sexta-feira, 8 de agosto de 2014

NOS DEIXEM COMER EM PAZ

O lindo Flávio Moreira me enviou a tradução deste artigo da Laura Bates que foi publicado no jornal britânico The Guardian faz pouco tempo. 

“Você vai mesmo comer isso?” Sim, e não é da conta de ninguém.
Estranhos comentando o que as mulheres escolhem comer é outra forma sinistra de exercer controle sobre os corpos femininos. Parem com o "policiamento alimentar" e deixem-nos comer o que queremos em paz.
Tudo começou com um simples tuite:
Estava pegando umas batatas fritas na lanchonete e um cara me diz “Não faça isso! Você é tão linda.” Ei, cara, me deixa comprar minha comida em paz.
Depois de eu ter retuitado a história, enviada ao Everyday Sexism, recebi respostas de várias mulheres, todas relatando o mesmo encontro estranho. Em cada resposta, uma mulher que estava prestes a consumir alguma coisa era súbita e inexplicavelmente confrontada com conselhos não-solicitados, normalmente de um homem, sobre o impacto que aquilo poderia ter em seu visual.
Estava tomando café da manhã no hotel e um homem que eu não conhecia me vê pegando bacon e diz “pegou a opção diet, né?”
Pessoas estranhas me dizendo “Não coma isso, você vai engordar”, Batata frita, sorvete.
Sentada, comendo do lado de fora de um restaurante em Rouen, e um desocupado ficava comentando: “olha aquela ali se empanturrando”.
O cara não falou nada para o meu acompanhante de jantar, um homem, é claro! Mas a cada pedaço de pão que eu comia -– “olha  como ela se entope de pão”.
Comprei chocolate na máquina, cara disse "um instante nos lábios, toda uma vida nos quadris".
Os exemplos variam, mas pouco. Na maioria dos casos, a interação é incrivelmente uniforme. A mensagem, em quase todos, é clara como cristal: enquanto mulher, seu corpo é propriedade pública e campo aberto para comentários, instrução e policiamento.
Isso ficou tão evidente, de fato, que em alguns casos os homens citavam “requisitos” sociais específicos e pressupostos sobre o corpo das mulheres em seus comentários:
Meses antes do meu casamento, encho meu prato em um bufê de saladas. Colega, homem, diz “Você não tem que entrar em um vestido de casamento?”
Me disseram que eu “não precisava beber refrigerante diet”, como se a única razão para eu beber isso fosse ser magra.
Outros deixam escancaradamente claro que eles acham que o que uma mulher come deve ser calcado inteiramente em qual o impacto disso em ser atraente para os homens:
Me disseram várias vezes que eu deveria comer mais "porque estou muito magra, e homens gostam de ter 'algo para apertar”’.
Me disseram para “ir devagar” com meus pratos cheios de comida em um bufê porque “os rapazes não iam gostar de mim”. MUITAS VEZES
Esta é a chave. Que tantas mulheres tenham relatado essas experiências francamente incríveis de paternalismo, é um atestado da força do mito de que a forma física de uma mulher existe, acima de tudo, para agradar aos homens. É o mesmo pressuposto equivocado que subjaz o comando “sorria para nós” ou a crença de que uma mulher com roupa que mostra o corpo tem que estar querendo chamar a atenção dos homens.
Por incrível que pareça, algumas mulheres realmente experimentam momentos em suas vidas em que todo seu ser consciente não está focado exclusivamente em dar prazer ao homem. Elas podem usar um top porque estão com calor, por exemplo; comer um hambúrguer porque estão com fome; ou beber um refrigerante diet porque gostam do sabor. São revelações explosivas, eu sei.
Você pode rir, mas para algumas mulheres, a crença de que um homem tem um “direito” automático sobre o corpo de qualquer mulher que ele encontra em um espaço público está preocupantemente arraigada. Tome, por exemplo, esse relato de uma mulher:
Eu estava comendo uma salada de macarrão no trem. O cara chega, pega a minha comida e a joga no lixo. “Você não deveria estar comendo isso”.
Pode não parecer grande coisa, mas na verdade está intimamente relacionado a normas sociais profundamente danosas em relação ao corpo da mulher. As imagens irreais e objetificadas de mulheres com as quais somos diuturnamente bombardeadas têm um impacto enorme na imagem corporal e autoestima das mulheres. Sabemos que meninas a partir de cinco anos já estão se preocupando com seu tamanho, e que um quarto das meninas de sete anos já tentou perder peso. Em um mundo em que muitas mulheres vivem em estado de ansiedade quase constantemente em relação a seus corpos, ver alguém que você nunca viu na vida fazer comentários carregados sobre seu peso quando está prestes a comer algo é horrivelmente perturbador. 
Várias pessoas tuitaram relatando que esse tipo de encontro pode disparar um gatilho em pessoas que têm distúrbios alimentares. Outras disseram que isso as fazia sentirem-se julgadas e desconfortáveis em comer em público.
Mesmo quando o comentário não era diretamente sobre o peso, havia uma certa repugnância velada ou choque em relação ao que a mulher ia comer:
O tempo todo enquanto eu comia batatas fritas recentemente, um homem dizia “caramba, você não consegue engolir essas batatas rápido o bastante, não é?”
E, claro, como acontece em vários outros padrões impossíveis, uma mulher não pode vencer:
Máquinas self-service –- frequentemente aparece um homem que eu não conheço para dizer “Será que você deve comer isso?”
E, às vezes, acontece o oposto; se eu estou comendo uma salada  -- você precisa de mais do que isso, coma um bolo!
A normalização dessa crença bizarra de que as escolhas que as mulheres fazem em relação às suas refeições são assunto público é exacerbada por seu reflexo na mídia. “Não é uma refeição ideal”, alardeou uma manchete no Daily Mail, depois que [a ex-top model dinamarquesa] Helena Christensen foi pega no assustador ato de comer um sanduíche [da Subway]. 
“Grávida, Kim Kardashian sucumbe às tentações e se refestela com hambúrgueres e batatas fritas”, gritava outra manchete, depois que a estrela de reality show parou as rotativas por estar almoçando.
E claro, as palavras gotejam a cobiça feminina – Christensen “se banqueteia”, Kardashian “se refestela”. As conexões diretas com o body shaming também estão lá – o Mail solenemente avisa que Christensen “deve ter cuidado com seu hábitos alimentares no futuro”, caso venha a arruinar seu corpo de modelo (só para lembrar, ela comeu um sanduíche). 
E caso não esteja completamente claro que a única função da mulher é atrair homens, e que é apenas em nossos corpos que os homens estão interessados, ele continua: “Ela pode acabar perdendo suas famosas medidas (35-24-35) que a tornaram a favorita dos homens em todo canto, inclusive para seu atual parceiro, o porta-voz da Interpol, Paul Banks". Resumindo: mulheres que comem sanduíche podem ser abandonadas por seus maridos por engordarem.
A esperança que resta é que o mundo eventualmente se conforme com a chocante revelação de que mulheres se alimentam, de forma que essas manchetes tão importantes possam um dia ser coisa do passado. Enquanto isso, sugiro seguir os excelentes exemplos desses tuites:
Um colega criticou minha comida por alguns meses. Eu perguntei a ele se era porque eu era uma executiva júnior ou se porque eu sou mulher. Ele parou.
Cara: Não acho mulheres que bebem cerveja atraentes. Eu: Que ótimo! Eu não queria atrair você. // Compra outra cerveja.

108 comentários:

Gle disse...

Ainda bem que eu não encontrei nenhum "engraçadinho" desses pelo meu caminho (ainda) rsrs. Como o que quero e na hora que quero.

Achei um barato a última imagem. Quarta-feira estava em um Sushi Bar me deliciando e bebendo cerveja. Foi quando reparei que tinha a minha Cerveja Artesanal favorita lá! Pedi que o garçom anotasse meu pedido, uma Strong Golden Ale com o copo especial para ela (alemoa, tem que ser assim!). Ele me olhou MUITO SURPRESO e disse "nossa, muito difícil encontrar mulheres que gostam e conheçam cervejas desta forma." (???) se fosse um alemão barbudo estaria tudo ok, né? Affff... na próxima encarnação eu serei homem pra não aguentar essas coisas, hahaha.

Anônimo disse...

Não é só com mulher que isso acontece. Gente intrometida tem em todo lugar. Sou mulher e no meu caso sou mais importunada nesse sentido por mulheres. Até vi num programa dum padre ele falando disso, de gente mal-educado e invasiva, que até apareceu pra ele alguém intrometido dizendo que se fosse ele não usaria aqueles óculos.Aí o padre respondeu que usa porque quer, ué.

Natalia Alencar disse...

Gente, que loucura. Achei todos os casos de um desaforo tremendo.
Pior ainda esses que ainda acham que estão te fazendo um grande favor em se meter na sua alimentação.

Eu noto que hoje parece até ~~normal~~ ter distúrbios alimentares. Uma amiga minha de curso, recém-formada no colegial, contava numa boa como tomava laxantes e vomitava pra perder peso. Quando eu tinha a idade dela isso era claramente um distúrbio, hoje é "ok". o.0

E não tenho previsões boas pro futuro: minha sobrinha de dois anos já aprendeu a falar que "está gorda" depois que come bastante. Creepy.

Natalia Alencar disse...

Em tempo: eu cursei um técnico em moda. Era comum tbm uns relatos das meninas adolescentes com tonturas ou desmaiando de fome durante as aulas.

Eu ficava lá de boa com as tortonas de frango com catupiry da cantina, hahahaha.

Anônimo disse...

- intrometido: Você não deveria estar comendo isso.
- resposta: e você não deveria estar se metendo no que não é da sua conta.

intrmetido: você deveria comer menos.
- resposta: quem?
- intromedito: você
- resposta: perguntou?

Intrometido : mulher deeria comer mais delicadamente.
resposta: e você deveria aprender a se vestir/ escovar os dentes/ aprender a pilotar um balão a hidrogenio.


Ah gente, é tudo téao estupido que não tem nem o que comentar. Eh soh mandar a merda memso.

Links

Aninha disse...

Cara, se alguém fizer isso comigo, eu mando a merda sem dó.

Quem se preocupa com meu peso, saúde e o que como sou eu :-)

Anônimo disse...

Comerei sempre o que me der vontade, na quantidade que eu desejar.E se fizer mal à saúde só um lembrete: o corpo é meu e tenho todo o direito de assumir o risco. Vá cuidar do seu!

Flavio Moreira disse...

Pois é. Eu fiquei tão (negativamente) surpreso quando vi essa matéria que eu pensei "WTF!"
Porque é muito difícil acreditar que alguém chegue a esses extremos com pessoas totalmente estranhas!
Já vi isso acontecer em família e em círculos de amigos - o que já é horrível - mas entre desconhecidos foi a primeira vez.
Foi tão chocante que eu achei que merecia um post aqui na Lola.
Abs

Anônimo disse...

Que coisa tosca! Nunca passei por nada semelhante, mesmo sendo "gordinha" pros padrões de hj (leia-se, pessoa dentro do peso normal para minha altura e porte físico, que faz refeições regulares e nunca fez dieta na vida mas que se quisesse ter carreira de modelo seria enfiada na arara das plus size).

Anônimo disse...

Se alguém fizer isso comigo, mando dar meia hora de bunda. Sem dó.

Anônimo disse...

Aposto que vocês ao mesmo tempo que ficam de mimimi sobre isso reprovam um homem comendo besteiras e tomando cerveja...Coerência mandou lembranças e deu lugar à hipocrisia!

Anônimo disse...

Ontem eu estava na academia e uma senhora (que o professor chamou de "tia da zoeira" - e por acaso era baixinha e gordinha) veio me encher porque eu engordei, ela começou a perguntar repetidamente "você comeu, não comeu? comeu muito, né? você comeu que eu sei..." e repetia, e repetia, ficava me pressionando. Eu pedi pra ela parar, séria, duas vezes. Na terceira eu virei as costas, me escondi um pouquinho pra não chorar, respirei fundo, devolvi minha ficha e fui embora sem dizer nada.

Sim, EU COMI, eu dei vários jantares maravilhosos, fiz comida muito boa, e foi uma delícia. Ganhei três quilos e meu parceiro disse que eu estou linda. Agora me deixe em paz, porra. Aliás, muito perspicaz perturbar as pessoas numa fucking academia, aposto que ninguém lá tem complexos, não tem ninguém com transtorno alimentar e não tem ninguém com problemas de auto-imagem... Vá à merda, beijos.

Anônimo disse...

Eu vejo vários homens dizendo "ah, odeio sair com mulher de dieta, eu quero que ela possa tomar uma cerveja comigo, comer coisa boa, me acompanhar". Mas ao mesmo tempo, tem que ser magérrima. Vai entender.

Thomas disse...

Não importa o quanto tentem distorcer, mas fato é que apesar dessas pessoas serem inconvenientes, os conselhos são bons. Ninguém deveria comer essas merdas. Faz mal e engorda. O correto é todos se alimentarem bem e se exercitarem todos os dias. No pain, no gain.

Me chamem de gordofóbico, mas também sinto ojeriza ao ver qualquer tipo de pessoa, homem ou mulher, se empanturrando de comidas lixo na rua. Realmente me dá vontade de dar uma desmoralizada na pessoa pra ver se ela aprende. Oras, não rolou uma campanha pra desmoralizar os fumantes? Não é o corpo deles também, a saúde deles, essas pessoas não deveriam ter o direito de fumar o quanto quiserem? Deveriam, né. Mas por outro lado, fumar faz muito mal e prejudica não só quem fuma, então nós, como sociedade, concordamos em desmoralizar o máximo que pudéssemos os fumantes, fazendo um verdadeiro apartheid, fazendo áreas específicas pra fumantes ficarem feito animais nos zoológicos com seus outros amigos fumantes, não perdemos uma oportunidade em falar que fumar é nojento e que odiamos cigarro, e todo mundo acha normal, todo mundo acha esse tipo de atitude politicamente correta.

Sinceramente? Deveriam fazer o mesmo com comida e com gente muito gorda. Comer uma barra de chocolate na rua deveria ser considerado tão vergonhoso e inconveniente quanto fumar um cigarro, deveríamos fazer lugares específicos nos restaurantes pros gordões fast food comerem as gorduras deles fora da vista do resto da população.

Tá vendo, por isso que tantos homens a cada dia que passa ficam mais atraídos por travestis/transsexuais. Porque elas têm como objetivo a perfeição, então costumam se cuidar bastante, cuidar do cabelo, pele, roupas, malham com frequência. Claro que elas fazem isso pra si mesmas, mas a consequência é que isso atrai os caras. E quem não curte ser atraente? É bom, faz bem pro ego.

Enquanto isso, essa mulherada feminista de hoje em dia, focando nesses temas que eu considero meio inúteis, tipo GORDOFOBIA, basicamente são incentivadas a não se importarem em cuidar do próprio corpo. Sério mesmo. Eu tenho várias amigas feministas que engordaram depois de se tornarem feministas. Agora, a única mina feminista que conheço que malha pra caramba e tem um físico estilo Ronda Rousey, advinhem, é uma transsexual que há alguns anos era o nerdão da turma.

Eu curto o feminismo, de verdade, apesar de vocês não acreditarem. Só acho estranho vocês pregarem a opressão de gênero de maneira tão apocalíptica e, ao mesmo tempo, praticamente incentivarem as mulheres a serem gordas. Onde está a coerência? Se as mulheres sofrem tanto nas mãos dos homens, eu deveria entrar aqui no blog da Lola e ver um monte de propaganda de whey protein, dicas de academias, modalidades de luta, links pra blogs sobre fisiculturismo e levantamento de peso, deveria rolar mó incentivo não apenas pra mulhereda se aperfeiçoar intelectualmente, mas também fisicamente, pra serem capazes de destruir os homens no debate e na porrada.

Mas nem. Entro aqui e vejo um post com um monte de print de gente classe média sofre do primeiro mundo chorando porque um estranho, mesmo que de forma mal educada, falou uma verdade que ela precisava ouvir.

Afffff.

Anônimo disse...

Na boa Lola, porque a gente ainda tem que ler os comentários babacas do Thomas? Acho ofensivo e desnecessário.

Carol F. disse...

Que faz isso o tempo todo é minha avó. Acho que ela comeu mal a vida toda para se manter magra, coitada. É só passar uma mulher gorda com vestido ou qualquer roupa mais curta ou comendo que ela faz algum comentário tão terrível que eu fico com medo de alguém ouvir. Mas não insisto no assunto com ela porque ela é bem velhinha e não está muito bem da cabeça. Um dia fomos nos pesar na farmácia porque ela estava em uma dieta para engordar, e ela me disse que eu estava muito pesada, que mulher não pode ficar pesada. Eu disse alegremente: Pode sim vó, eu posso ser do jeito que eu quiser." Foi meio pra cortar o assunto, mas ela ficou um tempão pensativa.

Carol F. disse...

Gle, uma vez pedi uma cerveja Caracu em um restaurante. O garçom veio e falou "Essa cerveja é para você mocinha?". E eu: "Caracu, é sim". E ele: "Normalmente é homem que gosta desse tipo de cerveja." E eu: Mas não é mais mulher que toma cerveja preta?" E a gente ficou se olhando com cara de besta por uns momentos.

Luiza Original disse...

Eu nunca vou entender tanta falta do que fazer na vida pra ficar cuidando da vida dos outros.

O dia tem 24 horas e não dá pra eu fazer tudo o que preciso. Imagina se eu ficasse reparando e sentindo nojinho do que as pessoas comem na rua (e pagam do próprio dinheiro, não de quem reclama).

Anônimo disse...

Tem que ser uma pessoa muito pamonha e acovardada do espírito pra não mandar alguém que fala uma coisa dessas à merda de tal forma que o bully do bandejão não queira nunca mais sair de casa, de tanta vergonha.

Quem cala, consente né? Reforça o comportamento negativo desses fiscais da pança alheia.

Então toooooooooooooooooooooma, merece.

Death disse...

Uma vez eu tava no Shopping comendo um pedaço de pizza e o cara veio do nada e disse:

"Não acredito que você vai colocar isso pra dentro!?"

Eu respondi:

"Acredita q depois eu vou colocar pra fora!?"

O Cara não entendeu

"Oi!? colocar pra fora?"

Eu

"É, depois vou cagar essa pizza, tô de boas".

Anônimo disse...

"uma vez pedi uma cerveja Caracu em um restaurante. O garçom veio e falou "Essa cerveja é para você mocinha?". E eu: "Caracu, é sim". E ele: "Normalmente é homem que gosta desse tipo de cerveja." E eu: Mas não é mais mulher que toma cerveja preta?" E a gente ficou se olhando com cara de besta por uns momentos."

HAHAHAHAHAHAHAHA q garçom intrometido!

Eu adoro beber vinho e nem todo lugar tem aquelas garrafas de 300ml, então geralmente peço uma inteira e o resto, levo pra casa. Pois fui a um restaurante bacaninha até e pedi meu vinho, o cara perguntou "se eu ia mesmo tomar tudo aquilo" e muito elegantemente repeti o vinho que queria e pedi uma água também. Ele, inconformado, perguntou se eu não preferia um suco. Mandei chamar o gerente e não vi mais a cara do atrevido enquanto fiz minha refeição. Detalhe: o vinho não foi cobrado.

Anônimo disse...

Poderosas Deusas Raven e Sawl, onde estão vocês para responderem ao Thomas Toddynho? Please!

Anônimo disse...

Olha, por estranhos não, mas na família sempre tem aqueles comentários toscos, geralmente de homens pançudos de cerveja....

Anônimo disse...

Em tempo: eu cursei um técnico em moda. Era comum tbm uns relatos das meninas adolescentes com tonturas ou desmaiando de fome durante as aulas.

Eu ficava lá de boa com as tortonas de frango com catupiry da cantina, hahahaha.


---------------------------
Pois é, eu não entendo como uma pessoa deixa ser pressionada dessa forma e ainda joga a culpa na sociedade má. Como assim? Quero ver alguém falar uma grosseria como as relatadas no post e não acontecer nada. Vai muito do temperamento mesmo da pessoa reagir a isso, a culpa não é das estruturas sociais e sim da frouxidão de caráter de quem não reage e bota o desgraçado em seu devido lugar.

Bizzys disse...

Oi Lola, dessa vou comentar só pra me juntar ao coro das reclamações. Por quê você não bloqueia os comentários do Thomas, do Danilo e do Cão do Mato? Eu sei que você costuma deixar comentários de mascus só para os leitores saberem o quanto eles são otários e tal, mas esses três são figurinhas repetidas, todo dia vem aqui falar merda em TODOS os posts...

Eu nem leio porque sei que não tem nada de útil no que eles postam, mas eles acabam desvirtuando o debate e chamando a atenção pra eles. Se você puder considerar o pedido, agradeço. :)

Anônimo disse...

"Só acho estranho vocês pregarem a opressão de gênero de maneira tão apocalíptica e, ao mesmo tempo, praticamente incentivarem as mulheres a serem gordas. Onde está a coerência? Se as mulheres sofrem tanto nas mãos dos homens, eu deveria entrar aqui no blog da Lola e ver um monte de propaganda de whey protein, dicas de academias, modalidades de luta, links pra blogs sobre fisiculturismo e levantamento de peso, deveria rolar mó incentivo não apenas pra mulhereda se aperfeiçoar intelectualmente, mas também fisicamente, pra serem capazes de destruir os homens no debate e na porrada."


Ahahahahahaha TA CERTO!
Vamos combater o machismo seguindo exatamente a cartilha machista

Cara, não é sobre incentivar a ser gorda, é sobre MANDAR TODO MUNDO QUE FICA REGULANDO A VIDA DOS OUTROS À MERDA.

Nunca fui gorda e já tive minha época gordofóbica, da qual me envergonho muito.
Talvez sirva pra você o conselho que serviu pra mim: não quer ver/interagir/whatever com pessoa gorda? Os incomodados que se retirem. Todo gordo sabe que é gordo. Se é com a saúde que você tá preocupado, não é você nem sua indignaçãozinha de bosta que vão consertar o colesterol do/a gordo/a.

Melhor seria um apartheid entre pessoas de bem com a vida separadas de pessoas com mania de cuidar da vida dos outros. A gente do lado de cá seria bem mais feliz.

Bizzys disse...

Death, TE AMO.

hahahahaha

Thomas disse...

A Lola aprova meus comentários porque ela sabe que não sou mascu. Apenas dou minha opinião de maneira educada e bem articulada e vocês se contorcem de raiva porque não conseguem refutar meus argumentos.

Eu já disse que simpatizo com o feminismo. Não me declaro feminista porque não acho que homens devam se declarar como tal, já que a luta é das mulheres. Mas o fato de eu simpatizar com o feminismo não quer dizer que eu deva achar legal que metade da população esteja acima do peso.

Anônimo disse...

Só um comentário sobre a tradução: Paul Banks é o vocalista da banda de rock britânica Interpol, não porta-voz da organização policial Interpol. :)

Anônimo disse...

Olha, isso exatamente nunca aconteceu comigo, mas acontece o tempo todo por causa do cigarro. Tá, todo mundo sabe que faz mal. Eu sei. Eu sou adulta, estou consumindo um produto legalizado, e no local permitido. E não, as pessoas não estão preocupadas com a minha saúde. E sim, 99% das vezes são homens que vêm me dar "conselho".

Eu já perdi a paciência faz tempo. Uma vez na balada um cara me falou "ahhh mas uma menina tão bonita fumando". Eu respondi "é, eu sou tão linda que posso até fumar e continuar linda". Então se eu fosse feia não tinha problema? Então eu tô preocupada se você me acha linda?

Eu acho um desrespeito. É um "faça o que eu acho que você deve fazer pra ficar bem aos meus olhos" disfarçado de saúde pública. E acompanhado de um sorrisinho maroto!

Muito diferente de quando meu médico, durante a consulta, me manda parar de fumar. Muito diferente dos meus amigos que falam pra eu me cuidar.

Chega, né?

Beijos,

Bia.

Thomas disse...

Anônimo, como assim "Vamos combater o machismo seguindo exatamente a cartilha machista"?

Vocês acham que vão combater o machismo como? Com educação e conscientização? Esperem sentadas. Quantas vezes na história da humanidade um opressor deixou sua posição privilegiada após ser "educado" e "conscientizado" por ativistas pacientes e de bom coração? Não rola. O opressor só sai de sua posição forçado e há quem diga que a única maneira dele não voltar pra essa posição é descansando o pescocinho no suporte da guilhotina.

Elaine Pinto disse...

Que ótimo, não bastasse aturar vigilância de peso de parentes, agora tem que ouvir completos estranhos dando pitaco no que a gente come ou não.

Nunca aconteceu comigo, mas se acontecer, a resposta vai ser igualzinha a que dou para os parentes inconvenientes.

Anônimo disse...

Tá vendo aí a falta que o mínimo de educação faz no mundo? Os pais desses idiotas se intrometendo na vida dos outros devem estar morrendo de vergonha agora, e é bem feito! Quem mandou não dar educação pro pirralho? Se alguém tirasse minha comida de mim e jogasse no lixo eu ia é fazer um escândalo e obrigar o mal educado a pagar um prato IGUALZINHO!

Trollzin das 13:14, achar você e qualquer um pode achar o que quiser. O que NÃO pode é mandar a pessoa parar de comer (no caso aqui presente) ou tirar a comida da mão dela pq você ou um mané qualquer acha que ela devia ser magra. Entendeu? E Thomas Toddy, sabe que o que você escreveu não faz o menor sentido? Que tal umas aulinhas de português e redação? E de quebra umas aulinhas sobre coerência textual e das ideias? Tá precisando, viu.

Ta-chan disse...

Thomas querido!

Nem li todo comentário imenso, mas deu pra entender sua linha de raciocínio.

E sabe de uma coisa?Foda-se.
Fode-se, vc.
Foda-se, sua opinião.
Foda-se, tudo o que vc disse.

Sou gorda e como na rua.
Sou fumante e fumo na rua.
E se vier falar bosta comigo, mando a merda :). Sinta-se igualmente agraciado.

normalidaderealidade disse...

Eu fui magra a vida inteirinha. Tipo, MUITO magra. (Eu ia falar meu IMC mas eu li num lugar que falar sobre peso em números é triggering.) E eu era gordofóbica, MUITO gordofóbica, e não entendia como alguém podia não conseguir ser magra. (Minha vida girava em torno disso: quem era gordo, quem era magro, quem comia, quem não comia.)

Aí, anos depois, comecei um tratamento médico que leva a um aumento de peso que alguns artigos citam como de 20kgs, em média. E é tudo síndrome metabólica. Eu ainda fiquei dentro das médias, só aumentei para o manequim 40, e, claro, que no começo meu mundo caiu. Foi do dia pra noite, e repentinamente... Eu não era mais magérrima. Puf. Fim. Quis me matar e tudo. Loucura. Aliás, eu perdi um puta privilégio. A sociedade puxava MUITO meu saco, como se eles não soubessem que eu estava fazendo muita coisa errada pra ser daquele jeito.

A vantagem da tal da síndrome metabólica é que, vendo que não dava pra manter um corpinho de Nicole Richie mesmo e foda-se, eu voltei a comer o suficiente.

E passei a entender que gente de peso médio era... normal. E que gente gorda era... normal. E que gente magra era... normal, da mesma forma. E todas essas pessoas podem comer a mesma quantidade e terem corpos diferentes. Vi muita gorda por aí mais ágil, mais saudável e mais forte que eu. E foi isso.

PS: A coisa mais linda da minha vida foi descobrir que comida é uma delícia. Puta merda, é uma delícia. Alguém quer tomar cappuccino de avelã comigo?

Anônimo disse...

Ou seja: homens não podem se preocupar com o que as mulheres estão comendo. Mas elas podem encher o saco à vontade quando se metem nas vontades do homem como ver televisão, assistir futebol, tomar cerveja vendo TV, comer no quarto, vestir roupa que não combina (segundo as mulheres) e etc. E não venham dizer que "a mulher de hoje" não faz isso...só se forem o 1% de mulheres feministas do mundo, porque os outros 99% vivem implicando tanto com os homens quanto com as próprias mulheres (colegas de trabalho, vizinhas, etc).
O mundo idealizado pelas feministas: quando se tratar de direitos, elas podem tudo e tudo deve ser em benefício delas. Contudo, quando se trata de obrigações e privilégios, aí deve ser tratada como coitadinha desamparada e devem receber todo o auxílio e proteção do Estado - como p. ex., se aposentar trabalhando 5 anos a menos.
Interessante.

Anônimo disse...

Olá Lola. Eu vi essa página no face:https://www.facebook.com/pages/Esquerda-Anti-Feminista/638919709503235?ref=ts&fref=ts

E gostaria de saber qual é a sua posição sobre isso.

Nota: A página é comunista.

Anônimo disse...

Olha, tenho 1,68 e 67 kg. Meu marido tem 1,72 e 106 kg.
Trabalhamos como loucos, durante a semana é almoçar em pé, qdo almoçamos. Minha filha fica na escola o dia todo...lancha e almoça na escola.
Quando dá aquele tempinho e olhamos um pro outro e falamos: vamos sair e comer algo beeeeeem gostoso hoje? E lá vamos nós, felizes.
Tendo grana, comemos o que dá vontade.
Quantas vezes no shopping, as paranoicas com um prato de 3 grãos de arroz nos olharam com reprovação(ou inveja, ou fome, ou talvez tenham gasto muita grana na roupitcha da moda e não sobrou pro lanche, vai saber...)quando chegava o nosso pratão de yakissoba, batata recheada...
O que sempre fizemos? Rimos até estourar da cara delas!!!!!!!! Ohando pra elas!!!!!!
Quer ver então esse pessoal que patrulha pirar? É a mulher ir no restaurante, comer e voltar pro buffet e REPETIR o prato! Homem pode, mas mulher, vixi "é feio".Adoooooro!!!!!!!!!
Olha todo mundo sabe o q faz bem e mal...mas se privar de ter prazer em comer o que vc quer por causa dos outros?
Cuidar da saúde é da consciência de cada um, mas faz favor: VIDA, CADA UM CUIDA DA SUA!

Saindo daqui vou comer uma pizza kkk

Adoro o blog Lola!

Freda

Anônimo disse...

As pessoas estão idolatrando a beleza como um troféu, um objeto de status a ser exibido aos outros. A mídia é grande responsável por isso.

No caso do Thomas, vemos um jovem idolatrando quem faz tudo pela beleza, até mudar de sexo. Estranho.


A beleza é boa, mas isso não garante carater e muitas vezes nem garante que a pessoa seja boa de cama.


Algumas pessoas correm o perigo de usar os parceiros como um objeto a ser mostrado, como uma bolsa Luis Vuiton, ou uma ferrari. Pois esses objetos mostrariam uma "superioridade" do "dono" ou da "dona".


O melhor pensamento é o casal juntar dinheiro para enriquecer. Amar o dinheiro e o lucro é algo bom.Querere ser rico e rica deveria ser o sonho de todos e todas. Idolatrar coisas que levam a gastos não traz lucros, ao contrário, só prejuízos físicos e mentais.

Investidor

Bru disse...

Ao contrário do relatado no post traduzido, eu vejo esse policiamento alimentar vindo mais de mulheres...Na minha família é um escrutínio sem dó, é só mulher alfinetando mulher, minhas tias dizendo que vou ficar gorda, mimimi.
Uma vez na rua, tava comendo um chocolate e uma senhora disse "Cuidado pra não ficar gorda". Olhei pra ela e dei uma mordida bem mais generosa no chocolate. Ah, vai tomar no cu, sério!

Anônimo disse...

Também adorei o comentário do(a) Death. Atitudes como aquela dão enjoo, aí eu já pensei em outra forma de "colocar pra fora", mas deixa pra lá.

* * *

Eu sou magra, mas meu colesterol é nas alturas. Então eu não como fritura.
Domingo estava numa reuniãozinha em casa do meu sobrinho e o sogro dele veio me oferecer pastel. Recusei. Ele insistiu: "Ah, mas você pode, é magrinha". Eu (pensando): "Aaah, bom, se eu tenho a sua permissão então que se lasque o meu LDL, né?"
Tudo bem que foi com a melhor das boas intenções, mas o modo foi totalmente equivocado, até me constrangeu.
ANA

Anônimo disse...

Sei lá eu acho que se a mulher é magra, em muitos desses casos a pessoa que faz o comentário pode apenas estar querendo ser engraçadinho (não de uma forma detestável) ou puxar conversa. Ofensivo é quando falam essas coisas para pessoas acima do peso. O que acontece também com homens. Mas concordo que a cobrança sobre a boa forma da mulher é muito maior.

Eduardo Freitas disse...

Andei lendo o EverydaySexism e é assustador o que aparece por lá, mesmo, a ponto de eu tentar racionalizar os comportamentos que aparecem por lá como "coisa de inglês", tentando me convencer de que a gente não se comporta assim no Brasil.
Com certeza a cultura é diferente, o inglês é irônico e ferino de um jeito que o brasileiro tem que comer muita torta de ruibarbo pra ser, mas sei que boa parte do machismo existe em qualquer lugar. Só acho difícil que no Brasil também tenha tanta gente com cara de pau de ficar mandando na comida que veja alguma mulher comendo.

Anônimo disse...

Anon das 16:53

O fato da mulher ser magra não dá licença pra essas brincadeiras não. Primeiro de tudo, que não importa o corpo dela, não se meta. E em segundo lugar, e se ela tiver algum problema com a imagem ou o peso dela mesmo sendo magra? Pode não aparentar nada por fora, e ter um problema grave. Vai que ela tem depressão e de fato engordou 2kgs depois de uma crise e você não percebeu, sei lá? Nunca se sabe. Melhor não. mexer. com. isso. Mulher e peso é uma relação super delicada, cara. Mil vezes mais delicada que com homem. Sem brincadeira com isso, certo?

Danilo disse...

Resposta: Regular o que o outro come não é um fenômeno recente.

Porém se importar com isso é adicionar elemento psicológico sofredor.

----------

Direcionando o argumento para a anônima logo acima. Ora, se você não ler os meus comentários, do Thomas e do Cão do Mato então não têm o porque se incomodar, você não lê mesmo.

lola aronovich disse...

Thomas (que a gente chama de Thomas Toddy faz tempo, desde seus primeiros comentários -- e acredite, não é um elogio) é um babacão total que só fala besteira. Ele não é um mascu, só um machista genérico, mas, como todo mascu, ele acha que está arrasando e que seus "argumentos" (um monte de besteira) são irrefutáveis. Nem sei por que publico as asneiras que ele diz. Bom, tem vários comentários dele (e do Danilo, e do Cão do Mato) que não publico.
A maior parte dos comentários deles eu não leio, só passo os olhos pra ver se não tem nada muito ofensivo. O último longo coment. do Thomas Toddy, pelo que li, vai na linha de vários mascus de que "travesti é melhor que mulher". Interessante ver essa proximidade.
Chato vai ser quando eles descobrirem que já tem muita travesti feminista...

Debora Dias disse...

Esse patrulhamento de prato alheio é constante. Conheço uma nutricionista que abordou uma conhecida na padaria, dizendo que ela "não tinha cintura" para pedir um sonho. Uma verdadeira falta de ética profissional, além de uma tremenda falta de respeito.

Como vegetariana, sempre tive que me "explicar" na hora de comer, e aguentar as piadinhas e interrogatório sobre como posso ser saudável sem comer carne.

Também já tive intrometidos comentando sobre a quantidade de comida no meu prato na fila de self service mais de uma vez, e nesses casos, o comentário era de que eu estava comendo muito pouco (pouco pra quem? existe quantidade mínima?).

Graças a Deus aprendi a relevar, e normalmente apenas lanço uma olhar blasé.

Anônimo disse...

Isso aconteceu comigo há vários anos. Eu estava sentada em um banco em um shopping comendo batata frita, um senhor aparentando mais de 70 anos veio até mim e falou: você não deveria comer isso, hoje está bonitinha, mas quando ficar mais velha vai virar um bagulho que ninguém quer.

Eu fiquei paralisada e com vontade de chorar, não consegui responder nada, nunca tinha visto aquele homem e ele se achou no direito de vir opinar sobre o que eu devo comer para permanecer atraente para os homens!

Raven~ disse...

Como só li até aqui, vou responder só até aqui.

"Oras, não rolou uma campanha pra desmoralizar os fumantes?"

Poooorra, claro. Pq ctza que a minha torta de calabresa e frango super vai fazer mal pra pessoa que estiver do meu lado e só come salada. Vai a merda. Se vc quer enfiar o cigarro no rabo, enfie, mas apagado que é pra fumaça não vir em mim.

Raven~ disse...

Normalidade (Mari, neh?), eu topo! :3

Bizzys disse...

Caro anônimo das 16:15, não sei se você leu o texto ou os exemplos, mas eles relatam situações em que mulheres foram abordadas por completos desconhecidos que diziam que elas não deveriam comer isso ou aquilo. Agora, me responda o seguinte:

-Quando foi que uma desconhecida chegou perto de você para dizer que você não deveria comer alguma coisa, pra não engordar/ficar feito/ etc?

-Quando foi que uma desconhecida te parou na rua para dizer que você estava usando uma roupa que não combinava?

-Quando foi que uma desconhecida em um bar chegou perto de você para dizer que você não deveria tomar cerveja?

-Quando foi que uma desconhecida te parou na rua para dizer que você não deveria assistir futebol ou ver TV ou qualquer coisa que o valha?

Não precisa responder, eu mesma digo: NUNCA. Então chega de mimimi.

Thomas disse...

Lola, acho que você deveria ler meus comentários com mais atenção antes de me criticar. Você acha que não sei que existem travestis feministas? No meu comentário eu disse que tenho uma amiga transexual feminista! Não viaja!

Eu só levantei um ponto totalmente coerente. A maioria das travestis/transsexuais buscam a perfeição enquanto as feministas meio que incentivam ser gordo. Simples.

Raven~ disse...

Ih galera. Desculpem se ofendi algum(a) fumante querendo ofender o Toddy.

Mas bizarrice comparar comer com fumar. Sério.

Quanto ao post. Pfff... Huashuahs se alguém me viesse com uma dessas ia ouvir metade do meu repertório de palavrões.

Vi ai encima que alguém comentou sobre personalidade. Eu percebo que essas coisas costumam acontecer com quem é quietinho, aquela pessoa mais tímida. Mesmo desconhecendo a gente sempre nota.

Comigo que sou uma bela de uma cretina bocuda, nunca aconteceu. Mas bem que eu gostaria.


Obs: Meldels, se tipos como o toddy são simpatizantes ao feminismo... Tou com as rad: Quero mais é que morra.

Beatriz Correa disse...

Cara, se vem algum(a) babaca jogar fora a minha comida (seja uma saladinha de tomate ou um Big Mac), eu rodo a baiana séééério!!

E ainda faço pagar uma refeição completa, pra deixar de ser babaca!

Anônimo disse...

O danilo é um cara imaturo e inseguro quando ele vier comentar é so ignorar pronto, ele so quer atenção.

Mallagueta Pepper disse...

Thomas, pobre criança inocente, a Lola não publica seus comentários porque são bons, articulados ou qq ilusão que vc queira criar sobre eles. Ela apenas publica pra que as leitoras vejam como os masCuzinhos são ridículos e idiotas.

Nós não rebatemos simplesmente porque não vamos perder preciosos minutos das nossas vidas lendo seu texto enorme, cheios de clichês, argumentos fracos e lugares comuns só pra rebater cada um deles. Então, criança, quem se contorce de raiva é vc, porque sabe que não pode controlar nossos corpos e suas vidas.

Quem morre de raiva é vc que vive com tanto recalque e hostilidade contra as pessoas. Aliás, vc sabia que existe até uma pesquisa mostrando que pessoas hostis são mais propensas a sofrerem o AVC? Pois é, criança. Continue com sua hostilidade, fica aí morrendo de ódio das pessoas fora do padrão, continue se contorcendo por não poder controlar nossas vidas e em breve vc ganhará um.

Enquanto isso, vou continuar feliz da vida, comendo o que me dá na telha sem dar satisfação a nenhum zé ruela perdedor que não paga as minhas contas e portanto não tem nada a ver com a minha vida.

Fique com seu recalque que eu fico com minha felicidade. Cada um vive de acordo com o que achar melhor.

Anônimo disse...

Lola, me dá uma luz:
Se um dia o Thomas encontrar o travesti dos sonhos dele(nada contra!)bombada, que se cuida para os homens, leva-la para jantar e ela pedir uma dobradinha completa, rabada com agrião, leitão a pururuca...sei lá, ao invés de tomar um shake.
Será que ele vai ficar de coração partido? Q vc acha?

Olha...eu passei por momentos na vida em que meu almoço foi metade de um abacate que minha vizinha me deu, pq eu não tinha o que comer...hoje se as vezes eu posso comer uma coisa gostosa que eu to com vontade eu agradeço aos céus!!

Bjs Lola!

Uma pessoa normal e real

Julia disse...

Ah vá. Eu gargalhei com esse comentário do Thomas. Ele se superou! Babaquice nível máximo!!

cadê os links pra blog de fisiculturismo, Lola?? kkkkkkkk

Anônimo disse...

esse danilo é filhote do the truth qd era machista...ele escrevendo mts vezes até lembra o the truth qd tinha o blog cujo o nome esqueci...

danilo deve ter se doído todo pq t.t foi pra outro lado...pd falar danilinn se doeu todo ........ heupsojsi

Julia disse...

Kkkkkkkkk
O Thomas hoje tá impagável!

Adorei a ideia da guilhotina! Você vai ser o primeiro, faço questão.

Raven~ disse...

Olha eu tou com a anon de 17 e 38. Já passei fome e não vou ficar regulando calorias por causa de uns desocupados.

Anônimo disse...

Anônimo 17:09:

Eu sou mulher e falei isso sobre achar que nem sempre é por maldade porque as vezes em que comentaram coisas do tipo comigo eu levei na esportiva apesar da pessoa ser intrometida. Mas eu sou magra e nunca me importei muito com o peso, por isso vc pode ter razão quando fala das magras que têm algum tipo de nóia.
Mas eu acho que, nos casos normais, tem um certo tipo de exagero nesse incômodo todo. Tem muita gente (estranhos ou parentes) intrometida, inconveniente, xereta, que faz comentários desnecessários por aí, sobre tudo, o que vc come, o que vc veste, a forma com que vc anda, o celular que usa, seu cabelo, etc. Deveríamos levar a vida de forma mais leve e saber diferenciar um comentário realmente ofensivo (80% dos relatados nos posts da Lola) de um apenas sem noção.
Mas eu sou sempre a favor de campanhas que estimulem as pessoas a cuidarem de suas próprias vidas e pararem de dar opiniões não solicitadas.

Anônimo disse...

Fora que vc falar algo tipo "tá de dieta hein hihihi" pra uma magra comendo bacon é diferente defalar a mesma coisa pra uma gorda. O nível de filhadaputice é bem diferente. A magra pode ter problemas com peso, mas a pessoa não falou por maldade, não sabia. Não justifica, claro, porque na dúvida fique quieto e cuide de sua vida.

Juliana disse...

Eu tenho dificuldades para comer em público. Já tenho meio que "síndrome de perseguição",ao comer em público acho que todo mundo tá me olhando. Só que nesse caso,eu me convenço que é coisa da minha cabeça; o pior é comer entre conhecidos. Sou muito magra, então quando encho o prato todo mundo olha tipo "pra onde vai tudo isso?" ou quando pego pouco é um tal de "tá de dieta,é?". Então evito comer com a "turma", imagina quem é gorda,e deve ouvir um monte de merda, de gente que está supostamente preocupada com a saúde da pessoa.
Aliás minha relação com comida é pessoas é complicada, já preferi ficar com fome, comer no banheiro, me isolar, seja por questões sociais, financeiras ou emocionais...o tempo passa e isso nunca acaba.

Carol NLG disse...

Acho muito engraçada essa "preocupação com a saúde alheia" (com muuuuuuuuitas aspas).

Exemplo recente: estou grávida. Por algum motivo, nas últimas três semanas, estou absolutamente sem fome. Não é enjôo, já passei dessa fase - e nem tive. Estou simplesmente sem fome. Percebi, no sábado, que tinha passado a sexta feira inteira sem comer.

Isso não é saudável pra ninguém. Muito menos pra uma grávida. Assim que vi que a coisa saiu do controle (porque passar 24 horas sem comer é sair do controle!), marquei e fui ao médico. Uma colega de trabalho mencionou que: ai, mas ficar sem comer não é problema. Você tem o que queimar e é bom que a criança não nasce muito gorda.

Juro. Uma mulher grávida tem que se preocupar também com o que a criança vai comer. Claro que sim. Mas eu como bem, equilibrado, e em geral GOSTO MUITO de comer. Aliás, estava com um desequilíbrio vitamínico bizarro que causou essa falta de apetite, e a médica disse que ainda bem que eu percebi cedo e percebi que não, não é saudável ficar sem comer. Com ou sem fome. Estou tratando agora. E já tracei uma macarronada deliciosa no almoço.

Anônimo disse...

Obrigada Raven!

Sabe tomar chá de camomila pra dormir e esquecer a fome?
Trabalhava num restaurante, qdo fechava os funcionários almoçavam. Eu comia o máximo que podia, levava o pouco q o patrão deixava pro meu marido ter o q comer de noite, só ele. Eu comia só no almoço do outro dia.
Sabe aquela fome, ver a comida e não poder pagar um pão? Não é fome de coisa gostosa não, é fome de qualquer coisa que de pra comer!!
Eu que sei o q passei e qdo posso, como e agradeço! Se alguém me pedir comida na rua se puder dou o que a pessoa quiser, tiver vontade de comer.
Ass Anon das 17:38hs

Thomas disse...

Julia, falo com toda a sinceridade que meu coração contém, sou muito simpático às ideias das veias mais radicais do feminismo, então se um dia a revolução feminista radical chegar, caminharei para a guilhotina voluntariamente, de cabeça erguida e inclusive pretendo tirar uma selfie antes da minha cabeça rolar. É sério.


Anônimo, eu não sinto atração por travestis/transexuais. Apenas apontei para o fato de que esse pessoal se cuida bastante, vai dizer que é mentira? Então acho difícil eu me ver num encontro com um travesti/transsexual, não faz meu tipo mesmo. Mas se eu sair com uma mina atleta e ela comer tudo isso que você falou.... sem problemas! Eu sou atleta, meus pais também são e basicamente a gente pode se permitir comer algo trash uma vez por semana porque malhamos todo santo dia.

Eu acho a comparação com fumantes totalmente coerente. Acho um absurdo uma pessoa gorda criticar alguém que fuma. Oras, se você é gordo, provavelmente consome muito açúcar, sal, gordura. Todas substâncias viciantes que fazem mal e causam todo tipo de doença. Igual o cigarro. Vocês são viciados em comida da mesma forma que o fumante é viciado em cigarro. A diferença é que o fumante não tem uma ideologia pra usar de escudo, de justificativa pros próprios hábitos ruins que leva. O fumante tem que carregar o peso de toda uma sociedade que o julga como nojento toda vez que acende um cigarro em público, e geralmente o fumante, como o bom dependente químico que é, aceita passar uma vergonha para satisfazer o vício.

Agora quem é viciado em comida quer ser visto como vítima e deseja simpatia. Não é bem assim que as coisas funcionam, gente. O universo cobra um preço de quem é viciado em alguma coisa, não tentem escapar disso que não dá.

Danilo disse...

"esse danilo é filhote do the truth qd era machista...ele escrevendo mts vezes até lembra o the truth qd tinha o blog cujo o nome esqueci...

danilo deve ter se doído todo pq t.t foi pra outro lado...pd falar danilinn se doeu todo ........ heupsojsi"


Resposta: Não gosto de responder perguntas isoladas porque isso desfragmenta e desvirtua o tópico.

Mas te respondendo; Muitas coisas que ele escreveu no passado são verdades acabadas. Ele ter mudado de opinião não muda em nada os fatos. E têm que ser muito burro para acreditar que tudo o que ele escreveu sobre as mulheres se aplica a todas as mulheres da Terra.



Flavio Moreira disse...

Toddyinho, eu não deveria alimentar os trolls, mas vamos lá (em duas partes):

Parte 1
“Não importa o quanto tentem distorcer, mas fato é que apesar dessas pessoas serem inconvenientes, os conselhos são bons. Ninguém deveria comer essas merdas. Faz mal e engorda. O correto é todos se alimentarem bem e se exercitarem todos os dias. No pain, no gain.”

Não sei em que “estranho mundo de Toddy” (“Lazy Town”, talvez?) você vive, mas não, a grande maioria das pessoas não consegue se alimentar bem todos os dias. A menos que você só consuma produtos orgânicos, prepare sua própria comida e se abstenha de qualquer produto industrializado – o que, no mundo de hoje é quase impossível – e esse é um modo de vida absurdamente caro, embora desejável para todos. Você, pelo comentário, deve ser o que, na minha época, chamavam de “rato de academia”, ou seja, aquela pessoa que vivia pela prática de exercícios. O que explica (mas de forma alguma justifica) sua assumida gordofobia; afinal, somente mulheres esculpidas e homens de músculos tonificados merecem viver na face da terra. Os “outros”, esses devem ser exterminados – não sei por que, isso me lembra um certo movimento que dizimou milhões de vidas entre 1935 e 1945 – porque não se encontram dentro do seu absoluto e único padrão de saúde e beleza. Ainda bem que você não é o dono do mundo e, espero, não esteja se candidatando a algum cargo público nas próximas eleições, pois eu odiaria viver em um lugar com leis criadas por pessoas como você.

À parte a sua gordofobia, vamos pegar a sua analogia da comida ruim com o cigarro, que é quase convincente: não sei os números, mas as campanhas anti-tabagismo, entre outros fatores, foi incentivada porque os custos do tratamento de câncer de pulmão e de boca são estratosféricos, tanto para o estado quanto para o paciente. Não sei se dá, nem se é justificável, comparar com os custos da obesidade mórbida – que não deve ser confundida com estar um pouco acima do peso, mas estou certo de que comentaristas da área de saúde poderão contribuir com mais dados. Ah, e só para constar, as campanhas não visavam “desmoralizar” os fumantes, mas conscientizá-los do mal que o tabaco faz. E, acredite, o fumante, como a pessoa que está acima do peso, sabe dos riscos que corre. O tabagista tem uma dependência física e psicológica; a pessoa que está um pouco acima do que é considerado “peso normal” pode estar perfeitamente saudável. Eu sou magro, procuro cuidar bem da minha alimentação, mas tenho colesterol alto. Minha mãe, que era magérrima e só comia coisas saudáveis tinha triglicérides super-altos, que não baixavam de jeito nenhum, mesmo com as dietas restritivas a que era submetida pelos médicos. Maníacos de academia podem ter diversos problemas de saúde apesar de aparentarem estar saudáveis. Sua gordofobia é estética e passa a anos-luz de uma real preocupação com “a saúde da população”.

Já fui irritantemente implicante com quem fuma, hoje não sou mais. Continuo não gostando de cigarro, mas acho que cada um tem sim o direito de fazer o que quiser com o próprio corpo. Mas não fico perto de quem fuma – meus amigos fumantes não o fazem perto de mim – e não tenho cinzeiros em minha casa.

Pessoas gordas – e esse espectro pode ser bem amplo, indo da pessoa que está um número acima do manequim da capa da revista até pessoas que efetivamente têm formas mais arredondadas, sem necessariamente serem obesas – podem ser saudáveis e ágeis. Há ‘n’ fatores (biológicos, sociais, geográficos, genéticos) que determinam como é o corpo de um ser humano, inclusive se um é “mais cheinho” do que outro. Pessoas da área de medicina e de saúde em geral podem dar mais informações.

Flavio Moreira disse...

Parte 2
Se você considera que “comer uma barra de chocolate na rua deveria ser considerado tão vergonhoso e inconveniente quanto fumar um cigarro”, desculpe-me, mas você é uma aberração social e cognitiva. Se você acha que segregar as pessoas que não se encaixam no SEU padrão estético é a solução, lamento informar, mas você está mais alinhado ao pensamento de um certo austríaco que tocou o rebu na vida de milhões de pessoas naquele período da história que mencionei anteriormente, do que das pessoas menos obscurantistas do século 21. Só isso já bastaria para você ser retirado do convívio social. Além disso, comer uma barra ou um pedaço de chocolate é vergonhoso? Tomar shakes e essas proteínas sintetizadas para ganhar músculos aos litros, engordando (perdão pelo trocadilho) uma indústria que faz com que pessoas como você acreditem que isso é “ser saudável”, não é?
Você não deve conhecer uma palavra que deveria servir, essa sim, para pautar a nossa vida: comedimento.

Comer uma barra de chocolate na rua não é vergonhoso. Mergulhar em um tacho cheio de chocolate como se não houvesse amanhã, em público, talvez fosse. De tempos em tempos revistas “especializadas” publicam matérias ora condenando ora absolvendo alimentos: em um momento o ovo é um vilão perigoso, em outro é um auxiliar imprescindível; a carne X fazia mal, mas hoje “sabe-se” que ela tem benefícios Y e Z. Minha avó viveu até os 103 anos – independentemente dela não ter vivido sob as mesmas tensões que nós vivemos hoje, ela comia de tudo... um pouco de cada vez. Não tinha colesterol alto, nem triglicérides, nem pressão alta, nem nenhuma das doenças da vida moderna. Quando algo de que ela gostava eventualmente caía mal, ela cortava da sua dieta. Mas era comedida. Morreu como desejou: de velhice, em casa, de dia, no leito. Ela não tinha a menor ideia do que era academia...

Você fala em perfeição. Determine, cartesianamente e de forma irrefutável, o que é “perfeição”. Ter um corpo malhado? Cabelos lisos (nem que seja à custa de químicos agressivos), roupa de grife (ainda que para cada etiqueta que você compre, uma criança asiática ou sul-americana viva em escravidão)? Isso é ser perfeito? Segregar, espezinhar, desmoralizar porque as pessoas não seguem o seu padrão distorcido, isso é ser perfeito? E, no caso, mulheres devem fazer isso tudo para “atrair caras”? Porque essa é a única função delas na sua cabeça “feminista” (SIC!!!!). Ser “atraente” (seja lá o que isso signifique) é ser perfeito? Ou será que é ser perfeitamente vazio enquanto indivíduo?

Não, Toddyinho, você não “curte” o feminismo. Aliás, você passa muito, muito longe de entender o que o feminismo, em suas muitas vertentes, advoga. Se para você o feminismo incentiva mulheres a serem gordas, você não entendeu o feminismo; se você acha que neste blog deveria existir propaganda de suplemento alimentar, academia, modalidades de luta e links para blogs de fisiculturismo, então não, você definitivamente não entendeu o feminismo; se você acha que mulheres feministas devem destruir os homens “na porrada”, NÃO, você absolutamente não entendeu patavinas do feminismo. E, só para constar, elas já arrasam no debate – basta ler os textos da Lola, os guest posts, as muitas comentaristas que só acrescentam quando vem aqui discutir os temas, mesmo quando discordam – porque faz parte do processo de esclarecimento – ver os links que a Lola põe para outros blogs feministas.

Saia de “Lazy Town”, Toddyinho. A intenção do programa é boa, mas é um programa infantil islandês, carregado de boas intenções, sem dúvida, mas não é o mundo real, onde você acha que vive. E essa é uma verdade que você precisava ouvir.

Anônimo disse...

Que bacana né? Mulher é vítima de revenge porn o tempo todo e nada acontece, UZÓMI sofrem difamação e num instantinho já querem tirar tudo do ar:

http://www1.folha.uol.com.br/tec/2014/08/1497579-difamados-brasileiros-tentarao-tirar-app-secret-do-ar-no-pais.shtml

Anônimo disse...

Credo! Eu não concordo com nada que o Thomas disse. Fumar não é comparável com comer. Buscar a "perfeição" não é algo desejável, é uma besteira. Não tô nem aí se "os homi" estão preferindo travestis. Mas acho estranho tanta agressividade em cima de um comentarista. Acho que os espaço dos comentários serve para debatermos e tal. É muito infantil ofender qualquer um que discorde de você.

Julia disse...

Ninguém estranho nunca implicou com minha comida. To achando tudo um absurdo, os relatos aqui, os tweets..

Se vierem com opinião não solicitada pra cima de mim aprende a voar na hora.

normalidaderealidade disse...

A melhor parte é que eu POSSO levar a Raven pra um cappuccino de avelã porque ela tá na mesma cidade que eu :3

Anônimo disse...

Eu sou gorda, bem gorda. Decidi uma vez iniciar academia. Sempre gostei de praticar esportes, sempre gostei de academia. Sempre fui gordinha, mas como hoje, é novidade. Então decidi voltar a fazer coisas que eu gostava, incluindo malhar.
Um dia estava na academia e uma senhora passou me olhando. Outro dia, a mesma coisa. Uma dia ela passou por mim e falou que estava de olho em mim e queria me ver magra. Pouco depois disso, desisti.
Cara, como esperam que a gente se sinta confortável com gente observando a gente o tempo todo? Eu já não como em público pra evitar situações, agora nem uma atividade prazerosa eu posso ter?
Esse povo pode até cogitar a possibilidade de estar fazendo algo bom, mas pela minha experiência isso não é bom. Outros só querem sacanear mesmo. O resultado é basicamente o mesmo nos dois casos. Nada bom!
Ah, teve uma vez que eu estava na minha 'fase magra', andando pela universidade com minha amiga, feliz da vida, me sentindo bem. Uma mulher correu atrás de mim e me parou pra entregar um panfleto sobre como perder peso. Murchei depois disso.

Anônimo disse...

Amei. Além de comer pizza, confessa (????? Porque mulheres não são humanas, só homem pode falar em seus excrementos) que caga. O imbecil deve ter ficado horrorizado.

Alice in Wonderland disse...

Thomas,

Não delire, refutar seus argumentos é bastante fácil e a Raven já fez -- o cigarro é prejudicial à saúde das pessoas que convivem com o fumante e fumar em locais públicos, particularmente os fechados, é invasão do direito à saúde alheio. Sinceramente, o que significa "acima do peso"? Termo vago...

Alice in Wonderland disse...

As mulheres aqui no Lola são conhecidas por sua defesa feroz do direito feminino de escolher as roupas masculinas, reclamar dos programas de futebol "que os homens assistem" e de comer no quarto. Nossa causa é essa, além, é claro, de exigirmos desconto no IR por sermos mulheres. Ah, mas isso não faz sentido, o que a gente quer mesmo é não trabalhar, ter empregada doméstica e passar o dia na academia e fazendo massagens e as unhas! Então esquece o desconto no IR, queremos mesada do Estado e do marido. É isso que defendemos aqui! Mesada com direito a reclamar da sua roupa de homem e da sua cerveja de homem!

Né?

Renata disse...

Já aconteceu comigo.
Sou magrela e mais de uma vez alguém que não conheço (tanto homem quanto mulher) veio me dizer que eu não deveria comer *insira aqui praticamente qualquer coisa fora salada* pra não engordar.

Assim como já me disseram várias vezes pra comer mais, vendo meu prato (só porque não tem carne no prato - sou vegetariana - as pessoas acham que é pouca comida, mesmo que esteja cheio!).

Agora, completamente fora do assunto, tava olhando uns sites dos EUA e pelo visto, muita gente lá acredita que Ann Coulter é uma mulher trans, usando isso como justificativa pros posicionamentos dela..

Ana disse...

Thomas, vc quer MESMO comparar fumar com comer chocolate? Tô comendo meu chocolate na rua em paz, não tô obrigando ninguém a comer comigo (inclusive, não venham me pedir um pedaço). Agora, o ser humano que ta fumando do meu lado e assoprando essa merda de fumaça, ta me obrigando a fumar com ele.

Sobre o resto do post, espero que seja piada, pq olha! Enfie suas "verdades educadas" no cu. Beijos musicais.

Rebecca Souza disse...

Teve um época da minha vida,por causa do Ballet,que fui anórexica,as pessoas só vem bailarinas como lindas e pad~roes femininos,ma,snão sabem que na cademia as professoras massacram meninas de 07,9 anos,pra que tenham disturbios alimentares,lembro que o dia em que estava mestruada e inchada(com 12 anos)e aprofessora começou um sermão de que eu tinha que emagrecer,que estava criando peito eengordando,como nunca tive papas na língua,mandei ela ir tomar,e nunca mais voltei.Anos depois,já fazendo dança do ventre(que as pessoas insistem em acreditar que só corpos ``Shakiras´´conseguem fazer)ganhei uma premiação nacional e está professora estava lá,e minha maior glória foi que mesmo com o corpo fora do seus padrões,ainda tinha o mesmo dom de dança.As,vzs até pesssoas próximas a nós fazem questão de ficar falando de nosso peso e de como somos gordas,mas,sabe o que faço sigo a velha filosofia``Continue comendo e se alguma pessoa reclamar que vc come muito,coma a pessoa também´´ ;)

Anônimo disse...

Sawl

Queridos e queridas.
Hoje não estou com paciência pra responder comentários sobre o post mas particularmente falar SOBRE o artigo em si.
Se a pessoa é gorda ou magra, problema dela. Se o homem ou mulher é gordinho ou magrinho cabe à PRÓPRIA pessoa cuidar do que come. Claro que quando você é parente ou amigo de alguém que está com DISTÚRBIO alimentar sério, tipo: saber que a pessoa é anoréxica ou bulímica ou é obesa MÓRBIDA(só neste caso de obesidade serve uma preocupação) aí sim, quem é conhecido desta pessoa e tem carinho por ela deve tentar ajudar da melhor forma e sem agredir a outra pessoa.
Mas, a questão aqui é a MALDITA vigilância que se faz EXCLUSIVAMENTE em cima das MULHERES!!
Eu adoro chocolate e apesar de ser bem magrinha, tenho a cara cheia de espinhas e mesmo quando NÃO como chocolate, continuo com as mesmas espinhas!!
Minha ex-sogra que vivia no meu pé, soltou um "se continuar comendo chocolate, vai ficar com a cara cheia de espinha", no dia eu tinha descoberto que o "filhinho querido" dela estava gastando dinheiro em um motel de luxo com uma incauta qualquer já tava "mordida" e mandei:
"pior que as espinhas na cara são os CHIFRES na cabeça que o vagabundo do seu filho pôs na minha cabeça sua velha escrota(sim fui mal criada e NÃO me arrependo)"! Ela ficou em estado de choque e saí da sala.
Depois disso, as coisas foram piorando e felizmente me livrei do safado e da velha validadora.
Também já escutei um "é magra de ruim hein! Cuidado porque gente magra também "morre", e isso logo em um encontro(bem antes do meu atual casamento) com um cara com quem eu tava com um baita tesão! Falei pra ele: queridinho, se babaquice matasse você não estaria aqui vivo pra me vigiar". O larguei ali e ele ficou com cara de bunda, kkk.
Então digo, não são apenas CERTOS tipos de homens(eu digo os inconvenientes, imbecis, machistas e "caga regras" sobre mulheres) mas muita mulher babaca e validadora fica em cima de qualquer atitude alimentar que ache que deva ser "vigiada".

Então, se não puder dar uma resposta boa para os escrotossauros da vida, simplesmente "cague e ande" e continuem se DELICIANDO com o que estiver no prato.

Sawl - always the rebel

Eli disse...

Vivi minha vida com pessoas se intrometendo no que eu como e deixo de comer e tendo vergonha de mim mesma. Daí descobri q o q eu tenho é um Transtorno alimentar e liguei o "foda-se".

Ana disse...

Isso acontece com parentes mas com desconhecidos nunca,um absurdo mesmo.
Mas o Thomas está certo em uma coisa,comer é um vício para muita gente e para mim também.
Quando foi que alguém aí comeu porque estava realmente com fome,com a barriga roncando?
Eu nem me lembro quando foi,como sempre por ansiedade e porque dá vontade.

Quando eu era criança não comia direito e começaram a me infernizar para comer,me deram vitaminas,talvez tenha a ver com o descontrole com a comida.

Achei um livro(Liberte-se da fome emocional) muito bom sobre uma mulher gorda que também vivia descontrolada,tentando seguir mil dietas,emagrecia,engordava e não aguentava mais e então resolveu comer só quando tinha fome e não contava porra de caloria nenhuma,comia o que dava vontade mas só quando estava realmente com fome e emagreceu de vez,não tem mais efeito sanfona.

Natália Alves disse...

Lolinha, tudo bem? Li esse texto e pensei em vc, não sou jogadora de RPG mas me surpreendi muito com esse relato. #everydaysexism
http://www.rederpg.com.br/wp/2014/08/polemica-uma-historia-de-mestres-estupradores/

Anônimo disse...

Coma o quanto quiser, só não me obrigue a te desejar (e olha que eu curto tipos físicos bem distante do padrão de beleza, apenas não sou "vale-qualquer-coisa").

Raven~ disse...

Então vamo Mari!

Ótimos comentários Flavio. Obrigada mesmo.

Dedé disse...

Acho que quando a mulher se torna mãe ou está grávida, é ainda pior! Porque além de julgarem o que ela está comendo, julgam o que ela dá ao filho/filha também! E se está grávida, é pior ainda: nossa, não acredito que você está comendo isso, isso não é bom pro bebê!
Eu não sou mãe, mas já vi isso acontecer com várias amigas!

E Laura Bates faz um trabalho incrível aqui na Inglaterra, como vc aí no Brasil, Lola :)

Anônimo disse...

Thomas falou polémicas mas não está tão errado não. Principalmente quem anda de onibus e lotações sofre quando tem que andar acompanhado dum obeso, então o obeso não está causando apenas transtornos a ele mesmo(se fosse assim tudo bem) mas a todos. E ainda há, e muitos, obesos desaforados invejosos que criticam em voz alta pra todo mundo ouvir, principalmente o criticado, o corpo de quem está no peso ideal, como se os outros tivessem culpa por eles serem assim. Fiquei com desconfiança de obeso por causa disso, é sério. Tenho receio de me aproximar de um e este armar picuinha por causa de inveja ou coisa assim.

Anônimo disse...

Acho que por uma situação tão drástica assim, de um desconhecido vir comentar o que está no meu prato eu nunca passei. Mas concordo que tem gente muito inconveniente e às vezes prefiro deixar pra lá mesmo. Sei que a análise é para além disso, é o corpo da mulher sendo vigiado e na maioria das vezes por homens que acham que estamos aqui na terra para servir como ornamento.
Leila

Anônimo disse...

Ah, e quanto às grávidas, as pessoas que comentaram têm toda razão, eu sou uma dessas pessoas que critica, mas só o faço mentalemnte. A sobrinha do meu marido fumou durante a gravidez, por exemplo, aquilo acabava comigo que eu preferia nem ouvir, ela sempre comeu e come o que dá na veneta e assim hoje alimenta os três filhos. Eu não convivo muito com eles porque estamos em países diferentes, mas por muito tempo a julguei por esses fatores, nas últimas férias, em julho, pude passar um pouco mais de tempo com eles e vi que as crianças são a coisa mais linda e fofa do mundo, são três garotos, o mais novo adora princesas, filmes da Disney e durante uma festa de família levou uma das bonecas dele que a mãe e o pai tinham comprado...enfim, como julgar? Eu continuo achando um absurdo a pessoa fumar durante a gravidez, por outro lado ninguém é perfeito, esse casal erra por um lado e acerta muito do outro.
Leila

Anônimo disse...

Pelo que pude perceber, o esporte favorito da nossa sociedade é se meter(em todos os sentidos, vide o número de casos de estupro) na vida das mulheres sem a permissão delas. Vai da forma de se vestir, passando pela comida, pela depilação ou ausência dela, carreira, filhos (se vai tê-los ou não, se tem poucos ou se tem muitos ou se tem nenhum), se se casa ou não casa, se bebe ou não bebe, se deve emagrecer ou engordar, se deve alisar ou frisar cabelo, se deve clarear a pele e o ânus!!! o.O
Sem contar que a moda favorece essa imposição ao ditar tendências - até em coisas que o biotipo e a genética determinaram.
É incrível isso! E quando você dá uma resposta curta e grossa aos intromeditos de plantão, as pessoas se sentem ofendidíssimas!!Afinal de contas, que insolência não,até porque devo prestar contas à sociedade tudo o que faço na minha vida, até daquilo que não diz respeito à ninguém!¬¬
Fiquei impressionada com os relatos dos tweets...É tão difícil perceber que está sendo inconveniente?

Anônimo disse...

Aconteceu algo assim comigo ontem... Postei uma foto de um prato que comi no jantar e o personal que tenho adicionado no facebook (e estou pensando seriamente em excluir, apesar de ser um cara legal) comentou "meio sugado" logo embaixo (que é um exercício que suo igual uma porca pra fazer)... único comentário na minha foto. Meio constrangedor. E não é a primeira vez que ele faz isso comigo. Enfim.... tento relevar pq ele trabalha com educação física, mas sei lá...
Dee

Ana Torres disse...

Eu viajando no trem bh-vitória com a minha mãe, o funcionário do trem pára seus afzeres pra começar uma ladainha comigo: vc, toda hora que eu te vejo, está comendo! Ô boquinha nervosa!! Risos de duas adolescentes atrás de mim. Vc tem namorado? Pois se tiver, devria se preocupar. Comendo assim vc vai ficar muito gorda, ainda mais essas coisas que vc anda comendo bla bla bla

Julia disse...

Quando alguns homens vão entender que o mundo não gira ao redor do pau deles?


Mulheres não estão no mundo pra serem desejáveis sexualmente pra vc e a sua opinião sobre quem não é desejável é apenas a sua opinião, normalmente não solicitada.

Parem de se dar tanta importância.

Foda ter que dizer coisas óbvias mas às vezes o privilégio cega.

Thomas disse...

Flavio, pra você:

1. Não tente justificar o injustificável. Como pouca coisa industrializada e minha dieta é bem barata. Inclusive até recomendo pro pessoal do blog tentar fazer uma dieta vegan por um mês, vocês vão ver o quão mais barato é do que ficar comprando besteira industrializada e carne.

2. Reductio ad Hitlerum. Apesar de vocês tentarem me pintar como um cara superficial, um "rato de academia" que só sabe olhar pro corpo das pessoas, isso tá muito longe da verdade. O meu sentimento "gordofóbico" não é superficial. Talvez seja um conceito difícil pra pessoas sedentárias entenderem, mas quando você põe seu corpo pra trabalhar, se esforçar e suar todo dia, e colhe os imensos benefícios que isso te traz, fica difícil olhar pra tanta gente sedentária nesse mundo e não sentir uma certa decepção. É o mesmo sentimento que vocês têm quando veem pessoas agindo de maneira machista, falando coisas machistas. Vocês não param e pensam "como raios essa pessoa pode pensar isso, falar isso? o feminismo faz tanto sentido e traz tantos benefícios pra todos! Só um idiota não seria feminista." Mesma coisa. Diferença é que se exercitar todo dia e se alimentar corretamente trazem benefícios mais rápidos e diretos do que ser um militante feminista.

3. A analogia com cigarro é perfeita. Açúcar e gordura são substâncias tão viciantes quanto a nicotina, e trazem tantos malefícios para saúde quanto. Eu diria que pelo fato do vício em açúcar, gordura, carne, ser muito mais comum na nossa sociedade, os prejuízos financeiros pra tratar tantas doenças decorrentes desse vício deixaria o prejuízo que o cigarro causa no chinelo.

4. O lance de "saúde em qualquer peso" é um mito. Sério, esqueçam isso, não faz o menor sentido, é só uma propaganda enganosa. Dá uma lida nessa matéria e veja que nem os cientistas que conduziram este amplo estudo antecipavam a quantidade de benefícios que um estilo de vida saudável traz pra uma pessoa. http://io9.com/why-a-healthy-lifestyle-is-far-more-important-than-you-1481112720

5.Não acho necessário responder o seu argumento sobre chocolate. Nem fez muito sentido e de qualquer forma sempre deixo claro que sou a favor da civilidade, elegância e boa educação no tratamento com o próximo, e nunca tentaria forçar uma "segregação" da galera trash. Mas gosto de acreditar que nós, como sociedade, eventualmente condenaremos o estilo de vida sedentário e o consumo de alimentos trash da mesma forma que condenamos o consumo de cigarro.

6. Eu não sei se perfeição física pode ser alcançada, pois isso é algo muito subjetivo. Só posso dizer que aprecio pessoas que procuram se aperfeiçoar de diversas maneiras. Acho digno de respeito alguém que tenta aperfeiçoar seu corpo, sua mente e tudo mais. Não vejo nada de errado nisso. E eu falei sobre se aperfeiçoar pra si mesmo, mas que a consequência disso é atrair as pessoas, homens e mulheres. Ser considerado atraente faz bem pro ego, nenhuma pessoa com bom senso negaria isso. O resto do que você falou nesse parágrafo foi dramalhão desnecessário exagerado, não merece resposta.

7. Se eu não entendi o que é feminismo, não é com um outro homem tentando me explicar que vou entender. Obrigado, mas dispenso sua palestra sobre feminismo, qualquer outra das moças do blog têm mais gabarito pra me ensinar sobre o assunto. Mas mantenho uma das minhas ideias: acho sim que o feminismo deveria pregar que as mulheres virem marombeiras e lutadoras. A violência doméstica é absurda, os números de estupros e todo tipo de agressão contra mulheres é absurda e os homens fazem isso porque podem fazer. Porque são mais fortes. Porque as consequências são mínimas. Porque uma mulher não tem força pra revidar. Boa sorte pra vocês que acham que dá pra conscientizar todo mundo. Não dá. Vocês podem tentar conscientizar, isso é legal e positivo, mas quando você estiver lidando com um cara que só quer te estuprar e não tá afim de saber o que a cartilha feminista prega, acho bom você saber aplicar uns golpes de jiu-jitsu no meliante.

Anônimo disse...

Estou de dieta porque estou com sobrepeso e preciso perder 13kg. E olha que já tive uma forma branda de anorexia a quase dez anos! Quando fazia faculdade de design era super normal as meninas se policiarem a ponto de jogar o lanche da outra fora. Hoje estou aprendendo a comer certinho, sei que engordei por ficar horas sem comer e dez horas da noite me jogar numa caixa de Bis - fiz isso a vida toda, fora as visitas a fast food 4x por semana. Mas estou fazendo isso porque no momento eu não me sinto bem comigo mesma. Não quero agradar ninguém, nem meu marido que é gordinho e me acha linda, fora a mim mesma. E não faço parte da patrulha do "oh lá a gorda comendo!" porque eu mesma sempre comi como uma ogra e odeio salada com todas as minhas forças! No meu trabalho eu era conhecida como Magali, a ponto de "já comprei logo um pra vc porque sei que se eu te oferecer vc vai querer" e isso que só trabalho com homens! Felizmente nenhum deles nunca me disse um A sobre o que eu como ou deixo de comer.
Aliás a única vez que ouvi algo doa patrulheiros da comida foi de um homem horrível, obeso(!), machista: mulher não pode ser desleixada, se não faz a unha e come demais eu nem quero. Só respondi: te enxerga antes de vir falar de Alguem seu babaca!

Ana Nazaré disse...

Sejamos nós mesmas !!!!! Pelo fim da cultura sexista!!!! Que se um dia escolhermos comermos uma maçã ao invés de uma coxinha, que seja pela nossa saúde e não pela nossa própria opressão!

Anônimo disse...

Rachei de rir com o comentário da Death.

Bru disse...

É por isso que eu gosto de mulher,tão mais interessante...e homens,não estranhem se aparecer cada vez mais lésbicas no mundo rs

Mallagueta Pepper disse...

Se me der na telha, eu como chocolate em público e pronto. Quem achar isso ofensivo e outros mimimis, que se mate porque eu não vou deixar de saborear as coisas que gosto só por causa de gentinha mimada e chorona que acha que o universo gira ao redor do seu umbigo.

Agora pouco eu comi uma colherada de doce de leite. Problem? Foda-se, não estou nem aí. Agora, se tem gentinha muito preocupada com minha vida, então que pelo menos faça o serviço completo: pague minhas contas, lave minhas roupas e arrume a minha casa. Talvez assim eu pense na possibilidade de deixar essa pessoinha medíocre dar pitaco na minha vida.

Expat Patronum disse...

Mallagueta Pepper,
Em um sistema de saúde 'universal' como o do Brasil ele paga uma parte da conta do médico que vai lhe tratar das diversas doenças decorrentes da sua má alimentação, quer mais?

Anônimo disse...

Até nisso querem colocar feminismo no meio! ah! me poupe... já tá ficando chato e banalizado, tudo, tudo é feminismo... eu sou gordo, HOMEM, e tenho que ouvir isso todos os dias, e aí? Quem poderá me defender? vou criar o gordismo pra ver!

Anônimo disse...

Anonimo das 15:04,
Realmente. Geralmente os machos feios que são mais irritantes. Parece que sofrem por não serem atraentes e por isso querem acabar com a auto-estima das mulheres.

Raven~ disse...

Anon gordo de 12 e 49. Meu marido é gordo. E ele reclama da mesma coisa que vc. Que todo mundo tem um movimento mas que pra gordo ngm liga.

E eu digo pra ele todos os dias: Faça um movimento seu em vez de reclamar de quem já levantou o rabo do sofá para gritar pelos próprios direitos. Huashua essa sua ideia é excelente na vdd.

Mallagueta Pepper disse...

Expat Patronum, se formos levar por essa lógica, outras pessoas também pagarão a conta do médico quando vc ficar doente por causa dos seus maus hábitos. Ou vc vai querer me enganar dizendo que leva um estilo de vida 100% saudável? Será que vc só come produtos orgânicos, sem conservantes, sem açúcar, sem comida processada, etc? Aham. Senta lá, Cláudia.

A não ser que vc leve o estilo de vida como o dessa mulher aqui: Americana de 71 anos revela segredos para manter aparência de 30, o que eu duvido muitíssimo, vc está sujeito a ter problemas de saúde por causa da alimentação.

Isso se vc tb não beber e fumar, o que traz mais problemas. Aliás, se por causa de alguma imprudência sua vc sofrer um acidente, outras pessoas tb pagarão a conta do hospital, sabia? Pois é.

Agora, ao invés de vc vir incomodar com uma pessoa que pode ficar doente e recorrer ao SUS, vá se incomodar com os políticos lá de Brasília, que gastam milhares de vezes mais às custas do dinheiro que vc paga todo mês em impostos.

Anônimo disse...

Eu estava procurando um post de "gorda" pra desabafar, e achei! Ontem uma mulher me chamou de BICHA GORDA DO CACETE no metrô, porque ela não coube no vagão mais que lotado, mesmo me empurrando. Eu sempre fui meio bichinho assustado, sempre tive medo de fazer QUALQUER coisa por esperar sempre xingamentos e julgamentos e desperdicei minha vida toda assim, e ontem, depois de anos longe das ofensas na escola, aconteceu o que eu temia: humilhação pública e aleatória. Reagi rápido demais pros meus padrões (quando eu digo "bicho assustado" não é brincadeira) e mandei um infantil "Cala a boca, mal-educada, e vai se foder" (olha a ironia), enquanto ela ficava com cara de brava na estação e o vagão me levava embora. Queria ter gritado algo ofensivo como "vai sentar numa piroca" ou ter saído do vagão pra dar na cara dela, ou mesmo ter dado um sermão de respeito ao próximo e de feminismo pra ela... enfim, qualquer coisa melhor do que eu falei. Mas, pela primeira vez em muito tempo, eu não me encolhi porque gordo tem que encolher pra não virar um alvo maior ainda e reagi. Bom, quis desabafar aqui, e nem sei se alguém irá ler, porque sei que todas aqui provavelmente sentiram essa mesma agonia que eu senti o dia todo ontem, por sofrerem alguma violência (por serem gordas ou negras ou altas, ou qualquer coisa, porque somos ensinadas a nos odiarmos e a reproduzirmos essa violência). E queria agradecer a todas as moças por aqui e por aí, especialmente a Lola, que me ensinaram, aos poucos, que eu não mereço ser tratada como lixo, e que eu não preciso ter tanto medo do que me fazem, por mais que machuque. Foi lendo o que vocês escrevem e compartilham que eu entendi que não estou sozinha. Não virei uma diva, mas me sinto melhor agora. Obrigada.

Anônimo disse...

Anônima, você não está só mesmo, menina! Já passei por situações parecidas, e reagir não é fácil, mas a gente precisa! Violência de qualquer tipo é inaceitável. Continue assim! Ninguém nasce forte, a gente vai aprendendo.