domingo, 31 de agosto de 2014

NÃO ÉRAMOS FELIZES

Parece que esta era a única felicidade para muitas avós

O post sobre os tempos da vovó rendeu comentários tão fantásticos que vou publicá-los em duas vezes, porque foi impossível escolher apenas uns poucos. 

Lei do Divórcio é sancionada no
Brasil em 1977: conquista feminista
"Minha mãe andou dizendo que antigamente é que era bom. Mas assim que eu contei que se tivesse nascido na época em que ela disse que queria nascer ela ainda teria que ser casada com meu pai, porque não existia divórcio e nem poderia trabalhar fora sem a permissão dele... bom, digamos que isso foi o suficiente pra ela ver o quanto as coisas são melhores pra gente agora nesta época." (Anônimo)

"Só diz que antes era melhor quem nunca conversou com a própria avó, fato. A minha, como a maioria, apanhou, foi sexualmente abusada, foi proibida de trabalhar... e foi muito guerreira, brigando com o portuga doido que era meu avo pra minha mãe poder fazer faculdade (ele queria proibir, porque achava que mulher não tinha que estudar). 
Cresci ouvindo as histórias dela. E por ter crescido vendo tudo isso, minha mãe se tornou militante feminista nos anos 80. Pude ver como a vida dela (com uma carreira, um relacionamento mais equilibrado com meu pai, mais autoestima) foi muito melhor que a da minha avó. Qualquer mulher que observar esses exemplos na própria família vai ver que precisa SIM do feminismo." (Maria Fernanda Lamim)

"Meus avôs se separaram na década de 70, depois de mais de 25 anos casados. Minha avó sofreu muito com ele, apanhava, sofria humilhações etc. No fim foi meu avô quem pediu a separação. E todos os filhos, 5 mulheres e 3 homens, na época jovens de 20 e poucos anos, se revoltaram com a minha avó. A coitada vivia e continuou vivendo uma vida miserável, porque os filhos não aceitaram a separação. Meu avô foi morar longe e não escutava as barbaridades ditas pelos filhos. 
Depois de alguns anos minha avó arrumou um namorado e queria se casar de novo. Quem disse que os filhos permitiram? Fizeram um escândalo e proibiram minha avó de encontrar o pretendente. Hoje minha avó é uma mulher extremamente amargurada. Hoje os filhos se arrependem muito de não ter deixado seguir o relacionamento, porque ninguém tem tempo de cuidar dela. Às vezes não são apenas os maridos que destroem a vida das mulheres, alguns filhos contribuem também." (Anônimo)

"Minha mãe conta que quando a minha avó se casou com o meu avô, na noite de núpcias, minha avó não sangrou. Então meu avó a levou numa delegacia para que fosse comprovada a virgindade dela. Ela tinha o hímen complacente. Precisou passar por uma espécie de exame de corpo de delito para atestar que era pura. Já imaginaram a humilhação?
Meu avô era policial em SP, minha avó costurava camisas para as lojas do Brás. Ela estudou até a terceira série.
Minha mãe é a mais velha de sete irmãos, ela conta que cada vez que a minha avó engravidava, ela ficava louca de raiva. De ter mais um filho com o meu avô. Brigavam o tempo todo. Meu avô bebia. Os filhos apartavam o pai com faca, revólver. Numa briga com a minha avó ele deu um tiro, pegou na parede do quarto onde eu estava, dentro do carrinho de bebê.
Foi assim desde que me entendo por gente. Ele já aposentado, mal parava em casa, vivia nos botecos até cair. Quando queria, pegava um trem ou ônibus e ia visitar parentes no RS, ficava fora por meses.
Minha avó foi uma pessoa amargurada. Ela renasceu quando entrou para um grupo da terceira idade. Meu avô, já doente, não conseguiu impedir que ela frequentasse o grupo, mas desmerecia tudo que ela fazia lá. Lá ela teve amigas, viajou muito, aprendeu a fazer ótimas fotografias, fez teatro e descobriu um dom: fazia poesias.
Ela descobriu um câncer intestinal, operou, mas ainda no hospital optou por não se alimentar. Ela não queria voltar para casa. Apesar do médico garantir que nem quimio ela ia precisar, só da possibilidade dela ficar presa em casa com o meu avô, ela desistiu de viver. Foi preciso por sonda alimentar, ela não comia. Mas aí era tarde. Ela morreu há 6 anos. Meu avô, ano passado.
Pra ela a vida de antigamente não foi nada boa.
Eu prefiro a vida hoje. Eu posso estudar, trabalhar, votar, posso casar ou não, me separar, posso falar. Preciso lutar por tudo isso. Foi e é preciso lutar por tudo isso.
Por outro lado, minha sogra admira uma conhecida dela, senhora bem idosa que tem nas palavras dela 'uma pele linda, quase sem rugas'. Por que? Porque diz que o marido foi muito bom pra ela, não deixou faltar nada em casa, ela nunca precisou trabalhar, nem 'passar nervoso', por isso está tão conservada. Já minha cunhada de 27 anos, sonha com o dia que conhecer um homem rico pra não precisar trabalhar, já que ela acha que mulher não tinha que trabalhar fora.
São opiniões completamente diferentes, mas eu ainda penso que graças à luta das mulheres hoje temos a escolha, podemos decidir.
Finalizo com um exemplo da minha mãe: uma vez, numa viagem de férias com meus pais e tios, paramos em Joinville. Entramos numa loja linda de roupas bordadas. Minha mãe e minha tia viram um roupão de banho lindo, todo bordado. Minha mãe escolheu o dela, fez o cheque e pagou (ela, hoje aposentada, trabalhou em banco). Minha tia é esposa de médico, nunca trabalhou fora, mas sempre estava lá com a casa impecável, as roupas brancas do meu tio um brinco, os filhos bem cuidados. 
Ela pegou o roupão que tinha gostado e pediu pro meu tio comprar, ele disse não. Eles têm muito dinheiro, mas mesmo assim, ele disse não. Nunca vou esquecer o rosto dela, o jeito que ela se encolheu e devolveu a peça.
Desculpem... eu prefiro o hoje e sonho com um amanhã melhor." (Freda)

"Isso me lembra a avó de uma colega de trabalho. Ela dizia que a mulher tinha que ser uma puta na cama para satisfazer o homem. Minha colega então perguntou-lhe que, sendo assim, ela deve ter tido muitos orgasmos. E ela perguntou: o que era isso? Minha colega, então, ensinou-lhe como consegui-los. E foi assim, depois de viúva, ela experimentou o orgasmo pela masturbação. Se o avô dela fosse mais carinhoso com a esposa e 'puto', como ela era com ele, ela poderia conhecer esse tal de orgasmo há muito mais tempo.
Muito fácil rotular uma mulher que não sente prazer na cama como frígida. Pudera, ser tratada mal não é afrodisíaco nenhum e só faz tremer de raiva e/ou frustração." (Hammandah)

"Vejo várias pessoas falando que 'também existiam mulheres felizes antigamente', mas a maioria dos exemplos aqui é de mulheres que sofreram nas mãos dos maridos machistas. 
A minha avó materna, por exemplo, foi uma delas. Ela morreu quando eu era muito nova, então quem me contou a história dela foi a minha mãe, por isso não tem muitos detalhes. Mas os danos causados por um marido machista estão lá, sim. 
Meu avô era muito rígido com os filhos, as meninas nunca podiam fazer o que os meninos podiam. Ele costumava beber, chegar em casa alterado e bater muito nas crianças. Pelo que minha mãe contou, um dia ele tentou agredir a minha avó. Ela estava na cozinha, pegou um pedaço de madeira em brasa, bateu nele com toda a força e fez com que ele caísse de uma escada pequena que tinha na casa. Meu avô não sofreu nada muito grave, mas depois disso, ele nunca mais tentou bater na minha avó. Não sei se ele a agrediu antes, provavelmente sim, mas eu não quis perguntar para a minha mãe.
Por causa dos gastos com álcool e outras dívidas, meu avô perdeu tudo o que a família tinha, inclusive a casa. Precisaram morar de favor por muito tempo. Minha avó ajudava com as despesas ganhando dinheiro com costura e cozinhando para fora, mas era uma vida muito difícil...
Meu avô morreu muito antes de eu nascer, não sei como a minha avó viveu desde a morte dele, provavelmente melhor, mas tendo que batalhar muito para criar 6 filhos. 
Não consigo imaginar como alguém pode dizer que viver dessa maneira pode ter sido 'bom."

"Minha tia-avó também passou um casamento muito difícil, o marido dela viajava e demorava muito tempo para voltar. Ela não trabalhava, mesmo sendo uma das melhores alunas da escola. Eu ainda me lembro que quando ela teve sua primeira menstruação nem sabia o que era aquilo, de tanto tabu acerca disso, mas foram as amigas dela da escola que a tranquilizaram e explicaram para ela. O marido morreu até cedo para os padrões da época, e quando apareceu outro homem querendo se relacionar com ela, ela nem quis saber, disse que nunca vai se casar de novo e que não quer saber mais de homem." (Anônimo)

"Minha amiga tem uma avó relativamente jovem -- teve a mãe dela jovem, a mãe dela foi mãe adolescente. O avô da minha amiga era um bêbado, que batia nos filhos e na mulher, mas daqueles que no fim da vida se arrependeu. A avó da minha amiga virou viúva relativamente cedo (uns 60 anos).
Num dia de semana, seis horas, a avó da minha amiga acorda ela de manhã, segurando o pãozinho do café. As duas se sentaram à mesa sozinhas. E a avó dela confessou que conheceu um senhor num clube de dança, e, meio tímida, comentou que tinha acabado de ter o primeiro orgasmo da vida dela. Ela passou a noite fora conhecendo um prazer do qual ela nunca tinha experimentado.
Isso mudou a vida dela. Ela rejuvenesceu uns 20 anos do dia pra noite. Deixou o cabelo bonito, comprou roupas novas e lindas que ela sempre quis ter, e foi lá ser feliz com o namorado novo, aproveitando uma coisa que ela nunca tinha aproveitado antes.
Foi uma história bonitinha.
Minha avó não quer mais homem nem pintado de ouro. Vários senhores já foram até que bem desrespeitosos dizendo que ela 'tava inteirona', meu avô já chegou na casa dela, tirou toda a roupa ('Mari, ele ficou pe-la-di-nho!') e ela expulsou ele sem pensar duas vezes. O negócio dela é ficar sozinha e aproveitar o tempo com as coisas que ela ama. E eu apoio, apesar dela não cozinhar mais aqueles doces incríveis nas festas de família, que, segundo ela, eram 'pura encheção de saco', hahahaha" (Normalidaderealidade)

97 comentários:

Hamanndah disse...

Querida Lola, obrigada por ter postado meu comentario no post. bjs

Anônimo disse...

enquanto feministas ocidentais, reclamam e demonizam os homens daqui, o ISIIL esta está estuprando e vendendo meninas cristãs no OM, o Hamas prega abertamente que pretende impor a Sharia, e exterminas os "cães infieis" na terra santa.
E as feministas não abrem a boca

lola aronovich disse...

É comovente saber que vc, mascutroll das 12:12, se preocupa com as meninas e mulheres do Oriente Médio! E a gente acusando vcs de misóginos, que injustiça!
Ahn, vc sabe que existem feministas islâmicas, não sabe? Que há mulheres lutando contra isso lá no Oriente?

Anônimo disse...

Eu só fico me perguntando de que adinta vocês denunciarem isso tudo aí e depois defenderem os horrores que mantém o machismo como prostituição,pornografia,liberdade sexual baseada na auto-objetificação...é uma falta total de coer~encia,para não falar hipocrisia.Reclamamos do sistema mas alegamos que reforçá-lo é "escolha".

São esses "detalhes" que fazem a luta perder a credibilidade,a força polótica e fazer com que mulheres se afastem do movimento.Ninguém é anti-feminista por ser "100% reacionária",mas aí.....diálogo com feminista sex-poser é inexistente....não é?
De tanta contradição,nem consigo mais sentir empatia pora tais relatos...

clarice

Danilo disse...

Resposta: Até dar pra entender a razão da infelicidade das mulheres na sociedade conservadora religiosa do passado. O que não dá pra entender é que as mulheres ainda continuam infelizes mesmo com o todo liberalismo sexual feminino e a autonomia financeira feminina. A mulher hoje nao depende do homem mais pra nada e ainda sim continuam carregadas de infelicifade. As mulheres ainda continuam infelizes depois da liberdade feminina. Pesquisas apontam que as mulheres de hoje talvez seja ainda mais infelizes do que as mulheres do passado. Esta pesquisa está fundamentada no alto índice de mulheres que frequentam consultórios psicologicos e psiquiátricos.

Mallagueta Pepper disse...

Clarice (se é que esse é o seu nome de verdade), não dá pra argumentar é com pessoinhas como vc que não sabe nada de feminismo, não quer saber, não quer se informar e ainda vem aqui metida a dona da verdade e conhecedora de todos os segredos do universo vomitando um monte de besteiras sobre o movimento sem nem ao menos saber do que está falando.

Vai estudar e pesquisar um pouco, criatura. Ou então cala a boca. É melhor deixar as pessoas apenas pensarem que vc é idiota do que falar um monte de besteiras e lhes dar a certeza absoluta da sua idiotice.

Anônimo disse...

Invés de falar para pessoa ir estudar... Pq não refuta os argumentos dela??? Não tem resposta não é mesmo!?

Anônimo disse...

A minha bisavó teve que casar pela segunda vez porque foi trabalhar de doméstica na casa de um viúvo e começou a ficar mal falada, correndo o risco de perder aquele emprego e não conseguir mais nenhum. Só que ela tinha uns vinte e sete anos e o marido mais de sessenta. Quando ficou grávida, foi expulsa de casa porque não acreditaram que o filho fosse dele. Só quando o menino nasceu com a cara do pai é que ela pôde voltar pra casa.
Ficou viúva pela segunda vez, casou pela terceira e dessa vez depois de violência, traições, se encheu, pegou um machado e rachou a cama do casal no meio, falou que com ele não dormia mais. Foi uma das primeiras mulheres a de desquitar na cidade dela. Ela também foi uma das primeiras mulheres a trabalhar em mina porque o salário de "trabalho masculino" era o triplo do que pagavam pra costureiras, lavadeiras, cozinheiras,... mas foi muito difícil entrar e ficar, porque imagina como era vista uma mulher no meio de tantos homens.
Enfim. Fico pensando no tanto de mulheres fortes e incríveis que são desconhecidas, quase invisíveis independente do que tenham feito, só os familiares sabem mais ou menos como foi.


Anônimo disse...

Concordo com o anônimo 14:50. Acho relevante discutir o que foi colocado pela Clarice.
Inclusive não ficou claro pra mim o que vc quis dizer nesta parte:""Ninguém é anti-feminista por ser "100% reacionária",mas aí.....diálogo com feminista sex-poser é inexistente....não é?"
Vc poderia esclarecer, Clarice?
Valeu

Fernanda

Anônimo disse...

Você pode esconder meu comentário, mas não pode esconder a dor que as mulheres no Iraque estão passando.
É nesses momentos que o feminismo-marxismo mostra a sua cara. O silêncio diz mais que qualquer palavra.

Minha luta pelas mulheres nunca acabará, porque ela sim é verdadeira. A sua é só uma desculpa para disseminar marxismo.

Anônimo disse...

Tem mulheres que gostariam de voltar ao sec XIX, algumas delas nunca gostaram das aulas de história na escola. Até mesmo uma eleitora do PT, quem diria, estava no Facebook reclamando um dia desses que a mulher foi feita para o lar e que as mulheres de antigamente é que eram felizes cercadas de mimos e sem chefes chatos no trabalho. Mas os homens ricos no Brasil de antigamente costumavam se casar com meninas adolescentes virgens de famílias também ricas, descendentes de portugueses e se possível as que eles considerassem bonitas também. Essas sinhazinhas tinham mucamas e escravas para lhe servir, mas a maioria se esquece que essas serviçais eram mulheres também e de maioria negra. Muitas sinhazinhas nem se quer queriam amamentar os próprios filhos e obrigavam as escravas a darem o leite delas para os filhos das sinhás e deixar os filhos das escravas morrerem de fome. Então será que a vida de todas as mulheres de antigamente eram tão boas assim? Nem todas as sinhazinhas eram muito féis, algumas arranjavam seus ricardões e quando eram descobertas se ferravam na maioria das vezes. Essas mulheres atuais que sonham ser donas de casa, nada contra a ser dona de casa, mas todas elas só querem se casar com homens ricos ou pelo menos "classe-média-alta", saradões, verdadeiros "galãs de novela". De preferência brancos bronzeados, altos e nada de pobre, gordo, feio e outros defeitos. Quantas mulheres vão conseguir casamentos com esses príncipes perfeitos de classe A/B? Sem falar que esses príncipes perfeitos, até mesmo os ricos feios, também tem suas exigências em relação ao que eles buscam na mulher que eles se casariam e sustentariam. Quando as mulheres casadoiras descobrem essas exigências na qual muitas delas não conseguem atender passam a chamar esses "príncipes" de machistas, insensíveis, que homem nenhum presta, que não tem mais homens como antigamente, que homem só gosta de mulher safada e não de boazinhas prendadas como elas, que homem só liga pra aparência, etc. Será que essas mulheres são tão diferentes assim dos mascus? Será que essas mulheres são apenas vítimas inocentes e ingênuas do machismo e que não tem a menor responsabilidade por nada do que dizem e do que fazem? Será que mulheres adultas são eternamente seres infantilizados tanto por machistas quanto por feministas sem nenhuma responsabilidade por suas escolhas?

Anônimo disse...

Eu pensei exatamente isso. Elas adoram dizer "vá estudar"... que piada.

Anônimo disse...

Lola, eu sei que não tem a ver com o assunto do post e nem sei se você já viu isso, mas eu achei um absurdo tão grande...
https://br.noticias.yahoo.com/fotos/atrizes-porn%C3%B4-japonesas-deixam-tocarem-seus-seios-em-campanha-contra-aids-1409505114-slideshow/

Anônimo disse...

Eu fico muito furiosa quando escuto mulheres dizendo que queriam ter nascido no tempo das avós.

Tenho uma amiga que é mãe solteira, trabalha e tem a vida dela. Esses dias ela falou que nomear no tempo da avó, ela não teria que trabalhar e passaria o dia com a filha.

Eu disse: você já pensou que o que aconteceria se você fosse mãe solteira no tempo da sua avó? Sem estudo, sem opções de trabalho, provavelmente expulsa de casa.

Ela disse que nem tinha pensado por esse lado. Acho que as pessoas criam uma visão romântica do passado, acham que tudo era lindo e perfeito e só tem olhos para as dificuldades de hoje, sem perceber os avanços.

Anônimo disse...

Minha avó também penou mto na vida. Era noiva de um homem que ela amava, meu avô a viu em alguma festa de igreja, "negociou" o casamento com o pai da minha vó e ela foi obrigada a aceitar. Imagina como era ser casada com o homem que estragou a felicidade que ela sonhava em viver com alguém que gostava realmente.
Tiveram uns 6 filhos, inclusive um doente, e meu avô a abandonou qdo todos ainda eram crianças pq ele tinha perdido td no jogo. Deixou ela com uma mão na frente e outra atrás, sem profissão, e com 6 bocas pra sustentar. Reapareceu anos depois, tinha reconstruído a vida em outo estado, e levou td mundo. Qdo estavam vivendo melhor, ele morreu de infarto fulminante... Os filhos já eram adultos, mas continuaram fazendo ela sofrer. Venderam td q meu avô deixou e ela foi morar com um filho, depois outro, depois outro. Enquanto limpava, cozinhava e servia de babá para os netos, todo mundo disputava. Agora q está no fim da vida ninguém mais quer e a família é uma briga só por causa disso.
Acho q ela só não morreu de depressão ainda pq toma remédios e está tão acostumada a sofrer que é mais forte...

O grande problema que vejo é q ela nunca enxergou que as filhas poderiam ter uma vida diferente. Sempre achou q casamento era a única opção pra elas, e a minha mãe pensa assim tbém.
Nem todas conseguem sair dessa zona de sofrimento, mas com homem do lado.

Raven Deschain disse...

Ué anon. E a Mallagueta é obrigada a pegar esse povo pela mãozinha e ensinar coisas que estão escritas em qualquer blog feminista, inclusive aqui? A "Clarice" que vá pesquisar mesmo!

Anônimo disse...

Minha avó casou com um homem que mal conhecia, mas que o pai dela aprovava, isso na década de 40. Depois de 3 filhos ela descobriu que meu avô tinha uma outra família, foi até a casa dos pais e ouviu que "a vida é assim mesmo, volte para seu marido". Meu avô lhe passou sífilis e em 9 anos ela teve 7 abortos e dois bebês que sobreviveram por dias. Os médicos se recusavam a fazer laqueadura argumentando que ela era muito jovem.
Meu avô nunca parou com as amantes, ele chegava a passar semanas fora de casa, e para minha avó esses eram seus melhores momentos. Já com mais de 70 anos ele saiu de casa e foi morar com outra mulher, os filhos passaram a ajudá-la financeiramente.
Estou morrendo de inveja da minha avó! Não poder estudar e ser a escrava de um homem é realmente a maior felicidade uma mulher. Eu estudei, trabalho e não tenho filhos, não devo satisfações a ninguém e faço o que quero, mas bom mesmo era no tempo da minha avó.

Anônimo disse...

Alguém viu a propaganda da nova série do HBO? Chama Mulher Arte, um artista viaja pelo Brasil fazendo desenhos de mulheres nuas e mostrando as "belezas" do país. Eu enxerguei como propagando do turismo sexual e de uma objetificação que chega a ser nojenta.

Adna Rosa disse...

Danilo, eu sou uma das mulheres que você citou, independente e que frequenta clinicas psicologicas, e adivinha o motivo? sequelas da criação machista que meu pai me deu, as coisas absurdas que ele me fez! E mesmo sendo a "independente e que faz acompanhamento psicologico" jamais voltaria ao tempo da minha avó!

Mallagueta Pepper disse...

A Raven disse tudo. Informação é o que não falta. Está disponível na internet pra qualquer um ler de graça a qualquer hora que quiser.

Qualquer pessoa com um pingo de civilidade e inteligencia tentaria saber mais sobre determinado assunto antes de tentar discuti-lo. Se for o caso, simplesmente pergunte que alguém aqui irá responder.

Agora, se a pessoa quer apenas xingar, atacar e agredir, se ela quer apenas destilar seu preconceito sem nem ao menos ouvir e entender o outro lado, então falta de conhecimento não é desculpa. Ela age com má fé e eu não sou obrigada a ter paciência com quem tem essa postura.

Anônimo disse...

Oh, gosh! É o meu comentário ali no post! Valeu, Lola.

Clarice, eu não entendo muito de pornografia e prostituição. Mas deixa eu te fazer uma pergunta: por que você diz que liberdade sexual baseada na auto - objetificação é "falha de coerência" da luta? A luta feminista é pra que a mulher possa fazer o que quiser de sua vida, inclusive sexual, e não ser julgada ou desqualificada por isso. Sabe esse direito que os homens tem há séculos de não serem julgados por fazerem sexo? Ou pra você a luta só é válida se for pras mulheres "se darem ao respeito"?

Anon das 15:40, posar de 'salvadorx de todas as mulheres do mundo' e ainda cassar a carteirinha dxs outrxs é de lascar, hein?

Anon das 15:42 1) Esse discurso que vc diz ser das mulheres é, na verdade, dos mascus. Significa algo...? E anon das 15:42 2) ué, eu também aprendi assim, estudando. Sabe, eu sou adulta e posso perfeitamente procurar conhecimento sobre o que me interessa, faz tempo não preciso que me peguem pela mãozinha e me levem até onde eu quero chegar. E acho que o pessoal que vem aqui tbm é adulto e pode fazer o mesmo.

Anônimo disse...

Anon das 16:14 que triste a sua avó ter passado por todas essas situações terríveis. Confesso que fiquei chocada com o machismo dos médicos, como assim se recusaram a fazer laqueadura numa mulher com sífilis? Que desculpa é essa de não fazer laqueadura por ela ser jovem? Por que ela, por ser jovem, era obrigada a continuar sofrendo com abortos e gravidezes difíceis pra parir filhos doentes, que não iam viver? Pra todos verem que o machismo é absurdo, ridículo, monstruoso e totalmente sem sentido. Voltar aos tempos da vovó, mas de maneira nenhum! Vão se jogar de cabeça num poço e chorar, mascus.

Claudio disse...

Vou repetir, casamento só vale a pena para quem tem baixo valor sexual; exs: muito feixs, gordxs, etc...

Anônimo disse...

Não sei se deveria responder mas "vamulá".

Prostituição - de fato esse é um tema complexo dentro do feminismo. Há quem seja radicalmente contra, há quem seja a favor. Eu mesma tenho dificuldade para formar uma opinião. A única certeza que tebho é que sou contra a exploração de mulheres e PRINCIPALMENTE o tráfico de seres humanos para esse fim.
Por outro lado há trabalhadoras do sexo que gostaria de ter ser direitos trabalhistas garantidos. Não podemos apenas assumir que elas são tão pobre coitadinhas e tão oprimidas que não sabem o que dizem - isso é paternalista, é assumir que elas não são aptas a decidir por si. O que devemos como feminista e o que deveria ser obrigação dos nossos legisladores é ouvir essas mulheres, o que elas querem e a partir disso tentar resolver os problemas da prostituição e da exploração sexual.

Pornografia - semelhante a prostituição. Há iniciativas de mulheres como Erika Lust que produzem pornô feminista, por assim dizer. São filmes em que a mulher não é uma mera boneca, não é agredida e o foco não é exclusivo no prazer do homem e sim no prazer de todos os envolvidos!!!

Liberdade sexual - Eu não entendi o que você quis dizer com auto-objetificação. O que é uma mulher que se objetifica? É mulheres que usam roupa curta? Que faz sexo com muitos parceirxs? Ou muito sexo com um só parceiro? Ou não faz sexo com ninguém???
Viver a sexualidade de forma livre, sem culpa e da maneira que mais convém a cada um é ser senhora de si, é empoderamento e não objetificação!!
Objetificação é ser tratada como um lugar para enfiar objetos fálicos, bibelô, empregada e/ou matriz reprodutora. E não me lembre de nenhuma feminista ser a favor disso.

Do mais há MUITA COISA MESMO dentro do feminismo que eu discordo! Mas isso não invalidade de maneira nenhuma o movimento como um todo.

Essa é minha mais singela opinião!!!


Jane Doe

normalidaderealidade disse...

Lolinha, obrigada por ter dado espaço ao meu relato ^^

Esse diálogo aposto que dá pra ser enorme, afinal, se toda mulher tem uma história de horror pra contar... Imagina a quantidade de histórias que as mulheres têm sobre outras mulheres.

Anônimo disse...

A Adna Rosa já respondeu, mas vou complementar - há uma imensa massa de mulheres a beira da exaustão física e emocional devido a toda carga machista que AINDA sobrevive firme e forte na sociedade.

A figura da mulher dócil, submissa foi parcialmente substituída pela "mulher-maravilha". Aquela que trabalha 12 hrs por dia, chega em casa, lava/passa/cozinha, tem filhos por que tem que ter - e cuida deles sozinha - marido por que tem que ter e esse tem que ser servido e agradado. Além disso tem que estar sempre magra, jovem, linda e fazer tudo em cima de um salto alto e SORRINDO!!!

Ah... só pra constar nos altos - não foi o feminismo que criou essa figura mítica não, tá...


Jane Doe

Danilo disse...

"Danilo, eu sou uma das mulheres que você citou, independente e que frequenta clinicas psicologicas, e adivinha o motivo? sequelas da criação machista que meu pai me deu, as coisas absurdas que ele me fez! E mesmo sendo a "independente e que faz acompanhamento psicologico" jamais voltaria ao tempo da minha avó!"


Resposta: Posso te afirmar que as mulheres que abarrotam consultórios psicológicos e psiquiátricos os motivos não são criação de pais machistas. O seu problema é o seu problema e não corresponde com a totalidade dos casos.

Danilo disse...

Resposta: As feministas querer combater a prostituição e a pornografia é pura perda de tempo.

Um outro ponto, qualquer pessoa com bom senso sabe que o fim da prostituição agravaria mais ainda o caos social que vivemos hoje em dia.

Na idade média, os governantes permitiam os prostíbulos porque eles mantinham o pensamento de que se o homem não descarregasse sua pulsão sexual seria a mesma coisa que a afirmação do caos social.

O fim da prostituição interfere negativamente na sociedade e destrói a sanidade do homem ocidental

Jéssica disse...

"Esta pesquisa está fundamentada no alto índice de mulheres que frequentam consultórios psicologicos e psiquiátricos."

Então essa comparação não faz nenhum sentido.
- Se maridos não pagavam nem dentista, iam pagar psicologo e psiquiatra?
- Haviam pouquissimos psicologos e psiquiatras no Brasil rural, como vocë espera que mulheres os frequentariam facilmente?

Anônimo disse...

Sim, mascu Danilo. Pessoas - homens e mulheres - frequentam consultórios psicológicos e psiquiátricos pelos mais variados motivos. Crianças também tem frequentado muito mais do que antigamente.

Mas me pareceu que você quer colocar esse número "grande" de mulheres que frequentam tais clínicas na conta do feminismo.
Ter mais liberdade e escolhas nunca foi motivo para frequentar psiquiatras pelo que me consta.

As mulheres hoje são mais felizes. PONTO.


Mas gostamos de ver mascus infelizes tirando pesquisas que dizem que mulheres mais livres são mais infelizes da bunda.

Mascu infeliz me faz feliz :)

Anônimo disse...

Então, mestre Danilo, diga-me pq as mulheres são infelizes e abarrotam clinicas psiquiátricas, aliás diga-me tbm pq os homens são infelizes e se suicidam, mais que as mulheres ? Vc devia compartilhar com a humanidade suas respostas maravilhosas!

Anônimo disse...

Dizer para qualquer um que não seja feminista que tem que estudar é uma piada porque só mostra a arrogância do movimento.
É um movimento tão incrível,sem falhas,sem incoerências,sem hipocrisias, que qualquer um que realmente conheça o feminismo vai se aliar.
Só rindo mesmo,porque eu(e muita gente) desisti de ser feminista depois de ler o que vocês dizem.

Anônimo disse...

Danilo fica aqui no blog repetindo chavão mascu achando que tá falando algo inédito ou que vai trazer a luz pra alguém daqui. Aí tenta um aqui, tenta outra aqui.
Essa "nova" dele agora das mulheres infelizes por causa do feminismo a Lola já comentou há uns cinco anos. Lembrei porque foi um dos melhores posts na minha opinião.
http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2009/10/mulheres-infelizes-culpa-do-feminismo.html

Danilo... "aeghavitabkoik" disse...

"Mas me pareceu que você quer colocar esse número "grande" de mulheres que frequentam tais clínicas na conta do feminismo."Mas me pareceu que você quer colocar esse número "grande" de mulheres que frequentam tais clínicas na conta do feminismo.
Ter mais liberdade e escolhas nunca foi motivo para frequentar psiquiatras pelo que me consta.

As mulheres hoje são mais felizes. PONTO."


Resposta: Se vocês são tão felizes assim então porque continuam estressadas e reclamando do mundo de hoje. Não existe mais o efeito da repressão, não existe mais a dinâmica da submissão feminina pelo o machismo autoritário, e não existe muitos outros mais para a felicidade feminina e ainda assim continuam reclamando porque? A mulher nova feliz caga e anda para o feminismo.

Danilo... "aeghavitabkoik" disse...

"Então, mestre Danilo, diga-me pq as mulheres são infelizes e abarrotam clinicas psiquiátricas, aliás diga-me tbm pq os homens são infelizes e se suicidam, mais que as mulheres ? Vc devia compartilhar com a humanidade suas respostas maravilhosas!"

Resposta: Muito fácil explicar essas questões. Mas não têm como explicar através de um blog porque isso daria mais de umas 10 páginas no word.

Anônimo disse...

engraçado hein anon de 18:22,vc diz que pessoas sofrem por várias razões mas feministas n veem problema nenhum de por a culpa de qualquer problema da mulher no machismo.
mesmo com o "glorioso" feminismo ,algumas mulheres ainda são infelizes.
chupa essa,vcs estão longe de serem a salvação do mundo.

Anônimo disse...

Esse louco brutamontes usa a idade média como referência para justificar a prostituição? Um grupo de mulheres nada privilegiadas na idade média eram enviadas para a prostituição para os psicopatas descarregarem suas pulsões assassinas nas bocas e genitálias delas e assim manter o equilíbrio social. Que lindo isso na visão desse mascu monstro que se acha bonzinho e honrado hein. Esses psicopatas é que deveriam frequentar consultórios psiquiátricos e ao cometerem crimes, presídios com supervisão de psiquiatras se existissem na época e não as genitálias das mulheres que não tem culpa pelos monstros que eles eram. Enquanto vc odeia mulheres apenas porque não são propriedades de babacas iguais a vc Danilo. Esse cara é um monstro.

A maioria das pessoas que exercem a profissão da área de psicologia são mulheres, sim,mulheres, que estudaram e trabalham como psicólogas. Várias mulheres que frequentam consultórios psiquiatras e de psicólogas, são donas de casa e casadas com homens machistas e não tem o menor diálogo com esses homens. Muitas inclusive frequentam psicólogas e psiquiatras porque só tem amigas preconceituosas que as culpam, porque tem medo dos maridos e muitos desses maridos acham que nos consultórios elas serão "acalmadas" e que vão parar de encher o saco deles com "frescuras", por isso que permitem que elas frequentem, porque se não jamais deixariam. Muitos homens machistas estão morrendo e enlouquecendo sozinhos até cometerem crimes porque acham que em toda sua arrogância que eles estão acima de tudo certos em tudo, que tudo é culpa das mulheres.

A psicologia e a psiquiatria se desenvolveram a partir do sec XX nas grandes metrópoles da Europa e EUA e tinham como pacientes pessoas ricas tanto homens quanto mulheres e mesmo assim tinham alguns com preconceitos ainda e não nas zonas rurais e de classes mais baixas da América latina.

Anônimo disse...

Na Idade Média, mulheres que nasciam pobres trabalhavam como escravas nos campos e nos palácios servindo as rainhas, duquesas, condessas, etc. que tiveram a sorte de nascerem em famílias ricas e com títulos e de serem oferecidas, praticamente vendidas para se casarem com homens ricos e com títulos também. Para os mascus as mulheres pobres de antigamente não contam como mulheres. Tinham as mulheres pobres que sofriam abusos, eram violentadas, expulsas de casa e iriam parar justamente nos prostíbulos porque não tinham pra onde ir, não podiam trabalhar e como estavam desonradas, não conseguiam um casamento. Os filhos que elas tinham como consequência de estupros sofriam preconceitos também. Então aparece um sujeito desses falando que era tudo lindo e maravilhoso e que mulheres heroínas tinha que ser prostitutas para o "equilíbrio social". Mascus ridículos.

Anônimo disse...

E Danilo continua andando e cagando no blog, cada vez assumindo mais a mascuzice.
Então uma mulher pra se preocupar com feminismo ou é velha ou infeliz?
Que original hein? Lááá no tempo das sufragetes elas já ouviam isso.
Qual é a próxima? Falar que é falta de sexo?
Bocejos pra vc.

Anônimo disse...

anonimo 16:47

E voce ainda paga pra ter HBO(canal de objetificaçao de mulheres) em sua casa?é muito auto-masoquismo

Danilo... "aeghavitabkoik" disse...

"Danilo fica aqui no blog repetindo chavão mascu achando que tá falando algo inédito ou que vai trazer a luz pra alguém daqui. Aí tenta um aqui, tenta outra aqui.
Essa "nova" dele agora das mulheres infelizes por causa do feminismo"


Resposta: Quem disse que estou botando culpa no feminismo por causa da infelicidade das mulheres novas nos dias de hoje? Para entender a infelicidade feminina nos tempos atuais vai muito além de um movimento político sem poder algum. Fala sério, achar que a mulher nova é infeliz por causa do feminismo pode ser argumentos desses guerreiros de um real.

Existe todo um arcabouço para compreender a infelicidade das mulheres (e dos homens também). E a chave inicial para este entendimento é o Secularismo. Não tem haver com feminismo.

Anônimo disse...

As mulheres que sonham em ser dondocas que não conseguem despertar nenhum interesse em um homem rico que queira sustenta-las são obrigadas a se contentarem com os mascus fracassados e depois colocam a culpam disso tudo no feminismo? Não tem homem rico pra todas não, nunca teve, nem ontem e nem hoje. Muito antes de sonhar em existir feminismo a maioria das mulheres sobravam na merda e não tinham uma vida de luxo, mimos e glamour de contos de fadas com príncipes encantados não.

Anônimo disse...

Eu soh uma mulher a beira de um ataque físico e psicológico por estar em um relacionamento machista. Tenho 30 anos, três filhos por que era o meu maior sonho ser mãe, sempre trabalhei, fui independente mas não fiz curso superior pq na hora de escolher carreira e maternidade, escolhi o segundo, encontrei um companheiro q compartilhava das minhas ideias, queria muito uma família pq nunca ter tido uma estruturada, embarcamos no nosso sonho lindo e com pouca grana, perrengues, escolhas mas sempre jungos e felizes, nosso filho era nosso principal tesouro. Nossa vida financeira melhorou, compramos nossa casa e carro e a partir daí Lola omachismo cada dia só cresceu, as saídas viraram motivo de stress, compras coisas q antes eu ia de ônibus e andava todas as lojas, experimentava tudo e depois decidia o q levava, agora é correndo, de olho na hora do estacionamento, da hora do hush... Minha vida ficou monitorada, antes ia visitar uma tia sem dia pra voltar agora tem q almoçar calada pq se conversar demora muito e chega a hora de ir embora e não comi, Lola isso foi difícil de identificar pq é mascarado de cuidado " pq vc vai pegar ônibus lotado se posso te levar". Não sei onde as coisas se perderam mas já penso em me separar só q ainda não tenho coragem, é difícil abrir mão do sonho de dividir a vida de alguém até a velhice... Decisão q envolve outras coisas pq trabalhamos juntos e não temho independência financeira sozinha e o padrão de vida dele tb cairia. Lembrando q sempre trabalhei, em casa com meus filhos mas sempre arrumei um jeito de tet uma renda
Cici

Anônimo disse...

Desculpa os erros, estou no celular rsrs
Cici

Anônimo disse...

Desde que o mundo é mundo a maioria das mulheres eram pobres e trabalhavam, então com feminista ou sem feminista, mulheres pobres sempre precisavam trabalhar. Não adianta culpar as feministas por sempre haver mais pessoas pobres dos que ricas. Esses mascus vivem reclamando que são pobres, então antigamente se eles fossem tão pobres como são agora eles também não teriam condições financeiras dar uma vida de luxo e ostentação para as donzelas de antigamente. Os mascus se casariam com mulheres pobres iguais a eles e que por conta da situação difícil principalmente se tivessem com muitos filhos pra sustentar essas mulheres dos mascus teriam que trabalhar de doméstica nas mansões das madames ou nas fábricas e até os filhos teriam que trabalhar também ainda crianças.

Desde quando os mascus lá se importam com a situação das mulheres muçulmanas? Só lembram delas para provocar as feministas.

Anônimo disse...

Sawl

PARA Anônimo ridículo das 19:01

Meu caro, se sua santa vozinha era feliz sendo chifrada e agredida por seu avô, que "bom" pra ela, mas, não queira cagar regras do que não sabe!!
A questão é que independente da mulher gostar ou não do feminismo hoje ela tem ESCOLHAS, coisa que ela não tinha antigamente.
Não há nada errado em ser dona de casa, e nem há nada errado em trabalhar, mas, no tempo de nossas avós, a segunda opção era quase impossível!
Sim, mesmo com o feminismo algumas mulheres são infelizes assim como alguns homens são infelizes, mas, quer saber o feminismo não tem NADA A VER COM ISSO!!
O ser humano é complexo demais pra vc tentar botar a culpa em um movimento que foi(e é) tão importante pra garantir a cidadania das mulheres, que as retirou do status de: "objeto de cama e mesa", "animal de estimação", etc, pro status de CIDADÃ!
Sim, estamos longe da "salvação" e pretendemos apenas criar outros caminhos, mas, a "salvação" a própria pessoa(independente do sexo) é que ESCOLHE!
Quanto ao "chupa essa", pra vc mandar mulheres "chuparem" é porque "chupar" deve ser teu hobby né querido enrustido?

Sawl - Always the rebel

Anônimo disse...

Não sei de casos de agressão seja de que tipo for que minha avó tenha sofrido, pois meus avós se amavam bastante. Pelo menos é o que parecia, inclusive ele morreu por não lidar bem com a morte dela.
Porém meu avô era da marinha e por conta disso vivia viajando sem parar. Ficava meses fora de casa e uma desses viagens, foi pra Manaus e lá tirou mts fotos. Só que não sei bem o que houve, mas minha avó achou que ele a traiu com prostituas de lá e por isso rasgou as fotos. Só não rasgou tudo pq minha mãe escondeu. Não sei se minha avó viu novamente tais fotos escondidas(dela), só sei que vi há um tempinho.
Mas não entendi bem do pq desse ataque de ciúmes dela e se ela sentia isso toda vez que ele viajava. Porém penso como é que meu avô nascido em 1912, numa época machista no meio de um povo bem machista, numa profissão machista em que ficava dias e mais dias longe da esposa não teria, talvez, sofrido pressão de ir atrás de outras mulheres prostitutas ou não com ou sem a vontade dele.
E numa dessas viagens a trabalho ele ficou 2 anos morando nos EUA com a tripulação dele. Será que lá nos anos 40/50/60 em que ele tava na ativa, não tenha se envolvido com outras? Será que convivendo num meio cheio de machismo ficaria tanto tempo sem outras? Só pq minha avó tava longe?
Esses dias uma tia disse uma vez comentou que sente orgulho do meu avô pq ele nunca traiu minha avó enquanto esteve nos EUA. Mas como ela tem certeza disso? Não tem. E que raios de orgulho é esse? Ainda mais vindo de uma tia que nunca se casou, registrou o filho sem o nome do pai, mas que ainda acredita que casamento é sinônimo de fidelidade, amor e felicidade eterna. Alguém iludida?
Ou seja, devo ter parentes americanos ou de outras nacionalidades e nem faço ideia. Como saber? Ele pode não ter mesmo traído, mas acho eu que a chance dele ter ficado quieto é minima de acordo com o meio em que estava inserido.

Anônimo disse...

Minha avó não teve um marido ruim. Meu avô era uma pessoa ótima, e super carinhosos e cuidadoso.
Mesmo assim ela ensinou para as três filhas que ter seu próprio dinheiro era a coisa mais importante para elas terem liberdade na vida.
Minha mãe conta que quando ela e minha tia começaram a trabalhar, passaram a dar um "salário" para a minha vó e ela disse que era a primeira vez que não pedia autorização para ninguém para comprar as próprias calcinhas.

Anônimo disse...

"O fim da prostituição interfere negativamente na sociedade e destrói a sanidade do homem ocidental"

Se preocupa não que nós vamos liberar a punheta. Até a segunda ordem.
Vai ficar tudo bem.

Anônimo disse...

"mesmo com o "glorioso" feminismo ,algumas mulheres ainda são infelizes.
chupa essa,vcs estão longe de serem a salvação do mundo."

O feminismo ainda não alcançou todas as suas demandas. Não reparou não?
E mesmo quando alcançar e o feminismo não for mais necessário mulheres ainda não serão felizes 100% do tempo. Não me faça ter de explicar o porquê.

Espero que tenha te ajudado explicando o óbvio.

Anônimo disse...

Para revoltadinha,seus argumentos são nulos "n venha cagar regra n que n sabe" e vc afirma que minha avó apanhava do meu avô kkkkk n sabia que eramos parentes para afirmar algo com tanta certeza.
E me engana que eu gosto,que vcs n veem nada de errada e respeitam donas de casa.
E na mais completa falta de argumentos questiona minha sexualidade,tentando ofender de alguma forma,n são vcs que lutam pelos gays?
Eu n culpei o feminismo pela infelicidade alheia,já vcs jogam a culpa de tudo no machismo,

Anônimo disse...

" não éramos felizes "
então nenhuma Mulher antigamente era feliz. Então pelo jeito todas as mulheres hoje em dia são felizes ?

Anônimo disse...

Tão óbvio que não soube explicar do mesmo jeito!

Anônimo disse...

Anon 16:47

Estava mudando de canal outro dia e acabei assistindo a alguns episódios desse programa, fiquei impressionada é ridículo, super estereotipado. Eu ficava vendo chocada, não acreditando que aquilo era sério...

Anônimo disse...

O feminismo nunca chegou a se colocar como salvação de tudo no mundo. Como falaram o ser humano é muito complexo e sempre vai estar querendo muitas e muitas coisas.

Medonho também foi o sujeito defender que um grupo de mulheres azaradas sendo entregues a prostituição sendo forçada a ceder seu corpo para brutamontes psicopatas descarregarem suas pulsões assassinas e assim manter a "sanidade" do homem ocidental só porque isso era dito na Idade Média, olha só isso mesmo, na Idade Média. Enquanto uma pequena minoria de mulheres sortudas eram beneficiadas ao serem vendidas a casamentos arranjados com senhores feudais, barões e viscondes. Depois um crápula desses diz que a vida de todas as mulheres naquela época era perfeita, pura, fofa e romântica. Isso foi muito nojento.

Mallagueta Pepper disse...

Eu sei que estou perdendo meu tempo, porque essas pessoas querem apenas atacar e difamar o feminismo, não querem debater e questionar seus próprios pontos de vista. Mas pode haver outras pessoas acompanhando esse debate que talvez estejam interessadas em aprender algo. É mais pra elas que eu falo.

Mentalidade típica de masCuzinho: "ain, as mulheres já conquistaram seus direitos, podem votar, trabalhar, transar com quem quiserem, por que as feministas estão reclamando, tudo está lindo, perfeito, maravilhoso, nhenhenhe". Bem... dizem que cada pessoa enxerga o que acha conveniente. Pra quem prefere achar que o mundo está perfeito pras mulheres, não posso fazer nada. Seja feliz dentro da sua bolha cor de rosa e não enche o saco.

Mas pra quem tem essa questão em mente e se interessa de fato em saber a resposta, digo o seguinte:

Uma coisa é existir leis no papel garantindo os direitos das mulheres. Outra coisa é essas leis serem aplicadas na vida quotidiana como devem. As leis mudaram, mas a cultura e a mentalidade das pessoas não está acompanhando no mesmo ritmo. Logo, o sexismo existe e está escancarado em todos os lugares.

Por que existem mulheres infelizes? Porque ainda existe machismo e misoginia. Essa mulher é constantemente assediada, desrespeitada, tratada como objeto sem vontade própria. Existe a cobrança constante pra ela ser uma mulher maravilha, dar conta de milhares de tarefas e ainda se manter eternamente jovem, linda e sarada. Ela tem que ser magra, "porque homem não gosta de mulher gorda", depilada, "porque homem não quer mulher peluda", tem sua vida sexual vigiada constantemente e não tem sequer o direito de ir e vir garantido pela nossa constituição, porque não pode andar na rua mais tarde sem o medo constante de, além de ser assaltada, ser estuprada tb.

Teoricamente a mulher pode ter quantos parceiros quiser. Mas na prática, no mundo real, ela será julgada, rotulada de vagabunda e sofrerá rejeição e condenações das outras pessoas.
Teoricamente a mulher pode trabalhar fora, mas na prática ganhará menos e ainda terá que enfrentar dupla ou tripla jornada de trabalho.
Teoricamente a mulher tem direitos, mas na prática a lei não é aplicada como se deve. Na prática, fora do mundinho perfeito dos masCuzinhos e demais pessoas alienadas, existe o machismo que agride e mata todos os dias.

E mesmo que a mulher tente se encaixar no que a sociedade espera dela, isso não é garantia de felicidade porque essa mulher estará abrindo mão da sua individualidade, autonomia e do direito de ser dona do seu corpo. Ninguém consegue vender sua alma por tão pouco e permanecer feliz para sempre.

Anônimo disse...

Danilo e anon das 19:01,eu faço terapia porque, quando eu era criança, um bando de babacas que como vocês achavam que tinham todo o direito de agredir e excluir as pessoas que não lhe agradam se juntou pra fazer bullying contra mim, todo santo dia que eu ia pra escola, a todo momento em que pudessem falar suas barbaridades sem que ninguém repreendesse (ou seja, qualquer hora pq os professores não faziam nada), e me causaram fobia social. Que agora eu tenho que tratar pra não atrapalhar minha vida na faculdade e no trabalho. Ou seja, sou infeliz por causa de machismo SIM, porque é o machismo quem ensina aos homens que eles tem todo o direito de agredir, ridicularizar e excluir alguém pra 'endireitar' essa pessoa (traduzindo: encaixá-la no padrão que acham o correto.) Ah, e antes que vocês digam que não teve machismo nisso, teve sim, porque NENHUMA menina cometia bullying contra mim. Nenhuma. Aliás, as poucas amizades que tive na época da escola foram todas com meninas. Então, vão tomar mingau e parem de dizer quais são os problemas dos outros.

P.S. especial pro Danilo: prostituta é gente e merece respeito, babaca. Quer um brinquedinho pra esvaziar o saco, compra um monte de bonecas infláveis e faz um bordel de plástico. Ou morra de tanto bater p##eta, que é o que você merece.

Mallagueta Pepper disse...

Mas apesar de ainda termos todos esses problemas com machismo e misoginia, somos mais felizes hoje porque antigamente as coisas eram ainda piores.

Não, o machismo não acabou e ainda está longe de acabar, mas aos poucos ele está sendo combatido. Uma luta aqui, uma conquista ali, vamos avançando aos poucos. Um passo de cada vez. Então, apesar de a situação estar longe do que consideramos ideal ( ou seja: mulher ser vista como um ser humano digno e completo, não um ser inferior), as coisas eram muito piores antigamente porque nossas avós e bisavós não podiam fazer nem metade do que fazemos hoje.

E nossas bisnetas poderão fazer mais do que nós fazemos atualmente. É assim que a humanidade evolui. Os masCuzinhos que aprendam a lidar com isso ou se matem de uma vez. Eles não farão falta nenhuma pra ninguem.

Lidia Helena disse...

Não entendo o que o Danilo e essas pessoas anônimas que são contra o feminismo (ou seria uma só?) fazem nesse blog!
Por exemplo, eu não gosto de blog de moda, então eu não entro lá!! Eu não leio, não fico colocando "Respostas" em todo post, muito menos criticando e escrevendo besteiras. Por que vocês não procuram blogs que tem mais semelhanças com o pensamento de vocês? Todo post é a mesma coisa! Para o Danilo, não existe feminista de verdade, feminista casada, feminista mãe... e agora feminista nova e feliz!
Gente, ele quer atenção!! E está conseguindo, a Lola já até escreveu um post baseado numa bobagem dele!
Vamos parar de ler, de responder e ignorar tudo o que essa gente escreve?

Maria Fernanda Lamim disse...

wow! meu comentário tá no post da Lola! galvao , filma eu! rsrsrs
btw, mmuito bom ler os coments sobre o assunto. de fato a vida das mulheres melhorou bastante nas últimas décadas mesmo estando ainda longe do ideal.

Camila Gois disse...

Na minha família eu vi os dois lados. A minha avó materna era casada com um machista, que não deixava ela trabalhar fora, teve 9 filhos, uma vida muito difícil e morreu super nova. A minha avó paterna, era gerente de banco, casada com um homem bom, era feliz, teve 3 filhos e uma vida muito boa. Essa avó paterna tem 90 anos e só pensa em viajar, ir ao teatro, fazer caminhadas...
Ela foi uma exceção, foi uma mulher muito sortuda.
Não sei como alguém pode achar que a vida das mulheres não é MUITO melhor hoje.
Não acho que todos os problemas das mulheres é culpa do machismo, o anônimo que diz isso em todo post está muito enganado de achar que todas as feministas pensam assim. Já tive depressão (pela morte de um ente querido), fiz tratamento psicológico, e o machismo não teve nada haver com isso.
Claro que o feminismo ajuda muitas mulheres á serem mais felizes, é só ler alguns guest posts daqui... mas, não é a solução de todos os problemas do mundo!
Ah, e o Danilo vai dizer novamente que não existo... sou feminista nova e feliz!!

Anônimo disse...

Para Cici de 22:00:

Compreendo sua situação, passei por algo parecido na transição de namoro para casamento.
Meu primeiro ano de casamento foi terrível, infeliz, eu não podia ir no mercadinho em frente de casa que quando marido chegava ele reclamava, brigava, dizia que era perigoso e que eu devia ter esperado por ele para ir junto...
Mas aprendi a me expressar, primeiro em formas de grito e xingos (ok, não recomendo, mas no meu caso, aprender a mandar o outro tomar no * deu certo, rs), depois do susto consegui espaço para um diálogo mais aberto e calmo.
Sabe, não é só vc que tem que pesar largar a mão desse sonho, vc deve conversar com ele e deixá-lo ciente que essa decisão tb vai recair sobre a vida dele, o sonho dele.
Tem que fazer desse momento não passar de um episódio na história de vcs.
E só o diálogo vai permitir isso... pode ser que num primeiro momento isso gere um conflito danado entre vcs, mas, com paciência, sabedoria e sorte, é possível superar.
Se o diálogo não for capaz de mudar a situação, ela pode ser resolvida por outros meios.

Anônimo disse...

Mascus são assim, acham que mulher é só um buraco para "esvaziar o saco", esses ogros queriam decidir quem tem direito de ser "princesa" ou de ser "prostituta", esse é o mundo perfeito deles onde todas são felizes.

Lucas Pin disse...

Quando um mascu chato comenta nós temos 2 opções:

1 - Ignorar e ele não volta mais
2 - Ficar respondendo aos comentários sem lógica e sem fundamento e que nunca passam de um incrível mimimi e frustração o que desvia o foco do debate e causa transtorno a muitas pessoas.

Vamos passar a fazer o 1 é mais lecal :)

Camila Gois disse...

Lola, estou rindo até agora do post das "Uniões Cármicas", acho que é o mais engraçado que já li!

... "O homem ideal, modelado segundo os nossos objetivos, fala pouco e de forma acertada. Usa um tom de voz grave e imperativo. […] Olha nos olhos repentinamente, de forma fixa e firme. […] Não é um palhaço. Não é engraçado. Não ri com frequência: apenas sorri levemente de vez em quando. Quando finalmente ri, sua gargalhada parece ter algo de estranho."

hahahahahahahahahahhahahahahahahahahahaahahhahahahhaahahahahahahahah

Camila Gois disse...

Concordo com a Lidia e o Lucas Pin!!

Tb acho que devemos passar a fazer o 1 :)

Adorei as opções!!

Anônimo disse...

anon de 09:37,bullying é machismo,só homem faz? kkkkkk
já que vc n sofreu bullying por parte das meninas,então quer dizer que as santas mulheres n infernizam os outros,n acham que tem direito de ridicularizar e humilhar terceiros?
tb sofri bullying e tenho certeza que tinha uma mulher, pobre vítima do patriarcado no meio,rindo da minha cara e me xingando,junto com os outros babacas.

e qual o problema de ler esse blog? vcs odeiam os tais mascus mas sabem muito da vida deles,fazem posts sobre eles,adoram falar deles e dizer que qualquer um que discorde de vcs é mascu.
cadê a coerência?

Anônimo disse...

Obrigada Lola, por postar meu comentário! Quisera eu contar uma história diferente dessa, mas espero que alguém consiga!

Freda

Suzana disse...

Hoje em dia temos mais direitos mas achei o post tendencioso,querem afirmar que a vida da mulher antes era um inferno e que a maioria era infeliz,não tem como afirmar isso baseado só nó que sua própria avó passou.
Porque se for assim,eu deveria achar que a vida de todas foi um mar de rosas,meus avós se davam muito bem,ela gostava de ser dona de casa,raramente brigavam.

Uma coisa que me irrita é a santificação que algumas fazem das mulheres,como se não houvesse uma mulher que fosse nojenta ou mau caráter.
Para anon que disse que mulher não comete bullying,pois eu fui muito zuada por meninas puras e boazinhas na escola,por meninos também.
Eu era gorda,eles magros,então para eles,tinham todo o direito de me humilhar.
Bullying não tem a ver com machismo,tem dó! São pessoas nojentas,que tem prazer em ridicularizar os outros.

Anônimo disse...

Oi trollzin de estimação das 12:45, eu sabia que você ia voltar. Bom, vamos lá: Eu estou falando da MINHA experiência, mané, e eu não tive nenhuma bullie do sexo feminino. Elas existem, mas eu não tive. Só homens. E o bullying feito comigo envolvia machismo. Primeiro pq os caras acharam que tinham o direito de me julgar pelos padrões deles e expressar seu desagrado por eu não ser como eles queriam-a mesma coisa que os vagabundos que 'cantam na rua' e amaçam a mulher qdo recebem a resposta que merecem fazem. E o bullying era baseado e motivado em coisas que os machistas se importam. Meu cabelo não alisado, minha roupa que não tinha o 'estilo' que eles gostavam. O fato de eu não usar brincos, maquiagem, nem perfumes. O meu jeito 'pouco feminino' de ser. Me chamavam de fedida, de piolhenta, de feia, de sapatão (pq eu não me interessava por eles e não queria namorar), ah, e quando entrei no ensino médio, todas as agressões agora tinham conotação sexual também. E isso não é machismo? Agora me diga em que parte eu canonizei mulheres, seu analfabeto funcional. Falei de MIM, da minha experiência com bullying, q foi feito por homens e motivado por machismo. Ponto.

E Suzana, eu não disse que mulher não cometia bullying. Faça o favor de não botar palavras na minha boca. Eu disse que o bullying que EU sofri não foi feito por mulheres, mas por homens, e por motivos completamente machistas como eu já detalhei ali em cima: não estar interessada em namoro, não gostar de coisas 'de menina' (tipo papel de carta, trocar bilhetes na aula, pulseirinhas, fofoca) e não ser 'feminina' o suficiente pra eles (não alisar cabelo, não usar maquiagem, brinco, nem perfume). Um pouco pela minha personalidade também, de estar sempre quietinha e preferir ler um livro a fazer bagunça, mas qualquer que fosse a motivação as agressões eram sempre de cunho machista. E eu nunca tive nenhuma bullie do sexo feminino. Leia de novo o meu comentário e você vai ver que eu não estou dizendo que mulher não faz bullying, mas que eu só sofri por parte dos homens, e por causa de machismo. Esse comentário foi em resposta ao Danilo, que disse que machismo não leva mulher pra terapia e, no meu caso foi exatamente o que aconteceu. Aliás, Suzana, o bullying que você sofreu provavelmente tbm foi causado por machismo, pela cobrança machista pelo corpo 'perfeito'. Mulheres tbm podem ser machistas.

Camila Gois disse...

A anon de 09:37 não disse que meninas não comentem bullyng, ela disse que não cometeram com ELA. No caso dela, pode ter sido só meninos por motivos machistas, não é impossível de acontecer.
Eu já sofri muito bullyng tb, mas sempre só por meninas. Como a Suzana disse, eram pessoas malvadas que sentiam prazer em ridicularizar outras pessoas. No meu caso, não tinha nada de machismo, elas inventavam mentiras ao meu respeito e se divertiam com isso. Sempre me senti muito mais a vontade com os meninos, eu achava que com eles eu não precisava me preocupar com o cabelo, roupa, maquiagem... eles não reparavam nessas coisas e eu podia ser eu mesma. Mas, essa é a minha experiência, com certeza outras pessoas sentiam o oposto.

Camila Gois disse...

@ anon 14:28
Sinto muito por tudo que fizeram contigo, tinha uma amiga que passou pela mesma coisa, igualzinho. Hoje, que ela é bem sucedida e mora no exterior, esses mesmos babacas ficam curtindo postagens dela no facebook e escrevendo "linda" nas fotos. Se eu fossse ela nem adicionado tinha...rs. Nós postamos os comentários acima praticamente juntas, então só o li o que escreveu depois que já tinha escrito tb.

Danilo... "aeghavitabkoik" disse...

"Não, o machismo não acabou e ainda está longe de acabar,"


Resposta: O machismo nunca vai acabar. Assim como todos os preconceitos gerais. Encare a realidade como deve ser encarada e não ficar chorando sonhando com uma sociedade de caprichos feministas. A realidade é imutável e irreversível.

Anônimo disse...

De boa, Camila, acontece. Eu mesma cortei qualquer relação com as pessoas da escola, nem sei se eles estão vivos hoje. O triste é que só agora eu sei que eles eram um bando de babacas e se acontecesse de novo eu saberia exatamente como reagir e responder, mas na época eu era uma criança bobinha que sempre foi aceita pelos amigos como era. Doeu muito. E só pra fazer mais raiva ao Danilo e aos mascus, foi umA colega que me ensinou exatamente como dar um chega pra lá nos babacas nos meus últimos anos na escola, hehe... não tinha bullie que mexesse com ela...

Danilo "aeghavitabkoik" disse...

"Lola, estou rindo até agora do post das "Uniões Cármicas", acho que é o mais engraçado que já li!

Resposta: Nessahann Alita é meio viajante e fala umas coisas meio doida mesmo. Sobre as "larvas" que ele tinha dito não era em relação ao sexo vaginal e sim o sexo anal. Segundo ele, o semên masculino inserido no anus da mulher se misturava com as fezes dela e, em consequência disto, produzindo a União Cármica, haha.

No ask.fm dele; um sujeito perguntou pra ele o que ele achou da Copa do Mundo no Brasil. Ele disse o seguinte: Não achei nada, eu estava meditando na floresta no período da copa. kkkkk.

Suzana disse...

Entendi errado,foi mal,mas ainda acho que isso nada tem a ver com machismo.
Quem faz isso usa qualquer coisa para infernizar os outros,é porque é pobre,é gordo,não se veste do jeito que os infelizes querem,é tímido,alto demais,baixo,usa óculos,é nerd,ateu,emo,qualquer merda serve.
Se você se comportasse como "mulher de verdade" como os babacas queriam,achariam outra coisa para te ridicularizar.
São pessoas nojentas,que fazem isso por prazer,para se sentirem melhores pisando nos outros.

Anônimo disse...

Tudo bem, Suzana, acontece. Quanto ao machismo no bullying, é, nem sempre aparece, mas em alguns casos está lá mesmo. No meu caso eu fui agredida por não me encaixar em padrões machistas de como eu 'devia ser' por ter nascido menina; você também não estava nesse padrão, pode ter rolado um machismo aí...e qualquer agressão que envolva conotação sexual é machista. Mas o importante agora é lutar pra superar esses anos horríveis e seguir em frente. Acho que o melhor jeito de acabar com o bullying é ensinando as crianças desde pequenas que o diferente é normal e deve ser respeitado.

Camila Gois disse...

Danilo, é muita bondade sua chama-lo de meio viajante...rsrsrs
Então é verdade que ele está na floresta?! hahahahahaha
Você leu o post? Olha essa parte:

"P: Quando elas flertam conosco é bom flertar de volta (olhando pra ela) ou isso é um sinal de fracasso, e deveriamos nem dar bola?
Nessahan: Vc deve olhar de forma quase atemorizante dentro dos olhos dela e dizer um "oi". "

hahahahhahahahahahahahhahahahahaahhahahahahaha


Agora que você me lembrou vou rir por mais duas horas seguidas...kkk

Anônimo disse...

Normalidaderealidade, o relato da avó da sua amiga (a que teve orgasmo depois dos 60 anos) me emocionou. Que legal isso!

Lidia Helena e Lucas Pin, concordo 100% com vocês. Não tem por que dar platéia pra quem só tumultua e não agrega nada às discussões.

ANA

Anônimo disse...

Anon, 1:47, não vou ficar filosofando sobre o conceito de felicidade e o que faz as pessoas felizes, ok?
Mas ter liberdade, autonomia, possibilidade de escolha traz felicidade porque são coisas boas e se você não tem isso e passa a ter consegue dar muito mais valor também.
Pronto, te expliquei como faria com uma criança.

Anônimo disse...

Machismo vai acabar sim, os privilégios masculinos vão cair um a um. Mas preconceito contra gente como você não precisa acabar. E não adianta bater o pezinho.

Anônimo disse...

Diz pra sua cunhada de 27 anos que para os machistas ela já está ficando passada e já é considerada uma pré-balzaca e que só vai ter chance com os homens ricos acima de 54 anos e isso se ela tiver com tudo em cima pra eles, se não já era.

Anônimo disse...

É, a realidade é tão imutável e irreversível que negros continuam sendo escravos, mulheres ainda não podem votar nem ter propriedades em seu nome, gays não podem ter união reconhecida, ainda andamos em carroça e fazemos uga uga uns pros outros.
Quanto mais o outro lá mostra o que realmente pensa, mais o nível dos comentários cai beirando o ridículo.
Melhor mesmo fazer como outras pessoas já comentaram, melhor pular certos comentários e nem se dar ao trabalho de ficar respondendo tanta bobagem. É pura perda de tempo.

Anônimo disse...

Eu só não entendo um fã assumido do Alita, seguidor de mascus, ter tanto espaço aqui no blog. Só se a Lola se diverte com as lavadas e passa foras que ele toma.
O requisito é só não ofender ninguém? Ofender a nossa inteligência com tanta bobagem não é ofensa? rs

Bianca disse...

Voce ainda é jovem. Pode fazer uma graduação ou curso tecnico. Seja feliz e livre

Anônimo disse...

Acho que esse Danilo é o mesmo mala que comenta lá no Carta Capital.

Joane Farias Nogueira disse...

Se vc nao sente empatia por essas mulheres e se nao acha q a luta feminina valha a pena por causa da hipocrisia feminista , entao, vc e pior que as hipocritas q condena. Se as mulheres se afastam da luta por isso, entao sao tao burras quanto vc.

Joane Farias Nogueira disse...

Soumadesculpapradisseminarmarxismo...kkkkkkk

Joane Farias Nogueira disse...

Acho a prostituicao o maior desaforo feito à mulher. Homens nao podem receber um nao. Entao se nao for bem ,vao ter nosso corpo pagando...

Joane Farias Nogueira disse...

Afirmacoes nao sao palpites,Danilo. Visto q toda sociedade é machista,toda ou a maioria massacrante das mulheres foi educada dessa forma e entrou em conflito consigo mesma por isso diversas vezes. Entao qual sera a propabilidade de mulheres estarem em psicologos por causa do conflito gerado entre o que se quer e o que se aprendeu que era certo querer? Alta, com certeza.

Joane Farias Nogueira disse...

Tai o motivo de eu ser contra prostituicao. E o q os homens pensam ,mulheres sao depositos p descarga de tensao. A dignidade feminina nao importa,so q interessa e usar o seu pintinho.

Joane Farias Nogueira disse...

Se desitiu de um movimento por causa de duas ou tres pessoas,isso é ruim pra vc,filho. Acredite ,sobreviveremos s sua presenca.

Joane Farias Nogueira disse...

Nao acredito que vc conheca alguma mulher ,ainda mais feliz, p afirma

Anônimo disse...

A lei do divórcio de fato é uma conquista feminista, não é a toa que é uma lei que, do jeito que está, só prejudica os homens. Paulo.

Anônimo disse...

Minha vo era beata de igreja, nao estudou porque meu bisavo disse que mulher nao precisa saber mais que ler e escrever e fazer umas continhas.

A mae dela, minha bisavo, se matou quando ela nasceu. Ate hoje descrevem como depressao mas eu desconfio que era pelo fato de ela ser uma menina e mae - 16 anos.

Ele abandonou a minha avo e deixou ela pras tias cuidarem, com quem ela criou lacos maternos. Com oito anos ela foi arrancada de casa pelo proprio pai, porque ele tinha casado e agora tinha alguem pra criar dela. Foi tirada das "maes" dela, mas gracas a bom Deus essa mulher criou a minha avo com todo o amor e carinho, e ela, mesmo com seus preconceitos e machismos tipicos de uma carola, foi uma mae excelente e ate hoje eh a pessoa mais tolerante e caridosa que eu conheco.

Meu avo nunca bateu na minha avo, apesar de eles terem discussoes de vez em quando, e ele tinha um genio forte.
Ee cuida dela hoje em dia, e nao imagino os dois separados, "se querem bem demais" que eles dizem.

A mae do meu avo era mae solteira. Minha avo me disse que nao davam emprego pra ela porque o pai do meu avo abandonou ela gravida do segundo filho. Por causa disso, ela trabalhava na lavoura, de sol a sol, e as pessoas maltratavam ela e a familia dela, o que instigou no meu avo um asco de qq tipo de intolerancia. Meu avo eh um homem doce e muito compreensivo, diz que tem tanto orgulho das netas quanto dos netos e nos apoia mesmo achando que estamos errados.

Nem todo mundo era infeliz no tempo da vovozinha, mas historias de machismo e preconcito estao ate nas familias felizes como a minha.

Daniela S.

Anônimo disse...

Então, que os homens pensem direito com que mulher vão se casar não é? ou não se casem, vai ser melhor tanto para as mulheres quanto para homens, menos violência doméstica.

Mariana disse...

Gostaria de dividir também a história da minha avó materna, ela é muito feliz e está junto com o meu avô até hoje, mas não por ter sido sustentada com conforto e sim por ter liberdade para crescer. Minha avó casou nova e teve poucos filhos para a época, quatro, quando os filhos tinham pouca idade ela foi pra capital do estado para fazer faculdade, o percurso era em média sete horas, os filhos ficaram com o marido por mais de um ano e as visitas eram pouquíssimas, ao terminar o curso minha avó foi trabalhar como diretora da escola local. A minha família sempre me deu bons exemplos em relação a educação, as famílias dos meus avós eram famílias pequenas e todos deram oportunidade para os filhos fazerem faculdade independentemente do sexo, minha mãe e meus tios e tias nunca interromperam os estudos nem pararam de trabalhar ao casa, a grande maioria fez faculdade e todos os meus primos, a maioria mulheres, vão seguir o mesmo caminho.
Considero a minha família e a minha avó materna pessoas felizes, por terem acesso a educação, trabalho e cada vez menos machismo. Da minha avó paterna não sei muito, ela morreu quando eu era pequena, mas sei que ela era muito ativa na comunidade dela, era professora e ajudava a todos que podia, hoje a biblioteca municipal tem o nome dessa minha avó!