sábado, 16 de agosto de 2014

GUEST POST: UM HOMEM UM POUQUINHO MELHOR

O T. me enviou este relato que me deixa muito feliz:

Faz tempo que ensaio isso, mas sei lá, na correria do dia a dia, e na minha timidez crônica, acabei sempre deixando isso pra depois...
Bem, te escrevo pra dizer um obrigado.
Acompanho seu blog há uns três anos, talvez até mais. Devo ter comentado, quando muito, umas duas ou três vezes. Comprei seu delicioso livro!
Eu não lembro bem como "caí" no seu blog. Acho que foi lendo o Alex Castro. Não tenho certeza, já faz tempo mesmo... Mas enfim, o fato é que você mudou muito a minha forma de pensar, minha forma de agir, enfim, mudou muito a minha forma de ver o mundo.
Nunca fui um mascu. Mas muito menos era feminista. Muito menos mesmo. Lembro de na minha adolescência ter aprontado muito. Lembro de passar a mão em mulheres, mexer com mulheres na rua.
Particularmente me lembro de certa vez, pegando uma carona com os pais de um amigo meu, eu aproveitei a "oportunidade" e passei a mão na perna da irmã do meu amigo que ia comigo no banco de trás. Eu tinha uns 16 anos, ela, uns 15. Ela não falou nada, mas dava pra ver sua cara de susto.
Os anos se passaram e esse "assunto" foi embora da minha memória. Nem tinha por que me lembrar, afinal, na minha cabeça eu não tinha feito nada de errado. Tudo absolutamente normal, dentro do comportamento de "macho".
Enfim, muitos anos se passaram desde esse vergonhoso dia.
Acho que comecei a ter a mente mais aberta nos anos de faculdade, comecei a frequentar alguns debates, a conversar com pessoas de outras formações (sou químico, mas sempre tive amigos nas áreas de humanidades com quem mantenho contato até hoje).
Foi nessa época que conheci seu blog. No começo achava muito "forçado". Mas de tanto ler tantas histórias de horror que você publica no blog, depois de ler tantos depoimentos tristes e corajosos, comecei a ficar incomodado com o machismo e suas consequências.
E num dos seus textos, nem sei qual (ou talvez tenham sido vários), lembro de você escrever de uma forma como se desafiasse os homens a reconhecer o machismo, e a tomar atitudes honestas contra ele.
Bem, aquilo de certa forma me pegou, falo honestamente. Comecei a meditar, e, principalmente, a pensar em atitudes machistas que eu possa ter tido no passado e que deveria mudar.
Foi quando eu me lembrei dessa história de passar a mão na perna da irmã do amigo. E percebi como ela se encaixa perfeitamente nos estereótipos de cultura do estupro que você tanto fala:
- Eu nunca havia me sentido atraído por aquela garota. Foi apenas uma questão de fazer porque sou homem, e tinha o poder de fazer aquilo.
- Aquilo para mim era algo normal, natural, que eu deveria fazer, deveria "aproveitar a oportunidade".
- Eu nunca senti (pelo menos até aquele dia que refleti com seu post) que eu havia feito algo de errado.
Cara, eu me senti muito mal mesmo quando me lembrei disso. Tive vontade de procurar a garota e pedir desculpas pra ela. O problema é que já faz uns 15 anos isso. E a coragem pra falar com ela nunca me veio...
Nunca pedi desculpas para ela. Mas acho que tentei mudar, e estou tentando cada vez mais a cada dia. Já reclamei de amigos que têm comportamento machista, e até me afastei de alguns por causa disso. Deixei de ter o comportamento típico de "macho a caça" quando saio com os amigos. Mudei minha postura e minha opinião com relação a relacionamentos, a baladas, enfim, passei a respeitar mais as mulheres.
Isso não é mais que a minha obrigação. E definitivamente não te escrevo para me vangloriar. Na verdade conto tudo isso na esperança de que você veja como seu blog é importante! Foi muito importante pra mim e tenho certeza que é muito importante pra várias pessoas que o lêem todos os dias!
Não é exagero quando digo: ler seu blog me fez uma pessoa um pouco melhor (infinitamente cheio de defeitos, mas um tiquinho melhor). 

95 comentários:

Aline XD disse...

As vezes me pego pensando nas diferentes vertentes do feminismo, no ativismo de internet, o feminismo acadêmico e o quanto essas linguagens são diferentes, o quanto não existe consenso.

Será que não existe uma forma de trazer o feminismo mais para o cotidiano?

Bom, a Lola tem conseguido!
:)

Ráisa Mendes disse...

Para conhecimento =)

http://www.ifes.edu.br/noticias/5193-premio-construindo-a-igualdade-de-genero-tem-inscricoes-abertas

fernanda melo disse...

até nós mulheres descobrimos muitas vezes que nossas próprias atitudes e pensamentos são fruto do contexto machista em que fomos criadas. Legal ver um homem admitir isso. Machismo tem cura

Arthur Aleks disse...

Gostei de ver a atitude dele. Acho que tenho o que atualmente pode ser considerado a enorme sorte de ter tido uma criação feminista, isto é, eu e minha irmã nunca fomos repreendidos por sujar roupas, minha irmã nunca foi culpabilizada pelo que outros fizeram e eu nunca fui instigado a ser "pegador" e, quando entrei na escola e vi pessoas com toda sorte de pensamentos preconceituosos, tive apenas aversāo por esse tipo de comportamento. Isso por diversas vezes me fez ser excluído, mas nunca tive pensamentos ou atos machistas ou misóginos, e li este bloguinho pela primeira vez aos oito. Sou um dos primeiros nascidos feministas no Brasil. Pronto, agora os mascus já podem me classificar com mais uma letra grega. Rs.

Anônimo disse...

Conte mais sobre o processo de passagem de achar que é exagero pra perceber que é realidade.
Aos amigos que mostro esse blog todos falam a mesma coisa "muito exagerado" e nunca mais me deixam indicar nenhum outro post, me conta ai qual foi o post mágico que te fez enxergar?

Anônimo disse...

Boa a história parece que está enraizado no comportamento do homem mesmo. O bom era que houvesse uma reeducação pois isso seria bom pra todos.

Enya Angelli Vladimir disse...

Eu leitora deste blog há quase 6 meses já, resolvi postar um comentário. Sou feminista desde dos meus 13 anos, hoje participo de muitos protestos contra ‘‘Mascus“ e o meu namorado também. Cada um tem a sua ideia, eu e meu namorado batemos contra o marchismo. A mãe dele sofreu muito com o pai, e a minha sogra foi morta pelo próprio pai dele. Hoje ele tem a mim e a fámilia, e eu entrei por ter um pai marchista. E aos Mascus eu deixo um recado.
‘‘Você precisa aprender a palavra RESPEITO a mulher que te colocou no mundo, e quando você chama uma mulher de vadia. Está a falar mal da sua mãe e irmã.‘‘

Anônimo disse...

Nossa que história a sua enya.

ADORADOR DE MULHER disse...

algo que os mascus não aceitam é a superioridade da fêmea na natureza. caso não saibam, em um feto ainda em formação, os testículos ficam exatamente na mesma posição que os ovários ficam. ou seja, por razoes biológicas eles "descem" e assim se torna "macho". há outras coisas, claro. mas isso é um dos fatores. pra existir reprodução, a natureza, ou Deus,(independente de suas crenças) fez, a partir da fêmea, o macho, e não o contrario como nos fazem crer. a capacidade de geração e reprodução está na fêmea, o macho é "inútil" para a natureza. eu só lamento o fato de que historicamente as mulheres não terem conseguido fazer uso de seu poder e de suas capacidades. e terem sido oprimidas durante séculos. soa grosseiro o que vou dizer, mas mulheres são capazes de transformar porra em gente. isso é fantástico, são mesmo deusas. as mais belas e incríveis coisas da natureza.

Mia Colucci disse...

Penso que a maioria dos homens brasileiros são homossexuais.
Eles pagam de machão mas a gente sabe que eles são...

Anônimo disse...

Quando o machista perceber que ele mesmo se oprime ele vai ver o quão burro ele era.

Mia Colucci disse...

Ele achou que fazer isso com a garota fazia dele mais homem, só faz mais babaca.

E não acho esse blog tendencioso vai no testosterona ler o edu viadão falar de sexo anal. Há esqueci que os brazucas gayzões adoram isso hahaha.

Anônimo disse...

mia colluci vc é a do tv foco?

André disse...

Idem.

Anônimo disse...

Não é necessário feminismo para se chegar a essas conclusões. Basta um pouco de bom senso.

Ao ler essas coisas aqui do blog, o homem que levar isso a sério vai se enxergar de uma maneira totalmente diferente do que provavelmente é, pois não é um conjunto de estereótipos como os que aparecem aqui que se define (ou se deveria definir) ninguém.

Muito do que aprendi veio de livros de teor reflexivo longe de qualquer dessas.. "idéias"...

BLH.

Expat Patronum disse...

Lola,
Fui com minha mãe e minha irmã para praia hoje, quando foi a hora de carregar as coisas do carro ela disse:
"Em canto onde tem homem, mulher não faz força!
e me fez carregar tudo sozinho.
O que eu devo dizer para ela?

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Lendo esse texto tive uma lembrança do cara em que dei o primeiro beijo no começo da minha adolescência, quando nem sabia direito o que era feminismo, machismo.
Eu não queria mais continuar ficando com ele, já tinha deixado claro, mas ele continuava me esperando no caminho da escola com a desculpa de me acompanhar até em casa e ficava o tempo todo insistindo, aproveitava toda a oportunidade pra ficar me abraçando, encostando em mim, mesmo contra minha vontade e na época eu não fazia nada porque não queria ser grosseira, sei lá, acho que achava que apesar daquela situação ser ruim, não reconhecia que era assédio. Lembro que passei a sentir nojo quando ele encostava em mim, mas não percebia que ele estava fazendo algo errado, na minha cabeça eu é que estaria fazendo algo errado se fosse mais firme, porque estaria sendo grosseira, então ia me desvencilhando como podia, tentando ir pra casa mais cedo pra ele não me encontrar, empurrava quando ele vinha me abraçar, tirava a mão dele de mim toda hora. A situação só parou quando comecei a ir embora com outras pessoas.

Anônimo disse...

Muito legal ver um homem desconstruir o seu machismo, vejo muitos rapazes jovens que tratam suas namoradas como se fosse nada e são incentivados pelos amigos a agirem assim, porque se não agir assim é tido como otário que é dominado pela mulher. Odeio isso.

Aline disse...

Expat Patronum,

Eu responderia que se todo mundo usou, todo mundo carrega ué! É a mesma coisa com a casa da gente, se todos sujam, todos devem limpar :)

Nathália Soares disse...

Adorei o guest post!

Seu blog é, realmente, muito importante. Desde o dia que o descobri acompanho diariamente e me identifico com muitas situações, achei tudo muito esclarecedor e acessível. Foi a minha porta de entrada para o feminismo. Que cada vez mais homens e mulheres possam se libertar das amarras do patriarcado. Machismo tem cura sim!

L. G. Alves disse...

Lola, mas que feminismo é esse que celebra a morte de todos os homens? https://www.facebook.com/gabriella.jude/posts/859754800701811 Eu fiquei agora de cara no chão diante dos meus amigos. Eu que defendo tanto o feminismo fiquei pasma e sem resposta.E pior que estão espalhando o que essas antas falaram para todo o face. https://www.facebook.com/GeniusaEsquerda/photos/a.528668120598721.1073741834.376812585784276/529951523803714/?type=1&theater

Danilo disse...

Resposta: Não é preciso mais do que 5 linhas para dizer que a mudança do homem é natural e progressiva. Existe a fase de revolta e radicalismo ainda mais quando o homem descobre coisas "desagradaveis" sobre as mulheres. Ou seja, quando o homem descobre que a donzela romântica apenas existe na cabeça dele e que as mulheres não são tão sensíveis quanto a literatura pinta o cara se revolta. A revolta é util mas ela precisa ser descontinuada, porque o objetivo da revolta é destruir fantasias ilusórias. O homem precisa digerir a verdade aos poucos. Os homens enlouquecem com a verdade sobre as mulheres porque eles têm contato com a verdade em excesso e a verdade em excesso intoxica. A revolta é útil mas ela precisa ser descontinuada, sem exagerar. A revolta é um processo de esclarecimento.

lola aronovich disse...

Sei lá que feminismo é esse, L. G. Alves... O meu não é. Mas por que dar tanta atenção pra opinião individual de uma pessoa que, pelo que sei (ok, a verdade é que não sei nada) não tem blog, tumblr, nada? É besteira achar que essa opinião é representativa de todas as feministas.
Minha hipótese é que antes, cerca de 2 anos atrás, por aí, essas feministas se comunicavam em comunidades fechadas no Orkut. Daí, ninguém via. Só que, com o fim próximo do Orkut, elas migraram pro Facebook, e lá o perfil ficou muito mais visível. Daí o pessoal antifeminista que quer provar que todas as feministas são odiadoras de homens printam essas coisas e fazem a festa.

Claudio disse...

Ao danilo sobre comentario da postagem anterior...

Eu sei que em alguns casos, só dinheiro não adianta, mas pelo menos tal homem que for rico passará ser visto como potencial "parceiro amoroso" para a maioria das mulheres (a culpa não é delas, pois o sistema quer que mulheres sejam interesseiras, assim muitos homens poderão "ascender" como "macho alfa").

Eu era parcialmente mascu, por acreditar que mulheres interesseiras eram assim por convicção, hoje sei que elas são assim por indução, desde então, hoje eu me considero um homem "femista", no meu mundo só existirá as mulheres a partir de hoje, além disso nessas eleições votarei apenas em mulher.

Luiza Original disse...

Pro Harry Potter ali, fala que ela tem duas mãos e dois braços, e que ela que carregue o que é dela, ora bolas.

Anônimo disse...

uuuh uzomi ta ficando melhorzinho, agora vai, o que seria de nós sem a misericórdia duzomi?!

Anônimo disse...

Mas por que dar tanta atenção pra opinião individual de uma pessoa que, pelo que sei (ok, a verdade é que não sei nada) não tem blog, tumblr, nada?
_
Dupla moral do KCT hem Lola, vc faz isto direto com os "mascus"

vivian disse...

Nossa.

Eu fico feliz pela mudança do rapaz, mas também me enchi de raiva.

Esses dias um conhecido ficou me agarrando no banco de trás de um carro. Eu tentava me desvencilhar, mas não queria ser grossa (maldita polidez desnecessária) pois ele era primo de outros amigos, que estavam dirigindo (e me dando carona após uma festa). Eu não queria ser grossa com ele para não ofender meus amigos. Claro que assim que cheguei em casa me arrependi de não ter ao menos gritado com o cara idiota que ficou me agarrando. Mas infelizmente na hora fiquei com medo de ser julgada pelos amigos. Da próxima vez não terei dúvidas sobre como agir. Muito embora reagir não impede que essas situações aconteçam (e o incômodo de acontecer), é bem melhor do que esta sensação de levar desaforo pra casa.

Enfim, o desabafo é que muitas mulheres vão se identificar com este ato que o rapaz do post cometeu. Vão se identificar como vítimas da agressão e podem sentir várias coisas.

Estou pensando se eu gostaria que o cara idiota viesse me pedir desculpas... eu acho que não, sinceramente, preferiria que ele sumisse da minha vida pra sempre e nunca mais aparecesse, e nem aparecesse pra nenhuma mulher. É inevitável sentir nojo e raiva, eu estava em uma situação completamente de submissão, não só física, mas também de ser a estranha na família etc, claro que é muito mais difícil alguém reagir nestas condições. É nojento pensar que alguém abusou desse poder, dá muita raiva, muita. Esta sensação de impotência é a PIOR do mundo.

Enfim. Não sei por que escrevo isto exatamente, acho que gostaria que o rapaz do post soubesse como a sua "vítima" pode estar se sentindo em relação a ele.

No fundo mesmo acho que não basta se "arrepender" dos pecados. Ou você trabalha para transformar este mundo num lugar de fato melhor (e de alguma forma compensar a m* feita), ou você estará apenas passando a mão na sua própria cabeça e tirando o corpo fora da mudança. O que você está fazendo para impedir que mais mulheres sejam vítimas?

Você é homem, você entende a cabeça dos homens, você tem um poder enorme com relação a qualquer outra mulher que fale sobre feminismo. COMO você está fazendo uso disso para tornar o mundo um lugar com menos machismo, concretamente falando?

Anônimo disse...

Caraca... deve ter mascu se contorcendo no chão ao ler isso (rsrs)!!!
É esse tipo de atitude que me dá um pouquinho de esperança que nem tudo no mundo está perdido.

Expat Patronum
Apenas diga que gente saudável que tem dois braços e duas pernas pode muito bem se virar e carregar cadeiras e guarda-sol - e que não tira pedaço de ninguém.

Raven Deschain disse...

Post muito bonitinho.

Credo Claudio e Danilo. Sério, na maior parte do tempo vcs me irritam, mas hoje me deram pena.

Que raios de pessoas conheceram a vida toda pra ter ESSA noção infeliz de mulher?

Vamos personalizar o debate e vou contar uma historinha pra vcs. Sem pôr no anon e isso vai requerer muita coragem. Quando eu tinha 18 anos, engravidei. Por ter me mudado de cidade muitas vezes (pai militar), eu estava atrasada no estudos. Tava no terceiro ano. E eu tava fodida! Digo, não tinha emprego, não tinha terminado sequer o colégio, minha mãe é doente, morava só com ela e meu irmão que não era muito mais velho na época. Daí surgiu esse cara, policial militar, não era riiiico, mas tinha um dinheiro. E esse cara tentou de tudo quanto é jeito ficar comigo. E pior: Dizia que se eu já tava nessa situação mesmo, a melhor saída pra mim era ficar com ele.

Pois bem, mandei ele a merda e ele nunca mais nem olhou na minha cara.

Detalhe: Esse cara é meu tio. De sangue.

E eu não fiquei com ele. Criei meu filho fodida e sozinha pq na boa, eu não ia depender de homem pra isso. Não depois de ver o que a minha mãe se fodeu. Meu filho tem 6 anos e é o pirralho mais lindo do mundo e eu espero sinceramente que ele não me veja da maneira que vcs vêem a mãe de vcs.

Mia Colucci disse...

Essa postagem é de uma misândrica mas se vocês não forem muito longe tem postangens de homens comemorando uma mulheres que foram mortas por estupro.

Rodrigo disse...

Me identifiquei com o sujeito do post, sinto exatamente a mesma coisa. Apesar de nunca ter "passado a mão", eu só não fazia isso por timidez, não por achar que era errado. Na verdade era justamente o contrário, eu me sentia mal porque não tinha a coragem dos meus colegas de escola, dos meus amigos, me sentia "menos homem", até que conheci o movimento feminista, comecei a pensar e a rever tudo isso. E você foi parte muito importante nisso, Lola. Comecei a ler você no Jornal A Notícia, quando você parou de escrever suas crônicas lá, comecei a acompanhar o blog, depois tomei gosto e hoje, sempre que posso, dou uma olhada aqui e em mais alguns. Como disse o autor do post, não passa de obrigação e não quero medalha por isso, mas fico feliz em saber que evoluí, fico feliz em saber que, hoje, sou pelo menos um "tiquinho melhor". E pretendo continuar melhorando.


Obrigado Lola!

Anônimo disse...

Concordo em parte com ADORADOR DE MULHER, mas não consigo acreditar que esse adorador seja um homem. Acredito que a cultura da inferiorização da mulher existe por causa da inveja masculina. O que pode ser considerado símbolo da inveja masculina é aquela antiga gravura de um homem em posição fetal dentro dum espermatozóide.

Sara disse...

T. Já disse isso pra Lola, mas vale dizer novamente, quem se dá ao trabalho de ler os posts publicados aqui (ainda que seja só pra criticar e zoar) como fazem muitos "mascus" querendo ou NÃO, acabam aprendendo alguma coisa de útil.
Assim como descreveu, quando se lê os guest-posts, é possível ver o outro lado da história, de como se sente uma mulher que tenha passado por situações onde o machismo provocou dor e sofrimento.
E homens que não deixam de ser humanos como nós mulheres, e possuidores de um mínimo de empatia e sentimentos, certamente acabem questionando o machismo tão naturalizado em nossa educação.
L G Alves tb eu tenho visto garotas q se dizem feministas com um discurso bem equivocado de ódio a todos os homens, embora eu entenda que a misandria faz mais sentido do q a misoginia, em virtude de q ainda há muitas mulheres oprimidas de forma terrível pelo machismo, não posso concordar com isso.
Sinceramente acho q essas garotas estão fazendo oposição ao feminismo até mais do q o próprio machismo, portanto embora eu aceite qualquer mulher que acredite na igualdade de direitos e respeito entre homens e mulheres, não apoio esses "supostos" grupos feministas, pq eles excluem a tudo e a todos.
Tb acredito muito mais em um feminismo inclusivo como o praticado pela Lola, pq só nossa união (inclusive de homens que nos apoiem)é que ira mudar o tom machista que ainda governa todas as sociedades humanas.

lola aronovich disse...

Linda história, Raven. Mas mascus só acreditam em um roteiro pré-fabricado: que todas as mulheres são interesseiras e querem casar com um cara rico. As mães solteiras, então, são tão desesperadas que buscam um provedor até num mototaxista, como ficou evidente no post de quarta. Mascus não acompanham mudanças. Eles não ficaram sabendo que hoje mulheres são quase a metade de toda a força de trabalho. Ou seja, mulheres têm sua própria renda, sustentam-se sozinhas, sustentam a família, apesar de ainda ganharem cerca de 30% menos que os homens. Mas, pros mascus, vivemos num universo alternativo em que todas as mulheres sonham em ser sustentadas por um homem.


Que legal, Rodrigo. Obrigada por me ler há tanto tempo.

lola aronovich disse...

Anon das 00:42, dupla moral uma ova. Onde que eu pego declarações de mascus? Nas páginas individuais deles no FB (como estão fazendo com essa moça e outras feministas radicais que não têm blog, tumblr, nada, só página pessoal em FB, ou twitter)? Acho que não -- eu nem tô no FB. Eu pego as besteiras misóginas que mascus falam de fóruns e blogs mascus. Entende a diferença? Não é uma opinião individual. É uma opinião de um grupo. Ou de alguém que quer ser lido (caso de mascus que têm blogs). Acho bem diferente de trocar asneiras com amigas na sua página pessoal no FB. As opiniões de um mascu num fórum são quase sempre as opiniões do grupo todo. Qualquer pessoa minimamente sensata que entra num blog mascu fica chocada com a distorção da realidade e com o ódio (às mulheres e aos homens que não são mascus). E as pessoas não ficam chocadas com uma ou outra opinião individual de um membro do fórum. É com a atmosfera geral.

Anônimo disse...

Lola definitivamente, vc não entende o Facebook,nem o poder social que ele tem hoje. Compara-lo ao form qualquer, deixa isto evidente, espere por outubro, e terá uma prova disto.

Débora disse...

Tenho prazer em ajudar minha mãe, carrego sacolas do mercado, subo em escada pra pegar a travessa, dirijo pra ela. Sabe, ela é mulher, eu TB, mas antes de ser mulher sou filha e adoro cuidar e ajudar quem me criou. Deixa de ser preguiçoso, rsrsrs. O q VC responde? Mãe, vou carregar tudo pq VC é minha mãe e sempre fez muito por mim. Agora me conta quem lava sua roupa? Quem cozinha na sua casa?

Alana Rios disse...

Lola, desculpe, mas dessa vez não consigo concordar com você não. Então devemos deixar pra lá a postagem dessa moça só porque não foi feita em blog/tumblr/forum e por não representar a opinião "majoritária" das feministas? Então se um sancto ou qualquer outro misógino aparecer no facebook, em uma postagem pública, discutindo com seus iguais atrocidades e desejando a morte de todas as mulheres nós também devemos deixar pra lá? Afinal, não é em um forum, e não é a opinião de todos os homens... Denunciei o perfil da moça por incitação ao ódio, e acho que o facebook hj tem poder de publicidade/visualização maior que muitos blogs e foruns existentes, e não devemos tratar as postagens dela como algo menor. Desejar a 'morte de todos os homens brancos' não ajuda em nada o feminismo, pelo contrario, vejo como um desserviço, justamente por ser tão dificil mostrar que não queremos supremacia, mas igualdade.

Anônimo disse...

A Dolores tá pisando em ovos com as Rads, rsrsrs,. as voltas que o mundo dá.

lola aronovich disse...

Alana, tem uma diferença entre "deixar pra lá" um comentário e fazer um carnaval em cima dele. O comentário dessa moça viralizou, e ela deve estar sendo xingada de tudo quanto é nome e ameaçada. Essas coisas que fazem na internet quando a pessoa em questão é mulher... Tem diferenças sim. O que uma pessoa fala numa página de FB com amigxs geralmente tem um alcance muito limitado (a menos que seja printado e enviado pra todo mundo que queira provar "como as feministas pensam"). Sanctos e demais mascus não estão falando através de páginas particulares de FB -- eles fazem fóruns abertos, blogs abertos, sites de ódio, páginas coletivas no FB, com a intenção de chegar ao máximo de pessoas. É a diferença de "estou falando com amigxs numa página pessoal" e "tenho a missão misógina de meter a real e falar pra todo mundo ouvir o que não tenho coragem de falar individualmente". Outra enorme diferença é que, printando e divulgando a moça que falou besteira, vc só está divulgando o nome dela para que ela (e todas as feministas por tabela) possa ser atacada. Entende? Ela não tem blog ou fórum pra ficar famosa. Vc não vai chegar à página dela e conhecer outros posts dela. Mas, quando se printa e divulga o que um blog ou fórum aberto diz, vc está levando pessoas para atacar aquele fórum/blog, mas também pessoas para conhecê-lo (e essa é justamente a intenção do fórum/blog; portanto, vc está fazendo o que ele quer). Por isso que, quando eu critico um blog/fórum mascu, eu nunca coloco o link. Claro que ainda assim é facílimo encontrar o tal blog na internet. Enfim...
Que as besteiras que essa e outras feministas falam não ajudam em nada o feminismo (nem mesmo o feminismo radical), isso ninguém tem dúvida. Vc tem todo o direito de denunciá-la por incitação ao ódio, mas o que ela escreveu, por mais absurdo e detestável que seja, é bem diferente do que os sanctos escreviam no site que viralizou ("Mate uma mulher hoje", por exemplo), ou do que eu li num fórum mascu ontem mesmo, sobre um lutador de UFC que espancou a esposa, que não vai pedir divórcio por causa dos filhos ("Até acho que essa garota apanhou pouco. O cara devia ter aleijado-a"; "Na próxima vez espero que ela vá pra vala de uma vez"; "mulher que tolera apanhar seguidamente merece o abuso e para mim perde o direito de reclamar" -- 3 comentários de 3 membros diferentes do fórum, todos "veteranos", nenhum "juvena", um deles um dos moderadores do fórum, ou seja, totalmente representativos do que pensam os mascus).

lola aronovich disse...

Só mascu me chama de Dolores, anon das 12:31, e a dúvida é: por que estou respondendo a um mascu? Que, ainda por cima, pra variar, é ignorante? Eu não estou pisando em ovos com radfems. Eu só evito falar de radfems, se bem que, quando alguém pede minha opinião, não me omito. Eu não gosto de falar mal de feministas, nem que sejam feministas de quem eu discordo totalmente. Só isso. E não tem nada disso de "as voltas que o mundo dá". Tem muita radfem que me detesta desde 2010, quando uma ou outra pediu minha opinião sobre um vídeo de humor, eu respondi com um post, elas não gostaram da minha resposta (que era: eu não considerei o vídeo apologia à violência doméstica). Que eu saiba, essas rads faziam parte de uma comunidade feminista fechada no orkut, uma que não aceitava homens. Eu nunca tinha ouvido falar em nenhuma dessas pessoas antes, e nunca ouvi falar depois, não que eu lembre, pelo menos. Pra vc ver a importância do que essa gente diz... Eu não sabia que existia feminista que odiava homem até escrever este post sobre Solanas (a única feminista que vcs mascus conhecem, fora eu). E tem mais de um ano que expus minha opinião na briga eterna (e francamente estúpida) entre radfems e transfems. E, claro, tem mil e um posicionamentos meus (ser contra um feminismo punitivista, por exemplo, ou ser a favor de homens feministas) que desagradam radfems (e outras feministas que não são rad também). E, pra muitas delas, uma só discordância e vc já não é mais aliada, se bobear, não é nem mais feminista. Enfim, eu sigo na minha, livre e independente, sem ódio, sem rancor, sem dogmas.

Anônimo disse...

As feministas, radicais ou não, também adoram printar mascus e machistas em geral, a guerrinha do facebook é feita de gente que ainda não chegou nem na terceira série...

Anônimo disse...

Joguei esta frase no google: "Até acho que essa garota apanhou pouco. O cara devia ter aleijado-a" e o unico resultado foi este blog aqui. Não tem nenhum outro forum/blog aberto com esta frase. Se ela foi proferida foi num forum fechado, logo não é passível da acusação incitação ao crime, já que "O que uma pessoa fala numa página de FB com amigxs geralmente tem um alcance muito limitado".

Anônimo disse...

Entra no facebook Lola, tu vai ver a belezura que são as paguinas de suas crias, rsrs, e uzomi, pra la, male eu sei la o que pra cá, cortar pica, esmaculem seus filhos e dai pra baixo.

lola aronovich disse...

"Minhas crias", ha ha ha... Vcs mascutrolls me dão muita importância. A comunidade radfem no orkut é muito anterior ao meu blog. Eu queria entrar no FB só pra divulgar melhor o meu blog, mas desisti depois que me disseram que a moderação por lá leva um tempão. E também, sem FB eu mantenho distância de grande parte das tretas.


Anon das 13:17, vai pastar, vai. Só porque não aparece no Google não quer dizer que a frase não foi colocada num fórum mascu aberto. Vou colocar no meu Twitter o print que acabei de tirar desse fórum, ok? Link pra fórum mascu eu não dou. Mas link pro meu twitter é https://twitter.com/lolaescreva

Alana Rios disse...

Lola, eu entendo seu ponto de vista, só não concordo. O fato dela não ter um blog/forum e não ficar ' famosa' não me diz muita coisa, pq considero igualmente grave. E nada imped euqe ela use essa exposição que está tendo para ampliar a divulgação das suas ideias. Claro que exagerei ao dar exemplo de um sancto, já que masculinistas são uma 'espécie' bem peculiar, pra dizer o mínimo. Mas será que não carnavalizariam também se fosse o oposto, se fosse um homem aleatório, que simplesmente postasse pros 'amigos' no facebook que deseja a morte de todas as mulheres e essa postagem aparentemente aleatória vazasse na internet?

Anônimo disse...

Lola, já passou da hora de você postar alguma coisa sobre o genero 'musical' PORNOGRIND, que denigre a mulher em letras que pregam a prática de estrupro, tortura e assassinato de mulheres. Vai no YouTube e jogue porngrind na busca e você verá vários vídeos reduzindo as mulheres a lixo. São 'musicas' com vocais guturais que não dá nem pra entender, mas se você ler as letras, verá que pregam estupro abertamente. Este conteúdo de violencia explícita contra a mulher deveria ser PROIBIDO no Brasil e as bandas brasileiras deste genero de 'death metal' CENSURADAS, e seus membros e divulgadores PRESOS. CADEIA NELES. Escreva sobre isso, Lola. O feminismo agradece.

lola aronovich disse...

Never heard. Estou sem tempo pra pesquisar agora, ainda mais se não dá pra entender as letras. Por que vc não escreve um guest post sobre esse tema aqui pro blog, anon das 13:54?


Alana, pelo menos vc concorda que exagerou na comparação entre uma rafem e blogs e fóruns mascus. E estou falando de mim. Respondi a um anon que disse que eu estou usando um padrão duplo para medir duas coisas iguais. Quando é um homem aleatório que fala alguma besteira, ele muitas vezes é bem divulgado sim (não necessariamente por mim; não tenho muito interesse nesses casos individuais), mas ele não vira representante de um grupo. Certo? Não é como a radfem, que de repente, com um só post no FB, vira representante de todas as feministas, passadas, presentes e futuras. E outra diferença: as ofensas e ameaças que cada um recebe.

Anônimo disse...

Não senhora Lola, dupla moral sim sanctus e radfems são a mesma porcaria, só muda o gênero, mas a intensidade de ódio e a mesma.

Raven Deschain disse...

Obrigada Lola. O duro é viver essa vida (como falei no post sobre comida, passei fome algumas vezes) e ler um babaca dizer que bem feito, quem mandou eu abrir as pernas?


E gente, que saco. A moça dizer que quer que o mundo morra é uma coisa. O cara matar várias meninas em Goiânia é outra. Não dá pra comparar a opinião no Facebook dela (e convenhamos, Facebook só vomita merda), com opiniões de mascus que efetivamente estão abusando de mulheres. E como eu disse em outro post, acho a raiva delas justificada. Equivocada, mas justificada.

Raven Deschain disse...

Huashuahs chessus. Sempre achei que a única coisa boa no death metal era que não dava pra entender as letras. Pelo visto tinha razão.

Danilo disse...

"Eu era parcialmente mascu, por acreditar que mulheres interesseiras eram assim por convicção, hoje sei que elas são assim por indução"


Resposta: É natural que a mulher deseja um cara com boa vida financeira para um relacionamento sério. Mas existe uma dose de pressão social para a mulher casar só com ricos.

Danilo disse...

"Sanctos e demais mascus não estão falando através de páginas particulares de FB -- eles fazem fóruns abertos, blogs abertos, sites de ódio, páginas coletivas no FB, com a intenção de chegar ao máximo de pessoas"


Resposta: Lola. Como eu já frequentei terrenos de sanctos misóginos radicais eu posso lhe afirmar que os mais extremistas capazes de transgredir as normas jurídicas desapareceram literalmente. Eles evaporaram.

Na verdade você não sabe onde era a procriação e a esfera de misóginos radicais. Então eu vou te falar algumas coisas que, provavelmente, você não sabe.

Os misóginos extremistas nunca participaram de fóruns masculinistas e os mesmos condenavam tais fóruns. Sim, para eles, os fóruns masculinistas eram uma concentração enorme de "manginas".

O terreno dos sanctos de fato misóginos radicais se concentravam na maior comunidade do Orkut do filósofo Schopenhauer durante o ano de 2010 até meados de 2011. A comunidade era aberta e todos podiam ver os posts, mas a comunidade tinha longo alcance e por isso nunca sofreu alvo de denúncias.

Eu só tomei conhecimento destes sanctos quando eu comecei a ler o filósofo Schopenhauer e para o maior entendimento sobre a ideologia do Arthur Schopenhauer eu entrei na comunidade para colher mais informações. Mas logo quando eu entrei eu notei que os posts eram bem "estranhos" e eu mesmo pensava, mas que porra é essa?

Foi na comunidade do Schopenhauer que o blog do Silvio Koerich era vangloriado e bastante divulgado. Os sanctos radicais eram desta comunidade do Schopenhauer. E eu lembro que a comunidade foi derrubada depois do atentado de Realengo. E logo após disso, os sanctos desapareceram. Estou falando de caras que eu sei que cometiam loucuras. O Engenheiro Emerson era da comunidade do Schopenhauer do Orkut.

Estes fóruns masculinistas que você vê não passa de uma esfera de enorme de moleques mimadinhos ou marmanjos choroões que apenas são o rambo dos teclados mas não fazem porra nenhuma.






Anônimo disse...

LOLA QUERO VER POST PEDINDO CASTRAÇÃO QUÍMICA DE TODOS OS HOMENS E PRISÃO PRA COMEDIANTES QUE FAZEM PIADA DE ESTUPRO. TODOS HOMENS SÃO ESTUPRADORES DIGA SIM A CASTRAÇÃO QUÍMICA. SALVE O FEMINISMO. DILMA 2014. GIRL POWER.

fernanda melo disse...

gente de boa nunca namorei cara que tem dinheiro conheço várias mulheres que ganham mais que os namorados e continuam com eles, inclusive eu sou uma delas e nunca liguei pra isso. Pior coisa deve ser aguentar um cara que você não gosta por causa de dinheiro, esse tempo já passou. toda mulher que conheço que entra nessa não é feliz e nós hoje em dia queremos mais é ser felizes

lola aronovich disse...

O chato de alguns comentários (como o do loucx da caixa alta aí em cima) é que não dá pra saber se é mascu querendo sujar o nome do feminismo (e da Dilma) ou se é radfem. Não estou dizendo que mascus e radfems são iguais, só que às vezes eles se parecem, como no desejo de segregação. E isso não pode estar certo.

Danilo disse...

*a comunidade não tinha longo alcance* apenas corrigindo.

E só mais um adendo, para não haver dúvidas que o que eles falavam não era papo furado perante aos outros. Alguns deles falavam os seus nomes originais e pediam para os que duvidavam deles jogar o nome deles no sistema de arquivos de processos na cidade que eles moravam e ver os problemas na justiça que eles tiveram. Ou seja, existiam provas e fatos de que os caras falavam não era mentira. Eles eram verdadeiros na iminência do perigo deles. Obviamente eu quis a constatação da veracidade do argumento deles e eu entrava no sistema de arquivos e vi uns 3 casos de lesão corporal contra mulheres. E um caso la era de um cara que espancou o vizinho nordestino dele.

Julia disse...

Alana Rios, homem pode postar o que quiser que não dá em nada. Nem no facebook. Mas sabemos que qualquer comentário agressivo contra homens vai provocar perseguição e ameaças a mulher que ousar dizê-lo.


A Lola mesmo nunca falou nada parecido e é ameaçada de morte e estupro.



Death disse...

"O chato de alguns comentários (como o do loucx da caixa alta aí em cima) é que não dá pra saber se é mascu querendo sujar o nome do feminismo (e da Dilma) ou se é radfem. Não estou dizendo que mascus e radfems são iguais, só que às vezes eles se parecem, como no desejo de segregação. E isso não pode estar certo."

Pera aí Lola, vc dizendo assim parece que o masculinismo é um movimento sério e que apenas alguns indivíduos estão tentando sujar a sua imagem e que radfems já queimam o filme por si só.

Não acho que dê nem para comparar mascus com radfems, pq colocaria o segundo grupo como sendo um grupo de ódio, se tem gente lá comemorando morte de homem com certeza não é alguém bem intencionada ou com o mínimo de informação, me parece muito mais uma manifestação de ignorância.

Não se sabe também se é algum fake criado por algum mascu, vc mesma Lola vê que direto mascus aqui criam perfis fakes de mulheres para conversarem entre si, validando suas teorias (ou fazendo perguntas sobre PUA) ou dizendo coisas absurdas só para serem printadas depois.

Não quero cagar regras mesmo pq o blog é seu mas não acho legal aprovar esses comentários, a maioria dxs comentaristxs daqui são pessoas com discernimento, só que temos o convívio com estes doentes que não sabem interpretar e vão usar qualquer coisa como "prova", além de que estes comentários sempre desvirtuam o post e empobrecem o diálogo.

Claudio disse...

Danilo,

a tal pressão social que você fala vem das próprias mulheres, pela lavagem cerebral que sofreram, se uma mulher casa (hoje vejo casamento como uma prisão para a mulher, salvo se o casal pretender ter filhos em breve, pois será melhor que o filho nasça em ambiente estável, até pelo menos ele atingir a puberdade) com pobre muito bonito, provavelmente o próprio círculo social dela, com ironias e indiretas, principalmente de homens que só conseguem casar proporcionando muitas coisas a sua esposa, enquanto o bonitão consegue casamento com pouco esforço, assim ocorrendo sabotagem de homens provedores e por tabela de suas respectivas namoradas / esposas.

Anônimo disse...

O dia que tivermos uma sociedade, em que homens são mortos de forma endêmica, por mulheres, dai vc vai poder "confundir' a reação do oprimido,com a violência do opressor, como fez hoje.

Nosso feminismo não e limpinho cheirosinho o suficiente para você? nós não temos um "maridão" para nos orgulharmos de como ele e um 'opressor branco hétero legal"?

DANE-SE, querem nos classificar como misandricas, por identificarmos no grupo social conhecido como "homens" um inimigo natural das mulheres? que seja!
pois saibam que minha misandria,salva vidas e mulheres(salvou a minha) enquanto a misoginia,as mata todo dia.

ADORADOR DE MULHER disse...

PARA O ANONIMO DAS 10:02

olha, eu não tenho mesmo te provar que sou mesmo homem. mas eu sou. só por valorizar mulheres não significa que sou mulher. exatamente com o que você concorda? não inventei nada do que escrevi, é só olhar para os fatos biológicos.

Danilo disse...

"A Lola mesmo nunca falou nada parecido e é ameaçada de morte e estupro."


Resposta: Nunca vi Lola sendo ameaçada de morte ou estupro. Mesmo que isso seja verdade isso não vai acontecer. A razão disso é simples: Não existe sanctos extremistas em Fortaleza com vontade de realizar estes atos de morte e estupro.

Os misóginos radicais que não possuem medo das leis jurídicas a maioria deles moram em São Paulo capital. Uns gatos pingados no Rio de Janeiro e uns gatos pingado no Rio Grande do Sul. Mas os sanctos em maior volume se residem em São Paulo capital.

Danilo disse...

".. (hoje vejo casamento como uma prisão para a mulher, salvo se o casal pretender ter filhos em breve, pois será melhor que o filho nasça em ambiente estável, até pelo menos ele atingir a puberdade)"


Resposta: Existe um impasse aí. Por um lado as mulheres modernas acham que o casamento é a negação da liberdade feminina, é falta de prazer é a escravização feminina em prol do desejo do homem. Pois o casamento teoricamente é uma instituição patriarcal.

Mas por outro lado as mulheres dessa geração sonham a felicidade tradicional. Toda mulher moderninha quer realizar os sonhos femininos como casar e ter filhos.

É por isso que eu acho que o feminismo virou um grande modismo cultural. Qualquer pirralha de 18 à 25 anos fala que é feminista de boca cheia mas eu quero ver se vai ser a feminista fodona daqui há 10 ou 12 anos. A pessoa muda muito em 10 anos e muitas mulheres renunciam as filosofias anti-machistas e o feminismo que elas tanto idolatravam no passado. Isto é factual.

lola aronovich disse...

Danilo, vai embora. Sério. Vc só fala besteira, não dá uma dentro, e ainda fala com ar de superioridade ("é factual"). Sério mesmo que vc acredita que TODA mulher quer realizar os sonhos femininos (ha ha, homem não quer casar nem ter filhos) de casar e ter filhos?
Sabe, só porque vc nunca viu as ameaça de estupro, morte, desmembramento e tortura que recebo rotineiramente (várias delas já reproduzidas em posts), não quer dizer que elas não existam. Vc tem o péssimo costume de se achar o centro do universo. O que vc acredita é lei, é regra, é factual. Acho que vc não tem ideia de como vc é visto como panaca completo num blog feminista. Por mulheres e homens. O bom é que vc assina, então a maior parte pula seus comentários.


Anon das 19 hs, tente falar coisa com coisa. Vc acha que eu, uma feminista (assim como tantas outras feministas hétero casadas), tem um maridão para me orgulhar de como ele é um homem opressor legal? Vcs partem das mesmas generalizações absurdas que combatem. E quem ultimamente está se classificando como misândrica são as próprias radfems. Orgulhosamente, aliás.

ADORADOR DE MULHER disse...

esse Danilo só fala merda. é todo confuso. homem com nojinho de mulher é foda.

Anônimo disse...

Para ADORADOR DE MULHER
Eu sei que voce não inventou estórias e só acho estranho um homem se dizer adorador de mulher.

Expat Patronum disse...

Death disse...

Não se sabe também se é algum fake criado por algum mascu, vc mesma Lola vê que direto mascus aqui criam perfis fakes de mulheres para conversarem entre si, validando suas teorias (ou fazendo perguntas sobre PUA) ou dizendo coisas absurdas só para serem printadas depois.


Senti uma indireta para mim, pois saiba que nunca criei perfil fake feminino. Aliais esse é o único perfil com que eu comento nesse blog.

Anônimo disse...

Danilo, você está num blog de uma pessoa que é praticamente casada desde os 23 anos, lê comentários de várias feministas que são casadas ou tem filhos e ainda tem essa ideia simplista que feminista de verdade é simplesmente uma mulher que se mantêm solteira e sem filhos depois de trinta e cinco, quarenta anos.
Não é porque mulher casa ou tem filhos que quer dizer que não é ou deixou de ser feminista da mesma forma que não é porque uma mulher nunca casou que quer dizer que ela seja feminista. Vocês tem ideias muito simplistas e estereotipadas. Não é porque uma mulher é casada que quer dizer que ela siga a cartilha do patriarcado: homem trabalhando, mulher dona de casa e única responsável pelos filhos, homem dando a última palavra, não lavando um copo dentro de casa, etc.

L. G. Alves disse...

Eu não quero misandria e nem misoginia. Não faço parte de uma gangue que evita criticar os erros de seus integrantes. Eu quero fazer parte do feminismo com
seu real significado. Ou será que mudou o significado, tão repetido em vários blogs como algo positivo, e eu não fiquei sabendo? (desconsidere o outro comentário, por favor, errei de post)

Anônimo disse...

Danilo é pedante e não sabe nada de mulher. Pelo jeito nunca ouviu falar em complexo de cinderela, esse pseudo-intelectual.

Claudio disse...

"Por um lado as mulheres modernas acham que o casamento é a negação da liberdade feminina, é falta de prazer é a escravização feminina em prol do desejo do homem. Pois o casamento teoricamente é uma instituição patriarcal.

Mas por outro lado as mulheres dessa geração sonham a felicidade tradicional. Toda mulher moderninha quer realizar os sonhos femininos como casar e ter filhos. "

Danilo, agora me responde uma pergunta... se todo homem heterossexual tivesse uma mulher por semana, algum homem iria querer casar?

Claro que não... homens desejam casamento para ter sexo regular... só por isso...

Mulher só deve casar se pretender ter filho em breve (e se ela casar por dinheiro, o sistema a induz e quer isso, é impossível derrubar o sistema vigente, pois tem aceitação da maioria dos homens de uma forma direta ou indireta, supondo que um pequeno grupo de homens, que tem alguma aceitação das mulheres no mínimo mais ou menos, tentassem fazer algo contra isso, tipo alertando e / ou combatendo, provavelmente seriam presos ou mortos)...

Anônimo disse...

As RadFems são uma arma poderosa para manter tudo como está.

Death disse...

"Senti uma indireta para mim, pois saiba que nunca criei perfil fake feminino. Aliais esse é o único perfil com que eu comento nesse blog."

Não dei nome aos bois mas se a carapuça te serve....

Anônimo disse...

"homens desejam casamento para ter sexo regular... só por isso..."

Agora entra de volta no Delorean e vem pro século XXI.
Uma fala dessas até poderia fazer sentido algumas décadas atrás, mas hoje em dia, quando a maioria das mulheres não casa mais virgem, pessoas que namoram transam livremente, existe sexo casual, existe sexo pago com facilidade e até mesmo barato, em meio a várias críticas que a frequência sexual cai depois de um casamento, é totalmente fora de lugar achar que um homem só se casa pra ter sexo.
As pessoas se casam pela ideia do amor romântico, por estarem apaixonadas por alguém ou porque querem ter filhos e acham que esse arranjo é mais prático, ou porque não vislumbram um futuro que não seja o seguido pela maioria, ou porque querem ter uma companhia permanente, ou porque associam felicidade à ideia de um casal com filhos, enfim.

ADORADOR DE MULHER disse...

AO ANÔNIMO DAS 20:07


eu não sei se você é homem ou mulher, e também não te conheço, mas sei de uma coisa; você só acha
estranho porque a sociedade "ensina" errado, que o normal é um homem apenas ter atração física/sexual por mulheres, e não admira-las por ser o que são. que é impossível gostar de uma mulher apenas, não; só se deve "olhar" para uma mulher se tiver interesse sexual.
SIM, EU sou homem.

Anônimo disse...

O feminismo não inventou um medo irracional de que todos os homens são violentos; o elevado número de homens que são estupradores violentos e cometem violência contra as mulheres são responsáveis por fomentar esse medo muito realista. Isso é chamado de análise de classe.

Danilo disse...

"Danilo, agora me responde uma pergunta... se todo homem heterossexual tivesse uma mulher por semana, algum homem iria querer casar?"


Resposta: O homem iria desejar menos a monogamia (não em absoluto) se ele tivesse o poder de levar pra cama todas as mulheres que ele têm desejo sexual.

Danilo disse...

"Sabe, só porque vc nunca viu as ameaça de estupro, morte, desmembramento e tortura que recebo rotineiramente (várias delas já reproduzidas em posts), não quer dizer que elas não existam"


Resposta: Não vou negar que existia uma "cultura" para te odiarem. Mas os sanctos nunca falaram explicitamente coisas do tipo: "Matem a LoLa" etc. Eles diziam coisas num sentido mais amplo. Mas realmente existia uma incitação para te odiarem.

Lola, e quem garante que os recados de ameaça de morte pra você parte de uma pessoa potencialmente perigosa? Os anônimos (quando não existem provas e fatos que eles são loucos capazes de cometer as maiores atrocidades), eles não passam de uns bunda moles chorões.

Nunca reparou que os "sanctos" que violaram o ordenamento jurídico manifestavam os seus ódios mostrando a cara? Wellington de Realengo e o engenheiro emerson davam cara a tapa e não se escondiam no anonimato. O Gustavo Guerra de caxias do sul que declarou que as feministas devem ser estupradas tá lá o vídeo dele no youtube mostrando a sua cara. Tu deve temer recados de ameaças de morte de quem mostra a cara e não quem fica se escondendo no anonimato com medinho de ser descoberto

Nicolas disse...

Acho muito complicado definir limites sobre abordagens tanto em relação a mulheres quanto a homens, quando são abordagens que estão fora da margem de violência sexual, se é que alguma possa se enquadrar nisso. O que quero dizer é que já vi tanto amigos serem apalpados por mulheres e cantados ao lado de suas namoradas, quanto vi mulheres sendo abordadas em seus corpos por homens, o que se encaixa dentro da cultura da pegada/ousadia/atitude que é valorizada por parte da mídia e da própria sociedade. Será que o limite começaria antes ou depois da abordagem? Se um homem bonito abordasse uma mulher sem conhecê-la, e a mesma gostasse e permitisse, antes da permissão não seria uma violência? O mesmo quanto uma mulher atraente que abordasse de forma física um homem, e o mesmo permitisse. O que quero dizer é que os limites quanto a isso estão longe de serem claros, e que muitas vezes vejo descambar para o politicamente correto do não me torque a qualquer custo em discuso, quando na realidade desse individuo tanto do sexo masculino ou feminino se vê práticas bem diferentes, sem generalizar obviamente. Obviamente forçar um individuo naquilo que ele não quer já constitui uma violência, mas passar certos limites desse individuo mesmo que conte com sua aprovação posterior, já não é uma violência em potencial?

Enfim, não concordo completamente nesse homem puritano que foi abordado no texto como homem ideal. Outra coisa, Lola, você poderia em um post especial definir o machismo em relação a história? Vejo que o machismo tem tantos fatores culturais, como instintivos na construção da sociedade humana, e que as leis e a garantia de direitos em países onde o estado de direito impera esse comportamento tende a ser inibido. Se puder fazer um post sobre a definição do machismo, contexto histórico, o mesmo passando com o feminismo agradeceria bastante. Obviamente se tiver tempo e disposição para tal empreitada.

Anônimo disse...

As RadFems é que fazem a diferença.

Anônimo disse...

Às vezes eu me pego pensando no tamanho da surra que daria em meu filho se soubesse que ele molestou uma mulher. E geralmente penso em uma surra para deixar marcas, para que ele nunca esqueça o crime que cometeu. E se ele for pego pela polícia, ainda faria o melhor para que ele passe o maior tempo possível na cadeia.

E esse seria um dos poucos motivos pelo qual ele apanharia. Cometer bullying seria o outro motivo pelo qual ele tomaria uma surra bem dada. Fora isso, não penso em outro motivo grave o suficiente para dar uma surra no pirralho.

Anônimo disse...

CASTRAÇÃO QUÍMICA? Que Hard isso.

A total eu sou contra, mas uma temporária em todos os homens, desde a infância sim, seria como as vacinas, dadas em postos de saúde do governo.

Isso garantiria que o machinho não vai ter suas explosões de testosterona, e ele ficaria muito dócil, gentil e cavalheiro.

A total só para os criminosos.

Anônimo disse...

Castração Química é temporária, inclusive há quem chame de Castração Farmacológica, que é um nome que faz mais sentido, uma vez que "Castração Química" também é uma técnica de castração permanente veterinária. O melhor antiandrogênico para homens, com toda a certeza, é finasterida 5mg. Eu uso, é baratinho.

Anônimo disse...

Por ser temporária é que os "machinhos" deveriam que ter uma careira de vacinação (de perlutan ou algo mais forte) em dia para se manterem estudando ou nos empregos.

Isso até quando estiverem maduros psicologicamente e realmente civilizados, caberia à suas mães ou "esposas" (se tiverem) liberá-los das injeções. Mas a responsabilidade por qualquer crime cometido pelo selvagem seria delas.

Anônimo disse...

O cara sendo visto como puritano porque não apalpa mulheres contra a vontade delas e se sente culpado de ter feito isso no passado. Preguiça eterna de mentes pequenas e machistas...
Mas é melhor ler certos comentários que ser cega né.

Gabriel disse...

Sabe... Eu senti que o feminismo para esse cara foi quase como a religião evangélica para os presos.
A pessoa é um ser humano horrível, e de repente se arrepende e se converte.
Não sou feminista, acredito que é muito vitimismo e vontade de ter privilégios. E eu nunca aceitaria um homem que passa a mão na perna de uma mulher assim, ou um homem que provoca uma mulher na rua.
Por que não tenta encontrar uma pessoa como eu, que acredita realmente na igualdade entre homens e mulheres (sem privilégios para qualquer dos dois), é a favor do aborto, acha que os dois tem que trabalhar, ter os mesmos direitos e deveres, ganhar de acordo com a competência e horas trabalhadas, que se "converteu" ao feminismo?
Talvez porque não exista. É como encontrar um ateu de classe média sem problemas psicológicos que se converte à religião evangélica.

Raven Deschain disse...

"pessoa como eu, que acredita realmente na igualdade entre homens e mulheres (sem privilégios para qualquer dos dois), é a favor do aborto, acha que os dois tem que trabalhar, ter os mesmos direitos e deveres, ganhar de acordo com a competência e horas trabalhadas"


Fio, vc é feminista. Enrustido ainda.

Jonas Klein disse...

Olá Lola, achei bem interessante o relato do rapas que te escreveu. e particularmente me identifiquem um pouco com ele, apesar da minha trajetória de vida ser diferente da dele, eu também já cometi alguns erros no que se refere ao trato com as mulheres dos quais eu me envergonho ate hoje, mas felizmente eu também consegui evoluir e me tornar uma pessoa um pouco melhor, apesar de ter os meus defeitos ainda.

Boa noite

Julia disse...

Esse negócio de homem "puritano" porque não apalpa mulheres sem a permissão delas ficou bem esquisito mesmo.

Nicolas e Gabriel, sigam o exemplo do colega do post porque vocês estão realmente precisando melhorar.

Anônimo disse...

16:47

Isso vai contra os direitos humanos. É muito mais ético, fácil e prático convencê-los de que tomar finasterida é cool. E de fato é, pois previne, e reverte parcialmente, a CALVÍCIE!

Anônimo disse...

16:47

Perlutan os tornaria em travestis/transexuais, o que causaria uma fortíssima disforia de gênero, pois seriam homens em corpos forçosamente feminizados.

Julia disse...

O mascu deixando link pra forum mascu aqui, Lola.

lola aronovich disse...

É mesmo, Julia. A princípio eu não ia publicar (não publico comentário com link pra mascu), mas o cara não pareceu um mascu. Anyway, como não tenho tempo pra responder, nem vontade de ir pra esses lugares, vou deletar o comentário mesmo.