 21:27 as mulheres também exercem trabalhos insalubres e/ou de risco, outra coisa quem exerce trabalhos com esse tipo de característica tem direito a aposentadoria especial com de 15 a 25 de trabalho dependendo da função, tanto pro homem quanto para a mulher, por isso o seu argumento esta invalidado.

Junior disse...

@ Anônino da questão da aposentadoria:

Quando minha esposa chegar do trabalho, vou usar esse seu argumento... vou dizer a ela: Ó, pode ir cuidar da casa, fazer o bebê dormir e preparar o jantar tudo sozinha, afinal é sua obrigação, você tem o privilégio de aposentar 5 anos mais cedo que eu. Adorei!! #SQN

Anônimo disse...

Anon das 08:10 o voto legalizado talvez Vargas tenha feito, mas o direito da mulher votar em quem ela quiser e não em quem o marido quisesse foi conquista feminista. Ou seja, Vargas fez um serviço porco, pela metade. Fazer bem feito foi a luta pelos direitos femininos quem fez! XD

Falando sério, não adianta você tentar. Nenhuma mulher vai correndo se jogar aos seus pés e pedir desculpas por ser uma feminazi má, ingrata com os homens bonzinhos que nos deram os direitos que temos hoje... opa, não, os homens não nos deram os direitos que temos hoje. Necas. Operárias morreram queimadas em fábricas, mulheres guerreiras foram espancadas, estupradas, presas e mutiladas pelos homens pra podermos ter os direitos que temos hoje. As mulheres tem os direitos que tem hoje porque lutaram, mané, não porque homens são bonzinhos e deram direitos pra elas. Você deve gostar de pagar mico, né, pra vir aqui repetir essa ladainha de que os direitos das mulheres são presente dos homens e ainda achando que alguém vai acreditar... ah, é mesmo, seus colegas mascus e o Danilo vão acreditar né?

Luiza disse...

Opaaaaa!! Olha eu aqui, mais uma mãe feministas chegando na área! E tenho orgulho dos dois aspectos: mãe E feminista. Ou seria eu somente uma fantasia?? Hahahahahahaha...



O cara chega aqui com esse tipo de conceito de que não existe mãe feminista e ainda quer ser levado a sério...tá muito bem informado, hein, rapaz? Tá sabendo tudo!!

Fernanda disse...

Na REAL? No dia que os homens deixarem de ter alguns dos privilégios que a Lola cita nesse post http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2008/12/durma-se-com-um-privilgio-desses.html?m=1 e compartilharem os demais com as mulheres, eu abro mão DESSE IMENSO BENEFÍCIO de me aposentar 5 anos anos que essa sociedade tão boazinha me deu. Porque afinal de contas, o fato de eu ter um marido maravilhoso que compartilha comigo da tarefas domésticas não me faz menos vítima do machismo, pois todos os dias sou obrigada a ouvir que meu bom desempenho é devido ao fato de ser "gostosa", cantadas nojentas de homens asquerosos, fora as vezes que desconhecidos passaram a mão em meu corpo.... enfim. Acho que é um "privilégio" bem pequeno comparado com todo o resto.

Anônimo disse...

Muito bom!!! Parabéns. Resumiu tudo. Essas moças não percebem cino são fonte de manipulação de um regime que vai massacra-las no final.

Anônimo disse...

Não sou de Minas e sou até de outra região. Mas, além de voce, anonimo das 00:51, quem disse que é só em Minas? E o aumento de 169% de agressões praticadas por mulheres contra homens no Reino Unido? Até no jornal local do meu estado uma vez falou que está aumentando o número de homens agredidos por mulheres por aqui. Tá vendo? É em todo lugar e as feministas nem aí. Mas faz sentido, é o movimento das mulheres, por isso que só olham pro próprio umbigo e ainda tem a pachorra de dizer que lutam por igualdade. Desse jeito? Minimizando o problemas dos outros? Ora! Não queiram nos enrolar.

donadio disse...

De vez em quando vejo as pessoas usarem "pachorra" como sinônimo de "petulância" aqui.

"Pachorra" não é isso. Pachorra é paciência, fleuma, calma: http://www.dicio.com.br/pachorra/

(Outra coisa que vejo com frequência é "em detrimento" usado como sinônimo de "em proveito". É justamente o contrário; o que vai em detrimento de um vai em proveito de outro. Tipo, "o Ibope da Globo baixou em proveito da Band" = "o Ibope da Band subiu em detrimento da Globo".)

donadio disse...

"lutam por igualdade. Desse jeito? Minimizando o problemas dos outros?"

O movimento abolicionista lutava pela igualdade, minimizando os problemas dos donos de escravos.

Bendito movimento abolicionista.

Anônimo disse...

Anon das 09:59, eu vou insistir nesse ponto: e o que VOCÊ, que é homem e teoricamente mais interessado nos problemas dos homens, está fazendo pra ajudar com essa epidemia de violência doméstica contra homens, hein? Além de vir reclamar que as feministas não estão abandonando suas pautas pra lutar pelos homens, claro. Que tal deixar de ser criança, que precisa que a mamãe faça tudo por ela (e que você aparentemente substituiu pelas ativistas feministas agora) e ir você mesmo começar uma campanha, um movimento ou sei lá o quê de conscientização para homens, hein? É boa, as mulheres cheias de problemas e injustiças pra resolver ainda e o carinha querendo que elas parem tudo pra fazer só o que ele quer... de lascar, viu...

Anônimo disse...

EU SOU HOMEM ?!?!? Não sou mesmo. Pelo jeito também não leu outros comentários meus. Só estou com a peste porque as feministas tem a PETULANCIA (né donadio? mas se estão usando a palavra com outro sentido, qual o problema? Nunca ouviu falar em EVOLUÇÃO E VARIAÇÃO LINGUISTÍCA?) de falar que é igualitário e não é, já começando pelo nome do movimento: FEMInismo. E estão comparando os homens com donos de escravos???? Qual a semelhança?

Anônimo disse...

Anon das 22:07 então você não é homem? Estranho, porque são os homens quem vem aqui mimizar sobre como o feminismo é 'injusto' por não se centrar nas pautas que eles acham importantes especificamente. Também são os homens que vem aqui chorar sobre o nome do movimento e todo esse blábláblá bobo para tentar desviar a atenção dos problemas discutidos no movimento. É o seguinte então filha: isso aqui não é sobre os homens. Ok? É sobre as mulheres e a luta para que elas tenham direitos iguais aos dos homens na sociedade-e fazer com que homens e mulheres tenham direitos iguais É ser igualitário. O feminismo luta pelas mulheres porque a sociedade não é igualitária devido ao machismo. E repito, as mulheres estão lutando. Se os homens querem mudar algumas coisas, eles são adultos crescidos e responsáveis, podem perfeitamente bem começar um movimento sério por si mesmos. Vir um marmanjo barbado reclamar que as mulheres não estão largando suas pautas pra lutar só pelo que ele quer é o fim.

Quanto à questão dos donos de escravos, essa eu não entendi. Explica melhor e aí eu vejo se respondo ou não. Mas se você está falando da história de ficar acorrentada numa caverna só saindo pra ser estuprada e parir então lamento te dizer que é o sonho de muito homem por aí-inclusive dos bons moços que espancam mulheres que não deram bolas pra ele na balada. Que nenhuma mulher possa escolher, que elas tenham que se submeter à vontade deles sempre e não possam lhes negar nada.

Camila Barreto disse...

Gente. Socorro. O que é uma Musa Ovalete????

Anônimo disse...

Voce é a mesma pessoa ou é outra que também não leu os meus comentarios, ô das 09:01? Se tem preguiça de ler então não venha discutir comigo que acho muito chato ficar repetindo. A pessoa que fez comparações citando donos de escravo só está a dois comentários acima do seu. Mas voce disse justamente o que eu estava criticando. O feminismo só olha pros problemas das mulheres e ainda diz que é igualitário e que a culpa é do machismo. Não sou feminista mas não precisa ser para ser contra o machismo. Mas se voce acha isso uma combinação impossível então me esquece. Este blog fala das mulheres e seus direitos, mas neste artigo fala da minha raça e não posso comentar? Tem que fazer que nem Jonas Klein, falar que não é feminista porém dizer coisas que as agradam? Por isso não discutem com ele. Por que não discute com ele? Ora! E para donadio: se um dono de escravos apanhasse dos escravos ele estaria pagando carma, certo? Escravizou os outros então foi bem feito. Mas se um homem apanhasse de uma mulher, seria porque... é homem?

Anônimo disse...

Sou mulher, e não sou feminista. Algum problema? (nem sou conservadora)